‘Tiozão’ Cilic é o penetra da balada
Por José Nilton Dalcim
22 de janeiro de 2022 às 12:26

A nova face do tênis masculino ficou bem perto do domínio absoluto no lado inferior da chave deste Australian Open, ao se concluir os classificados para as oitavas de final do primeiro Grand Slam da temporada. A exceção é Marin Cilic, que aos 33 anos destoa da média dos demais concorrentes, nenhum deles com mais de 25.

Campeão do US Open tal qual Cilic, o russo Daniil Medvedev mal tomou conhecimento do saque poderoso do holandês Botic van Zandschulp e terá amplo favoritismo diante de Maxime Cressy, norte-americano de 24 anos que pratica o mais autêntico saque-voleio e disputa apenas seu quarto Slam. Parece impossível uma surpresa para o atual vice.

Stefanos Tsitsipas fez seu melhor jogo deste começo de temporada diante do talentoso Benoit Paire, colocou o primeiro saque para funcionar (21 aces) e foi bem econômico nos erros (26). Seu adversário é Taylor Frtiz, que nunca chegou tão longe num Slam e mostra tênis e cabeça de qualidade desde a ATP Cup. Suportou a batalha contra Roberto Bautista, em que aplicou ‘pneu’, depois ficou 2 sets a 1 atrás e ainda manteve a frieza para reagir. Destaque para seus 73 winners. O grego, 23 anos, ganhou os dois duelos já feitos contra Fritz, de 24.

A ruidosa torcida levou Alex de Minaur à inédita quarta rodada em Melbourne – ele foi quartas no US Open-2020 – e desafiará o garotão Jannik Sinner. O italiano tem agora oitavas em três diferentes Slam e pode repetir as quartas de Paris-2020. Para isso, terá de provar sua força mental diante de um adversário que vibra o tempo todo e sabe envolver o público. Nos jogos deste sábado, De Minaur justificou a superioridade sobre Pablo Andujar e Sinner levou um 1/6 de Taro Daniel antes de dominar os dois sets finais. Nos dois confrontos já realizados e na quadra dura, deu Sinner, de 20 anos, quatro a menos que o australiano.

Muito boa mesmo foi a vitória de Felix Auger-Aliassime sobre Daniel Evans, com um placar elástico demais. O britânico só ganhou seis games e pareceu se perder depois de deixar escapar chances valiosas no set inicial. O canadense de 21 anos sacou muito e está cada vez mais sólido nos Slam. Ele vem de quartas em Wimbledon e semi no US Open, mas agora terá de encarar um pequeno tabu diante do experiente Cilic, que ganhou todos os três encontros.

Fazia exatos dois anos que Cilic não chegava nas oitavas de um Slam, mas ele claramente se sente à vontade em Melbourne, onde fez final em 2018. Encarou bem a batalha de força pura contra Andrey Rublev, num jogo de mínimas variações táticas, e tirou o melhor do seu ótimo primeiro serviço (24 aces e 85% de pontos vencidos) e do mortal forehand (20 winners). O russo, como de hábito, exagerou nos momentos delicados e falhou taticamente ao não investir com mais paciência no backhand do adversário.

Swiatek e Halep empolgam, Aryna se vira
Difícil dizer quem está mais afiada ao término da primeira semana deste Australian Open: a polonesa Iga Swiatek ou a romena Simona Halep. Em comum, as duas têm despachado adversárias sem maior desgaste, mostram opção tática por forçar as jogadas e um saque mais contundente. E, em quadrantes diferentes, podem muito bem fazer uma disputa direta na semi.

Swiatek chega de novo nas oitavas de um Slam na quadra dura, como aconteceu no US Open, mas agora a chance de avançar é bem maior, já que enfrenta pela primeira vez Sorana Cirstea. Finalista do torneio em 2018, Halep tem uma barreira mais perigosa, Alizé Cornet, para quem perdeu três de quatro vezes embora a mais recente tenha sido em 2015. Cornet é enjoada, briguenta, corre muito e tem vasta experiência. Aos 31 anos, no entanto, nunca fez quartas em qualquer Slam.

Quem vai sobrevivendo aos trancos e barrancos é a cabeça 2 Aryna Sabalenka. Mais 10 duplas faltas – ao menos, a metade de sua média da temporada – e nova virada, agora em cima da canhota Marketa Vondrousova. A bielorrussa ainda sonha com uma final de Slam, e desta vez isso pode até valer o número 1 do ranking. Isso talvez explique a instabilidade. O próximo passo é diante de Kaia Kanepi, que aparece como 115 do ranking, mas não se enganem. A estoniana já foi 15 e adora um piso rápido.

Por fim, Danielle Collins e Elise Mertens fazem duelo de duas semifinalistas do torneio. Uma vitória para cada lado no histórico. Collins deu seu showzinho de irritação tão costumeiro na virada sobre a garota Clara Tauson, que vinha da vitória sobre Anett Kontaveit. A belga ainda não perdeu set.


Comentários
  1. Teka+Moraes

    Ah, Nadal, que coisa linda esse 1° set com o Mannarino!!!! Sensacional a performance dos dois jogadores. Mas, daí vem o Shapo que mandou Zverev pra casa, pelo caminho. Tremei!

  2. Gildokson

    Três ou quatro posts atrás antes de começar o torneio eu disse que não levava fé no alemão e que pra mim o russo era ainda o favorito disparado se comparado com ele.
    Tá aí, esse cara deve demorar e muito pra vencer um Slam, ali a coisa é diferente, a cabeça tem que ajudar, tomou um baile do Shapo e o Nadal agradece.

  3. Luiz Fernando

    Berrettini acaba de vencer o set 2 bem ao seu estilo, com excelente serviço e FH matador, a la Delpo. Sinceramente acho bem improvável o regular PCB virar a partida. Como nunca ponho fé no físico do Monfils, em especial p jogos de 5 sets, vejo uma grande chance do italiano chegar bem forte na semi, e com o BH mais confiável ele será um adversário duro para Rafa ou Shapo. Imaginemos se ele vencer um GS antes do decantado Zverev, aí não tem sabichão q resista kkk…

  4. Rubens Leme

    Tio Sukita Nadal tá chegando, Dalcim. Agora só falta o dono do ursinho Storm e, muito provavelmente, o Berrettini, para chegar à sexta final na Austrália e para o 21.

    Falando em 21, se lembra quando o Palmeiras derrotou o Corinthians, em 1974, po 1×0 e a torcida, para humilhar os fregueses cantava “Zum…zum.. zum… é 21!”, anunciando que ficariam mais um ano na fila?

  5. Periferia

    Acho que Nadal pega Monfils na semi…apesar do Nadal ser um monstro de jogador…o francês nunca teve uma chance tão grande de fazer uma final de Slam…está jogando solto.
    Também acho que o russo vai ter grandes dificuldades para chegar na final…pode ser surpreendido…a quadra não está uma “Brastemp” para ele (velocidade)…num dia ruim (assim como aconteceu com Zverev) ele pode perder para jogadores abaixo do nível dele).

  6. Luiz Fernando

    Dalcim, vejo o canadense como um adversário menos problemático pra Rafa do seria Zverev, embora longe de dizer q seja uma partida favas contadas, será bem dura, o cara vem jogando muito bem, o título da ATP Cup diz tudo. Mas ele tem o serviço e o BH inferiores aos do alemão, e vejo a devolução de Nadal como seu pior fundamento na atualidade, ou seja, encarar os sacadores por essência é sempre piro p o espanhol. Como vc ve o confronto?
    PS: fazia tempo q não via Nadal servindo tão bem (excluindo aquele game das duplas faltas contra CX9), concorda?

    1. José Nilton Dalcim

      Ah, com certeza Denis a princípio vai respeitar mais o Rafa do que eventualmente Zverev, além de ter um saque inferior. Claro que o canadense está confiante e acho que os dois primeiros sets vão exigir máxima atenção do espanhol.

  7. Luiz Fernando

    A grande atuação do filho do Zidane valorizou a vitória de Rafa, que vem jogando cada vez melhor, algo q talvez só os nadalistas xiitas acreditassem. Hoje prestei atenção principalmente na parte física e achei o espanhol bem, não no melhor q poderia, mas acima do q eu imaginava. Agora vai enfrentar o Shapo, q aparentemente vem no melhor melhor momento da carreira desde daquela vitória inesperada no M1000 canadense de 2017, mas vejo o canadense como um adversário mais “batível” do q Zverev, pois tem um serviço menos contundente do q o alemão e a devolução ainda me parece o pior fundamento de Rafa. Hummm, tem gente q está ficando tensa, era pro cara cair na primeira semana, está nas quartas, o grande favorito da sua metade da chave fora…

    1. Gildokson

      Acho que lembro de um cara que disse que a segunda semana era lucro….
      Ahhhh, perai lembrei pow!!!
      Foi você mesmo kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Mas é cara d pau viu…..

  8. Alexandre

    A Bia acabou de ganhar na terceira rodada. Que legal!!!
    Um grande abraço, Dalcim. Na sua opinião o que a Bia tem feito certo na temporada de duplas, ja que os resultados são bem expressivos?
    Quais brasileiras no passado ja ganharam torneios equivalentes a um WTA 500?

    Fora isso, Dalcim, parabéns pela sua senha fantástica cobertura e balizadas opiniões. So fico curioso com uma coisa: Haja paciência jornalística para aguentar alguns comentários no blog… Viva a democracia, sempre!!!
    Muitas felicidades e um grande abraço…Bora para as quartas!!!.

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, Alexandre, a Bia tem excelentes golpes de base, devolvendo pesado e joga muito bem na rede. Esse conjunto funciona muito bem na dupla, especialmente quando você não enfrenta reais especialistas. Bia tem tudo para jogar bem também nas duplas. E no nível 500, só a Luísa Stefani mesmo na Era Aberta. Abs!

  9. João ando

    Eu não estou acompanhando o ao.Qual sua opinião sobre o tenista cressy.e seu estilo de saque e voleio e top70…dalcim

    1. José Nilton Dalcim

      Ah, é um tenista bem esforçado e faz seu tranalho direitinho, mas não vejo muita chance de ir longe.

  10. Rubens Leme

    Outro Palmeiras x Santos na nossa vida, Dalcim. Tentamos o primeiro título na nossa terceira final da Copinha. Em 1999, ganhamos a Libertadores na nossa terceira final.

    O Santos tentava o tetra na Libertadores, quando Breno Lopes os deixou na saudade. Agora, tentam o tetra de novo.

    A história parece ao nosso lado. Que assim continue…

    PS: faca foi demais. E essa não era fake.

  11. Miguel BsB

    Não acredito que a antipática e escandalosa “rainha das duplas faltas” ainda tá no torneio…tentei assistir, no mudo, aí tem que mutar tudo e ficar sem narração, comentários, porque essa Sabalenka só berra o tempo todo. Minha mulher já tinha ido dormir, não tem como deixar a rainha da DF gritando…capaz de acordar a vizinhança.
    Vi que tinha perdido o 1 set, falei, dessa vez ela não escapa. E não é que escapou? Realmente, é uma vergonha uma tenista com 15 ou mais DF por jogo estar conseguindo ganhar jogo atrás de jogo. Isso mostra a “qualidade” de grande parte da WTA atual.

    1. Ronildo

      Nada haver. Nunca houve tantas tenistas em tão alto nível ao mesmo tempo. Ela vai longe porque tem outras armas também. Teve um tempo em que Zverev estava sofrendo com duplas faltas e ninguém falava do nível do tênis masculino neste tom. Além do mais comete duplas faltas quem força o saque. Duplas faltas não são sinal de tênis de baixo nível.

      1. Miguel BsB

        São sim. Imperdoável para a n°2! do mundo. A segunda melhor jogadora da atualidade.
        Quando Zverev estava naquela maré de intermináveis DF eu e muitos aqui no blog cansamos de criticá-lo, então me poupe desse comentário a respeito de algum tipo de misoginia enviesada…até porque, provavelmente, a jogadora que eu tenho mais gostado de assistir ultimamente entre homens e mulheres é a Barty.
        Não vou nem entrar no mérito da “melhor geração da história”. Vou fingir que não li rs

  12. Rônei Rocha

    Que espetáculo ver o Cilic enfiando, sem medo, a mão na bola e fazendo ela andar da maneira que fez contra o Rublev! Pouquíssimo spin e, claro, margem de segurança. Mas que dá gosto de ver, isso dá.

  13. Rubens Leme

    Periferia, estava revendo ontem, por streaming, um dos filmes mais estranhos da carreira do Hitchock, Topázio, que foi bombardeado pela adaptação fraca, por um elenco excessivamente europeu e desconhecido do público norte-americano, além de atores deslocados, como a alemã Karin Dor vivendo Juanita de Cordoba, o canadense John Vernon como Rico Parra, etc.

    Mas, o que achei mais curioso é que assisti uma versão com um final alternativa, para minha surpresa. Como deve saber, a cena final, em que Jacques Granville se suicida foi totalmente improvisada. Ele não tinha pensado nela como possível final, no começo das filmagens, então usou a cena em que o Henri Jarre deixa a casa, fecha a porta, com HItchcock adicionando o som de um tiro de revólver, indicado que ele se matou.

    Mas, nesta mostra Granville pegando um avião para Moscou, feliz da vida, e acenando para Andre Deveraux, que pega, no mesmo horário e pista de decolagem um vôo para Washington. Enquanto o vilão ria, Deveraux comenta com a esposa “ele sempre foi muito inteligente e não há prova alguma contra ele”.

    Hitchcock havia ainda filmado uma cena absurda de um duelo de armas, como nos filmes românticos. Topázio faz parte da fase “menor” do diretor, que detestava filmar externas e, por isso, alguma das cenas chegaram a ser muito ruins, como também em Cortina Rasgada, com Paul Newman. Ainda assim, nas mãos do velho mestre, vira boa diversão.

    Caso alguém queira ver – com legendas em inglês – eis o site – https://fmovies.ps/movie/watch-topaz-online-13656

    1. Periferia

      Olá Leme

      Tenho um Blu-ray do filme…o extra vem com 3 finais alternativos (inclusive tem o crítico Leonardo Martin falando sobre o filme ).
      É um filme menor…muito influenciado pelo modismo da época…
      Filmes de espionagem estavam na moda…de certa forma Hitchcock tentou fazer um “007” …a Karin Dor que faz um papel inspirado na irmã do Fidel Castro…coincidentemente havia sido uma Bond girl ( Com 007 só se vive duas vezes)…
      Nós anos 60 existia uma grande quantidade de filmes assim… Dean Martin interpretava o agente secreto Matt Helm….James Corburn fazia Derek Flint (filmes b)…e faziam sucesso.
      É um filme menor do diretor…foi uma tentativa de voltar a ter um sucesso.

      1. Rubens Leme

        Paul Newman fez Harper, Frank Sinatra era Tony Rome…

        Vou procurar esse blu-ray. Mesmo os filmes menores do Hitch valem a pena, embora algumas cenas fossem horríveis. Lembra-se do barco pintado em uma cena de Marnie quando Tippi Hedren visita à mãe? Ele tinha tanto horror de fazer externas, que fazia algumas inacreditáveis nos filmes.

  14. Rubens Leme

    Al Green – Let’s Stay Together (1972)

    E para quem gosta de soul music com umz voz aveludada, a pedida de hoje é Let’s Stay Together, quarto disco do cantor Al Green, e álbum que completa 50 anos de lançamento este mês. A faixa-titulo é uma das canções mais conhecidas da história e foi fundamental no sucesso de Tina Turner, nos anos 1980. Na voz de Al, é mel puro.

    https://www.youtube.com/watch?v=PAF0JIQj1Uc

  15. PIETER

    Dalcim, que campanha surpreendente a da Bia, junto com a sua parceira cazaque, nas duplas do AusOpen, hein?
    Se passarem de hoje (e eu diria que elas têm razoáveis chances já que não enfrentam uma dupla favorita) será simplesmente o melhor resultado do tênis feminino brasileiro lá na Austrália na era aberta. Além de muito bem-vindos dólares…

  16. Rubens Leme

    Só um adendo: Djokovic deveria ser, a partir de agora, comentado em blogs de polícia, política exterior ou de direito, não mais de tênis.

    1. Rubens Leme

      Com o CIlic sendo o único trintão entre os 8 melhores da parte de cima de baixo podemos dizer que a renovação finalmente é uma realidade, Dalcim? A parte de cima ainda segue com Nadal e Monfils.

      1. José Nilton Dalcim

        Já uma realidade há algum tempo, Leme. Claro que os resultados em Slam ainda são um pouco menos expressivos, mas já tivemos vários deles ao menos em semifinais e alguns em finais.

  17. Rodolfo Costa Sousa

    Olá Mestre Dalcim
    2 perguntas pra vc !!!
    1-qual adversário vc acha que seria mais difícil para medveded nas quartas. Cilic ou Félix e pq?
    2-Como fã de Pistol Pete eu procurei saber pq o saque voleio Hoje não dá mais certo . Devido à padronização dos pisos mais lentos, a melhora do retorno sendo mais agressiva e a melhora das raquetes ( se puder explicar melhor para um leigo).
    Eu ainda acho q falta alguém tão bom quanto existia antes.
    Pq não entra na minha cabeça que em WB, AO ou USopen
    Que o saque voleio não teria sucesso.
    E na minha cabeça fazendo analogia com futebol (tosca analogia )
    O saque voleio seria o time do futebol de ataque , que ganha de goleada mesmo
    Levando muitos gols(muitas passadas) e acho o estilo mais bonito .
    O que vc acha dessas baboseiras que eu disse ?
    Kkkkk
    Abraço

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, acho que Aliassime tecnicamente é mais perigoso, porque ele tem todos os golpes e enorme vigor físico. Ainda falta um pouco de maturidade a ele. Quanto ao saque-voleio, é um estilo realmente interessante, mas que tem claras dificuldades hoje devido à evolução das devoluções. Mas não é impossível e o Cressy mostra isso. Também sinto falta do estilo na grama, mas até a grama ficou lenta, Rodolfo.

  18. Alvaro

    Torcendo pelo Cilic e Monfils, gosto muito dos dois, apesar da freguesia para o Big 3. Monfils tem tudo pra chegar na semi e o Nadal será testado apenas por Zverev nas quartas e Medvedev na final.

  19. Willian+Rodrigues

    Com relação a Aliassime, acho que passa pelo Cilic, ainda que encontre maior dificuldade devido ao histórico negativo (o aspecto mental sempre um entrave para esse garoto).
    Seria mais pertinente ter comentado na pasta anterior, mais ainda vale: Alcaraz já é um monstro aos 18 anos de idade! Que partidaça diante de Berrettini, o qual aliás, demonstrou humildade e reconheceu o enorme talento do espanhol.

    No momento, Sinner tem minha torcida… Adoraria que esse garoto atingisse as semifinais. Ainda o vejo com menos recursos técnicos que Alcaraz, porém o considero mais consistente, mais maduro.
    Que outros aspectos você destacaria Dalcim, entre esses dois novos grandes nomes, além dos dois anos a mais de rodagem do italiano em detrimento ao espanhol? Previsão de uma rivalidade futura, semelhante àquela entre Nadal e Djokovic? Guardadas as devidas proporções, é claro…

  20. Willian+Rodrigues

    Estou impressionado com a evolução apresentada por Taylor Fritz, desde a última partida em que pude assisti-lo!
    Jogo da linha de base está impecável, com bolas profundas, muitas angulações e mudanças de direção que surpreenderam Bautista Agut, por exemplo. Pode ser que o desgaste físico o impeça de avançar, mas, pelo que assisti do Tsitsipas, o grego terá que elevar o nível para passar à próxima fase.

    Kyrgios merece 3.465 críticas por vários aspectos de seu comportamento nem sempre ético com os colegas de profissão, organizadores dos torneios, ITF, ATP e afins, bem como pela falta de dedicação enquanto atleta. MAS, o cara é muuuito talentoso! Realmente, é um espetáculo à parte. Particularmente, gosto de assistir jogadas de efeito e envolvimento da torcida como fazem Monfils e esse australiano.
    Concordo com uma postagem sua do ano anterior, Dalcim: “Algumas vezes sinto raiva pelo fato dele ser tão pouco dedicado ao tênis! De fato, é o tenista que mais se aproxima do Big 4.” Rrsrss
    Saudações a todos

  21. Luís Nero

    Comentário bastante coerente, mas, na minha opinião, faltou citar o interessantíssimo duelo entre Barbora Krecjkova e Victoria Azararenka. A tcheca vem subindo muito de produção e conquistou Roland Garros no ano passado. Já a bielorussa vive, talvez, o seu melhor momento em quadra após o imbróglio que envolveu a guarda de seu filho, além de ter reconhecida capacidade técnica e vasta experiência no circuito. Meu palpite é que deva ser um confronto equilibrado, mas com leve favoritismo de Krecjkova, embora eu seja fã de Vika.

  22. Samuel

    O Sr. Dalcim chama de “nova geração” o grupo de tenistas que está em torno dos 25 anos. Essa é a rigor a idade em que a maioria dos tenistas superou a metade da carreira.

    Mas a nomenclatura mostra que os três melhores destruíram muitas carreiras.

    A sorte da “nova geração” é que Djokovic foi impedido de participar do torneio.

  23. Luiz+Correia

    Dalcim, fiquei espantado ao ver o jogo Ostapenko X Krejickova. A Ostapenko está MUITO GORDA! Uma pena, campeã de Slam tão jovem como foi. E ainda deu trabalho para a tcheca. Mas está muito claro que está longe da forma de uma tenista de ponta.

  24. rafael

    Vi o jogo do Cilic e ele jogou demais. Me lembrou os velhos tempos com um saque e golpes de base afiados. Mestre, eu tinha mencionado o Cilic e Fritz no começo da semana. Posso seguir acreditando nos dois?

  25. Sandro

    Meu Deus do Céu!!! Como pode uma tenista que comete sempre DOIS DÍGITOS de duplas faltas num jogo de apenas 3 sets chegar tão longe em um Grand Slam??? Este circuito feminino é totalmente paranóico mesmo! Tento até gostar do jogo de Sabalenka, porém, esse excesso de duplas faltas são irritantes e me impedem de torcer por ela… Por enquanto, tenho gostado do jogo das romenas Halep e Cirstea, da graga Sakkari e da polonesa Swiatek… Tenho acompanhado os jogos num canal árabe que tem mostrado muito mais partidas que a ESPN.
    Pelo que está jogando, duvido muito que Sinner perca para o De Minaur…

  26. Paulo Almeida

    Esse Cilic X Rublev foi um prato cheio para quem gosta de marreteiros unidimensionais, apesar do croata ultrafreguês do Djoko ainda subir um pouco. E Medvedevil segue passeando.

  27. Allan

    Tava em casa ontem e resolvi dar uma olhada no Fechado, ops, Aberto da Austrália. Tava jogando a Sabalenka, gosto dela, parece ser bem simpática e tal, mas a WTA não tem dado sorte nos últimos muito anos, né?! Não bastasse a falta crônica de referências fortes, tanto de jogo mesmo quanto de carisma, ainda agora “me” arrumam uma número 2 (número 2!) que não tem um 2o saque minimamente seguro. Lembrei até daquela Dementieva (acho que era esse o nome, uma loira russa bem gata, lembram?) A mina era, sei lá, top 10, e não sabia sacar! Literalmente! Ela não tinha a mecânica mesmo, não era uma questão psicológica, como parece ser mais o caso da Sabalenka, apesar que essa também parece que está com um problemas técnicos ali pra acertar o toss.

  28. Rubens Leme

    Muito bacana ver o Cilic avançar, é um daqueles malucos que marreta sem dó e quando começa a acertar, torna-se um pesadelo. Vamos ver se passa pelo ali-acima para continuar subindo e, quem sabe, voltar ao top 15.

  29. Fernando S Prado

    Ahaha! Muito divertido o título!

    No aguardo do que espero ser empolgante logo mais (o tiozão Nadal tentando ser parceiro do Cilic).

  30. Viktor Ramos

    Concordo com o otimo comentario. Com um adendo. Fritz tem tenis para bater Tsitsipas ainda mais no momento que ambos vivem. De resto, nao vejo Sinner perdendo de De Minaur e Medvedev de Cressy. Sobre Cilic x Aliassime acho que pelo momento o favoritismo leve esta em Cilic.

    1. Viktor Ramos

      No feminino acho que Azarenka bate a Krejcikova em 3 sets duríssimos. Será a única “zebra”. E possivelmente a Badosa nas Quartas.
      Na chave de baixo acredito que Swiatek bate Sabalenka. Porém perde as semis para Halep.
      Barty vence a Halep na final.

      1. PIETER

        Torço muito pela Barty que é a minha jogadora favorita de assistir. Acho-a muito habilidosa e criativa jogando, sempre buscando alternativas para prevalecer sobre as grandalhonas e o tênis-força por elas jogado.
        Mas penso que é muito difícil não sucumbir à enorme pressão que existe sobre ela para encerrar o longo jejum de 44 anos sem uma campeã australiana no AusOpen.
        Mas se há alguém que pode quebrar essa escrita, é justamente Asleigh!

Comentários fechados.