Na reta final de 2021, destaques e decepções
Por José Nilton Dalcim
29 de setembro de 2021 às 16:07

Prestes a iniciarmos a reta final da temporada 2021, que promete ainda dar oportunidade a todo mundo, é boa hora para se avaliar quem foi até agora surpresa, os que entraram no rol das novidades e é claro as decepções que tivemos até aqui no circuito masculino.

Como o ranking ainda não é o parâmetro mais confiável, levei em conta na minha lista também a expectativa que se tinha sobre alguns jogadores e, inevitalvemente, a questão das contusões, que não podem ser colocadas na balança de uma avaliação técnica.

Vamos então aos meus eleitos, certo de que haverá boas contestações.

As surpresas
Aslan Karatsev – É bem verdade que perdeu fôlego, mas sua arrancada foi totalmente inesperada.
Carlos Alcaraz – Qualidades inegáveis no saibro, passou a mostrar ascensão também na quadra dura.
Sebastian Korda – Um jogador que tem mostrado variados recursos e é bem assessorado.
Lorenzo Musetti – Perdeu-se um pouco após o saibro, mas é cheio de talento e de ousadia.
Jenson Brooksky – Grata surpresa das quadras duras, com um tênis forte e criativo.
Brandon Nakashima – Já se mostrou competitivo contra nomes de peso e tem mental destacado.
Holger Rune – Jogou ‘future’, challenger, ATP e Slam num salto de 350 posições.

As novidades
Casper Ruud – Com um tênis todo certinho, usou saibro de trampolim para o top 10.
Hubert Hurkacz – Representante perfeito do tênis moderno: alto, forte e muita perna.
Jannik Sinner – Viveu alguns altos e baixos, mas continua a evoluir com maturidade.
Cameron Norrie – Canhoto sem tanta potência, é dedicado no plano tático. Está mais versátil.
Lloyd Harris – Típico de quadra dura, teve algumas grandes vitórias na temporada.
Alexander Bublik – Baixou quase 20 posições. Habilidoso, ganhou um estilo próprio.
Illya Ivashka – Joga bem em todos os pisos e deu um salto após endurecer contra Federer na grama.

As decepções
Dominic Thiem – Talvez devesse ficar de fora devido às contusões, porém sua falta de confiança foi mais relevante.
Cristian Garin – Não está mal de ranking. A decepção é porque não progrediu tecnicamente em quase nada.
Roberto Bautista – Depois da final em Doha, raramente ganhou três jogos na mesma semana.
Alex de Minaur – Tal qual Garin, seu jogo não avançou além da correria e da boa vontade.
Fabio Fognini – Começou bem, mas até agora ganhou só metade dos jogos de ATP que fez.
Nick Kyrgios – Decepção total, com raros momentos lúcidos. Está perto de deixar o top 100.
Fernando Verdasco – Termina sem vitórias em Slam, tendo jogado quali nos EUA. Aos 37, é 145º.

P.S. 1: Com um texto sensível e bem formato, Victor Hugo Cremasco conta num belo artigo o que o faz admirar tanto Roger Federer. Vale a leitura.

P.S. 2: Para encerrar a polêmica criada quanto à presença de diferentes ‘Paulos’ aqui no Blog, posso assegurar após devida checagem que o Rubens Leme não foi autor nem criador desses comentários.


Comentários
  1. Valmir da Silva Batista

    Vou reiterar o teor do meu último comentário acerca dessa sua última postagem, Dalcim, já que, além de você não tê-lo respondido, parece haver também certa negligência quando se trata do tênis feminino, no que se refere a compará-lo com os acontecimentos do tênis feminino, ou seja, peço que faça igual avaliação sobre as jogadoras no ano corrente, senão não é tênis, mas sim ATP…

    1. José Nilton Dalcim

      O tênis feminino tem o devido destaque, tanto no TenisBrasil – não conheço outro site de notícias gerais de tênis que dê tanto espaço ao circuito WTA – como no Blog. Basta ver as recentes postagens durante e pós-US Open.

    2. Gustavo

      para vc dizer que há negligencia por parte do tenisbrasil ao tenis feminino é porque vc nao tem lido o site…
      todos os dias têm matérias sobre o tenis feminino
      e o Dalcim sempre sempre sempre menciona e tece observações sobre o tênis feminino e sobre as tenistas

      1. Valmir da Silva Batista

        Mas em se tratando de temática tão específica como avaliação de final de ano a respeito do mesmo quanto a todo o seu período, há que fazer rigorosamente igual para ambas as entidades, ou seja, tanto para a ATP quanto para a WTA. Hoje, por exemplo, já tem matéria no blog que trata sobre Indian Wells/2021, sendo que o mais sensato e o mais lógico seria a postagem de um texto avaliando as tenistas no ano corrente, algo que certamente o leitor estivesse no aguardo. Portanto, Dalcim, o correto a se dizer não é que não tenho acompanhado o blog a contento, mas sim que ultimamente tenho começado a declinar de sua leitura, justamente pela falta de igualdade dispensada ao tênis feminino, em comparação ao masculino. Obviamente, você sempre dirá o inverso, ao não afirmar que há algo de negativo no que produz, mesmo em tratando de algo “menor” quanto ao que publica de bom geral…

  2. Luiz Fernando

    Se vencer na estreia, Monteiro poderá seguir Federer: se vencer o magistral Norrie terá chances no torneio kkk…

  3. Ronildo

    Então pessoal, vocês não acham estranho que enquanto houve um ATP 250 em Sofia, capital da Bugária, Dimitrov estava disputando outro ATP 250? Em minha opinião é a mesma história de sempre que se repete. Nunca houve na Bugária um jogador tão expressivo como Dimitrov, e assim, haja encrencas com os chefões do tênis lá. Lembro que quando ele estava no top 10 criaram polêmicas por ele não jogar o ATP de Sofia, apesar de todos saberem da importância de pular torneios menores no caso dos líderes do ranking. Gustavo Kuerten também teve atritos com a cúpula do tênis no Brasil. Mas um caso que me chamou muito atenção foi o do Juan Carlos Ferreiro, que praticamente implorou para ser técnico da seleção espanhola da Copa Davis e os cartolas simplesmente o ignoraram.

  4. DANILO AFONSO

    VITOR BARSOTTI

    “E aproveitando para entrar na discussão do melhor: imagine passar por uma quadra de tênis, sem saber, e ver Federer jogando. Se alguém disser que esse é o melhor jogador do mundo dá pra acreditar, certo? Para qualquer outro – incluso os dois principais rivais – isso também seria válido? Ou a pessoa teria que escorar sua afirmação em números: mas ele tem tantos e tais títulos, ganhou tantas vezes do Federer…”

    Vitor, qualquer pessoa alheia ao fanatismo dos torcedores do BIG3 que tivesse a honra de ver NADAL ou DJOKOVIC jogando, poderia perfeitamente concordar que estaria diante do melhor jogador do mundo.
    E se a pessoa tiver noção dos fundamentos (golpes) do tênis, for um praticante da modalidade que não conhecesse Djokovic e Nadal ( o que acho difícil), acreditaria com mais facilidade que estaria diante de um fenômeno.

    O torcedor que observasse o NADAL ficaria abismado com:
    – o forehand agressivo do NADAL na paralela;
    – o forehand atacando o backhand do adversário com a bola quicando na altura do ombro cheio de veneno (spin);
    – a incrível capacidade de cobertura da quadra, obrigando o adversário a devolver mais algumas bolas.

    O torcedor que observasse o DJOKOVIC ficaria impressionado com:
    – a inigualável capacidade de trocar com regularidade a direção da bola com profundidade, tanto no forehand quanto no backhand;
    – a sua devolução fora da curva;
    – a sua velocidade acima da média;
    – a peculiar capacidade de deslizar na quadra dura, muitas vezes “lançando mão” da sua elasticidade incomum no circuito;
    – seu poderoso contra-ataque (forehand na cruzada) e backhand defensivo na paralela com as pernas abertas, a exemplo do championship point no Finals de 2012 contra o Federer;
    – e igualmente ao Nadal, a incrível capacidade de cobertura da quadra.

    Enfim, fico impressionado como alguns torcedores equivocadamente pensam que o tênis se resume a plasticidade e elegância na execução dos golpes, quando na verdade a complexidade e variáveis do jogo vão muito além disso.

  5. Rafael

    “As acusações levantadas contra Alexander Zverev são graves e temos a responsabilidade de abordá-las. Esperamos que nossa investigação nos permita estabelecer os fatos e determinar as ações de acompanhamento apropriadas”, afirmou Massimo Calvelli, chefe executivo da ATP.

    “Entendemos que Zverev veja com bons olhos a nossa investigação e reconhecemos que negou todas as acusações. Também estaremos monitorando quaisquer desenvolvimentos legais posteriores após a liminar obtida por Zverev nos tribunais alemães”, complementou o dirigente da entidade que comanda o circuito masculino. (fonte: Tenisbrasil)

    Quando postei aqui sobre a ATP e esse caso, li que não cabia à ATP investigar ou de qualquer forma se meter no caso. Finalmente tomaram uma postura pública e parece que o “o dirigente da entidade que comanda o circuito masculino” pensa diferente dos colegas, ainda bem.

  6. Paulo Almeida

    Aí, Rafael, não sei se gosta só de Bon Jovi ou do hard rock oitentista em geral, mas, de qualquer maneira, gostaria de lhe sugerir o Whitesnake self-titled de 1987, que está longe de ser aquele farofão sem sal.

    O álbum conta com faixas como Still of the Night, Bad Boys, Children of the Night e Crying in the Rain (todas como uma pegada mais forte, quase heavy) e também com os bons hits Here I Go Again e Is This Love. O excelente guitarrista Vivian Campbell, que tocou nos três primeiros álbuns do Dio (Holy Diver, The Last in Line e Sacred Heart) estava presente naquela formação. Já vi a banda ao vivo quatro vezes (algumas vezes abrindo pro Judas Priest) e foram espetáculos memoráveis.

    Abs.

    1. Rafael

      hahahaha, gosto de muita coisa, Paulo, David Coverdale e cia sempre estão na minha playlist. Vou por aqui algo que gosto a ponto de CHORAR, dependendo do momento em que escuto:

      A banda Heart, das irmãs Wilson.

      Algo que me divertia bastante era Linkin´Park. Achava muito interessante a combinação do rapaz berrando e do outro falando. Pena que o rapaz que berrava se matou. Gosto de muita coisa do Metallica, do Iron Maiden, DO KISS (rsrsrs), do Judas Priest, do Marillion, do RUSH, do David Byrne – das Cabeças Falantes, do Morrisey – na época do Smith; pra vc ter uma ideia ADORAVA o vídeo do Twisted Sisters pra “We’re not gonna take it”, tenho mais de 200 músicas clássicas no meu laptop, sou apaixonado por trilhas sonoras, quando vejo no Youtube algumas arranjos de orquestra da trilha do Lone Ranger fico arrepiado, praticamente todas as do John Williams, Superman, Star Wars, etc. Ah, ADORO ABBA – praticamente tudo, TIVE O LP ao vivo do show do RPM no auge e lembro de ter ficado até orgulhoso, pensei: agora temos os NOSSOS Beatles, kkkkkk, Gosto de Led Zeppelin, Yes… O que vc apontar,de qualquer época, alguma coisa eu já ouvi. Fora os grupos que vcs às vezes comentam aqui, nem entro nas conversas pq nunca nem ouvi falar.

      Gosto de tudo um pouco, PORÉM não tenho capacidade analítica como a que vejo em vc e nos colegas, sou um leigo total. Assim, gosto de tudo que me toca, de uma forma ou de outra.

      Pode me julgar, só reconheço a autoridade de DEUS kkkkkkkkk

      1. Rafael

        Ah, adoro Jerry Lee Lewis, Elvis Presley, Roy Orbison… rockabilly em geral… Marvin Gaye, Johnny Rivers, New Order, Depeche Mode (me identifico muito com I Just can’t get enough), B52’s, Iggy Pop, Dio, Run DMC (My Adidas, It’s Tricky, nossa…), Grand Master Flash, Public Enemy, The Clash, Ira, Plebe Rude…. e vou parar por aqui ou não cumpro meu prazo de hj, rs.

        PS: Duas das músicas que mais mexem comigo é should I stay or should I go e come together, nem sei dizer pq

      2. Paulo Almeida

        Ah, você conhece e gosta de muita coisa boa! Bom saber!

        Coverdale é um baita vocalista e gosto mais do seu trabalho no Deep Purple, mas também mandou bem no Whitesnake, apesar dos excessos de “Love, Love, Love”.

        Aquele clip do Twisted Sister é engraçado demais, kkkkk.

        Estava falando do KISS com o Fabriciano outro dia e sabia que o Rush chegou a abrir seus shows nos anos 70?

        Abs!

        1. Luiz Fabriciano

          Opa!
          Obrigado pela lembrança. E me identifiquei demais com o gosto e os motivos do Rafael (além do Djokovic, é claro, kkk).
          Acrescente à minha play list o Roxette! Da parte técnica 0² à esquerda.
          Grande abraço.

      3. lEvI sIlvA

        Rafael, muita coisa boa por aí nessa salada musical…!!!
        Comigo não é muito diferente. Devo ter uns 900 Cds por aqui, desde o primeiro que comprei em 1993 na famosa Galeria do Rock na 24 de Maio.
        (Foi o Aqua do Asia com colaborações de Steve Howe nas guitarras). Já que que revelou gostar também de Marillion, gostaria de saber se tem o Brave e já teve a curiosidade de traduzir a letra dele. Se sim, segue meu e-mail: leviinacio11@yahoo.com
        Qualquer coisa, nos falamos por lá, ok?
        Cuide-se por aí, meu caro, sempre!
        Abraço!

  7. Marcilio Aguiar

    Agradeço ao Vítor Barsotti pela contribuição que deu abaixo para o debate entre a visão do esporte praticado com alta eficiência X praticado como uma forma de arte. Fiz o registro aqui porque não há mais espaço no local apropriado.

    1. Sérgio Ribeiro

      Então , caro Marcílio . Mas vamos combinar que eu já faço esta comparação há anos por aqui rs. E ainda fui além na tal estória do ” goat ” . Não necessariamente o mais eficiente vai levar , o legado promete dividir em muito as opiniões. A conferir rs. Abs!

  8. Carlos Reis

    E aí, vão comentar o caso do Chardy? Aqueles que querem descobrir A VERDADE sobre o liquidozinho que é considerado a “vaca sagrada” da $i
    ên$ia devem ir ao TELEGRAM, lá a censura é menor. Dezenas de jovens morrendo de infarto, AVC e hemorragia após a picadinha “milagrosa”, e aqueles que não morrem, vai acontecer o quê com essa gente? Vão ter problemas de saúde? Suas vidas serão ENCURTADAS? CHEGA de ser enganado, a mídia trabalha para O INIMIGO. Essa vacinação em massa tem tudo para ser o maior crime contra a humanidade até hoje.

    1. Rogerio R Silva

      Levando em consideração que após as vacinas os óbitos diminuíram,o caso dele me parece uma exceção.
      Simples assim.
      Bem como as acusações sobre o Wild e sobre o Zverev.
      Até que se provem a culpa,eles são inocentes.
      Simples assim.

    2. Anderson Barbosa Paim

      Concordo plenamente com vc. As pessoas estão cegas pela vachina e a imprensa bandida NÃO comenta os casos graves de reação! É a NOM!

      1. Rodrigo S. Cruz

        E como é que eu e MILHÕES de pessoas em todo mundo se imunizaram e não tiveram reação ruim?

        E como é que o número de casos e de mortes diminuiu drasticamente, após a vacinação?

        Tem como você nos explicar isso? Faça o raciocínio reverso, seu ignorante…

        Vírus se combate é com vacina mesmo. Ontem, hoje e sempre.

        E pouco importa se veio da China, do Kazaquistão ou da Disneylândia. Deixa de ser ignorante e maluco!

        Não transforme uma questão que é meramente de saúde pública, em uma guerra política em defesa do teu político de estimação.

        Seja mais inteligente, embora isso seja pedir muito.

        É revoltante que mesmo após 600 mil mortes no Brasil, ainda haja quem ataque vacinas…

        1. Anderson Barbosa Paim

          O fato é que há REAÇÕES COM MORTE em todo o mundo mas a imprensa bandida não mostra. E isso não tem nada a ver com político de estimação.

          1. Maurício Luís *

            A imprensa só noticia quando um fato é devidamente C H E C A D O. Se não mostra, é porque as suas fontes de informação são tão ocultistas quanto as do Carlos Reis. Vivem em um mundo de faz-de-conta, e acreditam naquilo que melhor lhes convém. Acreditam em gurus, em vez de acreditarem na Ciência, na Medicina, na OMS e nas autoridades de + de 130 países . Pra sua turma, são todos mentirosos. Só as suas fontes ocultistas negacionistas são as que falam as suas “verdades” mirabolantes.
            Os raríssimos casos de morte por reação da vacina estão sendo devidamente monitorados. Tanto é que grávidas foram desaconselhadas a tomar Astrazeneca, devido a UM caso de morte ocorrido. Isto pra citar um exemplo.
            Ser negacionista é um direito seu. Espalhar desinformação publicamente, NÃO. Fica sujeito a tomar “invertidas”.
            A prova da falta de credibilidade das suas fontes de informação é que negacionistas antivax como vocês vem dar “pitaco” em outros sites e blogs, porque se ficassem só nos blogs da sua NAIPE, ficariam falando sozinhos. Uma meia dúzia de gatos pingados. Pobres coitados…

    3. Maurício Luís *

      Continua com a sua tradicional indignação seletiva. Importa-se com o Chardy, dá-se ao trabaljho de escrever tanta coisa… e IGNORA :::::
      – os quase 600.000 mortos pelo vírus só no Brasil;
      – a sensível diminuição de óbitos após o começo da vacinação.
      Tinha certeza de que você apareceria com seus ataques. As pessoas acreditam na Medicina e na Ciência. E não em palpites leigos baseados em negacionismo.e em pseudociência de loja de 1,99.

      1. Maurício Luís *

        Crime contra a humanidade é tentar induzir pessoas ao erro, citando dados de fontes não confiáveis. Veja só o que aconteceu com esta família que seguiu os conselhos dos seus amigos antivax. Há + exemplos, mas vou citar só este pra não me estender.
        https://l.facebook.com/l.php?u=https%3A%2F%2Fwww.terra.com.br%2Fnoticias%2Fcoronavirus%2Fcovid-homem-ve-irmao-e-pais-que-recusaram-vacina-morrerem-em-uma-semana-em-portugal%2C4ae1361694ddc778dc4c5616ed9d5f707iasqij3.html%3Ffbclid%3DIwAR3I3jONn5njZGQANb35cJJeO9o550As42BOhyH61UONwThKXe0MGDQzsIA&h=AT1hAZT6pxWMbl6BTNHTSPUPmbbuErfZli5TOccE8UbDKohM1JnbEQWsENWytUFGykoCFj67RxRXH_7i0F0j0TmgJiVV-YmBFSYAoz4EE_xpJZAhZYpJBl5lwuqmMIlGamTs&__tn__=%2CmH-R&c%5B0%5D=AT2RRFd20GlubssVqokUphJ82kZkQ4UtLntUJgmAjQaSHHaVhAHJ3jX5hyhjZGNfJgMCSpUnoJTYrnlvpzpwR1nKWNqt87uOZ1RRIJfACwpxdXkPJXCiBiZW7jCZWA_Nj_vbx72EryqEY9voh6jXnHTXMg

  9. Marcelo Costa

    Li o artigo sugerido sobre o suíço, muito bem escrito, cheio de paixão, apesar da paixão excessiva tornar clichê demais, exagerada e por vezes não lidar com toda verdade, mas isso de nada importa, pois, o texto falava do cara que melhor tratou a raquete em suas mãos, que sintetizou o esporte, que fez o mundo vibrar as suas obras de arte em forma de golpes de tênis, eu quando em meu clube acerto um bate pronto já penso na hora, fiz igual ao suíço, imitei o inimitável sou um discípulo do mestre, e na outra dou aquela madeirada, afinal deuses não existem.
    Não acho o suíço o maior nem o melhor, isso deixo ao sérvio que foi melhor entre os melhores, pasme os três Reis magos juntos jogando entre si. Dito isso, se em 100 anos eu tivesse que mostrar como se jogava tênis, eu mostraria o suíço de trato fino com a raquete.

    1. Luiz Fabriciano

      “…acerto um bate pronto já penso na hora, fiz igual ao suíço, imitei o inimitável sou um discípulo do mestre, e na outra dou aquela madeirada, afinal deuses não existem.”
      Até nesse segundo lance, mesmo sem querer, o imitou. Rsss.

    2. Luiz Afonso

      Eu me achava fã do Federer, mas o Victor Hugo Cremasco conseguiu tornar poética a fuga do suíço em bater com a esquerda! Aí foi demais… Se havia uma coisa que me deixava inconformado com o Federer, era o fato dele não conseguir sustentar as trocas, com seu backhand, contra o Nadal (e não só contra este), e assim fugir desesperadamente da esquerda, tal qual um iniciante…
      Ficava me perguntando como um tenista que beirava à perfeição, podia ter um buraco tão grande em seu jogo.
      Mas, do resto do texto é isso mesmo: sempre foi um prazer imenso ver o Federer bailar pelas quadras, com uma técnica incomparável. O cara que não transpira, fazendo parecer que jogar tênis não exige nenhum esforço. E de uma plasticidade fenomenal.

  10. Luiz Fernando

    E o magistral Norrie mostrou ontem o quão magistral é kkk, exatamente aquele q era a baliza dos deslumbrados de sempre para as chances de Federer em W, dois gamezinhos em uma final, com direita a pneu. Tomara q seja a baliza pra Rafa várias vezes em 2022, se o espanhol retornar em bom nível claro, pois se não jogar em altíssimo nível não terá chances contra ele kkk…

  11. Sérgio Ribeiro

    O Trintão até chega na FINAL de um ATP 250 , como fez Monfils , mas é engolido pela Nova geração. SINNER e Rudd passaram o carro e só fazem aumentar a coleção de Títulos. Ambos entraram de vez na briga por vaga no ATP FINALS. E teremos em Indian Wells , nada menos que os 10 primeiros cabeças de Chave ( com a ausência do Sérvio) TODOS da Nova geração, sendo que o mais velho , MEDVEDEV com 25 . Quem acompanha o Blog sabe que a maioria dos comentaristas ainda esse ano , estavam incrédulos com a performance dos garotos perante o Big 3 . Mesmo com o alerta de que desde 2019 , somente em RG 2020 , não tivemos algum presente em FINAL de SLAM. No FINALS o Big 3 não vence desde 2015 . Dito isto , Novak Djokovic tem mais é que se poupar pra poder fazer frente aos garotos neste final de temporada . Abs!

    1. Marcelo Costa

      Estou impressionado com a intensidade do jogo destes jovens, jogam com os pés na linha, “espancando” a bola sempre, agressivos por toda partida, é espetacular quanto eles são agressivos.
      O tal bastão passou a eles, agora eles que lutem entre si pelos títulos.

    2. Luiz Fabriciano

      Mas Sérgio, esses caras vão chegar mesmo. Ninguém nega isso.
      O fato é que demorou. Vimos passar em branco duas gerações e ainda há o Big3 no páreo.

      1. Sérgio Ribeiro

        Exato , Luiz . Mas tinha muito marmanjo que não via diferença entre MED , Sasha e CIA , destas duas gerações perdidas . Tem Top 10 das citadas que não chegou a três vitórias pra cima do Big 3 . Vamos combinar que desde 2019 o nível melhorou bastante e Novak que renovou por 5 anos com os patrocinadores não terá vida mansa rsrs. Abs!

  12. Rafael

    Filipe,

    Não tinha mais o ícone de responder abaixo de sua intervenção, então digo por aqui: se há alguém que reflete o que é um gentleman aqui, você é essa pessoa. Muito obrigado. Espero que tudo esteja bem com vc e os seus. Quanto a mim, sou um osso duro de roer. Tive quase dez chances concretas de morrer por diferentes razões este ano, mas nem o diabo me quis (por enquanto) rsrs. O que mais me impressionou foi minha serenidade em cada um desses momentos, algo que ainda estou tentando entender. Depois do que passei, o quanto já me recuperei, a dificuldade em encontrar um fisio adequado eu tiro de letra. É só mais um detalhe.

    Abs, meu compadre!

  13. Rubens Leme

    Periferia, quando postei sobre Fome de Viver do Tony Scott, você falou que o Denzel era o ator favorito dele e, realmente, trabalharam juntos em cinco filmes. Ontem vi dois da dupla: o eletrizante Incontrolável e o interessante Deja Vu.

    Foram boas diversões.

    1. Periferia

      Olá Leme…

      Acho legal Déjà Vu…inclusive dentro de pouco tempo será um filme atualíssimo (Marvel colocará com força a temática de mundos paralelos em seus filmes).
      Déjà Vu tem essa pegada.
      Da dupla gosto muito de Chamas da Vingança…nem tanto pelo enredo…gosto do filme pela fotografia…a trilha (Creasy Dies) e o elenco.
      Ator como o Denzel Washington faz parte daquele seleto clube de astros que não precisam “entrar no personagem”….
      Qualquer personagem interpretado por ele…sempre será Denzel Washington.

      1. Rubens Leme

        Denzel é como o Clint. Todos os personagens do Clint são eles mesmo.

        A Marvel tentou usar isso no último Vingadores e fracassou. No filme até citam o De Volta Pro Fururo, que eles mostram o erro, mas cometem o mesmo. Achei um final interessante embora esperasse aquilo.

        Agora antes de ir me deitar revi Tora Tora Tora, o clássico, que mostra como as Forças Armadas da época eram uma piada se comparado com o que temos hoje. Anos depois, Hollywood atualizou o tema com Pearl Harbor que vale pelos 30 minutos de ataque insano japonês.

        E para fechar o tema guerra essa semana chega meu box de 2 dvds e 4 blu-rays de Apocalypse Now, FInal Cut que traz o novo corte de Coppola, de 2019, além do Redux e um documentário feito pela esposa do diretor. Quando chegar, passarei a semana toda degustando (https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1806724923-blu-ray-ultra-hd-4k-apocalypse-now-digipack-6-disco-lacrado-_JM#position=18&search_layout=stack&type=item&tracking_id=1ad85f00-71c7-462a-bf62-9244833b7fab).

        1. Periferia

          Olá Leme…

          Tora Tora Tora que teria a direção de Kurosawa…acabou dispensando pelo estúdio.
          Tenho o DVD do filme…vejo sempre…é um filme “isento”…um dos raros filmes americanos sobre a segunda guerra que tenta passar o lado do inimigo…
          A preparação para o ataque mostra um povo orgulhoso e meticuloso…não é um filme violento…apesar de retratar uma grande tragédia da guerra (muitos morreram).
          O filme tem 3 diretores….2 japoneses.
          Lembra um pouco (sutilmente) Iwo Jima do Eastwood (aproveitando a citação)….pelo cuidado com o “inimigo”.

        2. Periferia

          Olá Leme…

          Tora Tora Tora que teria a direção de Kurosawa…o estúdio o dispensou…
          Tenho o DVD do filme…vejo sempre…é um filme “isento”…um dos raros filmes americanos sobre a segunda guerra que tenta passar o lado do inimigo…
          A preparação para o ataque mostra um povo orgulhoso e meticuloso…não é um filme violento…apesar de retratar uma grande tragédia da guerra (muitos morreram).
          O filme tem 3 diretores….2 japoneses.
          Lembra um pouco (sutilmente) Iwo Jima do Eastwood (aproveitando a citação).

  14. João ando

    Federer e um dos únicos 6 atletas do mundo a superar a marca de mais de um bilhão de dólares ainda em atividades.Tem o patrocínio da uniqlo da on ranking e se não me engano da rolex

  15. Ruy Machado

    Perfeita a lista de destaques e decepções. Agora a pouco, vi que Norrie eliminou o Rublev e está na Final do ATP 250 de San Diego. Até então, nunca tinha ouvido falar. Conheci-o este ano pois jogou 3x contra Nadal (e 3 derrotas). E ainda faturou seu primeiro título de ATP em 2021 aos 25/26 anos. Será que leva mais um troféu para casa? Abc e bom fds

  16. Rubens Leme

    Dalcim, tô assistindo a semifinal entre o Rublev e o Norrie e o britânico é realmente o que escreveu, um canhoto de pouca potência. Aí me pergunto porque o Thiago Monteiro, igualmente canhoto e que saca muito mais e tem um forehand mais pesado do que o Norrie não consegue avançar tanto.

    Tecnicamente, são dois jogadores que ficam no fundo e acho a preparação do forehand britânico longa demais, especialmente quando ele se prepara para ir à rede, onde também não mostra muita intimidade.

    Não seria o caso do brasileiro abandonar esses chalengers no saibro e se arriscar mais nas quadras duras e tentar ser um pouquinho mais agressivo? Se o Norrie pode, ele também pode.

  17. Rubens Leme

    Dalcim, me tira uma dúvida sobre os cabeças de chave de San Diego. Porque o Dimitrov, 29 do mundo não é e o Daniel Evans, 63 era o oitavo? Reparei que jogadores melhores ranqueados estavam fora como cabeças de chave.

      1. Rubens Leme

        Explico meu erro: quando coloquei no google apareceu que ele era 63, só que é no ranking de duplas e não percebi isso. O que achei estranho foi ver o Karatsev fora dos cabeças de chave, sendo 24 do mundo, mas nçao tinha ideia que seria um torneio tão disputado sendo apenas um 250, pois o Sonego, cabeça 9 é o 23 do mundo. Por isso, estranhei.

  18. Ricardo

    Dalcim, fugindo um pouco do tema do blog, o que achou da lamentável carta aberta do Wild (claramente escrita por advogados)? Acha que esse rapaz deveria ainda continuar no circuito depois de tudo isso? A meu ver, caso se confirmem todas as acusações, ele deveria ser banido do esporte. Abs

    1. José Nilton Dalcim

      Não vi qualquer problema em o pronunciamento ter sido supervisionado por um advogado, é a coisa mais sensata a se fazer nesses casos. Acho que o assunto envolve um choque de versões, necessita de provas e portanto tem de ser tratado nos tribunais, que é o local correto para se chegar a culpados ou inocentes.

      1. Eric Delgado

        Seria o Wild mais um desses meninos mimados desconectados da realidade?! Que tiveram vantagem desde que nascerem simplesmente porque são brancos. E se mostra heterossexual, outro fator que “abre portas”. E acham que podem podar as mulheres, bater em mulheres etc. Não, não. As denúncias são muito sérias. Obviamente que existe a calúnia, mas quem iria dizer que não há sofrimento na suposta vítima ao ver os vídeos dela?! Teria que ser uma atriz incrível. Enfim… lamentável, mas o momento político parece propício para isso. Vide as barbaridades que o “pai da rachadinha” faz quando confrontado com uma pergunta inconveniente feita por alguma jornalista.

  19. Luiz Fernando

    E o magistral Shapovalov perdeu p o não menos magistral Norrie, aquele mesmo q as federetes julgavam um adversário divisor de águas p o suíço em W2021. Com esse fato o canadense deve estar resignado kkk…

  20. Rodrigo S. Cruz

    Hahahahahahaha

    Então quer dizer que a brincadeira dos Paulos foi assumida por um dos colegas abaixo?

    UAU, muito show saber disto!

    Fico só pensando na cara de cachorro de cai da mudança daquele tal de Jonas que veio me acusar.

    kkkkk

    Quebraste a cara bonito, hein?

    Muita desfaçatez a tua vir acusar justamente a mim que sempre teve ojeriza a essa prática.

    E só pra lamber as botas do amigo Almeidinha, o chorão de banheiros kkkkkk

    Chuuupa! rs

    1. Jonas

      Rapaz, quanta carência, não te acusei de nada. Com isso, você acaba admitindo que é um dos que some do blog por meses, kkkk. Esse ano foi bem difícil pra você, hein?

      Bom, já falei e repito: a meu ver as postagens aqui deveriam ser feitas por Facebook. Evitaria esse tipo de coisa. Eu sei lá se vc é fake, creio q não, mas já esperneou aqui há uns anos dizendo que eu era fake também, só porque cansei de te colocar no bolso.

      E você deveria se envergonhar, moço. Já acusou metade do blog de ser fake, e tomou invertidas do Dalcim sobre esse assunto. Mas aposto que o máximo que você vai fazer é sumir por uns meses, com vergonha, como sempre faz. Quem não lembra daquele show do horrores quando você disse que iria sair do blog? Bom, eu falei que sua palavra não duraria um mês e foi oq aconteceu.

      Abs.

      1. Luiz Fabriciano

        Jonas, não imponha que tem que ser pelo Facebook não.
        Porque senão, não poderei mais participar, kkk.

        1. Jonas

          Kkkkkk. A ideia é evitar essas acusações, Luiz. Ninguém gosta de ser perseguido.

          Enfim, a moderação aqui funciona muito bem, mas fica a sugestão. Eu mesmo reativaria minha conta no Face, que deletei em Março, pois gosto muito do Blog.

          Abs!

        2. Rodrigo S. Cruz

          Perdeu totalmente o respeito mesmo, né rapaz ?

          Que ótimo!

          Mais um pra panelinha medíocre do sérvio lixo.

          Só que para mim não faz diferença, quanto mais melhor! 👍

      2. Rafael

        Sem entrar no mérito da discussão entre os dois, só queria lembrar que 2021 foi sim um ano bem difícil para o Rodrigo, que perdeu nada menos do que a mãe para o covid.

        Assim, penso que deveríamos relevar certas coisas que ele pode estar postando de forma um tanto “passional”. Esse é um tipo de perda da qual é difícil e demorado pra se recuperar, e afeta cada um de maneira diferente. Se falei besteira peço que ambos, Jonas e Rodrigo, me desculpem. Novamente, não estou tomando partido, só colocando as coisas em perspectiva.

        1. Jonas

          Oi, Rafael.

          Só deixando claro: me referi ao aspecto tenístico, não ao pessoal. Esse ano foi bem difícil para o colega nesse sentido, já que basicamente só secou o Djokovic.

          Claro que esse vírus é bem sério e deixo aqui meus pêsames para o colega. Essa é uma dor pela qual não passei: perder um ente querido para o vírus maldito.

          Só respondi ao ataque (mais um) desse rapaz, que já me ofendeu outras vezes, além de ter dito que eu era fake inúmeras vezes, sendo que oq esse sujeito mais faz aqui é defender um outro colega, que já admitiu ter postado com outros nomes. Isso para mim é, no mínimo, incoerente.

          Um abraço!

      3. Alice

        Essa doeu até em mim, Jonas. Tente pegar mais leve, eles estão em fase de aprendizado, como a gente 😏. hehehe…

        1. Rodrigo S. Cruz

          Sempre a mesmo script.

          Um dando aquela “forcinha” pro outro no bom e velho “nós contra eles”.

          Ô torcidinha medíocre e previsível, viu…

          kkkk 🤣

      4. Rodrigo S. Cruz

        Você não coloca ninguém em bolso! 🤣

        Vc é monótono, tribal, sem senso de humor e com um carisma igual ao de um homem com cara de “vitamina de ÁGUA” kkkkk 🤣🤣🤣🤣

        E quanto ao tempo que escolho ficar fora do blog, isso não te diz respeito…

  21. Marcilio Aguiar

    Rubens Leme, você e algum outro frequentador declarou ter vários cães adotados e o amor por esses animais especiais. Eu também convivi com muitos vira-latas ao longo da vida e tenho muito apreço pelos caninos. Hoje moro em apartamento e as minhas filhas tem gatos, que também são cativantes à sua maneira.

    É quase certo que você conhece a canção que o Paulinho Nogueira fez em homenagem aos seus amigos de quatro patas. Ela é singela, mas demonstra todo o carinho que o músico tinha pelos caninos. Chama-se “Meus três cachorros”.

    Para quem quiser ouvir seguem a versão ao vivo, somente violão, a versão de estúdio (eu acho a melhor) que, segundo o Paulinho, tem arranjo de Nelson Ayres e por último uma interpretação tributo de Nando Reis que, presumo, devia estar cantando pela primeira vez pois deu umas escorregadas.

    Abc.

    https://www.youtube.com/watch?v=XqdmNuri7eY

    https://www.youtube.com/watch?v=8mR0KenC_ds

    https://www.youtube.com/watch?v=sla9XHgY_iE

    1. Rubens Leme

      Cachorros são os melhores amigos, Marcílio, e todos meus são foram resgatados da rua, perto de onde eu morava. Tirando a bagunça e algumas brigas, só me dão alegria. Vez por outra comem o que não devem, como uma cadela minha, que tem mania de pegar tudo na garagem e levar para baixo da cama e triturar. Hoje a vítima foi a conta de luz.

      Valeu pelos links. Ouvirei. Cercado deles.

  22. Rubem Corveto

    Ótima coluna como sempre! Algumas observações pessoais: 1- os Italianos estão chegando, mas o talento do Fognini está partindo .
    2- os Canadenses ainda não venceram, mas são ótimos de assistir jogar. 3- os Franceses estão desaparecidos do top100; quase todos trintões e pouca renovação. Sempre tinham 10 no top100. 4- os Russos chegaram e assumiram um tênis objetivo é agradável.
    5 Argentinos são poucos, infelizmente. Delpotro, Nalbadian, Coria, tantos talentos sempre presentes no top 10, agora resta um.
    E os brasileiros tristeza

  23. Rodrigo S. Cruz

    Imagem do ano que ainda não me saiu da cabeça:

    o arregão sérvio escondendo o choro compulsivo com a toalha, após ser atropelado por Daniil Medvedev no US Open!

    🤣🤣🤣🤣

      1. Luiz Fernando

        Do século? Será q ele desperdiçou 2 match points com o saque na mão p vencer um GS? Aqui é diversão garantida kkkk…

        1. Gildokson

          Não, ele só perdeu de uma vez só a oportunidade de atingir o feito que ele vive obcecado à anos e de quebra conseguir algo que nem ele, nem Federer e nem Nadal (lembra dele?) conseguiram. Quase nada pow, besteirinha o que Djoko “deixou” passar.
          Mas claro que pra vc, os MPs foram piora neh kkkkk
          Quanta surpresa… kķkkķkk
          Aliás, deve ser um fato inédito, um tenista ter MP pra ganhar um Slam e perder.
          Estranha obsessão….

  24. Rubens Leme

    Dalcim, assisti um pouco o jogo do Murray ontem e reparei que ele continua jogando da mesma maneira defensiva, ficando lá no fundo, na maioria das vezes apenas se defende a espera de um contra-ataque.

    Imaginei que com a prótese, fosse adotar uma estratégia mais agressiva para encurtar os pontos, mas parece que cachorro velho não aprende um truque novo, no caso dele, o que é triste porque quando treinado pelo Ivan Lendl teve momentos realmente agressivos, como era o seu treinador.

    E como essa nova geração é, por motivos óbvios, muito mais ágil, e bate muito pesado, fica praticamente impossível vencer.

    1. José Nilton Dalcim

      Também não admiro quando o jogo dele fica excessivamente defensivo. Existe obviamente um objetivo tático, mas por vezes fica chato e, pior ainda, pouco eficiente.

  25. Luiz Fernando

    Ao contrario do q possa parecer, a derrota de Murray expõe suas qualidades inegáveis. Ruud é excelente tenista, em plena forma, e só o set1 demorou 1 hora pelo q li. Não fossem as contusões graves seguidas e procedimentos cirúrgicos, o britânico estaria esbanjando categoria nas quadras e conquistando títulos…

  26. Helena

    Muito legal essas listas, concordo com quase tudo. Só senti falta de uma categoria de destaques “puros”, digamos assim. Nela eu colocaria Djoko com as 4 finais de Slam e três vitórias, além do recorde de semana como número 1. Além do Zverev e Medvedev, que descolaram dos demais e se colocaram como os melhores jogadores de sua geração. O russo está casa vez melhor nas quadras duras, e também se convenceu de que pode jogar bem até no saibro. Aposto em um ótimo 2022 e atingindo o número 1 do mundo (se não conseguir já em 2021). E Sascha parece outro jogador, vem sendo mais corajoso em quadra e com uma confiança que está transbordando para as entrevistas.

    SURPRESAS -> Acho que eu retiraria o Musetti dessa lista. Acho o jogo de uma maravilha e me parece a melhor mão desde Roger Federer, mas ainda não sinto muita firmeza no seu jogo e me parece um tanto mascarado.

    Minha lista seria: Karatsev, Alcaraz (não pela enorme qualidade, mas por ter explodido tão cedo), Norrie, Opelka, Rune e até o Berrettini, que, sem chamar atenção, foi bem em todos os GS. Também incluiria o Murray, que depois de tanto tempo parece capaz de voltar a competir, mesmo que não seja pelo topo do ranking.

    NOVIDADES-> Sigo o relator.

    Ivashka me surpreendeu por esse salto de qualidade aos 27 anos (embora não tanto como o Karatsev). Gosto muito dessas histórias de um crescimento quando ninguém mais espera, é sempre uma forma diferente de recordar que nunca é tarde para continuar buscando melhorar.

    A curiosidade inútil da vez é que a sua eposa é irmã gêmea da esposa do Khachanov.

    DECEPÇÕES -> Garin e De Minaur acho meio limitados, então não espero muito mais deles. Acho que um top 20 ou top 30 é mesmo o topo.

    Minha lista seria -> Thiem, Schwartzman (mais pelo primeiro semestre), Kyrgios (pra quem ainda espera alguma coisa dele) e Monfils (só voltou a jogar após o ranking descongelar…).

    ESTANCADOS -> Shapovalov, Rublev, Humbert, Fritz.

    Pode ser um pouco duro colocar aqui o Rublev, mas eu tinha esperanças dele dar outro salto após o ano passado. Sei que ele é um cara que trabalha duro e que está como ótimo ranking (além de me agradar como pessoa), mas pra ir além do que chegou só melhorando em outros fundamentos e criando mais alternativas de jogo.

    Ps: Que bom que o nobre Rubens Leme não foi o criador de Paulos. Seria triste que um fã de Agatha Christie fosse responsável por uma trama tão frágil.

    1. Rubens Leme

      Obrigado, Helena. Aliás, estou vendo agora Cartas na Mesa, com Hercule Poirot sendo interpretado pelo ator favorito dos meus cães, o David “Sachê”…rs

        1. Helena

          Rubens,

          Que alegria abrir o link e ver que essa é uma publicação da Darkside! Gosto muito dessa editora, todos os livros são muito caprichados. Uma vez entrei até no site deles para ver se tinha uma área para sugerir novas publicações.

          Segundo a Amazon, minha cópia já deve chegar na terça.

      1. Helena

        Um pouco suspeita essa preferência dos seus cachorros… kkkkk

        Cartas na Mesa é muito legal e é cheio de referências da própria obra da Agatha! Li os Crimes ABC antes e lá o Poirot cita como seria o caso ideal: quatro pessoas em uma sala, ninguém sai, uma morre. Naquela época a internet não fazia parte da rotina como hoje, então não tive qualquer spoiler de que encontraria um livro exatamente com essa trama, então foi uma grata surpresa. Continuando a questão das referências, dois personagens desse livro aparecem mais tarde em outra obra que gosto muito: O Cavalo Amarelo.

        1. Rubens Leme

          Ah, as adaptações com o Sachê são fracas na maioria, mas vale pela simpatia dele. Agora estão lançando box especiais da Agatha e devem sair os seis filmes com o Ustinov vivendo o Poirot. Destes, quatro já saíram. Infelizmente, as versões dele de A Extravagância do Morto e O Terceiro Ato são pavorosas, dignas das piores coisas da carreira dele.

          Mas, para fanáticos como nós, é preciso ter. Aqui tem as caixas 1 e 3 – https://www.amazon.com.br/Agatha-Christie-Digipak-com-DVDs/dp/B07TMQ5LRD/ref=pd_sim_2/140-2645752-4558258?pd_rd_w=TSilU&pf_rd_p=6bb3c3f6-bb56-4cf2-8154-047f2becc98b&pf_rd_r=JTAZ5Y1E2TQ1SWFVP57K&pd_rd_r=b2cf2353-d51e-41e8-a0ce-621cf0ab4318&pd_rd_wg=vb8Zi&pd_rd_i=B07TMQ5LRD&psc=1.

          A caixa 2 é essa – https://www.amazon.com.br/Agatha-Christie-Vol-Digipak-DVDs/dp/B08448FVH7/ref=sr_1_5?__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&crid=20ZLJDJI19YKY&dchild=1&keywords=agatha+christie+dvd&qid=1633316127&sprefix=agatha%2Caps%2C316&sr=8-5

          Por sorte, há os filmes clássicos dos anos 70 e a Angela Lansbury vivendo a Miss Marple. Nestas 3 caixas, só faltam com o Ustinov o Encontro Com a Morte e o citado Extravagância do Morto, que devem sair no volume 4 Gostaria que editassem os Miss Marple com a Joan Hicks, eram excelentes e bem fieis aos livros.

          1. Helena

            Ah, eu gosto das séries/filmes com o Suchet, especialmente porque eles vão melhorando (e aparentemente aumentando os investimentos) com o tempo. Isso além do fato dele ser facilmente o melhor Poirot. Aliás, prefiro a versão deles de O assassinato no Expresso do Oriente do que a versão clássica. Nessa de 2010 eu sofri com o Poirot, especialmente na cena final.

            O ponto negativo era quando alteravam muito as histórias. A versão de Encontro com a morte é até de mau gosto. A sorte era que foram mais exceção do que regra, ao contrário das adaptações mais recentes da Miss Marple, que foram os poucos casos que não consegui ver. Mas nada se compara às adaptações da Sarah Phelps, que são de péssimo gosto, acho até um desrespeito com a autora. Conseguiu estragar até Testemunha da acusação, incrível.

            Voltando aos intérpretes do melhor detetive fictício, o segundo lugar para mim é justamente o Ustinov, embora ache que ficou um Poirot muito bonachão. Também é divertido ver os dois juntos com o Sachet como inspetor Japp (o que também aconteceu com a Joan Hickson e a Margaret Rutherford)

            Não conhecia esses boxes, mas vi quase tudo que existe da Agatha por meio desse site: https://raridades0800.blogspot.com/2014/01/agatha-christie.html?m=1

            No caso do Ustinov, se não me falha a memória, eles adaptaram as histórias para a época das gravações.

            Eu já li algumas críticas, mas gostei muito da versão da Angela Lansbury. Fiquei ate com pena que ela não tenha participado de outras adaptações. Quando o elenco é cheio de estrelas por vezes tem o problema do nome do ator/atriz tomar a personalidade do personagem, mas achei a Elizabeth Taylor muito bem escalada. Também foi interessante ver uma das musas do Hitchcock em uma história da Agatha. Sobre as versões com a Joan Hickson, concordo que foram realmente as melhores. Uma pena que não fizeram mais.

          2. Rubens Leme

            Com a Joan Hickson, tenho esse no meu computador, em três partes, O Corpo na Biblioteca. Tenho em DVD as duas partes do Convite para um Homicídio, meu primeiro romance dela. Aliás, um Convite foi totalmente desfigurada na versão mais nova da Miss Marple. Não sei porque as pessoas mexem tanto nos livros, que são enxutos, bem construídos e de fácil adpatação. Enfim…

            Eis o filme, com a Joan:

            https://www.youtube.com/watch?v=giSGHnMonSk

            https://www.youtube.com/watch?v=yTVYH6XBGK4

            https://www.youtube.com/watch?v=Ai0E9_LeFm8

            Sobre as adaptações com o sachê: A Terceira Moça, Um Gato Entre os Pombos, Os Quatro Grandes são péssimas, quase constrangedoras. Mas, de fato, a partir do momento em que a televisão irlandesa fez uma parceria com a BBC e começou a produzir, melhoraram os episódios. As primeiras temporadas tinha aquela abertura horrível com um solo brega de sax digno de motel de estrada.

        2. Rubens Leme

          Um dos personagens é a Ariadne Oliver, altergo de Agatha e a personagem favorita de minha esposa do universo dela. Gostamos tanto que uma das nossas cadelas se chama Ariadne Oliver. Tb tenho um macho de nome Hercule Poirot. E Agatha (e seus herdeiros) nunca me pagou um centavo por usar o nome dos meus caninos em seus romances sem a minha permissão….rs

          1. Helena

            Eu acho a Ariadne uma grande prova do senso de humor da Agatha, especialmente o fato de ela sempre errar o culpado. Uma forma muito humilde e engraçada de rir de si mesma, e dizendo, implicitamente, que ser uma escritora de romances policiais não a tornaria numa grande detetive ou especialista no “mundo real”.

  27. Rafael

    Olá, Leme

    Aceite meus votos de recuperação plena e duradoura do susto que tomou. Espero que você esteja cem por cento para acompanhar seu Palmeiras!

  28. Maurício Luís *

    O Thiago Wild tem todo o direito de se defender, mas pessoalmente acredito na ex–companheira dele. Porque o comportamento dele em quadra não é o que se pode chamar de exemplar… então onde há fumaça, há fogo.

  29. Sérgio Ribeiro

    O verdão realmente teria alguma chance pois Renato Gaúcho está mudando pra pior o esquema consagrado de J.J . Mas aquela mamata da CBF a favor dos times Paulistas foi pro espaço. Agora temos o VARMENGO que com sua IMPARCIALIDADE, garante o título para o Rubro-negro, sem choro. A conferir rsrs. Abs!

    1. Sérgio Ribeiro

      Ps. O VARMENGO é o da gloriosa CONMEBOL acima de qualquer suspeita . Inclusive pediu a FIFA que o intervalo do jogo passe pra 25 minutos kkkkkkkkkkkk. Abs!

  30. Luiz Fabriciano

    Mestre Dalcim, na linha abaixo:
    “Alexander Bublik – Baixou quase 20 posições. Habilidoso, ganhou um estilo próprio.”

    Esse “baixou” quer dizer que ele perdeu posições?

      1. Luiz Fabriciano

        Por isso fiquei na dúvida.
        Então não seria “subiu”? Porque o movimento no ranking é de subida, quando se refere a ganhar posições. Ou não?

        1. José Nilton Dalcim

          Mera questão de perspectiva, Luiz. Você baixa o ranking indo de 50 para 30, mas também pode dizer que subiu 20 posições. Abs!

          1. Luiz Fabriciano

            Bom, vamos encerrar por aqui, mas continuo achando que quando se sai de 50 para 30, você eleva seu ranking.
            Grande abraço.

  31. renan esteves

    Vi que a seção de comentários, que não seja a parte dos artigos, está bloqueada de receber comentários. Não sei qual o motivo, mas venho por aqui dizer que aquilo lá é um antro de gente amargurado, rancorosa e mál-caráter em toda hora tá despejando suas frustrações em cim dos outros. Se for pra ficar dessa forma eu acho uma pena, porém é até bom que não iremos mais ver essas pessoas ficarem achando que insulto é uma forma de opinião.

    1. Pieter

      Mas nem todos eram haters. Havia algumas pessoas bem legais e que sinceramente apreciam o esporte e torcem pelos nossos tenistas brasileiros.
      Esgoto há em toda a Internet. Infelizmente.

  32. Rubens Leme

    IRON MAIDEN – SENJUTSU (2021)

    Recebi, há umas três semanas, o novo disco do Iron Maiden, mas só agora resolvi deslacrar. Confesso que não esperava algo ainda tão bom, mas o Iron ainda continua afiado. O CD duplo traz mais de 80 minutos de música, embalagem digipack, belo encarte e um Eddie mais assustador do que nunca.

    Andei mergulhado na cultura japonesa neste últimos meses – entre livros e filmes – assim, Senjutsu serve como uma continuação, digamos. O título é inspirado no clássico livro A Arte da Guerra, de Sun Tzu e traz 10 longas faixas e com o sexteto ainda em grande forma e o baixista Steve Harris assinando 7 das 10 faixas, sendo quatro sozinho.

    Para quem quiser ouvir, eis o link:

    https://music.youtube.com/playlist?list=OLAK5uy_n5wLiLlYlXlhL8IZ3cNUHKkgiNg1UlIKc

  33. Daniel C

    E o sérvio aprontou mais uma recentemente, depois de promover torneio em meio à pandemia, dizer que água suja cura, quebrar várias raquetes e abandonar a parceira numa competição olímpica. Lá estava ele trocando umas resenhas com alguém que já estava envolvido com genocida… Ele não cansa de subir a régua nos comportamentos inadequados. Com certeza já é o GOAT rs. Mas segundo alguns, é humano, odiado por todos por ter vencido Federer e Nadal tantas vezes rs. É tanta passagem de pano, que o pano branco já ficou preto e rasgado, nem o cachorro quer rsrs.

    E o mais engraçado é que tem uma turma tentando achar desvios de comportamento no Federer e na agência dele como uma forma de se sentir melhor, afinal deve ser difícil ser torcedor assumido do sérvio com a consciência limpa kkkkk, com tanta coisa errada que o sérvio faz fora das quadras. Acham que cola mesmo? Rs.

    Mas é aquilo que eu digo: para certas pessoas, o sucesso é o que mais chama a atenção.

    1. Rafael

      Inclua amargura e ressentimento. Também chamam a atenção. Graças a Deus todos os dias tento evoluir e afastar qualquer tipo de sentimento negativo, principalmente quando ele se apresenta em minha frente. Obsessão é uma coisa ruim e triste. Lamento muito, mas a boa notícia é que nunca é tarde para tentar evoluir. Acredito que quando a gente está em uma determinada profundidade do poço, a única direção é para cima.

      Entendo que você possa interpretar mal minhas palavras, mas sinceramente é de coração que desejo seu crescimento. Ser assim não é saudável, internet não é válvula de escape. Sei lá, um esporte, uma meditação, coisas que façam bem aí corpo e à mente.

      Tudo de bom.

      1. Daniel C

        “Inclua amargura e ressentimento. Também chamam a atenção.”

        Eu amargurado e ressentido? Imagina! Apenas estava manifestando minha opinião sobre o Djokovic. Não gostar da personalidade de determinado jogador não significa ser amargurado, é muito exagero. Mas entendo que quem é fã dele, tende a vê-lo de outra forma e não irá gostar de minhas opiniões.

        “Graças a Deus todos os dias tento evoluir e afastar qualquer tipo de sentimento negativo, principalmente quando ele se apresenta em minha frente. Obsessão é uma coisa ruim e triste. Lamento muito, mas a boa notícia é que nunca é tarde para tentar evoluir”

        Concordo. Esse é o caminho, eu vivo de acordo com essa mentalidade, você notaria isso se me conhecesse pessoalmente. Não sei se foi sua intenção me chamar de obcecado, mas eu não sou, então estou tranquilo.

        “Acredito que quando a gente está em uma determinada profundidade do poço, a única direção é para cima.”

        Se s única direção é pra cima, quer dizer que a pessoa está no fundo do poço, certo? Você quis dizer que eu estou no fundo do poço? Kkkkkkkk. Mesmo que tenha sido a intenção, eu não ligo, e sim dou risada, pois graças a Deus vivo uma ótima fase na minha vida.

        “Entendo que você possa interpretar mal minhas palavras, mas sinceramente é de coração que desejo seu crescimento.”

        Obrigado, desejo o mesmo para você. Todo mundo sempre pode crescer, pois ninguém é perfeito, inclusive você e eu. Então nós dois ainda temos muito a aprender na vida.

        “Ser assim não é saudável, internet não é válvula de escape. Sei lá, um esporte, uma meditação, coisas que façam bem aí corpo e à mente.”

        Ser assim como? Ter uma opinião negativa sobre o Djokovic? A impressão que eu passa lendo sua mensagem é de que eu falei coisas obscenas, ofendi alguém, etc. É muito exagero. E discordo sobre a Internet, acredito que seja sim uma válvula de escape, afinal existe muito conteúdo interessante no YouTube para aproveitarmos e relaxarmos. Tenho interesse na meditação, mas ainda não comecei. Sobre esportes, eu costumo jogar tênis 3 vezes na semana e corro uns 20 km por semana. Sempre gostei de praticar esportes e você tem razão que faz muito bem.

        Tudo de bom pra vc tb. Aliás, está melhor daquele seu problema de saúde que teve? Espero que sim.

        1. Rafael

          Noventa por cento. Espero chegar a 99% com fisioterapia, mas está sendo difícil encontrar uma clínica que aplique os exercícios indicados para o problema que tive. Já mandei o pedido pra cinco, e simplesmente não me retornam. De qualquer forma, obrigado por perguntar. Sobre o que vc comentou da “impressão que passa”, o seu também passa impressões, aliás, a repetição deles reforça essas impressões. Quanto a mim, sou apenas um torcedor do sérvio e não me incomoda em nada que outras pessoas o reprovem, eu mesmo o reprovo quando acho que devo. Fico feliz em saber que estou enganado (estava) a seu respeito porque, no final das contas, o que importa é tentarmos fazer o melhor com o tempo que nos é concedido nessa vida. Se vc está consciente de que vive bem, está em paz consigo mesmo e está de bem com a vida, isso é o que importa. Torço para que siga assim (sua vida).

          Grande abraço, Daniel.

          1. Filipe Fernandes

            Meu caro Rafa,

            No dia em que comentei sobre o nosso ilustre Barocos, me peguei pensando se você estava se recuperando bem, progredindo a cada dia ou – uma hipótese não desejada – enfrentando intercorrências em seu estado de saúde. Li agora este comentário. Confesso que sempre interpreto como um bom sinal ver você comentar aqui, às vezes demonstrando alegria espirituosa (como nos diálogos com o caro Ronildo), outras vezes pertinentes reflexões, emoções variadas em outras; não que você precise fazê-lo para atestar (ou provar) que está bem, mas ainda assim é um bom sinal – para nós.

            Espero que encontre um bom lugar para prosseguir exemplarmente com a sua recuperação.

            Um grande abraço, meu caro, e fique bem.

  34. Ronildo

    Para mim, o pior número 1 da história da ATP foi Thomas Muster.

    O grande injustiçado por causa de lesão foi Andy Murray, que poderia estar no topo até hoje, preparando sua saída triunfal. Esse poderia abandonar a carreira como número 1.

    1. Luiz Fabriciano

      Ronildo, vamos deixar o sérvio fora dessa.
      Então, se não fosse a lesão do Murray, Federer e Nadal não seria o suficiente para evitar que ele fosse #1 até hoje?

      1. Ronildo

        Exatamente, como não foram. A lesão do Murray veio justamente quando ele estava em seu auge e tal consistência duraria ao menos 3 anos. E seriam 3 anos no topo do ranking.

        1. José Yoh

          Ronildo, ele nao saiu do auge por causa da lesao; a lesao é que surgiu por causa do auge.

          Por isso é tao difícil permanecer no topo. Jogar em alto nível destrói o corpo.
          Abraços

  35. Paulo

    “Jeremy Chardy é um tenista francês com vasta experiência. Estreou profissionalmente em 2005, conquistou um título, sua melhor classificação na ATP foi a 25ª (em 2013) e representou a França em várias séries da Taça Davis, chegando à final em 2018. Em 2021, percorre a reta final da sua carreira, com 34 anos, mantém-se em vigor. Participou de torneios importantes e ganhou aproximadamente 570 mil dólares em prêmios. No entanto, agora tem que enfrentar uma situação que não estava nos planos de ninguém. Chardy anunciou esta semana que ele está se aposentando inesperadamente da temporada. O motivo? Ele foi vacinado contra o coronavírus e sofreu uma reação adversa: sente-se “diminuído fisicamente” , conforme especificou. Depois de consultar vários médicos, ele concluiu que o melhor é se afastar do circuito, cuidar do descanso e preservar a saúde.
    “Desde que fui vacinado, tenho muitos problemas. Tenho lutado, mas sinto muitas dores no corpo e não consigo treinar, não consigo jogar”, disse ele em entrevista à agência AFP.”

    1. Carlos Reis

      As mortes por cvd19 diminuíram em 2021, MAS as mortes súbitas aumentaram / estão aumentando… Por que será!?

    2. José Yoh

      Um atleta tem metabolismo, dieta e principalmente toma muitos medicamentos e suplementos que pessoas normais nao tomam.
      Pode ser uma reação adversa a um desses fatores, embora ache difícil já que nenhum atleta relatou isso até agora.

      Mas vale a observaçao e um estudo sobre o caso.
      Abraços

  36. Marcilio Aguiar

    Dalcim, não tenho o que acrescentar sobre a lista das novidades e surpresas. Quanto às decepções eu não incluiria o Fognini e Kyrgios. Desses dois, apesar de apreciar o jogo deles, não espero nada há muito tempo. Sobre o Thiem, poderia incluir na categoria “que pena”. Desejo que ele retorne bem em 2022.

    Sobre o texto de Victor Cremasco, só uma palavra: extraordinário! Eu sou suspeito porque sou fã do tênis praticado pelo suiço e tenho a mesma visão dele. O Federer não é o jogador mais próximo da perfeição, mas pratica o jogo como uma forma de arte, sem deixar de ser competitivo. Nenhum outro conseguiu isso até hoje.

    Guardadas as devidas proporções, cheguei a torcer muito pelo Inter gaúcho, embora seja corinthiano doente (pleonasmo kkk), quando ele tinha um certo numero 5 que corria pelo campo como um artista da bola: Paulo Roberto Falcão. Não foi o melhor, mas para mim foi o que praticou o futebol como uma arte.

    1. Rubens Leme

      Tostão considera Falcão o último meio-campista que o Brasil teve, aquele jogador capaz de jogar atrás, defender, armar, correr com a bola até à àrea rival e fazer gols, algo que Gerard, Xavi, Iniesta e Pirlo (aque era camisa 10 de origem) simbolizaram até anos atrás.

      É uma posição (a do Tostão) a ser considerada, por quem ele foi e porque realmente esse time de meia-volante-organizador não tivemos mais mesmo, se parar para pensarmos;

      1. Éverton

        Sem o grande destaque desses jogadores, mas Zé Roberto foi um exuberante meio-campista. Um dos poucos que se salvou em 2006.

    2. Paulo F.

      Paulo Roberto Falcão, que amarelou para o Nacional do Uruguai na final da Libertadores de 1980 até por quê já estava vendido também…
      Fracassou na seleção em 1982.
      Se era tão bom assim, então por quê foi preterido pelo tal de Chicão para a Copa de 1978?
      Na Europa atuou apenas or um clube mediano, a Roma.
      Roger Federer em hipótese alguma merece ser comparado a este jogador de futebol.

      1. Marcilio Aguiar

        Prezado Paulo F, parece que você não entendeu o sentido do que escrevi ou não fui claro. Eu não estou comparando Falcão com Federer, fundamentalmente porque praticam esportes incomparáveis entre si. Eu disse que, para mim, Falcão jogava futebol como um artista e não que ele ela o melhor jogador do planeta. Isso tem a ver com estilo, a forma como dominava uma bola, se movia em campo, enfim executava os fundamentos do jogo. Eu aprecio o esporte não somente pelo lado prático, mas também pela estética, por isso o tênis jogado pelo suiço me agrada muito mais que o do seus principais rivais, sem negar-lhes a competência. Assim era como eu via o ex-craque colorado, um artista da bola.

        Acho curioso você dizer que o Falcão “amarelou” e diz que Federer não pode ser comparado a ele, logo você que faz parte da ala dos torcedores do Djoko que sistematicamente deprecia o suíço de todas as maneiras. Por fim, de fato há os que preferem Chicão a Falcão. Para esse eu só tenho a lamentar.

        1. Paulo F.

          Mas olha tudo o que Federer conquistou Marcilio!
          Quase tudo, aliás.
          E Falcão? Apenas um tricampeonato nacional com o melhor Inter de todos os tempos e um italianinho micho com a Roma.
          Dentro do próprio Internacional, muito abaixo de jogadores inferiores e que conquistaram muito mais, como Clemer, Índio, Eller, Iarley, Tinga, D’Alechato e o Fernandão Eterno

          1. Marcilio Aguiar

            Paulo, eu não falo de conquistas. Em esportes coletivos essas acontecem independentemente da forma como se joga. Sobre o falcão ter tres brasileiros no melhor Inter é parcialmente correto. Os times de 1976 e 77 foram sim os melhores do time gaucho , ja o de 79, não. Além disso PRF foi protagonista nos 3. A semifinal que ele fez contra o Palmeiras em 79 é uma das maiores atuações individuais que eu me lembro.

            Sobre conquistas importante, Ralf que jogou no meu time do coração, foi um ótimo e eficiente volante, mas de um estilo tosco. Eu não concebo que Ralf foi mais jogador que Falcão, porque ganhou alguns títulos mais importantes.

            Por fim, a referencia que fiz a Falcão foi apenas para pontuar que, assim como considero Federe um verdadeiro artista das raquetes, também vi arte em um outro praticante de um esporte que gosto.

            Abc.

          2. Vítor Barsotti

            Fica difícil argumentar sobre “arte” no esporte com alguém que só enxerga números e conquistas.

            Dizer que a seleção brasileira de 82 fracassou, para mim, é lastimável. Não venceu a copa, de fato, mas é um dos mais memoráveis escretes de todos os tempos.

            Vencer e perder é do jogo. O que importa, muitas vezes, é “como”.

            E, já que foi feita a comparação com tênis, antes que venham dizer que um Monfils da vida também produz arte, não dá pra comparar. O francês é fora da caixa, divertido de assistir e faz lances geniais. Federer joga genialmente.

            E aproveitando para entrar na discussão do melhor: imagine passar por uma quadra de tênis, sem saber, e ver Federer jogando. Se alguém disser que esse é o melhor jogador do mundo dá pra acreditar, certo? Para qualquer outro – incluso os dois principais rivais – isso também seria válido? Ou a pessoa teria que escorar sua afirmação em números: mas ele tem tantos e tais títulos, ganhou tantas vezes do Federer…

            É por isso que Federer arrasta multidões, não porque é “bonzinho”, “politicamente correto”, “não entra em dividida”. É um jogador que personifica a essência do esporte que pratica.

  37. Valmir da Silva Batista

    Já que fez avaliação a respeito do tênis masculino em 2021, nos próximos dias há que fazê-lo também, no que concerne ao tênis feminino, aliás, estou sempre reclamando da atenção desigual aqui, mas parece que não tem jeito…

    1. Marcelo Costa

      Dalcim disse que irá fazer, esse espaço é plural, aqui não há preconceito, sugiro que antes de criticar, procure se informar antes.

  38. Paulo H

    Dalcim, pelos critérios que você tem adotado, creio que mesmo no masculino faltam algumas categorias, como “Maior evolução” e “Destaques (positivos e negativos) do ano, para poder incluir algumas das situações abaixo:
    1) A grande evolução de Daniil Medvedev, que de um garoto assustado na final do AO, se tornou o bicho-papão da final do USO;
    2) O grande feito de Alexander Zverev, com sua sequência de vitórias, que possibilitou a conquista inédita da medalha de ouro olímpica;
    3) A magnífica campanha de Novak Djokovic, que desbancou o todo-poderoso Rafael Nadal no saibro sagrado de RG e que quase conseguiu fechar o Grand Slam no mesmo ano;
    4) O cataclisma psicológico que se abateu sobre um grande número de tenistas nessa temporada (deve ter ocorrido em outros anos também, embora sem o destaque atual): Dominic Thiem, Musetti, Naomi Osaka, Emma Raducanu em Wimbledon (conseguiu dar a volta por cima de forma brilhante no USO) e o até então inabalável Djokovic. Acho que até o Tsitsipas pode entrar nessa categoria, a partir de RG.
    Sobre os grandes ídolos (que vem do grego “eidololatreia”, que significa excesso de amor e admiração exagerada), as explicações sobre seus feitos são desnecessárias, uma vez que transcendem a lógica numérica de classificação. Neste caso, ao lado de Roger Federer, temos os Beatles na música e Muhammad Ali no boxe, todos merecedores de idolatria.

  39. Ronildo

    Em verdade em verdade, Djokovic com 34 anos tem bastante possibilidade de quebrar o recorde de slan, visto a tática de trincheira, guerrilha, fumaça de ninja e ilusionismo que atualmente adota na administração da carreira: APARECE, DESAPARARECE, APARECE, DESAPARARECE. Nesta idade Federer estava participando regularmente do circuito, dando a cara para bater destemidamente como os antigos soldados gregos e romanos. Batalhas em campo abertos, sem táticas traiçoeiras com o objetivo de surpreender, e assim foi campeão de slan aos 37 anos. Djokovic está evitando encontrar Medvedev novamente. Se ele voltar somente no ATP Finals é perigo perder todas as partidas que jogar. Embora certamente vá participar do Finals, acredito que ele está montando toda sua estratégia, táticas e afins para o AO Open 2022.

    1. DANILO AFONSO

      Eu sinceramente não concordo com essas ausências do Djokovic. A melhor forma de recuperar a confiança é jogando. Vai ficar nesta “onda” de ficar pulando torneios constantemente a cada frustação ???

      Cansaço físico não é, pois o sérvio disputou apenas 9 torneios nesta temporada, o que equivale a um torneio por mês, longe da sua média de 15 a 16 eventos por ano. Gosto de lembrar do discurso otimista do Djokovic após perder a final de Roma/2021 para o Nadal e dias depois falando na cerimônia de premiação de Belgrado 2 que iria com tudo em busca do título em RG. Esse é o Djokovic que quero ver após cada derrota dolorosa, não esse recente que se descontrola e some por vários dias.

      FEDERER com os mesmos 34 anos disputou 17 torneios na temporada 2015, chegando em 11 finais. E colecionou muito mais frustrações que o Djokovic, perdendo 5 finais de big títulos para o sérvio. Levava cacetada em um torneio e já focava no próximo.

      1. Sérgio Ribeiro

        Então, caro Danilo . Ele não vence o FINALS desde 2015 . Pulou os dois MASTERS 1000 nas duras e foi parar na FINAL do USOPEN 2021. O Sérvio não cancelou nem Paris nem Turim . Caso vença já será mais que suficiente para se garantir no N 1 , e ainda de quebra se igualar a Federer com SEIS conquistas. Sinceramente acho que seu Staff está novamente correto. A conferir. Abs!

        1. Sérgio Ribeiro

          Ps. Em 2015 o Suíço perdeu 5 FINAIS para o Sérvio e o bateu em Cincy em Sets diretos , Danilo rsrs. Acho que Novak não quer igualar este recorde perante MEDVEDEV rsrs . Abs!

      2. Helena

        É difícil comparar as temporadas, já que sabemos das peculiaridades de 2021. Por exemplo, ao terminaro Australian Open sem estar 100% fisicamente e depois de ter tomado um tempo para se recuperar, não faria muito sentido ao Djokovic sair da Europa para viajar aos EUA jogar Miami na quadra dura e depois voltar novamente pada a Europa e começar a temporada do saibro.

        Sobre Indian Wells, não acredito que esteja pulando apenas por conta da derrota no US Open (embora acredito que tenha contribuído), mas muito pela localização. Nole está na treinando na Europa, então acredito que irá jogar Viena-Paris-Final. Imagino que esteja se preparando para fazer um bom final da temporada.

        Com certeza não foram muitos torneios disputados nesse ano, mas vale lembrar que ele perdeu ao menos uns 4 ou 5 por conta das lesões pós AO e após o desgaste nas olimpíadas.

      3. Luiz Afonso

        Você acha mesmo que o problema do sérvio é apenas frustração? Você não acha que para bater os adversários ele não tem de demandar muito esforço físico e forçar as articulações? Já ouviu falar de perda de cartilagem, a qual não se regenera, em atletas de alto nível e esportes de impacto? Você acha que com 34 anos ele pode se dar ao luxo de expor frequentemente suas articulações nas quadras duras?
        Claro que ele tem de passar a selecionar os torneios para aumentar a longevidade nas quadras. O cara quer ser campeão do que disputar, e não simplesmente participar dos torneios. E para isso ele tem de estar na “ponta dos cascos” ou, ao menos, no mais próximo de um alto condicionamento. A correria dos jogos está absurda. Com essa idade, ou ele seleciona ou ele se lesiona. Creio que ele irá escolher a primeira opção.

        1. Gildokson

          É que eles acham que o papo de idade era só desculpa, então qualquer torneio que se pule para recuperar energia e confiança eles vão achar que é um erro, mas os resultados do próprio sérvio após cada descanso mostra que ele está certo.
          Bora acostumar galera nolista, 34 não é o mesmo que 24, 25, 30, 31… vocês vão constatar.

  40. Luiz Fernando

    Não sei se o Dalcim concorda, mas o Shapovalov é sempre uma decepção. Depois de uma boa performance no saibro, quando inclusive esteve próximo de vencer Rafa, passou em branco nos pisos mais velozes. Esse não decola nunca…

    1. José Nilton Dalcim

      Eu diria que ele não ganhou a estabilidade imaginada, mas acabou de passar pelo top 10, então não posso considerar uma temporada totalmente sem sal.

      1. Sérgio Ribeiro

        Complementando, caro Dalcim . Shapovalov é o único Next Gen que alcançou a Semi em WIMBLEDON e nesta temporada. Berrettini já e’ 3 anos mais velho. Abs!

  41. Ronildo

    Então Dalcim e demais colegas, pensando neste texto sobre Federer, cheguei a conclusão que há uma falha nas análises sobre as maiores finais de Wimbledom, sobre todos os aspectos. Acredito que há uma grande injustiça com a final de 2007. Nesta época Federer e Nadal eram muito jovens e não poupavam esforços em cada ponto. Rafael Nadal já havia atingido a final em 2006 e não foi uma vitória fácil para Federer. Nadal estava decidido em fazer história diferente em 2007 e deixou tudo em quadra, os lances são espetaculares. Em vários lances um jogador parte para o winner e o outro chega na bola matando o ponto de maneira espetacular! Para mim a final de 2008 foi inferior por causa das condições físicas de Federer, apesar de ter sido mais dramática. Porém se for compararar a performance, duvido que alguma final de Wimbledom bateu a final de 2007, e estou falando da performance dos dois tenistas, Roger Federer e Rafael Nadal.

    1. Sérgio Ribeiro

      Permita-me discordar , caro Ronildo. Roger estava inteiraço na excepcional FiNAL de 2008 . Venceu os tiebracks do terceiro e quarto Set ( saiu de 0x2 ) e foi perder de 9 x 7 no Quinto. Esta , a meu ver , está entre as TRÊS maiores da história. Abs!

      1. Luiz Fabriciano

        Para ele, Federer sofria de mononucleose, que foi se manifestar no quinto set.
        Detonou todo mundo pelo caminho, mas na final…
        E jogo desse quilate com Nadal já não era novidade!

    2. Luiz Fernando

      Vamos parar com estas balelas, o próprio Federer já declarou em W2008 ele estava em plenas condições físicas, a mononucleose era coisa do passado, como alguns tem dificuldade reconhecer q o adversário foi superior…

  42. Leonardo Barros

    Dalcim, caberia o Grigor Dimitrov como decepção? Apesar de ele ser decepcionante há algum tempo.. o cara tem um tênis vistoso, mas não consegue ganhar mais de 2 ou 3 jogos por semana.

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que, se pensarmos na carreira como um todo, sim, ele deveria ter feito mais. Porém, em termos de 2021, acho que ninguém esperava algo excepcional dele.

      1. Helena

        Você sabe dizer por qual razão ele anda tão mal? Quando era mais novo me parecia um pouco deslumbrado com a fama, mas agora já não vejo tanto isso. Até um tempo atrás me lembro dele tentando uma parceria com o Lendl e depois sendo treinado pelo Agassi, então parecia ainda estar querendo reerguer a carreira, mas hoje é uma tristeza ver esses resultados tão pobres para o seu tênis.

        1. José Nilton Dalcim

          Pessoalemente, acho que Dimitrov soufreu com a história do Baby Federer, que era um padrão alto demais, e depois com sua vida extra-quadra, principalmente nos tempos da Sharapova. No campo técnico, lamento que ele e Monfils não tenham percebido que não dava para competir no fundo de quadra. Teriam de ter adaptado seu jogo para um estilo mais agressivo ao invés de entrar sempre nos ralis intermináveis e apostar no ‘atleticismo’ que nunca realmente rendeu o suficiente.

          1. Luiz Fabriciano

            Essa última frase: “apostar no atleticismo” detona tudo o que falam de Djokovic e Nadal, que são excepcionais tenistas por causa do físico.

  43. Paulo Almeida

    O GOAT incontestável está jogando pelo ralo a chance de ganhar o sétimo year-end. Está decepcionando demais a nação nolista!

      1. Paulo Almeida

        Só não vale mais do que o recorde de Slams e de semanas como número 1 e o Craque basicamente só precisaria de semifinais em Indian Wells, Paris e Finals para realizar o feito. Agora vai depender de mais tropeços do Medvedev.

        Quando ele disse no começo do ano que não iria se importar mais em ser o número 1, nós compreendemos, mas, com as conquistas de Roland Garros e Wimbledon, tudo mudou e essa chance apareceu. Infelizmente tomou mais uma decisão equivocada agora pulando IW.

    1. Paulo Sérgio

      Sou fã do sérvio, mas ele está tomando tantas decisões erradas a essa altura da carreira como em 2016, após o título de Roland Garros.

        1. Sérgio Ribeiro

          O parceiro tem noção do significado de um Ouro Olímpico para o jovem país Sérvio ??? . Novak sabia que era a última oportunidade. Abs!

  44. Leo

    Discordo da parte do Ivashka… O salto dele começou no saibro, quando vencia tranquilamente o Nadal no saibro com 1 set e meio na frente. Ali eu já percebi que o cara é diferenciado e que ia crescer.

  45. Marcelo Seri

    Dalcim, boa noite! Mudando um pouquinho o assunto, você assistiu ao filme Quinto Set, na Netflix?
    Filme muito interessante. Tenho certeza que você, como especialista em tênis, e um bom apreciador cinematográfico, irá se divertir.
    Abraço!

    1. José Nilton Dalcim

      Até comentei sobre ele dias destes, Marcelo. Gostei de forma geral, mas alguns aspectos me pareceram exagerados.

      1. Marcelo Seri

        Desculpe, Dalcim. Não havia visto seu comentário sobre o filme.
        Sim, concordo com vc. É um bom passatempo, mas também achei que existem exageros e alguns clichês já muito batidos.
        Uma grande dúvida que fiquei, é: será que os atores sabem jogar minimamente, ou é tudo efeito especial? Pq nos filmes mais antigos de tênis, ficava bem evidente que os atores nem sabiam pegar na raquete. O que vc achou deste ponto?

        1. José Nilton Dalcim

          Sim, isso também me chamou a atenção, mas não verifiquei se os atores têm algum histórico. Pela movimentação, bem parece claro que são tenistas de algum nível, embora obviamente as jogadas sejam ‘plantadas’ pelos efeitos. Lembro do filme ‘Wimbledon’ (que aliás vai entrar no Netflix), em que os atores não tinham qualquer noção de tênis e acabaram fazendo um bom papel nas cenas totalmente eletrônicas. Aliás, como divertimento, ‘Wimbledon’ tem enfoque parecido – até o lance do boleiro no final remete a ele – e é bem melhor. Abs!

          1. Marcelo Seri

            Dalcim, meu comentário foi exatamente pensando no filme Wimbledon. Claramente os atores Paul Bettany (um baita ator) e Kirsten Dunst nunca haviam pegado em uma raquete. Rsrs.
            Quanto à cena do pegador, realmente, é uma “cópia descarada”, e concordo que ficou melhor no Wimbledon.
            Muito obrigado pela sua atenção e simpatia de sempre!
            Forte abraço!

    2. José Yoh

      Assisti, é realmente um pouco exagerado. Mas todos elementos estão lá: as lesões, a vida atrás de torneios, a idade, a falta de resultados e a cobrança até dos parentes…
      Creio que é caricato, mas fiel à vida dos jogadores profissionais. Vale para entender como funciona e perceber que não há flores nessa vida para 99,9% dos tenistas.

  46. Miguel BsB

    Saudações Palmeirenses! Mais uma final de libertadores, Avanti Palestra!
    É isso, hj não vou falar de tênis…abraços a todos, fakes ou não rsrs

    1. Rubens Leme

      Agora ouviremos durante dois meses que seremos amassados e somos zebras. E que continuem pensando assim de nós, Tyson.

  47. Daniel C

    Dalcim, que belo texto esse sobre o Federer. Obrigado por compartilhar. Nunca será só sobre números e títulos, isso que muitas pessoas não entendem. Aliás, o suíço já era considerado o Goat por muita gente mesmo quando ainda estava relativamente longe de algumas marcas do Sampras. De qualquer forma, essa questão de Goat é muito pessoal, simples assim.

    Mudando de assunto, eu já acho que o Abel Ferreira merece uma estátua. Se ganhar a segunda Libertadores em 8 meses, vencendo o super poderoso Flamengo, merece tb o nome cravado no estádio rsrs.

    Abs

  48. Tiago Santana

    Olá, nobre Dalcim. Espero que tudo esteja em paz contigo! Que belíssima indicação de leitura sobre a paixão pelo tênis de Roger Federer. Me identifiquei com o autor em diversos pontos do texto, mas o de maior espelhamento foi quando este descreveu a reação de sua namorada ao ver Roger jogar. Há poucos anos apresentei o esporte ao meu cunhado e à minha esposa, e a reação de ambos, mesmo entendendo muito pouco sobre o tênis à época, foi muito similar ao da namorada do autor: ficaram admirados com a forma, a leveza, a plasticidade e a beleza (aos seus olhos, obviamente) do jogo de Federer. “Como é bonito vê-lo jogar. É diferente”. O texto também me trouxe uma ponta de tristeza, pois estamos vivendo o ocaso deste grande tenista, que, independentemente de discussões sobre maior, melhor ou goat, traz consigo uma áurea comum à pouquíssimos esportistas. Forte abraço!

  49. Marcelo Calmon

    Ainda vai fazer a lista do feminino ?

    Nas decepções pode incluir T.Monteiro. Não evoluiu em nada. Como complica jogos fáceis como o de hoje. Fez 6 x 3 num TB e perdeu o set. Isso contra um cara fota do TOP 200. Ou você nem considera como decepção pois já não esperava nada mesmo ?

  50. Rafael Guerra

    Como sempre muito bacana teus comentários, mas Ivashka perdeu de Federer na grama, 7/5, 7/6. Foi o contrário…

  51. George Beco

    Galera, vi um cara no comentário anterior dizendo que nem Djokovic amarelou na final do US Open, nem Federer em Wimbledon 2019. Então, pensando nisso me vem a dúvida, o que pra vocês é amarelar?
    Não entrar em quadra por medo do adversário, como Federer no Finals 2014?
    Jogar bem o campeonato todo e se tremer na final diante do adversário, como Federer no US Open 2015?
    Ou jogar bem o torneio mas na hora H encolher o braço, como Federer na final de Wimbledon 2019?

    1. Gildokson

      Ow gênio, de onde tu tirou que no meio de mais de 50 jogos entre os dois, justamente naquela final de Finals, o Federer fugiu por medo do sérvio?? Oq tinha de tão especial nesse jogo que o fez fugir desse e não da final de WB19??
      Antes de suas respostas eu te parabenizo pelo comentário “jenial” kkkkkkkkkk

    2. Jose Yoh

      Amarelar é uma palavra que nao existe, Beco.

      Só existe nas nossas brincadeiras sem graça para depreciar alguém. Vem do nosso medo de dizer o quanto somos fracos.

      Diminuimos alguém sempre para tentar aumentar a nós mesmos.

      Imagine um sujeito com 20 slams nas costas, e na primeira fraqueza perante uma situaçao extremamente estressante, é chamado de amarelao.
      Pense bem no que passa na cabeça de quem o chamou de amarelao e voce entenderá o que eu digo.
      Abraços

    3. Emerson

      É só ler o seu texto pra ver o que é amarelar.
      Jogadores com 20 Slams como Big 3 não amarelam. Eles não temem adversários, vento, sol, chuva, teto aberto, teto fechado e nem comentários sem-noção com o este.
      Eles são super-campeões exemplares a todos esportes, mas também tem seus dias ruins, ou mesmo, não tão excelentes.
      Inacreditável a falta de respeito dos torcedores cegos de paixão, sempre querendo brilhar com a luz alheia.
      Amo o tênis, o xadrez dos esportes, onde um top 1000 põe qualquer um de nós pobre mortais no chinelo, ou alguém se atreve a dizer que está entre os melhores 1000 profissionais da área em que trabalha?
      Então, se falando em Big 3, é somente admirar, aplaudir, reverenciar e guardar na memória todos os momentos, pois eles também irão se aposentar e não aparecem tantos assim a cada ano.

    4. Ronildo

      Para mim, amarelar é o que aconteceu com Djokovic na final do US Open 2021. O temor de perder foi tão grande que o afetou mentalmente em toda a partida, até o ponto final. Djokovic sequer chegou a equilibrar a partida devido ao fato de estar amarelado. Medvedev, por outro lado, era só olhar pra ele pra ganhar mais confiança, porque quanto mais ele olhava, mais forte o tom amarelo de Djokovic se acentuava. Não há comparação com o Federer em Wimbledom 2019, porque alí o que aconteceu no máximo foi um lampejo amarelo na velocidade da luz na hora de sacar, coisa que Djokovic sequer notou, tal a perplexidade. Perplexidade do mundo todo, aliás. Já em Djokovic o amarelo foi notado por todos durante toda a partida. O próprio Djokovic se olhava e se via amarelado, por isso a raiva, o ódio, o choro, as batidas nas pernas para ver se mudava o tom! Não havia escape, a derrota era só questão de tempo!

    5. Jonas

      George,

      pelo seu critério, TODO tenista é um amarelão. Isso não faz sentido.

      Sentir a pressão não é o mesmo que amarelar. Até mesmo o Nadal, que pra mim é o GOAT no quesito mental, já sucumbiu à pressão. Djokovic, que muitas vezes parece inabalável em quadra, também já passou por isso. Faz parte, até porque tênis é um esporte individual e de precisão.

      O Federer teve diversas derrotas duras para rivais diretos em finais de Slam, mas nem por isso o considero um amarelão. É Bizarro. O sujeito tem mais de 100 títulos nível ATP, diversos Slams, masters 1000…é óbvio que esse cara sabe, na maioria das vezes, o que fazer sob pressão.

      Certa vez, o Dalcim fez uma lista sobre diferentes atributos dos tenistas. No quesito mental, Federer ficou em terceiro, atrás apenas de Djoko e Nadal, o que não acho nenhum absurdo.

      Abs.

      1. George Beco

        Federer tem mais de 100 títulos pq tem um tênis fora do padrão, mas careceu de uma postura vencedora diante de Djokovic, sempre com o braço tremendo. Anos atrás se especulava que Federer terminaria a carreira com 19 GS e Nadal com 12, e hj ambos estão com os mesmos 20, isso pq faltou pra Federer a postura que sempre sobrou pra Nadal, principalmente em sua “casa”.

  52. Marcelo Costa

    Rubens, você não é responsável por tantos Paulos? Decepção, nem pra criar contas fakes e bagunçar esse espaço você presta?
    Brincadeiras a parte, todos os fakes caberiam nas kombis do Sérgio.

  53. Rubens Leme

    Muito obrigado, Dalcim, por aceitar o meu pedido e provar que nao agi desta forma, porque todos os antigos usuários daqui sabem que quem possui essa fama não sou eu, mas o mesmo que me acusou e que vive de me ofender repetidamente.

    Aliás, aviso que o “tio do zap zap” anda bem ocupado, escrevendo, estudando e cuidando da família e do coração, que quis dar uma desgarrada nas últimas semanas, embora os exames nada tenham apontado de grave. Ainda assim, providenciei um regime, rotina de exercícios diários e evito o stress ao máximo. Por causa disso, o site de música deverá estrear apenas em outubro e deixarei o link depois aqui, aos interessados.

    Torço em poder rever Periferia, Marcílio, Marcão e Filipe neste espaço, pois sinto falta de nossos papos. A eles e aos demais amigos (virtuais) e, ao Dalcim, deixo a famosa saudação do Spock: “Vida longa e próspera”.

    PS: muito bonito mesmo o texto do Cremasco sobre o Federer que é um dos grandes não apenas dentro, mas fora das quadras. Fenômenos como ele devem ser apreciados mesmo por aqueles que preferem outros esportistas, como é meu caso.

    Uma vez perguntaram a Miles Davis como ele definia o jazz. Sua resposta: “Quatro palavras: Louis Armstrong. Charlie Parker”. Se alguém pedir para definir o tênis, minhas quatro seriam: “Bjorn Borg. Roger Federer.”

    E vamos ao tri em 27 de novembro, Dalcim! E reitero meu agradecimento. Um abraço.

      1. Rubens Leme

        Um passo de cada vez porque segundo a “crítica especializada” deveremos ser amassados de novo na final como fomos na semi. Não, pera, nós é que nos classificamos, não eles.

        Dalcim acho que o Wild merecia a lista de decepções, tanto pela má performance dentro como fora de quadra.

      1. Rubens Leme

        Acho que nem o Connors se considera maior do que Borg e Federer, meu caro João Ando. Mas listas são listas, faça a sua, também.

    1. Paulo Almeida

      A única fama que eu tenho é de ser atacado injustamente por membros que não me suportam, mas, a essa altura do campeonato, já relevo a maioria. Se não foi você, foi um daqueles outros quatro. Pouco me importa agora também.

      De qualquer maneira, o senhor acabou se aproveitando para tirar uma casquinha da palhaçada que fizeram comigo, ou seja, não tem nada de santo e não vou ficar com peninha de você. Por vários outros comentários desagradáveis de sua parte (me atacando inclusive), não tiro uma linha do que penso a seu respeito.

      Pra finalizar, a partir de agora farei como muitos aqui e pularei seus tijolos culturais no ato (por questão de amor próprio mesmo), mesmo porque conheço referências muito melhores (em inglês, claro) para buscar informações das minhas bandas preferidas.

      Fique no seu canto que eu fico no meu, beleza?

        1. Manu

          Eu não achei o texto do Paulo Almeida agressivo. Está se posicionando e tem amor próprio, o que valorizo muito, e, tb, sem se fazer de vítima, como muitos fazem aqui.

        2. Paulo Almeida

          Agressividade? Não, apenas uma resposta firme e sem rodeios. Do contrário, teria sido bloqueada.

          Bom, não me lembro de nenhum torcedor do sérvio ter tido atitudes como as suas por aqui.

      1. José Yoh

        Rubens, Paulo Almeida (ou qualquer outro Paulo do blog) e Dalcim.

        Fui eu quem postou a brincadeira dos Paulos. Achei que seria muito óbvio e que todos perceberiam que era apenas uma piada sobre os fakes que sempre concordam com alguma opinião do blog sem acrescentar nada (as mensagens eram direcionadas a um tal de Paulo Sérgio). Nunca fui a favor desse tipo de atitude – foi também uma forma de protesto. Fake todos somos: nunca somos nós mesmos na Internet. O problema é ser fake só para parecer que tem gente que gosta da sua própria opinião, prática bastante batida por aqui.

        Claro que foi uma forma infantil e pouco feliz de fazer graça.

        Visto os desdobramentos, percebi que há uma raiva contida nos torcedores do blog (não só vocês), que já vem de anos. Extrapola qualquer torcida ou posição política, virou algo pessoal mesmo. Então a lição que temos do episódio é que não devemos fazer brincadeiras desse tipo, nem nunca levar para o lado pessoal qualquer opinião divergente. A brincadeira infeliz foi o estopim de um sentimento que já vinha há um bom tempo.

        Saibam que eu os estimo como amigos tomando uma cerveja aqui no blog. Sempre pensei que é assim que deve ser.

        Independente disso tudo, eu gostaria de pedir minhas SINCERAS DESCULPAS (ao Dalcim também). Nunca imaginei que fosse causar tamanho transtorno.

        Grande abraço e paz a todos.

        PS: Nunca escrevo com outro nome senão José Yoh, o Dalcim sabe disso. Não sou o José – outra pessoa aqui do blog.

        1. Rubens Leme

          Por mim, sem problemas, Yoh. Como disse queria ser inocentado da acusação bizarra que o bolsominion tinha me feito, fato comprovado pelo Dalcim.

          1. F.R.

            Vc foi o primeiro a “denunciar” os fakes, agora vem dar de santo. Pedir desculpas para o Paulo Almeida por acusá-lo injustamente seria atitude digna. Mas, né?

        2. Luiz Fabriciano

          Yoh, discordo quando dizes que somos todos fakes.
          De minha parte, sempre escrevi como se estivesse diante de alguém que respeito muito. Nunca neguei que sou fã #1 do sérvio (ou seja, o mais fã que conheço, rss), que não gosto de Roger Federer, apesar de ver um dos maiores tenistas da história à minha frente, de não ler nada sobre Nick Kyrgios, de torcer para que Denis Shapovalov passe a ganhar torneios, de ter me simpatizado com Medvedev de pouco tempo para cá etc.
          Sou assíduo do blog desde o primeiro post do Dalcim e pretendo continuar sendo.
          Grande abraço.

          1. José Yoh

            Pelo que eu leio aqui, você realmente deve ser autêntico na Internet, Fabriciano. De minha parte e creio que de muitos, não somos a mesma pessoa quando estamos anônimos.

            Falamos sempre sob uma máscara, às vezes com ódio, às vezes com demasiada calma.

            Mas normalmente é uma máscara.
            Um grande abraço

        3. Paulo Almeida

          Que choque e decepção aquilo ter partido de você, Yoh. Veja a bola de neve que você produziu.

          Já deveria saber que qualquer faísca exalta os ânimos por aqui e que pode tomar proporções que fogem do controle de qualquer um.

          Talvez eu te desculpe, mas não agora.

          1. Paulo Almeida

            Para complementar, sempre me pareceu claro que você não tem nenhum déficit intelectual (bem longe disso) para necessitar de repetidas explicações, evidências e provas, logo só direi uma vez: sempre postei como Paulo Almeida e não posso controlar membros que concordam ou discordam do que eu penso. Não vou pedir ao Dalcim para comprovar isso a cada membro novo que aparece, pois beiraria o ridículo. Já foi feito no passado com o Heitor e o João. Espero que acredite.

          2. José Yoh

            Sem problemas Paulo. Entendo que isso trouxe problemas à você, ao Rubens e ao Dalcim. Não espero perdão de ninguém.

            Só não entendo porquê você achou que era o Rubens, já que a moderação pode ser feita duas vezes em curto período. A minha mensagem sequer era direcionada à você, era para o Paulo Sérgio.

            Também não entendo como você pode chegar a esse ponto, brigar com alguém que não conhece pela internet. O que era para ser diversão, vira uma úlcera.

            Mas fique em paz Paulo. Nunca mais criarei fakes e espero que você também não.
            Um grande abraço

          3. José Yoh

            Olá Paulo, eu postei na mesma moderação que a sua resposta.

            Sinceramente, sempre suspeitei de fakes seus por sempre ter alguém concordando com o que você dizia, nada acrescentando ao assunto. Quando você deu as dicas de como fazer um fake, passei a acreditar mais ainda – assumi que era uma confirmação.

            Mas se você diz que não, e pela forma que foi dito, acredito em você e mais uma vez peço desculpas disso.
            Um grande abraço

        4. lEvI sIlvA

          Caro Yoh, era óbvio que o lance dos “Paulos” não passava de zoeira, uma forma jocosa de mostrar como um fake, ou vários no caso, pode concordar discordar ou seja lá o que for que se queira com isso. O problema é que, algo simples se tornou enorme, infelizmente…! Seria muito muito improvável, senão impossível 4 “Paulos” aparecer logo em seguida pra concordar com P. Almeida. E mais ainda, que o próprio criasse 4 fakes, todos com seu próprio nome. Mas o Blog está mesmo, com muita gente postando no 8 ou 80, nervos aflorados por simples divergência e por aí vai…
          Vai de cada um, aprender a se controlar com certas coisas que se lê, sem levar tudo pro pessoal.

          1. José Yoh

            Obrigado pelo seu apoio lEvI.

            Como você disse, talvez pelos nervos aflorados aquilo foi interpretado de uma forma diferente da esperada. Ou talvez por não fazer muitas brincadeiras por aqui, faltou bom senso.

            Humor nunca foi meu forte.
            Grande abraço

      2. Thiago Silva

        Lógico que foi ele, fez aquela palhaçada lá, esperou pra ver se alguém ia notar, ninguém deu bola e ele mesmo teve que apontar a própria trollagem. Outra coisa, imagino que a aferição do Dalcim tenha sido de IP, mas é muito fácil mascarar IP, tem diversas formas, VPN, Tor, proxy, até se usar dados móveis no celular vai aparecer um IP diferente do que tá no computador conectado na Wi-Fi. O que não da pra mascarar é o ódio todo que ele escondeu por tanto tempo do sérvio tendo que terceirizar a raiva em meia dúzia de fakes pra não pegar mal pra ele um personagem tão desagradável. Também não dá pra mascarar o ato falho de postar como Rubens Leme as 17:51 e como Daniel C. 17:52, incrível coincidência os maiores haters do sérvio comentando ao mesmo tempo no mesmo post.

        1. José Nilton Dalcim

          Olha, Thiago, essa ‘caça’ a supostos ‘fakes’ que muitos fazem aqui é completamente sem sentido. Aparece um novo comentarista e todo mundo já acha que é fake. O Blog não é propriedade de ninguém, é muito natural que surjam pessoas que comentem eventualmente ou pela primeira vez. Então eu acharia de muito bom tom que essa coisa de ‘fake’ fosse deixada de lado. Não concordou? Ignore o comentário. Me parece mais produtivo. Abs!

        2. José Yoh

          Nao foi, Thiago, fui eu. Pode reparar que meu comentário foi próximo do horário dos Paulos.
          Assumi o erro ontem.
          E eu nao sou nenhum fake de ninguém, como voce pode constatar se voce costuma acompanhar o blog. Tenho pareceres bem diversos dos companheiros aqui.
          Abraços

    2. Periferia

      Errante

      Meu coração da cor dos rubros vinhos
      Rasga a mortalha do meu peito brando
      E vai fugindo, e tonto vai andando
      A perder-se nas brumas dos caminhos.

      Meu coração o místico profeta,
      O paladino audaz da desventura,
      Que sonha ser um santo e um poeta,
      Vai procurar o Paço da Ventura…

      Meu coração não chega lá decerto…
      Não conhece o caminho nem o trilho,
      Nem há memória desse sítio incerto…

      Eu tecerei uns sonhos irreais…
      Como essa mãe que viu partir o filho,
      Como esse filho que não voltou mais!

      Florbela Espanca

      Cuide-se Leme….lembre-se sempre…o melhor amigo do homem não é um cão… é uma esteira.

      Fique bem

    3. Marcilio Aguiar

      Leme, ótimo retorno! Desejo que seu coração aguente as emoções de 27 de novembro e muitas outras que virão. Sobre as quatro palavras, concordo plenamente com Miles e voce. Na expectativa pelo site de música. “Vida longa e próspera”!

      1. Rubens Leme

        Grandes Marcílio e Periferia; o cão ainda é o melhor amigo do homem, como bem disse Franklin Roosevelt. Já a esteira é um mal necessário da vida moderna. Agradeço o poema da Florbela Espanca. O primeiro presente de namoro da minha esposa foi uma antologia dela. Mal sabia que eu já tinha minha cópia…

        Agrdeço os votos e estava com saudades de conversar com vocês. Até dia 27 de novembro estarei mais concentrado do que extrato de tomate. Aliás, Periferia me lembrei de você ao ler trechos de uma entrevista do Werner Herzg para Ana Maria Bahiana sobre se o cinema vai ou não morrer. Segundo ele: “Os cinemas não vão acabar, nem em 100 anos. Mas as coisas vão mudar muito: os filmes enormes irão para os cinemas, os filmes pequenos e criativos, inventivos, irão para o streaming. E tudo que está no meio vai morrer.”

        Concordo inteiramente. E vc?

        Marcílio, assim que estiver pronto te aviso. Tudo de bom, pessoal. Se quiserem conversar fora deste ambiente, peçam meu email pro Dalcim e podemos combinar de montar um grupo pequeno no whatsapp.

        1. Periferia

          Olá Leme

          Concordo com o “inimigo” do Kinski…
          Não sei se vc conhece o Largo 13 em Santo Amaro (Zona Sul de SP).
          O streaming é um Largo 13….tem de tudo…o bom…o ruim…o excelente…tudo mesmo.
          Mas tem que garimpar para encontrar a “jóia”…está lá.
          Aquele velho chavão que o cinema é uma experiência coletiva…continua intocável… é isso mesmo…sempre será.
          Coisas novas e experimentais encontraremos no streaming… escondido…
          Despertando aquele sentimento de solidão (vc sentará em frente a tv…vai descobrir uma jóia e não terá com quem dividir a preciosidade)…
          Outro dia o Filipe indicou um filme italiano de nome Lazzaro Felice…um filme diferente…bem “neo realista”.
          Ou Lang Tong…um filme coreano…polêmico…muito bom…(ambos no catálogo da Netflix).
          Estão escondido no streaming…
          Acaba sendo algo bom…afinal temos acesso a idéias de todos os cantos (difícil ser original hoje em dia).
          Somos garimpeiros e o mundo virou Serra Pelada (sem Sebastião Salgado).

          1. Rubens Leme

            Periferia, sou obsessivo compulsivo, entao entupo minha casa de filmes físicos. Sei que o cinema parece pouco afeito ao meu gosto, até porqueparece que somos reféns eternos de filmes da DC, da Marvel ou de comédia imbecis nacionais ou filmes de terror violentos.

            A Netflix é muito ruim de navegar, é difícil de navegar e os 10 mais deles desanima. Assinei também a Star Plus, a Prime que colocou um monte de filmes bacanas, mas não libera para o Brasil, como o caso da Morte do Michael Corleone, que aliás, recebi o blu-ray ontem.

            Na Star foi legal rever “Obrigado Por Fumar”, filme divertido e que ficou perdido naquela avalanche de boas coisas dos anos 1990. O streaming só me atrai quando quero ver algo que não acho nem para comprar, mas aos poucos, todos os filmes antigos estão sendo relançados, em vários boxes. O próprio Comboio do Medo, que falamos semanas atrás, foi um deles.

          2. Filipe Fernandes

            Meu caro Peri,

            Sobre as joias escondidas e que precisam ser garimpadas no mar do streaming, se me permite, posso, com o perdão do trocadilho, indicar uma que está na Netflix? Assisti recentemente a “Joias Brutas” (2019), um filme muito intrigante, frenético, com uma atuação incrível de Adam Sandler no papel principal. Fiquei impressionado com o arrivismo irrefreável do personagem dele, acompanhá-lo em suas tramas-limite chega a até mesmo nos angustiar. E tudo girando em torno de uma pedra preciosa que atravessou literalmente o mundo, e a jornada dela, de mão em mão, de certa forma acaba traduzindo lascas da história humana e dos rumos conflituosos da humanidade. Se ainda não o viu, deixo a dica.

            Um grande abraço, meu caro, e saúde.

      1. Rubens Leme

        Miguel, para quem foi criado torcendo pro Palmeiras nos anos 80, 27 de novembro é bico. Pergunte ao Dalcim como ele ficou depois dos embates contra XV de jau, Inter de Limeira, Bragatino, Ferrovíaria etc….

        1. Miguel BsB

          Kkkkk
          Imagino.
          Mas lembre se que a minha geração tb teve que aguentar o período 2002 – 2014, que provavelmente foi até pior do que os 17 longos anos.
          Abs meu caro, cuide se! Hábitos saudáveis, alimentação equilibrada e exercícios físicos!

          1. Rubens Leme

            Vivi os dois períodos Miguel. Vc não tem ideia do que foi os anos 80…. Mas nós já sofremos demais, admito.

    4. Filipe Fernandes

      Meu caro Leme,

      Igualmente, sempre exulto ao conversar com vocês aqui, visitar o Blog do Mestre vale muitíssimo a pena também por poder trocar boas e reflexivas palavras com vocês. Que o seu coração se segure com vitalidade e ternura, para você seguir curtindo o glorioso Palmeiras, os bons filmes, as músicas inebriantes, os livros inesquecíveis, o imenso amor e a calorosa companhia da amada e dos cãezinhos, além das inúmeras belezas imprevistas que o viver proporciona.

      Reitero uma mensagem: que o caro Barocos, pessoa sensacional, esteja bem.

      Uma singela dica: para se manter ativo, talvez alguns exercícios de calistenia, caminhada e corrida na praça (com distanciamento) possam ser boas pedidas (eu adotei, rs). Fique bem, meu caro, e muita saúde e Arte.

      1. Rubens Leme

        Oi Filipe, bom te rever. Como perto de casa não tem praça, arranjei um profissional que toda manhã, via videoconferência, me assiste com exercícios e fico acompanhado de um monitor de pulso cardíaco e com minha esposa, que também aproveita e faz os exercícios preparados por ele. Acabei também comprando uma esteira e caminho nela duas vezes por dia.

        Meus piores vícios são chocolate, queijo e café, já que não bebo álcool. De tarde, faço alongamentos e já perdi algum peso.

        Ontem recebi o blu-ray da nova versão do Poderoso Chefão 3, a Morte de Michael Corleone. Tragicamente, o código para download não veio, porque iria abaixar e deixar no meu note. Embora o filme tenha melhorado em alguns aspectos e o final deste tenha sido mais interessante, ainda prefiro o de 1990.

        Agradeço suas palavras. No fim, o que vale mesmo é essa interação. E gostaria que meus filhotes caninos fizessem menos bagunça, minhas costas agradeceriam. Um grande abraço.

      2. Periferia

        Olá Filipe…faço das letras do Leme as minhas…bom ter vc por aqui.
        Assisti Jóias Brutas…gostei muito…tem um ritmo frenético (lembra alguns filmes do Guy Ritchie)….um trama bem construído…com personagens bem Coen (iano)…
        A cereja é Adam Sandler (o dono da joalheria judeu sustenta o filme).
        Perdido em tanta bobagem (o rei dos filmes ruins) ele mostra que é um grande ator.

        Abs

Comentários fechados.