Arquivo da tag: Anrey Rublev

À espera de um tenso sorteio
Por José Nilton Dalcim
25 de maio de 2021 às 11:16

O deslocamento de Rafael Nadal para a cabeça 3 de Roland Garros, já que nem o título de Roma foi suficiente para fazer o espanhol superar Daniil Medvedev, gera uma clima de grande expectativa para o sorteio das chaves de simples, marcado para as 18 horas desta quinta-feira em Paris (13h de Brasília). Nessa condição, o 13 vezes campeão poderá ficar no mesmo lado de Novak Djokovic, antecipando o duelo mais indicado para decidir o título de 2021. Dias atrás, Thomaz Koch me definiu isso de forma curiosa: “Azar do sérvio”.

Antes de mais nada, um rápido esclarecimento de como é feito atualmente o sorteio das chaves de um Grand Slam, conforme o regulamento que consta no livro de regras específico desses eventos, disponível no site da Federação Internacional:

1. Os cabeças 1 e 2 são colocados nas extremidades das chaves (Djokovic e Medvedev).
2. Os cabeças 3 e 4 são sorteados para lados diferentes da chave em posições que só encontrem os 1 e 2 na semifinal (Nadal e Thiem)
3. Os cabeças de 5 a 8 são sorteados, sendo dois para cada lado da chave, em posições que só cruzem com os cabeças de 1 a 4 nas quartas de final (Tsitsipas, Zverev, Rublev e Federer)
4. Os cabeças de 9 a 12 são sorteados, sendo dois para cada lado da chave, em posições que só cruzem com os cabeças de 1 a 4 nas oitavas de final (Berrettini, Schwartzman, Bautista e Carreño).
5. Os cabeças de 13 a 16 são sorteados, sendo dois para cada lado da chave, em posições que só cruzem com os cabeças de 1 a 4 nas oitavas de final (Goffin, Monfils, Ruud e Dimitrov)
6. Os cabeças de 17 a 24 são sorteados depois, sendo quatro para cada lado da chave, e por fim os de 25 a 32 no mesmo sistema. Os primeiros enfrentarão os cabeças 9 a 16 na terceira rodada e os outros, os cabeças de 1 a 8.

Como vemos nesse resumo, existe uma chance de a parte superior da chave masculina ter não apenas Djokovic e Nadal, mas também Tsitsipas e Zverev (ou Federer, que obviamente é muito menos cotado como ameaça aos favoritos). Também podem ficar nesse setor Berrettini e Schwartzman, assim como Goffin e Ruud. Isso deixaria esse lado incrivelmente forte, ainda que o argentino e o belga não vivam grande momento.

Na mesma linha, Thiem concorre a um auxílio muito bem vindo da sorte, ainda mais neste momento em que não anda nada confiante. Além de ficar do lado do pouquíssimo abalizado Medvedev, poderia ter companhias de Federer, Bautista ou Carreño, Monfils ou Dimitrov, numa caminhada bem menos exigente. Nada ruim se deixar Rublev para o lado do amigo russo, projetando esse duelo mais difícil só lá para as semifinais.

Por fim, a regra do sorteio determina que os cabeças de 1 a 8 enfrentem os de 25 a 32 na terceira rodada, grupo formado neste momento por Evans, Sonego, Fognini, Basilashvili, Humbert, Fritz, Isner e Opelka. Já os cabeças de 9 a 16 pegam os de 17 a 24, onde figuram Raonic, Sinner, Hurkacz, Aliassime, De Minaur, Garin, Khachanov e Karatsev. Como vimos nas últimas semanas, há nomes bem perigosos, como os garotos Sinner, Aliassime e Garin, o surpreendente Karatsev, o ascendente Sonego ou o experientes Fognini e Isner.

Esse sorteio vai ser muito interessante.