Revivendo 2021
Por José Nilton Dalcim
21 de dezembro de 2021 às 22:59

Como acontece todo final de temporada desde o ano 2000, a enquete dos Melhores do Ano de TenisBrasil é muito mais do que uma pesquisa de favoritos entre internautas e especialistas. Ela sempre serve como um excelente resumo e permite uma visão global do que aconteceu ao longo de tantas semanas de bolas rolando.

Então vou aproveitar para dar meus palpites às questões mais relevantes e automaticamente dar o meu ângulo ao que aconteceu em 2021. Novak Djokovic dominou é claro o cenário masculino e quase tudo que fez tem peso enorme, mas acho que o bi em Roland Garros, coroado por nova vitória sobre o rei Rafael Nadal, foi seu ponto alto. Também colocaria esse duelo épico da semi como o ‘jogo do ano’, que só perde para a própria emocionante final contra Stefanos Tsitsipas. O grego aliás fez outra partida memorável na vitória sobre Andy Murray no US Open.

Alexander Zverev para mim foi quem mais evoluiu, porque foram progressos em todos os campos, especialmente o emocional, com destaque necessário para Carlos Alcaraz e, bem pertinho, Jannik Sinner. É bem difícil votar na ‘revelação’ e meu voto talvez seja maluco, mas Jenson Brooksby foi uma surpresa notável também pelo estilo. Quem escolheu Aslan Karatsev também fez ótima escolha.

O vice de Matteo Berrettini em Wimbledon me causou a maior surpresa, Marcos Giron teve a recuperação mais relevante e o ‘técnico do ano’ para mim foi Juan Carlos Ferrero pelo trabalho excepcional que fez com Alcaraz no piso duro, mas menção honrosa a Christian Ruud e Dmitry Tursunov, que colocou Anett Kontaveit num padrão top 10.

E por falar nas meninas, Emma Raducanu marcou o ‘fato do ano’ ao sair do quali e ganhar o US Open, que para mim também foi a maior surpresa da temporada e, a final contra Leylah Fernandez, a partida de mais peso. Naomi Osaka teve grande relevância ao falar de sua depressão e abandonar dois Slam, o que não a impediu de um feito extraordinário: a acender a pira olímpica.

A disputa de ‘evolução técnica’ é apertada, e fico com Barbosa Krejcikova. Apesar das contusões, ainda acho que Bianca Andreescu decepcionou por não se mostrar em boa forma, despencando no ranking. O tênis feminino também foi essencial para marcar o US Open como melhor torneio do ano, já que ao mesmo tempo tivemos a expectativa pelo Slam de Djokovic e o primeiro troféu de Daniil Medvedev. E a polêmica? Outra resposta difícil e múltipla. Fico com a questão da vacina contra o covid.

A enquete também abrange o tênis brasileiro, claro. Sem dúvida, a derrota mais dolorida foi a da semi de Luísa Stefani no US Open com a terrível lesão e o destaque, o bronze de Stefani e Laura Pigossi que deram repercussão explosiva ao tênis em todas as mídias. A chegada de Luísa ao top 10, um feito tão raro, é a surpresa positiva e não resta dúvida que se esperava muito mais de Thiago Wild devido a seu evidente potencial.

A votação ainda está aberta. Clique aqui para participar. Na segunda-feira, será a vez das previsões para 2022 e aí vou mostrar como foram os palpites para este ano. Vai ter muita gente boquiaberta.


Comentários
  1. Ronildo

    Ivan Lendel foi o cara que mais sofreu por ter uma legião de atletas habilidosos contemporâneos dele. Se ele fosse de nossa época, com raquetes super desenvolvidas, bolinhas maiores e quadras padronizadas, venceria uns 30 slans. E sua maior vítima seria justamente Djokovic, pelo fato dele ter menos habilidades entre os grandes.

  2. PauloAlmeida

    Becker é mais um a engrossar a lista dos que consideram Djokovic o rei do tênis, ao lado de Sampras, McEnroe, Wilander, Zverev e Medvedev. Só nome de peso. Enquanto isso, os terceiristas soltam rojão pra opinião do Peque sobre repertório, kkkkkkkk.

    1. Sérgio Ribeiro

      Nomes ” parrudos ” não e’ mesmo Sr. Almeida ? . Qual deles foi o mais longevo ? . Teria sido o Ex – Treinador do Sérvio ? . Ou seria o que Roger derrubou em WIMBLEDON 2001 ? . Nenhum dos citados passou dos 33 em quadra. Feliz Natal caríssimo Piloto rsrs . Abs!

    1. Ronildo

      Sim, a importância de Federer no tênis é incrivelmente muito mais elevada do que qualquer outro tenista em qualquer época. Os outros foram grandes atletas como Federer, mas ficaram restritos a serem isso, grandes atletas; o que não é pouca coisa, muito pelo contrário. Mas no caso do Federer, é incrível como ultrapassou todas as barreiras.

  3. Vitor Hugo

    Interessante a opinião de El Peque e vai ao encontro do que a maioria que entende do esporte pensa. Federer é tecnicamente o mais completo, o melhor e o com mais variação com ampla vantagem sobre os demais. E deu a entender que Novak joga muito feio e é um robozinho controlado por controle remoto.
    😂😂😂😂😂😂😂😂

  4. José+Eustáquio+Masculino+Cruz

    Boa noite a todos.Antes de mais nada desejo ao Dalcim e a todos internautas um feliz natal e muita paz saúde,caro Dalcim o Espanhol peguei Agora em uma TV Espanhola está bem ,o Moya melhorou bastante e Rafael diz que segunda começa os treinamentos.

    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, que excelente notícia! Na torcida pela total recuperação de ambos. Feliz Natal e grande 2022 para você também, Cruz!

  5. Barocos

    Dalcim,

    Obrigado por mais um belo artigo, coerência, ponderação e, sobretudo, pela paciência.

    A todos os frequentadores reais deste pequeno espaço do mundo virtual, meus cordiais votos de um bom Natal, independentemente do credo que professarem e também para aqueles outros, como é o meu caso, que apenas mantém a esperança que a humanidade siga evoluindo, mesmo que em passos lentos e ainda que caminhe para trás de tempos em tempos.

    Liberté, égalité, fraternité.

    Saúde e paz.

  6. Paulo F.

    E aí, Sérgio Ribeiro, não vai críticar o Daniel C-Johnny-Renato-Marquinhos, que chamou de “sonho” em pegar o ótimo Tsitsipas numa final de GS?
    Ou por ele ser federista tu vai passar pano?

    1. Sérgio Ribeiro

      Tanto ele quanto a Turma da Turbinada não se cansam de repetir a mesma bobagem . Um SLAM possui 7 jogos , e Zebras aconteceram desde os primórdios deste Esporte . De uma olhada nas FINAIS de Björn Borg em RG , e possivelmente entenderas que jamais existiu SLAM “ parrudo “ ou outras denominações pra desconstruir uma carreira de quem quer que seja . Quando Federer derrubou Sampras em Wimbledon 2001 com apenas 19 anos , o Campeão foi Goran Ivasinevic ( entrou como convidado) pra cima de Patrick Rafter . Um jogaço que marcou sua Época e com grande audiência. O Piloto da Kombi insiste neste papinho somente por desconhecer a história. Feliz Natal e que o “ goat “ se vacine e inicie 2022 nos proporcionando grandes espetáculos. ABS !

    2. Paulo Almeida

      O tal “sonho” virou pesadelo mesmo no AO e no Finals 2019 para eles, além de que o Tripas era o segundo melhor jogador na terra batida até a final de RG, só atrás obviamente do Nadal. Aquela partida nas quartas de Roma também foi uma das melhores do ano tranquilamente.

  7. Marcus

    Caramba que coisa mais chata isso de o incontestável Goat, maior e melhor disparado, Goat supremo, o que joga mais bonito, um faz isso, outro faz aquilo.

    Djokovic tem os números incontestavelmente a seu favor.
    Porém ninguém é incontestável. Nem Jesus Cristo.
    Veja que nem o Dalcim, rei da paciência e da resiliência, tendo que ler diariamente as mesmas babaquices dos goats, é incontestável. Veio um aí encher o saco sobre a disparidade do blog acerca do tênis feminino.

    Agora, que o sérvio é uma tragédia ambulante do ponto de vista esportivo e da sua própria imagem não dá pra ignorar. Ele quer tanto ser amado, mas comete cada erro grosseiro com a sua imagem que mal dá pra acreditar que é o mesmo cara que joga aquele tremendo tênis dentro de quadra.

    Tudo bem não querer se vacinar, é um direito dele. Você tem o direito de ser um babaca. A democracia tem esse defeito. Mas então que seja homem – admita seu ponto de vista, defenda com os argumentos que ache que possa justificar o injustificável, não importa. Seja homem e arque com as suas decisões. Mas cumpra as regras dos eventos e dos patrocinadores. Ficar com essa chatice de se joga ou não, papai dando declarações estapafúrdias, mistério se vacinou ou não. Ah, por favor.

    Se ele fosse um pouquinho menos babaca poderia mesmo ser o goat incontestável e supremo e disparado e não sei mais o quê.

    Por ora, o menos contestado, merecidamente, é o grande Dalcim.

    Um Feliz Natal e um ano novo com muita saúde para todos os membros do fórum e principalmente para o Goat Dalcim e sua família.

    1. Valmir da Silva Batista

      MARCUS que se acha o ombudsman dos comentários alheios, a despeito do “Veio um aí encher o saco sobre a disparidade do blog acerca do tênis feminino”, vá para o inferno com o seu limitado sentido analógico sobre tênis, sua verborragia massante e sua misoginia descarada. Deixe de puxar o saco do Dalcim só porque ele possui status de proprietário deste espaço, o chefe, aliás, já é bem grandinho e sabe se defender do que você supõe ser ataque da minha parte.

  8. Rogerio+R+Silva

    Boa tarde amigos !
    Passando aqui para desejar boas festas para todos.
    Feliz com a recuperação da esposa do Peri e,não podemos esquecer,a do Rafael.
    Um 2023 de muita paz e realizações para todos.
    Um abraço especial para o Dalcim por mais um ano de excelência na cobertura do melhor esporte do mundo.

  9. Sandro

    Bom Dia amigos!
    Aqui estão meus votos:

    Número um inconteste, qual foi o maior momento de Novak Djokovic em 2021?
    O Bi em Roland Garros com virada épica após vitória sobre Nadal!!! Esse foi de longe o momento “CEREJA DO BOLO” da incrível temporada 2021 de Djokovic! Ganhar de Nadal em Roland Garros depois de ter perdido para Nadal a final dos MASTERS MIL DE ROMA, num jogo épico, histórico, emocionante, foi fantástico!!!

    O fato do ano no feminino foi…
    Krejcikova ganha simples e duplas em Roland Garros!!!
    Ganhar um título de Roland Garros já é dificílimo, ganhar em simples e duplas, no mesmo torneio ao mesmo tempo, é uma tarefa hercúlea para qualquer ser humano!!! Parabéns à Krejcikova!!!

    Qual o tenista que mais evoluiu tecnicamente? *
    Carlos Alcaraz, fenômeno de apenas 18 anos, foi o que teve maior evolução na carreira em 2021. Zverev já vinha numa crescente em anos anteriores, não somente em 2021.

    Quem teve a maior evolução técnica no ano entre as mulheres? *
    Barbora Krejcikova!!! Ganhar simples e duplas em Roland Garros é cúmulo da evolução de uma tenista no circuito!!! Fantástica!!!

    Qual a principal decepção de 2021?
    Bianca Andreescu, Campeã de Grand Slam em 2019, não mostrou nada em 2021!!!

    O grande jogo da temporada masculina foi…
    Batalha de 4h11 entre Djokovic e Nadal na semi de Roland Garros!!! Épíco!!! Histórico!!! Fantástico!!!

    A partida feminina marcante da temporada foi… *
    Swiatek faz duplo 6/0 na final de Roma contra Pliskova!!! Nossa Mãe!!! Trator!!! Rolo Compressor!!! Nunca vi uma performance tão marcante em uma final!!!

    Qual a revelação da temporada?
    Carlos Alcaraz, 18 anos de pura evolução!!!

    Qual a surpresa do ano?
    Tsitsipas cai na primeira rodada em Wimbledon!!! Quem, em sã consciência, preveria um resultado desses??? Isso é pra quebrar qualquer banca de apostas!!!

    A principal surpresa da temporada feminina foi…
    Barbora Krejcikova conquista RG em simples e duplas!!! Resultado tão incrível quanto imprevisível!!! Fantástico!!!

    Quem teve recuperação mais relevante? *
    Marcos Giron, depois da recuperação de complicadas cirurgias nos quadris, ele conseguiu chegar ao posto de 57 do mundo com 23 vitórias pessoais em 2021.

    O melhor torneio do ano foi…
    Roland Garros, por motivos óbvios, pelo choque de monstros Nadal e Djokovic em uma partida incrível, memorável!!!

    Qual o feito mais relevante de Naomi Osaka no ano?
    Quarto troféu de Slam no Australian Open.
    Ganhar um título de Grand Slam sempre é super relevante na carreira de qualquer tenista!!!

    O técnico do ano foi…
    Juan Carlos Ferrero (Carlos Alcaraz), pela nítida evolução deste jovem de 18 anos!!!

    Entre muitas, qual a maior polêmica do ano?
    Vacinação obrigatória dos tenistas. Sem dúvidas esse assunto está causando polêmicas até o presente momento, e não tem indício de pararem as polêmicas em torno disto.

    Qual tenista é mais divertido de se ver?
    Grigor Dimitrov, porque, acima de tudo, o cara é mais profissional que os demais citados…

    Qual derrota mais doída do ano para o tênis brasileiro? *
    Bia Haddad nas oitavas de Indian Wells após bater Pliskova… Foi criada uma expectativa em que Bia iria deslanchar… E acabou não acontecendo.

    Qual o destaque do tênis brasileiro em 2021?
    Conquista de Meligeni/Matos no ATP de Córdoba, uma grata surpresa!!! Tomara que o sobrenome e o DNA do tênis Meligini alavanque a carreira deste jovem tenista.

    Quem surpreendeu de forma positiva em 2021?
    Felipe Meligeni, pela sua evolução técnica e no ranking!!!

    Esperava-se mais em 2021 de…
    Thiago Wild, depois que conquistou seu ATP parece que andou pra trás…

  10. Periferia

    Dalcim e amigos do blog…
    Passando para desejar um feliz natal…cheio saúde…espero que todos fiquem bem…

    A esposa está em casa com seu marcapasso…e bem (acho que sai uma dança de rosto coladinho no fim do ano)…

    agradeço novamente as mensagens

    1. Barocos

      Periferia,

      Que você e a sua família tenham todas as alegrias que as boas pessoas deste mundo merecem. Por onde caminhares, que a boa sorte te acompanhe.

      Saúde e paz.

  11. Daniel C

    Que cansativo essa história envolvendo o AO e o sérvio antivax. Salvo a população da Sérvia, a família, os amigos e alguns poucos que começaram a acompanhar tênis na última década, ninguém liga se ele não aparecer. O que realmente os fãs do esporte querem ver ano que vem é quem será o próximo a dominar, quem serão os próximos vencedores de GS. Medvedev? Zverev? Tsitsipas dará a volta por cima? Thiem voltará forte? Shapovalov e Aliassime darão um salto de qualidade? Sinner e Alcatraz seguirão evoluindo cada vez mais? São perguntas muito mais interessantes do que se o negacionista vai jogar ou não. Fora que jogadores com mais carisma (natural) e um estilo de jogo mais agradável é o que não falta. Isso sem falar nas questões envolvendo a volta dos dois maiores embaixadores do esporte, a dupla Fedal.

    Deixem o cara lá na Sérvia abraçando árvore e tomando água suja para se proteger das doenças, pô! Kkkkkk

    1. Valmir da Silva Batista

      DANIEL C., o pior é que fica o pai dele falando asneira pra caramba, ao lançar mão de um tom cheio de empáfia, como se Djokovic estivesse acima do bem e do mal, como se a questão principal não fosse a saúde das pessoas( tenistas ou não ), como se o tênis fosse um seguimento à parte e fora da ordem das coisas, e como se, enfim, o elevado status de alguém em determinada área, lhe garantisse imunidade e consequente proteção aos que com ele convive. Claro que Novak não pode impedir o próprio pai de se pronunciar a respeito do que quer que seja, mas, em suas declarações acompanhadas de imagens ao lado do filho, parece que, ao tal de pai, jamais foi dito que o que diz não cai bem para a imagem do tenista sérvio, ou seja, parece haver a anuência de Novak, no que se refere às baboseiras proferidas por seu pai. Fosse para considerar que ser número um do mundo é ser Deus, a Ashleigh Barty também não precisaria ser imunizada contra a covid, para participar dos mais variados torneios, bem como Messi não necessitaria se vacinar para atuar em qualquer parte do planeta, valendo o mesmo para Louis Hamilton, como maior vencedor da Fórmula 1 em todos os tempos, dentre outros na condição de melhores do mundo. Quem tem um pai como Srdjan Djokovic, precisa urgentemente de um padrasto…

  12. Luiz Fernando

    Como esse pai do Djoko é mala, olha a frase “precisam decidir se vão deixar ele entrar”, creio q ele deveria procurar o filho, como pai que ama o filho (algo q fica óbvio de se notar no caso dos dosi) e como ser humano, e dizer “vc precisa se vacinar”…

    1. José+Yoh

      Uma frase dessas pode mudar o rumo das coisas. Se havia alguma intenção de permitir sua entrada mesmo não vacinado, agora creio que não há mais.
      Abs

    2. Vitor Hugo

      Se fosse o pai do Tsipas, vc diria que é um imbecil, idiota e etc… Mas como é o pai de Novak, e vc passa pano, faz média e tem medinho dos seus torcedores, é apenas um “mala”..

      Feliz Natal

  13. Maurício+Luís+*

    Não vou arriscar palpite algum pro ano que vem, como muitos o fazem, porém reconheço que é um direito de quem quer dar uma de cartomante.
    Apenas acho que previsão é igual relógio parado: não atrasa… mas também não adianta nada.
    Dalcim, obrigado pela atenção que dá a nós, pela paciência e pelo dinamismo do blog. Feliz Natal e Deus o conserve com saúde.

  14. Paulo F.

    Resumo com a habitual qualidade que conhecemos.
    Zverev tem tudo (e demonstrou isso em seu segundo semestre de 2021) para ser o nome de 2022.
    Comparado ao outro russo, Medvedev, possui muito mais ferramentas e recursos.
    Vamos ver como ressurgem Tsitsipas e o pesado Thiem.
    Boas festas Dalcim, já no aguardo de suas preciosas crônicas para 2022.

    1. Valmir da Silva Batista

      PAULO F., também acho que Zverev até “possui muito mais ferramentas e recursos” que Medvedev, e que Tsitsipas e Dominic Thiem têm igualmente algo superior a Daniil. Por outro lado, parece que já vi esse filme em outros carnavais, no que se refere a outros tenistas em outros tempos. O que quero dizer, PAULO, é que há uns dois anos, fala-se desse quarteto e, com essa história do russo ter menos recursos, é justamente ele o tenista com melhor equilíbrio e sequência, durante este mesmo espaço de tempo, ou seja, nesses mesmos dois anos, Tsitsipas teve sua fase de brilho, bem como Dominic Thiem e agora Zverev, com o seu magnífico segundo semestre em 2021, e tudo isto com ares “apenas” de fase, enquanto Medvedev, no triênio 2019/2020/2021, que compreende os tais dois anos, seguiu sempre uma linha reta, no aspecto de boa sequência com quase nada de interrupção em sua eficiência. Há também um fator que nem é relevante em meio ao debate sobre quem é melhor, mas percebo que, dos novos grandes tenistas, Daniil é o não queridinho da vez, mas parece que ele está cagando para a mídia, é desbocado, debochado e, contrariando muitos, joga bola pra caramba, e é justamente o pra caramba que não quer dizer grande coisa de específico, pois creio que o jogo de Medvedev é o de ir comendo pelas beiradas, é funcional. Para mim, afora o que é normal( nem sei se isto é grande coisa atualmente ), ele é o novo cara a ser batido, e este novo tem condições de polarizar mais e mais sequências…

  15. Paulo H

    Dalcim, discordo somente da melhor evolução, em que trocaria o alemão Zverev pelo russo Medvedev, que depois de ser surrado no AO, provou ter aprendido a lição e levou o USO sobre o mesmo adversário, o sérvio Novak Djokovic. Temos expectativas de grandes duelos em 2022 entre estes três, principalmente nas fases de Semi e Finais.

    1. José Nilton Dalcim

      Medvedev foi muito bem nas quadras duras, Paulo, mas a rigor fez poucos progressos técnicos efetivos, ou seja, não mudou muita coisa do Medvedev de 2020, a meu ver. Zverev claramente investiu num segundo saque mais agressivo, em tentar mais o jogo de rede, melhorou muito na movimentação para a frente e especialmente na parte defensiva. Abs!

  16. Paulo+Almeida

    2021 foi um ano maravilhoso, memorável e o mais importante da história do tênis até então, com o GOAT supremo e indiscutível quebrando o recorde de semanas e temporadas como número 1, o de Masters 1000 e igualando o de Majors, com a vantagem de ter adicionado ao seu currículo um Double Career Slam em Roland Garros, batendo Nadal na melhor partida do ano e depois Tsitsipas em outra partida épica, apenas dois dias depois. O título foi tão parrudo que nem uns cinco combinados da famigerada entressafra conseguem ter o mesmo valor.

    É óbvio que o domínio do Craque já vem de longuíssima data, porém era essencial corroborar sua condição de maior e melhor de todos os tempos nos principais números também. E conseguiu tudo isso jogando um tênis maravilhoso e cheio de variações, que deixou os verdadeiros amantes do esporte completamente embasbacados!

    Os membros da seita ultrafanática tiveram que engolir com imensa dificuldade o fato do Djokovic ter se consolidado indubitavelmente como o Senhor do Tênis, mas nada como alguns bons litros de água para ajudar a descer goela abaixo, rsrsrs!

  17. Sérgio Ribeiro

    Sigo o relator , caro Dalcim. Sem dúvidas o ano do N 1 foi espetacular. As duras derrotas para Zverev e MEDVEDEV ( Ouro Olímpico e USOPEN ) não diminui excelente performance em 2021 . Já estes dois parecem ter atingido a maturidade e já se colocam como Oponentes a sua altura ( sempre lembro que Sir Andy Murray somente levou seu primeiro SLAM aos 25 ) . O surgimento de EMMA e o fato da N 1 da WTA ter atingido o quinto posto da história em semanas CONSECUTIVAS no topo do Ranking é um feito espetacular. BARTY e’ uma jogadora com todos os recursos e parece com muita lenha pra queimar . E realmente o negacacionismo da Vacina ( mesmo com todos os exemplos inquestionáveis do Exterior) , permanece ainda como a triste grande polêmica de 2021 . ABS !

  18. Rafael

    É por aí Dalcim! Recordes igualados, outros quebrados e algumas surpresas, ou seja, foi um 2021 excelente!
    Que 2022 seja outro ano espetacular e avante Nole!
    Mestre, aproveito para lhe desejar um Feliz Natal e um 2022 cheio de saúde e realizações!

  19. Valmir da Silva Batista

    DALCIM, parabéns por, desta feita, contemplar o tênis feminino a contento, ou seja, em pé de igualdade com o masculino, já que a razão de ser do seu blog é o tênis e não o tênis “X” ou “Y”. Por fim, em linhas gerais, achei bem observada sua analogia a respeito dos nomes em 2021. Um abraço…

  20. Daniel+C

    Foi um ano para se esquecer. Aquele salto de nível dos mais jovens que esperamos desde meados de 2018, só foi acontecer a partir das Olimpíadas (antes tarde do que nunca, isso evitou feitos trágicos para o Tênis), o que contribuiu para que o maratenista sérvio conseguisse feitos ainda mais incompatíveis para o seu talento e estilo de jogo. Mas parece que infelizmente o tênis se tornou 90% físico na última década, e quem se destacar nesse quesito, vai acabar vendendo quase tudo, uma vez que jogar em qualquer tipo de quadra é uma experiência cada vez mais igual e que depende de pouca adaptação.

    Pelo menos tenistas como Shapovalov, Tsitsipas e Thiem fazem a gente acreditar num tênis mais plástico e interessante de assistir no futuro, apesar do grego ter se mostrado um sem noção fora das quadras, assim como o atual “no1” (só nos pontos e nas famosas estatísticas, pois não é visto como representante máximo do esporte por muita gente). Inclusive é dele o maior destaque negativo do ano. Promoção de um torneio em meio a pandemia que culminou na infecção de diversos jogadores, além das declarações antivacina de praxe e os destemperos dentro de quadra que todos conhecemos, quando a situação não está a seu favor (a simpatia e educação é só nos bons momentos)

    Enfim, espero que tenhamos um 2022 muito melhor, com um no1 digno da posição (não só nos resultados, mas no comportamento e nos exemplos também, e de preferência com um estilo de jogo menos chato) e que finalmente os tenistas mais jovens dêem aquele salto que aguardamos a tanto tempo. E claro, que o Thiem também volte aos bons tempos, pois infelizmente ele teve problemas físicos e psicológicos no seu auge em 2020, e certamente se ele tivesse mantido a evolução em 2021, a mamata teria sido menor para o sérvio. Não custa lembrar: Tsitsipas e Berretini em final de GS é um sonho para qualquer Big 3 rs

    Abs

    1. Luiz+Fabriciano

      Rapaz, os destaques são do ano 2021 e tu vem ainda falar do Adria Tour que aconteceu no início de 2020?
      Um evento apoiado pelo governo da Sérvia o por todos os grandes tenistas que participaram.
      Vou reproduzir aqui uma pequena parte de uma matéria publicada hoje em Tenisbrasil:
      ” A Novak Djokovic Foundation está realizando uma campanha de doações pelo quarto ano consecutivo para arrecadar dinheiro para a abertura de uma nova pré-escola em Nis. A fundação continua a se esforçar para cumprir sua meta de garantir que TODAS as crianças sérvias tenham acesso à pré-escola nos próximos 10 anos.”
      Como me decepciona essa sérvio fora das quadras (SQN).
      Outra coisa, como sou leigo, talvez praticar esportes sem depender do físico só jogando xadrez. E olhe lá, mas aí temos especialistas no Blog que podem me ajudar, no mais, fico com a opinião do Dalcim sobre os destaques do ano. Esse entende do riscado.
      Feliz ano novo para você.

    2. Thiago+Silva

      Caro fragmentado, o Adria Tour foi em 2020, não foi esse ano, e a renovação que “esperamos desde meados de 2018”, curiosamente nesse “meado” quando o Federer passou a não ganhar mais slam.

    3. Paulo F.

      Outra coisa, por quê justo o sérvio não poderia ter o direito de ter os seus Baghdatis, Goznález e Philippoussis em finais de GS?
      Só Federer é que poderia se dar ao luxo de ter papinhas em finais de GS?
      P.S.: Tsitsipas é um jogador MUUUITO SUPERIOR aos originais Três Reis Magos do Messias Alpino.

      1. Sérgio Ribeiro

        Termina 2021 postando as mesmas groselhas, P. F . ? . Chego a conclusão que jamais vistes os citados jogarem. Nem eu lembrava que BAGDHATIS ainda e’ o recordista de vitórias na Copa Davis que Dalcim lembrou . Fernando “ Mano de Piedra “ Gonzales chegou a FINAL do AOPEN tirando Nadal em Sets diretos e se aposentou com h2h positivo contra o Sérvio. Uma vergonha uma das mais potentes Direitas da história entrar em listinha de desinformados . Mark “ Scud “ Philippoussis sempre fez jus a alcunha . Tu achas engraçadindo Rei Magos , pelo fato de somente ter conhecido o esporte em 2008 rs . Daí sempre bater continência pro desinformadissimo Piloto da poderosa Kombi “ Turbinada “rs . Esse papo somente não é mais chato que as asneiras de Papai Novak kkkkkkk. Abs!

        1. Luiz Fabriciano

          Dos 20 vice-campeões de GS, cujos títulos foi dado por Novak Djokovic, Berretinni entrou na lista esse ano, que a meu ver, é o mais fraquinho de todos os outros, que consta nada mais nada menos que Roger Federer, Rafael Nadal, Andy Murray, Jo Wilfried Tsonga, Stefanos Tsitisipas e Kevin Anderson – talvez bem próximo do italiano. Esses três Reis Magos aí, putz, cada um fez uma final de GS e só.
          E que grande coisa a sequência de vitórias do cipriota na Davis não? Contra quem mesmo?
          Saudações.

          1. Sérgio Ribeiro

            Também insistes não e’ mesmo L.Fa .? Pra ti os Cinco Ex – N1 que Federer enfrentou ( oponentes de Sampras e Agassi ) , eram Bagres . E não tiravam Rafa Nadal das FINAIS de SLAM nas Duras de 2005 até 2007 rs . Isso é desconstruir a história do Esporte por puro fanatismo . Em 2003 ele já aplicava Pneu no fraquíssimo André Agassi na FINAL do FINALS rs . A formação do BIG FOUR foi em 2007 . Nada impediu o Suíço de contiuar vencendo SLAM . O Sérvio foi quem ficou de 2008 a 2011 esquentando o N 3 e somente venceu seu segundo SLAM em 2011 .Apenas chegou junto nos 20 SLAM aos 34 anos. A tentativa de parte da Kombi de desconstruir jamais diminuiu o LEGADO do mais importante jogador deste Esporte . Abs!

          2. Luiz+Fabriciano

            Para variar, nada a ver nobre SR.
            Primeiro, jamais disse que há bagres no circuito, passado ou presente.
            Segundo, você vem com 5 ex-número 1 e falávamos dos três Reis Magos, que nunca foram #1.
            Compreendes? Creio que não.

        2. Paulo F.

          Se é groselha, quem começou a falar groselhas, foi o Daniel C-Johnny-Renato-Marquonhos.
          Ah, mas ele é federista e aí tu ignora né?

Comentários fechados.