Arquivo da tag: Asheligh Barty

Nadal frustra e preocupa
Por José Nilton Dalcim
2 de novembro de 2019 às 18:15

Nada pode ser mais anticlímax do que um abandono. E sem sequer entrar em quadra. Rafael Nadal sentiu uma fisgada na região abdominal nos últmos saques de aquecimento que fazia antes de enfrentar Denis Shapovalov, consultou o médico que diagnosticou pequena ruptura e diz ainda ter voltado à quadra para testar novos serviços, mas a dor persistiu.

Sabiamente, desistiu de disputar a semi de Paris. Segundo contou, aconteceu algo semelhante antes da semi do US Open de 2009, quando surgiu uma ruptura de 6 milímetros. Insistiu, perdeu feio para Juan Martin del Potro e a lesão aumentou quase 5 vezes, complicando seus meses seguintes.

“Espero que consiga me recuperar para o Finals, que é o objetivo maior”. Todos aguardamos isso. Havia grande chance de uma batalha épica neste domingo na decisão de Paris contra Novak Djokovic. Agora, o sérvio ganhou a chance de diminuir drasticamente a distância no ranking e assim brigar diretamente com Rafa pelo número 1 na arena O2. Tomara que haja disputa e emoção dentro de quadra.

No momento, Djoko está 1.040 pontos atrás, uma distância difícil de tirar em Londres caso Nadal esteja em forma. Mas se confirmar o favoritismo e chegar ao penta em Paris, reduzirá a distância para 640 e aí obrigará Nadal a ser finalista invicto. Se o espanhol não jogar, bastará a Djoko ser vice até com uma derrota na fase classificatória.

A julgar pela atuação deste sábado contra Grigor Dimitrov, será bem difícil Shapovalov evitar o 34º Masters de Djokovic. O sérvio até cometeu mais erros não forçados do que o usual na segunda metade do primeiro set, mas sempre achou um jeito de evitar break-points, ora com saque forçado, ora com bolas profundas. Teve é verdade alguma sorte no tiebreak. Presenteou o búlgaro com uma dupla falta, o que levou Dimi a sacar com 5-4 e ter um swing-volley muito fácil para atingir os set-points. Falhou feio, e contra esses Big 3 não se desperdiçam oportunidades de ouro.

Djoko jogou num nível incrivelmente alto e preciso os pontos seguintes, levou o tiebreak e chegou à primeira e única quebra da partida já no terceiro game. Deu as cartas sem oferecer qualquer chance de reação, mas é preciso destacar a boa atuação de Dimitrov. Vejam só: ele ganhou mais pontos curtos (33 a 31) e empatou nos mais longos (10 a 10), perdendo por pouca margem nos entre cinco e nove rebatidas (26 a 18). E, com exceção ao lance tão amargo do tiebreak, mostrou cabeça fria e determinação tática. Quiçá continue assim em 2020.

Habilidade e fortuna em Shenzhen
Duas das mais talentosas jogadoras do circuito irão decidir o Finals de Shenzhen, o que promete grande qualidade para o último jogo feminino da temporada regular. Ashleigh Barty e Elina Svitolina são acima de tudo grandes estrategistas, com capacidade de utilizar diferentes recursos e alternar táticas conforme as necessidades.

Para dar ainda mais sabor, a ucraniana venceu todos os cinco duelos, incluindo um neste ano, em Indian Wells, que aliás foi um jogaço, decidido em três longos sets. Mas vale lembrar que a australiana estava em outro estágio nos confrontos anteriores.

Como ainda não perdeu partidas na semana, Svitolina pode ser campeã invicta e aí embolsar o incrível prêmio de US$ 4,72 mi, o maior da história do tênis. Como perdeu um jogo na fase de grupos, Barty irá faturar ‘só’ US$ 4,42 se for campeã, que também seria recorde.

E mais
– Shapovalov já venceu Djoko neste ano, mas na exibição de Boodles, que antecede Wimbledon. Oficialmente, perdeu os três duelos, todos em 2019, dois deles com placar elástico (Roma e Xangai). Ganhou um set em Melbourne, mas levou ‘pneu’ no quarto set.
– Djoko joga a 50ª final de Masters da carreira e a 111ª no geral, em busca do 77º título. Neste ano, venceu AusOpen, Wimbledon, Madri e Tóquio. Portanto três pisos distintos e pode acrescentar o duro coberto.
– O canadense já garantiu o 15º lugar do ranking final da temporada, seu recorde pessoal, e o eventual título o levará ao 11º, apenas 80 pontos atrás de Gael Monfils.
– Classificados para o Finals devido ao título de Roland Garros, Nicolas Mahut e Pierre Herbert retomaram a parceria nas últimas semanas e estão pertinho do título de Paris. Enfrentam Karen Khachanov e Andrey Rublev.