Sexta-feira mágica na Caixa
Por José Nilton Dalcim
5 de maio de 2022 às 18:52

O aguardadíssimo reencontro entre Rafael Nadal e Carlos Alcaraz coroa uma sexta-feira do mais alto gabarito nas quartas de final do Masters 1000 de Madri. Nada menos que sete top 10 estarão em quadra, seis deles com no máximo 25 anos, além é claro dos dois maiores ganhadores de Masters da história. Será que existem favoritos?

Com certeza. A começar pelo próprio Nadal. Ainda que tenha ficado por quatro vezes a um ponto da derrota para o valente David Goffin, o rei do saibro adorou essa extrema dificuldade de 3h09 e garante que isso o ajudou tanto na confiança como no apuro físico. Esteve várias vezes contra a parede. Começou o jogo com quebra atrás, mas tomou o domínio imaginado com distribuição muito firme de bolas e deveria ter completado a vitória em dois sets.

Depois de ter evitado dois match-points, Goffin mudou sua postura e passou a jogar de forma bem mais agressiva, pegando bola na subida para ganhar potência e diminuir o tempo do adversário. Fez um ótimo terceiro set, evitando os dois únicos break-points de toda a série logo no game inicial. E teve toda chance do mundo no tiebreak, principalmente no segundo match-point, quando deixou na rede um forehand de ataque bem fácil.

Inspirado na façanha do Real Madrid na véspera, Rafa colocou todo o coração em quadra, salvou mais dois match-points com curtinhas desconcertantes e por fim saiu vitorioso. Jamais perdeu um tiebreak desde que Madri mudou para o saibro, em 2009, totalizando agora 10.

Quem imagina que isso tudo irá gerar grande desgaste, fica certamente surpreso quando Nadal diz que foi excelente ter passado por todo esse sufoco. “Preciso de dias como este para entrar em forma mais rapidamente”, atestou.

Em sua 99ª presença nas quartas de um Masters 1000, ele será desafiado outra vez pela juventude, potência e variação de Alcaraz. Como presente pelos 19 anos completados nesta quinta, ele passou pelo também canhoto Cameron Norrie, mas sem brilhar tanto. “Estou ansioso pela terceira chance”, afirmou ele, que há um ano perdeu para Nadal lá mesmo em Madri em sets rápidos e poucas semanas trás fez um duelo eletrizante na semi de Indian Wells.

Frustrações
Madri deveria ter tido seu primeiro grande momento nesta quinta-feira com a reedição do duelo entre Djokovic e Andy Murray, mas o escocês frustrou todo mundo ao contrair uma intoxicação alimentar e nem entrar em quadra. O número 1 avançou e talvez essa falta de jogo não seja uma boa notícia, já que vai encarar agora o peso pesado Hubert Hurkacz. É bem verdade que Nole venceu todos os três duelos entre eles, mas o polonês deu enorme trabalho em Bercy no ano passado e tirou um set do sérvio em Wimbledon de 2019.

Os italianos Jannik Sinner e Lorenzo Musetti também decepcionaram. Esperava-se uma batalha entre Sinner e Felix Aliassime, mas o pupilo de Toni Nadal foi absoluto. vencendo 90% dos pontos em que acertou o primeiro saque. Aliás, o canadense havia atropelado Cristian Garin na rodada anterior e assim coloca pulga atrás da orelha de Alexander Zverev, que se favoreceu do abandono de Musetti depois de 10 games. O alemão tem 4 a 2 no histórico, mas Aliassime venceu 2 dos 3 últimos, o que diminui a cotação de Zverev para quem sabe 60%.

Por fim, Stefanos Tsitsipas justificou favoritismo com atuação muito firme diante de Grigor Dimitrov, repetindo a recente vitória em Barcelona, e cruzará pela nona vez com Andrey Rublev, com quatro vitórias para cada lado; “Vou ter que me concentrar no meu jogo defensivo um pouco mais”, avaliou o grego. Os dois aliás já ergueram troféus no saibro deste ano. Tsitsipas foi bi em Monte Carlo e Rublev venceu Belgrado com ‘pneu’ em Djokovic. Este sim é um jogo sem prognóstico.

Título gigante
Embora Ons Jabeur tenha currículo mais vistoso do que Jessica Pegula, as duas finalistas de Madri têm um desafio em comum: ganhar o segundo título da carreira e, de longe, o mais importante deles. Tenho a impressão que dominar a ansiedade será a chave desta curiosa decisão.

A tunisiana já figura no top 10 graças à inegável consistência de suas campanhas, porém lhe falta um troféu de peso, depois de ter perdido quatro das cinco finais que já participou, a maior delas uma de nível 500 em Chicago. É dono de um tênis gostoso de se assistir, com variações constantes. Fica apenas a dever na parte emocional.

Pegula, todo mundo sabe, é de família muito rica e isso merece ser encarado como um elogio a seu grande esforço de arrumar um lugar de respeito no circuito. Esta será apenas sua quarta final, a primeira no saibro. Sem abandonar os golpes mais retos, que no final das contas funcionam nas condições mais velozes de Madri, pode enfim chegar ao top 10 em caso de conquista do título.

Para colocar o molho apropriado, o duelo direto entre elas está empatado por 2 a 2.


Comentários
  1. Luiz Fernando

    Saindo do tênis, Sainz continua fazendo história na Ferrari, nunca nenhum piloto rodou a bateu tanto. Mas é um número 2 razoável, não se pode negar, apenas bateu em 3 das 4 etapas…

  2. Luiz Fernando

    Dalcim, pelos horários não pude assistir Rafa. Mas pelos comentários q li e highlights q assisti das partidas o achei pouco agressivo e um pouco sem potência, além do problema crônico do serviço pecar na hora de fechar. Mas creio q se saiu melhor do q o esperado no quesito “performance como um todo”. O q vc achou?

    1. José Nilton Dalcim

      Eu não gostei da postura muito passiva do Rafa, Luiz. Achei que em poucos momentos ele realmente chamou o jogo para si, daí ter ficado tão pressionado o tempo todo.

  3. Luiz Fernando

    Creio q todos concordamos q o grego, seguido de Zverev, é o melhor jogador de saibro da eterna nextgen, e hj ele demonstrou isso de forma clara. Assisti o ultimo set dele contra Rublev, e enquanto ele confirmava todos os serviços com facilidade, exceto o último, o russo tinha q lutar muito pelos seus. Creio q o grego craque de artimanhas tem boa chance de ir a final, e não tenho dúvidas q será um adversário duro. A bem da verdade também tenho q reconhecer que o rei do ATP 500 também foi muito bem, mas pelo estilo sem variações sua chance de vencer grandes torneios nesse piso é menor…

  4. Thiago+Silva

    Nem vi o jogo, mas depois das declarações que o Nadal deu ontem depois do jogo já sabia que tinha pouca chance hoje, acho que tá perto do fim mesmo, não acredito muito que vença Roland Garros, mas é a vida, 21 slams pra quem já tava aposentado em 2015 superou todas as expectativas.

  5. Heitor

    O ponto final do jogo do alcaraz foi muito top. O spin nessa última passada foi impressionante, a bola parecia ir pra fora e voltou.

  6. Paulo Almeida

    Djoko jogou bem de novo e economizou energia, o que pode ser crucial para a partida contra o Alcaraz, mas não é favorito. Os últimos dois pontos contra o Nadal (o drop e a passada) foram absurdos. Cê tá loco!

    Enfim, vamos ver o que acontece amanhã.

  7. Heitor

    Nadal: eu não vou falar do meu pé hj. Eu vou falar de tênis. Preciso ser mais rápido, reagir melhor e ler melhor o jogo.

  8. Ronildo

    Alcaraz torceu o tornozelo no jogo contra Nadal. Se vai cruzar com Djokovic, tem que se benzer antes de qualquer coisa.

    1. Ronildo

      Com esta lesão do Alcaraz, há a possibilidade do sérvio ser campeão fazendo apenas 3 jogos. Porém há sempre a esperança de que haja um Zverev num dia bom no caminho de Djokovic.

      1. Luiz Fabriciano

        Zverev, Medvedev, Thiem…
        Será o Alcaraz o nome membro da terceirização?
        E já estás lesionando o menino. Oh my…

  9. Sérgio Ribeiro

    E realmente foi jogo de Três Sets . E se o fenômeno não fecha de forma magnífica no seu Serviço, sei não. Que ele pode bater Novak na sequência, não tenho dúvidas pela falta de ritmo do N 1 . Mas bato na mesma tecla , as duas vitórias em sequência do Sérvio e do Espanhol em Madri , os coloca depois de Roma , aptos a serem considerados os dois grandes favoritos para RG 2022 . ALCARAZ desta feita ainda correrá por fora . Abs!

  10. Luiz Fernando

    Conforme minha expectativa Alcaraz venceu. Mas parece ter sido uma partida parelha, durando 2.5 hs, na qual o jovem jogador teve contra si 9 situações de break. Em resumo: melhor do q eu esperava. Vamos p Roma e depois RG…

  11. Paulo F.

    Vai ser interessante o confronto de amanhã do tenista de Krypton, o homem que terá 115 Grand Slams, contra o Djoko no seguinte aspecto: pela primeira vez como profissional, o seu serviço terá uma prova de fogo, pois encarará a melhor devolução da história.

    1. Carlov

      Lembra da histórinha do pai fanático e imbecil… pois é. Achei que a galera tinha entendido.

      Mas basta saírmos das quartas e passarmos pras semis… que a galera “zera” e recarrega o besteirol relativo ao”tamanho do seu ídolo”… comparabdo o meu e o seu. O problema.. é que nem comparam o próprio.. ficam coparando o do ídolo..

      Que “mentalidade” pequena…

  12. Paulo F.

    Bom, segundo as Terceiretes, Djokovic nem deveria entrar em quadra amanhã, pois não terá chance alguma contra o irmão mais novo de Kal-El.

  13. Paulo Sérgio

    Parece que o predador está voltando. Está pegando ritmo e isso dará mais confiança para RG e WB. Volta comedor de fígado!

  14. Luiz Fernando

    Vi q Djoko venceu Hurkacz sem sustos e sem ceder breaks. Parece ter voltado a um bom nível de competição, o polonês não é um craque mas é muito competitivo. O sérvio volta a ser uma força significante nesta temporada de saibro…

    1. Sandro

      Eu já acho o Hurkacz um craque de bola… Só não foi páreo hoje para o Djokovic, número UM do mundo, mas isso não impede de Hurkacz ser um jogador de muito talento…

    1. Luiz Fabriciano

      Xará, jamais admirei o Kyrgios por qualquer que fosse o motivo. Alguns aqui acham que fazer twinner é o suficiente para ser admirado como tenista.
      Para mim existe um conjunto de fatores e o australiano tirava zero em todos os quesitos da prova elaborada por MIM.
      Mas sou adepto do conceito que todo ser humano vai evoluir, hoje ou amanhã e acredito também que Kyrgios começa, a passos muito lentos, a entrar nessa jornada. Publicar um fato desses, ainda no auge da carreira, é para mim um indicativo.
      Só não sei como foi capaz de se drogar, jogar GS e M1000 sem ser pego ou qualquer coisa, como aconteceu com Agassi, Hingis, Gasquet etc.
      Espero que ele seja o tenista que muitos queriam ou ainda querem.
      Grande abraço.

      1. Luiz Fernando

        Meu caro, se o q vc espera é evolução no tênis talvez aconteça, mas se for evolução de comportamento… sente-se numa cadeira bem confortável!

      2. Sérgio Ribeiro

        Dissestes tudo , mas faltou lembrar a quantidade imensa de Torneios que Nick não compareceu . A falta de motivação inclusive nos treinamentos está de certa forma explicado … Abs!

      3. Rodrigo S. Cruz

        Não me espanta realmente você nunca ter tentado admirar o jogo do Kyrgios ou mesmo os tweeners dele.

        E contudo admirar os tweeners e outros aspectos tenísticos do patético Gael Monfils que hoje ostenta um monumental 0 a 18 diante do Djoko !!!

        kkkkkk

        Já o Kyrgios não dá para você admirar mesmo, vez que anota um incômodo 2 x 0 sobre o teu ídolo.

        Nós entendemos… rs

        Abs.

        1. Luiz Fabriciano

          Rodrigo, você está pegando a doença de outra pessoa, que nem deveria ser contagiosa.
          Jamais disse que admirava tweeners do Monfils, o que disse, releia, foi que não admiro tenista só porque faz tweeners. Tem que ter um catálogo de habilidades para eu admira-lo.
          E quanto ao australiano, insisto, leia novamente, torço para que ele se encontre e use toda sua habilidade enquanto se torna uma pessoa melhor.

    2. Bruno

      Comentário ridículo,
      Drogas e álcool são também doenças.
      Nunca defendi Kyrgios aqui mas essa sua foi parecida com sua historinha da apendicite do Nadal.

      1. Luiz Fernando

        Defendendo o amiguinho né, p mim não é surpresa, vc e ele são bem semelhantes kkk. Kyrgios deve ser mais uma vítima da sociedade opressora…

    3. Sandro

      Nunca!!! DROGADOS na minha família NUNCA!!! Somos VEGETARIANOS, PRATICANTES DE YOGA, amamos a NATUREZA e somos contra as DROGAS!!! Xô DROGADOS!!!

    4. Sandro

      A pergunta que não quer calar: ONDE ESTÃO OS EXAMES ANTIDOPING DESSES TORNEIOS???
      Se KYRGIOS se droga, por quê NÃO FOI PEGO NO ANTIDOPING???

  15. Carlo

    Dia 11 de Julho, Federer sairá do ranking de entradas… após aproximadamente 24 anos (a idade do Rublev). Nadal e Djokovic seguem pelo mesmo caminho.

    Alguém tem alguma lembrança ou impressão para compartilhar sobre o início da carreira destes caras?

    1. Sandro

      O BIG 2, NADAL E DJOKOVIC, não seguem pelo mesmo caminho NÃO!!!
      Não queira levar NADAL E DJOKOVIC pro buraco junto com o Roger FREGUÊSer!!!

    2. Ronildo

      Lembro de uma vez que Goran Ivanisevic perdeu a cabeça e ficou muito nervoso jogando contra Federer adolescente. Este não conseguiu conter o riso em determinado momento.

  16. Marcelo+Costa

    Se Akcaraz jogar sem pensar quem está do outro lado, irá vencer, mas se ficar respeitando, poderá se complicar.

  17. Arnon+Louzada

    Uma coisa interessante a se notar no confronto NADAL X ALCARAZ é suas peculiaridades em lidar com “a guerra” e a dificuldade. Me parece, que assim como Djoko e Federer, Alcaraz enfrenta fogo com fogo. Quando as coisas ficam difíceis a resposta que ele tem é aumentar a munição das metralhadoras. Ele se torna mais agressivo. Nadal, pelo contrário, quando as coisas ficam mais difíceis, sua reação não é lutar a guerra, mas acabar com ela, ou seja, ele faz o adversário perder ou “desistir”.
    Pensando em filmes. Alcaraz é o Homem de Ferro ou Thor, gosta de uma briga. Nadal é mais Capitão América – “posso fazer isso o dia todo”. Isso significa muito para o jogo de hoje. A condição física de Nadal é determinante em sua maneira de jogar e em sua confiança.

    Em resumo. Nada s/ ritmo de jogo e errando muito. Alcaraz fime, motivado, agressivo e intensto. Logo, há um risco de que o Alcaraz passe por cima. O melhor jogo para AVALIAÇÃO de ambos seria um possível encontro em ROMA.
    Uma vitória do Alcaraz hoje precisa ser posta sobre a mesa e tomada com certa cautela. Vencer é sempre vencer. Mas as condições em que ocorrem uma vitória muda muito.

  18. Carlo

    Excelentes quartas para hoje. Quando todos estão de olho na evolução do Alcaraz, lembro que este jogo também vai avaliar o nível em que se encontra o NAdal. Claro que apra ele, a avaliação se resumo a ver se ele está MUITO MUITO BEM… ou MUITO, MUITO mas MUITO BEM.

    Não faço apostas em nenhum dos quatro jogos, mas acho (apenas opinião) que Zverev corre algum risco de ficar pelo caminho hoje (já que é quem defende mais pontos). Ou, caso ganhe, finalmente ganha foco e abre caminho para semi e final.

    Djokovic é o primeiro colocado emérito do ranking no momento, já que na corrida, está lá na casa dos 50 do mundo, mas é um cara que pode virar a mesa a qualquer momento. No caso de Djoko e NAdal, virar a mesa depende apenas deles…

    Obviamente que a situação pode mudar a qualquer momento e alguém pode surpreender, mas…com relação a temporada no saibro de 2022, começa a ficar claro quem são os maiores favoritos:

    – Principais: Nadal, Djoko (pelo histórico), Tsitsipas e Alcaraz, como surpresa.
    – Candidatos um pouco menos cotados: Zverev, Rublev,
    – Candidatos que dependem de uma combinação de resultados para ganhar algo: Hurkacz, Aliassime, Diego, Norrie

    – Esperava mais de Mussetti, Ruud, Siner, Carreno Busta ao menos se revesando nas semis e dando MUITO trabalho aos TOPs antes de cair.

    Vai ser uma pena não ver Nadal & Alcaraz juntos nas semis.

    1. Alessandro Siqueira

      Não existe número 1 emérito. O ranking contempla 52 semanas, então reflete exatamente isso. Quem somou mais em 52 semanas, e não em 3 ou 4 meses.

  19. Rafael Azevedo

    Não sei com Nadal venceu esse tie-break do Goffin…
    O belga jogou um absurdo no último game da partida.
    Foi cacetada atrás de cacetada nas linhas. Um nível incrível!
    Mas, Nadal é o rei do tie-break em Madrid.
    Não tive como não me lembrar daquele tie-break contra o Djokovic em 2009 (guardadas as devidas proporções). Uma das melhores partidas de tênis da história, na minha visão, apesar de ter sido em melhor de 3 sets.

    1. Luiz Fabriciano

      Naquele jogo, Djokovic amaciou Nadal para Federer no dia seguinte.
      Resultado: um dos poucos títulos de Federer no saibro, derrotando Nadal numa final.
      Agora é só esperar as cacetadas que tomarei logo logo, rssss.

      1. Sérgio Ribeiro

        Incrível como copias o L.F. 1 rs . Esquecestes do também MASTERS 1000 de Hamburgo 2007 , com direito a fechar com Pneu no terceiro contra o Touro . Esta mania de tentar diminuir as DOZE conquistas de Federer no Saibro , com direito a RG e SEIS MASTERS 1000 , beira ao ridículo. O retrospecto contra Novak é 4 x 4 . E a Semi de RG 2011 quando acabou com a série de 41 Vitórias CONSECUTIVAS do Sérvio , realmente deve doer muito kkkkk. Abs!

        1. Luiz Fabriciano

          Sérgio Ribeiro, Sérgio Ribeiro, quando crescerás?
          Vou interpretar para você: uma das poucas vezes que Federer ganhou um título no saibro derrotando Nadal na final… e não foi?
          Somando com a que você anotou aqui, são duas (poucas). Ademais, para variar, nosso assunto não tem nem uma vírgula a ver com jogos entre Djokovic e Federer e essa derrota em 2011 só você se lembra dela, pois, também foi uma das poucas que o suíço logrou êxito sobre o sérvio. E com louvor.
          Mas acredito que tu ainda tem jeito.

  20. Sandro

    Já passou da hora de ONS JABEUR parar de “MORRER NA PRAIA”… Tênis Jabeur tem de sobra, só falta por a cabecinha no lugar e ter mais auto-confiança…

  21. rafael

    Só jogaço pela frente. Acredito em Djoko, Alcaraz, Tsitisipas e Zverev.
    Digo Alcaraz, porque vejo o Nadal desgastado depois do jogão contra o Gofin. A ver.
    Jabeur deve levar e cresceu muito de produção. Merece o caneco!!
    Mestre, se Djoko passar e Nadal não, você vê o sérvio como favorito absoluto?

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, acho que ele ainda seria favorito contra Alcaraz, mas evitaria o ‘absoluto’.

  22. Luiz Henrique

    N sei se o pessoal anda comentando muito disso, n tenho acompanhado muito, mas queria deixar meu registro: lamentável o rumo que tomou a carreira do Thiem
    Quando ele perdeu pro Murray achei que o fato dele ter perdido era mais uma derrota grave que merecia ser tratada como tal, mas Murray acabou sendo mais assunto
    Thiem até o final de 2020 era pra mim o jogador mais relevante fora do Big 3, o melhor
    Claro que em um fundamento ou outro poderia o Tsitsipas ser melhor, ou o Zverev ou Medvedev
    Mas no geral, ele era o mais maduro, e mais preparado física e emocionalmente
    O normal pra mim é que ele tivesse tivesse sido o primeiro nº 1 pós big4, acabou sendo o Medvedev
    Ele era o campeão do us open, teve 2 sets a 1 contra djokovic numa final de AO (único até hoje a ter essa vantagem contra Djoko numa final de AO), e derrotou o mesmo Djoko no anterior em RG, sendo que Djoko vinha de 3 títulos seguidos de GS
    Uma pena mesmo, está fazendo muita falta no circuito, veio muito antes da hora esse declínio, torço pra que se recupere

    1. EDVAL CARDOSO

      Cara, concordo com vc, é o meu preferido depois do Novak, é uma pena mesmo esses problemas tanto físicos como mentais que ele tá passando.
      Mas acredito e torço pra que ele se recupere e volte contudo no segundo semestre.

    2. Ronildo

      Concordo inteiramente com você Luiz Henrique. Inclusive neste auge dele, em que havia a tendência de melhorar ainda mais, já fazia uns 2 anos que ele estava batendo o Federer. Era o cara que iria chegar ao número 1 por méritos próprios. Mas aí veio a pandemia, acabaram-se os torneios, congelou o ranking, foi dado tempo para Djokovic recuperar o fôlego, porque se não houvesse pandemia ele perderia com certeza o número 1, e depois que o circuito recomeçou, Thiem foi campeão do US Open, entrou numa profunda crise existencial e logo após uma séria contusão no punho. Não sei se ele recupera o jogo anterior. Ele batia muito forte na bola como característica habitual.

      1. Paulo Sérgio

        Todo mundo ganha de Djoko em suas realidades alternativas.
        Fato: Djoko 3 a 2 na final do AO 2020.

    3. Valmir da Silva Batista

      LUIZ HENRIQUE, creio que sua avaliação a respeito de Dominic Thiem é um tanto precipitada. Não muito tempo após ter vencido o Us Open, ele se contundiu seriamente, o que o obrigou a se afastar do circuito por cerca de um ano, tendo retornado aos torneios apenas recentemente. Portanto, não se pode falar em “declínio” de seu jogo, já que agora é o momento dele estar se readaptando e não jogando tudo o que sabe, tanto é que tem se prestado a disputar torneios de porte inferior até aos ATP 500, como modo de reaver a velha forma. Você talvez argumentasse que ele disputa tais torneios porque, atualmente, não tem ranking para participar dos de maior status, mas justamente por ter se configurado como um grande tenista, ele tem recebido convites para disputá-los. Dito isto, não vejo nada de tão estranho no fato dele ainda( ! ) não estar jogando bem nos torneios de maior relevância, afinal, como disse acima, Thiem está apenas em fase de recomeço…

  23. Eduardo Moura Lima

    Dalcim,

    Você que a ATP lançou hoje uma versão Beta, porém já disponível para consulta no site, o ranking dinâmico, ou seja, em tempo real?

    Ele vai se atualizando conforme as partidas vai se encerrando! Além de dizer a pontuação atual do tenista, diz para quanto irá caso vença o próximo jogo e qual o máximo de pontos que ele pode sair caso vença o torneio!

    Sempre quis que tivesse essa visão! Achei muito legal!

    Abraço

  24. Sérgio Ribeiro

    Bem , dissemos que não seria um MASTERS 1000 de Zebras, e a quantidade de Top 10 nas Quartas comprovou . Aliassime num Saibro mais rápido não seria tanta surpresa , atropelou um SINNER ainda em formação abusando da pancada . Rafa Nadal vai encontrar muita resistência em ALCARAZ ? . Não tenho dúvidas e o moleque não precisou jogar tudo que sabe contra o Canhoto Norrie . Parecia estar treinando para o encontro com o Titio ambidestro rs . Jogo pra três Sets. Por mais que Hurkacz saque muito , o N 1 me parece certo na Semi. A grande incógnita continua Sasha mas dificilmente defende seu Título. Iga SWIATEK resolveu pular o MASTERS mais fácil da história, mas como alegou cansaço e vai a Roma , usou a cabeça . Abs!

  25. Luiz Fernando

    Gostaria de ter a mesma visão do Dalcim, mas acho difícil Rafa vencer amanhã, pois além da falta de ritmo ele está vacilando muito, poderia ter evitando essa partida de 3 hs hj. Tomara q eu esteja enganado…

    1. Sérgio Ribeiro

      Lembras o que postastes quando saiu as Chaves ? . “ Nadal já está garantido em outra Semi no Saibro “ . Sei … rsrs. Abs!

      1. Paulo F.

        Mas está.
        Esqueceu que Alcaraz é espanhol?
        E bem capaz que ele vai quebrar essa espécie de contrato que todo espanhol tem que entregar pro Nadal.
        Ainda mais em plena Madri e justamente contra o GOAT?

        1. Sérgio Ribeiro

          Já reparei que tu até nisso copias o risível comentarista logo abaixo. Não lês a maioria dos comentários, quiçá na íntegra . Provei que TODOS da Armada tem vitorias sobre o Touro . Até mesmo Feliciano Lopez. Porque achas que seu “ nobre “ parceiro e’ de longe o maior passador de recibos deste fórum ? . O Tourinho não entrega pra ninguém rsrs. Abs!

          1. Sérgio Ribeiro

            Cadê o vassalo Espanhol ??? . Aliás quantos Sérvios já venceram o N 1 ??? rsrsrs. Abs!

      2. Luiz+Fernando

        Se formos lembrar de previsões erradas vc precisaria de uma década p repostar as suas. Sei kkk…

  26. Vitor Hugo

    Acho o Huracz supervalorizado. Não vejo nada demais nele. Ganhou um masters, mas só é top 10 devido a geração fraca a qual ele pertence.

    Sobre Nadal x Alcaraz, o garoto é favoritaço pra ganhar o jogo e o título!

    Nadal não está cansado? Que novidade, né? O combustível não acaba nunca…

      1. Vitor Hugo

        Federer estava machucado, beirando os 40 anos e tomou o pneu.
        Mas o humilhante mesmo é tomar um pneu do Bellucci… O brasileiro decadente e o sérvio no auge…

        1. Luiz Fabriciano

          Concordo plenamente que tomar pneu do Bellucci é o O, apesar de ele não estar decadente quando esse fato histórico aconteceu.
          E para quem preserva h2h de Kyrgios, Karlovic e Roddick contra Djokovic, hoje o sérvio ampliou seu h2h para 4 x 0 contra aquele que presenteou o suíço com um pneu em sua casa.

        2. Paulo Almeida

          Pelo menos ele virou o jogo e venceu os outros dois sets com facilidade, kkkk.

          Belucci ainda estava bem, fez quartas nas Olimpíadas do Rio até.

          Ok, já dá pra colocar na conta da lesão e dos 40 anos, mas se o Hubi fosse fraco, teria perdido como Norrie e Sonego mesmo assim.

    1. Valmir da Silva Batista

      VITOR HUGO, não há nenhum sentido no seu argumento, quando diz que o polonês Huracz só é top 10( na verdade é 14° ), em razão da “geração fraca a qual ele pertence”. Ora, se Huracz chegou a tal patamar apenas pelo referido motivo, sua infeliz constatação leva os leitores a crer que os demais top 10 da atualidade também não são tenistas bons de bola, já que eles têm como adversários os mesmos colegas de geração do polonês, bem como os de outras gerações que o mesmo top 10 e o 14° do ranking têm enfrentado. Desta feita, você tomou uma retumbante bicicleta, meu caro…

    2. Sandro

      Isso tudo é MÁGOA por HURKACZ ter HUMILHADO o Roger FREGUÊSer em plena grama de Wimbledon??? Só pode ser… Hurkacz é um jogador talentosíssimo e esse Vitor Hugo está é com dor de cotovelo…

      1. Valmir da Silva Batista

        SANDRO, o Vitor Hugo diz muita coisa sem lógica, haja vista seu equívoco por mim observado em meu comentário acima. Considerar que Hurkacz não é bom o bastante, vá lá, mas afirmar que ele só chegou ao top dez porque os tenistas de sua geração serem fracos, é foi o mesmo que dizer que os demais tenistas do top dez são igualmente fracos, já que, além de terem se enfrentado uns contra os outros, também o fizeram contra o próprio polonês. Não há lógica nisso, concorda?

  27. Wilson Rocha

    Dalcim,
    Para Nadal ganhar terá que melhorar muito ou então Alcaraz amarelar. Contra Goffin sem potência alguma (perdeu vários pontos com a bola no meio da quadra, inclusive o de vencer), passou apuros, imagina aguentar as pancadas do garotão. Tomara que não invente uma contusão.

    1. Sérgio Ribeiro

      ALCARAZ amarelar contra o “ Rei do Saibro “ ??? . Ou seria “ vai ter que jogar muito pra levar “ ? . Na boa , Wilson . Impressionante como analisam sempre de acordo com o placar rs . Abs!

Comentários fechados.