‘Shapo’ dá lição no preguiçoso nº 3, Bia atinge façanhas
Por José Nilton Dalcim
23 de janeiro de 2022 às 12:41

Perder é obviamente parte do jogo, mas Alexander Zverev mostrou aquele velho conformismo que parecia ter sido superado com a ascensão dos últimos anos. Diante de um talentoso e animado Denis Shapovalov, esse sim um garoto que raramente se entrega, o número 3 do mundo foi um fiasco e levou verdadeira aula. Foi sua 15ª derrota para um top 20 em Grand Slam em 19 tentativas. Ele aliás jamais ganhou de um top 10 nos quatro maiores torneios em 11 duelos.

‘Shapo’, é preciso frisar, venceu agora três dos últimos quatro duelos contra Zverev. Semifinalista de Wimbledon no ano passado, está toda hora à procura de corrigir defeitos. Trocou Mikhail Youzhny por Jamie Delgado, o ex de Andy Murray, e parece menos afoito. Começou o ano com covid, mas se recuperou e foi essencial no título canadense da ATP Cup semanas atrás. Aliás, se Felix Aliassime também avançar, será a primeira vez que dois tenistas do país alcançam as quartas do Slam australiano.

O jogo contra Sascha foi um tanto estranho. O alemão quase quebrou de cara, aí cedeu o saque e o primeiro set. Parecia perdido ao sair de 0/2 na outra série, mas aí reagiu e chegou a sacar com 5/3, no que poderia mudar totalmente a história. Jogou errado, ficou frustradíssimo e a partir daí Shapovalov dominou, com muito mais atitude. O cabeça 3 insistia em trocar bolas no backhand, jogando lá atrás, e caiu diante de um adversário muito consistente.

Quem não poupou críticas a Zverev foi Boris Becker, ao comentar para a Eurosport. “Se ele sonha com um Slam, sua postura precisa ser diferente”, disparou. “Nunca o vi tão passivo e sem agressividade”, emendou. O campeão olímpico não achou desculpas, mas revelou que não se sentiu bem em quadra em toda a semana. Ele anotou apenas três aces na partida. “Foi meu pior desempenho desde Wimbledon”, assinalou, lembrando da derrota sofrida então para Aliassime.

Esta foi a segunda vitória de Shapovalov sobre um top 5. A outra foi justamente contra seu próximo adversário, o embaladíssimo Rafael Nadal, num resultado surpreendente em Montréal de 2017. Depois disso, perdeu três vezes mas em Roma do ano passado levou o espanhol ao tiebreak do terceiro set.

Rafa mostrou-se cirúrgico contra Adrian Mannarino. O primeiro set foi extremamente parelho, com domínio absoluto dos sacadores até o tiebreak. Então veio o grande momento do jogo e talvez do torneio, com ambos jogando em nível magistral por 28 minutos e 30 pontos. O francês teve suas chances, bateu muito na bola porém o campeão de 2009 sempre achou uma resposta, algumas vezes realizando seus lances impossíveis sob pressão. Muita confiança e principalmente postura determinada. Que contraste para Zverev. Nos sets seguintes, sentindo a virilha, Mannarino foi presa fácil.

Matteo Berrettini e Gael Monfils farão o outro duelo de quartas de final nesse lado de cima da chave. A atuação do italiano contra Pablo Carreño beirou a perfeição, tirando o máximo de seu incrível primeiro serviço, mas também se mexendo muito bem, indo à rede na hora certa e novamente mostrando evolução no backhand. Ele vinha dos cinco duríssimos sets contra Carlos Alcarez, fez 28 aces e só encarou um break-point. Berretini tem agora quartas em todos os Slam e chega pela quinta vez nessa fase de um Slam, apenas uma atrás de Adriano Panatta entre os italianos.

Depois de seis temporadas, Monfils volta às quartas em Melbourne e sonha com uma terceira semi de Slam, isso aos 35 anos, apenas três meses mais jovem que Nadal. Porém, apesar do placar de 3 a 0, a missão contra a surpresa Miomir Kecmanovic foi bem exigente. Muito firme na base, o sérvio teve três chances de quebra no 5/5 do primeiro set e ainda liderou o segundo por 3/1 e 4/2. O francês perdeu os dois confrontos diante de Berrettini, o primeiro deles numa memorável batalha de cinco sets que terminou só no tiebreak nas quartas do US Open de 2019.

Tudo aberto no feminino
Fácil vitória de Barbora Krejcikova sobre uma contundida Vika Azarenka, a queda de Maria Sakkari e o dia ruim de Paula Badosa agitaram a abertura das oitavas de final femininas. A número 1 Ashleigh Barty segue sua campanha de poucos sustos e nenhum set perdido, e por isso mesmo permanece como favorita. Mas todo cuidado é pouco.

Jessica Pegula surge como próximo desafio. A norte-americana repete as quartas do ano passado ao passar por Sakkari sendo superior em todos os campos, mas com destaque aos 71% de aproveitamento do primeiro saque. Barty, que tenta ser a primeira tenista da casa a ganhar o torneio desde 1978, superou Pegula na campanha do título em Roland Garros de 2019.

Em que pese um problema no pescoço que claramente limitou movimentos de Vika, Krejcikova fez uma bela partida, tirando tudo de sua capacidade de trocas de direção e velocidade de golpes. E isso coloca ótimo tempero no duelo inédito contra Madison Keys, que também é uma excelente estrategista. A norte-americana entrou em Melbourne fora do top 50 e atropelou Badosa com um tênis muito consistente mas também agressivo (26 a 10 nos winners).

Grande atuação e façanhas de Bia
Ninguém ganha jogo de dupla sozinho, mas é inegável que Bia Haddad Maia foi o grande nome em quadra na dura partida e excepcional virada que conseguiu ao lado da cazaque Anna Danilina. Elas perdiam de 1/4 no terceiro set, com duas quebras sofridas, mas brigaram muito e venceram Aliona Bolsova e Ulrikke Eikeri no supertiebreak. Agora, pegam Rebecca Peterson e Anastasia Potapova, que são acima de tudo jogadoras de simples.

Bia é a primeira brasileira a atingir as quartas do torneio na Era Aberta. Maria Esther ganhou duplas em 1960 e foi vice de simples em 1965, durante a fase amadora. Bia acabou de ganhar seu terceiro e maior troféu de duplas no WTA 500 de Sydney e agora tem sete vitórias seguidas ao lado de Danilina.

Com o resultado, a canhota paulista repete a façanha de 2018 e passará a figurar no top 100 dos dois rankings na próxima lista, dia 31 de janeiro. Naquele ano, ela foi 61ª de simples e 79ª de duplas na mesma semana e agora garantiu provisoriamente o 75ª e o 94ª. Se vencer mais uma, entrará então no top 70 da especialidade.


Comentários
  1. Carlo V.W.

    ExceNenhum dos jogos de quartas tem mais que 60/40 de chances para cada um dos favoritos, na minha opinião (os favoritos que se cuidem!!!!):

    [17] Monfils vs. [7] Berrettini
    [6] Nadal vs. [14] Shapovalov
    [4] Tsitsipas vs. [11] Sinner
    [2] Medvedev vs. [9] Aliassime

  2. Carlo V.W.

    “Medvedev vs Cressy” me lembrou bastante “Sampras vs Kuerten” no MC de 2000… Será que só a trouxe essa lembrança a mim???

  3. Samuel, o Samuca

    Dalcim,

    Como pode a Halep vencer a Bia com tranquilidade e perder para a Cornet em jogo duríssimo. Afinal a francesa não é tão melhor que a brasileira, se for melhor, para termos dois resultados tão discrepantes.

    Samuel, o Samuca

      1. Sandro

        Concordo plenamente contigo Dalcim, há uma grande diferença entre o que Bia e Cornet apresentaram contra a Halep.

    1. Sandro

      Acho que vc está equivocado, a francesa Cornet teve uma atuação muito superior à da Bia Haddad contra a romena Halep.

  4. Matheus

    Tava vendo um jogo do feminino ontem, (mais pra ver aquela gata brava da COLLINS, do que qq outra coisa), e pensando: do jeito que estão as coisas hoje no mundo, tudo meio torto, já deve ter aparecido algumE idiotE lacradorE reclamando sobre a voz que faz as chamadas de bola fora ser quase sempre masculina, né?! 😀 😀 😀

  5. Paulo F.

    Finalista de Slam….
    Grandes merda.
    Se temos inúmeros campeões ridículos de Slam como Gáudio, Ostapenko, Johansson….
    Aí o sabichão daqui quer valorizar o Sascha por ter feito final.de Slam….
    Putz, mas os Reis Magos são finalistas de Slams.
    Ah, não f….

    1. Sérgio Ribeiro

      Tu és fraquinho mesmo , daí a ficar babando ovo do teu mestre rs . Alexander Zverev e’ o atual N 3 do Mundo com DEZENOVE Conquistas . Com direito a 4 MASTERS 1000 em todos os pisos . O que o mane’ esquece , e’ que Murray ( 25 ) e STANIMAL ( 29 ) demoraram também pra levar seu primeiro SLAM . E daí ??? rs . Abs!

      1. Paulo F.

        Tu gosta de andar em círculos?
        Voltou à postagem original, onde eu já tinha chamado o Zverev de Leão dos M1000.

        1. Sérgio Ribeiro

          Pra variar esquecestes do FINALS . Principal Torneio após os SLAM podendo entregar 1500 pontos ao Campeão. Novak foi batido duas vezes ( Murray e Federer) , quando brigava e perdeu o N 1 . Abs!

      2. Luiz+Fernando

        Vc é q é fraquinho por se considerar superior aos outros quando em realidade é um simples comentarista. assim como eu, o Paul, o Ronildo e os demais. O simples fato de vc se referir aos q discordam de vc como “manés” já demonstra bem sua índole, mas quem sabe um dia a ficha cai e vc perceba quem vc realmente é aqui, uma pessoa arrogante e antipática. E pra variar vc sempre esquece o q é conveniente, como suas insinuações de q Djoko estava vacinado e não perderia o AO por nada kkk! Esqueceu, né, afinal, é o mais cômodo. Sei kkk!

        1. Sérgio Ribeiro

          Mané é uma gíria carioca e tu sabes disso. Tu é que não respeita nada no esporte Tênis ,pois não conheces da matéria e cita outros comentaristas apenas querendo apoio. ” Odeio Roger Federer ” é típico seu . Já repeti CINCO vezes que achei que Novak tinha se vacinado e continuo acreditando que o cara não vai estragar sua brilhante carreira. Quanto a ti , quem pode mais chora menos. Abs!

      3. SANDRO

        Quem é você, Sr. Sérgio, pra ficar chamando outros comentaristas de “MANÉ” aqui no blog? Você só distorce o comentário dos outros, se acha o sabichão, dono da verdade e ainda fica xingando os outros comentaristas de “MANÉ”???
        Dalcim, por gentileza, esse cara prepotente e arrogante entra no comentário alheio e vive xingando os outros de “MANÉ” e isso passa batido? Está permitido ficar xingando os outros comentaristas do blog???
        Todos aqui sabem que responder a um comentário se referindo a outro comentarista como “MANÉ” é uma forma pejorativa de se comunicar com outra pessoa.
        Você Dalcim, que é uma pessoa sensata, inteligente e polida, responderia a um comentarista o chamando de “MANÉ”?

        1. José Nilton Dalcim

          Você tem razão, Sandro, e eu já alertei o Sérgio várias vezes que muitos internautas se incomodam com isso. Como estou sem tempo para ficar editando comentários, vou simplesmente excluir mensagens do Sérgio que insistam nisso. Sérgio, por favor, evite o termo.

          1. Sérgio Ribeiro

            Sem problemas , Dalcim . O termo há muito deixou de ser uma gíria apenas Carioca . Mas percebo que sujeitos que vivem denegrindo a imagem de Tenistas , principalmente o tal de Sandro Anti vacina , continua com seus ridículos comentários editados. Somente peço que edite os meus respondendo a esta figura . Abs!

      1. Paulo F.

        Na minha opinião, nunca teve nível para conquistar Slam.
        Contou com uma pipocada gigante de seu compatriota Coria.

      2. Sérgio Ribeiro

        Exato , caro Gilvan . . Gaston Gaudio não ficou apenas com RG 2004 , ganhou OITO Títulos ATP e atingiu o TOP 5 . Terrível oponente de GUGA com direito a batê-lo no MASTERS 1000 de Roma 2003 . No tal h2h , 3 x 3 com o MANEZINHO da Ilha , e também espetacular Backhand de uma mão. Difícil pra P.F e L.F s terem ouvido falar no Argentino rs . Abs!

        1. Carlos Henrique

          É muito cômico o “professor”
          Gaudio nunca passou da 4 rodada em RG, além da campanha que o levou ao título.
          Foi tão excepcional que ganhou uma bicicleta do helvético “goat” (kkkkkkkk) no finals de 2005

      3. Carlos Henrique

        Gaudio foi um tenista ok. Seu Slam passa muito mais pela amarelada do Coria, esse sim um tenista com excelentes atributos técnicos, mas um mental bem aquém. A carreira do segundo praticamente acabou após perder a final de RG.

  6. Jocelino Jr

    Mestre Dalcin
    Apenas para parabenizar o excelente trabalho do site e dizer q suas colunas sao muito boas…pra mim estao entre as 3 melhores do Brasil que acompanho. Fico sempre ansioso pela publicacao depois de uma rodada. Parabens pela analise sobre o Zverev!
    Um abraco

  7. Rodolfo Marques

    Mestre Dalcim, parabéns pelo blog e pelos textos sempre certeiros. Qual seria, em sua opinião, o percentual de chances de Nadal e Shapovalov no confronto das quartas? E no duelo entre Gael e Matteo?

    Sou torcedor do espanhol e o título dele seria, além de um sonho, um ajuste de contas da história dele com o torneio.

    1. José Nilton Dalcim

      Eu daria 65-35 para o Nadal, Rodolfo. Sem dúvida um título dele seria algo espetacular. Quanto ao Berretini, 60-40 para o italiano. Mas se eu pudesse escolher um campeão, seria o Monfils.

  8. Rubens Leme

    Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes (1998) marca a estreia do diretor e roteirista inglês Guy Ritchie, que introduziu uma nova linguagem, fartamente copiada depois nos filmes da Marvel: o roteiro cheio de tiradas irônicas, ao estilo britânico, mas que nos filmes dos heróis acabaram por passar do ponto. Neste filme inicial, Guy tinha tanta dificuldade para conseguir dinheiro que ao pedir 1 milhão de libras para a esposa do Sting – Trudie Styler, que acabou sendo uma das produtoras executivas -, foi obrigado a dar um papel ao cantor para levantar o montante.

    O filme marca a revolução britânica nos anos 1990, quando os ingleses procuravam reabilitar-se culturamente, musicalmente e visualmente, pois estavam cansados da cultura “americana de McDonalds e filmes com Stallone e Bruce Willis e de ouvirem o grunge”.

    Enquanto o britpop chamava a atenção de novo para a ilha, com Oasis, Radiohead, Verve, Pulp e Blur polarizando as paradas, antes tomada pelas bandas grunge e de rap ianques – Guy se tornava um dos nomes do novo cinema inglês, utilizando costumes e hábitos locais, em uma tentativa de recolocar Londres e a Inglaterra como um dos pilares culturais do planeta.

    Assim, o filme é falado com pesado dialeto londrino, cheio de gírias – em alguns momentos, há legendas para o inglês americano, uma brincadeira do diretor -, xícaras de chá, violência, reviravoltas, tudo permeado com o mais puro humor ácido.

    O sucesso mundial rendeu um segundo filme ainda melhor, Snatch, Porcos e Diamantes, já com os hollywoodianos Brad Pitt, Dennis Farina e Benicio del Toro. Ritchie, já famoso, casou-se com Madonna, e foi convidado para dirigir dois filmes de Sherlock Holmes, com Robert Downey Jr vivendo o célebre detetive.

    Excelente escritor, Guy sempre abusou do que os britânicos chamam de “humor com um pouco de sal” e graças ao sucesso dos filmes com Robert Downey, que incorporou muito bem o estilo (apesar de ser totalmente distinto da personalidade do personagem criado por Conan Doyle), o astro acabou levando esta linguagem para os filmes da franquia Homem de Ferro.

    Com o sucesso de Downey como Tony Stark, todos os filmes da Marvel começaram a usar o mesmo estilo nos diálogos – mesmo nos momentos mais sérios – enquanto o próprio Guy abusou do mesmo recurso e produziu outros filmes, já sem o mesmo impacto e talento, ficando preso à mesma fórmula, esgotando-a.

    E se nunca mais conseguiu repetir o impacto de seus dois primeiros filmes, ao menos pode dizer que foi o “inventor do humor engraçadinho” que pontua todos os hits da Marvel, sem, no entanto ter jamais recebido o devido crédito.

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, está 3 a 1 para o Nadal. Russo ganhou a última, no Finals de 2020. Hoje eu apostaria no Medvedev, mas ainda falta muita coisa para acontecer.

      1. Gustavo

        E olha que interessante: nessa única vitória do Medvedev, Nadal sacou pro jogo. Ou seja, de 4 jogos, 3 vitórias do Nadal e 1 derrota em que ele sacou pro jogo

        1. lEvI sIlvA

          Sem dúvida caro Gustavo, mesmo no jogo que o russo levou, Nadal quase se dá bem… Seria então, 5 a 0 dessa forma no H2H.
          Ocorre que, de lá pra cá, Medvedev cresceu muito mental, técnica e taticamente falando. Nas hards, hoje em dia, é o segundo melhor, logo atrás do N°1.
          Por conta disso, esses favoritismo todo do espanhol, é mais teórico que na prática.
          Vejo o russo alguns degraus acima de Nadal, no momento é assim.

  9. Samuel

    Shapovalov está muito ágil e golpeando com precisão e potência. Nadal, por seu turno, não mais tem agilidade para fazer frente ao canadense.

    O espanhol precisará de muita sorte para escapar de um vexame.

      1. Sérgio Ribeiro

        Somente bobagens diárias rsrs. Na tua mente confusa não admites que o Suíço estava com problemas ? . Nunca mais entrou em quadra . Já Nadal levou Soderling para o quarto Set com dois tiebraks em RG 2009 . E tu e tua tchurma juram que ele estava lesionado.Sei … Abs!

        1. Luiz+Fernando

          Acho q perder um set de 60 no “seu piso”, e o jogo, claro, é um vexame p qualquer um, ou será q levar pneu demonstra equilíbrio kkkk? Apenas perguntei ao comentarista qual o tipo de vexame q ele se referia, será q não posso kkk?????

  10. Roberval Lofeu Junior

    Olá Dalcim, parabéns pelo blog, sempre preciso!
    Quanto ao Shapo, vejo ele com boas chances diante do Nadal, visto o misto de paciência e agressividade dele, está bem equilibrado e nada precipitado. Claro que não podemos descartar o Espanhol que sobe o nível quando precisa, mas não pegou ninguém que o fizesse realmente sofrer, por isso vejo uma oportunidade tremenda para o Shapo. O que acha?

    1. José Nilton Dalcim

      Sem ´dúvida, o Nadal de hoje é a maior chance que Shapovalov poderia querer para uma grande vitória e uma semi. Mas eu acho que Nadal está sacando muito bem e o canadense terá de controlar a frustração e ter aquela paciência essencial. Ele joga sempre mais perto da linha e isso não é fácil contra o spin do espanhol, já que você precisa pegar na subida o tempo todo. Acredito num jogo eletrizante.

      1. Luiz+Fabriciano

        Dalcim, vi nos highlights, que o Nadal castigou até sair sangue o Khachanov com seu saque de canhoto, mas contra outro canhoto, como o Shapovalov, essa eficiência tende a descer, certo?

        1. José Nilton Dalcim

          O saque de canhoto, como costumamos dizer, funciona um pouco menos contra um grande backhand de duas mãos, Luiz, como Djoko ou Murray, por exemplo. Claro que contra Shapovalov vai cair no forehand, que é o golpe de confiança do canadense. O mesmo acontecerá com o Denis. Acredito que Rafa vai usar bastante o saque sobre o corpo na ‘vantagem’ e o aberto no backhand do canadense no ‘iguais’.

  11. Marcus

    Mal dá pra acreditar que ainda continuam confundindo vacinas, testes positivos pra covid, adoecer de covid, morrer de covid, precisar de uti pra covid.

    Digamos que você seja um liberal, defensor do estado mínimo, machão sem mi mi mi. Então, vamos elevar à categoria mínima de fato do estado mínimo. O estado não paga mais as suas contas de saúde – você, cidadão de bem, as paga integralmente. Ou melhor, cada um paga as suas.
    Entao, resolve fazer uma grande festa na sua residência para comemorar que agora o estado em nada mais atrapalha sua vida. Nessa festa, vem a sua sogra. A véia, que não tem aposentadoria mais porque o estado é mínimo, é sustentada por você, que agora trabalha em paz sem o estado lhe roubar. Então, a sogrinha querida entra na sua casa, curte a festa loucamente e infelizmente acaba contraindo covid. O que até é normal, pois estamos em uma pandemia. E daí meu amigo temos a seguinte situação: se a véia pega covid e se recupera em casa sem maior gravidade, sua festa não deu prejuízo. Agora, se a véia fica mal e precisar de leito de uti, você que vai pagar. Pagar tudo. Médico, uti, tratamento, multa, processo porque aquele leito que ela está usando era de outra pessoa que infartou e etc. Se existe uma mínima chance de a vacina diminuir a probabilidade de que a maldita vá pra uti, tá valendo a economia, não é verdade?
    Pois então, meu amiguinho… Você é o primeiro ministro da Austrália, sua casa é a própria Austrália e a sogra é o Djokovic e todos os outros que querem entrar sem vacina.
    Melhor exigir a vacinação pra entrar na sua casa e economizar um dinheirinho, não é mesmo?

    1. Maurício+Luís+*

      Boa analogia. Mas esses antivacina acredito que são militantes PAGOS . Não desistem! Uma lamentável e perigosa mistura de teimosia, ignorância e má-fé.

  12. Marcus

    Rafa Nadal, que monstro! Pra mim o grande destaque até agora. Incrível ver esse atleta fazendo o que faz há quase 20 anos. Tirou coelho da cartola num tie-break espetacular. Está jogando bonito, agressivo, ofensivo, contra ataques espetaculares.
    O outro destaque é Nick. Agora nas duplas, um show de entretenimento. Jogadas incríveis, uma atrás da outra. Que mão que tem esse australiano.
    E a Bia levou a dupla nas costas com ótimas devoluções de backhand.

    “Embalado como um rebelde ou um herói
    mira o apelo às massas
    para fazer a sensação de um público
    é isso o que ele realmente significa

    embale a ilusão do personagem
    tenha cuidado em ocultar
    o fato de que ela é bem real
    ela tem que esconder isso

    Assista a todos os movimentos dele
    Supercondutor
    Orquestre ilusões
    Supercondutor
    Assista a todos os movimentos dele
    Supercondutor
    Esperando que você acredite
    Destinado a enganar
    Isso é entretenimento”

    Superconductor – Neil Peart

  13. Maurício+Luís+*

    Normalmente eu torço contra o Rafa ‘Cebolinha’ Nadal. Não pela pessoa, e sim pelo jogo que + parece trombada entre a ambulância e o carro da Funerária Pé na Cova. Mas hoje, pensando bem, até que não seria má ideia o pouca telha ganhar o seu Slam 21. Porque aí o circo da discussão do GOAT vai pegar FOGO. O qual logo me apresentarei pra apagar, com meu balde de gasolina.

  14. Eric

    Olá Dalcim,

    Cada vez mais acredito que o Zverev é um mal perdedor. Indo além do que você comentou sobre a sua atitude em quadra, sempre acho que ele desmerece as vitórias dos seus adversários com comentários do tipo “Joguei extremamente mal, esse foi meu pior jogo do ano” ou como dessa vez com o “joguei mal a semana inteira”. Pode até ser verdade, mas desmerece todos os seus adversários anteriores também. Uma vez perdeu um jogo disputadíssimo com o Tsisipas e disse que jogou extremamente mal e, se não me engano, “de forma ridícula”. Nunca vemos os grandes do tênis falando esse tipo de coisa, se falam são muito mais respeitosos com seus colegas de trabalho. O que você acha? Acompanho seu blog já faz muito tempo. Parabéns pela constante sensatez e coerência em todos os seus posts! Você faz um grande trabalho!

    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado, Eric! Você tem razão, isso realmente acontece com alguma frequência. Claro que muitas vezes ele até tem razão, porque sabe que jogou abaixo do que pode. Hoje ele disse que Shapovalov mereceu, mas colocou a maior parte da culpa em si próprio.

      1. Sérgio Ribeiro

        E convenhamos , Dalcim . Apesar das 11 duplas faltas , o Canadense jogou como na FInal da ATP Cup. E Zverev nem entrou em quadra , ao menos a meu ver . Abs!

    2. Gilvan

      Só um breve comentário: já cansei de ver atletas de primeiro nível como o Nadal e o Djocovid alegando que perderam partidas por questões físicas.
      Aliás, essa é uma muleta muito conveniente, usada por quase todos os tenistas. Afinal, quando eles REALMENTE estarão 100%? Quase nunca. Vida de atleta é lesão, sofrimento, sacrifício, estafa física e mental.
      Normal o Zverev se sentir frustrado. Lógico que um elogio ao adversário não faz mal a ninguém (e nesse ponto Djocovid e Nadal nunca deixaram a peteca cair).

  15. Rodolfo Costa Sousa

    Olá mestre Dalcim !!
    Gostaria de saber se vc tem a parcial de tempo quanto cada um dos que passaram para as quartas já passou em
    Quadra e já que temos 2 com 35 anos isso pode
    Fazer diferença !!
    É uma pergunta vcs já foi na Austrália ?

    1. José Nilton Dalcim

      Não tenho, Rodolgo, mas me parece que Berrettini e Shapo foram os que tiveram jogos mais duros entre os classificados da parte de cima.

  16. Paulo F.

    Vi os highlights e gostei da postura do Shapovalov.
    Espero que tenha abandonado a horrível postura infantlizada que tinha, a ponto de levar o bichinho de pelúcia para o box.

    1. Sérgio Ribeiro

      Outra bobagem sem tamanho. Onde estavas na ATP Cup quando ele e Aliassime jogaram uma barbaridade e deram uma coça na ARMADA Espanhola com direito a Sets diretos nos jogos ????. Isso embalou e muito os jovens Canadenses. Contra o Touro Miura o buraco é mais embaixo rsrs. Abs!

        1. Sérgio Ribeiro

          Menos que a tradicionalíssima Copa Davis . Mas até ATP 250 e’ importante quando se vence . E’ lógico que isso é muito difícil pra P.F e L. F . entenderem rsrs. Abs!

  17. Gildokson

    Essa quantidade de derrotas para tops 20 e o fato de nunca ter vencido um top 10 em Slam só atesta que na hora da onça beber água no melhor de 5 o Zverev tá à léguas de distância do robô russo.
    Eu não apostava nele para o título, mas ao menos no Nadal eu achava que o cidadão ia chegar.

  18. Paulo Almeida

    Rapaz, eu estava certo: o Zidane teria metido um triciclo no GUAT, caso este tivesse aparecido no torneio. Infelizmente não pudemos dar risada dessa vez. Só faz falta no torneio pra isso mesmo, já que seu tênis de madeiradas e firulas inúteis perdeu a validade em 2008, hahaha!

    O nível técnico caiu uns 50% sem o dono do torneio e rei do hard court, mas até que alguns jogos estão razoáveis. Zverev falou demais e não será ele que tomará o número 1 do sérvio. E por falar nele, agora fiquei receoso de que apareça mesmo em páginas policiais, pois quem viu seus grandes ídolos Dirceu, Genoíno, Palocci, Vaccari e o moluscão-chefe por lá durante quase 20 anos tem bastante propriedade no assunto, kkkk.

    1. Fabiano

      Rei das hards?? Kkkkk. Um cidadão que joga 9 (nove) finais de US Open (hard court) e perde 6 (seis) pra cinco adversários diferentes não é rei de nada. Não faz me rir kkkk

      1. Rubens Leme

        O “rei do hard” não passa de uma “banda de rock farofa”, um Poison da vida. Aliás, o nome da banda combina bem com esse cidadão de terceira classe.

      2. Paulo Almeida

        Pois é, mas nenhum desses adversários era o freguês, que perdeu as últimas três no USO e as últimas quatro no AO. E afinal, quem tem mais Slams, Masters 1000 e vantagem no h2h no piso duro?

        Estou me lembrando de você. Ficou hibernando desde a eliminação pro Dimitrov em 2019 e só acordou agora graças ao papelão do Djoko. Isso é o que eu chamo de torcedor “modinha”.

        1. Gildokson

          Paulo, Federer ta longe do tênis, esquece o gênio um pouco, bora secar o Nadal junto comigo cara kkkkkkk
          Oh eu acho melhor tu se unir a mim viu… se não teu amado Djokovic vai ser o GOAT mais rápido da história.
          GOAT por um semestre kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          1. Paulo Almeida

            O GOAT não é esquecido um dia sequer por aqui, amigo. Eu até dei uma folguinha pro GUAT, kkkkkk.

            E os outros recordes, meu caro? 5 Finals, 3 anos e 2 temporadas a mais não superam 1 Slam? Se o Nadal abrir uns dois ou três, aí sim poderemos discutir.

        2. Paulo Almeida

          Correção: era só em 2007 quando o Craque era feto. E a última vitória em Slam no hard foi em 2009, na década retrasada, rs.

          1. Fabiano

            A sim era feto. E quando ele ganhou a primeira final do mestre em 2014 já com seus 33 anos de idade e muito mas muito longe do auge era o que?

        3. Fabiano

          Meu querido, primeiramente freguês (se você se refere ao melhor e maior da história conhecido como Roger FEDERER, o mestre do tênis), 27 a 23 quatro jogos de diferença isso não é freguesia. E em segundo veja bem se um dos adversários não foi o mestre. Acho que tu te enganou ou então como muitos aqui dizem não entende nada do esporte, entende só do Djocovid.

          1. Paulo Almeida

            Claro que é uma baita freguesia, ainda mais quando esmiuçamos o h2h e encontramos 11×6 em Grand Slam (com 4×1 em finais e 7×4 em semifinais) e 13×11 em semifinais e 13×6 em finais no geral. Os quatro primeiros jogos do confronto foram em fases preliminares contra o feto Djoko, o que engana os desavisados com esse 27×23.

            O Craque já vem batendo no rei da entressafra desde o USO 2010, quando este tinha míseros 29 anos. A desculpinha esfarrapada de idade já perdeu a validade há muito tempo, visto que o sérvio quase fechou o Slam com 34 anos e ainda é o número 1 com quase 35 e seria favorito nesse AO. Em Wimbledon 2014, Fregueser tinha apenas 32 e perdeu porque tremeu no último game de serviço com quatro erros não-forçados. Depois continuou tremendo em 2015, 2016, 2018, 2019 e 2020. Com isso, jamais será GOAT. Aceite que dói menos, hahaha!

      3. Luiz+Fabriciano

        É o único tenista da história a ser campeão de um Grand Slam todas as vezes que atingiu a semi do mesmo, com 9 taças.
        Nadal também estava na balada, mas perdeu essa classificação ano passado, ao ser derrotada na semi de RG, para esse outro citado aqui.

  19. Jocelino Jr

    Mestre Dalcin boa tarde
    Depois de 4 rodadas ja da p apostar no campeao? Qual sua opiniao?
    Acho q vc esta deixando o Tsitsipas um pouco de lado mestre
    Pra mim semis: Nadal e Berretini , Tsitsipas e Medvedev
    Final Nadal e Medvedev Campeao Nadal

  20. Wagner

    Boa tarde Dalcim quais chance da Bia chegar numa final na Austrália ? E como esse titulo poderia ajudar ela em simples?

    1. José Nilton Dalcim

      Difícil, porque se passarem da Potapova/Peterson podem pegar as cabeças 2 ou as 5. Claro, se derem muita sorte podem escapar dessas.

  21. George Beco

    Dalcim, você não acha que essas quartas Monfils x Berrettini e Nadal vs Shapovalov mostram bem como a geração passada foi um fracasso???
    10 anos de diferença, e esse tem sido o dilema da ATP, 10 anos de diferença entre os rivais, pois teve uma geração intermediária a essa extremamente ineficiente.
    Acho engraçado quando falam da entressafra de Federer mas esquecem o quanto Nadal e Djokovic deram sorte em pegarem a geração mais fraca da história do tênis após a deles

    1. Marcelo+Costa

      Sabe, citar entresafra é de uma desonestidade imensa, pois, tênis é um esporte de perdedores, e ao dar ênfase à qualidade, ou falta dela de tenistas contemporâneos de federer, Nadal, nole, Murray e wawrinka perdão, não tem o menor cabimento.

    2. Paulo Sérgio

      A velha desculpa,

      Federer perdeu 4 finais de slams (3 em Wimbledon!) para Djoko, entre outras. Perdeu várias finais para Nadal também. Apanha desde 2011 para o goat sérvio.
      Em 2011 tinha 16 slams contra apenas de 1 de Novak. Em apenas 10 anos, Djoko tirou essa diferença ganhando, inclusive, para o freguês suíço na grama.
      Mais um caso de negacionismo da realidade e das estatísticas do tênis detectado!

      1. Sérgio Ribeiro

        Embora também sejas Paulo ( muitos agora deram uma sumida rs ) , andas pra lá de esquecido tipo o Piloto da Kombi. Quer dizer que desde 2011 o Craque somente apanha do “ goat “ ??? . Saberias quem aos 31 , levou WIMBLEDON 2012 batendo o “ goat “ paraguaio e Murray em sequência recuperando o N 1 ? . E logo em seguida ( três semanas ) foi parar na FINAL Olímpica novamente contra MURRAY no mesmo local ? O tal “ goat “ perdeu o Bronse para Del Potro lembras ??? kkkkkkkkkkkkk. Abs!

        1. Paulo Sérgio

          Só falei das finais. Se for considerar as fases anteriores, aí tá 27 a 23 para o sérvio. Total nas decisões: 13 a 6 para Djoko.

      2. Fabiano

        Em apenas 10 anos djoko tirou a diferença justamente devido a enorme e indiscutível entressafra que impera nessa década. Queria que o mestre FEDERER com 6 anos a mais que o Djoko e com 33 anos pra cima vencesse sempre???
        Tanto FEDERER quanto Nadal estão longe de seus tempos áureos à muito, mas muito tempo. Chegaram em várias finais nesse período por serem gênios. Djocovid andou de braçada esse tempo todo na maior barbada que um atleta poderia desejar. E ainda assim conseguiu perder slams pra Murray s ( 2 vezes), medvedevs e wawrinkas (2 vezes) da vida
        Kkkkkkkkkkkkkkkokklk

  22. juninho+Fonseca

    Dalcim…..vc concorda que,vendo o grande sucesso e interesse do público nos jogos de Kyrious e Kokinassis neste aberto da Austrália,a atp desperdiça um grande potencial de sucesso que poderia ser os jogos de duplas no circuito?
    Sim…pq p mim as duplas são um sub produto do tennis atualmente,mas não pq o produto eh ruim,e sim pq ele eh mal aproveitado!!!
    Uma revolução nós torneios e no circuito se faria necessário e muito inteligente até,para que as duplas pudessem entregar mais interesse do que hj entregam!
    Oq vc tem a dizer sobre isso?
    Abraço

    1. José Nilton Dalcim

      O problema com as duplas é que elas só ficam realmente mais vistosas quando os grandes nomes entram na chave, o que tem sido muito raro devido ao desgaste que a semana proporciona àqueles que vão mais longe. Eu particularmente adoro o jogo de duplas e acho que a ATP poderia sim investir um pouco mais nisso. Por vezes, as rodadas finais de um ATP não são mostradas sequer no aplicativo oficial deles!

      1. Luiz+Afonso

        “O problema com as duplas é que elas só ficam realmente mais vistosas quando os grandes nomes entram na chave, o que tem sido muito raro devido ao desgaste que a semana proporciona àqueles que vão mais longe. Eu particularmente adoro o jogo de duplas e acho que a ATP poderia sim investir um pouco mais nisso. Por vezes, as rodadas finais de um ATP não são mostradas sequer no aplicativo oficial deles!”
        CONCORDO. E fica aqui um registro de agradecimento ao canal Star+, que disponibilizou TODAS as quadras, TODOS os jogos, inclusive de juvenis e cadeirantes, ficando a critério do telespectador escolher o que quer assistir. Os jogos de duplas são ótimos.
        Fico aqui pensando se caso o Federer migrasse para as duplas, que exige muito menos do físico, qual a visibilidade que passaria a ser dada nessa modalidade. Com certeza aumentaria absurdamente.

    2. Sandro

      O sucesso da dupla Kyrgios e Kokinassis se dá não porque são jogadores bem ranqueados, mas sim porque são 2 jogadores de mesma nacionalidade, defendendo a mesma bandeira, funcionam como um time defendendo as mesmas cores, o mesmo país!!! Se as duplas fossem Kyrgios com Bruno Soates ou Kokinassis com Jamie Murray, estariam longe de ter o mesmo sucesso, não teriam o mesmo apelo da torcida!!! As duplas com maiores torcidas e apelo popular são justamente as que defendem a mesma bandeira como Mektic e Pavic da Croácia, Herbert e Mahut da França, Cabal e Farah da Colômbia, por exemplo!
      Se os torneios de duplas de tênis fossem como os torneios de duplas de vôlei de praia, representando a mesma bandeira, o mesmo país, o circuito de duplas seria muito mais popular e atrativo do que é agora!

      1. juninho+Fonseca

        Ser do mesmo pais também ajuda…..
        Mas uma final de slam com Federer/Nadal x Murray/Djokovic ….. amigo….O MUNDO para p ver!!!

  23. Davi Poiani

    Caro Dalcim, a ESPN somente mostrou o final da partida Shapovalov vs Zverev, após o fim do jogo do Nadal. Do que eu vi, deu gosto de ver o Shapovalov jogar, que tênis agressivo e vistoso! E ainda o interessante fato de ser um canhoto com o backhand de uma mão em ascensão, algo que faz muito bem ao tênis. Espero que ele evolua cada vez mais, é certamente um cara que vou torcer após a aposentadoria do Big 3. A propósito, o primeiro set de Nadal vs Manarinno foi sensacional, até agora um dos momentos mais marcantes do torneio. Dalcim, tu tem alguma dica para aguentar as maratonas da madrugada durante o Australin Open? Muito café por acaso? Rs… Um abraço!

    1. José Nilton Dalcim

      Também gosto demais de ver o Shapovalov jogar, Davi, É um tênis vistoso, alegre, ofensivo. Olha, café para mim já não faz efeito. Tenho tentado dormir algumas horas no final de tarde, mas o cansaço vai batendo.

  24. Hugo

    “Aliás, se Felix Aliassime também avançar, será a primeira vez que dois tenistas do país alcançam as quartas de um mesmo Slam.”
    Corrija-me se estiver errado, mas Wimbledon 2021 os dois também chegaram nas quartas, não?

    1. José Nilton Dalcim

      Com certeza, Hugo, falha minha ao escrever. Primeira vez no Australian Open. Obrigado pela correção!

      1. José Nilton Dalcim

        Poxa, fico dando maior força para o Rafa e vocês não deixam! rsrs… Desculpe, são as horas de pouco sono que já andam fundindo o cérebro.

  25. Gilvan

    Zverev decepcionante em slams como sempre. Infelizmente, ele ainda não encontrou a inspiração necessária para jogos de 5 sets.
    Por essas e outras eu não coloquei ele como favorito pro torneio. Vamos ver se o Shapovalov consegue manter o embalo, ainda mais com o BH de uma mão. Hoje funcionou bem, contra o Nadal será um bom teste.
    Vi o jogo do Berretini apenas. Jogo limpo, sem grandes sobressaltos contra o Carreno Busta. Pra mim, é favorito contra o Monfils e vai ganhar o jogo no físico, que sempre deixa o francês na mão.

  26. Daniel+C

    Nossa, esse torneio está muito interessante. De um lado, os mais jovens ganhando casca e apresentando um tênis cada vez mais competitivo, e do outro lado, alguns veteranos fazendo campanhas surpreendentes como Cilic e Monfils, além de Nadal, considerando a lesão e o tempo de inatividade. A ausência do sérvio antivaxx, como eu tinha certeza, revela que faz bem para o tênis, pois o que adianta vermos grandes jogos, quando no fim a história se repete: o melhor jogador do outro quadrante perde para um cara com um jogo enfadonho de solidez e regularidade, graças a um super físico?

    Sobre o Zverev, é um jogador com um estilo bem arroz com feijão, é um estilos menos agradáveis de acompanhar. Inclusive acredito que ele costuma dar trabalho para o sérvio deportado pois ambos são passivos e preferem jogar já regularidade. Aí vira aquele jogo de trocas infinitas de bola no centro da quadra até alguém perder a paciência ou cansar. Bah, eu passo. Então foi bom o Shapo avançar e tomara que ele siga evoluindo pois tem muitos recursos técnicos e joga bonito.

    Bem, estou ansioso para o resto do torneio, no feminino também. Como joga essa Barty. Tá aí uma no1 que representa bem a categoria, com um estilo sensacional e postura digna dentro e fora das quadras.

    Olha, o futuro do tênis está em boas mãos. Não surgiu ainda nenhum outro “Federer”, mas Aliassime, Berretini, Alcaraz, Sinner e sobretudo Shapovalov oferecem muito mais espetáculo que o sérvio “natureba” (exceto quanto se trata de câmara hiperbárica né kkkk)

  27. Rafael+Azevedo

    Fognini e Kyrgios encontraram seu lugar no circuito.
    Nas duplas, eles podem executar seus golpes habilidosos sem muita exigência física.
    Estão avançado sobre vários favoritos

  28. Fábio Fernandes

    Dalcim, não acha sem sangue e vibração o Zverev? Alcaraz com 18 anos e Nadal com 35 são vibrantes. Isso me fez lembrar uma certa declaração do Kurt Cobain, que invejava a garra do Fredie Mercury quando subia no palco.

          1. Valmir da Silva Batista

            NILTON DALCIM, FÁBIO FERNANDES e ANDRÉ BORGES, vocês ficam levando essa bobagem de sangue em consideração, ao invés de se aterem a fatos relevantes do tênis, mas mesmo assim, vou me permitir esse desserviço, “apenas” para relacionar sangue com quem de direito, ou seja, fosse mesmo Importante essa esparrela sanguínea, suponho ser este então o principal fator que fez Nadal amealhar 20 slans, 36 masters 1000 e tantos outros troféus mais…

  29. Flavio

    Mestre Dalcim depois dessa escorregada do Zverev não sei o que o Schapovalov vai aprontar para o Nadal e vai depender muito das suas condições físicas,entretanto se caso ocorra uma final entre Medvedev xNadal pra quem você acha que o Djokovic vai torcer? Na minha opinião eu acho que mesmo perdendo o n.1 o Djokovic vai torcer para o Medvedv, pois se o Nadal vencer chega ao 21 Slam e chegaria muito motivado para Rolland Garros bom eu acho isso. Abraços.

  30. Paulo F.

    Nobre Luiz F.:
    Depois de Rublev – o monstro dos 500, temos Zverev consolidado como o Leão de M1000 e Finals, mas um Gatinho Persa nos Grand Slams.
    Kkkkkkkk

      1. Paulo F.

        Crônica com a qualidade de sempre.
        Para o Dalcim ser tão enfático nesta adjetivação ao Sacha, nota-se do quanto ele decepcionou (novamente).

    1. Sérgio Ribeiro

      E’ , continuas o mesmo nas asneiras “ nobre “ Co-Piloto da Kombi . Nenhum Gatinho faz FINAL de SLAM . Sasha falou muito e jogou pouco no AOPEN 2022. Ninguém perguntou e o cara falou na possibilidade de chegar ao N 1. Se confiou no tal h2h que não serve pra nada , esqueceu de jogar . Quando atingiu o TOP 3 em 2017 , era um “ feto “ como os “ nobres da Seita da Covid “ costumam repetir , outra asneira sem tamanho ( vide Alcaraz) . A verdade é que em nenhum momento 4 anos depois procurou soluções , se entregou como muita facilidade . Pouco tempo depois de uma virada espetacular pra cima de Novak no Ouro Olímpico. Que assista várias vezes o que Titio Nadal fez pela milésima vez contra Mannarino . Este sim sempre faz por merecer o melhor . Abs!

      1. Paulo F.

        Nem deveria responder pois não te chamei na conversa, mas Sascha pelo que demonstrou ao final do semestre passado, era sim favorítissimo para este AO (ainda mais sem Nole) e novamente decepciona.

        1. Sérgio Ribeiro

          Até essa mesma asneira copias do ” Nobre ” L. F. Estamos num fórum de debates , se não gostas, voltem juntos para o Fake, digo , face Tênis Brasil . Lá vais encontrar um monte de bichinhos de pelúcia kkkkkkk. Abs !

      2. R.P.

        Blá blá blá…

        Quando escrevi em outro post que as chances de slam de Zverev se resumiam ao USOPEN, você o apontou como um dos grandes favoritos ao AO, mesmo nunca tendo feito grande campanha neste torneio. Agora o problema é “ele não procurar soluções… se entregar pouco”… kkk

        Não adianta se empolgar com Olimpíadas ou Finals; até agora, nos majors, Zverev não passa de uma promessa.

        P.S.: torcendo por uma final entre Shapo e Tsitsipas.

        1. Sérgio Ribeiro

          Não sei o que significa “ R.P. “ mas nada que se aproxime de conhecer o Esporte . UM dos favoritos Sacha era sim senhor . Porque somente favorito para o USOPEN ? . Só porque tu queres ? . Saberias responder os SLAM que o N 3 do Mundo já fez Semi ? . Neste tipo de piso tem números excelentes. Bla’ , bla’ , bla’ e’ um fedelho dizer que nunca fez boa campanha em Melbourne. Assististes o jogo ? . Duvido mas se sim ele se entregou sem luta , sim senhor . E pela última vez , vá procurar saber com quantos anos Murray e STANIMAL levaram seu primeiro SLAM , antes de postar as mesmas groselhas que infestaram este fórum . Abs!

          1. R.P.

            Novamente a tergiversar…

            Quer fazer uma lista de quantos jogadores fizeram semi e NUNCA venceram um slam? Pois este será o mesmo caso de Zverev na Austrália, o que o senhor de pronto rebateu e, pra variar, mais uma vez se mostrou um fiasco nas previsões mais previsíveis.

          2. Sérgio Ribeiro

            E’ óbvio que errei minhas previsões kkkkkkkk . Principalmente MEDVEDEV e Carlos Alcaraz feitas muito antes de chegarem onde estão. Quais foram as últimas do Sr ??? . Abs!

        1. Sérgio Ribeiro

          Meu caríssimo, fake . Sasha e’ tão somente o N 3 do Mundo com DUAS Semi e FINAL de SLAM . Que que tem a ver com a zebra Malival ??? rs . Abs!

          1. Carlos Henrique

            Professor passador de recibo, está com amnésia?
            Vou refrescar sua combalida memória:
            ” Nenhum Gatinho faz FINAL de SLAM”

            kkkk

          2. Sérgio Ribeiro

            E’ normal fake com amnésia. Vou repetir : “ Nenhum Gatinho chega a FINAL de um SLAM “ . Sasha Zverev já faz parte deste grupo e provavelmente terá maior número de SLAM que Wawrinka e Murray até o Final de sua já brilhante carreira aos 24 anos. Anote ! . Se amnésia não estragar kkkkkkkkk. Abs!

Comentários fechados.