Nadal se recusa a abandonar e vence a dor
Por José Nilton Dalcim
6 de julho de 2022 às 20:19

Drama e dor parecem perseguir Rafael Nadal na sua magnifica trajetória nos Grand Slam desta temporada, em que permanece imbatível por 19 jogos em três pisos diferentes. Agora a duas vitórias de mais um feito extraordinário, uma lesão abdominal entrou em cena e o forçou a disputar pelo menos três sets e meio novamente sob efeito de anestésicos e sem condições de sacar bem.

Rafa não atendeu aos apelos do pai e da irmã para que abandonasse a partida contra Taylor Fritz. Contou mais tarde que a ida ao vestiário para a assistência médica pouco resolveu, exceto pelos comprimidos para amenizar a dor. Precisou então mudar o jeito do saque. Ficou clara também a mudança tática, apostando na agressividade e nos pontos curtos. Se é fato que sofreu oito quebras pelo serviço tão mais lento, também somou 56 winners, num repertório vasto de paralelas, cruzadas, curtinhas e voleios.

É compreensível que Nadal tenha considerado, porém recuado de desistir da partida, o que o levou à luta de 4h20. Ele diz que está jogando um tênis excelente, sentindo muito bem a bola, o que é até surpreendente para quem não pisava na grama por três anos. Isso estava evidente no seu começo firme de partida, até perder cinco games seguidos e ficar patente que algo estava errado. Até liderou o começo do segundo set, porém pediu o atendimento no sétimo game depois de salvar uma quebra que seria desastrosa naquela altura.

Claro que Fritz desperdiçou o momento. Ele reconheceu que deixou de ser agressivo e lamentou não ter aproveitado o saque mais lento, explicando que isso acabou exigindo uma amplitude maior de movimento, o que não encontrou a contento. O norte-americano teve sua oportunidade no quarto set e ainda reagiu para empatar por 4/4 no quinto, mas jogou muito mal o tiebreak. “Foi a primeira vez que senti vontade de chorar depois de uma derrota”, revelou. E olha que Fritz havia sofrido outra dura queda para Novak Djokovic no Australian Open do ano passado, quando também viu o adversário com limitações. Que sina a desse rapaz.

Com histórico perfeito de oito vitórias em quartas de final em Wimbledon, Rafa tentará agora sua primeira final em 11 anos. Do outro lado da quadra, estará muito mais que o desafeto Nick Kyrgios, mas um tenista de real capacidade sobre a grama. E é claro Nadal precisará estar 100% fisicamente para aguentar outra batalha física e emocional, ainda que tenha 6 a 3 nos duelos, sendo 1 a 1 em Wimbledon.

Oito anos de espera
Foi justamente a vitória sobre o canhoto espanhol em 2014 que mostrou Kyrgios para o tênis, exibindo um estilo criativo, irreverente e agressivo. Ele chegou naquelas quartas e depois em outra, no Australian Open seguinte, e nunca mais brilhou num Slam. “Achei que minhas chances de alcançar grandes resultados já tinha passado. Sempre me disseram que não tinha capacidade mental, disciplina e físico para isso, e eu mesmo passei a duvidar”, desabafou.

Kyrgios teve uma conduta quase exemplar na partida contra Cristian Garin, sem lances acrobáticos e mínimas discussões com a arbitragem. Talvez fruto do momento especial, mas muito provavelmente também da acusação de violência doméstica a que foi submetido na Austrália. Ele jura que não ficou afetado com a situação e que está proibido pelos advogados de falar qualquer coisa sobre o assunto. E que sentiu muita pressão por ser o favorito em quadra, o que exigiu jogar com seriedade.

Garin surpreendeu outra vez pela qualidade dos golpes de base num piso que dá pouco tempo, especialmente o forehand cruzado. “Vou ter pesadelos com aquelas devoluções” segredou o australiano. Mas no fundo era ilógico que o bom saibrista ganhasse de Kyrgios, que possui arsenal muito mais adequado ao piso. Ainda assim, Garin teve lances preciosos para ganhar o terceiro set, e ainda sacou no tiebreak com 5-4.

Aos 27 anos, Kyrgios é o primeiro australiano numa semi de Slam e de Wimbledon desde Lleyton Hewitt, em 2005. Atual 40º colocado, é também o jogador de mais baixo ranking a chegar tão longe no torneio em 14 temporadas. Ele pode ganhar de Nadal? Claro que sim, e isso nem tem a ver com a lesão do espanhol. Um dos pontos altos do australiano nesta fase de grama, em que foi a todas as semis que disputou, tem sido a devolução. O ‘x’ da questão como sempre está na cabeça, onde Rafa dá de 10 a 0.

Ataque contra defesa
Embora seja um pouco injusto dizer que Simona Halep não esteja se mostrando ofensiva neste Wimbledon, a semifinal desta quinta-feira diante da cazaque Elena Rybakina viverá um certo de clima de ‘ataque contra defesa’.

Com 44 aces no torneio e mais de 200 na temporada, Rybakina usa sua estatura de 1,84m da melhor forma possível. Também não se movimenta nada mal e sabe que trocar muita bola com a campeã de 2019 será uma estratégia perigosa.

Como bem lembrado pela WTA, as duas fizeram o ‘jogo do ano’ na última temporada, num duelo de tirar o fôlego em Dubai, que terminou no tiebreak do terceiro set. No geral, a romena tem 2 a 1 no histórico.

Halep chega cheia de confiança, depois de dominar a jovem Amanda Anisimova, que escapou de levar uma surra quando a romena fez 6/2 e 5/1. Rybakina por sua vez não começou bem e perdeu o primeiro set para a também agressiva Ajla Tomljanovic. Depois diminuiu os erros e foi muito superior nos winners (11 a 2 no segundo set e 13 a 3 no decisivo).

A semifinal entre Ons Jabeur e Tatjana Maria também será nesta quinta, abrindo a rodada às 9h30. A tunisiana tem 2 a 1 contra a amiga, que não se cruzam desde 2018.


Comentários
  1. Rodrigo S. Cruz

    UAU!

    Quem poderia imaginar isso antes do torneio?

    Kyrgios e Encosto na finalíssima de Wimbledon!

    kkkkk

    O favoritismo é TODO do Encosto, portanto as Ultimetes estão na OBRIGAÇÃO de vencer…

    Porque se o Kyrgios conseguir o milagre de ganhar desse cara em final de Major, será um choro generalizado.

    kkkkkk

  2. Pedro

    Dalcim,
    Com o abandono do nadal e o dia a mais de descanso, você acha que o Kyrgios fica mais perigoso ou não muda tanto as chances pensando na final (que deve ser contra o Djokovic)?
    Ele costuma ter problemas fisicos, acho que esse dia a mais pode fazer bem pra ele pensando numa final mais longa contra o Djoko.

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que Kyrgios é perigoso devido ao piso tão favorável a seu estilo. Mas claro que o dia a mais de descanso, poupando o ombro, será muito importante. Ele sabe que jogará contra a melhor devolução do circuito e precisará de saque muito calibrado.

  3. Werisleik Albuquerque

    Triste demais com a contusão e desistência do Nadal, por não ter talvez a possibilidade de ver mais uma vez uma provavel final de Wimbledon com esses Monstros grandiosos se enfrentando novamente.
    Sei que amanhã nas semis tudo pode acontecer, mas a tendência é que nos deleitaríamos uma vez mais com esse confronto de Titãs NadalxDjoko.
    Não sei se estarei vivo pra ver esse confronto outra vez em um GS, ou se eles chegarão novamente em uma final pelo avançar da idade, por isso acredito que cada confronto desse não acontecido é uma lástima e a perda de oportunidade de ver esse clássico, podem ter certeza que lamentaremos todos quando isso acontecer.
    Claro que torceria pra Djokovic, mas não ficaria triste por ver Nadal ganhar, a beleza do esporte é essa, apreciar os grandes momentos e, se possível, ganhando.
    Dalcin, obrigado por compartilhar esse espaço conosco amantes do Tenis. A Jabeur tá oscilando demais, você não acha isso muito perigoso num jogo contra a perigosa Rybakina?

    1. José Nilton Dalcim

      Com certeza, Werisleik, e por isso vai ser uma final tão interessante. É preciso dominar os nervos e achar um caminho tático. A Jabeur vai baixar o máximo que puder a bola, porque Rybakina é uma tenista alta e isso dificultará a bola de ataque. A cazaque por seu lado deve atacar o segundo serviço e buscar pontos mais curtos. Se as duas jogarem bem, será muito legal.

  4. Paulo Almeida

    É lamentável mesmo essa desistência do Nadal, mas correta. Acho que todo mundo que gosta e entende de tênis gostaria de ver o capítulo 60 da maior rivalidade da história no domingo. Não vai rolar mais.

    Bom, o Djokovic ainda precisa vencer o Norrie, apesar de na teoria já ter batido o jogador mais parrudo da sua chave. Não acho que será essa moleza toda. Aí só depois ele poderá pensar no péssimo elemento CuspiKyrgios.

    Daniel BT: o Craque ganhou do Sinner abusando do SLICE para tirar o italiano da zona de conforto, pois nas trocas francas de fundo estava perdendo. Aprenda mais essa, já que não vê jogos dele mesmo e fala o que não sabe.

  5. JAN DIAS

    Depois que ganhou do NAKASHIMA, o KYRGIUS disse que, nesse ano, ele não tinha vindo até Wimbledon pra competir e sim pra disputar o título e ganhar.
    Na final ele já está, mas ele vai ter que se contentar com o vice… o que é + longe do que ele jamais foi…
    Considerando todas as confusões em que ele se meteu e as multas que tomou, já tá no lucro…

  6. Luis

    Como já disse acho o Nadal um monstro. Contra fatos não há argumentos. Em algumas situações da carreira dele eu acho que poderia ser mais transparente com sua condição física. Mas isso faz parte ( e minha opinião pouco importa!). Realmente não caberia minha suspeição contra um atleta do tamanho dele. Uma pena! Seria espetacular uma final contra o Djokovic

  7. FERNANDO/MG

    Prezado Dalcim, acompanho o Tenisbrasil, diariamente, lendo seu blog em todas as postagens, que sem sombra de dúvidas tem uma excelência acentuada, diria com um faro jornalístico e uma técnica de escrita maravilhosa, mas ultimamente tenho me furtado de comentar, pois creio eu, que o nível do debate caiu muito, são sempre os mesmos, que infelizmente, fazem do espaço um verdadeiro picadeiro, com verdadeiras palhaçadas ditas uns contra o outros, e as vezes sobra até estilhaços para você…Penso eu, que esses “entendidos” juram de pé juntos que um Nadal, um Djokovic, um Federer, vão ler e se incomodar ou se vangloriar com seus asseclas tupiniquins. Mas enfim, ainda bem que o espaço mostra pessoas alfabetizadas, ufa…Mas nada esclarecidas, ou mesmo educadas…
    Dalcim, com essa desistência do Nadal, onde o mesmo dará uma pausa forçada no seu calendário de segundo semestre, vc acha que, ele sai como forte candidato ao título do Finals? Uma vez que, não estará tão esgotado fisicamente, quanto nos anos anteriores…Dependendo, claro de sua recuperação.

    1. José Nilton Dalcim

      Na verdade, não muda muito, Fernando, desde é claro que ele se recupere bem. Porque seu calendário pós-Wimbledon só previa mesmo jogar no Canadá e US Open. Aí ele deve ir à Laver Cup e fica a dúvida sobre a presença na fase asiática, onde sempre gostou de jogar.

  8. Heitor

    Pois é, Elena Rybakina, uma jogadora russa nascida em Moscou e naturalizada cazaque em 2018, que nunca se saiu melhor do que nas quartas de final do Grand Slam, conquistou e chegou à final em Wimbledon que excluiu jogadores russos e bielorrussos. O pessoal do All England Club deve estar com sorriso amarelo

  9. Carlos A

    Nadal volta pra casa sem pontos, assim como todos, e sem título, que seria o único resultado que poderia lhe interessar. Resumindo, o torneio só serviu para arrumar mais uma contusão e comprometer o preparo para o resto da temporada.

  10. Roberto Rocha

    Nadal tomou a decisão correta e abandonou o torneio. Que se recupere rapidamente para atuar saudável nas próximas competições.

  11. Luiz Fernando

    Parabéns aos imbecis q duvidaram da lesão do Rafa, ele está sem condições e não jogará. Como existe gente medíocre no mundo, é de ficar impressionado.

      1. Henrique

        Hmmm. Acho que os “”do contra”” sempre atribuíram supostas fraudes e mentiras de Nadal a uma hipotética “”máfia”” existente entre ITF, ATP, Federação Espanhola de Tênis, patrocinadores e equipe do espanhol. Realmente, seria muita tolice acreditar que tanta gente guardasse segredos.

    1. Barocos

      LF,

      A raiva e o despeito cegam, mas, convenhamos, muito do que se fala por aqui é pura provocação e não deveríamos levar a sério. De qualquer maneira, seria bem mais “civilizado” usar argumentos de bom nível, mas quem queremos enganar? Como sociedade, estamos sempre procurando “encrenca”.

      Quanto aos ataques à imprensa, seria bom se as pessoas fizessem um curso de reportagem investigativa e outro de ética na comunicação. Isto, provavelmente, levaria a maior parte das pessoas (unanimidade é impossível, claro) a parar de falar bobagem a respeito da imprensa livre, uma das mais importantes instituições em qualquer democracia e sempre a primeira a ser atacada por fascistas, nazistas, reacionários e outros canalhas de estirpes variadas, enfatuados por um conhecimento que julgam ter e não têm, corroídos pela ignorância e estupidez que dizem combater, mas que exale deles.

      Saúde e paz.

    2. Maurício Luís *

      Enfim uma atitude sensata do seu ídolo. Vão sair todas as almas do purgatório. Desejo a ele melhoras.

  12. Julio Cesar

    Queria ver esse jogo, só pra ver como vai desenrolar. Mas, como alguém disse em outro espaço, jogar lesionado coloca sobre o outro tenista um fardo injusto: se ganhar, dirão que ganhou de um tenista lesionado, então a vitória teria um asterisco; se perder, foi para um tenista lesionado então a derrota é mais gravosa.

  13. Thiago+Silva

    Nadal devia abandonar agora, campeão não vai ser mesmo, pontuação pro ranking não tem, se jogar 5 sets contra o Kyrgios a lesão não vai melhorar, só vai agravar, ganhar do Djokovic inteiro ja seria bem difícil, imagina sacando a 170 km/h, vai ser só pra passar vergonha.

  14. Maria Izabel

    Infelizmente ,uma rutura em um dos músculos do abdome de R.Nadal de 7 mm.Como ele não desiste nunca,veremos o que acontece tomara ele use alguma bandagem larga,aí já é área médica e eles sabem o que fazem.
    Para quem vive jogando falsos comentários sobre as contusões de Nadal, está aí mais uma afirmativa de exames.Que alias,são mostradas a ATP etc,para justificar os remédios.
    Só desejo que nenhum deles se machuquem, nem a qualquer pessoa.
    Adoro tênis, sou federista,assisto os jogos com muita atenção as jogadas lindas que nos proporcionam.Jamais desejo o mal ,isso é para pessoas ruins.Ou seja,seu ídolo é perfeito,o melhor e por aí…pobre ser humano, se degrada a cada dia por um simples jogo.Saúde e luz para todos.

      1. Maria Izabel

        Sr.José Eustáquio Masculino Cruz.Sou Federista,e não há muitas notícias dele,embora o tenha visto na bela solenidade de Wimbledon.
        Sou maior,vacinada e independente .Portanto, se fosse torcedora do Nadal qual seria o problema?E porque não assumiria isso? Francamente é cada uma!!
        Boa noite.

  15. Paulo F.

    Agora a Ons dará aquela secada marota na Halep.
    A única que poderá impedir a consagração desta estupenda tenista.

  16. Henrique

    As semifinais femininas estão fraquíssimas, repetindo o que tem acontecido nos torneios do Grand Slam nos últimos dez anos. E normalmente as arquibancadas dos torneios femininos ficam vazias durante o ano todo, até a final desses quatro maiores torneios. Ou seja, temos quatro partidas femininas anualmente com boa audiência. Mesmo assim, “”exigem”” premiação igual. Poxa vida!

  17. Julio Marinho

    Dalcim,
    ainda que a discussão sobre o melhor ou maior de tenista de todos os tempos seja sempre algo que suscita paixões, números e perspectivas, eu considero o Nadal não só o maior competidor do tênis, mas o maior competidor que já existiu. Nunca houve alguém que luta tanto contra todas adversidades, com tanto afinco, que sempre busca o melhor de si, respeitando os adversários, o jogo e a torcida. Negócio impressionante de se ver.

  18. Maurício Luís *

    Segundo o jornalista Pedro Gonçalo Pinto, do site Bola Amarela, Nadal tem uma ruptura de 7 milímetros num dos músculos abdominais. Mas quer jogar a semi. E lá vai o baloeiro tomar meio balde de analgésicos… porque milagre não existe pra casos assim. Haja Deus. Haja teimosia.

    1. Bebeto

      Baloeiro? Depois de uma vitoria dessas??? Rapaz, como vc é pequeno e raivoso. É o negacionista o seu ídolo? Vc perdeu a chance de escrever algo decente.

      1. Maurício Luís *

        Eu nunca neguei as qualidades do Nadal, inclusive como pessoa. Sim, ele tem múltiplos recursos. Mas o que o diferencia dos demais é esse balão infernal de forehand, que faz a bola girar ao contrário por ser canhoto. Então por isso o chamo de baloeiro. Você pode me achar “pequeno”, é um direito seu. Mas eu não me vejo assim.

      2. Maurício Luís *

        Em tempo: meu ídolo é o Andy Murray. O sérvio não me serve de ídolo de jeito nenhum, justamente por eu ser radicalmente contra o negacionismo dele.

  19. Miguel BsB

    Nadal é um guerreiro extraordinário, isso já sabemos há muito tempo…
    Agora, mais next gen toma uma virada, e o pior, de um adversário muito mais velho, lesionado, sem capacidade de sacar a contento por quase todo o jogo.
    Não tem como negar a incapacidade dessa geração…
    Tomou virada do Djoko lesionado ano passado.
    Toma virada do Nadal lesionado agora.
    É, galera da Entressafra, vocês falaram tanto que ganharam uma Entressafra pra chamar de sua…rs
    Aproveitem!

    1. Luiz Fernando

      Essa nextgen é medíocre mesmo, muitos já apontaram isso aqui, alguns ficam tensos com essa realidade. Mas a outra, a original apontada pelo Sampras, não fica atrás…

    2. Paulo Almeida

      Miguel,

      Não dá pra colocar Fritz no mesmo pacote de Medvedev, Zverev, Tsitsipas, Sinner, Hurkacz, Berrettini e agora Alcaraz. Todos eles teriam quebrado o Nadal várias vezes ontem e resolvido em três sets. Esse é RUIM mesmo, como já disse.

  20. Bartolomeu

    De 2004 para cá, o período em que o Big 3 foi menos dominante teve início com o primeiro slam do Murray (US Open 2012) e terminou com o último slam do Wawrinka (US Open 2016).

    Nesse período, de um total de 17 slams, o Murray levou 3, Wawrinka levou outros 3, e o Cilic ficou com 1. O Big 3, portanto, venceu 10 slams, aproveitamento de 58%. Como se vê, um aproveitamento bom, não espetacular.

    O Big 3 voltou a ter um domínio avassalador justamente com a vitória do Federer na Australia, em 2017. Desde então foram jogado 21 slams, e, salvo engano, o Big 3 levou 19. As exceções foram o Thiem e o Medvedev, ambos nos EUA, ou seja, um aproveitamento absurdo de 90%.

    Não acho que isso se deve apenas a um esplendor técnico, a um salto excepcional de qualidade. Sim, a experiência conta, mas já são jogadores com mais de trinta anos dominando, de maneira absoluta, gerações de tenistas 8, 10 anos mais jovens.

    Ou alguém aqui imagina o Djoko voltando de 0 a 2, sem qualquer resistência, contra um Wawrinka ou mesmo contra um Murray e, vá lá, um Del Potro em forma?

    Tênis é um esporte de alto rendimento, em que o aspecto físico conta demais. Então se um jogador envelhece, e as suas conquistas só aumentam na medida em que ele enfrenta rivais cada vez mais jovens, é porque esses rivais são cada vez mais inferiores, incapazes de oferecer a menor resistência.

    Muito se fala sobre Federer reinar sozinho entre 2004 e 2009, mas ali tínhamos um Nadal em excepcional forma, um Djokovic e um Murray em ascenção, e já naquela época muito superiores ao que são hoje Tstitipas, Zverev, Sinner, Medvedev e companhia, além do auge de jogadores como Safin, Nalbandian, Hewitt, Rodick, Ferrero, e dizer que esses jogadores são inferiores aos representantes das eternas next gen é puro delírio. Sem contar que ainda enfrentou Agassi e Sampras.

    É essa queda na qualidade dos rivais que permitiu que Federer chegasse aos vinte slams, e é o que vem permitindo que Nadal e Djoko cheguem ao final de suas carreiras pulverizando todos os recordes possíveis. Quem vai pará-los senão eles mesmos, já que rivais não há?

    1. Daniel

      Muito bom!
      Só esqueceu de dizer que, além de todas as feras citadas, Federer ainda teve que enfrentar GUGA, um excepcional tenista brasileiro, tri-campeão em Roland Garros.
      E que ele perde no h2h pro nosso brazuca.

      1. Bartolomeu

        Com certeza!

        Em 2004, Federer faturou Austrália, Wimbledon e US Open, mas deu o azar de cruzar com um Guga inspirado em Paris, que o venceu em sets diretos numa aula de tênis.

        Tenho para mim que, não fosse o Guga, Federer teria fechado o Grand Slam em 2004.

        Quanto ao Guga, ele tinha potencial para pelo menos cinco títulos em Paris, e pelo menos um Slam em quadra dura, sobretudo porque pegaria essa transição para uma velocidade mais padronizada, em que as quadras ficaram bem mais lentas.

        É uma pena mesmo que a contusão abreviou uma carreira que poderia ser muito mais vencedora do que já foi

    2. Marcelo Costa

      Não tenho por hábito responder, pois, acaba por virar algo passional, mas cabe uma exceção. Os números de Murray e wawrinka turbinam as estatísticas daquela geração onde imperou os três gênios, mas devemos levar em conta que esses dois são extra série, tira eles da equação e sobra só um título de cilic e um do delpo, ficando exatamente como agora com thien e Medvedev, ou seja, o domínio deles sobre os demais da sua geração é parecido ao atual.
      E temos por hábito olhar o passado somente vendo os campeões, esquecendo de “fracassos” retumbantes como herman, ou norman e dar ênfase à sampras e agassi e até Guga, mas havia uma legião de tenistas que ficavam no caminho sendo motivo de críticas iguais as atuais, ou tsisipas é mais pipoqueiro que herman? ( foi retórica ).

    3. Paulo Almeida

      Que 2009, cara. O domínio acabou em 2008, quando perdeu no AO pro Djoko e em RG e WB pro Nadal, perdendo o número 1.

      1. Bartolomeu

        Em 2009 Federer ganhou Roland Garros e Wimbledon, e fez final na Austrália (perdeu para o Nadal) e nos EUA (perdeu para o Del Potro).

        Em resumo, pra ficar bem explicadinho. O Federer, em 2009:1) fez final em todos os slam: 2) foi o tenista que mais venceu slam.

        Ah, e ele ainda ganhou na Austrália em 2010.

        E, se você considerar em que, em 2008, ele ganhou o US Open, e fez final em Paris e Londres, percebe que nesse período ele fez 8 finais de slam na sequência, com 5 títulos.

        Então o seu domínio se estendeu até 2009, sim!

        1. Paulo Almeida

          Você só se esqueceu de que o Nadal se lesionou em Roland Garros e nem foi defender o título de Wimbledon, facilitando a vida do suíço para retomar o número 1. Do contrário, o último year-end teria sido em 2007 mesmo. Ficou bem explicadinho?

          1. Bartolomeu

            O que sei é o que aconteceu: 8 finais seguidas, 5 títulos no período em que, você diz, o Federer já tinha passado o bastão para o Nadal.

            Distorça os fatos como quiser. Para alguém vai fazer sentido, e vida que segue

  21. Ricardo+-+DF

    Google: “Nadal faking injuries”. Vasto material, inclusive Djoko questionando a “lesão no pé” em RG. Djoko estava com o jogo ganho depois do segundo set. Depois, foi o que se viu.
    Imagino o constrangimento de jogar contra um jogador lesionado. E a pane mental que dá ao estar perdendo para um jogador lesionado!
    Nadal é um gênio!

  22. Rodolfo Marques (Belém-PA)

    Prezado Dalcim,

    Rafael Nadal continua encantando os seus milhões de fãs do mundo com as suas tenacidade e competitividade e pelo seu amor ao tênis.

    Dito isto, você acredita que ele consiga ter chances diante de Kyrgios e, eventualmente, diante do Djokovic, diante do seu histórico de lesões e de sua atual condição física? Na “bola”, ele tem ferramentas para vencer esses dois grandes tenistas na grama?

    No mais, parabéns pelo seu texto e pelo blog em si, o qual acompanho sempre com muita alegria

    1. José Nilton Dalcim

      Eu acho que sem um primeiro saque contundente, as chances do Nadal diminuem muito. Caso contrário, acredito que é possível ganhar dos dois, porque Rafa tem uma bola muito chata na grama, que é o slice de canhoto. Se ele obtiver profundidade nessa bola ou ângulos perfeitos, complicará para qualquer um.

  23. Luiz Fernando

    Creio q nem com um Morumbi de torcida o magistral Norrie terá grandes chances contra o Djoko, q chegará no domingo contra qualquer adversário como Franco favorito. Na outra semi se Rafa entrar com 80% de condição ele leva, se não estiver bem o viciado em drogas leva. Se for o caso os deuses do esporte como um todo não permitirão uma heresia descomunal no domingo, tenho fé nisso…

  24. ANTONIO+GABRIEL+OLIVEIRA+DOS+SANTOS

    Rapaz, por mais que eu acredite que o Nadal realmente estava contundido (não assisti ao jogo), não creio que seja nada tão grave, pois a não ser que ele jogou dopado, com certeza não teria aguentado até o tiebreak. É obvio que ele é um atleta de primeiríssima linha, mas até estes atletas tem limite. Agora é esperar pra ver o quanto este problema fisico irá refletir no jogo de sexta, mas certamente será um jogão.

  25. Felipe Gonçalves

    Interessante como muitas pessoas continuam acreditando nessa história de “não sei se vou conseguir jogar a próxima partida”, “pensei em desistir no meio do jogo”, muletas etc. etc. etc. Desde o Australian Open de 2009, no mínimo, isso acontece sem grandes questionamentos ao cara que deu uma “carteirada” ao mandar o Sonego ficar quieto na terceira rodada (com raras exceções, como o Fognini ontem).

    Francamente, um caso a ser estudado.

  26. Carlo V. W.

    Do dia:
    ” Caso haja um empate para definir o goat de vocês, partidas como exxa do Nadal com certeza desempatarà a decisão a favor do espanhol”
    “Caso haja um empate no goat de voces, as atitudes extra quadra da besta servia (anti-vax, bolada em juiz de linha, deportaçao), tambèm decidirá a fatura a favor do espanhol”

    Aliàs.. jà vi gente por aì novamente levantando a teoria do golpe na Australia (afinal,quem è mesmo esse tal de povo australiano com suas leis, que sò querem prejudicar o ìdolo de vocês). E hà.. claro.. hà o governo americano golpista tb.. proibindo o ìdolo deles de trabalhar là… Nao querem deixar ele entrar no paìs.. nem para o USOpen

  27. Alexandre

    Se o espanhol conseguir entrar em quadra, dificilmente perderá para o australiano, pois hoje no circuito o Big2 diferencia de todo o restante na força mental e na capacidade de saber sofrer para encontrar alternativas.
    Semifinal na quadra central do torneio mais prestigiado do mundo e podendo ainda sonhar ainda em fechar todos os slans do ano!!!…ou o Miúra nem entra em quadra ou se entrar, o Kyrgios terá que acertar pelo menos uns 80 foguetes de aces para vencer.

  28. Carlo V. W.

    – Djokovid favoritìssimo para alcançar uma final: 3×0.
    – A outra semi està aberta, devido a qtde de fatores, inclusive contusao.

    Eu torco para q a saga do menino Kyrgios acabe na semi, principalmente devido aos fatores extra-jogo do Australiano. No entanto nao da para negar que ele é um dos poucos que possui armas suficientes para bater ambos Nadal e Djocovid, e o principal: le Kyrgios nao tem medo de nenhum adversàrio, nem de històrico, muito menos dos holofotes de uma quadra central ou de uma decisão.

    Na vdd, o principal adversàrio dele, sera…. ele mesmo.
    – A cada partida em que Kyrgios entra em quadra com vontade de continuar num torneio, ele conseguiu vencer ele mesmo numa partida de 5 sets momentis antes.

    Ronildo, nao sei se viu… mas segundo um reporter publicou, a B. Haddad Maia nunca mais leu sobre ela na internet, apòs o primeiro dos dois tìtulos. Ela pode ter desistido apòs ler teu poema: a comparaçao entre teu elegante poema e a bobagem ofensiva que ela leu depois foi demais pra ela). 🙂

  29. Luis

    Eu sou fã do Nadal! O cara é um monstro. Mas tá começando a me incomodar essa história de que todas as suas vitórias são heroicas porque ele superou uma dor absurda. Jogou RG com o pé destruído, vai abandonar a carreira! Mas resolveu uma contusão seríssima a tempo de jogar em Wimbledon. Agora tá com o abdômen em frangalhos. Se jogar e competir contra Kyrgios o problema do jogo de ontem não era tão sério ( o que não quer dizer que ele não tenha tido dor). Meio difícil acreditar que os problemas são tão sérios, mas que ele supera algo grave em 48 horas a ponto de voltar voando pra quadra. Acho meio exagerado esse papo

    1. Valmir da Silva Batista

      LUIS, apesar de ter minha anuência, espero que você tenha discernimento suficiente para entender que os que o irritam são os agentes da mídia em geral, são eles que compõem essa idiotice novelesca a respeito dos problemas físicos de Nadal, sendo que o mesmo não pode fazer nada quanto a isto, estar contundido não é, obviamente, uma escolha sua. Por outro lado, existe uma mídia marrom, tacanha e para quem um dos motes mais interessantes é a dor como protagonista, ou seja, há o firme propósito de querer ver sangue, pois acaba vendendo muito mais o peixe. Neste blog não é diferente, muitos comentaristas, com seu proprietário incluso, e salvo algumas raras exceções, se valem desse heroísmo rasteiro, para ganharem a audiência dos desavisados. Nadal não pode ser culpado por estar sendo acometido de lesões e, por conseguinte, que isto ocorra de maneira quantitativa, assim como também não pode omitir ou mentir a respeito…

  30. Marcos+Ribeiro

    Parece bem claro que esta lesão do Nadal só compromete 1 dos seus golpes, o saque, o que faz muito sentido, porque é um golpe que estica bastante a musculatura do abdômen.

    Mas ela de fato só prejudica o saque? Humm, pensando melhor, também pode prejudicar o smach, o que torna o lob um golpe mais interessante para o adversário.

    Se Nadal voltar à quadra, será interessante observar se os seus próximos ou próximo adversário usarão mais o lob e qual será o resultado.

    1. Rafael Azevedo

      Bom, ontem, além do saque e do smash (de fato, ele desistiu das jogadas nos poucos lobs que o Fritz performou), a movimentação ficou comprometida (deixou de chegar em algumas bolas que chegaria) e os movimentos de forehand e Backhand também ficaram diferentes. Ele usou mais os braços e menos os joelho e o quadril.
      Mas, essa questão da movimentação não fez muita diferença. O número de erros e marretadas aumentou, mas no geral os golpes continuaram bons.

  31. Rodrigo S. Cruz

    Bom,

    acho que pouco há a dizer depois do perfeito comentário do Miguel na outra pasta:

    que geração pífia e ridícula que o Djokovic pegou. Meu Pai do Céu!

    Mil vezes um Philipoussis, ou um Hewitt, ou um Safin, ou um Agassi ou um Sampras veteranos do que um:

    Dr. Fritz, um Sinner e outros arregões frangotes desse tipo.

    1. Luiz Fabriciano

      Pegou geração pífia mesmo.
      Bateu sem dó nem piedade em um tal de Roger Federer na grama sagrada.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Será que você é parente do sérvio, Fabriciano?

        Porque a tua devoção a ele é uma coisa comovente… rs

        Sim. Foi isso mesmo que eu disse – ele bateu o Federer.

        Mas se aproveitou desse período de entressafra do circuito além do declínio natural do Federer.

        Principalmente da questão física.

        Mas todas as partidas entre eles na grama foram disputadas, o teu amado nunca dominou o suíço lá.

        1. Luiz Fabriciano

          Não sou parente, mas me agradaria muito se fosse.
          3 finais de Wimbledon – 3 a 0. O que é domínio?

    2. Paulo Sérgio

      Acabando com suas desculpas:

      Títulos de slams do Djoko somente em finais
      4 contra Federer
      4 contra Nadal
      5 contra Murray
      1 contra Medvedev
      1 contra Thiem
      1 contra Del Potro

      Ou seja, dos 20 títulos temos 16 em finais contra campeões de slams. Contra os os membros do Big4 são 13 títulos, ou seja, 65% do total.

      1. Luiz Fabriciano

        Fora Tsonga, Kevin Anderson (o mais fraco do grupo – que virou 0x2 para cima do Federer nesse mesmo ano), Berrettini e Tsitisipas.
        Nada mal.

        1. Rodrigo S. Cruz

          Todos bagres esses citados!

          E se for pra falar do “Kevin Entregando-se”.

          Ele já entregou jogo pro Djokovic em Wimbledon, tendo aberto 2 sets a 0…

          Obrigado por citá-lo! kkkk

          1. Luiz Fabriciano

            Só citei porque se ele tivesse “Kevin Entregado-se” ao Federer antes, quando perdia por 2 x 0, a final teria sido Servia/Suíça.

    3. Barocos

      Rodrigo,

      Isto de novo?

      Não, não acredito que houve a tal entressafra entre 2003 e 2007, como também não acredito que existe uma entre 2018 e os dias atuais. Acho que Federer, Nadal e Djokovic são os maiores tenistas que já empunharam uma raquete, cada um deles gigante por razões ligeiramente diferentes, mas todos incrivelmente habilidosos, obstinados e com físicos privilegiados, ainda que em escalas ligeiramente desiguais, ou não conseguiriam permanecer no topo por tantos anos.

      Devo, ainda, lembrar que os 3 tiveram que lutar com outros jogadores memoráveis, como o Murray e, em menor grau, Wawrinka e Del Potro.

      Já repeti isto à exaustão aqui, que o que causou tamanho desequilíbrio no circuito foi justamente a sobreposição da carreira dos 3, tornando a conquista de um título uma tarefa hercúlea, haja vista que era comum que os pretendentes tivessem que enfrentar um deles em alguma etapa e, quando sobreviviam, o faziam apenas para digladiar com o outro em uma próxima, quase sempre resultando na eliminação. O Dalcim, se quiser, pode inclusive elencar os poucos jogadores que lograram passar pelos 3 no mesmo torneio (se é que algum conseguiu tal feito, acho que o Wawrinka o fez). De qualquer forma, julgo que a interseção de suas carreiras foi uma coisa boa, já que, além de impulsioná-los a procurar jogar cada vez melhor, e os 3 lograram fazê-lo, também impediu que qualquer um deles construísse números inalcançáveis. De fato, a excepcionalidade dos 3 acabou por estimular muito a discussão e a paixão em torno deste magnífico esporte, uma ótima consequência da rivalidade, não acha?

      Quanto ao tal GOAT, pelas estatísticas, atualmente é o Nadal, por anos achincalhado neste espaço pelos torcedores do Federer, acho que muito em razão das derrotas dolorosas, mas, principalmente, pelo H2H. Claro, quando foi ameaçado, e superado repetidamente, nos torneios que os seus torcedores julgavam quase cativos, a “raiva” se voltou contra o Djokovic.

      Olhando apenas a carreira do Federer, obviamente excepcional, claro, eu diria que foi um infortúnio ter que competir até o final de sua carreira com os outros 2, mais novos e grandemente estimulados a atingir excelência ainda em seus anos formadores, mas o próprio Federer também teve que fazê-lo, embora eu acredite que o estímulo tenha sido menor em próprio início, já que não havia alguém tão grande quanto o mesmo neste período.

      Com já citei acima, uma consequência interessante das grandes rivalidades, é que elas, além de servirem como balizadoras de carreiras, também tornam carreiras e épocas memoráveis. Acho mesmo que muitos dos maiores gênios dos esportes dificilmente seriam lembrados ou não atingiriam a relevância que alcançaram se elas não existissem.

      Finalmente, sobre quem de fato é o tal GOAT olhando além das estatísticas, para você e mais alguns, me parece, é o Federer, para outros, é o Nadal, e para ainda outros, é o Djokovic. Para mim, muito desta discussão perde o sentido se não se estabelece os critérios de avaliação, e como os critérios podem variar bastante e épocas diferentes possuem desafios diferentes, todos os 3 são e nenhum deles o é, de fato. Pensando bem, aliás, é bem melhor que permaneça assim.

      Saúde e paz.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Respeito a tua opinião, caro amigo Barocos.

        Você é um dos nolistas mais serenos e equilibrados do blog.

        Não tem fanatismo e nem idolatria exacerbada.

        Mas nessa matéria eu continuarei com a opinião do Miguel, outro participante que também respeito.

        Abs.

  32. Rodrigo S. Cruz

    Uma coisa é certa.

    Se a lesão do Nadal for verdadeira e afetar o saque, até do Kyrgios vai ser difícil ele ganhar.

    E se superar a lesão e tirar o Kyrgios, o Djokovic fará picadinho dele na final.

    Se já é improvável o Nadal ganhar do sérvio ou do Federer na grama estando inteiro, tampouco bichado e sem saque…

  33. Sark

    Dalcim, boa noite.

    Muito se fala das lesões do Nadal, inclusive esse assunto esteve em evidência em Roland Garros. Contudo, me parece um pouco exagerada a importância dessas “lesões”. Digo isso e uso aspas porque ele faz jogo atrás de jogo, com alta intensidade e correndo muito atrás das bolas. Pode até haver uma lesão, mas não parece tão grave assim para estar sempre em destaque na mídia tenística.

    O que acha?

    Abs

    1. José Nilton Dalcim

      Não posso acreditar que seja um disfarce ou uma mentira. O Fritz afirmou na entrevista que ele via o Nadal inteiro em quadra, exceto pelo saque.

      1. Sandra

        Dalcim, quando são só os torcedores que acham que não,é golpe,,você pode até duvidar tamanho fanatismo, mas quando você começa a ver imprensa , os próprios jogadores e pessoas confiáveis a falar você começa a ficar na dúvida, até esportistas não,ligados ao tênis , tenho dúvidas que ele vai entrar contra o Kyrgios. , pois já está pegando muito mal, quem está mal não fica espalhando pelos quatros cantos , se retira

        1. Valmir da Silva Batista

          SANDRA, aprende uma coisa: um jogador de grande alcance como tenista e também como referência para milhões de pessoas pelo mundo, tem obrigação de revelar suas lesões enquanto motivos para que se ausentem de certos jogos, ou que desistam de partidas em andamento, ou seja, tenistas muito queridos e que têm um público cativo, como Nadal, Djokovic, Serena e outros, precisam ter tal tipo de atitude, como satisfação a seus fãs e seguidores. Portanto, não existe essa bobagem( mais uma ) por você reportada, de que quem sente mesmo dor não fica espalhando, não se trata de fofoquinha para mentes novelescas como a sua…

    2. SANDRO

      Há raras pessoas que são obstinadas, resilientes, resistentes à dor e não se entregam apesar do sofrimento… Isso é para poucos, muito poucos… Nadal é um destes muito poucos!!!

    3. Luiz Fernando

      Eu acho q vcs estão… sofrendo muito, o desespero batendo, nós assistindo exibições de gala em quadra e vcs no youtube, a ultima imagem q ficou aquele 60 do Hurkacz, não deve ser fácil mesmo…

    4. AKC

      Ele nem comemorou, sequer sorriu no fim da partida, como normalmente faz…. estava com um semblante de quem trabalhou na roça o dia inteiro. É claro que se fosse uma lesão incapacitante não estaria em quadra, mas que foi algo que o incomodou bastante o jogo todo, não tenho dúvidas.

  34. Gustavo

    Galera no Twitter acabou de ressuscitar essa obra de arte do tênis mundial.

    Nadal lesionado na Austrália, Toni Nadal mandando ele desistir e ele diz: “Toni, estou nas 4ªs da Austrália, não saio ‘nem fodendo'”

    Se não me engano, em 2014 ele perdeu a final do AusOpen pro Wawrinka visivelmente lesionado. E ficou até o final. É INACREDITÁVEL… UM MONSTRO.

    1. Sérgio Ribeiro

      Excelência, Rafa Nadal e ‘ um guerreiro mas já abandonou mais de uma dezena de vezes , mas bem menos que Djokovic. Já reparei que acompanhas a pouco tempo , procure se informar quantas Roger Federer abandonou em 1526 partidas . E’ um recorde INACREDITÁVEL. Na última partida que jogou antes das cirurgias, foi exatamente em WIMBLEDON. Mal podia caminhar e se despediu levando um Pneu de Hurkacz no terceiro Set . Abs!

      1. Gustavo

        Se vc ler de novo meu comentário vai ver que eu eu não falei nada do federer ou de quantas vezes ele desistiu ou se o Nadal desistiu mais que federer ou menos. Só falei do Nadal. E sequer afirmei que o Nadal nunca abandona.

        Daí vem vc misturar tudo e ainda falar que eu acompanho tênis há pouco tempo.
        De fato não acompanho há tanto tempo qto vc mas não entendo porquê vc sempre tem que desmerecer teu interlocutor e acrescentar ao teu bel prazer coisas que eu nem disse.

        1. Luiz Fabriciano

          Desista meu caro.
          Para qualquer comentário, há uma história mirabolante por trás para se auto-afirmar “conhecedor do esporte”.

      2. Luiz Fabriciano

        Se ele já abandonou + de uma dezenas de vezes, é bem mais que Djokovic.
        E de novo, o que tem a ver o abandono com as calças?
        Critério conveniente?

  35. Rob

    A primeira e única vez que assisti o Nadal in loco foi em 2005 na final do Brasil open no Sauípe..assisti apenas o último game, uma caridade do porteiro da arena que liberou minha entrada, desde então elegi o cara para torcer… só se gosta de tênis qdo se escolhe 1 dos jogadores…hj , e desde então, paro para assistir seus jogos e sempre fico estarrecido com sua capacidade. Tive sorte de ter escolhido o melhor.

    1. AKC

      Parabéns, que privilégio. A primeira lembrança que tenho do Nadal é da semi de RG em 2005 contra o Federer. Já torcia pelo suíço, cujo estilo de jogo eu admirava, mas passei a torcer também para o espanhol. Sempre torci pelos dois, mas nos confrontos diretos, torcia mais para o Nadal.

  36. LION

    Que backhand TENEBROSO tem esse Fritz! O sujeito deve ter dado apenas uns 4 bachands decentes durante 5 sets. E também como devolve mal o saque! Kyrgios tem chances bastante reais de chegar a final. Como eu escrevi aqui há duas rodadas atrás, estou sentindo cheiro de Novak vs Kyrgios na finalíssima.

  37. Roberto Rocha

    A discussão em torno de quem é o maior de todos os tempos possivelmente nunca terminará (Há vários candidatos com reais condições de sentar à cabeceira da mesa diretora Panteão dos deuses do Tênis. Mas o jogo de hoje definiu de forma inquestionável quem é o maior Homem da História a competir empunhando uma raquete…
    O que Rafael Nadal realizou é absolutamente monstruoso. Superou a dor, o descrédito da sua própria equipe, um adversário muito mais jovem e com saque potente e resistiu a mais de 4 horas de jogo… tarefas dignas de um semideus que Hércules assinaria com orgulho.
    O maior tenista da História? Para mim, Laver, seguido de perto por Borg…
    O maior competidor da História desse esporte? Rafael Nadal.

    1. Daniel C

      Vixe, Roberto, como você ousa apontar Laver como o maior da história ao invés do Djokovic??? O sérvio tem números maiores! Cuidado com esse tipo de opinião, vão te chamar de hater rsrs

      Por sinal, uma bela escolha de GOAT de sua parte. E o Rafa é o maior competidor da história, concordo plenamente.

    2. SANDRO

      O GOAT do tênis é disputado entre NADAL e DJOKOVIC, os únicos que realmente tem condições de ser o GOAT!!!

  38. Maurício Luís *

    Pois é, o Kyrgios acertou a mão. Não só neste torneio, mas ao que parece, na ex também, infelizmente.

    1. Maurício Luís *

      E não sei pra que o Nadal “se matar” desse jeito. O torneio não vale pontos. Por causa de $$$$? Acho que não. Milionário como é, falta nenhuma vai lhe fazer. Por causa do recorde de Slams? Mas ele já é recordista com 2 de vantagem!
      A diferença entre resiliência, persistência e teimosia é de um fio de cabelo.

      1. Valmir da Silva Batista

        MAURÍCIO LUÍS, Nadal não está se matando de jogar, como você diz, os problemas físicos que o acometem, se não ocorrerem atualmente, se sucederão em torneios de daqui a um mês, dois ou sete meses…

  39. Barocos

    Conselho que eu daria aos tenistas mais novos quando estes colocam o Nadal ou o Djokovic nas cordas: continue batendo, dispare balas de prata, troque as bolas de borracha por cabeças de alho, passem com um tanque por cima e acionem o lança-chamas (“burn, baby, burn!”). Se parar, vão descobrir que as estórias de terror que ouviam eram verdadeiras, monstros existem!

    Saúde e paz.

    1. Luiz Fabriciano

      Como dizia um autor desconhecido: “quando seu adversário estiver se afogando, coloque a mangueira na boca dele e solte a água”.

  40. Ruy+Machado

    O homem de mil vidas se recusa a “morrer”. Deve ser indigesto para os outros jogadores ter que enfrentar o Nadal… Assim como o Djokovic. Já se passaram tantas gerações de jogadores e o BIG 2 continua no Olimpo.
    Como torcedor do Espanhol, cheguei a concordar com o pai dele pedindo que se retirasse de quadra. Esse esforço levou a que grau de lesão o abdômen? A Equipe do Nadal quer ele bem para o US Open, onde as chances são muito maiores de sucesso. Para jogar uma possível final contra o Sérvio, não bastar estar 80 ou até 90% de sua capacidade física.
    E o maís impressionante é que tinha gente no site de notícias dizendo que era “migué” do Nadal… Ele sacou de sacanagem a 160 km/h para estender o jogo até o 5° Set para enganar o Fritz e fazer ele perder a confiança… Pelo amor de Deus! Tem fanático para tudo mesmo! E são os mesmos que diziam que o Touro não chegaria aos 30 anos jogando em alto nivel por que dependia do físico. Agora que a conta está sendo cobrada, a lesão é mentirosa… Rsrsrs
    Espero que dos males, o menor para o Nadal. E que repense se vale a pena entrar em quadra com o físico comprometido… Boa noite a todos!

    1. Bebeto

      Eu li algumas coisas, e fiquei estarrecido. É quando o odio se sobrepõe ao bom senso, e vc pára de raciocinar com clareza. Imagine o Nadal abrindo mao de sacar bem já no segundo set, para ter uma desculpa caso perdesse o jogo. Essas pessoas perderam a grande chance de ontem, finalmente, se render a grande desse q, na minha opinião, é o maior desportista de todos os tempos. Fiz a escolha certa.

  41. George Beco

    As quartas de Nadal em WImbledon 2022 mostra o que é Nadal, e as quartas de Federer em Wimbledon 2018 mostra o que é Federer

    1. Sérgio Ribeiro

      Não entendi o que tem Federer com as calças, meu caro. Se Nadal pegasse hoje Kevin Anderson no seu melhor , não iria ao quinto Set . A atuação de Fritz foi pífia, ele mesmo reconheceu . Acho que sempre gostas de um Beco sem saída . Nada a ver . Abs!

      1. SANDRO

        Vc não sabe o que o Roger FREGUÊSer tem a ver??? Ele é o freguezaço do Big 2 e virgemzão de títulos nos MAASTERS MIL de ROMA E MONTECARLO….

      2. Luiz Fabriciano

        Uai, você repreendendo quem coloca (na sua opinião) um assunto sem ter a ver com outro?
        Engraçado…

      3. Rafael Azevedo

        Eu não concordo com o comentário acima dizendo que as quartas de 2018 define quem é Federer. Federer virou um quinto set no AOpen contra o NADAL.
        Mentalmente, ele pode ser inferior aos outros dois, mas ele ainda é muito forte nesse aspecto em relação aos demais.
        Porém, acredito que o Nadal de ontem teria, sim, chegado ao quinto set e vencido o Kevin em 2018. Na gana que ele está…

    2. JAN DIAS

      FEDERER 🇨🇭 é quem ganhou 8 vezes esse caneco tá gênio! 👍🏻
      🏆🏆🏆🏆🏆🏆🏆🏆

  42. Luiz Evandro

    Dalcim, no caso desta distensão abdominal, há alguma infiltração para amenizar isto? Algo semelhante ao que foi feito em Roland Garros…. Ou na sua opinião não há nada a ser feito?
    Grande abraço e parabéns pelo Blog, que acompanho há muito anos ( virou uma rotina no final do dia pra mim)

    1. José Nilton Dalcim

      Não sou especialista, Luiz Evandro, mas pelo que sei existe o risco de a distensão virar ruptura e aí sim seria um problema dos grandes para o Nadal. Acho possível jogar sob anestésico – alguns já fizeram isso -, embora me pareça que o perigo é justamente de o tenista perder a noção do esforço excessivo e piorar a situação. Não conheço medicação possível que não seja acompanhada de descanso obrigatório. De qualquer forma, torço demais para que ele se recupere. E obrigado por nos acompanhar. Volte sempre!

    2. SANDRO

      Mesmo com analgésicos, o músculo abdominal não estaria 100% funcional, principalmente para sacar…

  43. Rafael Azevedo

    Quando Nadal ficou notoriamente irritado, frustrado e triste, no segundo set, ele ligou o modo “dane-se” e começou a disparar winners fulminantes já na primeira ou segunda bola…
    Mesmo com o saque ridículo e sem se movimentar, conseguiu a quebra e vencer o set.

    Eu pensei: “porque diacho esse cara não faz isso mais vezes?”

    Aí, o semblante melhorou, os analgésicos ajudaram um pouco e ele voltou a trabalhar mais os pontos, como de costume (apesar de encurtar um pouco mais), indo para a sua zona de conforto.

    Mas, como é diferenciado, assim como Novak, conseguiu vencer uma partida perdida. Esses caras do big 3 não se cansam de nos surpreender!

    Mas, ainda vai chover de gente aqui querendo desmerecer o feito do espanhol, dizendo que ele simula as lesões, que Fritz entregou, que essa Next Gen é uma entressafra e blá, blá, blá…

  44. Felipe Velasquez

    Boa noite, Dalcim.

    Outro grande jogo do Nadal! Admito que pensei que ele iria perder a partida, devido a pouca potencia do saque (em torno de 160 km/h).

    Dalcim, em Roland Garros, o Nadal jogou com o pé anestesiado. O que ele poderia fazer para amenizar a dor no abdômen e poder jogar?

    A partida do Taylor Fritz com o Djokovic não teria sido a do AO/2021? Na ocasião, o Djokovic abriu 2 x 0 e permitiu o americano empatar e levar a disputa para o 5 set.

    Abraços

  45. rafael

    A vitória do espanhol foi conseguida à fórceps! Parabéns ao Nadal, mas o Fritz ajudou também. Devolveu muito mal o lento saque do espanhol e encurtou os golpes. Aí o espanhol com sua inteligência e experiência levou! Se o Nadal não se recuperar 100% (o que me parece muito difícil) a missão será difícil demais frente ao agressivo Kyrgios. No fundo torço para um Nadal x Djoko na final. Algum palpite para Kyrgios e Nadal, mestre?

    1. José Nilton Dalcim

      Em condições normais, é jogo para cinco sets. E como isso envolve muito a parte emocional, eu apostaria no Nadal.

  46. Gildokson

    Situação parecida aconteceu com Wawrinka naquela Final do AO 2014, o suíço até bambeou, mas conseguiu vencer. Então voltamos à discussão do outro post…
    Essa molecada é ou não é a “next entressafra”? Kkkkkkkkkkk

    1. Luiz Fernando

      Cuidado q o seu amiguinho se revolta com sua pergunta. Talvez vc pudesse perguntar ao Sampras, o q vc acha?????

      1. Gildokson

        Acho que o Sampras vai dizer que o Fritz e o Sinner são grandes jogadores n° 1 do mundo e ganhadores de Slam assim como Hewitt, Roddick, Safin, Tsitsipas, Zverev…
        Ah não!!! Pera!!! Me confundi kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  47. Marcos

    Acho que o Fritz perdeu para um Nole lesionado foi no AusOpen 2021. Nole abriu 2×0 e sentiu a lesão. Fritz empatou 2×2, mas Nole, no 5o set, venceu. Em RG21 eles nem jogaram.

  48. Sérgio Ribeiro

    Bem , Fritz tem que chorar mesmo . Não conseguir devolver Serviços semelhantes a WTA durante horas, e’ de sentar no meio fio e tome de lágrimas de esguicho rs . Já aos 24 , tremeu perante o Touro. Este já declara que pode não entrar contra Kyrgios, que não perdoaria este jogo improvisado do Espanhol. O Torneio não conta pontos no Ranking e se passasse tomaria Pneus de Djokovic. Apesar de também Canhoto , Norrie diz que conta com a torcida. Só que esta não entra em quadra e suas chances são quase nulas . Este SLAM somente escapa do Sérvio se Nick Kyrgios tomar algumas poções milagrosas , o que realmente não acredito. Pode por o 21na sala do Sérvio. A conferir. Abs!

  49. Alexandre

    Dalcim em 2017 dps de um longo período afastado Nadal fez final de AO com o Federer e vc mitou com a frase ” nunca duvide de Federrer e de Nadal. Passados 5 anos é simplesmente inacreditável tudo que ele está fazendo.. hoje foi mais um capítulo deste maior guerreiro de todos os tempos do esporte .. acho que nem você mesmo com aquela frase podia imaginar um ano deste..

    1. José Nilton Dalcim

      Realmente, é inesperado, embora a gente tenha visto Nadal sempre progredir no aspecto técnico ao longo dos anos.

  50. Paulo Almeida

    Fritz entra pra história por ter conseguido perder para um Djokovic que não conseguia se mexer lateralmente e para um Nadal que sacava a 90 km/h. Esse é bagre mesmo, não tem como promover não.

    1. Luiz Fabriciano

      O Fritz entrou legal na onda das limitações do Nadal e levou o maior caldo.
      Não estou dizendo que Nadal não estava bem, CATEGORICAMENTE estou dizendo que Fritz não soube liquidar o jogo. Passou a cometer muitos erros não forçados e não aproveitar saques cujas devoluções poderiam ser winners.
      Pelo menos confessou que sentiu vontade de chorar depois do jogo. Diferente de alguns que se sentem orgulhosos por terem feito o máximo… e perdido.

  51. Hendrix

    Nadal é um dos maiores exemplos de determinação da história não apenas do tenis, mas do esporte em geral.
    Todas as razões possíveis para se aposentar esse rapaz já teve, mas segue lutando por ter essa garra monstruosa em seu DNA.
    Uma inspiração para todos nós, para o esporte e para a vida.

  52. Jocelino Jr

    Mestre novamente texto impecavel.

    Nadal nao tinha pq desistir. Olha como ganhou RG. Com necrose e infiltracoes no pé. Poucos lembram que na Auatralia passou mal e parecia que ia levar a virada de Shapovalov mas ficou deu seu jeito no 5 e levou a taça.
    Torço muito pra os medicos fazerem alguma coisa e ele jogar semi e final sem dor e levar o tri. Depois descansa ate o USOpen mesmo que perca o Canada.
    Concorda mestre?
    Vamos Rafa!

    1. José Nilton Dalcim

      Com máxima certeza! Ninguém quer ver um tenista do porte do Nadal sem condições ideais. Ele contra o Kyrgios tem tudo para ser o jogo do ano!

  53. Eduardo

    Oi Dalcim, assisti à press conference do Nadal e fiquei com a impressão de que muito dificilmente ele jogará essa semi, até porque, pelo que entendi, trata-se de um problema com o qual ele já vinha convivendo, em menor grau, nos jogos anteriores. Também ficou com essa impressão ? E se sim, como vê as chances de Kyrgios vencer Djokovic (francamente é inimaginável pra mim o valente Norrie sequer tirar set do campeão …) na final ?

    1. José Nilton Dalcim

      Possível é, mas sem dúvida ele entraria em quadra com 30% de chance. O pior é que ele gosta disso, se sente mais à vontade.

  54. Sandra

    Me desculpe Dalcim , mas não consigo acreditar mais nessa lesões do Nadal , digo, existe sim, mas eles está se vitimizando muito, não acredito que ele vá jogar com Kyrgios se ele tiver uma mínima dor. Aliás se Kyrgios e Djokovic forem para final vc acredita que Djokovic pode ganhar ? Ele nunca ganhou do Kyrgios, ia ser a redenção !,, rsss

    1. Valmir da Silva Batista

      “NÃO CONSIGO MAIS ACREDITAR NESSA LESÕES( sic ) DO NADAL” E “EXISTE SIM”. Juro que gostaria de entender o significado da dicotomia em questão, mas confesso que não é toda semântica que meu senso de interpretação de texto consegue alcançar. Se não for pedir muito, peço a ajuda dos colegas comentaristas…

      1. SANDRO

        Com certeza esse fragmento que vc destacou Valmir é o cúmulo da bipolaridade, contradição, antítese, paradoxo, ou qualquer outro termo que caiba ao absurdo escrito pela comentarista…

    2. SANDRO

      O que vc ganha com essa perseguição com o Nadal? Deixe o cara sentir as dores dele em paz… Vc pode desconfiar o quanto quiser, mas nunca medir a resiliência de Nadal pela sua régua…

  55. Paulo F.

    Eu dou o braço a torcer.
    Roger Federer é o maior jogador de tênis de todos os tempos.
    Esporte maravilhoso que teve diversos outros grandes expoentes.
    Pois o que praticam Rafael Nadal e Novak Djokovic não é tênis.
    É algo muito mais supremo e superior.
    Nem saberia denominar o que praticam esses 2 Titãs: Super-Tênis? Toptennis? Übertennis?
    Vida longa ao Big-2.

    1. Luiz Fernando

      Imagine Paulo, o Big2 vencendo com viradas incríveis enquanto essa galerinha rançosa fica no youtube, eles merecem pelos anos de barbaridades postadas e pelo oportunismo q demonstram quando terceirizaram Djoko p depois se voltarem contra ele kkk…

      1. Paulo F.

        Gildokson foi o maior dos oportunistas.
        Urrava, exaltava, não poupava elogios quando Djokovic parava Nadal em 2011.
        Mas bastou Nole começou a tirar títulos do Federer também que…

        1. Gildokson

          Você insiste nessa teoria né?
          Eu já deixei bem claro que como jogador admiro o Djokovic, inclusive sempre me refiro a ele como monstro, agora as atitudes dele durante certas partidas e principalmente fora da quadra eu não vou admirar nunca.
          E vem cá bonitão, se eu sou federista, quando Nadal e Djokovic estiverem disputando seus títulos tu acha que eu tenho que torcer contra ou a favor deles??
          Me diz aí, faz uma forcinha e pensa só um tiquinho de nada.
          Ahh já sei, quando é você é o Luiz Fernando ziguezagueando entre duas torcidas contra o Federer pode neh? Agora eu sou o oportunista?
          Abs pra você camarada!

          1. Luiz Fernando

            Mais oportunista q vcs é impossível, vcs merecem alguns outros adjetivos q não posto pois seria vetado…

    2. Daniel C

      O Nadal mudou ao longo dos anos e pratica um tênis incrível.

      Já o sérvio continuou apostando no “Maratenis” nos últimos anos rsrs. Para sorte dele, funciona com as novas entressafras.

  56. Danilo BR

    Que vitória heróica do espanhol! Mais uma superando todos os limites de um ser humano. Dalcim, vc não acha que Nadal é sério candidato a ser o maior esportista de todos os tempos? Confesso que passei a admirá-lo por causa dessa entrega sobrehumana dele em quadra. E com essa cabeça dura do Djoko com relação à vacina foi dada de bandeja a grande oportunidade para Nadal ser mesmo o GOAT do tênis… MUITO MERECIDO!

  57. Gabriel

    Você acha que Nadal ainda terá condições de jogar a semi final, Dalcim? Me parece que continuou a partida por estar “quente” e a base de analgésicos, mas entrar em quadra já com esse grande problema é outra história, ainda mais sabendo que deverá encarar Djoko na final, que é o melhor devolvedor de serviço do circuito, sendo impossível ganhar dele sacando como sacou hoje.

    1. José Nilton Dalcim

      Eu acho que ele vai tentar, mesmo à base novamente de analgésicos, Gabriel. Nenhum tenista, principalmente os mais experientes, pensa numa final antes de disputar a semi, portanto o foco dele é o Kyrgios. Só depois vai pensar no Djokovic.

Comentários fechados.