US Open volta aos grandes dias
Por José Nilton Dalcim
5 de setembro de 2021 às 01:00

Para brindar o retorno da casa cheia aos torneios de Grand Slam, o US Open de 2021 decidiu ser espetacular. Mal terminou a primeira semana com a definição das oitavas de final e já é fácil colocar Flushing Meadows como o melhor e mais eletrizante Grand Slam dos últimos dois anos.

É um jogo melhor do que o outro. A novíssima geração mostra as garras com um tênis de qualidade ímpar e até o combalido tênis masculino norte-americano achou um jeito de brilhar e dar esperança de que o amargo jejum de grandes conquistas possa enfim estar perto do fim.

A rodada noturna tem sido especialmente mágica, e quase sempre na mãos das mulheres. A vitória de Shelby Rogers sobre a líder do ranking Ashleigh Barty pode não ter tido o mais alto nível técnico, principalmente da parte da australiana, porém deu o espetáculo que o público merecia. Rogers radicalizou a tática, mudou o ritmo das trocas de bola e saiu de 2/5 no terceiro set para derrubar a grande favorita ao título num tiebreak não menos emocionante.

Horas antes o estádio Louis Armstrong assistiu a uma batalha enlouquecedora, que fez lembrar os bons tempos da Copa Davis. O acrobático Gael Monfils remontou dois sets praticamente perdidos, levou ao quinto e lutou bravamente por cada ponto até enfim ser superado por Jannik Sinner, agora o mais jovem tenista a disputar oitavas em três Grand Slam desde Novak Djokovic e Andy Murray, em 2007.

O público também teve participação essencial em mais uma surpresa de Jenson Brooksby, 20 anos, que era um mero jogador de challenger até dois meses atrás. Com seu jeito todo peculiar de comemorar pontos, se energizou por cinco sets até bater Aslan Karatsev. Agora, irá enfrentar nada menos que o todo poderoso Djokovic e tudo que se deve esperar é arquibancadas super lotadas na segunda-feira num clima que só mesmo o US Open consegue reproduzir.

O sábado, aliás, teve mais uma estrela a despontar. Emma Raducanu, que já tinha feito oitavas em Wimbledon, juntou-se a Carlos Alcaraz e Leylah Fernandez na turma dos 18 anos que assombra o torneio. Espancando a bola sem dó, a britânica ficou muito perto de aplicar uma ‘bicicleta’ na já experiente Sara Sorribes. Será justamente a adversária de Rogers na segunda-feira.

Djokovic vira e finalmente vibra
O número 1 do mundo começou em ritmo lento o duelo contra o ‘freguês’ Kei Nishikori e esteve longe de seus melhores dias mesmo aplicando a virada, mas fez o bastante para alcançar a 18ª vitória sobre o japonês, que ao menos desta vez não se entregou ao desânimo.

Os pontos fortes de Djokovic foram o uso mais constante das paralelas, a força mental nos pontos importantes e enfim a vibração. Ainda que, ao final da partida, tenha novamente mostrado frieza pouco habitual na comemoração. Ele decidiu mesmo não externar demais.

Se mantiver o amplo favoritismo contra Brooskby, reencontrará Matteo Berrettini. O italiano está jogando para o gasto, mas tem muito mais gabarito do que Oscar Otte.

Sinner fará um duelo imperdível contra Alexander Zverev, a quem já venceu uma vez no saibro de Paris. O campeão olímpico enfrentava seu jogo mais duro desta primeira semana contra Jack Sock, quem diria, e seu forehand monstruoso, até que o ex-top 10 sentiu a coxa e abandonou..

O sonho americano deve seguir principalmente com Reilly Opelka, talvez o super-sacador que mais bem se desloca na base e que joga de fundo. Venceu seus três jogos em sets diretos, com apenas um tiebreak por jogo, e pega agora Lloyd Harris, que venceu sem sustos ao pressionar o backhand de Denis Shapovalov.

Caminho aberto
Sem Barty pela frente, as seis cabeças de chave que estão de pé na chave de cima podem sonhar com a final. Principalmente, Belinda Bencic e Iga Swiatek que se encaram sabendo que a ganhadora terá Raducanu ou Rogers na rodada seguinte. A polonesa passou apertos contra Anett Kontaveit e se tornou a única jogadora da temporada a estar ao menos nas oitavas de todos os Slam.

Depois do sufoco da rodada anterior, Karolina Pliskova disparou 20 aces em dois sets curtos e recuperou fôlego para encarar Anastasia Pavlyuchenkova contra quem tem histórico de 6 a 2. A vencedora terá Bianca Andreescu ou Maria Sakkari nas quartas. A grega foi muito bem contra Petra Kvitova com mais aces (9 a 5) e muito menos erros (16 a 34).


Comentários
  1. Mario Cesar Rodrigues

    Alcaraz o jogo dele é ótimo,claro vou dar um tempo e pensamento positivo,os caras da Espn dizendo queo jogo dele se parece com o Federer nada a ver no meu ponto de vista,eu acho que se parece com o Djoko e Mosquito.

    1. José Nilton Dalcim

      Na verdade, foi o Alcaraz que disse que seu estilo era mais parecido com o do Federer, o que também não concordo.

  2. ARENILDO MONTEIRO

    TIVEMOS UM JOGO HOJE DIA 05/09/2021, ENTRE UM HOLANDÊS E UM ARGENTINO. NO BLOCO DE NOTÍCIAS, NÃO TEM NENHUM COMENTÁRIO SOBRE A VITÓRIA DO HOLANDÊS E NEM SEQUER FOI PUBLICADO O NOME DELE.

  3. Luiz Fernando

    Alcaraz vai vencendo por 30 o set5, c o alemão claramente sem condição de jogo. Se o espanhol estivesse jogando como na partida contra o grego teria vencido provavelmente em 3 ou 4 sets, mas vai ter q jogar 5, mesmo p um cara 18 o desgaste físico e mental será enorme, talvez uma vitória de Pirro…

  4. Luiz Fernando

    Assistindo um pouco de cada jogo, no 537 o alemão parece fadado a derrota no set5 pois está aparentemente sem condição física de jogar de forma competitiva; no 571, pra decepção do Pessanha, Aliassime vai se firmando como um dos maiores, um dos maiores perdedores de chances de break…

  5. Hendrix

    Ola Coach,

    Qual esta sendo o criterio usado para permitir capacidade cheia nos estadios do US Open? NY continua com medias diarias de casos super alta, logo fica dificil de entender essa liberacao. Como os espectadores estao sendo controlados? Ha exigencia de comprovacao de fully vaccination e exigencia de testagem nas 72hrs anteriores ao evento?
    Vejo essa lotacao maxima como muito estranho.
    Abracos,
    Hendrix

      1. Hendrix

        Obrigado pelo retorno Dalcin. Como imaginava, os americanos colocando business acima da saúde pública. Exigir meramente o comprovante de 1 dose da vacina para se aglomerar numa quadra com milhares de pessoas explica um pouco o porque os US estão entre os líderes de infeccoes/mortes na pandemia. Lamentável.

  6. Luiz Fernando

    Dalcim creio q vc exporá sua visão no próximo post, mas como vc vê o Brooksby encarar o Djoko e o estádio lotado? Ambos serão grandes adversários do rapaz. Eu vejo uma chance razoável do sérvio atropelar…

    1. José Nilton Dalcim

      Teremos de esperar para ver, Luiz. É a famosa faca de dois gumes: pode ser um tremendo incentivo para o garoto, que parece adorar jogar com o público, desde que ele consiga equilibrar o jogo ou uma pressão gigantesca se Djoko abrir rapidamente o placar e causar aquela ansiedade de mostrar serviço. Acredito que ele vai gostar do clima, mas duvido que tire um set do sérvio.

  7. Luiz Fernando

    Quando o Alcaraz venceu o grego uma comentarista citou q a partida de hj seria um teste, seria muito dura e complicada pelas circunstâncias. Parabéns, pena q não me lembro do nome. O espanhol vai oscilando muito e perdendo dr1x2 pro alemão, o qual nesse set 3 esteve mais regular…

  8. Marcelo Costa

    Este espaço nós dá a oportunidade impar de trocar ideias com um dos maiores especialista do tênis no país, mas ao invés de debater saque, forhand, backhand, estratégias, tipos de raquete pisos, estilos entre tantas minúcias do tênis, somos bombardeados com post sucessivos do falho smash do servio, de todas as derrotas no h2h do suíço, do doping do espanhol, entre outras sandices que enchem a tal kombi.
    Aos amantes do tênis que ainda não praticam, aos praticantes assíduos, vamos usar esse espaço, para extrair do Dalcim toda informação todo conhecimento, toda experiência de anos dedicados ao esporte. Com todo respeito pouco importa o tal goat, pois, já foi dito várias vezes que não se avalia jogador em atividade nesse quesito, a história do esporte deve ser tratada com todo respeito, mas não a ponto de ser uma obsessão, e aos fakes, por favor só melhorem esse espaço não lhes cabe.
    Desabafo de um tenista amante do esporte admirado por cada vez mais pessoas, que chegaram aqui por tenistas ídolos mas essa idolatria não pode sobrepor o esporte 🎾.
    Prefiro falar de música e filmes dos caros Leme e Peri, a ler sobre o smash de um , na kombi do outro.

    1. Daniel C

      Belíssimo comentário, concordo plenamente. No fim do dia, a questão de Goat acaba sendo um tanto pessoal. Algumas pessoas ainda hoje consideram o Laver como “GOAT”, outras o Sampras e outras o Nadal. Mesmo não concordando, sempre irei respeitar e nunca irei desqualificar.

      Eu simplesmente gosto de expor minha opinião neste espaço, evitando brigas, ofensas e provocações infantis. Raramente eu respondo aos torcedores mais exaltados que me respondem. Aliás, geralmente, nem leio o que escrevem. Mas apesar disso, não é porque o Djokovic caminha para ser o maior vencedor do tênis, que eu irei exaltá-lo e considerar ele o melhor da história. Pra mim há outras nuances que entram nessa equação, e nesses outros quesitos, o sérvio passa longe do Federer. Tenho isso bem claro na minha mente e já estou em paz com a perda dos recordes (inclusive acho que o suíço tem parcela de culpa por isso rs).

      Agora se os torcedores mais fanáticos do sérvio ficam irritadinhos com críticas ao ídolo e querem que todo mundo o reconheça como o maior, eu lamento. Vão ficar querendo. E que tenham mais confiança em suas crenças e dependam menos da aprovação alheia para se sentirem bem.

  9. Luiz Fernando

    Djoko no momento é o GOAT, só os membros de seita não reconhecem isso, mas se reconhecessem não seriam quem são. São como os bolsonaristas e os adeptos do ladrao mor, ou seja, cegos. Agora a torcida contra machuca o sérvio, isso é óbvio, e nesse próximo jg essa torcida contra na quadra será absurda…

  10. Luiz Fernando

    Medvedev parece estar em boa forma, vencendo rápido, o q segundo comentava o Dacio Campos economiza físico e cabeça. Deve chegar a semi sem sustos…

  11. Bel Grado Fa

    Em resumo, o que o tenista Sérvio quis dizer após a vitória sobre Nishikori foi:
    “Por favor, olhem pra mim. Eu preciso ser amado!”

    E após a falta de confiança, na minha opinião não há nada pior num relacionamento, do que você precisar pedir para ser amado!

  12. Paulo Almeida

    Aquele ponto que terminou com esquerda na paralela do GOAT beliscando a linha foi o mais bonito do jogo e top 5 do torneio com tranquilidade. Foi um show de variação com angulações, slices e mudanças de direção de ambas as partes.

    O sérvio deixará o maior legado do tênis, colocando o pobre Fregueser em segundo ou terceiro plano, como já faz há mais de 11 anos inclusive.

    A pose que o palhaço Evans faz pra dar o voleio é uma das coisas mais bizarras do tênis. Não serve nem pra incomodar o Medvedev.

    1. Paulo Almeida

      Outra coisa: a vibração do sérvio quando ganha um ponto vermelho e depois quando chama a torcida é arrepiante demais, não tem nada igual. Isso sim é carisma e não a cabeça baixa e passividade do suíço.

    2. Gildokson

      O próprio sérvio segue o Federer em muitas coisas como ele mesmo ja disse.
      Ta bom que o legado do Federer vai ficar como tu tenta forçar. Vai nessa. kkkkkkkkkkkk

      Aproveitando que ja estou aqui…
      Eu sempre fico com uma dúvida na cabeça e queria saber se você pode me ajudar Paulo.
      Pq que o Federer ainda é o tenista mais bem pago e com os maiores valores e melhores patrocínios hein??
      Muito estranho isso cara. No mínimo de 2015 pra cá era para o Djokovic ta colhendo mais que ele nessa área.
      Estranho isso neh? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  13. Helena

    -> Jogo do Djoko mais uma vez ele pareceu estar 60%/70% do potencial, mas continuou sendo o suficiente para chegar nas oitavas. Esse tipo de nível só reforça a consistência fora da realidade do Big3. Por outro lado, 3 top 10 da Nextgen já fizeram as malas ainda na terceira rodada.

    ->Pelo menos metade dos jogos das oitavas do feminino têm tudo para serem partidaças. Sakkari x Andreescu, Swiatek x Bencic, Svitolina x Halep, Krejcikova x Muguruza.

    Aliás, muito legal ver os abraços entre Sakkari x Pliskova e Barty x Rodgers. Alguém podia enviar esses vídeos para a Sabalenka, hehehehe.

    -> Gosto muito do Air Shapo, mas ontem torci para que ele perdesse para ver se deixa de ser tão sem noção. Começou a temporada americana dizendo que tinha chegado muito perto da final de Wimbledon,  mesmo que não tenha vencido um set sequer.

    Na minha época estudante, me ensinaram que alguém que tirava alguns décimos ou pontos acima de nós não estava apenas alguns décimos na frente, mas sim horas de estudo. Acredito que não seja diferente no tênis, quem vence mais sets ou passa para o próximo estágio não está apenas uma rodada na frente, mas sim horas de treino e de inteligência tática. O Shapo chegou até as semis, mas nunca esteve perto da final.

    Depois disso, chegou dizendo que podia competir contra qualquer um, mas foi eliminado de cara pelo Tiafoe e Paire em Toronto e Cincinnati. Ainda assim,  iniciou o US Open dizendo que se sentia cômodo nos grandes torneios. Resultado? Fora na 3 rodada contra o L. Harris.

    Claro que tem apenas 22 anos e muito o que aprender, mas, por outro lado, o único título na carreira ainda é um ATP 250. Espero que reflita um pouco, pois esse discurso está completamente distorcido da realidade.

    1. Bel Grado Fa

      Interessante que Casper Ruud, com muito menos recursos tecnicos, infinitamente menos badalado e a cabeça no lugar é TOP10 no ano.

      Enquanto isso El Shapo, badaladíssimo e com todos os golpes muito acima da média, luta contra suas próprias.convicções!

      1. Helena

        Dá um pouco de pena desses caras como Ruud ou Rublev, que claramente se esforçam, levam o esporte a sério, mas a limitação técnica (comparando com o nível dos demais top 10) é sempre um obstáculo para saldos maiores.

        Já Shapo tem talento de sobra e me dá a impressão de que ele acha que isso é o suficiente e que em algum momentos os resultados vão chegar, mas penso que ele deveria estar se questionando porque não consegue emendar duas ou três semanas de bons resultados, ou porque não está ganhando oi disputando mais troféus.

        1. José Eustáquio Masculino Cruz

          Pq?!!!!!!!!!!!!Ele acha que joga mais do que isto,mas a realidade é outra ex.Rafa é diferente de todos não tem um jogo vistoso mas prático,eficiente e vencedor é só olhar no olho dele.Rublev é melhor e engole a categoria que o Shapo pensa que tem.

  14. Thiago Silva

    Se o Jack Sock cuidasse mais do físico podia se manter uns bons anos no Top 20 e eventualmente no Top 10, aquele primeiro set contra o Zé foi espetacular, a direita dele é uma das melhores do circuito, pena que já sentiu a perna e não manteve o nível.

  15. Periferia

    Domingo

    Em 321 o imperador Constantino proclamou o domingo como dia de descanso (o dia do Senhor)…
    Na maioria dos domingos…durante a manhã…ando pelo Parque Vila Lobos… acompanhando de meu fiel escudeiro…Samuel (14 anos)…meu filho.
    Interrompemos as caminhadas para ver os “domingueiros” que jogam tênis por lá (são muitos).
    Almoçamos quase sempre em família…afinal é domingo…
    Domingo é dia de uma mesa farta (dentro das possibidades do momento)…sempre muito agradável ao lado daqueles que amamos…
    Há 36 anos…no Brasil…os domingos são de liberdade…
    Não conseguimos fazer do Brasil um país justo socialmente…
    Não conseguimos adquirir maturidade no momento de escolher nossos representantes…
    Mesmo assim sentimos o cheiro da liberdade no ar que respiramos…e mantemos a esperança viva de dias melhores.
    Somos livres…somos responsáveis pelo que falamos ou fazemos…
    Percebi que pode ser o último domingo de liberdade…
    Ameaçados por fascistas…genocidas…religiosos em busca do apocalipse…militares torturadores e pessoas ruins (mesmo achando que são boas).
    Gostaria que meu filho tivesse oportunidade de viver em um país melhor…acho que não vai acontecer…
    “Parabéns” aqueles que defendem o governo…que apoia um assassino…que se escondem como “conservadores”…quando na verdade não passam de pessoas pequenas que defendem os próprios interesses…
    Parabéns…vcs estão conseguindo…
    Um bom final de domingo…

  16. Vitor Hugo

    Quem tiver a oportunidade de ler a piada q Novak contou sobre ele deixar um legado para o esporte e ser conhecido como um homem de respeito e caráter. Kkkkk
    É piada das boas!
    Tá lá no tênisbrasil.

  17. Miguel BsB

    Como um Slam com público faz diferença nos jogos…empurra os jogadores, pega no pé de outros, que com isso se motivam tb, eletriza a atmosfera, e isso reflete na entrega e na emoção das partidas…
    Djokovic não tá pra conversa fiada não. Acho que é a soma da torcida norte-americana, que normalmente torce contra ele, e a pressão e foco na história que ele pode deixar eternizada em Flushing Meadows. Percebam que sua tradicional comemoração de jogar corações para as arquibancadas não está rolando…o cara me parece focadíssimo e com sangue nos olhos.

    1. Rodrigo Walladares

      E ele faz muito bem em abandonar aquela comemoração. Faça o que fizer, nenhum público vai gostar dele, parece que isso já está internalizado. É um comportamento coletivo que já se estabeleceu e por razões diversas, sobretudo por ele destronar o adorado Fedal e por expor abertamente o que pensa, sem hipocrisia. O importante é esquecer torcida e manter o foco exclusivamente no título. Comemorar de verdade é com a equipe e com a família, o restante é fachada

  18. Daniel C

    https://tenisbrasil.uol.com.br/noticias/89367/Djokovic-espera-deixar-um-legado-alem-dos-titulos/

    É aquilo que eu digo…o sujeito não deixará nenhum legado. Apenas estará nos livros de recordes até outros jogadores no futuro superarem os números dele. Aí vai cair ainda mais no esquecimento. E se ele se manifestou em relação a isso, é pelo fato de estar notando que será bem menos lembrado que Federer ou Nadal após a aposentadoria. Exceto, claro, pela família dele e uma pequeno % de torcedores que só sabem citar números e estatísticas rs.

    1. Jonas

      Djokovic será lembrado como o maior vencedor da história do esporte, além de ter suplantado a dupla Fedal diversas vezes.

      Estará registrado que Federer é TRIVICE em ‘casa’ para esse rapaz, além de ser freguês do Nadal e ter sido entubado por ele em 3 finais de Slams seguidas, isso aos 27 anos.

      Os fãs do suíço (boa parte) pagam pela soberba, por achar que o cara era insuperável. Até que o Nadal fez o que fez, e depois veio Djokovic para afundar ainda mais o suíço. Isso em um esporte individual, onde não tem pra onde correr.

      Eu, que não tenho nada contra o suíço, creio que ele também será lembrado por ter um jogo bonito, bem agressivo etc. E para por aí.

      1. Gildokson

        Para por aí??? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
        Pow Jonas, sério isso?? Federer tem só um jogo bonito e tal e para por aí?
        Na boa… você disse soberba neh? kkkkkkkk

        Não sei se você ja ouviu isso que vou dizer agora, provavelmente ja.
        Na vida a gente tem que saber ganhar e tem que saber perder.
        Advinha quem não ta sabendo ganhar?? kkkk
        Abs meu brother!!

        1. Jonas

          Exagerei igual alguns membros da seita, Gildokson, kkkk, a qual você não pertence. Não leve a sério, Federer é/foi um baita tenista, um dos maiores da história sem a menor dúvida.

          Abs.

        2. Miguel BsB

          Kkkkkkkkk
          Para por aí foi demais mesmo!
          O cara tem 20 Grand Slams na bagagem, é o segundo maior campeão de todos os tempos, mas tb vai ser lembrado por ter um jogo agressivo e tal, mas para por aí!
          Tá bom então…
          Kkkkkkkkk

          1. Jonas

            O Federer ganhou muito. Houve um momento em que ele estava sobrando com folga no quesito Grand Slam.

            Era algo como 16 Slams pro suíço contra 9 do Nadal e 1 do Djokovic.

            Esse era um recorde dele que eu não esperava que fosse quebrado. Lógico que um ser que é dono de 20 Grand Slams, deste planeta não é.

      2. José Yoh

        Os fãs do suíço podem até estar pagando pela soberba agora.

        Pois é a mesma soberba que está em suas palavras, com palavras como TRIVICE e entubado, que leio centenas de vezes (centenas mesmo) todo mês aqui no blog. Brincadeira ou não, a soberba está lá em quase todos torcedores do sérvio.

        Compreensível, quando estamos no topo, sofremos dessa pequena distorção da realidade que nos faz sentir acima dos outros… a soberba.
        Abraços

    2. Marcelo Costa

      Sou tenista amador, amante do tênis, o legado pra mim do sérvio, será sua resiliência, sua devolução, a transição da defesa pro contra ataque, aquele open stance único, o revés que é super confiável, entre outros tantos predicados. Sobre o hate que você despeja eu entendo, pois, uns amam tênis, outros amam e odeiam tenistas.

  19. Bel Grado Fa

    Talvez o Djoko possa ter finalmente aceitado que nâo é tão amado pelo público quanto gostaria e resolveu retribuir com indifença…

    Lloyd Harris: do capítulo “Como seria o Guga, se tivesse um backhand de duas mãos”.

    Por alguma razão que desconheço (não entendo a fundo a construção das quadras nem a mecânica das bolinhas), EXTRA SACADORES tem uma chance de ouro para ir longe neste GS.

    Aliás… assim como Argentina em 78, o sucesso no esporte sempre foi um dos pilares de apoio na recuperação da confiança de uma população após catástrofes, e nada melhor que sucesso nas Olimpíadas e eventualmente um tenista ir longe no USOpen para ajudar na recuperação dd uma cidade que perdeu tanta gente na pandemia como NY.

    Antes do torneio iniciar, minha lista de favoritos (Dingle, Man) estava bem definida. Mas após alguns dos favoritos iniciarem de forma mais lenta (ou caírem) e ver a nova velovidade das quadtas, eu ainda não arrisco cravar um favorito.

    Mesmo porque, eles podem ir caindo, dependendo do dia e da inspiração de algumas surpresas ou de alguns sacadores e abrir a chave para tenistas que eventualmente não são favoritos.

    Nadal fez história quando começou com seu tênis e extrema vibração. Mas também fez escola com isso.

    Mas enquanto no caso do Nadal essa comemoração era bem natural, acho um pouco foçado para algumas destas “novas promessas”. Estão mais para um arremedo do que o Nadal foi em início de carreira.

  20. Paulo H.

    Sen-sa-cio-nal! Essa é a palavra para o jogo da Shelby Rogers contra a Ashley Barty. A número 1 do tênis feminino fez tudo que se esperava dela, com golpes potentes de forehand, slices no backhand, drop-shots, lobs e a Rogers permaneceu viva em cada ponto, buscando bolas improváveis, contra-atacando com lobs milimétricos na linha. E pensar que ela ficou mais de um ano sem jogar devido a lesão. A exemplo dos outros jovens classificados para a próxima fase, o que esperamos é que mantenha uma regularidade, pois é comum vê-los vencendo de forma espetacular e caindo de maneira bisonha na partida seguinte.
    Força aos jovens!

  21. Daniel C

    Que pena a derrota da Barty. Ainda mais da forma como foi, mas alguém na posição dela não pode se dar o luxo de jogar tão mal o primeiro set e permitir uma virada depois de abrir 5-2 no set decisivo. Mas apesar dela jogar muito tênis, ela está suscetível a esses “dias ruins de trabalho”. O Federer já cansou de entregar jogos para seus rivais diretos ao longo dos anos (perdendo pontos e games que não deveria, mesmo jogando melhor essas partidas). Faz parte. Deve ser uma situação mais comum para os jogadores de técnica muito apurada, as vezes devem se perder com todas as possibilidades que seus recursos oferecem. A Barty vai fazer falta para o espetáculo, ela oferece um tênis diferenciado e o circuito feminino tem sorte de ter uma líder do ranking como ela. Já o circuito masculino….

    …tem aquele paredão que todo mundo conhece. Chatíssimo. Pelo menos a organização do torneio colocou o jogo do sérvio contra o Nishikori na sessão diurna. Que jogo horrível. Me surpreendi que o Djokovic não começou a dar pitis após perder o primeiro set, mas depois entendi que ele estava seguro que o Nishikori ia entregar em algum momento, como sempre faz. Dito e feito. Aliás, o japonês mostrou nesse jogo que não deve em nada tecnicamente ao suposto “Goat”. O jogo é idêntico, a técnica idem, só falta ao japonês um físico melhor e uma altura maior para um saque mais contundente.

    1. Rodrigo Walladares

      É muita dor de cotovelo hein, amigo. Tudo bem não simpatizar com o jogador, mas questionar ou desmerecer a qualidade técnica e a resiliência dele é de uma tendenciosidade lamentável. Da mesma o é quando não se reconhece a técnica apurada do jogo do Federer e a raça e competitividade do jogo do Nadal. Um pouco menos de fígado e mais de racionalidade nas análises ajuda de vez em quando.

  22. Flavio Gomes

    Bom dia.
    Bons jogos mesmo, mas não consigo me empolgar tanto mais, acho que ainda sinto bastante falta de ver o FEDERER nas noites do US Open, sei lá.
    Agora, incrível como o DJOKO não engole mesmo a torcida no US OPEN, né?! Notaram que na entrevista pós jogo ele falou, claramente de propósito “appreciate your CONTRIBUTION”, não “appreciate your SUPPORT” para o público? Mas também pudera, como tem gente chata ali naquela torcida, meu Deus! 😀
    A BARTY talvez seja a nro 1 mais sem-graça que a WTA já teve e também talvez uma das que mais oscila, faz jogos ótimos e outros pífios. Bom, não sendo a lacradora mimizenta OSAKA já tá ótimo. 😀
    Aproveitar para falar da transmissão do SPORTV -não tenho mais ESPN, mas também não me faz muita falta, não aguentava mais ouvir o MELIGENI falar pela 1235a vez as histórias dele com o MARCELO RIOS- parece que entrei naqueles sites piratas que a cada clique aparece 10 propagandas, além dos breaks da TV, agora inventaram de colocar propaganda até no meio dos jogos, aliás, uma estratégia patética (e desesperada pois sabemos que cortaram a mamata) do Grupo Globo como um todo.
    Abs,

    1. Sérgio Ribeiro

      O parceiro está parecendo seu homônimo ex – ESPN rs , que ao não conseguir um autógrafo de Ayrton Senna , passa a carreira tentando desconstruir o Brasileiro. Na boa , caro Flávio. Há muito que a WTA precisava de uma N 1 com uma variação de golpes do nível de Ashleigh BARTY. Mesmo num dia pouco inspirado , graças a sua imensa caixa de ferramentas virou e sacou em 5 x 2 no terceiro. Me atrevo a dizer que com apenas 25 , demonstra que poderá atingir os 7 SLAM da grandíssima Justine Henin . E o mais importante, deixar o legado que Novak tanto parece querer. Um comportamento ímpar dentro e fora das quadras . Abs!

    2. Helena

      Acho a torcida do US Open a mais mal-educada que existe. Não entendo cobrar comportamento exemplar dos jogadores, mas sentir que tem o direito de comemorar os seus erros ou alguma penalidade sofrida.

      Nessa entrevista, o Djoko deu outra resposta que achei muito bem colocada também. A primeira pergunta após o jogo foi se ele estava sentindo o amor, o que, convenhamos, tá mais pra uma pegadinha. A resposta dele foi “Agora estou”.

    3. Miguel BsB

      “Podem” até ter cortado a “mamata” da Globo, mas “mandaram” a “mamata” pra Record, SBT e Rede TV. Pede pra eles transmitirem jogos de tênis então…rsrs.
      A Barty pode ser pouco carismática, apesar de aparentar ser boa pessoa e humilde. Mas em termos de jogo, dentro de quadra, é a tenista mais interessante de se assistir nos últimos anos…

  23. Ronildo

    O Rabudo Djokovic sempre tem um fator extra que decide o jogo para si. Uma hora morre o avô do oponente gabaritado para vencê-lo horas antes da partida começar como em RG, outra vez o oponente sente lesão na coxa como na final de Wimbledom, mal estar súbito no rival como na rodada anterior, rival ter jogado uma partida duríssima na rodada anterior como no caso o Nishikori. Dá até medo de ver algum tenista morrer de ataque cardíaco quando estiver jogando contra Djokovic!

    1. Bel Grado Fa

      Meu Caro,

      Com excessão da perda avô, as outras causas que vc citou não são meras casualidades, mas sim mérito do Djoko:
      – os adversários.ficam tão anciosos em enfrentar um goat, que morrem de véspera!

  24. Ronildo

    O US Open está vibrante assim por causa das quadras mais rápidas. Se fosse assim desde os anos 2000 Federer teria uns 15 slans ali. Uma pena que só agora os dirigentes resolveram mudar a velocidade dos pisos. Se Federer voltar as quadras mais rápidas será até mesmo pior para seu jogo, pois não tem mais os reflexos de antes.

    1. Sérgio Ribeiro

      O mais incrível, caro Ronildo , é que a escola Norte-americana se fez nos pisos rápidos . E seus últimos grandes ídolos com estilo totalmente opostos ( Sampras e Agassi ) deitavam e rolavam nesta superfície. E com jogos históricos lembrando os também opostos Connors e McEnroe , o último com seu espetacular saque-voleio. Quem diria que nosso “ Dentes de Aço “ Opelka , chegaria de intruso nas Oitavas do USOPEN 2021 aos 24 , praticando esse estilo que parecia fadado ao esquecimento ? . Abs!

  25. Robson

    Bom,Novak Djokovic venceu e está na segunda semana, primeira parte do trabalho executada.
    Mas pra segunda semana,precisa elevar o nível,subir o sarrafo.Ontem contra Nishikori enfim vibrou, aleluia.
    É impressionante o quanto Novak se incomoda com sol a pino,ontem só entrou no jogo uns 20 minutos depois que o sol foi embora da quadra,no início colocava a camisa nos olhos a cada término de ponto,deve enfrentar problemas por causa das lentes.
    Mas aquele nível da última 1hora e meia de jogo contra Nishikori,na minha opinião é o suficiente pra vencer esse Slam,de qualquer forma é bom que consiga jogar naquele nível o jogo todo durante a segunda semana.
    Nishikori tb jogou um absurdo, principalmente na primeira hora e meia de jogo,vendeu caro a derrota.
    Simbora Novak,faltam QUATROOOOOO….

    1. Sérgio Ribeiro

      Jura ? rs . Novak se mantém sem dúvidas como favorito . Mas esse nível apresentado até agora , longe de ser suficiente pra levar o SLAM , ao menos a meu ver . . Pra variar acredito que o Ex – Torcedor do Suíço estava ocupado e não assistiu aos outros jogos rsrs. Abs!

    2. José Eduardo Pessanha

      Fazendeiro, com esse nível ele toma um pau do Zverev. Caso chegue à final, 3 a 0 tranquilo pro Salsicha. E fim de linha para o horripilante Maratênis.

      1. Paulo Almeida

        As maiores virtudes do Medvedev são devolução e capacidade defensiva (apenas duas do vasto arsenal do Djoko), Pessanha. Assim você cai em contradição com muita facilidade ao criticar o que chama de maratênis.

        1. José Eduardo Pessanha

          Paulo Almeida,

          Maratênis é todo um arcabouço. Não envolve só o jogo feio, envolve também muuuuuuuuuuuuuuuita catimba (milonga, para os mais íntimos), comemoração de erros dos adversários, etc. Ou seja, esse amplo conceito encaixa justamente com o Trio Parada Dura (Nadal, Djokovic e Murray).
          Abs

  26. Paulo F.

    Sérgio Ribeiro:
    Quer dizer que, por que Roger Federer tem sua condição ameaçada então, a quantidade de Slams não é mais parâmetro?
    Hahahahahaha!
    Dos três tenistas que tu citou anteriormente (John Patrick McEnroe, Jimmy Connor e Ivan Lendl) TODOS eles têm a METADE das conquistas do Big-3.
    SEQUER sabem o que é Carrer Slam, menos ainda Double Career Slam e muito menos sabem o que é possuir todos os Slams AO MESMO TEMPO, coisa que Djokovic fez entre 2015-2016.
    Björn Borg? Esse aí nem sabe o que é Aberto da Austrália, sempre fugiu de lá mesmo vivendo numa época em que já se podia ir para lá de avião e é o Rei dos Vices no Aberto dos EUA.
    Rod Laver? Esse sim um mito do mais alto nível e que até hoje merece ter seu nome discutido como o GOAT.
    Pode espernear, fazer tua péssima ginástica argumentativa (como supervalorizar torneios inferiores debgrama) , mas a quantidade de Slams sempre foi e sempre será fundamental para mensurar os maiores tenistas.

    1. Sérgio Ribeiro

      E a resposta , caríssimo Rolando Lero ? rs . Um sujeito que se diz admirador do Esporte, não ter a noção do que representou Björn Borg para o Tênis não merece mais que uma linha . Big Mac com menos SLAM em Simples que Connors e Lendl , pelo conjunto da Obra , é opontado pela maioria como o melhor , embora não sendo unânime. Como fatalmente acontecerá com Federer , Novak e Nadal. A conferir. Abs!

    2. R.P.

      Sérgio é o pior advogado que o Boca Murcha poderia ter. Todo dia uma pá de cal. As viúvas ainda estão na fase de negação; algumas mais comentam sobre popularidade do que sobre o esporte. Próximo passo é coletarem argumentos do Miss Universo para os despejar aqui. Ainda sonham com os dias dourados da entressafra. Iludidos.

    3. Geailton

      Vamos chamá-los de ginastas, porque fazem um contorcionismo incrivel para querer justificar que o suíço é goat

  27. rafael

    Uma pena o Jack Sock ter se contundido. Comoque bate na bola esse americano!! Contudo, o Zverev segue firme!! O Djoko foi muito passivo no 1 set, mas depois fez ajustes diminuindo os erros não forçados e colocando mais pressão no japa. Ganhar não jogando tão bem é importante para a construção de um campeonato! Avante Nole!!

  28. Paulo F.

    Uma pena que Sock teve que se retirar por lesão.
    Estava tendo um brilhante retorno, com direito a susto no Sascha, da escuridão onde havia se enfiado.

  29. Groff

    O jogo Kei x Nole foi interessante de ver. O nipônico bateu bem na bola, achando alguns ângulos complexos, indo à rede em certas oportunidades e dando trabalho ao sérvio, de modo até inesperado. Mas na sequência das quebras que teve do segundo set em diante Nishikori foi traído por aquilo que mais falta lhe faz: um serviço confiável e contundente. Não ganhar pontos de graça com o saque faz o jogo ser muito custoso em geral, mas contra o maior devolvedor do circuito isso vira um pesadelo. Some-se a isso a consistência do Nole e o que se viu foi o último jogando para o gasto e ainda assim levando com tranquilidade. O que me parece, porém, é que ele está um pouco incomodado com a velocidade do piso, o que talvez o tenha feito buscar mais as linhas hoje. Gosto assim. Notei as mesmas paralelas que o Dalcim mencionou e não só essas como muitas cruzadas foram ou em cima da marca ou muito próximas. Bom jogo.

    P.S. acho que teve alguém falando que o Kei era tecnicamente superior ao Nole e, fora alguns poucos fundamentos que o japonês tem que são bastante técnicos, com todo o respeito, não dá pra comparar. O sérvio faz praticamente tudo melhor quanto ao básico e, no serviço e na devolução, chega a ser difícil sequer pensar em tal comparação.

  30. Vitor Hugo

    Rapaz, tô famoso no blog, viu? Falem bem ou falem mal, mas falem de mim…
    De repente apareceram um monte de fakes me chamando d Marquinhos, Renato e etc… como se me conhecessem a anos… Caras q nunca comentaram aqui(será?) Obra dos maiores fazedores de fakes do blog(PA, PF …)
    O Sr Roberval(PA) cansou de mandar msg no privado agora resolveu enviar por aqui….

    A dupla A de bobos da corte… kkkkk

    1. Araujo

      Djokovic já alugou um Burj Khalifa na sua cabeça e dos demais haters…É engraçado demais ver o desespero de vocês tentando fazer todo tipo de malabarismo argumentativo para negar o inegável kkkkkkkkk Aceita que dói menos!!!

    2. Paulo F.

      Ao contrário de ti, sempre tive apenas um nick e nunca criei um fake sequer.
      Dúvidas? Consultar o Sr. José Nílton Dalcim.

    3. Paulo Almeida

      Você passa vergonha há mais de 10 anos (segundo você mesmo) com múltiplos nomes.

      Pode chamar quem você quiser de meu fake (um a mais ou um a menos pouco importa).

      E como alguém vai mandar mensagem no seu privado se você nem perfil verdadeiro tem?

      E continue chorando e sofrendo com o GOAT Djokovic, freguês.

  31. Antônio Luiz Júnior

    E como bem diz Gonzaguinha: “Eu fico com a pureza da resposta das crianças”. Alcaraz, Fernandes e Raducano, o trio de 18, representam legitimamente a expressão maior da renovação do tênis moderno. É difícil obviamente, para os três debutantes pensarem em conquista neste momento, mas, tem chances reais de chegar as quartas de final. Chegaram com méritos, surpreenderam os favoritos e seguem no jogo, com ousadia, coragem e muita técnica. Da gosto de vê-los jogar diante da barulhenta torcida americana. Brooksby também faz parte desta lista, com seus 20 anos, e mostrando que os EUA tem sim renovação. Vale a pena conferir seus jogos, para oxigenar nossa mente, e apreciar o valor do talento inquestionável dessa juventude.

  32. Periferia

    Djokovic com o jogo que mostrou até o momento não leva o caneco (sabemos que o sérvio cresce durante o torneio).
    Está parecendo os Kers (recuperador de energia) da fórmula 1…
    Vai jogando lentamente…sem muita energia…quando menos se espera enche as baterias novamente e ganha os pontos importantes.
    Nishikori jogou bem…conseguiu entrar nos pontos quando o Djokovic sacava (sacou muito bem…como cresceu com o saque).
    Faltou para o japonês aquilo que ele nunca teve… potência (física e técnica)…
    O sérvio está arriscando pouco…jogando um feijão com arroz (muito bem temperado)…
    Com o nível apresentado até o momento ele pode ser surpreendido…
    O jogo das meninas foi emocionante (Barty vacilou…Rogers cresceu).
    Monfils e Sinner foi espetacular (principalmente pelo francês…como é criativo)…
    Jogos pau a pau…
    Dos 16 jogos rumo as oitavas….apenas 4 foram 3×0…o restante…os vencedores suaram sangue para vencer.

Comentários fechados.