Monthly Archives: agosto 2022

Invicto, Brasil conquista o Sul-Americano de 16 anos
Por Mario Sérgio Cruz
agosto 13, 2022 às 9:02 pm

Brasileiros venceram todos os 12 jogos da semana em simples e duplas e perderam apenas um set (Foto: Omar Erre)

Um dia depois de garantir sua vaga na Copa Davis Júnior, o Brasil fechou de forma invicta sua campanha no Sul-Americano de 16 anos masculino e conquistou o título da competição disputada nas quadras de saibro de Tucuman, na Argentina. Os brasileiros venceram a final deste sábado contra contra o Paraguai por 2 a 0.

No primeiro jogo da série, o paranaense Gustavo de Almeida derrotou Alex Nuñez por 6/1 e 6/0. Pouco depois, foi a vez de o carioca João Fonseca vencer a partida que decidiu o título. Ele marcou 6/1 e 6/0 contra Thiago Drozdowski.

Durante a semana, o Brasil venceu todos os confrontos por 3 a 0 e liderou com folga o Grupo A da competição. A equipe do capitão Rodrigo Ferreiro ainda contou com Pedro Rodrigues. Os brasileiros haviam passado por Chile, Bolívia, Uruguai e Argentina na fase de grupos do torneio.

Além de vencerem todas as 12 partidas da semana, os tenistas brasileiros perderam apenas um set em 25 disputados na competição. Fonseca venceu quatro jogos em simples e três nas duplas, Almeida venceu quatro partidas de simples e uma na dupla, enquanto Rodrigues venceu dois jogos de simples e mais quatro em duplas.

“Viemos para o Sul-Americano com um time forte e competitivo, mas jogar na Argentina é sempre muito difícil e ainda caímos no mesmo grupo que eles. No nosso primeiro confronto contra o Chile, tivemos um pouco de dificuldade no início e, desse jogo em diante, os meninos conseguiram se adaptar bem às condições. Depois, enfrentamos a Bolívia, uma vitória tranquila, e o Uruguai, também sem intercorrências”, explicou o capitão Rodrigo Ferreiro.

“O jogo-chave para garantir a vaga antecipada para o Mundial foi justamente contra a Argentina. Fomos com força máxima para esse confronto e o placar não diz o quão difícil foi. Na final contra o Paraguai, os meninos estavam concentrados e motivados e ganhamos com tranquilidade. Fomos merecedores desse título, terminamos invictos e carimbamos com autoridade o nosso passaporte para a Turquia”, completou Ferreiro.

Meninas ficam em 4º lugar no Sul-Americano
A equipe feminina do Brasil não conseguiu a classificação para a Copa Billie Jean King Júnior. As meninas ficaram em quarto lugar no Sul-Americano, que dava três vagas no Mundial da categoria, que será disputado em novembro na Turquia.

As brasileiras perderam neste sábado para a Colômbia por 2 a 1. A série começou com uma partida de 3h13, em que a colombiana Valentina Mediorreal derrotou Cecilia Costa por 5/7, 7/6 (11-9) e 7/5. Coube a Olivia Carneiro empatar a série para o Brasil, vencendo Mariapaz Ospina por 6/3 e 6/2. Nas duplas, Mediorreal e Ospina derrotaram Costa e Carneiro por 6/4 e 6/3.

Durante a fase de grupos, as brasileiras ficaram em segundo lugar do Grupo A. Elas venceram por 3 a 0 os confrontos contra Peru, Equador e Uruguai, e perderam para a Argentina por 2 a 1. O time brasileiro ainda contou com Sthefany de Lima e o capitão Flávio Rosa.

Classificaram-se para o Mundial masculino as equipes do Brasil, Paraguai e Argentina. Já no feminino, a Argentina conquistou o título, com Colômbia e Chile ficando com as outras duas vagas.

Brasil vence Argentina e se classifica para Davis Júnior
Por Mario Sérgio Cruz
agosto 12, 2022 às 8:24 pm

Equipes com Gustavo de Almeida, Pedro Rodrigues e João Fonseca está na final do Sul-Americano de 16 anos (Foto: Omar Erre)

Com uma campanha invicta ao longo da semana, o Brasil se classificou para a final do Sul-Americano de 16 anos masculino e garantiu uma vaga na Copa Davis Júnior, que será disputada em novembro, na Turquia. O time brasileiro venceu nesta sexta-feira a anfitriã Argentina por 3 a 0 na cidade de Tucuman.

O duelo entre Brasil e Argentina começou com a vitória do paranaense Gustavo de Almeida sobre Maximo Zeitune por 6/1 e 6/4. Logo na sequência, foi a vez de o carioca João Fonseca definir a série, vencendo Lucca Guercio por 6/1 e 6/3. Mesmo com a vaga já confirmada, Fonseca entrou em quadra para o jogo de duplas ao lado de Pedro Rodrigues. Os brasileiros venceram Zeitune e Guercio por 6/1 e 6/3.

Durante a semana, o Brasil venceu todos os confrontos por 3 a 0 e liderou com folga o Grupo A da competição. A equipe do capitão Rodrigo Ferreiro já havia passado por Chile, Bolívia e Uruguai na fase de grupos do torneio. A final será neste sábado, diante do Paraguai, líder do Grupo B.

Equipe feminina também tenta vaga no Mundial
A equipe feminina do Brasil ficou em segundo lugar do Grupo A do Sul-Americano e vai disputar o terceiro lugar geral, que vale a última vaga na Copa Billie Jean King Júnior. As brasileiras perderam nesta sexta-feira para a Argentina por 2 a 1 e enfrentarão a Colômbia no sábado.

A série começou com a argentina Luisina Giovannini vencendo Cecília Costa por 6/2 e 6/0. Logo na sequência, Olivia Carneiro empatou o confronto com uma difícil vitória sobre Lourdes Ayala por 6/3, 2/6 e 7/6 (7-4). Nas duplas, Ayala e Giovannini venceram Costa e Carneiro por 7/6 (14-12) e 6/4.

As brasileiras vinham de três vitórias por 3 a 0, diante das equipes do Peru, Equador e Uruguai. O time brasileiro ainda conta com Sthefany de Lima e o capitão Flávio Rosa. A final do Sul-Americano feminino será entre Argentina e Chile, ambas já classificadas para o Mundial da categoria.

Dominantes, tchecas conquistam Mundial de 14 anos, Brasil termina em 8º
Por Mario Sérgio Cruz
agosto 7, 2022 às 2:26 am
Tchecas venceram todas as partidas de simples e duplas no Mundial de 14 anos (Foto:  World Junior Tennis Finals)

Tchecas venceram todas as partidas de simples e duplas no Mundial de 14 anos (Foto: World Junior Tennis Finals)

De forma absolutamente dominante, a República Tcheca conquistou em casa o título Mundial de 14 anos por equipes, disputado na cidade de Prostejov. Com uma equipe que conta com três das cinco melhores do mundo na categoria, de acordo com o ranking adotado pela Tennis Europe, as tchecas venceram todas as 16 partidas de simples ou duplas disputadas na semana, com 32 sets vencidos e apenas três perdidos. O título foi conquistado neste sábado, com vitória sobre a Alemanha por 3 a 0.

A série final diante das alemãs começou com a vitória de Laura Samsonova, 4ª no ranking da Tennis Europe, sobre Sonja Zhenikhova, 108ª, por 6/3 e 6/2. O título foi confirmado com Alena Kovackova, número 1 da categoria, vencendo Julia Stusek, 102ª, por 6/2 e 6/3. Mesmo com a série já definida, as tchecas também comemoraram uma vitória nas duplas. Eliska Forejtkova e Laura Samsonova venceram Michelle Khomich e Sonja Zhenikhov por 6/1 e 6/3.

Esta é a quinta vez que a equipe feminina tcheca conquista o Mundial da categoria, repetindo os títulos de 1991, 1998, 2003 e 2019. Lembrando ainda que as tchecas são as atuais campeãs da Copa Billie Jean King Júnior, o Mundial de 16 anos, que teve sua edição mais recente em outubro do ano passado. A equipe que foi a Prostejov teve o comando de Petra Cetkovska, ex-número 25 do mundo.

“Estou muito orgulhosa delas e mais feliz do que as palavras podem descrever”, disse a capitã Cetkovska ao site da ITF. “Como equipe, elAs passaram por alguns períodos difíceis, mas foram incrivelmente profissionais e continuaram lutando. ElAs merecem este sucesso. O resultado também mostra mais uma vez a força do tênis tcheco, especialmente com as meninas, Espero que isso continue por muito tempo. É ótimo para a nossa nação”.

Durante a campanha para o título, as tchecas venceram por 3 a 0 os confrontos contra Canadá, Argentina e Coreia do Sul na fase de grupos. Líderes do grupo A, as anfitriãs derrotaram o Japão nas quartas de final e a Eslováquia na semi, ambos os confrontos terminados com 2 a 0.

Brasil termina na oitava posição

O Brasil foi representado por sua equipe feminina no Mundial de 14 anos e a equipe nacional terminou a competição em oitavo lugar. As brasileiras contaram com a potiguar Victoria Barros, a gaúcha Pietra Rivoli e a paulista Letícia Marangoni, sob o comando do capitão Santos Dumont. No encerramento da competição, o Brasil perdeu para o Japão por 2 a 0. Rira Kosaka venceu Pietra Rivoli por 6/1 e 6/4, enquanto Wakana Sonobe derrotou Victoria Barros por 6/3 e 6/1.

As brasileiras chegaram às quartas de final do Mundial, depois de ficarem na segunda posição do Grupo B. Elas venceram os confrontos contra Austrália e Tunísia, e perderam para a Eslováquia por 2 a 1. Nas quartas, foram superadas pelos Estados Unidos por 2 a 1. Já no playoff que define do 5º ao 8º lugar, as brasileiras foram superadas por Coreia do Sul e Japão.

Destaque da participação brasileira, Victoria Barros conseguiu quatro vitórias e sofreu apenas duas derrotas em simples. Já nas duplas, a potiguar teve 50% de aproveitamento em quatro jogos disputados. Ele teve o desempenho destacado pela pela capitã norte-americana Kathy Rinaldi. Pietra teve uma vitória em três jogos de simples e mais um triunfo nas duplas. Letícia disputou três partidas de simples, e venceu um jogo de duplas em quatro tentativas.

Suíça conquista o título masculino em Prostejov

Suíços superaram os alemães duas vezes na campanha para o título (Foto: World Junior Tennis Finals)

Suíços superaram os alemães duas vezes na campanha para o título (Foto: World Junior Tennis Finals)

A equipe que foi a Prostejov nesta temporada contou com Flynn Thomas, Thomas Gunzinger e Alex Bergomi, sob o comando do capitão Roberto Bresolin. Os suíços venceram a final contra a Alemanha por 2 a 1. Curiosamente as duas equipes já haviam se enfrentado na primeira fase, e os suíços também haviam levado a melhor. Suíços e alemães estavam no Grupo D ao lado de México e Colômbia. Os campeões também venceram a Argentina nas quartas e os Estados Unidos na semi.

A final do Mundial série começou com vantagem alemã, depois que Diego Palomero derrotou Alex Bergomi por 6/0 e 6/1. Flynn Thomas empatou o confronto ao vencer Niels McDonald por 6/0 e 6/4. Já na partida de duplas, Flynn Thomas e Thomas Gunzinger derrotaram Palomero e McDonald por 7/6 (7-5) e 6/2. Finalista nas chaves masculina e feminina, a Alemanha começou o dia tentando se tornar a primeira nação desde os Estados Unidos em 2008 a ganhar dois títulos no mesmo ano.

“Honestamente, eu não esperava, mas estou muito feliz pelos meninos”, disse o capitão suíço Roberto Bresolin ao site da ITF. “Vencer este torneio é um grande passo em direção ao futuro deles, mas ser campeão do Mundial de 14 anos não significa que você sempre será o melhor do mundo. Esse passo foi dado e é agora cabe aos meninos continuar trabalhando duro e melhorando. É um grande momento nas carreiras deles, que devem ganhar muita confiança com isso. Eles também aprenderam a gerenciar a tensão nesses momentos. Estamos juntos há 10 dias e tivemos que gerenciar muitas situações diferentes, especialmente fora da quadra, mas estamos dando um passo de cada vez”.

Brasil disputa Sul-Americano de 16 anos na Argentina
Na próxima semana, o Brasil disputa o Sul-Americano de 16 anos em Tucuman, na Argentina. O time masculino tem João Fonseca, Pedro Rodrigues e Gustavo de Almeida, enquanto a equipe feminina terá Olivia Carneiro, Sthefany de Lima e Cecilia Costa. Os meninos estão no Grupo A, ao lado de Chile, Bolívia, Uruguai e Argentina. As meninas estão no Grupo A com Argentina, Uruguai, Equador e Peru. Os Mundiais da categoria serão entre os dias 1º e 6 de novembro.

Mundial de 14 define finalistas, Brasil disputa 7º lugar
Por Mario Sérgio Cruz
agosto 6, 2022 às 5:23 am

A Alemanha está nas finais masculina e feminina do Mundial de 14 anos (Foto: Srdjan Stevanovic)

Os finalistas do Mundial de 14 anos por equipes foram conhecidos nesta sexta-feira, após a rodada de semifinais em Prostejov, na República Tcheca. As finais masculina estão marcadas para o sábado de manhã, a partir das 5h (de Brasília).

A torcida tcheca terá a oportunidade de acompanhar o time da casa na final feminina. As tchecas venceram a semifinal contra a Eslováquia por 2 a 0, Laura Samsonova derrotou Mia Pohankova por 6/3 e 7/6 (7-3), enquanto Alena Kovackova bateu Sona Depesova por 6/2 e 6/0. A República Tcheca já venceu a competição entre as meninas em 1991, 1998, 2003 e 2019.

A outra finalista é a Alemanha, que superou os Estados Unidos, também por 2 a 0. Sonja Zhenikhova abriu a série vencendo Capucine Jauffret por 6/1 e 6/4. Depois, Julia Stusek definiu o confronto ao superar Shannon Lam por 1/6, 6/4 e 6/0. As alemãs já venceram o evento em 1993 e 1994.

Capitãs se reencontram na final feminina

Capitãs das equipes tcheca e alemã, as ex-jogadoras profissionais Petra Cetkovska e Anna-Lena Groenefeld chegaram a se enfrentar pela competição em 1999. “Encontrei uma foto em casa do time daquela época, e foi muito divertido”, disse Groenefeld em entrevista ao site da ITF. “Então, quando cheguei aqui e entrei no refeitório, tive um flashback e eu estava me lembrando muito. Lembro que 1999 foi a primeira vez que vi a Su-Wei Hsieh jogar e foi uma coisa de outro mundo. Com ela usando um monte de slices todas nós estávamos pensando, ‘o que está acontecendo?’. Foi muito divertido estar aqui”.

Cetkovska também se recorda dos tempos de juvenil. “Jogar aqui mostrou que eu poderia competir com as melhores jogadoras do mundo. Isso me deu motivação extra para trabalhar e melhorar a cada dia. Esta é uma competição tão importante para os jogadores dessa idade. O mesmo se aplica às meninas de hoje e estou tentando usar meus 20 anos de experiência e transferir meu conhecimento. Nessa idade eles entendem e também ouvem”.

Alemanha tem chance de dobradinha
A final masculina será entre Alemanha e Suíça. Os alemães são bicampeões da competição, em 2001 e 2014, sendo que no primeiro título haviam vencido a Iugoslávia com Novak Djokovic na final, e em 2014 bateram o Canadá de Felix Auger-Aliassime. Já a Suíça tenta reconquistar o torneio depois de cinco temporadas, já que venceram em 2017.

Nas semifinais, os alemães venceram o Cazaquistão. Diego Palomero passou por Daniel Tazabekov por 6/4 e 6/1, e depois Niels McDonald derrotou Zangar Nurlanuly por 6/4 e 7/5. Já a Suíça derrotou os Estados Unidos por 2 a 1. O time norte-americano saiu na frente com a vitória de Jack Kennedy sobre Thomas Gunzinger por 6/3 e 6/4. Flynn Thomas empatou a série ao vencer Carel Ngounoue por 6/1, 4/6 e 6/3. Na dupla, melhor para os suíços, que venceram por 6/3, 3/6 e 10-2.

Brasil cai diante da Coréia e enfrenta o Japão
Depois de ter alcançado as quartas de final da chave feminina e de ser superado pelos Estados Unidos por 2 a 1 na última quinta-feira, o Brasil iniciou a disputa do playoff que vai do quinto ao oitavo lugar com derrota por 3 a 0 para a Coreia do Sul. Letícia Marangoni foi superada por Suh Lee por 6/2 e 6/3, Victoria Barros sofreu sua primeira derrota no torneio, duplo 6/3 para Heewon Ju. E na dupla, Leticia Marangoni e Pietra Rivoli sofreram 4/0 e 5/3 de Haeum Lee e Suh Lee. As brasileiras encerram a participação neste sábado, enfrentando o Japão pelo sétimo lugar.