Arquivo da tag: Ryan Harrison

Lucro dobrado
Por José Nilton Dalcim
1 de setembro de 2016 às 00:48

Novak Djokovic nem entrou em quadra, mas foi o grande vencedor da quarta-feira em Nova York. O canhoto Jiri Vesely sofreu inflamação no braço esquerdo e desistiu de jogar, e logo depois Nole ainda pôde assistir a Milos Raonic dar adeus ao US Open com dor no punho e na coxa.

Não poderia haver momento mais oportuno para o sérvio ser premiado com um dia de folga, já que tudo que puder poupar seu punho esquerdo e o cotovelo direito será muito bem vindo. Na terceira rodada, pega o veterano Mikhail Youzhny e a única precaução é com o fato de que o russo adora o Open: fez duas semifinais e uma quartas, de longe o melhor de sua carreira num torneio desse nível. O russo não vence dois jogos seguidos num Slam há exatos três anos.

Diante de outro adversário que gosta de ficar no fundo e não tem potência para maiores aventuras, Rafa Nadal passou novamente em sets diretos. E poderia até ter simplificado a tarefa contra Andreas Seppi, mas deu algumas ‘viajadas’ no segundo set. De qualquer forma, é bom ver o espanhol mais agressivo, tentando trabalhar com o primeiro saque. Bem que poderia ficar menos recuado, sem ficar esperando o serviço pouco contundente do italiano lá no juiz de linha. Enfrentará agora o russo Andrey Kuznetsov, aquele que ganhou de Thomaz Bellucci jogando só do fundo.

E devemos continuar de olho em Marin Cilic. Vale lembrar que ele tirou set de Murray em Queen’s, teve match-point para ganhar de Federer em Wimbledon. Não foi tão bem no Rio, mas ganhou seu primeiro Masters em Cincinnati e parece enfim livre de contusões. Atropelou hoje Stakhovsky impiedosamente. Perdeu apenas nove pontos com o primeiro saque (5 para Rogerinho e 4 para o ucraniano).

Destaques
Uma boa e uma péssima notícia dos nossos duplistas. Thomaz Bellucci reatou a parceria com Marcelo Demoliner e os dois derrubaram os franceses Benneteau e Roger-Vasselin de muito respeito. André Sá, com o canhoto Chris Guccione, fez sua parte. Bruno Soares e o também canhoto Jamie Murray, protagonizaram um jogo estranho de muitos altos e baixos. Mas desastre mesmo veio com a queda de estreia de Marcelo Melo e o croata Ivan Dodig, que vinham de dois títulos de Masters. Pior ainda, para dupla de última hora.

A chave feminina teve dois jogos bem malucos. Angelique Kerber dominava uma afoita Mirjana Lucic quando a coisa desandou, a croata ficou confiante e esteve com o tiebreak na mão para forçar um terceiro set. Tal qual na final de Cincinnati, Kerber ficou passiva esperando a adversária errar, o que não é a atitude recomendável.

Bem pior se saiu Garbine Muguruza. Abriu 4/2 e daí em diante foi um show de horrores, num jogo aliás tecnicamente sofrível. Suas quatro últimas derrotas tiveram placar incrivelmente elástico e uma postura desmotivada. Provavelmente, aquele conhecido efeito pós-traumático de quem vence um Slam e tem de administrar uma vida muito mais pública.

Drops
– Vesely desistiu de encarar Djokovic, mas aparece na programação de duplas desta quinta-feira. Deverá enfrentar Dominic Thiem, outro que se arrastou pela quadra na estreia mas também decidiu jogar dupla. Vai entender. Ao menos, Vesely continuará sendo, ao lado de Karlovic, os únicos top 100 em atividade com recorde positivo diante do número 1.
– Nadal ganhou um único título na quadra dura desde o título do US Open de 2013. E ainda assim foi 32 meses atrás, em Doha.
– Alexander e Mischa Zverev foram os primeiros irmãos a atingir a segunda rodada do US Open desde Byron e Wayne Black, em 1998.
– Como w.o. não conta, Djokovic permanece com 52 vitórias na temporada e poderá assim ser alcançado por Murray nesta quinta-feira. A diferença é de apenas uma derrota: 5 de Djoko contra 6 do escocês.
– Harrison já foi esperança americana. Aos 24 anos, ganhou sua segunda partida sobre um top 10 em 28 tentativas ao tirar Raonic. A anterior foi sobre Dimitrov, no ano passado. Ele não vencia em Slam desde Paris-2013 e precisou furar o quali neste US Open.
– Isner já fez 73 aces, 35 na estreia e 38 contra Darcis. Em um jogo só, Karlovic fez 61 na primeira rodada e bateu recorde do campeonato.