Arquivo da tag: Iga Switek

Susto na hora errada
Por José Nilton Dalcim
4 de outubro de 2020 às 18:27

Dominic Thiem foi o primeiro dos três grandes favoritos a fraquejar. E o susto foi grande. Depois de abrir 2 a 0, era de se esperar que o jovem e inexperiente Hugo Gaston sentisse a pressão natural e falhasse nos momentos mais tensos do terceiro set. Ao contrário, foi o todo-poderoso austríaco quem não achou soluções às deixadinhas insistentes, maliciosas do garoto e, cada vez menos à vontade, viu o jogo ir perigosamente a um quinto set.

Até o oitavo game, estava tudo indefinido. Thiem acabara de confirmar o serviço num game longo e precisou de outra batalha até conseguir a quebra. Quase permitiu o empate e só foi ganhar do 239º do ranking no segundo match-point. Sufoco e desgaste inesperados e indesejados, principalmente quando se sabe que somente nas quartas de final é quando deveriam começar seus reais problemas.

Agora vem Diego Schwartzman, que ganhou todos seus 12 sets nesta primeira fase de Roland Garros – são suas primeiras quartas de Slam sem perder set -, atropelou Lorenzo Sonego e vem cheio de confiança desde a campanha notável em Roma. É bem verdade que o histórico favorece Thiem por amplos 6 a 2, sendo 3 a 1 no saibro, porém eles nunca disputaram uma melhor de cinco sets. É o primeiro grande duelo da chave masculina.

Rafael Nadal por seu lado deve ter assistido ao aperto de Thiem no conforto do hotel, já que teve novamente muita facilidade para vingar no saibro de Paris, tendo como único senão uma quebra de saque no começo do terceiro set. O lance mais curioso veio depois do jogo, quando Sebastian Korda revelou em sua mídia social que havia obtido uma camisa autografada do ídolo (leia e veja aqui).

Embora uma surpresa seja pouco provável, já estou curioso para ver como Jannik Sinner vai encarar o desafio do primeiro duelo diante de Rafa. Seus golpes de base, e especialmente o backhand, são sólidos e pesados, o saque costuma beirar os 200 km/h e é admirável seu comportamento sóbrio em quadra quando mal completou 19 anos.

A atuação contra Alexander Zverev foi firme, ainda que o italiano pudesse ter variado um pouco mais, principalmente com curtas. Ao final do jogo, o vice do US Open revelou ter tido febre na véspera e que não tinha condições ideais de jogo, mas jurou ter testado negativo para a Covid-19. Com a palavra, os organizadores.

Nova campeã em Paris
Num torneio marcado por sucessivas surpresas desde a primeira rodada, parecia mais do que evidente que novas postulantes ao título acabariam surgido no saibro francês. Mas a expectativa foi além: se no sábado a parte inferior garantiu uma finalista inédita, a queda de Simona Halep no domingo determinou uma nova campeã em Roland Garros e, quem sabe, até mesmo de Grand Slam.

Halep foi massacrada pela jovem polonesa Iga Swiatek, com 30 a 12 nos winners e 76% dos pontos de saque vencidos. A romena, que havia vencido Swiatek com facilidade no torneio do ano passado, falhou ao não tentar uma tática alternativa.

E a adversária da 53 do mundo será… Martina Trevisan, classificada 106 postos atrás. A canhota italiana, vinda do quali, passou por Kiki Bertens. A tenista de 26 anos tem uma história de superação muito interessante, ficou quatro anos afastada do tênis por problemas psicológicos e desenvolveu quadro de anorexia. Vale ler o texto de Mário Sérgio Cruz: clique aqui.

Será a grande chance de Elina Svitolina enfim disputar uma final de Slam? Ela chega às quartas pela terceira vez em Paris, mas nunca passou disso. Hoje, atropelou Carolina Garcia e não deu bola para o histórico negativo. E terá pela frente a inexperiente Nadia Podoroska, que continua sua caminhada heroica e se tornou a primeira argentina nas quartas em 16 anos.

Bruno embalado
Depois de sete anos, Bruno Soares está de volta às quartas de final de Roland Garros, repetindo 2008 e 2013. Embalados pela conquista do US Open, ele e o canhoto Mate Pavic estão superando um piso lento e pesado, algo longe de ser o predileto deles.

A vitória contra os fortes Rojer/Tecau exigiu cabeça em dia de vento e garoa. Agora acontece duelo direto entre as duas parcerias que venceram os Slam da temporada. Mas é bom observar que Rajeev Ram e Joe Salisbury, atuais líderes do ranking, perderam na estreia de Roma e de Hamburgo.

Luísa Stefani, por sua vez, parou nas oitavas mas o saibro não é mesmo a praia da dupla. A paulista irá ultrapassar a parceira Carter no próximo ranking, com chance de aparecer como 31ª.