O efeito Raducanu
Por José Nilton Dalcim
16 de setembro de 2021 às 20:21

Como era de se esperar, o título histórico e espetacular de Emma Raducanu no US Open, saindo do qualificatório e sem perder set, abalou as estruturas do tênis britânico. Por enquanto, para o bem.

Estimativas iniciais nos principais centros de treinamento da Inglaterra já mostraram uma explosão de procura de crianças pelo tênis. Ainda não se sabe se as meninas serão maioria. Antes de Raducanu, a proporção nas escolas britânicas era de quatro para um em favor dos rapazes.

Emma tem sido tratada como uma digna celebridade do esporte local, com destaque constante na imprensa. Não é comum que uma campeã receba em poucas horas cumprimentos da Rainha e do Primeiro Ministro. O Channel 4 estatal negociou à última hora os direitos para mostrar a final ao vivo e a audiência foi de 9,2 milhões de telespectadores, sendo 48% na faixa entre 16 e 34 anos. Um fenômeno.

Interessante artigo da jornalista Therese Raphael, da Bloomberg, mostrou que Raducanu é um diamante a ser lapidado no plano comercial. Ela entrevistou o ex-presidente da área de mídia da gigante IMG e o executivo se mostrou eufórico.

Ressaltou que o tênis é um esporte internacional e ao mesmo tempo individual, o que maximiza o potencial de um ‘star’. Ao lembrar as peculiaridades de Emma – mãe chinesa, pai romeno, cresceu na Inglaterra e ganhou nos EUA -, os recordes obtidos, sua juventude, o apoio de Tim Henman, a atitude em quadra, ele não pestanejou: “Em 35 anos na indústria esportiva, teria de voltar aos tempos de Tiger Woods para lembrar de algo similar”.

A empolgação despertada por Raducanu em seu país gera discussões constantes em todas as mídias. Qual será seu próximo torneio? Quando vai entrar no top 10? Que impacto terá sobre o circuito feminino? Quantos fãs vai atrair? Quem é seu namorado?

Essa badalação toda já preocupa o chefe executivo da LTA, Scott Lloyd. Entrevistado pelo Canberra Times, ele pede que deem espaço para Emma respirar. “Claro que sua vida virou de cabeça para baixo, mas felizmente ela tem uma família muito bem estruturada por trás”, afirma.

Lloyd se preocupa com a expectativa exagerada que se cria nas costas da jogadora: “Como todo atleta de alto rendimento, Emma terá dificuldades para sustentar o nível e precisará lidar com isso. Conhecemos muito bem sua capacidade física e mental e acredito que ela saberá trabalhar com essas dificuldades”.

Claro que os primeiros fantasmas são as crises existenciais que atacaram jovens como Naomi Osaka ou campeões como Dominic Thiem, que entraram em processo depressivo pela cobrança interna ou externa.

Alheios a isso, agentes já estimam que Raducanu terá capacidade de faturamento na casa dos US$ 100 milhões anuais e ficará bilionária em poucos anos de carreira. Ainda na segunda-feira, segundo o diário The Sun, advogados registraram os termos “Emma” e “Raducanu” como marcas em toda a Grã-Bretanha.

Ao mesmo tempo, a menina de 18 anos aparecia nos mais variados eventos de gala da semana, dava dezenas de entrevistas e recusava incontáveis outras. Enfim, conseguiu voltar para casa e rever os pais nesta quinta-feira. Eles não puderam ir à final porque não conseguiram visto, mais uma história que despertou comoção em torno da tenista.

“Será preciso muito cuidado”, alertou a multicampeã Virginia Wade ao The Telegraph. “Para algumas pessoas, essa popularidade sobe à cabeça ou afeta seu jogo, como aconteceu com Naomi. Irão atrás de Emma como abelhas em volta do mel”.


Comentários
  1. NELSON LUIS DE CARVALHO FREIRE

    Só espero que não se vitimize como fez a Osaka. Tenis é muito duro, e ela vai ter dias duros pela frente tb. Espero que trate isso como circunstâncias do esporte que escolheu

    1. Marcelo Costa

      Que ladainha, aprecie o tênis da Emma, sem precisar depreciar Osaka, da uma preguiça. Copiei de um cara que escreveu algo semelhante abaixo, só não sei quem é para dar o crédito

  2. Maurício Luís *

    @@@@@@@ O ônus e o bônus@@@@@@
    Tudo na vida tem os 2 lados da moeda. O que a Raducanu ganhou neste único torneio é muito + do que a maioria dos brasileiros não ganha durante uma vida inteira, mesmo trabalhando 10 h por dia. O lado ruim é a cobrança e a pressão, já mencionadas pelos colegas internautas e por mim mesmo anteriormente.
    Então o que eu espero é que a família dela faça o papel de família, orientando, apoiando, sobretudo ALERTANDO e PREVENINDO.
    E que não seja mais uma família gananciosa a ser mais uma fonte de cobrança.

  3. Sérgio Ribeiro

    E não deu outra . O Titio Kevin Anderson , substituto de Novak Djokovic na presidência do Conselho de Jogadores da ATP , já foi informado da mudança de regras a partir de 2022 segundo o Eurosport. A tal ida ao banheiro e os atendimentos médicos terão regras rígidas . Menos mal para os apreciadores do Esporte . Quanto a ATP se meter na vida pessoal dos Atletas fora da quadra , nenhuma palavra. Em menos de uma semana , EMMA aumentou em milhão seus seguidores no Instagram …Abs!

    1. Sérgio Ribeiro

      Ps . TSITSIPAS voltou atrás e disse que vai se vacinar . Mas não entrou como Dieguito e a Grécia tomou uma surra na Copa Davis . Abs!

  4. Fernando Peixoto

    Acredito que as mídias e redes sociais têm o poder de destruir completamente a jovem campeã. Aguardemos. Tomara que não!

  5. Rafael

    Duas coisas acontecem no twitter atualmente:

    1) Um movimento em massa para que a ATP ou alguém investigue as alegações de abuso físico de Alexander Zverev;
    2) A conta da Laver Cup está bloqueando muita gente que pede/apoia tal investigação, já que Zverev é um convidado.

    A seguir, um tweet de hoje (traduzido):

    Em maio de 2021, Roger (Federer) disse que os jogadores são trabalhadores autônomos (independentes) e portanto a ATP não deveria interferir em suas vidas pessoais. Agora, um torneio organizado pela sua agência está bloqueando pessoas que tentam divulgar as alegações de abuso. Não está caindo bem…
    _____________________________

    Minha opinião: Roger e sua agência estão sendo coerentes com as declarações do jogador. Porém, estão errados. Todas as principais ligas do mundo tem um código de conduta e punições estabelecidas para todos aqueles que não cumprirem com suas disposições (NBA, NFL, etc), a ATP não tem, ou tem um bem frouxo. (Por exemplo, penso que passou da hora da ATP proibir jogadores não vacinados de jogarem torneios com presença de público, ou até TODOS os
    torneios. Se Djokovic e outros não se vacinaram, nao jogam e pronto. Esse negócio de liberdade individual acaba na parte em que você potencialmente põe outros em risco.)

    Aí fica o dito pelo não dito. Desconsideram o livre arbítrio da ex-namorada em ter decidido (até agora) não prestar queixa formal na justiça e lavam as mãos. Já para Roger, fica a impressão de que ele apoia que se faça o que quiser e a ATP que não se meta.

    Realmente, não cai bem….

    1. Thiago Silva

      O que a ATP pode fazer pra investigar as declarações da namorada do Zverev se nem ela quer ir na polícia? Isso aí não é competência da ATP, é da polícia, não tem o que fazer, acho bem estranho ela não querer prestar depoimento a polícia, faz desconfiar que seja uma Najila que tentou extorquir o Neymar, ele se recusou a pagar, ela foi na polícia e a cada semana dava um depoimento diferente.

    2. Rafael Azevedo

      A ATP não é uma liga, como a NBA ou a NFL. É uma associação dos próprios tenistas. Então, não faz sentido essa associação proibir um tenista (já que ela é formada pela associação do próprio aos outros) de disputar um torneio, por qualquer motivo que seja, a menos que a maioria dos tenistas associados concordem com a proibição.
      As ligas podem decidir o que quiser, e os atletas decidem se vão cumprir ou não.

      1. Rafael

        Formalmente, não é mesmo. Na vida real tanto é que foi necessário criar um conselho de tenistas, para buscar os direitos destes. Se fosse uma “associação de tenistas”, certamente não haveria necessidade da criação de um “sub-conselho”, e ideas como associações paralelas nasceriam fadadas ao fracasso, uma vez que, como “associação de tenistas”, supõe-se que os mesmos estariam sempre satisfeitos, sem nada para reclamar, já que seus pares cuidariam de seus interesses.

        Sobre a menina n]ao ter ido à polícia e as comparações com a aproveitadora do Neymar: Repito, a menins vai à polícia QUANDO e SE quiser. Sobre vocês fazerem analogia com a exploradora do Neymar, nem tenho muito a dizer, dado a absurda diferença de comportamento e aspirações entre as duas.

        No UFC, que muitos julgam uma liga de animais se matando sem sentido, quando o John Jones (um dos maiores lutadores de todos os tempos, goste-se dele ou não) se envolveu em um acidente de carro e fugiu sem prestar apoio à vítima, se não me engano, foi suspenso pela entidade e acabou eventualmente sendo destituído do cinturão. Porque já era hiper reincidente em envolvimentos com drogas, etc.

        Liga ou não, a ATP é praticamente inútil nesse sentido. A própria organização (agência de Federer) da Laver Cup mostra-se hipócrita, bloqueando quem critica a presença de Zverev na rede social, PORÉM EXCLUINDO-O das imagens de divulgação do evento. Ué, se nada está errado, por que não promover o torneio com a presença de um dos melhores jogadores do mundo (entre outras estrelas) atualmente no seu material promocional?

        Fica CHATO? Se fica, Por que o convidaram? Ninguém tem que concordar comigo, lógico, mas ficam os meus questionamentos. Só não dá para ficar quieto quando se utiliza como argmento para “evidenciar” a “falsidade” das declarações da menina o fato de ela não ter prestado queixa. Triste mundo machista. Se ela não denunciou, nada aconteceu e é uma golpista… Um jornalista (de quem não gosto) RENOMADO e EXPERIENTE como Ben Rothemberg colocaria seu emprego e reputação na reta se não soubesse que há fogo nessa fumaça?

        Enfim, estando certo ou errado, quieto eu não fico mesmo, só quando morrer. – Mas essas são apenas minhas opiniões, sem o intuito de ofender ou atacar ninguém, que fique claro.

        1. Rogerio R Silva

          Inútil falar sobre isso enquanto não se provar a culpa do rapaz.
          Até provar a culpa ele é inocente.
          Simples assim.

    3. Carlos Reis

      Onde foi parar a inteligência das pessoas!? Estas VA$$INAS são experimentais, não pode ser impostas em hipótese alguma. Por que será que 100 milhões de americanos não querem a picadinha “milagrosa”!? Burrice? Maldade? Ou preocupação séria? As vacinas mais utilizadas no mundo utilizam uma tecnologia que JAMAIS foi utilizada sem seres humanos, as COBAIAS (ratos “humanizados”) sobreviveram no máximo 2 meses, isso equivale a mais ou menos 2 anos nos seres humanos, E PIOR, as pessoas vacinadas estão se contaminando e transmitindo, até ELES admitem. Vamos PENSAR, por favor!

    4. Jose Renato

      Só acho que todos são inocentes até que se prove o contrário.

      E nesse caso (assim como em todos os outros que envolvem direito penal) o ônus da prova é da acusação – no Brasil, cabe ao Ministério Público como titular da ação penal, e não à vítima.

      Não é certo e nem republicano que uma entidade privada tome para si esse encargo.

      1. Rafael

        Claro que há a presunção da inocência. E o que se espera de alguém inocente? Na primeira vez que for acusado, principalmente alguém com nome e recursos, que acione o acusador por dannos morais, à imagem, etc. Ficar quieto é só dar pano pra manga.

    5. Hugo Peretti Neto

      Boa noite Rafael
      Não entendo a obrigatoriedade da vacina ( eu estou vacinado ) , o que uma pessoa não vacinada pode fazer pra me prejudicar ?
      Até onde eu sei vacinados ou não transmitem o vírus , vacina não elimina isso .

  6. José Eduardo Pessanha

    Paulo Almeida,

    Vi seu comentário falando que eu posto lá no facebook do Tênis Brasil. É verdade, mas o ambiente lá é pesado, pois muitos comentaristas ofendem outros. Acho que isso não é legal. Aqui é um ambiente de zoeira, mas (quase) sempre com respeito aos colegas. Esse é o diferencial do Blog do Dalcim.
    Abs

    1. Paulo Almeida

      Pessanha,

      Sim, citei você e mais alguns outros como o Israel, atacado injustamente na semana passada. Tem razão: lá as ofensas são mais pesadas e eu só passo o olho em alguns comentários razoáveis.

      P.S.: Pelo menos os vídeos no YouTube dos Slams do GOAT Djoko (que ainda vencerá mais alguns) são quase todos em HD e os últimos até em 4K, coisa que você jamais achará do Fregueser, kkkkk.

      Abs.

      1. Daniel C

        Sobre o YouTube, a qualidade do conteúdo importa mais que a qualidade de imagem kkkkk. O que é melhor: ver um clipe de funk em 4K ou um show dos Beatles em preto e branco? 🤣

        Então é aquela coisa: se a pessoa quiser ver jogadas geniais, tem que ir ver vídeos do Federer. Mas se a qualidade de imagem importa e a pessoa não ligar muito para o conteúdo, que vá assistir vídeos do Cotonete kkkkk. Cada um com suas prioridades. Eu prefiro um belo espetáculo.

        Abs

  7. José Eduardo Pessanha

    Dalcim,

    A Kasatkina tinha tudo pra virar uma craque ou foi só uma impressão errônea minha? Vi um jogo dela brilhante alguns anos atrás e depois disso ela simplesmente “sumiu”.
    Abs

  8. Marcilio Aguiar

    Não sei se alguém ja comentou aqui, mas a propósito das pressões que os desportistas em geral (os tenistas em particular) sofrem, recomendo assistir a “Untold – Federer x Fisher”, na Netflix. Muitos passam por momentos assim, alguns superam, outros sucumbem e poucos se manifestam.

  9. Thiago Silva

    Então quer dizer que o Rubens Leme é o Marquinhos/Mauro/Johnny/Victor Hugo/Daniel C.? Por essa eu não esperava hahaha, entre um textão quilométrico de assuntos chatos e outro ele ainda tem tempo de fazer uma dúzia de fakes pra falar sozinho.

  10. Rafael Wüthrich

    Dalcim, estava com saudades de comentar e acho que p momento merece. Afinal, o feito de Raducanu é inédito, grandioso e, pra mim, um dos maiores já vistos. Você esperava algo assim?

    Outra questão: a que se deve um período tão frutífero e auspicioso no tênis feminino, que ficou uma década e meia às sombras da Era Federer-Nadal-Djokovic (e Murray) em contraste ao “fim-de-era” masculino?

    1. José Nilton Dalcim

      O tênis feminino vem produzindo muitas e boas surpresas nos últimos anos e mesmo nos Slam, mas certamente ninguém esperava uma façanha desse porte da Raducanu, Wuthrich. Acho que o tênis feminino vive um momento muito interessante, com jogadoras de recursos mais variados e jogos bem competitivos e equilibrados. É muito difícil cravar favoritismos, e acho que isso é o que tem ajudado muito. Claro que qualquer coisa ficaria à sombra do Big 4 na última década, mas o tênis feminino tem produzido jogadoras muito chamativas, vide o sucesso gigantesco da Osaka. Abs!

      1. Hildebrando Martins de Almeida

        Estou ansioso para ver Bianca Andreescu jogar no mesmo nível que jogou em 2019, quando foi campeã do espetacular US Open (sou apaixonado pela quadra principal). Espero ver grandes duelos entre Bianca, Emma Raducanu, Leylah Fernandez e Naomi Osaka.

        Vi a final feminina do US Open sem sequer bocejar, até a premiação vi com enorme interesse. Não conseguia acreditar que estava tão interessado num jogo entre duas garotas com aparência de adolescentes. Não costumo gostar do tênis feminino. Os jogos de Bianca em 2019 e essa final de 2021 foram exceções. Quanto à final masculina, foi um desastre: acho que só aguentei (não lembro mais) ver o 1º set e o início do 2º set. Achei o jogo meio tedioso e desisti de ver o restante. Só retornei para ver os minutos finais. Gostei da derrota de Djokovic. O sérvio está decepcionando com suas atitudes antidesportivas. Lembram-se daquela bolada na juíza de linha? Ainda quebra raquetes como se fosse um jovem iniciante. Sempre fui fã do educado Rafael Nadal, pena que ele sempre sofreu com excessos de lesões. Se não fosse isso poderia ter vencido muitos outros Grand Slans.

    2. Jose Yoh

      Rafael, creio que as jovens estão subindo um degrau na técnica, criando esse momento favorável, aproveitando o declínio das veteranas também.
      Acho que o tenis feminino tem várias brechas que poderiam ser melhoradas mais facilmente que o masculino, embora para isso fosse necessária uma melhor forma física das jogadoras incluindo a estatura.
      Abraços

  11. Maurício Luís *

    Vamos esperar que as pessoas em volta da jovem campeã prodígio aprendam com o erro dos outros. A começar pela Osaka, o caso + recente. Mas há outros…
    A Raducanu venceu 10 jogos seguidos e já recusou um monte de entrevistas. Eu perdi 10 jogos seguidos e ninguém veio me entrevistar. O que é que ela tem que eu não tenho?
    Fui até elogiado pela minha sogra! ” – Nunca vi nada igual na minha vida!”
    OBS: se alguém for declinar o que é que ela tem que eu não tenho… favor fazê-lo em ordem ALFABÉTICA, pra eu me situar melhor.
    Desde já agradeço.

  12. Robson

    O post sobre Raducanu,sobre wta e alguns membros da igreja Suiça falando do número 1 do mundo,kkkkkkk…
    Novak Djokovic marvadão,como vc machucou profundamente esses fanáticos,tadinhos.
    Não restam a esse bando nada que não seja ficar a temporada toda de joelhos torcendo por derrota do número 1 do mundo,pra poderem soltar um gritinho ou outro que fica entalado na garganta durante quase toda a temporada, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…e tb ficar no YouTube revendo o ídolo jogar,matando saudades, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…

  13. João ando

    O efeito raducanu assim como Naomi e swiatek estão aí e a nova geração feminina. …e acho que novas tenistas vão aparecer ….em quem vc acredita dalcim?

  14. Fabio Riella Fernandes

    As peculiarides da Raducanu parecem aquela música dos Titãs que fala da globalização, “Disneylandia”, não acha Dalcim?

  15. Marcilio Aguiar

    O tênis dessas duas meninas foi de encher os olhos nesse USO. Só desejo que não sejam trituradas pela máquina de moer e descartar seres humanos. Vida longa e saudável (dentro do possível) aos jovens tenistas!

  16. Luiz Fernando

    Hoje cedo me deparei com as boas vindas ao retorno de uma distinta srta que torce para o Federer e que quando postava aqui apregoava duas coisas: 1) como deveria ser muito bem informada nos bastidores da ATP, sabia que havia esquemas da Nike para favorecer Rafa e dizia isso com todas as letras; 2) como não poderia deixar de ser, repetia a exaustão insinuações de doping do espanhol. Aí, agora próximo do horário do almoço, me deparei com essa singela reportagem no site:

    https://tenisbrasil.uol.com.br/noticias/89723/Federer-pensa-em-mandar-filhos-treinar-com-Nadal/

    Digamos q se essa distinta moça tem conhecimento de ilicitudes diversas nas vitórias de Rafa, o suíço, suposta vítima (kkkk) delas no mínimo deveria desconfiar, creio. E o q ele se propõe a fazer? Enviar os próprios filhos para a academia da pessoa que utiliza de tais artifícios p vencer, será que não tem algo estranho nisso tudo? Vamos então para as duas hipóteses: 1) Federer tem total conhecimento das artimanhas do espanhol e mesmo assim manda os próprios filhos para lá. No mínimo deve compactuar com tais atitudes, provavelmente também lança mão delas, pois nunca denunciou o espanhol. Assim, tanto o espanhol quanto o suíço não seriam grandes campeões, mas caras que venceram por meios ilícitos, ou seja, algo lamentável, uma nódoa que marcará suas carreiras para sempre; 2) como grande campeão q é, e acima de tudo um desportista decente, Federer sabe que Rafa não precisa e nunca precisou de tais artifícios para vencer, e daí cogita enviar o que tem de mais precioso, os próprios filhos, para a academia do espanhol, ou seja, para um lugar que na sua visão dará bons exemplos aos filhos.

    Coma palavra os torcedores do Federer, qual a verdadeira faceta do cara: a do pai que quer o melhor para os filhos ou a do que compactua com desonestidades?

      1. NELSON LUIS DE CARVALHO FREIRE

        Que ladainha infindável. Aprecie o tênis, amigo. Se gosta de A ou B, ótimo. Não fique tentando fazer a cabeça de outros. Dá uma preguiça….

  17. José Eduardo Pessanha

    Galera, quem quiser ver Novak Djokovic campeão de Slam novamente, é só recorrer ao Youtube. Dificilmente vai passar de umas quartinhas de final novamente. Final, nem pensar.
    Abs

    1. Marcelo Costa

      Eu sugiro que você faça o mesmo com borg, nastase, laver, ashe, lendel, Becker, kuerten, Emerson, sampras, agassi, safin, Nadal e tantos outros só no masculino, e pasme, verá que teve tenis, temos tenis, e teremos tenis sem o suíço, incrível isso.
      Eu aproveito e lhe aconselho a ver o espetáculo tenis, ao invés só do tenista suíço, garanto que irá apreciar muito.

      1. José Eduardo Pessanha

        Ué, mas como torcedor do craque suíço, sou fã de quase todos esses caras aí. E vi centenas e centenas de vídeos deles no YouTube. Esse conselho tem que ser dado a outras pessoas, não à gente. rs

        OBS 1: Tire o Nadal dessa lista aí. Maratênis, tô fora. Maratênis me lembra aqueles times feiosos do Corinthians do Tite e do Carille. Só quem é corintiano gosta.
        Abs

        1. Marcelo Costa

          Você acima disse que esse blog era um ambiente de “zoeira” isso fica claro em seus posts, há quem goste, eu acho deplorável, mas ok, é seu direito

  18. Rafael

    Tenho certeza que a pressão esmagadora em cima de Emma será inevitável, infelizmente. São os tristes tempos modernos.

  19. Periferia

    Olá Dalcim

    Perguntei no post passado…acho que passou batido.
    Se vc tem alguma notícia do André (Barocos)?
    Se está bem???

    Abs

  20. Miguel BsB

    É claro que a mídia britânica, “tabloidesca” e o business as usual iriam cair em cima da menina como abutres…
    Querem explorar ao máximo a nova estrela da última semana. Espero que ela saiba lidar melhor com isso do que a Osaka, por exemplo.
    A mídia britânica, há exceções, é claro, The Guardian, Times, e outros, te sufoca e te invade em busca de audiência. Muitos não suportam.
    E outra, até acho que não será o caso da Raducanu. Mas lembrem-se do fenômeno Ostapenko, que desde aquele RG nunca vingou como se esperava…

  21. Paulo F.

    Segundo um humilde membro deste blog, se o Dalcim acompanhasse melhor o esporte, não teria errado o sobrenome romeno da campeã do Aberto dos EUA.
    rsrssrsrsrs Abs!

  22. Ricardo - DF

    Pai romeno, mãe chinesa, nascida no Canadá. Suas origens não tem nada de britânicas, mas cresceu e desenvolveu seu tênis lá. Um encanto de menina. Me surpreendi com sua mensagem em chinês, sinal que preza pelas suas origens.
    Apesar da semelhança com a Naomi, psicologicamente parece ser bem diferente. Naomi desde o início se apresentou tímida e retraída, enquanto a Emma parece bem desencucada, alegre e positiva.
    Ainda assim, a pressão que está sofrendo é muito pesada. De repente, vira ídolo nacional e uma fonte de riqueza que muitos cobiçam. Torço para que a família e sua equipe consigam blindá-la diante dessa pressão social e que ela possa desenvolver seu tênis brilhante.
    E temos ainda a Leila, outra jovem excepcional.
    Previsão de grandes duelos na WTA em 2022!

  23. Sérgio Ribeiro

    Sem Web vimos Björn Borg virar Pop Star perto dos 19 , e Chris Evert se tornar a “ namoradinha da América “ , imagina EMMA . Não podemos esquecer que ela já abandonou nas Quartas em casa , alegando falta de ar . Daí que o que aconteceu com Naomi , serve de alerta para seus Pais . As Irmãs Williams não tinham uma estrutura familiar tão boa , se uniram , e deram conta do recado. Lembrando sempre que Serena venceu seu primeiro SLAM em 1999 ( aos 18 ) , e assim como Novak , aguardou 3 anos para vencer o segundo , Roland Garros 2002 . Como acredito muito no fator família , acho que tanto EMMA como Naomi , canditadas a driblar a sede mais que exagerada da mídia transloucada assim como os citados anteriormente. Abs!

  24. Paulo H

    É importante que exista um certo grau de maturidade intelectual, acompanhando este desenvolvimento esportivo, para suportar toda a pressão e distração que virão junto com os prêmios e contratos milionários. Ostapenko, Swiatek, Andreescu, são alguns nomes que também venceram um slam e nunca mais chegaram a uma nova final desse tipo de torneio. Por outro lado, Osaka, Barty e Halep fizeram várias finais e provaram que é possível manter a regularidade, mesmo com a fama repentina, embora Osaka já demonstre uma fadiga psicológica que vem comprometendo o seu presente e futuro tenístico.
    A final do US Open foi excelente e torcemos para que Emma e Leylah tenham um grande futuro no tênis.

    1. Rafael

      Torço para Swiatek e Andreescu, gosto muito das duas. Osaka é uma incógnita. Tanto pode se recuperar em alguns meses como pode se aposentar com uns 26,27 anos para se preservar. Borg não aguentou. É um problema sério.

  25. Helena

    Vamos para as comparações óbvias:
    – Garota jovem e que venceu de maneira firme e inesperada o seu primeiro Grand Slam;
    – visual exótico;
    – tênis ofensivo;
    – pais de nacionalidade distintas;
    – nasceu em um país e foi criada em outro;
    – crescimento bombástico nas redes sociais.

    À primeira vista, as semelhanças com o surgimento da Osaka são gritantes, inclusive com a turbinada nas redes sociais (em relação aos homens, só tem menos seguidores que o Big3. Das mulheres, acredito que só esteja abaixo da própria Osaka, da Bocuhard, da Serena e da Mirza, a última com um foco de fãs concentrados mais no próprio país).

    Espero que as pessoas aprendam e tenham mais paciência com a moça. Muitas vezes os que mais se empolgam, são os que vão jogar as pedras de maneira mais pesada.

    Do lado dela, espero que tanto a moça como o seu círculo íntimo saibam a proteger, tanto das críticas que uma hora vão chegar, quanto das adulaçôes, que por muitas vezes são ainda mais perigosas.

    Assim como a ATP, a WTA parece desesperada para encontrar novas estrelas, tendo em vista a aposentadoria das antigas e que só a Serena estava conseguindo segurar sozinha. Assim, vemos o desespero em tratar jogadoras de enorme potencial como uma provável nova lenda do esporte (Osaka, Gauff, Andreescu…) numa ansiedade tão grande que, aos 17 anos, Gauff já foi até chamada de flop. Todas essas jogadoras se mostraram muito talentosas, mas ser uma jogadora histórica requisita tempo, algo que ninguém pode apressar. Então não é pelo fato de alguém ter talento de sobra que vai, automaticamente, virar uma lenda do esporte. Entendo a vontade de ver o esporte crescer, mas seria interessante dar um pouco de tranquilidade para que as moças possam crescer dentro do seu período de amadurecimento.

    Enfim, Emma fez um torneio maravilhoso, tem um jogo que me agrada e postura corajosa em quadra. Não a conheço o suficiente, então qualquer conclusão adicional seria completamente precipitada. De qualquer forma, como fã do esporte, desejo sucesso!

    1. Jose Yoh

      Helena, uma diferença que enxergo entre as duas é que a Raducanu nao é tao instrospectiva como a Osaka. Isso provavelmente vai fazer diferença pelo menos na hora das entrevistas.

      Outra diferença é um pensamento um pouco mais positivo.

      Mas é meio cruel o sucesso em uma fase tao insegura e prematura da vida. Mais cruel ainda é o fato dessas atletas/personalidades terem carreira útil tao curta. Talvez por isso ganhem um slam cedo e só deslanchem de vez lá pelos 24 anos. O duro que aos 30 o físico já começa a pesar, vem as dores e um certo sentimento de fim de carreira, causando em alguns certa decepçao com essa vida.

      Abraços

      1. Helena

        Olá, José!

        Eu concordo que o caso da Raducanu pinta melhor que o da Osaka. A minha dúvida é mais pelo fato de, no meu caso, conhecer melhor a segunda melhor do que a primeira. Já vi a japonesa agindo quando está vencendo, quando encara uma série ruim, então tenho uma ideia mais completa sobre ela. No casa da Emma só vi esse começo onde tudo são flores, então não sei como ela vai agir daqui para a frente. Espero que tudo seja tão positivo quanto aparenta, até agora não vi nenhuma razão para pessimismo. Esse receio é mais uma cautela pela questão que você trata no segundo parágrafo, esses exageros dos tempos recentes. As pessoas vem mostrando muita pressa para rotular alguém de alguma coisa, tanto no momento de adorar, quanto para chegar ao ataque =/

        Ps: No caso da Osaka, confesso que ainda tenho dúvidas se o problema dela é oriundo mesmo da timidez.

    2. Rafael

      “Muitas vezes os que mais se empolgam, são os que vão jogar as pedras de maneira mais pesada.”

      Eu diria TODAS as vezes…..

      1. Helena

        Verdade, Rafael.

        Por isso acho tão importante que os atletas tenham uma base sólida de família/amigos. Digo não só para ajudarem o famoso a lidar com com as alterações nas reações do público/imprensa, como também para fazerem as críticas necessárias  para que a pessoa do atleta cresça no lado pessoal e profissional.

        1. Jose Yoh

          Será que esse é um dos motivos para alguns “treinadores familiares” terem tido sucesso? Talvez uma pessoa de total confiança traga a segurança e os conselhos necessários nessa idade.
          Abraços

      2. Jose Yoh

        Expectativa exagerada sempre é prejudicial Rafael. Principalmente em um mundo mimado (ainda achamos que os atletas é que sao) que nao aceita a mínima falha.

        Por isso nao culpo as falhas dos nossos ídolos. Se é um santo, há críticas dizendo que é um falso. Se nao é, há críticas piores ainda.

        No final talvez a Osaka esteja certa em ficar calada.

        Abraços

    3. Luiz Fabriciano

      Mais um comentário de sucesso.

      Sobre esse trecho:
      “Espero que as pessoas aprendam e tenham mais paciência com a moça. Muitas vezes os que mais se empolgam, são os que vão jogar as pedras de maneira mais pesada.”
      Infelizmente até o primeiro ponto final, não acredito que aconteça e a segunda parte, infelizmente também, é o que mais acontece.
      Essas pessoas se sentem donas das celebridades, porque em determinado momento, torceram por elas.

      Guardadas as devidas proporções – e são grandes – tivemos um caso que nos lembra esse fenômeno. Um garoto venceu o AUS Open juvenil e no mês seguinte o queriam disputando a chave principal do Brasil Open. O que foi vedado por seu treinador Larri Passos.
      Não sei se surtiu efeito, mas o futuro promissor tenista desistiu da carreira antes mesmo do ano seguinte para se dedicar à engenharia.

      1. Helena

        Obrigada, Luiz!

        Pois é, nessa pressa dos últimos tempos as pessoas se apegam rapidamente a A ou B e muitas vezes projetam que a pessoa vai agir como esperam, se decepcionando com o resultado, isto é, por a pessoa ter sido quem é, e não quem o fã imaginava que seria.

        Sobre o segundo ponto, cada pessoa tem sua forma de ir amadurecendo. Tem alguns como o Nadal que são fenômenos jovens e conseguem manter esse nível altíssimo (raros); alguns como o Djoko (e talvez o Medvedev), que a chave gira em determinado momento e conseguem um crescimento que não se esperava; outros que conseguem um grande avanço, mas depois não conseguem ir além…. Enfim, por variadas razões uma carreira pode decolar ou não, e isso não temos como prever, então acho que não faz mal aproveitar o que de fato existe no momento… hehehe.

  26. Daniel C

    Eu também vejo com preocupação essa badalação toda, que considero muito exagerada. É bizarro a forma como a mídia e a sociedade estão sempre atrás de ícones / estrelas de forma desesperada. E ao mesmo tempo triste como temos não só concentração de renda na mão de poucos, como também concentração de atenção, enquanto muita gente passa necessidade. Acho que um dos grandes problemas no mundo é ter jovens ganhando tanto dinheiro, por mais fenômenos que sejam. Não é necessário tudo isso.

    Mas a Emma não tem nada a ver com isso, e a sua postura e estilo de jogo né conquistaram. Espero que essa fama não cause uma influência negativa em seu jogo, pois acredito que ela tem um sucesso brilhante pela frente, assim como um potencial de idolatria muito maior que dá Osaka. Fico na torcida por ela! É mais uma vez: que fase boa do tênis feminino! Uma pena que o masculino tem passado por um período tão ruim, com um no1 muito menos interessante que o anterior, o genial Roger Federer. Vai demorar para vivermos outro período 2004-2010, viu. Pra quem teve a sorte de acompanhar tênis na época, são memórias inesquecíveis e que bom que dá para reviver esses momentos no Youtube.

    Pelo menos a final de domingo deu sinais de tempos melhores pela frente. Mas espero que não seja só impressão. Afinal 2020 deu a mesma impressão com o crescimento de produção do Thiem, e o ano seguinte foi ainda pior. Ficamos muito perto de uma tragédia nos livros de recordes do tênis, que o herói russo Medvedev evitou e terá eternamente meu respeito. Que 2022 não brinque em dar esse susto de novo…o pior é que ainda acho que o nível da concorrência tá fraco…

    1. Túlio Oliveira

      O comentário se torna patético no momento em que começa a abordar o tênis masculino. O que a idolatria não faz com as pessoas. Lamentável.

    2. Paulo Sérgio

      As inúmeras derrotas de Federer para Djoko parecem que foram mais sentidas pelos fãs do suíço do que pelo próprio Roger.

    3. DANILO AFONSO

      Estava indo tão bem falando do tênis feminino que fiquei até impressionado, mas o trauma é tão grande com o sérvio, após uma década de sofrimento no sofá, que sempre precisa dar audiência falando dele.

      Achei cômico ler você afirmando que tem que recorrer aos vídeos antigos (2004 a 2010) do youtube para ter alguma “fecilidade”, época que o seu pesadelo sérvio ainda não tinha atingido o nível de excelência que apresentou para o mundo na última década…kkkk

      É muito sofrimento, tá doido…

    4. Luiz Fabriciano

      Vou encaminhar a mesma dica:
      De sem noção para ridículo está bastante tênue a diferença.
      Já já alcanças.

    1. Luiz Fernando

      Claro, pessoas como vc devem estar radiantes com o retorno dos “companheiros” de torcida, ambos refletem muito bem o segmento ao qual pertencem. Ele um oportunista declarado, que só aparece nos momentos de derrotas dos adversários, ela que sempre atribuiu as vitorias dos adversários a esquemas extra-quadra e artifícios tipo doping, ambos demonstram com precisão a esportividade que caracteriza determinado segmento dos torcedores do Federer. Vcs se merecem, um foi feito para o outro kkkk. Aqui é diversão garantida kkkk…

Comentários fechados.