‘Fake’ Djokovic
Por José Nilton Dalcim
12 de abril de 2022 às 18:00

Apesar de ter dois títulos no Principado, é bem verdade que o saibro lento de Monte Carlo nunca foi o melhor dos mundos para Novak Djokovic. Ainda assim, o retorno do número 1 do mundo ao circuito foi uma tremenda decepção. Errou demais, teve postura defensiva, safou-se de um placar vexatório e por fim desabou fisicamente no terceiro set, algo inimaginável em outros tempos. Foi definitivamente uma versão ‘fake’ do homem que dominou o tênis em 2021.

Não chega a ser surpresa que Djokovic tenha dificuldade em achar ritmo e jogar com confiança diante do calendário irrisório que fez até agora, limitado a três jogos em Dubai. Também existe a pressão, tanto pelo ranking que ocupa como para mostrar que sua decisão de não tomar a vacina e automaticamente se ver afastado dos grandes torneios do primeiro trimestre não o afetariam. O preço continua alto.

Alejandro Fokina sabia que era a chance de sua vida e mergulhou na partida de corpo e alma. Ousou mais, correu muito, se jogou nas bolas e poderia ter saído com uma vitória acachapante, quando sacou com vantagem de 6/3 e 4/2. O vento atrapalhava demais e foi um ingrediente a exigir foco o tempo todo, daí outro ponto de destaque na atuação do espanhol, que no ano passado fez quartas em Mônaco tendo vencido Matteo Berrettini.

Nole raramente se sentiu à vontade, mesmo vencendo a duras pernas o segundo set. Saiu de quadra com 51 erros, 25 deles de forehand, e viu o espanhol arriscar mais (37 a 27 nos winners). Chegou também a hora dos recordes negativos: foi o jogo de três sets em que Djoko mais perdeu serviços na carreira (nove vezes) e vive seu pior desempenho em ATP nos quatro primeiros meses de uma temporada desde 2005.

Djokovic reconheceu a falta de pernas no terceiro set, mas tentou se manter positivo, ao lembrar que tem sido normal nos últimos anos um começo fraco no saibro europeu. Para sua sorte, vai jogar em Belgrado na próxima semana e terá enfim a chance de emendar vitórias, reerguer um troféu e sentir alívio. Haverá então uma semana de descanso para a sequência Madri-Roma. Portanto, existe tempo de sobra para reagir. Só precisa melhorar. Em tudo.

E mais

  • Apesar da derrota, Djoko aumentará a vantagem para Medvedev no ranking de 10 para 100 pontos. A próxima chance do russo será em Madri, onde o sérvio defende 500 pontos ainda do torneio de 2019.
  • Nadal está definitivamente fora de Barcelona, adiando expectativa de retorno para Madri, que acontece dentro de duas semanas.
  • Tsitsipas começou muito bem a defesa do título e atropelou Fognini, o campeão de 2019. O italiano fez 6 winners e cometeu 34 erros numa atuação lastimável. Sairá do top 50 pela primeira vez desde 2012.
  • Outro que está num momento terrível é Benoit Paire. Ele sofreu a nona derrota consecutiva em estreias.
  • Dimitrov ao contrário superou a dificuldade do saibro lento e virou o jogo contra Lajovic depois de estar um set e uma quebra abaixo.
  • Apesar das duas derrotas no seu retorno, Wawrinka diz que não está chateado e que espera um progresso lento,
  • Alcaraz estreia às 6h desta quarta-feira contra Korda e fará sua primeira aparição em Monte Carlo. Nesse período do ano passado, ele era 133 do ranking e se dividia entre challengers e convites nos ATPs.
  • Apesar de sua extraordinária semana em Bogotá, em que saiu do quali e chegou na final de seu primeiro WTA 250, Laura Pigossi não conseguiu vaga direta para Roland Garros. O vice lhe garantiu um ótimo 126º posto e isso ao menos lhe dará chance de entrar de cabeça de chave no quali para Paris. De todos os brasileiros, apenas Bia Haddad entrou direto no Slam francês.
  • O Brasil de Pigossi, Bia, Carol, Cé e Rebeca inicia hoje a disputa do zonal americano da BJK Cup. A estreia deve ser fácil contra a Guatemala, depois vem a desfalcada Colômbia e a definição da vaga promete acontecer diante da Argentina. Os jogos são no piso duro de Salinas, no Equador.

Comentários
  1. ronaldo piovezan

    Fake Djokovic? Por que versão “fake”? Nenhum tenista entra em quadra para perder, mas para jogar e ganhar. V. condena o Djoko por não querer tomar uma vacina experimental, ignorando que todo e qualquer cidadão tem direito a escolher o que vai colocar no seu corpo. Eu acredito que ‘fake’ aqui é o jornalista engraçadinho que parece não entender que Djoko não joga um torneio há mais de quatro meses e, portanto, está sem ritmo de jogo e ainda fora de forma. Para de perseguir este campeão que já bateu vários recordes no tênis e ainda pode bater outros….

    1. José Nilton Dalcim

      Você pelo jeito não leu o texto com a devida atenção, então fica difícil responder. Mas apenas lembro que jamais condenei Djokovic por não querer tomar vacina, apenas que ele tem de arcar com as decisões que toma, como qualquer outra pessoa. Mas se você nem leu o texto de hoje, quem dirá os de janeiro.

  2. FERNANDO/MG

    Uma dica para os leitores sensatos do blog, com relação aos comentários, leiam apenas aqueles nos quais o Dalcim responde, ou, comenta. O restante não vale a pena… Deixem eles se digladiarem sem vc ofender o seu cérebro… Como dica, sugiro aos sensatos irem rolando a barra rapidamente se aparecer o Dalcim comentando aí vcs podem parar e ler. Abraços a todos os leitores sensatos.

    1. Maurício Luís *

      Muitas vezes o Dalcim responde justamente porque o comentário prima pela insensatez… então ele rebate.

    2. Luiz Fabriciano

      Exceto pela resposta do Dalcim, não há garantia nenhuma que o comentário foi digno de leitura.

  3. Ronildo

    Meu Deus do Céu, como é medíocre uma comparação entre Djalminha e Pelé para tipificar uma relação entre Federer, Nadal e Djokovic!

    Cruzes!
    Mil vezes!
    CRUZES!!!

    Federer com 38 anos encurralou Djokovic em Wimbledon ficando a 1 ponto e saque do 21 slan e garanto que não faltou tênis para fechar a partida! O que faltou foi um outro tipo de personalidade que não valeria à pena ter para quem tem o status alcançado por ele! Federer jamais usou de subterfúgios para ganhar uma partida ou qualquer malícia enganosa. Ali bastava um saque por baixo e pronto, milhares de djocovitas ficariam sem nenhum tipo de argumento por décadas!

    1. Paulo Sérgio

      Você esqueceu que Djoko teve uma quebra na frente no quarto set. Se Federer não devolvesse a quebra, essa história do 15-40 e o meme da mulher do dedinho (só falta 1 rs) nem existiriam. A história não é feita pelo SE, mas sim por fatos concretos.

  4. Vítor Barsotti

    Ainda não consegui assistir um jogo do Tsitsipas em MC pra ver que nível de tênis ele tem apresentado, mas fico animado que ele esteja avançando. Ano passado ele fez uma bela temporada de saibro. Espero que possa retomar a confiança. Com a cabeça no lugar, é um tenista agradabilíssimo de se assistir.

    Em Miami contra o Alcaraz fez um jogo espetacular (ao menos no primeiro set) e me lembrou muito o estilo do Maestro. Faltam-lhe, no entanto, golpes mais contundentes. Aliás, comparando os dois, não vejo nenhum quesito (direita, esquerda, saque, devolução, variação…) onde o grego é superior a Federer. O que acha, Dalcim, onde Tsitsipas deve evoluir para melhorar seu jogo?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele tem forehand muito bom, o saque não é espetacular mas funciona. Seu jogo de rede é muito firme, porém pouco explorado. Seu slice também é uma ótima arma no saibro, ainda que por vezes ele simplesmente esqueça disso. Ainda não o vejo como um grande devolvedor. Mas acho que acima de tudo seu maior obstáculo está na parte mental. Se conseguir melhorar aí, tem tênis para ganhar grandes títulos em qualquer quadra, Vitor.

      1. Vítor+Barsotti

        Valeu, Dalcim! Como fã de Federer e do Wawrinka fico esperando esse “upgrade” do grego pra ver um back simples competitivo de novo, já que Thiem está com tantos problemas nesse retorno.

        Ou quem sabe o Musetti dê um salto e nos surpreenda. Abs!

  5. Paulo Almeida

    O mundo queria Djoko X Alcaraz nas quartas, mas vamos de Fritz X Fokina mesmo. O espanhol passou fácil pelo campeão de Marrakesh e repete a mesma campanha do ano passado.

      1. Paulo Almeida

        Sério?

        Não foi minha intenção “plagiá-lo”, mas era um sentimento geral mesmo, exceto para os haters obsessivos que não querer ver o Djoko ganhar nem par ou ímpar, rs.

        Abs.

  6. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo F.]

    “Se bobear acompanho tênis bem antes do que tu, outro arrogante que adora vomitar prolixidade por aqui.
    Só podia ser torcedor do Federer mesmo para tanta empáfia”.

    Acompanha ?

    Tá na cara você é muito humilde e sabe TUDO de tênis mesmo…

    Um cara que só sabe soltar comentários desprezando campeões de Grand Slam.

    Como se ganhar um Major fosse uma coisa que todos conseguissem.

    Korda, Rios, Safin e tantos outros pra você foram uma bela BOSTA.

    Bom para você, só o Djokovic kkkk

    E nem se dá conta que quando diminui um Safin, por exemplo, está por tabela dizendo que o Guga foi uma droga também…

    Mas, enfim. Tu entendes mesmo do babado.

    Troféu JOINHA para você… rs

    1. Paulo

      Todos aqui tentam seguir a orientação do dono do blog de responder logo abaixo do comentári. Menos vc. Vem aqui para cima fazendo “quote” por medo de que não te leiam…

  7. Paulo F.

    E eu pensando que o “magistral” filho do podre Korda estava alçado à condição de favorito….
    Afinal, tinha derrotado o novo filho de Krypton do Tênis – o Super-Invencível, o alentadaço Alcaraz.
    Mas acabou de ser eliminado por um dos maiores “especialistas” do saibro, Taylor Fritz.

    1. Rodrigo S. Cruz

      Teu comentário sim me parece magistral.

      E em todos os sentidos.

      O cara num só post chama despreza as qualidades esportivas do Petr Korda, do filho dele e da nova sensação Alcaraz.

      Mas, claro.

      Nessas horas não aparecem os “Batmans” de plantão para mostrarem indignação.

      Pecado mesmo é chamar o Alcaraz de feio, e não falar mal do jogo dele, né Sr. Danilo?

      É um hipocrisia sem fim dessa “Tchurminha” do Nole mesmo viu… rs

    2. Sérgio Ribeiro

      E continua a sua pobreza de espírito , desgovernado, Co-Pilloto. Nenhum dos dois ( Korda e Fritz ) , são especialistas no Saibro. Mas Fritz ( 24 ) e Korda (21) , não fazem feio em nenhuma superfície, e não AMEAÇAM o seu amado. ALCARAZ também não pode ser considerado especialista em nada . A única coisa em comum com o Titio Nadal foi a precocidade no primeiro MASTERS 1000 . RAFA venceu no Saibro aos 18 ( Montecarlo) . . E o segundo na hard ( Miami), também aos 18 . Novak Djokovic faz 35 agora em junho ( junto com Murray) . Carlos Alcaraz, jamais será ameaça ao Big 3 , Take It easy ! Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Ps . A minha Zebra , Casper Ruud, acaba de dançar pra Dimitrov e Fokina tirou Goffin . E’ mole ou quer mais.??? rsrs. Abs!

  8. Lucio Fernando

    Djalminha só é melhor que Pelé na “técnica” se vicê não viu Pelé.

    Mr. Y. Johnson só foi melhor que Michael Jordan na plástica das jogadas, se você nâo viu Mr. Jordan jogar.

    Para o outro: Alcaraz só perdeu uma partuda para um ‘Zé Ninguém^, se você não acompanha tênis.

    E Maradona só foi melhor que Pelé, se vc é Argentino.

    O fato é: são todos excelentes. E se vc teve a oportunidade de ver qualqurr um destes caras bons, parabéns. Mas esses outros da lusta, são gênid. Unem talento de tirar o fôlego e conquista e nao ha números iguais ou levemente superiores que tire essa aura deles.

    Aliás, talvez o wikipedia tire… já que nao faltam imbecis contando qtos dias da semana faltam para seu Malvado Favoritto juntam mais uma semana para a coleçao, mas nao assistem (ou jogam) uma partida sequer.

    Qyo ao Alcaraz: agora que perdeu: como todo esportista na faixa 18-21, ainda passará por muitos altos e baixos até que possa apresentar algum indício de consiaténcia no nível que torcida e país esperam.

    E se a torcida *ou principalmente os pais* insistirem na cobrança, o caldo desanda fácil, fácil. Afinal, acresitem ou não, ainda trata-se de um ser em formaçao e a transicao física e mental entre 18 e 19 é bem mais complexa do que parece.

    1. Paulo Sérgio

      Eu falei que as jogadas de Djalminha são mais plásticas do que as de Pelé e não que ele tenha mais habilidade. Apenas isso! No entanto, distorceram porque o pessoal tem dificuldade em reconhecer o óbvio: Djoko e Nadal dominaram Federer.

  9. Maria Izabel

    O Alcaraz é um garoto ainda.Perdeu para o Korda que é um excelente jogador também. Agora ,cobrar tanto do Alcaraz é um non sense.Dar um tempo para essa transição para o saibro.Alcaraz tem muito futuro e também ótimas características de excelente jogador.Vamos aguardar e torcer.Afinal o Big Three infelizmente não vai ser ad eternum.

  10. Vitor Hugo

    Vamos relembrar os maiores da história levando em conta feitos, importância para o esporte, popularidade e etc:

    Federer
    Nadal
    Borg
    Sampras
    Laver

    Sem dúvidas!

      1. Vitor Hugo

        Como o Dalcim escreveu em um post dias atrás, Federer é o jogador MAIS IMPORTANTE NA HISTÓRIA DO ESPORTE!

        1. Luiz Fernando

          Será q o Marquinhos, o Renato, o Johnny e seus outros fakes pensam da mesma forma kkkkkkkkkkkkkkkk?

  11. Luis+Alves

    Oi Dalcim, boa tarde

    O assunto é tênis, mas não sobre o post. Na sua opinião quem foi melhor jogador no auge da carreira, Meligeni ou Belucci?
    Entendo que o Belucci ainda está em atividade, mas acho que podemos considerar que o auge de sua carreira já passou.
    Os dois tem números próximos (total de vitórias, títulos, melhor ranking)
    Dá para cravar que são o terceiro e quarto melhores tenistas masculinos brasileiros da história?
    Considerando Guga em primeiro e Koch em segundo.
    Obrigado

    1. José Nilton Dalcim

      Acredito que já opinei sobre isso, Luís, mas vamos lá. Pela consistência, Bellucci para mim foi melhor que Meligeni, apesar de Fininho ter tido um resultado em Grand Slam bem superior. Também no quesito técnico em si, acho que Bellucci no seu auge tinha mais golpes no geral, com destaque para o primeiro saque e o forehand. Meligeni leva vantagem nos quesitos intensidade, garra e mental. Abs!

  12. Jose Yoh

    Agora sim a torcida está unanime e unificada.

    Nadal, Federer e Djoko fora de combate; Alcaraz perdeu na primeira rodada.

    Só restou falar mal do tenista que odeia!! Todo mundo no mesmo barco.

    1. Gustavo

      Kkkkk
      Mas vc não sabe que o Sérgio Ribeiro não deixa odiarmos um tenista? Que não podemos dizer “odeio Roger Federer” pi pi pi pó pó pó
      Kkkkk

    2. Paulo Almeida

      Yoh,

      Com um pouco de atraso, vou lhe dar uma resposta aqui mesmo.

      Achei que estivéssemos falando do período 2003-2007 na pasta passada e como você não citou o Roddick nominalmente, ficou difícil adivinhar, rs.

      Da mesma forma, não considero consistente um 5×3 (na verdade isso é equilíbrio). De fato, Djoko já era maduro quando perdeu quatro seguidas para o americano em 2009-2010, mas é sabido que não vivia grande fase, com apenas um mísero M1000 no período. A partir de 2011, só se enfrentaram uma vez e foi aquela surra homérica na grama do All England Club por 6-2 e 6-1.

      Abs.

      1. Sérgio Ribeiro

        No All England Club, a partida e’ em TRÊS Sets . Lá embaixo dissestes a mesma besteira de sempre . Nunca vi um “ feto “ chegar e dominar o Circuito. O passador de bolinhas , Lleyton Hewitt , tinha apenas 19 , quando se tornou N 1 do Mundo. Quando bateu Pete Sampras em Sets diretos no USOPEN 2001 ( verifique o tal h2h ) , quantas semanas o “ feto “ ficou no Topo ??? . São coisas que afirmas que nem o Saretta diria. Ou seja , caríssimo Piloto , não acompanhavas nada de nada … E ainda chuta a minha idade… rs . Que tal perguntar ao eterno professor Domingos Venâncio ??? rsrs. Abs!

        1. Paulo Almeida

          E daí que foi em 3 sets? Foi um atropelo.

          É, eu errei quanto ao Hewitt. Fico sempre com os fetos do Big 3 na cabeça, até lembrei do Sampras em 1990, mas dei esse mole. Legal, ele subiu rápido demais, mas também caiu rápido demais, tendo suas glórias concentradas basicamente do USO 2001 até Indian Wells 2003 (6 Big Titles no total) e 80 semanas como número 1.

          Você mesmo já disse sua faixa de idade e eu apenas fiz uma conta simples. Você chama os outros de manés, aloprados e mentirosos e vai ficar ofendido com isso? E nem foi minha intenção.

          Domingos Venâncio é aquele que disse que o Craque é o mais completo da história?

          Abs!

      2. Jose Yoh

        Foi mal nao ter citado Roddick Paulo!

        Mas veja só: Se Roddick vs Novak é um equilíbrio, entao proporcionalmente Federer vs Novak é mais ainda nao?
        Abs

        1. Paulo Almeida

          Bom, 4 vitórias de diferença em 50 partidas é diferente de 1 em 9 (amostragens muito distintas), mas vamos ignorar isso por enquanto.

          À primeira vista, pode parecer que há um equilíbrio, mas quando esmiuçamos o confronto (já falei isso várias vezes), vemos que o sérvio tem uma vantagem de 26×17 (9 partidas) em finais e semifinais, que é a hora da decisão, da onça beber água. E isso a partir do quinto confronto em Montréal 2007 e não a partir de 2011, ou seja, não estou “deletando” tudo que ocorreu antes do sérvio subir absurdamente de nível. Ele prevalece em Slams, Finals e Masters 1000 e é superado em ATP 500. Você há de concordar que o suíço venceu algumas partidas menos importantes, como o R64 de MC em 2006, a Davis em 2006 e o Round Robin de 2015 e graças a elas aparece um pouco mais próximo no h2h. Não estou dizendo que não valeram nada, mas obviamente não chegam perto do 4×1 em finais de GS, 7×4 em semifinais de GS, 2×0 em finais de ATP Finals e 5×3 em finais de Masters 1000.

          Portanto, o aparente equilíbrio inicial não se sustenta com um estudo mais aprofundado, pelo menos na minha visão.

          Abs!

      3. Gildokson

        Então tá anotado.
        Por favor, desconsiderar qualquer derrota importante sofrida por Djokovic nos períodos 2006/2007 e 2009/2010.
        Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
        Assim fica fácil neh?!
        Ainda tem coragem de chamar o Roddick com aquele apelido maldoso pow…

        1. Paulo Almeida

          Veja se desconsiderei qualquer partida contra o Federer no comentário que deixei para o José Yoh, nobre Gildokson. Só dei pesos diferentes.

          Quanto ao Roddick, faz parte da zoeira entre torcidas, mas você também há de convir que ele só enfrentou o prime Djoko uma vez e foi atropelado.

          Abs!

  13. Flavio Aviles

    Fokina a alguns anos atras estava sendo provocado, xingado e pressionado pelos Brasileiros (nosso triste jeito de torcer) para fazer ele perder para o nosso grande Thyago Wild no Rio Open. Veja onde esta Fokina e os torneios q esta jogando…. e onde esta Thiago Wild agora ??

  14. Luiz+Fernando

    Engraçado, o Federer perdeu de 60 um set do Hurkacz em W e não reclamou de coaching em relação ao adversário, será q isso só prejudica o fanfarrão italiano q levou o mesmo placar? O suíço soube perder com dignidade…

    1. Sérgio Ribeiro

      O Suíço não precisava reclamar de nada pois estava visivelmente lesionado. Nunca mais jogou uma partida e teve vários membros da Kombi e seu baba ovo mor que ainda tiraram onda . Esqueceram que um certo Touro levou um lá mesmo em 2006 e a vera … kkkkkkkkk. Abs!

  15. Daniel+C

    Realmente fui pego de surpresa, não imaginava ver o Alcaraz perder para o Korda no saibro. Uma pena, é outro torneio que ele tinha condições de chegar mais longe e pontuar bem.

    Vi a partir do fim do segundo set e acho que ele não jogou bem. Afoito em vários momentos, principalmente em pontos importantes. O jogo estava mais para ele que para o Korda, mas esses vacilos mantiveram o americano no jogo.

    Agora minha torcida fica para Aliassime, Sinner e Ruud

  16. Paulo Sérgio

    O pessoal tem uma grande dificuldade em diferenciar o gosto pessoal do que é real.
    O que define quem é o melhor não é a plástica dos golpes, mas quem ganha mais campeonatos, recordes, etc. Isso é válido em qualquer esporte profissional. Por exemplo, se eu fosse um alienígena e chegasse agora no planeta terra eu acharia Djalminha melhor do que Pelé porque olhando os dois jogarem percebe-se que os chutes e a plástica dos lances de Djalma são muito mais bonitos do que os de Pelé. Na NBA, as jogadas de Allen Iverson são muito mais bonitas do que as de Michael Jordan, mas todos apontam este último como o melhor pelas conquistas e recordes obtidos.
    Vejamos no tênis:

    (1) Recorde de Slams: Nadal
    (2) Recorde de Finals: Federer
    (3) Recorde de Masters 1000: Djokovic
    (4) Recorde de semanas totais como número 1: Djokovic
    (5) Recorde de anos terminados como número 1: Djokovic
    (6) Total de Big Titles: Djokovic
    (7) Recorde de total de títulos no tênis masculino: Jimmy Connors
    (8) Vantagem no H2H no tênis entre o Big 3: Djokovic
    (9) Vencedor de todos os torneios Masters 1000: Djokovic
    (10) Vencedor de todos os slams 2 vezes, no mínimo: Djokovic e Nadal
    (11) Vencedor de ouro olímpico entre os integrantes do Big 3: Nadal
    (12) Vantagem em finais de slams entre os integrantes do Big 3; Nadal (6 a 3 em Federer; 5 a 4 em Djoko)
    (13) Maior perdedor em finais de slams entre os membros do Big 3: Federer (3 a 6 para Nadal; 1 a 4 para Djoko)

    Com esses dados, dá para perceber o porquê que desviam a discussão do principal em qualquer esporte competitivo, recordes e títulos, e entram com temáticas irrelevantes, tais como: comportamento do tenista fora e dentro da quadra; simpatia da torcida; discussão da mecânica dos golpes (apesar do bater bonito na bola não se materializar em domínio sobre os adversários), e etc.
    Não adianta chamar Nadal de baloeiro ou Djoko de robótico, pois um dos dois terminará como o GOAT no final. O resto é chororô de perdedor.

    1. Paulo Almeida

      Agora foi a sua vez de mandar um “na cara não”, mas o Djokovic bate bonito na bolinha também e executa seus golpes com enorme categoria quando está calibrado; só não é em estilo bailarínico.

      Você é relativamente novo por aqui e não se acostumou com as groselhas do Renato/Johnny/Vitor Hugo. Fica frio, rs.

      1. Paulo Sérgio

        PA,

        Eu já estou acostumado com essa galera e adoro a jogabilidade do Djoko. Só mandei os dados para eles espernearem contra a realidade e adotarem uma postura negacionista rs. Depois reclamam contra o pessoal anti-vacina e os da terra plana. E parece que a carapuça serviu. Olha as respostas abaixo de Sérgio Ribeiro e do Vitor Hugo kkkkkkkkkkkkkkkkkk

        1. Paulo F.

          Os federistas reclamam do negacionismo do Djoko.
          Mas eles próprios são uns baita negacionistas.
          Boa, Paulo!

        2. Paulo Almeida

          Normal, rs.

          E pra complementar em relação à partida de ontem: quem deixou o sérvio na mão foram justamente seus golpes de base, especialmente a direita (26 ENF’s). As jogadas de efeito tiveram pouquíssimo impacto na derrota, mas, mesmo totalmente descalibrado no geral, até que ele acertou 2 ou 3 daqueles drop shots soberbos com os quais já estamos acostumados há um bom tempo; e o Fokina, que é muito rápido, não viu nem a cor deles.

          Abs.

    2. Vitor Hugo

      Tá, ok. Mas Federer é o melhor e maior da história e você continua o chorão de sempre, e é por isso que toda hora vem com o mesmo papinho, pois não está seguro da própria opinião.

      Sorry

      1. Paulo F.

        Alguém que nunca derrotou Djokovic em final de Wimbledon e nunca derrotou Nadal em RG não pode ser considerado o maior.

        1. Carlo Von Vagen

          Sou matemático, mas penso que a única razâo que poderia fazer da matemátuca a rainha das ciências, é a ignorância generalizada do povo.

          Basta olhat para os comentários para entender que embora a filosofia devesse reinar, a rainha das ciências é a medicina, com enfoque na Psiquiatria.

      1. Gustavo

        Mas se fosse o Federer que detivesse os maiores recordes, se um nolista falasse “ainnn número não importa”, certamente vc diria: volte aqui discutir qdo o teu tênis tiver 21 slams, ou m1000 ou etc etc

    3. Sérgio Ribeiro

      Então Paulinho , já postastes isso assim que aparecestes por aqui . Sem dúvidas Novak poderá quebrar a maioria dos recortes do Suíço ( não todos ) , mas o principal jamais . Seu enorme Legado nem de longe, e com certeza será o que definirá o tal ” goat ” , ou seja , poderás dizer no Clube que o Sérvio foi considerado o mais eficiente do Big 3 . Isso se o Espanhol permitir e não saltar em RG para 22 SLAM rsrs. Abs!

      1. Sandro

        Quem é PATO, NUNCA será GOAT!!! E Roger FREGUÊSer não passa de um pato freguês predileto de NADAL E DJOKOVIC!!!
        Vale lembrar a vc que:
        Roger FREGUÊSer PERDEU TODAS as finais de Wimbledon contra Djokovic e TODAS as finais de ROLAND GARROS contra NADAL!!! Logo, quem é PATO FREGUÊS do BIG 2, Djokovic e Nadal, NUNCA será GOAT!!!

    4. Daniel+C

      “ O que define quem é o melhor não é a plástica dos golpes, mas quem ganha mais campeonatos, recordes, etc.”

      Isso é a sua opinião, não é unanimidade. Simples assim. Quem considera outros fatores além dos números para definir o melhor tem uma lógica que merece ser escutada e respeitada. Quer chamar de “chororô de perdedor”? Fique a vontade, estamos “muito preocupados” com essa qualificação. Inclusive quem parece se incomodar de verdade são aqueles que acreditavam que o sérvio seria unanimidade por causa das conquistas e se frustram ao ver que isso não ocorre. E vai continuar assim, é bom se acostumar.

      Allen Iverson jogava mais bonito que Jordan? São posições diferentes, nem caberia comparação. E ainda assim o Jordan jogava mais bonito na minha opinião. Não concordo.

      E não vamos esquecer. Federer já era considerado maior que Sampras pela grande mídia bem antes de bater o recorde de GS. Pois quem realmente entende de tênis, sabe que para definir o maior, não é uma questão de ciência exata dos números.

      Mas bem, como já disse: continue chamando aqueles que não consideram o sérvio o “Goat” de sofredores, recalcados ou do que desejar. Não vai mudar o fato de que para muita gente, o suíço é o maior de todos. E eu pelo menos estou tranquilo quanto a isso. Os outros podem ficar com todos os recordes. E se um Alien chegar na Terra e eleger o sérvio como o maior, eu vou respeitar e só lamentar que ele não tenha presenciado ao vivo aqueles anos mágicos de 2003-2007.

        1. Sérgio Ribeiro

          Rememorando , Paulinho . Pete tentava o OCTA em WIMBLEDON 2001 , quando um garoto de 19 , o bateu numa partida épica . Esse mesmo então aos 27 , quebrou o recorde de SLAM que Sampras achava imbatível ( 14 ) no mesmo All England Club . Daí que o tão sonhado OCTACAMPEONATO do Norte-americano, ficou com o mesmo oponente. Haja recalque rsrs. Abs!

          1. Sérgio Ribeiro

            Ps. Nesta entrevista ele supervaloriza os SETE anos que o Sérvio terminou como N 1 , contra todos. . Quem é o segundo com SEIS ??? rsrs. Abs!

    5. Fabiano

      Só pra te informar filhão. Essa é a tua opinião. A grande maioria que entende do esporte e que realmente acompanha as carreiras do Big 3 elegem Roger FEDERER como o maior e melhor que já existiu. Números são importantes mas existem muitos outros quesitos relevantes que contam, e contam muito só pra ti saber. FEDERER é insuperável. Djocovid é o maior e melhor da história no quesito passar bolinhas.

    6. Carlo V. VV.

      O Nafal talvez termine mesmo.

      Já o outro… vai ser lembrado mais pelss crenças risíveis do que pelo tênis.

      Tenha quantos recordes tiver…

    7. Beto

      Entao o Prost é melhor que o Senna e o Vampeta é melhor que o Zico porque foi campeão mundial. Djokovic tem 10 AO, Borg e outros grandes jogadores da época nunca jogaram esse GS, Masters nem sempre existiram e semanas como numero 1 somente na era moderna que começaram a contabilizar.

    8. José+Yoh

      Paulo, se fosse tudo uma questão de números, você nem precisava ter esse trabalho para tentar convencer todo esse pessoal disso. Todos iriam eleger o GOAT de acordo com as estatísticas.

      Mas em qualquer eleição de GOAT, ou melhor do ano, do século ou qualquer coisa subjetiva é necessário um júri. Esse júri baseia-se nos números e em vários outros aspectos para chegar a uma conclusão. E muitas vezes não são os números que mandam.

      Não vamos entrar no mérito de que isso é totalmente temporal, o GOAT do ano passado pode não ser o mesmo deste ano. Ainda mais com tantas cabeçadas do sérvio (talvez Sampras – um cara bastante suspeito para eleger um – já tenha mudado de opinião).

      No final, com números tão próximos, o GOAT é só uma questão de GOSTO. Uma grande tolice discutir isso.
      Abs

      1. Paulo Sérgio

        Eu só estou fazendo o que a imprensa especializada de qualquer esporte faz em qualquer discussão sobre o goat. Os números não são tudo, mas eles sintetizam toda a trajetória vitoriosa de um tenista. Nenhum tenista sem títulos relevantes entra na discussão sobre os melhores da história.

  17. Sérgio Ribeiro

    Em sua primeira aparição em R.G . o fenômeno ALCARAZ mostrou que não é imbatível e possui oponentes. O ótimo Korda ( levou Nadal quase ao desespero em I.W . ) , conseguiu sobreviver a DEZENOVE break Points no meio de um Vendaval , e foi ótimo mentalmente esquecendo rapido ( com apenas 21 ) , seu maior erro contra o Touro. Carlitos esteve à frente várias vezes , mas tomou uma boa lição aos 18 ( primeira derrota pra alguém fora do Top 10 ) , a maré não estava pra peixe de ambos os lados . E os dois que ficaram na Chave do Magistral Norrie dançaram , inclusive o próprio kkkkkkk. Carlitos atinge o TOP 5 sem susto em 2022 e minha Zebra Casper Ruud segue firme rsrs. Abs!

  18. Gildokson

    Essa má fase do Djokovic tem um lado bom…
    Nos dá o prazer da ausência de alguns comentários do tipo “macho alfa” ou coisa parecida kkkkkkk
    Vai demorar um pouquinho pra aparecer novamente. Kkkkkk

    1. Sérgio Ribeiro

      Sei não, caro Gildokson. Esquecestes que o famoso Belgradao 2022 já começa semana que vem ??? . Isso porque o Macho Alfa detesta ATP 250 kkkkkkkkkkk. Abs!

  19. Rodrigo S. Cruz

    Foi uma das partidas mais horrorosas que já se viu…

    Assisti até o fim do segundo set, vencido pelo GOAT Paraguaio. Porque o jogo estava chatíssimo…

    No 2° set um quebrava o serviço do outro, com games medonhos de saque de parte a parte.

    O Djokovic tomou tanto winner de backhand nos dois sets que eu vi que perdeu até o rumo de casa. Parecia aqueles pugilistas atropelados pelo Mike Tyson na década de 80.

    O Fokina mostrando toda sua “categoria” ainda conseguiu a façanha de dar um game de lambuja pro sérvio após TRÊS duplas-faltas! 🤣🤣🤣🤣

    Kkkkk, meu Deus! Como que o Djokovic perdeu pra um cara desses por 6/1?

  20. Marcelo+Costa

    A derrota do promissor Alcaraz, não quer dizer nada, pois, alguém achou mesmo que ele iria vencer tudo e todos? Ele tem futuro certo, mas pra isso precisa de um presente com pés no chão, no caso da gira atual, pés no saibro, e seu algoz, mostra que a leva dos jovens, trará muitas alegrias e surpresas.
    Agora a derrota do sérvio, essa traz reflexões, a falta de ritmo, a falta de apoio popular, pra alguém tão carente de torcida, versus Federer e Nadal, vem dar uma resposta clara que até o esporte deve se render a necessidade da maioria, pois, o mundo voltou ao normal, graças a vacina. Dito isso, não vejo ninguém mais capaz de voltar a ser protagonista que o sérvio, e creio que em Londres ele terá uma enorme oportunidade de voltar ser o maior tenista de todos, mesmo sendo um ser humano cheio de desvios, e propenso a quaisquer críticas mesmo as exageradas, pois, esse vento, foi ele que plantou.

    1. Sérgio Ribeiro

      “ Voltar a ser o maior Tenista de todos os tempos “ ??? . Inacreditável pois ele nunca foi , meu caro rs . Abs!

      1. Marcelo+Costa

        O maior deve ser isner??? Orelha?? Brincadeira, eu acho que o sérvio será o maior qdo chegar ao 21.

  21. Rodrigo S. Cruz

    kkkkkk

    Alguém aí anotou a placa do caminhão que atropelou o encosto? 🤣🤣🤣

    Que vexame… tomar 6/1 de um tenista fraco e inexpressivo.

    1. Gildokson

      Tô esperando os caras que não esquecem o pneu do Federer em WB tratarem esse resultado do jeitinho que ele merece. Eu sei que a falta de ritmo pesa, mas tem muitos por aqui que ignoram esses fatores na hora de analisar derrota.

  22. Evando

    Dalcim quase não falou sobre a Pigosi, pensei que seria título de publicação, mas foi apenas uma menção rápida. Acredito que um (a) brasileiro (a) fazendo final de ATP ou WTA mereceria mais destaque. Enfim, apenas uma opinião/sugestão, vida que segue, aprecio muito o seu texto. Forte abraço .

    1. José Nilton Dalcim

      Infelizmente, eu tenho tentado desde domingo fazer o podcast com ela, mas não consegui um horário. Continuo tentando.

  23. JAN DIAS

    DÚVIDA…🤔

    Ontem no Bandsports a Renata Saporito disse que o NADAL já estava fazendo musculação 🏋️‍♂️ e se preparando pra Roland Garros… mas ele não quebrou a costela??

    Se ele quebrou, não poderia estar fazendo musculação…correria o risco de piorar a fratura.. Eu olhei no Instagram dele e não há nenhuma foto, vídeo ou notícia mostrando ele em treino.
    Você tá sabendo de algo sobre isso Dalcim?

    1. José Nilton Dalcim

      Não há notícia de que ele tenha voltado a treinar. O mais provável é que esteja fazendo um fortalecimento após a fratura por estresse numa das costelas. Pelo que li na imprensa espanhola, a expectativa de voltar aos treinos é na semana que vem.

      1. JAN DIAS

        Ah..tá!…mas mesmo assim acho tão rápido… eu tive fratura do externo e não podia sequer me mexer (ordem médica).. mas cada caso é um caso né?
        Obrigada pela resposta Dalcin! 🙏👍🏻

    2. Ricardo

      O cara tem um grupo médico de milhares de dólares. Vc acha que ele arriscaria fazer musculação sem acessoria?

  24. Paulo Almeida

    Estranho: o “favoritaço” Alcaraz, que ganhará 27 Slams, 8 Finals e 50 Masters 1000, caiu logo na estreia também.

    1. Gildokson

      Calma, ele é só um “feto” e o que acontecer enquanto ele é um “feto” não vai nem contar depois kkkkkkkkkkkkkkkk
      Não é assim? Kkkkkkkkk

      1. Paulo Almeida

        Claro que os títulos e campanhas serão lembrados, mas nenhum feto até hoje chegou tomando conta do circuito. Se acontecer, será a primeira vez.

  25. FERNANDO/MG

    Prezado Dalcim, vou comentar fora da linha da sua postagem, recentemente li o livro do Richard Williams – Um mundo a preto e branco (até hoje não entendi o porque não ter sido lançado por nenhuma editora brasileira), que originou o tão aclamado filme. o livro trata das profundas cicatrizes que o racismo gerou e ainda gera no EUA, que moldaram de forma definitiva a personalidade do autor e por consequência creio eu, a forma nada ortodoxa com que criou e treinou as duas filhas Venus e Serena, sendo ao meu modo de ver, o livro infinitamente melhor ao filme que falhou em não mostrar os graves e injustificáveis problemas de racismo em Indian Wells (2001) que no meu ponto de vista foi um divisor definitivo da carreira das duas brilhantes irmãs.
    Dalcim, o fato dele não deixar as filhas disputarem torneios juvenis, pode ser interpretado como sendo um erro, ou um acerto colossal?? Pergunta difícil, creio eu, pois, todos sabemos da importância de ter toda a base concluída nos torneios juvenis, mas as irmãs ganharam tudo nos profissionais, sem passar por essa importante etapa, ou seja, ganharam tudo por serem simplesmente sensacionais e com talentos inatos, ou o método nada ortodoxo do Richard mostrou-se acertado, por conhecer tão bem as filhas e ter noção que elas poderiam se perder no caminho transicional entre os juvenis para o profissional? Mais uma vez parabéns pelo excelente trabalho…

    1. José Nilton Dalcim

      É algo muito difícil de se avaliar, Fernando. Como deu certo, parece genial. Se desse errado, provavelmente todos diriam que foi um erro não ter competido no juvenil. O fato é que muitos americanos de sucesso pularam o circuito juvenil, como Agassi e Sampras. Os europeus, ao contrário, são mais ligados a isso. Como tudo na vida, há pros e contras. Acho que na maioria dos casos é um degrau necessário para o tenista ganhar ‘rodagem’ de competição em alto nível.

  26. Vitor Hugo

    Game over para bagrevice! Ainda deve vencer um ou outro atepezinho 250 ou 500, mas torneios maiores, não!

    De qualquer forma Novak, provavelmente, já garantiu seu nome entre os dez maiores da história, apesar da mediocridade de alguns golpes que tem.

    1. Paulo Almeida

      Pelo uso do termo “game over”, já parece ter aceitado que até título de 250 pro Frauddy será só pelo Playstation.

  27. Sandra

    Dalcim , porque essa garotada hoje super talentosa por sinal , não pensão em ganhar Masters ? Basta ganhar um master para dizer que o próximo objetivo é ganhar um grand slam ! Acabam sem nada!

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que você está confundindo interesse com competência. Ou você imagina que eles entram em quadra determinados a perder?

  28. Luiz+Fernando

    Os q postaram sobre a imprevisibilidade desta temporada de saibro devem estar atônitos, está bem mais do q imprevisível kkk. Alcaraz também acaba de perder. E pasmem, o magistral Norrie também, esse é q eu não consigo imaginar derrotado…

  29. Paulo F.

    Quer dizer que o tão badalado Mini-Nadal, que dizem ser o super-invencível, praticamente um kryptoniano de tanto que alentam, perdeu para o filho do podre do Korda?

    1. Miguel BsB

      Podre?
      Se um campeão de Slam é “podre”, o que seriam então o restante 99% do circuito profissional?

      1. Paulo F.

        Tá bom, para te agradar, vou elevar ao patamar de gênios os(as) magistrais Gaudio, Johansson, Ostapenko, Edmondson.
        Afinal, esses “fantásticos” tenistas são campeões de Slams….

        1. Miguel BsB

          Todos eles serão lembrados como campeões de Slam, não como “podres”.
          Eu, por exemplo, gostava de assistir o Gaudio jogar. Foi campeão de RG virando a final pra cima do favoritaço Coria…
          Ganhou 8 títulos de simples, com vitórias em cima de Wawrinka, Gonzales, Albert Costa, Robredo, Verdasco…oponentes de respeito.

    2. Sérgio Ribeiro

      Nestas horas e ‘ que demonstras o quanto “ ama “ o Tênis. Pra variar Magistral comentário, nobre da Kombi. Abs!

      1. Daniel+C

        É a famosa torcida modinha, caro Sérgio. Entra de pára-quedas no esporte, elege o maior vencedor dos últimos anos (Djokovic) como ídolo, e só interessa o quanto que o cara ganha de títulos para poder dizer para todo mundo que seu tenista predileto é o maior. Todo o resto é Zé ruela… rsrs. Abs!

        1. Paulo F.

          Se bobear acompanho tênis bem antes do que tu, outro arrogante que adora vomitar prolixidade por aqui.
          Só podia ser torcedor do Federer mesmo para tanta empáfia.

  30. Vitor Hugo

    Será que Carlos amarelaz vai ser mais um a sentar em cima do troféu que conquistou e se dar por satisfeito?

    1. Sérgio Ribeiro

      Não acredito que li esse comentário, Vitor . Totalmente fora de sintonia pra quem assistiu o jogo . Ambos os jogadores deram o sangue em quadra e Korda conseguiu sobreviver a 19 break Points . O garoto de 21 muito criticado por não converter contra Nadal , já deixou claro que tem tudo pra também deslanchar no Circuito. Abs!

  31. JAN DIAS

    VOLTEI,

    Depois de um longo e tenebroso inverno (as inevitáveis intempéries da vida), eis que retorno ao blog p/ trocar ideia c/ meus colegas tenisticos.. ⚾️⚾️

    E retorno dizendo que estou muito impressionada com a evolução meteórica de ALCARAZ (o jogo de hoje ainda não terminou).. Aos 18 anos sinceramente não esperava vê-lo jogar tanto, uma surpresa pra mim…

      1. JAN DIAS

        Ai Víctor!! Muito obrigada pelas gentis palavras! 🙏😘
        Passei um período difícil, agora espero poder confraternizar com você e demais colegas do blog.. 🎉
        Esperando que o próximo semestre seja de bom tênis para todos nós..
        Um abraço!

  32. Periferia

    O Talentoso Ripley….1999….Anthony Minghella.

    Filme baseado no livro de sucesso de Patricia Highsmith.
    Tom Ripley (Matt Damon) tem a capacidade de imitar pessoas…se envolve numa complicada trama…onde nada é o que parece.
    Com fotografia de John Seale…e um elenco “afiado” (Damon…Jude Law…Gwyneth Paltrow…Philip Seymour Hoffman e Cate Blanchett) o filme tem um final diferente do livro…mesmo assim capta a essência do complexo Ripley…suas inseguranças e a necessidade de aceitação…

    (Tom Ripley foi visto jogando tênis em Monte Carlo…agora é descobrir onde está Novak)

    1. Carlo V. VV.

      Taí, sempre se reinventando. Aprendendo a jogar em simples também.

      Agora não poderei mais dizer que precisa do partner para completar ou responder aos textos para eles fazerem sentido.

  33. Bela

    Podem escrever! Já disse anteriormente aqui, que o Djokovic não ganha mais nenhum GS e não conseguirá mais ser o mesmo. Aliás, a vida é feita de escolhas!!

  34. Carlo Von VVagem

    Ontem meu filho tomaria vacina contra pólio e a triplice. Mas meu bebê é anti vax, Afinal, quem é este papai e mamae golpista que querem obrigá-lo a tomar a vacina??? : – D

    Já minha esposa tomou a vacina anti”gripal. Mas foi bem complicado: andei com ela de posto em posto até encontrar a vacina anti-gripal da Jansen. Ela nao queria a vacina anti-gripal do laboratório da Axtra-Seneca, nem do laboratório Xinês.

    Hoje é vz do meu cachorro tomar anti rábica. Vou obrigá-lo a tomar, com certeza. Já estou pesquisando qual marca é melhor. Mas já estou com receio dele se rebelar contra o fato dele estar sendo obrigado a se vacinar, ou fazendo protesto contra o fabricante da vacina.

  35. Carlo Von Wagen

    Para alguns torcedores; o Sérvio poderia até colocar a culpa do baixo rendimento físico na covid, mas a decisão estúpida de fazer escolhas estúpidas coube única e exclusivamente a ele.

    Embora, eu questionaria mais a saúde mental do sérvio do que a saúfe física, prpriamente: será que ele se encontra saudável mentalmente? Basta ver o que ele arrumou após 2021.

    Quanto aos velhinhos do circuito, quase todos tiveram uma estreia apagadíssima em MC. Foi dificil assistir a alguns jogos e do Djoko foi de longe o mais penoso, principalmente pela expectativa que seus jogos geram.

    Uma pena ver Ruud e Fokina voando no saibro; poderiam estar acompanhafos de Seyboth Wild neste momento da carreira, mas este acabou dragado para as profundezas do ranking. Esperamos que tenha força (e físico) para voltar um dia.

    Quanyo ao Djoko, se ele insistir neste rítmo, será atropelado no saibro até Roland Garros.e depois em Wim.

    Passada a primeira todada, e com a ausência dele (e do Nadal), o favoritismo agora recai sobre Tsitsipas e Zverev, depois Ruud. E ainda não dá para emitir opiniao sobre o Alcaraz até ver pelo menos dois jogos dele em MC.

    Com um dos duplistas fora de açao, o outro reduziu o calendário de participaçao (no blog) e a chave fica aberta, sem resenhas nem indicaçao de filmes para assistir. ; – )

  36. Maria Izabel

    Me surpreendi negativamente,com a forma que Djockovic mostrou em quadra.Sem seus vários recursos,cansado e perdendo na porta de sua casa.
    Uma pena,que sendo um grande tenista,tenha dado um nó em sua cabeça que o levou a tomar decisões absurdas desde o fato do AO,seus conceitos antivacinas, troca do Vadja etc.Em consequência, ficou sem jogar por muito tempo e agora ,está completamente sem ritmo.Tomara repense seus atos que com certeza, afetou em cheio seu psicológico e também o fez perder patrocínio,abalou seu prestígio.
    Já aos 35 anos , difícil voltar ao que era.Vamos aguardar.

  37. Miguel BsB

    Não me lembro da última vez que vi o sérvio errar tanto em uma partida. Está claramente sem ritmo. E olha que ontem assisti novamente o jogaço contra o Nadal na semi de RG/21. O de hj nem parece o mesmo jogador.
    Agora, é jogar todos os torneios que conseguir pra ver se pega um mínimo ritmo de competição…

  38. Rafael

    Dalcim, para um tenista qualquer que está sem ritmo de jogo, qual quadra ajuda para adquirir ritmo: lenta ou rápida? ou isso não importa?
    Abraço

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que depende muito do estilo de cada jogador. No caso do Djoko, eu diria que um piso duro médio seria perfeito. Já o Nadal adoraria por exemplo voltar em Barcelona.

  39. Sérgio Ribeiro

    Bem , como disse o parceiro mais abaixo, Novak Djokovic afirmou que teve COVID duas vezes , e uma das piores sequelas é o físico . Sua atuação contra MEDVEDEV no USOPEN, contra Zverev no FINALS , contra Vesely em seu retorno em Dubai , e agora claramente contra Fokina ( estava mortinho no terceiro Set ) , são preocupantes . Por ser um atleta de ponta com todos os aparatos da Medicina, não entraria em quadra se não estivesse 100% . Depois do que Federer aprontou quando retornou em 2017 ( mesma idade ) , Nadal agora no AOPEN, e’ de se estranhar que o melhor físico da história não voltasse no mesmo nível. Mas até provar em contrário jogando perante sua torcida , há quem se preocupe e não são poucos … Abs!

    1. Paulo Almeida

      A atuação contra o Zverev foi muito boa, mas foi um jogo extremamente equilibrado e ele perdeu no detalhe, enquanto que contra o Medvedev na final do USO, o sérvio esteve abaixo mesmo. Ali a pressão pelo Calendar Slam, as várias horas a mais em quadra do que o russo (pegou uma chave bem mais difícil) e a qualidade deste falaram mais alto. Já contra Vesely e Fokina, as justificativas são as que expus mais abaixo.

      Não tenho dúvidas de que o Craque só teve Covid uma vez e, depois do que fez em 2021, é até piada achar que carrega alguma sequela da doença até hoje.

      Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        “ Não tenho dúvidas que ele só teve COVID uma vez “ . Além de fanático, és bastante pretensioso . Quem disse que pegou DUAS vezes foi o próprio, ou então mentiu . Peguei COVID em setembro de 2020 , e às sequelas em relação ao físico permanecem . E’ difícil saber quem mente mais entre ti e Djokovid kkkkkkk. Abs!

        1. Paulo Almeida

          Você não quer se comparar com um atleta de alto rendimento 30 anos mais novo do que você, né?
          A Covid não causou nem sintomas leves no Djoko na época do Adria Tour. Em relação à “segunda contaminação”, infelizmente não acredito.

          Abs!

    2. JAN DIAS

      Oii Sérgio!

      Voltei!
      Concordo com você, e acho que além do Covid, talvez a idade tb já esteja começando a pesar pro sérvio… como pro NADAL tb.

      Temos que ser realistas e admitir + ainda que o BIG 3 é monstruoso, pois jogar acima dos 34 anos c/ essa molecada de 20 anos que está espancando a bolinha é coisa de super heroi mesmo…

  40. Efraim Oliveira

    Que burrada Novak está fazendo na carreira dele. Chego a não crer que ele não tomará a vacina.

  41. André Aguiar

    “(…)Para sua sorte, vai jogar em Belgrado na próxima semana e terá enfim a chance de emendar vitórias, reerguer um troféu e sentir alívio”.

    Sei não…estarão lá Kecmanovic, Rublev, Monfils, Garin, Khachanov…

  42. Rafael

    Mestre,

    O negacionismo vai custar muito caro ao Djokovic. Anota aí novamente o que eu havia falado no início do ano: Nadal chega ao 22 em RG e a escolha do sérvio vai lhe impedir de terminar como o maior vencedor de Slams. Só uma pergunta: é impressão minha ou o Djokovic tem mais dificuldade que Nadal e Federer em dias com muito vento? Eu lembro na final do US Open que o Murray foi campeão que ele se atrapalhou muito mais do que o britânico com o vento.

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, ele nunca gostou muito de jogar com o vento. Lembra a semi de Paris contra o Thiem que ele se recusou a continuar e aproveitou a chuva para ir embora? Ele tinha até um problema natural com o vento, que era o uso de lentes de contato.

  43. Alexandre

    Dalcim,
    Será mesmo que vai dar tempo para o Nole buscar toda a energia necessária para conquistar o 21° em RG???
    Depois q vi esse jogo, mesmo sendo um quase início de temporada para ele, acho que vai precisar de muito trabalho pra voltar ao seu melhor nível!!!
    Abraços!!!!!

  44. Ronildo

    Na verdade este é o verdadeiro Djokovic do presente. Aquele Djokovic que corria atrás de toda bolinha e devolvia dentro da quadra adversária até cansar o oponente não existe mais. Ele está com 35 anos e esta idade é praticamente o limite pra quem pratica o tênis de maneira tão dependente do físico. Quando me refiro a limite, quero dizer que os títulos acabaram para ele. Nem ATP 250 vai conseguir ganhar mais, pois são torneios dificílimos. Mas ele pode continuar no circuito se desejar se tornar saco de pancadas de outros tenistas mais jovens. Federer enganou o mundo do tênis ao ser campeão de slam aos 36 anos e todos pensaram que Nadal e Djokovic poderiam repetir a dose. É verdade que eles são tão campeões como Federer, mas a realidade é que suas carreiras nunca tiveram a pressão como a de Federer, que jogou praticamente toda a carreira com a fama e consequente responsabilidade de melhor de todos os tempos. Apesar de toda esta pressão Federer conseguiu ganhar tantos torneios devido a sua natural habilidade e técnica jamais vista em outra pessoa em qualquer época da história do tênis.
    Quando Fokina empreendeu um forte ritmo Djokovic jamais conseguiu acompanhar a contento, a não ser no segundo set que Fokina baixou o nível. E no terceiro escapou por pouco de tomar um pneu.

      1. Vitor Hugo

        Só pegaram baba depois dos 30.. Diferente de Roger que, depois dos 30, teve que enfrentar Nadal, Novak e Murray no auge físico e técnico.

        1. Daniel+C

          Pois é, caro Victor. Quando o suíço vencia os citados quando eram mais jovens, não contava pq eram “muito jovens” (mas ainda assim era muito melhores que os Next Gen dos últimos anos). Mas quando o suíço teve que enfrentá-los em seus auges técnico / físico, aí sim valia rs. E é sempre engraçado como gostam de enaltecer as garotadas dos últimos 5 anos…rs. O discurso pode até colar no clubinho de torcedores do Novak, mas não cola para quem é de fora… Abs

      2. Ronildo

        Sim, por causa de um Federer “acabadão”, 5, 6 anos mais velho e com a ajuda de gerações de tenistas mais fracos.

  45. Daniel+C

    Surpreendente a derrota do Djokovic, pois imaginei que ele voltaria cheio de energia, mas a falta de ritmo cobrou o preço. Além de toda a polêmica envolvendo as vacinas, outro sinal de alerta é o fim da parceria com o Vajda. Já vimos esse filme antes….

    De qualquer forma, a cada ano que passa, tende ainda mais difícil para Nadal e Djokovic, com o amadurecimento e experiência dos jogadores mais jovens, ainda que não tenhamos visto um fenômeno como um dos Big 4 + Delpo surgir nos últimos anos. O espanhol, o sérvio e em menor grau, o Federer em 2017/2018 aproveitaram bem essa escassez de grandes jogadores mais jovens mas pessoalmente espero que 2022 seja um divisor de águas nesse sentido e torço muito por títulos dos mais jovens nos grandes palcos ao longo do ano.

    E o Federer, que andou postando fotos de treinos físicos de reabilitação, parece que realmente vai tentar uma nova volta e espero que consiga voltar num nível bacana e se despedir de forma digna. O ideal seria se aposentar já em quadra no discurso após vencer 1 GS (seria mais do que justo, considerando o que ele representou pro esporte e as incríveis chances de vencer alguns GS que desperdiçou), mas é praticamente impossível isso acontecer, e nesse caso, já me contentaria com um título na Basiléia e a despedida ali mesmo 🙂

    Aliás, seria interessante se ele decidisse largar as simples e jogar duplas. Com a mão que tem, faria miséria com um bom parceiro rs

    1. JAN DIAS

      Faz sentido sim… mas lembre-se: O IMPOSSÍVEL NÃO EXISTE PRA ROGER FEDERER!! KKK 👑

      Ainda espero vê-lo ganhar + 1 SLAM, pelo menos pra empatar c/ o NADAL …

      1. Daniel+C

        Olha Jan, pela primeira vez eu duvido do Federer, pode me chamar de pecador kkkkk. Mas nunca se sabe, o que eu mais gostaria é de estar errado e queimar a língua. Já pensou? Muita gente ficaria desesperada… “Agora meu ídolo tem que vencer 1 GS aos 40 anos também” kkkkkkkk

        Mas que ele merece, merece! Sempre vou achar que o tênis que ele apresentou era digno de pelo menos 25-26 Slams. Mas sabemos o quanto ele viajou em alguns momentos kkkkkkk.

        Bem-vinda de volta!

  46. Ricardo

    É o mental dele caiu, também com esse comportamento só podia dar nisso! E tênis é um jogo extremamente mental

  47. Marcos+Ribeiro

    Parece que o Djokovic entrou no torneio achando que estava com vantagem por não ter tomado vacina. Espero que ele consiga reavaliar suas idéias quando constatar na prática que nenhum dos seus adversários teve qualquer queda de rendimento por tomar a vacina e que quem perdeu rendimento foi ele mesmo. Mas tenho as minhas dúvidas.

  48. Rafael+Azevedo

    Djokovic ten apenas 2 derrotas na temporada. Números iguais ao do Alcaraz. Apenas Nadal perdeu menos que eles.

  49. Paulo Almeida

    É, foi talvez uma das piores partidas do gênio sérvio no saibro. E o pior é que teria enormes dificuldades contra Goffin ou Evans também.

    A coisa está feia sem ritmo, sem preparo físico ideal, sem Vajda e provavelmente ainda abalado psicologicamente com os acontecimentos no Australian Open. No ano passado, só foi encontrar seu jogo em Roma. Esse ano não sei não: está parecendo o início de 2018. Vamos esperar.

  50. Gilvan

    Novax Djocovid mostra sintomas claros do que os médicos estão classificando como “covid longa”. Vitimado pela covid 2 vezes (segundo a documentação apresentada pelo próprio sérvio), Novax demonstra uma clara perda de capacidade respiratória, perda de apetite (por títulos) e confusão mental.
    Já que o sérvio se recusa a tomar vacina ou a fazer uso de qualquer outro método convencional da medicina, restará a ele meditar embaixo de uma cachoeira, num retiro espiritual em São Tomé das Letras. Não sei se tem algum torneio Future sendo disputado ali nas redondezas, mas não se não tiver, tudo bem. O cidadão jogou uma média de 1 jogo por mês desde o início da temporada.

  51. Vitor Hugo

    Ué, como pode faltar físico pro cara que não tomou vacina!? Na cabeça de uns que não tem cérebro, a vacina prejudica as condições físicas.

    O passador de bolas mostrou que realmente é um passador de bolas. Conseguiu a proeza de fazer muito menos winners que o medíocre espanhol.

  52. Vitor Hugo

    Fake Djokovid!?😂😂😂😂 Eu sempre disse aqui que é o maior fake dá história do esporte. Drop horroroso, voleio medíocre, slice fraquíssimo, não consegue cravar um smash na quadra! Kkkk
    É muito eficiente, claro. Seus golpes de base e seu físico são excelentes. Mas a estética dos seus golpes é a coisa mais horrível e medonha da história do esporte! Como joga feio! Kkkkk

    Freguês de Roddick, Karlovic, Kyrgios, Vesely e agora Fokina, que levou uma surra do Tiago Wild! Kkkkkkkk

    Melhor devolução da história sendo freguês dos sacadores citados por mim!? Contraditório, não?!
    Melhor devolução com certeza é André Agassi!

    1. Evandro+Pereira+da+Silva

      Kkkkkkk…… como você deve sofrer pq o sérvio jantou durante uma década o seu queridinho, mesmo com todos esses defeitos e esse jogo horroroso dele de passar bolas kkkkk

    2. Paulo F.

      Mais medíocre então é o suíço, que do alto de seu primoroso talento, sempre sendo surrado por este jogador tão defeituoso.

    3. Paulo Almeida

      Agora o Djokovic é freguês até do Fokina, um cara que perde para ele no h2h por 2×1, kkkkk.

      O que dizer então de um que foi surrado 27 vezes, toma 11×6 em GS, 4×1 em finais de GS, 7×4 em semifinais de GS, 13×6 em finais no geral e 13×11 em semifinais no geral? Sparrão é um apelido bem generoso até. 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

      Além disso, o mais completo da história fechou 3 Majors com smashes maravilhosos, sendo aquele skyhook contra o Medvedev no Australian Open 2021 o mais belo de todos. O suíço nunca passou nem perto de conseguir alguma coisa parecida; na verdade, é mais fácil ele perder campeonatos com 40-15 a favor, hehehe.

    4. Rodrigo S. Cruz

      Kkkkkk

      Perfeito, Vitor.

      Só discordo do que vc falou sobre a devolução. Pois a do negacionista é melhor.

      Mas tomara que essa partida de ontem seja só o prenúncio de outras derrotas fragorosas que o sérvio terá.

      1. Daniel+C

        Rodrigo, tem um detalhe que vc deixou passar em relação à devolução do Agassi: o cara teve que devolver mísseis naquelas quadras rápidas dos anos 90, com raquetes menos evoluídas.

        Então por mais que a devolução do Djokovic seja monstruosa, quem acha que a do Agassi foi melhor tem sua certa dose de razão também. Tudo é uma questão de preferência, foram épocas diferentes de pisos e raquetes. Pra mim as duas estão no mesmo nível, e ainda colocaria a do Nalbandian ali no bolo, mas não no mesmo nível. Abs!

  53. sandra

    Nesse ritmo , com essa teimosia e melhor para ele e seus fãs ele se aposentar Dalcim! Acho mesmo que ele sabe que errou , mas prefere fazer pirraça ! Ele está fazendo mal a ele mesmo não a nós simples mortais!

    1. Bela

      É isto mesmo, palavras sábias de Victor Hugo e Sandra! Djokovic parece um paredão, rebatedor. Como pode um tenista profissional ser tão ruim na rede e em vários golpes. Jogo horrível. A postura dele nunca o deixará próximo a Nadal e Federer. Se formos contar quantas raquetes já quebrou!! Aff!! Deveria falar menos, como objetivar RG faltando 40 dias? É se achar mesmo como sempre.

      1. Paulo Almeida

        Palavras sábias de Vitor Hugo, HAHAHAHA!

        Confesso que gargalhei muito aqui.

        Pra você só digo uma coisa: o freguês/freguesa tem sempre razão.

Comentários fechados.