Barty resgata anos dourados do tênis australiano
Por José Nilton Dalcim
29 de janeiro de 2022 às 13:15

A Austrália foi uma das maiores potências do tênis até que a Era Profissional embalou. A fase amadora viu gigantescas estrelas dominarem o circuito, recheando o currículo de troféus de Grand Slam. Além é claro da habilidade com a raquete, os australianos introduziram o preparo físico apurado e isso fez notável diferença.

Margaret Court, Rod Laver e Ken Rosewall ainda conseguiram brilhar no começo da fase profissional, embora não tenham tido a sorte de o ranking ter surgido em tempo hábil para classificar corretamente seus desempenhos espetaculares. John Newcombe e Evonne Goolagong apareceram como herdeiros, venceram Grand Slam na metade da década de 1970 e conseguiram liderar brevemente o ranking.

Apesar de alguns grandes nomes terem surgido no masculino e resgatado o passado de ouro, como Lleyton Hewitt, Patrick Rafter e Pat Cash, o feminino nunca mais conseguiu ter uma australiana à altura de sua história. Até que surgiu Ashleigh Barty. Como todo mundo sabe, por pouco ela não se aposentou precocemente. Para sorte do tênis, voltou em 2017 e levou apenas duas temporadas para atingir sucesso com um estilo tão admirável.

Ao conquistar neste sábado seu terceiro troféu de Slam, tendo agora um em cada piso possível, e número 1 do mundo por mais de 100 semanas, Barty se firma como maior nome do tênis australiano ao menos dos últimos 40 anos. É também uma resposta convincente para aqueles que a criticaram quando não aceitou voltar ao circuito pós-covid em 2020 e a acusaram de se valer do congelamento do ranking.

Barty reintroduziu no tênis feminino a supremacia da habilidade sobre a força. Não que possua um saque ruim ou golpes pouco contundentes, mas a base primordial está na criação tática das jogadas, na variação de velocidades e efeitos. E para completar, irradia alegria, simplicidade, bom humor e prazer. Daí é fácil entender por que ganhou o status de ídolo esportivo local.

É bem verdade que a final deste sábado contra Danielle Collins não foi seu melhor momento no torneio. As duas pareciam nervosas demais no primeiro set. A norte-americana enfim se soltou, bateu na bola e deu seus gritos, embalou 5/1 e parecia às portas de um terceiro set imprevisível. Mas Barty reagiu e subiu de nível, voltando a dificultar os ataques de Collins. O saque fez muita diferença: 10 a 1 em aces, 82 a 63% de pontos com o primeiro serviço.

Aos 25 anos, idade bem próxima a de suas principais rivais, Barty só precisa manter a motivação e evitar contusões para escrever um capítulo todo seu na história do tênis feminino.

E mais

  • Além do 21º troféu, Nadal pode repetir Djokovic e também ter ao menos dois títulos em cada Slam. Seria a primeira vez que o espanhol somaria mais Slam do que Federer.
  • Nadal e Djokovic ganharam 12 dos últimos 14 Slam. As exceções foram Thiem e Medvedev. Russo perdeu as primeiras finais de Slam que fez contra Nadal e Djokovic, mas depois bateu o sérvio.
  • Medvedev pode ser o quinto profissional a vencer o torneio após salvar match-point. Newcombe, Kriek, Edberg e Safin também o fizeram.
  • Medvedev ganhou 4 de seus últimos 6 jogos diante de top 5. Em quadra dura, ele tem 9-15 na carreira. Já Nadal perdeu suas últimas quatro partidas e sua marca geral é de 27-43 no piso.
  • Os dois chegam à final com esforço muito parecido: Nadal passou 17h04 em quadra e Medvedev, 17h29. Russo ganhou 5 de 7 tiebreaks, espanhol só jogou um e venceu.
  • Nadal pode chegar ao sétimo Slam após os 30 anos e ficar um atrás de Djokovic. Com 4, aparecem Federer, Laver e Rosewall.
  • Jogo começa às 5h30 (de Brasília) e não há previsão de chuva. Será apenas o segundo jogo noturno de Rafa na campanha deste ano, já que ele pediu para jogar sempre de dia.
  • Pouco antes, à 1h, Bia Haddad Maia busca o título de duplas ao lado de Danilina numa missão muito dura diante de Krejcikova/Siniakova, as líderes do ranking e campeãs olímpicas. O título valerá US$ 435 mil para a parceria, as vices ficam com a metade.
  • Mais festa australiana: Kyrgios e Kokkinakis foram claramente apoiados pelo público e se tornaram a primeira dupla local a ganhar o torneio desde os Woodies em 1997. Os dois tiraram Mektic/Pavic logo na estreia e agora aparecerão no top 50 do ranking, além de ter grande chance de disputar o Finals de Turim.
  • Nascido em São Paulo mas radicado nos EUA desde criança, Bruno Kuzuhara ganhou o juvenil após incrível esforço de 3h43 em que o vice Jakub Mensik passou tão mal que sequer foi à cerimônia de premiação. Bruno, de 17 anos, falou em português e japonês. Ele era o cabeça 1 e pode aparecer no top 3 do ranking. O título feminino ficou com a croata Petra Marcinko, também favorita.

Comentários
  1. EDVAL CARDOSO

    E contra todos os prognósticos que diziam que pro Nadal ganhar teria que ser em 3 sets pois não teria físico pra aguentar uma maratona de 5 sets, foi justamente nos 3 últimos que ele jogou o seu melhor tênis, levando o Russo a exaustão.
    Simplesmente inacreditável a força de vontade desse espanhol.
    E como torcedor do Djoko só tenho uma coisa a dizer,
    Bem feito pra ele, agora vai ter que correr atrás do Nadal de novo por ser tão imbecil.

  2. Luiz+Fernando

    Logico, fakes recalcados, invejosos mil, gente q inventa esquemas de doping e de bastidores, chorem, chorem e acima de tudo SOFRAM, vcs merecem todo esse sofrimento q estão passando nesse momento no qual uma lenda viva do esporte conseguiu um feito gigante, algo sublime, um cara q ha 5 meses estava de muletas, que em Dezembro pegou covid e hj levanta o maior titulo de GS de todos os tempos. Hoje Rafa fez historia, com letras maiúsculas, FENOMENADAL!!!

    COMO OS CARAS TAO SOFRENDOOOOOOOOOOOOO kkkkkkkkkkkkkkk!!!

  3. Luiz+Fernando

    Opiniões abalizadas dos experts aqui do blog:
    ~ nao ganha mais no piso duro kkkkkkkkkkkkkk
    ~ nao tem mais preparo fisico p jogos longos kkkkkkkkkkkkk
    ~ nao vence o Shapo ou o italiano kkkkkkkkkkkk
    ~ nao tem chance contra o Medvedev kkkkkkkkkkkkkkk
    ~20 GS esta bom demais p ele kkkkkkkkkkkkkk
    ~ unica correta: precisa ter mais cuidado no set 3 kkkkkkkkkkkk

    Torcam contra, um pouco mais kkkkkkkkkkk, continuem kkkkkkkkkkk…

  4. Luiz+Fernando

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    21 21 21 21 21 21 21 21 21

    VAMOSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS, 21 S!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  5. Paulo Sérgio

    Nadal é o GOAT, mas sem ser rei absoluto porque está atrás nas outras estatísticas. Slam é o título mais importante e isso o coloca a frente de Djoko. Para Djoko voltar a ser rei do tênis tem que empatar ou superar Nadal em conquistas de slams, mas com a cabeça dura negacionista não sei se vai disputar slams que exigam o passaporte vacinal. E o pior: Nadal pode ampliar a vantagem em RG. É chato torcer para o cabeca dura do Novak, mas em RG e WB tem grandes chances porque o rsusso e Zverev não são tão fortes quanto na quadra dura. Quero ver como ele, o sérvio, vai reagir agora.
    Parabéns Rafael Nadal, o GOAT!

  6. Sandra

    Sera Dalcim que vc pode me explicar com outra palavra que não seja superação, essa provável vitória do Nadal? Não entra na minha cabeça alguém correr mais de 5 horas com o pé rachado!

  7. Rafael+Azevedo

    Nesse início de set, Nadal tá tendo que despender um esforço absurdo para ganhar um ponto. Impressionante como todas as bolas do russo voltam. E o saque não tá ajudando.
    Se continuar nessa pegada, o espanhol desaba fisicamente no terceiro set.

  8. Alexandre

    Salve Dalcim,
    Apos torcer em muitos jogos pela Bia, confesso que hoje apesar da derrota, nao fiquei frustrado. Ela fez uma linda partida ate meados do segundo set. Ai creio que o fisico pesou um pouco e possivelmente o nível de jogo e concentração caíram. Tambem achei que as Tchecas nao estavam em seu mel]hor dia, talvez um pouco mais nervosas do que deveriam.
    Como voce viu a partida, Dalcim e o que o tênis brasileiro feminino pode aprender com essa campanha fantástica.

    Um agrande abraco,

  9. Marcilio Aguiar

    Boa noite Dalcim. A australiana Barty, embora tendo BH de uma mão, seria a sucessora da maravilhosa Justine Henin, no que se refere à qualidade técnica, consistência e estilo? Poucas jogadoras me deram prazer em ver jogar como a belga e a Barty vai pelo mesmo caminho.

    1. José Nilton Dalcim

      Duas mãos, você quis dizer. Sim, ela é exatamente do estilo da Henin e isso é muito saudável para o tênis feminino.

  10. Valmir da Silva Batista

    DALCIM, você poderia me explicar por que raios se enaltece tanto e merecidamente Ken Rosewell e sobretudo um tanto mais e merecidamente Rod Laver, mas pouco se eleva os feitos de Roy Emerson, sendo os três são australianos e até contemporâneos, com 87, 83 e 85 anos, respectivamente? Minha pergunta se pauta no fato de que Emerson possui 12 slans contra 11 de Laver e 8 de Rosewell, e como se não bastasse, ele também ganhou outros 16 slans em duplas, não tendo seus colegas feito o mesmo, ou seja, não vencerem um único slam em duplas, ou ao menos não consta em registro, o que não creio ser alguma falha de divulgação, já que verifiquei em mais de uma opção informativa. Enfim, Dalcim, você pode discorrer a respeito?

    1. José Nilton Dalcim

      Talvez porque todos seus títulos de simples foram na fase amadora e metade deles no torneio australiano, que era obviamente bem mais vazio de estrangeiros.

      1. Valmir da Silva Batista

        DALCIM, essa é uma explicação viável, mas também refutável, já que Roy e Rod eram praticamente da mesma idade( 85 e 83, respectivamente ), sendo Ken 2 e 4 anos velho, ou seja, eram contemporâneos. Além do mais, não só não se fala a contento no nome de Emerson, sobretudo em comparação ao de Laver, como praticamente não se fala dele no sentido geral, como se não tivesse conquistado nada de relevante, além de também não haverem alusões, por parte dos que avaliam tênis, sobre seu estilo jogo. Portanto, Dalcim, sua opinião faz sentido, mas ainda assim, vejo o que ocorre com Roy Emerson mais como uma injustiça, aliás, parece que os 28 slans( 12 em simples e 16 em duplas ) que ganhou foram por sorte ou por obra do acaso. Vou dar um exemplo de como os analistas do jogo de tênis às vezes são injustos, como no caso de Roy; veja o caso das belgas Justine Henin e Kim Clijsters: Henin venceu 7 slans contra 4 de Clijsters, enquanto esta ganhou apenas um WTA Champions a mais( 3 a 2 ), mas Henin liderou por muito mais tempo o ranking. Por outro lado, a imprensa especializada sempre deu mais destaque a Clijsters, sendo relegado a Henin, no sentido comparativo, status semelhante ao de Roy Emerson…

        1. Rem

          Dez dos títulos de Slam foram ganhos no período entre 63 e 67, quando o Rod Laver e outros, estavam impedidos de participar por terem se profissionalizado.

  11. Carlo V.W.

    ” Federer jamais precisou provar nada, pois nasceu com o Dom.
    Nadal teve que provar tudo a todos e independente do resultado de amanha conseguiu isso.
    Já Djoko chegou e demoliu a tudo e a todos os recordes. Só precisava mostrar um bom caratér, mas…”

    Parece que o resultado do exme qu é a “prova dos 9” de caratér dele está a caminho. E agora saberemos se nós, os críticos dele, temos ou nao razão.

    1. Miguel BsB

      Obs: além do belíssimo jogo, ela ainda joga em silêncio, ao contrário das irritantes Sabalenkas e Sharapovas da vida….

  12. Fernando Brack

    Vendo a euforia dos australianos com os títulos da excelente Barty e de Kyrgios/Kokkinakis, fico imaginando como eles estão chateados com a ausência do sr. No-vac.

  13. Ronildo

    Faltam menos de 24 horas para que eu possa lavar a alma em sentimentos fraternos devido a uma melhor distribuição de renda e títulos na ATP. Evidentemente que o ideal seria ter um campeão diferente a cada slan, mas infelizmente não temos este mundo perfeito. Permanecerei neste nirvana espiritual até meados de maio.

  14. Rafael

    Mestre,

    Como os adversários aproveitam pouco o fato de o Medvedev receber o saque tão atrás da linha de base. Aquele saque angulado do Nadal vai massacrar o russo. Não sei se vc lembra, mas naquela final do Masters 1000 do Canadá o Nadal usou muito bem os ângulos e foi um massacre. Acredito que jogando com inteligência e com sua experiência o Nadal leva. Aliassem e Tsisipas conseguiram explorar bem esse ponto fraco do russo. Nadal mais experiente e inteligente taticamente sabe usar melhor esse ponto. Eu avisei, mestre. Nadal 22 em RG.

    1. José Nilton Dalcim

      Pois é, mas o Nadal perdeu o jogo bem mais recente, no Finals de 2020. Portanto, o russo pode ter achado um antídoto.

      1. Thiago+Silva

        Só que naquele jogo o Nadal tava dominando e chegou a sacar pra fechar o jogo no segundo set, aí perdeu o saque e começou a jogar mal e ficar batendo slice de esquerda até se entregar de vez.

  15. Gume

    Caro Mestre:

    Parabéns pela belíssima cobertura do Ausopen.

    Uma curiosidade: Olhando as estatísticas dos jogos da Bia observei que não foram computados pontos na rede. Não é costume contar os pontos na rede de jogos de duplas?

    Abraços.

    1. José Nilton Dalcim

      Estatísticas de jogos de duplas são um tanto estranhas. Acho que valem muito o aproveitamento de saque e de devolução, o resto é difícil de precisar. Não existem muitos erros não forçados porque quase tudo é forçado pelo adversário. E acredito que não contem pontos na rede porque a maior parte deles é concluído com voleio. Mas deveriam, sem dúvida. Abs!

  16. Paulo Almeida

    Reverter 5-1 e saque é para pouquíssimos; Ash
    também se mostrou uma gigante mental e entrou para o clube seleto.

    O palhaço Kyrgios foi carregado por Kokkinakis e finalmente ganhou um Slam*.

    Nadal está cansado de machucar esquerdas atrofiadas ao longo da carreira (Shapovalov e Berrettini foram as vítimas da vez), mas amanhã enfrentará uma bem decente (não a melhor da história, que pertence ao Craque). Como muitos já disseram, precisará resolver em três ou quatro sets, senão ficará bem complicado aguentar o ritmo do Capetão Russo ou Medvedevil.

    1. Miguel BsB

      Paulo, concordo que a esquerda do italiano deixa muito a desejar, mas a do Shapo é muito boa. Precisa de maior regularidade às vezes, é fato…

      1. Paulo Almeida

        Miguel,

        Falo da esquerda defensiva durante os ralis e de devolução do canadense, muito bem exploradas pelo back ofensivo e pelo saque do espanhol, respectivamente. Já em posição de ataque, ela é muito efetiva de fato.

  17. Renato+Toniol

    Dalcim, você postou no texto que Kyrgios foi apoiado pelo público, mas percebi em várias ocasiões, ele receber vaias durante o jogo.
    Quanto ao Brubo Kuzuhara, acho que seria legal uma matéria mais abordada sobre a vida dele, explicando quando ele se mudou para os EUA etc.

  18. Fábio Fernandes

    Dalcim, aquela cena do Nadal saindo chorando de quadra após vencer Berretini, é muito amor e respeito a sua própria profissão!! Isso é de arrepiar! Não sei se ele ganha essa final mas vou torcer muito por ele!

  19. Rodolfo Costa Sousa

    Olá mestre Dalcim!!
    Eu fiz uma contagem baseado no flashscore somei os dados de cada uma das 6 partidas de cada .
    Nadal X Medveved
    Tempo: 17h 14 min. 16h 57 min.
    Ace: 41. 94.
    DF: 32. 33.
    Winner: 214. 296.
    ENF: 151. 163.
    Analisando os dados eu achei até meio parelho.
    Claro se vc tirar os 53 ace os winner seriam bem próximos.
    Pensei de o Russo ia ser bem superior em todos dados.
    Acho q vai ser tipo a final deles do USopen.
    Mas não arrisco um vitorioso.
    Mas tenho a impressão que mesmo o russo chegando à final estando mais experiente me pareceu menos estável!
    E Nadal apesar de todo seu contexto chegou mais forte!
    E achei que os adversários até às 4ª Medveded teve mais dificuldades que Nadal mesmo ambos pegando adversários menos gabaritados por exemplo o Cressi deu mais trabalho para o russo q Para Nadal naquela final tendo em Vista um Nadal sem ritmo total.
    Esses números mudam alguma coisa pra vc?
    E a final sendo a noite tenho a impressão q vai ser melhor para Nadal já que o calor castigou muito ele, mesmo ele preferindo no calor como já explicado !
    O que vc acha disso ?

    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, Nadal deverá ter menos desgaste, mas ao mesmo tempo vai encontrar um piso mais lento que permitirá ao Medvedev esticar os pontos, uma tática bem provável a ser adotada pelo russo ao menos nos sets iniciais. Então teremos mesmo de ver se Rafa conseguirá manter sua iniciativa de definir pontos mais rapidamente, o que exige um bom saque ou mais risco.

  20. Samuel

    Não nos esqueçamos de que o tênis feminino australiano já brilhou um bocado em Grand Slam com Samantha Stosur, que, além de ter conquistas em duplas, nas simples foi vice-campeã em Roland Garros e campeã no Aberto dos EUA.

  21. Paulo F.

    Infelizmente a vitória espetacular de Ashleigh Barty e todo o seu simbolismo foi maculada pela triste conquista do tênis circense, seu abjeto representante e de uma das piores figuras da história deste clássico e apaixonante esporte.
    O tênis está de luto.

  22. lEvI sIlvA

    Caro Dalcim, não parece curioso, que tanto Nadal quanto Medvedev tenham sido mais exigidos e levados ao 5° Set pelos mais jovens e inexperientes oponentes neste Australian Open?
    Não só isso, ambos estiveram em vias de ser derrotados…
    Pra completar, Shapovalov e Aliassime são, os dois canadenses. Uma rara coincidência, sem dúvidas!!!
    😱😱😱

    1. José Nilton Dalcim

      Mas Nadal não esteve nem perto de correr risco de eliminação, Levi. Quebrou logo no começo do quinto set.

  23. Rodrigo S. Cruz

    Não gosto muito de previsões, mas acredito que o russo chiliquento fará pó do Nadal nessa decisão.

    Eu não quero isso. Prefiro ver uma final disputada…

    Por outro lado, o espanhol terá outra oportunidade de ouro de se isolar como o maior vencedor de majors, em Roland Garros. Principalmente se o sérvio falsificador de exames continuar com a sua sanha anti-vacinas… 🧐🧐

    1. Alessandro+Siqueira

      O cara é o maior atleta do país. Se fosse para falsificar, falsificaria o passaporte de vacina e ponto. A gente sabe muito bem que um multimilionário não teria dificuldade de conseguir isso em lugar algum do mundo, sobretudo sendo uma unanimidade na terra natal. Ou você acredita mesmo na lisura absoluta de todas as pessoas envolvidas na vacinação?

    2. Vitor Hugo

      É como eu disse, caro Rodrigo. O lugar ideal para o sérvio é cana, e poderia ser enquadrado por estelionato e formação de quadrilha.

      1. Alessandro Siqueira

        E o lugar ideal para quem imputa FATO DEFINIDO como crime, sem poder provar o que alega, é respondo a um processo por calúnia, já que crime contra a honra continua sendo capitulado no Código Penal. Mas como você, assim como eu, é um Zé Ninguém, ninguém vai perder tempo com persecução penal. É aquela coisa: as carruagens passam, a despeito de eventuais latidos dos caninos.

  24. George Beco

    Dalcim, fazendo uma análise, você acredita que se Medvedev ganhar o primeiro ou o segundo set a chance dele ser campeão aumenta???
    Claro que por óbvio ganhar um set deixa a pessoa mais perto, mas digo mais pelo condicionado físico de Nadal. Contra Shapovalov mesmo, cara, ele só ganhou aquele jogo porque o canadense não tem auto controle, é um cara que quer ser ofensivo dando porrada da linha de base, já Berrettini, o italiano teve chance pra quebrar Nadal no quarto set, mas o espanhol na marra conseguiu se manter.
    Acho que o espanhol tá se acabando fisicamente muito rapido, e contra um cara do porte de Medvedev o buraco é mais embaixo, ao meu ver a chance dele ganhar é fazer 3 sets tranquilos, passou disso não vejo outra chance, quanto mais se alongar, bem menos chance pra o espanhol

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, George, acho que isso seria muito importante para os dois tenistas. O próprio Nadal declarou que vencer o primeiro set contra o Berrettini era parte essencial do seu plano tático, então imagino que ele pense o mesmo contra Medvedev.

  25. Ronildo

    Barry é incrível. Está na ponta no tênis feminino numa época onde o nível de qualidade é altíssimo, tanto fisicamente como tecnicamente.

  26. Willian Rodrigues

    Curti demais a conquista da dupla Kyrgios/Kokkinakis!
    Embora esse grego-australiano seja um falastrão, indisciplinado e, por vezes, antiético, tem talento demais.
    Quem sabe essa conquista não leva motivação para um maior envolvimento com a carreira de simples?!
    Gostaria de assistir a embates de Kyrgios em sua melhor versão e condicionamento físico contra um Medvedev, por exemplo.
    Eu apostaria no grego…

  27. Willian Rodrigues

    Embora no 1º set ambas não tenham apresentado o que forma de melhor no decorrer do torneio, gostei demais de assistir ao jogo (1º do feminino que pude acompanhar, na íntegra).
    Collins tornou essa final muito digna, jogando bastante no 2º set. Arrisco-me a dizer que, naquele nível, teria derrotado qualquer outra jogadora em atividade o momento.
    A questão é que do outro lado da quadra estava Ashleigh Barty… E esta moça está simplesmente barbarizando em todos os fundamentos.
    Coisa linda de se assistir! Quanta variação, e precisão nos golpes. Ela foi, simplesmente, o que de melhor surgiu no âmbito do tênis feminino nesses últimos anos.
    Afirmei noutro post, e reitero agora, que a versão atual da Barty faria sim frente a Serena Williams em seus melhores momentos.
    Não digo que dominaria, mas ao menos imporia seríssimas dificuldades à estadunidense.
    Saudações a todos

Comentários fechados.