O poder russo
Por José Nilton Dalcim
6 de dezembro de 2021 às 11:38

Há duas formas de se ganhar uma competição por equipes no tênis: ou se tem um time muito homogêneo e versátil, com várias peças alternativas, ou se aposta num megajogador que consiga resolver tudo em simples e duplas.

A Rússia possui hoje o grupo mais forte e por isso conquistou com justiça e alguma facilidade os dois campeonatos por equipes do atual calendário, disputados em formatos aliás bem parecidos: a ATP Cup e a Copa Davis. Os mesmos Daniil Medvedev, Andrey Rublev e Aslan Karatsev que brilharam em Melbourne lá em fevereiro deram conta também da Davis. E até o capitão Shamil Tarpishchev é especial: três títulos e 100 jogos pela Davis.

O destaque de novo coube ao número 2 do mundo, ainda que Medvedev tenha a rigor enfrentado apenas um top 20 (Pablo Carreño) e outro top 30 (Jan-Lennard Struff) e saído sem perder set. A ATP não dá pontos no ranking para a Davis, mas contabiliza no currículo e assim Medvedev termina a temporada com notáveis 63 vitórias em 76 possíveis, com quatro títulos individuais, entre eles o US Open, e dois por equipe.

A Rússia aliás saiu duplamente coroada na temporada 2021 nas competições coletivas da ITF, já que em outubro levantou a primeira versão da Copa Billie Jean King, ex-Fed Cup, em Praga, superando a Suíça na final. E a nova geração faturou a Davis Júnior, promessa de que vêm mais bons nomes por aí.

É evidente que no campo promocional a competição deixou a desejar em muitos aspectos. Poucos nomes de peso, público inexistente ou fraco, pequeno destaque da mídia e até o azar de ver a Espanha ficar de fora das quartas. Por sorte, alguns duelos foram bem equilibrados, mas esta foi sem dúvida a Davis menos prestigiada e vistosa talvez de toda sua centenária história. Pena.

Mudanças para 2022
Ainda à procura de um modelo menos ruim e controverso, a ITF fará novas mudanças na fase final da Copa Davis para 2022. O número de participantes da luta pelo título cairá de 18 para 16, o que permitirá a disputa de quatro grupos de quatro países, com jogos de todos contra todos e cada grupo em uma cidade, ainda não anunciadas. Os campeões e vices avançaram para as quartas e daí em diante a disputa eliminatória acontecerá em um quinto local. Muito provavelmente, serão todos na Europa para encurtar os deslocamentos. A ideia é um torneio de 12 dias.

A ITF no entanto manteve o tenebroso critério de dar dois convites, já definidos em favor de Sérvia e Grã-Bretanha, o que indica que esses dois países sejam possíveis sedes da fase de grupos. Não dá para aceitar convidados, qualquer porte que sejam, numa competição que deveria ser seletiva. Eles se juntam ao finalistas Rússia e Croácia.

As outras 12 vagas serão definidas no qualificatório entre 4 e 5 de março, que pelo menos manteve o antigo formato de alternância de mandante, embora as partidas sejam em três sets. O Brasil foi sorteado para encarar a Alemanha em casa, o que é importante. Se Alexander Zverev não vier – ele é totalmente contrário à nova Davis -, as chances aumentam diante de Jan-Lennard Struff e Dominik Koepfer, prováveis titulares. Eles têm uma dupla de respeito, caso joguem Kevin Krawietz e Tim Puetz. Tem tudo para ser um evento de peso.

Potências como França, Espanha, Itália e Argentina também jogam o qualificatório de março. Franceses e espanhóis jogam em casa contra Equador e Romênia e são amplos favoritos, enquanto Argentina recebe os tchecos e a Itália terá de ir à Eslováquia. Os EUA jogam em casa contra a Colômbia, a Austrália sedia contra os húngaros e o melhor duelo pode ser entre Holanda e Canadá.

E mais

  • Novak Djokovic atingiu a histórica marca de 350 semanas na liderança do ranking. E somará pelo menos mais oito até o final do Australian Open.
  • O Masters 1000 de Madri foi comprado pela IMG, a empresa de marketing e eventos norte-americana que também é sócia do Rio Open.
  • A ATP Cup está confirmada em Sydney, mas terá apenas 16 participantes e pequeno aumento de premiação em relação a este ano, subindo para US$ 14 milhões, distante dos US$ 22 milhões da primeira edição. O torneio colocou 24 equipes em quadra em 2020 e reduziu para 12 nesta temporada.


Comentários
  1. Paulo+Almeida

    O show do Halford no Rock in Rio 3 de 2001 foi tão bom que por pouco não ofuscou o do Iron Maiden. Enquanto o ex-vocalista do Judas Priest à época promovia o álbum Resurrection, Bruce Dickinson marcava sua volta à Donzela no ótimo Brave New World. Ficou a expectativa dos dois fazerem o dueto em The One You Love to Hate (como em estúdio), mas não rolou.

  2. Luiz Fernando

    Vitória espetacular, merecida e acima de tudo justa do Verstappen. Venceu a F1, venceu o esporte, perdeu a formula Mercedes. Não custa lembrar que ao final do GP do México a equipe do motor alemão tinha um motor não confiável, que não desenvolvia bem perto do Honda na maioria das pistas, e do nada tudo isso mudou. De repente, como num passe de mágica, esse motor se torna muito mais potente, confiável e em qualquer situação. Estranho, muito estranho p dizer o mínimo. Investigação: nenhuma. Também houve suspeita na asa traseira da Mercedes, investigação: nenhuma. Aí na primeira volta Verstappen ultrapassa Hamilton por dentro, graças a um pneu mais rápido; do nada, o britânico corta a zebra, acelera e sai bem a frente do holandês. Todos os caras que comentam na TV, que entendem de F1 bem mais do q eu, expuseram o erro crasso, a necessidade de devolver a posição e… nada aconteceu. Faltando 4 voltas p o final um acidente, safety car a pista, Verstappen entra no boxe e troca os pneus, 4 carros entre ele, segundo colocado, e o primeiro. O que acontece nestes momentos? Sempre q eu vi os carros retardatários ultrapassam o líder e ganham a volta perdida. Vem uma msg absurda da direção: não farão isso. Aí no meio da penúltima volta, a ultima com o safety na pista, vem a a autorização p q os 4 ultrapassem Hamilton. Se a RBR não tivesse reclamado nada ocorreria, com o diretor da prova se dizendo “exausto”. Recomeça a corrida e Verstappen vence, de forma espetacular. Venceu o esporte…

    1. Sérgio Ribeiro

      Postou um tijolo sem nem conhecer o regulamento da competição . TODOS os retardatários teriam que tirar a volta e não apenas SEIS. Mas fique tranquilo que o DICKINHO ( Mick SCHUMACHER ) resolveu bater rodas com Latif e este perdeu a asa e foi no muro. O filho do Dick Vigarista mor , manteve Hamilton com ” apenas ” 7 como piloto. Mas como o próprio substituiu Dick na Mercedes , esta levou seu OITAVO título kkkkkkk. Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Ps. A Mercedes OCTA pois Nico Rosberg ,( o mesmo que batia em Schumi sem dó ) , mesmo segundo Piloto , também levou seu Título de Campeão Mundial de fórmula 1 ao lado de Lewis. Abs!

  3. Gustavo

    Verstappen campeão do mundo! Grande vitória do holandês, a 20ª da carreira, em um fim de corrida de tirar o fôlego.

    Título merecido, na última volta, em uma temporada das mais espetaculares de todos os tempos!

  4. Gustavo

    ainda absurdado com a existência do famigerado boicote a estabelecimentos q exigem vacinação por parte de não vacinados

    -desculpe vc não pode entrar aqui
    -ok pois então eu não vou mais entrar aqui!!!
    -sim meu senhor foi isso oq eu disse

  5. Ronildo

    Fico impressionado em como como John Mcenroe era um jogador extremamente habilidoso. Ganhou dezenas de títulos de simples e duplas. Não há comparação com Djokovic que sequer possui habilidade suficiente para ser campeão de qualquer torneio de duplas. Fico pensando em como John Mcenroe, Jimmy Connors e Ivan Lendell seriam dominantes se tivessem as mesmas condições dos tenistas atuais.

    1. Paulo+Almeida

      A ATP Cup 2020 discorda veementemente de você. O Craque jogou um absurdo naquela final ao lado de Troicki contra os espanhóis. Depois ficou sem parceiro decente.

    2. Valmir+da+Silva+Batista

      RONILDO, gostei das suas ponderações relativizando o jogo de John McEnroe com o de alguns tenistas de hoje e do passado, com o intento de destacar a maior habilidade de Mac, se comparada ao modo de jogar de alguns de seus pares. Gostei, principalmente, quando você ousou afirmar que Djokovic não dispõe de tão destaca habilidade, se comparado ao que jogava John. Não é querendo desmerecer o jogo de Djokovic e o de outros tenistas, mas seu comentário é oportuno, RONILDO, no sentido de que suscita a ideia de que, hoje em dia, se ganha muito mais torneios através da eficiência nos fundamentos que na base da habilidade, sendo que, com relação ao primeiro aspecto, o Sérvio é quase imbatível, algo que reconheço, em que pese eu não gostar do seu jogo e até do seu comportamento extra quadra. Tenistas como Fabrice Santoro, Marcelo Ríos e até Nick Kyrgos, habilidosos por excelência, jamais foram grandes vencedores de torneios, numericamente falando. John McEnroe foi uma bela exceção…

      1. Luiz+Fabriciano

        Acho bem interessante esses comentários.
        … hoje em dia se ganha muito mais torneios através da eficiência nos fundamentos que na base da habilidade… como assim, o que é habilidade?
        Fabrice Santoro é aquele francês que jogava de duas mãos dos dois lados e jamais venceu um torneio? Então para que serve a tal habilidade?
        O mega aposentado Mansur Bharami é um showman, mas enquanto profissional não vencia torneios. Ou seja, vence torneios quem concatena todos os atributos que um atleta deve ter: cabeça, mãos e pernas.
        Nick Kyrgios adora um showzinho, tanto com a raquete quanto com as palavras, mas para levantar um GS, precisa de muito mais.

        1. Valmir da Silva Batista

          LUIZ FABRICIANO, seu sentido de analogia é demasiado tacanho, em relação ao que se propõe meu comentário. Não que eu esperasse algo grandiloquente da sua parca observação, porém, não precisava submeter o que escrevi a um parecer tão capenga. Minha proposta não foi destacar um nome de tenista ou outro isoladamente, como o fazem uns e outros que se desesperam por audiência neste espaço, e sim fazer uso de determinada condição de um tenista, a fim de exemplificar os temas habilidade e fundamentos, ou seja, Fabrice Santoro e Nick Kyrgios não são meus queridinhos, e, portanto, sinto em dizer, mas você se perdeu na falta qualidade dos argumentos desavisados que possui, e mais: “o que é habilidade”? Vide Sampras ou Federer, por exemplo, e estabeleça comparações, mas lembrando que também eles não são meus queridinhos; “para que serve a habilidade?” Ora, meu caro, novamente aqui me vejo diante da péssima qualidade do seu sentido analógico, já que tive o cuidado, em meu outro comentário, de deixar claro que prefiro tenistas habilidosos porque acho seu jogo mais bonito, “só” isso, não me importando, contudo, com a serventia que tem a nível quantitativo de títulos. Quem tem que se preocupar com isto são os tenistas, eu sou um mero apreciador do jogo de tênis…

          1. Luiz Fabriciano

            Ohh nobre Valmir, perdoe-me minha falta de entendimento à altura do esporte que mais gosto, portanto, não precisava de tanto rancor em sua resposta.
            Nem ao menos sei para quem torces, mas não há nenhuma importância nisso. Quanto a preferir habilidade, podes até não gostar do sérvio, mas nesse quesito ele não deixa a desejar em nada se comparando a qualquer outro. Agora se queres falar de shows e malabarismos, realmente, o sérvio não serve.

          2. Valmir da Silva Batista

            LUIZ FABRICIANO, não tem “rancor” nenhum, é que meus pareceres têm peso, os coloco de um jeito próprio dos que são providos de carisma. Você disse que não sabe para quem torço, não é mesmo? Já vi que fez muito sentido eu dizer, anteriormente, que o seu senso de analogia é capenga, pois não prestou atenção quando afirmei que sou um “mero apreciador do jogo de tênis”, ou seja, não torço para nenhum tenista em especial. Quanto a Novak Djokovic, seu parco senso analógico o coloca numa encruzilhada mais uma vez, já que eu posso sim não gostar do jogo dele, porém, não afirmei que ele deixa a desejar, se comparado a outros tenistas, pelo contrário, jamais deixei de reconhecer o grande campeão que ele é, ou seja, não perco tempo com raivinha adolescente, só porque um jogador que não curto ganhou torneios sobre este ou aquele jogador, ainda que se trate de algum tenista que gosto. O problema de torcedores como você, Luiz, é que não veem tênis. Não que eu seja expet no assunto, pois reitero que sou um “mero apreciador”, mas bem sei que dá para conciliar o espírito de torcedor com o de apreciador, coisa que você não faz, prefere ficar nesse blá blá blá tacanho a respeito dos mais mais, a fim de conquistar a audiência. Pobre, Fabriciano…

  6. Paulo F.

    Verstappen campeão!
    Um tapa na cara para os que ficam.com os mimimis de aiiinnnn Dick Vigarista e etc.
    Só para recordar os paladinos, Senna em 1990, para ser bicampeão, quase assassinou Prost e poderia ali mesmo ter morrido também.
    Quando ao grande Hamilton, poucos são os gigantescos campeões que também não possuem derrotas muito doloridas em suas carreiras.

  7. Rafa

    Não havia mais espaço para resposta, e eu só queria fazer um complemento que me escapou: caso alguém tente identificar meu endereço IP, que nunca escondi neste site, não estranhem se aparecer Johannesburgo, na África, Nova York ou qualquer outro lugar estranho. É apenas uma VPN legalizada do Avast, que cumpre certos propósitos. Vivo em SP-Capital, e terei prazer em receber qualquer colega que quiser falar comigo pessoalmente.

  8. Luis+Alves

    Sei que o pessoal mais jovem não o viu jogar, mas considero que o Tomas Koch foi muito mais tenista que o Belucci. Nem sei dizer se teve mais títulos ou vitórias, mas era um grande jogador que enfrentava de igual para igual os melhores de sua época. Dalcim, qual dos dois você considera mais completo tecnicamente, Belucci ou Koch? Abraço

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que já disse algumas vezes que para mim Koch é o segundo melhor tenista masculino que tivemos, Luís. Suas campanhas em Slam e Davis, seus grandes títulos e vitórias no Exterior e o ranking informal que por uma década o colocou entre os 20 primeiros indicam isso.

  9. Luiz Fernando

    Dalcim vejo a adição do M Lopez a equipe do Nadal apenas como um ato de amizade da parte dele, sem grandes perspectivas de acréscimo técnico? Como tenista Lopez foi inferior a Rafa em praticamente tudo, então o q poderia acrescentar, concorda? Neste momento da carreira, ou melhor, do final da carreira, difícil crer em alguma mudança significante no estilo de jogo do Nadal…

    1. José Nilton Dalcim

      Concordo com você, não vejo ganho técnico expressivo, mas talvez sirva no aspecto motivacional e quem sabe algumas parcerias de duplas para pegar ritmo.

    2. Helena

      Fiquei na dúvida se não seria uma intenção de trabalhar cada vez mais para encurtar os pontos. Foi a única explicação que consegui pensar no quesito técnico.

  10. KombiWagen

    Bellucci foi “apenas” o segundo melhor tenista brasileiro de todos os tempos. Poderia ter ido mais longe na carreira???? Talvez sim.. talvez não.

    Fez belas partidas, excelentes torneios, bons jogos contra os grandes. Onde poderia ter ido mais longe? Sinceramente não sei dizer.

    Wild não chega nem perto (aliás…nem MAttar, nem Motta, nem Oncins sequer chegaram perto).

    como ídolo, talvez sej aonde mais tenha deixado a desejar. E isso explica o porque a torcida nao gosta dele.

    Eu vi ele jogar de igual pra igual com muito TOP 10. Para os caros “críticos” que vivem falando bobagem a respeito dele, sugiro entrarem numa quadra de tênis e tentarem começar “rebatendo a bolinha”.

    Depois tentem 50 rebatidas seguidas, e olhaque sequer começamos o treino. Não se trata de dis utir quadra ou marca de raquete.

    Trata-se de testar sua resiliência, antes de iniciar qualquer treino de saque, forehand ou backhand. Sobre uma partida então, nem se fala.

    Acredito que 99.9% dos que adoram o Djokovic não teriam condições de treinar um drill de 100 repetições de qualquer golpe que seja (saque, backhand ou forehand), sem “abrir o bico”.

  11. Rubens Leme

    E Magnus Carlsen encerrou o Mundial de maneira até humilhante, conseguindo a segunda vitória conscutiva jogando com as pretas, a quarta em seis jogos e finalizando por 7,5 x 3,5 uma das maiores lavadas de todos os tempos.

    A derrota anterior havia acabado com qualquer chance do russo Ian Nepo e após um empate burocrático ontem, quando o campeão jogou com as brancas, hoje ele levou apenas 49 lances para derrotar o desafiante e continuar de posse da coroa.

    Aos poucos, o norueguês vai aumentando sua distância entre os oponentes e cria uma soberania e um domínio comparável ao de Kasparov, embora o russo tenha enfrentado uma geração mais forte. Mas, Carlsen é também líder dos rankings de blitz e xadrez rápido, além, claro, de xadrez clássico.

    Uma verdadeira máquina.

    https://www.chess.com/pt/news/view/campeonato-mundial-xadrez-fide-2021-rodada-11-nepomniachtchi-carlsen

  12. Luiz Fernando

    Rafa, se tudo correrem em AD, voltará a competir em Melbourne. Creio q ele está correto, precisa se testar e acima de tudo ganhar ritmo. Torço p q o problema no pé tenha sido superado e q ele possa ao menos competir sem lembrar da lesão. Bola pra frente…

  13. Paulo Sérgio

    Sou torcedor do Nole, mas se Djokovic não jogar o AO por ignorância só tenho uma coisa a dizer: vou torcer vivamente para Nadal ganhar o AO ou mesmo RG porque estou de saco cheio dos negacionistas. Ele é o goat até o momento, mas com menos slams em relação a Nadal não vai ter unanimidade no debate. Se continuar com a ignorância deverá pagar com a perda do recorde de slams para seu maior rival.

        1. Sérgio Ribeiro

          Números equivalentes aos de Steffi Graf . Embora ela de uma lavagem em número de SEMANAS CONSECUTIVAS no Topo do Ranking. Saberias me dizer porque ela não é unanimidade como ” goat ” da WTA ??? . rsrs Abs!

          1. Paulo+Almeida

            Não é a recordista de Slams, o que não é o caso do GOAT Djoko, que vence nos critérios de desempate.

            Ninguém liga pra semanas consecutivas, principalmente na era fraca.

          2. Paulo Sérgio

            É pq ela não tem todos os principais recordes do tênis como Djokovic e ainda foi beneficiada pelo trágico incidente contra a Monica Seles.

          3. Sérgio Ribeiro

            Jura ? Tu e’ quem determina quem se importa com um recorde imbatível ??? . O caríssimo Piloto é quem determina a ERA FRACA ??? . Quem és tu compadre ? kkkkkkkkk. Novak possui o mesmo número de SLAM de Federer e Rafa , mas assim como Alemã , perde mais ainda no legado . A conferir rsrs . Abs!

          4. Paulo+Almeida

            Não sou eu que determino, mas a lógica e o bom senso. Dominar Roddick e Hewitt é uma coisa, enquanto fazer o mesmo com Nadal e Djokovic é outra bem diferente, que nunca aconteceu.

            Tem Double Career Slam? Vitória sobre o Nadal em Roland Garros? Nole Slam?

            Abs!

      1. Paulo Sérgio

        Se depender das estatísticas, Djoko é o goat. Se depender de sua opinião pessoal, Federer é o goat. Eis a pergunta: devemos nos pautar em dados estatísticos ou em opiniões apaixonadas para decidir quem é o melhor?

          1. Paulo Sérgio

            O que define o goat não é opinião pessoal, mas as conquistas em qualquer esporte profissional. Fã pode achar o que quiser, mas isso é pura subjetividade.

          2. Paulo F.

            Daqui a 50 anos, terão que olhar os números para saber quem foi maior e os números são eternos.
            A paixão terá se volatilizado.

        1. Sérgio Ribeiro

          Saberias responder que são os DOIS maiores vencedores em WIMBLEDON e na GRAMA SAGRADA como um TODO . Qual seria o h2h do Sérvio contra o segundo colocado no ALL ENGLAND CLUB ? rs Abs!

          1. Marcelo+Costa

            Por curiosidade fui pesquisar, sampras não perdeu em wb, federer perdeu 4 finais, vou lhe dar minha opinião, sampras foi o mais efetivo que jogou ali, e pasme o sérvio tem 6 títulos na grama, tendo vencido Nadal e federer ( algumas vezes), já sampras foi insuperável contra seus adversários.
            Sim os números devem decidir quando não há senso, e jogar bonito, coisa que ninguém jogou mais que o suíço fosse parâmetro, o alemão Dustin Brown estaria no panteão, não acha?
            Essa última foi retórica.

          2. Sérgio Ribeiro

            Então , caríssimo M. Costa . O que joga bonito venceu apenas 103 ATPs . E é OCTACAMPEAO em WIMBLEDON . Somente BORG e Federer venceram CINCO consecutivos . Quando Sampras tentava igualar o feito caiu para o Craque Suíço este com apenas 19 anos , em 2001. O Norte- Americano então com apenas 31 . São os fatos rsrs . Abs!

      2. R.P.

        Kkkkkkkkk….

        DjokoBagre, nos últimos 11 anos derrotou mais jogadores do top 5 (90) do que Federer e Nadal JUNTOS (84).

        Como é triste a vidinha dos iludidos.

  14. Rubens Leme

    Outro show de bola do nosso sub-20 nestas rodadas finais. Duas vitórias e um empate e atuações de gala do lateral-direito Garcia, do zagueiro Michel, do lateral-esquerdo Vanderlan, dos volantes Fabinho e Naves e dos atacantes Kelvin, Gioavani e Gabriel Garcia (cada um deixou o seu).

    É um nível tão alto que sugiro usá-los no tetra da Libertadores no ano que vem. Quem sabe assim, o patético cheirinho flaz-me-rir terá alguma chance (uns 2%), embora aposte que nossos meninos passarão o rodo, fácil. Fico imaginando o Filipe Luís pedindo um uber para acompanhar o Garcia.

    Que safra, Dalcim!

      1. Rubens Leme

        Dalcim, gostaria apenas de complementar que:

        Esse comentarista só discute futebol com torcedores que obedecerem os seguintes requisitos:

        1 – ser tricampeão da Libertadores
        2 – ser bicampeão da Libertadores em anos consecutivos
        3 – ter vencido duas finais de Libertadores no mesmo ano
        4 – ter um técnico com 100% de aproveitamento na competição: dois torneios disputados, duas taças.

        Caso não preencha tais requisitos, sugiro se aliar ao patético mineiro e ao cheirinho do flaz-me-rir ou ao imortal tri-rebaixado no brasileiro em suas “deliberações”.

        Aqui é Palmeiras.

          1. Rubens Leme

            Rogério, vocês não preenchem o requisito 4, mas para não ser chamado de prepotente e porque metade da minha família torce pro seu time (a metade errada…embora a outra seja corintiana e errada também… sou um desgarrado, o único lúcido), aceito.

            Meu avô era tão saupaulino que comprou uma cadeira cativa quando o Morumbi estava sendo construído para ajudar o time a terminar o estádio e um jazigo no Cemitério do Morumbi para poder ouvir os gols do time após sua morte.

            Por causa dele, abro uma exceção… mas precisamos evitar o “baixo clero” do futebol aqui.

          2. Rubens Leme

            Ops, Rogério, vi também que não preencheu o requisito 3, mas como disse, para não ser chamado de presunçoso e metido, tudo bem. Mas tenhho muito cuidado com o cheirinho que vem do baixo clero, geralmente acompanhado de figuras desegradáveis.

  15. Ronildo

    A notória inépcia de Djokovic para o jogo de duplas, ocasionada por sua conhecida pouca habilidade em alguns fundamentos, certamente contribuiu para sua eficiência no jogo se simples. Por exemplo: se ele fosse melhorzinho nas duplas, certamente ficaria bastante compromissado com o irmão a quem tentou dar uma mão para alavancar a carreira. Tentou fazer isso jogando duplas com o irmão. Porém em pouco os dois perceberam que não tinham nível para ir bem nos torneios e desistiram da empreitada. Com certeza foi um alívio para Djokovic.

    1. Paulo Sérgio

      Nova estratégia!

      Falar do desempenho em duplas do sérvio. Ver as anteriores:
      (1) dizer que o jogo do sérvio é feio;
      (2) chamar o sérvio de maratenista, mas que perdeu força depois dos vários slams vencidos após os 30 anos;
      (3) dizer que não existe essa história de goat;
      (4) realçar a plástica dos golpes do suíço ainda que isso não tenha efeito contra o jogo do sérvio. Por exemplo, em 5 finais de slams perdeu 4 e com 3 finais perdidas em Wimbledon (3 a 0);
      (5) relativizar dados estatísticos, os quais são fundamentais em qualquer esporte competitivo;
      (6) Enfim, comporta-se como qualquer negacionista da realidade. Pelo menos, você tem algo em comum com o goat do tênis rsrs.

      1. Jose Yoh

        Infelizmente o termo negacionista tem sido muito utilizado por todos em todo lugar.
        Quando vc tacha alguém de negacionista automaticamente admite um radicalismo de ambos os lados coisa que duvido que 10% das pessoas sejam.

        Agindo assim, nao há debate porque jamais um dos lados vai aceitar a outra opiniao. Afinal um negacionista é alguém que nao enxerga algo óbvio.
        E onde nao há debate, nao há democracia, ciencia ou qualquer forma de consenso.
        Abs

  16. Luiz Fernando

    Que pena q o Barça foi desclassificado, uma injustiça, time nunca auxiliado pela arbitragem (consegue a proeza de ser mais ajudado do q o menguinho), oriundo de uma região cuja marca é a humildade, inclusive me parece q um dos comentaristas do blog ou é de lá ou tem vínculos familiares c a região kkkk…

    1. Sérgio Ribeiro

      Mais um brilhante comentario , informadissimo L.F . E humilde como sempre , antes de posta-lo , fez pesquisas . Descobriu no site ge.com quais os times que tiveram mais o VAR mudando resultados a seu favor , não é mesmo ? . O fato de o Fla ter ficado em SEXTO o fez compartilhar aqui no Blog com absoluta precisão kkkkkkkkkkk. Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Correção : 19 . Fla ; 20 . São Paulo . Incrivelmente o América Mineiro foi disparado o mais beneficiado. A. Mineiro em SÉTIMO e Palmeiras em OITAVO. Abs!

        1. Luiz+Fabriciano

          Sérgio, cá entre nós, tu já deixa um comentário do seu comentário pronto, certo?
          Nunca vem apenas um. Interessante.

      2. R.P.

        Leia de novo: o Luiz não falou que o Flamengo só mais ajudado. E sim que o Barcelona é mais ajudado que o Flamengo.

  17. Rafa

    Sobre Aliassime 2×1 Federer e Zverev 2×1 Djoko, discutido mais abaixo: Acredito que não se pode dizer que Federer tomou um vareio, aos quase 40 anos, de um excelente jogador quase 20 anos mais jovem; chega uma hora que o nome não ganha mais, e a diferença física absurda, aliada à capacidade de Aliassime resultaram no que todos vimos; sobre Zverev e Djoko, não foi ND quem perdeu aquele jogo, Zverev endureceu e Djoko sucumbiu à pressão que já era enorme naquela época (última chance de conquistar o ouro olímpico); fosse outro o oponente, Djoko ainda venceria, mas Zverev demonstrou sua enorme capacidade e conseguiu uma vitória brilhante (que também não foi um vareio).

    Sobre a comparação esdrúxula entre Thiago Wild e Bellucci: quero ver o Thiago em sua melhor forma ganhando de um dos big4 de seu auge (Med, Tsitsipas, Zverev, etc), ou mesmo ganhando uma partida de 3 sets do MEDVEDEV no saibro, onde Wild é especialista e Medvedev tem seu piso mais fraco até então.

    A turma pensa que é fácil ganhar 4 atps na carreira, Thiago ganhou um e caminha a passos largos para nunca mais repetir o feito, enquanto Bellucci ganhou 4, bateu em Murray, deu pneu em Djoko, não fez figuração frente aos grandes como os brasileiros costumam fazer (infelizmente).

      1. Rafa

        Bem lembrado, Ronildo, também deu um calor em Nadal nas olimpíadas (acho) em uma parte do jogo, ou seja, não tem nem como comparar. Vamos ver se Thiago, em queda livre e desenfreada, se recupera a ponto de ter ranking para entrar em Slams, e aí vamos ver o que ele faz quando aparecer gente grande de verdade na sua frente.

        Bellucci merece todo o meu respeito. A não ser que minha memória esteja me traindo demais (e pode estar), Nadal, jogando uma vez no Brasil, disse que não entendia como ele não estava em um ranking muito melhor.

        1. Luiz+Fabriciano

          A questão do Bello é puramente mental.
          E isso se caracteriza fortemente nas várias viradas que sofreu na carreira, inclusive tendo match-points.
          Fisicamente também sofre, mas mentalmente, mais ainda.
          Talvez outro cara, tomando um pneu no primeiro set, não conseguisse virar o jogo contro o Bellucci como fez Novak Djokovic, por ser mentalmente e tecnicamente superior, mas sair de 1 set a zero com direito a pneu, deveria ser uma vantagem enorme.
          Isso me faz lembrar um diálogo entre o imperador Cômodus e seu treinador para sua formação como gladiador no Coliseu Romano, na séria IMPÉRIO ROMANO.
          O gladiador/treinador disse que não era invencível. Era um homem comum, mas seus adversários não o viam assim, portanto, sua vitória era certa.

          1. José+Yoh

            Essa frase do treinador/gladiador (Narciso?) é muito verdadeira. Existe uma “aura” de invencível, que os grandes campeões conhecem e sabem o quanto é importante. O adversário já entra mentalmente derrotado.
            Abs

    1. VitorHugo

      Bellucci endureceu e muito a semi final de Madri(masters) contra Novak em 2010. Foi um jogo decidido em 3 sets bem difíceis. Quase o brasileiro fez a final do torneio.

    2. José+Yoh

      É necessário perceber, por mais que gostemos de nossos ídolos, que a idade vem chegando e que não é somente sobre perder o vigor físico ou os reflexos.

      Os adversários, as técnicas e os treinamentos evoluem e fica difícil acompanhar tudo isso quando você não tem mais a mente de garoto.

      Para mim é visível que os mais jovens já jogam de igual para igual e não veem mais Nole, Nadal e principalmente Federer como imbatíveis. Ninguém mais pensa que não tem chance nenhuma contra eles.
      Abraços

  18. DANILO AFONSO

    Fuçando e misturando os números da Copa Davis e ATP Cup, vi que DJOKOVIC poderá na próxima ATP CUP, caso participe e vença todos os 6 jogos de simples, alcançar o recorde de vitórias seguidas em eventos oficiais por equipe (simples).

    Atualmente Djokovic possui 27 vitórias seguidas, sendo 19 pela Davis e 8 pela ATP Cup.

    Nadal é o recordista com 32 vitórias seguidas ( 29 Davis e 3 ATP CUP). O espanhol perdeu a invencibilidade ao ser detrotado pelo belga Golfin nas quartas de finais da ATP Cup 2020. Em segundo lugar temos o Borg com 29 vitórias seguidas pela Davis.

    Saudações Tenisticas!!!

      1. DANILO AFONSO

        Mestre Dalcim, sério que você acha que o recorde seria prejudicado em razão da quantidade de sets de cada torneio ??

        Por acaso a ATP ou mídia em 2008 não computava na sequência de vitórias dos tenistas os jogos das finais dos Masters 1000 de 2007 que eram disputados em melhor de 5 sets ? Era irrelevante se a contar de 2008 as finais dos Masters 1000 passaram a ser disputadas em melhor de 3 sets. A invencibilidade englobava os formatos sem distinção.

        Se a WTA adotasse em 2022 jogos melhor de 5 sets nos Slams, não poderíamos somar para efeito de invencibildiade as vitórias da próxima temporada com as vitórias conquistas nos Slams de 2021, simplesmemte porque nesta temporada os torneios eram disputados em melhor de 3 sets ? Seria justo excluir da invencibildiade as vitórias de 2022 somente em razão da diferença de sets ? É óbvio que não faz sentido.

        Se a mídia e ATP corriqueiramemte destacam as invencibilidades dos tenistas computando na sequência de vitórias os jogos melhor de 3 e 5 sets, por que não utilizar o mesmo critério nos jogos envolvendo apenas torneios de seleções ?? Entendo que não há razão alguma para desconsiderar do cômputo este ou aquele torneio em razão do formato. Afinal de contas são todos jogos envolvendo seleções.

        A quantidade de sets disputados não é o principal diferencial dos torneios de seleções. O que realmente caracteriza o torneio é a disputa envolvendo equipes por país. Se a ATP ou ITF futuramente inovar mudando o formato dos torneios de seleções para melhor de 5 sets, igual vimos no Finals da Next Gen deste ano, também seria legítimo somar as vitórias deste formato aos jogos anteriores a mudança.

        Ademais, eu sou da opinião que a diversidade de formatos tornam eventual recorde do sérvio ainda mais dificultoso e relevante, pois o tenista teve que enfrentar diferentes obstáculos. Se nos jogos melhor de 5 sets a resistência física e mental muitas vezes fazem a diferença, nos jogos melhor de 3 sets os tenistas tem pequena margem para oscilação durante os jogos. Pequenos apagões muitas vezes são fatais, o que dificulta a manutenção da invencibildiade por longo prazo.

        Os grandes campeões não são mais vulneráveis nos jogos melhor de 3 sets ?? Djokvoic inclusive por diversas vezes já afirmou que prefere jogos melhor de 5 sets. Ele é muito mais ganhável em melhor de 3 sets.
        Para efeito de invencibilidade ambos formatos tem seu grau de dificuldade.

        Enfim nobre Dalcim, não vejo motivo para não misturar (somar) as vitórias conquistas em melhor de 3 e 5 sets em jogos entre seleções.

          1. DANILO AFONSO

            Dalcim, essa relação de vitórias do Baghdatis realmente consta no site da Davis, mas onde acho detalhes (adversários, ano, placar) sobre os 36 jogos ? O site da Davis é muito pobre em dados estatísticos. Neste site consta que o Nadal tem 29 vitórias, que Becker tem 22, Murray e Rios 19, e esses quantitativos batem com os números dos dois renomados sites estatísticos sobre tênis. Já os números do cipriota não batem. Os sites estatísticos acusam que ele tem apenas 23 vitórias seguidas, e olha que tais sites apresentam os adversários, placares e anos dos jogos. Vi também que esses jogos do cipriota foram pela G2 da Davis, isso é, contra adversários da “segunda ou terceira divisão”, muito aquém do nível dos adversários do grupo mundial.

            Uma coisa eu acho que é quase certa mestre Dalcim: Se você ainda entende que não devemos misturar as vitórias de melhor de 3 sets com 5 sets, para efeito de invencibilidade, pela lógica acredito que você também separaria e daria um peso diferenciado a sequencia de vitórias do Borg, Nadal e Djokovic em relação a invencibilidade do Baghdatis, já que este enfrentou na Davis, na esmagadora maioria das vezes, adversários muito mal ranqueados pela G2.

          2. José Nilton Dalcim

            Você pode talvez comparar Djokovic com Nadal em função dos jogos de 3 sets, mas para mim há duas coisas muito distintas: jogos em cinco sets em diferentes pisos e torcidas e jogos em três sets num lugar ou piso único. Não compactuo com o ‘comparar coisas diferentes’.

    1. Sérgio Ribeiro

      Bem , meu Nobre . Se vale a ” tradicionalissima ” ATP CUP , que tal os Jogos Olímpicos em que defende a Equipe Sérvia ( inclusive em Dupla ) e perto do Espanhol ele é somente figurante rs. Abs!

      1. Gildokson

        Sérgio… Sérgio… tu me dá a volta e pega o Danilão das estatísticas no pulo assim? kkkkkkkkkkk
        Vai ver que nas Olimpíadas o Djokovic joga representando outro país kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        1. DANILO AFONSO

          Não nobre Gildokson !!

          Eu entendo que os jogos olímpicos é bem diferente dos dois torneios citados. Não obstante vermos o tenista defendendo as cores do país, não é propriamente um torneio por equipes igual vemos na Davis e ATP CUP, onde cada vitória vale um ponto no desafio, temos a presença do técnico na quadra e todos jogadores da equipe recebendo o troféu e/ou medalhas em conjunto.

          Tu estava esperando uma aparente brecha para vir de voadora neste pobre nolista…kkkk

  19. Joaquim Saraiva

    Dalcim, li agora pouca a entrevista que o treinador do Thiago Wild deu para o tenisbrasil.uol. Pois bem. Fiquei com a impressão de que o João Schwetz, ao invés de ser duro e de cobrar mais seu pupilo, passa demais a mão na cabeça do garoto. Você, que certamente tem mais conhecimento de causa para falar, o que acha?

    1. José Nilton Dalcim

      Não sou um especialista, Joaquim, mas existe uma controvérsia sobre como agir com um atleta mais rebelde. Alguns acham que um treinador rígido é a saída, outros acham que isso poderia piorar as coisas. Então acho que varia conforme a personalidade envolvida. Curioso que Zwetsch também treinou o Saretta, que também era rebelde, então acredito que ele saiba como lidar com isso. Abs!

      1. Rafa

        Já eu acho o Zwetsch um bundão, que pouco ou nada acrescentou como treinador de jogadores ou como capitão da equipe brasileira da Davis. Mas isso sou só eu sendo mal-educado, kkkkk.

  20. Luis+Alves

    Oi Dalcim, vendo o que aconteceu por causa do vento em jogos recentes, lembrei de uma jogada incrível dos anos 70.
    O jogo era entre Jimmy Connors e Ilie Nastase. Ventava muito e em uma jogada Connors atacou uma bola bem profunda e Nastase chegou na bola com dificuldade e conseguiu devolver, mas jogou a bola para cima, bem alta. Connors se preparou para dar um smash, mas percebeu que a bola ia cair perto da rede, ele mesmo estava quase colado à rede. Como não dava para saber se a bola cairia do seu lado da quadra ou do outro, achou melhor esperar a bola quicar para depois completar o ponto. A bola quicou do seu lado da rede e começou a subir. Connors fez toda a preparação do golpe para “matar” o ponto com smash, mas o vento começou a levar a bola para o outro lado da quadra e ele ainda tentou acertar a bola, mas não conseguiu. Ponto para Nastase. Lembra dessa jogada? Abraço e parabéns pelo ótimo trabalho aqui no blog

  21. Carlos Reis

    Pelo visto o Djoko vai jogar o AO, para um cara rico como ele seria fácil “comprar” um NaziPass, o aplicador da VAC joga o líquido fora, MAS insere os dados do garoto esperto no Sistema. Eu mesmo quero fazer isso quando precisar do NaziPass, espero que não precise, hoje fiz um ultrassom num hospital, nem falaram de VAC. O pior é saber que existe um tratamento SEGURO e EFICAZ que foi PROIBIDO pelo Sistema, tratamento esse que poderia ter salvo 70~75% das vítimas.

    1. Maurício+Luís+*

      Quando foi fazer o ultrassom no hospital, por que não aproveitou pra visitar a ala covid… já que chamou a pandemia de fraudemia? Se é uma fraude, não há problema algum de visitar os doentes, devem estar se sentindo sozinhos. Sem máscara, claro. Pra que proteção pra uma coisa que não existe?

      1. Carlos Reis

        A PANDEMIA foi criada justamente para isso, IMPOR a vacinação obrigatória dos adultos. O vírus foi criado para a vacina, não o contrário. O Futuro deste mundo maluco é NEGRO.

      2. Valmir+da+Silva+Batista

        MAURÍCIO LUÍS, esse acha que os mais de 600.000 óbitos por covid no Brasil são parte de uma ficção, bem como os demais pelo mundo afora…

        1. Maurício+Luís+*

          Valmir, o pessoal já conhece o negacionismo dele desde o outro carnaval. Só que desta vez ele passou muito dos limites, ao sugerir que o Djoko recorra a SUBORNO pra disputar o Australian Open sem se vacinar. Uma total falta de ética, uma coisa nojenta. Acreditar que a pandemia é uma fraude e que a Terra é plana, parece que já não é o bastante pra ele. Misericórdia…

          1. Carlos Reis

            Enganar o Sistema Maligno que nos governa não é “pecado”, caro Maurício. Leis e Regras ABSURDAS devem ser ignoradas, simples assim. Pena que os funcionários do ESTADO obedecem qq ordem ABSURDA como cachorrinhos obedientes, triste demais. Os Nazistas em sua defesa falaram o seguinte no Julgamento de Nuremberg: “Só estávamos obedecendo ordens.”

    2. Maurício+Luís+*

      Caríssimo Carlos, como todos sabem, o Djoko é hiper famoso, uma celebridade. Se tentasse subornar alguém, + que depressa até as pedras ficariam sabendo, sairia em destaque em todos os sites. Então peço por favor que pense um mínimo antes de escrever uma groselha dessas, uma mistura de infantil, tosca e escalafabética.
      Puxa vida, você não se cansa de passar vergonha no débito?

      1. Carlos Reis

        Cara, vc é muito ingênuo, para não dizer outra coisa. O Djoko sabe que as “maravilhosas” podem prejudicar MUITO sua saúde, podem até ELIMINAR a pessoa do mapa, tenho certeza que ele não quer tomar esse troço, mas ao mesmo tempo quer continuar competindo. Espero que ele DIGA NÃO ao AO! Espero que diga NÃO a todos que querem SEGREGAR as pessoas.

        1. Maurício+Luís+*

          Sobre este seu trecho ” Leis e Regras ABSURDAS devem ser ignoradas” – você tenta agora desdizer o que disse antes, mas taí preto no branco pra quem quiser ler. Uma coisa é ignorar, outra coisa é BURLAR, que foi o que você queria que o Djoko fizesse. Soaria + honesto se se retratasse e pedisse desculpas por essa sugestão anti-ética, desonesta, tosca e sem noção. Renovo minha sugestão de que vá a qualquer hospital à sua escolha e pergunte pro diretor qual a porcentagem de internados que não se vacinaram… já que acha que a imprensa é mentirosa.

      1. Helena

        Não sabia. Não frequento há tempo o suficiente para saber dessa tradição, mas agradeço pela indicação dos podcasts.

  22. Luiz+Fabriciano

    Dalcim, Emma Raducanu foi eleita revelação do ano, pelo que aprontou em Nova York.
    Para mim, nenhum espanto.
    Mas, a título de curiosidade, já houve na história, quem entrasse pelo quali em um GS e passasse o rodo em todo mundo, sem perder sets, levantando o troféu como ela fez?

  23. Maurício+Luís+*

    Bom dia. Dalcim, o Belucci não tem técnico? Se sim, acho que seria interessante uma entrevista com ele pra explicar por que o Belo não sai nunca desse buraco em que se meteu. Porque uma coisa há que se reconhecer: ele é persistente. Pelo andar da carruagem, daqui a pouco ele vai estar disputando o quali do Aberto da Vila Rolimã, onde o pessoal tá fazendo comida com lenha que não consegue comprar botijão de gás. Infelizmente.

  24. VariantWagen

    Ok, Karatsev nao ganhou. Vc tem razão, mas então você vêm e apresenta Cameron Norrie( Indian Wells ), Hubert Hurkacz( Miami ) como ganhadores de MAster 1000.

    Tua resposta corrige, mas dá no mesmo…., pois em resumo, o título de Master 1000 de Djoko no segundo semestre não resolve em nada as pretensões do “Sorvete Sérvio” que vocês tanto gostam de saborear, e volto a repetir:

    – Não ganhou nada de relevante após Wimbledon (para as pretensões GOATÍSTICAS dos torcedores), e trata-se de uma incógnita se ele realmente conseguirá repetir o título do AUSOpen em 2022, ou se o que aconteceu foi uma virada de mesa por parte dos NEXT GENs Zverev e Medvedev. E se não repetir os pontos da final, eventualmente poderemos finalmente ter um novo número 1 já nos primeiros meses de 2021.

    Vamos aguardar pela virada de ano. Desejo a todos os chorões, papagaios e ditadores da estatísticos do Blog uma ótima passagem de ano (Com muita Nutella e diálogos entre o EGOs e o ALTER EGO fake de alguém sobre música e filmes):

    https://gti16.tumblr.com/post/124378075468/breakfast-by-the-pool-breakfast-nutella-pool
    https://br.pinterest.com/pin/849843392159109052/

    E no ano que vem voltaremos a infernizar a vida de voces (se Deus e o Editor assim nos permitir).

    Talkey!

    1. Valmir+da+Silva+Batista

      VARIANTWAGEN, eu respeito os números, o jogo bem jogado e todas as atribuições inerentes ao Djokovic enquanto grande tenista que de fato é, e eu seria um perfeito idiota se fechasse os olhos para o seu sucesso, que é real e, portanto, irrefutável, ou seja, não posso me furtar a ter discernimento. Por outro lado, ele é também um tenista que não me encanta e vou além, ele é um tenista que não gosto, assim como jamais me agradou seu comportamento fora das quadras. Está dito, ok?

  25. Marcelo+Costa

    O leviano exercício de tentar adivinhar o futuro, mas mesmo errando mais que qualquer coisa vamos lá:
    Russo vence AO
    RG não fica com o espanhol, nem com o sérvio
    WB última chance do sérvio chegar ao 21
    US Sascha enfim vence seu primeiro Slam

    Podem cobrar ao final do ano que vem, vou errar tudo mesmo

  26. Rafa

    Bellucci foi o melhor jogador que o Brasil já teve depois do rei Guga. Melhor que Mattar e Motta, de longe, talvez valendo discussão apenas no que se refere a Koch. Sendo a rainha, obviamente, Maria Esther.

    Gostaria de ter visto a que ponto teria chegado a carreira de Saliola (Marcelo) se ele não tivesse se frustrado com o esporte tão cedo a ponto de desistir dele. Por alguma razão achava que aquele rapaz tinha um potencial imenso.

    Em minha infinita ignorância, penso assim.

    PS: Minha querida Andreescu é mais uma vitimada pela opressão mental. A lista só aumenta./ Muito feliz com a recuperação de Carla Suárez. Mais uma guerreira espanhola, affeee, desta vez derrotando nada menos do que o câncer.

    1. Marcelo+Costa

      Nós somos ufanistas a ponto de achar Senna sobre-humano, Guga um Deus e neymar um mega craque, em contrapartida Bellucci nos trucidamos como um fracassado, o cara que foi 21 do mundo. Essa nossa necessidade de heróis e vilões que me causa espanto.

      1. lEvI sIlvA

        Marcelo, meu caro, me “inclua fora dessa” sobre Neymar.
        Nunca fui obcecado por futebol, nem quando o que importava de verdade, era jogar. Depois que esse moleque, sem noção já foi até capitão da seleção…
        Sinto muito, deixei esse esporte de lado.
        Abraço!

      2. Sérgio Ribeiro

        1 . Senna está em qualquer lista entre os três melhores segundo os próprios Pilotos ( 220 Ex-pilotos da fórmula 1 participaram na Autosport ) . 2 . GUGA entre os 5 melhores Saibristas da história ao introduzir uma nova maneira de jogar sobre a superfície. 3. Neymar um Craque na acepção da palavra ( segundo os jogadores ) , mas questionado até no Brasil. Sinceramente, meu caro , não sei de onde tirastes os outros “ adjetivos “ . Bellucci sim deveria ser mais respeitado pois TOP 21 nem mesmo o grande Thomaz Koch atingiu . Abs!

        1. Sérgio Ribeiro

          Correção : Na votação pela Autosport e BBC , Senna o mais completo de Todos os Tempos. Na Época Lewis Hamilton ainda era HEXA . Abs!

        2. Marcelo+Costa

          Você corroborou meu comentário, Senna e Guga estão entre os maiores, mas só, não são deuses como teimamos em tratar, esse é o ponto, respeitar o atleta, mas não idolatrar como fazemos.

    2. Valmir+da+Silva+Batista

      RAFA, que o “Bellucci foi o melhor jogador que o Brasil já teve depois do rei Guga”, eu até concordo, mas isto não quer dizer grande coisa, né? A questão é se ele é ou foi um grande tenista ou não, até porque, pós Guga tem e teve uma porrada de tenistas brasileiros no circuito, ou seja, esses todos pós Guga têm é que jogar bola pra caralho, pois não basta ser o melhor na sequência do que foi o melhor, já que isto é vago. Qual a eloquência tenística do tal Bellucci como o melhor pós Guga? Mas claro, não almejo um novo Guga ganhador de títulos, mas sim um tenística que jogue de forma competitiva e bonita, no sentido quadra, bola e raquete…

      1. Rafa

        Eu aprecio seu ponto de vista e tudo mais, mas por favor, faça a gentileza de não usar palavrões, pelo menos quando for responder a um comentário meu. O senhor não está na sua casa.

        Obrigado.

        PS: Caso o senhor pense diferente e pretenda reincidir no ato, peço ao Dalcim que edite seus comentários, ninguém é obrigado a ler linguagem chula em um ambiente público.

        1. Rafa

          Ah, se o senhor entende que Bellucci não teve “eloquência tenística” no cenário brasileiro e mundial, não vejo sentido em seguir com essa conversa.

        2. Valmir+da+Silva+Batista

          RAFA, grande coisa o seu senso de pseudo educação, até parece que o uso de palavrões configuram, obrigatoriamente, ausência educacional. Creio que você apela para o seu libelo falso moralista, decerto por lhe faltar argumentos mediante a força dos meus, ainda que providos de palavrões em meio ao que afirmo, obviamente, com conhecimento de causa. Acho ridículo um barbado desse tamanho ameaçar chorar para o DALCIM me aplicar sanções, em razão de eu utilizar palavras não enfeitadinhas em alguns de meus comentários. Mas convenhamos, creio que até ele, se leu as suas lamúrias, deve estar rolando de rir no carpete, por conta da posição de pai de marmanjo que lhe foi atribuída…

          1. Rafa

            A ironia das ironias….

            Vc falar em falta de argumentos…

            Vamos fazer assim: eu, na minha imensa ignorância, vou recorrer à internet para rever reportagens do finado “Notícias Populares”. Apesar do baixo nível, eles pelo menos eram engraçados.

            Vc, nem isso. Não faz ideia do que é uma argumentação, não tem base para construir uma, é prolixo, redundante e confuso. Para se auto-afirmar (ou seja, se iludir), utiliza de termos chulos – e comigo não foi a primeira vez, é desagradável, inconveniente e desprovido de qualquer carisma. Enfim, essa sua conversa sobre “chorar” e ” marmanjos barbados” é típica de alguém que teve na infância uma figura controladora, que suprimiu sua personalidade. Hoje, adulto, vc está perdido, sem sequer ter noção de como conviver em sociedade.

            No fundo, eu lamento por você.

  27. Maurício+Luís+*

    O Thiago Wild deveria jogar contra o Bellucci pra ver se ganha alguma coisa… apesar que parece estar indo pelo mesmo caminho, só que + cedo. O Bellucci pelo menos chegou a ser 21 do mundo.
    TRABALHO VOLUNTÁRIO PRA ANTIVAXX — – – – – o negacionista antivax “emérito” deste blog em ocasião anterior chamou a pandemia de “fraudemia”. Bom, já que é tudo uma fraude, sejamos COERENTES. Sugiro a ele que vá visitar a ala covid do hospital + próximo da casa dele, ou se oferecer pra trabalhar como voluntário. Não serão fornecidos equipamentos de proteção, uma vez que o vírus não existe… E ainda faz uma caridade, porque os enfermos do vírus inexistente estão se sentindo muito sozinhos. Injustiça isolar doentes por causa de uma fraude. Ainda bem que temos Vossa Senhoria e seus amigos antivaxx pra “acorregerem” este absurdo!!
    Ah, e pra distrair os doentes durante sua ilustre visita, uma outra sugestão: leve um vídeo mostrando a borda da Terra plana pra eles se distraírem.

    1. Valmir+da+Silva+Batista

      RAFA chorão de conduta ilibada, agora você desandou a apenas perfilar adjetivos para me classificar disso, daquilo ou daquilo outro, e ainda supõe que a mim é que falta argumentos, não é mesmo? Mas sejamos razoáveis, apenas listar adjetivos gastando tempo e espaço mediáticos não chega a ser propriamente riqueza dissertativa por excelência, é, isto sim, um modo de fazer beicinho qual menininho birrento a um pai brigão, mediante o destrambelhamento do primeiro. Quanto a recorrer ao extinto “Notícias Populares”, como modus operandi para me atingir, ao extrair de tal fonte o que a priori você não possui, mesmo pautando a sua leitura não apenas no referido periódico, eu diria que é justamente o tipo de veículo de comunicação que mais tem a ver com a sua pessoa, sendo desnecessário expressar aqui o motivo. No mais, você disse em seu comentário que lamenta por mim, mas convenhamos, dá uma geral nos seus pareceres e o faça também nos meus, ou seja, eu é que tenho que ter pena de você, e tenho…

      1. José Nilton Dalcim

        Esta discussão pessoal entre vocês se encerra aqui. Se quiserem continuar o debate, terei o prazer de enviar email pessoal um para o outro e aí podem continuar o debate apenas entre si. Grato!

        1. Valmir da Silva Batista

          Só espero, DALCIM, que nenhuma represália seja proporcionada por você além da ideia dos e-mails, pois não estamos mais vivendo num sistema ditatorial. No mais, agradeço a ponderação…

          1. José Nilton Dalcim

            Não há motivos para represálias, apenas não publicarei mais diálogo direto entre vocês nesse tom bélico. Se o papo for sobre tênis, nenhum problema.

  28. Spwagen

    S3nsacionais as 350 semanas do Djoko no topo. Mas… se nao for à ATP Cup nem chegar a final do AusOpen, poderemos ter o Medvedev encostando na disputa da ponra do ranking.. ou mesmp passanfp a frente, dependendo da combinação de resultados.

    Acredito que a expectativa pelo 21o. GS será transferido para o próximo RG.

    Ao menos a França nao deve obrigar tenistas a ter esta vacina comuna… para tratar o virus comunista. Talkey???

  29. Paulo+Almeida

    O jogo de rede em duplas é totalmente diferente do de simples, no qual o Craque 350 weeks é exímio, com várias demonstrações ao longo do ano que não deixam a menor dúvida. É preciso um reflexo muito maior, que só viria com muito mais treino. Logo, é claro que ele não tinha a menor chance contra a melhor dupla do mundo com um parceiro improvisado, mas os freguesetes não entendem o óbvio.

  30. Sérgio Ribeiro

    Deu um migue’ na Copa Davis esvaziada, tipo não vou a ATP CUP rs . Como cravamos desde sempre o herói já se inscreveu rapidinho no Torneio Australiano . Com Nadal e os garotos vacinados ( até Thiem e Tsitsipas) , qual seria a desculpa do N 1 ? . Veio dizendo que somente interessava a ele estar ou não imunizado … Sei, … . Já passou da época do negacionismo, e jogar fora um possível SLAM , não é o estilo Novak que o mundo conhece rs . Abs!

  31. Luiz Fernando

    Djoko a caminho do AO, pela inscrição na atp cup, embora isso não seja garantia de nada. Mas o mais q chamou a atenção foi o teor dos comentários no final da matéria, condenando a vacinação. Nem parece realidade…

    1. Valmir+da+Silva+Batista

      LUIZ FERNANDO, é uma gentinha burra e escrota que se deixa levar pelo fator grande personalidade, estupidez que faz a cabeça de quem se permite ao glamour como forma de vida, e, assim sendo, faz muito sentido quando você diz que, aos olhos de certos descerebrados, nem parece tratar-se de “realidade” o fator covid e a vivência em geral, ou seja, o importante é a presença irrefutável do melhor tenista do mundo atualmente como antídoto contra todas as patologias, ele certamente tem o poder da cura…

  32. Rubens Leme

    Que coisa terrível aconteceu hoje na final do Mundial de Xadrez, talvez o maior erro em finais da história. O russo Nepo, com as brancas, cometeu um erro imperdoável no lance 27, …c5, jogou completamente fora a partida e agora precisa somar 4,5 pontos em 5 possíveis para ser campeão enquanto Carlsen necessita apenas de três empates nos próximos cinco jogos.

    A aplaudir o sangue frio e a educação do derrotado na coletiva de imprensa pós-jogo. Carlsen ficou até constrangido ao comentar o erro do oponente, especialmente porque Nepo tinha muito mais tempo no relógio para jogar e cometeu um erro infantil. Ao perceber a besteira, saiu da mesa por 20 minutos, mas ainda teve sangue frio de retornar e jogar mais uns lances, quando era esperado que desistisse no momento em que voltou.

    Os dois estavam proporcionando bons jogos, como o antológico empate de 136 lances, mas Carlsen conseguiu 3 vitórias em 4 jogos, sendo hoje com as negras. Amanhã teremos o décimo jogo, com o norueguês podendo fazer 7×3 e ficando a um empate de manter a coroa.

    Já Nepo irá demorar muito tempo para digerir essa derrota, a mais desastrosa de sua carreira e uma das mais dolorosas na história do xadrez.

    1. Enoque

      Esqueceu do bispo em b7 e neste nível é imperdoável. Já perdi muitas partidas pegando o pião do cantinho com o bispo e depois ficar preso e perder o bispo. Rafael Leitão e Rafael Chess não perdoaram este erro. Outro erro clássico é perder com o rei no curralzinho, mesmo com vantagem material, mas preso na última coluna e sem saída para o rei.

  33. Carlos

    A Copa Davis não existe mais! Esse é um outro torneio sem absoluta nenhuma relação com o anterior, mas que simplesmente usa o nome Copa Davis. A Copa Davis poderia ter sofrido várias alterações, sem problemas. Contudo, foi tão fortemente descaracterizada, a ponto de perder totalmente a identidade. A Copa Davis não existe mais.

  34. Gildokson

    Piqué e cia tem que saber usar a tradição a seu favor antes de todos abraçarem de vez essa tal de ATP Cup. Dois torneios de seleção no calendário dos tenistas top ninguém vai aguentar com o tênis praticado hoje.

  35. DANILO+AFONSO

    Faltam 28 semanas para NOVAK superar o recorde de semanas (377) na liderança do ranking pertencente a tenista alemã Steffi Graf.

  36. Luiz+Fernando

    Goffin disse q ainda acredita em bons resultados, se enfrentar o Bello ou o Monteiro terá ótimas chances…

  37. Oswaldo+E.+Aranha

    Incrível como há torcedores de determinado tenista que não se conforma em ver seu ídolo fora do circuito; então faz um enorme esforço, em vão, em tentar diminui a importância do melhor tenista da década e de dois talentos russos que estão brilhando. Tenho até pena de quem sofre assim

  38. Vinicius Souza

    Dalcim você acha que o nadal e o djokovic conseguem chegar aos 40 anos jogando em alto nível igual o federer?

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, nada é impossível para esses fenômenos, mas acredito ser mais difícil para o Nadal, que depende muito do físico e vem tendo seguidos problemas físicos. Djoko há anos tem sido econômico com o calendário e assim me parece ter mais chance.

      1. Gildokson

        Nível horrível do Federer.
        Aleijado, coroa, jogou 2 Slans, perdeu um jogo kkkkkkkkkkkkkk
        O que me faz lembrar também o quão é engraçado quando leio aqui que o Federer é fraco no saibro por “falta” de títulos.
        Os 2 últimos RG que jogou em anos o cara parou na semi pro Nadal em 2019 e esse ano nessa situação saiu pra se poupar antes da hora. kkkkkkkkkkkkkk
        Péssimo nível do Federer aos 40 anos .

        1. Jonas

          O último Federer em excelente nível que eu vi foi na temporada 2019/início de 2020. Depois disso ele foi ladeira abaixo…

          O Federer deveria ter se aposentado em Wimbledon 2019, com o título em mãos. Jogou tudo que sabia/podia naquela final, mas perdeu no detalhe.

          1. Paulo+Almeida

            Início de 2020 tendo que travar batalhas com Millman e Sandgren? Acho que não e foi ali que o joelho foi pro saco. O confronto com o Djokovic foi pra terminar de vez.

        2. Paulo+Almeida

          Até você negacionista, Gildokson? Assim você vai acabar entrando pra seita.

          Como pode ter jogado em alto nível perdendo pra Basilashvili, Andújar, sofrendo horrores pra ganhar do Koepfer e abandonado RG, humilhado por Aliassime em Halle e principalmente Hurkacz em Wimbledon? Fora que só perdeu pro Mannarino porque o francês escorregou e se contundiu.

          O fim chegou. Quem não aceita vai continuar sofrendo horrores.

          1. Gildokson

            Negacionista não Paulo, eu só to brincando pra tirar um sarro do nolopata aí de cima companheiro seu de torcida kkkkkk
            É lógico que sei que aquilo não é alto nível, mas também não é nenhuma vergonha pelas circunstâncias nas quais se encontra o gênio Roger Federer.
            Ahhh de onde tu tirou que perder um jogo pro Aliassime, um pivete cheio de vigor e bom tênis é humilhante??
            Menos… bemmmm menos…
            Abs!!

          2. Paulo+Almeida

            Não foi só perder pro Aliassime, foi levando vareio também. Ele foi bem em Wimbledon, mas perdeu do “cone” Berrettini (segundo você), se lembra? Rs.

          3. José Nilton Dalcim

            Vareio? Quando um adversário ganha o primeiro set, devemos chamar de ‘vareio’? Vivendo e aprendendo.

          4. Paulo+Almeida

            Mas depois foi dominado com 6-2 no terceiro. Se não foi vareio, posso dizer o mesmo do Djoko contra o Zverev em Tóquio, rs.

          1. Paulo+Almeida

            E o resto da temporada?

            Em Wimbledon escapou da eliminação na primeira rodada e foi aniquilado com pneu pelo polonês em plena Central, como já disse, mas você pode acreditar no que quiser…

          2. Jose Yoh

            Obviamente foi muito abaixo do que acostumamos ver.
            Mas se analisarmos o resultado e considerarmos que o foco foi WB, nao dá para dizer que foi ruim.

            Nao foi muito diferente do Nadal por exemplo, que chegou na semi em RG.
            Abs

          3. Sérgio Ribeiro

            O Nobre Piloto não toma jeito. A partida em Três Sets contra Aliassime foi excelente. Quartas em SLAM aos 39 esta pra lá de excelente. E de DEZ jogadas em 2021 , venceu Sete. O rapaz não se contenta apenas em ser fanático. Tem sempre que tentar desconstruir o mais importante jogador deste Esporte. Abs!

          4. Valmir+da+Silva+Batista

            DALCIM, PAULO ALMEIDA e outras criaturas tergiversantes que amam a parcialidade acima de tudo, ao invés de se aterem ao universo do tênis jogado e do tênis contextualizado, é ser muito tacanho ficarem às turras por conta de uma partida em que o garoto canadense Aliassime jogou melhor que Federer e ponto, ou seja, onde está o grande demérito que querem forjar, no que se refere a Roger? Acaso o cara não tem uma carreira brilhante em si e se comparada a meros três sets? Uma hora ou outra o declínio técnico chega, como chegará para Djokovic e o Zezinho da esquina, ainda mais mediante o declínio físico. Federer é craque de bola e foda-se o resto, eu gostando dele ou não. O que quero dizer é que seu declínio técnico é agora, aos quarenta anos, quatro meses e um dia. Sim, Federer segue sendo um craque de bola, só não é mais competitivo, aprenderam?

          5. José Nilton Dalcim

            É o que eu digo, Valmir, quem não admira Federer – independente de torcer ou não por ele – não entende realmente de tênis.

  39. VitorHugo

    Azar dos sérvios que não tem um duplista pra jogar e apostam no number 1 fake, jogo de rede medíocre, não sabe volear. Derrota certa para uma grande dupla.

    É por isso que Roger é o MAIOR, MELHOR E O MAIS COMPLETO DISPARADO DA HISTÓRIA.
    É o único que teria a mesma competência para jogar tanto duplas quanto simples. Tem um jogo de rede MUITO melhor que Nadal ou Novak, e teve dificuldades pra equiparar o jogo de base com os dois(apesar de ser muito mais técnico) pela idade, por não correr tanto como ou outros e por não fazer uso d dopping tecnológico ou outras coisitas mais…

    Medvedev sem dúvidas é um jogador consolidado e temido nas hards, mas um panga no barro e grama.
    Rublev é jogador de atp 500 e dificilmente faz frente a jogadores melhores ranqueados.
    Ganha de quem tem que ganhar e perde de quem tem que perder.

    1. DANILO+AFONSO

      Eu acho que o nobre Vitor deve acreditar muito no provérbio “água mole em pedra dura tanto bate até que fura” ou então na frase “Uma mentira dita mil vezes torna-se verdade”…kkkk

        1. Luiz+Fabriciano

          Vou acrescentar mais uma verdade às suas: a incompetência também impediu Federer de ter ao menos + 4 GS na conta dele.

          1. Jose Yoh

            Pra ver como o cara é bom.

            É incompetente, e se nao fosse poderia ter 24 slams.
            Como os outros dois são competentes, entao só tem 20 kkkkkk.
            Abs

          2. Luiz+Fabriciano

            Sim, corrobora com o que escrevi antes.
            Foi competente para fechar 20. Faltou para conquistar mais quatro. Pelo menos até a presente data, pois pode fechar mais ou não.
            Mas seria bom pegar a conversa completa.

          3. Jose Yoh

            É uma palavra que mesmo utilizada em uma situação específica, dá a impressao que é uma característica da pessoa. Então é utilizada sempre para depreciar alguém.

            Poderia ser utilizada com o seu campeao também? Foi vice por diversas vezes.

            Esses caras raramente perdem por incompetência. Sao preparados para enfrentar todo tipo de situação, senao nao seriam campeoes na maioria das vezes. Perderam porque estavam em um dia ruim ou o adversário foi melhor.
            Abs

        2. lEvI sIlvA

          Ué…!!!
          Outro dia desses, o Dalcim mesmo te falou que, o voleio do Djoko não é pior nem dentre o Top 10, não foi?

    2. Ronildo

      Sim, exatamente VitorHugo. Djokovic com certeza é o maior passador de bola de todos os tempos, já que conseguiu chegar a número 1 da atp com seu jogo monocromático. A falta de habilidade é tão evidente em seu jogo monocraticamente quase perfeito, que se fosse duplista não conseguiria entrar no top 200 no ranking das duplas.

      1. VitorHugo

        Sim, com certeza teria muitas dificuldades pra se manter no circuito de duplas! E pelas suas limitações, teria até dificuldades pra arrumar um bom parceiro em duplas.

        1. Luiz+Fabriciano

          Djokovic e eu somos limitados.
          Mas por que ele é o melhor tenista da história e eu não tenho nenhum ATP 0,5?

          1. Luiz+Fabriciano

            Nobre dramaturgo, se ninguém ocupou o posto de melhor do mundo em sua modalidade, por mais tempo, logo ele é o melhor da história.
            Very simple!

      2. Paulo F.

        Ele tem tanta falta de habilidade, que possui a mesma quantidade de Slams do gênio suíço, mas mais vitórias no confronto direto.
        Sem falar que derretou o Federer em dois 40-15 march points contra que se transformaram em vitórias.
        Como é pouco habilidoso esse sérvio….

  40. Luiz+Fernando

    Como não tem nada interessante de tênis p comentar, vamos pra F1: q cachorrada o Verstappen fez ontem, idêntica a atitude igualmente ordinária do Coulthard na Bélgica, em 1998. Infelizmente, as vezes na F1 vence o mais desonesto e não o melhor…

    1. Sérgio Ribeiro

      Que o diga o DICK VIGARISTA mor da categoria. O único piloto a perder TODOS os pontos de um Campeonato. E chegou a perder dois Títulos para Damon Hill e Villeneuve . MED MAX lembra esse cara no início de carreira em todos os atos ilícitos. Inclusive o fato que o segundo Piloto já tem que sair da frente desde o início da Temporada . Quando DICK enfrentou de igual Nico Rosberg na Mercedes, apanhou de cinto TRÊS temporadas consecutivas. Imagine se tivesse enfrentado Senna ou Lewis kkkkkkkk. Abs!

      1. Luiz Fernando

        Primeiro eu achava q não poderia haver um grupo pior e mais recalcado do q as viúvas do Senna; aí vieram as viúvas do Federer, que golearam o primeiro grupo. Que coincidência, vc pertence a ambos os grupos kkkk. Abs.

        1. Sérgio Ribeiro

          Jura ? . Reparou que pagas mico em série ? . És imbatível em postar groselhas em qualquer assunto . Sabes nada L.F . kkkkkkk. Abs!

      2. Gildokson

        Tem gente que admira esse cara ainda Sérgio, e coloca ele como o maior da categoria, o maior que exigia em contrato que o companheiro de equipe não pudesse chegar na frente dele kkkkkkk
        O cara era um trapaceiro nato!

      3. José+Yoh

        Schumacher era um piloto muito consistente.
        Ele era consistente na pilotagem e também nas vigarices. Houve um tempo que todo ano aprontava pelo menos uma. Sem contar os casos com segundos pilotos.

        Bem lembrado o caso da punição de pontos.
        Gostaria de admirar esse cara mas não dá, né?
        E não tem nada a ver com Senna ou Federer. Muitas pessoas pensam como eu, sem paixão nenhuma.
        Abs

  41. Carlos Reis

    Sobre aumento de mortes por infarto de atletas em 2021 ninguém quer falar né? Fora aqueles não foram a óbito, mas tiveram de se afastar do esporte. // Novo estudo conclui que as injeções de mRNA aumentam dramaticamente a inflamação endotelial, trombose, cardiomiopatia e outros eventos vasculares após a vacinação. É Feiki Nius!!! Vão dizer os fãzocas de VAC, essa gente linda.

    1. Marcowagen

      Pois é! E salve petistas e calças apertadas, exaltando essa a injeção letal! E ainda querem nos obrigar!!!

      Enquanto isso, russos levam mais uma.

      Quanto ao “GOAT Servio”, se nao ganha nem competição esvaziada….

      Após um início de ano fenomenal:, nao ganhou nada de relevante (para suas ptetensões) após Wimbledom.

      Vamos aguardar pelo AusOpen para ter uma idéia se trata-se de uma fase, ou se realmente nossos eternos NextGen deram um salto.

      Aposto na segunda teoria. E mais: Djoko não leva o AusOpen: vai ser vice do Medvedev… ou se eventualmemte cruzar com o Zverev numa semi, talvez nem final faça.

      1. Sandro

        O Senhor esqueceu que o Djokovuc derrotou o número 2 do mundo, Danil Medvedev, na final do MASTERS MIL de Parus há poucos duas atrás???
        E que com essa conquista fantástica, Djokovic bateu o recorde de incríveis 37 troféus de MASTERS MIL???
        Ou vc está com Alzheimer ou vc não sabe o que é conquistar um troféu de MASTERS MIL!!!

          1. Valmir+da+Silva+Batista

            MARKOWAGEN, em seu infeliz comentário, você comete três equívocos grosseiros, certamente apenas para não perder a viagem, no que se refere à contenda com o seu interlocuto. Primeiro reporta sobre a suposta não importância que os torneios de nível Master 1000 têm, ao afirmar que até o russo Aslan Karatsev acabou conquistando um, sendo que, na ordem relevante, os torneios de tal nível só perdem em status para os grand slans; o segundo equívoco grosseiro, por parecer que não sabe direito sobre que está falando, foi sugerir que o mesmo Karatsev é um tenista fraco, o que não é verdade, já que, além de ter vencido o Djokovic numa semifinal em Belgrado, ele é um dos jogadores que mais evoluíram em 2021, senão o que mais evoluiu; já o último equívoco grosseiro, também se refere a Karatsev: ao dizer que até ele conquistou um torneio Master 1000, você demonstrou mais uma vez que apenas vocifera sem nada saber, ou seja, Aslan não venceu nenhum torneio deste nível no referido ano, os vencedores de Master 1000 em 2021 foram: Cameron Norrie( Indian Wells ), Hubert Hurkacz( Miami ), Tsitsipas( Monte Carlo ), Zverev( Madrid e Cincinnati ), Nadal( Roma ), Medvedev( Canadá ) e Djokovic( Paris ), faltando apenas o Master 1000 de Xangai, que não foi realizado neste ano…

      2. Luiz+Fabriciano

        Qual a previsão imensamente mais fácil de se concretizar? Djokovic não vencer o AO ou o contrário?
        Gostaria que nos dissesse em qual dia exatamente ele deixará de ser o melhor tenista do mundo.

      3. Sandro

        Quem escreve isso: ” Djokovic não ganhou nada de relevante após Wimbledom”, não deve acompanhar tênis ou então é totalmente leigo!!!
        Desde quando ganhar o MASTERS MIL de PARIS não é relevante???
        Desde quando bater o incrível recorde de 37 MASTERS MIL no currículo não é relevante???
        Desde quando derrotar o número 2 do mundo, MEDVEDEV, não é relevante???

    2. Maurício+Luís+*

      Os seu companheiros de negacionismo e Terra plana estão em número cada vez menor. São maioria absoluta entre os óbitos depois de iniciada a vacinação. Não precisa acreditar em mim, e nem na que você chama de imprensa mentirosa. Vá pessoalmente até o hospital + próximo da sua casa e fale com o diretor ou com o provedor. E será que você tá de óculos escuros pra não enxergar à sua volta? Porque eu perdi amigos e colega de trabalho para a covid. Será que estou mentindo sobre meus contatos?
      ” O pior cego é aquele que não quer ver “.
      ” Discutir com uma pessoa que renunciou à lógica é como dar remédio a um homem morto ” ( Thomas Paine)

    3. Maurício+Luís+*

      Os seu companheiros de negacionismo e Terra plana estão em número cada vez menor. São maioria absoluta entre os óbitos depois de iniciada a vacinação. Não precisa acreditar em mim, e nem na que você chama de imprensa mentirosa. Vá pessoalmente até o hospital + próximo da sua casa e fale com o diretor ou com o provedor. E será que você tá de óculos escuros pra não enxergar à sua volta? Porque eu perdi amigos e colega de trabalho para a covid. Será que estou mentindo sobre meus contatos?
      ” O pior cego é aquele que não quer ver “.
      ” Discutir com uma pessoa que renunciou à lógica é como dar remédio a um homem morto ” ( Thomas Paine)

    4. José+Yoh

      Olá Carlos, eu gostaria de falar sobre o aumento de mortes por infarto de atletas em 2021.
      Gostaria de saber qual a fonte desse dado e se há algum estudo de fonte confiável confirmando alguma relação com as vacinas.
      Abraços

      1. Maurício+Luís+*

        José Yoh, desculpe me intrometer, mas a fonte “confiável” dele são Face, Whats, livros de pseudo-ciência, Telegram… só. Até hoje ele tá me devendo um vídeo da borda da Terra que ele afirma que é plana. Deve ter visto no Telegram também.

        1. Jose Yoh

          Quando se fala “…ninguém quer falar né?” entende-se que há uma prova indiscutível sobre o assunto.

          Ou pode ser que ninguém – nem ele mesmo – quer falar, sei lá.
          Abs

    5. Gustavo

      Eu ainda leio/vejo/ouço sobre “efeitos adversos das vacinas”.
      Caramba! Foram aplicadas mais de 8 BILHÕES de doses!
      Se 0,1% tivessem tido essas tais reações adversas, seriam 8 milhões de pessoas. Mais do que os mortos por covid-19 no mundo.
      E a gente não estaria sabendo?

  42. Valmir+da+Silva+Batista

    DALCIM, creio que o único país com igual variação de grandes opções em seu contingente, se formos comparar ao patamar do tênis masculino russo, ainda que não tenha vencido nada por equipes em 2021, tal país é a República Tcheca no TÊNIS FEMININO, já que, individualmente, possui seis jogadoras craques no top 50, três no top 20 e duas no top 10( Pliskova e Krejcikova, respectivamente quarta e quinta do ranking ), além dos grandes resultados alcançados no referido ano. Portanto, estão de parabéns o tênis masculino russo, bem como o tênis feminino tcheco…

  43. Sandro

    A Rússia foi campeã porque fez o dever de casa nos jogos de simples, pois se Borna Gojo ou Marin Cilic conseguissem ao menos uma vitória em simples, ficaria muito difícil a Rússia vencer a partida de duplas. A Croácia tem os melhores duplistas do mundo na atualidade, e sua chance seria levar o confronto para ser decidido nas duplas. A chance da Rússia ser campeã era não deixar o confronto ser decidido nas duplas e resolver tudo logo nas partidas de simples, e foi o que aconteceu. Parabéns ao Rublev e, principalmente, ao Medvedev, número 2 do mundo, que fez uma temporada fantástica. Menção honrosa aos duplistas Nikola Mektic e Mate Pavic, os melhores do mundo em duplas, que também fizeram uma temporada incrível e foram os grandes responsáveis pela Croácia disputar mais essa Final de Davis. A revelação dessa Davis foi o jovem e corajoso Borna Gojo, um tenista que disputa mais Chalengers, que é pouco conhecido nos torneios principais da ATP, mas que jogou como gente grande contra jogadores como Andrey Rublev, Dusan Lajovic, Lorenzo Sonego e Alexei Popyrin, “TODOS” mais bem ranqueados que o garoto Borna Gojo.

  44. Luiz+Fernando

    Dalcim com a ATP Cup confirmada, num circuito pleno de torneios, vc não acha q um exagero dois torneios entre países? Pessoalmente acho q ATO Cup mais atraente, pois é mais rápida e ajuda os jogadores a ganharem ritmo no início do ano; a favor da Davis fala a tradição, que talvez por isso seja mais atraente p os jovens, como exposto pelo Medvedev…

    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, Luiz. Daí realmente ter sido um erro grave a Davis mudar o formato. A ATP Cup claramente foi criada para competir com a Davis e a ATP tem os contratos na mão para exigir a presença dos jogadores. É uma pena. Tomara que sobre bom senso.

  45. Maurício+Luís+*

    Ponham o Bellucci pra jogar a Copa Davis. Ponto garantido pra nós. E o Thiago Wild, com seu temperamento de monge budista do Tibete, se houver algum atrito ele logo se apresenta pra apaziguar os ânimos. Candidato ao Prêmio Nobel da PAZ.

    1. Valmir+da+Silva+Batista

      MAURÍCIO LUÍS, são dois enganadores de marca maior. A mídia vendedora de subprodutos e a gentinha alienada sequiosa por super-heróis, que não podem ver um futebolista aplicando meia dúzia de dribles desconcertantes, ou um tenista ganhar um grand slam isoladamente, que já supõem estar diante de um novo Messi ou uma nova Serena Williams, por exemplo. No caso da mídia tupiniquim e dos burrinhos do mesmo país, a primeira vendeu caro os medianos( e olhe lá ) Thomaz Bellucci e Thiago Wild, sendo que os demais, se ridicularizaram como sempre, ao pagarem o preço, já que gostam de porcaria…

      1. Maurício+Luís+*

        Pois é… conforme eu venho dizendo, não dá pra se esperar milagre se no Brasil fica caro jogar tênis mesmo pra classe média. Tem que ser sócio de clube (raras quadras públicas e mal conservadas), $$$ pra tênis, raquete, bolinhas, etc. Se tiver a pretensão de se profissionalizar, tem que depender do ‘pai’trocinador, porque patrocinador é só depois que começar a despontar. Maria Esther Bueno e Guga são pontos fora da curva, onde talento e esforço venceram tudo que é obstáculo.

        1. Rafael+Azevedo

          O alto custo do tênis não é referente a quadra, raquete, bolinhas, etc., mas às inscrições, locomoção e estadia dos torneios. Ter que custear isso é inviável para 99% das pessoas, sem patrocínio.

          Esse é um problema de todos os esportes individuais no Brasil. Pode perceber que o Brasil, tradicionalmente, se destaca nos esportes coletivos, mas nos individuais sempre tem uma história de um super-atleta que não tem dinheiro para a passagem…

          Para existir uma equipe de algum esporte coletivo, tem que necessariamente existir um clube. Assim, todo atleta de esporte coletivo estará ligado a um clube. E o clube financiará esses custos. Eu joguei vôlei amador durante a fase juvenil e nunca gastei um tostão para inscrição, viagens e estadia. E olhe que a gente disputava vários torneios no ano.

          Porém, o caso do tênis é ainda mais grave porque um torneio pode demorar 1 ou 2 semanas. É diferente de um maratonista, ciclista, lutador…esses tipos de competições duram em torno de em 1 ou 2 dias. Então, o custo do tênis por competição é muito maior. Fora isso, para se manter competitivo em termos de ranking, o atleta precisa disputar vários torneios no ano. Então, além do custo de um torneio ser mais alto, o atleta precisa disputar mais torneios em um ano, comparado aos outros esportes individuais. Isso, para um atleta iniciante que vai perder sempre nas primeiras rodadas é um saco furado para o dinheiro

          1. Maurício+Luís+*

            Rafael, acredito que o custo do material é também fator impeditivo. 1 lata de bolinhas na minha cidade tá custando $ 50. Pobre não tá conseguindo nem comprar botijão de gás… tem gente cozinhando com lenha… No mais, concordo com tudo que você escreveu.

        2. Rafael+Azevedo

          Complementando meu comentário acima, fica fácil entender que os países ricos consigam formar grandes tenistas, já que há condições de financiar esses custos.

          Mas, eu não sei qual é o segredo da Argentina, por exemplo. Não sei se lá há uma política pública de incentivo ao tênis, ou se é a própria popularização. Porque se um esporte for popular na nação, ainda que o custo seja alto, sempre vai haver produção de grandes atletas. Além de estimular um pouco mais o patrocínio empresarial, sempre há famílias ricas dispostas a custear seus pupílos, mesmo em países mais pobres. Mas, se o esporte for impopular, menos pupílos ricos vão se interessar nessa carreira.

          Creio que a solução passa pela popularização. Parabéns ao Tênis Brasil por ser um pioneiro nessa tarefa

          1. Rafa

            Que troca de ideias agradável e informativa essa do Maurício e do Rafael. Foi como se eu estivesse lendo uma reportagem muito bem escrita e objetiva, fora que acreditei nos argumentos de ambos.

            Muito bom mesmo, E NEM TENHO QUE PAGAR ASSINATURA para ter acesso a essas informações e opiniões. Parabéns aos dois.

        3. Valmir+da+Silva+Batista

          MAURÍCIO LUÍS, e na esteira dos dois momentos históricos, no que se refere ao sucesso de Maria Esther Bueno e Gustavo Kuerten, não aproveitou-se a euforia que se criou em torno do jogo de tênis, como promoção a este esporte, a fim de impulsionarem o mesmo no Brasil, sobretudo a partir da era Guga. Agora, sem fatores positivos como estes dois nomes, fica mais difícil fazê-lo, já que patrocinadores em geral invertem a ordem das coisas no Brasil, ou seja, primeiro o praticante de alguma modalidade tem que acontecer, para, posteriormente, haver o investimento. Mas isto, obviamente, não faz com que eu retire o que disse a respeito de Bellucci e Wild em meu outro comentário, ambos não passam de enganadores distribuindo raquetadas…

Comentários fechados.