Oscar para Richard Williams
Por José Nilton Dalcim
12 de dezembro de 2021 às 22:08

Enfim consegui assistir ao ‘King Richard’ e o filme foi acima das minhas expectativas. Embora seja pouco degustável por quem está fora do tênis, é um trabalho excelente se pensarmos nas mensagens que Richard Williams passa ao público: obstinação, humildade, trabalho muito duro, família acima de tudo.

Boa parte do enredo é bem conhecida. Richard colocou na cabeça que faria duas campeãs de tênis, escreveu um roteiro completo para elas e, sem saber absolutamente nada de tênis, levou Venus e Serena aos primeiros estágios com enorme competência e dedicação. Há passagens ótimas, como o apego quase neurótico ao ‘open stance’.

Tudo era muito simples na vida dos Williams, desde a casa onde moravam até a quadra pública em estado ruim com que dava suas aulas empíricas às filhas, e isso tudo fica bem retratado no filme. Claro que Richard é o objeto principal, mas o enredo deu o espaço apropriado a Oracene. Também pegou firme na questão do racismo e achei magnífica a crítica ao circuito juvenil e o papel por vezes tão incorreto dos pais.

Fiquei curioso para saber se as meninas que interpretam Venus e Serena realmente jogam bem tênis ou se foram utilizados recursos tecnológicos para simular os golpes e os lances, como aconteceu no engraçado ‘Wimbledon’, no bem arquitetado ‘Match Point’ ou no imperdível ‘Borg vs. McEnroe’. E foi ótimo saber que a maciça maioria das imagens são reais, o que deixa o filme ainda mais interessante para os admiradores do tênis.

Will Smith está impecável no papel de Richard e é bem provável que seja indicado pela terceira vez ao Oscar, ainda que a chance de finalmente erguer a estatueta seja pequena, já que não acredito que a película se torne um grande sucesso de bilheteria. Sua atuação em ‘Ali’ e ‘À Procura da Felicidade’ são superiores, na minha modesta e amadora opinião. Smith é um ator de grandes papeis e múltiplas faces, como no quase infantil ‘Homens de Preto’ e no adorável e tenso ‘Sete Vidas’. Deve se lamentar até hoje ter recusado o papel de Neo, em ‘Matriz’.

Sou um eterno admirador de Serena e Venus, o que nunca me impediu de condenar algumas atitudes de Serena. A difícil trajetória rumo ao sucesso e o estilo tão peculiar que mudou para sempre a história do tênis feminino falam mais alto e é muito oportuno que ‘King Richard’ dê o devido valor ao pai. As duas megacampeãs assinam como produtoras executivas, mas só aceitaram isso depois de ver a edição final, o que dá credibilidade ao roteiro de Zack Baylin e à direção de Reinaldo Marcus Green.

Recomendo.


Comentários
    1. Valmir da Silva Batista

      OSWALDO, ela era uma grande tenista, e certamente se tornaria tão ou mais importante para a Sérvia que Novak Djokovic. Era a tenista apta para acabar com o reinado da Steffi Graf, pois além de muito talentosa, era quatro anos mais nova que Steffi. Porém, no auge de sua performance, quando vencia um torneio após o outro, superando a alemã em várias oportunidades, foi acometida daquele atentado a faca, por parte de um torcedor fanático de sua referida adversária, que era, diga-se de passagem, uma grande tenista. Não fosse por tal crime, provavelmente Monica no mínimo se equipararia aos grandes feitos de Steffi. Depois dela, aliás, o tênis feminino sérvio não teve mais nenhuma grande tenista, já que Jelena Jankovic e Ana Ivanovic, apesar de terem chegado ao topo do ranking, acabaram se configurando como meras cortinas de fumaça, sendo que Ana chegou a vencer Roland Garros em 2008, enquanto Jankovic nem isto. Para mim, eram duas enganadoras que davam lá suas raquetadas e tiveram seus pouco mais de quinze minutos de fama, mas isto é nada, se comparado aos nove títulos de Grand Slam da Monica, além dos três WTA Finals, dentre tantos outros…

  1. Miguel+BsB

    Pô Gil, Roger Federer é demais! Kkkkkk
    Um dos meus grandes ídolos nessa vida!
    Me dá só 70% da direita e do saque dele, já estaria feliz.
    (E 10% da conta bancária, também não faria mal…rs)
    Admiro muito suas posições também!
    Tamo junto!

  2. Samuel

    Devo registrar que a família Williams foi um grande exemplo de mau gosto, falta de etiqueta, despeito, acinte e adultério.

  3. Maurício+Luís+*

    Este jogo do Murray x Nadal é bem o reflexo do nível de exigência do tênis atual, ainda mais no fim do ano… ou seria fim da picada? O jogo dos estropiados. Um no quadril, o outro no pé. Dois grandes campeões ameaçados pelo fisico. Espero que sigam adiante sem maiores problemas.

    ******* Especial de Natal da sogra *******
    O baloeiro ibérico resolve falar com a D. Maria:
    – Sogríssima, sabe… de repente me deu vontade de lhe abrir meu coração. Você é a + linda, a + elegante, a + charmosa, a + inteligente, a + fina, a + compreensiva, e a menos fofoqueira de todas as sogras. Quando a vejo, é como se estivesse olhando pra um jardim florido. Nada se compara com o prazer que sinto em vê-la desfilando pela minha casa. Sua agradável companhia muito me apraz!
    Pasma, incrédula e meio que paralisada, Maria olha pra filha:
    – XISCA, você ouviu ISSO ?!?
    – Ouvi sim, mãe. Acontece que ele misturou uísque, vodka e Red Bull. Até que melhorou… da outra vez ele se declarou pra calopsita.

    1. Samuel

      Maurício Luís, apesar de os pontos fracos na carreira do Murray terem sido o Big 3, o aspecto mental e o segundo serviço, o escocês estava com mais ritmo de jogo do que Nadal. Só mesmo uma hecatombe levará à repetição do resultado desse final de semana no circuito profissional.

  4. Vítor+Barsotti

    Dalcim, não consegui acompanhar nada de Murray x Nadal. Guardadas todas as proporções (amistoso, volta de contusão, momento…), foi um jogo digno desses supercampeões? O que deu pra perceber em termos de competitividade deles pra essa temporada? Abs!

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, achei o jogo bem movimentado e obviamente me preocupei mais em observar o Nadal. Ele me pareceu bem. Movimentou-se normalmente, tentou por vezes jogar de forma mais agressiva e isso exigiu que o Murray também tomasse mais a iniciativa. O placar foi apertado e a vitória do escocês natural pela longa inatividade do Nadal. Pena que ele só conseguiu jogar uma partida, então isso vai exigir um pouco mais de competição em janeiro para recuperar o ritmo.

        1. José Nilton Dalcim

          Ah, verdade, esqueci totalmente que o torneio disputa o quinto e o terceiro lugar, o que aliás acho muito divertido.

  5. Luiz+Fernando

    Gostei do set 1 do Rafa, a despeito da vitória esperada do Murray. O achei com boa movimentação, bons golpes, embora ainda bem enferrujado. Daria nota 6.5, mas p ele o principal é o pé, se tiver jogado de forma confortável já terá sido uma partida nota 10.

  6. Oswaldo+E.+Aranha

    Um Estranho no Ninho.
    Assim me sinto ao verificar:
    Sou torcedor de alguns tenistas como Djokovic, Halep, Shapovalov, mas não deprecio outros, como alguns sofredores que aborrecem com a insistência de dizer que seu preferido ´o GOAT
    Sou apreciador de música clássica, samba, chorinho, MPB e jazz mas só vejo comentários sobre rock, que não é minha praia
    Entretanto quero neste final de ano deixar uma abraço especial ao Dalcim e a todos os participantes do blog, desejando que 2022 seja livre de pandemia

    1. Valmir da Silva Batista

      OSWALDO, até que enfim alguém com lucidez, no caso você, ao afirmar que torce para alguns tenistas, sem, no entanto, deixar de reconhecer o jogo vitorioso de outros, mesmo não gostando destes. A maioria fica numa lambeção medíocre quanto aos tenistas que curtem, a ponto de perderem o senso analógico e caírem na vala comum, no pior estilo “o meu é melhor e não se fala mais nisso”. Eu, por exemplo, não gosto do jogo do Djokovic, mas jamais afirmei neste blog que ele não é um grande campeão ou que ganha títulos por obra de algum fator que não seja praticar bem o jogo de tênis, ou seja, o cara é fera, e só se eu fosse muito alienado, como muitos neste espaço, para não reconhecê-lo, afinal, ninguém ganha vinte Grand Slam e trinta e sete torneios de nível Master 1000 só para me provocar… rsrsrsrs…Historicamente, tenho predileção por tenistas como Pete Sampras, Monica Seles, Marcelo Ríos, Serena Williams e Rafael Nadal, que para mim sempre foram os melhores, mas não os melhores e ponto final…

  7. Paulo Sérgio

    Djokovic campeão da ITF pela sétima vez. Um verdadeiro GOAT. A única coisa em que ele perde é o prêmio de Miss Simpatia rs.

      1. Gildokson

        Mais um famoso prêmio “who cares” kkkkkkkk
        Sabemos que devido a carência do sérvio ele preferia o prêmio que o outro ganhou kkkkkkkkkk
        Prato cheio pra quem estiver estudando psicologia kkkk
        Abs!! Meu brother Paulo Almeida!!!

        1. Paulo+Almeida

          Verdade, Gildokson, o 250tão de Gengibre é muito mais importante.

          Ops, esqueci que o GOAT paraguaio foi varrido pelo Pablo Andújar, kkkkkkk!

          Abs!

        2. Sérgio Ribeiro

          Então , Gildokson . O Piloto e Danilo o ano todo cravando o aumento ABSOLUTO do Sérvio perante os torcedores no Instagram . Falavam em milhões . Tudo graças ao carisma e conquistas do Sérvio. O Craque Suíço precisou de pouco tempo em quadra pra vencer de goleada pela milésima vez kkkkkkkkkk. Abs !

  8. Marcelo+Costa

    Framboesa de Ouro, é o nome do prêmio onde se elege os piores do cinema, vendo os comentários deste post, um poço de intolerância, agressões, invocação da quinta série tipo ” te pego la fora”, acho que iria faltar framboesas para premiar tanta sandice, esse ainda é um blog de tênis, onde podemos falar de tudo até de F1, onde Reginaldo Leme nada sabe diante tanta sapiencia. Então eu não creio mais que os fake irão parar de criar suas contas falsas, os que se movem por tanta certeza e nenhuma dúvida irão aceitar o contraditório, e as paixões ufanistas por tenistas que fazem a busca pelo GOAT, fazer virarmos cabras cegas.
    Mas como destinamos um oscar para o filme que retrata a luta de uma família, entrego um prêmio a todas nossas famílias que são nosso amparo na figura da família de querido Periferia, meu vizinho de ZL, que tenha uma sucesso nesse passageiro susto.
    Dalcim você acredita em Karma? se não crê, deveria. 😉

    1. lEvI sIlvA

      Ronildo, meu caro….
      Se te contar, não vai acreditar…ou vai, sei lá…rsrsrs
      Acabei de conseguir o DVD desse filme aí!!!
      Abraço e cuide-se por aí, ok?

    1. Adriano

      Ser derrotado é uma coisa, ser ASSALTADO é bem diferente, o que aconteceu domingo foi a maior vergonha da história da F1, no lugar do Hamilton eu também não teria ânimo de competir mais um ano, chegar na última prova e correr o risco de roubarem pro outro.

      1. Luiz Fernando

        Cada vez q eu vejo a cena do Verstappen ultrapassando por dentro na primeira volta, Hamilton indo pela area de escape e saindo muito na frente sem punição, eu constato q no esporte a motor as regras são cumpridas apenas quando convém a FIA, se houve algum tipo de “assalto” foi contra a RBR e contra o holandês…

        1. Sérgio Ribeiro

          Então compre um Óculos na próxima , desinformadissimo , L. F . MAD MAX freiou muito além do que devia pela milésima vez na temporada . Procurou um contato que lhe daria o Título . Hamilton saiu pra área de escape pra desespero do DICK Júnior rsrs. De forma unânime a comissão mandou um “ sem averiguação “ . Na boa , teu problema não é o fanatismo pela Ferrari e DICK , digo , Schumi, já entrou pra variar pro tudo menos LEWIS HAMILTON kkkkkkkkkkkkkkkkk. Abs!

          1. Sérgio Ribeiro

            Ps . Reveja no YouTube Max Wilson se corrigindo . “ Hamilton não tinha como fazer a curva “ . Na última volta DICK Júnior mostrou como se ultrapassa freando na hora certa . Abs!

  9. Periferia

    Gostaria de abraçar cada um…
    Agradecer ao Dalcim por permitir…

    Muitas vezes escrevemos algo não apenas para dividir…mas para pedir…
    E prontamente fui atendido…
    Agradeço a manifestação de cada um… é algo que muito generoso.

    Obrigado

    1. lEvI sIlvA

      Peri, meu caro, essa aqui vai pra você nesse momento delicado…

      “Bate, bate, bate coração
      Dentro desse velho peito
      Você já está acostumado
      A ser maltratado, a não ter direitos

      Bate, bate, bate coração
      Não ligue, deixe quem quiser falar
      Porque o que se leva dessa vida, coração
      É o amor que a gente tem pra dar

      Porque o que se leva dessa vida, coração
      É o amor que a gente tem pra dar

      Oi, tum, tum, bate coração
      Oi, tum, coração pode bater
      Oi, tum, tum, tum, bate coração
      Que eu morro de amor com muito prazer

      Oi, tum, tum, bate coração
      Oi, tum, coração pode bater
      Oi, tum, tum, tum, bate coração
      Que eu morro de amor com muito prazer

      As águas só desaguam para o mar
      Meus olhos vivem cheios d’água
      Chorando, molhando meu rosto
      De tanto desgosto me causando mágoas

      Mas meu coração só tem amor
      Amor de vera mesmo, pra valer
      Por isso a gente pena sofre e chora coração
      E morre todo dia sem saber

      Por isso a gente pena sofre e chora coração
      E morre todo dia sem saber

      Oi, tum, tum, bate coração
      Oi, tum, coração pode bater
      Oi, tum, tum, tum, bate coração
      Que eu morro de amor com muito prazer

      Oi, tum, tum, bate coração
      Oi, tum, coração pode bater
      Oi, tum, tum, tum, bate coração
      Que eu morro de amor com muito prazer”

      por Elba Ramalho

      Muita felicidade e saúde a você e todos que estima por aí, ok?
      Grande abraço!

    2. Rogerio+R+Silva

      Peri
      Não sei seu nome e o da sua esposa.
      Mas já coloquei o caso de vcs nas minhas orações.
      Deus abençoe sua causa e dê a vocês a possibilidade de ser mais um exemplo de vitória.
      Eu tenho fé!!
      Forte abraço.

    1. Paulo Almeida

      Isso vale menos do que Taça Maria Quitéria. 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

      A carência de títulos das viúvas se supera a cada dia.

    2. Alessandro+Siqueira

      Pois é. Enquanto o suíço comemora títulos extra quadra, resta a nós, torcedores do sérvio, comemorar 7 anos finalizados como #1, 350 semanas na liderança, 37 Masters 1000 e coisas que tais, vide o último apontamento da ITF. Ah, e não tem mais aquela de 20 > 12, porque o 12 já virou 20 e com viés de alta.

  10. Luiz Fernando

    Apesar de Evans ser um “engenheiro de pontos” kkk, conforme comentário descabido na ESPN, Murray é bem melhor; além de ser bem melhor, seu BH não é com slice, outra diferença marcante entre entre os britânicos. Claramente me parece favorito contra Rafa amanhã, mas vamos acompanhar…

  11. Periferia

    Coração

    Recentemente descobri algo surpreendente….o coração que me abrigou nos últimos 25 anos estava devagar.
    Em uma consulta de rotina apareceu uma bradicardia…o coração estava lento…chegava a parar durante 4 segundos…depois voltava lentamente.
    O cardiologista disse que era necessário uma “ajuda” para aquele coração seguir em frente.
    Era necessário um marca-passo para dar impulsos elétricos ao generoso coração.
    A dona do coração ficou desconfiada…
    Eu com ciúmes…afinal sempre pensei que fosse o responsável pela “eletricidade” do casal…
    Agora terei concorrência…
    Passamos por tantas coisas durante os 25 de casados…tantas histórias (alegres e tristes)…mas sempre juntos (e misturados)…
    De certa forma uma nova etapa se inicia…quase como um recado sobre a finitude…ou pior…sobre a finitude de quem amamos…
    Espero que aquele coração volte para o ritmo normal…afinal…eu estou dentro dele…e ele não pode parar…

    1. Jose Yoh

      Minha fraca compreensao de texto diz que sua esposa está com problemas cardíacos, correto?
      Torço pela recuperaçao e tenha bons momentos com ela, Periferia.

      O tempo é curto somente se nao aproveitamos o que nos resta.
      Grande abraço

    2. Filipe Fernandes

      “Aparecemos e desaparecemos… somos tão importantes para algumas pessoas, mas estamos apenas de passagem…”, diz uma personagem no filme “Antes da Meia-Noite” (2013), meu caro Peri, ao recordar a vida longeva que teve o privilégio de passar ao lado do amado que se fora. Ao ler aqui seu terno relato, me lembrei da fala dela, apontando o caráter finito da nossa existência, a cumplicidade crescente na convivência, as marcas de expressão cada vez mais visíveis (e inesquecíveis) no rosto, o pequeno e íntimo manual de trejeitos que são percebidos na inestimável companhia.

      Que o coração da sua amada possa seguir firme, meu caro, para que no bildungsroman de suas vidas mais e mais páginas de profundo amor venham a ser escritas.

      (https://youtu.be/Fy5pvE1rMR0)

      Um grande abraço, Peri, e saúde e alegrias neste fim de ano.

    3. Miguel+BsB

      Caro Perifa.
      Minha sogra tem um marca passo há 20 anos. Vive muito bem, sem maiores problemas. Vai dar tudo certo pra vcs! Viva a ciência e a medicina que conseguiram desenvolver um artifício desses pra quando nosso coração começa a ficar “preguiçoso”…
      Abs!

    4. Barocos

      Periferia,

      Boa sorte ao casal, nada há de melhor na vida do que seguir por seus caminhos na companhia de alguém que amamos e respeitamos.

      Se me permite, e desculpe-me por isto, vou utilizar a sua bela introdução para deixar, creio que mais uma vez, uma apologia à ciência.

      É notório que alguns dos frequentadores deste espaço apresentam uma noção incorreta do que seja ciência e de como ela evolui, talvez porque muitas das definições que nos são dadas, e facilmente encontradas em dicionários e artigos, costumam omitir aquilo que, em minha opinião, é o seu aspecto mais importante: sua capacidade de se transformar sempre que novos fatos são desvelados, algumas vezes até dramaticamente, como ocorreu no começo do século passado. Então, ciência não é só a sistematização do conhecimento humano produzido, acumulado e transmitido em sociedade, e que liga gerações separadas pelo tempo, pautada em métodos e teorias, é também um convite a ser humilde, observar e aprender. Sua principal qualidade está em sua capacidade de se depurar, sempre que novos fatos contradigam o que se imaginava correto, quando nos força a reexaminar nossas convicções sobre o que pensávamos saber. Quanto mais evidências nós acumulamos que certos fenômenos respeitam nossas previsões, mais confiantes nos tornamos acerca das bases de nossas teorias, quando o contrário ocorre, já faz parte da ciência a tarefa de criticar os fundamentos do nosso conhecimento e promover as correções necessárias.

      Isto é ímpar em relação às outras formas de cultura transmitidas: nenhum grande cientista tem a palavra final, nenhuma teoria está imune às críticas e, por esta razão, os vários ramos da ciência seguem se aprimorando, evoluindo e se tornando cada vez mais úteis às sociedades.

      Os mesmos que não entendem suas bases ou sua dinâmica se julgam capazes de criticá-la sempre que lhes é conveniente ou quando se sentem incomodados com as consequências de suas conclusões. Invocam a liberdade de expressão para propagar a sua ignorância, como se disseminar inverdades por desconhecimento, preguiça ou mesmo estupidez, fosse algo razoável, mesmo quando impõe risco à vida alheia. Não é e nunca foi.

      Todos nós, nesta época em que vivemos, somos beneficiados com resultados que só puderam ser logrados com a sua ajuda: Internet, tratamento de água, medicamentos, tomografia, ressonância magnética, veículos de transporte, celulares, computadores e um sem-número de outras invenções. Nunca se viveu tanto, nunca foi mais fácil se comunicar ou se locomover.

      Mas qual, entre todos os benefícios que ela possibilitou, é o resultado mais expressivo derivado da ciência? Minha resposta não poderia ser outra que não “fazer com que nossos amores durem mais tempo e facilitar nossa comunicação com eles quando nós estamos distantes”.

      Um virtual e grande fraterno abraço em toda sua maravilhosa família.

      Saúde e paz.

    5. Helena

      Periferia,

      Gostaria de deixar minhas orações e desejos de melhoras para vocês e sua esposa nesse momento. Tenho certeza de que muito em breve você nos brindará com mais uma história de vitória.

    6. Valmir da Silva Batista

      PERIFERIA, torço, de coração, para que você e sua musa amada consigam seguir levando a vida da melhor maneira possível, apesar de acometidos dessa anomalia cardíaca que recaiu sobre ela. Tal e qual dois grandes tenistas da WTA e ATP da vida, desejo que façam da devolução sua arma mais consistente, a fim de superarem o saque mortal da adversidade, o qual, mediante a você e a sua amada, se tornará inoperante, pela capacidade de superação da referida da devolução. Eu sei, são muito cansativos e desafiadores os ralis, mas ainda assim creio ser possível vocês vencerem o adversário, e, para tanto, é necessário sempre prosseguirem ogando. O que quero dizer, PERI, é que tudo vai dar certo para a sua CECI, ou melhor, tudo já está dando certo. Um abraço sincero…

  12. Luiz Fernando

    Dalcim, se tudo correr conforme o esperado, Rafa jogará contra Murray sexta. É claro q a condição real do espanhol é uma incógnita, mas qual sua expectativa?

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, vou achar que o normal é o Murray vencer, porque está em ritmo de competição e confiante. O natural é o Nadal demorar para achar o melhor ritmo. Vai ser interessante, sem dúvida.

  13. Rafa

    Reproduzo aqui trechos editados de um comentário do Sr. Valmir na pasta passada…

    “LUIZ FABRICIANO, (…) é demasiado TACANHO em relação ao que se propõe meu comentário. Não que eu (…) DA SUA PARCA OBSERVAÇÃO, porém, não precisava submeter o que escrevi a UM PARECER TÃO CAPENGA. (…) e, portanto, sinto em dizer, MAS VOCÊ SE PERDEU NA FALTA (SIC) QUALIDADE dos argumentos DESAVISADOS que possui, (…) Ora, meu caro, novamente aqui me vejo diante da PÉSSIMA QUALIDADE do seu sentido analógico (…) ”

    Quando confrontei o Sr. Valmir, que apareceu no blog mandando e desmandando no que devia ou não ser publicado, distribuindo palavras de baixo calão gratuitamente em seus “comentários”, tentando desconstruir… bom, deixa pra lá, utilizei psicologia reversa amadora de botequim, mostrando o quão desagradável é agir dessa forma, tanto é que fui repreendido pelo Dalcim. Quem me conhece um pouco sabe que não fujo de uma discussão, mas também não costumo procurá-las.

    Conforme imaginava qdo divulguei p/ TODOS meu e-mail antes que o Dalcim o fizesse para o Sr. Valmir, obviamente não obtive nenhuma comunicação. Toda a valentia e deselegância do Sr. Valmir ficam restritas a este protegido microcosmo do blog. Retiro tudo que disse sobre o Sr. Valmir, pelas razões acima, MENOS a parte em que digo que ele não sabe viver em sociedade.

    Dirigir uma réplica desse teor a alguém como o Luiz Fabriciano é, no mínimo, lamentável. Lamentável não pq o Fabriciano torça p/ p mesmo jogador que eu ou qualquer tolice parecida, mas pq ele não MERECE, é um cara super bacana. E mesmo q merecesse, caso o blog fosse meu, não teria sido publicada, pelo menos não dessa forma, em sua versão “raw cut”, sem passar pelo crivo da moderação. Se passou e ainda assim foi publicada “unedited”, PIOR ainda.

    Concluindo, Fabriciano não precisa da minha defesa, e não faz mais sentido confrontar o “valente” Sr. Valmir. Como não entendo nada sobre nada, nem mesmo sobre o assunto que é a razão de existir do blog, outra coisa que não faz sentido é eu continuar a postar aqui. Teria dito isso ao Sr. Valmir sem voltar a emporcalhar este espaço, via e-mail, pessoalmente ou por qualquer outro meio, mas ele não se manifestou. Por isso, perdão novamente.

    Grande abraço àqueles que já sabem como me sinto em relação a eles.

    1. Luiz Fernando

      Rafael mantenha sua postura intocada, exponha sua visão dos fatos como vc julgar q deve e, quando for o caso, intervenha “defendendo” outros quando vc achar necessário.
      Vou te contar uma passagem q me marcou nos diferentes blogs. Em 2007 eu participava do blog do Teo José, de F1. Lá tinha um personagem, ferrarista como eu, o Don Corleone, que não perdoava um comentário que ele julgasse inadequado, por mais bobo q fosse, e refutava, refutava e refutava. Como eu tinha boa interação c ele, um dia achei q ele respondeu uma indagação tão infantil, que sugeri a ele mais moderação, q determinados comentários seriam tão descabidos q eles próprios se autolimitariam A resposta dele me marcou: se Hitler fosse devidamente confrontado desde o início o nazismo não seria o q foi.
      Aqui vc deve ter observado q as pessoas recorrem a números quando é conveniente, quando não é recorrem a amostragens viciadas e quando isso não cola vão p os critérios subjetivos; vejo isso desde 2008, salvo engano.
      Em resumo, determinadas situações q aparentemente são insignificantes, em realidade não o são, precisamos ficar atentos e intervir quando julgarmos necessário…

      1. Sérgio Ribeiro

        Participastes então de Blog de Fórmula 1 ? . E usas aqueles argumentos viciados de Fórmula Mercedes ? Sei … No dia de hoje a FIA resolveu investigar o porque de tantas trapalhadas do “ diretor de prova “ . O cara simplesmente rasgou o regulamento em prol da “ audiência “ . Hamilton foi aconselhado a não abrir a boca de jeito algum . Se mandou pra casa e aproveitou pra ser condecorado pela Rainha ( Príncipe Charles a substituiu ) . Abs !

        1. Sérgio Ribeiro

          Ps. Na boa , procure se informar porque Hamilton foi obrigado a largar em último no sprint GP São Paulo . Teria sido pela tal irregularidade na asa ? . E depois chegando em quinto, qual nova punição o fez largar em DÉCIMO ? . Teria sido por peças trocadas que turbinaram o motor ??? rsrs. Abs!

          1. Luiz Fernando

            Vc agora fundou um terceiro grupo de viúvas, as viúvas da Mercedes kkk. Calma, fique tranquilo, o motor alemão ainda é disparado o melhor e ajudará muito Hamilton a vencer em 2022, pois qualidades não faltam a ambos, e com a ajuda da FIA tudo ficará mais fácil. Apenas achei estranho q de uma hora p outra o motor passasse a render tanto, mas isso é comum não é? De uma semana p outra quem está atrás na F1 reverte totalmente a desvantagem, ou melhor, abre uma clara vantagem, a cada 3 provas se vê isso acontecer kkk. Aqui é diversão garantida kkk…

          2. Manu

            Tô preocupado com a tua alimentação, LF. Todos os dias almoçando e jantando o Sérgio Ribeiro… rsrs!!
            Teus comentários são muito bons, as respostas com humor, ironia, sarcasmo e inteligência na medida.

          3. Sérgio Ribeiro

            Jura , Manu ? . Quer dizer que o glorioso L. F . e suas respostas “ jeniais “ , almoça e janta aqui no Blog ??? . Assim acabo ficando com ciúmes. Digo que não és primeira ( o ) a botar lenha e depois deixar o guri na mão . Nossa conhecida Gabi fez igual e desapereceu do nada Kkkkkkkk. Abs!

        2. Luiz Fernando

          Algum problema de participar do blog do Teo José? Talvez precisasse da sua autorização, me perdoe pelo descuido de não pedir kkk. De fato na segunda curva da corrida o diretor mostrou sua isenção, ao não punir Hamilton por cortar escandalosamente a pista, levando uma vantagem absurda. Chora na cama q é quente, um leitinho c chocolate ajuda a dormir kkk…

        3. Paulo Sérgio

          Sérgio,

          Parece-me, pelo seu comentário, que entende do regulamento da F1. Afinal, Hamilton foi prejudicado ou não?
          Estou sem saber opinar sobre o assunto. Tava torcendo pelo inglês.

          1. Sérgio Ribeiro

            Com o devido respeito a excelente estratégia da RED BULL Racing , o regulamento e’ claro . Ou passam TODOS os retardatários, ou não passa ninguém. Aguarde um pouquinho que vai haver um pronunciamento definitivo da FIA que vai por fim ao embrolio. Sir Lewis Hamilton já renovou seu contrato por mais dois anos . A conferir . ABS !

    2. Maurício+Luís+*

      Rafa, espero que reconsidere e continue por aqui. A internet é assim mesmo, deu voz a pessoas que antes só se manifestavam no seu círculo de relacionamento, e agora as polêmicas são inevitáveis. Você faz falta. Abr.

    3. Valmir da Silva Batista

      RAFA que se acha ombudsman deste blog, apesar de não merecer que eu me reporte a tão impoluta figura, devo salientar que você não terá o que merece desta feita, porque a sanha ditatorial que rege este espaço tratou de confiscar meu comentário, que era uma resposta a este seu. Só quero alertá-lo sobre uma coisa, nossos pares do referido blog não são burros, como sugere a sua postura falso moralista, eles têm competência para avaliar o que aqui se escreve, não precisa você tomar-lhes o lugar, se supondo o paladino da auto-referência, ok? Quanto a você, DALCIM, e quem mais esteja envolvido na administração do seu blog, peço a gentileza de não cercear mais meus comentários…

      1. José Nilton Dalcim

        Eu já avisei que o diálogo entre vocês ACABOU, deu para entender? O Rafa já passou o email pessoal dele, então se você quer dialogar com ele faça-o no canal apropriado.

        1. Valmir da Silva Batista

          DALCIM, eu já havia entendido e até agradecido por sua “ponderação” a respeito da contenda entre mim e esse sujeito, lembra? Apesar de posar de baluarte das situações anti-desagregadoras, quem parece não ter entendido foi ele, tanto é que resolveu endereçar sua inútil verborragia contra mim novamente, ao se apropriar de uma divergência entre mim e o Fabriciano, ou seja, o que fiz foi apenas responder à sua esparrela falso moralista, pois seria muito cômodo e anti-democrático se eu não o fizesse e, obviamente, DALCIM, o seu blog se pauta pelo fator diretos semelhantes de manifestação, creio eu. Não almejo favorecimento porra nenhuma neste espaço, porém, se você, DALCIM, agir com um mínimo de discernimento, advertirá, pela segunda vez, esse sujeito e não a mim, já que o que houve foi uma provocação dele à minha pessoa. Eu já tinha entendido muito bem o seu pedido para que atenuássemos nossa divergências outro dia, mas ele, como um adolescente tolo e cheio de espinhas temporãs, por conta da precipitação do seu último comentário, declinou da sua proposta. Me desculpe qualquer coisa, mas devo salientar que nem você faria vistas grossas a um comportamento tão escroto e furtivo a outrem como o desse sujeito…

          1. José Nilton Dalcim

            Incrível como você não consegue argumentar sem colocar uma série de adjetivos pejorativos. Será que isso é sempre necessário para tentar ganhar uma discussão? Sua resposta enfim está dada e o assunto encerrado. Ficam os dois alertados que nenhuma outra postagem de um para o outro, direta ou indiretamente, será publicada daqui em diante. Respeitem os demais participantes.

    4. Barocos

      Rafael,

      Lembre-se sempre das palavras de Martin Niemöller. Calar-se não torna mais visíveis os problemas que temos e tampouco resolve injustiças.

      Vida longa e próspera.

    5. Luiz+Fabriciano

      Meu caro, minha admiração por você só sobe.
      Sabemos que já enfrentastes desafios bem maiores, então, o que são meros e simples teclados diante deles?
      Grande abraço.

  14. Periferia

    Com o olhar atual podemos direcionar para qualquer época…para criticar comportamentos…principalmente o relativismo sobre o racismo.
    Desconfie de alguém que inicia uma reflexão com a frase ” Sou descendente de negros…mas…” (Frase batida)…
    Ou buscar entre 43 presidentes americanos aquele que foi “péssimo”…coincidentemente um negro…culpado pela “mentalidade divisionista racista” ( um simpósio para decifrar algo tão complexo).
    Existe também a necessidade colocar vários “atores” para oferecer musculatura argumentativa.
    Se joga dentro do caldeirão…maçonaria…protestantismo…a ancestralidade (sabe-se lá qual)….os democratas…judeus…africanos escravocratas…europeus…o terrorismo árabe…bilionários…e até mesmo ganhadores do Nobel…(uma pitada de sal…pimenta do reino a gosto… pronto…temos um argumento …).

    Está faltando sinceridade…. é mais simples (sempre é)….dizer que não gostam de negros.

    (E quando alguém concorda com argumentos assim…no fundo…perto de onde tem petróleo…vc tem dificuldades para compreender as mudanças)

    1. Samuel

      Periferia, você poderia ser homem, mulher ou travesti o suficiente para nomear a pessoa inteligente (no caso, eu) contra quem você ficou irritado. Não responderei item por item a esse seu texto, pois ficou algo sem nexo e quase ininteligível. Amplexos.

      1. Paolo Venturim

        Samuel, a esquerda não tem princípios nem ética. A vida é dura para a maioria das pessoas, e isso não tem nada a ver com a cor da pele.

        Quando um vagabundo traficante é morto pela polícia, gera revolta na população vitimista e até em artistas… mas agora quando o confronto é entre “pretos” a vida deles não tem valor para esses hipócritas esquerdistas. Em outras palavras: nas favelas e nos bairros da periferia, quem mais mata o preto, é preto, e não a policia!

        E outra: desde quando consciência tem cor? ninguém precisa de vidas brancas importam. As palhaçada da galera vitimista já é mais do que suficiente. O egoísmo racial dos pretos doutrinados precisa ser combatido, mas não nesse lugar.

        Você que leu esse comentário hoje, e acha que tem a proteção da esquerda, talvez amanhã seja vítima dela. Os homossexuais que o digam para Che Guevara.

        PS: no continente europeu estão tirando o maior sarro do piloto bilionário da formula 1. Quello che giusto è giusto, grandissimo Max Verstappe!! 🏆

        Abs!

        1. Samuel

          Paolo Venturim, eu sei muito bem que a defesa de todo ser humano inocente é louvável e necessária e que os militantes ideológicos não têm a mínima noção desse princípio ético autoevidente.

          Sei igualmente que eles querem impor seus caprichos, sempre baseados em ódio e ressentimento, como se fossem tais veleidades fossem a virtude.

          Mas também o Dalcim pisou na jaca quando afirmou que o Richard Williams teria qualquer coisa a ver com valores familiares, ainda que no cinema. rsrs

          O “melhor” de tudo foi ver alguns militantes ideológicos darem a entender que um único negro, mulato ou moreno será gostado só porque a militância constrangeu terceiros a isso. Vai nessa, vai…!

  15. Heitor

    Isabela Boscov sobre o filme:

    Ator captura a certeza inabalável, a energia e os métodos drásticos do personagem — que fez delas campeãs com sua visão irreplicável

    Aos investidores que tenta atrair e aos técnicos para os quais acena com glórias futuras, Richard Williams (Will Smith) nunca deixa de afirmar que os planos para as filhas Venus (Saniyya Sidney) e Serena (Demi Singleton) estão traçados desde a concepção, e por isso ele as preparou de modo incansável e implacável. Soa como exagero, mas consta que Williams decidiu ampliar a prole ao ver uma tenista receber um cheque de 40 000 dólares em um torneio e imaginar que aí estava o caminho da família. De fato, estava. Venus foi a número 1 do mundo em simples e em duplas, e Serena, que soma 23 Grand Slams, é tida como a maior atleta da história do esporte. É no pai dessas potências, porém, que está o foco de King Richard: Criando Campeãs (King Richard, Estados Unidos, 2021), em cartaz nos cinemas.

    Em uma das suas melhores interpretações dos últimos anos, Will Smith captura em Williams a certeza inabalável no talento das filhas, a energia meio maníaca, o gosto por slogans positivos e as estratégias para inserir duas meninas negras em um esporte branquíssimo. Williams era mestre em fazer com que técnicos célebres baixassem a guarda para então se descobrirem diante de um homem ardiloso, ambicioso e tão determinado que, ao contrário do que mostra o filme, não era por falta de opção que a família morava no gueto de Compton, em Los Angeles, mas porque ele achava que o ambiente barra-pesada fortaleceria as meninas. E, se a exigência com o desempenho escolar e o treino nas quadras arruinadas do bairro parece extremada, avise-se que o filme o suaviza; Williams só não foi processado pelos serviços sociais porque suas filhas e a mulher, Oracene (a ótima Aunjanue Ellis), sempre disseram estar de pleno acordo com seus métodos. King Richard não resolve o mistério de onde ele teria tirado sua visão. Por isso mesmo, claro, ela é tão fascinante — além de irreplicável.

  16. Kombiwagen

    Este blá-blá-blá de nós contra eles já cansou. Sou descendente de negro, mas:
    – “The persuit of happiness” deveria se chamar: “Atrás da grana”. Não tem nada de happiness lá. Só se estivermos falando de um happiness consumista capitalista.

    – Como foi muito bem expressado por alguém da mídia algum tempo atrás, a verdadeira causa do “nós contra eles” não é a diferença de cor, mas sim a falta de recursos. O maior exemplo disso é a falta de vagas na Unieversidade pública. Dinheiro desviado ou usado para pagar o funcionalismo das universidades (que em alguns casos passa de 80% do orçamento da mesma), e pouco se investe em infra estrutura e pesquisa, ou mesmo no crescimento proporcional do númro de vagas para atender a demanda. No momento que o verdadeiro problema “falta de vagas for resolvido”, pouca diferença fará a cota racial. Cota racial apenas desvia nossa atenção para a direção errada na solução dos problemas.

    – Escravidão de negros nos séculos passados: entre 1500 e 1850 (aprox.), europeus foram escravizados e levados para a África para serem vendidos como escravos (provavelmente como apoio de locais). A escravidão do outro está no veio da humanidade, depende para o lado que mais convém no momento. Há de ser combatida. Mas ela não foi esclusividade de “brancos escravizando negros” e a história mostra isso.
    Quer saber o que é discrimanação, visite alguns dos países africanos e verá o mesmo movimento na direção contrária.

    Esse discurso de ódio contra raça A ou B só fara aumentar o problema.

    E enquanto isso, nossas boas cabeças (e seus alter egos fakes) dispendem sua dopamina apenas comentando filmes-

    1. Gildokson

      Quer dizer então que os negros levaram os brancos para África e exploraram, estupraram, torturaram e enriqueceram usando a mão de obra deles e depois os abandonaram guetos para que fossem discriminados, segregados e humilhados pelos negros de maior poder aquisitivo e status social???

      1. Samuel

        Gildokson, se o senhor estivesse familiarizado com certos assuntos, saberia que a escravidão é um problema milenar, saberia que os muçulmanos (no Império Otomano, na África e na Ásia) foram os maiores escravagistas de que se tem registro na História (mas por motivos óbvios o senhor não levantará sua bandeira contra eles) e que os africanos e os indígenas da América não só escravizaram milhões de pessoas, mas também as sacrificavam individualmente, em grupo ou pela via do genocídio.

        1. Gildokson

          Samuel, engano seu achar que não estou familiarizado com o assunto escravidão, como afrodescendente e bisneto de escravos que sou ja li muito sobre o assunto, aliás qualquer um que ja leu ou ouviu falar da bíblia sabe que escravizar outros povos faz parte da história da humanidade. O que eu não concordo é com algumas comparações feitas nos seus textos, além de outras coisas, mas para não esticar mais ainda esse assunto desagradável eu paro por aqui.
          Abs.

    2. Valmir da Silva Batista

      VOLKSWAGEN, há que ter cuidado com o que você chama de “blá blá blá de nós contra eles”, generalizando e até diluindo a questão da negritude. Se muitas pessoas dizem o que dizem é a título de desagravo, ao sentirem na pele a incidência do sentido de exclusão. Devo lembrá-lo, ainda, que se não fosse o fator racismo, não haveria o que você denomina de “blá blá blá” e também os providenciais discursos e ações de desagravo contra o referido preconceito, ou seja, tudo o que envolve este câncer racial é o brado da reação proveniente da ação, porque o racismo é uma realidade, meu caro. Não adianta agora você fazer beicinho estilo branquitude pseudo bem resolvida e querer ser mais realista que o rei, pois onde quer que você for, irá se deparar com a efervescência do debate e dos protestos anti-racistas, mesmo num espaço específico como este, cuja razão de ser é o esporte tênis, o que só mostra quão democrático é o blog em questão, em que cabe até pareceres de teor nebuloso como o seu. Para encerrar, não sei qual a sua etnia, mas o discurso infame, no mínimo não se assemelha ao de um negro com discernimento e nem ao de nenhuma outra pessoa com perfil étnico diferente, mas provida de consciência anti-racista…

      1. Valmir da Silva Batista

        JOSE, inclusive, até onde sei, falta acento na grafia do seu nome, a menos que tenha havido displicência por parte do agente do cartório e, oficialmente, você se chama JOSE sem acento mesmo…

        1. Jose Yoh

          Valmir, meu teclado nao é nacional em um dos computadores que eu uso, entao tenho preguiça de corrigir a grafia de todas as palavras.
          Nao acho que seja um problema grave.

          Grave é nao conseguir argumentar de forma coerente, ou nao entender o que os outros escrevem. Nao digo que eu consigo rs.
          Na verdade também nao arrumo minha cama.

          Nao dirigi o comentário à sua pessoa. É algo que vejo há anos aqui no blog e resolvi ser um pouco sarcástico.
          Abraços

  17. Sérgio Ribeiro

    Quem diria que teríamos King Richard , e Simone Biles como uma das personalidades do ano da People, pra fechar um período tão conturbado como o que estamos a viver . Gostei demais do filme que não se prendeu a carreira da Rainha , e sim a saga da família Willians com todos os percalços até o estrelato. Pra quem gosta do Esporte as sequências das meninas em quadra são excelentes , prendendo atenção até mesmo de leigos tipo minha namorada que achou o máximo rsrs. Depois de anos vendo o preconceito imperar nos fórum de debates ( alguns afirmando que adoram Tênis mas não conhecem “ Serenão” ) , um baita presente de fazer Arthur Ashe sorrir onde quer que esteja . Abs!

    1. Sérgio Ribeiro

      Ps . A comparação dos Norte-Americanos de Stephen Curry com Roger Federer é simplesmente sensacional rs . Abs!

      1. Paulo Sérgio

        São duas lendas do esporte, mas ambos estão atrás do verdadeiro goat do Basquete e do Tênis: ou seja, Michael Jordan e Novak Djokovic, respectivamente.

        1. Sérgio Ribeiro

          Sem essa de “ goat “ , parceiro. O “ bonequinho assassino “ ( Romulo Mendonça rs ) , é aplaudido até pela torcida adversária o tempo todo . Assista hoje a quebra do Recorde de cestas de 3 pontos da história em Nova York. Todo mundo paga pra ver a arte do Craque , bem ao contrário do teu “ goat “ paraguaio kkkkkkkkk. Abs!

          1. Paulo Sérgio

            Goat pelos números. Sou fã do Curry. Apenas disse que ele está abaixo do Jordan e Federer do Djoko, segundo as estatísticas.

  18. Thiago+Silva

    As vezes o blog parece aquela cena da barbearia do filme Um Príncipe em Nova York, um monte de gente conversando, mas todo mundo é o Eddy Murphy.

    1. Jose Yoh

      kkkk ao menos ele assumiu que era ele mesmo em todos aqueles personagens. Aqui negam veementemente.
      Mas olhando com uma lupa de brinquedo dá para perceber.
      Abs

      1. lEvI sIlvA

        Yoh, aqui é assim desde sempre…
        Desde que comecei a seguir em 2011 sempre aparecia um ou outro “personagem” novo.
        Claro, tem alguns que é impossível não associar, apesar de negar e jura de pés juntos, como se diz por aí…!
        Abraço!

    2. lEvI sIlvA

      Olá, Thiago, tudo bem?
      Parece, não é mesmo? rsrsrs Mas ali, de fato, eram “duas pessoas”.
      Uma, sem dúvida o Eddie Murphy o outro, mais magro era o Arsenio Hall
      Abraço!

  19. Samuel

    Querem aparentemente com esse filme dar a entender que trata-se de uma família de “perseguidos em razão da ‘raça’ que venceram na vida”. Ora essa! Há muitas décadas os negros dos EUA contam com cotas raciais para tudo e, na verdade, nem mais precisam delas. E há mais de um século atletas e artistas negros norte-americanos brilham como luz no mundo todo. Inclusive já fizeram chacota com Hitler na Olimpíada de Berlim em 1936, elegeram e reelegeram um (péssimo) Presidente e dominam os bilionários basquete e boxe. Mas não… Temos que ver agora esse choramingo racista também no tênis…

    1. Gildokson

      Fiquei sabendo agora que Obama foi um péssimo presidente kkkkkkkkkkkk
      Teu comentário pareceu com um tom meio incomodado pelo sucesso negro em algumas áreas, porém sinto em te informar que dos mais de 400 anos de exploração e crueldade sofridas pela raça, essas cotas e o sucesso financeiro no esporte ainda não compensam nem 100.

      1. Samuel

        O governo Obama gerou uma mentalidade divisionista e racista nos EUA, jogando grupos contra grupos. Além disso, financiou a destruição de diversos países árabes, o que promoveu uma imigração desenfreada para a Europa, que ficou cheia de teггοristas.

        Ninguém pode negar o racismo que os negros (não os pardos) sofreram nos Estados Unidos, que muito se deve à maçonaria, aos democratas e a algumas linhas protestantes. Mas meus ancestrais foram perseguidos na Europa. Nem por isso eu peço “reparação histórica”. Ademais, o judeus foram perseguidos, mortos e escravizados durante milênios por africanos, asiáticos e europeus (inclusive na II Guerra). Nem por isso eles ficam clamando por cotas ou por indenização por sofrimento dos antepassados. Eles simplesmente ganham os prêmios Nobel e controlam inúmeras empresas bilionárias mundo afora.

        1. Miguel BsB

          Não, os judeus não ficaram clamando por cotas e indenizações não. Eles simplesmente ganharam como “cota” um território previamente ocupado por outro povo, território este que eles praticamente já não habitavam há 2 milênios. E hoje, a base da força, continuam expandindo sua “cota” e expulsando e oprimindo o povo que lá habitava. E digo isso sem nenhum tipo de preconceito ou antissemitismo, apenas baseado nos fatos históricos.
          Se seus ancestrais foram perseguidos na Europa, é lá que eles devem buscar possíveis “reparações” ou “indenizações”. Aqui nas Américas, foi o povo africano, em maior parte, e os povos originários nativo americanos que foram escravizados, torturados, destituídos de suas terras, mortos e explorados, por séculos. Vale lembrar que a escravidão foi abolida no Brasil somente em 1888, ou seja, há 134 anos. Isso é praticamente ontem em termos históricos, ainda mais levando em conta a duração da escravidão (quase 400 anos). A escravidão foi a maior chaga da nossa história e sua herança é responsável por grande parte dos males que assolam nossa sociedade (e também a dos EUA) nos dias de hoje. Qualquer paliativo para atenuar esse fardo não é só bem vinda, como necessária.
          Obama não gerou “mentalidade divisionista” coisa nenhuma. Isso é conversa fiada da extrema direita americana, propagada aqui pela extrema direita tupiniquim.
          A única coisa que você escreveu aí que realmente se verifica são as guerras iniciadas e financiadas pelo governo Obama no Oriente Médio, que causou e ainda causa emigração em massa destes países e ajudou a fundar e consolidar grupos terroristas, os quais eles dizem combater. Mas nada que Bush Jr. , Republicano, não tivesse feito anteriormente.

          1. Gustavo

            Pego carona no que o Gildokson respondeu acima e te digo: discordo de tudo o que vc falou sobre os judeus. Tudo. “Mas para não esticar mais ainda esse assunto desagradável eu paro por aqui”.
            Os “fatos” sobre os quais vc fundamenta tua opinião sobre os judeus e o Estado de Israel não são bem assim não.

          2. Gildokson

            Miguel, não tenho mais palavras pra te elogiar então vou te chamar de Roger Federer!!!
            Gênio!!! kkkkkkkk
            Tirando o teu time de coração, você é o cara kkkk

          3. Heitor

            Ué defender os palestinos cuja religião oprime e suprime direitos básicos enquanto Israel dá plena liberdade para as pessoas serem o que quiserem é incompreensível…

            Aliás, enquanto Israel promove a igualdade de gênero, a liberdade de orientação sexual e a liberdade religiosa, contando inclusive com diversos cidadãos árabes em seu exército, em partidos políticos e no Poder Judiciário, a religião muçulmana atira contra homossexuais do alto de telhados e persegue as mulheres que não observam seu rigoroso código de conduta. Mas, no fim do dia, é o Estado Israelense que promove o Apartheid.

          4. Heitor

            “…território previamente ocupado por outro povo, território este que eles praticamente já não habitavam há 2 milênios. E hoje, a base da força, continuam expandindo sua “cota” e expulsando e oprimindo o povo que lá habitava…”:

            Por que os “palestinos” nunca buscaram criar um estado nesses famosos “territórios” enquanto estavam sob o domínio árabe?
            O Egito rejeita a ideia de um estado “palestino”, a Síria também, o Líbano também, e não falemos da Jordânia, que ocupa 80% do teu território palestino.
            Cadê a indignação sobre 1914 quando este território foi ocupado pelos otomanos? E até 1948 quando foi ocupado pelos britânicos?
            E quanto a Síria, Iêmen e Sudão?

            Israel já ofereceu por mais de dez vezes a criação de um Estado Palestino (em camp David oferecendo inclusive 100% do que vc diz ser as terras que sempre foram dos palestinos) contudo, em todas as oportunidades a liderança palestina disse NÃO. Quer a guerra e a destruição do Estado de Israel. inclusive se recusando de se sentar à mesa de negociações nas últimas oportunidades

            Explique-nos por que, enquanto um árabe pode andar por Tel Aviv, quando um judeu se perde em Ramallah, ele é linchado?

            O Hamas governa a faixa de Gaza desde 2007, e, ao longo desses anos, direcionou todos os recursos que recebeu de doações internacionais à construção de túneis e à compra de armamentos, se recusando a garantir os direitos mais básicos, como saúde e educação, aos seus cidadãos. No entanto, É Israel que faz de Gaza um campo de refugiados.

            Eu repudio qualquer tentativa de desvirtuar os fatos.

        2. Barocos

          Samuel,

          Não sei de onde você reuniu algumas de suas convicções, mas posso lhe assegurar, tendo morado lá, que a separação é bem mais antiga do que o Obama e permanece sob uma forma ou outra, como fica claro para qualquer um que se aventure pelos livros de história ou se disponha a, e consiga, conversar com americanos de diferentes etnias com mais profundidade, coisa que logrei fazer. Ou você acha mesmo que o movimento pelos direitos civis da década de 60 foi fruto de uma reação exagerada às leis e costumes de então?

          Quanto ao envolvimento dos EUA na Líbia e na Síria, o Obama foi pressionado por seus assessores mais próximos e por líderes europeus, contra a sua vontade, a agir, fato documentado. Já a intervenção no Iraque ocorreu devido à crença estúpida de seu antecessor e asseclas, tão comum aos líderes americanos, de que seja possível mudar uma sociedade para melhor pela força. Como demonstra a história, não é, e os exemplos são múltiplos. Então, não tem como impingir ao Obama a parcela maior da desgraça que ocorreu na região e cujos reflexos se ainda propagam e permanecerão conosco enquanto a história for resguardada.

          Se me perguntarem o porquê de imputarem esta imagem que você parece possuir sobre o Obama, a minha impressão é que esta deriva do preconceito e despeito por ver um homem negro com a cultura, a inteligência e a consciência apurada que o mesmo possui no mais alto cargo de lá. Inveja também.

          Sendo sincero, sou partidário da interpretação de que existem etnias diferentes, mas que raça é uma só em nossa espécia, a humana. Também rezo pela cartilha de que todas as divisões que vários grupos parecem defender acabam, por fim, criando conflitos muitas vezes desnecessários.

          Ainda que eu seja crítico a algumas medidas de compensação, haja vista que não corrigem as origens do problema e acabem por gerar situações injustas para outros grupos que sofram com as mesmas deficiências, eu entendo a necessidade de sua implementação e manutenção enquanto as suas causas não forem devidamente retificadas.

          Esta é uma discussão longa, com ângulos variados e complexa demais para este pequeno espaço.

          Saúde e paz.

    2. Paulo Sérgio

      Se você estudasse um pouco mais da História dos EUA talvez não falasse tanta bobagem em um único comentário.

          1. Sérgio Ribeiro

            Acho que se tem alguém confuso és tu . Fui claro , Donald Tramp foi um embuste comparado com Obama . Esse mane’ não contente em afirmar que tudo não passava de uma gripezinha ( copiado no ato pelo Bolsoloide) , ainda mandou invadir o Capitólio. Sobre as suas preferências tou pouco me lixando , caríssimo Heitor . Abs!

          2. Sérgio Ribeiro

            Correção : Mandou é exagero . Trump “ sugestionou “ seus corregilionarios rs . Abs ! . Barack Obama deixou o poder com 60 % de aprovação. Abs!

          3. Heitor

            Não mesmo, caro Sérgio. Quem não sabe interpretar é vc. Eu disse que o Obama foi péssimo. Não falei nada sobre o Trump.

            Os teus absurdos comentários acima são tipo isto:
            Eu falo que não gosto de maçã. E vc vem e fala que então eu devo amar morango. O que tem a ver uma coisa com a outra??
            Pô, cara, interpretação!!

    3. Jose Yoh

      Casos de sucesso há vários, Samuel. Mas isso nao quer dizer que um negro tenha as mesmas chances que um branco na vida.

      Houve um progresso visível quanto a essa questao, mas também é visível que falta muito para chegar lá.
      Abs

  20. Samuel

    Essa família nunca teve um bom nível de civilidade. A especialidade de todos foi sempre agredir gratuitamente as pessoas e fazer-se de “vítima de racismo” logo em seguida. Não bastava as irmãs ganharem os títulos que mereciam. Elas queriam também os imerecidos, caso contrário a desculpa esfarrapada era “o racismo”. Olhem que nem estou levando em conta o péssimo gosto dessas pessoas também para roupas ( escandalosas e breguíssimas). As coisas melhoraram um pouquinho quando Venus desenvolveu doença autoimune e Serena passou por embolia pulmonar. Essas lições da vida deixaram as tenistas um pouquinho humildes.

    1. Jose Yoh

      Samuel, a falta de civilidade é generalizada. No esporte de alto nível ( bem como na política ou nas empresas), é comum confundir a competitividade com a falta de educaçao.

      E alguns ainda enxergam isso como garra. Que mundo triste esse.
      Abraços

      1. Samuel

        Caro Jose Yoh, fui fã das irmãs Williams, especialmente da Venus, durante mais de uma década. Inclusive assisti a jogos da Serena no exterior. Parte de minha simpatia, confesso, devia-se ao fato de elas serem negras de verdade (não de tom de pele mestiço que no Brasil quando convém chama-se ‘negro’). Porém, fui me saturando de ser um inocente útil. Dei-me conta de que a família Williams no quesito egoísmo e baixeza superava em muito as famílias adversárias. Abraços.

    2. Valmir da Silva Batista

      SAMUEL, levar em consideração o que se veste, a título de avaliar o comportamento das pessoas, famosas ou não, eu diria que se trata de algo no mínimo pretensioso, já que o que se veste é algo muito pessoal, e se o outro é visto como alguém ridículo, por estar trajando roupas assim ou assadas, o próprio ridicularizado pode estar pensando o mesmo sobre quem o ridiculariza, porque o que se veste é algo muito pessoal, como acima afirmei O que quero dizer, SAMUEL, é que observei bem quando você disse que nem levaria em consideração o que Serena e Venus Williams vestem, ao avaliar as condutas de ambas mundo afora. A bem da verdade, essa sua afirmação acabou não passando de fake news, já que, na sequência, classificou as opções de vestuário delas de escandalosas e bregas, ou seja, o que vinha sendo até uma avaliação tecnicamente equilibrada em seu comentário, embora com racismo velado, acabou sendo comprometido por uma bobagem a respeito do que é fashion ou não, por assim dizer. A propósito, será que estamos vestidos com roupas bregas hoje?

  21. Luiz Fernando

    Num mundo preconceituoso, o que infelizmente engloba o esporte, e talvez ainda mais o tenis, a trajetória da família Williams foi algo simplesmente espetacular, quase um conto de fadas, fruto do esforço do King. Claro q houve polêmicas, algumas lamentáveis, como, salvo engano, em um torneio de IW em q as irmãs fariam a semi e uma desistiu, o q foi atribuído a uma tramoia do pai, mas em geral as duas moças venceram tudo e mais um pouco por seus inegáveis méritos, embora eu sempre tenha torcido contra. Assistirei o filme, pois além de adorar tenis e cinema vejo o Will Smith como um excelente ator.

    E por falar em excelente, aliás excelente não, em atores gigantes, tenho q discordar do Leme em relação ao Al Pacino em Perfume de Mulher, a atuação do cara como cego é simplesmente perfeita, aquele olhar fixo no infinito sem um piscar de olhos marca qualquer papel, e isso num filme q une o eterno problema dos militares americanos, conflitos sociais, problemas familiares etc etc etc, enfim, qualquer q seja o tópico, Pacino esteve soberbo, magistral (embora não tanto quanto Norrie em quadra kkk). As cenas do tango, da Ferrari e em especial do discurso no final que salva Charlie Sims são simplesmente maravilhosas, épicas, tentem imaginar outro ator fazendo aquela defesa apaixonada do rapaz e vejam a grandeza da interpretação…

  22. André

    Bom filme, principalmente para os amantes de tênis, mas família…calma lá….. acho um pouco exagerado, visto que o ‘querido King Richard’ abandonou esposa e filhos antes de ficar com a mãe das Williams.

  23. Maurício+Luís+*

    Sempre torci pras Williams, apesar de reconhecer que a Serena não tem vocação alguma pra Madre Superiora do convento de Carmelitas.
    O Igor Marcondes pode até não ser nenhum prodígio adolescente, mas depois que vi o Aslan Karatsev despontar aos 28, a esperança é a última que morre.
    ****** Aberto de Caronte *****
    Xisca:
    – Meu bem… minha mãe ligou avisando que vem passar o Natal conosco… tudo bem?
    Baloeiro:
    – Mas CLARO! Só acho uma pena não poder compartilhar com tão agradável visita. Acabei de me lembrar que to inscrito no Aberto de Caronte.
    – Caronte? Nunca ouvi falar. Onde fica?
    – Ah, é satélite de Plutão. O torneio fica do lado oculto… logo ali. Mas volto antes do carnaval, tá?

    1. Maurício+Luís+*

      O suposto dilema do Djokovic se vacinar ou não pode ser resumido numa frase de uma psicóloga que conheci. ” A vida é feita de escolhas.”

      1. Carlos Reis

        Pesquise sobre ATLETAS tendo mal súbito após a vacinação, procure por “Yuong Athletes DYING after Covid-19 vaccine”. Existe uma lista com 300 atletas que sofreram parada cardíaca e 167 que morreram desde que as vacinas p/ Cvd19 começaram a ser aplicadas. Vacinados, façam um exame de sangue chamado DÍMERO-D, é um marcador de hipercoagulabilidade, este exame detecta problemas de coagulação, que podem causar trombose, AVC ou Infarto. Mas os problemas que as “maravilhosas” PODEM CAUSAR são INÚMEROS, provavelmente é o maior CRIME contra a humanidade.

        1. Maurício Luís *

          A maior quantidade de asneiras por centímetro cúbico da América Latina. Fonte: sempre a mesma. Telegram, refúgio dos negacionistas. Os mesmos que no começo afirmavam em tom solene que o vírus não existia, agora ignoram o ERRO GROSSEIRO e dizem que as vacinas matam. Pobre coitado de quem for na sua “fiúza”.

        2. Sérgio Ribeiro

          A própria ANVISA banca que algumas das vacinas para COVID – 19 podem aumentar ligeiramente o risco de trombose , entretanto esse risco é MUITO inferior que o risco de trombose devido a infecção pelo SARS- CoV-2 . Dessa forma , a vacina continua sendo a forma mais segura e eficaz contra a COVID – 19 , meu caro. Abs!

          1. Maurício+Luís+*

            Ele não tem conserto, Sérgio. Faço-lhe contraponto apenas pra evitar que incautos caiam nas “absurdidades” que ele posta. Algumas desinformações podem custar vidas!

        3. Jose Yoh

          Carlos, tive o trabalho de procurar o que vc descreveu no google.
          Encontrei vários sites confiáveis afirmando que nao há relaçao entre vacinaçao e problemas cardíacos.

          Entao peço gentileza de nao divulgar informaçoes que voce não tem certeza ou que nao tenham provas.

          Se nao há como saber a verdade, pelo menos nao vamos divulgar as mentiras.
          Grande abraço

          1. Maurício+Luís+*

            Também pesquisei e cheguei à mesma conclusão. Mas ele é incorrigível. Em breve voltará com novos absurdos. Parece que gosta de passar vergonha no débito.

  24. Periferia

    O filme é bom…vale o ingresso.
    Mas poderia ser melhor…

    Caso os produtores Will Smith e Tim White pedissem um argumento sobre o tema…poderíamos melhorá-lo.
    Faria um único filme dividido em duas histórias…
    Focando na figura de 2 pais de tenistas…
    Um seria sobre Richard Williams…chamaria Jordan Peele para dirigir apenas o “bloco” Richard Williams…
    No “bloco” Yuri Sharapov….chamaria Polanski para dirigir…
    Mostraria a resiliência dos dois…lutando contra humilhações e preconceitos em um esporte elitista…criando “imunidades” contra uma sociedade doente (cada vez mais).
    Vencendo contra tudo e contra todos…
    Sendo referência para milhares de jovens que buscam não apenas as vitórias…mas o respeito.
    Faria um único pedido para os diretores/roteiristas…
    Pediria que a última cena do filme fosse a entrada das jogadoras para a final de Wimbledon 2004.

    1. Samuel

      Seu texto foi muito bom. Porém, no mundo perverso em que vivemos, o dinheiro conta muito. Nesse quesito, a família Williams com certeza tem no mínimo uns 500 milhões de dólares. Então, “preconceito” não faz a mínima diferença para quem está nesse patamar. Aliás, essas pessoas terão mesmo muitos problemas psiquiátricos se, após tanta riqueza, ainda desejarem “o amor” e “a aceitação” de 8 bilhões de seres humanos que transitam sobre a Terra.

  25. Valmir+da+Silva+Batista

    DALCIM, ainda não tive o prazer de assistir “King Richard”, o que certamente logo o farei. Enquanto não vejo, vou postar aqui um poema de minha autoria, o qual criei em homenagem a Serena Williams…

    EU QUE POR TI SERENO

    Serena Jameka Williams
    ( assim mesmo grafado por teu personalismo ),
    Seria eu teu súdito, por grafar
    O substantivo adjetivado?
    Seria eu umidade qual mar profundo ,
    Donde vieste musa orvalhada?

    Na relva sagrada de Wimbledon,
    Eu não necessitaria de mais nada,
    Apenas da gotinha amada bem tranquila,
    Para me exultar com teu topspin,
    Parecendo endereçado a mim.

    No catador de bolinha, por fim,
    Eu decerto me transformaria,
    Pela dupla falta que sinto de ti,
    Erro, aliás, que acabas cometendo
    Com a mesma elegância do teu backhand,
    Oh, as tuas mãos tecendo…

    Desenharei meu coração no pó
    Alaranjado de Roland Garros,
    Mas te servirei também no US Open,
    Além de repetir o gesto delicado, qual bolsa
    De canguru, no Aberto da Austrália,
    Tudo para ficar bem perto e te ver
    Jogando bola como uma diva.

    Valmir Da Silva Batista

    1. Maurício+Luís+*

      Esse trecho “… dupla falta que sinto de ti” ficou interessante pela criatividade em mudar o sentido do ‘dupla falta’. Valeu.

  26. Periferia

    Alguns astros acabam sendo maiores que seus personagens.
    Por mais esforçados que sejam…continuam sendo “astros”.
    Quando assisto Malcon X…percebo que o ativista tem o mesmo caminhar do Denzel Washington… é ele.
    Aquele guerreiro correndo pelas montanhas altas escocesas…não é William Wallace… é Mel Gibson com uma vasta cabeleira e de kilt.
    Ou mesmo Tom Hanks viajando para o espaço como se fosse Jim Lovell…da poltrona grito “Huston…temos um problema”.
    Travolta como John Gotti…mesmo cheio de plástica fica estranho…(sempre que vejo Travolta em um filme…fico esperando ele dançar “I want to dance”…com ou sem Uma Thurman).
    Pensar que Billie Beane…o cara que revolucionou o esporte poderia ser Brad Pitt…difícil…astros não ligam para estatísticas (nessas horas…lembro do Danilão).
    Mas tem exceções…todos sabemos que Gandhi sempre foi Ben Kingsley…e quando o The Doors subia no palco…era Val Kilmer que cantava “Light My Fire”…sempre foi.
    E se vc encontrar alguém parecido com Robert De Niro comendo hambúrguer em uma lanchonete…não se espante… na verdade é Jack La Mota…

    1. Rubens Leme

      Na época dos Doors, Val Kilmer disse: “quero fazer não apenas Jim Morrison, mas também o Van Morrison. E até mesmo o Morrissey!”.

      Aí, o imaginei sendo o bardo irlandês de 1,50 m de altura ou dançando com um buquê de rosas na parte traseira da calça, como fazia o líder dos Smiths em seus primeiros shows.

      Pena que não cumpriu as promessas.

    1. Samuel

      Tio Nadal treinou ‘somente’ um; a mãe das irmãs Maleeva treinou três que estiveram no grupo das dez melhores; Peter Graf treinou a filha, Steffi, durante algum tempo.

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, gosto de vários, mas acho que pelas interpretações e pela história, este está entre os melhores.

      1. DANILO AFONSO

        Ei mestre, com raríssimos filmes retratando algo sobre tênis, não imaginava que você não cravaria “sim”, ainda mais depois de ler a sua bela crítica positiva sobre a obra. No geral é ou não é o melhor filme ??

        Eu ainda não assisti e fiquei mais empolgado para ver o filme após ler seu texto.

        1. José Nilton Dalcim

          Mas há vários filmes sobre tênis, direta ou indiretamente, Danilo. Durante a pandemia, lembro de ter feito até um ‘top 10’.

  27. Marcelo+Costa

    O filme wimbledon jogo do amor, tem péssimas cenas de jogos, parecem marionetes tentando jogar tênis, mas o protagonista com seus “radiohead” é divino, retrata bem o que o tenista pensa entre um ponto e outro, suas dúvidas, medo e até desespero, vale por isso, e por quem gosta de comédia romântica.
    Sobre o filme, ansioso pra ver, as irmãs são históricas, Will é um baita ator torço pra ir bem na bilheteria.
    Dalcim quem daria um filmao é o Agassi, imagina recriar o torneio de itaparica? E quem poderia interpretar o ex jogador?

    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, se você nos velhos tempos eu diria o Yul Brynner e se não fosse a diferença de idade, talvez o Bruce Willis… rsrs… O Agassi jovem não seria muito difícil, é só achar um garoto bom bem cabeludinho.

      1. André Barcellos

        Yul Brinner! Caramba. Nessa vc foi longe.
        Em termos de aparência, ok. Mas de atuação…sempre achei ele meio “homem de um rosto só.”
        Agassi é um cara multifacetado, quem sabe ele mesmo não poderia interpretar? Rsrs

    2. Helena

      Sempre falei pra correrem com um filme do Agassi enquanto o Colin Farrell ainda tem idade pra interpretá-lo. Parecido demais!

        1. Helena

          Olá, Luiz!

          Se você jogar no Google imagens o nome dois dois, vai aparecer várias montagens com fotos deles. Tem algumas que dá até para confundir quem é quem.

        1. Helena

          Eu me lembro que quando eles forem escalar o ator principal para homem de ferro, o passado conturbado do Robert Downey Jr ajudou pra que ele ficasse com o papel. Acho o Colin perfeito pra fazer o Agassi.

  28. Gabriel Santana

    Assisti hoje o filme e foi bom demais…Assistiria tranquilamente mais uma hora e meia ou duas desses filme rsrs. Pra quem ama tênis é espetacular….Eu sinto bastante falta de mais filmes e documentários de tênis. Tem um na netflix chamado “quinto set” que é espetacular.
    PS: no jogo da Venus contra Vicario não teve como não associar ela com o tsitsipas 🤣🤣. Foi a primeira coisa que lembrei na ida ao banheiro ficando lá oito, nove minutos.

  29. Rubens Leme

    McEnroe odiou o filme dele e do Borg. Disse que nunca foi convidado pela produção e que temia pelas imagens dos atores jogando tênis: It’s difficult even for tennis players to re-enact what they did,” he said. “So how in the hell is an actor going to do it on a court? It looks fake. They look like actors who can’t play. You see these guys, they go out there and they barely even know how to play tennis. Hopefully they’re focusing on stuff off the court. Unless they intertwine it [with] real footage. Then it would be cool, maybe.”

    https://www.vanityfair.com/hollywood/2016/09/shia-labeouf-john-mcenroe-movie

    Sobre o filme do post, tenho curiosidade em ver. Will fez um bom Ali e talvez até ganhe o Oscar agora, afinal, vários grandes atores ganharam Oscar nos filmes errados, como foi Al Pacino em “Perfume de Mulher” ou Paul Newman em “A Cor do Dinheiro”, quando basicamente reviveu seu clássico personagem Eddie Felson, de Desafio à Corrupção, de 25 anos antes.

    Os dois deveriam ter ganho o Oscar muito antes destas duas interpretações. Pacino, aliás, sabia que era barbada com este personagem, pois Hollywood ama premiar quem faz papeis de pessoas com deficiências ou personagens assustadores. Poderia citar aqui Daniel-Day Lewis, realmente extraordinário em Meu Pé Esquerdo, James Foxx, como Ray Charles, Robert de Niro por ter engordado 30 kg para viver Jake La Motta, Anthony Hopkins como Dr Lecter, entre outros.

    Falta ver quem serão os rivais de Will Smith na briga pela estatueta.

    1. Rubens Leme

      Sobre atuações de personagens assustadoras ou problemáticas que deram Oscar para as mulheres, poderia citar dois recentes: a de Charlize Theron, no filme Monster, Desejo Assassino (2003), onde conta a história real de uma prostituta que vira uma serial killer ou Nicole Kidman, como a escritora inglesa Virginia Woolf, no filme As Horas (2002), que cometeu o suicídio, se afogando em um rio, em 1941.

      E uma curiosidade interessante: Virginia nasceu e morreu no mesmo ano de outro gênio atormentado da literatura, o irlandês James Joyce. Virginia era oito dias mais velha (nasceu em 25 de janeiro e Joyce, em 2 de fevereiro) e morreu com 59 anos completo (morreu em 28 de março de 1941), ao passo que Joyce morreu três semanas antes de completar a mesma idade (faleceu em 3 de janeiro).

      1. Periferia

        Uma curiosidade…a opinião de Woolf sobre Ulisses de Joyce.

        “Acabei Ulysses e acho um fracasso. Até que tem gênio, acho; mas de estirpe inferior. O livro é prolixo. É repugnante. É pretensioso. É vulgar, não apenas no sentido óbvio, mas no sentido literário. Um escritor de primeira linha respeita demais a escrita para ser traiçoeiro; exagerado; querer aparecer. Penso o tempo todo em algum estudante convencido, cheio de qualidades, mas tão autocentrado e egoísta que perde a cabeça, se torna extravagante, amaneirado, barulhento, inquieto, que faz as pessoas bondosas sentirem pena dele e as mais severas apenas se aborrecerem; só se pode esperar que ele supere isso; mas como Joyce já tem 40 anos, é bem pouco provável que consiga.”

      2. Periferia

        Olá Leme

        Curiosidade…opinião da Woolf sobre o livro Ulisses do Joyce…

        “Acabei Ulysses e acho um fracasso. Até que tem gênio, acho; mas de estirpe inferior. O livro é prolixo. É repugnante. É pretensioso. É vulgar, não apenas no sentido óbvio, mas no sentido literário. Um escritor de primeira linha respeita demais a escrita para ser traiçoeiro; exagerado; querer aparecer. Penso o tempo todo em algum estudante convencido, cheio de qualidades, mas tão autocentrado e egoísta que perde a cabeça, se torna extravagante, amaneirado, barulhento, inquieto, que faz as pessoas bondosas sentirem pena dele e as mais severas apenas se aborrecerem; só se pode esperar que ele supere isso; mas como Joyce já tem 40 anos, é bem pouco provável que consiga.”

      3. Marcelo+Costa

        Monster é um filme excelente, a diretora consegue trazer tanta empatia a personagem, que você fica na dúvida se ela merecia tal destino, ou se ela foi totalmente culpada sozinha pelos seus crimes, Patty Jenkis foi surprendente, conduzindo Charlize nesta triste história real.

      1. Rubens Leme

        Porque Al Pacino teve papeis muito mais marcantes no qual merecia o Oscar antes, como foi o caso com Michael Corleone (especialmente em o Chefão 2), ou com Serpico ou ainda em Um dia de cão ou também Justiça para todos.

        O Oscar recebido em Perfume de Mulher foi uma forma da academia se desculpar pela demora, como aconteceu com Martin Scorsese, premiado com Os Infiltrados (20006), quando deveria ter ganho pelo trabalho extraordinário em O Touro Indomável, em 1980.

        1. Rubens Leme

          Complementando sobre Al Pacino.

          Al Pacino brlhou em três filmes de temas pesados nos quais poderia ter levado a estatueta. Em Serpico, baseado em uma história real, vive um policial que quase morreu em uma emboscada patrocinada por seus colegas, já que denunciava a corrupção e o esquma de propina nas delegacias de Nova York. Frank Serpico acabou indo morar na Europa (https://www.tudosobreseufilme.com.br/2019/02/frank-serpico.html).

          Em Justiça para Todos, a luta é contra o absurdo sistema legal e a armadilha que o obriga a defender um juiz acusado de estupro e que era seu inimigo.

          E, finalmente, em Um Dia de Cão, a história real do assaltante John Wojtowicz, que decidiu assaltar um banco para pagar a cirurgia da troca de sexo da esposa (https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/john-wojtowicz-o-homem-que-assaltou-um-banco-para-pagar-cirurgia-de-mudanca-de-sexo-da-esposa.phtml). Um tema que é indigesto ainda hoje, imagine então quase 50 anos atrás.

          Já o personagem em Perfume de Mulher era raso e unidimensional, um arrogante coronel, que após ficar cego em uma brincadeira estúpida com granadas, passa a odiar a tudo e a todos e que enlouquece um garoto quando resolve viajar para Nova York, onde passará um final de semana extravagante antes de se matar.

          No final, acaba sendo “salvo” pelo bom menino e fica famoso pela cena do tango. Um filme menor na carreira do grande Al Pacino, mas que, como disse, lhe rendeu o Oscar porque a Academia havia vacilado com ele tempo demais e ela gosta de premiar personagens “deficientes” ou doentes. Poderia ainda citar os premiados Dustin Hoffman, em Rain Man, e até Tom Hanks, tanto em Filadélfia como também em Forrest Gump, apenas para provar meu ponto de vista.

          E olha que nem falei em Michael Corleone, um dos personagens mais emblemáticos do cinema do Século XX.

          1. José Nilton Dalcim

            Puxa, compadre, o post é sobre as Williams, Will Smith, discussão do racismo no esporte, papel da família ou o polêmico método do pai… E até agora você só falou do Al Pacino?

        2. Luiz+Fabriciano

          Concordo com todos os papéis, mas a interpretação de cego foi magistral.
          A cena do tango e o discurso final no julgamento da pomposa escola, são minhas favoritas.
          Dizem que foi o primeiro ator a fazer um cego sem lentes, que ofuscam verdadeiramente sua visão.

          1. Rubens Leme

            Desculpe, Dalcim. Eu não conheço sobre o método polêmico do pai porque não vi o filme e acompanhei muito pouco a carreira das duas. Sobre o racismo no esporte, eu falei do cinema e disse porque acho que o Will tem boas chances de vencer, mas todos sabemos o quanto ele é presente no dia-a-dia e imagino que tenha sido muito mais infernal num esporte elitizado como o tênis, tanto que só o Arthur Ashe havia sido o único negro a vencer Slams antes delas.

            Sobre o papel da família, me lembro do Lances Inocentes em que a mãe de Josh tenta preservar a infância e alma do menino, enquanto o pai é seduzido pela ideia de seu filho ser o novo Fisher. Há uma cena famosa em que todos os pais, inclusive, são trancados nos vestiários do ginásio da escola onde está sendo disputado o torneio, pela pressão que exerciam nas crianças de 5 a 12 anos. E todas elas aplaudem a decisão dos organizadore do torneio.

        3. Marcelo+Costa

          Como sempre seu texto é irretocável, mas vale um adendo de quem não conhece tanto quanto você; eu assisti um trecho de perfume de mulher, chamei meus filhos para poderem ver com seus olhos ( liçenca poética ) a atuação de Pacino, eu fiquei olhando com atenção para achar um desvio de olhar do ator, e não havia, ele ficava olhando para aquele nada que só ele sabia, foi divino. Se ele merecia o oscar por perfume? sim, mas merecia também pelos outros que foi injustiçado.

        4. Gildokson

          Vixiii o caso do Scorsese ja era uma aberração não ter ganho ainda depois de tanta coisa boa, tudo que ele rodou com De Niro e Di Caprio é digno de Oscar, da pra escolher de olho fechado, aliás concordo com você que em muitos casos a academia premia o grande ator no filme da carreira dele no qual ele não devia ganhar, mas certamente a atuação do Will mais uma vez é digna de Oscar, e que ele não tenha o azar que teve em A Procura Da Felicidade quando o Oscar pra ser justo tinha que ser divido em 3, pois Leonardo Di Caprio em Diamante De Sangue e Forest Whintaker em O Último Rei Da Escócia estavam perfeitos.

        5. Valmir+da+Silva+Batista

          RUBENS LEME, gosto muito de cinema, especialmente de cult-movies, a respeito dos quais percebi que o seu comentário se encaixa. Dito isto, concordo que Al Pacino que, entre os anos oitenta e o princípio dos anos dois mil, formou a santíssima trindade do cinema hollywoodiano e além, junto com Dustin Hoffman e Robert de Niro quanto a atuação masculina, merecía ganhar o Oscar por seu trabalho em “O Poderoso II” e não só, já que, a meu ver, merecia vencer também por sua brilhante atuação em “O Poderoso Chefão III”, em que pese o merecimento de Jeremy Irons por “O Reverso da Fortuna”, no Oscar daquele ano. Quanto a Pacino ter recibido o Oscar por “Perfume de Mulher”, concordo com você, no sentido de que foi apenas algo protocolar por parte da academia, apesar dele ter merecido. Já a respeito do monstro Martin Scorsese, o tal balcãozinho de negócios da infeliz academia, fez valer a mesma merda que com relação a Al Pacino, ou seja, a referida instituição hollywoodiana apenas cumpriu sua obrigação por “negar-lhe” o Oscar de melhor diretor, conferindo a ele o prêmio apenas por “Os Infiltrados”, senão o um filme inferior em si, porém, bem atrás de “Táxi Driver”, “O Touro Indomável” e “A Última Tentação de Cristo”, dentre outros, todos com a sua assinatura na direção. Scorsese, juntamente com o seu colega americano Francis Ford Coppola e os principais cineastas europeus, tambiém no periodo dos anos oitenta ao princípio dos anos dois mil, apresentou ao mundo o que costumo chamar de cinema autoral, que, hoje em dia, já não existe mais, pois o cinema se transformou em brinquedinho tecnológico ante as câmeras de pseudo cineastas…

      1. Rubens Leme

        Periferia, eu não vi este, geralmente demoro anos para ver os fllmes recentes, fico preso nos antigos.

        Hollywood vem sendo muito criticada por premiar poucos atores negros (já houve ate um protesto e boicote em uma cerimônia – https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/diversao-e-arte/2016/01/20/interna_diversao_arte,514653/conheca-os-unicos-5-atores-negros-a-vencer-o-oscar-como-melhor-ator-at.shtml) e talvez WIll Smith tenha sua grande chance fazendo o papel dos pais das Williams, duas ícones não só do tênis, mas do esporte em geral.

      2. Marcelo+Costa

        Eu muito lesado, assisti o bonzinho imperdoavel da Bullcok e deixei ataque de cães para outro dia, sendo retundante, meu ato foi imperdoável.

        1. Periferia

          Ola Marcelo..

          A diretora Jane Campion filmou na Nova Zelândia (ela é de lá)…retratando o estado de Montana na década de 20.
          Tem imagens lindas (a fotografia é um show)…
          É um filme “silencioso”…o filme parece complicado…mas é simples.
          Bonito… sugestivo…até mesmo perverso.
          A atuação do “Dr Estranho” é um espetáculo…o modo de andar…o olhar…uma construção delicada e selvagem.
          Um belo filme…Cães de Ataque.

        1. Miguel BsB

          Exatamente. Eles acham que detalhes da infância e relacionamento entre as irmãs e o pai eram de conhecimento geral antes do filme…

          1. Pedro

            Então ninguém mais pode escrever artigos sobre filmes de fatos reais ou históricos (guerras, biografias, etc) porque vcs podem não ter lido a respeito antes?!

        2. Jose Yoh

          Claro que pode Pedro, nao há problema. Quase todo filme baseado em fatos verídicos eu vou conferir depois o que aconteceu de verdade.

          Spoilers sao avisados somente quando voce está comentando especificamente sobre um filme ou livro, pelo que eu sei.
          Abs

Comentários fechados.