Nadal cresce, mas Fritz acredita
Por José Nilton Dalcim
4 de julho de 2022 às 18:26

As últimas duas semanas sobre quadra de grama mudaram repentinamente o humor e a confiança de Taylor Fritz. O campeão de Indian Wells vinha da contusão no pé e havia perdido completamente o rumo, batido estreias de Hertogenbosch e Queen’s e ainda tendo de defender o título de Eastbourne. Então tudo mudou. Perdeu apenas 2 de seus últimos 22 sets disputados, nenhum deles neste Wimbledon, e de forma inesperada um tanto inesperada está nas quartas de final de um Grand Slam pela primeira vez.

Wimbledon é um lugar especial para ele. Desde criança, sempre ouviu que era “o torneio” e há pouco tempo viu o jogo em que sua mãe enfrentou Billie Jean King ali. “Não parece real”, afirmou ele ao bater sem sustos o australiano Jason Kubler. E tentou explicar o que torna a grama tão compativel com seu estilo: “Meu backhand melhora muito, porque a bola quica mais baixo. É verdade que perco um pouco do forehand pelo mesmo motivo, mas se consigo sacar bem fica tudo mais fácil”.

Fritz se diz pronto e ansioso para reencontrar Rafael Nadal, a quem venceu naquela final atípica de Indian Wells, em março, em que ele vinha de torção de pé e o espanhol sentia a fratura na costela. “Ele vai querer muito ganhar de mim e vamos ver o que acontece com os dois saudáveis”, avaliou. Sua tática para quarta-feira? A mais simples possível: “Tenho que ser agressivo o tempo todo. Isso é até mais fácil porque é uma tática única, não há mais no que pensar. Claro que terei de jogar num nível muito alto e será um alívio poder enfim jogar livre. Em todos os jogos até agora, fui o favorito”.

Ele que se prepare, porque Nadal mostrou mais evolução na vitória sobre o holandês Botic van Zandschulp. Até abrir 5/2 no terceiro set, havia errado apenas dez bolas e fazia perfeitas transições à rede. O primeiro set foi impecável e talvez seja o nível que o espanhol espera sustentar nas rodadas decisivas.

Depois, o primeiro saque caiu muito – apenas 48% de acerto no segundo set – e isso o obrigou a trocar mais bolas. Ainda assim era muito superior ao holandês. Podia ter evitado o aperto do final de jogo, já que sacou com 5/3, e errou longe um backhand quando sacou com match-point no tiebreak. Porém, não correu qualquer risco real.

Apesar de tantas surpresas desde torneio, não se pode esperar tarefa fácil na reta final de um Grand Slam. Se passar pela promessa ofensiva de Fritz, é bem possível que reencontre o imprevisível Nick Kyrgios e a final mais lógica seria diante do hexacampeão Novak Djokovic. Há muito trabalho pela frente.

Jogo a jogo
Kyrgios sofre de novo
– O australiano Nick Kyrgios superou um dia instável e dor no ombro para vencer sua quinta partida em cinco sets em Wimbledon. Brandon Nakashima impôs inesperada resistência e ganhou muitos elogios do australiano. “Sempre que pisei na Central, eu era a zebra. Hoje, pela primeira vez, fui o favorito e isso se tornou completamente diferente. Foi um inferno jogar com ele”. Kyrgios gostou muito de sua postura emocional, ao lidar bem com os erros e as limitações, afirmando que está de bem com a vida e foi a Londres para erguer o troféu.

Garin espetacular – Para quem não se lembra, o chileno Cristian Garin era o adversário de estreia de Matteo Berrettini. Deu considerável sorte e agora está em inéditas quartas de Slam, ainda por cima na grama. O duelo contra Alex de Minaur tirou o fôlego. O australiano abriu 2 a 0, perdeu inúmeras chances e teve até dois match-points, porém Garin jamais se entregou na batalha de 4h34. Louvável a mudança tática, com bolas mais forçadas e tentativas junto à rede. Ele é o quarto chileno nas quartas de Wimbledon, depois de Luis Ayala, Ricardo Acuña e Fernando González.

Halep rumo ao bi – A romena Simona Halep voltou à Central depois de três anos, justamente no jogo de seu título de 2019, e fez gato e sapato de Paula Badosa. Quando precisou ser consistente, sobrou. Na hora de definir pontos, estava precisa. É exatamente a receita para encarar a debutante Amanda Anisimova, que chega pela segunda vez nas quartas de um Slam, a primeira na grama. Também em 2019, quando tinha 17 anos, Anisimova surpreendeu com a campanha no saibro de Roland Garros, mas contusões e problemas pessoais atrasaram seu amadurecimento.

Rybakina invicta – A outra vaga para a semi estará entre Elena Rybakina e Ajla Tomljanovic. A cazaque de 23 anos também fez suas primeiras quartas de Slam no saibro de Paris. Ainda não perdeu set nesta campanha, com atuações firmes diante de Coco Vandeweghe e Bianca Andreescu, e contou que ainda sente sequelas da covid que pegou em janeiro. A australiana repete a campanha do ano passado com virada em cima de Alizé Cornet sempre no estilo ofensivo.


Comentários
  1. Rodrigo S. Cruz

    Caraca.

    Esses tenistas se queimam demais.

    Primeiro o Zverev acusado de agredir a namorada, e agora o Kyrgios.

    Gosto muito dele, mas não dá pra passar pano para isso.

    Que vergonha…

    1. Luiz Henrique

      Fica esperto mano…anda com gravador e cuidado com quem vc se envolve
      Hoje em dia qualquer uma que invocar com vc pode inventar uma falsa acusação

      1. Paulo H

        E o timing dessa notícia? Justamente nas quartas de final de Wimbledon?
        Óbvio que se as agressões aconteceram mesmo, não tem bem que se discutir sobre timing. Mas, se não ocorreram, Muito estranho.

  2. Hemerson

    O funil está estreitando. Gente boa já ficou de fora. As boas noticias foram Sinner, Fritz, Garin e alguns outros que são vistos com reserva como Norrie e Kirgyios por motivos diferentes.
    Djoko fazendo a parte apesar do susto de hoje e Nadal amanhã terá a chance de derrubar aquele que impediu o empate nos Masters 1000…é só segurar os tiros e domar o bicho. Tarefa dificil mas Nadal poderá conseguir
    No feminino Ons e Halep estão “quase ali”.
    A virada do Djoko hoje é mais um exemplo : GS é outra conversa!!!!

  3. Luis

    Djokovic de novo foi se “olhar no espelho” no banheiro depois de perder os 2 primeiros sets de um GS e voltou rasgando. Sei que muitos não vão gostar dessa minha crítica, mas não consigo parar de achar estranho. No mínimo desrespeitoso com o adversário esse comportamento, já que deveria parar o jogo somente se estivesse machucado. Propositalmente tira o momento e esfria o adversário.
    Mas mais do que isso, tem algo de diferente que ele faz no banheiro que traz muito foco e melhora muito o desempenho, já que é a única pessoa que consegue essa façanha de virar o super homem imbatível todas as vezes que volta do banheiro. Consistência de 100% nos resultados. Já esta na hora da ATP rever essa regra ou botar uma câmera dentro do lavabo kkkk

    1. Carlo V. W.

      Minha avò falava muito para eu tomar cuidado, que alguŕm poderia colocar “bolinha” na minha bebida.

      Vc acha que ele eatar info pra dentro do veatiàrio tomar bolinha tambèm?

      : – ?

  4. Gustavo

    E o cara falando nos comentários no tenisbrasil que tenista tem q casar cedo e com mulher submissa kkkkkk

  5. Maurício Luís *

    Com essa agora da namorada, o “cardápio” do Kyrgios está completo. Já não lhe falta mais nadica de nothijg. Como dizia o Odorico Paraguassu, ele fez ” tudo em matéria de principalmente” nos quesitos PCC: polêmica, confusão e controvérsia.🤔👀💣💥💥

  6. Jonas

    Djoko é um monstro… O cara é 14, 15 anos mais velho que a molecada e continua dando aula.

    Penso que essa briga pelos Grand Slams vai longe. Ele não vai sossegar enquanto não passar o Federer e o Nadal. Além disso, o espanhol deve jogar em alto nível por mais algumas temporadas.

    Sobre Kyrgios, o cara continua agindo como um marginal em quadra, esses dias até andou cuspindo em um torcedor e tem gente que passa pano. Ele joga muito, reconheço, mas não acho q vai derrotar o Nadal em uma eventual SF.

  7. Paulo F.

    Dalcim, antes qye acabe o jogo:
    – Acreditas que que Norrie ou Goffin poderão dar mais trabalho ao Djokovic do que Sinner?
    Eu acho que bem menos.

    1. José Nilton Dalcim

      Muito difícil mesmo, mas veja que Djokovic teve um perigoso momento de baixa hoje. Então sempre é bom ter cautela.

  8. Paulo Almeida

    Que MONSTRO é esse DjokoGOAT!!! MAIS vez saindo de um buraco ENORME diante de um adversário que jogou um tênis absurdo e 15 anos mais novo.

    Chorem muito hoje (sangue), secadores/sofredore!s que já estavam prontos para virem aqui despejar as groselhas costumeiras, hahaha!!!

    O REI DA GRAMA segue!!!

  9. Luiz Fernando

    Goffin vai vencendo o magistral Norrie por 21, ano passado aprendi aqui q vencer o britânico credencia qualquer um ao título, Djoko deve estar tremendo medo…

  10. Rafael Azevedo

    Ê Djokão…aprontou mais uma!
    Ansioso para ver o texto do Ronildo com as desculpas mais mirabolantes possíveis!

  11. Luiz Fernando

    Sinner foi agressivo, teve um excelente BH, serviu bem e… mesmo assim perdeu. Difícil imaginar alguém jogando nesse nível contra o Djoko, vencer então, 21 bem encaminhado…

  12. Luiz Fernando

    Quarto set semelhante ao terceiro, com Djoko dominando as ações. Sinner ainda escapou de uma torção q terminaria o jg, mas suas feições me pareceram denotar alguma dor. Se for o caso, partida resolvida, se não for, Djoko ainda favorito…

  13. Luiz Fernando

    GS é duro, permite recuperações. Djoko subiu o nível, apenas 3 Enf, Sinner caiu um pouco, vamos pro quarto set…

  14. Carlo V. W.

    A contusao do Kirgios pode dar uma semi inedita para o Sr. GARIN.

    Caso o jogo se alongue, apostaria num abandono do Kirgios

  15. Carlo V. W.

    Mais ou menos o retrato do q ue deve esperar Fritz amanhâ:
    – Nesse momento està 2 x 0 Siner, mas 4×1 Djojo no terceiro set.

    Esse 2 x 0 do Siner è uma boa vantagem, mas pode significar absolutamente nada, contra Nafal ou Djokovic em partidas de 5 sets.

  16. Luiz Fernando

    Incrível performance do Sinner, em especial após sair de 0-30 no último game. Não fraquejou, fazia tempo q não via o Djoko c cara de nadegas, perdido. Terceiro set começando, nada decidido ainda…

    1. Luiz Henrique

      Caro LF, concordo com todas as suas opiniões sobre Kyrgios
      Mas sobre esse caso em particular, não, pq hoje em dia o que mais tem é falsa acusação
      Então não dá pra saber

  17. Luiz Fernando

    Sinner entrou respeitando o Djoko e querendo trocar bolas no fundo da quadra, resultado: perdia por 41 e por pouco não foi quebrado e indo p 51. Apos o susto, passou a ser mais agressivo e virou o set, incrível reação. O detalhe é q precisa manter o alto nível de jg e agressividade por ao menos mais 2 sets. Será q consegue?

  18. Miguel BsB

    Dalcim, você que acompanhou mais de perto, quem você acha que tem/tinha piores atitudes em quadra? Connors, McEnroe ou Kyrgios?
    (Em termos de conquistas, não há nem comparação entre os americanos e o Aussie).

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que poucos foram mais odiados que o Connors, e aí estou incluindo seus adversários. Ele era ácido, desrespeitoso, arrogante. Em sua excelente autobiografia, ele reconhece os muitos erros que cometeu. Então eu acho que no geral ele foi ainda mais terrível que o Kyrgios.

      1. Valmir da Silva Batista

        POUCO DEPOIS SURGIRAM Sampras e Agassi, para honrarem, com sobras, o sentido de moral dos americanos, cuja soberba imperialista lhes é algo característico, parece que sobretudo nos esportistas há este sentimento, salvo um ou outro boa praça, a exemplo dos que acima citei. Nesse cenário de pura arrogância americana, além do próprio Connors, que jogava muita bola, temos os também tenistas James Blake, Lindsay Davenport e Venus Williams, além dos pugilistas Cassius Clay e Mike Tyson, do jogador de basquete Dennis Rodman, da praticante de luta livre Ronda Rousey e de uma porrada de jogadores de futebol americano. Não quero parecer xenófobo, mas americano é foda. Mas, voltando a falar de tênis, há tempos não surge um estadunidense que preste, e até ouso afirmar que os últimos a jogarem bola pra caralho foram os mesmos Pete Sampras e Andre Agassi, já que não se pode dizer que Andy Roddick era um craque, tratava-se, isto sim, de um tenista apenas mediano…

      2. Miguel BsB

        Obrigado pela resposta. O Agassi em sua biografia também fala muito mal das atitudes do Connors…

  19. Luiz Fernando

    Como essa espn é sem vergonha, enquanto nela está num bla bla bla no sportv 3 está passando a primeira partida de quartas do feminino. Gente oportunista!!!

  20. Luiz Fernando

    Essa semana estamos diante de um episódio recorrente no blog, a indignação seletiva kkk, ou seja, qualquer coisa q o adversário faz é deplorável, como pex não tomar uma vacina, mas o q os meus queridinhos fazem, inclusive cuspir nos torcedores, passa em branco. Fico me perguntando, qual a razão disso? Não criar encrenca com os sofridos amiguinhos ou personalidade fraca? Creio q ambos…

    1. Gustavo

      Fora aqueles federistas que não gostam do estilo de jogo do Sinner mas como está jogando contra o Djoko, viram a casaca. O que prova que não é do estilo de jogo do Djoko de que eles não gostam. É do Djoko em si. Mas falar que odeia o Djoko não pode. Mas qdo vc por ex foi sincero e disse que odeia o RF, tem gente que tem chilique

  21. Rhenan Zimermann

    Se ambos os favoritos confirmarem seus jogos de QF’s, acredito que somente uma hecatombe para os cabeças 1 e 2 não realizem a esperada final. Se fosse obrigado a apostar contra qualquer um dos dois nas próximas duas rodadas, sem dúvidas o farianestes jogos de QF 😂😂😂 Djoko passando pelo Sinner, enfrentará um Goffin ou Norrie que, em condições normais, não possuem volume de jogo suficiente para lhe vencer. Nadal passando pelo Fritz, também não vejo enfrentando problemas contra Garin ou Kyrgios. Este último, não pela qualidade de seu jogo, mas ao que me parece, pelo esgotamento físico que já começa a apresentar… A conferir!

  22. Carlo V. W.

    Fritz, se a lògica prevalever, serà o adversàrio mais difìcil de Nadal ate o momento.

    Para Frtiz vencer Nadal, a confiança precisa estar nas alturas, antes de qualquer tàtica. E parece isso jà està arranjado.

    Mas jà vumos esse filme antes: ser agressuvo contra o Nafal tambèm significa ser suicida e a tàtica precisarà funcionar por no mìnimo 5 sets, ou nao funcionarà.

    Nadal è favorito e Fritz zebra. Para quem aposta no Kyrgios contra Nadal, parece mais uma vontade do que um pensamento lògico.

    Djokovic, atè o momento, segue favorito absoluto ao tìtulo. Nadal segue maior candidato a “zebra”.

    Caso Nadal nao chegue a final, Fritz ou talvez Kyrgios.serao tao favoritos quanto Casper Ruud foi em RG.

    “WiM 2022 serà lembrando como xenofóbico”. E tambèm cafè com leite, por nao dar pontos. Ou seja, um torneio com a cara do Djovovic.

  23. Rafael Azevedo

    Cada vez mais perto o Djodal na final de Wimbledon. Estou torcendo muito por essa partida. Seria épico!

  24. Rodrigo S. Cruz

    Grande Kyrgios! Dominou o 5° set hoje.

    Mais uma passo rumo ao grande e aguardado encontro com o Touro Miúra!

    E que desta vez, você consiga vencer o 2° melhor tenista de todos os tempos…

    Número 1 é o craque suíço.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Mas, Paulo.

        Olha quanto tempo o Federer está sem competir, meu jovem.

        Tenha um tiquinho de honestidade intelectual, para variar. Não custa…

    1. Barocos

      Rodrigo,

      O GOAT, atualmente, é o espanhol, por quê?
      ————————
      Nadal x Federer:
      + Maior nº de títulos de Slam, 22 > 20;
      + Maior nº de títulos de Master 1000, 36 > 28;
      + Medalha de ouro Olímpica, 1 > 0;
      – Finals, 0 16;
      – Semanas como nº 1, 209 < 310;
      – Nº de títulos ATP, 92 81,98;
      => Placar: 5 x 3.
      ———————–

      ————————-
      Nadal x Djokovic:
      + Maior nº de títulos de Slam, 22 > 20;
      – Menor nº de títulos de Master 1000, 36 0;
      – Finals, 0 < 5;
      – Confronto direto, 29 < 30;
      – Semanas como nº 1, 209 87;
      + % de vitórias, 83,31 > 83,13;
      => Placar 4 x 4, critério de desempate -> títulos de Slam
      ———————————————————————————

      —————————
      Djokovic x Federer:
      . Empate me nº de títulos de Slam, 20 = 20;
      + Menor nº de títulos de Master 1000, 38 > 28;
      . Medalha de ouro Olímpica, 0 = 0;
      – Finals, 5 23;
      + Semanas como nº 1, 373 > 310;
      – Nº de títulos ATP, 87 81,98;
      => Placar 4 x 2
      ———————

      Quando minhas meninas ensaiavam fazer pirraça, quando pequeninas, eu disparava: “Pode chorar a vontade!”. Está valendo.

      Saúde e paz.

      1. Barocos

        Rodrigo,

        O GOAT, atualmente, é o espanhol, por quê?
        ————————
        Nadal x Federer:
        + Maior nº de títulos de Slam, 22 x 20;
        + Maior nº de títulos de Master 1000, 36 x 28;
        + Medalha de ouro Olímpica, 1 x 0;
        – Finals, 0 x 6;
        + Confronto direto, 24 x 16;
        – Semanas como nº 1, 209 x 310;
        – Nº de títulos ATP, 92 x 103;
        + % de vitórias, 83,31 x 81,98;
        => Placar: 5 x 3.
        ———————–

        ————————-
        Nadal x Djokovic:
        + Maior nº de títulos de Slam, 22 x 20;
        – Menor nº de títulos de Master 1000, 36 x 38;
        + Medalha de ouro Olímpica, 1 x 0;
        – Finals, 0 x 5;
        – Confronto direto, 29 x 30;
        – Semanas como nº 1, 209 x 373;
        + Nº de títulos ATP, 92 x 87;
        + % de vitórias, 83,31 x 83,13;
        => Placar 4 x 4, critério de desempate – títulos de Slam
        ———————————————————————————

        —————————
        Djokovic x Federer:
        . Empate me nº de títulos de Slam, 20 = 20;
        + Menor nº de títulos de Master 1000, 38 x 28;
        . Medalha de ouro Olímpica, 0 = 0;
        – Finals, 5 x 6;
        + Confronto direto, 27 x 23;
        + Semanas como nº 1, 373 x 310;
        – Nº de títulos ATP, 87 x 103;
        + % de vitórias, 83,13 x 81,98;
        => Placar 4 x 2
        ———————

        Quando minhas meninas ensaiavam fazer pirraça, quando pequeninas, eu disparava: “Pode chorar a vontade!”. Está valendo.

        Saúde e paz.

        Obs.: O filtro de importação precisa de ajustes para lidar com “\”.

  25. Kane

    Nadal não parece ter chances contra Kyrgios ou Djokovic na grama. Jogo muito vulnerável. Se pegar um cara que bate forte e reto, irá sofrer muito.
    Chamou atenção a comemoração dele ao fechar o jogo num erro de smash do holandes. Seu jogo fica ainda menos vistoso na grama.

    1. Carlo V. W.

      Sem tirar o mèrito do Fritz, mas um com uma torçao e o outro com uma frarura. Vc tem certeza do que esta afirmando?

  26. Sérgio Ribeiro

    Bem , está tudo caminhando pra Novak e Nadal precisando bater 2 da nova geração pra chegar a FINAL . Embora Kyrgios já tenha mais de 25 , portanto fora desta . Mas Taylor Fritz não tem nada a perder assim como JANNIK SINNER. Caso passe o Sérvio chega lá. Já Nadal precisará um algo mais contra o Australiano. Tão maluco que pareceu estar novamente lesionado e falou que pensa em Título rsrs . Fisicamente Hallep deu um Up com Mouratoglou. Abs!

  27. Daniel C

    Olha, o estilo de jogo do Fritz representa um belo de um perigo para o Nadal, numa quadra de grama. Gosto do americano, mas é melhor o espanhol levar e chegar à final, pois é um dos poucos que não treme para o sérvio chiliquento. Fora que seria lindo ver ele abrindo ainda mais distância dos GS para o “GOAT” (paraguaio)

    E o Norrie é outro que está comendo pelas beiradas e tem um estilo que a grama acaba potencializando, é um jogador bem perigoso.

    Sobre o Sinner, se jogar no nível que jogou contra o Alcaraz, tem boas chances. Resta ver se não vai se intimidar como a grande maioria dos Next Gen nos últimos anos. Fica a torcida pra ele fazer a dedetização. Não dá pra só depender do Nadal ou das autoridades australianas kkkkkk.

    No feminino irei torcer para a Halep, agora que a Iga saiu. E que vacilo da polonesa, realmente não jogou NADA contra a Cornet. Hoje ficou claro que não é a francesa que vive um bom momento.

    1. Paulo Almeida

      Que legal que admitiu que o Fregueser treme pro Craque Djoko.

      Outra coisa bacana é que nem precisaram chamar o Hurkacz pra dedetizar o torneio nesse ano, mas provavelmente alguém terá que fazer uma última em 2023. 😃😃😃

    2. JAN DIAS

      NORRIE joga muito bem na grama, mas tem um grande problema: ele não tem sangue nos olhos! 🔥
      E pra ganhar do NADAL ou do DJOKO com essa fleuma britânica gelada não dá….

  28. Bruno

    Djoko é quem apresentou o melhor tênis até o momento, mas o espanhol aumentou muito seu nível nas duas últimas rodadas, além de estar demonstrando um foco e vontade muito animadores. Se ambos seguirem confirmando o favoritismo têm tudo para fazer uma grande final. É inegável que o sérvio é quem tem o melhor jogo para a grama, mas se tem algo que aprendi nesses anos todos acompanhando o Nadal é que ele não precisa ser o melhor jogador em quadra para vencer um duelo – às vezes consegue ganhar simplesmente porque quer mais do que o seu adversário (muito embora, em se tratando de Nole, isso seja ainda mais difícil, já que é outro gigante no campo mental).

  29. rafael

    Acho que veremos Nadal x Kyrgios e Djoko x Gofin, mesmo achando que o Fritz pode aprontar. Bom palipte, mestre?

  30. Maurício Luís *

    O Kyrgios e seu comportamento “exemplar só que não”. Briga com juiz de linha. De cadeira também. Irrita o adversário. Manda chamar supervisor, advogado… Cospe em direção ao torcedor. Entrega jogo.
    Nessa toada, está fazendo o John McEnroe e o Jimmy Connors ficarem parecendo a Madre Tereza de Calcutá e a Irmã Dulce.
    Ele diz que o estádio está sempre cheio pra vê-lo. Pois eu acho que muitos vão pra ver o que é que ele vai aprontar DESTA VEZ. Daquele tipo de torcedor que gosta é de ver o circo pegar fogo.
    N A D A L – E lá vem o baloeiro. O pé problemático não o impede de meter o dito cujo no traseiro dos adversários.

    1. Maurício Luís *

      Ah, ia me esquecendo. Quando ele consegue a “proeza” de não fazer nada disso, o Kyrgios se contunde.

  31. Alexandre

    Dalcim,
    Fritz ou kyrgios, qual vc acha que causa mais problemas para o Nadal na grama? Vc acha que esses dois tiram sets do Miúra?
    Abraços

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que os dois podem e devem tirar set, sim, Alexandre. Kyrgios tem mais jogo, porém cada vez menos físico.

  32. Rafael Azevedo

    Fritz e Norrie estão comendo pela beirada. Sem alarde. Mas, estão vencendo muitas partidas em sets diretos. Estão passando por cima dos adversários.
    Acho que será uma grade quartas de finais!

  33. Rodrigues

    Dalcim

    Já estive várias vezes em Paris e New York para assistir os Grand Slam de tênis e, em nenhuma vez, tive problemas para comprar ingresso. Algumas vezes comprava pelo site do eevento, outras, comprava na bilheteria de entrada.
    Mas Wimbledon é outra estória…
    Para conseguir ingresso no preço normal (em torno de 40 libras), é necessario, em torno de um ano antes, se inscrever no site oficial, preencher uma papelada com dados particulares e outras informações que eles acham relevantes, e esperar até dezembro, quando eles te enviarão um email dizendo que você foi aceito, e se ainda está disposto a participar do “ballot” (significa que, se aceitar, seu nome participará de um sorteio e, se for sorteado, receberá autorização para comprar até 4 ingressos (se não me engano), para um dia aleatório, pode ser primeira, segunda rodada, semifinal ou até ifinal…
    Depois disso, voce paga e então receberá, via correio e email, seus ingressos sorteados. Isso acontece lá pelo meio de abril…
    Tentei por 3 vezes e, acreditem! Na quarta vez fui sorteado com dois ingressos para os dias de quartas de final masculina!
    Comecei a preparar minha viagem (hotel, voo, etc.) e fui embora, realizar o meu sonho.
    Londres tem umas lojas onde se pode comprar ingressos para qualquer evento, inclusive Wimbledon . Fui numa dessas para comprar ingressos para um teatro e perguntei, só por curiosidade, se eles vendiam tickets para Wimbledon e quanto era. Disseram que sim e o valor era 1800 libras. Quando souberam que eu tinha dois ingressos para as quartas de final, quizeram comprar os dois por 3.000 libras (quantia que pagava a minha viagem). Ia ter um lucro de 2.920 libras!
    A partir dessa primeira vez, todo ano, quando chega novembro, dezembro, eles me enviam um email me oferecendo para participar novamente do “ballot”, mas as coisas estão muito caras e cada ano fica mais difícil…

    1. José Nilton Dalcim

      Esse sistema de sorteio é feito há um século, Rodrigues, é mesmo bem difícil conseguir. Você teve sorte, parabéns!

      1. SANDRO

        Acho que, nas entrelinhas, ele deu a entender que vendeu…
        Huuummm… Mediante ao lucro, eu venderia e acompanharia as partidas pelo telão… E com a grana, aproveitaria as noites londrinas…

        1. Luiz Fabriciano

          Nas entrelinhas disse que não vendeu, pois está escrito “ia ter um lucro de…”
          Foi realizar o sonho de ver o jogo de dentro do estádio.

    1. Valmir da Silva Batista

      BRUNO, aqui neste espaço a maioria tem esse tipo de precipitação e falta de discernimento. Há cerca de um mês, quiçá um pouco mais, o próprio DALCIM se referiu ao tenista chileno com a expressão “o fraco Garin”. Concordo que o mesmo não é um primor jogando bola, mas creio ser exagerado o adjetivo em questão atribuído a quem, em 2021, chegou a 17° do ranking e tem boa sequência e regularidade no circuito, haja vista agora mesmo estar nas quartas de final do Slam mais complexo dos quatro. Enfim, o que quero dizer é que você tem razão, ao afirmar que é provável que a ejaculação precoce de muitos pode aludir a Cristian Garin como um tenista brilhante, bem como também tenho razão, ao detonar seus ansiosos detratores…

      1. Luiz Fabriciano

        Duas coisas mesmo recorrentes.
        Garin não é melhor que Gonzales – mas pode vir a ser…
        Qualquer brilho, mesmo que pequeno, é considerado um fenômeno e a precipitação explode.
        Meses atrás, dois jogadores iniciantes venceram dois torneios pequenos no saibro, respectivamente. Um argentino Baez e outro que esqueci o nome.
        Foram apontados como promessas reais. De lá para cá, não sei se já caíram desse status, mas, não dou notícias de nenhum dos dois.

Comentários fechados.