Swiatek e Bia Haddad são as expectivas
Por José Nilton Dalcim
26 de junho de 2022 às 10:41

Mesmo sem ter jogado qualquer partida preparatória e apesar de seu parco histórico na grama, Iga Swiatek terá novamente todos os holofotes da chave feminina de Wimbledon. A polonesa tem se mostrado tão superior às adversárias no piso duro e no saibro que restam poucos argumentos às demais concorrentes.

Campeãs como Petra Kvitova e Simona Halep, a versátil Ons Jabeur e a embaladíssima Beatriz Haddad Maia se mostraram as adversárias de maior gabarito. ao menos antes de a primeira bola ser lançada ao ar no All England Club. Gente de ranking alto, como Paula Badosa, Maria Sakkari e Garbiñe Muguruza, estiveram abaixo da crítica. Anett Kontaveit, Danielle Collins e Jessica Pegula optaram por ir direto a Wimbledon.

Swiatek tem mostrado grande trabalho de pernas e força nos golpes, com especial dedicação às devoluções agressivas. Isso já é mais do que suficiente para competir bem na grama, ainda que não assustará se ela encontrar certa dificuldade nas primeiras rodadas. Jabeur tem muito menos força, mas os slices lhe garantem versatilidade necessária no piso. Kvitova possui o jogo perfeito para a grama, ainda que se mexa um pouco pior, e é talvez nesse mesmo padrão que devamos encaixar Bia, que fica um ou dois passos atrás por sua menor experiência. Halep é o tipo de jogadora que consegue fazer de tudo e só tem deficiência a explorar quando precisa jogar muito com o segundo saque.

Em sua segunda participação no torneio, tendo sido oitavas em 2021, a líder disparada do ranking pode ter algum trabalho com Yulia Putintseva antes de oitavas mais quentes diante de Jil Teichmann ou Barbora Krejcikova. A maior candidata a sua adversária nas quartas é Jessica Pegula.

Halep e Kvitova ficaram no forte segundo quadrante, podem duelar já nas oitavas e portanto uma delas tende a cruzar com Iga na penúltima rodada. Nesse setor, ficaram também Serena Williams, a atual vice Karolina Pliskova e as jovens Cori Gauff e Amanda Anisimova. Se já era difícil para Serena voltar depois de um ano, a tarefa fica hercúlea numa chave desse quilate. Mas pode ao menos chegar na terceira rodada e não seria impossível bater Pliskova.

O lado inferior da chave coloca Ons Jabeur e Maria Sakkari com maior favoritismo do que Anett Kontaveit e Danielle Collins entre as tenistas de nível top 10, e ali também ficou a estrela da casa Emma Raducanu, que estreia nesta segunda-feira contra a perigosa Alison van Uytvanck. A tunisiana tem Kaia Kanepi e Angelique Kerber antes de chegar em Collins, Raducanu, Madison Keys ou Alison Riske.

O que nos interessa muito, claro, é o quarto quadrante da chave. Bia tem uma estreia perigosa contra a jovem Kaja Juvan, a quem venceu duas vezes mas a eslovena fez terceira rodada em Wimbledon no ano passado com vitória sobre Belinda Bencic, a mesma habilidosa suíça que poderá ser a terceira adversária da canhota brasileira. Bencic se contundiu na final de Berlim há uma semana e ganhou o único duelo contra Bia em janeiro.

Dá facilmente para acreditar nas chances de Bia chegar nas oitavas, o que seria então o maior resultado nacional em Wimbledon desde André Sá (2002) e das meninas desde Maria Esther (1976). E aí o caminho parece aberto, porque não dá para apostar em Kontaveit e pode aparecer Anhelina Kalinina ou Lesia Tsurenko. Por fim, Maria Sakkari e Jelena Ostapenko devem brigar pela vaga e, evidentemente, a torcida seria por Sakkari reencontrar Bia. A brasileira foi muito elogiada por Kvitova depois da revanche que a tcheca conseguiu em atuação impecável na semi de Eastbourne, onde depois faturou o título.

Laura Pigossi enfim jogará seu primeiro Slam. Começa contra a eslovaca Kristina Kucova, de 32 anos e atual 90 do mundo e, se surpreender, enfrentará Shelby Rogers ou Petra Martic. A paulistana de 27 anos é atual 124 do mundo. O Brasil não tinha duas tenistas na chave principal desde 1988, com Patrícia Medrado e Gisele Miró.

E mais

  • Os campeões da 135ª edição do The Championships, a 54ª da Era Profissional, embolsarão 2 milhões de libras. Quem perde na primeira rodada já leva 50 mil, nada desprezíveis R$ 320 mil.
  • Este será o primeiro Slam desde o Australian Open de 1999 sem os dois líderes do ranking. Isso nunca aconteceu em Wimbledon desde o uso do ranking, a partir de 1974.
  • Se vencer sua estreia nesta segunda-feira, Djokovic se tornará o único tenista, homem ou mulher, com ao menos 80 vitórias em cada Slam. Ele tem 79 em Wimbledon, 85 em Paris, 82 na Austrália e 81 nos EUA.
  • Aos 36 anos e 34 dias, Nadal concorre a ser o mais velho campeão profissional de Wimbledon, marca que pertence a Federer, com 35 anos e 342 dias. E iguala feitos de Laver (1969) e Djokovic (2021) de erguer os três primeiros troféus de Slam de uma temporada.
  • Ao disputar seu 20º Wimbledon, Feli López repete Connors e atinge os mesmos 81 Slam de Federer, que jogou 22 vezes no Club. Aos 40 anos e 293 dias, López também é o mais velho a jogar desde Fraser, em 1975, aos 41.
  • O último tenista a ganhar Wimbledon na primeira participação foi Dick Savitt, em 1951.
  • Apenas quatro campeões juvenis chegaram ao título principal masculino (Borg, Cash, Edberg e Federer) e três no feminino (Hingis, Mauresmo e Barty).
  • Com 365, Serena está apenas a quatro vitórias do recorde absoluto de Slam de Federer. E faltam dois para fazer contagem centenária em Wimbledon.
  • Rafael Matos chegou a seu quarto ATP, o mesmo número de Marcelo Demoliner, e é agora top 40, superando Marcelo Melo. A campanha na grama de Mallorca foi surpreendente. Ele e o espanhol Vega serão cabeças em Wimbledon, mais um marco na carreira do canhoto gaúcho de 26 anos.
  • Enquanto a chave masculina tem 5 campeões de Slam, três doa quais com título em Wimbledon (Djoko, Nadal e Murray), há 11 vencedoras de Slam na chave feminina, cinco delas com triunfo no Club (Halep, Kerber, Muguruza, Serena e Kvitova).
  • Cornet empata com Ai Sugiyama em Slam consecutivos, com 62.
  • Em 122 edições da chave feminina, apenas 11 países chegaram ao título. Entre eles, o Brasil de Maria Esther.

Comentários
  1. Sérgio Ribeiro

    Bem , ALCARAZ afirmou que nada mais sentia em relação a lesão , e que tentaria levar toda a sua agressividade ( 73 WINNERS e 32 Aces ) para a Grama Sagrada. E assim foi feito. Mas enfrentando um cara de 1.93 e que Saca muito , não dá pra vacilar e ele o fez . Muitas devoluções que deixaram a desejar e idem para o excesso de ENFS . Realmente o Alemão Struff não era o ideal pra primeira rodada. O cara foi tão agressivo quanto o Tourinho assassino. De todo modo aos 19 , escapou sabendo que vai precisar melhorar muito pra igualar a performance de Novak na mesma idade . Rafa parou na segunda rodada para Giles Müller, e o Sérvio para Mário Ancic ( filho de um Rei Mago rs ) na quarta rodada . Bia foi muito sincera na conferência pós jogo. Vale a pena dar uma conferida. Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Na segunda semana vira um Saibro Verde . Jura que até hoje não sabias , meu caro ? . O corte da GRAMA e as bolinhas maiores utilizadas pós padronização, diminuíram em muito a velocidade. A sensação que tenho e’ que vegetas por aqui neste fórum… rsrs. Abs!

        1. Paulo Almeida

          Não, mesmo porque o saibro não é terra de verdade e é bem mais lento do que a grama desgastada com a terra NATURAL aparecendo no fundo da quadra nas rodadas finais. Porém, a área do T continua bem conservada e não prejudica um grande saque. Saibro verde é conversa de terceirete.

          Você só acertou na parte que aprendeu com papai Saretta (e comigo por tabela) sobre a padronização. Ficou mais lento, mas ainda muito mais rápido do que saibro.

          Abs!

          1. Sérgio Ribeiro

            Aprender algo contigo , Piloto ? . Tu e Saretta , juntos , não dão um L.F.rs . Tem recadinho pra estas asneiras no outro Post . Abs!

  2. Evaldo Aparecido Moreira

    Boa noite
    Então…..
    “Se eu quiser algum dia alcançar objetivos maiores tenho que ser agressiva, e hoje eu não fui, deixei muito a desejar, e acho que isso é o que está mais doendo agora”
    Primeiro , parabéns pela temporada de grama, culminando com dois títulos 😊, e indo a semifinal , perdendo para Kvitova.
    Segundo, essa declaração pasmem Bia, se não me engano , e a 3 vez que vejo uma declaração dela, parecida com essa, até quando !?
    Cadê o plano B ?. Nessas horas , com adversária firme no saque, com devoluções agressivas e chamando a Bia para frente com curtas e depois drops!?
    Daí que, no segundo se achou , mas nem assim, aí pensei , e agora que Bia vai deslanchar na partida, nada 6×2 para a adversária , meu Deus , claro que tirando essa partida de hoje , Beatriz fez história , está no melhor ranking da carreira , e agora é se manter , sabe das adversárias top, mas reitero, Bia tem que ter o plano B para situações como essa de hoje e de outras que observei, vamos torcer 👍🏾👏🏾👏🏾
    Dalcim,
    Cansaço repentino , pressão extra , pelo que ela conquistou e/ou faltou o Plano B , no jogo de hoje?

  3. Ronildo

    Djokovic agora é 5 do ranking e vai cair mais. Estréia sofrida, perdendo um set para um tenista de baixo ranking. Vai sofrer mais ainda na próxima rodada, se não for eliminado.

  4. luis

    Fonkina tirou o Hurkacz e o Alcaraz esta penando para ganhar na grama. Chave do Djoko esta cada vez mais fácil. Periga ele chegar na final sem ter jogado nenhum jogo realmente desafiador.

  5. Roberto Rocha

    Infelizmente, eu já saBia…é só colocar tenista brasileiro na condição de favorito que a carruagem vira abóbora…
    Mas dou os parabéns à Bia pela belíssima temporada sobre esse piso tão desafiador.

  6. Luiz Fernando

    O primeiro grande adversário de Rafa numa suposta oitavas de final, Cilic, já perdeu, p o COVID…

    Bia, em quem depositávamos grandes esperanças, perdeu na quadra. Disputar um GS, infelizmente, envolve mais q técnica e físico. Além disso, o post do Dalcim já expunha q a adversária era perigosa…

    Alcaraz bateu na trave e de cara já jogou 5 sets. Embora alguns q se consideram sabichões discordem, os comentaristas profissionais sempre afirmam q não é bom p ninguém se desgastar física e mentalmente logo de cara…

    1. Sérgio Ribeiro

      Bom e’ abandonar o jogo duríssimo e fugir do quinto Set . Na boa , sabes nada “ sabichão “ diversão garantida kkkkkkkkkk. Abs!

  7. Paulo F.

    Para quem é o GOAT dos GOATS, o maior fenômeno da história do tênis, o Nadal 2.0, o Novilho Kryptoniano não fez uma partida um tanto quanto difícil contra o alemão?

  8. Ruy Machado

    Todo mundo fazendo previsões de confrontos e o adversário de Djokovic na SF, Hurkacz, rodou… Rsrsrs

  9. Luiz Fernando

    Se a chave do Djoko era tranquila depois de hj ficou ainda mais: Hurkacz já perdeu e o Alcaraz está lutando pela vida…

  10. Paulo Almeida

    Estreia horrorosa do Djoko: parecia que estava com um quilo de feijoada no bucho e flertou com o perigo de perder o terceiro set e se complicar na partida. No final, o saque entrou muito e ele se safou. Bora pra segunda rodada.

    1. Sérgio Ribeiro

      Treino e’ treino, jogo e’ jogo. Acredito que o Piloto não venha um dia de novo com papinho de exibição. Desde sempre foi assim , se jogasse isso contra Aliassime … Abs!

      1. Paulo Almeida

        Disputar e ganhar torneios oficiais preparatórios não é garantia de nada, assim como as exibições, como pudemos ver com a Bia e com o Hurkacz. Djoko confia que vai conseguir o ritmo certo na primeira semana de torneio, como quase sempre acontece. A única exceção recente foi em 2016, quando se deu mal contra o Querrey.

        Aí é que está: os principais cabeças só se enfrentam nas rodadas finais e o confronto com o FAA jamais teria acontecido de cara. Isso você tem que saber!

        Abs!

  11. Luiz Fernando

    Será q o Andujar vai perder essa chance? Em W quem vence o não menos magistral Norrie se credencia ao título, aprendi isso em 2021 com as terceiretes e essa constatação me marcou profundamente kkk…

  12. Alexandre

    Dalcim,
    Será que o Miura está com alguma carta na manga pra surpreender neste WB ou será que está indo como um franco atirador, esperando que alguma zebra aconteça com o Nole e os outros principais jogadores-sacadores de grama?
    Abraço.

    1. José Nilton Dalcim

      Eu não diria uma coisa, nem outra, Alexandre. Acho que não há muito como surpreender, embora eu não desconsidere a possibilidade de ele ir mais à rede para economizar forças. Também nunca o veria como franco atirador, já que em momentos de pressão ele certamente irá se fixar lá no fundo e tentará jogar no seu padrão mais habitual.

  13. Carlo V. WAGEN

    A quem vive exaltabdo a sogra de A ou B:
    – Amo a minha sogra, mãe da minha esposa e avó dos meus filhos. Mas casamento è acima de tudo escolha e para quem odeia a sogra, o divòrcio è sempre uma boa opção, acessìvel a todos. : – )

    DJOKOGÊNIO: Tenho visto muita gente extender a opção da “Besta Sérvia” (ou o contràrio, jà nao sei dizer… ) nao se vacinar se extende a “opçao dele” em nao ir aos Estados Unidos. Oras, nao se trata de uma opçao: ele està proibido de entrar como consequéncia a opcao dele em nao se vacinar. E tem mais: ele e o staff sabem que o ardiloso esquema que nao funcionou para entrar na Australia, o deixaria preso numa cela comum da imigraçao local dos EUA, pois là hà uma intolerabcia maior com este tipo de ardil, e que é melhor nao passar nenhum vexame a mais. Atè o Brasil possui tais resteicoes para outros tipos de vacinas e nem aqui vc entra, dependendo de onde vem e que acina deixou de tomar.

    Vale lembrar que como ele nao vai pontuar em três dos quatro GS do ano, e o calendàrio de MS1000 tambèm se reduz bastante, ainda è cedo, mas acho que ele vai acabar ficando fora do finals. E aì, alèm da piada pronta, a diversao è garantida: “Ele realmente merece a alcunha de Djokogênio”, pela estratègia “de gênio” bem montada.

    Para quem fica mostrando estatìsticas dele aos 18/19/20: as vezes (pelo tênis que jogou um dia, no passado) penso que o bastão estava em boas mãos com ele. Mas depois que vemos as pataquadas do “Ser” cada vez mais concluìmos que o cara è um bossal fora das quatro linhas. Lemvrando que enquanto o bastao esteve com os outros BIGs, nenhum deles (nem o Murray), entrgou o bastao de bandeja para o primeiro que acumulou pontos por aì… os outros BIGs sò foram destronados porque levaram p fìsico ao limite, e nao por crenças sem sentido algum.

    E viva o gênio das estratègias: alcunha “Djokogênio” : – D

    1. Carlo V W

      Ou e resumo: os outros três BIGs sempre honraram a alcunha de BIG.

      Fico em dùvida se o Sèrvio merece mesmo tal nome.

      1. Rafael Azevedo

        Para você, uma dúvida.

        Para mim, uma convicção:
        Ele merece, sim, a alcunha de Big! Ele é gigante tanto dentro quanto fora das quadras, assim como os outros dois.

    2. Maurício Luís *

      Claro que esse comentário da sogra foi pra mim. Diferentemente do que possa lhe parecer, minha sogra sempre me tratou como um filho e sempre nos demos bem. Acontece que como o Nadal raramente perde – não dá pra trolar com o jogo dele – então vamos zoando da sogra… é o jeito. A minha lê o que escrevo e ri. Leva muito + na esportiva do que a vossa conceituada pessoa. Abr.😎

  14. Marcelo F

    Dalcim, faço uma pergunta aleatória. Nada a ver com o momento, me desculpe. Mas gostaria de saber sua opinião. Quem foi melhor? Martina Hingis ou Venus Williams?

  15. Luiz Fernando

    W 2013: Rafa e Federer caem na mesma chave, ambos em excelente forma, o Dalcim publica uma matéria referente a isso com título “Grupo da Morte” e contrariando as expectativas ambos de fato “morreram” cedo, Rafa na primeira rodada e suíço na segunda. Resumo: essas chaves em GS são isso ou aquilo desde q a lógica prevaleça, o q nem sempre acontece. Djoko é o grande favorito? Creio q ninguém discute isso, mas ninguém vence na véspera…

    1. Sérgio Ribeiro

      Jura que ambos estavam em grande forma em 2013 ? . Começou a Temporada e Rafa já não foi ao AOPEN . Federer conseguiu vencer apenas Halle e perdeu até na Basiléia. Em RG , Nadal venceu de Ferrer . Este foi o ano da lesão do Suíço nas costas , daí começou o tal Cansadao e que não vence mais nem ATP 250 . Saberias quem fez essas ” previsões ” pra Temporada seguinte ???? rsrs.

      1. Sérgio Ribeiro

        Ps . Onde está o conhecido baba ovo com a Turma da Kombi e vice-versa depois de RG 2022 como era previsto ??? kkkkkkkkk. Abs!

      2. Valmir da Silva Batista

        SÉRGIO RIBEIRO, você esqueceu de um ( grande )detalhe: além de ter vencido Roland Garros em 2013, Rafael Nadal também levou o troféu do US Open no mesmo ano…

      3. Luiz Fernando

        É mesmo, vc deveria ter corrigido o Dalcim na época kkk. Pq será q ele usou este título? Pq estavam na chave dois dos principais candidatos ao título, Rafa num ano incrível e Federer q há 9 anos atrás deveria ser uma força no piso. Vc só posta abobrinha mesmo kkk. Abs!!!

        1. Sérgio Ribeiro

          Errado : Favoritismo não leva coisa alguma . Como és um comentarista apenas de resultados, não soube avaliar que Federer já tinha mostrado até em RG ( perdeu em Sets diretos pra Tsonga ) , que não estava nada bem . O fato de ser o Rei da Grama não quer dizer que iria levar. O Sabichão que afirmou que ele somente levaria a partir daí no máximo ATP 250 , é o eterno passador de recibos deste blog . O Sr Confuso kkkkkkkkkkk. Vulgo diversão garantida kkkkkkkk. Abs!

          1. Valmir da Silva Batista

            SÉRGIO RIBEIRO, aí a disputa é acirradíssima, praticamente há um empate técnico, afinal de contas, tem também o Ronildo Kournikova e a comediante Sandra na parada…

        1. Sérgio Ribeiro

          Voltastes sem ler os comentários. A eterna preguiça do caríssimo jonaser . O diversão garantida disse que AMBOS os Tenistas estavam em forma soberba em 2013 . O Suíço fez uma Temporada com apenas um título em Halle . Paro por aqui e se quiseres procure mais um recibo da figura alguns posts atrás… Abs!

  16. Ronildo

    Dalcim, acabei de ler a matéria sobre a Maria Esther Bueno e fiquei curioso: ela está entre as 5 maiores tenistas de todos os tempos? Ou ao menos entre as 10 maiores de todos os tempos?
    Porque os números de títulos são impressionantes.

    1. José Nilton Dalcim

      É possível que alguns a classifiquem entre as dez, Ronildo. Os números são espetaculares, mas em Slam ela tem a 13ª maior coleção. E fica sempre muito difícil misturar amador com profissional.

      1. André Aguiar

        Mas considerando-se somente a fase amadora (pré-WTA), além da Margaret Court, quem tem mais torneios de GS que a MEB?

  17. André Aguiar

    Ainda sobre o jogo Bia x Kvitova, agrupei as estatísticas de pontos de um modo diferente do que a ATP apresenta durante a transmissão.

    Bia Kvitova
    31 (43%) saque def. 29 (36%)
    12 (16%) winner + EF adv. 24 (30%)
    29 (40%) ENF adv. 19 (23%)
    1 (1%) devolução def. 9 (11%)
    73 Total de pontos 81

    Saque def. (saque definidor): inclui aces, erros forçados de devolução e devoluções curtas que proporcionam à sacadora executar um winner na 2a bola.
    Winner + EF adv. (winner + erro forçado da adversária): bola vencedora (que não toca na raquete da adversária) somados aos erros forçados da adversária (que seria um “winner que toca na raquete da adversária”), considerados apenas pontos em ralis. Não considera aces, EF por saque nem por devolução definidora, os quais são computados nos itens “saque def.” e “devolução def.”.
    ENF adv. (erro não forçado da adversária): Inclui erros NF em ralis, duplas faltas e erros na devolução de um 2° saque não forçado.
    Devolução def. (devolução definidora): winner ou que induz a um erro forçado na 2a bola da sacadora.
    Pode-se argumentar que devolução definidora, assim como saque definidor poderiam ser inseridos no item “winner + EF adv”. De fato poderiam. Porém, optei por destacar em separado os fundamentos do saque e da devolução. Na minha análise, não existem pontos contabilizados duas vezes. Diferentemente da ATP, que contabiliza o ace tanto no item “ace” quanto no “winner”.
    Interessante observar que, ao contrário do que foi dito por alguns comentaristas, durante e após o jogo, o aproveitamento de saque da Kvitova, embora tenha sido muito bom, não fez a diferença em relação ao da Bia, o qual foi até ligeiramente superior, se tomarmos o conceito de saque definidor, explicado acima. Se considerarmos que os ENF são, muitas vezes, tentativas malsucedidas de definir um ponto, vê-se que a Kvitova tomou sempre mais a iniciativa, mas praticamente acertou e errou quase a mesma quantidade de tentativas de definição.
    O que de fato fez a diferença em favor da tcheca foi a devolução definidora. Exatamente os 8 pontos a mais do total conquistado.

  18. Maurício Luís *

    Não é difícil perceber por que a grama é um piso tão pouco usado hoje em dia. Quais clubes tem condições de manter jardineiros especializados pra manter essa pastagem de luxo? Em países do terceiro mundo, então… Nem as quadras de saibro conseguem manter direito.

    ***** DE VOLTA PARA O FUTURO – PARTE … … ah, perdi as contas.******

    E Nadalzinho Jr, às vésperas de 2030, continua com suas perguntas embaraçosas.
    – Papai, a vovó Maria é muito velha?
    – Veeelha, ACHA?! Só porque ela foi colega de classe da Elizabeth II no Jardim da Infância e o pai dela a levava de carruagem pra escola, não quer dizer que seja velha, não. Aliás, no primeiro dia de aula ela nem queria ir. Porque era muito apegada ao seu pet de estimação.
    – Um gato, papai?
    – Não… um filhote de pássaro pterodáctilo. Precisa ver que gracinha!

  19. Bebeto

    Dalcim, dei uma olhada nos draws do challenger de Cali, Colombia, e vi q dois brasileiros entraram no quali (e ganharam a primeira rodada) como alternates. Eles nao participam das duplas. Então é comum jogadores viajarem pra nem terem certeza se vão jogar algum jogo? Ah, e outra pergunta: está circulando o video de um jogo de duplas feminino onde a sacadora acerta direto na adversária da rede. Pra surpresa da jogadora de rede, foi ponto da sacadora. E se essa jogadora de rede tivesse voleado a bola e matado o ponto? Eu imagino q seja ponto de quem saca. E fico me perguntando pq esses Kyrgios da vida nao fazem mais uso dessa estratégia maligna….

    1. José Nilton Dalcim

      Não é incomum, realmente alguns arriscam se estiverem bem perto de entrar ou souberem de algum ausente ou contundido. Quanto à dupla, sim o ponto é da sacadora caso a bola atinja a adversária antes de tocar o solo (o mesmo aconteceria com a adversária lá do fundo de quadra, mesmo que ela estivesse dois passos atrás da linha). E não, a adversária não pode volear porque a regra exige que a bola do saque quique no solo antes da primeira rebatida do oponente.

  20. Rodrigo S. Cruz

    E o Encosto chega como favorito nesse ESVAZIADO Wimbledon.

    Torneio que não conta a presença de tenistas russos como Medvedev, e nem de Zverev que se machucou.

    E além de tudo ainda pega uma chave ridícula kkkk

    Assim fica fácil, né farsante?

    Deve ganhar mais esse Slam para a alegria das Ultimetes… rs

        1. Gustavo

          Primeiro, não sou eu que disse isso.
          Segundo, vc fugiu na tangente. Vá lá jogar e veja se é tão fácil qdo vc disse

    1. Paulo F.

      Não muito distante, no último RG, Novak Djokovic pegou uma chave tenebrosa e tu não emitistes nenhuma opinião a respeito.
      Agora, se ele tem uma chave mais aberta, aí é macumbeiro, facilidade, chave ridícula e etc.
      Essas terceiretes…

  21. Hemerson

    Wimbledom está aí!!!
    Acho que a Serena não veio para dar vexame!
    Acho que a Iga não veio para dar vexame!
    Todos os olhos estarão nas duas.
    Mas a corrida não tem apenas duas rivais. Já vimos muitas vezes um favorito perder para uma surpresa que na próxima rodada perde para um fregues contumaz do favorito batido.
    Entre os marmanjos. Djokovic é o cara a ser batido. Quem poderá segurá-lo? O compatriota não, o grandão? Sem chances nenhuma. Alcaraz??? Terá aprendido com a derrota em RG e se mostrou mais cauteloso tirando de si o peso ora colocado? E Nadal??? Tem tantas chances de tropeçar no novo velho piso que será uma incógnita até pelo menos 3 partidas. Mas não acredito que esteja voltando se não for para pontuar alto e neste ano em particular o alto é ser campeão pois as libras ele já tem. 23° SLAM??
    Deixei a BIA para o final pois para ela, além da torcida pela brasilidade, temos uma real situação de competidora para a segunda semana. Vai Bia!! E que vença o melhor!!

  22. Sérgio Ribeiro

    Todos sabemos que o fato de se vencer um SLAM ainda como juvenil não quer dizer muito. Mas como Profissional Iga Swiatek fez Oitavas em Wimbledon 2021 . Com seu excepcional jogo de pernas e grande variação nos seu golpes agressivos , da’ pra botar a N 1 como uma das favoritas sem susto nesta edição, mesmo optando também em não jogar preparatórios imitando se ídolo Nadal. ALCARAZ afirma que não sente mais nada da lesão e está pronto pra levar seu jogo pra lá de agressivo para a GAMA SAGRADA . Vamos combinar que não dá pra crava-lo como um dos favoritos pois também não participou de preparatórios. Afirmou ao Eurosport que as exibições foram importantes no sentido da movimentação e acabar com a frustração de não ter podido ir a Queen’s. Boto fé que o garoto chegue a segunda semana . Esta é minha espectativa também pra Bia Haddad. Tudo e’ lógico a conferir. Abs!

  23. Miguel BsB

    “Os campeões da 135ª edição do The Championships, a 54ª da Era Profissional, embolsarão 2 mil libras…”
    Dalcim, pra mim e pra você 2 mil libras já é um bom dinheiro, mas acho que para os campeões de Wimbledon, é só um trocado rs

    Brincadeiras à parte, como é bom ver uma Brasileira citada entre as grandes favoritas e tenistas do mais alto ranking e resultados!
    Vamos Bia!

  24. Willian Rodrigues

    Belíssimo perceber o quanto a Bia Haddad vendeu caro essa derrota para Kivitova. A tcheca teve que jogar tudo o que sabe para derrotar nossa brasuca!
    Grandes expectativas para esse feminino de Wimbledon.
    Uma pecado que não haja pontuação…
    Mas, creio que ela manterá a boa fase no restante do ano.
    Quem sabe esse tão sonhado Top 20 não chega ainda esse ano, hein?

    1. Carlo W. I. M.

      Achei ela um pouco (levemente) mais cansada que o habitual nessa derrota (considerando “o novo habitual”).

      Se foi isso mesmo que ocorreu, a derrota veio em boa hora para ela recarregar as baterias um pouco antes de WIM.

      Afinal, se ela chegasse ao final em Eastbourne, seriam 3 semanas inteiras de jogos antes de começar WIM, 4 na hipotese dela chegar a segunda semana e 5 na ainda mais remota possibilidade dela chegar as meias finais.

      Ainda tem viagens, estadia, distancia da base, familia, etc. Tudo pesa…

      Jà muito ruim para qualquer atleta, imagine entao a ela que aparenemente mudou de patamar e nao possuia experiencia a este nivel tres semanas atràs.

      Portanto.. considero a derrota dela neutra/positiva, dado o contexto em que ocorreu (apenas uma opinião, sem qualquer embasamento, ok???)

      1. Willian Rodrigues

        Concordo plenamente com seu comentário.
        A mobilidade me pareceu mesmo levemente prejudicada, mas ainda assim, Bia fez um grande jogo. Devemos nos orgulhar…
        Como sempre se pode extrair algo positivo até mesmo de de uma derrota, penso que do ponto de vista psicológico, essa derrota agora tira aquele “peso” do relativo favoritismo diante de atletas com ranking próximo.
        Além da possibilidade de um breve descanso, conforme você mencionou.
        Sigo animado com as chances de uma boa campanha em solo britânico.
        E, se ela atingir ao menos uma terceira rodada, já será algo histórico e teremos razões de sobra para comemorar!
        Abs

        1. Carlo V. W.

          Mas nao deu. Mas tambem nao apaga a bela campanha na grama.

          Foi excelente! So desejamos o melhor a ela!

      2. Valmir da Silva Batista

        CARLO W. I. M., tentei ao máximo fingir que não li sua última pérola vernacular, que diz que “a derrota veio em boa hora”, numa alusão ridícula à partida entre Petra Kvitová e Bia Haddad, derrotada na semana passada pela tcheca. Isto me faz crer que, não fosse Petra ter vencido, você por certo postaria algo como “essa vitória da Bia veio num péssimo momento para ela”. Realmente, meu caro, suas considerações a respeito dos meandros do tênis, são de um senso de humor que nunca vi igual…

        1. Carlo W. V.

          O grande problema dos bordões é este:
          – Nós jamais nos esquecemos deles.

          Mas descobri que no teu caso há um agravante, pois toda vez que passo por um comentário teu, além de me lembrar do bordao, agora me vêm a cabeça a figura do personagem, e não consigo mais dissociar os comentários do personagem e teu nome da fisionomia:
          https://tvefamosos.uol.com.br/colunas/flavio-ricco/2017/08/23/eliezer-motta-da-antiga-escolinha-estara-em-nova-serie-de-multishow.htm

          Não vou repetir o bordao aqui, mas tenho certeza que todos sabem qual é

          ;- )

  25. Paulo F.

    A maior final de Grand Slam da história, Sérgio Ribeiro, foi a do Aberto da Austrália de 2012.
    De nada.

    1. Sérgio Ribeiro

      Daí se percebe que não gostas mesmo do Esporte. Nadal não teve muitas dificuldades no Quinto Set . Aplicando categórico 6 x 2 com um Roger apático. . Vale lembrar que o ” goat ” Paraguaio caiu nas Quartas nesta edição para o ” Bagre ” Andy Roddick rsrs . Final bem abaixo das citadas na GRAMA SAGRADA. Para a criança deve ter prevalecido o choro do Craque Suíço … Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Sorry , caríssimo Co – Piloto . Nada a ver com 2009 rs . Mas a FiNAL do mesmo AOPEN edição 2012 foi muita bolinha empurrada por ambos os jogadores durante quase 6 horas . O famoso maratenis. Ainda bem que Rafa e Novak melhoram seus arsenais bastante de lá pra cá. Dificilmente jogariam com tão poucos WINNERS novamente em tantas horas de jogo , nos dias atuais , ao menos a meu ver . Abs!

        1. Paulo F.

          Maratênis….
          Empurrar a bolinha….
          Bem que se nota que não gosta do esporte e entende bem.pouco dele.

        2. Luiz Fernando

          Vc poderia ter postado q a “empurração de bolas” começou na semi, quando o maratenismo empurrou Federer p fora do torneio, aqui é diversão garantida kkkkkkkkkk…

          1. Sérgio Ribeiro

            Ainda tens coragem de Postar uma asneira desta ? . Federer não participou daquela FINAL de empurrar bolinhas 6 horas , caríssimo diversão garantida . Se soubesses ao menos ler ( incrível ) , verias que os elogios a melhoria de ambos nos fundamentos a partir daí estão bem claros . Sabes nada , diversão kkkkkkkkk. Abs!

          2. Paulo F.

            Não participou da final, pois o Miss Simpatia foi EMPURRADO para fora dela na semifinal.
            Entendeu agora a postagem do nobre Luiz Fernando ou não?

        3. Paulo Almeida

          Tecnicamente a final de Wimbledon 2008 foi pior do que a semi de 2019, já que o Nadal também não dominava tanto slice e voleio e a esquerda do Federer ainda não tinha sido consertada pelo Ljubicic, mas entra no top 5 de lá pela emoção envolvida; o mesmo vale para a final do AO 2012, jogo tenso ao extremo.

          1. Sérgio Ribeiro

            Tá de brincadeira , Piloto . Se não apreciastes a FINAL de WIMBLEDON 2008 ( ano que a Turma da Kombi conheceu o Esporte) , não deixa dúvidas que não gostas do mesmo. És apenas um fanático pelo cara do Poster do teu quarto kkkkkkkkk. Abs!

          2. Gildokson

            Você tem quase razão Paulo, só não por completo por dois motivos.
            A esquerda do Federer não era esse lixo que você fala, a não ser contra a bola do Nadal. E outros golpes como a direita do Federer por exemplo, bem menos errática, eram melhores, sem falar no jogo de pernas.
            Eu ainda prefiro aquele jogo.
            Ja a final do AO 2012 foi emocionante pela batalha física, só pela tensão no ar de ver quem iria ceder primeiro naquela maratona de trocas.

          3. Sérgio Ribeiro

            Então, caro Gildokson. Como o P.A. vai saber que o Craque conseguia dominar totalmente o Circuito com aquela esquerda , se ele não assistia os jogos ???. E continua a chamar esquerda de Back Simples, de esquerda atrofiada. Jamais se deu ao trabalho de rever ao menos no YouTube, que o Craque Suíço fazia misérias antes de 2008 . Ljubicic ajudou no Backhand batido cruzado , que anulou o Spin alto de Nadal fora do Saibro. Mas pra P.A . , P.F . L.F. e CIA , tudo e’ muito “ confuso “ kkkkkkk. Abs!

          4. Paulo Almeida

            Onde disse que não gostei, Ribeiro? Foi bem mais emocionante, decidida no set longo, mas acho que os dois tinham mais recursos em 2019; menos velocidade, porém.

            Gildokson, o forehand do Nadal sempre foi muito bom e fez um estrago legal naquela partida na esquerda do suíço. Já a partir dos confrontos de 2017, ela estava mais precavida. Não achei a direita mais errática do que o de costume, que é sempre arriscar muito. Vai cometer ENF mesmo.

      2. Luiz Fernando

        Depois vc reclama quando eu digo q vc é confuso kkk, outra pequena confusão de datas kkk… Abs…

        1. Sérgio Ribeiro

          Confuso de que , guri ? . Eu mesmo corrigi o equívoco com a FINAL e pedi desculpas ao P.A. que apontou 2012 . Na boa , tudo é muito confuso pra tua cabeça oca kkkkkkkkk. Abs!

  26. Ernani Chaves

    Dalcim, pensei que haveria um comentário sobre mais um trofeu do Rafael Matoa com seu parceiro espanhol!

Comentários fechados.