O top 50 está logo ali
Por José Nilton Dalcim
25 de março de 2022 às 23:26

Beatriz Haddad Maia está muito perto de apresentar a melhor versão de si mesma. Nesta sexta-feira, marcou virada espetacular em cima da número 3 do mundo, a mesma Maria Sakkari que acabou de ser vice em Indian Wells. Dominou amplamente os dois sets finais e, segundo suas próprias palavras, nem jogou o máximo que pode. Sinal claro que ainda há mais por vir, o que só nos deixa animados.

Esta foi a terceira vitória consecutiva de Bia em cima de uma adversária top 5 do ranking, somada à então quarta colocada Sloane Stephens (Acapulco-2019) e a que fez em cima da terceira do mundo Karolina Pliskova (Indian Wells-2021), depois de ter sofrido seis derrotas nas tentativas anteriores, duas delas para uma vice-líder (Halep e Kerber) e outra para uma 5 (Ostapenko). Ou seja, nos altos e baixos de sua carreira, a canhota de 25 anos está 3-3 diante de top 5, o que é bem expressivo.

Depois de longo período sem poder disputar torneios de primeira linha por conta de ficar quase zerada no ranking, Bia ganhou 10 de seus 16 jogos desse quilate em 2022, o que eleva seu currículo para 87 vitórias e 64 derrotas em eventos WTA ou Grand Slam, com saldo positivo também sobre a quadra dura, onde tem 49 triunfos e 38 quedas. Na categoria de torneios chamados agora de ‘1000’, como é o caso de Miami, sua eficiência é de 50% (19 em 38).

Provisoriamente, Bia sai do 62º posto e atinge o 57º, o que seria novo recorde pessoal, mas isso depende ainda de outras três concorrentes diretas. Se vencer no domingo Anhelina Kalinina, que tirou Madison Keys, concorrerá ao 52º. Se considerarmos apenas o ranking da temporada, ou seja, campanhas desde janeiro, Bia está em 41º, com 336 pontos.

Apesar de ela própria não ter considerado seu desempenho tão espetacular, há duas coisas importantes a se destacar na conduta de Bia diante da forte e já experiente Sakkari. A primeira foi a postura tática, aquela insistência de manter a bola profunda e no centro da quadra, evitando dar ângulos de contragolpe à grega. E ao mesmo tempo vem a outra qualidade, a emocional, porque conseguiu manter essa meta diante do vento e por 1h58. Raramente se apressou, jamais perdeu a paciência.

‘Fui forte mentalmente’, ressaltou ainda em quadra. Ah, mas não foi só hoje, menina. Você tem sido muito resiliente a cada um dos tantos recomeços que precisou fazer, e talvez a blindagem venha exatamente por isso. Mais do que nunca, o tão sonhado e merecido top 50 está logo ali.

E Iga chegou lá
Aconteceu certamente mais cedo do que o esperado, em função da aposentadoria surpreendente de Ashleigh Barty, porém me parece que era destino certo que Iga Swiatek chegaria à liderança do ranking em algum momento. Ainda aos 20 anos, na segunda-feira ela se tornará a primeira tenista de seu país, homem ou mulher, a pontuar a lista de simples, façanha que apenas Lukasz Kubot obteve para a Polônia em duplas.

Swiatek será a 28º diferente jogadora a pontuar a lista e a mais jovem desde a dinamarquesa Caroline Wozniacki, que era 216 dias mais jovem em 2010. Sua lista de triunfos ainda é pequena, porém nobre, já que reúne Roland Garros e três nível 1000 em pisos distintos, em Roma, Doha e Indian Wells, estes dois conquistados seguidamente e que lhe dá agora 12 jogos de invencibilidade.

É difícil avaliar o quão extenso será esse reinado. No entanto, é claro e evidente que Swiatek está empenhada em continuar evoluindo em todos os campos. Já ultrapassou a barreira das quadras duras e agora terá de encarar a nada fácil tarefa de superar a si mesma. O desafio apenas começou.

E mais

  • Kyrgios teve atuações de gala contra Mannarino e Rublev e agora oferece revanche a Fognini, já que os dois se cruzaram só uma vez e foi exatamente na terceira rodada de Miami de 2018. Talento de sobra em quadra. Quem vencer, pega Carreño ou Sinner. Instável, o italiano salvou 3 match-points contra Ruusuvuori.
  • Zverev é o único cabeça do seu setor que está na terceira rodada, com decepção maior para a má atuação de Dimitrov.
  • Surpreendente vitória em dois sets e um tiebreak do ‘baixinho’ Gaston, 1,73m, diante do gigante Isner. Melhor para Norrie, que pega o canhoto francês e tem Ruud e Bublik no quadrante.
  • Os irmãos Cerundolo ganharam dois jogos cada um. Francisco encara Monfils agora, Juan pode enfrentar em seguida.
  • A chave feminina abre sua terceira rodada sem 19 das 32 cabeças de chave (3 foram por desistência), o que só aumenta a imprevisibilidade. Swiatek, Badosa e Jabeur são as únicas das oito principais favoritas ainda de pé.
  • Entre as derrotadas, Sabalenka, Kontaveit, Svitolina, Raducanu e Fernandez, além de Sakkari. A britânica teve jogo nas mãos e de novo se rendeu ao nervosismo.
  • Quem pode aproveitar essa debacle é Osaka, que fez dois jogos firmes e num deles tirou Kerber. Ela defende pontos e no momento é uma mera 92º. Um eventual título a recolocaria no top 30.

Comentários
  1. Luiz Fernando

    Voltando ao tênis, Alcaraz cada vez mais chama a atenção por seu arsenal de golpes, hj, pex, ele deu um lob desconcertante e inesperado no Cilic, afora as deixadinhas precisas e quase indefensáveis. É um candidato a ir longe no torneio, já jogou muito bem em IW, e vou discordar do q o Dalcim postou abaixo: numa suposta partida entre ele e o grego, sou mais o espanhol, q tem um BH superior. Mas concordo plenamente q nesta eventual partida deve haver equilíbrio…

    Outra q merece comentários é a Iga. Ontem atropelou no set1, venceu sem sustos o 2 e hj venceu bem a Gauff, que tem golpes pesados também. Essa polonesa é encardida…

    Por fim vou fazer coro com postado pelo Sérgio Ribeiro abaixo: esse Brooksby é um jogador perigoso, ano passado ele já havia chamado a atenção nas quadras duras americanas e em Miami pode atrapalhar a vida dos favoritos…

  2. Luiz Fernando

    Como muitos comentaram aqui já há um tempo, merecida vitória do Will Smith no Oscar, ele atuou de forma incrível como King Richard. Agora a atitude dele merece reprovação. Essas cerimônias do Oscar sempre tem piadinhas, algumas estúpidas, claro, talvez a Jada Smith tenha algum trauma com seu problema dermatológico e ele tomou as dores dela, enfim só ele e o Chris Rock sabem. Mas em princípio a brincadeira com o GI Jane 2 ( o 1 foi com a Demi Moore no papel de seal da marinha, e para o papel ela raspou a cabeça) não justifica a reação observada. Como depois ele usou o termo “fucking mouth”, me parece haver um algo a mais no passado entre eles e talvez a piada tenha sido a famosa gota de agua…

  3. Vitor Hugo

    Muito bem dado o tapa do Will Smith no Cris Rock. Tem comediantes que se acham no direito de humilhar as pessoas, sem respeito, sem empatia.
    Acho que o tapa ficou até barato. Um murro na boca seria melhor.

  4. Luis

    Dalcim, você já tem alguma idéia de quando o Djoko vai voltar a jogar? Gostei do jogo do Kyrgios. Sempre torci para ele dar uma reviravolta mental que nem o Agassi, apesar de não ver como isso poderia acontecer.. Da para ver que o australiano tem muito mais para entregar do que vem fazendo. Deu um show contra o Rublev que nem de perto tem a variedade de recursos dele. e ficou sem saber o que fazer no segundo set

  5. Vitor Hugo

    Dalcim, se o Tsipas vencer daqui a pouco, quem vc acha que seria favorito no confronto, Alcaraz ou o grego? Dá pra afirmar que, no momento, o espanhol é mais jogador?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que o favoritismo naturalmente é do Tsitsipas, por ranking e experiência. Mas acho que o Alcaraz está em melhor momento. Será um jogo bem interessante, se acontecer.

  6. Ronaldo Oliveira

    Olá Dalcim, tudo bem? Por um acaso esta data de hoje (28/03) não te lembra algo? Há exatos 18 anos estava començando a rivalidade Fedal!!! Caraca, como o tempo voa, pois me lembro deste jogo e fiquei surpreso como aquele “moleque” de 17 anos atropelou o então n°1. Pena que o tempo passa para todos…
    Grande abraço e parabéns pelo blog!

    PS.: desculpe o off-topic, mas não tive como me segurar…

    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, faz muito tempo mesmo. Lembro que torci muito pelo Nadal nesse jogo, era muito interessante aparecer um rival para o Federer.

    2. Sérgio Ribeiro

      Então, Ronaldo. Tenho um palpite que vistes isso há pouco num Diário Português. E houve ZERO de atropelamento com uma quebra em cada Set , duplo 6 x 3 . E o Diário falou em Rafa aos 17 e Top 34 , mas o Espanhol terminou a Temporada aos 18 e TOP 51 . Mas fica frio que o Espanhol de “ feto “ não tinha nada . Apenas a mesma precocidade de Hewitt e agora ALCARAZ. Imagina aturar as mentiras de parte da Turma da Kombi , junto com um novo “ abestalhado “ , que juram que o Craque Suíço e’ um grande freguês em FINAIS ( somente 4 em RG ) … Daquele Março de 2004 como está no Diário, foram 40 encontros com incríveis 24 FINAIS . O Miura lidera por 13 x 11 contando as 4 FINAIS de RG . Ou seja , os caras tem credibilidade ZERO … Abs!

  7. Rodrigo S. Cruz

    O Kyrgios ostenta boa forma física e parece bem mais focado nas partidas.

    Perdeu do Nadal num jogo apertado em Indian Wells.

    E ontem ele não deu chances ao Fognini, apesar do italiano também não ter jogado grande coisa…

    Quem sabe não seja uma boa hora pro australiano faturar um título de Master?

  8. Sandra

    Dalcim , a Osaka, Muguruza e a Kerber já ganharam mais que um slam, está certo ? Mas elas já foram número 1 ? E os homens , já teve algum jogador que tivesse sido número 1 sem ganhar algum slam?

    1. Valmir da Silva Batista

      SANDRA do céu!!! Jura que você fez mesmo essas perguntas?! Se você acompanha este blog, então é sinal de que tem meios via internet, para entrar no Google e verificar se Osaka, Muguruza e Kerber já foram número um da WTA, bem como se tenistas masculinos foram número um da ATP, sem terem vencido Grand Slam. Não saber a respeito da segunda questão, ainda que por preguiça mental, até dá para entender, já que o reinado de Ríos foi no longínquo ano de 1998 e teve duração de três meses; quanto ao primeiro quesito, seria quase uma obrigação você saber, pois as tenistas em questão estão em franca atividade, sendo que Naomi conta 24 anos, Muguruza 28 e Kerber, a única veterana, tem 34. Claro que ele afirmaría o inverso, mas o proprietário deste espaço deve rolar de rir tanto quanto eu, quando você insere seus questionamentos fora de órbita…

  9. Willian Rodrigues

    Premiação merecidíssima a Will Smith, vencedor do Oscar!
    No momento, não importa se o pai das meninas Williams foi um primor de pessoa, o melhor exemplo de pai, etc.
    O fato é que os cinéfilos aqui do blog hão de concordar que Will Smith já vinha merecendo esse prêmio há vários anos.
    Em minha modesta opinião, sua atuação em “À procura da Felicidade” e “Sete Vidas” já foram hors-concours.

    1. Sérgio Ribeiro

      Concordo , Willian. Somente não precisava dar na cara do apresentador ( comediante) , cena de Big Brother da vida . A Academia disse que não vai ficar barato . Fico na dúvida se King Richard era mesmo o mais louco no filme rsrs. Abs!

  10. Sérgio Ribeiro

    Sem o Big 3 os outros Trintões souberam aproveitar ? . Qual nada , depois da queda vergonhosa de Monfils , salvo algum esquecimento somente sobrou Bautista Agut . A Nova geração tomou conta mesmo dos MASTERS 1000 antes do Saibro rs . SINNER salvou 5 matchpoints contra Carreno Busta num jogaço de 3 horas . Pena outra quadra lenta , mas azar dos USA . ALCARAZ e vários se destacando mostrando que agora o novo Titio ( MEDVEDEV aos 26 rs ) , vai precisar jogar muito pra voltar ao N1 . Iga a nova N 1 passou o carro . E a gatinha de 16 pra cima de Vika ??? . Serena e Vênus já mostram que a aposentadoria chegou pra ambas … Abs !

  11. Ruy+Machado

    Dalcim, bom dia! Ontem, assisti ao dois primeiros Sets do jogo do Tsitsipas contra um cara que nunca tinha ouvido falar… JJ Wolf. Fiquei surpreso com o nível apresentado por ele. Jogou, praticamente, de igual para igual com o grego (e estava jogando bem, nada de noite pouca inspirada). Quando fui consultar os dados do americano no site da ATP, é ridículo seu currículo! Será que estava em noite abençoada? Precisa de um técnico melhor para colocar seu provável talento nos eixos? Abc e bom Domingo!

    1. José Nilton Dalcim

      Ele tem 23 anos e vem do circuito universitário, então atrasou sua entrada no profissional. Tem bons resultados em nível challenger e está sempre à vontade na quadra dura. Quase ganhou do Bautista em Acapulco.

  12. PIETER

    Caro Dalcim, saberia dizer qual foi a melhor posição alcançada pela grandiosa Maria Esther Bueno no ranking da WTA, já na era aberta do circuito? Imagino que na década de 70, após as paradas dela por contusões/cirurgias…

  13. Catlo (Xe do Caixao) Wagen

    “È muito bom teocarmos idèias, desde que não tenham cunho racista, sexista ou descruminayòria de qualquer natureza.
    A
    A qurm acha que o tênis feminino deve ter mais espaço, fica difìcil ver cimentàrios, mesmo os que se acham inocentrs, que ressaltam essas caracterìsticas.

    Ao dizer que ima “mistura de raças deu bom” (ou deu ruim), que fulana parece uma pantera (seja de que cor for), ou que alguèm pegava ou nao pegava alguèm quanfo a nòtìcia è fo ténis feminimo, e nao de forma eventual, mas podemos dizer que de forma repetitiva, ja esta caracterizada a discriminação.

    Orlo jeito as mulheres fo blog ou nao ligam, ou tem medo de se expor e imediatamente tomar a rèpluca sem moderação.

    1. José Nilton Dalcim

      Seus textos andam forrados de erros de digitação, o que dificulta muito a leitura. Por favor, seja mais cuidadoso.

    2. Willian Rodrigues

      Prezado Catlo (Xe do Caixao) Wagen,
      Tentei decifrar seu texto para então apresentar uma resposta…
      Eu me importo sim, e fico triste pelo fato de alguém interpretar dessa maneira.
      Ao afirmar que a “miscigenação da Osaka deu bom”, eu quis apenas e tão somente ser elogioso. Porque, de fato, eu a julgo uma mulher bonita.
      Um colega havia estabelecido uma analogia com a Bouchard e quis dizer que a beleza ou etnia nunca estiveram em pauta nas minhas considerações, ainda que de forma velada, como você agora insinua.
      Preciso ter o direito de julgar a Sharapova desonesta por ter se dopado, assim como criticar a Osaka por agir de forma precipitada, ou fazer declarações infelizes. Do mesmo modo, criticar duramente Serena Williams pela palhaçada naquela final do US Open, onde demonstrou claramente não saber lidar com as derrotas.
      Gosto bastante do tênis feminino, e concordo com Dalcim e outros foristas, quando afirmam que nos últimos meses o tênis feminino esteve muito mais interessante que o masculino. Assisto a inúmeras partidas.
      Se alguma frequentadora do blog enxergou sexismo ou misoginia quando eu afirmei que fulana ou ciclana “é uma delícia”, peço desculpas. Comentário inocente sim, como tantos outros que já surgiram em pastas anteriores do blog onde os colegas mencionaram a beleza de algumas atletas. For God Sakes! Com tanto policiamento, fica difícil respirar…
      Quantas vezes alguns outros aqui já não mencionaram as belas pernas da Kerber, ou que Bia Haddad, Badosa e outras são “gatinhas”? Não há nenhuma maldade nisso…
      Ah…, sinceramente, você talvez esteja muito afetado (a)!

      1. Willian Rodrigues

        Ah, e mais uma coisa: não faço comentários relacionados a assuntos fora da pauta de forma repetitiva. A maioria dos poucos comentários que faço por aqui estão relacionados ao assunto tênis mesmo.
        Quem “chamou” para a reflexão e o debate acerca de questões discriminatórias e afins, foi outro nobre colega forista.
        Fique bem!

        1. Luiz Fabriciano

          William, pelo que consegui extrair do comentário acima, decifrando os hieroglifos, talvez não tenhamos mais o direito de achar pessoa A mais bonita que B (ou tenistas, como é a pauta).
          Deveremos ter ou nos relacionar com quem nos impuser. E não sabemos nem quem fará isso, rsss.
          Complicado.

  14. Periferia

    “Minha mãe levava o almoço pra mim na escola…comia e pegava o ônibus…
    Ela me dava cinco reais…
    Quase 3 horas depois (Parelheiros é longe) chegava no Paineiras para treinar…acabava o treino voltava (outras quase 3 horas).
    Na ida…muitas vezes precisava conversar com o cobrador do ônibus para passar por baixo da catraca…assim sobraria o dinheiro para o lanche.
    Voltava de lotação com meu irmão mais velho (outro tenista)…
    Tenho muito orgulho de onde saímos (ele e o irmão) e onde chegamos.
    Cheguei a ser 230 do mundo…gostaria de ter conseguido uma posição melhor…mesmo assim acho espetacular…é um esporte que amo…”

    Daniel Dutra da Silva perdeu hoje a semi final de um Challenger sul-americana..aos 33 anos jogando como o garoto do Marsilac…e querendo mais.

    Rogério…o irmão mais velho…enfrentou Nadal e Djokovic em Slam(s)…chegou em 63 do mundo…hoje mora e trabalha na Califórnia.

    1. Willian Rodrigues

      Realmente, uma bela história!
      Todos nós temos nossas próprias limitações genotípicas e fenotípicas (devido a interações com o meio).
      Aquilo que é absolutamente trivial para alguns, é o ápice para outros.
      Creio que o segredo de tudo, o verdadeiro mérito, está no esforço, na resiliência e na capacidade de explorar da maneira mais intensa e eficiente possível as “ferramentas” de que dispomos para a vida. Provavelmente, e vergonhosamente, acredito que eu esteja aquém daquilo que poderia ser como pessoa, como ser humano…
      Isso é válido tanto pela lógica espiritualista quanto pela visão estritamente biofísica, materialista.
      Parabéns ao Dutra Silva por amar esse esporte, e por se manter firme no ideal de atingir metas plausíveis para suas condições inatas e limitações impostas pelo contexto socioeconômico.

      1. Periferia

        Olá William

        É isso aí…como diria aquele prisioneiro na Sibéria…
        “…a vida é vida em toda parte, a vida está em nós, e não no que nos rodeia”

        Viva a vida

        1. Willian Rodrigues

          Salve, salve, Periferia!
          Aproveitando o ensejo, um “zagueiro que saiba ao menos sair jogando”, já executa uma função nobre… HeHeHe
          Como acabamos de ponderar, cada um vibra de acordo com suas possibilidades.
          Se não posso ser um “Big Three”, contento-me em estar no Top 300.
          Abs

        2. Valmir da Silva Batista

          Caro PERIFERIA, observou muito bem observado Vandré: “A vida não se resume a festivais”…

  15. Jefferson Barbosa

    Dalvim, vc acha que essa regra de limitação de pontos em atp 500 e 250 deveria acabar?
    Épocas diferentes hoje em dia, qualquer 250 o jogador sai desgastado, e mesmo assim a pessoa não atribuir nenhum ponto ao título por conta de uma limitação?? Eu acho isso injusto.
    Alias, pq ela existe?

    1. José Nilton Dalcim

      Mas a limitação já não existe mais, Jefferson. Veja que no ranking atual o Aliassime tem seis 500 na conta, Rublev e Tsitsipas têm cinco.

        1. José Nilton Dalcim

          Sim, mas sempre tem o limite dos 19 melhores resultados. Os demais são descartados. Existem os torneios obrigatórios – Slam e Masters 1000 – para os jogadores que tiveram ranking para jogá-los. Se não o fizerem, são penalizados com 0 ponto.

          1. sandra

            Dalcim, se tem os torneios obrigatórios e Djokovic não está jogando, o que acontece com ele, tudo bem que é por causa da vacina, mas a vacina não é obrigatória , e obrigatória para os torneios , não para nós simples mortais , não fica fica meio confuso ? E ainda tem 3 grand slams

          2. José Nilton Dalcim

            Não há nenhuma confusão, Sandra. Mesmo que o tenista esteja contundido, ele levaria 0 ponto. O caso de Djokovic é bem claro, ele não jogou porque decidiu por isso. Então ele já está com 0 zero ponto tanto na Austrália como em Indian Wells e acontecerá o mesmo com Miami.

          3. sandra

            Dalcim, se tem os torneios obrigatórios e Djokovic não está jogando, sei bem que é por causa da vacina, mas a vacina para nós simples mortais não é obrigatória , não fica meio confuso ? E os 3 grands slams? O que acontece?

          4. José Nilton Dalcim

            Se ele não jogar, qualquer que seja o motivo sob a face da Terra, levará 0 ponto. Exatamente como aconteceu na Austrália.

          5. José Nilton Dalcim

            Sim, mas há diferenças. Na WTA valem os 16 principais resultados e só existem oito obrigatórios: os Slam e quatro 1000 (Indian Wells, Miami, Madri e Pequim).

  16. Willian Rodrigues

    Em resposta ao prezado Marcelo Costa, sobre uma postagem na pasta anterior.
    É muito bom trocarmos ideias, prezado.
    Eugenie Bouchard vive mesmo no ostracismo! Isto, devido a tudo que você colocou, somado à falta de verdadeiro talento. Nunca fui grande admirador dela como tenista… Creio que o universo tenha conspirado a favor, e ela acabou atingindo o top 5. Carreño já atingiu o top ten… (Unbelievable!) Embora, como mulher, eu digo que a pegaria com muita alegria! Também considero a Osaka uma delícia! Perdão Dalcim! Rrssrss… Afirmei isso aqui mesmo no Blog quando ela despontou no circuito. Considero que a miscigenação ali deu bom… Uma coisa não está relacionada a outra, porque Bouchard não criou nenhuma celeuma em virtude do assédio de fãs, ou da mídia, ou do estresse ocasionado pelo grande número de torneios do circuito.
    Respondendo à sua pergunta: o motivo de tratarmos o caso da Osaka de forma diferente é porque suas declarações saíram de mau jeito! Ela não soube protestar contra o que a incomodava. Ficou parecendo muito mais um ataque de estrelismo. Daí eu dizer que foi mal assessorada.
    Uma vez que se sentia desconfortável com a obrigatoriedade das entrevistas e outros aspectos do circuito, ela poderia ter convocado uma coletiva e falado abertamente a respeito. Haveria uma grande repercussão POSITIVA, eu tenho certeza disso.
    Se Osaka parasse agora, eu não a trataria como covarde! Eu respeitaria seu posicionamento… Deixaria o circuito desfalcado e a esperada rivalidade com Swiatek não ocorreria. Simples assim.
    “Será que Barty seria tão maravilhosa se sentisse na pele, ter outro tom de pele?” Quanto a esta última pergunta, parece-me que a Barty é descendente dos povos originários da Austrália, não? Historicamente aculturados, massacrados. Ou estou enganado?
    Posso dizer então que Barty já sabe bem o que é ser discriminada…
    Finalizo dizendo que procuro manter o discernimento.
    Todos aqui sabem que torço para Djokovic desde 2007.
    Porém, fui um dos primeiros a “bater pesado” no sérvio aqui quando surgiram suas primeiras babaquices durante a pandemia.
    Algumas vezes, pregando no deserto, inclusive. Meus então companheiros da Kombi não fizeram coro até bem recentemente. KKKKK
    Abraços

    1. Valmir da Silva Batista

      WILLIAM RODRIGUES, sei que seu comentário não é destinado a mim, porém, democraticamente, peço licença para me colocar sobre o teor do mesmo, tudo para lhe dizer que você tem minha anuência a respeito dos elogios de cunho popular, por assim dizer, que faz às tenistas que considera atraentes. Só não concordo quando parece( ! ) que você pede desculpas por isso e/ou faz do próprio comentário algo explicativo aos patrulheiros de plantão, aliás, essa gentinha tacanha só sabe cagar regras e vomitar surrados clichês, a fim de agradar a audiência deste espaço e, em especial, seu administrador, pelo status de proprietário do mesmo. Meio que parafraseando você, tem inúmeras tenistas que considero muito bonitas, gostosas e inteligentes e outros bons adjetivos mais. Me atraem muito, por exemplo, a sensibilidade e voz de criança na mulher NAOMI OSAKA( 77 ), o acinte de mulher empoderada( e muito gostosa ) da SERENA WILLIAMS( … ), as pernas de cinema da PAULA BADOSA( 6 ), os seios fartos de camponesa e gemidos exagerados da ARYNA SABALENKA( 5 ), o exótico penteado deixando à mostra a nuca sensual da MARIA SAKKARI( 3 ), o charminho mise-en-sène da BIANCA ANDREESCU( 44 ), o ar algo depressivo e “magreleza” de top model da KAROLINA PLISKOVA( 8 ), o corpão maravilhoso e olhões amendoados da SLOANE STEPHENS( 38 ), e a pseudo aeróbica muito melhor que a de qualquer Anitta da vida da ANDREA PETKOVIC( 64 ), para ficar apenas em nove exemplares de tenistas que me atraem como mulheres, pois que problema há nisso e qual suposto sexismo em dizê-lo? Quanto a Eugenie Bouchard, por você citada como exemplo de tenista desprovida de qualidade, além de endossar, afirmo que a considero apenas mais uma Anna Kournikova da vida, sendo a Bouchard da vez a Emma Raducanu, que não joga porra nenhuma desde setembro, quando venceu o US Open, num misto de mérito( algum ) com sorte caída do céu, ou seja, está há quase sete meses só desfilando em quadra, porque bola mesmo que é bom, nada. É isso, meu caro, em 28/03/2022( por causa das citações do ranking ), afora os dois fatores que achei negativos, gostei muito do seu comentário…

      1. Jordy

        Valmir, você tem que ser controlado pelo sistema!!!!! É proibido dizer que o que mais atrai no tênis feminino é a aparência das tenistas.

        1. Sérgio Ribeiro

          Jura ??? . Acredito que Billy Jean King , Navratilova , Serena , BARTY e CIA, discordam TOTALMENTE de ti . Nem vou passar as grandes rivalidades pois já reparei que desconheces o Esporte como um todo. Abs!

    2. Marcelo+Costa

      Delicia, é chocolate, delícia, é café expresso sem açucar, e se pega ônibus, se pega gripe. Não sou politicamente correto, isso é besteira, sou só um cara que tem ojeriza a termos chulos, desrespeitosos e desnecessários. Agradeço sua educação, mas eu não compactuo com essa forma de pensamento. Sorte a você.

    1. José Nilton Dalcim

      Bem observado, Alexandre. Na verdade, Bia sempre gostou muito de jogar na rede, onde é muito habilidosa. Mas tinha perdido um pouco dessa determinação pela óbvia falta de confiança. Ao jogar mais duplas, recuperou isso e está muito eficiente. Abs!

  17. Maurício Luís *

    Tem internauta aí que não perde a oportunidade de desmerecer o jogo das meninas. Talento e esforço não tem sexo!
    Já disse tempos atrás e repito: se gosta tanto de força, tem campeonato de braço-de-ferro. Se gosta tanto de velocidade, tem os 100m rasos do atletismo.
    Em resumo: fique com os seus homens, e faça bom proveito… que eu fico com as minhas mulheres.

  18. Carlo Von Wagen

    Coitada da menina. O sucesso chega, depois vem os holofotes, e imediatamente atràs chega a fanàtica torcida.

    Que Deus dé-lhe paciència e sabedoria para aturar os fanàticos.

    1. Valmir da Silva Batista

      CARLO VON WAGEN, Bia não é mais uma menina, como você citou em seu comentário, em maio próximo ela completa 26 anos, idade, aliás, na qual um ou uma tenista que sabe jogar bola pra valer atinge o auge de sua carreira. E mais: coitada porra nenhuma! Ganha de uma tenista top que é a Maria Sakkari, para depois apanhar da Anhe…quem?

  19. Miguel BsB

    Hahahaha
    Perifa, ri demais com sua escalação do Blog!
    Uma honra jogar com a 11 do baixinho Romário, mesmo de ponta esquerda…(vou ter que me virar cortando pra dentro, pois sou destro, apesar de assobiar a internacional rs)
    Você seria nosso cronista esportivo, uma mistura de Nelson Rodrigues com Juca Kfouri).
    Um abraço

  20. Paulo Almeida

    A morte do baterista do Foo Fighters Taylor Hawkins às vésperas do show da banda no Lolla deve estar sendo terrivelmente chocante para os fãs. Lamentei muito quando os craques das baquetas Nick Menza (Megadeth) e principalmente Neil Peart (Rush) se foram e menos mal que não tenha sido em um cenário como esse.

    Nunca fui fã de FF, mas deixo aqui o meu RIP.

  21. Valmir da Silva Batista

    DALCIM, sigo citando seu nome, apesar de você não se reportar sobre meus comentários, o fazendo apenas aos que lhe colocam na zona de conforto, afinal, trata-se do fator livre arbítrio e nada posso fazer quanto a isto. Mas o que quero dizer é que reconheço o feito de Bia Haddad, ao vencer a n° três do mundo e ainda mais sendo esta uma tenista em franca ascensão, que é a craque de bola Maria Sakkari. Todavia, não devo me furtar a dizer que nada do que Bia fez em quadra ontem( 25/03/2022 ) me seduz, eu já vi esse filme antes, ou seja, faz um puta estrago em jogo isolado pra cima de uma tenista top, para, na sequência, sofrer derrotas absurdas frente às Mariazinhas da esquina, que jogam tênis como quem dá raquetadas elétricas em pernilongos. Salvaguardados meus cumprimentos a Bia pelo belo feito mediante Sakkari, e isto não tem nenhuma relevância em termos de eficácia, o que quero ver são sequências sólidas híbridas de jogos bem jogados. Por ora, tudo o mais que for dito sobre o jogo normal de ontem( 25/03/2022 ), não passa de ejaculação precoce por parte dos que são chegados numa patriotada à moda casa…

    1. Paulo

      O Dalcim já tinha te dito que não te responderia mais. Não se faça de desentendido. E vc sabe bem o motivo.

    1. Willian Rodrigues

      Pensei nisso ao assistir a partida de hoje…
      Foi uma pena ela ter perdido o foco e reduzido a confiança após sofrer aquele fatídico break.
      Mas, ela realmente tem evoluído muito.
      Seria maravilhoso se ela conseguisse figurar no Top 30.
      Se ela mantiver esse padrão, melhorando um pouquinho a consistência, tem boas chances.

  22. Pieter

    Que maravilha poder ler um post dedicado, merecidamente, a essa talentosa tenista que é a Bia. É muita sorte termos uma jogadora como ela para poder torcer e acompanhar pelo ultra-competitivo circuito feminino, como jamais esteve antes.
    E o que me chama atenção, e acho muito promissor e admirável, é a reação da Bia após essas vitórias inesperadas e difíceis: ela comemora discretamente, de forma quase blasé, como se já esperasse um triunfo desses. Ou seja, há mais por vir, o que diante do talento dela não é nada inesperado mesmo. Torço muito por ela, além de muito comprometida com a carreira, é uma simpatia em pessoa, simples e acessível!

  23. JONY MARCIO SANTOS

    Hoje a Bia lavou a alma de todos nós, Dalcim. Lembrei dos melhores momentos da Niege Dias, Dadá Vieira (que com apenas 18 anos derrotou em Hamburgo a Helena Sukova, então número 5 do mundo, e teve destaque até no Jornal Nacional pelo feito), Teliana Pereira e várias outras guerreiras do nosso tênis. Acho que o jogo da Bia evoluiu demais e ela tem tudo pra ser a nossa quinta tenista a atingir o Top 50 em simples, entrando no seleto grupo de Maria Esther Bueno, Niege, Teliana e Patrícia Medrado. E vai ser merecido demais. Só senti falta de uma notinha sobre o grande feito do Daniel Dutra Silva hoje, Dalcim. Primeira vez que atinge a semi de um challenger, já com 33 anos, entrando como lucky looser e alcançando vitórias expressivas demais como a de ontem contra o Pucinelli e hoje contra o chileno que era cabeça 5. Vou torcer demais pra ele chegar nessa final e também pra atingir a pontuação pra jogar o qualy de RG. Vai ser um feito enorme pra um tenista que tanto batalhou pra se manter no circuito e que tá prestes a atingir o ponto mais alto da sua carreira.

    1. Maurício Luís *

      A Niege Dias pegou fama de ‘baloeira’. Lembro de um jogo dela aqui no Brasil. Um torcedor se irritou com tantos balões e gritou: ” – Joga tênis! ” Na hora, ela não reagiu. Mas no fim do jogo protestou e saiu chorando… depois de ter ganhado. Não sei dizer se ela baloeira em todos os jogos, mas este episódio foi bem marcante.
      De qualquer forma, nenhuma brasileira até hoje chegou aos pés da Maria Esther Bueno. Quando muito vitórias ocasionais. Torço pra que a Bia Maia mude esta história.

      1. Jordy

        kkkkkkkkkkkkkkkkkk Maurício Luís, imagine você sair do conforto do seu lar, pegar trânsito, pagar estacionamento e enfrentar a burocracia de acesso a um clube, para, ao fim e ao cabo, assistir campeonato feminino de balão!!!!!

        1. Paulo Almeida

          O mais completo da história tem planos B, C, D, E, F, G e H com sua vasta caixa de ferramentas.

          Já pensou no vexame que seria ter sido surrado 27 vezes por um unidimensional passador de bolas? Menos mal para o sparrão suíço.

          1. Sérgio Ribeiro

            Já reparastes que os Paulinhos que não entendem absolutamente nada de Tênis , assim como ti , morrem de rir quando chamas Roger Federer de sparrao . Tua mania de desconstruir lendas do Esporte para o fedelho ( que acabou de ser Pai ) , soam como música. Caríssimo Roberval , digo P.A . , até quando vais poluir este fórum com tanta babaquice ? . Sabes quantos fakes “ Paulos “ sumiram rapidinho depois das asneiras cometidas pelo “ goat “ Paraguaio ??? . Tu já és bem grandinho pra dar exemplo pra esses moleques ou não ??? rsrs. Abs!

          2. Paulo Almeida

            Nenhum Paulo sumiu e todos manjam bem mais de tênis do que você, que nem com 102 anos acompanhando o circuito aprendeu alguma coisa, rs.

            Creio que o Paulo Sérgio não seja nenhum fedelho, mas, assim como eu, deve estar longe da sua faixa de idade. Não adianta me empurrar pra lá: você sempre será nosso vovô!

            No mais, vá dar lição de moral no Renato/Johnny, ao invés de ser papagaio dele.

            Abs!

          3. Sérgio Ribeiro

            Meu caro , pra teu azar , ALCARAZ está te desmentindo quanto a babaquice de “ feto “ em relação a Nadal , o N 2 de 2005 . Teve que escutar o grande Saretta ( jamais venceu um ATP ) , para tentar entender quando ocorreu a terrível padronização. Vi Borg jogar mas ainda não sou Vovô, já ti passas desde 2008 quando a Kombi entrou na pista repetindo as mesmas groselhas. Quem não ouviu falar nos SEIS Ex-N1 , desde que Federer assumiu o N 1 e Nadal o N 2 , chamando TODOS de Bagre , está em lugar errado kkkkkkk. Abs!

          1. Sérgio Ribeiro

            Bastou o “ Rei do Saibro “ voltar a perder nas duras e já vens babar ovo . Tomas jeito guri que tu somente não és mais Velho que o Roberval kkkkkkkkkkkkk. Abs!

        1. Rodrigo S.Cruz

          kkkkk

          Você leu essa, Dalcim?

          O grande Roger Federer que dominou o tênis por anos e se manteve competitivo por décadas.

          Um tenista com 20 títulos de Major e 103 títulos de simples e postulante a GOAT do tênis tem um MENTAL DE GELEIA!

          kkkkk

          Puta que pariu. É brincadeira viu….

  24. Sérgio Ribeiro

    Como jamais deixei de lado a WTA , foi possível admirar jogadoras com estilo bem diferente da pancadaria que reinava no Circuito até o surgimento de BARTY. Cravei em 2018 a ascensão da Australiana ao Topo , mas confesso que imaginei a excelente Iga Swiatek atingindo o TOP 3 somente em 2023 . Me surpreendi com as declarações das duas que treinavam sempre juntas . Isso ajuda a entender toda a precocidade da Polonêsa e também a melhora em vários golpes de variação. Apenas não cravo que Iga vai reinar consecutivamente como Ash . Já Bia não acertaria nunca esta performance sensacional, uma maravilhosa surpresa . Kyrgios foi pro tudo ou nada o jogo todo e pra mim continua com um físico nada confiável. SINNER muito irregular mas acabou de trocar de Treinador. Não preciso dizer que os trintões estão caindo pelo caminho e ALCARAZ na Final de Miami não parece impossível. A conferir. Abs!

      1. Jordy

        Kkkkkkkkkkk Sérgio, é a coisa mais normal do mundo atual ver uma tenista que está entre as 30 melhores perdendo para ABSOLUTAMENTE QUALQUER UMA , em qualquer fase e de qualquer torneio.

        1. Sérgio Ribeiro

          Não sei a sua idade , Jordy . Mas isso sempre aconteceu também com os marmanjos. Principalmente na tradicionalíssima Copa Davis . Se o parceiro não consegue ver qualidade na ATP e na WTA atualmente, repito , Tênis não é a sua Praia kkkkkkkkk. Abs!

  25. Luiz+Fernando

    Dalcim não sei q sua visão é a mesma, mas vejo Iga em franca ascensão devido a grande agressividade q vem demonstrando. Em IW ela fazia muitos winners mas também cometia muitos ENF; nas ultimas partidas estes últimos se reduziram muito, o q explica suas vitorias em sets diretos, alguns por placares contundentes. Suas bolas estão rápidas, bem distribuídas e planas, com mudanças de direção precisas. Sem Barty, q jogava num nível acima das demais, inclusive melhor do q Iga, vai ficar difícil encarar a moça…

    1. José Nilton Dalcim

      Ela sofreu muito nas primeiras rodadas de Indian Wells e flertou com derrotas, mas depois realmente achou um equilíbrio melhor nas forçadas de bola. Acho que é uma questão de tempo mesmo até ela dominar completamente isso e ficar ainda mais sólida. De certa forma, quero ver sua reação como número 1, porque isso é uma meta mas pode ser também um fardo.

    2. SANDRO

      Mesmo antes da Barty se aposentar, eu achava que em pouco tempo a IGA alcançaria o NÚMERO UM…
      IGA, apesar de muito jovem, vem amadurecendo rapidamente e ultrapassar a Barty normalmente seria o seu destino…

  26. Rafael+Azevedo

    Sensacional a partida da Bia. Como você citou, Dalcim. Ficou claro que a “tática” e o “mental” foram os elementos chaves. Mas, tem-se que dar uma moral à “técnica” também, pois apesar de pouca variação da Bia (mas houveram algumas paralelas e subidas à rede muito bem executadas, que surpreenderam a Sakkari), ele simplesmente não errava e conseguia fazer as bolas profundas que se propôs a fazer. Não basta escolher uma boa tática se você não tem técnica para executa-la.

    Sobre a sua perfeita análise tática, eu acrescentaria a postura da Bia mas devoluções dos saques. Nos segundos serviços da grega, ela quase entrava no “quadradinho” para devolver.

    Foi gigante! Jogou como uma top 10. Vibrei muito!

    Valeu, Bia!

Comentários fechados.