Medvedev se prepara para um bom reinado
Por José Nilton Dalcim
24 de fevereiro de 2022 às 21:27

Foi o jogo agressivo do canhoto Jiri Vesely, um tenista de golpes poderosos mas que hoje é mero 123º do ranking, que decidiu a histórica alteração na ponta do ranking. Depois de 18 temporadas, nenhum Big 4 será número 1 na lista da próxima segunda-feira, todos superados pelo estilo pouco ortodoxo de Daniil Medvedev.

O russo completou 26 anos há 13 dias e certamente passará todo o mês de março na ponta. Mesmo que não vença rodadas em Indian Wells ou Miami – onde defende 180 pontos -, não terá como ser ultrapassado por Djokovic porque o sérvio não possui autorização para entrar nos Estados Unidos sem comprovar vacinação e, ainda por cima, perderá 45 pontos de Miami de 2019.

Na verdade, a lógica manda apostar que o russo irá aumentar gradativamente a distância para Nole até o saibro chegar. A semi de Acapulco já lhe dá margem de 150 e, em caso de novas vitórias, pode subir para 270 ou 470 antes mesmo dos Masters. E não é muito sensato imaginar que Medvedev irá perder em rodadas precoces no seu piso predileto nos 1000 norte-americanos. Um cálculo razoável me diz que ele terminará a fase das quadras duras com algo em torno de 1.000 pontos de vantagem sobre Djokovic. Na verdade, quem pode competir com ele é Alexander Zverev, desde que ganhe os dois torneios.

Vale lembrar que no momento Djokovic também não conseguiria jogar Monte Carlo, podendo no máximo entrar na semana anterior no 250 de Marrakech e na posterior em casa, Belgrado, outro 250. E se conseguir autorização para ir a Madri e Roma, os títulos ainda só o fariam subir 900 pontos (2000 menos os 1.100 que defende). E depois, como sabemos, ele é o atual campeão de Roland Garros e de Wimbledon.

Assim, é mais provável que Djokovic precise lutar para se manter no número 2 diante de ameaças reais que Zverev, Stefanos Tsitsipas e Rafael Nadal representam. Apenas como exemplos práticos, Nadal pode somar 2.640 pontos caso volte a ser o dono absoluto do saibro. Zverev também concorre a adicionar 2 mil pontos se for muito bem na terra, além daqueles eventuais 1.900 possíveis em Indian Wells e Miami.

Portanto, a boa notícia é que pode haver muito mais luta pelo número 1 e demais postos do top 5 até a metade do ano, e isso sempre é muito motivador para o circuito e público. Eu particularmente acho espetacular quando um troféu vale também um posto de relevância no ranking.

Irônico, poucas horas depois de a Rússia invadir a Ucrânia e provocar um temor de guerra aberta na Europa, Medvedev se torna o terceiro tenista russo a liderar o ranking, quase 21 anos depois do último, Marat Safin, que vingou em intervalos curtos entre novembro de 2000 e abril de 2001. Ele sucedeu Yevgeny Kafelnikov, número 1 entre maio e junho de 1999. Como se vê, reinados curtos: Safin liderou 9 semanas e Kafelnikov, 6. Há chance real de Medvedev passar rapidamente pelos dois.

Medvedev também garantiu um feito para o livro dos recordes: é o mais alto a liderar o ranking com seus 1,98m (ele também é o mais alto a ganhar Slam, façanha que divide com Juan Martin del Potro e Marin Cilic).

E mais

  • Medvedev reencontrará Nadal na semi desta sexta-feira, revivendo a recente final do Australian Open. Espanhol fez um segundo set muito instável contra Tommy Paul, mas tem 4-1 no histórico contra o russo.
  • Desempenhos muito aquém do imaginado de Thiago Wild e Matheus Pucinelli nas oitavas de final de Santiago. Juntos, não tiraram mais que seis games de Yannick Hanfmann e Miomir Kecmanovic. Mas que fique claro que os dois vencedores jogaram muito bem. Aliás, Hanfmann me parece um sério candidato a entrar de última hora no time alemão da Copa Davis que vem ao Rio.
  • Rafael Matos e Felipe Meligeni ganharam de Thiago Monteiro e Orlando Luz e estão na final no saibro chileno porque os adversários da semi desistiram. Será a chance de chegarem ao segundo troféu de nível ATP, depois da vitória notável em Córdoba de 2021.
  • Vesely tem agora 2 a 0 nos confrontos contra Djokovic, já que repetiu vitória de Monte Carlo-2016. Ele saiu do quali e disse que a tática foi acelerar todos os pontos. E gostou de seu feito: “O tênis precisava de um novo número 1”. Djokovic, que perderá sequência de 86 semanas mas detém o recorde absoluto de 361, não concordou muito e, ao ser solicitado para falar algo sobre Medvedev, limitou-se a um ‘congratulations’.
  • Ex-35 do mundo e agora com 28 anos, Vesely enfrentará Denis Shapovalov na semi. A outra vaga ficará entre Hubert Hurkacz e Andrey Rublev.
  • Jelena Ostapenko atropelou Garbiñe Muguruza e encara Anett Kontaveit, de quem perdeu semanas atrás em São Petersburgo. A outra semi terá Maria Sakkari contra Iga Swiatek, que foi muito bem diante da cabeça 1 Aryna Sabalenka.

Comentários
  1. Carlo Von Wagen

    Meu apoio ao povo soviético e ucraniano. Nós os apoiamos como pessoas, e como cidadãos.

    Nenhum de voces merece ditadores loucos, nem grupos extremistas atuando em ambos os países, nem uma guerra em curso para dizimar famílias de bem.

    Hoje vou deixar o Sérvo de lado, e desejo a todos um Domingo de Paz e reflexão, nestes tempos sombrios que se iniciam.

  2. Luiz Fernando

    Conforme dizem os recalcados de sempre, se ganhar ganha alguma coisa no barro kkkk. Não sabia q o início de ano do tênis fosse no barro, pensei q fosse na quadra dura kkkk. FenomeNADAL!!!! ATPzinho 250 e 500 sem perder sets e um GS fazendo final com duração de 6 hs, ele é unidimensional e como diz um antigo nadalista traira aqui do blog, estava c o corpo putrefato kkkk, pena q os termos corretos p adjetivar essa turma não possam ser posta dos aqui. Mas se o desempenho do cara continuar assim, prevejo um retorno a 2011-2012, com as terceirietes voltando a torcer pro Djoko kkkkkk. Como os caras tão sofrendo kkkkk…

    1. Sérgio Ribeiro

      Terceirietes , recalcados ?

      O maior de Todos será sempre ti. O “ goat “ do momento , segundo o rapaz , até o ATPZinho250 foi a forma mais ridícula de demonstrar que nada entendes do Esporte depois do “ Eu odeio Roger Federer “ . Ninguém sofreu mais que o fanfarrão vendo o Espanhol ficar sem Vencer fora do Saibro Novak desde 2013 e Federer desde 2015 . Incrivelmente pra derrubar suas palavras Nadal precisou também de um ATP 500 ( só faltou chamá-lo de idiota ) pra mostrar ao que veio em 2022 . Sabes nada , L. F . kkkkkkkkkkkk. Abs!

  3. Rafael

    Se alguém quiser me responder, estou postando isso porque não resisti à curiosidade, visto que não entendo nada sobre para analisar:

    Vi os highlights de Iga contra Kontaveit. Iga, de acordo com a reportagem de tenisbrasil, atribui sua nova agressividade à troca de técnico. Muito bem.

    O que eu reparei foi que ela está dando umas cruzadas anguladas no meio da quadra adversária que me lembraram muito as de um espanhol de quem ela se diz muito fã. Ainda não chegou ao ponto de insistir repetidamente nessas cruzadas e ir fechando o ângulo cada vez mais (cruzada violenta e bola cada vez mais perto da rede do que longe), como ele faz, até ganhar o ponto pq a outra não chega.

    Não está insistindo pq não consegue ainda? Ou pq fica afobada quando vê que abre a quadra e quer matar logo o ponto (na paralela)? Ou essas cruzadas NADA tem a ver com as de Nadal e eu achei isso apenas por associação? Nadal, quando começava com essas trocas de cruzadas, principalmente contra Djokovic (um dos poucos que aguentava essa sequência), era um espetáculo de se ver, um ia demolindo o outro, eu ficava na expectativa para ver quem reduzia mais o ângulo primeiro a ponto do outro não conseguir mais chegar/devolver. E Nadal faz (ou antes fazia mais) isso de forma espetacular. Presumo que isso exija uma barbaridade do físico.

    Obrigado.

  4. Luiz Fernando

    Como as terceirietes conhecem tênis, é incrível, de fato quem vence esse Norrie é campeão kkkkkkkkkk! Vamossssss!!!

  5. DANILO AFONSO

    Com as vitórias do Nadal em Acapulco e a derrota do sérvio em Dubai, o espanhol reconquistou o RECORDE DE APROVEITAMENTO DE VITÓRIAS.

    Vejamos o percentual dos melhores tenistas nesta estatística:

    Nadal – 83,30%
    Djokovic – 83,20%
    Borg – 82,36%
    Federer- 81,97%
    Connors – 81,82%

  6. Sérgio Ribeiro

    Não foi por falta de aviso pra aquelas figurinhas carimbadas , que babavam ovo da Turma da Kombi , que nada estava decidido com as insanas atitudes do “ goat “ paraguaio antes mesmo da Temporada começar. Lembram das abalizadas opiniões até o ATP 250tinha de Melbourne ? . Titio Toni em entrevista ao Eurosport afirmou que Novak somente estava N 1 devido aos poucos Torneios disputados pelo sobrinho em 2021 . Com o altíssimo nível apresentado neste início de Temporada , o melhor competidor deste Esporte além de aumentar seu Recorde de SLAM ( o tal “ goat “ parou nos 20 ) , pode sim quebrar o recorde que imaginava inatingível, o de mais Velho N 1 da Era Profissional que pertence ao Craque Suíço aos 36 e 1/2 ( o Touro faz 36 já em junho ) , a conferir. Abs!

  7. Ronildo

    Vendo Nadal vencer o melhor jogador do mundo atualmente, fico pensando como Federer foi grande e ter, aos 36 anos virado a partida contra o próprio Nadal no AO 2017 e depois ter vencido mais duas finais no mesmo ano contra ele, juntando com a semi em Wimbledon. Roger Federer 36 anos vs Rafael Nadal 32 anos.

    Incrível, coisa mitológica.

  8. Rodrigo S.Cruz

    Nossa…

    Mas ess Medvedev é mesmo um freguês de CADERNETA do nadal, hein?

    Não ganha uma! Que vergonha…

    E esse cara ainda é número 1 do mundo?

    Só podia ser mesmo, nesta que é a PIOR ENTRESSAFRA da história do tênis!

  9. Sandra

    Dalcim que história e essa que mesmo sem jogar Djokovic voltaria ao topo dia 15 , claro, se for isso , seria pouco tempo !

    1. José Nilton Dalcim

      Provavelmente é alguém pensando nos 250 pontos de Marselha que o Medvedev terá de defender dia 21 de março, mas isso seria imaginar que ele vai cair cedo tanto em Indian Wells como em Miami, o que não é muito sensato.

        1. José Nilton Dalcim

          Eu sei qual foi sua fonte, mas cuidado. Há um erro crasso nessa afirmação do site português. Medvedev perderá os 250 pontos de Marselha na lista do dia 21 de março, e não do dia 14. E no dia 21 entram os pontos de Indian Wells, portanto é arriscado afirmar categoricamente que Medvedev perderá na estreia ou na terceira rodada do Masters californiano sem ao menos sabermos a chave.

  10. Rafael+Azevedo

    Luiz Fernando, por ironia do destino (o destino está zombando com o Luiz, Dalcim?), se Nadal vencer o magistral Norrie, ele vai ser o vencedor do torneio.
    KkkkkKk

  11. Rafael+Azevedo

    Nesse aberto do México, Nadal tá jogando em um nível absurdo. O forhand está perfeito, magnífico. Perdoe-me aquele que considera o forhand do Delpo o melhor da história. Ainda vejo Nadal e Federer, empatados, a frente do argentino.

    Mas, nesse torneio, não é apenas o forhand. O backhand está andando muito, as curtinhas estão precisas e os voleios estão no nível Federer (especialmente, nessa partida contra o Medvedev).

    Um espetáculo!

      1. Sérgio Ribeiro

        Finalmente concordamos, enroladíssimo Piloto rs . Não existe lista , com credibilidade, que Fernando Gonzales deixe de aparecer entre os dois primeiros. Abs!

  12. Paulo Almeida

    Dessa vez o Nadal jogou muito o tempo inteiro, sem aqueles 60 ENF da final do AO. Se deixarem, vai pegar o número 1 em Roland Garros.

    De fato, o único que o tira da zona de conforto é o Djokovic; o jogo do Medvedev não encaixa com o dele.

  13. Eduardo

    Oi Dalcim, fiquei impressionado com a questão do Nadal ter salvo 11 BP somente no 2º set ! você que sempre surpreende pelo conhecimento das estatísticas do esporte, poderia por favor comentar sobre isso ? Foi um recorde ? Teria uma estatística sobre isso ? Ou talvez o Danilo, que sempre nos brinda com ótimas postagens envolvendo as estatísticas do tênis …

    1. José Nilton Dalcim

      Desconheço estatísticas oficiais desse tipo, Eduardo. A própria ATP não destacou nenhuma façanha nesses 11 bp, sete deles num único game, então acredito mão ter beirado algum recorde expressivo.

  14. Fernando Brack

    Pode ser um bom reinado em termos de tempo, mas a coroa já ganhou um humilhante carimbo de um ancião careca com o pé quebrado. Essa turma nova é vergonha alheia ‘no úrtimo’.

    1. Gustavo

      Pode ser, mas o grande beneficiado dessa entressafra foi o Djokovic
      Verdade que federer e nadal tb se beneficiaram, mas o grande beneficiado foi djokovic
      Mais de metade dos GS conquistados contra esse circuito

      1. Paulo+César

        A maior parte dos títulos de Djokovic foram conquistados na era Federer/Nadal/Murray. Vide Roland Garros ano passado e as três finais em Wimbledon diante de Federer, sem contar os muitos outros slams em cima dos três, mas que não vou citar aqui. Agora se o seu raciocínio for seguido, também se aplica a Federer, que conquistou seus principais títulos quando Nadal/Murray e Djokovic ainda eram iniciantes, com exceção da precocidade de Nadal no saibro de Roland Garros, a partir de 2005.

      2. Paulo Sérgio

        Matemática é uma coisa simples. Vejamos:

        Vitórias em finais de slam de Djoko contra tenistas que não são da nova geração:
        4 contra Ragael Nadal;
        4 contra Federer;
        5 contra Andy Murray;
        1 contra Del Potro;
        1 contra Tsonga;
        1 contra Kevin Anderson.
        Ou seja, só contra o Big Four, Djoko ganhou 65% (13) do total de títulos de slams que ele tem (20).

        Quer dizer que mais da metade foi contra a nova geração?

        1. Gustavo

          Todos os GS que Djoko ganhou a partir de 2015 foram na entressafra
          Não importa que tenha sido contra outros membros do Big 4. Os mesmos já estavam em decadência

    2. Rodrigo S.Cruz

      Errado!

      O Federer também é considerado um arquirrival do espanhol, a despeito de qualquer mentira ou provocação que você diga…

  15. Bruno Costa

    Dalcim, antes da final do Australian Open, quando perguntado, você disse nos comentários ( ou algo do tipo) que considerava Djokovic um adversário um pouco mais complicado para o Medvedv do que o Nadal. Compreensível, pois o espanhol vinha de lesões, último jogo contra o russo em 2020 e o Sérvio havia vencido o russo recentemente. No entanto, após a vitória de Nadal na Australia e agora em Acapulco – e o 5 x1 no no confronto direto – não podemos dizer que o cenário mudou um pouco de figura e que Medvedv enfrenta certa dificuldade contra o Nadal?

    1. José Nilton Dalcim

      Ah, com certeza, Bruno. Achei Medvedev muito casual no começo do jogo de ontem, como se não tivesse um plano de jogo bem definido. E aí foi surpreendido por um Nadal muito eclético, tomando iniciativa. Acho até que o jogo foi mais equilibrado do que diz o placar. O destaque sem dúvida alguma foi a postura do Nadal frente aos break-points. Nem tanto por ter salvado todos, mas pela atitude que demonstrou o tempo inteiro. Foi para a bola, agrediu, usou diversos recursos. Uma exibição de técnica, precisão e força mental que certamente deixará Medvedev ainda mais preocupado no próximo duelo.

      1. Wilson+Rocha

        Dalcim, aproveito a oportunidade e pergunto: por que Nadal não consegue mudar a postura quando enfrenta Djokovic fora do saibro? Não é normal um jogador do nível dele não conseguir ganhar um set em 9 jogos seguidos na quadra dura (última vez que ganhou foi no us open 2013). Até mesmo no saibro, a partir de 2011, o placar está 10 a 8, com mínima vantagem a favor de Nadal.

        1. José Nilton Dalcim

          É uma questão de estilos, Wilson. Só para começar, observe onde o Medvedev se posiciona para receber o saque e trocar bolas e onde o Djokovic faz isso. Já muda radicalmente a dinâmica do jogo.

        2. Gustavo

          Não sou nadalista, sou federista, mas essa estatística de Nadal n vencer Djoko fora do saibro desde 2013 é meio enganosa. A maioria dos jogos foi com Nadal em mau momento. Claro q mesmo que Nadal esteja em bom momento a tendência é que perca a maioria pra Djoko fora do saibro, mas o fato de estar há tanto tempo sem vencer uma tem essa explicação tb. Não acho Nadal menos perigoso para Djokovic fora do saibro do que os demais jogadores (talvez exceto federer saudável), por conta dessa estatística. Ele quase ganhou um jogo grande que foi a semi de Wb 2018

    2. Luis

      Medvedev estava com cara de que um trator timha passado em cima dele mesmo antes do jogo começar. Acho que a partida no AO deu uma atrapalhada no psicólogo que vinha super alto antes. De qualquer modo ele joga muito, tem tudo para melhorar ainda mais. Gostei dos dropshots que ele começou a usar, partidaço contra o espanhol

  16. Gilçon+De+Jesus

    Nadal , já carimbou o início do reinado do Medvedev. Ele tem muinta dificuldade de se adaptar ao jogo do Touro.

  17. Periferia

    A posição de Medvedev é ocasional.
    O tênis aguarda um número a altura do legado dos três grandes.
    Com um jogo pouco “ortodoxo” (feio)…ele não tem carisma nem jogo para ser número um (pode-se dizer que é novo e vai evoluir….assim como alguém pode dizer que não vai)….quando alguém quer elogia-lo surge a palavra “competidor” e nada mais.
    Estranhamente a era de ouro do tênis pode acabar em “terra arrasada”…sem ninguém minimamente próximo da qualidade de Federer…Nadal e Djokovic.
    A dinastia dos três grandes deveria trazer não apenas popularidade esporte….mas também jogadores próximos da qualidade deles…
    A era de ouro do tênis é “inibidora”.

    “Nadal tem agora 14 vitórias seguidas no melhor início de temporada de toda sua carreira”…com quase 35 anos…isso fala muito sobre o tênis atualmente.

    1. Willian Rodrigues

      Concordo com praticamente tudo, Periferia.
      Com a ressalva de que, ao menos aparentemente, Alcaraz será um substituto à altura.
      Será que assistiremos a uma grande evolução técnica de Sinner (precisa ampliar os recursos)?
      Trabalho da equipe trará aquela esperado equilíbrio mental ao jovem Aliassime?
      Se isso tudo ocorrer, em breve falaremos apenas de um enorme gap de 3 gerações para que houvesse tenistas dignos de assumir o trono.
      Vejamos…

      1. Periferia

        Olá Willian

        Outro dia li que o Sinner havia trocado de técnico (Piatti).
        O cara descobriu ele com 13 anos…deixou ele na décima posição do ranking (com apenas 20 anos)…mesmo assim o jovem italiano trocou…não estava em um bom momento e degolou o “descobridor”.
        Dizem que o técnico saia muito caro…tinha uma equipe grande e cara.
        Fica parecendo que o pessoal (Sinner) tem presa para ganhar algumas moedas (algo pouco comentado…existe o fator dinheiro…o fator glória é apenas para poucos)…
        Para os jovens a prioridade é ganhar dinheiro.
        Existe uma falta de planejamento a longo prazo…
        Lembro do Thien que na fase boa jogava todo e qualquer torneio (caso fizesse um torneio na periferia…o Thien viria) …ele queria aproveitar a fase e encher os bolsos…com isso deixou a glória pelo caminho…hoje até o tênis ficou pelo caminho.
        Alcaraz é uma incógnita…ele é tao jovem…em um circuito carente…que está vendo a aposentadoria dos campeões…sempre comparado com o conterrâneo….sei não…
        Muita pressão.

        Abs

    2. Gildokson

      Oh se fala… e como fala viu. Mas segundo os antis esses essa galera de hoje é bem melhor que os da “entressafra”.
      Não digo nada se até o Federer se estivesse inteiro chegava numa finalzinha de torneio grande ainda em 2022.

      1. Periferia

        Olá Gildokson

        O Federer…caso não tivesse os problemas no joelho estaria aí ganhando torneios com mais de 40 anos…
        Digo mais…caso os joelhos não melhorem…basta colocar uma foto em tamanho real do suíço do outro lado da quadra e periga chegar na final (a final é garantida…será que ganha?)

        Abs

    3. Gustavo

      O maior problema pros torcedores do Djokovic agora é que fica difícil argumentar que Nadal está pegando um circuito fraco. Porque dizer isso é também reconhecer que Djokovic nadou em 2021 em cima de um circuito fraco,
      E foi isso que aconteceu mesmo.
      E o mesmo pode acontecer em 2022 com Nadal.
      Entressafra já vem de muito tempo e o Big3 se beneficiou, mas Djokovic sem dúvida foi o rei do beneficiamento

    4. Paulo+César

      Acho que não fala nada.
      Connors se destacou até perto dos 40 e Agassi até os 35. Não são os caras de hoje que são ruins, mas os três monstros é que são extraterrestres.

  18. Luiz Fernando

    Dos últimos 4 números 1 do mundo q enfrentou, só Djoko não é freguês de caderneta do Rafa. E pra aqueles q não levam a sério o q eu posto, se Nadal vencer o magistral Norrie hj eu garanto q ele será campeão, como sempre as terceirietes acertando kkkkk. Aqui é diversão garantida kkkkk…

    1. José Nilton Dalcim

      Norrie não deve ser tão ironizado, Luís. Tem feito excelentes apresentações. O jogo de ontem diante do Tsitsipas foi notável.

        1. Sérgio Ribeiro

          Não é provocação. E’ falta de conhecer o Esporte mesmo, meu caro . Repetes os mesmos comentários um Post atrás do outro . Faltou o ridículo “ magistral “ , mas continuas o diversão garantida kkkkkkkkkk. Abs!

      1. José Eustáquio Masculino Cruz

        Teliana falou hoje vai dar o Russo.também concordo que o Norrie está jogando muito bem.o Problema destes caras que dizem que entendem nunca falam do Rafa que ele é que tá jogando muito.Mas jogo é jogo não é mesmo Dalcim!?Ou vcs esquecem que quando falo quando ele dá uma parada volta com tudo.vcs eu respeito mas entendem pouco!

        1. José Nilton Dalcim

          Acho que ele adotou um primeiro saque não tão forçado mas índice alto de acerto, o que o deixou menos vulnerável nas devoluções do adversário, e também ficou mais consistente na base, usando bem as paralelas. Ele sempre jogou bem em pisos mais velozes, já que usa o peso da bola adversária muito bem.

  19. DANILO AFONSO

    Esse 6° game do 2° set valeu o ingresso. Os dois tenistas elevaram demais o nível. Vimos no game um misto de pancadas e sutilezas (Drop shots espetaculares). Alguém lembra quanto tempo durou o game ?

    Posso estar enganado, mas acho que o espanhol fisicamente está melhorando a cada dia. Com a confiança nas alturas e sem o seu principal rival jogando, o espanhol pode vislumbrar mais alguns feitos relevantes no ano.

    Nadal carimbou a “faixa” de n. 1 do russo…kkk

  20. Samuel

    E durou pouco o “reinado” de Medvedev…

    Claro que não faz sentido a presença de Nadal em um ATP 500. Nada obstante, foi a melhor batalha de apenas 6/3 e 6/3 a que se poderia assistir.

    O russo simplesmente tomou uma aula sobre como se jogar tênis, em especial nos quesitos tática e rede. Apesar disso, até que conseguiu fazer alguns pontos refinados, que foram belas deixadas vencedoras, quando Nadal facilitava a coisa.

    Não é demais ressaltar que os três “grandes tenistas da atual geração vencedora” (Medvedev, Zverev e Tsitsipas) já levaram virada em final de Slam após estarem vencendo por 2×0.

    Djokovic tem o dever de vacinar-se logo, para retomar o reinado; ou para dividi-lo com Nadal.

  21. Ruy+Machado

    Nadal presenteou o novo N°1 com uma excelente vitória! Jogou muito sólido no 1° Set sem dar chances para o Russo, tendo a parcial relativamente tranquila. No 2° Set, deu uns moles e teve um game de quase 20min salvando uns 8 BP. Achei que o Medvedev desabou mentalmente quando o Touro fez 4/2. Nadal administrou a vitória até no fim e parte para mais um título! Monstro! Vou dormir que às 7hs tenho que levantar para trabalhar! Patrão não perdoou no “Carnaval”…

  22. Gustavo

    Inglaterra: torcedor do Leicester de 19 anos que entrou em campo bêbado e agrediu jogadores do Nottingham Forest foi condenado. Preso por 4 meses e banido de ir a qualquer jogo de futebol por 10 anos. O Leicester o baniu para sempre. Nunca mais poderá ver seu time jogar ao vivo.

    Enquanto isso, zverev e outros…

  23. Flavio

    Sabalenka como sempre perdeu de novo, pelo menos dessa vez vai deixar o posto de número 2 da WTA,aliás não sei como ela está ali porque não tem nível nem para esta entre as 8 melhores do Ranking, então se ela não melhorar vai se isso aí, ou seja fracasso de sempre e hoje a Muguruza,Barthi,Osaka,Krejicikova,Kontaveit,Badosa estão muito a frente dela, agora em relação a semi de ATP 500 de Dubai não tive tempo pra vê, mas pelos resultados parece que foi duas ótimas semifinais e vamos aguardar que as semi do ATP 500 Acapulco também seja boa,assim quem ganha será o público e também quem acompanha não é mesmo meu caro mestre (Dalcin)? Abraços.

  24. sandra

    Dalcim, antes que eu seja linchada, não entendo bem certas situações, por isso a minha , os russos foram banidos de jogos olímpicos em razão do doping, existe alguma possibilidade da ATP retaliar a Rússia através dos seus jogadores, tanto masculino quanto feminino?

    1. José Nilton Dalcim

      Não, Snadra, a maciça maioria dos atletas russos participaram dos Jogos, apenas não puderam representar o país e as medalhas que conquistaram não foram contabilizadas para a Rússia. Seria um completo absurdo que ATP e WTA punissem tenistas russos que não têm nada a ver com a guerra ou com Putin, a menos que eles tenham atitudes públicas consideradas inadequadas, como apoiar a guerra ou discriminar ucranianos.

  25. Hendrix

    Dalcin,
    Não há mais comentários sobre a derrota de Djokovic? Esperava ansioso sua análise técnica das razões da derrota dele em sets diretos.
    Abs,
    Hendrix

    1. José Nilton Dalcim

      Não sou favorável a textos longos demais, então tenho de priorizar os assuntos. Foi é claro a atuação mais irregular de Djokovic, cometeu alguns erros em pontos cruciais – principalmente com o saque e o backhand =, mas nem diria que ele jogou mal. Vesely adotou o estilo correto, de muito risco e poucas trocas, mas obviamente a vitória foi uma grande surpresa.

  26. Gilvan

    Está cada vez mais claro que o governo australiano fez bem em enxotar Novax Djocovid.
    Mesmo eliminado do ATP de Dubai, ele permanece como uma metralhadora giratória do discurso anti-vacina, falando aos 4 ventos sobre como as vacinas não são confiáveis, sobre como ele não irá se vacinar nunca (com nenhuma das dezenas de vacinas já lançadas contra a covid), como é ele quem sabe do próprio corpo (o famoso histórico de atleta, como diria um certo presidente), como as pessoas têm que respeitar o direito de ele ser o único atleta do top-100 a desrespeitar normas sanitárias básicas.
    Mesmo sendo flagrado espalhando covid para crianças e jornalistas, falsificando documentos, prestando informações enganosas na imigração, organizando torneios e festas clandestinas no meio da pandemia, vendendo feijões mágicos pela internet, querendo lucrar com um laboratório próprio para se opor às vacinas, tentando fundar uma nova ATP para chamar de sua, mesmo tacando bolas na garganta de juízes de linha, fazendo um vexame dentro e fora de quadra nas Olimpíadas, desrespeitando até seus companheiros de profissão (oponentes e parceira de duplas), mesmo depois de tudo isso o sérvio não retrocede. E ainda se sente o injustiçado, comparando-se a Jesus Cristo por meio do seu boquirroto papai. É um caminhão desgovernado, que segue ladeira abaixo.
    Não importa com quem esteja o número 1, certamente será um melhor exemplo do que o Novax Djocovid (com exceção do seu novo amigo, Nick Kyrgios).

    1. Paulo Almeida

      O primeiro parágrafo está ok, mas o segundo contém exageros e inverdades. Primeiro você precisa decidir se o sérvio falsificou o exame ou se estava contaminado quando esteve com crianças e jornalistas. O torneio Adria Tour e a festa em seguida (ambos no singular) não foram clandestinos e ele não “tacou” a bola na garganta da juíza de linha.

      Segure sua metralhadora giratória do ódio também.

  27. Paulo Almeida

    Olha o Vesely aí fazendo história. Mais uma grande vitória pra conta.

    E alguns dizendo que hoje tomaria até pneu do Shapo, kkkk.

  28. Luis

    Oi Dalcim, acho que apesar do Medvedev merecer e ser um grande jogador, esse título de rei ainda esta um pouco precoce, já que o Djoko perdeu 2.000+ pontos por outros motivos não os relacionados ao tenis. E de outro lado o Nadal conseguiu atingir os 21 GS com possibilidades de 22.
    Nesse caso acho que o mais correto seria chamar o russo de príncipe ou de duque do tênis por enquanto 🙂

    1. Gilvan

      Bem da verdade ele não perdeu os pontos conquistados (como foi o caso do Zverev agora em Acapulco).
      Ele nem entrou em quadra. Por culpa dele próprio ele nem conseguiu jogar o torneio.

  29. Luis

    Acho que esse reinado ainda tem mais gosto de ducado ou de principado, já que ele assume o 1º lugar porque o Djoko perdeu 2.000+ pontos. Sem isso não sei se teria conseguido alcançar essa marca nesse momento. De outro lado, quem chama chama mais a atenção nesse ano é o Nadal pelos seus 21 GS com chances imediatas de 22, algo infinitamente mais importante do que ser 1º do mundo.
    Gosto do Russo e acho incrível o que fez, mas acho que ainda falta algo para merecer o título de rei

  30. Samuel

    Considerando o nível baixíssimo, quase criminoso, da conduta apresentada, Zverev teve uma multa demasiado leve, em particular porque se trata de um atleta milionário.

    Parece que os dirigentes esportivos ainda não encontraram meios suficientes para lidar com a atual geração de mimados e mimadas.

  31. Luiz Fernando

    E o menino ursinho, que coisa, esse rapaz sempre bate na trave e a coisa não anda. Esses dias estava vendo uma das transmissões e quando referiram a ele sempre mencionam o “cara q venceu o Nadal de forma inesperada em 2017”. A conquista da ATP Cup não mudou muita coisa, pois é um torneio de equipes, ele segue como o cara do quase, hj pex venceu 5 pontos nos dois últimos tiebreaks juntos, pouco p um jogador de excelente nível como ele, que tem bom serviço e bons golpes…

  32. Samuel

    Eis que Djokovic perde o primeiro posto, apesar de ser superior a seu sucessor em técnica, tática, força mental e títulos nos últimos 12 meses.

  33. Luiz Fernando

    https://tenisbrasil.uol.com.br/noticias/94047/Fui-humilhado-no-mundo-todo-lamenta-Djokovic/. Na minha visão Djoko ainda é disparado o cara com mais possibilidades de ter todos os principais recordes do tenis no final da carreira; pra não haver dúvidas, no momento, na minha opinião pessoal, é o GOAT. Mas ele precisa assumir que errou no episódio do AO, não em não se vacinar, opção pessoal dele e q todos devem respeitar, mas na lamentável sequencia de eventos q levaram q sua deportação, inclusive com a suspeita de fraude em exames ou de ir contaminado ao encontro de crianças, tudo ainda mal esclarecido. Ele forçou a barra p entrar na Austrália e participar do torneio, ponto final. Mas ao invés de assumir a culpa pelos erros ele tenta se vitimizar…

  34. Vitor Hugo

    O cara foi otário de charlatões negacionistas, tenta burlar as regras de um país, mentir e acha que está sendo humilhado?! Que é isso, Djokobagre!? Pária mundial!

    E eu, praticante intenso de atividades físicas, só sinto meu desempenho aumentando mesmo depois das vacinas. Esse papinho de queda de desempenho é argumento furado de cientistas/charlatões.

    E para finalizar, o óbvio: Roger GOATERER, o maior e melhor da história!

  35. Eduardo Moura Lima

    Dalcim,

    quantas gerações estão em atividade atualmente, em sua opinião?
    Pergunto, baseado no conceito de Next Gen da ATP. E pela curiosidade em saber: quantas gerações o BIG 3 dominou?

    Eu diria que, 4. Considerando cada geração em um intervalo de 5 anos. Temos desde jogadores em alta com 18 anos (Alcaraz) até a geração mais velha (Federer, Lopez, Verdasco, Wawrinka, etc …). É claro que há interseções aí no meio, como o Nadal e Federer estarem na mesma geração, apesar do Federer ser 5 anos mais velho, por o espanhol ter tido sucesso mais cedo que o suíço.

    Abraço

  36. sandra

    Dalcim, vc acha que o Djokovic ainda ganha alguma coisa? Não só por não ter tomado a vacina, mas sim porque são muitos pontos que ele tem que defender, e aonde ele poderia somar, não vai poder jogar por não ter tomado a vacina e ganhar novamente Roland Garros e Wimblendon, acho muito difícil, e a última pergunta, vc não achava que fosse o Medevedev que iria destronar Djokovic, achava ?

    1. José Nilton Dalcim

      Medvedev ficou a um set de virar número 1 na Austrália, Sandra. Era normal que nesta altura ele fosse a principal ameaça. E não entendi sua dúvida sobre Djokovic. Acho que ninguém duvida de sua imensa capacidade técnica e física.

  37. Carlo Von Wagen

    E assim encerra-se a era dos Dinossauros.

    Interessante que durante o Reinado dos demais membros do Big 4 (Sir Andy Murray – O Cavaleiro, Roger Federer – O Magnânimo e Rafel Nadal – O destemido) o reinado só foi entregue pela idade, por contusões, ou por derrota para outro membro do próprio Big 4.

    Enquanto no reinado de “Djokovid – O Louco” e o mais fraco dos Reis, o reinado tenha sido entregue por uma crença maluca.

    Com certeza nao será o primeiro Rei afetado por tais transtornos, nem o último, mas sim o mais recente a perder o reinado, após ser acometido por algo nao tratado.

    Alias, vale ressaltar que em seu excessivo cuidado com o corpo, esqueceu-se de cuidar da mente e do espírito.

    Que descanse em Paz na sua volta ao Ostracismo.

  38. Marcelo+Costa

    Olha a renovação do tênis, isso irá ser curioso, pois, a next gen, tem a next next gen, os mais jovens, vem com talento, preparo físico e mental. Será um prazer a imprevisibilidade dos grandes torneios, não saber quem irá vencer, será bem agradável.
    O jogo do russo, muito sólido, extremamente pragmático, quase sempre previsível, e muitas vezes infálivel, teremos ótimos torneios na gira americana das duras, até o russo penar no saibro, esse é seu gargalo, cabe ele achar uma forma jogar bem neste piso.

  39. FERNANDO/MG

    Prezado Dalcim, uma coisa me chamou a atenção nessa semana, o Medvedev está usando o uniforme com as cores da bandeira russa, no ATP mexicano, fato que não é tão comum entre tenistas, a não ser na Copa Davis, Será que ele é um apoiador a política do Putin?? Tudo bem que a “invasão” começou após o torneio ter iniciado, mas a tensão na região já era imensa dias antes. O que vc acha? Creio eu que, de maneira subliminar o Medvedev demonstrou sua posição nessa questão, também no meu modo de ver, nada contra ou a favor da posição dele, apenas achei curiosa tal coincidência.

    1. José Nilton Dalcim

      Bom, existe uma enorme faixa laranja no lado esquerdo da camiseta, então não são exatamente as cores da Rússia. Mas não seria nada fora de propósito se fosse e não acredito que isso seria uma ação de apoio ao maluco do Putin, mas uma atitude natural de nacionalismo.

  40. Chico Bioca

    Já que falou em guerra e Ucrânia, acho que da pra fazer uma analogia entre Federer e Djokovic usando como comparativo Hiroshima e Nagazaki com Chernobyl.
    O tempo de domínio de Federer foi avassalador, assustando todo mundo, mas por um curto período de tempo, como as bombas de Hiroshima e Nagazaki, já o tempo de domínio de Djokovic foi algo fote, mas não tanto quanto Federer, porém dura até hoje, como Chernobyl

          1. Paulo Sérgio

            Mas eu li e entendi.

            237 semanas fizerem estrago devastador. Por isso, é algo assustador como as duas bombas atômicas, mas que duram menos porque o recorde de semanas consecutivas tem peso menor do que o de semanas totais na liderança;
            As 361 semanas duram mais como Chernobyl porque é um recorde que dificilmente será batido tão cedo.

          1. Emilio Aragão

            Como fã de Federer sou obrigado a discordar, o que o cara falou faz sentido. Quando se fala de Federer, fala por apenas 4 anos, quando se fala de Djokovic, se fala de 10 anos.
            A questão é que nos acostumamos a ver Federer dominando, porém além de ele não estar dominando mais, o que acontece a muito tempo, seus recordes se quer existem mais, é apenas uma visão saudosista. Infelizmente ele perdeu muitas e muitas chances, e o efeito aparecer.

  41. Periferia

    O Capote

    Akaki vivia de modo simples…vazio…sem personalidade…nem ambições.
    Ninguém lhe voltava qualquer consideração…sua passagem tinha menos atenção do que o vôo de uma mosca.
    Funcionário público…não tinha amigos…companheira ou qualquer hobby que o divertia.
    Era um homem triste…derrotado pelo cotidiano.
    Uma das poucas coisas que gostava…era um capote velho…muito surrado…que usava nos dias frios.
    Na repartição onde trabalhava era motivo de chacota por causa do capote.
    Ninguém queria se aproximar de Akaki…era como se tivesse uma doença contagiosa.
    Certo dia Akaki foi num alfaiate…este lhe ofereceu um novo capote…muito bonito…
    Ele comprou…
    Agora Akaki desfilava com o capote novo…todos observavam com uma ponta de inveja e admiração.
    Akaki passou a ser abordado por todos na repartição…convites para jantares e reuniões sociais…tudo mudou…aquele capote era único e tinha poder…
    Voltando de uma reunião de confraternização… Akaki é roubado…levam o capote novo dele…
    Desiludido pela perda do capote….Akaki…numa manhã fria em São Petersburgo…se mata ao nascer do sol.

    Ao som de Suicidal Dream (Silverchair)

  42. Diego Bezerra

    A chegada de Medeved ao #1 já estava se desenhando….esse russo tbm tem sangue nos olhos e vem de uma tremenda consistência há uns 3 anos.
    Alexander e Tisisipas ainda não têm tal consistência pra chegarem ao posto mais alto do ranking, assim como acontece com os 2 jovens canadenses, Sinner e Berretini.
    Dalcim, parece que Ostapenko colocou a cabeça em ordem, estou impressionado pela sua agressividade e consistência, não dá ritmo algum para as adversárias.

  43. Fernando

    Não sei se seria uma “ironia”. No máximo, uma coincidência histórica entre fatos que possuem uma relação muito tênue. Abraço!
    “A ironia é uma forma de expressão literária ou uma figura de retórica que consiste em dizer o contrário daquilo que se quer expressar. Na literatura, a ironia é a arte de zombar de alguém ou de alguma coisa, com um ponto de vista a obter uma reação do leitor, ouvinte ou interlocutor.” (Wikipedia)

    1. José Nilton Dalcim

      Uau, definição muito pobre, Fernando. Wikipedia não são as melhores referências para um dicionário. Acho irônico que se comemore um grande feito do esporte russo no dia justamente no momento em que o país invade uma república independente e provoca o temor de uma guerra ampla na Europa.

    2. José Nilton Dalcim

      Uau, definição muito pobre, Fernando. Wikipedia não é a melhor referência para um dicionário. Acho irônico que se comemore um grande feito do esporte russo no dia justamente no momento em que o país invade uma república independente e provoca o temor de uma guerra ampla na Europa.

  44. Ronildo

    Em quadra o Vesely é superior ao Djokovic. Tenistas tem mais facilidade de jogo contra certos oponentes, e no caso do Vezely é justamente contra Djokovic, que bateu alguns dos principais recordes de tênis por não ter encontrado muitas vezes tenistas como Vezely. Impressionante como Federer, que também encontrou muita dificuldade de jogo contra Nadal, conseguiu equilibrar as partidas mesmo tendo menos vitórias nos confrontos diretos. Já o caso de Vezely versus Djokovic, podemos assegurar que Djokovic teve uma baita sorte pelo fato do próprio Vezely não ter tido tanto sucesso na administração da carreira, senão seriam tantas derrotas que o sérvio teria que se aposentar aos 30 anos com uns 10 slans.

  45. Luiz Fernando

    Rafa teve um primeiro set excelente e um segundo medíocre. O do primeiro leva o título, o do segundo perde hoje em sets diretos, qual dos dos estará em quadra????

    1. Bebeto

      E não é q foi o do primeiro set? Ou melhor, foi melhor ainda. Parecia um trator desgovernado. Nadal deveria ter sido multado por atropelar e não prestar socorro.

  46. Luiz Fernando

    Que tristeza p as terceirietes, comemorando a perda do número um do Djoko, mas cada um comemora o q pode kkkkkk…

  47. Rafael+Azevedo

    Esse segundo set de Nadal e T. Paul está muito bom. Que jogaço!
    É tiroteio, pancadaria, saques angulados, voleios, correria, defesa pra tudo o que é lado.

  48. Paulo Almeida

    Sem tirar os méritos do Vesely, que já tinha vencido o Cilic e varrido o craque e campeão de Doha Agut por 6-2 e 6-4, o sérvio me pareceu ofegante e sem o preparo físico ideal. Não dava para ser diferente depois de 3 meses parado.

    Agora deve voltar a jogar só no Belgradão em meados de abril. Mais um parabéns por sua autossabotagem.

  49. Rubem+Corveto

    Enfim, o Big4 passou o bastão e agora deveremos ter muitos líderes diferentes e sem domínio de poucos.que será bom para o esporte.
    Talvez Tsitsipas , Aliassime e Alcaraz sejam líderes com idades menores também Thiem e Zverev recuperemo-nos o desejo de vitórias.

  50. Vitor Hugo

    Vesely é fraquíssimo! Estava se aventurado em Challengers nos últimos meses. É papai de Novak. 2 x 0. Kkkkkk Ele, Roddick, Karlovic, Kyrgios…. Fiote de um tenista nível Challenger!

    O tênis agradece o fim da sequência do MAIOR NÚMERO 1 FAKE DA HISTÓRIA! Um péssimo ser humano, péssimo esportista, péssimo exemplo dentro e fora das quadras! Como atleta passa vergonha por não ter a capacidade de cravar um smash!

    Sai fora e não volte nunca mais!

    Federer, O GOAT, continua disparado como o maior e melhor da história!!!

    1. Paulo Sérgio

      Realidade:

      Não tem recorde de slams;
      Não tem recorde de anos terminados como número 1;
      Não tem recorde de semanas totais como número 1;
      Não tem recorde de masters 1000;
      Não tem recorde de títulos olímpicos na chave de simples;
      Freguês dos dois maiores rivais;
      Não tem recorde do total de Big Titles;
      Não tem recorde do total de conquistas;
      Só sobrou o Finals.

      Sorry!

      1. Vitor Hugo

        É a sua realidade! A minha e da maioria é completamente diferente. É assim que é e assim que será!
        Eu não analiso as coisas de forma limitada como vc. Simples assim.

      2. Paulo Almeida

        Na cara não, xará.

        O Vitor Hugo estava sumido desde a final do Australian Open, como o Luiz Fernando lembrou recentemente. Foi sem dúvidas o que mais acusou o golpe do Federer ter caído para a terceira posição de forma definitiva, sem nenhum dos principais recordes e freguês eterno dos rivais.

        Abs!

  51. Maurício Luís *

    Se o sérvio agora ex- ‘number one’ observasse o que acontece ao seu redor – parece que não o faz – veria que em menos de 2 meses ele foi ultrapassado nos títulos de ‘Slams’ por um vacinado… e agora perde o número 1 para um outro colega de profissão igualmente vacinado.
    Um baita dum “hómi’ desses, com + de 1,80m, atlético, com medinho de vacina. Francamente… Um corpo TOP, uma mente nem tanto.
    E parodiando o Danilo, “Faltam 360 semanas pro Medvedev quebrar o recorde de semanas como número 1”.

    1. Carlos Reis

      O recorde de 310 semanas do Federer já parecia impossível, o novo recorde então jamais será superado. O recorde de GS deve ficar com o Djokovic também, ou seja, um NÃO vacinado, um “negacionista” será o dono dos principais recordes do tênis profissional. Djokovic é um herói mundial Anti Vaxx, ele está entre os 5% que estão ACORDADOS.

  52. Gilvan

    E segue a escrita: todos os jogadores que venceram torneios nível ATP em 2022 encontram-se vacinados 😀
    Parabéns ao Djocovid pela derrota vexaminosa de hoje, para coroar esse começo de ano espetacular do sérvio.

  53. Sérgio Ribeiro

    Então, caro Dalcim . Será que passastes também para a Turma da Kombi ? rsrs. De onde tirastes estas 132 semanas CONSECUTIVAS do Sérvio. Foram “ apenas “ 84 desta vez . Novak continua em QUARTO no Ranking da ATP com 122 muito longe das 237 do Craque Suíço , precisa primeiro passar Connors ( 160 ) e Lendl ( 157 ) .

    Assim fico sem poder zoar com Piloto , Danilo , Robson e CIA que cravaram que o “ goat “ Paraguaio chegaria em Steffi Graf ( 377 ) nas semanas totais. Contavam semana após semana e falavam em 400 até Wimbledon. Sniff, Sniff rsrs. Abs!

    1. Paulo Almeida

      Não minta, Ribeiro. Nunca cravei nada: sempre fui semana a semana e já tinha jogado pro alto depois do Australian Open, sendo que tanto faz 361 ou 363 semanas.

      Mesmo com a enorme sabotagem que impôs a si mesmo, Djokovic conseguiu um ano de vantagem pro segundo colocado no ranking que importa. Ninguém liga pra semanas consecutivas na entressafra.

      Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Não minta e não se desespere caríssimo Piloto .Vários contavam as Semanas , sim senhor. Não eras nascido acredito , quando Serena conseguiu empatar com Steffi em 186 , e houve grande destaque na mídia Internacional. Seu fanatismo é tão tacanho que o recorde imbatível de 237 Semanas CONSECUTIVAS no Ranking de Federer ( com Nadal como N 2 em 122 delas ) , ninguém liga. Que tal perguntares ao teu ídolo Saretta rsrs. Abs!

        1. Paulo Almeida

          Eu falei por mim e o Danilo por ele, ambos te desmentindo. Resta a “Robson e CIA” fazerem o mesmo, rs.

          361 > 310 > 237

          Abs!

          1. Paulo Almeida

            Inclusive afirmei no tópico das previsões para 2022 que o Djoko perderia o número 1 em algum momento do ano, porém ninguém esperava o ocorrido no AO e que, por causa disso, a perda do número 1 fosse ocorrer tão precocemente.

    2. DANILO AFONSO

      Sérgio, eu nunca cravei que superaria as 377 semanas. Apenas fazia contava nobre, como sempre fiz desde 2012 em outras plataformas interativas.

      Agora sejamos realista Sérgio, sem as limitações de calendário do Djokovic, os 2900 pontos que o sérvio tinha de vantagem frente ao russo antes do ATP CUP 2022 eram perfeitamente administráveis até 20/06 ( 378 semanas).

      Lembrando que os dois tenistas defendiam poucos pontos nos Masters americanos e o russo nunca demonstrou regularidade no saibro, tanto é que nem título de ATP 250 tem no currículo.

      Talvez a soma dos acontecimentos recentes (título do espanhol e perda liderança) façam o sérvio pensar na possibilidade de se vacinar. É o desejo da maioria dos seus torcedores.

      1. Sérgio Ribeiro

        Onde assino , caro Danilo. Na verdade o parceiro não cravou nada. E foi dos primeiros a reconhecer que número de Semanas CONSECUTIVAS eram imbatíveis. ABS !

  54. Ricardo

    Penso que os eventos abalaram Djokovic. Tênis é um esporte extremamente mental. Ele se achar inabalável, acima dessas adversidades é um erro.

  55. André+Borges

    Dalcim, me lembro que há alguns anos atrás te perguntei quem seria o numero 1 do mundo quando pela primeira vez não tivéssemos um Big 4 na ponta e você me disse que seria Zverev. O que você acha que deu errado pra ele?

  56. Gildokson

    O trabalho já foi feito, não vai doer nada para o Djokovic essa perda da liderança, chegou ao fim nada mais nada menos que o maior reinado da história, nem precisa voltar mais.
    Agora vem cá, esse cara é o 123 do ranking?? Sério?! Kkkkkkkkkkkkkkk

    1. Sérgio Ribeiro

      Onde fica esse “ Reino “ , caro Gildokson kkkkkkkkk . Li hoje uns Posts de 2015 e o parceiro estava em melhor forma rs . Nem recorde de SLAM o reizinho possui . Mas pega leve que o Canhoto Theco foi N 1 do Mundo Juvenil kkkkkk. Abs!

      1. Gildokson

        Temos que admitir Sérgio, daqui a muito tempo quando se falar em liderança no ranking e quem teve mais semanas, vai se falar de Djokovic, a não ser que algum outro monstro que tenha a mesma sede e regularidade dele e do suíço apareça e quebre esse recorde. Acho impossível, é tão difícil que o dono do recorde mais importante d tênis não é nem o terceiro no quesito Semanas como #1. Ou seja, foi um verdadeiro reinado.

Comentários fechados.