Nadal não pode parar
Por José Nilton Dalcim
5 de junho de 2022 às 19:25

Duas coisas extraordinárias aconteceram neste domingo em Paris. Rafael Nadal deu outro show de soberania sobre o saibro, conquistou o 14º troféu de Roland Garros e abriu ainda mais distância para os concorrentes na tabela de Grand Slam. E não falou em adeus nem ao torneio, nem ao circuito, como era o temor de muita gente. Nadal não pode mesmo parar.

Claro que o problema no pé esquerdo preocupa e fica a dúvida se o veremos dar mais uma pausa no seu calendário de 2022. Será uma grande pena se ele não disputar Wimbledon. Afinal, vencedor pela primeira vez na carreira dos dois primeiros Slam de uma temporada, seria emocionante vê-lo tentar novo sucesso na grama britânica e aí abrir caminho para outro feito histórico espetacular.

Nadal contou após a partida que o tratamento feito pelo doutor Angel Cotorro foi anestesiar os dois nervos que lhe causam dor no pé, além de anti-inflamatórios, de forma que ele jogou sem sentir o próprio pé o tempo inteiro, mesmo sob o risco de uma queda ou uma torção. Já na próxima semana haverá uma tentativa de solucionar isso de uma vez, através de uma experiência com rádio-frequência.

“Não é uma questão de ser o melhor da história ou bater recordes. Mas sim de eu fazer o que mais gosto na vida que é jogar tênis, de competir no mais alto nível”, explicou Rafa de maneira simples e direta quando as perguntas da entrevista oficial abordaram a disputa contra Novak Djokovic e Roger Federer.

Embora pouco se fale sobre isso, devemos observar também que a retomada da liderança do ranking é uma possibilidade definitiva. Mesmo com participações limitadas no saibro europeu, Nadal sai de Roland Garros com 5.620 pontos somados na temporada, o que é 1.800 a mais do que Carlos Alcaraz ou quase 2.000 acima de Stefanos Tsitsipas, os concorrentes mais próximos.

Quando os pontos de Roland Garros do ano passado caírem, na próxima segunda-feira, ele deverá estar em terceiro, cerca de 1.000 pontos do russo Daniil Medvedev. A partir de julho, na fase de quadras duras, o canhoto espanhol terá apenas 545 a defender até o fim da temporada. Saudável, não há menor discussão de que ele vai lutar pelo número 1, posição que ocupou pela última vez no dia 2 de fevereiro de 2020.

Aos 36 anos, Nadal continua a jogar um tênis espetacular, é de novo o melhor tenista do circuito, dá lições seguidas de empenho e amor ao esporte. E por tudo isso é venerado em cada estádio onde pisa e pela maciça maioria de seus adversários.

Não, não é hora de se pensar em aposentadoria. Há ainda muita coisa ao alcance do mais ferrenho competidor que já se viu.

Final tranquila e mais façanhas
Como se esperava, Casper Ruud não foi mesmo adversário à altura de Nadal numa decisão de Roland Garros. Começou muito nervoso, depois conseguiu se soltar e chegou a ter 3/1 no segundo set, vantagem rapidamente revertida pelo espanhol, que embalou então 11 games seguidos. Isso em plena final de um Grand Slam.

No saque, na devolução, nas trocas e principalmente nas variações, Nadal era muito superior. Cometeu é claro alguns deslizes, com dupla falta inapropriada ou forehands fáceis desperdiçados. Ao mesmo tempo, esbanjava disposição e grande apuro técnico, correndo atrás das bolas até quando o placar nem mais exigia isso. Ruud marcou apenas oito pontos no massacrante terceiro set. E pensar que Nadal tem 13 anos a mais nas costas.

A conquista lhe proporciona mais números incríveis:

  • 14 títulos em 14 finais em Roland Garros, 7 dessas finais em sets diretos
  • único na história a ter 14 troféus num mesmo torneio
  • aos 36 anos, mais velho campeão do torneio
  • terceiro mais velho campeão de Slam
  • 112 vitórias em 115 jogos Roland Garros, 97.4% de sucesso
  • 90 triunfos em sets diretos no saibro de Paris
  • vitória sobre todos os 74 adversários que já encarou em Roland Garros
  • quatro vitórias sobre top 10 na campanha, igualando Wilander e Federer
  • sexto a vencer os dois primeiros Slam de uma temporada
  • quinto a vencer Austrália e Paris seguidamente
  • 88,2% de vitórias em torneios de Grand Slam, atrás somente de Borg
  • 92 troféus na carreira, quarta maior coleção, a dois de Lendl
  • 63 títulos obtidos no saibro
  • 91.3% de vitórias no saibro (474 vitórias e 45 derrotas)
  • 1.058 jogos vencidos, quarta marca, a 10 de Lendl
  • 83,3% de vitórias na carreira, maior marca da Era Profissional
  • 77,58% de sets vencidos na carreira, maior índice desde 1968

E mais

  • 15 temporadas com ao menos um título de Slam, recorde absoluto
  • único com 11 ou mais títulos em três torneios diferentes
  • 18 temporadas seguidas com ao menos dois títulos por ano
  • 872 semanas seguidas no top 10 e posição garantida até o final de 2022
  • terá 658 semanas no top 3 no ranking do dia 13 e ficará 11 atrás de Djokovic

Comentários
  1. Gustavo

    Alcaraz foi muito ativo nas mídias sociais hoje e confirmou que não tem um gerente de contas de mídia social.

  2. Evaldo Medeiros

    Dalcim, boa noite. Acabei de ler uma matéria em que um ciclista francês afirmou que, enquanto Nadal é aplaudido por jogar lesionado, no ciclismo ele já teria sido banido, pois essas injeções que ele toma para jogar, no ciclismo são consideradas dopping. O que vc tem a dizer sobre isso?

    1. José Nilton Dalcim

      Bom, a regra do tênis permite, então Nadal não tem nada a ver com isso, não fez absolutamente nada de errado. O que precisa ser revisto, se for o caso, é a regulamento do circuito pela ATP e ITF. Eu particularmente sou contra o uso de substâncias artificiais, mas isso é apenas minha opinião.

    2. Luiz Fernando

      Se fosse outro seria superação né Evaldo kkkk. Chora na cama q é quente. Como os caras tão sofrendo kkkkk…

  3. Paulo F.

    Alcaraz vai destruir Djokovic em Wimbledon.
    Vai ser triplo 6-1 para o GOAT dos GOATs na mítica Centre Court.

  4. Heitor

    Paulo F., se em Basel der o jogo Alcaraz x Federer vc vai torcer para o espanhol? Ehehehe. E se o Alcaraz ganhar do Federer em vc vai começar a torcer por ele?

  5. Luis

    Dalcim, você sabe se o tratamento do pé do Nadal é para curar o problema ou somente para parar de sentir dor?
    Fico imaginando o quanto de anestesia tem que tomar para ficar com o pé dormente por 5 horas seguidas, que sacrifício impressionante.
    Uma vez tive que tomar injeção na planta do pé e dói absurdo.

    1. José Nilton Dalcim

      Por tudo que li, a síndrome dele é rara e o processo é degenerativo e portanto sem cura. Assim, o tratamento visa a dor e não a cura.

  6. Rafael

    Olá, Dalcim e colegas:

    Antes de tudo, parabéns a todos os torcedores de Nadal.

    Há coisa de um mês, completou-se um ano (o celular avisa por meio de notificações – veja o que aconteceu há um ano…) dos problemas que eu tive em 2021. Vejo vídeos que gravei indo para o hospital, etc. Gostaria de agradecer novamente a vc, Dalcim, e a todos que me dirigiram palavras de apoio. Nunca esquecerei.

    Antes da primeira cirurgia, com dores horríveis, entupia-me de anti-inflamatórios. Amenizavam (e só) durante um tempo, depois deixavam de funcionar, como se não estivesse tomando nada. Isso foi por coisa de uns 3 meses.

    Após a primeira cirurgia, já na UTI para observação, vomitei sangue – que saiu tb por outro lugar que não vem ao caso. Sangue escuro. Passei por duas – a primeira não deu certo pq meu estômago ainda tinha muito sangue – endoscopias – na UTI. Hemorragia estomacal devido ao uso indiscriminado de anti-inflamatórios.

    Entendo que Nadal não está fazendo “tratamento”, mesmo essa história de amortecer os nervos tem chance de dar certo apenas se o local deixar de ser continuamente submetido a estresse. Não gosto de drama, mas fiquei meio chocado quando li que Nadal disse que que sabe das consequências que o que está fazendo terá quando se retirar, mas que “pode ser feliz de várias formas”.

    Assim como falei sobre Federer lá atrás, e como falaria sobre qualquer outro, entendo perfeitamente os fãs quererem mais umas tantas temporadas de seu ídolo. Não sabia de nenhuma dessas histórias e não gostei de ver Nadal perdendo de Alcaraz há pouco, me peguei torcendo pra ele ganhar aquele jogo.

    Enfim, hoje, como observador (Djokovic joga onde lhe deixarem entrar, já disse ter prioridade maior do que competir e ganhar títulos), faço uma pergunta a vc, Dalcim:

    Se fosse um filho seu, levando em conta tudo ($$, fama, vontade de competir, etc), talvez vc não pudesse interferir pq se trataria de uma pessoa adulta e independente, mas você APROVARIA estender “na marra” a carreira?

    O que vc pensa sobre a evolução da medicina esportiva, onde Murray tem um quadril metálico que pode intoxicar seu corpo se levado à exaustão continuamente, Nadal vive à base de infiltrações e anti-inflamatórios, Federer parece que finalmente entendeu o que lhe aconteceu, enfim, “todo esportista de ponta joga com dor”. Mas a esse ponto? Lançar mão de “esticadores de carreira” lhe parece evolução? Ou não tem nada a ver com a medicina, mas com as escolhas dos indivíduos?

    O show deve continuar a qualquer custo?

    Grande abraço a todos.

    1. José Nilton Dalcim

      Interessantíssima sua colocação, Rafael. É algo realmente complexo. Acho que um atleta tão realizado não deveria colocar em risco seu futuro como pessoa, mas vemos que isso repetidamente acontece e você citou aí dois exemplos máximos no tênis, e acho que daqui a pouco Federer pode se juntar a eles ao tentar fazer todo esse esforço de retorno. Claro que é difícil você interferir, é uma questão de livre arbítrio e deve ser respeitada. Eu particularmente não aprovaria meu filho colocar em risco sua saúde, com certeza.

    2. José Yoh

      Grande Rafael, bom vê-lo por aqui levantando uma questão bastante relevante. Não sei o quanto de antiinflamatórios ou infiltrações Nadal já tomou, mas creio que o período de duas semanas de um slam talvez não seja tanto para causar grandes estragos. Repare que eles quase não jogam mais durante o ano, e isso acho que é o principal fator para esticar a carreira.

      De qualquer forma acredito que as sequelas virão e não serão leves (Federer e Nadal já estão pagando o preço) e isso deve influenciar os que desejam carreiras gloriosas no futuro. É muito difícil atingir 20 slams até os 30 anos, idade onde pela natureza o corpo diminui sua capacidade de recuperação.

      Se eles não tiverem muitas sequelas, aparecerão novos recordistas motivados pelo uso da medicina; senão creio que os números deles durarão mais tempo.
      Abs

    3. lEvI sIlvA

      Olá, Rafael, bom “ver você” por aqui de novo!
      Muito contente por sua recuperação e presença no Blog.
      Muito pertinente, sua pergunta ao Dalcim.
      Particularmente, penso que Andy Murray e Rafael Nadal não estão fazendo o melhor, por conta do resultado a longo prazo. A vida pós tênis 🎾, é o que vale mais, sempre será… Só te Federer, apesar de nova tentativa, creio que não seja tão radical e, se as coisas não andarem como muitos querem ou imaginam (e duvido, infelizmente, que aos 40 e poucos anos e após cirurgias seguidas nos joelhos possa seguir jogando de forma competitiva) ele se retire em definitivo e se despeça das quadras. É a vida, e não há avanços científicos ou de saúde que possam mudar isso. O tênis, se tornou algo físico, queiram ou não sem um corpo 100%, nada acontece.
      Sobre Nadal, Federer e Murray, são adultos e tomam suas decisões de extender e seguir competindo por sua própria vontade, e apenas por ela mesmo. Suas equipes e médicos dão opiniões e conselhos, mas no fim, a decisão cabe a eles.
      Falo por mim, é claro, não vejo com bons olhos seguir jogando a todo custo. Como pai, jamais iria ficar torcendo pela continuidade da carreira, pois sei bem, a gente vive é pra frente. Pelo contrário, já teria dito aos 3, caso meus filhos fossem, acho que basta de tanto sacrifício e esforço. Vão viver a vida, pois o esporte de alto rendimento por anos a fio como tênis, cobra um preço alto e salgado…
      O drama pessoal, após toda essa epopéia, não trás nenhuma glória ou alegria, estou plenamente convencido disso!

  7. Luiz Fernando

    Rafa diz q não persegue recordes mas faz de tudo p continuar competindo, não descartando inclusive tratamento cirúrgico. Totalmente sem ambições. Esses comentários dele afirmando essa balela são… diversão garantida também kkk…

  8. Renan Oliveira

    É simplesmente inacreditável o que Nadal fez com Ruud na final, fez aquela esquerda do norueguês parecer uma de amador. Mas foi justo, depois de ganhar de um ótimo aliassime, Do fake#1 djokovid e do zverev, o 14º foi muito mais do que merecido.
    Tomara que o tratamento no pé de resultado e Nadal jogue Wimbledom tão bem quanto fez em 2018

    1. Paulo Sérgio

      Quero ver em WB e nas quadras duras. RG só em 2023 agora. Espero que jogue com Djoko em outros pisos para vermos no que dá. #373 semanas como número 1.

  9. Marcelo Costa

    O ex tenista Wilander, disse que o atial jogo do Nadal, é muito mais interessante de se ver, devido a imprevisibilidade de seus pontos jogados, pois, ao subir mais a rede, vez ou outra sai um voleio espetacular, ou tendo que correr menos pra trás pra bater de drive, sai um revez matador, pois ele não fica preparando tanto a direita, tem que ser mais efetivo, mais prático e menos desgastante.
    A idade trouxe armas, que sempre estiveram ali, mas não era preciso usar, pois, o físico dava conta, e hoje não mais, então acabou por deixar seu jogo mais agradável de se ver, conforme o ex tenista, e eu concordo com ele.

    1. Sérgio Ribeiro

      Bem , Wilander lembra alguns comentaristas aqui do fórum que dançam conforme a música . O Sueco que se fez com Back de duas mãos, jamais se rendeu ao jogo refinado e de imprevisibilidade total de Roger Federer, principalmente junto à rede e de bate prontos geniais de cada canto da quadra . Já disse o mesmo do Sérvio e não sei onde ele estava quando Rafa estava sendo bombardeado por Alexander Zverev . Mas que o Miura se reinventou não há dúvidas. O Tourinho assassino ( ALCARAZ rs ) , já começa muito mais agressivo que o Miura quando jovem , e com um toque pra lá de criativo para apenas 19 . Os dois Espanhóis estão realmente mostrando um repertório maior que os demais . Abs!

  10. melkizedeke

    Admiro os feitos de Nadal, mas, em outro esporte ele já estaria aposentado ou pego em doping, pois, vários antiflamatórios e infiltrações são proibidas.
    Gostaria que competisse dentro da normalidade, com dor e limitação que vá para casa se tratar, desde modo se torna um robô em busca de títulos e uma glória efêmera, que, se Deus quiser será cobrada dele brevemente, pois, há meu ver esteve se entupindo de drogas, legais no tenis e ilegais no esporte.

    1. Ruy Machado

      Mais um aqui no Blog especialista em drogas! Glória efêmera, que isso… Todo dia, um se supera aqui. Selo de qualidade “diversão garantida” Rsrsrs

    2. Luiz Fabriciano

      Não existe legal e ilegal dentro do mesmo esporte. Ou é ou não é.
      Talvez você tenha querido dizer que a infiltração é legal no esporte, mas não é legal fazer em seu pé.
      Mas o tratamento é completamente legalizado.

    3. José Yoh

      Se fosse proibido, Nadal não usaria. Ia procurar outra solução tenho certeza e iria ser campeão de qualquer jeito.
      Abs

  11. Barocos

    Sigo na torcida para que o Rafa ganhe ao menos um Finals e também que complete ao menos um título em cada Master 1000.

    Claro, se isto acontecer, um “rio de lágrimas” será pouco para o que iremos assistir, “tsunami de lágrimas” deverá ser mais apropriado.

    Nada mal para alguém taxado incansavelmente de baloeiro, nada mal mesmo. Hum, Nadal mau mesmo. 🙂

    Saúde e paz.

    1. SANDRO

      Boa Tarde Barrocos, eu particularmente não ligo pra Finals nem pra Tênis Olímpico, prefiro que Nadal continue focando em Grand Slams e Masters MIL.
      Finals eu considero mais um ‘TORNEIO DE CONFRATERNIZAÇÃO DE FINAL DE ANO”, e tênis olímpico eu considero uma “GINCANA PARA TURISTAS”.
      Logo, se é pra se poupar e evitar agravar dores e lesões, que NADAL gaste suas energias e foque em GRAND SLAMS e MASTERS MIL e deixe pra lá esse negócio de Finals e tênis olímpico…

    2. Paulo F.

      Se o Nadal chegar a ganhar o Finals esse ano, o Rodrigo V. Cruz e o Vitor Hugo Johnny Renato Marquinhos se atiram juntinhos de algum viaduto da Rio-Santos.

  12. Alexandre

    Dalcim,
    Será mesmo que o Carper Rud sabia que ele estava jogando um final de Slan???? Sinceramente não consegui ver em nenhum momento aquela vontade de vencer, mesmo sabendo que seria quase impossível pelo adversário.
    Por tudo que se fala da importância de um Grand Slam para o tenista, achei o norueguês muito apático para lutar pelos grandes títulos.
    Abraço!!!

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele ficou naturalmente deslumbrado. Provavelmente nunca jogou para tanta gente e participou de um jogo tão importante, sem falar a torcida gritando pelo Nadal desde a entrada em quadra. É muita pressão. Sem falar que ele teria de jogar num estilo agressivo, que não é o dele.

    1. José Nilton Dalcim

      Uma das personagens mais importantes da história do tênis, você quis dizer. Discordo da opinião dela, mas os adjetivos usados são muito impróprios.

    2. Gildokson

      Verdade, deveriam chamar um conservador de direita, homem, para entregar o troféu. Ele ia fazer um trabalho melhor, afinal preenche os requisitos necessários para a tarefa.
      Ser uma lenda do esporte?? Ahhhh isso é irrelevante…
      Kkkkkkkkkkkkk Cada um que aparece aqui viu!

      1. Antônio

        Vamos lá desenhar para o tal Gildokson: tênis não é lugar de militância ideológica. Quanto vi uma pessoa que, além de irrelevante para o saibro e para Roland Garros, também é militante feminista, tive a certeza de que sairia asneira dali.

    3. SANDRO

      Eu também discordo totalmente desta ideia totalmente sem noção de passar os Grand Slams masculinos para 3 sets, que continue melhor de 5!!!
      Mudanças que eu acho válidas são:
      – Fim do segundo serviço;
      – Fim da vantagem no “DEUCE” (40 a 40) ;
      – Permissão ao tenista ao tempo para falar com o técnico (1 por set), já que nos outros esportes existe o tempo técnico, acho válido UM tempo técnico por set no tênis.

      1. Luiz+Afonso

        Fim do segundo serviço? Veja as estatísticas de pontos ganhos com o segundo serviço… você quer passar a vantagem para o devolvedor? É isso? E você quer tirar o mérito de quem devolve bem o primeiro serviço?
        Interessante que na final do ATP1000 de Roma, Tsitsipas chegou com mais do triplo de aces do que Djokovic no torneio (algo como 30 x 6). Salvo engano, na final, o grego fez no máximo 2 aces em Nole, ao passo que Nole fez 8 ou mais nele.
        Sem os dois serviços o saque voleio seria aposentado e os pontos iriam durar muito mais. Com o detalhe que trocar-se-ia os aces, por devoluções vencedoras. Tenistas como Schwartzman ficaria muito agradecido, já que o primeiro saque dele incomoda muito pouco. E Federer não se tornaria uma lenda.

        1. Sérgio Ribeiro

          Onde , assino ? . Alguém que propõe o fim do segundo Serviço , desconhece o Esporte . Pelos motivos apresentados , nivela por baixo . Tem outros que também falam em tirar o Let , o que proporcionaria um Campeão levar num lance de sorte . A bolinha num Match point cair caprichosamente do outro lado . Coisa de quem nem assiste os jogos e jamais será aceito pelos jogadores. Abs!

          1. SANDRO

            Muitos velhos só vêem jogo e resmungam… Eu jogo o jogo, eu estou nas quadras e não só na frente da tela resmungando e distorcendo fatos…

          2. Sérgio Ribeiro

            Quem é o Senhor , pra me chamar de Velho ? . Repito que a sua estupidez já passou dos limites e peço a moderação que em vez de bloquear minhas respostas a esse mal elemento . que não permita que se dirija mais a minha pessoa . Agradeço. Abs!

        2. Luiz Fabriciano

          Também discordo de extinguir o segundo serviço.
          O saque é um golpe donde o tenista tem o ponto de partida inerte, muito técnico e com ínfima margem de erro. Por isso o número de grandes sacadores é bem menor dos que apenas sacam bem.
          Deve ser por isso que se estipulou o direito de errar um.

    4. AKC

      E agora me veio com essa de final masculina em melhor de 3 sets…. Quer empoderar o feminino nivelando o masculino por baixo. Queria ouvir a opinião da Margareth Court…

  13. O LÓGICO

    Temos a obrigação moral e Lógica kkkkk de reservar “um” título de GOAT para o robozinho. Ele merece kkkkkkkkk. Podem zoar kkk. Aqui vai minha sugestão: GOAT DA LAJE kkkkkkkkkk. Segunda opção: GOAT UNIDIMENSIONAL kkkkkk. E você L Fernando-robozinho, o que sugere? Ķkkķkkkķkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    1. Luiz Fernando

      Sugiro que vc vá ao youtube e pesquise “Federer campeão”, quem sabe esse seu coraçãozinho rançoso não amolece kkkkkkkkkkkkkk. Aqui é diversão garantida kkkkkkkkkkkkkkk…

    2. Paulo F.

      Alguém que sempre dominou o GOAT falso dos Alpes, e desde quando era um bebê cabeludo no início, é o GOAT mesmo e sob qualquer prisma.
      Aceita que dói menos.

      1. Paulo Sérgio

        Calma Paulo F.

        Vem WB por aí e Djoko com sangue nos olhos. A disputa do goat está aberta entre o BIG 2.

      2. Sérgio Ribeiro

        E se o “ goat “ paraguaio vencer WIMBLEDON 2022 daqui a duas Semanas , caríssimo P. F . ? . Vou te lembrar que fora do Saibro, o Espanhol não o vence desde o longínquo 2013 . E o Craque Suíço desde 2015 . Ainda estás em tempo de rever seus conceitos kkkkk. Abs!

    3. Maurício Luís *

      O Lógico elogiando o Nadal ?!? Então é verdade… é lógico que o mundo vai acabar mesmo! Vou avisar urgente a minha sogra pra fugir no primeiro foguete da NASA pra Marte.

  14. Willian Rodrigues

    Mestre Dalcim, qual sua opinião a respeito do “saque por baixo”, muito utilizado pelo Kyrgios??
    Deselegante? Antiético?
    Andy Murray, um dos maiores tenistas dos últimos 15 anos não apenas é favorável, como se utilizou desse recurso algumas vezes recentemente.
    Vejo como um recurso técnico que requer talento, treinamento. Pode ser uma excelente estratégia contra jogadores como Nadal que recebem o serviço “10 metros” atrás da linha.
    Poderíamos questionar então o fato de um jogador sacar a 230 km/h sem chances para o adversário? Seria falta de ética? Desleal?
    Nadal já reivindicou mudanças no padrão do saque para evitar essa vantagem dos gigantes sacadores…
    No mínimo, ao sacar por baixo, um jogador como Schwartzman, por exemplo, poderia surpreender um grande sacador e equilibrar as ações no serviço.
    E quanto aos demais frequentadores, o que pensam a respeito?

    1. José Nilton Dalcim

      Eu achava feio, mas acabou virando uma atração e muitos tenistas estão fazendo isso. O Bublik disse que agora até treina. Então acho que é uma variante para o espetáculo. Eu aprovo.

      1. Willian Rodrigues

        Grato pela resposta, Dalcim!
        Confesso que também acho divertido e interessante.
        A choradeira de alguns tenistas (Cristian Garín, por exemplo), deveu-se ao fato dos mesmos serem surpreendidos pelo golpe.
        Creio que haverá inúmeros adeptos dentro em breve.
        Abs

    2. SANDRO

      Meu amigo Wililian, eu, particularmente, não tenho nada contra o saque por baixo, e ainda sou a favor das reivindicações do NADAL para termos mais jogadores que jogam realmente o tênis do que máquinas de sacar…
      Qual é a graça de var um jogo com vários “ACES”, ou apenas um saque forçado e voleio, e não ter a oportunidade de ver troca de bolas com variações de jogadas?
      A solução para isso eu acho simples:
      – Extinção do SEGUNDO SERVIÇO.

    3. Luiz Fabriciano

      Para mim, e efeito é a surpresa. Se o recebedor perceber o movimento e se antecipar, será winner de devolução na certa. Se não, ace, kkk.

      1. Willian Rodrigues

        Exatamente isso!
        Uma ferramenta extra que, se bem aplicada poderá render o ponto.
        Caso o jogador não tenha a habilidade necessária, ou escolha mal o momento de executar a jogada, o “tiro sairá pela culatra”.
        Acho que esse golpe passará a ser utilizado por muitos, e obviamente machucará mais os jogadores que recebem muito atrás da linha.
        Vejamos…

    4. Luiz+Afonso

      Eu considero deselegante. O jogador tem 28 segundos para sacar, o que é bastante tempo. Pode quicar a bolinha no chão. Pode fazer o lançamento e abortar o saque. Enquanto isso o adversário está aguardando o golpe, que em regra se dá depois do toss. Antes do lançamento o devolvedor normalmente relaxa aguardando o toss. Ainda mais quando do outro lado da quadra estiver alguém como Nole e Nadal, que levam dois dias para sacar.

      Então, com o perdão do trocadilho, eu diria que é um “golpe baixo”.

  15. Willian Rodrigues

    Billie Jean King defendendo as partidas em melhor de 3 sets para os torneios do grand slam…
    E prescindir das grandes emoções proporcionadas por partidas em melhor de 5 sets??!! NUNCA!
    Na verdade, era espetacular quando as finais dos torneios da série Masters 1000 eram disputadas em 5 sets.
    Esses jogos testam não apenas a resistência física, mas principalmente, o controle mental. Torna a partida um verdadeiro jogo de xadrez. O argumento usado por ela é pouco consistente. O que mais ocasiona lesões são as constantes trocas de bola e de piso de um torneio para outro. Parece-me muito mais um esforço para equiparar com os torneios do feminino… Imaginem vocês o impacto que haveria caso reduzíssemos as partidas de futebol da Copa do Mundo para 50 minutos, por exemplo!

    1. Sérgio Ribeiro

      Não tenha dúvidas, caro Willian. A experiência de 5 Sets no WTA FINALS foi um fracasso. Billie Jean quer aproveitar a idade avançada do Big 3 para igualar por baixo os dois Circuitos . Não vai conseguir de maneira alguma . Principalmente porque os MASTERS 1000 , Copa Davis e ATP FINALS já caíram pra Três Sets . Os jogadores, até os mais jovens, não aceitam nos SLAM . Abs!

    2. SANDRO

      Willian, eu acho a B>J> King devia ter tomado umas doses de Vinho Rascante Francês a mais do que deveria quando propôs esse absurdo que é descaracterizar o que mais diferencia um Grand Slam…
      Acho que se ela está interssada em preservar jogadores como o NADAL e vê-los mais tempo em quadra, medidas válidas seriam:
      Mudanças que eu acho válidas são:
      – Fim do segundo serviço;
      – Fim da vantagem no “DEUCE” (40 a 40) ;

      1. Willian Rodrigues

        Embora os “deuce” alonguem bastante as partidas, eu acho que também as torna mais emocionantes!
        Eu não gostaria que isso fosse eliminado.
        Talvez o segundo serviço… Porque não aprecio muito assistir aos jogos daqueles que “vivem” praticamente apenas às custas do saque.

    3. Luiz Fabriciano

      Com certeza, o maior desafio para os eventos de 5 sets é mental.
      O jogador que leva o primeiro set, mentalmente focará em ganhar mais dois – pode passar pela cabeça dele que não conseguirá.
      O jogador que perde o primeiro set, mentalmente imaginará que ainda terá mais quatro sets de possibilidades.

  16. William fenelon

    Dalcim, vc é o melhor no que faz, então vai uma crítica construtiva de verdade pra você, evite o Paulo Cleto pelo menos nos podcasts, ele viajou demais nesse último, falou muita besteira, e olha que procurei ter boa vontade com ele. Abraço

    1. José Nilton Dalcim

      Sempre há opiniões conflitantes, William. O próprio Cleto, muita gente gosta muito dele. Abs!

      1. Carlos

        Além do Cleto manjar muito, ainda tem umas tiradas engraçadas. Tem que ter podcast com ele ao final de todo Slam e outros torneios/momentos importantes.

  17. Philip

    Mestre, apesar do surgimento do Alcaraz, não vejo grandes adversário do circuinto com capacidade para deter o sérvio. Além de Alcaraz, Zvereve e Tsitsipas, você enxerga algum potencial oponente surgindo para impedir grandes conquitas do sérvio após a aposentadoria do Nadal e Federer?

  18. Luiz Henrique

    Esse feito de ganhar 14 vezes Roland Garros é tão grande que é difícil refletir sobre ele
    Pra cair a ficha do que significa isso só repartindo em pedaços
    Por exemplo: significa que ele ganhou 10 roland garros depois de perder em 2009 pro Soderling e se ausentar de WB
    Quem acompanhava lembra os comentários da época. Naquele tempo seria risível falar em Nadal chegar a 10 RG, quanto mais a 10 RG A PARTIR DALI!
    Outro dado insano: 9 RG após começar a perder de Djoko no saibro. Quando ele começou a perder no saibro pra Djoko muita gente achou que era sinal de que não ia conseguir ganhar muitos mais Roland Garros
    A gente pode lembrar tb daqueles 7 meses entre 2012 e 2013, daí ele volta em 2013 e perde a final no Chile, ganha em SP jogando mal…imagina na época se alguém fosse falar que ainda ia vencer mais 7 RG
    Acho que só assim pra gente dimensionar o absurdo que ele conseguiu

    1. Luiz Fabriciano

      É como se você tivesse um grande amigo e se vissem todos os dias.
      De repente, seu amigo viaja para outra cidade. Continuam vivos, se falando esporadicamente e cada vez menos e quando você para para lembrar, vê que não o vê mais há 15 anos, mesmo sabendo que ele está bem e onde está.
      Se, no momento da despedida, pensassem na possibilidade que não se veriam jamais, ela certamente, seria mais dolorida.

  19. Carlo Von Wagen

    Dalcim, Dalcim, Salcim??? Quem è o GOAT? È o meu tenista, nè! Diz que è. DIZ!!!! POR FAVOOOOOR!!! DIZZZZZZ

    – haja saco. Haja paciencia!

    1. SANDRO

      Como o Dalcim disse várias vezes, só pode-se dizer quem é o verdadeiro GOAT, quando os candidatos encerrarem suas carreiras…
      Mas uma coisa é certa, Roger FREGUÊSer não tem mais chance nenhuma de ser GOAT perante aos grandes feitos do BIG 2 ,NADAL e DJOKOVIC, que o deixaram como o terceirão da turma…

    2. Carloto Wagen

      Dalcim, Dalcim, o GOAT dele não é legal. É feio e morde! Deleta ele! Apaga o post que não me agradou.

      Pelo amor de Deus, ne!

  20. Paulo Almeida

    Uma vez que Djoko caiu nas quartas de Roland Garros (assim como em 2017 e 2018) e não precisa de tanto repouso agora, deveria jogar Queen’s ou Eastbourne como preparação para Wimbledon. Acho que no final das contas, Nadal deve optar por disputar o Major britânico e provavelmente será o cabeça 2.

    1. Willian Rodrigues

      Concordo contigo, Paulo Almeida!
      Seria interessante para Djokovic a participação em dois torneios preparatórios por três motivos:
      – aquisição de ritmo na grama;
      – pontuação extra para compensar parcialmente os pontos que deixou de disputar no 1º semestre;
      – recuperação psicológica após a dura derrota em RG (sim, o sérvio não é mais toda aquela fortaleza mental de antes…).
      Abs

      1. Paulo Almeida

        Rapaz, só discordo do seu segundo ponto. Desencane de ranking agora; Djoko deve terminar com as 373 semanas mesmo.

        Abs!

        1. Willian Rodrigues

          Paulo Almeida, na verdade eu não imaginaria mesmo a recuperação do posto de nº 1…
          Isto se tornou extremamente difícil após o desperdício de 4 grandes torneios, e devido ao amadurecimento de uma boa safra de jovens jogadores e com Nadal em altíssimo nível novamente.
          Mas, seria positivo manter-se no top 3 ou 4 para evitar confrontos de grosso calibre nas quartas-de-final, como aconteceu há pouco em Rolanga.
          Abs

  21. Sérgio Ribeiro

    A ATP estica uma semana a mais até WIMBLEDON, tempo suficiente para um MASTERS 1000 no tradicionalíssimo Queen’s ou em Halle , e nada muda . Um monte de TOP 10 espalhados por esses Torneios e segue o baile . Até parece que a economia Inglesa e Alemã não sustentariam o evento . Daí temos , Monte Carlo , Madri e Roma , RG , em sequência, e tome de bigtitles no Saibro… Abs!

    1. Gildokson

      Perfeito Sérgio, é por isso que eu não entro nessa baboseira dessa conversa de contagem de big titles que os nolistas “inventaram”, para mim o que interessa é ser campeão de Grand Slam, lógico que Finals e em seguida M1000 são muito importantes na carreira de um grande tenista, mas não dá pra virar as costas assim para os 500 e 250 como eles tentam fazer por saber que o suíço ainda lidera no geral entre as 3 lendas.
      E te digo mais, pode esperar que isso um dia ainda vem por fax tipo o campeonatos Brasileiros de Santos e Palmeiras, e ai vai rolar a choradeira quando os números mudarem.

    2. Willian Rodrigues

      Creio que seria mais interessante o torneio de Halle ser elevado à categoria de Masters 1000, porque além da Inglaterra já possuir um Grand Slam, a Alemanha mereceria um torneio de maior porte pelo fato de serem grandes organizadores de eventos, pela forte economia e pela tradição do torneio em si.
      Abs

    3. SANDRO

      O pasto (ou a grama) são para as vacas leiteiras suíças pastarem a fim de fabricar os chocolates
      que o Roger FREGUÊSer toma quando enfrenta o BIG 2: NADAL E DJOKOVIC…

      1. Sérgio Ribeiro

        Insistes mesmo , não é Senhor ? . Outra vez , favor não se dirigir a minha pessoa com a sua estupidez diária. Vá procurar tua Turma !!! . Abs!

  22. Groff

    O título diz tudo: Nadal não pode parar! Minha adição, para rimar: Federer tem que voltar a jogar!

    Brincadeiras à parte, nós, o público, merecemos ver um Fedal ainda que apenas por uma última vez no circuito profissional antes de um deles parar. (E, sim, rimou de novo, o que é intencional para esse desejo aqui no Blog eu gravar.) 😛

  23. Felipe Velasquez

    Boa tarde, Dalcim.

    O debate do momento, com a conquista do 22⁰ GS, é qual o lugar do Nadal na disputa pelo GOAT.

    Federer, está praticamente aposentado e Novak Djokovic, por enquanto, está com 20 GS. Sei que não basta só isso para determinar quem é o GOAT, mas é uma referência utilizada.

    Creio que o melhor parâmetro seria qual o tenista que mais influenciou no desenvolvimento do tênis (nesse aspecto, Federer e Nadal, estão bem a frente de Djokovic).

    Dalcim, no momento e com os números atuais, qual o lugar do Nadal nessa disputa? Eu lembro, no início do ano, logo que o Nadal conquistou o AO, você chegou de afirmar que caso Nadal conquistasse o 22⁰ em RG, ele já poderia estar na frente, nessa discussão.

    A tendência, caso o espanhol não se machuque é melhorar, ainda mais, os seus números. Está liderando o ranking de entradas e com grandes chances de recuperar o n. 1, bem como, também, terminar o ano como n. 1.

    Abraços

    1. José Nilton Dalcim

      Nadal lidera o ranking da temporada, Felipe, mas me parece certo que vai lutar pelo número 1 tradicional antes do US Open, desde é claro que se mantenha saudável. Olha, a discussão continua aberta porque os três estão com carreira em andamento, ainda que não saibamos o futuro de Federer. Portanto, todas as teorias são válidas, tanto as que só falam em números ou as que acreditam que Slam vale mais que tudo. Não há uma regra e isso torna a discussão aberta e interminável. Abs!

    2. SANDRO

      Felipe, espere eles terminarem a carreira, já que NADAL e DJOKOVIC tÊm condições de conquistar mais SLAMS e MASTERS MIL… Mas se eles terminassem juntos a carreira “HOJE” no dia 8 de JUNHO de 2022, NADAL estaria em PRIMEIRO, afinal tem 22 Grand Slams e 36 Masters Mil, DJOKOVIC em SEGUNDO com 20 Grand Slams e 38 Masters Mil… ABISMO… Roger FREGUÊSer, sem condições de conquistar mais nenhum BIG TITLE, em TERCEIRÃO…

  24. José Eustáquio Masculino Cruz

    Boa tarde,uma sugestão essa história de Goat esquecem.para mim Rafa é o melhor em tudo.Mas para outros é o Federer o Nole e pronto números são números o estilo de jogo do Federer é iniguálavel.Mas para mim o Rafa é melhor e por ai vai.

  25. Luiz Fernando

    Pra variar aquelas pessoas q só aparecem aqui na boa, ou seja, na vitória dos queridinhos ou na derrota dos adversários, desapareceram. Nenhuma novidade, sempre agiram da mesma forma, e agem assim pq são assim, neste espaço e provavelmente fora dele. Esses caras merecem todo o sofrimento q deriva das conquistas de Rafa e Djoko, já postei aqui q pagariam as barbaridades postadas com juros e correção monetária. O momento da cobrança chegou…

    1. Sérgio Ribeiro

      Qual tua moral pra falar em cobrança, rapaz ? . Esquecestes das barbaridades que postastes anos a fio em relação a Roger Federer ? . Esse teu papinho agora de que chegou a hora com juro e correção e’ de uma cara de pau sem tamanho. Dar uma de humilde agradecendo até o MC não cola , como diz até meu filho , tu não és apenas um desmemoriado, não sabes mesmo e’ nada da matéria . Serias terceirete ou Kombinete ? kkkkkkkkkkkkk. Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Ps . O que desapareceu de fakes que se diziam membros da “ irmandade “ e’ uma grandeza kkkkkkkk. Abs!

      2. Luiz Fernando

        Minha moral aqui é a mesma q a sua e q a maioria absoluta dos demais blogueiros, pois não me considero superior a ninguém, estou e sempre estive ciente q sou um a mais. Porém, eu nunca atribuí vitórias do Federer a doping ou esquemas, ou seja, eu e a maioria absoluta dos q torcem contra ele sabemos perder e sabemos q se trata de um grande campeão q e sempre jogou limpo. Vc, ao contrário, embora nunca tenha postado esse tipo de asneira, sempre compactuou e esteve ao lado de quem postava estas barbaridades. Em resumo: se tem alguém q não tem moral p criticar os demais é vc, que oportunisticamente se calou quando não lhe interessava contra-argumentar.

        1. Sérgio Ribeiro

          Tu achas mesmo que compactuo com essas figuras ??? . Já te disse várias vezes que não faço parte de torcidinha alguma e que deverias ler com mais atenção os comentários desde sempre . Não me considero superior a ninguém, criança. Nem há ti , que resolveu se transformar num crítico infantil desde sempre , com termos pejorativos desde 2010 ao Craque Suíço , pois tratas este Esporte maravilhoso, como um joguinho de Torcidas de futebol. Aliás como crítico de Tênis, és o mais que ridículo diversão garantida kkkkkkkkkk. Abs!

      1. SANDRO

        Bem lembrado Paulo, é isso mesmo… Agora a pergunta que não quer calar e que o “dono da verdade do Jardim da Infância” não sabe responder é: Quanto valem TODAS as finais de Wimbledon que Roger FREGUÊSer perdeu para Djokovic, hein???

        1. Paulo Almeida

          Pior que continuam valendo 1200 pontos no ranking, mas ZERO na contagem de Slams e Big Titles, hahaha!

          Abs!

  26. Alison+Cordeiro

    Nadal foi fenomenal no torneio, como se isso ainda fosse uma surpresa. Elevou o nível contra Djoko e, para mim, ganhou ali a competição, ainda que Zverev tenha feito um grande jogo antes da contusão. Mas nada para Nadal em Roland Garros, ele já extrapolou qualquer adjetivo que possa ser colocado. Parabéns ao Touro e a todos os seus torcedores. Como fã de Nole , mas especialmente como fã de tênis, admiro a genialidade do mito espanhol.

    Rafa entra com tudo na briga pelo tão discutido título de GOAT. Nessa altura do campeonato, mesmo com toda a sua maestria e categoria, Federer ficou para trás. Os recordes que colocou vão sendo superados pelos seus dois maiores rivais, que se não tem mais o suiço nos seus melhores dias, seguem tendo um ao outro como grandes adversários. Nesse momento tenho como opinião que essa briga entre Nole e Rafa é o capítulo final da maior era de dominação da história do tênis, e que enquanto estiverem no circuito todos os títulos que vencerem serão super relevantes. Se um deles parar, o outro fica sendo o “vovô” do circuito, mas aí só haverá desafiantes sem aquela magia dos confrontos históricos na conta.

    Pensar que um dia Sampras foi o detentor do recorde de Slams com 14 e hoje Nadal empatou a conta “só” com Rolanga. Absurdo o que ele joga nesse piso. Um extraterrestre. Por tudo o que fez no saibro que um dia coroou o nosso querido manezinho da ilha, Nadal já tem o seu próprio inquestionável título de GOAT do saibro.

      1. Luiz Fabriciano

        Dalcim, por que há alguns comentários/perguntas aqui sobre esse assunto, como se estivem sido escritos durante o tempo que o site ficou fora do ar?

  27. Lucas Pires

    Olá Dalcim, bom dia!

    Estou vendo os comentários e me parece que existe uma discussão (boa!) sobre quem é o maior tenista da história.

    Minha dúvida é: existe alguma discussão sobre o Nadal ser o maior saibrista da história?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que no saibro não existe discussão, embora sempre vá aparecer alguém que discorde, Lucas.

    2. José Yoh

      Essa discussão vem desde que o blog existe, Lucas. Na verdade muito antes disso.

      A cada 10 anos ou menos, mudam-se os candidatos e a conversa continua a mesma…

      Para vc ver já incluíram até o Alcaraz na lista.
      Abs

  28. Mangostin

    Oi Dalcim, Nadal esta a so um GS de empatar Serena. Seria um grande feito. O recorde de Steffi Graff permaneceu por muito tempo.

  29. Nelson Maciel Filho

    Não há nada mais a dizer sobre o Nadal no quesito Técnica, vontade, perseverança, resiliência e genialidade. Nadal é hoje o maior atleta do planeta pelo que faz e como vence apesar de todos os problemas físicos. O que me deixa perplexo são os comentários dos que não admitem a genialidade do Nadal. É bom deixar claro que um Rolan Garros equivale a outros três grand slan. Eu por exemplo acho o RG e Wimbledon os mais charmosos, mas não os mais importantes. A final foi vencida com muita facilidade. Mas as oitavas, quartas e semi-finais foram muito difíceis para o Nadal. Temos que enaltecer e parabenizar o tenista espanhol pelo 22 grande slan. Dizer quem é o melhor dos três ainda é cedo. Se Djokovic foi considerado o melhor com 20 títulos, o Nadal com 22 hoje é o melhor. Todavia, a muitos grand slan pela frente. A disputa do melhor de todos os tempos está entre o Nadal e o Djokovic.

    1. SANDRO

      Perfeito! Este é o ponto: a disputa para GOAT está entre o BIG 2, NADAL e DJOKOVIC ,que ainda têm condições de ganhar GRAND SLAMS E MASTERS MIL, o Roger FREGUÊSer já é carta fora do baralho…

    1. José Nilton Dalcim

      Há diversos ângulos para ver esse assunto, Marco, até mesmo se ficarmos apenas nos números.

      1. Marco

        Ok. Mas hoje qual sua lista hoje do Big Three pela ordem?
        Não me venha com a conversa que a lista vai mudar!!! Kkkk. Abraço.

        1. José Nilton Dalcim

          Não faço listas provisórias, Marco. Minha última foi ao final de 2018. Chegará a hora de uma nova lista.

    2. SANDRO

      “SOMENTE POR TER MAIS SLAMS”???
      Marco, um GRAND SLAM é a CEREJA DO BOLO de qualquer carreira tenística da face da Terra… É extremamente difícil pra qualquer tenista do mundo, por mais talentoso que seja, ganhar “UM” Grand Slam, o que dizer de um ANIMAL que ganha “22”, e que ainda por cima tem o recorde MAIS DIFÍCIL do tênis mundial que é ter INCRÍVEIS 14 títulos de Roland Garros!!!
      Nosso GUSTAVO KUERTEN tem que ser muito valorizado por ter “TRÊS” excelentes títulos de Roland Garros, FREGUÊSer tem “UM”, DJOKOVIC: “DOIS”… Aí vc vê o EXTRATERRESTRE do Nadal com ESTRATOSFÉRICOS 14 Roland Garros e 22 Grand Slams, que é algo assim fenomenal!!!

      1. Gildokson

        Tu é um verdadeiro camaleão viu… kkkkkkk
        Aliás, vcs são neh?
        Desse jeito fica fácil…
        Depois os federistas que são os “malvadíssimos” os errados arrogantes que merecem todo mal… blá bla bla bla bla.

        1. Luiz Fernando

          Pior do q vcs é impossível, embora eu deva reconhecer que vcs sempre se esforçam p piorar. Como eu expus p o Lógico acima, procure o youtube, quem sabe vcs não relaxam kkkk…

          1. Gildokson

            Eu não preciso procurar nada no YouTube, minha memória é bom é o gênio conquistou tanto na carreira que ainda tem conquistas relativamente recentes.
            Aliás, você do alto da sua humildade já parou pra ser perguntar o pq do espanto de outros participantes com o seu “pedido de desculpas” ao MC? Kkkkkkkk Ou quando você teve algum elogio ao Federer? Kkkkkkkkkk
            Será que somos nós os federistas mesmo os vilões arrogantes daqui? Ou será que somos todos iguais?
            Reflita kkkkkkkkk

        2. Sérgio Ribeiro

          Boa , Gildokson. Essas figuras da chamada “ Irmandade “ se prestam ao papel de torcer por DOIS Tenistas ao mesmo Tempo, e olha que o Craque Suíço está no estaleiro faz tempo . Os caras achavam que o fato do Touro não vencer o Sérvio desde 2013 fora do Saibro , era só se unirem e estava tudo resolvido para o “ goat “ paraguaio. Qual nada com os 22 , os fakes resolveram que e’ melhor desaparecer até Wimbledon kkkkkkkkkkkk. Abs!

          1. SANDRO

            Eu não sou fanático que nem vc que distorce tudo o que os outros escrevem… Admiro os 2 verdadeiros candidatos ao GOAT que são Nadal e Djokovic e que vão lutar por isso até quando o puderem, já o Roger FREGUÊSer que perdeu todas a finais de Wimbledon contra Djokovic e todas as finais de Roland Garros contra Nadal, além de ser o VIRGEMzão de títulos dos MASTERS MIL de ROMA e MONTE-CARLO, esse nunca será GOAT….

          2. Sérgio Ribeiro

            Na boa , LF 2 . Aos poucos estás se transformando no L F , sem tirar nem por , até porque com esse Nick não postavas desta maneira há tempos atrás rsrs. Abs!

  30. Ronildo

    Algumas coisas contribuíram para Nadal ganhar o décimo quarto RG e último slan dele:

    1- O sorteio que fez ele confrontar Djokovic já nas quartas. Porque se Djokovic estivesse do outro lado da chave e chegasse na final, seria campeão.

    2- Alcaraz, depois de ter vencido Djokovic e Nadal este ano no saibro, e depois de vencer fácil Zverev na final de Madri, caiu em uma terrível armadilha mental, em que pensou que bastaria elevar o nível quando quisesse e salvaria qualquer partida. Não é um problema porque Federer sofreu deste mal por mais de 15 anos. Mas foi o suficiente para Alcaraz não ganhar um torneio que, se tivesse entrado com a mentalidade apropriada,teria sido campeão. No mais, para Alcaraz esta eliminação precoce neste torneio foi até boa, pois assim lhe tira um peso das costas de ser comparado com Nadal, pois sua carreira tende a ser mais vencedora em todos os tipos de piso. E acredito que jamais existirá um vencedor maior que Nadal no saibro.

    3- Zverev venceria Nadal se não tivesse torcido o tornozelo. Esteve com os sets na mão, e o jogo tenderia a ir para seu lado à medida que avançasse.

    4- Nadal seria derrotado por Tsitsipas numa final, mas o jovem dinamarquês impediu este encontro. Tsitsipas certamente jogaria com uma pressão menor e seu jogo cresceria à medida que percebesse os vacilos de Nadal na final.

    No mais parabéns a Nadal, que ajudado pela conformação dos eventos, foi buscar o resultado e agora ostenta 22 slans com 14 RG.

    1. Maurício Luís *

      Ronildo, você resolveu dar uma de vidente retroativo, baseado numa palavrinha curta: SE. Se Djoko tivesse caído do outro lado, SE Zverev não tivesse torcido o pé, Se Alcaraz tivesse entrado com outra mentalidade… Muito SE , o que nos leva a um mundo paralelo. SE o meu pai não tivesse se encontrado por acaso com a minha mãe, eu nem estaria aqui escrevendo.

      1. Ronildo

        Exatamente, o SE é tudo, a cada fração de segundo. É o fator onipresente. Falar do SE é falar da essência de tudo!

    2. Rafael Azevedo

      Kkkkkk.
      Ronildo, eu tenho que admitir que os seus comentários estão entre os que eu mais gosto de ler.
      Você gosta de uma treta, e faz de tudo pra iniciar uma.
      Eu me divirto…kkk

    3. Luiz Fernando

      Vc está se superando hein, primeiro vc fazia previsões antes dos eventos, agora também faz… depois kkk. Continua, uma hora vc acerta…

    4. SANDRO

      Ronildo ponha a sua mão na consciência e por mais que vc seja uma viúva do Roger FREGUÊSer na tente diminuir o grande feito HERCÚLEO de Nadal nesta edição 2022 de Roland Garros!!!
      Pra mim, esse foi título mais árduo e difícil de Nadal dentre os 14 conquistados devido à preparação inadequada e precária por causa da fratura de costelas e ínfiltracoes no pé por problemas congênitos de dores crônicas.
      Além disso, o sorteio só serviu pra deixar a trajetória de Nadal mais dura e árdua ainda, pois NADAL teve que quebrar 3 PEDREIRAS DURÍSSIMAS em batalhas tensas que foram os confrontos contra ALIASSIME, DJOKOVIC e ZVEREV em sequência!!!
      O feito de Nada só torna sua conquista mais espetacular ainda por ter superado todas essas adversidades uma atrás da outra!!!

      1. Ronildo

        O Rafael Nadal é um lutador nato Sandro. Acredito que ele seja fã de Rock Balboa e deve adorar fazer sua preparação física com a trilha sonora do filme.

    5. Jonas

      Embora vc tenha tentado diminuir o Nadal, quase concordo com algumas coisas rs…

      1 – Tb acho que seria melhor pro Djoko pegar o Nadal na final, mas isso não quer dizer que ganharia;

      2 – Pelo que Nadal jogou, não acharia um absurdo o Alcaraz vencê-lo na SF, mas o garoto entraria como azarão;

      3 – Zverev é meio mental de geleia, ele poderia ter vencido o primeiro set e o segundo, mas fato é que perdeu o primeiro, não dá pra ir contra isso;

      4 – Aqui acho que vc viajou, Mimipas perderia de Zverev, Alcaraz, Djoko e Nadal pela forma que se apresentou neste Roland Garros.

      1. Ronildo

        Cuidado para não ser considerado MEIO pateta já que você quase concorda com comentários patetas kkkkk

    6. Luiz Fabriciano

      Ronildo, Ronildo…
      Somente depois que Djokovic já estava de férias em sua mansão na Espanha que ele se tornou favorito para alguma coisa em suas previsões.
      Temos que rir muito mesmo.

      1. Ronildo

        Era visível que Nadal perderia a final para um tenista mais gabaritado. Até o Federer de 2019 venceria essa final.

  31. Maurício Luís *

    Senhores internautas, não percam os próximos capítulos da emocionante novela espanhola ” Deu no Pé ” estrelada por Rafa Nadal. Co-estrelando: Dr. Angel Cotorro.
    ******* Um meio de transporte alternativo******
    Nadal está descansando o seu problemático pé, quando toca o celular da Xisca.
    – Benhê… mamãe quer vir ver o seu décimo-quarto. Quer vir no próximo avião e pediu pra você ir buscá-la no aeroporto…
    – Ué, mas avião pra que? Se ela vier de VASSOURA, sai muito + barato. Fora que evita congestionamento!
    PAF!! Vassourada na cabeça.

  32. Rhenan+Zimermann

    Nadal não pode parar… que título Dalcim. Poucas palavras que tem um significado gigante, por tudo que este atleta representa para o Tênis. Grato em ser torcedor desse monstro! Agora a torcida fica para que ainda consiga jogar mais uns 03 (três) anos, no nível que apresenta, fará muita falta ao circuito assim como o RF. VAMOS!!!

  33. Paulo F.

    Muito antes Rafael Nadal o GOAT do que Roger federer.
    Por causo do amplo domínio de um sobre o outro e principalmente pela torcida que cada um tem.

  34. Danilo BR

    Vou expor aqui a minha singela opinião… uma final dessa de Grand Slam é uma tragédia para o esporte, aliás isso não é esporte, não tem disputa, não tem competição. O tênis só terá emoção e competitividade quando o Big 3 se aposentar, daí poderemos ver alternâncias de resultados e de campeões, fator que só analtece o próprio esporte. Assistir Nadal em Roland Garros só tem graça pra família e para os torcedores dele. Pra quem é neutro, qual seria a graça de ver uma final como essa? Que jogador medíocre esse RUUIMD. Mais um jovem pipoqueiro com a raquete nas mãos. Nem Bellucci passou tanta vergonha assim no confronto contra Nadal em 2008 em Rolanga. Torcer pra Nadal se aposentar pra não ver esse cenário perdurar no saibro parisiense por mais uns 10 anos ainda. Que lástima para quem gosta das competições de verdade, da tão salutar alternância de domínio. Os medíocres novos jogadores ao invés de se inspirarem no Big 3 pra crescerem no esporte, apenas os colocam como deuses inatingíveis, e acabam entregando ao público jogos patéticos como esse de ontem. Deixo aqui meu repúdio ao que fez ou não fez esse Casper Ruud ontem. Um papelão para um esportista de alto nível

    1. David+Lopes

      Perfeito Danilo, onde assino?
      Nem os poucos momentos em que o Nadal caiu de nível, ele soube aproveitar. Infelizmente, nos Grand Slams, todos pipocam contra o Big 3. Chega a dar agonia de assistir. O próprio Zverev, amarelou na hora de fechar os 2 sets contra o Nadal.

      1. Danilo BR

        Pois então… incrível como essa nova geração do tênis é despreparada psicologicamente, em nenhum momento Nadal perderia pra nenhum deles no torneio. Aliassime quando sacou em 3-4 no quinto set a gente já sabia que seria quebrado, Zverev quando foi sacar em 5-3 no segundo set todo mundo tb já sabia que ia pipocar… e ia pipocar tb no tiebreak do segundo set e até o final, só no tênis a gente vê alemão e norueguês emocionalmente frágeis. Cansei de acompanhar e torcer pra essa nova geração. Vou dar uma pausa de uns 10 anos pra ver se finalmente teremos renovação nesse esporte. Por fim, quem daqui não sabia tb que Djoko viraria a final de 2021 contra o grego? Assim como Berretini pouco faria na final de WB 2021… O único ponto fora da curva foi Medvedev no US Open 2021, porém pipocou na final do AUSSIE 2022 contra o Nadal. Uma geração de pipoqueiros

    2. SANDRO

      Nossa!Quanta inveja, hein? Eu adoro ver o BIG 2, Nadal e Djokovic, ganhando de quem quer que seja, inclusive de seu maior freguês, o Roger FREGUÊSer!!!
      Se vc não gosta de ver as vitórias de Nadal e Djokovic, mude de esporte, assista a jogos de XADREZ, BASQUETE, RUGBI etc… Que assim vc não verá Nadal e Djokovic ganhando…

      1. DANILO AFONSO

        Vixi !! Uma das vezes que resolveram atualizar o banco de dados perdemos todos os textos do blog entre 2006 e 2012. Espero que não aconteça a mesma coisa novamente com os textos após 2012.

  35. José Yoh

    Se é o GOAT ou não ninguém sabe, mas GOAT do saibro e maior competidor do esporte acho que ninguém duvida mais disso. É um cara que faz todos acreditarem que ele merece todas as honras pelo seu esforço e raça e isso até o mais radical nolista ou federista reconhece.

    Parabéns ao Nadal e seus torcedores.
    Abs

    1. SANDRO

      Amigo José Yoh, as viúvas do Roger FREGUÊSer são irredutíveis, esquizofrênicas, pirracentas e tentam diminuir a todo custo o grande feito de Nadal… Basta vc ler aqui no blog os textos recalcados e invejosos desdenhando da conquista do incrível DECIMO QUARTO troféu de Roland Garros do Nadal…

  36. Felipe Gonçalves

    Essa discrepância do espanhol em RG torna difícil alguém ficar à frente dele na contagem dos Grand Slams. Epenas em Roland Garros ele tem a mesma quantidade de Slams do que o Sampras.

    Em todos as outras grandes marcas, ele perde dos recordistas:

    – Australian Open: 2 contra 9 de Djokovic
    – Wimbledon: 2 contra 8 de Federer
    – US Open: 4 contra 5 de Federer, Sampras e Connors.
    – ATP Finals: 0 contra 6 de Federer
    – Semanas como número 1: 209 contra 373 do Djokovic
    – Semanas consecutivas como número 1: 51 contra 237 de Federer.

    1. Luiz Fernando

      Vc esqueceu outro recorde do Federer: fez menos games numa final do torneio, em todos os tempos, claro kkk…

      1. Sérgio Ribeiro

        E tem gente que parabeniza estas figuras …Em vez de curtir a vitória de Nadal ( deixou de lado no momento o “ goat paraguaio), ataca sem se dar o trabalho de pesquisar e não sai do posto de passador mor de recibos desde 2010 . Em vez de esquecer Federer ( o terceiro maior vencedor de partidas em Paris) , procure saber qual foi o número de games vencidos pelo Norte-Americano Brian Gottfried contra o grande Guillermo Vilas na FINAL de RG 1977 . O que pensei em colocar não passa na moderação , desinformadissimo , diversão garantida kkkkkkkkkkkkkkk. Abs!

        1. DANILO AFONSO

          Putz !! O nobre Sérgio não honrou a PROMESSA firmada dias atrás. Botava maior fé na palavra deste renomado Papa Goiaba…rsrsrs

          1. Sérgio Ribeiro

            E eu também boto fé na do RONDOPOLITANO . Espero que recomeces aquela contagem regressiva que era a alegria deste fórum e da Turma do Sítio. Este tá tão cheio que nem a Kombi se aproxima mais kkkkkk. Abs!

        2. Luiz Fernando

          Vc está nervosinho, toma um chá quente relaxa. Vc é uma das principais razões pela paixão q eu sinto pelas terceiretes. Sempre q eu puder incomodar vcs mesmo q da forma mais infantil, pra q vc entenda, claro, estarei presente kkk. Abs.

          1. Sérgio Ribeiro

            Cara , cresça e apareça. Já postastes asneiras de forma repetida sem procurar se informar n vezes . Sem essa de nervosinho guri . Essa de Federer em RG e’ postada desde 2010. Não esperavas de jeito algum depois de WIMBLEDON 2021 que Rafa Nadal pudesse ainda virar o jogo. Daí virastes o maior baba ovo da Turma da Kombi , chegando a cravar o “ goat “ paraguaio como definitivo. Essa tua desculpinha de briguinhas de torcida e’ um pano de fundo do teu total desconhecimento do Esporte. O eterno diversão garantida kkkkkkkkkkkkkk. Abs!

      2. Felipe Gonçalves

        Imagino que você esteja se referindo à final de Chennai-2008, quando o Nadal perdeu de 6-0 e 6-1 do Youzhny.

          1. Felipe Gonçalves

            Pelo visto, falta-lhe estofo suficiente pra entender o conceito de ironia. O que não me surpreende.

    2. Jonas

      Difícil é mesmo, mas acho bem possível Djokovic vencer WB mais uma/duas vezes ou o Australian Open (se ele puder pisar lá). Fora Roland Garros e US Open, quem sabe não vence mais um ou outro.

      Nesta corrida pelos Slams, Djokovic é o único com chances reais de competir com o Nadal, caso o sérvio jogue em alto nível por mais umas 3 ou 4 temporadas.

    3. Rafael Souza

      Pois é, mas para um saibrista nato, ter conseguido 2 WBs, 4 US Opens e 2 AOs é um feito digno de nota, sobretudo porque ninguém menos do que André Agassi, um dos grandes do esporte, possui exatamente 8 majores. No mais, os argumentos que pretendem diminuir um tenista da envergadura de Nadal não passa de coisa de viúva ressentida. Abraço.

      1. Arthur

        Dalcim, uma coisa que a gente já discutiu aqui uma vez, mas acho que convém discutir novamente: a questão do uso de infiltrações pelo Nadal.
        Deixo desde logo claro que a regra permite e isso não é considerado doping por nenhuma agência reguladora.
        No entanto, certa vez perguntei pra você se esse tipo de vantagem não poderia ser considerada uma forma de obter vantagem “ilegal” frente ao adversário, de forma semelhante ao que o doping faz.
        Você não acha que, no futuro, a “legislação” sobre isso deve evoluir para banir esse tipo de medicamento para esportistas em geral?

        Um abraço.

        1. José Nilton Dalcim

          A imprensa europeia entrou nessa discussão nos últimos dias. Claro que Nadal não fez nada de errado, porque o regulamento permite, mas acho que precisa haver uma regulamentação melhor sobre isso, Arthur.

        2. José Yoh

          Os medicamentos estão sempre um passo à frente das agências reguladoras, Arthur. Você pode banir um hoje e no mês seguinte aparece um outro similar que não é proibido. Então creio que não há como controlar algumas coisas.
          Abs

        3. Luiz Fabriciano

          Eu comentei no passado de seu comentário, que a infiltração não lhe trás vantagem, apenas equilibra a desvantagem de não jogar com dores.

          1. Luiz Fabriciano

            Diferente de um amputado que corre com perna mecânica. Essa sim, lhe traz vantagens em relação a um corredor que possui as pernas naturais.

  37. Gabriel

    Dalcim, essa quantidade de títulos num único grand slam é o feito mais impressionante da história do tênis (talvez de todos os esportes)? Fazendo até com que Ivan Ljubicic, técnico de Federer, sugerisse que a quadra deveria mudar o nome para Rafael Nadal.

    1. José Nilton Dalcim

      Não consigo fazer comparações, Gabriel, mas é um feito absolutamente extraordinário. Imagine ganhar 14 vezes o torneio do seu clube ou do seu condomínio. Já é algo incrível. Imagine ganhar 14 vezes um Grand Slam!

  38. Paulo F.

    Parabéns Rafael Nadal!
    Finalmente merece a condição onde estás.
    Alguém que, desde quando era um feto no tênis, sempre foi imensamente superior ao GOAT falsário dos Alpes, chega a ser injusto que só agora todos lhe consideram o maior e melhor tenista de todos os tempos.

    1. Sérgio Ribeiro

      Na boa , “ feto “ e’ Tu P. F . rs . O precoce Tenista somente não foi N 1 em 2005 devido a seu oponente vencer 11 de 12 FINAIS , e um SLAM a mais , numa Temporada espetacular de 81 V e apenas 4 derrotas . E o “ goat “ paraguaio de longe foi o melhor oponente do Touro Miura nesta conquista espetacular. As incríveis TRÊS horas e Treze minutos contra Sasha com direito a dois Tiebraks e os CINCO Sets contra Aliassime, coroaram um Título com vitória sobre QUATRO TOPs 10 , igualando Federer no AOPEN 2017 . Djokovic foi novamente figurante , desprezado pelos torcedores Franceses e aprendendo de um vez por Todas com Rafael Nadal como se deixa um LEGADO que poderá transformá-lo no verdadeiro GOAT ao Final de sua brilhante carreira. Abs!

        1. Sérgio Ribeiro

          Tu e o “ nobre “ diversão garantida, já mudaram de “ goat “ dezenas de vezes de acordo com o resultado do momento. Assim como o “ goat “ paraguaio ambos são meros figurantes nos comentários kkkkkkkkkkk. Abs!

          1. Luiz Fernando

            Serginho o esporte é mutável pq a vida é mutável, ou será q a sua estacionou? O detalhe é q por anos vcs ficaram apregoando uma realidade q não existe mais, baseada em números q foram pulverizados por Rafa e Djoko. Claro, restou o critério “popularidade” kkkkk. Relaxa, aceita q dói menos kkkkkkk. Abs.

  39. Rafael Azevedo

    Dois anos seguidos que Nadal não disputa WB e USOpen. Como eu queria que ele focasse nesses dois torneios, nessa temporada. Eu realmente acredito que ele tem muitas condições de vencer. Mas, acho que ele não vai disputar WB.
    ..

    1. Luiz Fernando

      Se o tratamento der certo creio q irá ao Canadá e USO. A W não creio, seria temerário depois do q ele relatou, mas juízo ele nunca teve…

      1. Rafael Azevedo

        Li, agora, que ele falou em uma entrevista que quer ir a WB. E que até se for para ir com remédios ele vai, desde que não seja a infiltração.
        Torcendo muito aqui para que o tratamento dê certo. Quero muito ver o Nadal jogando na grama, agora que está subindo mais à rede.

  40. Gustavo

    15 dias onde vivemos ao ritmo de Roland-Garros.

    O pior é a manhã de segunda-feira após a final. Quando você percebe que não há calendário de partidas. E que teremos que voltar a trabalhar “normalmente”

  41. Maria Izabel

    Não há um senão sobre seu belo texto.Parabéns!
    Quanto a Nadal é um espetáculo ver sua garra,sua vontade,sua luta ,é um exemplo de atleta.
    Torço para que dê certo um novo tratamento,e que volte como o Miúra.
    Foi um risco jogar dessa forma,mas quem faz o que ama tem esse espírito mesmo.
    Que Federer volte e joguem juntos a Laver,é mais um capítulo dessa linda história.
    Nem gosto de pensar no fim dessa dupla.

  42. V Mauricio

    Boa noite meu caro Dalcim!
    Apesar de não ser torcedor do Nadal, sou fã (assim como sou fã do Federer e do Djoko). Esse fato de ganhar um único Slam 14 vezes é inimaginável!!! Muito difícil de ser superado. O cara ganhou Roland Garros em 3 décadas diferentes!!! De todos os esportistas que já vi, pra mim é o maior competidor, sem dúvida.
    Com relação ao futuro, acho que ele deveria parar por enquanto, cuidar do pé, fazer uma preparação específica e tentar fazer de tudo pra ganhar o finals (já deve estar classificado, com 2 Slams no ano). É título que lhe falta. Caso conseguisse esse feito, encerraria a carreira com chave de ouro. Não o vejo com chance de ganhar mais Slams e jogar Wimbledon ou US open poderia agravar muito sua situação física.

    1. SANDRO

      Que viagem!!!
      O cara ganha Australian Open e Roland Garros e o V MAURICIO acha que ele não tem chances de ganhar Grand Slams??? Isso é piada???
      E o cara ainda quer que Nadal ganhe Finals???
      Se for pra NADAL se desgastar ganhando alguma coisa que seja ganhando GRAND SLAMS ou MASTERS MIL, esquece esse palhaçada de Finals e Olimpíadas!!!

  43. Heitor

    Pela primeira vez na carreira, Rafael Nadal ganha Australian Open e Roland Garros no mesmo ano.

    Chega aos 22 Slams, ampliando sua vantagem sobre Novak Djokovic e Roger Federer.

    Seja qual for a decisão sobre o futuro, faz história com 36 anos, depois de tantos problemas físicos

  44. Ruy+Machado

    Rafael Nadal crava, após o 22° GS, seu nome na História como um dos maiores atletas de todos os tempos! Não só pela qualidade quase única de se jogar tênis, mas também pelo seu profissionalismo, determinação, resiliência e amor ao esporte!
    Esportistas com um pouco menos de força mental já teriam entregado os pontos e desistido de tudo. Obviamente, Nadal não é só ele. Existe todo um staff, equipe e família que cuidam de seu bem estar e estão na mesma sintonia do grande campeão. Todos compromissados com o mesmo objetivo, o que gera segurança para o homem, empresário e atleta Rafael Nadal para seguir em frente e continuar escrevendo sua história de sucesso e superação!
    Esses dias, li no site de notícias uma colocação interessante de um participante (se não estou enganado, Valdemir Colleone) que escreveu o seguinte sobre a lesão no pé esquerdo de Nadal, que o aflige há 15 anos: ” É a mão de Deus equilibrando as competições! Já pensou se ele não tivesse esses problemas físicos?”
    Sim, eu já pensei… Uns 27 GS, 45 M1000, mais uma medalha Olímpica só para ficar aqui. Maior número de semanas como N°1 do ranking seria consequência, pois eu não preciso explicar para ninguém que as seguidas lesões impossibilitaram continuidade ou sequência de torneios que o manteriam mais tempo na ponta. Mas se há uma intervenção divina para se ter mais graça na concorrência, que assim seja!
    GOAT da determinação, da resiliência, do mental… O homem de 1000 vidas!
    Se conseguir se manter saudável e competitivo por mais dois anos, encontar soluções para amenizar suas dores no pé e ganhar mais uns 3GS, ficará difícil não dizer que é o GOAT do Tênis! Abc e parabéns a todos os torcedores do Nadal!

  45. Jocelino Jr

    Mestre Dalcin excelente texto.

    Nada a falar sobre Nadal e RG. Seria redundancia. Meu ponto eh outro.

    Se o tratamento der certo e Nadal pisar em Wimbledon sem dores aposto fortemente numa final Rafa e Nole. Mestres da grama! Olha os voleios do Rafa!

    Seria historico.

    PS: lembrando que com Zverev e Medvedev fora Nole e Rafa serao cabecas 1 e 2 e so se enfrentam na final.

    O que vc acha mestre? Calendar Slam pro touro?

    Vamossss

  46. Guilherme

    Dalcim, parabéns por mais um excelente texto, escrito numa linguagem clara, recheada de dados estatísticos interessantes, e com um toque de refinamento que dá gosto de ler!

    Um fato que não pode passar despercebido: Nadal mais uma vez mostra sua genialidade e consegue cravar 11 games consecutivos numa final de Grand Slam.

    Agora vem a dúvida (e o desafio…..rsrs): essa sequência de 11 games consecutivos na final de hoje foi a maior de todos os tempos numa final de Grand Slam? Ou teve algum tenista que conseguiu cravar uma sequência maior?

    Fica a dúvida aí, porque sei que você certamente terá a resposta!

    Abraços!

    1. José Nilton Dalcim

      Essa realmente não consigo te responder, Guilherme, até porque os dados antes de 1980 são bem mais precários.

  47. Emerson Nogueira

    Bom, tem algo nesse negócio de GS que pesa a favor de Federer, o suíço nunca caçou GS, os GS sempre foram parte da dominância dele, até lá por 14/15, ele só perdia os GS pq amarelava pra Djokovic, mas mesmo assim, ele jogava a temporada, não focava em um ou outro Slam, coisa que Nole e Nadal tem feito nos últimos anos, claro que o terreno pouco fértil também ajuda muito, com jogadores como TSitsipas e Medvedev abrindo 2×0 e entregando depois. Por isso que esse negócio de número de GS no fim das contas é só mais um critérios, pois dois estão vivendo o tênis apenas para isso.

    Obs: Que tenista horrível foi Ruud nessa final, hein

    1. Efraim Oliveira

      Ah, tá, Roger nunca priorizou determinados slams… só pulou Roland Garros uns anos aí.

      Meu caro, antes de você citar as entregadas do Medvedev e do Tsitsipas, tu já contou quantos slams Roger conseguiu ganhar de Novak e Nadal? A conta não chega nem a dez. Ou seja, ganhou o restante em cima de quem?

      Quer entregada maior do que ter dois 40-15 em dois slams e mesmo assim perder o jogo?

      1. Emerson Nogueira

        SIm cara, é fato que Federer entrega GS pra Djokovic, nem discuto isso, já pra Nadal não, fora de RG o placar é 3×2, e ainda tem um Finals em cima dele. Mas a questão é que Federer só realmente se empenhou em ganhar um GS em Wimbledon 2017. Todo o restante foi apenas decorrência da temporada.
        E eu não tô dizendo que Federer seja melhor que os dois não, apenas que a analise do número de GS pode não refletir de fato a grandeza do jogador. Por exemplo, Medvedev, Tsitsipas, Zverev, Rublev, Ruuimd, etc, chegam num GS depois de terem focado nos torneios anteriores, enquanto Nole e Nadal focam só nos GS, ou seja, vc ignora toda uma temporada para apenas 4 torneios, isso acaba que não diz muito sobre o que foi determinados jogadores em determinadas temporadas.
        Não tô dizendo que tenha que se tratar os GS como os ATP’s 250 não, apenas que o número de GS pode não refletir a real grandeza do jogador perante o circuito. Por exemplo, imagina Nadal ganhar também o US Open (acho que ele não joga Wimbledon, e seria burrice se jogasse), mas quando vê, apesar dos 3 GS, Alcaraz termina a temporada como n1? Enquanto um focou apenas nos torneios grandes, outro preferiu focar na temporada, e no fim saiu vitorioso. Tu acha que esses 3 GS tem o mesmo valor como, por exemplo, aqueles 2 GS a temporada de 2013 de Nadal?

        Eu acho que o Goat hj gira em torno de Nadal, Nole, Sampras e Laver, mas falar em GS como critérios principal pra distinguir um do outro acaba que pode restringir o tênis a muito pouco

        1. Rhenan+Zimermann

          É um ponto de vista a ser considerado Emerson, porém eu discordo. Toda análise exige recorte e contexto, mas visando contribuir ao debate, penso que há muita relatividade nessa sua leitura. Muitos “Se (s)”. Essa relatividade ainda abre brecha para os devaneios do fanático Paulo Almeida, que visa atribuir categorias aos títulos de SLAM em PARRUDO e NÃO PARRUDO! Brincadeiras a parte, seguindo no raciocínio, embora Nadal e Djoko foquem atualmente em SLAM, eles com certeza não entram em torneios “preparatórios” deixando de se importar em perder, tampouco deixam de dar o seu máximo. Treino é treino, jogo é jogo. Naturalmente, em razão da idade, selecionam melhor o seu calendário, mas isso é mais um mérito do que um um demérito e, demonstra mais ainda, a qualidade impar deles, que jogando muito menos torneios do que os jovens, conseguem permanecer há muito tempo no topo do ranking. Por fim, optar por chegar melhor preparado nos SLAMS, pra mim não passa de uma mera presunção, longe de ser garantia de isso efetivamente ocorrer. Para finalizar, sou da opinião que tênis não é só estatística. Eu que sou torcedor do Nadal, tenho como “certo” que ele só não foi nº 1 durante mais tempo e mais temporadas, porque nunca conseguiu jogar sequências de 02, 03, 04 anos seguidos em alto nível sem interrupções por lesão, mas reconheço que isso é achismo e entra na relatividade do famoso “SE”. Pelo que sei, e me corrijam se estiver enganado, desde sempre que os SLAMS são os torneios mais almejados pelos jogadores do Tour e de maior peso nas estatísticas para se determinar o GOAT, se é que isso será possível, mas com certeza não é a única! Abraço!!!

          1. Emerson Nogueira

            Acho que não, vê os jogadores dos anos 70/80, a maioria dos de maior gabarito nem jogavam o AO. Talvez a época fossem os mais importantes, porém não era que moldava a carreira de um atleta.
            Toda essa discussão, ao meu ver, se intensificou com Federer, quando ele tava perto de Sampras. Ao meu ver, na época que Federer dominava o tênis, era mais “fácil” dizer quem era o GOAT, pois ele concentrava todos os recordes pra si praticamente, hoje ele não entra nem no TOP, pois, ao meu ver, muita coisa começou a entrar em consideração pra essa análise.
            Vê Nadal mesmo, se Sampras tivesse toda a medicina que Nadal tem hoje, que dá pra ver o quanto isso faz diferença na carreira do espanhol, certeza que naquela época de Hewitt, Guga e Roddick, ele teria ganho uns 10 se brincar. Fora que ele também não jogou o AO por vários anos quando era mais novo. Tivesse um Carlos Moya da vida pós 30 anos, com certeza teria terminando a carreira com uns 120 títulos.

          2. Paulo Almeida

            O que parrudez tem a ver com fanatismo? Houve e sempre haverá Slams com caminhos mais fortes do que outros até o título. Simples assim!

            Você só deixará de ser fanático quando aceitar a vitória HOMÉRICA do Craque Djoko sobre o Nadal em 2021 na melhor partida já disputada em RG, pelo menos pra quem entende de tênis como Murray, Del Potro e Schwartzman.

            Abs!

        2. Cleverton

          N vejo muito sentido no que falou, principalmente por nadal e djoko terem vencido bem mais atp 1000 q o Federer. No final, no quesito q importa federer já está bem atrás dos outros dois concorrentes

    2. SANDRO

      Grand SLAMs e MASTERS MIL são os torneios mais importantes do tênis e se o FREGUÊSer foi freguês de NADAL E DJOKOVIC nestes tipos de torneio, ele não tem competência para ser o GOAT!!!

      1. Miguel BsB

        Finals é acima de Masters 1000.
        Premia o vencedor com 1500 pts. Enfrentam se os 8 melhores da temporada.
        Não vou nem entrar no mérito do Ouro Olímpico.
        Pare de deturpar os fatos.

        1. Luiz Henrique

          Premia com 1500 se vencer todos os jogos
          É possível ser campeão e levar menos de 1500 pontos
          É um torneio importante, mas ele se aproxima mais de M 1000 de que GS, por ser melhor de 3 sets e ser possível ganhar menos de 1500 pontos e ser campeão

          1. Miguel BsB

            É possível vencer o Finals e ganhar menos de 1500 pts, mas é impossível vencer o Finals e ganhar “somente” 1000 pts.
            Portanto, Finals > Masters 1000.
            Em nenhum momento eu escrevi que o Finals é maior ou igual a um Grand Slam.

    3. Luiz Fabriciano

      Nunca caçou GS?
      Torcedores que não conhecem o ídolo… interessante.
      Antes dele ganhar o primeiro, seu principal discurso era: já estou pronto para meu primeiro GS!

  48. Bruno

    Mestre, o que vc está imaginando que o Federer planeja para o seu retorno às quadras?

    Já me parece quase impossível ele conseguir uma grande conquista para encerrar sua carreira.

    Talvez ele queira tentar um último ato para deixar essa lembrança, mas será que vale o risco?

    Como é difícil para qualquer esportista se aposentar no auge, né?

    Abraços e parabéns pelo blog!

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele se impôs o desafio pessoal de voltar a competir. Muito provavelmente, sabe que não conseguirá retomar o alto nível, mas é justo que tente uma despedida dentro de quadra, Bruno.

  49. Luiz Fernando

    Para aqueles q tiverem curiosidade sobre o tipo de tratamento q Rafa fará segue algo bem simples e voltado p leigos: https://my.clevelandclinic.org/health/treatments/17411-radiofrequency-ablation

    Ruud tem q ser louvado pois chegou a essa final com méritos totais. Claro q ele vencer seria uma zebra descomunal, mas a bem da verdade a derrota começou no discurso após vencer Cilic quando ele expôs que Rafa era seu ídolo e aquela papagaiada habitual de q vencer seria muito difícil etc, mas de fato é muito difícil olhar do lado de lá da rede e ver uma lenda viva como adversário. Em resumo, ele entrou na quadra derrotado…

    Eu q frequento esse espaço há um bom tempo, me lembro bem dos anos duros de 2015 e 2016, quando determinado segmento, que nem preciso dizer qual é, tripudiava sobre os demais, sempre lastreado nos… números kkk. Um dos recalcados de sempre comentava q Rafa tinha atingido o mesmo número de GS de Sampras, o q seria demais p ele, e q isso seria um sacrilégio kkk. Passados alguns aninhos, Rafa se reinventou, adquiriu um jg de rede excepcional e melhorou demais o BH, que hj é bem ofensivo e regular. Resultado: de fato houve empate com o genial Sampras, porém apenas com títulos de RG; desde 2017 Nadal venceu 8 GS, o mesmo número da carreira de Agassi, outra lenda do esporte. Nada mal p um baloeiro passador de bola kkk (como os caras tão sofrendo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk)…

    Claro q os maiores méritos pelas adaptações feitas no jg do espanhol são do próprio Nadal, mas não há como esquecer do Moya, q chegou p o time de Rafa desacreditado por muitos e transformou o jg do cara. Associado a isso, seu time de preparação física é incrível e aos 36 anos o cara ainda voa em quadra, pra desespero daquela turminha recalcada da clínica de Camboriú. E não há também como esquecer do Dr Angel Cotorro, um verdadeiro mago p o espanhol…

  50. Maurício Luís *

    Primeiramente, parabéns ao Nadal e a todas as Nadalzetes, capitaneadas pelo incansável Luis Fernando.
    “Segundamente” (como diria o Odorico Paraguassu), é bom saber que o Nadal está ciente dos riscos dessas infiltrações a torto e a direito e parece que está com os pés no chão (embora 1 deles anestesiado…).
    Os organizadores de RG deviam mudar o nome pra “Torneio Rafa ‘Balão’ Nadal” e já entregar os próximos 5 trofeus pra ele, que aí já adianta o expediente. O Casper Ruud – que desde a véspera já estava com cara de vice apresuntado – correspondeu plenamente às expectativas. Até superou… perdendo o rumo da Noruega no último set, o qual foi o fim… da picada pra ele.
    E o LÓGICO, hein? Numa hora dessas deve ter tomado 2 cartelas de comprimidos pra dor de cabeça e está com uma bolsa de água quente na testa e um termômetro na cavidade bucal.
    Alguém poderia me dizer ” – Ah, mas você também torce contra o baloeiro! ” Sim, verdade. Mas o negócio é rir pra não chorar. Se o circo tá pegando fogo, pego logo um espeto e faço churrasquinho. E ofereço pro palhaço, que alegria de palhaço é ver o circo pegar fogo.
    Que nem o Nero que pos fogo em Roma pra tornar o ambiente + quente e ele poder afinar a harpa.
    3 sets a zero, “pneu” no terceiro… 2 Slams de vantagem sobre Nole e Federer… Larga mão. PÓ PARÁ.
    Assim não vale. ASSIM EU NÃO BRINCO MAIS !!

    1. Luiz Fernando

      Acho q maior mérito do Nadal é vencer mesmo com a… sogrinha querida torcendo contra kkk. Abs.

      1. Maurício Luís *

        Luiz Fernando, bom dia. A situação da sogríssima é mais ou menos a mesma do Lógico numa hora dessas. E ela aproveitou pra lhe mandar lembranças!

    2. Rafael Azevedo

      Você cravou que o norueguês não faria mais do que 5 games. Só pra te contrariar, ele fez 6.

  51. DANILO AFONSO

    Com o avançar da idade e consequentemente menor disposição física de outras temporadas, Nadal se reinventou nesta temporada, escancarando uma genialidade que não víamos quando sobrava fisicamente. Ele entrou nesta edição de Roland Garros bem mais “humano”.

    Ele deu um show nas tomadas de decisões, muitas vezes mesmo quando não chegando equilibrado (ou sobrando) nas jogadas. Foi monstro no quadradinho, não ficando aquém das melhores versões do Federer, foi excelente no jogo de rede, escolhendo muito bem o momento exato para fazer o approach matador e no fundo da quadra foi assustador alguns winners que ele aplicou quando o adversário dominava o ponto. Aquela sequencia de winners no tiebreak contra o Zverev foi surpreendente.
    _________________________________________________________________________________________________________________________

    Muito se fala do poderoso forehand do Del Potro e González e da variação do Federer neste golpe, e raramente leio alguém incluir o Nadal entre os 5 melhores neste fundamento. O forehand do espanhol não tem a mesma velocidade dos dois primeiros citados e nem a variação do suíço, mas o peso (spin), altura da bola e o fato de ser canhoto, bem como a inteligência e precisão em saber quando utilizar o modo mais contundente do golpe, torna o forehand do Nadal uma máquina de captar pontos, não tendo como não incluí-lo entre os 5 primeiros da lista.

    1. Miguel BsB

      Danilo, na minha lista sem dúvidas o FH do Nadal é top 5…
      É o principal golpe do maior campeão de GS da história, só isso já basta.

    2. Rafael Azevedo

      Pra mim, é o maior forehand da história, porque é completo. Não é só uma questão de winners e ofensividade, mas também de defesa, troca de direção, contra ataques, forçar o adversário a ir para a esquerda para dominar o ponto na bola seguinte, etc.
      O Nadal faz um estrago nós adversários com a sua “direita”.
      Sem falar nas curtinhas de forehand dele que são um espetáculo à parte.

    3. Andre Eduardo

      Aquele forehand na corrida é inigualável! O que o Nadal fez no tie-brake contra o Zverev foi assombroso.

  52. Arthur

    Parabéns pra torcida do Nadal, Dalcim.
    E o que eu mais gosto das vitórias do Nadal é o quanto o espanhol é humilde e sincero ao dizer, em outras palavras, que está simplesmente cagando pro recorde de slams, como se isso fosse de alguma forma definir o tal “GOAT” do tênis mundial.
    Já disse aqui outras vezes e volto a repetir: se fôssemos definir o “melhor de todos os tempos” com base unicamente em números, haveria bons argumentos para defender que qualquer um do Big 3 poderia ocupar o posto.
    A questão, contudo, é que, além de ser impossível definir um “melhor de todos os tempos” (eras diferentes, tecnologias diferentes, pisos diferentes, etc.), a partir de determinado ponto não faz mais sequer sentido discutir números. Ou alguém por aí acha que os últimos oito slams de Nadal em RG fazem diferença para defini-lo como o maior saibrista de todos os tempos?
    Em resumo, parabéns pro Nadal, que é um exemplo de competidor e esportista, e também para a torcida dele, que está comemorando com justiça mais uma taça.
    A lamentar, somente, mais uma vez que ninguém das novas gerações tenha sido capaz de superar esses caras em Slam. Estava até com esperança de que o Zverev enfim desabrochasse, mas a torção do tornozelo pôs tudo a perder.

    Um abraço.

  53. Samuel

    Dalcim,

    Alexandr Karelin, russo, competiu na luta livre. Na sua carreira conseguiu 887 vitórias e 2 derrotas.
    Será que o Rafael Nadal é um competidor mais ferrenho que o russo?
    A carreira do Nadal, assim como as carreiras dos outros membros do Big 3, é fantástica, exemplar e maravilhosa, mas está muito abaixo da carreira do russo, não dá para pensar em comparâ-las, tal é a superioridade da carreira do russo.

    Samuel, o Samuca

      1. Samuel

        Marcos,

        Você realmente está certíssimo em afirmar que luta livre não é esporte. Talvez fosse esporte na época dos Jogos Olímpicos disputados há 2500 atrás. Realmente deixou de sê-lo.
        Por isso, aceite minhas sinceras desculpas.

        Samuel, o Ssmuca

  54. João ando

    Pois eu acho que era devir parar.acho que não vai ter solução e vá ter que jogar a base de infiltração

      1. Miguel BsB

        Olha, a última teoria que eu recebi no ZAP (foi minha tia que me mandou, e se veio do ZAP, é verdade), é que o tio jogador de futebol do Rafa, meu xará, pegou toda sua fortuna ganha nos gramados e pagou a Federação Francesa para que seu sobrinho ganhasse, ao menos, 15 edições de RG…
        Então, fique tranquilo, que ainda tem mais 1 pra conta…
        “Conheceis a verdade, e a verdade vos libertará”
        Espalhem a verdade logo, antes que coloquem em sigilo de 100 anos.

      2. Fernando Brack

        Eu não tenho a menor dúvida. Tanto que deram um jeito de nem aparecer adversário pra ele na final. E vcs ainda nos enchem o saco com os Baghdatis, Philippousis e Roddicks da vida.

        1. Luiz Fernando

          Talvez o Brack seja namorado daquela moça, que falou tanto essa história no ouvido dele q o convenceu kkkk…

  55. LOMEU LIMA

    Parabéns ao espanhol por mais uma façanha. Quem imaginaria que o recorde de GS de Pete Sampras (14) seria quebrado um dia. Federer, Nadal e Djoko alcançaram tal feito. Todavia, Nadal foi muito além, ganhou hoje o 14° no mesmo Torneio. Surreal tal fato.
    Caso não tivesse títulos em RG e encerrasse sua carreira, o faria com “apenas” 8 Títulos de Majors, ocupando o 8° posto de maior vencedor de GS do Tênis masculino individual, ao lado de lendas como Agassi, Lendl, Connors e outros.
    Para alguns que de forma pejorativa o rotulavam de jogador de um único piso, soa como recalque.
    Fico pensando quantos títulos teria a mais, caso não tivesse tantos problemas físicos.
    Felizmente, deve continuar jogando de forma mais racional.
    Viva o tênis, viva Rafael Nadal.

    1. Rafael Azevedo

      Perfeito.
      E eu digo mais…
      Se Nadal não tivesse vencido um único RG, ele provavelmente teria bem mais do que 8 salms nos outros pisos.
      Explico: o espanhol sempre priorizou a temporada do saibro europeu, chegando até a sacrificar parte do restante do circuito muitas vezes, porque ele sabia que ali era o lugar onde ele tinha suas maiores chances. Se ele não fosse um vencedor em RG, a prioridade dele estaria voltada para outros torneios e mini temporadas. E como grande atleta que é, ele teria se adaptado para vencer onde quer que seja.

    2. José Yoh

      Os problemas físicos são causados pelo esforço no início da temporada, Lomeu. Ele prioriza o saibro que é seu ganha-pão e paga o preço das lesões a prazo (com operações e descansando quase metade do ano) há muitos anos.

      Alguns dizem que a idade não influencia mas os resultados atuais do Big 3 só são possíveis porque eles priorizam os slams (quase não participam dos M1000) e há toda uma tecnologia/medicina por trás para sustentar seus títulos. Não creio que essas anestesias nessa quantidade/frequência seriam possíveis para atletas há um tempo atrás.
      Abs

  56. Danilo BR

    E não há qualquer sinal de uma nova estrela surgindo com potencial pra encarar a hegemonia de Nadal e Djokovic nos Grand Slams… os tenistas da nova geração são todos medianos, então veremos uma disputa sem fim entre os dois maiores monstros do tênis, pois não acredito mais em retorno triunfal de Federer.

    1. César

      Eu acho que em vez de 3 teremos um que terá um domínio que talvez nenhum outro sozinho tenha tido: Alcaraz. Eu acho que os próximos dez anos será dele.

    2. Kevin W A Campos

      Alcaraz vem forte eu creio, e quando começar a ganhar vai ser difícil parar daqui uns 2 anos.

  57. Rodolfo Marques (Belém-PA)

    Boa noite, Dalcim.

    Mais uma vez, gostaria de elogiar seu texto e seu blog, com qualidades diferencias.

    A seguir, faço duas perguntas a você:

    – Mesmo considerando que Nadal, Djokovic e Federer (este, menos) ainda estão com as carreiras em andamento, é possível afirmar que, no contexto de hoje, após mais uma conquista incrível, o espanhol já é o maior/melhor tenista de todos os tempos?

    – Estive revendo, recentemente, o filme “Moneyball: o homem que mudou o jogo”, sobre Billy Beane, no contexto do beisebol. É possível traçar um paralelo com o Rafael Nadal, no tênis, na maneira de ele se impor nos campos físico, tático e mental diante dos rivais – e melhorando, tecnicamente, sempre? Nadal foi “o homem que mudou o jogo”?

    1. José Nilton Dalcim

      Essa discussão do ‘melhor’ precisa ser feita no tempo certo, Rodolfo. Wimbledon está aí, com ambos em condições de vencê-lo, então ainda acho prematuro avaliar carreiras em andamento. Quanto a ‘mudar o jogo’ acho que não cabe muito ao Nadal, apesar de suas façanhas espetaculares. Até porque seu estilo é único e provavelmente jamais será imitado.

  58. Efraim Oliveira

    Os números mostram que Nadal é o rei do tênis. Nadal é só o rei do saibro, como dizem alguns, mas vamos lá:

    -Nadal dominou muito mais sua superfície favorita do que seus adversários as deles;
    -Nadal, fora do saibro, conquistou 4 grand slam sobre seus principais concorrentes; já eles sequer foram capaz de tirar dois sets de Nadal numa final no saibro.
    -Mesmo tendo disputado menos slams e tendo feito menos finais, Nadal é quem tem um aproveitamento melhor em finais, portanto conquistou mais títulos.
    -Mesmo o circuito sendo dominado por quadras que não favorecem seu estilo, Nadal lidera a estatísticas de percentual de vitórias e sets vencidos.
    -Se pegarmos a melhor versão de Nadal, teremos um Sampras; se pegarmos a versão menos eficiente teremos um Agassi, que dá igual a 22 slams.
    -Só por suas conquistas em Roland Garros Nadal seria top 3 na conquista de slams.

    Vencer 14 finais em 14 disputada num slam, com certeza é o maior feito do tênis.

    Obs: toda vez que Nadal voltou a ganhar Roland Garros ele sempre emplacou uma sequência de quatro ou cinco conquistas. Sinal que teremos o mesmo campeão até 2025, no mínimo?

    1. Jonas

      Nadal tem o feito mais absurdo, que é vencer o mesmo Grand Slam 14 vezes. Além disso, JAMAIS perdeu uma final por lá, mesmo sendo contemporâneo de caras como Djokovic e Federer. Seu domínio no saibro é algo fora de série, eu duvido que o Alcaraz ou qualquer outro tenista chegará próximo disso.

      Agora, na questão de ser o maior, fazendo uma análise fria, creio que ele está parelho com o Djokovic. Não é absurdo algum dizer que o espanhol hoje é o maior, ele tem feitos inacreditáveis que nunca serão repetidos ou superados. Mas a discussão ainda existe, devido ao fato de o espanhol nunca ter vencido o Finals, ter menos semanas como número 1 (a diferença aqui é enorme), menos temporadas terminadas como número 1 e masters 1000 (são bem próximos).

      Independente dos números, acho Nadal um competidor melhor que o Djoko. Ele briga mais, aproveita melhor suas chances. Já o sérvio deixou escapar algumas partidas. A mais marcante pra mim é a final do US Open 2013, contra o próprio Nadal, que conseguiu arrancar a vitória do sérvio.

  59. Fernando

    Djokovic deve estar pedindo muito aos deuses sérvios que esse novo tratamento do Rafa não dê certo. Do contrário?…

  60. Fernando

    Meu Deus! Até onde vai Rafael Nadal?! Sem dúvida, o melhor da história! Aliás, Djokovic e Federer devem agradecer muito às contusões do espanhol. Sem elas, quantos títulos de grand slam mais Rafa teria?

  61. Luiz Fabriciano

    Nadal tem treze anos a mais que Ruud e é o mais velho campeão de RG.
    Quando digo que torcedor não pode analisar, é por isso.
    O federista doente, Pessanha, cravou 3 anos atrás que Nadal e Djokovic estariam aposentados aos 35.
    Um é o atual #1, o outro, nem preciso dizer.

    Consolo: o grupo de vencedores de Nadal em RG continua restrito a Soderling e Djokovic. O primeiro, aposentado, tem agora, isso como o maior feito de sua carreira.
    O segundo, é o único a ter esse feito duas vezes, além de um caminhão de outras coisas.

  62. Lott Alves de Brito

    Se não fosse os problemas físicos, manteria um dos recordes de semanas como numero (1) um,iria ameaçar o Frederer e o Djokovic

  63. Carlos Bicalho

    Dalcim, vc se lembra de uma final tão sem emoçoes como essa? Eu achei a pior q já vi, esse Ruimdd não tem gabarito para estar em uma final, foi sorte de pegar uma chave fraca.

      1. Luiz Fabriciano

        Para mim, a pior de todas foi a que o Ferrero ganhou seu RG.
        O Ruud é jogador de enorme potencial, diferente daquele que nem lembro o nome e fez aquele torneio da vida.

  64. Bruno

    Nadal é um fenômeno, por razões de torcida,deixei de admira lo,um grande erro.
    Não tem a técnica refinada do Federer, mas é muito mais jogador que o Djokovid.
    Vida longa ao Rafa.

  65. Wendell Carvalho

    Sinceramente números fantásticos e alguns bizarros de tão exuberantes, talvez nunca serão alcançados “nunca diga nunca”… Novamente vem a baila a grande discussão do mundo do tênis, seria Nadal o GOAT? Tenho certeza absoluta que se hoje esses números fossem de Federer ou Nole, não estaríamos discutindo, mas como alguns não nadalistas insistem em achar conquistas que não os Slans pra determinar quem o é. Pra vc meu querido mestre Dalcim, HOJE Nadal pode ser considerado o melhor de todos os tempos em nosso amado esporte?

    1. José Nilton Dalcim

      Se alguém o apontar, não haverá tantos motivos para duvidar. Mas é uma discussão ainda precoce.

  66. Gilçon+De+Jesus

    Dalcim , impressionante esses 14 títulos em Roland Garros do Nadal . Só nesse Grand Slan ele tem a mesma quantidade de títulos do Sampra s ?
    Parabéns RAFA pelo 22 Grand Slan, vamos Touro.

Comentários fechados.