Djokovic conhece caminhada e espera ministro
Por José Nilton Dalcim
13 de janeiro de 2022 às 15:39

Depois de uma tremenda boataria nas redes sociais, as chaves do Australian Open foram sorteadas e Novak Djokovic aparece para defender seu título, buscar o décimo troféu e o 21º Grand Slam. Como tem treinando normalmente e em ritmo acelerado, o sérvio parece pronto ao menos no campo técnico e físico para o desafio. Ele ainda está sob ameaça de deportação, mas o ministro australiano do Interior seguidamente adia pronunciamento e permanece em absoluto silêncio sobre o caso.

Djokovic tem pela frente jogos iniciais que podem ser fisicamente exigentes, mas onde ele é muito superior ao compatriota Miomir Kecmanovic, Tommy Paul ou Lorenzo Sonego. O superfreguês Gael Monfils e o fraco Cristian Garin viriam a seguir, se chegarem tão longe num setor que Alexander Bublik é perigoso. Já nas quartas o possível adversário é bem indefinido, podendo pintar a potência de Matteo Berrettini, a experiência de Pablo Carreño ou a juventude de Carlos Alcaraz. São jogadores de estilos muito diferentes e talvez Carreño seja o nome a se evitar.

Alexander Zverev e Rafael Nadal são os tenistas de peso no segundo quadrante e portanto adversários potenciais de Nole na semi. O caminho não é ruim para Sascha e colocaria Reilly Opelka como o maior obstáculo até as quartas. Já o espanhol pode encarar sequência bem exigente. A estreia contra Marcos Giron e a segunda partida frente a Thanasi Kokkinakis não permitem vacilos. Aí haveria um respiro antes de uma pedreira do tamanho de Hubert Hurkacz ou Aslan Karatsev. Portanto, para chegar em Zverev tudo indica que Rafa terá de estar em forma e confiança máximas.

Finalista do ano passado e o mais recente campeão de Grand Slam, Daniil Medvedev também vislumbra trajeto com poucas armadilhas. O eventual terceiro jogo contra o canhoto Ugo Humbert seria um bom teste, já que o francês jogou muito bem na ATP Cup. No jogo seguinte, podem pintar John Isner ou Diego Schwartzman ou uma ‘zebra’ como Maxime Cressy, porém me parece bem provável que Medvedev chegue nas quartas e aí o quadrante é bem imprevisível. Ali estão Andrey Rublev, Felix Aliassime, Daniel Evans e Marin Cilic, curiosamente quatro jogadores cuja instabilidade emocional é o principal defeito. Como vimos na ATP Cup, Evans e Aliassime mostraram força. Apostaria no britânico.

Por fim, o terceiro quadrante promete qualquer coisa e pode surgir daí um semifinalista inédito de Slam. O principal cabeça é Stefanos Tsitsipas, que não mostrou firmeza em Sydney com um cotovelo ainda preocupante. As oitavas diante de Roberto Bautista ou Taylor Fritz, grandes destaques da ATP Cup, tende a ser decisiva. Quem sobreviver terá boa chance de ir à penúltima rodada, já que o setor anexo tem Jannik Sinner, Casper Ruud, Nikoloz Basilashvili, Alex de Minaur e uma pequena mas não desprezível chance para Andy Murray.

Aliás, Murray protagoniza um dos grandes jogos de primeira rodada, no reencontro da batalha com Basilashvili de dias atrás. Outros jogos iniciais imperdíveis são Norrie x Korda, Nakashima x Berrettini, Opelka x Anderson, Musetti x De Minaur, Schwartzman x Krajinovic, Cressy x Isner e Umbert x Gasquet.

O feminino
Nem começou e a chave feminina já deixa enorme expectativa por um duelo precoce entre Ashleigh Barty e Naomi Osaka em plenas oitavas de final. A menos que joguem muito abaixo, será difícil evitar o confronto. A única que parece ter condições disso é Belinda Bencic. Esse lado superior da chave está bem forte, com presenças também de Maria Sakkari, Ons Jabeur e a imprevisível Jessica Pegula.

Quem sobreviver a isso tudo fará semi com a vencedora do setor que tem Barbora Krejcikova, Elina Svitolina, Vika Azarenka, Sofia Kenin, Coco Gauff e Paula Badosa. Dificílima previsão. A terceira fase pode ter Kenin contra Gauff e Azarenka diante de Svitolina, que decepcionou esta semana.

Aryna Sabalenka foi muito mal nos dois preparatórios de Adelaide, mas teve sorte na formação da chave e ao menos deve ganhar os dois primeiros jogos. No seu setor ficaram as canhotas Angelique Kerber e Leylah Fernandez, que podem duelar na terceira rodada. Parece uma boa janela para Iga Swiatek mostrar que se sente mais à vontade na quadra dura.

O terceiro quadrante é encabeçado por Garbiñe Muguruza, que caiu logo no 500 de Sydney e pode encarar a renovada Simona Halep. Entre as duas está Emma Raducanu quem, vindo de covid, só ganhou um game contra Elena Rybakina e vai pegar Sloane Stephens na estreia. É bem interessante ficar de olho em Anett Kontaveit, que está no seu piso predileto e em alta.

Os brasileiros
Thiago Monteiro encara a habilidade de Benoit Paire em seu retorno ao Melbourne Park. O canhoto cearense fez bons jogos nos dois torneios anteriores, com destaque para um primeiro saque bem agressivo, e sabe que terá de tirar o máximo do forehand do francês. Se passar, deve encarar outra ‘fera’, Grigor Dimitrov.

Bia Haddad também jogou dois preparatórios e aguarda uma qualificada, o que é garantia de ranking mais baixo porém de adversária em pleno ritmo. Se vencer, deve encarar Halep e aí fica pelo menos divertido.

E se…
Houve uma enorme expectativa no início da quinta-feira em Melbourne, quando o Primeiro Ministro fez um discurso sobre a pandemia e o sorteio foi atrasado em 1h15. Parecia que a ‘bomba’ do afastamento de Djokovic iria estourar, mas de novo nada aconteceu, já que o ministro da Imigração diz continuar avaliando o caso. Angustiante. Será que há alguma investigação em andamento? Ninguém sabe, e Nole continua treinando normalmente.

A pergunta óbvia é: o que acontecerá com a chave masculina caso Djokovic seja impedido de competir? A regra diz que, caso a primeira programação ainda não tenha sido divulgada, haverá troca de lugar de alguns cabeças de chave. Rublev subiria para a posição de Djokovic e Bublik ganharia condição de cabeça 33. Se a retirada ocorrer depois da programação, então a primeira linha será ocupada por um lucky-loser.


Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Periferia

    Djokovic e as fases do luto.

    A negação (jamais vou tomar vacinas…sou o Inevitável )

    A raiva (não sou amado como deveria… vocês vão ter que me engolir)

    A negociação ( conversei com o Craig Tiley…estou a caminho…o 21 tá no papo)

    A depressão (sentado numa sala do aeroporto pensando ..Cadê Pepe Imaz?preciso dele)

    A Aceitação (no avião de volta…Pfizer ou Astrazeneca? Alguém pode informar?)

    Em Belgrado…no carro com o pai…ouvindo a música O Portão de Roberto Carlosvic…grande cantor sérvio.

    Responder
  2. Pedro+Batista

    Assim como a sensatez apontava, o sérvio negacionista será depotardo da Austrália. Mestre Dalcin, ele terá de passar três anos sem pisar na Austrália? E se sim, vc acha q ele voltará a disputar novamente AO?

    Responder
  3. Luis

    Muito triste o desenlace desta história!. Até isso a pandemia nos roubou; assistir esporte com atenção só no esporte. Aconteceu a mesma coisa nos jogos olímpicos. É claro que liberdades e direitos individuais são super importantes e devem sempre ser respeitados. Mas qualquer evento coletivo nestes tempos exigem algum grau de sacrifício. E a liberdade de não se submeter ao sacrifício este preservada neste caso, já que a possibilidade de não jogar sempre foi uma alternativa pro Djokovic. Independente da pertinência técnica das normas australianas, são essas as normas que eles escolheram. E a rigidez destas normas foi aplicada ao povo australiano. Independente da enorme lambança da Tennis Austrália, mesmo sendo o maior campeão de todos os tempos, sua importância não é maior que os sacrifícios de todos os australianos nestes dois anos. Triste

    Responder
  4. André Abelha

    Bom viagem, Djocovik. Já vai tarde. Parabéns por gastar tempo, dinheiro, energia e imagem na cruzada mais idiota e egoísta da história do tênis mundial. Como o dinheiro e a gana pelos recordes falarão mais alto, você se vacinará na Sérvia com grande estardalhaço e vitimização, idolatrado pelos negacionistas radicais de plantão. E felizmente será vaiado a plenos pulmões pela imensa maioria do público nos próximos torneios. Os departamentos de marketing dos patrocinadores certamente já estão analisando se sua imagem, agora nua e crua, impactará a venda dos produtos e serviços. Façam suas apostas.

    Responder
  5. Glauber melo

    Bom dia, e a justiça determinou por unanimidade e o sérvio vai ser deportado uma pena para o torneio veremos o desenrolar dessa novela será que Djokovic vai ficar mesmo 3 anos sem ir na Austrália pela lei acho que o sonho do 10 Austrália open já era

    Responder
  6. evaldo moreira

    Chacote….chacota e mais chacota
    Uma vergonha isso, e a tendência é ser deportado, o estrago foi tão grande, que poderia ser evitado, pelo próprio, e ao meu ver, a alfandega não teve peito de mandar o cara de volta, simples. E a Tenis Australia é culpada também….julgamento em curso, aguardemos…

    Responder
  7. Maurício+Luís+*

    Tô achando que o site Tenis Brasil vai até sair do ar na hora do veredicto sobre essa novela mexicana do sérvio, tamanho o número de acessos. Independente do resultado, óbvio do ululante que o famoso tenista antivaxx já saiu perdendo tanto quanto aos treinos quanto na parte psicológica.
    E por falar em antivaxx, o internauta “emérito” aqui do blog vaticinou que em 2 ou 3 anos vão morrer os vacinados. Estive pensando:: como + de 90% dos brasileiros se vacinou, e como os não vacinados estão lotando os hospitais, daqui a pouco não vai sobrar mais NINGUÉM aqui na República das Bananas.
    Sinistro…

    Responder
    1. Carlos Reis

      Quem disse que os Vacinados morrerão de Cvd19!? Vão morrer de inúmeros problemas de saúde, pois essa VAC destrói o Sistema Imunológico, segundo alguns médicos e especialistas. Eu só quero que eles estejam errados, pois meus parentes e amigos tomaram esse troço. Os Anti Vaxx no Brasil não enchem uma Kombi, mas Eu e minha mulher estamos nela. Meus filhos não vão tomar.

      Responder
      1. Fernando Brack

        Ser irresponsável consigo mesmo já é ruim o bastante, mas ser irresponsável com os filhos é crime. Vc não é um mau sujeito. Seu problema é acreditar em mentiras.

        Responder
      2. Maurício+Luís+*

        Mas Carlos… eu não escrevi que vão morrer de covid. Você afirmou que em 2 ou 3 anos os vacinados vão morrer. Tem + de 90% dos brasileiros vacinados… então daqui a 3 anos não vai sobrar quase ninguém. Quanto aos seus filhos, são seus. Lamento sua decisão, mas espero que nada de mau lhes aconteça, que cresçam com saúde e lhe deem muito orgulho.

        Responder
      3. Maurício+Luís+*

        Se formos seguir esse seu raciocínio, estamos todos “desenganados” pelos próximos 2 ou 3 anos, inclusive o blogueiro que se vacinou também.

        Responder
  8. Gilvan

    Estou aqui acompanhando o julgamento do Djocovid e fico sempre me perguntando: por que motivo um atleta do nível dele se submete a isso?
    São quase 3 horas de julgamento discutindo se o cara é um risco pra sociedade ou não, sempre reforçando que ele não se vacinou por capricho (sempre teve às vacinas à sua disposição) e também o fato de o sérvio ter galvanizado o sentimento anti-vacina em um país estrangeiro. Tudo isso, bom ressaltar, no meio de uma pandemia que já levou milhões de almas.
    Não tem assessoria de imprensa que consiga solucionar o fanatismo alheio. Djocovid está num caminho sem volta. Será marcado até o final da carreira por isso, como aconteceu com a Margaret Court, tenista memorável, mas que todos querem distância, pois é uma pessoa tóxica, danosa para a sociedade em razão dos seus radicalismos.

    Responder
    1. Fernando Brack

      Pois então, Gilvan, essa galvanização que vc menciona é o cerne da decisão do ministro Hawke. Djoko não precisa dizer nem fazer nada. A admissão por si de um notório antivax seria forte incentivo ao movimento local, que não é desprezível. É nesse sentido que Hawke considera Djoko um perigo para o esforço deles contra a covid, e eu acho que ele está certíssimo.

      Responder
  9. sandra

    Dalcim, será que se pode deportar alguém por ser contra vacina ? Pelo menos e o que se está dizendo no site do ATP tênis , se for assim apesar de ser outro país , outra legislação será que nós não podemos criar uma jurisprudência e deportar O Presidente do Brasil? rssss

    Responder
      1. Samuel

        Sr. Dalcim falando em deportação de Presidente da República para o período eleitoral…

        Sabemos as tendências de quem trabalha no jornalismo. Mas essa foi alucinante.

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Eu apenas disse que o desejo da Sandra não precisa passar por deportação. O voto livre e democrático pode resolver de forma mais decente. Pena eu ter que explicar algo tão óbvio. Ah, mas a imprensa que se derrete à direita, conservadora e tacanha, defendendo o desgoverno, essa é boa e confiável, não, Samuel? Faça-me o favor!

          Responder
  10. Samuel

    Após ver menção aqui no blog do texto escrito por um tal militante pró-homossexualismo Milly Lacombe, dei uma olhada, para ver do que se tratava.

    Assemelha-se a mais um militante totalitário, que, devido à sua condição pessoal, tem ódio velado do mundo e tenta revestir seu veneno com “palavras doces”, no intuito de se passar por “bonzinho” para os incautos.

    Parece que tal estilo embusteiro virou modismo.

    Responder
    1. Fernando Brack

      Pra começar, Milly não é um, é uma. No mais, de tudo que vc escreve, não se aproveita nada. E ainda tem a manha de fazer crítica a discurso de ódio.

      Responder
      1. Samuel

        Sr. Fernando, pela foto, Milly parecia ser um homem. No caso, ressentido contra o mundo devido à própria sexualidade.

        Mesmo assim, um embusteiro, cheio de ódio mal disfarçado e que tenta enganar as pessoas pela quantidade de palavras que usa.

        Responder
  11. Sandra

    Dalcim , sera que e verdade que mandaram a jogadora tcheca que foi deportada tirar a roupa ??a Austrália está perdendo s noção , está ficando mais para Arábia Saudita!

    Responder
    1. Valmir da Silva Batista

      SANDRA, isso não precisa ser perguntado para o Dalcim, né? Em qualquer portal informativo você encontra tudo sobre a tenista tcheca Renata vóračová, é esse o nome dela, viu? No mais, esse é um questionamento tão tolo, que creio que o Dalcim nem irá se prestar a responder…

      Responder
  12. Chetnik

    “Australian Lawyers Alliance spokesman Greg Barns SC, a barrister experienced in migration cases, said Djokovic was now feeling the full force of migration laws designed to remove suspected terrorists from Australia, not tennis players.

    “One of the most dangerous aspects of the Djokovic matter is the preparedness of the federal government to deem someone to be a risk to public order simply on the basis of what it perceives that person’s views might be,” Mr Barns said. “This is Orwellian and it is deeply troubling in a society supposedly committed to freedom of speech and freedom of thought.”

    “Mr Hawke, has now conceded all matters in dispute in that case and accepts that Djokovic, due to a recent COVID-19 infection, had a valid medical reason and exemption to travel here without being vaccinated.”

    Exatamente o que eu falei. 100%.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Perguntinha retórica, caro advogado: quando alguém pede visto para entrar num país, e o faz, sabe que está completamente sujeito às leis daquele país, não é? Abs!

      Responder
      1. sandra

        Eu não descordo de vc Dalcim, a única coisa que me irritou profundamente ,foi ter deixado ele chegar na Austrália, porque não avisaram antes ? Podia ter exceção e depois que já estava lá, não podia mais

        Responder
      2. Chetnik

        Mas em algum momento eu disse o contrário? Tem meia dúzia de post meu, ainda do ano passado, que eu digo que eu prezo por fronteiras fechadas e soberania nacional e que, a Austrália, assim como qualquer país, poderia adotar a medida de entrada que quisesse e, se algum estrangeiro não gostasse, inclusive o Djoko, poderia ir a PQP.

        Mas não foi isso o que aconteceu. Concederam uma exceção médica para ele e, enquanto ele viajava, por causa de comoção popular, resolveram voltar atrás. Desde então, ele vem sendo tratado feito terrorista, como um genocida. Foi pego pra bode expiatório por política, por conta das eleições iminentes. Ele está na Austrália por conta de uma decisão judicial a seu favor, e não porque ele se trancou no banheiro do hotel e se recusar a sair. O governo, que não conseguiu contestar a sua permanência na corte, apelou para uma lei autoritária criada para combater terrorismo. Contra um jogador de tênis. Você acha isso normal e aceitável? Eu não acho.

        Não tivesse a Austrália concedido uma exceção médica, nada disso teria acontecido e ninguém estaria defendendo o Djokovic, que nunca sequer teria saído da Sérvia – sempre tem alguém, mas seria a verdadeira kombi que os caras gostam de dizer.

        Vocês agem como se o Djoko tivesse acordado um belo dia, contrariado, e resolvido pegar um avião na marra, desafiando todo mundo, e, uma vez chegando, e em sendo barrado, tivesse mandado chamar os seus advogados de algumas de centenas de milhares de dólares para lutar pela sua permanência. Mas não foi isso que aconteceu. Ele pegou o avião porque tinha uma exceção médica concedida pela Austrália. Não só isso, um juiz australiano decidiu em seu favor. Nada mais justo que ele lute até o final, dentro dessas circunstâncias.

        Essa história de que a maioria da população o quer fora…engraçado que as noções de democracia mudam de acordo com a conveniência. A ideia de democracia, hodiernamente, e isso é unânime entre os estudiosos, sejam eles jurídicos, políticos ou sociais, vai muito além do que a “maioria quer” – e fica esse alerta para o Brack. Uma turba barulhenta e violenta não pode, conquanto seja “maioria”, passar por cima dos direitos individuais de ninguém.

        Então se a amanhã 80% da população brasileira votar pelo catolicismo como religião oficial do Estado, banindo todas as demais, isso será democrático? Porque a maioria decidiu?

        Por fim, embora essa questão não anule a discussão atual, pois é apenas subjacente à matéria, fica a reflexão para o futuro: Um país que impõe dificuldades de entrada e trânsito às pessoas dessa forma pode sediar um evento esportivo INTERNACIONAL? Na Europa, países tem as suas próprias regras de entrada, trânsito e imigração…vou dar um exemplo. Sem entrar nas especificidades do caso mas, pelas leis nacionais da Sérvia, Kosovo não poderia competir, digamos em futebol, lá dentro. Sabe o que a UEFA diz? “Ok, vocês têm a sua soberania nacional e nós a respeitamos, mas, se vocês não podem cumprir com nossas regras desportivas, vocês estão fora da competição.”

        Não seria a primeira vez que o GS seria realizado fora da Austrália. Afinal, não era chamado, inclusive, de GS da Australásia?

        PS: Aproveito o ensejo e devolvo uma pergunta, não tão retórica assim: o que você pensa sobre imigrantes ilegais?

        Responder
        1. Fernando Brack

          Caraca! Como é difícil aceitar que a exceção foi mal concedida, e sabe-se lá a troco de que incentivo. OK, não precisa ser suborno por parte do Djoko, pois ele por si é fonte de renda adicional para a Tennis Australia e mesmo para Melbourne.

          Responder
        2. Fernando Brack

          E sua questão sobre dificuldade de acesso e trânsito de pessoas no país simplesmente não existe, muito em particular nesse caso, onde 97 de 100 tenistas tops estão vacinados. Se tomar a vacina implicasse um sacrifício, daria pra entender, mas é pura ignorância e teimosia. Discutir isso já perdeu a graça.

          Responder
      3. Chetnik

        Ah, e apenas complementando, só lembrando que o texto é da Australian Lawyers Alliance. Aparentemente eles concordam com o que eu escrevi aqui uns dias atrás. Só queria pontuar.

        Responder
      4. Gildokson

        Eu falo que ele se acha uma coisa que não é… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
        A sorte desse cara é que dentro de quadra o sérvio garantiu as chances dele vim aqui poluir nossos smartphones kkkk

        Responder
      5. Paulo

        E a leis australiana prevêem a isenção médica. Ele pediu, foi aceita e só foi à Austrália por isso. Tanto é que não foi deportado por falta de vacina, mas por supostamente representar um perigo para a sociedade por suas opiniões. A principal justificativa dada é que a sua presença poderia fortalecer o movimento antivacina. Convenhamos, uma justificativa muito frágil para impedir alguém de disputar um torneio por 15 ou 20 dias, uma vez podendo ser testado a cada dois ou três dias.

        Responder
        1. Fernando Brack

          Isso não é verdade. A isenção médica que ele pediu, e foi erroneame concedida, não se aplica a estrangeiros. E não é difícil imaginar que todos sabiam disso, inclusive ele e seu staff, mas combinaram de tentar a burla para garantir a presença do N°1 no torneio. Bancaram espertos e se ferraram.

          Responder
          1. Luiz+Fabriciano

            Mas o mérito da questão e que teve como desfecho final é que “ele representa perigo à saúde nacional australiana”?
            Olhe você se contradizendo. Ademais, burlar leis e fatos é por sua conta.

      1. Hermes Lourenço

        Verdade, se ele tivesse roubado a carteira de alguém a hora que chegou já teriam colocado ele direto na semifinal do Australian Open.

        Responder
    2. Fernando Brack

      Exatamente o que vc falou e, claro, 100% errado. O cara não sabe (e vc também não, apesar de amplamente debatido) que contaminação precedente não isenta estrangeiros de estarem vacinados. É a regra em vigor no país, seja ela boa ou não, goste-se dela ou não. E, por incrível que pareça, se é que não foi uma tramoia propositalmente armada, nem a Tennis Australia sabia.

      Responder
  13. Luiz+Afonso

    Todos estão cientes de que o passaporte vacinal, POR SI SÓ, não evita a transmissão do vírus, salvo se acompanhado de outras medidas preventivas, uma delas o uso de máscaras.
    Estou assistindo a uma rigidez extrema proibindo a participação no torneio de um indivíduo não vacinado (na verdade foi mais de um), porém não infectado e que não se opõe a ser diariamente testado. Por outro lado assisto a uma NEGLIGÊNCIA TOTAL com a exigência do uso de máscaras, por parte do público, nos torneios preparatórios na Austrália, como em Sidney e Adelaide. Nesses mesmos torneios TODOS OS QUE NELE ESTÃO TRABALHANDO estão fazendo o uso correto das máscaras, no que me faz crer que o uso seja obrigatório, como medida de prevenção e/ou mitigação da transmissão do vírus.
    Dito isso, está me parecendo contraditório o comportamento das autoridades australianas em sua justa busca pela preservação da saúde pública de seus cidadãos, residentes e visitantes.
    Seria mais coerente implantar a política de “tolerância zero” efetivamente para todos.

    Responder
  14. Marcelo F

    Boa tarde Dalcim. Gosto do Djokovic, apesar de torcer por Nadal. E acho que ele tem direito de não se vacinar, por quaisquer que sejam os motivos. Só não acho que ele deva procurar “brechas” ou “isenções” para poder desrespeitar uma determinação. Há quem afirme: “Se todos estão vacinados, quem corre o risco de contrair é ele. Sendo assim, ele não é uma ameaça à saúde pública”. Concordo, na prática, que ele não é nenhuma ameaça. Mas não acho que essa deva ser a discussão. Porque muitas pessoas na Austrália tiveram que se sujeitar a regras durante esse tempo todo, e não é justo alguém, por mais importante que seja, querer não cumpri-las. Elas foram anunciadas há muito tempo. O Pierre Hughes Herbert, que também é contra essa vacina, nem tentou ir. Abriu mão do torneio. Sem drama. Sabe das consequências de sua decisão. Há argumentos “legais” a favor do Djoko. Mas e os “morais”? Ainda que ele ganhe o recurso de amanhã, eu sou CONTRA sua participação. Eu queria saber sua opinião sobre a presença ou não do Djokovic no torneio. Não quero argumentar a respeito do direto de ele jogar ou não. Nem se você concorda com ele lutar para poder jogar. Ou mesmo se ele foi vítima de desinformação pela Tennis Australia. O que quero perguntar é simples. Você é a favor ou contra?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu já me posicionei em outro post, Marcelo. Sou contra. Acho que ele não deveria ter tentado jogar o Australian Open se é contra a vacina ou ao menos não tem confiança em tomá-la. Não concordo sequer que ele tenha tentado a ‘exceção’, ainda que não tenha feito nada ilegal. Como você bem salientou, para mim é uma questão moral, de postura. Pretendo esclarecer o que penso no próximo post, assim que esse caso termine. Abs!

      Responder
        1. Valmir da Silva Batista

          SANDRA, você está dizendo que boas pessoas têm direito de fazerem merda? Pelo amor de Deus, né?! Tenha um pouco mais de discernimento!!!!

          Responder
  15. C´ésar

    A obsessiva insistência desse sujeito em participar de um torneio em que um país inteiro o quer longe, é uma das coisas mais repugnantes que vi no esporte em muito tempo. A tendência é que ele seja deportado mas se a tendência não se realizar ele será vaiado do primeiro ao último minuto em que estiver em quadra. Eu, se fosse jogador, me recusaria a jogar com ele. Se tivesse comprado ingresso pediria o dinheiro de volta. Se fosse patrocinador retiraria o patrocínio. Como não sou nada disso, faria um boicote silencioso ao torneio e não o assistiria.

    Responder
  16. Sônia

    O torneio feminino está bem equilibrado, torcerei para a Bia, Bencic e a Rybakina. A espanhola Badosa chega muito confiante. No masculino, dá-lhe, dá-lhe Zverev… não me decepcione rsrsrs. Beijos.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Quem entraria no lugar do Djoko é o Andrey Rublev, mas ele continuaria como cabeça 5, apenas ocupando a posição do cabeça 1. O Bublik subiria para condição de cabeça, como 33.

      Responder
      1. Maurício+Luís+*

        Então, Dalcim, mas pelo que entendi, o Rublev pode até não ser cabeça 1, mas se ocupa o lugar, terá os mesmos benefícios. Como por ex. não cruzar com o cabeça 2 antes da final…

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Sim, exatamente como o cabeça 3 (ou 4). Por isso será dado esse benefício ao cabeça 5, para que ele tenha os mesmos direitos dos cabeças 2, 3 e 4 no caso da ausência do 1.

          Responder
  17. Marcelo+Costa

    Quase dois anos após o início da pandemia, o vírus finalmente me achou a mim e toda minha família, todos aqui vacinados óbvio, até o mais jovem com 17 anos, mas o pior não foi só a covid, foi ela vir junto com a gripe derrubou tudo e a todos mas sabíamos que não era letal, pois, a vacina cumpriu seu papel de evitar internação e a morte. Sim fomos afortunados mas muitos aqui tivemos relatos comprovando que não tiveram a mesma sorte, que não irão poder ver a sandice do caso do sérvio, que não lerão o ótimo texto da lacombe, e não sentirão nojo ao ver o desprezo de alguns aqui nesse espaço sobre o contraditório, pois estão mortos.
    Dalcim sou adepto a postar tudo que puder ser postado, mas há um limite, a vacina impede a morte, mas para esses que ofendem uma jornalista assim, não há vacina, pois o vírus é muito grande e resistente.

    Responder
  18. Sandra

    Dalcim, todos sabemos que ele não é fã de vacina, mas você ouviu algum dia ele ir para mídia dizer que não ia tomar a vacina ?o que ouvi que se fosse necessário ele ia pensar, mas não que não vou tomar

    Responder
  19. Periferia

    O Pai

    Milhares de pessoas depositam em Novak Djokovic confiança e devoção.
    Ele é referência para muitos…
    Uma criança…jogando tênis em qualquer quadra pública do mundo sonha ser o famoso “Djoko”…o comedor de fígados.
    Um craque…sem dúvida…
    Domina a maioria dos recordes do tênis (e contando).
    Mas isso é suficiente para uma devoção cega?
    Certa vez…no carro perguntei para o meu filho (guri de 14 anos)…quem era o ídolo dele…
    Não sei se foi por causa da mesada atrasada….ele disse …”vc pai”.
    Fiquei desconcertado…não era a intenção…queria apenas saber qual personalidade ele admirava (dizem que projetamos nos ídolos a resposta que fazemos sempre diante do espelho…”quem sou eu”).
    Uma resposta assim bate fundo na gente (como a do guri)…desperta uma responsabilidade muito grande…sempre que penso em algo duvidoso…lembro do episódio no carro com meu filho.

    Djokovic deveria ser mais responsável com seus “filhos”.

    Responder
  20. Rafael

    Não poderia deixar de expressar meus sentimentos pela perda da Maria Izabel. E relembrar o caso daquele rapaz no exterior que escalou o hospital pelo lado externo para acompanhar os últimos momentos da mãe. E a mãe do Rodrigo, e os primos do Sérgio Ribeiro, e o pai do Rubens Leme….

    Nenhuma ambição ou crença pessoal, dentro, fora (da) ou “contornando a lei” pode se sobrepor a uma situação horrível, que jamais imaginei que vivenciaria. Um vírus que ceifou, como moscas, a vida de tantos entes queridos de tantas pessoas que conhecemos ou não.

    Casos mundiais e por aqui realmente estão em escalada vertiginosa, PORÉM, com taxa de mortalidade muito menor. Graças, em grande parte, às vacinas. Não importa se a variante x ou y tem menor grau de letalidade. Casos de fatalidades envolvendo as vacinas são igualmente lamentáveis, porém pontuais. Hoje vejo que o pânico já não é tão grande, pois as pessoas passaram a entender que mesmo que peguem o vírus, há uma probabilidade bem maior do que antes de não evoluírem para casos mais sérios – desde que vacinadas.

    Quando se perde a solidariedade, perde-se tudo, você exclui a si próprio da sociedade. No caso, a “luta pela liberdade” de Djokovic tornou-se um caso de individualismo egocêntrico, triste e, para mim, inaceitável.

    Resta a nós deixar de rotular uns aos outros como negacionistas idiotas, não sei a quem interessa desagregar dessa forma, vamos unir esforços para erradicar o vírus, através da incessante busca por informação segura e medidas de proteção adequadas. Qualquer outra discussão, neste momento, é secundária. Qualquer outra.

    Quem se foi não volta. Fica apenas a dor da perda. E a lembrança de quão sem sentido é tudo isso.

    Responder
    1. Fernando Brack

      Rafael, concordo com quase tudo que vc diz, mas a união de esforços para erradicar o vírus exige que negacionistas deixem de ser negacionistas e, para isso acontecer, que deixem de ser idiotas e turrões.

      Responder
  21. Miguel BsB

    A Maria Izabel, abaixo, postou a tragédia que a COVID representou pra família dela.
    Graças a Deus, não passei por isso na minha família. Apenas uma prima que ficou 3 semanas intubada, e até hoje tenta se recuperar das sequelas. Minha mulher perdeu avô e tio para essa doença.
    Eu perdi um colega de futebol, 41 anos, saudável. Sua primeira filha nasceu em Agosto de 2020. Ele provavelmente pegou a Covid no hospital. 4 dias após os primeiros sintomas, foi pra UTI intubado. Duas semanas após, faleceu. Deixou mulher e filha recém nascida.
    Talvez esse tipo de depoimento sensibilize, provavelmente não os fanáticos, mas os mais moderados que ainda tenham receio de se vacinar.
    A grande maioria aqui tem histórias para contar parecidas. E é visível que, a partir da vacinação em massa, não temos mais visto casos de óbito ou agravamento da doença em nossos círculos familiares, profissionais e de amizades.
    Portanto, deixo aí o registro. Não foi a “mídia comunista” que publicou isso. Foram casos que eu presenciei.
    Esse é o último post que escrevo sobre isso. A partir de agora, por aqui, vou falar só de tênis.
    Abs

    Responder
  22. Luiz+Afonso

    E mudando um pouco o assunto: a dupla da Bia quis matar a galera do coração. 9 x 2 no supertiebreak e deixam chegar a 9 x 8. Só para dar um suspense!
    Ainda bem que fecharam!
    Parabéns à dupla!

    Responder
  23. Felipe

    Torço para que a Australia mais uma vez seja um bom exemplo para o mundo, e haja com rigor no caso Novak.
    Incrível estarmos discutindo vacina em pleno seculo xxi, e a terra plana.

    Responder
  24. Samuel

    A chance de morte por covid no mundo é 1 / 265. Na Austrália, é ainda mais baixo. Mesmo assim, Djokovic não está doente e não está realizando atos visando à disseminação da doença. E, se adoecer, será retirado do torneio.

    Parece que o governo da Austrália está sendo falso moralista. No país, o problema de saúde pública é outro. É a libertinagem, que coloca qualquer baile funk no jardim da infância: drogadição para adolescentes, frequentes suicídios cometidos por viciados depressivos (incluindo vários brasileiros), “casamento” gay aprovado por governo “conservador”, inúmeros escândalos de ped***filia cujas vítimas são crianças pobres “importadas” da Ásia…

    Responder
    1. Sônia

      Perfeito. Como disse no início disso tudo… a maldade desses poderosos começou a ser revelada… “propositalmente” (vírus de laboratório) iniciaram este teatro macabro para tentar encobrir a sujeirada da elite mundial extremamente pedófila (a hora de voces há de chegar seus piiiiiiiiii… neste mundo com certeza não, pois é de voces). Nunca foi tão fácil gerar medo, insegurança, ódio do bem, violência e principalmente… aceitação de leis completamente insanas. Quantos inocentes morreram (triste demais) e quantos ainda irão morrer (previsão é catastrófica). Geraram o caos, estão impondo controle, … terão nada e serão felizes. E o pior… legalizarão a pedofilia argh argh argh. Beijos.

      Responder
        1. Sônia

          Rsrsrsrsrs… amado Mestre Dalcim, trump era amigo do epstein, entenda… onde há muito dinheiro… há muita maldade, não escapa ninguém. Sou contra a pedofilia e sempre combaterei essa crueldade. Teoria da conspiração? Vide o caso do tal príncipe andrew argh argh argh. “Tacarão” o terror, infelizmente. Beijos.

          Responder
      1. Fernando Brack

        E, sem sombra de dúvida, apoia Bolsonaro, grande gênio da ciência médica mundial.
        Sônia e Sandra merecem o troféu de passadoras de pano em negacionistas do blog.

        Responder
      2. Samuel

        Sônia, a ped***filia já é autorizada em países muç***manos há séculos. Além do mais, tribunais da Suécia e da França isentam de culpa o criminoso que praticar essa abominação e for imigrante muç***mano.

        Responder
      3. Luiz Fernando

        Será q a Nike apoia esse esquema de pedofilia???? Como vc é especialista nesses esquemas sua opinião merece respeito kkkkkk. Aqui é diversão garantida kkkk…

        Responder
    2. Fernando Brack

      Samuel, tente falar para os australianos que o governo deles está sendo falso moralista.
      O empenho em criar narrativas falsas está entre o que mais causa repulsa a negacionistas.

      Responder
      1. Samuel

        Sr. Fernando, os australianos envergonham-se de todos esses problemas que apontei e sofrem com eles. Olhe que não entrei na questão do extermínio maciço de aborígenes ou na da política de arrancar filhos de mães solteiras…

        Ainda assim, a Austrália é um bom país para se passear, apesar dos ataques terr***istas dos últimos anos.

        Responder
        1. Fernando Brack

          Samuel, temos que nos ater ao que os países são hoje. Se olharmos para o passado, muitos deles, e quase todos os do 1° mundo, praticaram as mais variadas atrocidades em populações colonizadas.

          Responder
  25. Gabriel

    Dalcim, quanto vc acha que Djoko perde na espera desse julgamento? Tanto de forma psicológica como pela falta de treinos e alimentação adequada dias antes de um Slam. Ou ele está tão acima dos outros que isso se torna uma questão menos importante?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ah, com certeza, pesa. Claro que ele tem muitos recursos técnicos, não vai pegar um grande oponente de estreia e assim teria tempo para se recuperar. Vejo mais a questão emocional. Por maior fortaleza que seja, impossível tudo isso não afetar a cabeça.

      Responder
  26. Arthur

    Olha, Dalcim, na boa:
    Já vi muita coisa na vida, mas jamais poderia esperar que o seu blog se tornasse um ponto de discussão da política AUSTRALIANA, KKKKK…
    Já que é pra mudar os ares para a “Land Down Under”, bem que o pessoal poderia discutir quem é melhor: INXS ou Men at Work? KKK

    Um abraço.

    Responder
    1. Valmir da Silva Batista

      ARTHUR, gosto de ambas as bandas, mas acho o “INXS” melhor que o “Men at Work”, no entanto, considero o “AC/DC” mais foda que as duas, em se tratando de bandas australianas…

      Responder
  27. Sérgio Ribeiro

    Outra bobagem postada mais abaixo por alguns “ mal informados “ . Dominic Thiem confirmou ao Eurosport e Twitter em 02/11/ 2021 já estar completamente vacinado. Deixou de jogar o AOPEN 2022 pra voltar completamente recuperado no punho na gira de Saibro da América do Sul . Abs!

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Não, não começou e o papai Saretta já sepultou esse assunto em Wimbledon do ano passado.

      De tênis você não sabe nada: só passa vergonha movido pelo fanatismo pelo GUAT e ódio contra o Djokovic, que ainda é o GOAT dentro das quadras, como apontam os números. Já aprendeu quais são os Big Titles ou ainda tá difícil?

      Responder
  28. Sérgio Ribeiro

    Se até os Japoneses reviram seus conceitos ( logo após as Olimpíadas) e partiram com tudo pra vacinação, os recordes de casos de COVID nos Balcãs ( 8 mil / dia ) , já dá ao teimoso Sérvio a chance de voltar atrás sem decepcionar seus compatriotas. Ele já podia rapidamente mostrar pra ATP e ITF que quer sim continuar sua brilhante carreira em todos os cantos do Planeta sem passar por mais constrangimentos. Já por outros motivos não participou do USOPEN 2017 e WIMBLEDON 2020 , e vida que segue . Abs!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Ps . Concordo que MEDVEDEV parte como principal favorito mas independentemente do tal h2h de 6 x 6 , Sasha mostrou na FINAL do FINALS que sabe explorar com seu excelente Serviço , o fato do Russo receber muito atrás. Abs!

      Responder
  29. Luis

    Aos que dizem que Djokovic não se vacinou por princípios eu questiono se não seria muito mais firme a postura de boicotar o torneio!. Simples! Não vai! Não é a ameaça que ele representa que o barrou. Foi barrado por burlar regras e ser tratado de forma diferente de todo os outros jogadores

    Responder
  30. Paulo Almeida

    É surreal, mas o cara vai até as últimas consequências mesmo. Será que não percebe que mesmo que ganhe mais uma vez na Justiça, o governo australiano vai tentar removê-lo até conseguir e que será hostilizado pela grande maioria todo santo dia enquanto estiver por lá? Como pode ser tão burro assim?

    Dentro de quadra: o maior gênio ja visto, uma mistura de Newton com Einstein, encontrando soluções para as situações mais complicadas e improváveis de serem revertidas.

    Fora de quadra: uma mistura de Dilma com Bolsonaro, fazendo uma burrada atrás da outra e mantendo crenças estapafúrdias sobre assuntos diversos.

    Responder
  31. Fernando Brack

    Já sugeriram aí embaixo e eu reforço: vale muito também a leitura do artigo de hoje do Alexandre Cossenza, em sua coluna Saque e Voleio.

    Responder
  32. Maurício+Luís+*

    Ele joga. Ele não joga. Ele joga. Joga não…
    Pra quem tá chegando de paraquedas e quer entender essa BADERNA… é o seguinte:
    – primeiramente, Djoko foi autorizado a entrar; “segundamente”, foi cancelada a autorização. Daí veio o juiz e cancelou o cancelamento. Em seguida, o Ministro cismou de cancelar o cancelamento do cancelamento. E agora, o batalhão de advogados do sérvio entrou com recurso pra cancelar o cancelamento do cancelamento do cancelamento.
    Novela mexicana é elogio pra esse ridículo circo de horrores.

    Responder
  33. Chetnik

    Vi uma história por aí que o Delpo foi “falido” pelo próprio pai. Que bizarro. Que sujeito mais sem sorte. Desgraceira. Vou torcer ainda mais pela sua recuperação.

    Responder
    1. João ando

      Chetnik delpo está falido. Tem 3 milhões de dólares na conta e deve 30 milhões. …Não tem como sair desse buraco …mesmo que jogue mais 15 anos o que não vai ser possível…a não ser que arrume um patrocinador que pague isso…..

      Responder
      1. Luiz+Afonso

        O que li foi que a fortuna de 30 milhões de dólares ficou reduzida a 3 milhões de dólares. Espero que esta seja a correta, porque dos males o menor.

        Responder
  34. Periferia

    O Brazil é assim…

    “Meu tatatatatatatataravo era preto”

    “Não tenho nada contra pobre…trato muito bem a mulher que trabalha na minha casa”

    “Não tenho nada contra nordestino…apesar da preguiça deles”

    “Para uma pessoa gorda até que vc se movimenta bem”

    “Tomei as duas doses da vacina, mas defendo o direito de alguém não toma-la”

    (Tudo é estrutural…. até a hipocrisia)

    Responder
    1. Samuel

      Essa “Perifieria” até parece aquelas pessoas que ideologizam tudo – até o próprio apelido na internet – e que entram em surto quando encontram resistência.

      rsss

      Responder
  35. Fernando Brack

    Vale a leitura do artigo de Milly Lacombe de hoje. Isto é, menos para os negacionistas, que podem ficar com dor de barriga.
    Ela começa perguntando: pelo que luta Djokovic? E segue perguntando: pela teimosia de ser diferentão? Pelo direito de espalhar ignorância e desinformação? Pela farra macabra de colocar outros em risco? Pela estupidez de não se proteger e de não colaborar com e erradicação da covid no mundo?

    E segue, a meu ver, com argumentos corretíssimos (trechos selecionados).
    ‘Vacinação é pacto coletivo: ou todos fazemos e nos imunizamos, ou o vírus seguirá seu destino, que é o de se transformar e se transformar e se transformar, de corpo em corpo, enquanto a gente segue nessa corrida maluca para tentar interromper as mutações.

    A história das vacinas no mundo é uma história de sucesso e de conquistas. Graças a elas tantas doenças que antes matavam puderam ser erradicadas. Só mesmo uma época que resgata a ideia de que a Terra é plana poderia trazer à tona a figura do negacionista da vacina.

    Novak Djokovic é um gênio da quadra e um completo cretiino na vida. A menos que ele reveja suas posições, é assim que entrará para a história.’

    Ao ler a Milly, uma exclamação me vem à cabeça: te vacina logo, Djoko!

    Responder
    1. Chetnik

      Milly Lacombe? Kkkkk. Por que ele luta? Porque ele é Sérvio, e é isso que Sérvios fazem. Porque ele tem INAT, porque ele não se dobra a ninguém. Porque ele não é um robô de relações públicas como um certo fraudulento. Porque ele é FODA. Porque foi assim que ele se tornou o GOAT do tênis, tendo começado treinando em uma piscina vazia. Não adianta, vocês nunca vão entender. Uns nasceram para sempre manter sua cabeça erguida, outros para se ajoelhar. O resultado do julgamento sequer importa mais. Muito menos uma ridícula filhinha de papai como essa Lacombe. A grande qualidade dele não é ter se descoberto lésbica aos 50 anos por tomar uns chifres do marido.

      NÃO FODE.

      Responder
      1. C´ésar

        Não abaixar a cabeça confere a ele uma moral elevada? Ser um negacionista com a cabeça erguida lhe coloca numa condição de altivez ética? Muitos personagens da história jamais abaixaram a cabeça. Hitler está nessa lista.

        Responder
          1. C´ésar

            A repetição da letra “K” pode-se traduzir por “não tenho argumento”. E isso virou uma praga nacional.

      2. Sérgio Ribeiro

        Jamais li tanta bobagem ao mesmo tempo . Já passou da hora de se reciclar , cara . Sem essa de e’ F*da coisa nenhuma. Quero ver a sua empáfia quando o Sérvio perceber que a Sérvia está passando um momento complicado por não ter feito o dever de casa . Novak Djokovic , apesar de se achar , vai recuar mais rápido que pensas . Nem a Nova associação bolada por ele , irá a lugar algum. Abs!

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Ps . O SÉRVIO foi treinar na Alemanha já aos DOZE anos . E aos DEZOITO já estava nas piscinas de Mônaco . Desde o ano passado treina e mora em MARBELLA. Este é o “ goat “ guerreiro dos Balcãs rs . Abs!

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Tu sem dúvidas. És tão F**a como o cara do Post do teu quarto . Se bobear dormes dentro de uma piscina sem água kkkkkkkk. Abs!

      3. Barocos

        Chetnik,

        De verdade, o que é que a sexualidade da moça tem a ver com a discussão atual? Não precisa responder, não espero nenhuma justificativa, a pergunta foi retórica.

        Me surpreende que este tipo de ataque, ad hominem, seja utilizado por alguém inteligente como você. Bem, talvez não devesse me surpreender tanto, haja vista tudo que eu li, vi e escutei sobre o comportamento humano. Claro, também sou cheio de defeitos, defeitos que tento corrigir.

        Saúde e paz.

        Responder
        1. Chetnik

          E em algum momento eu critiquei a sexualidade dela? Releia uma, duas, quantas vezes necessário, sem má vontade, o que eu escrevi.

          Isso posto, de ad hominem essa Lacombe entende bem. Só faz ofender os outros histericamente. Ai de quem descorda dela. Inclusive, tomou um belo processo do Frangério. Mas ela pode né? Tem isenção para ofender os demais. É ódio do bem que chama, né?

          Responder
      4. Sandro

        Aplaudindo de pé CHETNIK!!!
        SENSACIONAL!!!
        Djokovic luta por vários tipos de LIBERDADES que estão sendo cercadas mundo a fora! E o povo SÉRVIO já sentiu muito na pele o que é ter suas LIBERDADES perdidas durante longo tempo!
        O ponto máximo do seu texto : uns permanecem de cabeça erguida e lutam, enquanto muitos se ajoelham perante às perdas de suas liberdades!!!

        Responder
    2. Barocos

      Brack,

      Existe uma enorme chance do sars-cov jamais ser extinto de nosso convívio, como ocorre com outros vírus de RNA, como os associados à gripe, e a razão é simples, estes são muito mais mutáveis que os de DNA, e o sars-cov-2 tem surpreendido os cientistas em sua capacidade de suportar mutações sem, no entanto, perder a sua capacidade de infecção e transmissão. Então, segundo pesquisadores envolvidos em sua análise (virologistas, epidemiologistas, etc.), o uso das vacinas, atualmente, deve ser visto como uma forma de conter os danos que o vírus pode causar em 3 frentes: minorando o impacto destes na saúde dos indivíduos; evitando que os sistemas de saúde operem de maneira precária, o que aumentaria muito o número de mortes e sequelas de longa duração e, finalmente, diminuindo o ritmo de geração de novas cepas.

      Se tudo ocorrer como de “costume” na evolução deste vírus, este deve se “adaptar” ao seu novo hospedeiro e perder parte de sua letalidade, mas manter uma alta taxa de transmissibilidade (acredita-se que seja isto que estamos vivenciando). Em genética, a “pressão evolutiva” é o mecanismo que, se supõe, impele os vírus a seguir este padrão. Ocorre que, com toda a facilidade de deslocamento do mundo moderno, não se sabe se as hipóteses que descrevem este comportamento permanecem válidas.

      Para quem quer se informar sobre vírus e vislumbrar melhor o tamanho do desafio, eu sugiro os seguintes textos (o 1º deles é bem didático, todos eles são curtos):
      https://arstechnica.com/science/2022/01/immune-system-vs-virus-why-omicron-had-experts-worried-form-the-start/
      https://www.nature.com/articles/d41586-022-00079-6
      https://www.science.org/content/article/covid-19-starkly-increases-pregnancy-complications-including-stillbirths-among

      Quanto ao Djokovic, verdadeiramente, acho que ele deveria juntar as suas raquetes e se retirar do torneio, pedir desculpas aos fãs e autoridades australianas, e estas também deveriam emitir uma nota formal de desculpas ao sérvio pela confusão que causaram, e iniciar uma campanha pró-vacinação. Não creio que isto ocorra.

      Sobre ele ser mau-caráter, e muitos têm insistido em assim designá-lo, não me parece que tal pecha corresponda à realidade, e minha incredulidade se baseia em algumas de suas ações em prol dos desafortunados e também de jogadores de menor ranking. Quanto a ele ser mais um ser humano com convicções místicas e suspeição em relação à ciência, sobre isto não resta dúvida alguma. Acho isto péssimo e deletério nos casos extremos (alguns, inclusive, entre nós), mas, novamente, não me parece que o sérvio faça parte do grupo dos fanáticos mais perigosos que habitam nosso lindo planetinha azul.

      Minha impressão sobre o Djokovic é que, ao se dedicar com grande afinco ao tênis, o mesmo acabou tendo sua educação em ciência negligenciada e o tornou presa fácil dos pregadores da ignorância, um dos quais, me parece, o próprio pai.

      Também, em contraposição às opiniões externadas por um outro grupo de extremistas locais, não entendo como o talento do sérvio dentro das quadras possa ser refutado e vejo a sua obstinação pela conquista de recordes com simpatia, como defensor que sou de que todas as pessoas, ao menos, tentem ser o melhor que elas puderem ser — para si e para os seus semelhantes.

      Claro, somos apenas humanos e, obviamente, não dá para esperar que triunfemos na totalidade dos ideais de “iluminação” aos quais aspiramos. Por este motivo, costumo guardar uma carta em minhas mãos, o perdão, e sempre que algum de nossos pares demonstra arrependimento pelas bobagens que pratica, costumo ponderar sobre as questões da vida e a utilidade de mostrá-la, até porque gostaria que fizessem o mesmo por mim.

      Saúde e paz.

      Responder
    3. Isac+Ribeiro+Martins

      Em adição ao texto da Milly, eu entendo que o Djokovic entrou num caminho sem volta para sua boa imagem e também para obtenção de maiores conquistas.

      Se ele optar por se vacinar após toda essa confusão na Austrália, ele será considerado de novo egoísta, capaz de “mudar de ideia” para alcançar seus objetivos no esporte. Sofrerá pressão das pessoas, da mídia, e isso poderá afetar seu desempenho em quadra.

      Se ele optar por não se vacinar, vai ter problemas em outros países que têm regra semelhante a da Austrália, diminuindo o número de torneios que poderá participar e colocando pressão enorme nos seus ombros pra um bom desempenho nos torneios e Grand Slams que restarem.

      Não de hoje, o próprio Djokovic está “afundando sua carreira” com suas atitudes e escolhas. Hoje, ja podemos analisar que no fim de Janeiro de 2022 ele poderia ter 21 GrandSlams não fosse seu acúmulo de jogos com o Master antes do USOpen 2020 e sua atitude com a bolinha naquela fatídica partida com o Busta; que ele poderia ter 21 GrandSlams se optasse por não ir as olimpíadas em 2021 e se concentrasse para o US Open; que ele poderia ter 21 GrandSlams se tivesse optado pela vacinação ou ainda, passar pelo período de quarentena na Austrália mesmo sem estar vacinado. (Mesmo que ele ganhe a causa amanhã e jogue este AO, penso que todo esse desgaste afete sua performance e ele novamente perca a chance do 10o titulo)

      Quais serão as próximas escolhas ou atitudes que continuarão inibindo seu avanço como tenista? A análise será feita no futuro. Diferente do que a Milly disse em sua análise, digo que não dá pra separar a pessoa do tenista. Mas se alguém pensa que dá, então, nesses últimos tempos, a pessoa Novak Djokovic põe a perder o tenista Novak Djokovic. Infelizmente, não só pra os torcedores dele como sou mas como pra os fãs deste esporte.

      Responder
    4. Arthur

      Acho que a questão sobre “por que luta o Djokovic?” já está respondida, Brack.
      A batalha sobre o visto está perdida. E ele sabe disso.
      Com tudo que se desenrolou depois do imbróglio dele ao ser detido na imigração, a coisa só piorou pro lado dele (suspeita de fraude no atestado, comparecer a eventos sem máscara, inclusive com crianças, enquanto estava contaminado, “erro do estagiário” no formulário de imigração, etc.)
      A meu ver, o que ele está tentando fazer agora é desempenhar o papel de vítima. “Pobre Djokovic! Um homem de suas crenças, um desportista admirável, tentando fazer história e essa esquerdalha cripto-comunista-globalista-satanista fica impedindo que ele jogue. Que coisa absurda!”
      Claramente o jogo aí é uma estratégia de contenção de danos.
      Se vai funcionar ou não, são outros quinhentos… (eu particularmente acho que quanto mais ele se movimentar nessa areia movediça, mais vai afundar, mas vai saber…)

      Um abraço.

      Responder
  36. Marcos Henrique Freddo

    Perdeu o Australia Open, perdeu o tênis.

    O mundo todo entrou numa hipnose coletiva com todo este terror desproporcional ao risco.

    E na Austrália diria que é mais que hipnose, é um transe mesmo.

    Ninguém mais está pensando e sendo razoável. Uma pena!

    Assistam o link a seguir e entenderão melhor: https://youtu.be/oXzRoIsgDI8 (Entrevista com o Dr. Roberto Zebalos no programa Direto ao Ponto da Jovem Pan)

    Responder
      1. Sandra

        Eu não tinha essa noção , até que minha amiga me deu um toque , nem perco meu tempo com esse canal , passo direto! Aliás quem banca esse canal ?

        Responder
      2. Fernando Brack

        Não apenas nisso, mas em todas as pautas. Saúde, educação, economia, ciência e tecnologia, meio ambiente, diplomacia… Onde quer que o governo faça trapalhadas, lá estão os ‘jovens panos’ pra passar pano nessa desgraça. São muito bem pagos para cumprir essa degradante e desprezível missão.

        Responder
    1. Fernando Brack

      Esse dr. Zeballos é um cretino mentiroso e a Jovem Pan já nem cabe mais comentar.
      Augusto Nunes, outrora um respeitável jornalista, jogou sua biografia na latrina ao abraçar o bolsonarismo por puro interesse financeiro. JPNews, por exemplo, tá com audiência perto de zero. Um lixo.

      Responder
    2. Barocos

      Marcos,

      Você deve estar brincando que você acredita neste vendedor de “óleo de cobra cura tudo”. Não é incomum vender a alma para ganhar o pão, infelizmente.

      Saúde e paz.

      Responder
    3. C´ésar

      Jovem Pan?????!!!!! Vc tá falando sério??? Este é o seu veículo de informação? É através dele que vc forma a tua linha de raciocínio? Estamos vivendo, realmente, tempos tenebrosos e perigosíssimos!

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Pode, mas sua chave tem dois adversários bem perigosos e experientes: Berrettini e Carreño. Sem dúvida, ele pode ser uma das surpresas.

      Responder
  37. Luiz+Afonso

    Espero ao menos que o governo australiano mantenha a coerência, em “prol da saúde pública”, e proíba em seu território a exibição de filmes e séries que façam apologia a drogas ilícitas e bebidas, porque é difícil encontrar alguma produção em que os caras “descolados”, os caras populares, os heróis ou heroínas, não façam uso de substâncias prejudiciais à saúde, tais como cigarros, cigarros eletrônicos, cocaína, álcool, etc..
    Se a decisão está embasada em torno da influência da atitude dele sobre parte da população, não vejo então como fechar os olhos para a influência exercida pela maior parte dos filmes e séries de TV, que estimulam crianças, jovens e adultos ao consumo de produtos que levam à dependência química e alcoólica, com danos graves à saúde e inúmeros óbitos.
    Quem dera crianças e jovens, mundo afora, cuidassem de sua alimentação, tal como faz o Djokovic, e se dedicassem a um esporte ou hobby, mantendo-se afastados das drogas e do álcool, tal como o atleta por muitos aqui execrado.
    Mas o importante é focar no fato do cara não se vacinar e ignorar as virtudes dele que influenciam positivamente crianças e jovens.

    Responder
    1. Ivan

      Luiz, bastante improvável a deportação, vamos aos fatos:
      1) o próprio ministro reconheceu a validade do documento requerido para a emissão do visto mesmo sem vacinação. Então, não puderam provar que qualquer informação fornecida fosse falsa;
      2) o argumento de “risco para a saúde pública” não se sustenta porque o número de casos de covid bateu 100 mil na Austrália hoje. Que política de “covid zero” é essa?
      3) as alegações que o atleta seja um notório “antivax” e que a manutenção do visto incitaria grupos “antivax”, não deveriam ser consideradas válidas em um contexto jurídico.
      Enfim, não concordo com a postura do Djoko, mas cancelar o visto dele por motivação politiqueira não condiz com a democracia. Na verdade, ele só não foi deportado (ainda) porque democracia é também garantia de direitos individuais e do devido processo legal. Infelizmente, para muitos de nós brasileiros, democracia é votar no menos pior.
      Abs!

      Responder
  38. Luiz+Fabriciano

    De uns 15 dias para cá, há muita coisa interessante acontecendo no tour.
    Primeiro, na primeira metade dos anos 2000, nascia a grande rivalidade do tênis moderno: Federer x Nadal. A antítese, um do outro.
    As torcidas se dividiam fervorosamente. O primeiro um deus, o segundo, o outro.
    Pouco tempo depois apareceu Novak Djokovic, que não se assemelhava nem a um, nem a outro. Era apenas um garoto, divertido e talentoso que jamais chegaria próximo aos deuses atuais do tênis.
    Pois bem, o garoto cresceu, virou homem e bateu nos deuses, vendo-os pelo retrovisor.
    Hoje, os discursos, especialmente daqueles que são adeptos ao primeiro deus (deus nesse texto será sempre escrito com e minúsculo mesmo), mas que já nutriam uma ressalva ao garoto, mudaram drasticamente. Já dizem que esse último, jamais será como os outros dois. Ou seja, os outros dois não são mais opostos, tampouco rivais ou adversários. Já são um só. Até se revesam nas preferências das torcidas, a depender do torneio.
    Mais recentemente ainda, ao contrário de uns dez anos para cá, novamente a parte que endeusava o primeiro e dizia que o garoto não possuía habilidades, técnicas e mais atributos necessários para ser um grande campeão, que tinha jogo feio, enfadonho etc agora, enchem a boca, ou o teclado, para a cada postagem dizerem que ele é um super atleta, um jogador excepcional, um grande tenista, um monstro dentro de quadra, mas que é coisas fora dela que nem dá para repetir aqui.
    Concluindo: o buraco é bem mais embaixo quando se trata de Novak Djokovic.
    Não importa o que faça, sempre terá um juiz em cada passo seu, em qualquer lugar do mundo.

    Responder
    1. Sandra

      Nunca vou entender isso,! Um dos poucos que vejo sem críticas abusivas a ele e o Dalcim! Se ele jogasse e ganhasse o torneio , a essa altura humanamente impossível, iriam dizer que o título não teria valor!

      Responder
    2. Gilvan

      Isso é com qualquer atleta de ponta, não há nada de excepcional no tratamento conferido ao Djocovid.
      O que há de diferente é o comportamento do atleta mesmo, reprovável em todos os sentidos. E não só fora de quadra; dentro dela também, o que já lhe rendeu até desclassificação em US Open.

      Responder
        1. Gilvan

          Não. Chamar de Djocovid é só pra deixar claro que ele se tornou um dos principais porta-bandeiras do movimento anti-vacina no mundo.
          E tá de muito bom tamanho pra ele. A quantidade de adjetivos negativos que o Djocovid vem merecendo não cabem aqui na caixa de comentários.

          Responder
    3. Gildokson

      Ohhhh tadinho do Djokovic, como é má e injusta essa seita federalista…
      Como são injustos esses malvados, falando sempre como se o rapaz houvesse feito algo de muito errado… como se ele tivesse dado uma bolada em uma juíza de linha, ou pior, se negado a disputar uma medalha de bronze privando a parceirada da chance, ou pior… tentado burlar as leis de um país para disputar um torneio sem se vacinar, ou mesmo ir para eventos com a presençade crianças após testar positivo para covid (ahhh não pera!!! O teste a gente ainda não sabe se é verdadeiro kkkkkk)
      Realmente, essa seita malvada e injusta
      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder
    4. Fernando Brack

      Essa sanha idólatra, de todas as partes, foi o que me afastou da área de comentários do excelente blog do Dalcim. Que coisa mais modorrenta e nauseante isso.

      Responder
    5. Jose Yoh

      Fabriciano, todos temos nossas preferencias, e a natureza humana é julgadora. Veja só que todos estamos aqui no blog comentando com esse objetivo.

      Julgamos coisas de Pelé, Maradona, Senna, Schumacher ou Federer, apenas para satisfazer nossa preferencia como torcedor. Estou certo que voce também tem um parecer de um dos nomes acima. Eu tenho.

      Varios torcedores passam dos limites quando o assunto é o rival.

      Agora também nao podemos deixar acontecer o contrário, por ser torcedor suavizar os erros do nosso ídolo.

      Na minha opiniao o sérvio pecou em diversos pontos, como por exemplo participar de eventos sabendo que estava com Covid. E isso nao tem relaçao com o fato de ser torcedor de alguém. Sao julgamentos feitos pela maioria, muitos sequer acompanham tenis. O problema é que quando a gente torce por alguém tendemos a ver somente as críticas radicais e encontramos razoes e argumentos para combate-las.
      Abs

      Responder
    6. Carllo Von Wagen

      Nao… nao se trata de um herói injustiçado.

      Esta mais para um asshole que acha pode fazer o quie quer…rs. Tão engraçado quie transformou tudo num circo.

      E.agora… nossa atração principal: o palhaço NoooooVax Djokoviiiiiiid!
      E o apresntaor pelo Aplausos ao publico, que ri quando ele entra tropeçando no picadeiro!

      Responder
    7. Sérgio Ribeiro

      Na boa , caríssimo L. Fa. Desta vez te superastes de uma tal maneira que cabe a pergunta. Farias parte do imenso grupo de Whats de Papai Novak junto a Rainha da Inglaterra ??? kkkkkkkkk. Abs!

      Responder
    8. Fabiano

      Pois eu sou um que mantenho sempre o meu pensamento. O Djocovid tem o jogo enfadonho mesmo, maior passador de bolinhas isso ninguém discorda. Começou a vencer o mestre do tênis Roger Federer quando esse já tinha passado dos trinta e poucos anos. Fora do auge fica fácil vencer mais vezes. Quem entende realmente do esporte sabe que Federer é inigualável, incomparável, o verdadeiro Goat.

      Responder
  39. Fernando Brack

    Djoko recorreu, mas não tem a mínima chance de ganhar. Dessa vez, jogou pra perder. Pra nós, resta aguardar que isso se resolva definitivamente antes do início do torneio. Já deu pra bola.

    Mas acho que o pior pra ele ainda está por vir, pois as evidências de que seu teste de Dezembro passado foi fraudado são muito fortes. Ele só se livra de uma punição maior, que poderia bani-lo do esporte, se a ATP e a ITF decidirem abandonar esse assunto.

    Responder
    1. Heitor

      nisso o us open foi muito mais rápido e eficiente: djoko descumpriu uma das regras (ter acertado, ainda que nao de proposito, a juíza de linha com a bolinha) na hora foi desclassificado.

      tb por isso que admiro muito os americanos!! eles sabem fazer a coisa!!

      No mais, parabens por continuar respondendo com conhecimento, ciencia e bom senso um por um dos que escrevem bobagens aqui

      Responder
    2. Paulo Almeida

      A punição maior seria ser condenado por crime de falsificação (mais provável do que ter colocado a vida de alguém em risco sabendo que estava contaminado) pelo governo sérvio. A suspensão ou banimento do esporte incrivelmente não é o pior desfecho possível.

      Responder
      1. Fernando Brack

        É justo o que eu disse, PA. Mas não acredito que algo pior do que ser banido do esporte possa acontecer com ele. Prisão é hipótese muito remota ou inexistente.

        Responder
  40. Bruno Souza

    Dalcim
    Com essa nova decisão do ministro da imigração da Austrália, não acredito que Djokovic estará em quadra na segunda-feira, penso que as autoridades da Austrália estão agora preparados para as alegações dos advogados do tenista Sérvio.
    Qual a sua percepção depois dos últimos desdobramentos desse caso?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que agora a Justiça australiana terá de abordar o mérito da questão, vai ter que sair do factual. Não sou especialista em política, muito menos na australiana, mas acho que será difícil Djokovic vencer desta vez. Quando se tem 80% da opinião pública apontando numa direção, o sensato seria seguir. Afinal, numa democracia, o governo apenas representa a vontade do povo. Ou ao menos deveria.

      Responder
      1. Fernando Brack

        Dalcim, me permita te fazer um reparo. Governo é uma coisa e justiça é outra. O governo australiano, por meio de seu ministro da Imigração, tomou uma decisão que sabidamente agrada à maioria da populacão local, e isso faz sentido, pois governos são eleitos. Claro, precisam seguir a lei para não ficarem expostos a processos judiciais. Já a justiça opera estritamente dentro lei, mesmo que a lei aplicável a determinado caso tenha a reprovação da população. Em seu papel, a justiça também não pode ceder ao clamor popular, o famoso ‘ronco das ruas’. À justiça não cabe o figurino de ser popular, embora eventualmente possa ser.

        Responder
  41. Carlo Van Wagen

    Gostaria de mudar uma torcida para este AusOpen:

    – Torço para uma final entre MEdvedev x Zverev, ou de um deles contra um azarão (que pode ser o Alcaraz, mas que também poderia ser Nadal recuperado)
    – Torço para que Djokovic seja deportada da Austrália, por excesso de “pataquagem” (sic).

    Não me recordo do tênis ser tão noticiado no mundo todo, desde o dia em que nasci (e lá se vão 50 anos). E quando o é, ainda é de forma negativa (e negacionista).

    Deixando claro que respeito a posição de qualuqer um não se vacinar, mas que tirasse um ano sabático e ficasse sem vacina em casa (e nao causando problema na casa do outros).

    Quizz:
    Complete a frase: “Quem manda na Austrália são ____________:
    ( ) Os americanos
    ( ) Os ingleses
    ( ) A família Adams-Djokovic
    ( ) OS “australopitecos”
    ( ) O Dalcim”

    Cuidado pois a resposta errada vale um carimbo de visto cancelado da imigração australiana em seu passaporte e uma deportação para seu país de origem”

    https://br.pinterest.com/pin/321374123419112185/

    Responder
    1. Valmir da Silva Batista

      CARLO VAN WAGEN, o tênis nunca esteve tanto no noticiário esportivo e também além desta esfera, pelo fato de ter ocorrido uma lambança típica das do futebol, com suas escrotices em que os fins justificam os meios. Neste aspecto, é importante salientar que até o pai de Novak aderiu ao script de Neymar pai, parecendo ter feito um intensivão com este, haja vista o festival de tolices que vomita em público, segundo se supõe, a título de defesa a seu filho mimado. Eu diria que quem tem um pai como Srdjan Djokovic, precisa urgentemente de um padrasto. Quanto ao bagunça open em si, creio que Djokovid não participará, pois creio que será deportado no domingo, e creio também que Nadal, por quem torço, será campeão, e que Aslan Karatsev é uma excelente opção de zebra. No mais, fora Djokovid e fora Bolsonarovid!!!!

      Responder
      1. Carlo V. Wagen

        Não tenho ainda uma opiniao formada sobre se ele será deportado ou não. Mas ouvir uma opiniião como a tua (sem torcida para qualquer lado), é sempre um alento!

        Responder
        1. Valmir da Silva Batista

          CARLO V. WAGEN, muito obrigado. É um lance muito tacanho esse festival de gente sem discernimento. As sequências jurídicas rolando, as sequências políticas se sucedendo, clamando por analogia, e fica-se nessa de revanchismo tolo. Gostar do jogo do Djokovic, eu não gosto, mas isto não me impede de me ater ao fato de que ele é um grande campeão, e além do mais, também não gosto do seu comportamento fora das quadras, contudo, manda o bom senso que eu “apenas” avalie sua posição contrária à vacina sem a postura de torcedor, bem como o festival de besteiras que tanto ele quanto algumas autoridades australianas cometeram…

          Responder
  42. Paulo F.

    Boa tarde, Dalcim!
    Confirmando-se a justa expulsão de Djokovic da Austrália, que siga o torneio em normalidade.
    Ele fez a sua escolha e todos nós temos que arcar com as consequências delas.
    Ele é titânico e transcende o esporte, mas nem por isso está acima de todos.
    E, assim sendo e de acordo com a tendência, creio que Zverev tem tudo para finalmente abocanhar seu primeiro Slam hein?
    Ah, tem Medvedev.
    Sim, sabemos.
    Mas Sascha vem numa importante ascendente no último semestre e todos sabemos que possui muito mais ferramentas do que Daniil.
    Pensas da mesma forma?
    Abraço!

    Responder
      1. Valmir da Silva Batista

        DALCIM, há muito tempo não ocorre uma grande zebra num Grand Slam, em de tratando de título, algo como Richard Krajicek em Wimbledon/1996, aliás, a começar pela própria final em si, que teve MaliVai Washington como adversário do holandês, a zebra ocorrida foi como as da típica preferência da meia dúzia de gatos pingados que sonham com algo parecido, a fim de ganharem uma boa grana, por apostarem no improvável. Dito isto, algo me diz que este Australian Open terá um campeão fora de todos os prognósticos, apesar da minha torcida para que Rafael Nadal saia vencedor. Mas uma bela sugestão listrada em branco e preto, é Aslan Karatsev. Quanto ao tênis feminino, além de não acreditar que ocorra um grande resultado fora da curva, no que se refere a título, penso que cortinas de fumaça como Jelena Ostapenko, Sofía Kenin e Emma Raducanu não terão vez em Melbourne. Minha torcida é para Maria Sakkari, porém, acho difícil o título não ficar com Ashleigh Barty ou Naomi Osaka. É isso…

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Olha, Valmir, a final entre Cilic e Nishikori no US Opem de 2014 foi uma grande surpresa na fase áurea do Big 3. Ainda não acredito que teremos um campeão fora dos quatro primeiros do ranking do momento, mas não seria nada ruim que acontecesse. No feminino, vejo o duelo entre Barty e Osaka como o essencial para definir uma potencial finalista.

          Responder
          1. Valmir da Silva Batista

            DALCIM, creio que Cilic/Nishikori em 2014, fazendo a final do US Open, talvez seja o que se equipara a final de Wimbledon em 1996, mas ainda assim, considero Cilic, campeão em 2014, superior a Krajicek. Quanto ao tênis feminino, não há muito o que dizer, já que o seu parecer é quase igual ao meu…

  43. Alessandro+Siqueira

    Tenho para mim que a coisa virou pessoal, o que é lamentável. Defendo a postura contra a vacina? Não, absolutamente não, tanto que tomei as duas doses e aguardo a terceira. No plano objetivo, contudo, temos que a quase totalidade da população está vacinada na Austrália. Sendo isso verdade, não poderiam desenvolver as formas mais graves da doença, ou pelo menos é isso que se apregoa. Pode até se contaminar, mas não desenvolver os quadros graves. Sendo assim, e estando Djokovic negativado, qual o potencial lesivo de sua conduta? Do jeito que a coisa andou, voltei aos anos 1990. Num dia todo mundo era obrigado a ter Kit de Primeiros Socorros nos carros, noutro a exigência caiu. Já tivemos de ter extintor de incêndio nos carros e, inclusive, já fui barrado em uma vistoria no Detran, tendo de fazer uma “segunda chamada”, embora o extintor estivesse no prazo de validade. Fizeram um teste e ele não foi considerado apto. Enfim, brigamos pela obrigatoriedade da vacina hoje e já passei por algo análogo ao ir para alguns países da América Latina e à África do Sul em relação à vacina da febre amarela. E amanhã? “O futuro é uma astronave que tentamos pilotar”.

    Sebastian Korda, por exemplo, estava com COVID, a despeito das duas doses. Ou seja, embora vacinado se contaminou e em tese poderia contaminar, sendo certo que ninguém questionou sua entrada na Terra dos Cangurus. O sérvio, por sua vez, não está contaminado e é tachado de perigo público. Faz sentido? Tenho dúvidas.

    Responder
    1. Sandra

      E isso que não entendo , ele virou inimigo número 1 do mundo , como se alguém seguisse regras pelo mundo afora ! E com ele ou sem ele, vai ser um show de contaminados ! O problema entre tantos que esse 1 ministro quer se reeleger

      Responder
      1. Fernando Brack

        De tanto que vc repete isso, eu fico com a nítida impressão que vc defende que pessoas não precisam seguir leis e regras. É isso? Me esclareça, por favor.

        Responder
        1. Valmir da Silva Batista

          FERNANDO BRACK, isso mesmo, ensina pra ela, alguém precisa lhe fazer enxergar o quanto é sem noção. Na maioria dos seus comentários, ela não diz nada com nada, apenas coloca as questões parecendo uma típica torcedora dessas que integram a Mancha Verde ou a Gaviões da Fiel, por exemplo, e nada de se posicionar com discernimento…

          Responder
      2. Fernando Brack

        E parece que vc não sabe que ministros de estado não são eleitos e, portanto, não cabe acusar o cara de pretender se reeleger. Ministros são nomeados pelo chefe do governo.

        Responder
        1. Fernando Brack

          A menos que vc se refira ao Scott Morrison, mas ele não age diretamente no caso. No mais, a um político é legítimo querer se reeleger e, se atender ao anseio da população lhe ajuda nisso, o que vc sugeriria a ele? Que jogue contra a população e em favor de um indivíduo? Procure se situar, Sandra.

          Responder
      3. Valmir da Silva Batista

        SANDRA, peço que você situe onde estão o erro e o acerto australianos e também onde estão o erro e o acerto djokovickianos, no que se refere a todo o imbróglio dos últimos días…

        Responder
  44. Gildokson

    Agora falando só um tiquinho sobre o torneio dentro da quadra, o russo tem tudo pra levar como no Us Open, vai fazer uma campanha sem problemas e com poucas horas em quadra provavelmente até a final, e lá rabate tudo e bate em quem chegar.

    Responder
  45. Marcus

    Djoko se meteu na famosa sinuca de bico. Se manter essa conduta, não vai conseguir trabalhar direito. Já queimou seu filme com a maioria dos fãs do tênis, e os patrocinadores não devem estar nada felizes com essa parada toda. Se resolver tomar a vacina, as pessoas que ainda o apoiam, irão dizer que ele se acovardou e que fez algo que não queria simplesmente por dinheiro e recordes e virou comunista e etc e tal. Então ficou complicado.

    Mas é bem simples, veja que se você trabalha viajando, como é o caso dos tenistas, faz parte do jogo você se adequar às regras das diferentes nações nas quais você trabalha. Se você é um sommelier de vinhos e precisa degustá-los profissionalmente, vai ingerir substâncias desconhecidas que podem ter efeitos desconhecidos ao seu corpo ao longo da vida, faz parte do seu ofício. Voce pode até ter uma reação alérgica a um componente novo e morrer. Se você tem uma multi nacional e quer se instalar em determinado país, terá que seguir as regras trabalhistas, sanitárias, fiscais e o diabo a quatro do lugar em que irá trabalhar, concordando ou não. A empresa é sua, mas precisa respeitar os governos, os nativos, sua história, crenças, concordando ou não. Não quer cumprir? Ok, instale sua empresa em outro país.
    Como o Djokovic é tenista, trabalha viajando por aí, precisa tomar a vacina. É algo necessário para o seu trabalho.

    Djokão, me escuta meu querido, larga esse trecho de “entre nous” no Instagram, junto com a foto da agulha no braço, toma a vacina e vai trabalhar. De quebra abocanha mais um slam pra pratelra:

    “Nós somos como planetas um para o outro
    Girando em nossas órbitas
    Para um breve eclipse
    Cada um de nós é um mundo à parte
    Solitários e ainda juntos
    Como dois barcos que se cruzam
    Aqui entre nós
    Eu acho que já é tempo de percebermos
    Que os espaços no meio de nós
    Devem ser compreendidos
    Para eu e você crescermos”

    Neil Peart – Entre Nous

    Agora vai.

    Responder
    1. Luiz+Fabriciano

      Marcus, concordo com sua opinião e sua dica ao grande nome do AustraliaOpen, porém, no caso dele, não é uma simples recusa à vacina. É uma questão de princípios, que vem da infância.
      Ele disse desde o início, quando a vacina ainda era um projeto, que se fosse obrigado a tomar, decidiria se jogava ou se tomava. Desde sempre foi essa sua postura. E vimos que ele não tomará, pelos mesmos princípios de antes.
      A questão com a Austrália, é que abriram possibilidades para tenistas não vacinados e ele, como qualquer outro, não iria para lá sem essa possibilidade.
      Foi porque foi convidado a ir. Depois criaram toda essa pataquada que segue até hoje.
      Dizem que o cara quer impor ou infringir regras no país. Conversa de quem simplesmente não gosta da pessoa.
      Eu no lugar dele, apesar de pessoalmente ter me vacinado, iria tentar jogar da mesma forma que ele fez e ao chegar lá, acontecendo o mesmo que aconteceu, também utilizaria todos os recursos que estão sendo possibilitados, até o final, como ele está fazendo.
      Tomar vacina ele não vai. Se a justiça de lá decidir manda-lo embora amanhã, sem nenhuma outra possibilidade de recurso, ele fará isso e ponto final.

      Responder
      1. Luiz+Fabriciano

        E a nova decisão se baseará em “ameaça à saúde pública na Austrália”. Ou seja, a parte legal está toda resolvida.
        Se ele for deportado, por esse motivo, terá sido injusto. Se jogar, chegando a qualquer rodada, terá valido a pena todo o esforço para ficar.

        Responder
      2. Vitor Hugo

        Então me diz: Que tipo de pessoa se reune com crianças sabendo estar com Covid?? Não adianta o que ele faça, passadores de pano como vc sempre existirão.

        Responder
      3. Fernando Brack

        Mas o princípio que ele segue é idiota e princípios idiotas existem para ser abandonados. Pode-se respeitar a decisão dele até certo ponto, mas ela tem o potencial de prejudicar sua carreira. Aliás, já prejudicou. Djoko é um cara do mundo e inteligente, mas o que ele tá fazendo consigo mesmo é uma enorme burrice

        Responder
        1. Luiz+Fabriciano

          E por que a Austrália o deportará se ele segue um princípio idiota que só prejudica ele próprio?
          E por que qualquer princípio seguido divergente do seu, é idiota?

          Responder
          1. Fernando Brack

            Não é um princípio divergente do meu. É divergente do da esmagadora maioria da população mundial e de 9 entre 10 especialistas no assunto. Negacionistas precisam nascer de novo pra entender as estultices que falam e nas quais acreditam cegamente.

          2. Fernando Brack

            O princípio idiota prejudica ele, mas não apenas ele.
            Até isso negacionistas têm problema pra entender.

      4. Hermes Lourenço

        Ele não foi “convidado” a ir, convidado foi o Murray, o que ele fez foi armar uma tramóia com a ajuda da organização pra participar do torneio.
        Quem vê você falando pensa que ele é um coitado ingênuo que foi “enganado”, ele é macaco velho, cercado de advogados caríssimos, sabia muito bem o que tava fazendo, apostou com o que tinha e perdeu. Tentou apelar até pro “clamor popular” e foi um fiasco, 80% dos australianos querem que ele vá embora.

        Responder
      5. Carlo W.

        Veja meu caro. Esta idéia me parece um pouco disyorcida:
        – Cado ele tenha consultado a mariquinha a entrar no país (no caso a atp), e a Mariquinha respondeu: “pode vir que não dá mada*, e ele achou que era só chegar e jogar, acredito que talvez a mariquinha nao tenha sido a melhor opçaao a ser consultada.

        Mas nao me parece que ele decidiu ir após a consulta a Mariquimha. (Que seria como uma imgenuidad desconhecimento, ainda assim fora da legalidade.

        Mas está mais para: vou traudar um documento, forjado do outro lado do mundo, mais especificamente na sérvia, ajustando as datas para se adaptar as leis locais (que sequer se deram ao trabalhode consultar corretamente… foi “feito a mão” mesmo, sem assessoria, (mesmo porque Papai, mamãe e eu jamais trtíamos alguŕm no time qur não concorde com mimha opinião). Levatam o documento fraudado para a imigraçao apostando que ninguem questionaria uma personalidade como ele.

        Ao ser pego, apostou que sua populatidade o salvaria (e a repercussao do caso diz que ele ainda poderá ser salvo, pois fosse um Zé Ninguém, ja teria desembarcado em casa).

        Mas justamente sua poparidade que deveia tê-lo salvado) também pode de vez condená-lo: descobriiu-se talvez ele faça o mesmo na Espanha.. onde fixou residência e tem entrado regularmente se vacina (o que é proibido). E o governo seérvio ao que parece também se incomodou com uma posive falsificçaçao..

        Entâo… veja só. Em resumo: pode ñao haver culpa aqui, apenas dolo…rs).

        E a parte boa da justiça é isso: caso ele perca, ele não será convidado a obedecer a ordem e sait: Ele será apenas retirado do país, na melhor das hipóteses.

        E neste caso, espero que seja apenas deportaro por nao cumprir uma os requisitos legais para entrar no país, pois se começarem a encontrar os taís indicios de falsificaçao (ou começarem a considerar que é necessário ao menos investigar um possivel dolo nas informacoes prestadasà imigraçao, a coisa pode ficar aida pior.

        Trata se de um mal caráter esse Djokador de tênis.

        Responder
    2. Paulo Almeida

      Continue postando letras traduzidas do gênio (não somente das baquetas) Neil Peart por aqui, eu aprovo! Entre Nous significa “entre nós” em francês, para quem não percebeu.

      Fiquei lhe devendo uma resposta sobre o Counterparts. Na verdade, eu escuto o álbum de cabo a rabo sempre; não acho uma faixa sequer mediana.

      Abs.

      Responder
      1. Valmir da Silva Batista

        PAULO ALMEIDA, o Rush é foda, pena que o grande Neil Peart nos deixou há dois anos, tendo, aliás, falecido em janeiro de 2020. Em geral, praticamente não existem bandas em que os bateristas é que são os letristas. No universo pop-rock, apenas dois nomes me ocorrem neste instante, ou seja, o do Marcelo Yuka, do O Rappa, e o do próprio Neil Peart, do Rush, sendo que Marcelo, assim como Neil, também já nos deixou, e coincidentemente no mesmo mês de janeiro, só que em 2019…

        Responder
  46. Gilvan

    E segue o papelão de Djocovid e seu “staff”. Do jeito que as coisas vão, é capaz de o pai dele convocar uma manifestação na Austrália para impedir a deportação dele “na marra”.
    Falando sobre as chaves, vejo uma chave muito interessante para o Zverev. Não fosse o histórico ruim dele em jogos de 5 sets, eu diria que ele é o grande favorito para ganhar o torneio. Contudo, pela maior experiência e solidez, creio que o Medvedev pinta como o favorito para levar o título e se tornar o novo número 1.

    Responder
  47. R.P.

    Para quem ainda não entendeu o que ocorreu hoje…

    O ministro não cancelou o visto por erro de formulário de entrada ou qualquer coisa afim. A decisão se baseou apenas na “possibilidade de DjokoGoat representar uma ameaça à segurança, pois sua presença “fortalece o sentimento antivacina” rsrsrsrsrsrs

    Quanto à exceção médica, o magistrado foi taxativo: este é um ponto superado. O advogado do governo logo foi se adiantando, dizendo que o segundo cancelamento é um caso completamente novo (kkkkkk). O governo australiano anuiu expressamente com a validade do pedido de entrada do Goat embasado em sua exceção médica. (Federetes se descabelam).

    Agora discute-se o fundamento da decisão do ministro, o “perigo a saúde pública e o sentimento antivacina”. Ministro já está desmoralizado.

    Responder
    1. Fernando Brack

      Engano seu. O ministro tomou uma decisão com base nas medidas adotadas pelo governo australiano ao longo da pandemia. São medidas voltadas a preservar a saúde dos cidadãos australianos, e não cabe à justiça questioná-las. Vc pode fazer isso à vontade, mas vc tem zero responsabilidade sobre a população do país e, obviamente, ninguém vai te dar ouvidos sobre o tema. Ah, sim, estou dizendo o mesmo ao Chetnik, a quem vc copiou para formular a sua qualificada opinião.

      Responder
      1. Chetnik

        Você está errado. A decisão tem tem que ser fundamentada. Discricionariedade não é o mesmo que arbitrariedade. Não em um Estado Democrático de Direito. O fundamento dele deve ser pertinente a uma suposta ameaça do Djoko à segurança pública do país. Eu já expliquei isso várias vezes.

        Por sua vez, o fundamento dele – presença do Djokovic no país acirra o sentimento anti-vacina – é risível e, fosse justiça feita, nunca seria aceito. Mas a gente sabe que tem muito mais coisa envolvida. Ademais, tribunais colegiados costumam ser mais políticos que juízes singulares e há uma pressão enorme. Por fim, em casos como tais, existe uma possibilidade mais do que real que os magistrados não queiram se comprometer anulando uma decisão ministerial. Lavando as mãos e se eximindo.

        No fim, o processo foi todo político e isso é mais do que evidente.

        Responder
        1. Fernando Brack

          Vc acha o argumento risível. Felizmente, para a população local, vc não é juiz do caso, porque ninguém lá deve achar risível. Posso imaginar o que eles achariam da sua opinião se a conhecessem.

          Responder
    2. Sônia

      Rsrsrsrs… R.P. sou federete roxa rsrsrsrs e estou completamente do lado do Djokovic rsrsrsrs. Concordo plenamente com o termo GOAT, o sérvio realmente já é “o cara” no esporte tênis rsrsrsrs. Beijos.

      Responder
        1. Sônia

          Bom ler seus coments Sérgio, aprendo muito contigo, voce realmente é “o cara” do blog do Dalcim rsrsrs. Excelente 2022 pra voce, se cuida. Beijos.

          Responder
  48. Evaldo Moreira

    BOA TARDE,
    O MINISTRO CANCELOU O VISTO, E O SÉRVIO AINDA VAI RECORRER?
    JUNTANDO A EXCELENTE ANÁLISE DO TEXTO DO DALCIM, E LI HOJE NA UOL, O TEXTO DO COSSENZA, O CARA FALOU TUDO E NA LATA, NÃO VOU REPRODUZIR AQUI, MAS LEIAM O QUE MENCIONOU LÁ NO ARTIGO DELE.
    ” O MAIS SENSATO PARA DJOKOVIC, É RECOLHER OS SEUS PERTENCES, E IR EMBORA PARA A SÉRVIA E/OU MONTE CARLO, FATO.”
    ” ARRANHOU A SUA IMAGEM, ALÉM DE SER PENSAR SOMENTE NELE MESMO, CLARO RESPEITANDO O SEU DIREITO DE NÃO VACINAR, MAS ESSA EXIGÊNCIA ESTAVA BEM CLARO NA AUSTRÁLIA, SE NÃO FOSSE A CAGADA DA GUARDA FRONTEIRIÇA AUSTRALIANA, NÃO TINHA CHEGADO A ESSE PONTO VERGONHOSO, FATO.

    Responder
  49. C´ésar

    Visto cancelado novamente, mas ele insiste e, novamente, vai recorrer da decisão, mas o governo, que terá a palavra final, também não quer largar o osso. Seria uma desmoralização. Ele deverá ser deportado.

    Responder
  50. Daniel+C

    O ministro tomou a decisão correta, mas com uma nova liminar, o sérvio ainda não entrou no avião de volta para sua família esquisita. Vergonhoso, se fosse um cidadão normal, já estaria em sua terra natal.

    E como é difícil remover essa erva daninha, hein? Parece um câncer quanto cria metástase, todo mundo quer ver fora, e por mais ações que sejam tomadas, ele acha um jeito de ir se segurando e sobrevivendo. Lastimável. Como um colega bem observou, a prepotência ou gana por recordes visando um reconhecimento que ele nunca terá faz com que ele continue treinando como se nada tivesse acontecendo, indo contra a vontade da população do país que está hospedando ele. A cada dia que passa ele consegue descer ainda mais o nível de mau caratismo. A impressão que fica é que ele é a família chutaram o balde e estão no modo “vão ter que me engolir” kkkkkk

    Parabéns aos envolvidos na padronização e diminuição da velocidade das quadras nos últimos 10-15 anos, como forma de ajudar os rivais do Federer, olha o monstrinho que conseguiram criar kkkkk. O tênis perdeu a chance de ter uma lenda dentro e fora das quadras como o maestro suíço como o detentor dos maiores recordes, para ter esse negacionista chiliquento como maior vencedor. Pobre Tênis…rs

    Responder
    1. Paulo

      Se estão tão padronizadas assim, por que razão Federer não faturou Roland Garros em cima do Nadal? E por que razão Nadal não faturou mais dois ou três Wimbledons? Afinal, as quadras são todas uniformes, não?

      Responder
      1. Paulo Almeida

        A padronização aconteceu em 2002 em Wimbledon e o Fregueser, como jogador baseliner que é, foi um dos grandes beneficiados por ela, mas esse aí e o Vitor Hugo vão seguir tentando enganar os outros e principalmente a si mesmos. Não repare.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Sem essa , caro Piloto. Em 2001 em Wimbledon ele mostrou ao Mundo e a Pete Sampras o quão Baseliner era . O Craque Suico nada mas fez que se adaptar a modorrenta padronização. Mas jamais deixou de comparecer a Torneios rápidos na Grama e Cincy. E tome de conquistas rsrsrs. Abs!

          Responder
          1. Paulo Almeida

            E depois levou fumo do Tim Henman. Grande rei do saque-voleio, rs.

            Se ele se adaptou, então isso não é desculpa para ter perdido o domínio do circuito em 2008, corroborando o fato de não ter tido rivais à altura até lá. Saia dessa sinuca de bico!

            Abs!

    2. Luiz+Afonso

      Djokovic não é uma pessoa comum, amigo. Djokovic é uma celebridade, é um astro, é um popstar, que ao contrário de mim, de você ou de qualquer outro cidadão comum, movimenta milhares e milhares de euros/dólares.
      É mais do que natural que ele tenha um tratamento privilegiado, assim como seria com Federer ou com Nadal, restringido-me aqui apenas à área dos tenistas. Se for necessário abrir uma exceção para ele, que se abra. Não é “prepotência” por recordes. É uma busca insana e sacrificante por recordes. Quantos tenistas mais habilidosos não ficaram no meio do caminho simplesmente porque se recusaram a fazer sacrifícios pessoais?
      Na boa, quem torce pela não participação do sérvio no AO2022 não gosta verdadeiramente do esporte tênis. Não querer ver um possível embate Novak x Medvedev ou Novak x Zverev ou Novak x Nadal, Novak x Berretini, não passa pela minha cabeça.
      Não venham com a desculpa de que o cara é uma ameaça para a saúde dos australianos ou do público ou dos demais tenistas, porque nem os mais fanáticos críticos do Djokovic acreditam nisso, nem mesmo os que têm idolatria pelo Federer ou pelo Nadal.
      Seria por analogia, no futebol, não querer ver a Argentina com Messi (o bom moço), contra o Brasil com Neymar (o mala). Eu sempre vou querer assistir aos melhores em campo ou em quadra.
      Não querer assistir a um McEnroe ou Connors, só porque eram dois caras mimados e irritantes? Eu quero ver partidas jogadas pelos melhores. Ainda que torcendo para os badboys serem derrotados. Mas derrotados dentro de quadra.

      Responder
      1. Roberto garcia

        Melhor e mais lúcido comentário até agora. Não sou favorável à postura anti vacina do Djoko e acredito que sua participação no Australian Open não iria mudar o quadro de vacinação/ideologia sobre a saúde pública na Austrália. A decisão de deportá-lo, a três dias do início do evento, é surreal e mera politicagem barata. Tivessem impedido logo a entrada dele no início, era mais digno e respeitoso. Foram dando brecha e o circo dos horrores está aí instalado. Mesmo com essa sua ideologia controversa, no aspecto tênis, Djokovic é o maior da história, com folgas. Isso deixa possessos muitos Federistas e Nadalistas fanáticos, que agora proferem ofensas morais, como se o número 1 tivesse que ser o humano mais perfeito da face da terra, até porque, no quesito tênis e conquistas, já comeram poeira. Aí eu pergunto: Sena tinha moral irretocável? Maradona? Pelé? Schumacher? Tiger Woods? Todos colocavam a vitória, as conquistas, acima de tudo, e assim são os grandes gênios do esporte, perfeitos no esporte, e só nele.

        Responder
        1. Daniel+C

          Maior da história, “com folgas”? Segundo quem? Você né?

          Muita gente não pensa assim, simples assim. Inclusive muitos ainda acharão o Federer maior, mesmo que fique um pouco atrás nós números, que não são tudo. É isso que de fato dói nos fanáticos do sérvio.

          Abs

          Responder
        2. Paulo Almeida

          Que bom que partiu de você julgar o caráter de Pelé, Maradona, Senna, Schumacher e Woods. Ainda poderia ter mencionado Jordan e Zidane, só pra ficar em grandes nomes de suas respectivas modalidades. Não vou entrar em cada caso, mas é muito fácil chegar nos podres de cada um “googleando” mesmo. Djokovic deverá se juntar a esses caras infelizmente.

          Só um ponto pra finalizar: será que quem chamou o sérvio de lixo humano tem coragem de fazer o mesmo com quem não reconheceu a filha e tampouco foi ao seu enterro?

          Responder
        3. Fabiano

          No aspecto tênis, o maior e melhor atende pelo nome de Roger Federer. Djocovid é o maior passador de bolinhas com muita folga isso sim. E não adianta querer empurrar goela abaixo que teu idolozinho pilantra joga mais que o mestre desse esporte Federer. Sem mais.

          Responder
      2. Marcelo Gomes Monteiro

        E por que o egoísta “jênio sérvio defensor do Mundo Livre” não se “sacrificou”e tomou a porcaria da vacina para entrar na Austrália ?
        Os privilégios que ele já tem e conquistou dentro das quadras com méritos não podem ser usados para burlar uma regra imposta a TODOS.

        Responder
        1. Luiz+Afonso

          Pelo simples fato de que ele é paranoico e acha que a vacina, nele, pode prejudicar todo o sacrifício que ele já fez até aqui, e atrapalhar seus planos de bater novos recordes.
          Mas claro, não se pode abrir uma exceção para ele! Afinal, ele é “apenas” uma lenda viva do tênis, como o são Federer e Nadal.
          E, a propósito, ele foi para a Austrália passear e não para exercer o trabalho dele da forma que entende mais benéfica para o organismo dele.
          Por fim, ele não influencia jovens e crianças a serem saudáveis com a prática de esportes e alimentação saudável. Deve ser eu que influencio…
          O importante é focar só no fato do cara não se vacinar.

          Responder
      3. Fernando Brack

        Comentário estúpido e sem noção. Ninguém deve ser privilegiado perante a lei por ser uma estrela ou por ter muito dinheiro. As estrelas do tênis podem ter seus privilégios dentro do circuito, concedidos pela ATP ou pelos organizadores dos torneios, mas não diante da justiça e mesmo de um governo.

        Responder
        1. Fernando Brack

          Não vejo que Djoko seja tanto uma ameaça à saúde pública australiana, desde que adotasse cuidados aos quais ele já mostrou não dar bola. Sem um fiscal no pé, ele poderia ser uma ameaça sim. O que ele virou mesmo, com toda a balbúrdia que criou, foi uma ameaça ao respeito que a população local tem por suas autoridades, demonstrado pelo maciço apoio dado no caso. Ele burlou regras e insiste em ficar no país. Se a justiça permitir a ele ficar, contrariando decisão ministerial, a moral do governo vai pra lata de lixo.

          Responder
      4. Carlo V. Wagen

        Exato. Você disse tudo: ” quantos tenistas nao ficaram pelo caminho ao por não fazer sacrificios pessoais?” (Sic).

        #ENTAOVAILÁETOMAAPORRADAVACINA

        E faça sua parte dos sacrifícios pessoais em prol da coletividadee vacine-se!

        *Uma das maires característica dos grandes homens é pensar no próximo”

        Responder
  51. Sandra

    Dalcim , quero que todos tomem vacina e eu já estou esperando a quarta , a quinta etc dose RSS, mas tem certas coisas difíceis de entender , Thiem não tomou vacina , ele alegou que estava esperando uma nova vacina , vão barra -lo no Rio Open ? Ou dão uma solução ou não vai haver mais torneio de tênis ! Infelizmente tem muitos contra e que tomou está de cara feia ! Porque um toma e o outro não!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Se Thiem não tomar logo a vacina, espero que seja barrado no Galeão como qualquer outro estrangeiro que tente entrar no país sem estar com vacinação completa, conforme determinou a Anvisa.

      Responder
    2. Sandro

      Dominic Thiem, um tenista idôneo, não é nenhum criminoso, viria ao Brasil apenas pra exercer seu ganha-pão que é jogar tênis, seria extraditado se chegasse ao Brasil sem passaporte vacinal???
      Qualquer estrangeiro que chega ao Brasil com o passaporte vacinal pode se infectar e transmitir o Corona Vírus, então por quê impedir EXTRADITAR Dominic Thiem???
      Nesse momento temos filas enormes nos postos de testagem no Rio de Janeiro, porque pessoas com passaporte vacinal estão testando positivo para o Corona Vírus!!!
      O passaporte vacinal não impediu as pessoas vacinadas de testarem positivo para Corona Vírus, não impediu de se infectarem, nem de transmitirem o Corona Vìrus, então por quê Dominic Thiem deveria ser EXTRADITADO do Brasil??
      O Brasil,em seu passado recente, tem histórico de ter refugiado assassinos, terroristas, criminosos condenados em seus países de origem e se recusado a EXTRADITÁ-LOS, mas seria correto extraditar justamente o Dominic Thiem que não é criminoso, mas quer ter seu direito de não querer se vacinar respeitado???
      Vejam alguns exemplos de criminosos condenados que o Brasil se recusou a extraditar:
      – Cesare Battisti: membro do grupo terrorista “Proletários Armados do Comunismo” (PAC) foi condenado a 12 anos de prisão pela Justiça da Itália, após o assassinato de 4 pessoas em atentados terroristas. Usando documentos falsos, foi detido no Rio de Janeiro em Março de 2007, porém, em 2011, os capas-pretas do Supremo Tribunal Federal decidiram pela “NÂO” extradição do terrorista assassino protegido pelo LulaMolusco!!! Battist acabou sendo extraditado no governo Temer em Dezembro de 2018. Atualmente, cumpre pena na Itália.
      – Olivério Medina: Integrante do grupo terrorista “Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia” (Farc), em 14 de julho de 2006, conseguiu o status de refugiado durante o governo petista no Brasil. As Farc usaram de sequestros, atentados, assassinatos e narcotráfico tentar para implantar o comunismo na Colômbia. Mais de 220 mil pessoas morreram no conflito entre exército, paramilitares e guerrilhas comunistas colombianas.
      – Pietro Mancini: terrorista da organização Autonomia Operária, um dos movimentos envolvidos nos Anos de Chumbo da Itália, foi condenado por assassinato pela justiça italiana. Em 2005, o governo petista do Brasil negou seu pedido de extradição. No governo petista foi oferecida cidadania brasileira ao assassino Mancini que se naturalizou brasileiro, montou uma produtora e até trabalhou na campanha de Fernando Gabeira para prefeito do Rio de Janeiro.
      – Achille Lollo: Também envolvido nos Anos de chumbo, o terrorista do grupo italiano Poder Operário foi condenado a 18 anos de prisão por dois homicídios em uma residência incendiada pelos terroristas. Sua extradição foi negada. Ligou-se ao PT e ao PSOL.
      Então, no Brasil, LulaMolusco e o STF impediram, durante os governos petistas, a EXTRADIÇÃO de assassinos, terroristas e criminosos, mas hoje, querem que EXTRADITEM o Dominic Thiem, que não é criminoso, só porque ele quer ter seu direito de não se vacinar respeitado??? Absurdo!!!

      Responder
      1. Fernando Brack

        Lá vem vc, de novo, com um tratado propondo que o país adote as regras que acha certas.
        Quer isso no BR, na Austrália e deve querer que todos os países do mundo adotem a sua lei.
        Vc não cansa de repetir essa ladainha, não?

        Responder
        1. Sandro

          Tudo que eu escrevo vc me ataca, porque vai contra ao que vc acredita…
          Sempre diz que são falácias, fake news, invencionices, mas a REALIDADE dói, não é mesmo?
          Vc que é um PSEUDO JUIZ ou PSEUDO ADVOGADO, sei lá… Tente rebater as diferentes atitudes em relação à extradição que eu expus, em vez de ficar só criticando SEM ARGUMENTOS!!!

          Responder
          1. Sônia

            Sérgio… voce tem jeito de ser super legal, boa pessoa, bom papo, conhecimento tenístico… gosto muito de voce. Beijos.

      2. Maurício+Luís+*

        ” Qualquer estrangeiro que chega ao Brasil com o passaporte vacinal pode se infectar e transmitir o Corona Vírus ” – Sandro, o passaporte vacinal não impede, mas D I M I N U I consideravelmente as chances de transmissão. Cito o exemplo da Coronavac, a menos eficiente neste quesito. Um vacinado com ela tem 50% menos chance de se infectar. Ou seja, 50% menos chance de transmitir o vírus. Então o passaporte vacinal serve sim, e muito.

        Responder
  52. Mario cesar Rodrigues

    Mais uma vez cancelado e o safado recorreu mas será que não consegue enxergar o papelão isto tudo e culpa da Imprensa não dá papo para isto.Este cara já esta comprometido sua carreira ele jogando ou não. O problema e que a Maioria aqui não consegue ver outras considerações em sites de confiança. Dalcim pega o que tem condições e repassa com responssabilidade. Mas Rublev disse que só se fala nisto lá segundo ele tem gente querendo sair fora do AO!

    Responder
      1. José Eustáquio Masculino Cruz

        Sinceramente o Mário não exagerou não é muita balela.claro não estou falando do Dalcim mas e sim dar a noticia depois de confirmada várias vezes! e vocês está enganados o Mário se é quem eu penso com erro de português o cara é catedrático ele não ofendeu ninguém só deu sua opinião.

        Responder
  53. Sandra

    Dalcim , simplesmente horrível o que esta acontecendo , por mais errado que esteja Djokovic , já nem sei , se esta tanto errado , se ele pegou o avião foi porque autorizaram ,teve muitas coisas verdadeiras e muitas falsas, ninguém aceita Djokovic , não conseguem engolir ele ter ido tão longe no tênis , e o governo australiano faz também politicagem e quer se reeleger, como todos os políticos, tomara que ele resolva se vacinar e volte mais forte do que nunca , atropelando todos, ou então se aposenta

    Responder
    1. Fernando Brack

      Sandra, tente separar sua torcida das questões ligadas ao respeito às regras de um país soberano e democrático como a Austrália. Se alguém disse pro Djoko que uma prova de covid precedente lhe daria o direito de entrar no país, isso foi um erro, e eu não acredito que tenha sido não intencional. Não é crível errar na leitura de algo tão simples. E nem precisaria ser a Tennis Australia, pois Djoko tem assessores que poderiam ler eles mesmos o regulamento. Sempre resisto o quanto posso em fazer isso, e não tenho no Djoko um inimigo, mas sou de opinião que houve má fé nesse caso.

      Responder
  54. Rafael

    Dalcim,

    Que novela, hein! Depois reclamam do judiciário brasileiro. Até agora não entendo a intervenção do judiciário. O ordenamento jurídico diz que o visto pode ser cancelado por “interesse nacional”. O Djokovic não está vacinado, não cumpriu as regras pra entrar no país, teve contato com crianças após testar positivo e ainda há suspeita de falsificação do exame. Além disso, segundo pesquisas, mais de 80% dos australianos é a favor da deportação. É evidente que tem justificativa pra deportação.

    Como o sérvio é prepotente. Quer lutar contra a vontade do povo australiano. Se faz de vítima de uma situação que deu causa. Bastava se vacinar ou não jogar. Simples.

    Responder
  55. Evaldo Medeiros

    Dalcim, bom dia. Torço para Nole. Mas acho que o erro fatal dele foi ter mentido no formulário de entrada. Esse, a meu ver, foi um erro imperdoável para a palavra final do ministro. Mesmo torcendo para que Nole jogue o AO, fica difícil dar razão a ele. Ainda por cima tem a acusação de ter forjado o resultado do exame de Covid. Sinceramente, se eu fosse o ministro, e não fosse torcedor de Nole, eu já teria cancelado o visto. Acho que Nole passou dos limites. E ainda manchou seu caráter. Prato feito para os anti-Djokovic, como aqueles repóteres da TV australiana que o xingaram antes de entrar no ar. Quer jogar o AO sem vacina? Era só ter obedecido a quarentena obrigatório de 14 dias para os não vacinados!!! E o pior ainda pode estar por vir. Ainda tem o restante dos torneios e principalmente os outros 3 grand slam de 2022. Essa novela ainda não terminou!!! Apenas começou!!!! Que sofrimento para esses negacionistas da vacina!!!! E Nole é um deles.

    Responder
  56. Henri

    Djokovic foi irresponsável. Colocou-se em risco, e o pior foi colocar a vida de outras pessoas em risco. Em um momento onde milhares de pessoas estão se esforçando e fazendo sacrifícios para conter a pandemia, Djokovic mostra todo seu desprezo pela ciência, pelos que se foram e pelo sofrimento de milhares de famílias. Lamentável a atitude do Sérvio. Nossas atitudes definem nosso caráter. Fica uma mancha terrível em sua biografia.

    Responder
    1. Fernando Brack

      A propósito, a biografia dele terá que ser revisada depois desse triste episódio.
      E suspeito que o Dalcim não vai mais oferecê-la aos vencedores dos bolões do TenisBrasil.

      Responder
  57. Chetnik

    Assisti a audiência agora…como é bom ser estudado e saber o que fala, não? Como eu antecipei, a decisão do ministro se pautou exclusivamente num suposto perigo do GOAT à segurança pública. Não há qualquer menção a erro no preenchimento de formulário de imigração ou porcaria que o valha. Não houve, outrossim, qualquer contestação à exceção médica que o Djoko obteve, pois essa, como eu falei, só poderia ser revertida judicialmente, e não por uma análise ministerial que tem por pré-requisito a demonstração de ameaça à segurança pública tão somente.

    Inclusive, o juiz falou expressamente que a questão da exceção médica já está superada e o advogado do governo concedeu o ponto, alegando que o novo cancelamento é um “novo caso”, com outro fundamento.

    A discussão ficará restrita a: o Djokovic é uma ameaça a segurança pública da Austrália ou não? Ocorre que os advogados do Djokovic afirmaram que o fundamento para tal que o ministro utilizou foi que a presença do Djokovic “fortaleceria o sentimento anti-vacina no país” kkkkk. PQP. Parece que os caras estão fazendo de tudo para perder o caso. Óbvio que o advogado do GOAT, preliminarmente, já destroçou esse argumento esdrúxulo e sem cabimento.

    Djokovic tem permissão temporária para ficar por 2 – acho que é isso – dias. Aguardar o desenrolar.

    PS: Viu, colega de nome estranho, por que da próxima vez eu vou cobrar? Análise profissional é assim mesmo kkkk.

    Responder
    1. Vitor Hugo

      Há sim. Tua credibilidade aqui é tão grande que realmente alguém vai acreditar em vc. Kkkk

      GOAT? Creio q vc esqueceu que Federer não está na Austrália..

      Responder
      1. Luiz Fernando

        A sua credibilidade é q é imensa, assim como a do Marquinhos, do Renato e dos seus outros personagens kkkkk. Aqui é diversão garantida kkkk…

        Responder
      2. Chetnik

        Frauderer já saiu do hospital?

        Marquinhos, pelo menos você admitiu quem é – não que alguém não soubesse kkkkk – quando falou nessa tua “versão atual” que já morou na Austrália kkkk.

        Responder
    2. Gildokson

      kkkk Colega de nome estranho é boa kkkkkk
      Tanto pelo meu nome ser realmente estranho, quanto por você me chamar de colega. Deus me livre kkkkkkkk

      Ps: Não vejo a hora de ver o sérvio “malandrinho” voltar pra casa.

      Responder
        1. Gildokson

          Coleguinha, eu só vou te dar um toque. Para um cara que se considera tão acima da média assim em termos de inteligência você não é corrigido demais?
          A cada 3 baboseiras tua no mínimo em 2 vem sempre um Periferia, um Miguel ou um Fernando atrás desmentindo ou tirando um sarro mesmo.

          Responder
          1. Chetnik

            Eu nem sei quem são Fernando e Miguel, coleguinha. Então você vai ter que ser mais específico e me dar algum exemplo, meu querido amiguinho.

    3. Heitor

      O Djokovic não estar vacinado, não cumprir as regras pra entrar no país, ter contato com crianças após testar positivo e ainda haver suspeita de falsificação do exame não é risco à segurança nacional?

      Responder
      1. Chetnik

        1. Nada disso ocorreu na Austrália.
        2. Ele não sabia que estava infectado quando encontrou as crianças
        3. Ele pode ser observado na Austrália e está lá para jogar um torneiro de tênis, certamente não para aglomerar em festas.
        4. Erro de formulário de entrada não torna ninguém um perigo.
        5. Com 100 mil casos diários, certamente não é o Djokovic que apresenta algum perigo.
        6. Ele foi recém infectado. Então a imunidade dele está alta.
        7. COVID é coisa séria, mas não é o ebola.

        Etc.

        Responder
    4. Fernando Brack

      Chet, a exceção médica nem foi julgada, então como ela poderia ser revertida? Ok, a liminar foi concedida, como é bastante usual. No julgamento, previsto para domingo, acho, será levada em conta a questão da regra de admissão de estrangeiros e a prerrogativa constitucional do ministro de barrar ou não e entrada de um estrangeiro que não cumpre a regra, independente de ter ocorrido um erro de instrução por parte da Tennis Australia. Vejo mínima ou nula a chance de Djoko levar essa.

      Responder
    5. Fernando Brack

      E não vejo o menor sentido na justiça australiana questionar a decisão do ministro, pois ela tem por base as medidas adotadas pelo país durante a pandemia, que visam proteger a saúde dos cidadãos locais. Vc pode questioná-las à vontade, mas vc tem zero responsabilidade sobre a população australiana. A decisão do ministro só seria anulada se fosse baseada em motivo espúrio, tipo o tamanho do queixo do Djoko.

      Responder
    6. Jose Yoh

      Houveram alguns protestos envolvendo torcedores e pessoas antivacina. Um deles subiu em um carro – que supostamente levava Djokovic – e ficou sambando. Poderia ter ocorrido um sério problema com a segurança local.

      Talvez o governo temeu que isso tomasse vulto (sabemos que radicais anti e pro vacina existem em todo lugar) e causasse problemas com a segurança do torneio e a campanha de vacinaçao. Algo bastante plausível.
      Abs

      Responder
      1. Chetnik

        Se um apoiador do Djoko fez isso, imagina o que não faria se o Djoko fosse deportado? É uma presunção tão válida quanto. No final das contas, ambas são presunções e basear uma decisão como essa num non sequitur como esse não é razoável.

        Responder
  58. Viana

    Justiça foi feita… Igualdade!
    Se todos os cidadãos, atletas e comissões foram obrigados a se vacinar, pq Djoko poderia ser diferente?
    Ele tem a liberdade de não vacinar, mas… então fique em casa.
    Ele fez o contrário: testou positivo e foi a eventos e inclusive admitiu q fez uma entrevista sabendo q estava positivado!! TERRÍVEL!!
    Mentiu ao preencher o cadastro de entrada!
    O povo australiano já deixou clara a opinião q ninguém deve estar acima de seu povo…
    DJOKO q é um monstro do tênis só diminui seu legado com essa pataquada!
    Que ele seja deportado e repense um pouco sua vida!

    Responder
    1. Carlos Reis

      kkkk Parte do povo australiano tá apanhando da polícia (cães do estado), pois protesta contra a DITADURA SANITÁRIA insana daquele país. Nossa, que perigo uma pessoa saudável representa para o “povo australiano”. Psicose em Massa, Histeria Coletiva, Movimentos de Manada. #DjokoHeroiMundial e não é abiguinho do Bio Gueites.

      Responder
      1. Sônia

        Carlos, para nós que tomamos a red pill (verdade sempre), ele não é abiguinhu do biu gaytis mas a esposa ama marina ibramovic… “está tudo junto e misturado”. Beijos.

        Responder
  59. Pedro+Batista+Filho

    Talvez com atraso, mas o ministro da imigração australiana, Alex Hawke, tomou a decisão correta de cancelar o visto de Djokovic. Espetacular dentro das quadras, lastimável fora delas. Que sirva de exemplo para outros e para o próprio. Talvez ele e os admiradores desse patético ato, percebam que os interesses coletivos, principalmente de saúde, se sobrepõe aos direitos individuais.

    Responder
      1. Gildokson

        É por essas e outras que sempre me dei com o Paulo, discordando de várias opiniões dele sobre importância de conquistas, entressafra, mudança na velocidade dos pisos e o que/como isso influenciou no jogo, Slam parrudo etc e tal… mas sempre respeitando e as vezes até concordando com muito do que ele fala mesmo que doa à um federista.
        Sempre se mostrou um cara muito consciente.

        Ninguém aqui está tentando tirar o lugar do Djokovic na história do esporte e dizendo que ele é menor que A ou B, nós só estamos criticando os erros que ele cometeu assim como somos capazes de elogiar os seus feitos dentro da quadra. Pelo menos é o meu caso.

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Muitas vezes menos consciente e mais movido pelo sentimento de torcedor, Gildokson. Agora mesmo meu cérebro está mais “bugado” do que nunca, tentando defender o que penso ser correto e ao mesmo tempo procurando uma solução digna pro Djoko. Está sendo uma tarefa bem árdua.

          Você teria muitos motivos para não gostar de mim, mas a gente não controla simpatia/antipatia. Cada um reage de uma maneira diferente.

          Sim, você só pode falar por você, rs.

          Abs.

          Responder
    1. Paulo+Lourenço

      Concordo Paulo!
      Também sou torcedor do Djokovic, mas também acho que ele ultrapassou os limites. Postura lamentável!
      Acredito que os VALORES estão acima das METAS E AMBIÇÕES de cada pessoa!
      Está difícil continuar na kombi 🤦🏻‍♂️

      Responder
  60. Luiz Fernando

    Dalcim saindo do imbróglio do Djoko e voltando para o q ocorre na quadra, como vc vê as chances de Rafa nesse AO? Nas partidas contra Murray e Shapovalov observei dois detalhes q me chamaram a atenção: a qualidade do serviço melhorou e ele estava mais agressivo, com muito mais winners q os adversários. No entanto, no ATP 250 q venceu parece houve uma regressão destes dois pontos, pois apesar de não perder sets os placares foram apertados, e contra jogadores medíocres. E claro, ainda temos a questão física, embora pelo ritmo de treinos eu creia q ele está bem. Como vc está vendo a situação? Sem contar a sua máxima de “nunca descartar o Big3”, vc vê alguma chance real dele vencer Zverev numa hipotética quartas de final? Eu sinceramente acho bem improvável, em especial pq as devoluções dele continuam ruins…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A menos que ele realmente suba muito de nível até lá, também considero Zverev favorito caso cruze com Nadal. Ainda não sabemos exatamente a velocidade do piso, mas me parece um pouquinho mais lento do que no ano passado. Ainda assim, o alemão vem jogando de forma muito consistente. Então acho que chegar nas quartas é um excelente resultado para o Rafa em seu retorno. Algo além disso seria um grande lucro.

      Responder
  61. Luiz Fernando

    Sinceramente eu não acreditava q depois destas idas e vindas o governo australiano teria “peito” de deportar o Djoko, mas parece q me enganei redondamente. Agora deveremos ver outro capítulo lamentável da novela jurídica, semelhante ao q tristemente vimos aqui no país, no processo do chefe do maior esquema de corrupção da história da humanidade…

    Responder
  62. Maria+Izabel

    Nossa,você postou a notícia minutos depois,Parabéns!
    Já comentei sobre esse caso,depois fiquei a pensar se estava sendo injusta com Djockovic, já que postei tudo por acompanhar passo a passo.
    Me sinto aliviada de ter meu pensamento certo.
    Direito de se vacinar ou não é de todos.Desrespeitar as leis de um país, mentir,falsificar exames aí é delito grave.
    Perdi minha irmã ano passado de Covid,38 anos não vacinada.Só pude vê-la uma única vez na UTI no dia de seu falecimento. Vestida como astronauta e médicos da UTI,é um horror ver uma pessoa nova ,cheia de sonhos com pulmões fibrosados,traqueostomisada,perdeu um rin,o outro parava e voltava,e nisso perda irreversível de memória. Quarenta e cinco dias vivenciei essa agonia.Morremos um pouco nesse período.Fico pensando nas pessoas que não querem se vacinar e tenho pena,embora tenham direito.Como cidadã isso me soa como desrespeito ao próximo. Não desejo a ninguém passar pelo que passei.
    Que sirva de lição ao Djockovic que ele não está acima de ninguém por ser o melhor do mundo.Pense um pouco no próximo e não seja tão ególatra.

    Responder
    1. Maurício Luís *

      Lamento muito pela sua irmã. E os antivaxx deste blog deveriam ler com atenção este seu depoimento. Morrem de medo das reações das vacinas… e não tem medo das consequências do vírus, inclusive sequelas irreversíveis dos que saem vivos pra contar a história.

      Responder
    2. Filipe Fernandes

      Oi, Maria Izabel.

      Meus sentimentos pelo falecimento da sua irmã. Que você possa ficar bem e que as memórias de uma vida junto com ela permaneçam.

      Um grande abraço.

      Responder
    3. Miguel BsB

      Maria Izabel, que depoimento contundente! Meus pêsames pela sua perda e sofrimento. Que sirva de testemunho para esses negacionistas antivacina. Temos lido os maiores absurdos nestes últimos posts, propagação de mentiras, histórias sem lastro, boatos, por pessoas que não tem a mínima formação para debaterem esse assunto, e de uma hora para outra são especialistas em medicina, ciência, política internacional. Que tem mais informações e conhecimento que os governos, órgãos de imprensa, instituições, universidades do mundo todo.
      Meus sentimentos mais uma vez.

      Responder
      1. Maria+Izabel

        Gratidão Paulo Almeida.
        Djockovic tem suas idéias muito enraizadas e jamais leria meu comentário, não mudaria nada para ele.
        Fique bem .Saúde.

        Responder
  63. Joathan Santos

    Mestre, vi uma informação numa fan page do Djokovic que os pontos do AO 2021 só serão descontados em fevereiro, que é quando completa exatamente 1 ano da edição do ano passado…
    Procede? Ou os pontos serão descontados no dia 31 de Janeiro normalmente na segunda-feira após o fim do torneio?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Claro que Rafa é favorito, mas contra sacadores não se deve vacilar. Uma quebra pode ser muito cruel. E se os sets vão ao tiebreak, é quase uma loteria. Kokkinakis tem jogado bem nestas duas semanas, com vitórias de peso.

      Responder
  64. Leo Rossi

    Djoko se deu muito mal no sorteio. Tem possível confronto com Zverev nas semis além de ter de enfrentar jogador perigoso em duelo nas quartas (Berretini ou Busta).
    Medvedev , com essa chave, já está na final.
    Esse ano deve dar Megamente.

    Responder
  65. Miguel BsB

    Dalcim, jogo contra Kokkinakis não permite vacilos?
    Acho que o rapaz não tem físico pra aguentar o Nadal em melhor de 5…
    Mesmo o espanhol voltando a jogar, ele só precisa moer o Australiano fisicamente.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Claro que Rafa é favorito, mas contra sacadores não se deve vacilar. Uma quebra pode ser muito cruel. E se os sets vão ao tiebreak, é quase uma loteria. Kokkinakis tem jogado bem nestas duas semanas, com vitórias de peso.

      Responder
  66. Allan

    Sou torcedor do Federer, o grande maestro e verdadeiro GOAT independente de GS vencidos, mas nesse torneio vou torcer pelo Djokovic. Não há comprovação científica alguma para acusar os não vacinados de nada. Sou médico, apoio a vacinação mas o que está acontecendo excede a esfera da saúde pública.

    Responder
    1. Jose Yoh

      Mas qual seria o motivo de diversos países exigirem vacinaçao para entrada? Nao há base técnica nisso?

      Que eu saiba a vacina diminui as chances de disseminar o vírus e de ter problemas mais graves. O que já acho suficiente para exigir. Melhor que nada.
      Abs

      Responder
      1. Carlos Reis

        O problema REAL é a SEGURANÇA, até quando teremos de explicar!? Muita gente já foi ELIMINADA, claro, os casos são desmentidos, pois é super normal adolescentes e pessoas jovens morrerem de AVC e Infarto. E aqueles que a princípio estão bem, o que vai acontecer com eles nos próximos meses!? NINGUÉM SABE! Essa é a realidade! Torçam para o experimento em massa dar certo, pois para muitos deu muito errado. Uns morreram, outros tiveram de se aposentar, outros estão muito doentes, TUDO abafado pela mídia e redes sociais. Só no Telegram se tem alguma liberdade. Qualquer post mais ousado é EXCLUÍDO sumariamente. Aquela Sra de Blumenau/SC, que comprovou que a morte de seu filho de 28 anos ocorrida dias depois da “imunização” foi causada pela VAC, a conta dela foi suspensa no Twitter. Não se pode questionar as “maravilhosas”!? Não ouse fazer isso!!!

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Puxa, até o Ministro da Saúde, cabresto de Bolsonaro e família, informou ontem que a maciça maioria dos casos de UTI no momento são de NÃO VACINADOS.

          Responder
          1. Carlos Reis

            Como conseguiram encontrar tantos NÃO VACINADOS!? É narrativa… Mudaram o conceito, se tomou apenas duas doses, é considerado “Não Vacinado”. O problema é sim complicado, a doença PODE ser bem perigosa, e a VAC tbm! Eu prefiro correr apenas UM risco, não dois! Eu só luto pela não obrigatoriedade, pelo direito de ESCOLHER. Eu sei que você não concorda comigo, mesmo assim publica meus comentários. Obrigado, Dalcim.

        2. Jose Yoh

          Carlos, já que nao há como saber a verdade (telegram é uma pessima fonte) sugiro que faça como eu: comece a consultar pessoas próximas para saber se há algum caso de morte por vacina ou morte por covid.

          No meu caso, nao conheço sequer um caso de problemas com vacinas (nem de conhecidos de conhecidos) e vários casos de problemas com o covid – diversas mortes.

          Entao eu já tirei minhas conclusoes.
          Abraços e saúde para todos, com vacina ou sem.

          Responder
          1. Sônia

            Se informa melhor Jose, o negócio tá feio (efeitos colaterais). O mais importante… proteja as crianças desse experimento. Beijos.

        3. Maurício Luís *

          Novamente lhe sugiro que vá pessoalmente a qualquer hospital à sua escolha e pergunte ao diretor se é verdade ou mentira que a grande maioria dos internadis é de não-vacinados… já que não acredita na imprensa. Independente disso, apesar das críticas que lhe tenho feito, espero que permaneça com saúde.

          Responder
      2. Sônia

        Jose, pelo sua escrita percebe-se que voce é uma boa pessoa, aguarde que brevemente terá as respostas… 2023 está chegando. Europa e a maioria dos países no mundo estão falidos. Os governos estão aproveitando a plandemia para colocar em prática um sistema de controle social, como o que já está implantado na china. Necessitam do caos para obter sucesso. Beijos.

        Responder
        1. José+Yoh

          Obrigado Sonia. Acho que a vacinação é o caminho, mas dizer que sei a verdade é mentira (rs).
          Então sou a favor de um bom debate.

          E teoria da conspiração ou não, historicamente as nações poderosas gostam e criam o caos nos momentos de crise. Então é sempre bom ficar esperto.
          Abraços

          Responder
  67. Sandra

    Bem faz você Dalcim que não acusa ninguém sem estar comprovado , nem tudo está perdido, agora já estão desmentindo que o governo espanhol estaria investigando ele .

    Responder
    1. Alexandre

      O governo espanhol não poderia negar a entrada de Djokovic, porque ele é residente da União Européia (Mônaco ou Marbella, não sei exatamente onde). Então ele só precisa de um teste negativo feiro 72 horas antes da entrada no país para poder entrar.
      A especulação que existiu foi porque, se ele fosse residente na Sérvia, sim poderiam barrar não-vacinados. Mas sendo residente na UE, isso não se aplica.

      Responder
  68. Rodolfo Costa Sousa

    Olá Dalcim gosto da sua análise bem
    Imparcial.
    Tenho lido muitos comentários sobre djoko, que beiram o ridículo !!!
    Ou será que sou eu o errado !!!
    Se djoko forjou um exame , mentiu para entrar num país as pessoas não veem a gravidade da sua atitute !
    Ele se tornou um criminoso !!!
    E como consequência assumiu q encontrou pessoas estando com COVID!
    Óbvio que ele terá cometido muitos crimes nesse período, tendo percorrido outros países e ido a encontros sem distanciamento/isolamento!
    A verdade por mais dura que seja é que não é nenhum absurdo ,ele até ser de fato preso !
    Mas os fãs acham q é perseguição .
    Acho que parte das pessoas perderam a noção ou só comentam por deboche.
    Claro q o AO será bem mais legal com ele do sem ele.
    Mas SE ELE REALMENTE FORJOU , não ha outra saída senão seu banimento do AO.
    Acredito por isso que o ministro está esperando a confirmação dos fatos pq todo dia tem um fato novo.
    Não é isso ?
    Fora a responsabilidade que ele terá por tomar essa atitude contra o número 1.
    Obs1: Torço para o Sampras
    Obs2: Achei muito bacana da parte dele quando federer foi bater seu recorde de slam e ele foi lá entregar a taça

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, seria um fato muito grave, mas é preciso provar, Rodolfo, e talvez isso não seja tão simples assim. Temos de aguardar as investigações.

      Responder
  69. Daniel+C

    Tomara que o sérvio seja enxotado do torneio. De acordo com pesquisas, a grande maioria dos australianos deseja isso (mais de 80% – o que me surpreendeu negativamente, achei que a torcida do sérvio e os negacionistas fossem um grupo menor)

    Caso não seja, será uma vergonha considerando todos os últimos acontecimentos e claramente terá sido uma decisão diplomática, apenas para evitar crise entre os países. Uma pena que fama e dinheiro decidam tanto nessas horas.

    Bem, minha torcida neste torneio vai para Zverev/Medvedev, para que ganhem ainda mais confiança para vencer outros GS daqui pra frente. O sérvio já teve muita mamata desde 2018. Se não for nenhum desses dois, torcerei pelo Nadal, mesmo que isso represente a superação do recorde do verdadeiro GOAT dentro e fora das quadras. O espanhol merece muito mais esse feito que o negacionista chiliquento e agora mentiroso e espalhador de Covid rsrs

    Responder
  70. C. Wagen

    Aos poucos, grandes nomes do passado e firmes candidatos ao kenos as semis vão deixando o palco ou virando zebras. A grande novidade de 2022 (na minha opinião é Nadal virar zebra.
    Estou ávido por novas caras frequentando semis. Torcendo por Acarazes, Musettis e Siners dividindo cabeça a cabeça com os protagonistas em 2022.
    Meus favoritos para uma eventual final: Medvedev x Zverev.

    Após o embróglio, torço para que certos jogadores voltem para o leste europeu (onde sao deuses), e voltem para o ostracismo de onde vieram, visyo nao falarem inglês ou espanhol. Lá, o cidadão será Deus.

    E isso poderia acontecer agora, em 2022.

    Aosnque dizem que muitos torcedores começaram a torcer para o sérvio e depois desistiram:
    – sim, é vdd eu sou um deles. O descrédito começou com a situaçao de abandono de jogos, aumentou com as imitações bararas e sem respeitonque ele fazia… esquentou com o posicionamento controverso dele, e qualquer admiraçao ou respeito acabou de vez comna situaçao causada neste AusOpen.

    Nao se trata de comportamento de gado. Procuramos ser extremamente conteoversos onde realmente importa, onde a opiniao geral é efetivamente errada.

    Queatoes como covid e vacina ja sao questoes bem esclarecidas. Ja se sabe dos bemeficios, ja se avaliou custo x beneficio de ser vacinado, principalemnte durante o ápice da variante gama.

    Cidadaos qu comentam alegando asnpalavras “gado” e outras, via de regra possuem um baixíssimo nível de formação, o qual nao lhe permite combinar mais de uma frase numa oraçao.

    E via de regra também levam o fundamentalismo político para outras searas (como a da saúde e das vacinas).

    Em resumo: ignorantes. Mas pelo andar dansituaçao, eles vão virar minoria, pois o covid continua matando.. de preferência os nao vacinados.

    As vezes nao na primeira, nem ma segunda… mas na terceira ou quarta tenrativa.

    Responder
  71. José Eustáquio Masculino Cruz

    O Grego do telefone a entrevista dele foi de doer.Mas um cara como Djokovid nem cosca faz pois não tem vergonha na cara, fico a pensar e claro que posso estar enganado mas se ele jogar vai ser cara o um dos maiores vexames tando da direção quanto do Djokovic.Mas isto para quem tem na mente no coração de trabalhar sua vida pautada em honestidade; e o sérvio não sabe o que é isto.será que não consegue vislumbrar um futuro tenebroso para ele!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Olha, André, ele se movimentou bem, mas obviamente teve alguns altos e baixos naturais pela longa parada. Ele só fez três jogos (saiu adiantado e teve um w.o. no caminho) e os adversários são tenistas com pouca expressão em nível ATP. Então o parâmetro não é tão confiável. De qualquer forma, título serve para aumentar a confiança e isso é muito importante para ele neste momento. Não acho que ele esteja no nível dos três grandes favoritos.

      Responder
  72. PI

    A questão do Djokovic eh complexa. O problema eh que o juiz já “decidiu”, então a bomba está com o Ministro. Se fosse só deportar, me parece certo que o Djoko já tava fora. O problema eh q a decisão impediria q ele entrasse naquele país por no mínimo 3 anos. Eh uma sanção muito grave, c certeza ele deve estar pesquisando para ver se há precedentes em que indivíduos foram deportados por motivos similares. Eh claro que se restar de fato comprovado que ele FORJOU o teste, a deportação eh mto justa. Agora, a questão do “erro” no formulário me parece pequena demais para justificar 3 anos de proibição. Veremos

    Responder
  73. Vinicius Souza

    Dalcim, a chave mostra um possível duelo na terceira rodada entre dimitrov e tsitsipas. Você acha que o dimitrov pode vencer o tsitsipas e ir longe nesse australian open?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Dimitrov é um tenista de ótimos recursos, com estilo até um tanto semelhante ao de Tsitsipas. E tem muita experiência, semi de Slam. Pena que ele insiste em ser um tenista muito mais defensivo do que deveria. Seus melhores momentos foram quando ele passou a buscar mais a rede e pontos mais curtos.

      Responder
  74. Flávio

    Acho que o Hurkacz no caminho do Nadal pode ser bem problemático para o espanhol, mas tomara que ele faça uma grande campanha.
    Sobre o Djoko acredito que ela faça no mínimo semifinal, se chegar a final acho difícil perder o título (tudo isso se ele realmente jogar o torneiro.rs).
    Não estou achando o Medvedev tão arrasador assim, me parece que ele precisa incluir mais armas no seu bom jogo.

    Grande abraço.

    Responder
  75. Rafael

    A questão da deportação do sérvio é tão complexa, que até agora o Ministro australiano não fez valer seu direito máximo. Eu acredito que Djoko joga o AusOpen.
    Mestre, a chave do Djoko e do Medvedev me parecem boas mesmo e a do Nadal a pior delas. Será que teremos uma nova final Djoko x Medvedev?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que existe o Zverev aí no caminho do sérvio que tende a ser uma dificuldade muito grande, caso ele chegue muito confiante até a semi. Medvedev reclamou muito do calor em Sydney, mas realmente me parece o mais forte candidato embaixo.

      Responder
  76. Eduardo Moura Lima

    Oi Dalcim,

    você considera uma possível terceira rodada do Nadal contra o Khachanov um respiro ?
    Não sei que entendi errado … Mas eu acho a terceira rodada do Nadal a potencialmente mais difícil da sua primeira semana …

    Abraço

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Khachanov está muito instável, Eduardo. Apesar de ido à final de Adelaide, continua sendo um jogador muito previsível e de mínimas alternativas táticas. Tanto que, em oito jogos contra Nadal, seis deles na quadra dura, só ganhou dois sets (e num mesmo jogo, aquele do US Open). Abs!

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Se o sorteio não tivesse sido feito, aí sim o número 2 viraria cabeça 1. Como a chave já foi sorteada, não se mexe nos cabeças 2, 3 e 4, mas o 5 porque teoricamente ele acaba prejudicado. Então é ele quem sobe para a posição 1 (como aconteceria também se o 2 desistisse).

      Responder
        1. Luiz+Fabriciano

          Então o Rublev deve ser mais um na torcida para o sérvio ir embora.
          Ser cabeça 1 em um torneio com esse não é para se reclamar, kkk.

          Responder
  77. Thiago

    Dalcin, acho que há um erro bem grande dize que o ministro “vai tomar uma decisão” ou o ministro “tem a palavra final”. Passa a impressão de que nada está decidido e que ele vai se manifestar, liberando ou deportando o Djokovic. Mas não é nada disso, o caso está decidido, o ministro não é obrigado a fazer nenhum tipo de manifestação, só fará se quiser, pode usar o poder decisório mas se nada fizer, continua decidido. Não tem nem sequer que dar nenhuma explicação, o caso foi decidido por um juiz. Mas essa expectativa de que o “ministro vai decidir” é provavelmente porque a maioria espera do o sérvio seja deportado, não aceita que o caso está decidido, mas é uma falsa esperança, essa espera por “investigações” aqui e ali é coisa de quem não quer admitir que o caso está decidido. Desculpe-me se estou frustando algumas pessoas mas é mais fácil um brasileiro ser campeão do Australian Open do que o Djoko ser deportado. A imprensa está perseguindo o sérvio, criando factóides, gerando falsa esperança na turma do patrulhamento sanitário. Mas fato é que Djoko vai jogar o torneio e quem sabe conquistar a 10ª taça, para desespero de milhões (ou seria bilhões) de pessoas.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu poderia concordar com você, Thiago, mas todo final de dia há um pronunciamento do gabinete dele, dizendo que ainda não foi tomada uma decisão. Então é o próprio ministério que diz isso. E por favor não fale que a imprensa australiana cria factoides, porque não é verdade. O Herald Sun foi o primeiro a mostrar para todo mundo que a Tennis Australia havia mandado email â ATP falando da isenção para jogadores contaminados, ou seja, trabalhou nesse caso a favor de Djokovic. A imprensa em geral, na maior parte das vezes, faz o trabalho investigativo que muitas autoridades legais deveriam fazer e não o fazem. Devemos agradecer e não criticar, com é claro algumas exceções.

      Responder
      1. Arthur

        Assino embaixo, Dalcim.
        As informações sobre a decisão são oficiais do próprio gabinete do Ministro. Não tem nada de factóide da imprensa nesse caso (acusar a imprensa de “jogar contra” é um espantalho típico, tanto dos petistas na era Lula-Dilma, quanto agora na Era da Bozolândia).
        E tem mais: ficar simplesmente calado depois de tudo que aconteceu seria a confirmação suprema da covardia do governo australiano.
        Ou bem assume que cedeu ao “jeitinho” e passa a mão na cabeça do Djokovic, ou então (o que eu consideraria mais correto) deporta a figura, por conta de tudo que se descobriu até agora.
        O que não dá é pra fazer a egípcia e fingir que “não é comigo”, como se de fato o juiz tivesse decidido o mérito da questão (coisa que ele claramente não fez).

        Um abraço.

        Responder
    2. Deby Motta

      Concordo com vc, Thiago! E o fato de dizerem todo dia que “não está decidido”, é uma forma de ficar em cima do muro e não ter que ir a público anunciar nada!

      Responder
    3. Fernando Brack

      Thiago, fique tranquilo, pois vc não frustra ninguém com esse seu arrazoado desconectado dos fatos. Não só o primeiro-ministro afirmou algumas vezes que a decisão cabe ao ministro da Imigração, como o próprio juiz, que não julgou o mérito da questão, disse isso na sentença na qual devolveu o visto e o passaporte do sérvio. É evidente que tem alguma coisa em curso e o ministro aguarda sua evolução ou, se tudo correr com rapidez, sua conclusão. A verdade é que não tem nada decidido mesmo e o ministro, mais hora menos hora, vai ter que dizer algo, que pode ser bom ou ruim pro Djoko e sua torcida.

      Responder
    4. André Aguiar

      Opa…depois desse comentário do Thiago e da decisão do ministro, já vou comprar o champagne para comemorar a incrível conquista do outro Thiago. Brasil!

      Responder
  78. Rafael

    Mestre,

    Na minha opinião, quanto mais tempo a situação ficar indefinida melhor pro Djokovic. Eu acho que estão tentando uma solução pra ele jogar. Se fosse pra mandar embora era mais fácil. Difícil é decidir em contrariedade à 80% dos australianos que querem a deportação. O que vc acha?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Temo que eles tomem uma decisão no final da tarde de sexta-feira e tentem inviabilizar um recurso, fazendo com que ele não possa jogar na primeira rodada.

      Responder
      1. Sandra

        E aí o que se faz ? Ele não joga a primeira rodada e jogaria dois dias seguidos? Claro se ganhar no primeiro . Por fim ele vai que ter que tomar essa vacina , senão ele tem que se aposentar , nem eu , nem você , nem ninguém vamos aguentar isso tudo de novo !

        Responder
          1. Sandra

            Agora entendi , mas falaram que o recurso de Djokovic já estaria pronto e no caso a justiça iria decidir no domingo

      2. Valmir da Silva Batista

        DALCIM, há alguma chance de o Australian Open ser interrumpido ou não iniciado, mediante alguma medida legal, em razão da não deportação de Djokovic?

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Realmente não sei te dizer, Valmir. Talvez uma ação pública pudesse impedir o início, mas não sei como funcionam as leis por lá.

          Responder
      3. João ando

        Quanto mais tempo eles demoram mostra que o Djokovic vai jogar ….o que é uma lástima para Austrália. País onde não se respeita a lei.fato muito grave. Uma p….de uma sacanagem.já que ele já devia ter sido deportado

        Responder
      4. Fernando Brack

        Dalcim, há 2 possibilidades sobre essa demora. Uma é a que vc teme, que é deixá-la para um momento em que Djoko não teria mais tempo de recorrer. Sinceramente, não acredito nisso, pois seria injusto.

        A outra, na qual eu acredito, é que o ministro está aguardando ter dados concretos, de preferência oficiais, a cerca de alguma investigação em curso, em particular sobre o teste positivo feito na Sérvia em Dez. Os indícios apontam um fato muitíssimo grave. Vamos ver o que vem aí.

        Não sou torcedor do Djoko, mas ficaria muito triste, por ele e pelo esporte, caso o pior se confirme.

        Responder
      5. Felipe

        Mestre,

        Mas a palavra do ministro não seria a última instância??? Acha que caberia um recurso contra uma eventual decisão de deportação dele?

        Abs

        Responder
  79. Daniel

    Ao que tudo indica as autoridades australianas caminham pra uma amarelada histórica diante do negacionismo estúpido do Djocovid. Realmente o Australian Open é o menor dos Slams… Espero que os demais mostrem que não há tenista maior que o tênis, e que não há esporte maior que a vida.

    Responder
    1. Carlos Reis

      Que mané negacionismo rapaz, o cara tem um cérebro que pensa, diferente da maioria que age como GADO manso e obediente. Saia da Hipnose Coletiva e Movimentos de Manada.

      Responder
    2. Paulo Sérgio

      Você critica o negacionismo do sérvio, o que é correto. No entanto, continua sendo negacionista ao não reconhecer que Djoko é o goat com 20 slams, 37 masters, 5 finals, mais de 350 semanas como número 1 e 7 anos finalizados em primeiro lugar. A sua coerência acaba quando tenta negar o óbvio, ou seja, que Novak é o melhor da história.

      Responder
    3. Fernando Brack

      Certo, Daniel. Não deve haver tenista maior que o tênis, nem maior que um país e nem, principalmente, acima de regras oficiais claramente definidas para todos.

      Responder