Análise: game a game, como foi a final do US Open
Por José Nilton Dalcim
12 de setembro de 2021 às 17:07

Vitória mais do que merecida de Medvedev, que foi muito sólido e viu o número 1 jogar abaixo de seu normal, provavelmente tenso pela chance histórica de fechar o Grand Slam. O russo sacou muito bem o tempo todo, dando poucas chances à devolução sabidamente excepcional do sérvio. Mas o que chamou a atenção foi sua superioridade nas trocas mais longas, a maior parte do tempo usando bolas sem tanto peso, o que levou Djokovic a tentar muito os voleios, onde aliás se saiu muito bem.

Terceiro set
4-6 – Apesar do absurdo nervosismo e de sacar sob vaia do público, Medvedev conseguiu fechar a partida mesmo depois de cometer outra dupla falta no 40-15.
4-5 – Djo9kovic usa a energia da torcida e faz um game até tranquilo de serviço. A pressão obviamente aumenta para o russo.
3-5 –
Russo comete três duplas faltas na hora de fechar a partida, uma delas no match-point, e ainda manda um forehand no meio da rede para sofrer a primeira quebra da partida.
2-5 –
Djokovic permitiu 30-30, mas aí sacou muito bem e diminuiu o placar. Agora, o jogo está nas mãos do russo, que sacará pelo menos duas vezes para o tão sonhado primeiro Slam.
1-5 –
Russo não fez um grande game de serviço e deu tremenda sorte numa bola que tocou na fita e que poderia ser um 15-40.
1-4 –
Medvedev confirmou serviço e enfim Djokovic jogou um pouco mais solto.
0-3 –
Apesar de ter feito novamente ótimos voleios atrás do saque, Djokovic não consegue estabilidade nas trocas. Sofre outra quebra e agora uma reação parece algo ainda mais difícil. Ao menos, talvez ele enfim se solte na partida.
0-2 –
Game tenso em que os dois erraram bolas bobas. Djokovic insistiu nos voleios mas agora encontrou passadas mais bem venenosas.
0-1 –
Djokovic abriu 30-0 mas não confirmou um saque importantíssimo. Parecia até mais solto na base e acabou errando um voleio relativamente fácil.

Segundo set
Djokovic até jogou um pouco melhor, mas ainda está muito falho nas trocas de bola e não consegue fazer quase nada no saque adversário. Medvedev se mostra muito frio e até mesmo quando perde pontos bobos consegue voltar rapidamente à concentração. Djoko terá de lembrar da virada de Roland Garros em cima de Stefanos Tsitsipas para ainda sonhar com o título.
4-6 –
Medvedev abriu 40-0 num game em que arriscou duas curtinhas, incluindo o set-point, num lance que Djokovic teve toda a chance de ganhar.
4-5 –
Djokovic não se entrega e aposta de novo nos lances mais curtos para manter o saque e jogar a pressão para o outro lado.
3-5 –
Com dois saques fulminantes e dois forehands agressivos, Medvedev ainda se mostra muito solto e confiante.
3-4 –
Russo vacilou e perdeu chance para garantir o segundo set, já que Djokovic estava claramente inseguro. Sérvio reagiu e contra ele não se pode relaxar..
2-4 –
Paciente para esperar a hora de finalizar ou o erro do adversário, russo mantém saque sem susto.
2-3 –
Não resta dúvida que o russo faz uma bela exibição técnica e tática, mas a impressão que dá é que Djokovic não conseguiu ainda administrar os nervos. Fez outro game ruim e sofre a quebra.
2-2 –
Medvedev evitou mais dois break-points com ousadia e sorte, num voleio cheio de efeito e uma paralela improvável. Djoko se irritou a arrebentou a raquete.
2-1 – Desta vez foi o russo quem teve a chance de quebra, mas Djokovic sacou muito bem. Aliás, o saque tem sido a melhor arma do número 1 até agora, já que ele falha muito da base. É de se observar a opção tática do russo, que troca bolas sem muito peso.
1-1 –
Pela primeira vez Medvedev passou sufoco no saque, devido a seus erros, mas reagiu com ótimos saques e um erro bobo do sérvio no 30-40.
1-0 –
Outra vez Djokovic sai com o saque, desta vez foi bem, com mais dois voleios.

Primeiro set
Atuação excelente do russo no serviço, aproveitando o vacilo de Djokovic no game inicial. O sérvio não está à vontade nas trocas e optou desde a metade do set a encurtar os lances e ir à rede. Mais uma vez, como acontece desde a terceira rodada, Djokovic perde o primeiro set.
4-6 –
Outro game notável de saque, em que o único ponto do sérvio foi uma dupla falta.
4-5 –
Inseguro na base, Djokovic outra vez se salva com subidas à rede. Até agora ganhou 8 dos 9 pontos nos voleios.
3-5 –
Medvedev ganhou todos os 11 pontos em que acertou o primeiro saque e já fez seis aces.
3-4 –
Djokovic toma atitude interessante e já muda completamente o plano tático. Vai à rede o tempo todo e se deu bem.
2-4 –
Medvedev perdeu apenas dois pontos com o serviço até agora. Deu segundo saque a 198 km/h.
2-3 –
Outro game impecável de saque do russo. Djokovic responde no mesmo padrão.
1-2 –
Importante game levantado por Djokovic, que fez outra dupla falta e mais dois erros. Quando encaixou enfim o primeiro saque, incluindo dois aces seguidos, dominou.
0-2 – Com ace até de segundo saque, Medvedev mostra tranquilidade. Russo dá a entender que vai forçar os dois serviços.
0-1
– Djokovic começou firme e já fez a primeira transição à rede, algo que deverá ser comum, mas o russo reagiu e quebrou o saque nas trocas de fundo.

Tudo pronto para o mais importante jogo do tênis em 2021. Novak Djokovic entra em quadra com a meta de marcar dois feitos espetaculares ao mesmo tempo: ‘fechar’ o Grand Slam com a quarta conquista da temporada e ao mesmo tempo somar o 21º troféu de Slam e pela primeira vez ficar acima de Roger Federer e Rafael Nadal.

Não há mistérios táticos ou técnicos entre os dois especialistas em quadra dura, que tentam forçar o saque com objetivo de comandar o ponto logo na segunda bola. Os dois têm sacado muito bem neste torneio: o russo venceu 82% dos pontos em que acertou o primeiro saque e o sérvio sempre achou um saque milimétrico nos momentos de maior pressão.

A questão básica é o posicionamento dos dois, muito distinto. Enquanto Djokovic sempre procura jogar perto da linha de base, inclusive na devolução do primeiro saque, Medvedev recua cinco ou seis passos na devolução com o objetivo de entrar em todos os pontos, mas joga bem mais perto quando saca. Essa postura fragiliza bolas cruzadas e curtinhas, algo que se espera Djokovic utilize com frequência.

O histórico de 5 a 3 mostra um considerável equilíbrio, mas é curioso que as três vitórias de Medvedev tenham acontecido enquanto Nole era número 1.

 


Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Majô

    Assisti a maioria dos jogos,e Djockovic venceu a partir da terceira rodada sempre perdendo Sets.Não é meu preferido,achava-o uma rocha mentalmente!Flexibilidade absurda,saques,cobre a quadra toda e ainda tem os saques.Porém,vi esse ano depois de Roland Garros uma pessoa arrogante.E assim foi até chegar o grande dia do 21 Slans.
    Ao perder o primeiro set,achei que também seria mais um Record, pois li ,que ele por oito vezes já havia virado jogos depois de perder o primeiro set.
    O que assisti hoje,foi um Medvedev impecável, frio,e certeiro embora várias Duplas Faltas.jogou muito esse garoto ,mereceu!!
    Por outro lado vi um Djockovic, com seu ar de superioridade :ah!eu viro o jogo quando quiser,sou único!Seu tão famoso mental,não existiu.Nitidamente,sucumbiu com 2×0.Antes o de sempre,quebrar raquetes ,será uma tática para desestabilizar o oponente?Não, já disse ele,que as quebras das raquetes ,o faz voltar ao jogo mais forte.Pode até ser,mas é tão estúpido assistir cenas dessas…Enfim,não sou matemática e acho que em jogo de tenis o que vale é vencer.Se vai chegar a 21,25,30 Slans não sei.O que sei ,é que foi um US OPEN esvaziado de tops ten,e no início cogitei em nem assistir.Ao Djockovic, espero que ele seja mais humilde,siga sua carreira sem dúvida íncrível . Parabéns a Medeved que enfim ,conseguiu seu primeiro Slan de forma inconteste.
    Agora é pensar a frente,sem expectativas,sem exageros e sabendo que jogo é em quadra que se decide.Hoje Djockovic sentiu o gosto amargo que deixou em Federer e Nadal(esse já lesionado desde 2005, desgaste de ossos prematuro),a importância foi menor que em Wimbledon.Medvedev impecável, elegante e engraçado. Desses jovens o mais promissor,por não ter medo,entra para vencer.Merecidíssimo!!

    Responder
  2. Leandro martins

    Confesso que acreditava sim no russo,mas era óbvio que seu servico e erros não forcados teriam que beirar à perfeição,o que de fato aconteceu!!!Sua resiliência no fundo de quadra deixou o sérvio louco com teu’ próprio veneno’ sendo posto contra si,que foi devolver tudo por parte do russo!!!o que de fato me incomodou foi perceber que o velho e eficiente saque e voleio morreu pra parte física e tecnológica ,jg muito de fundo,daí é admirável perceber que federer venceu winbledon sacando e voleando o tempo todo,lá em 2003!!!O sérvio é um monstro de jogador ,mas junto à rede é um top 10 sem desmerecer esse multicampeão qie tb admiro muito!!!

    Responder
  3. Israel

    Acompanho o Djokovic desde 2011, quando venceu 43 partidas seguidas, parando em Federer na semifinal de Roland Garros, tendo vencido naquele ano 7 finais contra o Nadal. O Federer venceu o Djokovic mais uma vez em Wimbledon 2012 e nunca mais. Só foi ganhar GS quando o Djokovic estava machucado em 2017 e AO 2018. Quando Djokovic reassumiu seu posto acabou pra ele. Acredito que por isso o Vitor Hugo tem tanto ódio do Djokovic. Gostaria de dizer também que todos passarão e que os feitos de hoje serão a régua para os novos campeões que vão chegar e ocupar seus espaços. Saudações nolistas!

    Responder
  4. Pedro Batista

    Mestre Dalcin, como já postei, sou um fã de tênis relativamente recente, 5, 6 anos, e torcedor do para mim, melhor de todos, Roger Federer, e não me considero expert nas minúcias do esporte, porém achei que esta final(torci pro russo) não foi de um alto nível técnico. Estou enganado na minha avaliação?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, Pedro, você está correto. Não foi um grande jogo, mas houve um interesse duelo de táticas e isso valre a pena você observar se tiver oportunidade de rever a partida.

      Responder
  5. Israel

    Esse Rodrigo S Cruz, Vitor Hugo e outros haters estavam sumidos. Ressurgiram das catacumbas para destilarem todo o seu ódio e preconceito contra o Djokovic. De minha parte estou bem feliz. Sou torcedor do servio e acompanhei sua trajetória maravilhosa, ganhando 3 Slans e chegando na final do último Slan do ano. Pergunto pra vocês, o que seus adorados e idolatrados ídolos conseguiram? Nada. Tentem aproveitar o momento, porque doravante só assim ficarão felizes, já que seus ídolos não ganharão mais NADA. Forte abraço.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Ressurgi das catacumbas usando o meu nome e sobrenome de verdade – coisa que homens de verdade fazem.

      Diferente de você que cada dia usa um diferente.

      Eu nunca vi Israel nenhum postando aqui, logo eu TENHO CERTEZA que se você já me conhecia é porque é um fake patético…

      Mas continue aí se doendo e chorando com o sérvio falsário e arregão!

      Hahahaha

      Responder
    2. Daniel C

      Aí Israel, o Federer beirando os 40 anos não precisa provar mais nada e eu nem espero que ele conquiste algo grande pra ser sincero. Agora pode voltar pra posição fetal rs. Forte Abraço e se precisar de algo, avise! Rs

      Responder
  6. Renan Vinicius

    Que atropelamento! Alguém anotou a placa russa?
    Tá de bom tamanho para o sérvio milongueiro e chorão. 3Gs no ano, tá ótimo. Lembrando que em RG o Nadal não estava 100% com a lesão no pé.
    Ver as lágrimas de crocodilo desse picareta não tem preço kkkkkk

    Responder
  7. Sandro Luiz de Lima Ferreira

    Meu palpite é que agora ficou bem mais difícil o 21° título para o Djokovic. Ano que vem voltam Federer, Nadal, Tim, wawrinka, que não vão estar bem ranqueados e podem jogar com Djokovic antes das fases finais. Mesmo que ele passe tem Berretini, Tsitsipas, Medvedev, Sverev crescendo e quem sabe Nick Kyrgios recuperado.

    Responder
  8. José Yoh

    Nole estava mal das pernas, em dado momento começou a esmurrá-las e reclamar. Não chegava nas bolas equilibrado e errava muito. Mais uma vez quem estava fisicamente melhor ganhou.

    Sentiu também a pressão do jogo. Uma pena porque esperava mais dessa final e sinceramente ele merecia fechar o calendar.

    Medvedev apostou alto no saque e na trocação no meio, só angulando ou mudando a direção quando tinha uma bola muito boa ou quando era a última opção – acho que ele achou uma fórmula boa contra o sérvio. Recebia grudado no público e marretava toda devolução de saque pq Nole começou a ir na rede, fazendo SAQUE E VOLEIO (acredite se quiser).

    Fato lamentável o público de NY com sua costumeira barulheira gritar durante o saque do russo, mesmo ele parando por três vezes no match-point. Duas duplas faltas e quebra claramente causadas por isso e pela falta de calma do russo.

    Fica a sensação de que nunca veremos alguém fazer o calendar porque isso está no limite do físico de um humano. Ganhar os dois primeiros já é uma tarefa para herói da Marvel, mesmo jogando poucos M1000. Normalmente depois disso lesiona.

    Responder
  9. Eneas e.

    Uma hora isso iria acontecer e eu acho que chegou, uma nova geração dominando o tênis, acho que o djoko ainda tem gás pra levar mais um ou dois slans, o Nadal quem sabe ano que vem em Roland Garros mas acho difícil e Federer deve encerrar a carreira em Wimbledon. Temos que admitir a idade chega pra todos, eu torço para que o bug 3 não ganhe mais slams, seria bonito para a história os. três terminarem com 20 slams.

    Responder
  10. Paulo Almeida

    Hoje foi um dia muito triste no mundo do tênis e do esporte em geral, que esperava o GOAT Djoko bater o maior recorde da história, mas o cansaço e o DJ mau-caráter, que soltou a música de propósito para voltar o primeiro saque do russo em momento crítico, atrapalharam tudo. Mais uma vez o Craque foi roubado nesse Slam amaldiçoado.

    A nação GOATista comemorou muito em 2021, enquanto a seita afetada foi constantemente humilhada.

    De positivo fica a torcida quase toda na Arthur Ashe e as confirmações por parte de Zverev e Medvedev de quem é o melhor da história.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      De saldo positivo pra mim fica a imagem de você e o sérvio chorando de cócoras no banheiro:

      ” Oh, céus, oh vida. Azar dos azares, tristeza das tristezas”

      kkkkkkkkkkk

      Responder
  11. Carlos

    Grande jogo do Medvedv, 21 anos, contra um dos melhores da história.
    Fica uma lição para Djokovic e sua equipe, mesmo sendo um dos melhores da história do tênis, e principalmente por isso, é sempre bom um pouco de humildade, o que às vezes falta nas palavras e postura dele e de alguns da equipe.

    Responder
  12. Sergio Gonçalves

    Eis a verdade e a verdade é uma só: o maior adversário do Nole foi a torcida a seu favor. Nole ainda tentou virar o jogo ofertando ao distinto público mais um dos seus chiliques, mas não teve êxito em enfurecer a platéia. Ali estava decretada a derrota acachapante (e merecida) daquele que é, reconheço, o Maior-Tenista-de-Todos-os-Tempos-Entre-os-Que–Não-Sabem-Executar-um-Smash.
    A peleja foi tediosa mas, pelo menos, não tivemos mais uma daquelas novelas mexicanas protagonizadas por Nole e pelo Siri (Nole x Siri deveria ser proibido pelas ONGs que combatem e denunciam a tortura).
    Nole pode vencer 538 GS, mas será sempre o tenista tarja-preta, um sujeito descompensado que jamais corporificará o magnífico esporte do tênis. Ele está para o tênis assim como uma tainha está para um velocípede.
    Concluindo, recomendo avisarem ao Nole que o único lugar no planeta onde ele tem torcida é aqui, no espaço do mitológico Dalcim. Suspeito que nem em casa ele tenha a unanimidade.

    Responder
  13. Groff

    Vim para falar do resultado do jogo, mas vou parar por aqui porque já estou vendo comentários jocosos sobre a emoção do Nole ao perder. Sério, pessoal? Quantos anos vocês têm? Seria vingança encalacrada desde a final do AO em 2009? O que fizeram então foi patético e fazer isso agora não é nada melhor. O sérvio esteve a uma vitória da glória maior do tênis profissional e vão reclamar de ele ter chorado. Lamentável. Medvedev esteve num nível de controle que nem o maior detrator do Nole sonharia hoje, então acho que é hora de sermos solidários com os fãs dele e respeitosos com seus feitos, de hoje e de sempre.

    Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Aplaudindo o que , meu caro ? . Quantas milhares de vezes a “ Turminha da Kombi “ já postou de maneira jocosa os choros do Craque Suíço em suas vitórias e derrotas ???? . Abs!

        Responder
  14. Fábio

    GOAT? Nunca será. Dick Vigarista mostrou quem é, e sempre foi, nas Olimpíadas. Quando aperta ele mostra quem é. 21 minha………. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Responder
  15. Atilio

    Medvedev jogou muito, sólido do começo até quase o fim do jogo quando oscilou um pouco. Djoko vai ter outras chances de aumentar o seu estoque de taças de GS. Embora goste mais da dupla Fedal, não há dúvida de que, pelos números, o sérvio já é o melhor de todos os tempos.

    Responder
  16. Daniel C

    Vou deixar meus comentários para a próxima pasta. Vou tomar umas cervejas para comemorar esse resultado fantástico para o tênis kkkkkkkkk

    Obrigado, Medvedev, por salvar o tênis de uma enorme tragédia e aberração! Kkkkkkkk

    PS: Pessanha estava certo! Rs
    PS2: Djokovic chorão hahahaha

    Responder
  17. Periferia

    Torci para o Djokovic conquistar o título e os 4 Slam simultaneamente…o cara fazia por merecer…
    No torneio o sérvio não jogou bem…apesar do otimismo Nolista…sempre achei difícil…
    Mesmo assim o cara chegou na final…mesmo perdendo de 2×0 e 5×1 no terceiro set…ainda (sua imagem apenas) fez o russo tremer…(chegou um momento que fui na cozinha pegar alho e uma estaca para fornecer para o russo…ainda bem que não precisou…).
    A “porta” foi arrombada…
    Parabéns ao conterrâneo de…Dostoyévski… Tolstoi…Tchekhov…Gogol…Nobokov…Turguêniev…..
    Fez por merecer…

    Responder
    1. Chetnik

      Gogol e o Tchekhov eram Ucranianos – “Khokhol”, como o Tchekhov se autodenominava. Se vai afetar conhecimento, melhor fazer a lição de casa mais bem feita, na próxima vez.

      Responder
      1. Periferia

        Tchekhov nasceu 1860….Gogol em de 1809…os dois no Imperio Russo (como era grande)….
        (No caso do Gogol existe uma certa controvérsia sobre o local de seu nascimento)….
        Vc deveria colocar o nome do seu ídolo…

        Draža Mihailović…
        Eu e vc sabemos quem é…..

        Responder
        1. Chetnik

          Claro, a Ucrânia – maior parte. Outra fazia parte do império Austro-Húngaro. Anota mais essa para você – fazia parte do império Russo, gênio. Pela sua lógica, todo mundo que nasceu no Brasil antes de 1822 era português, não brasileiro kkkk.

          Grande Draza, sabemos. Você porque, sendo o Sr. Google que é, foi logo procurar quando viu meu nick, para afetar mais falsa erudição kkkk.

          Responder
          1. Periferia

            Chet(desculpe nao consigo digitar seu apelido todo…).

            Vc é o primeiro cara que conheço que faz a Ucrânia absorver o Império Russo….na história servida na periferia sempre foi o contrário…

            “Jenios” que colocam assassinos de crianças e mulheres em homenagem constante (vc está sempre em movimento…deixando sangue por onde passa…)
            Vc não me impressiona…pelas letras bem construidas (escreve bem)…vc não usa o apelido por desinformação…
            Usa por ser igual…ou se sente um igual…

            O que te incomoda…não é a “erudição” da periferia….o que te incomoda realmente…. é perceber que sou o oposto de vc….(e nem precisamos nos conhecer…o sentimento transborda…percebemos)

            Volte para sua “vala”…onde tem seus “troféus”…

            E vc deveria sempre se despedir com um
            Viva a Grande Sérvia….

            Abs

  18. Marcílio Aguiar

    O Djoko não esteve como nos melhores dias, mas mostrou que é humano. Como o Federer em Mmelbourne, chorou de emoção. Imagem comovente. Parabéns a ambos! O russo passou à maioridade, jogou com muita cabeça.

    Responder
  19. Rodrigo S. Cruz

    Gente, mas essa cara de cachorro de caiu da mudança do Djokovic na cerimônia está impagável.

    Nunca me diverti tanto!!!

    WHAT A PRICELESS MOMENT (rs)

    Responder
  20. Rodrigo S. Cruz

    HAHAHAHAHA

    Olha só que patético agora o Djokovic escondendo o choro compulsivo com a TOALHA!

    Meu Deus, mas que cena dantesca!!!

    Falem do Federer agora, seus bonzões, metidos.

    Responder
  21. Gildokson

    Ronildo, eu espero que você leia esse comentário.

    Você estava CERTO!!!!!
    Jogar com a pressão de ser o melhor na opinião de muitos é realmente diferente. Primeira vez que o sérvio experimentou isso e oq aconteceu?? PERDEU!!!!!!!! KKKKKKKKKKKKKKKK

    Responder
      1. Ronildo

        Então para Nadal e Djokovic sempre foi uma questão de meter a mão na bola como um novato contra o favorito (Federer) e esperar a pressão contra Federer dar resultado.

        Negar este fator é o mesmo que negar fatos concretos na história do esporte.

        Responder
  22. Luiz Fernando

    Incrivel, pela primeira vez toda a torcida a favor, Djoko chorou e… perdeu…

    Nenhum dos Big3 fará o calendar slam…

    E que partida exuberante do russo, q desde o início foi regular e agressivo, fazendo c que o Djoko tivesse q mudar a estratégia, mas tudo foi infrutífero. Vitória justa e merecida, que eu pessoalmente não acreditava…

    Responder
  23. José Eduardo Pessanha

    Errei. Falei que Salsichavedev perderia dois sets no torneio. Ainda tentei consertar, pois seria muito perder dois sets. Era pra ter ganho sem perder sets, mas viajou naquele jogo contra o holandês.
    Abs

    OBS: 3 a 1 Mengão, fora o baile.

    Responder
    1. Aguinaldo

      Palmeiras deu sorte de jogar contra os reservas do Flamengo. Assim não perdeu de 4 , como os outros paulistas.
      Vibrei muito com a vitória do Medvedev.
      Djokovic já é o melhor da história, mas é muito convencido e arrogante.
      Ainda bem que o russo não amarelou como o alemão.
      Espero que os 2 ganhem muitos GS pela frente.

      Responder
  24. Paolo

    Djokovic tremeu na base, cometeu erros bizarros. Djokovic, foi ótimo acompanhar sua carreira, vou seguir acompanhado até sua aposentadoria, ou então até quando eu quiser.

    Muito obrigado.

    Responder
  25. Rodrigo S. Cruz

    BANHAÇO de água fria com CUBOS DE GELO na mais insuportável e arrogante torcida da história dos esportes – os BOLSO-NOLISTAS!

    Hahahahahaha

    Por que vocês não gritam “Mito” pro Djoko agora?? rs

    Que dia mais feliz!!!!

    Responder
  26. José Eduardo Pessanha

    Medvedev ganhou com tranquilidade, como previsto. Djokovic nunca mais ganhará Slams. Já era pra isso estar acontecendo há mais tempo, mas, inacreditavelmente, Medvedev tremeu no Australian Open, Berretini em Wimbledon e o Fiuk Grego, em Roland Garros. E digo mais: Medvedev, Fiuk Grego, Ali Acima, RUIMblev, Fuga Impossível, Ursinho, Zé Verev, Berrettini e O Pecador irão ganhar do Cotonete em qualquer Slam daqui pra frente. E Rogério está rindo à toa, pois ainda é, DISPARADO, o maior tenista de todos os tempos.
    Abs

    Responder
    1. Luiz Afonso

      Sim, claro! Basta eles sacarem como o Medvedev sacou hoje, serem consistentes no fundo de quadra como Medvedev foi hoje, conseguirem ótimos winners como o Medvedev conseguiu hoje, devolverem saque como Medvedev devolveu hoje e, por fim, terem o preparo físico do Medvedev! Viu como é simples? Vai ser muito fácil para os demais tenistas da nova geração.
      Mas, voltando a realidade, em finais de GS está 3 x 1 para Djokovic, o que, para um cara de 34 anos, não é nada mau…
      Posso concordar que está cada vez mais difícil, para o Nole, ganhar dos expoentes da nova geração. Está tendo que colocar alma e coração em quadra. Por outro lado, os garotos terão de fazer o mesmo se quiserem vencer. Ou então terem uma atuação como essa de hoje do Medvedev.

      Responder
  27. Rodrigo S. Cruz

    kkkkkkkkkkkkkk

    Dois sets abaixo e duas quebras contra o Encosto! Pode dizer tchauzinho pro teu sonho!

    Isso é o que eu chamo de justiça poética, né?

    Um rapaz patético que nunca sabe perder, que não respeita boleiros, que simula contusões e que não tem espírito olímpico JAMAIS deveria entrar pra história com alguém que completou o Grand Slam!

    Só resta agora ao TRIO PARADA DURA do blog – Almeida, Paulo F e Chetnik chorarem jutos de CÓCORAS no banheiro!

    HAHAHAHAHAHA

    Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Não vai não , Bruno . Idem para L. Fs , PAs e LFas da vida . O Craque Suíço sempre mostrou amor pelo Esporte , nas Vitórias e Derrotas , e caras que jamais pegaram numa raquete , vão passar pela vida somente levados pelo fanatismo . ABS !

        Responder
    1. Paulo Sérgio

      No entanto, vai terminar a carreira com a maior quantidade dos títulos mais importantes do tênis. Além disso, tem número de semanas como número 1 e anos terminados como número 1. Sorry!!!

      Responder
  28. André Souza

    Improvável Djokovic virar o jogo. 2 sets abaixo e duas quebras atrás. As pessoas discutem sobre quem é o GOAT entre Federer, Nadal e Djokovic. Mas pq ng coloca o Rod Laver na disputa? Ele fez o Grand Slam DUAS vezes…

    Responder
    1. José Yoh

      Porque infelizmente a maioria não consegue visualizar o contexto da época e a evolução das coisas, André.

      O GOAT será sempre o último a conquistar as glórias, pelo pensamento atual.
      Abraços

      Responder
      1. Paulo Sérgio

        Mas Roger foi dominado por Nadal e Djoko. Ou seja, não pode ser o goat. Inclusive, perdeu três vezes em Wimbledon. A derrota não muda as coisas: Djoko tem melhores números em comparação a Roger Federer.

        Responder
        1. João ando

          Paulo nao sei se a resposta foi para mim.mas eu não vi laver jogar mas falo pelos números .assim como dizem que Margareth Court foi melhor que a serena. Cada um tem sua opinião

          Responder
          1. Sérgio Ribeiro

            Margareth Court ganhou TREZE SLAM na ERA AMADORA dos seus 24 , caro ANDO . Sendo SEIS contra as suas conterrâneas no AOPEN quando ninguém ia lá . Nem de longe pode ser comparada a Serena, meu caro. Martina e Chris Evert , que enfrentaram as duas , apontam Willians como a melhor desde sempre. Abs!

        2. Sérgio Ribeiro

          h2h ?????. Sabes pouco do Esporte, meu caro. Roger Federer possui o mesmo número de SLAM e Finais do Sérvio .Seu número de SEMANAS CONSECUTIVAS no Topo do Ranking , jamais será alcançado por nenhum Tenista , masculino ou feminino. Abs!

          Responder
          1. José Nilton Dalcim

            Elas se enfrentam sim, mas obviamente já era a fase final da carreira de Court. Chris ganhou 3 dos 5 duelos e Martina, 3 dos 4.

        3. Leonardo

          Paulo, Federer foi “dominado” pelo sérvio simplesmente porque é mais velho e já não estava no seu auge nos anos em que se enfrentaram – os melhores anos do Suíço foram 2004-2007.
          A história de que Federer foi dominado pelo Nadal é balela. O H2H é favorável ao espanhol porque jogaram a maioria das partidas no saibro (e o cara é o rei do saibro, quase imbatível). Quando consideramos o H2H fora do saibro, Federer leva vantagem. Na minha opinião, isso só enaltece a capacidade do Suíço de chegar em muitas finais de saibro.

          Federer reune os números com a beleza do jogo e habilidade única. É e sempre será o GOAT.

          Responder
        4. Groff

          E Federer dominou a geração antes da dele, como em tese deveria acontecer de modo corriqueiro. Aliás, o Nadal só dominou o Federer no saibro, e durante muito tempo o H2H deste contra Nole era positivo. Próximo argumento, por favor.

          Responder
  29. Marcos Fontes

    Deu ruim … Djokovic errando bobeira nas devoluções e Medvedev acertando tudo, tinha tudo para ser um jogão, mas o sérvio está muito abaixo do seu normal.

    Responder
  30. Luiz Fernando

    Djoko irreconhecível, errando muito, escolhas equivocadas, creio q entrou crente da vitória e não encontra saídas p o jogo até agora perfeito do russo…

    Responder
  31. José Yoh

    2o. set, 40/15 (dois breakpoints)
    Medvedev: -Erra você! (bola no meio)

    Djokovic: – Não, erra você! (bola no meio e assim por diante)

    Medvedev: – Não, não, Erra você!

    Djokovic: – Não não não, erra você!

    (M) …
    (D) …
    (M) …
    (D) …

    … ponto do Djokovic

    Ponto seguinte, bola curta. Medvedev ao invés de fazer o que faz de melhor, esmurrar a bola, prefere dar uma medonha curtinha quase no meio da quadra. Sorte que Djoko não está tão bem das pernas e errou.

    Difícil essa nova geração mesmo. Falta coragem.

    Responder
  32. Periferia

    Na trocação não está dando para o sérvio…(como escreveu o Luís…surpreendente)…
    O russo…como disse o Dalcim…não está aliviando no saque…
    A coisa está “russa” para Djokovic…
    Se não mudar algo…entrar na mente do russo….a vaca vai pro brejo…
    2×0….

    Responder
  33. Luiz Fernando

    Incrivel, sinceramente nunca imaginei Medvedev mais regular do q o Djoko nas trocas do fundo da quadra. Isso fez c q o sérvio mudasse sua estratégia, indo mais a rede, e aí ele não é tão espetacular…

    Responder
    1. José Yoh

      Acho que o que fez ele mudar a estratégia foi a falta de pernas por causa do jogo anterior e o fato do russo jogar grudado na JP Morgan.
      Abraços

      Responder
  34. Periferia

    O primeiro saque do Djokovic melhorou muito no segundo set….
    Da forma como o russo está jogando…o slice poderia desestabilizar o russo…
    Até o momento pouco usado pelo sérvio…

    Responder
  35. Luiz Fernando

    Que primeiro set do russo, agressivo, praticamente sem erros, enquanto Djoko errou bem mais. Vamos p o segundo, onde os adversários do sérvio começam a naufragar…

    Responder
  36. Periferia

    Medevdev sacando muito…Djokovic sofrendo bastante quando não coloca o primeiro serviço…
    O russo muito no fundo (impressionante….mesmo no fundo ele chega nas bolas) faz Djokovic sair da zona de conforto…
    O sérvio nesse momento parece Peter Sampras…de cara na rede.

    Responder