Primeiro samba em Paris
Por José Nilton Dalcim
22 de maio de 2022 às 18:48

Depois de seis anos, o tênis feminino brasileiro voltou a vencer nas chaves de simples de Roland Garros. Na sua volta ao saibro parisiense desde a estreia de 2017, Beatriz Haddad Maia saiu vitoriosa em um jogo em que novamente controlou a cabeça. A última a ganhar em Paris havia sido Teliana Pereira, em 2016.

Bia agora tem vitórias em três diferentes Grand Slam, somando-se às três da Austrália e às duas de Wimbledon. Apenas Maria Esther Bueno e Cláudia Monteiro ganharam até hoje ao menos um jogo em cada Slam ao longo de suas carreiras.

Sua próxima adversária será a estoniana Kaia Kanepi, veterana de 36 anos que esteve duas vezes nas quartas de Paris, mas a última há exatos 10 anos. Gosta de bater firme e comandar os pontos e não à toa 10 de suas 15 vitórias sobre top 10 foram em Slam. Foi exatamente assim hoje contra a instável Garbiñe Muguruza. Quem vencer, deve encarar Coco Gauff.

Se está inconstante, principalmente com o saque a favor e com certa pressa nas definições, Bia mostra outra vez que a cabeça está em dia. Levou 1/6 e esqueceu rapidamente. Explorou muito bem o saque aberto de canhota no lado da vantagem na reta final.

“Tenho feito muitos jogos no terceiro set e isso acaba dando confiança, porque você se sente fisicamente bem e muito competidora”. Bia vai jogar duplas com Anna Danilina, repetindo a parceria de sucesso da Austrália, e mistas ao lado de Bruno Soares.

Ritmo de treino
Alexander Zverev e Carlos Alcaraz venceram em ritmo de treino. Sem jogar desde o título de Madri, o garoto espanhol teve um adversário bem apropriado, o argentino Juan Ignacio Londero, que fez um bom primeiro set. Agora, vem um novo teste diante do compatriota Albert Ramos, canhoto cheio de experiência. Maria Sakkari e Belinda Bencic liquidaram rapidamente suas tarefas.

Primeiras surpresas
Alejandro Davidovich Fokina voltou a ser o reclamão inconformado e. mesmo vencendo fácil o primeiro set, levou virada do bom holandês Tallon Griekspoor, dono de um pesado forehand e que não pensa muito na devolução de saque. Também caiu o cabeça 31 Jenson Brooksby, mas esse não joga nada no saibro e pegou a raposa velha Pablo Cuevas, que o massacrou.

A grande surpresa coube a Magda Linette, que soube reagir depois de um primeiro set em que se rendeu às bolas variadas de Ons Jabeur, uma sensação da temporada de saibro. A tunisiana se perdeu então nos erros – 47 no total – e, mais grave ainda, nos game decisivos dos sets seguintes, como o bisonho smash que antecedeu o match-point.

Sinal de alerta
Apesar do desempenho surpreendente do peruano Juan Pablo Varillas, a estreia de Felix Aliassime foi temerosa. Talvez tenha pesado o fato de nunca ter vencido em Roland Garros. Vamos ver o que acontece contra outro sul-americano, o argentino Ugo Carabelli. Outro que não me agradou foi Diego Schwartzman, com intensos altos e baixos, e se continuar assim pode tropeçar em Jaume Munar.

Fiascos
Dominic Thiem não se achou um minuto sequer diante do versátil Hugo Dellien, totalizando um set vencido em sete partidas desde o retorno. Voltou a falar que precisa de paciência. Garbiñe Muguruza terminou a temporada de saibro com duas vitórias, vem de contusões no ombro e na panturrilha e isso lhe custa confiança. Nem mesmo saindo na frente, a campeã de 2016 conseguiu sustentar o ritmo e por vezes sacou muito mal.

Os novos tempos
Foi inaugurado oficialmente o novo sistema de placar do quinto set em Roland Garros, o único que mantinha o ‘set longo’ no circuito. O argentino Camilo Carabelli surpreendeu o russo Aslan Karatsev, por 6/3, 4/6, 6/4, 3/6 e 7/6, com 10-5 no supertiebreak decisivo. Será assim em todos os Slam a partir de agora.


Comentários
  1. Paulo Sérgio

    Dalcim,

    Eu admiro pessoas poliglotas e gosto de ver a desenvoltura de Djoko com idiomas. Você sabe me dizer qual é o tenista (homem ou mulher) que domina/dominou mais idiomas na história? É só uma curiosidade. Se tiver essa informação, compartilhe.

      1. Paulo Sérgio

        Tranquilo. Obrigado. Pelos meus cálculos, Djoko deve dominar o francês, inglês, o seu idioma natal, o italiano e o espanhol. Não me lembro dele falando em alemão. De qualquer forma, nada mal.

        1. Sérgio Ribeiro

          Sua Esposa citou estes 5 . O mesmo número de Roger Federer que pra minha surpresa não fala Espanhol , curioso Paulinho rsrs. Abs!

  2. Oswaldo Euclydes Aranha

    Vendo o jogo de Djokovic com o Nishioki, lembrei-me dos primeiros automóveis a álcool no Brasil, custavam a esquentar.

  3. Sérgio Ribeiro

    Os três favoritos começaram com o PÉ direito. Como afirmou Moya , não será o pé que impedirá o Touro da conquista do SLAM 22 . O homem das 106 Vitórias e apenas 3 derrotas está mais vivo do que nunca . O mesmo vale para o excelente Saibrista Novak Djokovic. Dificilmente será surpreendido antes das quartas da maneira que está afiado . Resta ao fenômeno se manter firme mentalmente que dificilmente teremos Zebras antes da FINAL em RG 2022 . Os favoritos estão muito mais do que ligados e jogando muito. Abs!

  4. Luiz Fernando

    Esse japa q não consegue matar voleios fáceis mereceu esse pneu… ia postar isso agora, mas o Djoko se compadeceu da pobre criatura e permitiu a quebra!!!

  5. Ronildo

    Resumo da partida entre Marin Cilic, O Carismático e Attila Balazs:

    Primeiro Set: Attila Balazs não encontrou seu jogo: 6-0 Cilic
    Segundo Set: Attila Balazs comete menos erros: 6-1 Cilic
    Terceiro Set: Attila Balazs vai para o tudo ou nada: 6-2 Cilic

    E Fim.

  6. Marcelo

    Dalcim, vendo mais uma vez a chance de Zverev ser n1, e diante de tantos títulos que ele já ganhou em uma carreira extremamente consistente, é justo dizer que ele e o maior jogador de tênis que nunca ganhou Grand Slam?

    1. José Nilton Dalcim

      Se você pensar nos títulos de peso obtidos que não são Slam, acho que seria justo, sim.

  7. Luiz+Fernando

    Dalcim, não pude ver a partida, o q vc achou da movimentação de Rafa? Notou algo q possa ser associado a dor nos pés?

  8. sandra

    Dalcim, você não acha que o problema da Osaka e um pouco d má vontade com o saibro ? Vejo tantos jogadores e jogadoras que não gostam do saibro , mas mesmo assim eles ganham!

    1. José Nilton Dalcim

      Não sei se má vontade seja o termo correto, mas o fato é que ela precisa fazer certas adaptações e parece meio relutante nisso.

  9. João ando

    Dalcim.Cameron norrie fala que muitos tenistas não vão a Wimbledon. …caso isso aconteça. ..dos top 32 não forem …como vai ser montada a chave

    1. Luiz Fernando

      W é W, pagará muito bem, os jogadores são profissionais e acima de tudo isso valerá UM GS, será q qualquer uam dessas coisas é pouco? UM GS, será q é pouco, algo q poucos conquistam? Parece q o magistral Norrie não está emitindo opiniões magistrais…

    2. Sérgio Ribeiro

      O magistral e Britânico Cameron Norrie somente está reportando o que escuta nos vestiários , caro Ando . Alguns alienados aqui do Blog , teimam em postar asneiras sem parar . Principalmente porque não leem os comentários, vivem em outubro Planeta . O boicote em Wimbledon que levou 81 Tenistas a não irem , já foi na Era Profissional e o Torneio contava pontos . Podemos sim ter surpresa até a última semana . Embora Rafa e Novak briguem palmo a palmo pelo recorde de SLAM . Abs!

  10. Rossini Santiago

    Mestre. Estou vendo alguns confrontos de 1ª rodada aqui entre um qualifier e um luckyloser. A regra de sorteio permite que haja repetição na primeira rodada de um confronto realizado na última rodada do quali?

  11. Evaldo Moreira

    Bom dia,
    Gosto demais da Bia Hadadd, mas o seu o jogo carece de melhor estratégia e/ou variações do mesmo, tudo bem que, está bem fisicamente, e mental bom, mas não é o suficiente, tem que ganhar o primeiro e segundo, e vamos embora, fato.
    Acho que o seu saque, por ser canhoto, deveria causar mais estragos, mas não é sempre que acontece, outra observação, ela tem condições de cortar ritmo, e deveria fazer com mais frequência e evitar longas trocas, deveria fazer já de imediato.

  12. Alison+Cordeiro

    Inicio de RG trazendo boas expectativas com Nadal e Djoko no torneio com confronto à vista nas quartas e o fenômeno Alcaraz trazendo aquela bem vinda expectativa de uma passagem de trono no circuito mundial. Mas um GS é sempre exigente e não basta prometer, tem que entregar. Minha tristeza (e tenho certeza de vários outros) é ver Thiem tão longe da sua capacidade. Se esperava dele ao menos que estivesse na disputa das grandes competições, mas a contusão e outros problemas parecem tê-lo colocado numa espiral negativa de difícil retorno.

    Tão aguardada quanto as partidas do torneio são suas análises, Dalcim, de cada dia do torneio. Um tempo de trabalho intenso de sua parte e deleite de todos nós que acompanhamos seu blog. E uma dose extra de paciência para os comentários provocativos de sempre que seguem por aqui…rs, mas que não tiram sua energia de ler todos e comentar muitos. Grande abraço!

  13. Rodrigo S. Cruz

    Daniel C.

    Obrigado pelo conselho dado a mim na pasta anterior.

    Aliás, teve um que não gostou nem disso… mas não se intimide.

    Lembrando que a torcida que mais se organiza e se apoia mutuamente aqui é justamente a da ala nolista xiita.

    Agora, quando um federista enxerga uma injustiça e apoia o outro, aí eles acham ruim.

    Incrível…

  14. Heitor

    Osaka sobre jogar sem pontos em Wimbledon:

    Eu tenho a impressão que se eu jogar sem pontos, economia se fosse uma exibição. Eu não sei se é verdade, mas meu cérebro fica assim. E qdo penso nisso, não consigo ir e jogar 100%. Estou inclinada a não ir jogar.

    1. Heitor

      Já a Iga, on the same subject and after knowing Osaka’s answer. “I’m okay with playing with and without points. Poland is supporting Ukraine, we are close. There is more going on than points so I look it more in that way.”

    1. Heitor

      Não transmitiram!! Inadmissível. Entrei no bate-papo do suporte do Star+ para reclamar, sabe o que responderam? “É verdade, infelizme te esse jogo não está sendo transmitido, mas há vários outros jogos em transmissão”!!

  15. Mauricio

    Mestre o que aconteceu com os pontos das duplas australianas finalistas do AO 22? Vi que foram retirados nessa atualização do ranking? Foi só deles ou de toda a chave?

    1. José Nilton Dalcim

      Realmente, sumiram do ranking, mas é muito provável que tenha sido algum erro do sistema da ATP.

  16. Maurício Luís *

    ” Iga se sente + calma e recebe conselho de Nadal”
    – Nadal, o que devo fazer pra equilibrar meu calendário e não chegar estropiada no Finals?
    – Aaah, garota, é muito simples. Faça tudo o contrário do que eu faço!

    1. Paulo Almeida

      Sandro,

      Tome cuidado ao concordar com meus comentários, senão logo logo também acharão que você sou eu. Aliás, creio que isso já aconteceu no passado, rs.

      Abs!

      1. Bruno

        Aí não tem lógica nenhuma
        Esse Sandro ,é o Robson,ex torcedor do Federer que fugia para o sítio quando Djokovid perdia.

  17. Willian Rodrigues

    Quanto a nossa Bia Haddad, essa vitória é motivo de orgulho!
    Ainda que não seja contra uma adversária espetacular, á algo que devemos comemorar.
    O tênis brasileiro viveu um período sombrio nesses últimos anos, com raríssimas vitórias ou títulos importantes.
    No masculino, o último evento realmente animador foi aquele título do Thiago Wild no Chile, em cima do Casper Ruud.
    No feminino, houve a importante conquista da medalha olímpica e o ótimo desempenho da Luisa Stefani nas duplas, infelizmente interrompida por uma grave contusão.
    Que essa arrancada da Bia sirva de motivação para que outras (os) atletas alavanquem suas carreiras.
    Na torcida por uma inédita terceira rodada para a paulista!

  18. Willian Rodrigues

    Creio que toda essa dificuldade que Dominic Thiem vem enfrentando esteja também relacionada ao aspecto psicológico, e não apenas à recuperação do condicionamento físico e ritmo de jogo.
    Para citar apenas um exemplo recente de lesão grave no punho, que culminou com aposentadoria, temos o caso do Del Potro.
    Não deve ser fácil encontrar motivação para se sacrificar ao extremo, sabendo que pode haver recidiva, e que talvez o “tempo dele” tenha passado (28 anos).
    Pode parecer um exagero, mas o surgimento de tantos novos talentos logo após sua geração (Tsitsipas, Zverev, Alcaraz, etc.), alguns deles com excelente adaptação ao saibro, diga-se de passagem, torna-se um fator extra.
    Eu também gostaria de vê-lo atuando em plena forma novamente, especialmente no saibro, seu habitat natural.
    Faria bem ao circuito…

    1. João Borin

      Federer, ficou lesionado em 2016, passou por cirurgia e em 2017 voltou e ganhou Australian Open, masters Indian Wells e Miami, Winbledon, Xangai, Nadal a mesma coisa esse ano, depois de se lesionar em 2021. dois tenistas com idade avançada pra tenis competitivo. O Del Potro passou por inúmeras cirurgias nos dois punhos. Claro estamos falando de fenômenos (Federer e Nadal), mas 28 anos não é velho. O Thiem depois que ganhou o Us Open, parece que a pressão que ele sentiu foi enorme, e dai veio a lesão. Acho que ele joga muito, mas acredito que está na hora dele trocar de técnico também, procurar pessoas novas.

      1. Willian Rodrigues

        Olá João!
        Na verdade, não quis dizer que Thiem estaria velho, de modo algum…
        A questão é que, nesta fase da carreira, ele já poderia ter vivido seu auge, vencido alguns masters e mais slams, exatamente como aconteceu com alguns dos grandes tenistas.
        Uma exceção a esta “regra” talvez seja Wawrinka, que venceu seu primeiro slam aos 29 anos…
        Outro aspecto do meu comentário foi que o surgimento de outros jovens muito talentosos podem dificultar ainda mais outras grandes conquistas do austríaco.
        Mas, como gosto bastante do estilo e da persona do Thiem, também torço para que ele promova as mudanças necessárias e volte a vencer grandes torneios.
        Abs

  19. Sérgio Ribeiro

    Mesmo em ritmo de treino gostei mais de ALCARAZ do que Sasha . O garoto parece um veterano e experimenta todas as variações no Saibro mais lento . Dominic deixa a impressão que não sente mais a lesão . O problema é que já perdeu a gira de Saibro e a confiança e’ Zero . Para pedir convite para um Challenger neste piso em vez de ir pros preparatórios na GRAMA é que tá feia a coisa . Abs !

    1. Sérgio Ribeiro

      Ps . Me esqueci que o primeiro na Grama é 13 de junho . Da’ tempo portanto, mas acredito que não vá a Wimbledon. Abs!

  20. Rossini Santiago

    Dalcim, a quadra me pareceu extremamente lenta hoje. Acho que o Felix Auger penou também nisso. Errou direitas que a bola parecia levar horas pra chegar nele, naquele erro que quem já pegou em raquete vai saber, quando se bate adiantado demais e bola cruza muito.
    Quanto ao Thiem, se ele bobear mais um pouco, vai terminar como Guillermo Coria, que depois de RG 2004, em que entregou pro Gaudio, murchou até o ponto de não saber mais sacar.

  21. George Beco

    Dalcim, porque essa mania de querer fazer diferente nos Slam’s?
    Porque um tie break de até 10 pontos? Por que tie break no 12×12?
    Não seria melhor fazer como o Us Open? Segue uma lógica e no quinto set é o tie break normal

  22. Maurício Luís *

    Enquanto a Bia dança o primeiro samba em Paris, o Thiem dançou… o samba do crioulo doido.

  23. Maurício Luís *

    No meu comentário anterior, esqueci de citar a Teliana Pereira. Chegou a ser 43 do mundo, mas pra mim é outra que era muito mais limitada tecnicamente do que a Bia Maia.

  24. Paulo Almeida

    Eu achei que não veria nada pior do que aquele retorno pavoroso do Djoko no primeiro semestre de 2018, mas o Thiem superou minhas expectativas. Hugo Dellien é demais!

  25. André Borges

    Dalcim, qual o sentido em a Bia jogar as mistas? Grana? Não é demais pro físico dela, justamente agora que ela parece livre das contusões? Eu consigo compreender que ela se dedique o ano todo à parceria com a Danilina, pois elas têm uma chance real de jogarem o Finals com mais umas duas ou três campanhas grandes ou se mantiverem uma boa regularidade, mas duplas com outras parceiras e mistas? Qual o sentido?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ela fez certinho. Claro que é grana, mas também um bom treino e chance real de ganhar um Slam. O torneio feminino tem um dia de descanso sempre, então não vejo desgaste tão grande assim.

    2. SANDRO

      A premiação de Grand Slam é muito alta… E se Bia não é favorita em simples, por que não jogar duplas mistas e arrecadar um bom DINDIN $$$$$???

  26. Daniel+C

    Fico bem feliz de ver que temos uma tenista que tem tudo para fazer campanhas bacanas em torneios de ponta. Tomara que a Bia vença mais uma, é bem possível. Tem que aproveitar a sorte de não precisar enfrentar a Muguruza. Aliás essa espanhol já mostrou ter um belo tênis, além de carisma e simpatia. Pena que não consegue voltar aos bons tempos.

    A tristeza do dia ficou por conta do Thiem. Eu não imaginava de jeito nenhum que ele fosse perder para esse jogador por 3 sets a 0. É um resultado que deve desanimar bastante ele. Uma pena, era um cara com totais condições de vencer vários torneios importantes, joga muito tênis e parece que é um cara bem querido nos bastidores.

    E o Alcaraz fez a parte dele e venceu com muita tranquilidade. Espero que ele mantenha esse nível e chegue nas semifinais. O tênis tá precisando urgentemente de um novo fenômeno, pois a entressafra que vivemos já dura muitos anos. Os últimos “fenômenos” mais jovens que surgiram foram os próprios Nadal, Djokovic e Murray/Delpo em menos grau. Depois deles, só apareceu tenista café com leite. Já deu né?

    Bem, foi um belo domingo de jogos, foi até melhor colocarem a estreia do Cotonete pra amanhã, pois estarei no trabalho e não fará falta pra mim essa partida. Minhas atividades de trabalho estarão mais interessantes que o jogo sem sal do sérvio.

    1. Luiz Fabriciano

      “A tristeza do dia ficou por conta do Thiem. … joga muito tênis e parece que é um cara bem querido nos bastidores.”
      É amigo do mau-caráter sérvio. Como pode isso?

      1. Rodrigo S. Cruz

        Oxe, e o que tem a ver uma coisa com a outra, amigo?

        Então você vai continuar negando que o sérvio tem falhas de caráter? Bom, continue aí se iludindo então…

        Agora, quanto ao Thiem eu acho que já acabou pra ele.

        Mas que é quase inexplicável e intrigante esse péssimo nível atual dele, isso é.

  27. Alex

    Mestre,

    Gostei muito do jogo da Bia. Soube sofrer e controlar o ímpeto.
    Penso que tem chances contra a veterana Kinepi. Talvez até maia do que teria contra Muguruza.
    Acho que dá pra ela.
    E a partir de uma nova vitória, enfiar a mão sem deixar o capricho de lado.
    Gde abraço, e boa sorte pra Bia 🍀🍀

  28. Arthur

    Qual é a do Thiem, Dalcim?
    A espiral de decadência do austríaco desde o título do US Open é verdadeiramente chocante.
    Mesmo “One Slam Wonders”, como Marin Cilic, conseguiram manter algum nível e até repetir finais de slam.
    Mas o caso do Thiem está lamentável.
    Há alguma coisa nos bastidores que explique tamanha decadência?

    Um abraço.

    1. José Nilton Dalcim

      O que mais se comenta é que ele realmente perdeu a gana. Acho que isso é recuperável, mas a lacuna está ficando grande demais.

      1. João ando

        Dalcim.Pode ser algum fator psicológico a Cristina mladenovic ainda está com ele?ou eles terminaram o namoro?

        1. José Nilton Dalcim

          Acho que tem algo de emocional também, mas não acredito que seja com a Mladenovic. Eles terminaram há algum tempo.

    2. Luiz Fabriciano

      Ele disse, em entrevista (está aqui em Tenisbrasil) que falta potência nos golpes, back e forehands. Disse que, por isso, faz escolhas erradas e comete muitos erros.

  29. Luiz Fernando

    Há uns 3 anos todos achávamos q Thiem seria um futuro campeão de RG, incrível como uma contusão muda todo o prognóstico…

Comentários fechados.