Monthly Archives: novembro 2021

Líder do ranking juvenil conquista seu 1º título profissional no Brasil
Por Mario Sérgio Cruz
novembro 14, 2021 às 5:01 pm

Título em Aparecida de Goiânia rende 65 pontos e deve levar Kasintseva ao top 300 (Foto: Luiz Candido/CBT)

Líder do ranking mundial juvenil, Victoria Jimenez Kasintseva conquistou no Brasil o primeiro título de sua carreira profissional. A jogadora de apenas 16 anos e natural de Andorra foi campeã do ITF W25 de Aparecida de Goiânia, em quadras de saibro. Kasintseva superou neste domingo a húngara Panna Udvardy, cabeça 1 do torneio e 116ª do mundo, por 6/3 e 7/5 em 1h44 de partida.

Apesar da pouca idade, Kasintseva já ocupa o 378º lugar no ranking profissional da WTA. A canhota de 16 anos foi campeã juvenil do Australian Open no ano passado e iniciou este ano sua transição para o tênis profissional. Ela jogou o quali do Australian Open, recebeu convite para o WTA 1000 de Madri, onde enfrentou a então top 10 Kiki Bertens, e disputou sua primeira final como profisisonal no ITF W60 de Gran Canária, na Espanha, onde venceu sete jogos seguidos desde o quali e só perdeu para a top 70 Arantxa Rus.

“É incrível, eu sinto que todas as pessoas estavam torcendo muito por mim. Eles fizeram a partida ser incrível. Eu estava um pouco nervosa no fim porque tive a chance de vencer, estava com 4/0, e de repente estava perdendo por 5/4. Eu precisava acordar no fim e estou muito feliz por ter superado esses momentos difíceis”, disse Kasintseva, em entrevista ao canal SporTV, que transmitiu a partida neste domingo no Country Clube de Goiás.

“No começo do ano eu defini como meta conquistar meu primeiro torneio de tênis profissional e eu consegui agora em novembro. Estou muito feliz, porque lutei muito durante o ano inteiro e finalmente agora eu consegui fazer meu objetivo se tornar realidade”, acrescenta a jovem jogadora, que passou por duas brasileiras durante a semana, Julia Konishi na estreia e Ingrid Martins nas quartas.

Depois de iniciar a temporada sem ranking, Kasintseva marcou sua 30ª vitória pelo circuito profissional em 2021 e vai receber mais 65 pontos no ranking da WTA a ser divulgado em 22 de novembro. A campanha deverá colocá-la no top 300 do mundo. Udvardy, vice-campeã do torneio, recebe 40 pontos no ranking.

Título ratifica que Alcaraz está alguns degraus acima
Por Mario Sérgio Cruz
novembro 14, 2021 às 12:36 am

Alcaraz cedeu apenas um set durante os cinco jogos que fez no Next Gen ATP Finals (Foto: ATP)

A maneira como Carlos Alcaraz conquistou o título do Next Gen ATP Finals nesta semana em Milão ratifica sua condição como o grande nome entre os jovens jogadores que disputaram a competição. Em cinco jogos no torneio, o espanhol de 18 anos e já número 32 do mundo cedeu apenas um set e confirmou não apenas sua posição de principal cabeça de chave do evento, como também a diferença para os jovens em diferentes estágios de evolução no tênis profissional.

Alcaraz superou o norte-americano Sebastian Korda, 39º do ranking, na final deste sábado. E antes disso também havia passado pelo dinamarquês Holger Rune, pelos argentinos Sebastian Baez e Juan Manuel Cerundolo e também pelo norte-americano Brandon Nakashima. Apenas Cerundolo, 91º colocado, escapou de uma derrota por 3 a 0.

“Esses jogadores com menos de 21 anos estão jogando em ótimo nível. Cada um deles derrotou muitos grandes jogadores. Eles estão ganhando experiência, assim como eu. Tenho certeza de que todos esses jogadores estarão entre os 100 primeiros em breve. E com certeza eles vão jogar os melhores torneios, senão no próximo ano, em dois anos. É claro que existem diferenças entre eles e os jogadores de ponta, mas com certeza eles estarão lá muito em breve”, disse Alcaraz, durante entrevista coletiva em Milão.

“Vencer este torneio significa muito para mim. Estou muito animado e emocionado. Eu estava muito nervoso no início e tive que ficar calmo para salvar os break points no primeiro set. Sei que Korda estava sacando muito bem, então eu tive que jogar o meu melhor nesses momentos”, comenta o espanhol, após superar Korda por 4/3 (7-5), 4/2 e 4/2. O momento de maior pressão foi durante o primeiro set, em que salvou cinco break points. “Estou tentando me concentrar em cada saque. Acho que o saque é muito, muito importante neste tipo de quadra coberta e eu sabia disso. Estou tentando melhorar o saque e acho que é a chave para jogar um bom nível”.

Treinado pelo ex-número 1 Juan Carlos Ferrero, o espanhol pôde aproveitar a experiência que teve de receber instruções dentro de quadra durante as partidas desta semana. “Quando você está jogando a partida, não percebe muitas coisas. Mas fora da quadra é possível perceber as coisas melhor. Em algumas devoluções ou algumas bolas que eu errava, ele pôde me dizer como fazer melhor”, comentou jovem de 18 anos. “Juan Carlos também me disse que nos momentos difíceis você tem que jogar de forma agressiva e é isso que eu faço. Estou trabalhando também para ficar mais calmo nos momentos difíceis. Essa é a chave para vencer os pontos importantes”.

Escolhido como a Revelação do Ano em 2020 pela ATP, Alcaraz confirmou as expectativas e evoluiu muito. Ele iniciou a temporada ocupando apenas a 141ª posição do ranking. Em 2021, conquistou seu primeiro ATP em Umag e as três primeiras vitórias contra top 10, sobre Stefanos Tsitsipas, Matteo Berrettini e Jannik Sinner. Além disso, disputou os quatro Grand Slam, chegando às quartas de final do US Open.

“Foi uma temporada muito boa para mim e estou muito feliz com os momentos que vivi. Derrotei Stefanos [Tsitsipas] no US Open, cheguei às quartas de final em um Grand Slam e ganhei meu primeiro ATP. Mas acho que isso não teria sido possível sem a experiência que ganhei em Madri, jogando contra o Rafa [Nadal] ou em Acapulco, contra o [Alexander] Zverev. Foram muitos jogos que me deram muita experiência para me tornar mais maduro”.

Vice-campeão do torneio em Milão, Korda acredita que o algoz logo estará ainda melhor no ranking. “Carlos jogou incrivelmente bem. Ele definitivamente está jogando muito melhor do que seu ranking mostra e não ficará nessa posição por muito tempo”, afirma o norte-americano de 21 anos. “Tive algumas chances no primeiro set e não as aproveitei, mas ele estava apenas jogando um ótimo tênis nos momentos difíceis, especialmente no tiebreak. Foi uma grande partida dele e às vezes não há nada que eu pudesse realmente fazer”.

Espanhol começou a temporada na 141ª posição do ranking e já está na 32ª posição (Foto: Peter Staples/ATP)

Next Gen ATP Finals inicia 4ª edição nesta terça. Saiba tudo!
Por Mario Sérgio Cruz
novembro 8, 2021 às 8:01 pm
Competição em Milão terá oito jogadores de até 21 anos e testa novas regras para o circuito (Foto: Julian Finney/Getty Images)

Competição em Milão terá oito jogadores de até 21 anos e testa novas regras para o circuito (Foto: Julian Finney/Getty Images)

Depois de uma edição cancelada no ano passado, por conta da pandemia e a necessidade de readequação do calendário do circuito, o Next Gen ATP Finals está de volta em 2021. A quarta edição do torneio terá oito jogadores de até 21 anos que se destacaram ao longo da temporada e começa nesta terça-feira em Milão.

A edição deste ano também contará pela primeira vez com tenistas sul-americanos, os argentinos Sebastian Baez e Juan Manuel Cerundolo, além de contar com estrelas em ascensão como Carlos Alcaraz, Holger Rune, Lorenzo Musetti, Sebastian Korda, Hugo Gaston e Brandon Nakashima. Os oito tenistas estão divididos em dois grupos, classificam-se os dois melhores de cada chave para as semifinais até a decisão do torneio no sábado.

Além de apresentar novos nomes do circuito, o evento também vai servir novamente para o teste de novas regras, que pode entrar ou não em vigor nos próximos anos.

Veja quem joga:

GRUPO A
Carlos Alcaraz: Escolhido como a Revelação do Ano em 2020 pela ATP, Carlos Alcaraz confirmou as expectativas e evoluiu muito na temporada. O espanhol de 18 anos já ocupa o 32º lugar do ranking, depois de ter iniciado a temporada na 141ª posição. Em 2021, Alcaraz conquistou seu primeiro ATP em Umag e as três primeiras vitórias contra top 10, sobre Stefanos Tsitsipas, Matteo Berrettini e Jannik Sinner.

Ele também disputou os quatro torneios do Grand Slam, furando qualis na Austrália e Roland Garros e chegando às quartas de final do US Open. Além disso, fez outros resultados de destaque como as semifinais de ATP em Marbella, Winston-Salem e Viena. O espanhol também venceu um challenger, no saibro português de Oeiras. De suas 28 vitórias em nível ATP, 27 foram conquistadas este ano.

Brandon Nakashima: O norte-americano de 20 anos iniciou a temporada no 166º lugar do ranking e já ocupa a 63ª posição. Nakashima venceu 15 jogos de nível ATP em 2021 e disputou duas finais seguidas, nas quadras duras de Atlanta e Los Cabos, em julho. Há três semanas, também fez boa campanha no ATP da Antuérpia, indo do quali até as quartas. Já em torneios challenger, conquistou dois títulos em quadras cobertas na França.

Juan Manuel Cerundolo: Canhoto de 19 anos, Juan Manuel Cerundolo praticamente só jogou no saibro durante o ano, exceto apenas pelo quali de Wimbledon, e foi recompensado com vários bons resultados. O argentino conquistou seu primeiro ATP jogando em casa, na cidade de Córdoba, mas só teve seis vitórias em nível ATP no ano. Já em torneios challenger, venceu 36 partidas, com três títulos e dois vices. Ele começou a temporada no 341º lugar e já é o número 91 do mundo.

Holger Rune: O dinamarquês de 18 anos Holger Rune foi um dos jogadores que mais evoluíram na temporada. O ex-número 1 juvenil ocupava o 474º lugar na virada do ano e atingiu nesta segunda-feira o melhor ranking da carreira, no 109º lugar. Ele conquistou quatro títulos de challenger, com 36 vitórias nesse nível, além de ter vencido seis partidas no circuito da ATP. Rune disputou seu primeiro Grand Slam no US Open, em furou o quali e teve boa apresentação contra o número 1 do mundo Novak Djokovic e também chegou às quartas no ATP de Metz. Rune chegará a Milão embalado por um título no challenger de Bérgamo, conquistado no domingo.

GRUPO B
Sebastian Korda: Mais velho entre os oito jogadores do torneio, Sebastian Korda está com 21 anos e ocupa o 39º lugar do ranking. Ele já iniciou a temporada disputando sua primeira final de ATP em Delray Beach. Meses depois, venceu seu primeiro título, no saibro de Parma. Ele venceu 27 jogos na elite do circuito, duas sobre top 10 contra Roberto Bautista Agut e Diego Schwartzman, e teve outros bons resultados como as quartas em Miami e oitavas em Wimbledon. Korda é o atual 39º do mundo e ocupava o 119º lugar no início do ano.

Lorenzo Musetti: Representante da casa no torneio, Lorenzo Musetti teve ótimo início de temporada, mas não vem bem no segundo semestre. Ainda assim, o italiano de 19 anos está no 58º lugar do ranking, uma posição abaixo da melhor marca da carreira. Musetti venceu 20 jogos de ATP, com destaque para a semifinal de Acapulco e as oitavas em Roland Garros, e disputou duas finais de challenger. Ele também conseguiu sua primeira vitória contra top 10. Na virada de ano, aparecia apenas no 128º lugar.

Sebastian Baez: Com um calendário focado em challengers no saibro, Sebastian Baez aproveitou bem o grande número de torneios no piso. Foram 39 vitórias, cinco títulos e três vices. Ele teve 84,8% nesse nível de competição, com apenas sete derrotas. Também marcou sua primeira vitória em chave principal de ATP, no saibro de Hamburgo. O argentino de 20 anos saltou do 309º para o atual 111º lugar do ranking. Seus únicos torneios fora do saibro foram os qualis de Wimbledon e US Open.

Hugo Gaston: Embalado por uma ótima campanha no Masters 1000 de Paris, em que foi do quali até as quartas de final, Hugo Gaston saltou 36 posições no ranking e está agora com o melhor ranking da carreira no 67º lugar. O francês de 21 anos conseguiu nove vitórias na ATP e mais 32 em challenger, disputando quatro finais, mas ficando com quatro vices. Ele ocupava o 162º lugar do ranking na virada do ano.

Confira a programação do primeiro dia do torneio:

Allianz Cloud – 10h
[4]Brandon Nakashima (EUA) vs. [5]Juan Manuel Cerundolo (ARG)
Não antes de 11h
[1]Carlos Alcaraz (ESP) vs. [7]Holger Rune (DIN)
Não antes de 15h30
[2]Sebastian Korda (EUA) vs. [8]Hugo Gaston (FRA)
[3]Lorenzo Musetti (ITA) vs. [6]Sebastian Baez (ARG)

Transmissão: ESPN e Star+

Evento testa regras diferentes:
Como de costume desde sua primeira edição em 2017, o evento serve para testar algumas regras do circuito. Entre as novidades para este ano estão a redução do tempo de aquecimento, de quatro minutos para apenas um minuto, a presença dos técnicos em quadra, podendo instruir os jogadores e limitações de tempo médico (o jogador só pode pedir um por partida) e de idas ao banheiro (com cronômetro de três minutos).

Outras regras que já foram testadas antes foram mantidas: As partidas são disputadas em cinco sets de até quatro games, sem juízes de linha (substituídos pela marcação eletrônica), games com No-Ad e ponto decisivo nos 40-iguais, e liberdade de circulação do público durante os pontos. Pontos que já estão em vigor no circuito, como o relógio de saque e o uso de ganchos para as toalhas, também valem para o torneio.

Prêmios em dinheiro:
Apesar de o torneio não valer pontos no ranking da ATP, há uma boa premiação em dinheiro em jogo. O evento distribui US$ 1,3 milhão em prêmios e um campeão invicto pode receber US$ 400 mil. A simples participação no torneio já rende US$ 80 mil. Cada vitória na fase de grupos paga US$ 23 mil, a vitória na semi paga US$ 109 mil e a na final US$ 142 mil.