Monthly Archives: agosto 2021

Destaque em Wimbledon, Raducanu fura quali em NY
Por Mario Sérgio Cruz
agosto 27, 2021 às 11:23 pm

Emma Raducanu, de 18 anos, havia chegado às oitavas em Wimbledon e agora furou o quali do US Open (Foto: Darren Carroll/USTA)

Depois de se destacar durante o torneio de Wimbledon, ao receber convite e chegar às oitavas de final, a britânica de 18 anos Emma Raducanu disputará seu segundo Grand Slam. Ela furou o qualificatório do US Open e garantiu vaga na chave principal depois de superar nesta sexta-feira a egípcia Mayar Sherif por 6/1 e 6/4.

Durante a semana, Raducanu também passou pela holandesa Bibiane Schoofs e a georgiana Mariam Bolkvadze. A atual 150ª do ranking estreia na chave principal contra a norte-americana Jennifer Brady, número 14 do mundo. Já Sherif, apesar da derrota, herdou uma vaga de lucky-loser e enfrenta a ucraniana Anhelina Kalinina.

+ Rune disputa seu 1º Slam aos 18 anos e encara Djokovic

Outra jovem jogadora a furar o quali foi a sérvia de 20 anos Olga Danilovic, que derrotou a norte-americana Caroline Dolehide por 6/4, 0/6 e 6/2. Ela agora enfrenta outra jovem tenista de 20 anos, a convidada local Alycia Parks.

Primeiro Slam para Galfi, Masarova e Parrizas
A húngara Dalma Galfi, ex-líder do ranking juvenil, garantiu vaga em seu primeiro Slam aos 23 anos depois de vencer a romena Monica Niculescu. Na mesma situação está a espanhola de 22 anos Rebeka Masarova, que já foi número 2 juvenil, e derrotou a romena Jaqueline Cristian por 2/6, 6/2 e 6/4. Na chave, Galfi enfrenta a croata Petra Martic e Masarova encara a romena Ana Bogan.

Já a espanhola de 30 anos Nuria Parrizas Diaz conseguiu finalmente uma vaga em Slam. Ela venceu a húngara Reka-Luca Jani por 6/3 e 6/2. Sua próxima rival será a russa Varvara Gracheva.

Konjuh, Marino e Schmiedlova conseguem furar o quali
Jogadoras que estão voltando ao circuito, como a canadense Rebecca Marino e a croata Ana Konjuh também conseguiram vagas na chave principal do US Open. Marino vai desafiar a número 6 do mundo Elina Svitolina, enquanto Konjuh encara a jovem canadense de 18 anos Leylah Fernandez. Outras duas top 10 conheceram rivais vindas do quali, a tcheca Barbora Krejcikova encara a australiana Astra Sharma, enquanto a polonesa Iga Swiatek duela com a norte-americana Jamie Loeb.

Havia chance de uma jovem tenista de 16 anos, a norte-americana Reese Brantmeier, conseguir vaga na chave. Mas ela perdeu na fase final do quali para a eslovaca Anna Schmiedlova por 7/6 (7-5) e 6/3. Schmiedlova, que já foi top 30 e é atual 92ª do ranking aos 26 anos, encara outra adversária muito nova, a convidada de 17 anos Ashlyn Krueger. O convite de Krueger veio por ela conseguir uma façanha muito rara no Orange Bowl, ao vencer as categorias de 16 e 18 anos de forma consecutiva, repetindo um feito de Bianca Andreescu.

Invictos, brasileiros garantem vaga na Davis Júnior
Por Mario Sérgio Cruz
agosto 13, 2021 às 9:55 pm

Brasileiros venceram Peru, Equador, Uruguai e Colômbia. Final será contra a Argentina (Foto: Divulgação/CBT)

Com uma campanha invicta na fase de grupos, a equipe masculina do Brasil garantiu vaga na final do Sul-Americano de 16 anos, que é disputado em quadras de saibro em Assunção. Além disso, os brasileiros também estão classificados para a Copa Davis Júnior, que será disputada entre os dias 28 de setembro e 3 de outubro na Turquia.

O Brasil superou a Colômbia por 3 a 0 nesta sexta-feira. A série começou com o paulista Henrique Brito vencendo Alejandro Bravo por duplo 6/1, depois o paranaense Matheus Lima passou por Samuel Heredia por 6/1 e 6/2. Já nas duplas, Henrique Brito e o paulista Luis Felipe Carvalho venceram Alejandro Bravo e Samuel Heredia por 6/4 e 6/1.

Os brasileiros também já haviam vencido as equipes do Peru, Equador e Uruguai. Eles enfrentam a Argentina no sábado, valendo o título. O capitão da equipe nacional é Rodrigo Ferreiro.

Meninas disputam o terceiro lugar
Já a equipe feminina perdeu para a Bolívia por 2 a 1, e encerrou a fase de classificação com duas vitórias e duas derrotas. Comandadas por Fernanda Ferreira, as brasileiras ficaram na segunda posição do grupo e ainda podem se classificar para a Copa Billie Jean King Júnior em caso de vitória no sábado contra o Chile. O título será decidido por Argentina e Peru.

Na série contra a Bolívia, a paulista Olivia Carneiro perdeu para Natalia Trigosso por 6/0 e 6/3, mas a catarinense Carolina Laydner empatou a série ao vencer Catalina Padilla por 7/6 (7-3) e 6/4. A definição ficou para o jogo de duplas, em que as bolivianas Padilla e Trigosso venceram Carolina Laydner e a carioca Gabriela Felix por duplo 6/4. Antes desses confrontos, as brasileiras venceram paraguaias e colombianas, antes de perderem para a equipe da Argentina.