Argumentos para o Goat
Por José Nilton Dalcim
4 de fevereiro de 2022 às 09:14

A conquista de Rafael Nadal no Australian Open, colocando o espanhol pela primeira vez acima de Roger Federer e Novak Djokovic na contabilidade dos Grand Slam, incluiu de vez seu nome na briga pelo chamado ‘goat’, ou ‘maior de todos tempos’, algo que parecia limitado aos outros dois. A acalorada discussão tem múltiplos ângulos e nada melhor do que comparar os números de momento desses três fenômenos para que cada um tenha chance de uma melhor avaliação. Vou listar os dados que considero mais relevantes em cada campo.

Grand Slam
Um dos indicativos de maior peso na carreira de qualquer tenista, são as estatísticas nos quatro grandes torneios.

Nadal passou nos títulos gerais (21 a 20 dos concorrentes), se aproximou no total de finais disputadas (29 contra 31 dos outros dois) e fica um pouco mais longe em semifinais (36 contra as 46 de Federer e as 42 de Djokovic). No entanto, quando se fala em números absolutos, é importantíssimo frisar que o espanhol disputou muito menos Slam (62) do que Federer (81) e Djoko (66).

Em termos de jogos e vitórias, Nadal ainda não chegou a 300 (tem 298) e está um tanto distante (369 de Federer e 323 de Djokovic). Quando se trata de eficiência, o espanhol está à frente: 87,9% contra 87.5% do sérvio e 86% do suíço. Rafa também atinge melhor aproveitamento em finais (21-8 contra 20-11 dos concorrentes).

Djokovic é o único do Big 3 a ter vencido os quatro Slam seguidamente, ainda que em duas temporadas. Nadal acaba de repetir seu feito de ter ao menos dois troféus em cada Slam.

Ao faturar o Australian Open, Nadal completou 15 temporadas com ao menos um troféu de Slam. Desde 2005, as exceções foram 2015, 2016 e 2021. Tanto Federer como Djokovic têm 11. O espanhol também ganhou um Slam ao menos por 10 anos seguidos (2005 a 2014), dois acima de Federer e quatro de Djokovic.

Federer é recordista absoluto de vitórias na Austrália e em Wimbledon e segundo no US Open. Djokovic é segundo colocado em Melbourne e Paris e terceiro nos demais. Nadal só lidera em Roland Garros e está muito atrás em Wimbledon e US Open. Suíço e sérvio somam aos menos 70 vitórias em cada Slam, Nadal cai para 50.

O suíço também é o recordista principal em finais e semis consecutivas de Slam, enquanto o sérvio detém a maior sequência de vitórias (30).

Quanto aos pisos, Djokovic tem maior eficiência tanto no sintético (88,6%) como na grama (88,8%) e Nadal lidera no saibro (97,2%).

Ranking
Djokovic tem larga vantagem no total de semanas como número 1, outro quesito de muito peso no circuito. Ultrapassou as 310 de Federer em março e já está em 358. Nadal tem a sexta marca, com 209.

Federer tem totais expressivos como maior presença no top 3, 5 e 10, além das incríveis 237 semanas consecutivas na ponta. Nadal tem outro destaque ao ter já alcançado 854 consecutivas no top 10.

Em 2021, Djokovic completou histórica sétima temporada como líder, duas a mais que Federer e Nadal.

ATP Finals
O torneio mais importante do calendário da ATP é totalmente dominado por Federer: mais títulos (6), finais (10), semis (16), jogos vencidos (59) e participações (17). Djokovic vem logo atrás em títulos (5), vitórias (41) e presenças (14). É o calcanhar de Aquiles de Nadal, que jamais venceu e só fez duas finais.

Masters 1000
O Big 3 domina amplamente a categoria Masters 1000, série criada em 1990. Djoko tem vantagem pequena sobre Nadal em títulos (37-36) e finais (54-52), mas Nadal ganhou mais (398) e tem eficiência superior (82,7% contra 82,2% de Nole).

Outro ponto em que Djokovic se diferencia são o de maior título numa temporada (6 dos 9 possíveis) e único a ter vencido todos os Masters em vigor, o que aliás já fez duas vezes (2018 e 2020).

Torneios
Federer ganhou mais torneios, fez mais finais, jogou mais partidas e tem maior número de vitórias que os concorrentes, porém em termos percentuais há disputa acirradíssima entre Djokovic e Nadal (83,25% no momento contra 83,24%), com Federer mais atrás (82%).

Djokovic é quem mais derrotou adversários de nível top 10 (229) e ainda tem melhor aproveitamento (68,8%, mais de 4% acima dos outros Big 3).

Nadal tem 10 ou mais títulos em quatro diferentes campeonatos, sendo um Slam e dois Masters. Apenas Federer também é deca (nos 500 de Halle e Basileia), enquanto a principal marca de Djokovic são os 9 da Austrália.

Nadal detém o mais alto percentual em sets vencidos da ATP (77,61%) e é o segundo em games (59,88%).

O espanhol também é o único entre os três a ter medalha olímpica de ouro em simples e em duplas. Federer foi prata em simples e ouro em duplas. Djokovic tem um bronze individual.


Comentários
  1. Luiz Fernando

    Opa! Opa! Aliassime nunca esteve tão próximo do seu primeiro título da ATP. Quem vence esse britânico genial se credencia sempre, se aproxima do título, é um divisor de águas, aprendi isso aqui kkkk…

  2. Ronildo

    Vou fazer mais uma tentativa de abrir mentes fechadas, amolecer corações empedernidos, salvar almas das trevas…

    O melhor caminho evidentemente é o estímulo ao raciocínio.

    Em 2004 no torneio de Miami fazia um mês que Federer tinha alcançado o topo do ranking da ATP. Enfrentou Rafael Nadal neste torneio e para espanto geral perdeu! Pelo que me recordo foi a primeira partida entre eles e certamente, embora a esquerda de Federer fosse afiadíssima e altamente eficiente, (nas imagens é como se ele tivesse um braço de borracha), não foi páreo para enfrentar o melhor golpe de todos os tempos do tênis: a esquerda de Nadal.
    À partir daí poderia-se presumir que Nadal venceria todos os encontros entre eles, com ressalvas sobre a grama.
    Como podemos ter chegado a 2017 e Federer naturalmente tendo desvantagem nos confrontos diretos já que o melhor golpe da história do tênis explorava com facilidade o lado menos eficiente do melhor tenista de todos os tempos, sim, termos chegado a 2017 e Federer com 36 anos, com uma idade que muitos tenistas de destaque já estavam aposentados a anos, ter vencido Nadal 3 vezes? Todas as vezes que encontrou pela frente? (Em final de slan, final de master 1000 e se não estiver enganado, semi de Wimbledom).

    A resposta a esta questão é que o melhor e maior tenista de todos os tempos nunca explorou todo seu potencial nos primeiros 15 anos de carreira. Só começou a jogar com a potência máxima aproximada à partir de 2017.
    Porém a capacidade tenísca de Federer já estava diminuindo desde os 34 anos, como acontece naturalmente com todos os atletas de alto nível ao longo da história.

    Portanto quando Federer jogou com sua capacidade máxima, embora já reduzida, venceu Nadal em 100% dos confrontos fora do saibro.

    Perdeu a primeira no longínquo 2003 por não explorar suas potencialidades pertinentes ao melhor e maior tenista de todos os tempos.

  3. Djair Brito Jr

    Eu tambei achei que o Nadal se colocou em outro patamar com o título. Sem dúvida nenhuma, são os três maiores da Era Moderna. Não tem como deixar de lembrar do Rod Laver. Ganhar o Grand Slam duas vezes não é pra qualquer um!

    Mestre Dalcim, nenhuma nota sobre o Del Potro? Quantos jogadores ganharam de Nadal e Federer numa semifinal e Final consecutivamente?

  4. Luiz Fernando

    Aliassime aos poucos vai se firmando cada vez mais após a queda de rendimento q teve após um inicio de carreira promissor. Como o Pessanha q inicialmente apoiava o cara e depois virou um crítico, a tendência da carreira do rapaz é deslanchar. Sua atuação no AO foi excelente, diria até inesperada. E amanhã terá uma chance ímpar: se vencer o magistral Norrie dará um passo expressivo rumo ao título do torneio…
    PS: Pessanha, se vc vier ao blog, não deixe de postar q o Palmeiras vencerá sábado kkk…

    1. Sérgio Ribeiro

      Foi somente o Pessanha que disse que um jogador em formação , na época 19 , tem cara de perdedor ? . O famoso Dupla Falta Ali Acima ? Jura ??? Abs!

      1. Luiz Fernando

        Meu caro estou acostumado com suas provocações infantis, nos sabemos quem disse e quem não disse. Esporte é resultado, se um jogador está bem merece elogios, se está mal merece críticas, e em qualquer esporte. Será q da p entender ou precisa desenhar? E foi o Pessanha q postou ali a cima! Abs.

        1. Sérgio Ribeiro

          Na boa , L. F. Tu se achas mesmo em condições de desenhar alguma coisa ? . Somente na sua cabeça oca pra repetir que Tênis e’ somente resultado . Lembra do m****ha que não respeitou nem a lesão de Federer em 2013 ? . Que se borrou todo nas calças com a virada pra cima do Touro no AOPEN 2017 ? . Sabes nada L. F . Que tal chamar a Gabi ? . rsrs. Abs!

  5. Samuel

    Embora minha torcida tenha sido nos últimos 25 amos para Gustavo Kuerten, Marat Safin e Rafael Nadal, devo deixar a preferência de lado para aceitar que Roger Federer está acima do espanhol no quesito “melhor de todos os tempos”.

    Digo com profundo pesar que Federer, além de possuir exímios resultados no tênis e de exibir beleza na prática da modalidade, tem uma característica que o coloca ao lado de outras figuras lendárias, como Bjorn Borg e Martina Navratilova: a carreira dos citados ultrapassou os limites do tênis.

  6. Lourenço

    Fognini declarou o que a maioria sabe: ” Federer é o melhor da história”. E deixou claro na comparação com Novak e Nadal: ” Se for pagar ingresso, vou no Federer. Prefiro um espetáculo do que assistir jogador passando bola pro outro lado”.

    1. Luiz+Fabriciano

      Fognini falou o segundo trecho citado por você?
      Tenisbrasil está passando informações privilegiadas para alguns usuários?
      Só rindo mesmo.

    2. Luiz Fernando

      Sim e daí? Opinião pessoal dele, que qualquer um pode ou não concordar. Ou será q a opinião dele virou critério pro GOAT? O desespero de encontrar critérios subjetivos deriva da ausência de critérios objetivos…

  7. Ruy Machado

    Boa tarde, amigos do blog!
    Bisbilhotando o site da Atp.com, pude ver alguns dados estatísticos interessantes. Principalmente, em relação ao percentual de vitórias dos últimos anos do Big 3. Só foi permitida a busca das últimas 6 temporadas. Por isso, o Espanhol compreende um período diferente. Tanto o Suíço quanto o Sérvio, ainda não jogaram esse ano. Vamos lá…
    Federer de 2016 e 2021 jogou 229 partidas e venceu 192 (Aproveitamento de 83,84%). Carreira 1526 P e 1251 V (81,98%)
    Djokovic de 2016 a 2021 – 356 P e 303 V (85,11%). Carreira 1188 e 989 V (83,25%)
    Nadal de 2017 a 2022 – 267 P e 232 V (86,89%). Carreira 1247 P e 1038 V (83,24%)
    Existe o argumento que, o prolongamento da carreira de alguns tenistas, contribuísse para um menor percentual de vitórias. Pelo menos, aqui, não há essa desculpa…

  8. Ronildo

    “Nadal e Djokovic são dois fenômenos irrepetíveis na história do tênis. No entanto, ainda sou Federer. Se tiver que comprar um ingresso para uma partida, compro para vê-lo jogar”.

    Fábio Fognini, reconhecendo a superioridade de Federer e expressando o pensamento do grande público.

    1. Luiz Fernando

      Opinião pessoal dele q deve ser respeitada, q tem o mesmo peso da do Wilander q considerou Rafa maior do q Federer e da de Sampras apontando a entressafra…

      1. Sérgio Ribeiro

        Errado : Sampras disse que ele não tinha oponentes a altura , é bem diferente . O desmemoriado Ex-Tenista esqueceu que Federer começou destronando o próprio. De quebra amassava seus próprios oponentes que largou com apenas 31 anos . E apanhou sem do’ um ano e meio . E esqueceu do principal , Nadal era o N 2 desde 2005 . Sem ele o Craque seria PENTA somente em RG . Abs!

        1. Luiz Fernando

          Certo, pra bom entendedor, q não é o seu caso nunca, ele chamou os caras de fracos, ou melhor, q não estavam a altura do suíço. Ou será q isso significa q, na opinião dele, eles eram fortes????

          1. Sérgio Ribeiro

            Marat Safin disputava palmo a palmo o Posto com o mais jovem N 1 da história, Lleyton Hewitt . Com Agassi ainda vencendo SLAM em 2003 . Não conheces esses jogadores ?. TODOS venceram SLAM pra cima de Sampras. Respeite a história do Esporte . Como pode repetir a ladainha de que eram fracos . Nem vou citar os outros Ex – N1 da época. Tu não mereces . Abs!

        1. Sérgio Ribeiro

          Não tenha dúvidas, excelência, que a opinião de Fábio e Nick , no esporte, vale muito mais que de um fake … Abs!

  9. Luiz+Fernando

    É óbvio q Djoko não participará de IW, mesmo q tivesse se vacinado após o AO não haveria tempo hábil p completar o esquema…

    1. Sérgio Ribeiro

      Exceto se ele já tiver se vacinado como afirmou seu Biógrafo .O fato de Novak ter pedido 10 /15 dias pra esclarecer tudo soa estranho …Abs!

  10. Samuel

    Hollywood, o lugar onde há mais assédio sexual e cheiradores de cocaína por metro quadrado na face da Terra após os bailes funk, resolveu aprontar das suas mais uma vez, usando o decadente Oscar para premiar a baixeza.

    Agora o “homenageado” é o racista e odioso Richard Williams, que, após ter abandonado uma família que não lhe trouxe lucros, resolveu investir em outra, usando crianças, à moda de “Dois Filhos de Francisco”.

    Tal como o pai, Serena nunca foi flor que se cheirasse. Mudou um pouquinho após passar por uma gravíssima situação de saúde há alguns anos.

    1. Luiz+Fabriciano

      Samuel, não vou entrar em questões de assédios e maior número de cheiradores por m2 do mundo, ou de racismo, mas Hollywood não pretende homenagear o brilhante trabalho de um ator, como Will Smith e não Richard Williams?
      É como se preteríssemos de premiar o trabalho de De Niro, por interpretar Al Capone.

    2. Thiago+Silva

      É cada bobagem que a gente nem acredita que tá lendo.
      Se todos os pais fizessem o que o Williams fez não ia ter criança pedindo esmola na rua, o mínimo que os pais tem que fazer é ensinar os filhos a se virar na vida, em vez de deixar largados na rua sem função nenhuma ou no sofá com um Tablet o dia todo atrofiado o cérebro.

    3. Gildokson

      Caramba Samuel, você tem uma bronca com esse cara mesmo hein?
      Na época que o filme foi lançado você comentou aqui condenando o fato dele ter abandonado a outra família e dizendo que o filme tenta endeusar a figura de Richard Williams, mas assistindo ao filme vemos que não é bem isso, inclusive o filme mostra seus defeitos e até faz menção sobre filhos largados pelo caminho, (cena em que rola uma discussão na cozinha entre ele e a esposa onde a mesma lhe joga na cara isso) assim como mostra o que todos deviam considerar uma qualidade, o fato de o cara querer mudar a vida dele e das filhas, as incentivar e fugir da mesmice que persegue os pobres, ser algo maior do que muitos negros estão condenados a ser durante toda vida.
      Vou te fazer uma pergunta. Você se indignou dessa maneira assistindo The Social Network??
      Aquele ali sim é um filme que tenta romantizar a imagem de um verdadeiro canalha que se apoderou da idéia alheia e com isso se tornou um dos homens mais ricos do mundo. Me dê sua opinião sobre Mark Zuckerberg.

  11. Sérgio Ribeiro

    Está pra lá de interessante ( pena que muito lá pra baixo ) , os argumentos do caríssimo Piloto da Kombi , e do excelente comentarista, nosso caro Groff, sobre a troca de bastão na ATP . E’ por volta das 12 horas de hoje . Imperdível !!! . Abs!

    1. Heitor

      Obrigado por avisar.
      Fui lá ler e de fato tá muito interessante!! Parabéns ao Paulo Almeida.
      Só vc que destoa tumultuando a conversa

      1. Paulo Almeida

        Não é necessário dar parabéns, nobre Heitor. Foi apenas uma conversa produtiva entre mim e o Groff.

        De fato, o SR não se aguentou e se intrometeu ali, rs.

      2. Sérgio Ribeiro

        Exato caríssimo Gustavo , digo Heitor. Realmente houve uma passada de bastão em 2008 , como garante o nobre Piloto . Só que ele esqueceu que ao quebrar o Recorde de SLAM de Pete Sampras em 2009 , o melhor de Todos reassumiu o Posto como N 1 do Mundo . E batendo Novak na Semi de WIMBLEDON ( coincidência rs ) 2012 , novamente voltou ao N 1 . Terminando a passada de bastão em 2018 como o mais Velho N1 da Era Profissional. Mesmo estando com ele , pesquise , vai … sem preguiça rs . Abs!

          1. Heitor

            Ué, nao é vc que diz que aqui é um fórum de debates e, portanto, temos de estar abertos para ouvir críticas ao que escrevemos?? kkkkk

            P.S.: tanto faz o que o LF ou o Paulo F. ou o Paulo Almeida escrevem vc comenta. Eu tô fazendo igual contigo e daí te incomoda ehehehe

            Abraço.

          2. Sérgio Ribeiro

            Ficas irritadinho com meus comentários ? . Pule-os rs . Eu não me irrito coisa nenhuma em debater contigo , Gustavo , digo Heitor . Até porque acabo debatendo logo com dois … rsrs . Abs!

    2. Paulo Almeida

      Grato pela atenção, Ribeiro.

      Cara, eu já citei a versão do Cossenza sobre a lesão do Nadal em 2009 e o Luis Henrique várias outras fontes internacionais, inclusive. Você que nega todas elas e prefere ficar com a versão mais conveniente. Respondi aqui porque lá embaixo a coisa já está ficando meio poluída e confusa.

      Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        E’ conveniente pra ti denegrir todos os jogadores que não seja Djokovic . Reveja o jogo no YouTube e vai se surpreender com a volúpia do jogo de Soderling em TODA a partida inclusive nos dois tiebreaks . E repetiu no ano seguinte contra Federer . Nadal foi fazer DUAS exibições após RG e perdeu ambas sendo uma pra STANIMAL. Se achou sem condições de comparecer a Wimbledon. O blogueiro citado não explica como correu 4 horas na derrota pro Sueco e uma semana depois foi participar das DUAS partidas . Abs!

  12. Maurício Luís *

    Monteiro em queda no ranking; Luísa Stefani contundida; Marcondes afastado por suspeita de doping; Melo e Soares fora do Top 10; o Bellucci então… só falta perder no quali do Aberto da Vila Pedregulho. PÓ PARÁ.
    ” – Ah, mas Estados Unidos, Japão, Itália… são ricos!”
    E Argentina, Cazaquistão, Polônia, Estônia da Anett Kontaveit… são ricos?
    “Alguma coisa errada não está certa.”

    1. Marcelo+Costa

      Com todas as venias possíveis, pelo seu ponto de vista, Rodrigo Caio é o goat do futebol, fez o maior fair play, no lance contra o Corinthians lembra ? Foi uma prova de caráter, e muita gente gosta dele.
      Por favor ative seu senso de humor.

      1. Jose Yoh

        Marcelo, é necessário ter bom humor e bom senso!
        Rodrigo Caio nao tem números para constar sequer no top 100 de todos os tempos. Nem Kaká.

        Já Federer, conforme todos dizem aqui, é pelo menos o terceiro. Com números bastante próximos, se os contra nao insistirem nesse papo de nao contar o finals.
        E caráter nao é algo importante? Armstrong é o GOAT do ciclismo entao?
        Abs

        1. Marcelo+Costa

          Começo meu comentário assim: ” com todas as venias possíveis”, ou seja peço uma liçenca para contrapor um argumento que não tem sentido, pois, até Rodrigo Caio é um bom rapaz, que segue as boas regras, e nem por isso devemos colocar ele no panteão dos maiores, porque, ser boa gente, não torna ninguém melhor, esportivamente falando é óbvio.
          Mas sabe, eu gostaria que o suiço, fosse menos suiço, gostaria de ver ele se posicionar, ele tem voz, só opta por não usar.

  13. Sérgio Ribeiro

    E Thiago Silva e o sobrevivente da derrota pro Corinthians, não pestanejaram : “ Não existe este papo de não ligar , e’ o único Título que não temos e vamos com tudo “ . Até o Técnico que estava com COVID resolveu pegar um ✈️ direto pra Final. O Palmeiras tem chances pois o Chelsea atual fica longe do Liverpool de 2019 , que somente levou na prorrogação. Neste momento tá 50% pra cada , a meu ver . Os Ingleses com sua empáfia não divulgam mas são os que têm menos Títulos de 1960 quando tudo começou … Abs!

  14. Sandro

    Bom Dia Dalcim e amigos VERDÕES!!!
    Dalcim, vc não acha que Pitso Mosimane, técnico do Al Ahly, passou dos limites da prepotência e arrogância contra o Abel, os jogadores, os torcedores e a instituição Palmeiras ​?
    Acho que ter auto-confiança é benéfico,mas é muito diferente de excesso de prepotência e arrogância!
    Eu achei Pitso Mosimane extremamente arrogante, prepotente, antiético, sem classe nenhuma vomitou as seguintes empáfias:
    “Se eu conseguir trazer os cinco caras que estão na seleção para jogar a final contra o  Senegal, eu vou ganhar do Palmeiras. “Eu sei bem como o Palmeiras joga, temos tudo preparado em vídeo. Se eles vierem dessa forma, a gente vai “engolir”.  “O Palmeiras não gosta da bola, eles gostam de situação de contra-ataque”.
    Um idiota prepotente e antiético desses vomita um monte de babaquices escrotas e ainda quer entrar direto na semifinal???
    Pára de reclamar!!! Quantos títulos mundiais têm os clubes africanos??? ZERO TÍTULOS MUNDIAIS!!! Então, pára de reclamar e vê se ganha algum TÍTULO MUNDIAL primeiro!!!
    Primeiro seja competente pra pelo menos conquistar um Campeonato Mundial pra depois pleitear algum privilégio!!!
    Eu acharia correto que se o Al Ahly ganhasse o Mundial agora em Fevereiro, no próximo Mundial o representante africano tivesse direito a entrar direto na semifinal, mas a África precisa ter pelo menos um título sequer antes de exigir algum privilégio!
    Clubes Sul-Americanos e Europeus têm esse privilégio porque os únicos Campeões Mundiais vêm da América do Sul e da Europa, simples assim!!!
    Se os africanos querem PRIVILÉGIOS, que conquistem pelo menos um TÍTULO MUNDIAL para entrar direto na semifinal do próximo Mundial!!!
    Tem que ser por meritocracia, não se ganha no grito Sr. Prepotência Pitso Mosimane!!!
    Quero parabenizar o Abel pela postura EXEMPLAR que acabou humillhando esse arrogante do PITSO dentro das 4 linhas do futebol!!

    1. José Nilton Dalcim

      Acho até normal uma certa provocação, Sandro. Ao final do jogo, ele reconheceu que o Palmeiras era um grande time e foi superior. Pelo menos, baixou a bola.

    2. Éverton

      O Brasil é pentacampeão mundial e joga as eliminatórias em condições iguais com a Venezuela que sequer participou de uma Copa do Mundo. A Itália é tetracampeã mundial e ficou de fora da última Copa do Mundo e pode ficar de fora da próxima. Tradição é importante para contar histórias, mas o momento atual dos clubes sul-americanos não é tão bom como outrora. Hoje é mais nivelado, tanto que ganharam nos pênaltis da outra vez. Dessa vez perderam, mas não vi essa superioridade toda do palmeiras (que tem gol, mas continua sem mundial). Enfim, o formato do torneio é assim porque a FIFA apenas adaptou o interclubes de antigamente para incluir times de outros continentes.

      1. José+Yoh

        Esse mundial é uma piada. Antigamente era pior ainda, sequer reunia times de outros continentes. Porque chamar de mundial?
        Desde 2007 só um time não europeu (leia-se Espanha, Itália, Alemanha e Inglaterra) venceu. O Corinthians, com muito sufoco. No total de gols, Europa 32 X Resto do Mundo 7.
        Essa falta de parecer algo sério e a disparidade entre alguns clubes é tão grande que alguns europeus sequer dão valor a esse título.
        Abs

        1. Luiz+Fabriciano

          Concordo Yoh.
          Quando o Flamengo, com aquele time mágico de 1981 foi campeão, derrotando o Liverpool, um amigo meu que nem era torcedor de futebol, me perguntou:
          “Campeão mundial por que? Só tinha dois times no campeonato.”
          Eu nem soube explicar, rsss.

  15. Luiz Fernando

    O filme King Richard é excelente, em especial pra quem curte tênis como nos. Hj a família Williams não tem necessidades financeiras, mas quem vê o filme custa a acreditar q as coisas caminharam assim, parece um verdadeiro conto de fadas nesse particular claro, pois como toda família existem problemas e diferenças q precisam ser superaras a cada dia, coisas q apenas o dinheiro não resolve. O Will Smith está incrível no papel e creio q deverá vencer como melhor ator, pelo menos é a minha torcida.

    1. Luiz+Fabriciano

      Luiz, assisti ontem.
      Excelente filme e tive algumas percepções que gostaria de compartilhar:
      – como a atriz Serena se assemelha a real Serena, quando novinha;
      – como o Richard era louco (rsss). Um cara traçar um plano de vida, almejando sucesso e riqueza, para duas filhas, ainda mesmo antes de te-las é algo inédito na história conhecida por mim;
      – Will Smith está realmente deslumbrante;
      – Richard me pareceu ser tão preconceituoso como muitos brancos, apesar de acreditar ter sofrido como negro da época dele, como quase nenhum branco, deixando feridas não curadas ainda;
      – jamais torci por Serena Williams, mas deu vontade depois de ontem;
      – não sabia que a Arantxa Sanchez tinha dado aquele migué gigantesco na Venus. Foi uma vergonha aquilo;
      – podemos ter uma bela aula de tênis ao longo do filme;
      – a providência divina o salvou de colocar tudo a perder, quando por 1 minuto de diferença, alguém matou antes seu algoz. Senão, certamente estaria preso ao invés de criar uma carreira para as filhas;
      – e por último, a conversa dele com Serena, quando a mesma se sentia preterida do sucesso, como Venus: “sua irmã será #1 do mundo, mas você será a melhor de todas.”
      Grande filme!

      1. Sérgio Ribeiro

        Finalmente um comentário condizente com o Circuito WTA . Quantos sem conhecer a verdadeira estória não engoliam a Rainha . Ao menos Navratilova, Chris Evert e Steffi, já colocaram a norte-americana no Patamar que fez por merecer . Margareth Court além de ter vencido 13 SLAM na Era Amadora ( 90% contra suas Compatriotas) , não teve a espetacular longevidade de Serena dentro da Era Profissional . E’ preciso dizer que até as incríveis 186 Semanas CONSECUTIVAS de Steffi Graf no Topo do Ranking ela foi buscar . Conseguiu também a proeza de ser a mais Velha Tenista N 1 do Mundo e a vencer SLAM . Mesmo assim não há unanimidade quanto a tal “ goat “ . Já vimos esse filme ??? rsrs. Abs!

        1. Sérgio Ribeiro

          Ps . Venceu ao lado de Vênus QUATORZE SLAM ( em Todos os Pisos ) em Duplas e incríveis Três Ouros Olímpicos nesta modalidade o que parece um feito inigualável. Abs!

          1. Luiz+Fabriciano

            E quem não sabe disso?
            O que duvido é que o Mr. Know it All soubesse dessa fala do pai com a Serena antes de ter assistido o filme.

          2. Sérgio Ribeiro

            Realmente eu não sabia da fala do Papai Willians . E garanto que o informadissimo L. Fã , não tinha o menor conhecimento de TODOS os feitos da Rainha rsrsrs . Abs!

      2. Miguel BsB

        Também assisti, e, no geral, gostei. Só acho que a cena da “providência divina” foi algum tipo de licença fictícia do filme. Não creio que tenha acontecido, e, se aconteceu, não exatamente daquela maneira. Mas, se alguém souber se precede ou não daquela maneira, seria legal tirar a curiosidade.

        1. Luiz+Fabriciano

          Pode ser que tenham arranjado, mas de certa forma, ele deve ter realmente saído atrás do cara com a intenção de mata-lo.

  16. Luiz Fernando

    Esses juízes corruptos devem ter prejudicado o Shapo hj de novo, esse Lehecka vindo do qualy deve estar mancomunado com eles kkk…

  17. Paulo F.

    É, meu nobre Dalcim.
    Aproveitem a chance, essa parece ser a vez que o Mundial está mais à feição para vocês finalmente terem um.
    Ainda mais que não haverá um Marcos para borboletear contra os ingleses desta vez.

  18. DANILO AFONSO

    Quando pensamos nos jogos em que Djokovic venceu após salvar match point, muitos lembram da reviravolta na final de WB 19 e US OPEN 2010 e 2011, todos jogos tendo Federer como adversário. Porém, nunca li ninguém citando a difícil virada que o sérvio conquistou contra o francês Tsonga há quase 10 anos, e um jogaço pelas quartas de final de RG 2012.
    Após vencer de forma brilhante os apertados 2º e 3º set (vale a pena ver o ponto que fechou este set), Tsonga, empurrado pela barulhenta torcida que lotava a quadra central em clima de Copa Davis, não aproveitou 4 match point que teve no 4º set, oportunidades em que conseguiu devolver o saque do sérvio.

    https://www.youtube.com/watch?v=3E8nRaS89kg&t=893s

    É impressionante como o sérvio, que na época jogava de forma mais ofensiva, muito próximo da “versão on fire de 2011”, teve frieza para suportar a pressão do favoritismo e principalmente a torcida contra durante pouco mais de quatro horas.

    Após fechar o jogo, o sérvio extravasou igual a comemoração que vimos na vitória contra o Fritz no AO 2021.

    1. Paulo Almeida

      Essa é mais uma das viradas espetaculares do sérvio (tirando as de dois sets abaixo), junto com a contra o Murray no AO 2012 e o Thiem no AO 2020. O Craque é o maior mental giant da história de fato.

        1. Paulo Almeida

          Acho que o Nadal não tem tantas reviravoltas improváveis quanto o Djokovic, Groff, mas você pode me corrigir se eu estiver enganado.

      1. Groff

        E acabo de ver a parte marcada do vídeo, com Tsonga sacando no 4-4 com 15-40, Danilo. Minha nossa! Esse game compõe um pequeno trecho que serve de exemplo do meu tipo favorito de jogo hehehehe, feito por quem tira a raquete da mão do adversário. E ele estava fazendo isso em Rolanga, imagine!

        Curto demais o Tsonga e já mencionei que acho ele uma “vítima” do circuito lento (sim, sei que os jogadores têm que se adaptar… eu é que não sou obrigado a gostar da lentidão rsrsrs, e posso sonhar que ela acabe um dia), pois com aquele saque e os golpes matadores que tinha, creio que teria tido uma carreira bem mais vencedora em épocas passadas. No mínimo do mínimo um slam.

  19. Luis

    De verdade estou tão feliz com o título do Nadal no AO (achei que ele nunca mais ia conseguir ganhar de novo lá) que não me importo com quem vai ser o Goat no final da corrida. Eu só queria ver ele ganhar esse título antes de se aposentar. O que vier de resto é lucro.
    Acho que deve ser mais ou menos a sensação que os torcedores do Federer tiveram quando ele ganhou do Nadal no mesmo AO. Ninguém imaginava que ele ia conseguir se aposentar batendo o backhand na linha contra o Rafa. Ainda mais depois de ter se lesionado no ano anterior. Foi como um presente.
    Se fosse treinador do espanhol e pudesse mudar algo, seria o calendário dele. Pois gostaria de ver ele jogando muitos anos mais.
    De qualquer modo, estou feliz, tive uma aula de persistência, garra e estratégia nessas últimas semanas que não vou esquecer tão cedo.

  20. Ronildo

    Com respeito à goatização de um indivíduo em qualquer área, sou adepto da teoria chamada Vocação Natural, segundo a qual o sujeito alcança o status superior através da percepção coletiva. Assim o processo se dá por aclamação e não por consecução individual. A percepção coletiva reconhece antes de tudo a maneira como os objetivos são alcançados e não somente os resultados finais. Por exemplo, numa corrida à distância, se um dos participantes se destaca por fazer alguma firula durante a competição e mesmo asdim se mantém competitivo, (dancinhas, saltinhos ou qualquer novidade diferenciada), o público imediatamente o reconhe como o melhor, (salvo raras exceções), independentemente deste ganhar a competição ou não.
    Essa teoria se encaixou perfeitamente na carreira do Federer, do porque a ampla maioria do público o aclama como maior e melhor tenista de todos os tempos, mesmo que ele tenha alguns números inferiores aos de Nadal e Djokovic.
    Em suma: A maneira de Federer jogar o elevou ao status de maior e melhor tenista de todos os tempos, porque conseguiu resultados impressionantes com um estilo de jogo reconhecidamente artístico.

    1. Carlo Variant Wagen

      ^Se os critérios foram objetivos (apenas números), Nadal seria hoje o GOAT. Já se os critérios forem mais subjetivos, Federer poderia ainda estar na disputa, pelo que representa.

      Mas.. e o Djokovid? Hum… sei lá mas pra mim poderia ganhar o covidiota do ano pela segunda vez. Como não foi de forma seguida, seria o “Double Covidiot Slam Carrier”, mas mesmo assim estaria valendo.

      Quando perguntam a um fã do Djokovid porque os outros não gostam do Djokovid, ele responde:
      – foi porque ele “tirou os recordes” do Federer
      Mas se perguntarem a um fã do Federer porque el não gosta do Djoko, este vai responder:
      – começou lá quando ao invés de jogar tênis, ele preferiu ficar fazendo imitações mal feitas de outros tenistas. Aumentou quando ele (ou a família) passou a ofender adversários em quadra, piorou quando ele passou a dar boldas em juízes de linha, amargou quando ele achou que poderia não se vacinar e levantar uma bandeira pela morte (basta ver os números de morte nos balcãs), e acabou de vez quando ele passou a falsificar documentos para burlar as regras da alfândega de um país estrangeiro.

      Não tem nada a aver com tênis ou com recordes. Os recordes estão aí para serem batidos mesmo, e ficamos bem em ver Nadal batê-los (ou qualquer outro tenista).

      Notem que quando alguém como Nadal bate o recorde, o ato é comemorado.Já quando o Djokovid bate, é sempre acompanhado d euma polêmica desnecessária ou sem sentido, coisa de gente mal esclarecida mesmo.

        1. Carlo Von Wagen

          Sin, trata-se da minha excritaexpecífica para o público adimirador do Sérvio. Parece que há uma predileção deste público por recordes mau feitos e textos mais escritos.

          No dia em que eu escrever para os fãs do Federer ou do Nadal, os revisarei de acordo com o público-alvo, evitando erros grotescos e desnecessários.

          1. Luiz+Fabriciano

            Meu caro, não me referi a palavras mau escritas considerando ortografias e concordâncias, porque, não sei ser professor disso.
            Me referi aos impropérios destinados à pessoa Novak Djokovic feitos por você, sem nenhum pudor e auto senso crítico.
            Realmente, a dor deve ser grande. Se cuide.

    2. Dário

      Ronildo, excelente comentário. Sou fã da forma como Nadal e Djockovic são leões em quadra. Bem como o físico do Djockovic parece ter sido “fabricado” para jogar tênis. Mas do ponto de fair play, o Sérvio deixa muito a desejar. Sou do clube que é feliz por ter visto este 3 monstros jogar e a torcida em jogos pende ao Djockovic. Ele poderia ter a admiração que as pessoas nutrem por Nadal e Federer. Nadal jamais desrespeita um adversário.

      Sobre a citação de mortes por covid, fui conferir a informação e incrível, dos 20 países com mais morte por milhão 15 são do leste Europeu.

  21. Rodrigo S. Cruz

    [Luiz Fabriciano]

    “Fanáticos por Federer deveriam vir a público se retratar das más coisas ditas em relação a Nadal, depois de ler isso dito por seu ídolo, ou então, mudarem de ídolo, kkk”.

    Putz! Mas é brincadeira as coisas que lemos aqui, né bicho?

    Como se esse fórum jamais tivesse, desde sempre, sido habitado de insultos e babaquices postados por nolistas
    ou nadalistas anti-Federer, né… 😏😏

    1. Luiz Fernando

      Todo mundo já se excedeu aqui, inclusive nós dois, mas se houvesse um ranking as terceirietes venceriam de goleada…

      1. Sérgio Ribeiro

        Mas uma vez completamente equivocado. Olhe a sua volta rapaz … Essa babaquice de Fregueser e’ DIÁRIA há anos . E tu já desde 2010 não esquece o Suíço em nenhum comentário. E sempre apelando pra DOIS Tenistas ao mesmo tempo . Um autêntico Zé ****. Abs!

  22. Valmir da Silva Batista

    DALCIM, eis algo mais a respeito da Goat…

    EU QUE POR TI SERENO

    Serena Jameka Williams
    ( assim mesmo grafado por teu personalismo ),
    Seria eu teu súdito, por grafar
    O substantivo adjetivado?
    Seria eu umidade qual mar profundo,
    Donde vieste musa orvalhada?

    Na relva sagrada de Wimbledon,
    Eu não necessitaria de mais nada,
    Apenas da gotinha amada bem tranquila,
    Para me exultar com teu topspin,
    Parecendo endereçado a mim.

    No catador de bolinha, por fim,
    Eu decerto me transformaria,
    Pela dupla falta que sinto de ti,
    Erro, aliás, que acabas cometendo
    Com a mesma elegância do teu backhand,
    Oh, as tuas mãos tecendo, amor meu…

    Desenharei meu coração no pó
    Alaranjado de Roland Garros,
    Mas te servirei também no US Open,
    Além de repetir o gesto delicado, qual bolsa aberta
    De canguru no Aberto da Austrália,
    Tudo para ficar bem perto e te ver
    Jogando bola como uma diva.

    VALMIR DA SILVA BATISTA

    1. Maurício Luís *

      Eu também torço pela Serena e pra mim é a maior de todas, ao menos no individual. 23 Slams na Era Aberta, só ela. E o último deles, estava até grávida… uma proeza.
      Martina tem + títulos se juntarmos as duplas, mas pessoalmente nunca torci pra ela. Não tem explicação… só não ia com a cara, mesmo.
      Pena que não dá pra fazer as mesmas rimas em inglês… mas acho que a mamãe Serena iria gostar.

  23. Heitor

    Sandra, nao faz sentido querer liberar mais coisas e ser contra máscaras.

    Porque justamente as máscaras é que permitem que se faça mais coisas com segurança.

    Máscaras dão mais liberdade, veja só ☺️

  24. DANILO AFONSO

    Analisando a quantidade de jogos do Nadal na última década (2011 a 2020), constatei uma situação que se repetiu regularmente durante o decênio citado: toda vez que o espanhol realizava muitos jogos em uma temporada, no ano seguinte ocorria o inverso, isto é, quantidade bem menor de jogos.

    Total de jogos por temporada:
    2011 – 84
    2012 – 48
    2013 – 82
    2014 – 59
    2015 – 81
    2016 – 53
    2017 – 78
    2018 – 49
    2019 – 64
    2020 – 34

    Com exceção da temporada 2020 que é justificável pela pandemia, acredito que essa “gangorra” de jogos por temporada, reforça a percepção de que o espanhol, que tem um estilo de jogo que exige muito do seu físico, se tivesse realizado um calendário mais estratégico, mais inteligente, poderia ter conquistado mais Slams, somado mais semanas como n. 1 e, talvez, chegando mais inteiro fisicamente no final do segundo semestre, faturado ao menos um título no Finals.

    1. José+Yoh

      Grande análise Danilo. Observando a gangorra, percebemos também o quanto foi difícil para ele ganhar este AO, já que é evidente que joga sempre com dores e neste fim de carreira deve estar insuportável.
      Abs.

    2. Luiz Henrique

      Faz total sentido Danilo
      Acho que a pandemia está ajudando, de certa forma, a prolongar a carreira do Nadal fazendo ele jogar menos

  25. Ronildo

    Quando o Internacional de Porto Alegre foi campeão do mundo em 2006 contra o Barcelona, todos sabiam antes, durante e após a partida que o MELHOR TIME havia perdido o campeonato.
    Estas coisas acontecem no esporte: o MELHOR perder, ter menos vitórias, ser menos vezes campeão, etc. São muitas as variáveis e muitas vezes o MELHOR pode perder diante de uma estratégia bem calculada de um rival.
    Nem é o caso do Federer, já que ele tem mais torneios de primeiro nível da ATP que Nadal e Djokovic. O que dizer então da supremacia de vitórias de Federer nestes torneios de primeiro nível?

    Deveras, é incontestável a goatização de Federer!

    Porque sabemos que entre os 3, Federer é o maior e melhor tenista de todos os tempos? Porque nunca atingiu seu nível máximo! É como a Ferrari perder uma corrida para o Fiat Uno quando o motorista da Ferrari se mostra desatento, economiza combustível, enquanto o Fiat Uno está esgoelado até o último!

    Quem conhece a produção de Dragon Ball Z entende o que estou dizendo, já que Vegeta, príncipe de Saiyajins jamais atingiu o nível de poder de Goku quando este também subia de nível.

    Esta é a grande questão filosófica: Federer sempre foi o melhor porque sua capacidade sempre foi maior, apesar de ter sempre usado apenas parte de seus poderes.

    1. Luiz Fernando

      Que pena q não usou os plenos poderes não é Ronildo, se tivesse usado hj vc teria argumentos sólidos, ou seja, RESULTADOS OBJETIVOS p provar sua hipótese. Como não usou, resta a alternativa de fazer como esse, tipo “eu acho”, “embaixador do esporte”, “mais habilidoso”, “jogo mais plástico” etc etc etc…

        1. Sérgio Ribeiro

          Na cara de quem menino Paulo 26 ? . Se o Embaixador do Esporte não é o que leva mais público ao redor do Planeta quem sugeres ? . No dia que o “ goat “ Paraguaio levar o recorde de público pagantes pra África ( com Nadal ) e pro México ( com Zverev ) , podes falar groselhas a vontade . Qual seria o h 2 h que parece ser seu maior conhecimento ? rsrs. Aliás qual é o do “ goat “ contra Laver , Borg e Sampras ? rsrsrs. . Abs!

          1. Paulo Sérgio

            Agora o argumento é de quem leva mais público para estádio? Bom, acho que isso interessa aos patrocinadores. Eu, fã do esporte, me interesso pelos feitos dos tenistas em quadra: partidas memoráveis, confrontos diretos com rivais, recordes alcançados, capacidade de superar desafios, títulos, etc.

    2. Rafael+Azevedo

      O melhor realmente pode perder uma partida aqui e outra acolá para o pior, mas perder várias seguidamente?
      Se aquele Barça de 2006 enfrentasse o Inter 10 vezes, o placar de partidas seria um 9×1 ou 8×2 para o Barça.
      Se não vence a maioria, não é o melhor.

    3. Paulo F.

      Então como o Barcelona (Federer) perdeu tantas, tantas, tantas e tantas vezes para o Internacional (Nadal ou Djokovic)?

    4. Germano

      Federer viveu uma entresafra de adversários de peso entre 2002 a 2005, numa dessas finais de Slam o adversário foi o pangaré do Baghdatis

        1. Paulo Sérgio

          Nobre,

          Segundo sua lógica, Sampras deve ter perdido por causa da idade. Não é isso que as terceiretes argumentam para justificar as derrotas do suíço para Nadal e Djoko? Vitória contra Agassi também não vale.

    1. Fernando Brack

      Isso é porque é na China, o país mais aberto, livre, democrático e flexível do mundo, segundo uma certa corrente de pensamento disseminada por alguns colegas de blog, que considera a Austrália uma ditadura truculenta e sanguinária.

  26. Paulo F.

    Quero deixar bem claro aos demais foristas:
    – O Sérgio Ribeiro anda caluniando eu e o Luiz Fernando de termos trocado o Nadal pelo Djokovic em nossas torcidas.
    Que fique bem claro: torço e sempre torci pelo Djokovic e o nobre Luiz Fernando torce e sempre torceu pelo Nadal (tenho absoluta certeza de que posso falar isso por ele).
    Grato!

    1. Sérgio Ribeiro

      Sem essa de calúnia , sincerissimo P.F. É óbvio que ambos torcem pelos mesmos DOIS Tenistas … Fique tranquilo que essa tabelinha tão amável não termina em RG 2022 kkkkkkkkkk. Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Ps. Quem não deve estar gostando nada e’ o Piloto da Kombi rs . Depois do AOPEN o que sumiu de Paulos do Blog foi uma grandeza. E vais tu e diz que o novo “ goat” e’ Nadal kkkkkkkkkkkk. Abs!

        1. Paulo Almeida

          Além de mim, só existem o F., o Sérgio e o Paulo sem sobrenome mesmo e todos já postaram recentemente. Já falei pra reclamar com o José Yoh se estiver com saudade dos outros.

          Abs!

    2. Luiz Fernando

      Paulo, alguns comentários são tão sem nexo q nem merecem resposta, não perca seu tempo respondendo algo assim. Como vc disse, o sofrimento exagerado mexe com as pessoas…

    3. Ronildo

      Mas Paulo, ele se refere à época que vocês eram crianças ou adolescentes e torciam para o Nadal nos embates com Federer. Daí quando adultos e escritores no blog, vocês entraram torcendo para Djokovic.

  27. George Beco

    Dalcim, analisando o aspecto mental dos jogadores, e vendo que o jogador mais jovem a ganhar uma final de Nadal foi Sam Querrey, que hoje tem 34 anos, você acha que esse Andy Murray atual é mais ameaça do que Medvedev, Tsitsipas, Zverev, etc, em uma eventual final de qualquer torneio?
    Lembrando que Murray já ganhou até final de Masters 1000 no saibro contra Nadal.

    1. José Nilton Dalcim

      Nas condições atuais, Murray nunca poderia ser um adversário mais perigoso, talvez com exceção da grama.

      1. juninho+Fonseca

        Na minha opinião vc está enganado Dalcim….
        Este Murray que hj já estamos vendo…tem nível de top 20!
        E eu acredito que ele ainda irá evoluir…se o físico deixar!
        Vamos ver ele amanhã contra o Felix…

  28. Valmir da Silva Batista

    DALCIM,

    A GOAT É SERENA WILLIAMS. Das tenistas em atividade, as que mais se “aproximam” do seu número de Grand Slam são sua irmã Venus, com sete conquistas, a belga Kim Clijsters, com quatro, e a japonesa Naomi Osaka, também com quatro torneios deste porte. Quanto a própria Serena, sabemos que ela possui a incrível soma de 23 Grand Slam. Obviamente, Venus e Clijsters, em fim de carreira, não têm condições de alcançá-la; já Osaka, com seus 24 anos, e as demais jogadoras com idade para competirem por bastante tempo ainda, terão que comer muita grama, poeira, borracha ou cimento( com o perdão do trocadilho ), se quiserem ostentar, por exemplo, míseros dez troféus de Grande Slam. Por isso, Dalcim, é que reitero, SERENA WILLIAMS É A GOAT…

    1. José Nilton Dalcim

      Eu já me posicionei algumas vezes aqui, Valmir, e para mim a maior de todas é a Navratilova. Aí é uma questão de conjunto da obra, de marcas impossíveis e de peso histórico. Mas é apenas minha opinião. Abs!

      1. Valmir da Silva Batista

        DALCIM, sim, entendo a sua generalização no que se refiere a tenistas de todos os tempos, mas você deve percebido que me pautei nas jogadoras em atividade, a exemplo do que se faz constantemente com relação ao Big3 do tênis masculino na atualidade, que, aliás, é o que pede a sua crônica em questão. Quanto ao geral no feminino, a respeito do qual você discorreu, eu também considero a Navratilova a melhor, em que pese ter vencido cinco Grand Slam a menos que Serena e quatro a menos que Graffi. Mas afora o fator números, considero que Monica Seles era, tecnicamente, melhor que Steffi, que Navratilova e que a própria Serena. Ela estava no auge de sua carreira, pois vencia regularmente tanto os jogos diretos contra Graf, quanto os torneios mais Importantes, quando foi esfaqueada nas costas por um fanático torcedor da alemã, além de ser quatro anos mais jovem, o que daria mais margem ainda para que a superasse em todos os aspectos do tênis…

        1. José Nilton Dalcim

          Discordo quanto a Seles, apesar de ter sido um fã incondicional. Seles na verdade era bem limitada na parte técnica, Valmir. Não sabia nada de rede. Mas tinha golpes incríveis da base, era muito agressiva na devolução e tinha um carisma incrível.

          1. Sérgio Ribeiro

            Então , caro Dalcim . Não esquecendo que seu Serviço não fazia cócegas nas Irmãs Willians com suas devoluções agressivas de dentro da quadra . 1 x 10 com Vênus e 1 x 5 com Serena . Abs!

      2. Samuel

        Acredito que antes de Serena Williams ainda estejam classificadas como melhores da história, além de Navratilova, também Graf, Margaret Court e Chris Evert.

  29. Ronildo

    Lamentável esta situação de assédio que a Raducanu está sofrendo. Ela é bem jovem, praticamente adolescente ainda, o que potencializa ainda mais os efeitos nocivos deste tipo de experiência maléfica. Lembro que no passado a Halep também sofreu assédio parecido e a baixa na carreira foi evidente.
    No caso da Raducanu, que cabeça ela vai ter para se concentrar no tênis quando tem sentimentos que sua integridade física está em perigo, esteja onde estiver? No caso, não estou me referindo às condições reais, mas sim aos sentimentos que ela pode desenvolver.

  30. Maurício Luís *

    O Del Potro é + uma vitima do próprio corpo, que por sua vez é vitima do esporte de alto nível. O Federer também, com o agravante que não dá pra fazer mágica aos 40 em matéria de recuperação. Joelho é uma coisa complicada. E no caso do argentino, tem o agravante que ele está falido. Triste ver uma situação dessas. É um homem grande, mas acima de tudo, um grande homem.
    ***** Bobeou, a gente PIMBA ******
    Engana-se quem acha que só a sogra do baloeiro é quem apronta. A sogra do Djoko, nem bem acabou a virada do Nadal pra cima do Medvedev, mandou essa musiquinha do Trio Parada dura pro genro querido:
    https://youtu.be/7wzFQ3ipHu0

    1. Fernando Brack

      O Ministério da Saúde adverte: praticar esporte em alto nível é prejudicial à saúde, podendo incapacitar permanentemente e até matar.

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, acho que é um parâmetro. Mas não pode ser avaliado pela frieza dos números. Teria de haver uma avaliação bem específica para cada caso.

  31. Fernando Brack

    Opa! Então autoridades sérvias confirmaram não ter havido fraude no teste de covid do Djoko? Interessante isso, porque há suspeita de que a fraude tenha ocorrido com a conivência das autoridades do país.

    1. Sérgio Ribeiro

      Exato , Brack . Incrivelmente tem pessoas de má fé neste fórum que dáo crédito a essas “ autoridades “ Sérvias . Aguardemos o pronunciamento de Novak Djokovic, e como o mesmo vai explicar como se “ livrou “ das graves acusações. Abs!

    2. Alessandro+Siqueira

      Se quisesse fraudar, faria logo o passaporte de vacina, mesmo sem vacinar, não? Ademais, até prova em contrário, a Sérvia é um país independente e soberano. Não vai ser sua fala que irá tirar o sistema de controle do país. Se quer tanta justiça, que tal falar do Robinho? Ele foi condenado definitivamente por ESTUPRO na Itália e tá aí, livre, leve e solto. E não tem ninguém negando a soberania do Brasil ao não deportar brasileiro nato.

      1. Fernando Brack

        Não sei o que passa na cabeça do Djoko. Ele de fato podia ter procurado outros caminhos para driblar as autoridades australianas, mas preferiu essa vai saber porque, né. A mim, ele parece um cara estranho em mais de um aspecto, a despeito de sua competência em quadra. A respeito da soberania de países, ser soberano não é sinônimo de ser honesto. O Brasil manifestou sua soberania ao não deportar o criminoso italiano Cesare Battisti, mas mostrou ao mundo ser uma tranqueira jurídica. A Sérvia não é nenhuma flor que se cheire em questões internacionais.

  32. Gildokson

    Delpo era grandioso, principalmente em nunca respeitar demais o Big 3 e Murray e sempre acreditar na vitória, com aquela direita monstruosa vai deixar saudades.

  33. O LÓGICO

    O Robozinho é realmente um fenômeno kkkkkkk. Mesmo estando à frente nos slams, não é considerado o GOAT kkkkkkkkk. E por quê? Porque é inegável sua UNIDIMENSIONALIDADE kkkkkkkkkkkkkkkkk. Se gostam de números e percentagens, verifiquem e constatem que “todos” seus recordes são função dos jogos na LAJE kkkkkkkkkkkkkk. E é tão incrível, que se houvesse finals na LAJE, ele teria uns 1O por baixo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Eu tenho uma dúvida LÓGICA kkkkkkkk: o que ele foi realmente fazer no vestiário? Trocar a cueca ensopada ou tomar um golinho de Chá Verde espanhol? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    1. Luiz+Fernando

      Sofre, sofre, e sofre um pouquinho mais, como eu disse, vc e alguns outros fanáticos adoradores de seita vão pagar todas as barbaridades e insanidades postadas aqui com juros e correção monetária, aliás já estão pagando kkk… Como os caras tão sofrendooooooooooooo kkkkkk…

      1. Rafael+Azevedo

        Não, Paulo F. Nadal tem mais slam fora do saibro do que Agassi: 8 a 7.
        Maior do que Nadal, fora do saibro, só Federer, Djokovic e Sampras…
        Nada mal para um saibrista unidimensional.

        P.s.: Só que, no saibro, distância do Nadal para esses é infinitamente maior.

          1. Sérgio Ribeiro

            Até que enfim , informadissimo P.F. Para desespero do Big Mac ( já citei aqui várias vezes ) , Agassi , Connors , Lendl , OITO SLAM e McEnroe SETE . Andre Agassi = 4 AOPEN + 2 USOPEN + 1 WIMBLEDON + 1 RG . Mesmo assim pra muitos o Big Mac jogou mais , ou seja, nem com estes houve unanimidade … Abs!

          2. Rafael+Azevedo

            Agassi tem 8 títulos de Slam, mas um deles foi em RG (saibro).
            Como sua comparação é fora do saibro, ele tem 7 títulos nessas condições, ao passo que Rafa tem 8.

    2. Rodrigo S. Cruz

      🤣🤣🤣

      “Golinho de Chá Verde espanhol” foi ótima!

      Como fez falta no blog esse Lógico e as suas sátiras geniais viu…

      Ô Lógico, vê se não desaparece de novo, cara. Tu me faz rir demais! 🤣🤣🤣

      1. Luiz+Fabriciano

        Não esperarei duas semanas para responder um comentário seu, fora do ponto, como sempre reclama o Dalcim.
        Faz falta por que só aparece para detonar Nadal ou não faria, se detonasse mais alguém?

  34. DANILO AFONSO

    Nobres, caso Nadal e Djokovic não sofram nenhuma lesão grave nos próximo 4 anos, acredito na possibilidade de ambos tenistas ultrapassarem a quantidade de títulos do Federer. Atualmente temos o seguinte quadro de títulos do BIG3:

    Federer – 103
    Nadal – 90
    Djokovic – 86

    Federer quando tinha a mesma idade do espanhol, 35 anos e 8 meses, detinha 91 títulos, apenas um a mais que o espanhol.

    Ao colocar todos com 34 anos e 8 meses e meio, idade atual do sérvio:
    Federer – 88
    Nadal – 86
    Djokovic – 86

    No comparativo de BIG TÍTULOS aos 34 anos e 8 meses:
    Djokovic – 61
    Nadal – 56
    Federer – 47

      1. Sérgio Ribeiro

        Acho que o Nobre não tem prestado atenção nas declarações do Espanhol. Pelo menos este não joga mais 4 anos exatamente devido a lesões crônicas . Abs!

    1. Gildokson

      Acho um pouco mais difícil isso Danilo, devido ao calendário deles cada vez mais enxuto. Esse atp 250 disputa pelo Nadal foi um mera exceção pra ganhar ritmo, outro fator importante é que nos torneios melhor de 3 eles tem mais adversários do que nos Slans, por ali a geração Tsi, Med e Zve vem mais forte.
      E na cerimônia do troféu não senti firmeza no discurso do Nadal em ele sequer voltar à Austrália ano que vem.

  35. DANILO+AFONSO

    Achei um vídeo legal do Nadal, então com 13 anos, faturando o título do torneio Petits As, o principal torneio júnior (12 a 14 anos) da Europa.
    https://www.youtube.com/watch?v=i_5V-Z3Rcdo

    Interessante vê-lo jogando, dando entrevista e distribuindo autógrafos assinando com a mão DIREITA.

    Ninguém ali sonhava que estava diante de uma das lendas do esporte.

      1. Arthur

        Bom, ele é destro, então não há grande notícia aí.
        Ele joga com a esquerda porque o Tio Toni disse que ele teria mais chance de sucesso se jogasse como canhoto.
        Mas ele não deixa de ser destro por conta disso.

    1. Miguel BsB

      Danilo, engraçado que o o pequenito Rafa diz que tinha perdido o torneio do ano passado pro Gasquet, e neste ano em que ele foi campeão o francês não pode ir, e na teoria era o favorito…
      Depois, no profissional, o francês virou um freguesaço do Nadal, e não chegou nem perto do número de conquistas do espanhol.

  36. Luiz Fernando

    Umbert terá uma grande oportunidade em Roterdã: como estreia contra o magistral Norrie, se vencer estará credenciado a vencer o evento…

  37. Samuel, o Samuca

    Dalcom,

    Como pode a Carolina Meligeni (25 anos, top 300) ser considerada zebra diante Brenda Fruhvirtova (14 anos, fora do top 1000) na final do hoje na Argentina. Pelo menos é o que consta nas bolsas de apostas. Será que a Carol está machucada? Ou o pessoal está maluco mesmo.

    Samuel, o Samuca

  38. Groff

    Demorei para entrar nesse comentário por falta de tempo, mas já tinha apresentado minha visão de que não é mais possível falar em “o” melhor, individualmente, mas em um bloco formado pelos maiores expoentes daquilo que é possível ter numa quadra de tênis. Você quer técnica? Os 3 têm, aos borbotões. Você quer jogo vistoso? Um deles tem o jogo mais bonito, provavelmente, que já se viu quando se leva em conta ao mesmo tempo a efetividade. Você quer garra? Um deles tem o maior coração da história do jogo e, quiçá, um dos maiores de todo o esporte. Você quer ver determinação, subida alucinante de nível e um grau de desenvolvimento técnico ímpar? Temos também ali. O BIG3 já se firmou como o panteão supremo da história do tênis até hoje e não será, como disse em outra oportunidade, superado. Apenas terminará sua dominância pelo decurso natural do tempo, ou seja, a geração atual só vai vencer com constância quando eles não estiverem mais em nível de competição.

    Dito isso, tenho sim algumas considerações sobre elementos, primeiro concretos, depois imateriais.

    Em relação a dados concretos, ou números frios nesse caso, se fosse para não sentar em cima do muro, diria que a competição teria de ficar, ainda, reservada a Novak e Federer. Não consigo colocar como GOAT isolado alguém que nunca venceu o principal torneio da ATP, por mais gigante que seja minha admiração por Nadal. Mas isso sou eu e o tema é polêmico. O que queria dizer na verdade é que minha convicção ficou menos, digamos, “ferrenha” com o novo recorde de slams para o espanhol. Só não é suficiente para mudá-la por completo. Com mais um ou dois RG, talvez tenha que repensar. Ademais, números para mim são circunstanciais e não são o mais importante na discussão. São apenas o elemento mais fácil de contabilizar.
    Sobre elementos imateriais, tenho uma impressão que dado nenhum consegue remover e essa é relativa à dominação do circuito. Entre 2004 e 2008, o circuito tinha um dono. Por mais incríveis que tenham sido temporadas como a do Nole em 2011, eu, pessoalmente, nunca vi nada parecido com o que Federer fez entre 2005 e 2007, principalmente. Era o mais próximo que eu consigo imaginar de um jogador imbatível. E ele não se restringiu aos “big tornaments”: disputava os torneios que queria e praticamente todos sabiam qual seria o resultado final. O ritmo e o nível que Federer impôs ao restante do circuito foi algo que precisou não de um, mas de dois dos maiores da história para um contraponto efetivo. Portanto, o que gostaria de dizer no tocante ao “impacto” exercido sobre o jogo, algo imaterial, totalmente intangível, que você teria que ter acompanhado para ver e entender, é que o nível que Federer impôs a todo o circuito não foi, até hoje, totalmente atingido. Física e taticamente, foi depois superado por Nadal e Nole, mas o nível técnico até hoje está aí, “quicando” no chão e esperando alguém tentar reproduzi-lo. E falo isso com a convicção de quem não “torce” por nenhum jogador em específico e cujos tenistas favoritos não incluem o Federer necessariamente no topo, pois como comecei a acompanhar tênis por causa de Guga desenvolvi uma tendência a gostar de quem domina as partidas com backhand de uma mão, razão pela qual, se tivesse que escolher favoritos, teria Guga e Wawrinka na parte mais alta, seguidos por outros jogadores que igualmente “tiram” a raquete da mão do oponente, como o Del Potro (mais sobre ele abaixo), independente do backhand adotado. Somente depois desses viria o Federer na minha lista de favoritos, que é formada por jogadores basicamente agressivos em sua natureza. Mas não consigo deixar de ver que, em termos de elevação do nível do jogo, Federer é o maior e mais talentoso jogador a empunhar uma raquete até hoje. E, nisso, acho que o Novak ainda fica um pouco atrás, porque se Federer teve que concorrer com monstros que o fizeram “suar”, Novak, bem mais novo, subiu seu nível até o ponto de bater Federer com consistência, mas não teve oposição qualificada de outros mais jovens. Isso independe, como afirmei, do que acontecer daqui em diante, pois o BIG3, repito, é supremo e não acho que ainda exista muito sentido em discutir quem dos 3 é “melhor”. A questão vai ser de preferência.

    P.S. estava escrevendo quando vi a notícia da aposentadoria do Del Potro. Todos que já me viram escrever sobre ele sabem da admiração monstro que tenho por Delpo e quanto gostaria de ter visto mais dele em quadra. Uma tremenda perda para o tênis, embora prenunciada há certo tempo.

    1. Daniel+C

      Groff, achei seu comentário o melhor até agora sobre esse debate. Em especial o retrato que você desenho daqueles anos mágicos do Federer em 2004-2007. Jamais se viu um domínio tão absurdo como aquele, não só na questão de resultados, mas na questão técnica. Fui sortudo de ter acompanhado tênis “arte” e agressivo de altíssima qualidade, aliado a resultados excepcionais. Mesmo que tenha sido o domínio de apenas um jogador, pra mim foi uma era de ouro do tênis.

      Parabéns pelo comentário certeiro e inteligente. Tenho nada a acrescentar.

      Abs

    2. R.P.

      Em 2008, Nadal doutrinou geral e Nole venceu AO. A dominância suíça “imbatível” foi no ápice da entressafra, fato, tanto q entre os 3, foi de longe o que menos precisou pontuar para atingir o posto de número 1.

      1. Groff

        Não sei se é “bot”, por não ter nome, mas vou tomar um tempo para responder, sei lá por quê.

        1. “A dominância suíça ‘imbatível’ foi no ápice da entressafra, fato.” Acho tão divertido quando esses fidalgos da internet chamam opinião de “fato”. Principalmente quando na tal “entressafra” o talento que desfilava em quadra era do quilate de Safin, Hewitt, Nalbandian, Roddick, grupo até hoje não superado por nenhum de épocas posteriores se excluído o BIG3 + Murray (Wawrinka também, talvez?). Sem falar que, à época, havia ainda um Agassi bem competitivo em final de carreira. Mas vamos lá: se aquele período era de “entressafra”, como devemos chamar o circuito, digamos, de 2011 para cá? Com competidores extremamente fortes do quilate do Raonic, Dimitrov, Nishikori e companhia bela? Vamos lá, responda com honestidade. Ficamos na espera.

        (Aliás, gostaria de uma opinião de gente séria agora: quem surgiu, além do Federer, de 20 anos para cá, que tivesse o mesmo talento bruto para jogar tênis que tinha o Safin? O DelPotro, talvez, se não tivesse sido tomado por lesões? Eu não consigo pensar em mais ninguém. De verdade e sem provocações.)

        2. “entre os 3, foi de longe o que menos precisou pontuar para atingir o posto de número 1.” Minha nossa, esse fugiu das aulas tanto de história quanto de matemática. A pontuação dos torneios sempre foi igual a hoje? Quando foi que a ATP “simplificou” a contagem, colocando o número de pontos à frente do título da série? Ah, foi em 2009. Mas, como você é bem inteligente, sabe que podemos julgar o passado com as mesmas regras de agora. Minha nossa!

        3. “Em 2008, Nadal doutrinou geral e Nole venceu AO”. Um jogador com mononucleose documentada se recupera aos trancos e barrancos e faz semi de AO, final de RG, batalha épica de 5 sets na FINAL de WB (para muitos o maior jogo da história) e ganha o USOpen. Três finais de Slam, uma semi e um título. Realmente, ele foi “doutrinado” ali. E ele, como um gentleman, nunca apresentou essa cartada para explicar resultados, como pra dizer: entrou em quadra, tem que “own up” o resultado. É cada uma que a gente tem que ler…

          1. Groff

            Negar a mononucleose é como dizer que o Novak não teve problema no cotovelo, quando todo mundo sabe que ele teve e o quanto ele deixou de ganhar por conta disso. Ou que o Nadal não teve problema no pé ano passado (que não se resolveu totalmente e talvez não se resolva).

          2. Luiz+Fabriciano

            Groff, o problema do cotovelo de Djokovic o fez perder jogos ganháveis e em seguida o afastou do circuito para cirurgia.
            Voltou, se reencontrou e teve a maior ascensão de um tenista no ranking, saindo do 18º para voltar ao #1 do mundo, recebendo até prêmio por isso.
            Nadal, com o pé, perdia jogos ganháveis (Washington DC), se afastou, voltou e faturou GS.
            A mononucleose fez Federer perder uma semi e uma final de GS (Djokovic e Nadal respectivamente) no referido ano. Não precisava de doença para perder desses dois. Além do mais, o próprio refuta essa desculpa.
            Saudações.

      2. Paulo Almeida

        Groff forçou demais com 2008 mesmo. O próprio Djoko teve um desempenho bem melhor ganhando Australian Open, Indian Wells, Roma e ATP Finals, enquanto o suíço ganhou “apenas” o USO. E obviamente o dono daquela temporada foi o Nadal.

        E como você já disse com outras palavras, os tais “domínio” e “mais elevado nível de tênis já visto” foram sem rivais à altura, diferentemente do sérvio em 2011 e 2015. Aliás, a temporada de 2015 continua sendo a mais dominante de um tenista na história.

        1. Groff

          Em que foi que eu forcei, Paulo? Eu falei que a temporada 2008 do Federer foi incrível? Não. Só apontei para o camarada ali que não houve “doutrinação”.

          Aliás, ninguém ainda respondeu minha pergunta, nem você. Abs.

          1. Paulo Almeida

            Você disse que entre 2004 e 2008 o circuito tinha dono no seu primeiro comentário e não no segundo, em resposta ao R.P.. E em 2008, como sabemos, houve a troca de bastão, com Nadal tomando o número 1 do Federer e conquistando seu primeiro year-end. Houve doutrinação na final de Roland Garros, a maior humilhação de um número 1 na história do torneio com míseros 4 games vencidos. Já as vitórias em Monte Carlo, Hamburgo e Wimbledon não foram acachapantes, concordo com você.

            Quanto à mononucleose, ela só foi percebida e afetou o suíço na primeira rodada de Dubai contra o Murray, segundo qualquer notícia documentada. Em Indian Wells, já estava bem de novo e caiu só na semifinal. Sinto muito, mas é uma desculpinha bem ruim da seita que você parece ter comprado.

            Você fala do Safin como maior talento bruto dos últimos 20 anos? Mais do que os próprios Djokovic e Nadal? Ah, para, né?

            Andei revendo uns bons vídeos do russo e constatei que ele era um baseliner de mão pesada tanto de esquerda quanto de direita, mudando muito bem a direção, além de bom sacador, devolvedor e passador. Agora variação com slice, drop e grande jogo de rede? De jeito nenhum. Bem longe de ser um super fenômeno, fora que não levou a carreira a sério, facilitando as coisas pro suíço.

            Ah, Nishikori, Raonic e Dimitrov (Berdych também) eram terceiro escalão dos adversários do Djokovic, diferentemente de Roddick, Hewitt, Safin, Blake, Davydenko, Nalbandian e outros, que eram do primeiro escalão dos do Federer na era 2003-2007.
            E ainda teve os 3 Reis Magos fazendo final de Slam. Não há comparação entre os verdadeiros rivais de cada um em seus períodos de domínio.

            Abs.

          2. Paulo Almeida

            Deixe-me classificar melhor os rivais históricos do Djokovic:

            – primeiro escalão: Nadal, Federer, Murray;
            – segundo escalão (não é depreciativo, apenas abaixo do primeiro): Wawrinka, Del Potro, Tsonga;
            – terceiro escalão: Berdych, Ferrer, Raonic, Cilic, Dimitrov e Nishikori.

            E hoje o sérvio já veterano tem Medvedev, Zverev, Tsitsipas no primeiro escalão, além do Thiem, se conseguir voltar à boa forma.

          3. Groff

            Mas, Paulo, eu até ia construir a resposta sobre 2008 com mais detalhes, porque para mim estava claro que o circuito tinha um dono, mas vou ficar no mais básico: se você acompanhou o tour no período, a maior parte da mídia, torcedores e imprensa especializada esperava não um novo domínio, dessa vez pelo Nadal, mas quando o Federer voltaria a vencer como antes. Essa era a grande pergunta no ar. E isso ACONTECEU. Como você pode falar em “troca de bastão”, aliás, se no ano seguinte o suíço fez quatro finais de Slam, venceu duas, retomou o número um e quebrou o recorde de Slams de até então? Troca de bastão foi de Sampras para Federer. De certa forma, de Federer para Novak, mas discordo do que você disse ali sobre ele ter passado para o Nadal porque esse último, exceto por 2012 (e ainda assim com ressalvas), nunca teve um domínio generalizado sobre o restante do circuito, apenas nos Slams.

            Agora, o que eu queria dizer é o seguinte: por que, em seus comentários, o Federer é na maior parte das vezes um “pangaré”, freguês, fruto da entressafra, etc., mas na hora de falar sobre rivais do Novak, por quem você torce, ele passa a compor o primeiro escalão dos oponentes ao sérvio? Qual a coerência (com todo o respeito que você sabe que eu tenho por você)? Aliás, o segundo escalão que você falou nem é exatamente esse. Faltou também falar de Ferrer, Fish, Tpsarevic e Almagro (entre outros), nada mais nada menos do que os componentes restantes do TOP10 da ATP em 2011, fora os que você já havia citado. Eu não acho que isso seja “entressafra”, porque chegar no Top10 é um feito em si, mas o que você acha desse grupo? E o que acontece se compararmos esses nomes à nata de 2009, só para ficar no ano de que falei (o da “retomada do bastão”)? Nem estou colocando a questão da diferença de idade do Novak para o suíço, sobre a qual já falamos várias vezes e a respeito da qual a gente vai continuar, respeitosamente, discordando. Abraços.

          4. Sérgio Ribeiro

            Como o Piloto sempre tenta “ enrolar “ seus seguidores rs . Troca de bastão ? O que houve foi o “ goat “ Paraguaio vencer seu primeiro SLAM e somente conseguir novamente em 2011 . Em 2009 o Craque Suíço retomou o Posto com o Big Four já formado desde 2007 . Na boa , P.A . Aos poucos estás se transformando num L.F . da vida . Só falta o “ ODEIO ROGER FEDERER “ . Não se conformou com a virada do Craque na FINAL do AOPEN 2017 . Abraçou o Sérvio como tábua de salvação e mesmo assim teve que aguentar o cara N 1 em 2018 aos 36 e1/2 . Convenhamos que a Turminha da Kombi diria no caso de Federer , somente venceu agora o AOPEN 2022 pelo fato de Novak ausente. E não é que estão caladinhos chamando o Espanhol também de “ goat “ kkkkkkkkk. Abs!

          5. Paulo Almeida

            Groff,

            Nadal começou 2009 vencendo o Australian Open em cima do próprio Federer (terceira vitória seguida em final de Slam) e depois conquistou Indian Wells, Monte Carlo e Roma. Aí se contundiu em Roland Garros, foi eliminado pelo Soderling e nem foi defender o título de Wimbledon, perdendo dessa forma o número 1 para o suíço. Entretanto, em 2010, ele retomou o topo do ranking e o domínio do circuito, vencendo 3 Slams seguidos. Acho que você se confundiu entre 2010 e 2012.

            De freguês e rei da entressafra (não fruto) eu chamo, mas não de pangaré, senão estaria dando um tiro no próprio pé, uma vez que classifico os Slams em que o Djokovic o eliminou como parrudos. Enfim, nunca perdi a coerência, apesar das provocações.

            Eu citei o Ferrer, mas Fish (apesar das duas finais de M1000), Tipsarevic e Almagro estão lá pro quarto ou quinto escalão, ainda mais porque foram pouquíssimos confrontos.

            Também tenho respeito por você e que bom que nossos debates são saudáveis.

            Abs.

          6. Sérgio Ribeiro

            E o Piloto continua com a estorinha da lesão de Nadal contra Soderling em RG 2009 . Tudo porque o Sueco jogou uma barbaridade e levou Nadal a DOIS Tie-Breaks pra merecidamente levar em 4 Sets ( repetiu a façanha no ano seguinte com Federer) . Rafa fez duas exibições depois de RG e se lesionou se preparando para WIMBLEDON . Escondes esses pequenos detalhes sempre com o intuito de protejer o Espanhol e desconstruir a excepcional carreira do Craque Suíço . Não cola rsrs. Abs!

      3. Sérgio Ribeiro

        Errado : Tínhamos mais vencedores de Torneios e Novak e Nadal caiam mais cedo principalmente nos SLAM desde 2006 . Rafa Nadal sempre foi um DESTRO treinado pra jogar como Canhoto pelo Titio Toni. Pelo visto “ R.P “ anda não era nascido pra repetir tantas groselhas rs . Abs!

        1. Sérgio Ribeiro

          Ps. A ” entressafra ” foi tão grande que o comedor de fígado ficou esperando 2011 pra voltar a vencer SLAM . E Rafa Nadal já era N 2 em 2005. Essa repetição orquestrada é mesmo típica de quem vivia em outro Planeta e nada estende da matéria kkkkkkkkk. Abs!

        2. Thiago+Silva

          O Nadal não é destro, é ambidestro. O Tio Toni treinou ele pra jogar com a mão esquerda porque era mais fácil pra ele bater com a mão esquerda, ele também chuta com a perna esquerda.

  39. Daniel Toledo

    Dalcim, depois fica a sugestão de fazer um post comparativo das características técnicas, físicas e mental dos 3 e no que cada um é melhor. Abraços!

  40. André Abelha

    Tremenda besteira discutir GOAT com os 3 ainda ativos. Ninguém sabe o que temos pela frente. Pura especulação. Aguardemos as aposentadorias e números finais. Aí sim poderemos ter uma conversa minimamente racional. Abs!

  41. Periferia

    Dor

    Creio que será permitido guardar uma leve tristeza (de não conseguir continuar)…e também uma lembrança boa (quando venci Nadal e Federer e fui campeão no UsOpen).
    Mas são apenas memórias.
    Agora um sentimento inexplicável de alívio ocorre…o corpo agradece.
    Assim como aquele “Manézinho” disse :
    “Vcs me desculpem…não é que não queira…mas não consigo mais”.
    Tenho limitações…terei que conviver com elas.
    Não consigo ficar sentado por muito tempo (nem de pé)…o futebol com a camisa do Boca nem pensar.
    É por isso que vou parar de jogar…porque estou com dores…aqueles movimentos executados milhares de vezes com prazer…agora não passam de estímulos enviados para o cérebro avisando que algo está errado.
    No fim descobrimos que o esporte destrói o corpo e dilacera a alma.

    La Torre de Tandil ficou de pé (com alguma dificuldade)…olhou para um lado…para o outro…e disse adeus.

    1. Miguel BsB

      Triste pelo Delpo. Tinha um coração do tamanho dele…o corpo o está maltratando assim como a sua marretada de direita maltratou os adversários. Grandíssimo jogador. Teria conquistado muito mais, com certeza.

    2. José+Yoh

      E para nós, a dor que fica é saber que não veremos mais aquele forehand destruidor.

      O esporte de alto rendimento tem um problema muito sério com a aposentadoria das estrelas. Fica uma impressão que não compensa a fama, o dinheiro, os recordes e as glórias. Imagine o que acontece com os que não conseguiram nada disso.

      Talvez por isso alguns talentos como Thiem estão ficando pelo caminho.
      Abs

  42. Luiz Fernando

    Delpo vai se aposentar pelas seguidas contusões, algo lastimável, esse de fato teve a carreira muito mais prejudicada que os demais grandes jogadores contemporâneos por contusões graves seguidas. Há algum tempo, salvo engano na transmissão da semi das Olimpíadas do Rio entre o hermano e Rafa, o próprio Guga comentou q o cara teria mais GS se não fossem pelos hiatos em razão das contusões, algo q é difícil contestar. Além do desempenho na quadra, era um cara simpaticíssimo, duvido q alguém tivesse restrições a ele…

    1. Arthur

      Pois e, Luiz Fernand
      Grande perda para o circuito. Delpo era um dos caras mais gente boa na ATP, além de ter um enorme coração e uma direita poderosíssima.
      Teria sido candidato a destronar o Big 3, ou pelo menos ser um “Wawrinka”, não tivessem sido tantas as contusões.
      Triste de todas as formas.

      Um abraço.

    2. José+Yoh

      As lesões fazem parte do esporte e determinam a maioria das vitórias e derrotas, LF. Pode reparar que se há um mínimo de equilíbrio na parte técnica, normalmente vence aquele que está menos machucado. Digo menos porque todos eles vivem a temporada com dores.

      Creio que faltou algo na preparação física do Delpo, e deve haver alguma condição genética também. Uma pena.

      Conheci jovens amadores que treinavam para serem profissionais. Com 14/15 anos, sofriam com lesões o tempo todo, fora as bolhas nas mãos e pés. Todos desistiram ao perceberem a dura realidade.

      Entre o Big 3 (e durante um tempo o Big 4), era nítido o revezamento dessa parte física. Quando um ou dois se lesionavam, o outro ganhava. E foi assim durante anos. Chegaram ao ponto de quase não participarem mais dos M1000 apenas para estarem inteiros nos GS. E assim conseguiram sobrevida na curta carreira de atleta.
      Abs

    3. Luiz Henrique

      Acho que o mais triste não é nem a aposentadoria, mas aquela história que o pai ferrou o patrimônio dele
      Pelo que entendi ele nem vai ter um “pé de meia” para prosseguir a vida
      É isso mesmo Dalcim? Foi o que me pareceu daquela história toda. Que terminaria a carreira sem dinheiro e com dívidas

  43. Thiago+Silva

    Eu sinceramente não dou a mínima pra GOAT, por mim que nem seja o Nadal, gosto dele por outras razões, mas hoje ainda considero o Djokovic o GOAT, os slams que ele ganhou foram até mais difíceis que os do Nadal, que os do Federer então nem se fala. E também o sérvio não vai dormir no ponto, ainda tá em ótima forma, se o Nadal com o pé quebrado conseguiu ganhar do Medvedev, o sérvio inteiro pode ganhar de qualquer um, só se vacinar.

  44. Antonio

    Esta questão não tem solução. A quadra preferida de Federer (grama) e a que tem menos torneios. Nenhum Master1000.! A quadra preferida de Djokovic e a que tem mais torneios (2 Slams, 6 Masters1000, etc.). No tempo de Borg, havia muito mais torneios na grama. Também tem de ver quantos dos duelos de Federer, Nadal e Djokovic ocorrem no auge de cada um. Pois o Federer e mais velho, assim, disputou mais partidas contra no auge do Djokovic e não no seu auge. Assim, estes pontos favorecem mais Djokovic e menos o Federer e o Nadal.

    1. Marcelo+Costa

      Então sobre a grama, não tem m1000, mas todo ano tem wb certo, e quantas finais o suíço perdeu em seu piso favorito? Se ele tivesse vencido a metade, teria qtos gs?
      Então essas correlações são passionais o que é compreensível, mas são facilmente refutadas, e se tivesse m1000 na grama, quem garante vitória ao suíço? Vide seu retrospecto contra o sérvio no piso?

      1. Sérgio Ribeiro

        Até tu , caro Marcelo ? . O Suíço possui DEZENOVE conquistas na Grama Sagrada seguido de Pete Sampras com DEZ . Somente depois aparece Novak com 6 e perdeu TODAS as Três FINAIS feitas em Torneios fora de WIMBLEDON. Como não acreditar em várias conquistas de Federer caso existissem MASTERS 1000 nesta superfície ? . Abs!

          1. Sérgio Ribeiro

            Assim fica feio , excelência. Sempre na espreita tomando partido o tempo todo . Acho que pra manter o magistrado deverias pedir conselhos ao Heitor rs . Ou seria , vice-versa kkkkkkkkkk. Abs!

        1. Marcelo+Costa

          O domínio do suíço na grama é notório, mas não indiscutível, diferente do domínio do espanhol no saibro, onde ele é soberano.

          1. Rodrigo S. Cruz

            Sim.

            Assim como é também notório o PUXA-SAQUISMO pelo Djokovic em praticamente todos os teus comentários que eu já li aqui…

      2. Gildokson

        Simples, vamos lá… Até 2012 quando o Federer venceu o sérvio na semi de WB, quantos títulos em torneios na grama o suíço tinha e quantos o sérvio tinha??
        Não precisa ser um gênio para deduzir que o suíço varreria os M1000 da grama até a ascensão de Djokovic neh? Vamos lembrar que até 2010 Djokovic no máximo ia até a semi de WB e perdia.

  45. Paulo

    Sérgio: No momento em que escrevi a informação era de que não tinha sido vacinado.
    E no teu comentário vc não escreveu que daqui a 10 dias a informação será outra.

    1. Sérgio Ribeiro

      A notícia de que o Biógrafo foi informado pelo seu Staff da vacinação, foi dada aos Austríacos e Eurosport e Bola Amarela mandaram ver . TenisBrasil aguardou e mandou outra versão que parece ser correta . Como Novak resolveu chamar pra si a responsabilidade e acabar de vez com o imbróglio, vamos aguardar os 10 , 15 dias . Mas a postura de Carlos Moya , é de quem já sabe que Novak não tinha outra saída . A conferir. Abs!

  46. sandra

    Dalcim, sei que você não gosta de polêmicas , mas estava vendo o mundial de surf , etapa de pipeline no Havaí ,acabou de ser campeão, mas o que quero dizer que ele e um anti vacina assumido,e no entanto está no Havaí aonde e obrigatório a vacina , será que vão libera ló na Austrália depois da confusão toda com Djokovic ? Obs , sei que nao e a sua area

  47. Rafael

    Dalcim, que tristeza…Del Potro vai aposentar…já to esperando uma postagem sua pra falar desse monstro do tênis. No mais, um sentimento amargo de ver um término de carreira assim…

  48. Gustavo

    Enquanto Federer detinha os principais recordes, os federistas usavam os números para dizer que ele era o goat (“xola mais”, “qdo o teu tenista tiver x grand slam volte a falar” etc) agora que ele não mais os detém, vieram com o papo de que a análise de goat é subjetiva…

    1. Sérgio Ribeiro

      Excelência tem noção de quantos Recordes imbatíveis o Suíço ainda possui ? . Seria prudente o meretissimo dar uma estudada . Essa sua pauta esta por merecer um agravo regimental . Que tal pedir um auxílio ao Nobre Heitor kkkkkk. Abs!

      1. Sandro

        Os recordes mais imbatíveis do Roger FREGUÊSer são:
        -FREGUÊSer perder TODAS a finais de Roland Garros contra Nadal!!!
        – FREGUÊSer perder TODAS as finais de Wimbledon contra Djokovic!!!
        Nisso o Roger FREGUÊSer é imbatível: ser o pato freguês predileto do BIG 2, Nadal e Djokovic, principalmente em Grand Slams!!! E quem é PATO, nunca será GOAT!!!

      2. Alice

        Eu não diria nada disso. Porque do jeito que às coisas andaram nos ulimtos 5 anos… E estão andando… Eu não duvido que Djoko possa bater muitos ou quase todos esses recordes “inquebráveis” do Federer. Ele já surpreendeu a todos, ao destroçar as 310 semanas como número #1, ao atingir 7 temperadas na ponta e ainda conseguir 20 Grand Slam… Que estavam totalmente fora de cogitação após o “sofrimento” do suíço para passar dos “17”..que ele carregou por um bom tempo. Na época o sérvio tinha apenas 5…de lá pra cá, foram só mais 15.

        1. Sérgio Ribeiro

          O Sérvio demorou a amadurecer e já N3 do Mundo em 2007 , somente foi vencer seu segundo SLAM em 2011 . Possui o mesmo número de SLAM e de FINAIS de SLAM do Craque Suíço , cara Senhora . Abs!

          1. Sandro

            Vc esqueceu de explicar para a “cara Senhora” que FREGUÊSer perdeu TODAS FINAIS DE WIMBLEDON para o sérvio Djokovic… Vai ser FREGUÊS assim lá em Wimbledon!!!

      3. Alessandro+Siqueira

        Quais recordes imbatíveis? 237? De fato, foram quase 4 anos sem ninguém lhe roubar a liderança, perdida de forma contundente no quintal de casa no Wimbledon de 2008. ATPs 250? Aí talvez. Fora isso, nos grandes títulos virou história. Ainda detém a primazia do finals, mas para nesse ponto: 6 a 5. Em Slam ficou para trás, em Master 1000 muito para trás, em premiação, em anos ma liderança etc, etc, etc.

        1. Sérgio Ribeiro

          Caríssimo do fake , digo , FaceTenisBrasil. Sem preguiça vá a recordes da ATP e de cara encontrarás o mais difícil : Semanas CONSECUTIVAS no TOPO do Ranking , N * de ATPs ( 103 ) , maior número de Vitórias, de Aces … deixe um despertador do lado pra não passar vergonha caso fiques cansado .. já ia me esquecendo : a primeira vez como N 1 ( 2004 ) e a última ( 2018 ) , imbatível na Era Profissional até hoje …. Abs!

          1. Luiz Fernando

            Vc precisa corrigir a ATP ou Google kkk: será q 103 títulos é maior do q 109? https://en.wikipedia.org/wiki/Tennis_players_with_most_titles_in_the_Open_Era;

            Será q 11000 aces é mais do q 13000? https://www.atptour.com/en/stats/aces

            Não se desespere Serginho, posta q ele tem mais 250tinha e ninguém contesta. Esses recordes q vc postou são secundários, onde está a vantagem nos principais itens? ELA NÃO EXISTE, pq vc não posta isso?
            Aqui é diversão, e sofrimento, garantidos kkk. Abs!!!

          2. Sérgio Ribeiro

            Aprenda a ler sem ficar nervosinho , caríssimo Tercerizete . Está claro no texto os que estão em ATIVIDADE. No caso o Big 3 . Mas números de Semanas CONSECUTIVAS e a diferença entre a primeira e última vez como N 1 ( 2004 -2018 ) e’ de toda a ERA Profissional. Assim como o número de FINALS … Abs!

          3. Sandro

            Nenhum desses seus números ridículos apaga o VEXAME do FREGUÊSer perdeu TODAS AS FINAIS DE WIMBLEDON contta Djokovic e TODAS AS FINAIIS DE ROLAND GARROS contra Nadal!!!

          4. Paulo Sérgio

            Você adora roubar recordes de outros tenistas. Situação está cada vez mais difícil com a perda gradativa dos recordes por parte do freguês suíço. Pelo visto, só vai sobrar o de “Miss Simpatia” após a aposentadoria de Nadal e Djoko.

          5. Alessandro Siqueira

            Como diria o Skank, bola na trave não altera o placar. Logo, só me atenho a gols. Do mesmo modo, atenho-me a números que interessam: SLAMS, FINALS, MASTERS 1000 e OURO OLÍMPICO. Como eventual critério de desempate, ATPS 500 e 250. Os números que me interessam, e interessam à ATP e a quem não procura pelo em ovo, não preciso consultar, porque sei cor.

        1. Sérgio Ribeiro

          Errado excelência. O mais importante jogador de TODA a Era profissional e o verdadeiro Embaixador do Tênis . Seu legado para o Esporte é inigualavel , Daí alguns contratos VITALÍCIOS . Abs!

          1. Luiz Fernando

            Tudo subjetivo, aquilo q um julga q é mais o outro menos, tudo contestável, mais ou menos como um falar q acha a Megan Fox mais bonita do q a Amber Heard ou o contrário. Mas num ponto vc está certo, Federer no momento é o embaixador, os outros dois hj são os presidentes do tênis…

          2. Sérgio Ribeiro

            Onde estão NÚMEROS que excelência disse que eram utilizados ??? . Sinto muito mas como julgarias qualquer causa , meritíssimo ?? . O fato de ser o mais importante jogador não depende de números, meu caro. O legado e’ a razão de ser inigualável ou não? . Abs!

  49. Paulo Almeida

    A diisputa entre Djokovic e Nadal pelo GOAT pode ser resumida NO MOMENTO a 150 semanas como número 1 (aproximadamente 3 anos), 2 year-end, 5 ATP Finals, 1 Masters 1000 e 2 vitórias no confronto direto A MAIS do primeiro VERSUS 1 Grand Slam e 1 Olimpíada A MAIS do segundo. Seria também interessante confrontar o Nole Slam e o Double Golden Masters contra o maior vencedor de um mesmo Major, enquanto o Double Career Slam não é mais critério.

    Vi muitas desculpas esfarrapadas e muitos “SE”, então vou citar os do Craque também:

    – SE ele tivesse descoberto suas restrições ao glúten antes de meados de 2010, poderia ter iniciado um domínio forte no circuito ainda em 2008 e não ter sido tão discreto em 2009 e 2010;

    – SE tivesse realizado a cirurgia no cotovelo no início de 2017, não teria deixado passar tantas chances até Wimbledon 2018;

    – SE não tivesse ocorrido a pandemia, seria favorito a Wimbledon 2020, seu negacionismo jamais teria vindo à tona e consequentemente não teria sido enxotado de nenhum torneio e terminaria sua carreira normalmente.

    Enfim, isso fica apenas no campo das suposições, já que o que interessa no final são os fatos.

    No aguardo de terceiretes reclamando por não terem sido citadas nas comparações, mas apenas nas entrelinhas das desculpas esfarrapadas, rs.

    1. Gildokson

      Tu esqueceu de falar que o Nole detém o recorde de GOAT mais rápido da história do tênis kkkkkkkkkkkkk
      Na verdade ele conseguiu ser o Greatest Of All Semester
      kkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Abs!!!

    2. Carlo Von

      – Se tivesse se vacinado,
      – Se nao tivesse dado bolado em juíz de linha,
      – Se nao tivesse falsificado documentos.

      Me parlece que o ídolo da ala adolescente com 13 anos e meio do blog só enxerga sua paixao irracional, pois nemhuma das acoes acima dependeu de fatores externos. Foi só dele mesmo.

      Além disso, e como em todas as drmais árras da vids, os critérios para se definir algo estâo numa constante evolução, e hj nao podemos citar apenas números para caracterizar o goat:
      – ha criterios subjetivos, como alcance de seus feitos, carisma, influencia r carater, dentre outros. E a lesma sérvia nao é TOP 50 em nenhum deles (até falsificaçao de documentos ele fez!).

      E são esses fatores (falta de engajamento, carater e rmpatia), retira o sérvio da discussão pelo GOAT:

      – o sérvio nâo é postulante a goat, mesmo seus númrros o quaificando para tal).

      Ru lamento a situaçao acima e creio todos aqui do blog também lamentam (até as duas pers9nalidades do nosso amigo sumifmdo R.Leme também lamentam).

      E é por essas e outras que a formiga atômica sérvia nao consegue avançar na questao GOAT, por mais números que ele consiga fazer.

      Lembrando que só ele tem o título de covidiota do ano.e com a pataquada da Australia, corre o risco de ser o único tenista da face da terra a fechar o *double covidiot Slam*. Se ganhar, eria o maior feito da carreira do servio.

      1. Paulo Almeida

        Ainda bem que você não apita nada pra definir o GOAT, né, novato Carlo Von ou Carlo Pois Eh?

        Tudo que o sérvio fez dentro de quadra subjugando seus rivais sempre falará mais alto do que as más atitudes. Pode expelir todo o ódio acumulado; não faz a mínima diferença.

        O Rubens Leme só está tomando um suco de maracujá e voltará bem antes de 2023, provavelmente no próximo título do Palmeiras. Fique tranquilo.

        P.S.: Da próxima vez, digite com menos afobação, pois foi muito difícil entender seu texto cheio de erros de digitação.

        Abs.

        1. Carlo TL 1600

          Não.. ele não é o Johnny Cage do Mortal Kombat para subjulgar ninguém. Trata-se apenas de mais um covidiota… Lamentável, pois poderia ter todos os recordes e ser reconhecido como tal.

          Pode chamar como quiser Carlo V.W., pois é, sedan, ou mesmo de Carlo TL 1600. Você decide!

          Quanto ao sorvete sérvio de palito, só bastaria não ser uma persona non grata… Mas como disse, os fãs se enxergam nele por alguma razão. Que sejam felizes junto ídolo. Apenas não insiram ele na discussão do GOAT, pois ele lamentavelmen te não reune condições morais para tal.

          ;- D

          1. Paulo Almeida

            Ah, é o Belgrado Fa, Carnowagen, Carnaval etc.

            Dessa vez você me enganou, pois geralmente era só ácido e dificilmente agressivo e odioso, como nas últimas postagens.

            De fato o Craque não julga e nem “subjulga” ninguém; ele apenas subjuga, doutrina, oblitera, massacra, aniquila etc etc. : – D

            Abs.

      2. Rodrigo S. Cruz

        Hahahahaha 🤣🤣🤣🤣

        “Double Covidiot- Slam” 🤣🤣🤣🤣

        Genial…

        Essa foi a melhor do ano até aqui 🤣🤣🤣🤣

    3. Rafael+Azevedo

      Os critérios de M1000 e o h2h, eu considero um empate técnico. Essa diferença de 1 Master entre quase 40 para ambos e 2 partidas entre mais de 50 disputadas é irrelevante, diante dos outros pontos.
      O slam a mais de Nadal é um ponto muito forte para o espanhol, mas acho que a grande distância nas semanas a como número 1 e no Finals, ainda superam, em favor do sérvio (principalmente, pelo fato de Nadal não ter nem 1 Finals sequer).
      A maior diversidade nas conquistas também conta a seu favor (6 WB, Double Career Golden Master, etc.), mas com um peso menor.
      Porém, o que o definiu como GOAT para mim, foi a semi de RG 2022. Aquela partida foi uma declaração épica do Djokovic nas palavras: “eu sou o melhor!”. Para superar isso, Nadal vai ter que conquistar algo épico, em relação a Novak (tomar uma vantagem grande no número de slam, conquistar o career slam, vencer Djokovic na Austrália, vencer o Finals – isso é épico para o Nadal, etc.).

      1. Paulo Almeida

        Muito bem colocado, nobre Rafa.

        Você já tinha falado acerca dos confrontos na Austrália e poderia ter havido muitos outros, de modo a termos uma amostra mais significativa, como já ocorre em Roland Garros. Djoko ficou esperando o Nadal em 2008, 2011, 2013, 2015, 2016, 2020 e 2021, enquanto este aguardou o sérvio em 2009, 2014, 2017 e provavelmente o embate teria ocorrido agora também. Acredito que Novak levaria boa vantagem, mas é bem possível que tivesse perdido pelo menos duas. Enfim, você estava correto e esse título não tem asterisco algum; seria o mesmo que anular Rolanga 2016.

        Vamos torcer para que se enfrentem pelo menos mais uma vez por lá (desde que o sérvio se vacine).

        Abs.

      2. Sérgio Ribeiro

        Entendi . Tipo bater o então “ Rei da Grama “ Pete Sampras no quintal de sua casa no All England Club com apenas DEZENOVE anos . A coisa foi tão séria que Sampras se aposentou sem vencer mais nenhuma . No ano seguinte caiu na primeira rodada e depois venceu o USOPEN 2002 . Abs!

  50. José+Yoh

    Pelos números tão parelhos (não ignorem o Finals nem o tempo!), cada um escolhe o GOAT que quiser.

    Sempre achei muito injusto comparar épocas diferentes. Principalmente porque a tecnologia e as condições de jogo mudam muito rápido. Mas também porque há muita paixão envolvida.

    A competição pelos recordes também inflacionam os números. Se Federer parasse nos 15 slams, Djoko e Nadal provavelmente parariam antes, nos 17, ou 18 slams. O circuito é muito duro. Se Federer viesse depois, penso que teria mais slams que os outros dois. São pessoas extremamente persistentes e resilientes.

    A única certeza que tenho disso tudo é que eu prefiro assistir a um jogo do Federer, ganhando ou perdendo. É como ver sua banda preferida tocar o estilo de música que você mais gosta.
    Abs

  51. Artur+Santos

    Com certeza a disputa está entre Djoko e Nadal….Federer está uns 02 passos atrás sem dúvida.
    Torço para o Nadal, mas acho que o Djoko termina na frente.

    Djoko com certeza está na frente se olharmos para a quantidade de títulos de Slam que ganhou e semanas que permaneceu como número 1 mesmo com os outros dois disputando praticamente a mesma altura.

    Federer ficou um longo período como número 1 quando Nadal estava dando os primeiros passos e Djoko também….assim queno Djoko subiu de nível o Federer ficou muito pouco como número 1.

    Do lado do Nadal pesa que ele esteve a mais tempo entre os 02 primeiros e as semanas consecutivas entre os 10+.

    Vejo o Djoko a frente do Nadal, mas ainda dá para o Nadal alcançar…. já o Federer vai ficar mesmo com o 3° lugar, afinal não deve voltar a conquistar grandes títulos depois desse problema que vem enfrentando. E também a maioria parte do sucesso que obteve foi antes dos dois estarem em alto nível.

    Pra finalizar, a análise que pesa 70% é a quantidade de Big Títulos, no site da ATP TOUR tem esse cenário…..Djoko lidera e Nadal vem atrás!

    Ótimo artigo Dalcim…. parabéns!!

  52. José Eustáquio Masculino Cruz

    Boa tarde.Mestre Dalcim eu acho isto muito subjetivo estes números são jogadores diferentes pisos diferente.Mas fico com Nadal pela sua luta não que os outros não lutam mas ele se recusa a perder.Djokovic sinceramente não simpatizo com o jogo dele apesar de ter feito grandes feitos.eu como torcedor do Espanhol fico com ele como o primeiro.Mas Federer sem dúvidas para mim ao menos um cara como ele dificilmente vai jogar a bonito eficiente então ele para mim é o GOAT!

  53. Marcelo+Costa

    Imagine ser contemporâneo de Usain bolt, Phelps, Schumacher, Hamilton, Tiger Woods, eles foram imensamente superiores a seus adversários, agora imagine o mesmo cenário com três gênios como os citados, competindo simultaneamente por mais de uma década, ou seja, não há rivais a eles, que não eles próprios. Ficar diminuindo os adversários, com entresafra, geração fraca, leão de atp 500 e todas as outras formas para menosprezar tenistas excelentes, que deram azar de enfrentar três bolts três Hamilton, ou três Woods.

      1. Jose Yoh

        Perdao Fabriciano, mas Borg e Laver (talvez Sampras) entram muito bem nesse grupo citado.
        A história do esporte nao poderia ser escrita sem esses nomes, entao muito além dos números eles entram nessa discussao do GOAT.
        Abs

          1. José+Yoh

            Então acho que podemos mudar de “Greatest Of All Times” para “Greatest Of Last Decade”.

            Soa até melhor: GOLD.

            Os últimos sempre terão melhores números, não parece óbvio??? Alguém de 30 anos atrás nunca terá os recordes.
            Abs

          2. Luiz+Fabriciano

            Não creio que os últimos sempre terão números melhores.
            Duvido que a história conte novamente algo como o Big3.

          3. José+Yoh

            São poucos esportes onde os recordes sobrevivem 30 anos, Fabriciano. E agora, não entendo bem o porquê, os atletas estão conseguindo alto desempenho com 35, até 40 anos. Nos próximos 30 anos, devemos ter os tops chegando aos 45 anos e jogando bem. E os grandes nomes vão ganhar cada vez mais, e poderão investir mais na própria longevidade como atleta. Há atletas bilionários hoje em dia (um bilhão de dólares faz muita coisa).

            O interesse do esporte em criar novas lendas é outro fator importante na quebra dos números. Sem novos nomes, o esporte não sobrevive. Sempre haverá sutis favorecimentos políticos para que isso ocorra.

            Pode estar certo que esses recordes serão batidos nos próximos 20 anos no máximo.
            Abs

        1. Luiz+Fabriciano

          Yoh, continuando seu último comentário:
          o esporte prevalecerá… sempre.
          O que quis enfatizar foi que duvido muito, que no tênis, veremos novamente três tenistas detentores de mais de 60 GS acumulados entre si, atuando na mesma época, como o Big3. Veja que você colocou próximos 20 anos. É extremamente curto para isso. Tinha que começar hoje, kkk.
          As conquistas desses três, em GS, M1000, semanas em liderança etc dá para dividir por todos os demais tenistas ranqueados e ainda sobrar alguns para eles.
          Grande abraço.

          1. Jose Yoh

            ah, isso vai ser difícil mesmo. Os recordes podem ser quebrados, mas 60 slams repartidos em 3 malucos, aí é querer muito.
            Por isso temos de curtir ao máximo.
            Abs

  54. Ronildo

    Exatamente

    Pelos dados técnicos e números da carreira, Federer é o Goat, Nadal o Guat e Djokovic o Guatchí.

    Porque apenas 1 pode ser o Goat, e Federer chegou primeiro.

    É uma questão de preferência justa.

      1. Sérgio Ribeiro

        Tá cheio de marra , não é mesmo L.F . ? Está contando RG como certo ? Onde foi parar o teu ” goat ” do momento de duas semanas atrás ? . Nunca aprendestes nada com o tempo. Quero ver tua pose depois de Paris . Ainda em 2013 dizias que o Suíço somente venceria ATP250tinha kkkkkkkkkkkkkkk. Abs!

        1. Luiz Fernando

          Serginho, não adianta vcs chorarem, hj não dá mais p defender Federer como GOAT, só na base do fanatismo ou do “eu acho”. Vamos pro q é objetivo, ou seja, o q é incontestável, resultados, o chamado “preto no branco”:
          – Tem maior numero de GS vencidos? Não, é o Nadal;
          – Tem mais M1000 vencidos? Não, é o Djoko;
          – Tem Golden Slam em simples? Não, é o Nadal;
          – Tem maior número te torneios vencidos? Não,é o Connors;
          – Tem mais semanas na liderança do ranking? Não, é o Djoko,
          – Tem mais anos terminados como número um do ranking? Não, é o Djoko;
          – Tem mais Big Titles vencidos (finals incluídos)? Não, é o Djoko;
          – Tem algum GS vencido com numero de 2 dígitos? Não, é o Nadal;
          – Tem M1000 vencidos com número de dois dígitos? Não, é o Nadal.
          – Tem H2H favorável frente aos principais adversários? Não;
          – Tem ao menos 2 títulos nos 4 GS? Não, o Nadal e o Djoko tem;
          – Venceu os 4 GS seguidos, de forma sequencial? Não, foi o Djoko.
          Vai chorar na cama q é quente. Abs…

          1. Sérgio Ribeiro

            És uma criança mesmo , e imatura como ninguém. O comparativo e’ somente com cada um . O guri pega o melhor até de TRÊS pra comparar . Na boa , escolha Nadal ou Novak como “ goat “ . Connors se lê-se , tanta bobagem , ia achar graça da figura . Afinal quem vence RG 2022 caríssimo terceirete ??? . Abs!

          2. O LÓGICO

            REBATENDO A SOPINHA DE LETRAS DO L FELINO kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

            Aspectos OBJETIVOS:

            Tirando W, Roger tem 6 AO, 5 USO, 1 RG, 6 finals = 18 títulos fora do piso predileto.
            Tirando RG, O UNDIMENSIONAL tem, 2 W, 2 AO, 4 USO, 0 finals kkkk = 8 títulos fora do piso predileto kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
            – Roger tem muito mais semanas na liderança e bem muito mais semanas consecutivas na liderança que o robozinho kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
            – Atentem: Roger foi supremo em algum momento no circuito, assim como o Djoko, tanto assim que se discute quem dos dois teve a temporada no circuito mais exuberante. E o Robozinho??? kkkkkkkkkkkk
            – Roger tem mais títulos no circuito kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
            – Roger é recordista em W, Finals e USO (juntos com outros dois tenistas). E o Robozinho? Só na Laje kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

            Aspectos estéticos: o tênis do robozinho fede na presença do arquetípico tênis do Fedex kkkkkkkkkkk
            O GURU não está errado: o robozinho, desde 2010, vem tentando imitar o jogo do Fedex (usando slices kkkkk), então, reconheço que ele se tornou uma IA mais sofisticada kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

            Entuba essa L Ferdando kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        1. Sérgio Ribeiro

          Difícil saber qual dos dois baba mais ovo rsrs. Também pudera ambos trocaram o Touro pelo Sérvio, e agora estão voltando atrás. O Nobre Danilo garante que ele não volta kkkkkkkkkk. Abs!

          1. Paulo F.

            Eu nunca troquei o Djokovic pelo Nadal e o nobre Luiz Fernando nunca trocou o Nadal pelo Djokovic.
            Tu pode mais do que inventar coisas, Sérgio.

          2. Luiz Henrique

            Durante um tempo eu troquei o Nadal pelo Djoko pro sérvio ajudar Nadal a passar o Federer batendo este último nos slams
            Mas o plano meio que saiu do controle kkkkk

    1. Carlos Reis

      Sim, o GOTI é o Federer. Maior craque desse esporte, vencendo 20 GS jogando no ataque. Nadal e Djoko são competidores melhores, e o último citado não é otário o suficiente para acreditar CEGAMENTE no Sistema Maligno que nos governa. O Big 3 é incrível, seus torcedores, não!

      1. Fernando Brack

        Djoko é otário o suficiente para acreditar cegamente em sua crença imbecil e sem qualquer fundamento, e isso o fez perder um Slam que muito provavelmente seria dele.

  55. Luiz Fernando

    Esqueci de postar: enquanto Rafa abraçava e mordia a taça de campeão do AO, um determinado jovem jogador canadense provavelmente abraçava o… ursinho kkkkkkkk…

  56. ASE

    Precisamos considerar que Rafael Nadal o primeiro RG que competiu em 2005 já ganhou. E o único que tem 13 do mesmo GS, e detalhe, no piso mais difícil de competir. Então, são muitas variáveis a serem analisadas.

  57. sandra

    Dalcim ,não sou médica e sei que você também não , mas o que esses jogadores fazem para pegarem COVID toda hora ? Agora foi o Dimitrov, pelo que sei , segunda vez ! E nós simples mortais temos medo de pegar uma vez que seja ! rssss

    1. Sandro

      A única coisa que os tenistas e outras atletas em geral fazem para pegar CORONA VIRUS com frequência é RESPIRAR… Por que basta vc respirar para estar a apto a se infectar com o CORONA VIRUS. A diferença dos atletas pra vc Sandra é que eles sempre se testam pra COVID para poderem competir e por isso volta e meia testarão positivo. Se começar a se testar para COVID SEMANALMENTE, a probabilidade de vc testar posotivo é maior. Muitas pessoas estão infectadas por Corona Virus, porém, assintomáticas, mas não se testam com a mesma frequência dos atletas e por isso nem sabe que estão infectadas.
      Eu mesmo, se me testasse para Covid todas as Segundas-feiras já poderia ter dado positivo várias vezes, mesmo sendo assintomático, afinal de contas eu respiro e o Corona Virus pode entrar pelas minhas vias aéreas a qualquer momento,a não ser que eu fosse um escafandrista e andasse com um capacete e um tubo de oxigênio o resto da minha vida.

    2. Luiz+Fabriciano

      Muito interessante os danos causados pela COVID atualmente.
      Depois de 2 anos, ela chegou em minha família.
      Nesse momento, estou no 6º dia, minha esposa, meu pai de 82 anos, meu sogro, minha sogra, minha irmã, meu cunhado, todos de uns 15 dias para cá e graças a Deus, o máximo que aconteceu foi ficarmos isolados e distantes dos demais.

      1. Willian Rodrigues

        Graças às 2 ou 3 doses das vacinas a que boa parcela da população já teve acesso!!
        Evidências são tão fortes que, mesmo de forma empírica, sem a existência de qualquer tipo de controle do método como numa pesquisa, podemos perceber.
        E ainda há quem critique as vacinas de forma veemente…

  58. Ruy+Machado

    Os números mostram o quão parelho é a disputa do Big 3. Nesse momento, não vejo um GOAT definido. Mas a tendência é o Federer começar a ficar para trás por causa da idade e da última lesão, que não deve permitir mais fazer uma temporada regular.
    Enquanto Djokovic conseguiu se manter saudável e regular por anos (salvo um período entre meados de 2017 e início de 2018 com uma problema no cotovelo, se não estou enganado) Nadal foi o cara que mais sofreu com as lesões. Poucos foram os anos em que terminou uma temporada saudável. Não tenho dúvidas que comprometeram muitas semanas como líder do ranking, M1000, e GS. Tudo que era conquistado no primeiro semestre, era quase que subtraído no segundo. Em contrapartida, enquanto esteve em quadra, seu aproveitamento foi (é) espetacular! Veremos como vai se portar seu físico esse ano. Como disse o caro LF, Nadal voltou a treinar. É muita loucura, não é possível! Não poderia descansar mais uma semana? Rsrsrs
    Parabéns pela coluna, Dalcim. Sabe, como ninguém, criar conteúdo para gerar centenas de comentários… Comparações entre o Big 3 é o que o povo gosta! Hahahaha Abc

  59. Fátima Caiado

    Bom dia, a ordem correta para chegar aos 20 grand slams foi Federer, Nadal com RG 20 e Djokovic com WB 21. Agora Nadal isolado com 21 no AO 22. Sou nadalista, mas acho essa discussão sobre GOAT é menor ao depararmos com história do tênis ocorrendo com tudo que os três já fizeram. De qualquer forma, o que acho mais estranho disso tudo ainda, foi que na época que o Federer estava louco para quebrar o recorde do Sampras lá em 2009…. há anos SÓ o que importava era o número de grand slams….e agora muda??? E olha que o Sampras nunca ganhou RG. Eu quero mais é curtir muito tenis…doida pra estar no Rio Open semana que vem desde o qualificatorio e muito feliz pelo que o Rafa fez domingo….INDESCRITÍVEL em n aspectos. VIVA O TENIS.

  60. Periferia

    Os Números

    Nós primórdios dos tempos…logo após serem inventados pelos humanos…os números viviam uma confusão…todos procuravam argumentos para serem os maiores e melhores.
    O Zero por ser mais gordinho acreditava que merecia mais.
    O Um…por praticar uma dieta rígida e ser magro…achava que teria um reconhecimento maior pelo sacrifício…afinal foram anos de chia na comida.
    O Nove vivia olhando com desdém para o seis…acreditava ser mais inteligente…afinal tinha a cabeça maior…era o Gilmar Mendes do “tribunal” numérico.
    Ao mesmo tempo o Seis que tinha uma autoestima forte…vivia olhando para o espelho…para ele…sua barriga…em algum momento faria a diferença no mundo da matemática…era questão de tempo e chopp.
    O Oito era bem definido…partes superiores e inferiores eram iguais…com certeza fazia musculação na Smart Fit.
    O Dois era mais confuso…não sabia para que lado ia…vivia perdido…era o único que fazia análise…mesmo assim era perdido e inseguro…não parava de pensar…vacina ou não vacina….
    Cada um deles se julgavam importantes…será que são tão importantes assim?
    Ou até os números sofrem com vaidade ?….

    1. José+Yoh

      Periferia sempre criativo. Muito bom o texto!

      Números são importantes para estabelecer critérios, mas não para definir títulos subjetivos (e temporais) como o GOAT. Dizem quem pode ser mas não dá para cravar quem é.

      Senão uma eleição qualquer como a Bola de Ouro ou o MVP da NBA não teriam jurados. Era só pegar os números.
      Abs

      1. Periferia

        Olá Yoh….

        Resumiu bem…
        ” É como ver sua banda preferida tocar o estilo de música que você mais gosta”.

        É isso aí…

        Abs

  61. Vinícius Benedito custódio

    Dalcim como tá sua expectativa sobre a volta do del potro?sabemos que não será como antes, acho que nem ele espera isso de início, principalmente pq tem que testar o joelho e tudo mais, será como foi na segunda volta que ele demorou para bater com mais consistência a esquerda com as 2 mãos por causa do pulso, mas vc tá animado com a volta?ele no Brasil semana que vem se confimar será incrível né?o grande nome desse mês de fevereiro né? Pois geralmente é meio morno em fevereiro no tênis né?

    1. José Nilton Dalcim

      Saibro certamente não é o melhor piso dele, ainda mais ao nível do mar, onde a bola anda pouco. Mas ao mesmo tempo protege um pouco mais os impactos, apesar de o deslizamento ser sempre um ponto de instabilidade. Na verdade, se ele jogar bem e solto, já vejo um grande lucro, Vinicius. Vai ser emocionante, sem dúvida, porque é um cara realmente gigante.

    2. Willian Rodrigues

      Com muita tristeza, o mundo do tênis recebe a notícia de que esses dois torneios servirão como uma despedida oficial para Delpo.
      Alegação de que já não possui mais qualidade vida…
      De acordo com a entrevista publicada no TenisBrasil, o maior problema é no joelho.
      Realmente, uma pena…

  62. Arthur

    Só pra adicionar pimenta nesse teu acarajé, Dalcim, olha só que louco isso aqui:
    https://twitter.com/BastienFachan/status/1489762199119794176
    Botaram um programa pra fazer uma simulação do que teria acontecido desde 2003 nos Slams caso nunca houvesse existido o Big 3.
    Os critérios para definir os ganhadores foram:
    1. Last non-Big 3 player standing
    If tied:
    2. Winning H2H on the surface
    3. Ranking
    Se isso tivesse acontecido, o Murray – veja só – teria ganhado nada menos do que 17 Slams, hehehe…

    Um abraço.

      1. Marcos

        Pelo menos o Murray pode dizer que tem mais medalhas de simples que os 3 juntos. E que os Big3 podem ser os melhores da história, mas em 2016 foi ele. Kkkk

  63. Arthur

    Acredito que a melhor interpretação para o seu post, Dalcim, é o do quão inútil é tentar estabelecer critérios objetivos/numéricos para definir o tal do GOAT.
    Do ponto de vista matemático, haveria argumentos para defender que qualquer um do Big 3 poderia ser o GOAT. Basta dar peso maior a um critério (H2H, por exemplo) do que a outro (número de Slams). Mesmo antes de chegar ao 20º Slam, os torcedores do Djokovic poderiam argumentar nesse sentido, da mesma forma que os torcedores do Nadal também poderiam fazê-lo antes de ele ter ganhado o último AO.
    Como já disse alguma vezes por aqui, acho essa história de GOAT uma grande bobagem, que só serve pra gente como o Wilander ficar fazendo hype nas transmissões. Não dá pra comparar tenistas de épocas diferentes, estilos diferentes, de idades diferentes, vivendo em épocas diferentes.
    Aliás, o próprio Federer parece já ter se dado conta disso há algum tempo e parece estar literalmente c….. e andando pro recorde que era dele.
    Vide a última aparição, na qual ele saúda abertamente o 21º Slam do espanhol.
    E quer saber?
    Se a gente fosse realmente usar critérios matemáticos para definir quem é o GOAT, gostaria de saber como poderíamos deixar de fora do topo desse ranking o Roy Emerson, que tem 12 slams em simples (com double carreer Slam) e 16 em duplas (com TRIPLE carreer slam). De quebra, muitas vezes ele ganhou o mesmo torneio, NO MESMO ANO, em SIMPLES E EM DUPLAS.
    É mole?

    Um abraço.

    1. Daniel+C

      Exatamente, Arthur. O Federer tem claramente dado sinais de que não liga para os recordes, então por que os fãs dele deveriam ligar? É tudo uma grande bobagem, exceto para alguns marmanjos com mentalidade de adolescente que gostam de afirmar que o ídolo para quem torcem é o “maioral” para satisfazer o ego.

      Não nego que no passado, eu dei muito importância para recordes e números, mas felizmente amadureci e percebi que é besteira. O que vale mesmo é o legado do suíço e ter tido a sorte de acompanhar um tenista como ele. Continua sendo o melhor que vi no meu caderno mesmo sendo ultrapassado, por critérios que pra mim fazem sentido (e que entendo que não façam sentido para os fãs de Nadal e Djokovic). Vida que segue e cada um seja feliz com suas crenças.

      Mas de uma coisa eu tenho certeza. Que o Djokovic é disparado o pior dos 3 nas atitudes dentro e fora das quadras. Por essa questão, Federer e Nadal merecem muito mais os maiores recordes de tênis. Se não for assim, azar do tênis, e resta aguardar que um dia no futuro tenhamos um “maior vencedor” com comportamentos dignos dessa posição.

      Abs

      1. Valmir da Silva Batista

        DALCIM, faltou você aludir aos confrontos diretos entre Nadal, Federer e Djokovic. Sei que o placar entre Djokovic e Nadal está 30 a 28 para o sérvio. Quanto a Djokovic/Federer, não sei quem ostenta a vantagem, e sobre Nadal/Federer, a única coisa que sei é que Rafa tem boa vantagem. Discorra a respeito, por favor…

        1. José Nilton Dalcim

          Acho que o h2h entre os três é bastante equilibrado, principalmente se avaliarmos a questão essencial de pisos.

    1. Sandro

      Ouro Olimpico não faz diferença nenhuma!
      O que vale mesmo na carreira do Nadal são seus 21 GRAND SLAMS e 36 MASTERS MIL,isso sim é que imoortante na carreira do Nadal!
      Zverev tem o ouro olímpico, mas até agora faltou fôlego para ganhar um Grand Slam.
      Marc Rosset, Miroslav Mecir, Nicolas Massu… Todos tem ouro olímpico, e daí???
      Nadal é o que é pelos seus 21 Grand Slams e seus 36 Masters Mil !!!

  64. Alexandre

    Dalcim,
    Acho que dá forma que foi colocado no seu post temos um empate técnico entre os três. Pois o q percebi é que para ser o melhor de todos os tempos, precisa de:
    – ter mais slans;
    – ter mais semanas no topo;
    – ter mais master 1000;
    – ter mais troféus em geral;
    – ter medalha olímpica;
    – ter atp finals;
    Assim sendo, nenhum dos três jamais terão todas essas conquistas individualmente.!!!
    Talvez se pudesse simplificar isso, de repente poderia haver algum peso/nota para cada uma dessas conquistas e assim ficaria mais fácil definir o MELHOR!!!…Não tendo isso, Acho que sempre haverá dúvidas sobre a eleição e aceitação do melhor da história!
    ABRAÇOS!!!!

  65. Fernando Brack

    Boa, Dalcim! Essa montanha de dados deu uma embolada federal na discussão.
    De minha parte, eu fiquei zonzo e não consegui concluir nada. Kkkkkkk!!
    Ah, sim, números à parte, o meu GOAT é Federer e declaro encerrado o debate.

  66. Daniel+C

    Bom, antes de mais nada, é inegável que o Djokovic continua tendo os melhores números, apesar do Nadal ter se tornado o recordista de GS.

    Isso posto, creio que para eleger o melhor tenista da história, não devemos olhar apenas para os números. É uma equação muito mais complexa, que inclui muitas outras variáveis como: impacto no esporte, concorrência imposta por rivais da mesma geração, concorrência imposta por gerações mais novas, chaves que sorteadas nos GS, estilo de jogo, técnica, pontos “chave” que definiram partidas a favor de um ou outro, lesões, fases ruins… e devo estar esquecendo de algumas.

    Em resumo, é uma questão mais complexa do que parece, que inclui questões subjetivas e inclusive resultados que aconteceram de tal maneira (pois assim o destino quis) mas que acabam mascarando a grandeza de determinados jogadores (pois a tendência é que somente os vencedores sejam lembrados)

    Eu continuo achando o Federer o melhor tenista que já surgiu. Não acho que teve outro que chegou perto de produzir o mesmo nível de tênis que o suíço mostrou em vários momentos da carreira, quanto estava “on fire”. E sinto muita falta dessa época. Assistir a um jogo do Federer em GS naquele período 2004-2008 era mais do que incrível e os barulhos de “admiração” que as arquibancadas produzia em várias jogadas geniais do suíço eram uma confirmação do espetáculo em quadra.

    Como fã do suíço, lamento que ele nunca deu a mesma importância para a questão “tática” do jogo que seus rivais, assim como a sua teimosia em não trocar de raquete mais cedo e insistir em estratégias erradas por confiar muito no talento dele. Isso tudo lhe custou muitos títulos, que hoje fazem falta na hora de declará-lo como “Goat” indiscutível, como já foi num passado recente. Também lamento que não surgiu nenhum grande fenômeno após os próprios Nadal e Djokovic, o que pra mim influência também nessa discussão, pois o suíço no fim das contas foi o único dos 3 que teve verdadeiros tenistas “casca grossa” mais jovens.

    Só espero que o suíço possa ter uma despedida digna. Ídolos vem e vão e o esporte continua. Talvez tenhamos um novo Goat indiscutível daqui 30 anos. Mas o impacto do suíço no tênis pra mim foi o maior de todos, sem sombra de dúvidas.

    1. Luiz+Fabriciano

      Putz, até sorte no sorteio deveria entrar na conta de quem será o GOAT?
      Sobre não ter surgido nenhum fenômeno para destronar Nadal ou Djokovic, qual a importância disso?
      Bastava ao grande Roger Federer fazer o que deveria e se manter no topo. Mas não foi capaz.

      1. Daniel+C

        Cara, acredite no que quiser e seja feliz. Eu já coloquei minha opinião acima, se tem outra opinião, seja feliz com ela e me deixe com a minha. Você é fã do sérvio, eu sou fã do Federer, ninguém vai mudar a opinião de ninguém.

        Sobre o suíço “não ter sido capaz”, de fato ele cometeu muitos vacilos (mais que seus rivais), mas a culpa não foi 100% dele, só que tenho preguiça de listar esses outros fatores novamente. Mas de nada adiantaria, pois a sua visão sempre terá um viés a favor do sérvio e tudo bem. Vida que segue, cada um com seu “GOAT”. Só não tenha a presunção de achar que por causa dos números a seu favor, Djokovic é GOAT “indiscutível” e as demais pessoas tem que “aceitar” isso. Não é assim que funciona e aprenda a ser um feliz torcedor do sérvio sem precisar de reconhecimento alheio.

        1. Luiz+Fabriciano

          Estou realmente feliz sendo torcedor do sérvio, que jamais o classifiquei como GOAT. Apenas acho que ele é o melhor do Big3 e não estou buscando apoio de ninguém.
          Relaxe!

      2. Sérgio Ribeiro

        Mentira . O mais Velho N 1 do Mundo e’ exatamente aquele que o rapaz cisma em denegrir ( somente porque não conseguiu um simples autógrafo rs ) , aos 36 e 1/ 2 em 2018 . Não sabias ? . Vá pesquisar . O Sérvio não gostou de terem falado da sua vacinação antes do próprio. Daqui a dez , quinze dias ( segundo o próprio) ele acabara’ de vez com qualquer dúvidas. Veremos quem mente … Abs!

        1. Sérgio Ribeiro

          Ps . Lembrando que o recordista de semanas CONSECUTIVAS no Topo do Ranking, o fez quando Rafa era o N 2 desde 2005 e Novak o N 3 desde 2007 . Se esse último somente foi vencer seu segundo SLAM em 2011 ? …

          1. Sérgio Ribeiro

            Doidão estavas tu quando me chamastes de mentiroso no outro Post . E sabes que é tudo graças ao teu imenso recalque, agora mostrando novamente desconhecer a história do Tênis com teus ridículos comentários sobre os problemas de Nadal . Em breve teu adorado vai mostrar quem realmente mente … Abs!

          2. Luiz+Fabriciano

            Você realmente é um caso perdido!
            Não dá mais.
            Mistura sempre alhos com bugalhos, inverte as coisas e foi realmente você quem mentiu ao afirmar que Djokovic falsificou documentos, mesmo depois noticiado que as autoridades sérvias comprovaram o contrário.
            Que um banho de lucidez paire sobre você.
            Ademais, não torço para ninguém baseado em recalque, torço baseado em sentimentos.
            Tudo o que sempre falo aqui é baseado em fatos, ou presenciados por mim ou lidos em fontes confiáveis de informação. E se alguém me disser que Nadal é melhor que Federer pois já ganhou mais dele, não virei com enrolação e distorções perguntando onde esse alguém estava quando Federer entregou o troféu a Djokovic em W2019 com uma madeirada no match-point.

          3. Sérgio Ribeiro

            Rapaz favor maneirar que aqui somente tem um mentiroso , e este és tu. Entre a credibilidade dos órgãos que divulgaram a FALSIFICAÇÃO e à VACINAÇÃO do sujeito , tem uma grande diferença de “ autoridades “ Sérvias , ou não, tá maluco ? . O próprio Blogueiro chamou atenção para os órgãos que participaram das denúncias. Não lestes porque és um recalcado que não recebeu um autógrafo do Suíço . Um autêntico bebê chorão. Espere Novak se pronunciar Zé M**** . Abs!

          4. Gustavo

            Luiz, penso como vc, o Sérgio tem um baita conhecimento mas qdo alguém diz A ele vem e responde B, sempre confundindo as coisas.
            E usa números qdo convém ehehehe

    2. Luiz Henrique

      Embora eu não seja torcedor do Federer, de certa forma concordo com o Daniel

      Penso assim:
      Analisando só os números, Djokovic é o melhor
      Escutando só meu coração, meu sentimento pessoal, Nadal é o melhor

      Mas analisando de forma racional, dando relevância aos números, mas tendo-se em conta que números não são tudo, e sem misturar minha paixão de torcedor, acho que Federer talvez seja mesmo o maior. Acho que pelo menos fora do saibro, ninguém jogou mais que ele quando jogou seu melhor
      Não quero com isso menosprezar Djokovic, ao contrário, os feitos do sérvio me servem muito de inspiração. Nunca na vida vou esquecer das vitórias dele salvando match points, torcida contra etc. Se Nadal sempre foi o esportista que eu usei de inspiração pros meus desafios pessoais e profissionais, Djokovic não fica muito atrás. Pelo menos pelo seu comportamento em quadra.
      Mas apesar disso tudo, minha razão diz que ninguém jogou melhor que Federer fora do saibro, quando ele estava no seu melhor

      1. Daniel+C

        Luiz Henrique,

        Concordo contigo. O que sempre me encantou no Federer foi o absurdo nível de tênis que ele atingia, quando entrava no “God Mode”. Até no saibro, o suíço entrou no estado de nirvana contra o Nadal e venceu sets do Nadal por placares como 6-1 (Final de RG 2006) e 6-0 (Hamburgo 2007). Tá certo que 1 set apenas não declara o vencedor e eu como torcedor sempre lamentarei que ele não tenha sustentado esse nível absurdo ao longo de algumas dessas partidas rsrs. Mas achava incrível! Rs

        Parabéns pela conquista do espanhol. O recorde de GS está em ótimas mãos, e acho que é bem provável o 22 em RG esse ano rs.

        Abs

  67. Marcilio Aguiar

    Eu gostaria que o GOAT fosse RF, porque é o tenista que mais aliou uma carreira ultravitoriosa jogando de maneira agressiva e com o estilo mais agradável de assistir. Entretanto, a não ser que ocorresse o milagre de ele voltar e ganhar WB, com dor no coração eu o descarto da disputa, apesar dos números grandiosos que o Dalcim mencionou na exposição de motivos para definir o maior de todos.

    Eu penso assim porque, dentre os três, o suíço foi o que mais perdeu finais de Slams em situações que tinha totais condições de ganhar. Como disse o Dalcim não só os títulos de Slam isoladamente definem essa disputa, mas é o fator de maior peso.

    Das 20 finais que Roger ganhou, considero que o AO 2017 foi a vitória conseguida na situação mais desfavorável.
    Por outro lado, das onze derrotas, pelo menos poderia ter vencido 3 ou 4:

    1) WB 2019, por razões óbvias;

    2) US OPEN 2015 – até hoje não me conformo com 4 BP convertidos de um total de 23;

    3) WB 2008 e AO 2009 – Apesar de ser contra o Nadal já em sua plena capacidade, os pisos eram mais favoráveis ao Federer;

    4) USOPEN 2009 – O Del Potro era inexperiente em final de Slam, o retrospecto geral era 7 X 0 para o suíço e ele liderava o jogo com tranquilidade;

    5) Na final de RG 2006, RF teve uma fresta aberta ao vencer o primeiro set por 6×1 e depois sumiu no jogo. Não acho que venceria, mas foi a única viável contra o espanhol em Paris;

    No caso do espanhol, acho que a única derrota surpreendente em final de Slam foi o Ao 2014.

    O Djoko poderia ter ganho uma das duas perdidas para o Murray e uma do Wawrinka, mais pela situação de favorito do que pela circunstâncias dos jogos (pelo que eu me lembro). E a derrota para o Med em USOPEN 2020 também estava fora do meu prognóstico, mas o Djoko não teve qualquer chance no jogo.

    No final acho que o sérvio será considerado o GOAT pela possibilidade de vencer outros Slams, pela quantidade de semanas como numero 1 e por outros feitos impressionantes enumerados nesta publicação.

    Isso não vai mudar a minha preferência por RF entre os três, mas não consigo pensar de outra forma.

    1. Gildokson

      Marcílio, eu como fã do gênio considero o Us Open 2014 o maior desperdício atrás só de WB19. Entrar em quadra contra o bom Cilic, sabendo que Djokovic já havia sido eliminado por Nishikori (Nishikori gente!!!) e não aproveitar pra bater o Croata (mesmo com ele sacando aquilo tudo) e ir a final contra o frágil japonês…?
      Lamentável, Nadal jamais desperdicaria, é só ver o Us Open17 do espanhol.
      Abs!

      1. Marcilio Aguiar

        Prezado Gildokson, eu só me referi às finais porque eram questões de 1 ponto, um game ou um set para ganhar o título, mas você tem razão, essa de 2014 foi de lascar. Mas é melhor não ampliar o leque para semis porque aparecerão muitas a lamentar como pro exemplo: AO 2008, perdeu para um Djoko ainda em evolução, no AO 2005 apesar de ter um Safin inspirado e WB 2016, perder para Raonic de virada é o fim da picada. Vamos parar por aqui.
        Viva o maestro que nos proporcionou os mais belos espetáculos em uma quadra de tênis. Abc.

    2. Luiz+Fabriciano

      Prezado Marcílio, veja o que acho:
      1 – Essa aí, bastava um mísero ace, mas veja, que Djokovic foi o primeiro a ter quebra acima no quinto set. Também vacilou, mas se recuperou;
      2 – Se assistir novamente (sei que será tortura, kkk), verás o quanto o sérvio jogou nesses brakes e o suíço sequer chegou a ter dois sets no jogo;
      4 – Não sei exatamente o que aconteceu, pois, como não sendo fã do suíço, saí no começo do jogo para ir bater minha bolinha, contando com favas contadas, mas ao voltar, a cena que vi de cara foi, no meio da tela da TV, o argentino com o troféu na mão. Perguntei ao meu filho: “que passa?”.

      Grande abraço.

      1. Marcilio Aguiar

        Fabriciano, pelo histórico dos três gênios, acho muito improvável que o Nadal ou Djoko deixassem de vencer uma final nas situações de vantagens teóricas ou efetivas (l ponto no saque, set nas frente, chances absurdas de BP, piso favorável e experiência na carreira) em que o suíço se encontrava nas partidas elencadas.
        Abc.

    3. Luiz Henrique

      Acho muito forçado colocar RG 2006 e US 2015 como se federer tivesse tido chances, e depois dizer que pra Nadal foi só AO 2014. Essas 2 do Federer ele perdeu por 3×1, Nadal perdeu algumas no 3×2, tendo chances reais no 5º

      1. Marcilio Aguiar

        Prezado Luiz Henrique. Eu não disse que teve chances de ganhar, mas sim situações favoráveis no jogo, o que considero diferente. Chance real é um MP, um set acima ou uma quebra acima no ultimo set.

        Não tenho dados dos jogos importantes de Nadal e Djoko, mas acho que eles nunca deixaram de ganhar um jogo em que tiveram um caminhão de BP a favor.

        Sobre a final RG 2006, se você ler novamente, eu escrevi: “Na final de RG 2006, RF teve uma fresta aberta ao vencer o primeiro set por 6×1 e depois sumiu no jogo. Não acho que venceria, mas foi a única viável contra o espanhol em Paris;” Não considero isso um exagero, porque em 2006 o Federer teria condições de fazer um jogo parelho em RG, como fizeram na final espetacular em Roma, poucos dias antes.

        Sobre as finais que o Nadal poderia ter ganho, você talvez tenha mais condições de dizer, mas acho que, exceto AO 2014, ele so perdeu finais para o Djoko e Federer em situações de não favorito. Podemos considerar o AO 2017 que eu citei como uma vitória improvável do suíço e não me lembro de outras.

        Abc

  68. Hemerson

    Vou fazer uma pergunta aos colegas, e entre estes tem muitos com conhecimento importante do jogo e tb história e estatisticas.
    Por que até hoje Nadal nunca ganhou um Finals???
    Não tem capacidade?
    Não teve interesse?
    Por birra pois não tem no saibro?
    Final de ano quero tirar umas férias?
    Só jogam as feras e não dá para ter um respiro no inicio?
    Outras??

    1. Sérgio Ribeiro

      Todos esquecem que além de abusar durante grande parte da carreira em número de Torneios disputados ( chegava morto ao final da Temporada) , INDOOR foi sempre seu calcanhar de Aquiles. Jamais venceu também o MASTERS 1000 de Paris , com uma única FINAL perdendo para David Nalbandian. Suas duas únicas FINAIS no ATP FINALS perdeu para Federer e Djokovic. Suas duas unicas conquistas foram no Saibro Indoor de Madri 2005 ( venceu Ljubicic em 5 Sets ) , e no Saibro Indoor de São Paulo 2013 ( batendo Nalbandian ) . Curiosamente de uns tempos pra cá que anda sendo mais agressivo , encurtando os pontos , está jogando muito com o teto retrátil. Daí não se poder descartar uma Zebra Espanhola no ATP FINALS 2022 rsrs. Abs!

    2. Sandro

      Nadal tem 21 Grand Slams e 36 MASTERS MIL, está bem claro e óbvio que NADAL foca sua carreira na conquista de GRAND SLAMS e MASTERS MIL que são os BIG TITLES que realimente importam pra Nadal.
      NADAL com 36, tem 8 MASTERS MIL a mais que o FREGUÊSer com 28, a diferença é maior que quantidade de 6 FINALS que FREGUÊSer tem!!!
      Não bastasse isso, Nadal já ganhou título na grama de Wimbledon em cima do FREGUÊSer, porém, o FREGUÊSer perdeu TODAS as partidas no saibro de Roland Garros contra Nadal!!!
      Em matéria de GRAND SLAMS e MASTERS MIL o FREGUÊSer é o pato freguezaço predileto de Nadal!!!
      NADAL humilha FREGUÊSer no cara-a-cara quando se trata de Grand Slams e Masters Mil e é isso que importa!!!

    3. Luiz+Fabriciano

      Essa é uma pergunta de difícil resposta para mim, pois, Nadal já ganhou títulos em quadras mais rápidas que no Finals, já derrotou Federer e Djokovic em rápidas mais de uma vez, não se intimida com final de temporada e além do mais, por mais que estejam reunidos os melhores do ano, há a possibilidade de perder um jogo no decorrer do torneio e ainda ser campeão, coisa que não há em outros torneios, então, simplesmente, não sei.
      Acho que Paris também ainda é inédito para ele.

      1. Sérgio Ribeiro

        Acha que o Touro nunca teve problemas em FINAL de Temporada ? . Nunca soube que além de jamais ter vencido o MASTERS 1000 de Paris , dos seus problemas com INDOOR ? . Vou imaginar que estejas mentindo informadissimo L. Fa . rsrs. Abs!

        1. Luiz+Fabriciano

          Sim Mr. Know it All.
          Quem nunca teve problemas em final de temporada?
          Nadal fez duas finais no Finals. Poderia ao menos ter levado uma, em cima de Federer, que é seu freguês.
          Assim, hoje Nadal teria o seu, ninguém falaria mais disso e Novak e Federer estariam em 5 a 5.
          E você feliz, como sempre, sabendo de tudo.

          1. Sérgio Ribeiro

            Jura que Federer e’ freguês do Touro fora do Saibro principalmente no FINALS , engraçadíssimo L.Fa ? kkkkkkkkkkkkkk. Abs!

          2. Luiz+Fabriciano

            Viu?
            Coloca saibro na pauta para fugir do assunto.
            Quer queiras ou não, Federer é freguês do espanhol sim.
            Já que gostas disso, onde foi mesmo que Nadal faturou seu primeiro GS, longe de Paris e contra quem?

    4. José+Yoh

      Lesões e quadra rápida. Ele nunca chega inteiro lá.

      Lembro de um 6/0 do Federer sobre ele em Londres. Por pouco não foi uma bicicleta.
      Abs

  69. Maurício Luís *

    Aff… Quantos números, Dalcim. Espero que não tenha deixado cair nenhum ZERO no chão… Nessa interminável discussão de GOAT eu não entro nem que a vaca tussa.🐾🍍🕸👀

  70. Marcondes

    Olá Dalcim, desculpa, pois na minha humilde opinião de um experiente pesquisador, o seu post apresenta alguns vieses:

    – primeiramente, em dados estatísticos precisamos ter amostras parecidas, e já temos um grande diferencial, que a diferença de idade do Federer para Nadal e Djokovic. Algo que caracteriza o início da sua carreira antes dos demais, e isto certamente precisa ser considerado;

    – é necessário esperar o fim da carreira dos três para fazer alguma comparação;

    – precisa ser considerado tempo que cada um ficou parado por lesão, fato este que precisa ser fortemente analisado;

    – fato complicado, mas também precisaria ser considerado, são os sorteios das chaves, pq Djokovic mesmo, chegou nos últimos tempos em várias finais sem pegar ninguém, realmente de peso (basta fazer um estudo retrospectivo), inclusive sem a presença de Federer e Nadal;

    – importante levar em conta o número de participações de cada um com o desfecho, levando em consideração o resultado esperado que é vencer a final, pq do contrário, precisará ser contado tudo, mas tudo mesmo, qtas primeiras rodadas, segunda, oitavas, quartas, qtos games, qtas perdas de serviço……

    – Federer esteve um período praticamente solo entre 2003 e 2005, diferente de Nadal e Djokovick que iniciaram já competindo entres os três, ou seja, Federer viveu tempos mais fáceis, justamente por ser bem mais velho;

    – porém Djokovic também nos últimos dois anos ficou sozinho sem Federer e Nadal, fato que nunca aconteceu para o Nadal, ficar sem os dois ao mesmo tempo, somente agora no AO, que ganhou do Medvedev que no último GS (US open) deu um baile no Djokovic.

    – Rafael Nadal ganhou final de Wimbledon do Federer, e o mesmo não aconteceu de Federer ganhar do Nadal em RG;

    – Federer teve alguns privilégios como ser cabeça de chave número 2 em Wimbledon em 2019;

    – Federer perdeu muito mais vezes, inclusive em finais, do Nadal e do Djokovic, do que ganhou deles;

    – Rafa ganhou um GS com 19 anos de idade, o mais novo deles, e agora ganhou com 35 anos, assim como Federer;

    – Rafa ganhou os 04 GS com 24 anos; Federer com 28 anos; Djokovic com 29 anos;

    – Rafa ganhou medalha de ouro com 22 anos, sendo o único deles com o Golden Slam.

    Cabe ressaltar, que Federer é sem dúvidas um grande jogador, mas o GOAT será disputado entre Nadal e Djokovic.

    Preciso concordar com a análise do SJS que a vantagem do Nadal é significativa, e que sempre esteve na discussão do GOAT.

  71. Maria Izabel

    Muito bem feita as estatísticas. Meu critério é que os três são Goats.E minha ordem é Federer,Nadal e Djockovic. Algo que me impressiona é a classe do Federer e Nadal,enquanto Djockovic nesse quesito para mim,fica muito abaixo.E isso aumentou com essa questão do AO,o que ele fez para entrar na Austrália, o jeito como se vitimiza e com a “grande”ajuda de seu pai em ignorância é triste.
    Djockovic demonstrou que vale tudo pelos seus ideais ,mas ,todos nós somos subalternos a alguma lei.Desrespeita a todos quando está perdendo,desde os boleiros,fiscais e raquetes quebradas .Eu abomino esses comportamentos.
    Sua bipolaridade chega a me assustar,ama a Sérvia, mas mora em Mônaco isenta de impostos e nada paga a Sérvia. Por outro lado,todo esportista de ponta tem que ter muita cautela com o que incita.Ele desafia essa pandemia como se nada fosse,e coloca em risco crianças e todos com quem convive.Tenho muitas amigas(os)veganos,mas jamais me censuram por não ser e olhe que não como carne vermelha.Querer impor seu “modus vivendi” é algo que incomoda.Meus amigos abraçam árvores, mas daí a convencer que transformam águas imundas em cristalinas …sei não. Falta ao Djockovic humildade(ah!ele sofreu muito quando criança etc.E jogadores de futebol,NBA etc?),hoje, se tornou milionário mas arrogante, não é carismático se esforça mas …Enfim, para ser GOAT,além de recordes tem que ter muitas outras qualidades que moldam um caráter especial e isso Djockovic também não tem.
    Por isso,para mim ele pode ter uns 40 Slans ,3000 dias como número 1,que nunca será.

    1. Marcondes

      Maria Izabel corroboro com a sua narrativa. O esportista precisa ser um exemplo. Realmente Nadal e Federer são exemplos, como esportistas, famílias, patriotas. Apesar do Federer também ter quebrado raquetes no início, sendo o Nadal o mais equilibrado. Realmente precisa ser considerado o contexto, como a força mental, equilíbrio emocional, comportamental. Djokovic já fez muito jogo sujo, como parar o jogo com o Fritz no AO de 2021 relatando dores, esfriando o jogo, retornando e ganhando o GS. Aquilo foi muito nítido pra todos A postura dele e o seu caráter são bastante questionáveis, além da exacerbada arrogância.O pai dele já fez várias declarações contra o Federer, algo que parece grande inveja. O que ele fez na Austrália é algo pra ser vaiado em qualquer lugar que colocar o pé daqui pra frente.

      1. DANILO AFONSO

        Djokovic propositadamente resolveu esfriar o jogo contra o Fritz apesar de estar vencendo parcialmente o jogo por dois sets a zero ? É sério isso ?? Se o sérvio tivesse perdendo por 2 x 0, aí sim eu entenderia a sua lamentação.

      2. Luiz+Fabriciano

        Jogo sujo de parar o jogo contra o Fritz.
        E depois ter constatada um fissura de 6 cm na lesão. Bom mesmo deve ser aquele que só enxerga o que quer.

    2. Sandro

      Nossa que comentário cheio de preconceiti! Vc nessa sua mascara de “pseudo politicamente correta” mostra-se preconceituosa e intolerante. Djokovic não quer impor seu estilo de vida a ninguém,só quer ser respeitado por suas crenças e convicções filosoficas, religiosas e de medicina. Mas vc é só mais uma intolerante preconceituosa que discrimina o Djokovic!

      1. Maria Izabel

        Essa é sua opinião, e ela para mim é um zero a esquerda,visto que também comete o equívoco de nem me conhecer(nem desejo que)diz que sou preconceituosa.
        Bom fim de semana.

  72. Luiz Evandro

    Faltou comentar também sobre Copa Davis, onde hoje virou uma várzea este torneio, mais antigamente tinha um grande valor, e o Nadal tem mais.
    Na minha opinião, mais que semanas como número 1, a porcentagem vitórias x derrotas EU acho muito mais importante, e Nadal e Djokovic estavam muito próximos. O Guga, por exemplo, tem mais semanas que o Murray como número 1, mais que o Becker, mesmo sendo menos jogador.

  73. Gabriel

    e acredito que essa discussão hoje em dia so cabe a Nadal e Djokovic, apesar de gostar muito do suiço ele nao “senta na mesma mesa” que os outros dois
    vou deixar um dados que colhi aqui:
    Dos 21 slam nadal pegou djoko e Federer em 11
    Djokovic pegou nadal e Federer em 8
    Federer pegou Djokovic e nadal em 4

    Nadal venceu 4GS vencendo os outros 2 no mesmo slam
    Djokovic 1x
    Federer nunca

    Nadal venceu ao menos 1 dos 2 em 14 dos 21 slam
    Djokovic venceu ao menos 1 dos 2 em 14 dos 20 slam
    Federer venceu ao menos 1 dos 2 em 6 dos 20. Slam

    Em termos de H2h em jogos importantes a discrepância é muito grande…
    pra mim hoje é Nadal, Djokovic pertinho e Federer bem longe…
    alem de Nadal HOJE tem mais slam tem um H2H favoravel ao Djoko em Slam, que é o que importa hoje em dia

    1. ASE

      Análise perfeita Gabriel! Djokovic mesmo, pegou chaves mais fáceis em vários dos salmos que ganhou, além de mais fracos em finais. Aí fica mais fácil né. Diferente de Nadal que ganhou deles 11 vezes e sempre teve chaves mais complicadas.

      1. Luiz+Fabriciano

        Interessante.
        Dos 20 GS de Djokovic, tivemos em 13 finais a presença de Nadal, Federer ou Murray.
        As outras 7 ficaram entre Tsonga, Del Potro, Thiem, Medvedev, Tsitisipas, Berretinni, e Anderson, esse para mim, o mais inferior de todos, mas que virou um 0x2 contra Federer no seu caminho à final, em 2018.

    2. Luiz+Fabriciano

      Interessante.
      Dos 20 GS de Djokovic, tivemos em 13 finais a presença de Nadal, Federer ou Murray.
      As outras 7 ficaram entre Tsonga, Del Potro, Thiem, Medvedev, Tsitisipas, Berretinni, e Anderson, esse para mim, o mais inferior de todos, mas que virou um 0x2 contra Federer no seu caminho à final, em 2018.

  74. Gabriel

    Bacana o texto
    só acho que isso dai de quantidade de semifinal quartas etc não tem nenhuma relevância pra esses caras, zero
    o que importa é titulo, essas fases agudas são pra Ferrer, Nishikori,Monfils…

  75. Sandro

    Admiro Djokovic pela sua personalidade, sua força de vontade, sua resiliência, por ser fiel às suas convicções, por ser uma pessoa extremamente autêntica, por defender suas liberdades de expressão, de escolha do tipo de medicina e qual tratamento a ser submetido. Pra mim, o que Djokovic fez na Austrália em 2022 entrará para a HISTÓRIA DA HUMANIDADE! Considero Djokovic um HERÓI DA HUMANIDADE!
    Mas não sou cego, se o mundo acabasse hoje, NADAL com 21 Grand Slams seria o GOAT do tênis!
    Aliás, a disputa entre o GOAT do tênis está somente entre o BIG 2 NADAL e DJOKOVIC!!!
    O pato freguezaço do Roger FREGUÊSer não tem condições nenhuma de ser GOAT de nada!!!
    Um FREGUÊSer que perdeu todas as finais de Wimbledon contra Djokovic, nunca terá condições de ser GOAT!!!
    Um FREGUÊSer que perdeu todas asfinais de Roland Garros contra Nadal, nunca terá condições de ser GOAT!!!
    Um FREGUÊSer que tem 9 MASTERS MIL a menos que Djokovic,nunca será GOAT!!!
    Um FREGUÊSer que tem 8 MASTERS MIL a menos que Nadal, nunca será GOAT!!!
    Um FREGUÊSer que nunca ganhou e nunca ganhará o MASTERS MIL de ROMA, nunca será GOAT!!!
    Um FREGUÊSer que nunca ganhou e nem nunca ganhará um MASTERS MIL de MONTE CARLO, nunca será GOAT!!!
    No final das contas, NADAL que tem mais trofeus de GRAND SLAM que qualquer outro, e é isso o que realmente importa, hoje está GOAT. O único que pode alcançar Nadal é o Djokovic!
    O FREGUÊSer não está ganhando nem ATP 250 dentro de casa na Suíça, não tem chances nenhuma de xonquistar mais um Grand Slam ou o MASTERS MIL DE ROMA ou MASTERS MIL DE MONTE CARLO,logo , o pato freguês predileto do BIG 2 nunquinha mesmo terá qualquer chance de ser GOAT!!!
    Um FREGUÊSer que foi chutado de Wimbledon pelo Hurkacz com um pneuzaço, nunca será GOAT!!!
    Um FREGUÊSer que perdeu na grama de Wimbledon pra Nadal, mas nunca venceu Nadal no saibro de Roland Garros, nunca será GOAT!!!
    Hoje NADAL com 21 Grand Slams é o GOAT, se Djokovic quiser o posto, ele tem condições de conquistar Grand Slams, já o FREGUÊSer nunca será!!!

    1. Fernando Brack

      O que ele fez na Austrália já tá na história como a maior burrice da humanidade tenística.
      Fora o péssimo exemplo, que só negacionistas radicais e fanáticos aplaudem.

    2. Gildokson

      Você é REPETITIVOOOOOOO kkkķkkkkk
      Mas vc já deve saber disso…
      Se não souber, isso quer dizer que não é normal….
      Peraí!! Será que vc é normal?????
      Kkkkķkkkkkkkkk

  76. Periferia

    Olá Dalcim

    Estava pensando….no boxe Ali é considerado o “Goat” do boxe …assim como Schumacher na F1….Jordan no basquete (que é um esporte coletivo)…Comaneci na ginástica e muitos outros…
    Eles não tem o domínio das estatísticas (conquistas) do esporte que praticam…
    Porém…todos eles são considerados Goat pelo contexto histórico.
    A forma como conseguiram mudar definitivamente o esporte.
    Não é algo subjetivo…a importância histórica do esportista é algo concreto.
    Não se pode considerar alguém o maior de todos os tempos sem levar em conta a contribuição do atleta para o esporte que atua.
    Senti falta disso no texto…

    1. José Nilton Dalcim

      Ah, mas então você não deve ter lido o que constantemente escrevo, José Cláudio. Para mim, a importância histórica é algo muito importante. Esse texto especificamente trata de números. Não entrei no mérito da discussão em si.

      1. Sérgio Ribeiro

        Ótimo comentário, caro Periferia. Mas Schumi unanimidade como “ Goat “ ??? . Ferrarista não tem jeito mesmo kkkkk. Abs!

        1. José+Yoh

          Lembrando que o caráter do esportista também é algo muito importante.

          Por causa disso, Schumacher não é considerado o GOAT por muitos, inclusive eu. Não foi um só, foram muitos casos de trapaça evidente.
          Abs

          1. Sérgio Ribeiro

            E tu achas que eles não sabem , caro Yoh ? . Imaginaram apenas que depois de Senna não surgiria Hamilton. Coisa de Ferraristas rs . Abs!

          1. Sérgio Ribeiro

            Terceirete seria o que fizestes desde 2017 com o Sérvio achando que o Touro não levaria mais SLAM ??? . Cansei de te avisar kkkkkkkk. Abs!

        2. Periferia

          Olá Sérgio…

          Schumacher foi o piloto mais importante da história da F1…não foi apenas um piloto…foi um “gerente” geral…fazia de suas equipes laboratórios para desenvolvimento automobilístico (incluindo a mítica Ferrari).
          A F1 é o que é hoje graças ao impacto causado por ele …hoje temos grandes montadoras fabricando carros de corrida…investindo milhões (mais que EUA investiu para levar o homem na Lua).
          Com ele…um esporte de nicho…hoje é visto por milhões de pessoas em todo mundo.
          Schumacher não é Goat por duas conquistas …ele é Goat pela impacto transformador…por suas contribuições (mesmo desafinando algumas vezes).

          O melhor piloto foi Jim Clark…mas o Goat foi Schumacher.

          Abs

          1. Sérgio Ribeiro

            Na boa , não vou repetir tudo novamente caro Periferia. Pilotou bem somente antes dos híbridos. Sem contar sua desastrosa passagem de TRÊS anos na Mercedes apanhando do futuro Campeão Mundial , Nico Rorberg . O resto deixo pra Lewis Hamilton contar . Já que o incomparável Ayrton Senna não se encontra mais por aqui . Abs!

          2. Rodrigo S. Cruz

            Errado, senhor…

            Melhor piloto e GOAT da Fórmula 1 se chamava Ayrton Senna. E logo atrás vem Clark.

            E Schumacher foi nada perto de Senna ou de Clark! Nada mais do que um átomo, perto deles dois…

            E essa conversa do alemão ter sido laboratório de inovação da Fórmula 1 é uma das maiores viagens que eu já li.

            O que ele tinha na Ferrari era uma estrutura como mordomias, benesses e facilidades tal qual nenhum outro teve na F-1. Além de contar com uma equipe de profissionais de alto gabarito. Fato este que aliás EM TEMPO ALGUM foi meritocracia do alemão!

            Sem falar, claro, no escandaloso contrato anti-esportivo que transformava qualquer segundo piloto dele num ridículo capacho que deve até ter servido de inspiração pro Eduardo Pazzuelo quando soltou aquela frase: “um manda, o outro obedece”.

            Venerar e admirar um cara desses? No, thank you!

            Até com marca de pneu exclusivo o cara contava… Foi o maior caso de campeão fabricado da história da categoria. Isso eu sei que ele foi.

            E olha que tinha talento, viu! Bem menos que o Senna, mas talento ele tinha sim…

  77. Roger

    Para pensar. O atp finals que é o torneio do melhor dos melhores todos os anos, onde a loucura dos jogos de 5h não existe, geralmente o ambiente é bastante controlado, estádio fechado,não existe jogo a 40 graus de temperatura, fica de fora o tênis-maratona, e entra em quadra o tênis mais “puro”…., quantos títulos tem o Nadal?

      1. Sérgio Ribeiro

        Tênis puro e’ o Saibro ? . Tu sabes que tudo se iniciou na Grama Sagrada rs . O Serviço é um dos principais fundamentos do Esporte e há muito o piso do ATP FINALS ,embora Indoor . não é dos mais rápidos . Abs!

    1. José+Yoh

      Tudo isso faz parte do tênis, Roger. O calor, o teto ou não, pisos diferentes… ingredientes de um esporte tão querido.

      Agora com relação às 5h de jogo, fico pensando se não seria hora de mudar algo mesmo. Isso desanima qualquer um de transmitir e assistir uma partida.

      Na verdade, em algumas emissoras impossibilita porque a grade de programação fica totalmente dependente de um horário variável e muito longo.
      Com a geração tik tok cada vez menos paciente com videos longos, fica bem difícil manter a popularidade. Vide a ascensão do beach tennis.
      Abs

  78. Marcos Marinho

    Títulos consecutivos em Grand Slam também são marcas relevantes a serem destacadas. Nadal já teve duas sequências de 5 títulos em Paris, e Federer foi campeão cinco ano seguidos de Wimbledon e do US Open. Outro fato relevante é que nqdaljamaiw foi capaz de defender um título de slam fora do saibro, enquanto federer e Djokovic já fizeram fora de seus pisos preferidos e mais de uma vez.

    Eu acho que a menos que o espanhol termine sua carreira com muitos slams na frente (pelo menos 3 na frente do segundo)., ele jamais poderá ser classificado como maior. A tendência é que Djokovic fique com as marcas mais expressivas do tênis.

  79. Nelson Maciel Filho

    São três jogadores extraordinários. Gênios do esporte em todos os tempos. Além de todos os argumentos e estatísticas, vale acrescentar outras muito importantes. O Nadal é o maior ganhador de Copa Davis dos três, e jamais perdeu um partida nesse torneio. Creio que não é só as estatísticas que determina quem será o goat. Federer, por exemplo, foi o que mais jogou grand slan, o que mesmo se machucou, logo, fez teve uma vida útil de tênis mais elevada que os demais. Por outro lado, o Nadal foi o que mais se machucou, a ponto de decretarem em várias ocasiões o fim de sua carreira. Não dá para cravar quem é o melhor por enquanto. Em números estatístico seria o melhor o Djokovic, que é na minha opinião o mais completo. O Federer é o mais clássico, estilista, e o mais técnico. Nadal é o mais guerreiro, taticamente capaz de mudar o seu jogo em cada partida. Um jogador extraordinário. Ouso dizer que se o Nadal não tivesse tido tantas contusões, tranquilamente teria uns 24 a 25 grand slan. Todos são geniais. Vamos aguardar ainda.

  80. Luiz+Fernando

    É claro q nós todos temos vieses p opinar pois acima de tudo somos torcedores. Na MINHA opinião, até o MOMENTO ATUAL, o GOAT é o Djoko. Porém, como sempre diz o Dalcim, há necessidade de aguardar o término das 3 carreiras p se ter uma visão mais precisa. Outro detalhe, conforme se vê pela matéria, o q de fato conta são as conquistas, os principais resultados, e isso é OBJETIVO, isso é incontestável, ganhou ganhou perdeu perdeu, outras avaliações são SUBJETIVAS, um valoriza mais outro menos, embora eu tenha a certeza q alguns não entenderão isso…

    Outro detalhe, vejamos essa matéria do site: https://tenisbrasil.uol.com.br/noticias/93463/Rafa-e-um-grande-modelo-para-todos-diz-Federer/. Quem será q tem razão, Federer ou os alienados da realidade q há anos postam sobre doping e esquemas p justificar os resultados de Nadal? Será q o Federer também está com uma contusão cerebral que o impede de raciocinar? Algumas pessoas deveriam ter vergonha de vir aqui e postar algumas infâmias q alardeiam há anos, por pura falta de esportividade e de… melhor não postar pra não ser censurado…

    1. Luiz+Fabriciano

      Fanáticos por Federer deveriam vir a público se retratar das más coisas ditas em relação a Nadal, depois de ler isso dito por seu ídolo, ou então, mudarem de ídolo, kkk.

    2. José+Yoh

      LF, durante anos a torcida federista esfregava um desfile de números aqui e você dizia que Federer não era o GOAT.

      Você disse que o que importa são os fatores objetivos (números).

      Agora, com 21 slams na conta, diz que Djoko o é em detrimento do seu favorito, contradizendo a frase acima. Mesmo com vários nolistas e federistas dizendo que o maior é Nadal agora.
      Diria que é melhor aproveitar o momento, que pode ser breve. Deixe as rusgas com os federistas de lado e carpe diem.
      Grande abraço

        1. José+Yoh

          Sem dúvida há, mas em um momento que os números estão tão parelhos e o sérvio está com o caráter (tão importante para um representante maior do esporte) enfraquecido com essa história da vacinação, muita gente está proclamando Nadal o GOAT.

          Então por que não?
          Abs

          1. Luiz+Fabriciano

            Sério Yoh, que você acha que não se vacinar, diferente de ser contra vacinações, demonstra fraqueza de carácter em alguém, mesmo promovendo campanha de vacinação para outrem?

          2. José+Yoh

            Penso que independente de ser ou não ser uma fraqueza de caráter do sérvio, ele saiu mal dessa e muita gente acha que ele não mereceria ser o GOAT por conta do que aconteceu.

            Não é uma opinião minha, só uma percepção da opinião pública.
            Sobre o caráter dele, embora não goste de muitas atitudes dele, creio que seja uma boa pessoa. No final, somos todos humanos.
            Abs

          3. José+Yoh

            Igualmente Fabriciano.
            Sempre um prazer conversar, independente de concordar com as idéias (que por vezes não batem por uma questão de torcida somente, rs).
            Abs

  81. Wendell

    Duas dúvidas dalcins, de acordo com seus critérios:

    A primeira: Na sua opinião o que seria mais importante na corrida do GOAT ser o maior vencedor de masters 1000 da história ou o maior vencedor da história do atp finals?

    A segunda: Caso Nadal abra 5 a 6 slams ( pro segundo e terceiro colocado, no caso djokovic e federer) mas continue com os outros campos inferiores, ele seria considerado por você o GOAT?

    1. José Nilton Dalcim

      Não vamos complicar a coisa com muitas hipóteses, Wendell. Como eu já te disse, as carreiras estão em andamento e só podemos esperar mais coisas geniais desses caras. Acho que se um tenista é maior vencedor de Masters numa conta apertada e há uma distância muito grande no Finals, então o Finals pesa muito.

  82. Vinícius Benedito custódio

    Dalcim se o djokovic ganhar RG e Wimbledon esse ano, vc não acha que isso vai o credenciar ele como o GOAT, aí sem dúvidas alguma?
    Pois ele será o único a ter 3 slam em todos os slam e terá 7 W que é o GS de maior importância da temporada, pelo prestígio e ainda ter 22 GS no total?
    Eu sei que ter 22 sempre vai parecer o número mais significativo na conversa mas para min ele ter 3 RG e 7W será talvez algo ainda maior, visto que dificilmente o Nadal gera 3 slam de cada já que W ele não vai bem a um tempo, e AO ele ganhou esse ano mas já perdeu várias finais lá, é um calcanhar de Aquiles dele.
    Mas tbm tem toda a questão de ele se vacinar né, pois provavelmente ele terá e não sei se ele irá, mas se ele jogar e ganhar, fica difícil não ser ele o GOAT?

    1. Luiz Henrique

      Rapaz fica esperto…só digo uma coisa…Djokovic se bobear com essa brincadeira de vacina, quem vc acha que vai aproveitar a oportunidade em wimbledon? E se federer não se recuperar? Vc acha que vai ser Medvedev, Zverev, Tsitsipas? Olha de quem Nadal perdeu nas 2 últimas vezes que jogou. E se ele pode perder cedo, quem dirá esses outros que citei antes, nenhum deles jamais beliscou uma semi lá. Nadal viraria favorito até lá. Djoko tem q abrir o olho

  83. André Barcellos

    Olhando friamente para os números vemos que muitos dos recordes de Federer, e até dos seus percentuais piores, são fruto da carreira estendida.
    Vc está a mais tempo no circuito e então perde mais no fim da carreira. Mas estendeu a mesma o suficiente para ter alguns recordes. É uma faca de dois gumes.
    Penso que se ele tivesse encerrado a carreira depois do AO 2018 seria o melhor cenário pra ele.

    1. DANILO AFONSO

      André, já apresentei um levantamento aqui no blog comparando o desempenho do Federer e Djokovic com 34 anos. No comparativo o sérvio ganhou com mais facilidade. Tinha mais Slams (20 x 17) e Masters 1000 (37 x 24) conquistados, melhor percentual de vitórias, mais semanas como n. 1 na época do comparativo (330 x 302) e mais jogos e vitórias em Slams.

      Enfim, Djokovic leva vantagem não só no cenário atual como também ambos com 34 anos.

      1. André Barcellos

        Mas estou falando com 35/36 anos. Que é quando Federer ganhou seu vigesimo.
        Parando depois daquele AO não perderia nada.

        1. Wendell

          Na verdade ele achou melhor arriscar e continuar tentando e a prova de que ele ainda tinha chances pós – australian open de 2018 é que ele teve dois match points pra ganhar WB 2019, não conseguiu fechar por falta de físico ou pq o djokovic jogou muito, ali foi mental de conquistar o 21° título de Grand slams. Então é muito fácil depois que a história tá desenhada falar : “era pra ele ter parado em tal época” sem saber oq poderia acontecer no futuro. Isso acontece direto com Nadal também, quantas vezes não falaram pra ele desistir da carreira (inclusive médicos em 2005) e ele vai lá e ganha esses australian open com o pé quebrado? Resumindo se for ouvir oq tem de gente falando ” para” pra esses caras, eles jamais teriam chegado onde chegaram

          1. Luiz+Fabriciano

            Wendell, Federer não fechou aquele jogo de 2019 por falta de físico não.
            Se fosse, não teriam ido até o 13º game do set longo.
            Na verdade, se Djokovic não tivesse vacilado, isso nem teria acontecido, pois o sérvio teve 4×2 e saque no quinto set e permitiu reação de Federer.

          2. Wendell

            Luiz+fabriciano

            Você está certo, saiu errado na digitação. eu queria dizer: e não foi pro falta de físico e o ” não ” foi engolido kkkk. foi só erro ortográfico mesmo.

  84. sandra

    Vou ser sincera Dalcim, cada um tem direito a sua preferência , mas não dá para cravar 1, todos são bons igualmente não dá para fazer muita diferença!

  85. SJS

    Dalcim,
    Em primeiro lugar, acho que o Nadal sempre esteve na discussão sobre um possível GOAT. O título do AO certamente fortaleceu o argumento
    de quem o acha o GOAT mas o nome dele sempre esteve na lista nos últimos anos.
    Um dado importante é o H2H nos GS. Ja postei aqui sobre isso (além de outros colegas) mas vamos para números atualizados.

    Nadal contra Djokovic ou Federer: 20/11
    Djokovic contra Nadal ou Federer: 18/16
    Federer contra Nadal ou Djokovic: 10/20

    Dois pontos: i) A vantagem do Nadal é significativa. ii) Difícil argumentar a favor do Federer (como GOAT) com esse H2H (em GS) contra os dois maiores rivais.

    Vamos esperar o fim da carreira dos três. Sorte nossa estarmos vivendo esse momento tão glorioso do tênis.

    Abs

    PS: acho que o Nadal não ganhou GS em 2015

  86. Paulo F.

    Dalcim:
    – Para o mundo do tênis é mais importante a quantidade TOTAL de semanas como número 1 ou as semanas CONSECUTIVAS como número 1?

  87. DANILO AFONSO

    Show de bola estas estatísticas!!

    Dalcim, não cravou neste texto quem é o GOAT (nas estatísticas), mas quem lê os textos do mestre há mais de uma década, sabe os critérios e pesos que ele leva em consideração. Acredito que a ordem atual dele é:
    1- Djokovic
    2- Federer
    3- Nadal

    Tendo em vista o que o Dalcim escreveu em out/2018, onde listou os maiores tenistas de todos os tempos, acredito que o Nadal ainda é o 3° da sua lista. Naquela época, apesar do Djokovic ter apenas 14 Slams, 223 semans com n. 1 e terminando somente 4 vezes o ano como n. 1, o Dalcim colocou Djokovic muito próximo do Nadal, este então com 17 Slams. Federer ainda era o 1° na lista.

    Vejamos o que o Dalcim escreveu na época:

    ” Considero Djokovic muito perto de superar Nadal. Ainda que tenha menor quantidade de Slam, seu largo histórico no Finals e a soma superior de semanas na liderança são fortes indicadores.”

    Passado pouco mais de 3 anos, Djokovic está apenas 1 Slam atrás do espanhol, aumentou para mais de 150 semanas a diferença como n. 1 (360 a 209), passou de 4 para 7 temporadas terminando como n. 1 e a diferença de títulos de Finals permanece a mesma (5 X 0).

    Possivelmente o Dalcim ainda coloca o Federer na frenten do Nadal pela quantidade de semanas como n.1 e larga vantagem no Finals, bem como outros recordes secundários que o suíço é recordista absoluto.

    Link do texto do Dalcim
    ESPECIAL 20 ANOS – OS MAIORES TENISTAS DE TODOS OS TEMPOS

    https://tenisbrasil.uol.com.br/blogs/blogdotenis/index.php/2018/10/page/2/

  88. Emerson Laker

    Fãs de Federer em 2010 “Federer era o recordistas de tudo antes e continua sendo”
    Fãs de Federer em 2011 “Federer era o recordistas de tudo antes e continua sendo”
    Fãs de Federer em 2012 “Federer era o recordistas de tudo antes e continua sendo”
    Fãs de Federer em 2013 “Federer era o recordistas de tudo antes e continua sendo”
    Fãs de Federer em 2014 “Federer era o recordistas de tudo antes e continua sendo”
    Fãs de Federer em 2015 “Federer era o recordistas de tudo antes e continua sendo”
    Fãs de Federer em 2016 “Federer era o recordistas de tudo antes e continua sendo”
    Fãs de Federer em 2017 “Federer era o recordistas de tudo antes e continua sendo”
    Fãs de Federer em 2018 “Federer era o recordistas de tudo antes e continua sendo”
    Fãs de Federer em 2019 “Federer era o recordistas de tudo antes e continua sendo, mas recordes não são tão importantes”
    Fãs de Federer em 2020 “Federer é melhor porque tem mais Finals”
    Fãs de Federer em 2021 “Federer é melhor porque tem mais Finals”
    Fãs de Federer em 2022 “Federer é melhor porque…”

    1. José+Yoh

      Tão ruim quanto defender que o H2H é o critério mais importante para estabelecer o GOAT, mesmo com 5 slams a menos. Ou dizer que houve uma entressafra. Ou que alguns slams são mais “parrudos” que outros.
      Para ver como essa discussão é inócua. Cada um se agarra no galho que parece mais firme.
      Abs

  89. Leo Gavio

    O defasado mental Novax Djocovid é o GOAT. Nadal vai ter de fazer algo a mais pra alcançar o servio.

    Independente de qualquer coisa, os adversarios dele precisaram de problemas extra quadra pra aumentar seus numeros.

    DJocovid tem uns 5 slams jogados fora por ser um neurotico ou por ter sido prejudicado pela pandemia. USO 2020 WB 2020 AOPen 2022

    entre outros.

      1. Luiz Henrique

        Acho que vcs n entenderam o que Leo Gavio falou
        Ele falou prejudicado por ele mesmo ou pela pandemia, e WB 2020 não aconteceu por causa da pandemia

  90. Samuel

    Federer equivale a Steffi Graf no feminino. São os multicampeões que na era profissional jogaram com mais elegância e aparente facilidade na execução dos golpes.

        1. Luiz+Fabriciano

          Nobre Danilo, não acho o xará mala não, kkk.
          Acho que as tiradas que ele dá, são reais, como por exemplo, essa acima.
          Diferente de outros malas que ficam conjecturando, tipo, se fulano fosse menos bonito ou mais cheiroso.
          Grande abraço.

      1. Valmir da Silva Batista

        LUIZ FERNANDO, a sérvia Mônica Deles, que jogava muita bola, estava começando a construir uma freguesia sobre Graf, quando foi esfaqueada nas costas por um fanático torcedor da alemã. Monica, além de quatro anos mais jovem que sua rival, venceu nove Grand Slam e três WTA Finals. Não fosse pela tentativa de assassinato, creio que ela teria conseguido no mínimo emparelhar sua carreira à de Steffi, já que vinha ganhando a maioria dos jogos sobre ela e sobretudo os torneios de maior relevância. Antes de encerrar a carreira de forma prematura, ainda retornou ao circuito vencendo alguns torneios, mas já não ostentava condição física salutar, para fazer frente de igual pra igual às suas adversárias. Era uma grande tenista, no mínimo tão boa quanto Graf…

    1. Samuel

      Federer nunca venceu Nadal em Roland Garros. Isso deixou o espanhol com alguma vantagem nos confrontos diretos.

      Essa situação, porém, em nada afeta a beleza na execução dos golpes pelo suíço, nem a qualidade e quantidade de seus títulos.

      Pura tolice.

  91. Mauricio AW

    É uma comparação complicada, cada torcedor pode colcoar os pesos no seu jogador de preferência. Eu como nadalista poderia concluir que ele é melhor pois tem melhor aproveitamento nos GS e é o mais dominante no seu piso preferido, é o que mais tem troféus de um mesmo GS e de 2 master1000, além de ser o único a ter medalha de ouro olímpica e mais Copa Davis. Mas os outros torcedores também tem elementos. A verdade é que temos a sorte de presenciarmos os 3 maiores de todos os tempos jogando ao mesmo tempo. A tristeza é que a nova geração, por mais que tenha sua competência, está longe desse brilho.

  92. Fabiano

    Tudo bem Dalcim? Só achei falta de você mencionar os títulos de grande slam separadamente. O FEDERER (pra mim o maior e melhor da história disparado e sem discussão), tem mais títulos em 2 dos 4 grande slams. Djocovid e Nadal somente em 1. Além de FEDERER ser o único a ter 5 ou mais títulos em 3 grand slams diferentes, Nadal só em rolanga e o servio AO e Wimbledon. Grande abraço Dalcim.

  93. Gustavo M.

    Dalcim,

    sempre fui fanático pelo Federer, mas o números meio que o colocam em terceiro mesmo na disputa.

    Isso, porque, além de estar muito abaixo em nível Masters, em relação aos outros dois, também perde no H2H para ambos e deverá encerrar a carreira com menos Slams também.

    E pior, os números que militam supostamente em favor dele (semis e finais de slam, títulos no geral, n.º de vítórias), a meu ver, falam contra ele, pois significa que chegou mais, porém não levou o caneco ou que ganhou mais canecos de menor importância, o que também não o coloca em vantagem.

    Enfim, o Federer certamente não é melhor tenista de todos os tempos e até acho esse discussão um pouco desnecessária (talvez por torcer pro Federer hehe), mas, como disse o Gasquet, ele é o maior. Nunca deixará de ser aquele que mais encantou, que venceu de forma mais incrível e mágica.

    Não é só sobre números… hehehe

  94. wanderm2

    Todos os torneios da ATP têm pontuação compatível com sua importância. Tem os ATP 250, 500, os Masters 1000, os SLAMs, que valem 2000 pontos, etc. Dependendo do seu desempenho em cada um dos torneios, o tenista leva uma quantidade determinada de pontos. Nos Masters 1000, por exemplo, o campeão leva 1000 pontos, o 2º colocado leva 600 e daí por diante. Assim, entendo que essa discussão do GOAT poderia ser simplificada, com base no seguinte critério: Qual o jogador que obteve, ao final da carreira, o maior número de pontos? Esse seria, a meu ver, o GOAT. Nunca vi nenhuma estatística a respeito disso e, portanto, não sei quem estaria em vantagem nesta estatística, mas penso que simplificaria demais a discussão.

    1. Thiago+Silva

      Só pegar o ranking do final da temporada dos 3 até 2019 e somar. Dos últimos dois anos tem que pegar o da corrida e somar com o que conseguiram no Finals.
      Hoje ainda deve ser o Federer com mais pontos, mas o Djokovic deve tá perto.

    2. Gume

      Caro wandwr:

      Número de pontos é complicado uma vez que os torneios tiveram modificação nos pontos ao longo do tempo mas a porcentagem de pontos conquistados em relação aos pontos disputados poderia ser um bom indicador.

      Abraços

  95. AKC

    Apesar de torcedor de Federer e Nadal, acho que os números estão a favor do Djoko. Mesmo com esses 21 Slams do Nadal, pra mim ainda ele tem os melhores números. Fora que eu acho que o sérvio ainda vai levar uns 3 ou 4, Nadal talvez leve mais uns 2, Federer infelizmente acho que não leva mais.

  96. Marcos

    Discussão encerrada. Cada um escolhe seu GOAT com o critério que preferir.
    Em suma, somos privilegiados de ver essas 3 lendas em ação.
    Vida longa ao Big3!!!

  97. R.P.

    Qualidade dos oponentes, maior número de vitórias contra o top 10, finais disputadas entre si e aproveitamento no confronto direto. Aliás, a vantagem do DjokoGOAT contra Nadal só não é maior porque o número de jogos que fizeram no saibro é absurdo: 27, mesma quantidade na hard, mesmo a quadra dura sendo palco de 8 grandes torneios contra “apenas” 4 do saibro.

  98. Daniel Stevens

    Bom dia José Nilton,
    Mais uma vez lhe sou grato por compartilhar essas estatísticas tão bem elaboradas! A seguir tenho um ponto que poucos estatistas levam em consideração:
    Não seria mais justo comparar as % dos atletas de acordo com as participações deles nos eventos em questão? A modo de exemplo, você mencionou que: “é importantíssimo frisar que o espanhol disputou muito menos Slam (62) do que Federer (81) e Djoko (66)”…ou seja, se basear nesses dados ajudariam a visualizar melhor a disputa. Por outro lado faz mais fácil de assimilar a comparação entre Federer (que acumula mais dados estatísticos por causa do seu tempo no circuito), Nadal (que é 5 mais novo que Federer e pode estar no final de carrera) e Djokovic (que é 1 ano mais novo que Nadal e ainda não está no final da carreira) .

  99. Eduardo Moura Lima

    Fala Dalcim!

    essa discussão está cada vez melhor (e mais complexa)! hahaha
    Eu particularmente acho que existem apenas 5 critérios nessa avaliação, até para não se tornar algo extremamente subjetivo.
    1. Big Titles
    1.1 – Grand Slam
    1.2 – Master 1000
    1.3 – ATP Finals
    1.4 – Olimpíadas
    2. Semanas como N1

    O resto eu acho que são indicadores que pouco ou nada avaliam de fato quem foi MAIOR.
    – Número de vezes terminando como N1: é apenas um indicador de quem estava como N1 na última semana do ano, que nenhum diferença prática tem do que qualquer semana como N1, visto que isso avalia os 12 últimos meses. Esse indicador é simplesmente simbólico, uma fotografia em uma determinada semana. Tanto é que um bom exemplo é o Federer que tem o equivalente a 6 anos como N1, e o Nadal 4 anos, e ambos terminaram 5x como N1. Não vejo relevância.
    – H2H: todos que jogam tênis sabem que existe “encaixe” de jogo … Você pode ganhar de todo mundo e ter dificuldade com um jogo de alguém. Isso não quer dizer que a pessoa é melhor que você.
    – Campanhas e feitos: a grande maioria até indicam consistência (campanhas), mas a maioria acho que são apenas curiosidades. Ex: 2 jogadores que possuem 4 GS no fim da carreira, um que ganhou os 4 com intervalos de 3 anos entre eles, e outro que ganhou os 4 no mesmo ano, pra mim possuem a mesma importância.
    – Número de títulos totais: uma vez que os Big Titles são destrinchados, esse indicador perde o sentido, pois o que sobra para compor esse número são títulos sem importância nessa corrida (ATP 500, ATP 250, …).

    A única menção honrosa que acho justo citar é a dominância absoluta do Nadal no saibro. Se imaginarmos que o tênis hoje se divide basicamente entre pisos duros e de saibro (a grama apesar da tradição tem uma fatia quase inexistente no circuito atual), e o espanhol dominou de forma nunca antes vista (não só no tênis, mas em qualquer esporte) quase que 50% da representatividade das condições de jogo atuais.

    Sigamos com as discussões … hahaha

    Abraço

    1. Evandro

      Concordo com seu critério:

      1. Big Titles: Djokovic
      1.1 – Grand Slam: Nadal
      1.2 – Master 1000: Djokovic
      1.3 – ATP Finals: Federer
      1.4 – Olimpíadas: Nadal
      2. Semanas como N1: Djokovic

      Acho que é isso, os números são favoráveis ao Djokovic, mesmo Nadal tendo mais Slam, porque não é só isso que conta. Isso sem considera que Olimpiadas durante um bom tempo nem ra considerado pela ATP.

    2. Luiz+Afonso

      Na verdade as semanas como número 1 são uma decorrência do somatório dos grandes torneios conquistados durante um período. Ou seja, é se manter em altíssimo nível numa sequência absurda. Não vejo como ficar abaixo de Master 1000.
      TODOS são unânimes em afirmar, e isso em qualquer esporte: “Chegar ao topo é fácil. DIFÍCIL é se MANTER nele.”

      1. Eduardo Moura Lima

        Discordo. O ranking não pode nunca ficar à frente dos títulos. Deve ser considerado sim, mas nunca mais importante que as conquistas.
        Como você mesmo disse o ranking avalia a consistência do jogador. Mas isso implica a possibilidade de alguém ser o N1 apenas chegando as fases finais dos torneios mas sem necessariamente vencer nenhum. A Wozniacki mesmo foi N1 sem conquistar GS (só foi conquistar bem mais tarde, quando nem era mais N1). Fora que essa métrica ainda prejudica os que se lesionam mais. (Eu sei que a lesão pode ser uma consequência do estilo do jogador. Mas pode não ser também.)

        Abraço

        1. Luiz+Afonso

          Como eu disse: chegar ao número 1 é “fácil”, como você bem citou a Wozniacki. DÍFICIL é se MANTER nele. Se não conquistar os grandes títulos, não vai nunca conseguir se manter no topo numa sequência absurda, como aconteceu com Nole e Federer. E mesmo Nadal, num período menor, mas também bastante relevante.
          Dizer que isso não é significativo na “corrida” do GOAT, superior a conquistas de Master 1000, não me parece razoável.
          Abraço.

  100. Rafael

    Há muitas estatísticas que pouco importam, na minha opinião.
    Das principais, o sérvio perde no total de Slams e lidera praticamente todas as outras, incluindo o H2H e total de big titles. É claro que o 21 do Nadal pesou, mas, apesar da ausência na Austrália, o Djoko voltará com tudo e ainda vencerá mais torneios e Slams.

  101. Valmir da Silva Batista

    DALCIM, faltou você listar o quesito vitórias em jogos diretos entre Nadal, Federer e Djokovic. Sei que entre Djokovic e Nadal, o placar está 30 a 28 para o Sérvio. Já entre ele e Federar, não sei precisar, enquanto entre o suíço e Nadal, sei que Rafa ostenta boa vantagem, mas novamente não sei a exatidão do placar. Discorra a respeito, por favor…

  102. Spencer

    Saudações ao Dalcim e aos colegas digitais desse blog. Esse é o tema do momento, não é mesmo? 🙂 Sei que é um ponto de vista “chato”, mas, acredito que é impossível comparar desempenhos de épocas diferentes, em qualquer área. Como afirmar que o Big 3 ganharia algum Wimbledon atuando durante o auge de Sampras ou mesmo de Borg ou Laver? Como afirmar que o Big 3 ganharia algum Roland Garros atuando durante o auge de Borg ou mesmo dos latino-americanos e espanhóis dos anos 90? No AO e no USO então, as concorrências poderiam ser muito maior. Todas as condições envolvidas para se jogar uma partida de tênis eram muito diferentes e continuarão mudando ao longo do tempo. Mesmo entre os três é muito difícil de comparar, principalmente Federer e Djokovic nas quadras “rápidas”, já que, teoricamente, apesar da idade, o Nadal está mais perto da geração do Federer do que da Djokovic. Apesar de tudo – e diria contra alguns números decorrentes das diferenças de idades – acho, só acho: 1) O melhor Federer é melhor que o melhor Nadal e o melhor Djokovic nas quadras “rápidas”. 2) O melhor Nadal é melhor que o melhor Djokovic e o melhor Federer nas quadras “lentas”. 3) Djokovic é o que tem o jogo mais equilibrado para as quadras “rápidas” e “lentas” entre os 3. 4) Federer, Nadal e Djokovic são os três principais tenistas dos anos 2000, em igualdade de importância.

    “A percepção (espaço) agora (tempo) é necessária até ser desnecessária e vice-versa.”

    1. Luiz Henrique

      Concordo Spencer.
      Mas no fim das contas, tanto vc como eu sabemos que o que mais importa pra gente é agregar os valores nadalinos em nossas vidas
      Trabalhar muito, se dedicar e alcançar nossos sonhos

      1. Spencer

        Saudações, Luiz Henrique.

        Eu lembro desse Spencer que enaltecia os “valores nadalinos”. Hoje percebo que era apenas o meu ego querendo “biscoito”, utilizando o Nadal como Espelho para o meu próprio angustiado reflexo.

        Quais seriam os valores a serem defendidos hoje? 🙂 Essa é a pergunta do milhão, não é o mesmo? O que posso afirmar é que existem quase 8 bilhões de grupos de percepções tentando se consolidar como “os valores a serem defendidos” pelo Coletivo, dentre eles, Nadal, Djokovic, Federer, cada mendigo do Planeta Terra, etc., …todos com exatamente o mesmo potencial: 1 Ser Humano.

        No que se refere a você, especificamente, o que posso dizer é o seguinte: enquanto fizer sentido para você considerar os “valores nadalinos” como referência, considere-os. O que faz sentido para você é o que realmente importa ou deveria importar para você. Trata-se de uma percepção predominante considerando a nossa realidade nos últimos 10.000 anos e, provavelmente, até os fins dos tempos, pelo menos, no que se refere ao Planeta Terra.

        “Faz sentido perceber uma Jornada Coletiva?”

    2. Luiz+Afonso

      Spencer, seu comentário foi bastante pertinente, mas só abro uma discordância: apesar de Rafa ser, dos três, o que eu tenho menor admiração quanto ao estilo de jogo (embora hoje o jogo dele esteja MUITO mais agradável de se ver e até melhor do que o que ele praticava antes), eu não tenho qualquer dúvida que Nadal seguiria dominante no saibro em qualquer geração, pelo menos a partir da época em que não mais se jogava com raquetes de madeira.
      Se há um espaço em que não paira nenhuma dúvida em relação ao GOAT, é quando o tema se limita às quadras de saibro. Ninguém na história foi tão dominante quanto o espanhol.

      1. Spencer

        Saudações, Luiz+Afonso.

        É a sua perspectiva e eu a respeito. Mas, considerando o seu texto, eu mantenho a minha dúvida extraindo a seguinte parte: “…pelo menos a partir da época em que não mais se jogava com raquetes de madeira…”. Seria o suficiente para colocar em cheque essa consideração para o Nadal. Será que ele conseguiria vencer Borg em Roland Garros na época do Borg? Isso porque nem estou considerando o papel messiânico que o sueco teve para o tênis quando ele atuava. Que tal o Borg ser o G.O.A.T. daquele período de, mais ou menos, 8 anos? Do meu ponto de vista e acredito que de muitos outros que o acompanharam, ele mereceria pelo menos esse título. 🙂

        “A vida insistirá em surpreender as crenças até que isso seja desnecessário.”

  103. Diego Bezerra

    Mais Post sensacional Dalcim, incríveis marcas desses 3 gigantes do tennis, bem parelho hein!!!! Mas em termos de números e importância desses números creio que Nole é o maior ( Slams, Finals, Master 1000, Temporadas terminadas #1, semanas como #1), entretanto Roger é o Melhor tenistas que já vimos em termos técnicos juntamente aos resultados alcançados, 237 semans seguidas no #1, longevidade, Finals, 20 Slams e 103 títulos de primeira linha…. Maior= Nole e Melhor= Roger.

  104. Luís Nogueira

    Não tem muita discussão. Numericamente no momento está GOATVIC em primeiro, seguido de Federer e Nadal.

    Sim, o sérvio tem tido atitudes péssimas fora de quadra, mas não podemos negar seu domínio absurdo dentro dela. O cara dominou duas lendas e deveria até ter mais títulos de Grand Slam, caso não tivesse feito m***.

    Não gosto do suíço, mas o que pesa a seu favor e o coloca acima de Nadal são as semanas como número 1 (uma surra) e a quantidade relevante de ATP FINALS.

    Ainda que o espanhol tenha vencido o AO, se tornando o maior vencedor de Slams da história (um feito notável), ainda fica abaixo dos outros 2 concorrentes diretos pelo posto de GOAT.

    Previsões: Nadal e Djoko terminarão a carreira empatados em número de Slams. 22 títulos.

    Federer, sendo realista, não vence mais Grand Slam.

  105. André+Borges

    GOAT mesmo é o Federer, que obviamente foi o maior tenista de todos os tempos e transcendeu em muito o mundo do tênis, mas as pessoas gostam muito de se apegar apenas aos números. Numero por numero Nadal então é o GOAT.

  106. Marcelo+Costa

    Pega fogo cabaré!!!!!! Dalcim esse seu post é polêmico, vou esperar a carreira deles chegar ao fim, aprendi isso com um cara que tem um blog super conceituado e que sempre diz isso, você devia conhecer rsrrsrsr

Comentários fechados.