Djoko amplia façanhas, Zverev assusta
Por José Nilton Dalcim
3 de setembro de 2021 às 00:51

A excepcional qualidade da devolução, que obrigou o adversário a jogar praticamente todos os pontos depois do seu serviço, foi mais do que suficiente para Novak Djokovic avançar sem desgaste à terceira rodada do US Open.

Por isso, nem mesmo a perda de um serviço no segundo set e a disputa de alguns games mais apertados fez qualquer diferença. O sérvio se mostrou outra vez muito concentrado e irá rever no sábado o ‘freguês’ Kei Nishikori, que precisou sobreviver a maratona 4 horas de cinco sets contra Mackenzie McDonald. A cena do japonês se arrastando pela quadra após suadas trocas contra Nole é bem conhecida.

Com o segundo dos sete passos que precisa para o grande feito, Djokovic também se isola ainda mais dos concorrentes. Agora, é o único a somar ao menos 77 vitórias em cada Slam, que se somam às 79 em Wimbledon, 81 em Paris e 82 em Melbourne.

Nishikori de qualquer forma aumenta sua marca de 27 vitórias em 34 partidas que foram ao quinto set, a maior entre os jogadores em atividade.

É inegável que Alexander Zverev também viveu uma quinta-feira inspiradíssima e atropelou de forma impiedosa o canhoto Albert Ramos, com estatísticas notáveis: 81% de primeiro saque em quadra, com sucesso em 40 de 43 desses pontos, nenhum break-point cedido e 27 a 10 nos winners. Atuação assustadora.

Para ir às oitavas, terá de passar por um surpreendente Jack Sock, o ex-top 10 que hoje é 184º após muitas contusões e perda total de confiança. É a primeira vez que ganha dois jogos seguidos de Slam desde o Australian Open de 2017, período rm que virou grande duplista com quatro troféus de Slam. A vitória sobre Alexander Bublik em cinco sets foi empolgante. E olha que o cazaque disparou 40 aces contra 9.

Pliskova escapa
Mais uma grande noite para o tênis feminino na Arthur Ashe. Karolina Pliskova e Amanda Anisimova fizeram um duelo milimétrico, com golpes espetaculares de lado a lado, nervos no topo, coragem e precisão em momentos de extrema pressão.

Pliskova disparou 24 aces, Anisimova fez 44 winners no total e a decisão no tiebreak viu match-points para os dois lados. A vice-campeã de Wimbledon deste ano e do US Open de 2016 avança para encarar Ajla Tomljanovic certa de que há ainda muitos desafios pela frente nesta dura chave.

Ashleigh Barty desta vez não me agradou. A jovem Clara Tauson é de nível claramente inferior, mas a número 1 não se soltou. Agora reencontra pela quinta vez neste ano a local Shelby Rogers, tendo vencido todas.

Já a campeã olímpica Belinda Bencic fez jogo tranquilo, mas agora começam suas provações: Jessica Pegula e depois Iga Swiatek ou Anett Kontaveit. A polonesa levou um bom susto diante de Fiona Ferro.

Bianca Andreescu sofreu bem menos nesta segunda rodada e é super favorita diante de Greet Minnen, mas depois terá Petra Kvitova ou Maria Sakkari. Ou seja, tudo pode acontecer.

E mais
– Karatsev salvou dois match-points contra Thompson e enfrenta a sensação local Brooksby, que virou contra Fritz, foi duas vezes ao vestiário e gastou um total de 20 minutos por lá. E fez um lance incrível. Quem vencer, deve ser o adversário de Djokovic nas oitavas.
– Aos 37 anos, Seppi perdeu feio o primeiro set e depois se agigantou contra Hurkacz. Boa chance de dar duelo italiano nas oitavas contra Berrettini. O cabeça 6 não pôde vacilar contra Moutet.
– Monfils contra Sinner deve ser melhor duelo da parte de cima da chave nesta terceira rodada. O francês deu show e ganhou até a torcida, mesmo enfrentando Johnson. O italiano quase se enrolou contra o promissor Svajda, americano de 18 anos e 716º do ranking mas de personalidade e bons golpes.
– Setor mais enrolado terá Opelka-Basilashvili e Shapovalov-Harris.
– Dia muito positivo para os duplistas brasileiros, com vitórias de Stefani, Soares, Demoliner e Monteiro. Só mesmo Melo caiu, e duas vezes, incluindo as mistas com a Luísa. E o dia foi de zebras, com quedas de Mektic/Pavic e Krejcikova/Siniakova.
– Estrela em Wimbledon onde fez oitavas, Raducanu ‘furou’ o quali em Nova York e já ganhou duas na chave.
– Kerber venceu jogo atrasado da parte inferior da chave e marcou duelo de campeãs diante de Stephens para esta sexta-feira.


Comentários
  1. Teka Moraes

    E agora teve Leilah e Osaka. Impressionante o mental da canadense: leve, solta e concentradíssima. Por falar em leveza, só eu reparei no sobrepeso da Osaka, um super estômago saliente, ou foi só impressão?

  2. Paulo Almeida

    O grande Alex Molcan, vice do Belgradão 2 para o rei absoluto do tênis, fez um belo papel nesse USO. Está de parabéns!

    Tsitsipas passou uma vergonha atrás da outra nas últimas semanas e terminou com chave de mer** ao ser eliminado pelo embrião espanhol. Vai ter que rever muita coisa se quiser continuar grande e bater de frente com seus rivais diretos dessa geração.

    1. Paulo Almeida

      Outro jogaço agora há pouco e deu Ali Acima pra cima do cracaço Agut, que é carrasco do Meddy. Mais um resultado bom pro russo, incrível a SORTE!

  3. Paulo Almeida

    Tenistas talentosos, completos, que levam o tênis a sério e focam em títulos: Djokovic, Nadal, Zverev, Medvedev, Thiem, Agut

    Tenistas circenses, cujo maior objetivo é fazer o público dar gargalhadas: Monfils, Kyrgios, Bublik, Federer, Evans, Fokina, Brown, Dimitrov, Tsitsipas

  4. Luiz Fernando

    Putz Dalcim esqueci de perguntar no comentário abaixo, vc esperava essa performance do Alcaraz no piso duro? Eu sinceramente nem imaginava essa possibilidade…

    1. José Nilton Dalcim

      Ah, mas você deveria ter observado que eu falei pelo menos três vezes nos últimos dias que o Alcaraz estava jogando muito bem e era perigoso. Vi muitos jogos dele nessa temporada de quadra dura e ficou claro que ele estava muito bem preparado.

  5. Maurício Luís *

    Essa polêmica sobre idas ao sanitário não tem solução tão simples, creio eu. Certo é que o grego está abusando, porém a regra é pra todos. Como é que vai cronometrar um desarranjo intestinal?
    **** S U G E S T õ E S *****
    1) coloca-se um banheiro químico na beira da quadra;
    2) toca um rock ‘pauleira’ bem alto pra abafar eventuais sons;
    3) ao final de 10 minutos, o juiz pergunta pro tenista o que é que ele tá fazendo;
    4) em caso de negativa em responder, o juiz aperta um botão vermelho. Uma sirene não muito discreta é acionada, as paredes do banheiro se abrem como uma margarida e o tenista fica sentado no vaso sob os olhares fiscalizantes da torcida.
    Por fim, se nem assim ele se levantar, é porque estava com dor-de-barriga mesmo.

  6. Luiz Fernando

    Que partida E S P E T A C U L A R entre o grego e o espanhol, sublime, maravilhosa. Hoje, pela primeira vez, vi q o tenis continuará sendo incrível após a saída do Big3.

    Que a lição sirva para o grego, e logo hj q ele agiu de forma correta levou um corretivo terrível do público de NY, que como exposto pelo Domingos Venâncio está acostumado com grandes campeões. No tiebreak final a cada ponto do grego havia um silencio duro, dolorido, algo q poucas vezes me lembro de ver. Se o Tsitsipas souber entender bem o significado disso ele sairá daí um jogador melhor e mais consciencioso.

    Alcaraz jogou como campeão, ou melhor, como futuro campeão, aos 18 anos encarar o Arthur Ashe com grande plateia, jogando contra um dos grandes favoritos do torneio e não se intimidar não é para qualquer um. Exceto pelo voleio, q com certeza ele irá melhorar com o tempo, e talvez pelo serviço, ainda pouco contundente, não vi furos no jogo do cara, com ótimos golpes do fundo, excelentes deixadinhas e coragem de ir a rede. E muito coração, muita gana de vencer. Sinceramente no final do set4 o achei meio morto fisicamente, mas me enganei. Bem vindo Alcaraz, garoto promissor, parece q a Espanha terá um sucessor digno para o maior atleta espanhol de todos os tempos!!!

    Se algumas atitudes equivocadas do grego lhe renderam grande antipatia, não se pode dizer o mesmo do seu desempenho na quadra. Jogou muito, mas muito bem mesmo, o q valoriza ainda mais a vitória do seu jovem adversário. Talvez tenha faltado um pouco de físico no final, mas esse clima de NYC é inóspito mesmo. Não vi brechas no jogo do grego, perdeu pq o espanhol jogou melhor, a cada dia seu nível de jogo evolui. Uma conquista de GS parece algo bem palpável a curto prazo…

  7. Jonas

    18 anos. Tem tudo para se tornar um jogador completo nos próximos anos, algo que Djokovic foi alcançar aos 23 anos.

  8. Jonas

    Esse Alcaraz x Tsitsipas, guardadas as devidas proporções, lembra Djoko x Federer. Alcaraz ganhando os pontos mais importantes do jogo até o momento.

  9. Paulo F.

    Jogador técnico, talentoso, backhand de uma mão, se atrapalhando contra um feto espanhol.
    Tenho a impressão que já assisti esse filme.

  10. Luiz Fabriciano

    Dalcim, acompanhando agora o duelo entre o grego e Alcaraz, como está jogando bem esse garoto.
    Acabou de virar um terceiro set de 5 x 2 abaixo.
    Uma pergunta: há um treinamento específico, para um garoto como ele, que o possibilite enfrentar o mais badalado jogador nos últimos dias, dentro da maior quadra do mundo e manter os nervos no lugar certo. Porque, me parece extremamente concentrado e focado no seu interesse de ganhar o jogo.
    Grande abraço.

    1. José Nilton Dalcim

      Ah, não existe um treino para isso. Mas claro que, conforme o tenista vai jogando rodadas importantes, vai se acostumando a ir para as quadras mais importantes, com muito mais público, e obviamente a ter momentos apertados na partida diante de adversários mais experientes.

  11. José Eduardo Pessanha

    Desse filme, Leme e Perifa devem gostar: ALCARAZ, Fuga impossível. Entendedores entenderão, principalmente o Fiuk Grego.
    Abs

  12. Gustavo

    Os federetes que até ontem criticavam o tsipas pelas idas demoradas ao vestiário passarão a elogia-lo só porque o Djoko pediu que fosse estipulado um limite de tempo para elas

    1. Rogerio R Silva

      Boa noite
      Eu acho,somente acho,que ele passou a fazer isso após a derrota para o Djokovic.
      Ninguém reclamou.
      E ele perdeu.
      Começou a fazer e deu certo.
      Há anos existem críticas a respeito de milongas no tênis.
      Sobre Djokovic e tbem o Nadal.
      Acompanho tênis desde os anos 1970 e vejo como um jogador desestabiliza outro.
      Tudo que é possível eles farão.
      O grego sofreu isso e,eu acho,repito,eu acho que ele fará sempre para ou mudar as regras ou se tornar comum.
      Ele perdeu um jogo muito importante e só falaram do mental dele e não falaram do que o oponente fez.
      Ele somente está fazendo igual.
      Essa é a minha visão.
      Como já disse antes,há excesso de mimimi.
      O resto é retórica.
      Eu acho.

  13. José Eduardo Pessanha

    Dalcim,

    Meu retrospecto maravilhoso de palpites me dá base pra afirmar que Medvedev será campeão sem perder sets. rsrs Achava que ele perderia dois, depois que perderia um, mas mudei de idéia.
    Abs

  14. Luiz Fernando

    Vejamos q safadeza dessas emissoras ou melhor, da espn. No momento o jogo q todos querem ver é o do grego, mas como lançaram esse star plus (Pago) estão passando a partida do Evans, claramente de menos apelo. Pelo menos o sportv está nos salvando…

  15. Luiz Fernando

    Depois de um set1 decepcionante, parece q o Andujar agora está melhor, vai dando trabalho ao Medvedev, embora já esteja com quebra atrás no set3. Enquanto isso, o grego ignorante parece q vai tendo muito trabalho…

  16. Vitor Hugo

    Tô tirando o Medvedev do grupo da mediocridade.
    O russo tá voleando e dropando muito bem!
    Djokobagre vai se consolidando como o pior voleador e pior drop do top 10 kkkkkk

    1. José Nilton Dalcim

      Eu destacaria Nadal e Medvedev, ainda que se posicionem bem mais atrás da linha, e acho que Thiem não está muito longe. Gosto muito também do Fognini, por ter um grande poder de reação.

      1. Luiz Fernando

        Nossa Dalcim, eu adoraria concordar c vc, mas aquelas devoluções curtas do Rafa tiram meu sono e meu ânimo várias vezes…

  17. Enoque

    Esse USO vai ser difícil para o Djoko. Tá faltando alguns ingredientes como: Colocar mais alegria e descontração no jogo e ficar menos tenso. Vibrar nos pontos mas sem parecer desabafo. Aceitar que sempre terá parte da torcida contra e não se irritar com os fanáticos e inconvenientes, deixando para o arbitro de cadeira cuidar de eventuais exageros de engraçadinhos. Com isso vai sentir mais a bola e desenvolver melhor seu jogo.

  18. Bel Grado Fa

    Olá Paulo Almeida,

    Na ausência dos demais, torço para o Djoko neste USOpen. Que vença e possa de vez alcançar os objetivos dele!

    Com ele em plena forma, que foi quem restou do BIG 4, vamos poder avaliar o quanto os demais NEXT GEN evoluíram.

    E pra falar a verdade, não me incomoda quando o Djoko joga e ganha (ou perde). O que incomoda é quando ele (e alguns poucos fãs – minoria) abrem a boca. Os mais fanáticos lembram bastante os fãs do Federer entre 2006 ~ 2011. VocÊ se recorda deles?

    Eram muito chatos e no caso do Djoko, é duro ouvir tanta bobagem!!! Então vez ou outra agente sai “caçando” todo mundo….rs

    1. Paulo Almeida

      Humm, é porque você repetiu exaustivamente que o Djoko estava com uma lesão grave no ombro que comprometeria o restante da temporada. Aí pensei que era torcida contra.

      Sim, conheço os fãs do Federer de longa data, apesar de ter pouco tempo de Blog. No orkut era um inferno, kkkkkk.

      1. Bel Grado Fa

        Tem um “SE” na maioria dos meus comentários sobre a lesão dele. Mas como tenistas TOP raramente falam sobre a evolução de suas lesões e tratamentos, fica difícil cravar como estão evoluindo ambos.

        O que talvez salve ele de uma cirurgia imediata, é o fato da lesão ser no ombro esquerdo e ele ser destro. Mas de uma forma geral, lesão de ombro e quadril não costumam desistir assim facilmente…rs.

        Eu, no teu lugar, ainda ficaria de olho até chegarem as partidas mais difíceis e longas, com alguém forçando aquele backhand dele lá no alto por 5 longos sets e vamos ver a real extensão do problema.

        E seguimos torcendo para o belo tênis dele (mas de boca fechada)!

  19. Bel Grado Fa

    Ainda é muito difícil cravar qual das “promessas” vai ter sucesso nos próximos anos (evolução física e tática, motivação, contusões, etc…), mas como admirar o momento não custa: que belo tênis este praticado pelo Carlos Alcaraz.
    – Não é vistoso como o do Mussetti,, nem frio como o Siner. Mas é sério e objetivo. Bom plano tático. Bastante equilíbrio entre direita e esquerda (ambas são firmes), e um bom saque. Algumas poucas transições bem feitas do fundo para a rede, com bom timing.

    Ainda falta um pouco de força (e muita experiência) para encarar de igual para igual qualquer um dos TOP 20, mas ele tem ainda 18 anos.

    A se ver!

  20. WAGNER ROBERTO MORETTI

    Moleza , pro Djoko, só pegando baba. Assim , qualquer um chega na final. Tudo pra ser o maior de slans , mas, melhor que Nadal e Federer, jamais.

  21. Weslei

    Fãs de Federer: existe vida depois de Federer? ou vocês substituíram a torcida pelo Federer para menosprezar Djokovic, parem de ser recalcados, pelamor, eu realmente gosto deste blog, mas ultimamente só leio besteira, aceitem o Federer foi ultrapassado nos recordes, e isso não faz dele o pior dos 3, esse cara é um monstro, assim como Nadal é um fenômeno.

    Fica meu desabafo.

    1. Robson

      Pois é,quanto mais o número 1 do mundo vence,mais as “etes” se incomodam e se revoltam,o número 1 do mundo incomoda as etes um absurdo.
      Mas enfim, é só não ler as abobrinhas de fanzetes amarguradas,tem uns 5 ou seis nomes aí,que devem ser no máximo duas pessoas,que é só ler o tal nome e passar pro próximo,sem ler o comentário.
      O pior é que quanto mais fazem contorcionismos pra provarem o improvável,mais feio fica é pro ídolo deles.

  22. Rafael

    É impressionante como a influência de Djokovic vem aumentando. Tudo é creditado a ele, até o comportamento de Tsitsipas. Djokovic elevou o nível do tênis a um patamar tão absurdo que qualquer resultado que não seja sua vitória e consequente fechamento dos 4 slams será considerado um fracasso, quando na verdade ele JÁ FEZ uma temporada descomunal, vencendo três dos 4 slams do ano, certamente uma das maiores da história. Seus números e seus feitos, assim como sua grandeza, só aumentam.

    Nunca imaginei que o sérvio viraria referência mundial para o tênis. Tem gente que tem 3 slams na VIDA, outros nem isso. Djoko tem 3 SÓ ESTE ANO, aos 34 anos. Realmente não dá para competir, o único que pode ultrapassar o sérvio é ele mesmo. Se vai conseguir não sei, mas é um absurdo onde ele colocou o sarrafo/patamar, levando jogadores excelentes a serem considerados medianos por não terem a menor chance de sequer se aproximar de seus feitos.

    Um ícone, sem dúvida alguma. Peguem este blog: da mesma forma que crticavam antes, em quase todo post há uma menção a Djoko. Ninguém consegue ficar sem falar nele.

    1. Rafael

      * Da mesma forma que criticavam que em qualquer post se falasse de Roger Federer. Agora é Djoko que turbina os posts da galera.

      Quando digo que só ele pode se superar é claro que lembro de Nadal, mas a diversidade de conquistas é um fator que pesa na balança.

      Rune só elogiou Djoko, que foi ao vestiário após o jogo ver como ele estava e deu dicas de como espantar as câimbras. Rune declarou que é fã de Djoko desde pequeno, e que ficou extasiado com o comportamento de seu ídolo. Completou dizendo que quer ser um HOMEM (em maiúsculas mesmo) como o que Djoko é.

      Berretini, fã de Federer, já considera Djoko o maior de todos os tempos.

      A lista só aumenta… impressionante. E a PTPA tomando forma, com conselho diretivo, estrutura de governança e tudo mais. É capaz de eles instituírem o limite de tempo no banheiro antes da ATP, rs.

    2. Jonas

      Rafael, quem ganha incomoda. Discussão sobre GOAT já era. E o Djokovic incomoda demais esse pessoal.

      Tem muito comentário zoeira aqui no blog, mas dá pra perceber que tem uns caras afetados de verdade com o sérvio. O tal de Daniel C, que eu nem acho q seja fake, é um que claramente deve ter pesadelos diários com o sérvio. E isso é triste, imagina a vida pessoal de um cara que só pensa em Djokovic.

      Mas, sinceramente Rafael, esse pessoal merece. Merecem tudo que aconteceu ao Federer, porque o cara era tratado como uma espécie de Deus pelos caras, que viviam vomitando os números do suíço. Agora aguenta, rs.

      1. Gildokson

        Tudo o que aconteceu com o Federer?? kkkkkkkk
        Do jeito que tu fala parece que ele morreu kkkkkkkk
        Quando no mínimo ele é o segundo melhor tenista que ja segurou uma raquete….
        Vocês falam dos outros, mas tem hora que sem necessidade nenhuma vocês passam dos mesmos limites que tanto criticam.
        Abs!!!

        1. Jonas

          Só li a resposta agora. Me refiro à perda dos recordes e finais de Slam para os rivais, Gildokson.

          Na vida pessoal Federer deve estar é muito bem, kkkkkk.

    3. lEvI sIlvA

      Rafael, me deixa muita contente ver sua participação assídua no Blog!
      Deixei de falar isso antes, por pura falta de tempo.
      Bom saber que teve êxito o procedimento cirúrgico pra sua saúde. Aliás, os procedimentos quero dizer, já que foram creio que, cinco as que teve de enfrentar. O ano do sérvio foi excelente, mas o seu, nem se fala…!!!
      Muita saúde aí, meu caro e cuide-se, sempre…
      Abraço!

      1. Rafael

        Oi Levi,

        No último dia 26, fui na consulta de retorno com o chefe da equipe que me operou 5 (isso mresmo!) vezes.

        Ele disse que nem ele esperava pela recuperação que estou apresentando. Nunca mais usei cadeira de rodas, fiquei um tempo de andador, agora quando tenho que andar distâncias longas uso uma bengala. E ainda não comecei a fisioterapia. Vejamos se terei algum ganho adicional. Não foi nada fácil mesmo, o dr. disse que passei por um grande stress e que preciso arejar a cabeça. Mas é isso, estou me agachando, curvando, deitando, fazendo flexões, andando, ficando em uma perna só, recuperei até agora cerca de 90% dos movimentos e sensibilidade que havia perdido. Fiz mais de dez testes de covid, fiz as cirurgias na época braba dos hospitais e não fui infectado nenhuma vez, e nem tinha me vacinado (não havia chegado a hora) ainda. Obrigado pelas palavras e preocupação.

        PS (à parte): Se o amigo que me contactou por e-mail através desse blog naquela época com uns assuntos pessoais ler esse post, me conta como as coisas estão agora! Espero que melhor!

        1. Luiz Fabriciano

          Prezado Rafael, nobre nolista, como eu.
          Para uns, esforço próprio e vontade de viver. Para outros, o dedo de Deus.
          Para mim, a junção das duas opções.
          Vivemos em uma escola enorme chamada Planeta Terra. E cada um, vive o quanto é necessário para continuar aprendendo.
          É lógico que há professores também, mas como em qualquer escola, a esmagadora maioria é formada por alunos.
          Então meu caro, encare essa nova oportunidade com muito mais vontade de fazer o bem, levando sempre uma energia positiva onde quer que vá. Sei que não será difícil para você, pelo perfil demonstrado aqui, ao longo dos anos que és participante.
          Grande abraço.

        2. Carlos Eduardo Gomes Crotta

          Opa! Sou eu, estou por aqui!
          Rapaz, é um tanto quanto difícil entrar no blog e procurar a última postagem que eu fiz.

          Para poder falar com vocês, neste caso, tento entrar com a data e o nome da pessoa em questão para achar onde foi que eu parei na pesquisa do browser.
          Estou dando a minhas cabeçadas, mas acabo achando de um jeito ou de outro, onde foi que eu parei da última vez. kkkkkkkkkkkkkk

          Muitos meses se passaram da última vez que escrevi aqui. Mas, posso dizer que ainda estou na batalha.

          Alguns procedimentos foram feitos, mas outros que são essenciais, ainda não, como: Eletroneuromiografia – o encaminhamento existe, porém, há dois detalhes que precisam ser ditos: 1) terá de ser feito pelo próprio médico do hospital para 2) entrar com o pedido médico na clínica da família e ser jogado no SISREG e aí amigo….. senta que você irá aguardar uns bons meses; fisioterapia e reabilitação ortopedica na ABBR, também foi solicitada e estou aguardando dentro do SISREG; densitometria óssea foi um outro pedido feito e que, também, ainda estou aguardando.

          Mas, a verdade tem que ser dita. Outros exames como ressonância magnética, raio-x e a própria densitometria foram remarcadas, pois, acabei descobrindo uma triste verdade:
          “Quem tem o atendimento público, nos é dito que os seus dados vão para o computador (e você pode ver “parte” dessas informações pelo app Conecte SUS) que aí você será sorteado para ser encaminhado nas clínicas e hospitais mais próximos de sua residência para fazer exames.”
          Isso é mentira. Talvez pelo tamanho da informação e pedido de exames pude constatar solicitações diferentes, de extremo ao outro da cidade para serem feitos [pasmem] no mesmo dia e na mesma hora.

          Para um cadeirante que necessita, na maioria das vezes, se deslocar sozinho para fazer tais exames, nada é perto de sua residência. Sou tijucano e tive exames em mãos para ser feito em Campos e no Centro da Cidade no mesmo dia e na mesma hora.

          A triste realidade é que seus dados são colocados numa espécie de Excel com, naturalmente, todas as suas doenças e solicitações e elas são identificadas, nas células de pesquisa, como a linha principal na busca de clínicas e hospitais. Acaba que isto pode dar conflito em data e horário semelhantes. E foi o que aconteceu comigo.

          Puxei exames diferentes, mas em data e horario semelhantes e em localidades com mais de duas horas e meia de distância da minha região.

          Ou o SISREG não sabe diferenciar o “próximo de sua localidade” ou, realmente, é só um banco de dados do sistema público com as suas informações num Excel fajuto.

          Este descaso torna-se maior quando você não tem todas as informações pertinentes a sua pessoa e não pode mudar o pedido pelo próprio aplicativo. Além do “histórico médico” que você teria que levar de um lado a outro para outro profissional de saúde.

          Desculpe ter me alongado aqui neste blog. Mas, vejo como um veículo importante para alertar outras pessoas e tomar uma atitude e poder solucionar um problema da família brasileira que já vem de décadas e pode agravar, mais ainda, o problema de saúde das mesmas.

          Como disse, estou com quase tudo feito só precisando que o estado faça o seu trabalho de ajudar o paciente a não agravar mais os seus problemas de saúde.
          Onde está o dito: ”por uma melhor qualidade de vida dos seus cidadãos?”

  23. Gume San

    Caro Dalcim:

    Devido a ocasião de podermos ver um novo recordista em slams, tive a curiosidade de ver quem foram os recordistas durante a história do tênis. Não sei bem se as informações são precisas, mas compilei a lista abaixo que mostra qual jogador foi recordista, quanto foi seu recorde e em que torneio foi conseguido e achei legal compartilhar aqui.

    Jogador Slams Torneio Torneios do recorde
    Spencer Gore 1 Wimbledon 1877 1WB
    John Hartley 2 Wimbledon 1880 2WB
    William Renshaw 3 Wimbledon 1883 3WB
    William Renshaw 4 Wimbledon 1884 4WB
    William Renshaw 5 Wimbledon 1885 5WB
    William Renshaw 6 Wimbledon 1886 6WB
    Richard Sears 7 US Open 1887 7US
    Max Decugis 8 Roland Garros 1914 8RG
    Bill Tilden 9 US Open 1929 2WB, 7US
    Bill Tilden 10 Wimbledon 1930 3WB, 7US
    Roy Emerson 11 Austrália Open 1967 2WB, 2US, 1RG, 6AU
    Roy Emerson 12 Roland Garros 1967 2WB, 2US, 2RG, 6AU
    Pete Sampras 13 Wimbledon 2000 7WB, 4US, 2AU
    Pete Sampras 14 US Open 2002 7WB, 5US, 2AU
    Roger Federer 15 Wimbledon 2009 6WB, 5US, 1RG, 3AU
    Roger Federer 16 Austrália Open 2010 6WB, 5US, 1RG, 4AU
    Roger Federer 17 Wimbledon 2012 7WB, 5US, 1RG, 4AU
    Roger Federer 18 Austrália Open 2017 7WB, 5US, 1RG, 5AU
    Roger Federer 19 Wimbledon 2017 8WB, 5US, 1RG, 5AU
    Roger Federer 20 Austrália Open 2018 8WB, 5US, 1RG, 6AU

    Note que durante a história tivemos 9 recordistas. Aqui da pra ver por quanto tempo cada jogador deteve o recorde.
    Jogador Duração (anos)
    Spencer Gore 3
    John Hartley 3
    William Renshaw 4
    Richard Sears 27
    Max Decugis 15
    Bill Tilden 38
    Roy Emerson 33
    Pete Sampras 9
    Roger Federer 12

    Algumas curiosidades:
    Bill Tilden foi o primeiro recordista a ganhar em mais de um torneio diferente.
    Roy Emerson e Roger Federer foram os únicos recordistas a ganhar todos os torneios.

    Mestre, fica aqui uma sugestão de post para o futuro: contar a história destas partidas, curiosidades, jogadores, etc.

    Em outro post vou publicar a análise somente considerando a era aberta.

    Abraços a todos.

    1. José Nilton Dalcim

      O levantamento me parece muito bem feito, mas não tenho tempo no momento para conferir. De qualquer, agradeço muito a contribuição e ficamos à espera de novos dados interessantes. Obrigado!

    2. Gildokson

      Muito legal!!!
      Interessante notar que o Federer além de quebrar o recorde conseguiu ampliá-lo a muito custo e mesmo assim não foi o suficiente para mante-lo.

  24. Groff

    O que se viu até aqui leva a crer que a projetada semi entre Zverev e Nole pode ser a final antecipada. Não creio que haja alguém do outro lado da chave apto a bater qualquer um deles, mantido o nível e condições atuais.

  25. Luiz Fabriciano

    Interessante, que anteontem, elogiaram o holandês como grande sacador, pois fez mais de vinte aces no seu jogo de estréia.
    Ontem, foi 13 x 6 em aces para Djokovic.
    Esquecem que grande sacador x a melhor devolução da história, pode dar nisso: 3 x 0 para o sérvio.

    1. Vitor Hugo

      Roddick, Kyrgios e Karlovic tem h2h positivo contra Novak, e aí?
      O holandês nem de longe está entre os melhores sacadores, caso contrário não seria 118 do mundo…
      Agassi é o melhor devolvedor da história.

      1. Luiz Fabriciano

        E aí, que você insiste em contar histórias envolvendo aposentados X #1 do mundo, recordistas de slans e topo do ranking.
        Nada muda se o holandês é abaixo do top 100 e se é ou não bom sacador.
        Por acaso o seu ídolo maior Ivo Karlovic deixou de ser bom sacador por não ser mais top 100?
        O seu problema não é torcer contra, é usar argumentos sem base nenhuma para discussões.
        E Agassi só é o melhor devolvedor da história porque você quer.
        Até ele mesmo discorda de você.

  26. rafael

    Os favoritos seguem firmes. Zverev atropelou o Vinolas e o Djoko fez um treino de luxo. Parece que o sérvio está guardando energia para a 2ª semana e deve atropelar o japa!
    Mestre, quantos números o Djoko vem conseguindo, hein? E depois tem gente que tenta desmerecer o sérvio. Avante Nole!!

    1. Maurício Luís *

      Eu sei que o grego está abusando, mas acho igualmente ridículo cronometrar o tempo de uma dor-de-barriga.

  27. Jeferson

    Andreas Seppi veteraníssimo ganhou do Hurkacz no Usopen,enquanto isso o “rei da grama”segundo alguns,este ano Wimbledon perdeu para o mesmo HUrkacz e ainda levou um pneu,melhor Federer se aposentar do que continuar passando vergonha assim,grande jogador mas o tempo chegou pra ele infelizmente,enquanto Djokovic continua rumo ao 21 grand slam,apesar desses dois jogos não dizerem nada ainda,mas acredito que Djoko vai vencer e fechar os 4 slams no ano e não restara nenhuma duvida que é o maior jogador de tenis da história!

    1. Bel Grado Fa

      Meu Caro,

      Imagino que talvez você consiga se esforçar para entender que o físico dele acabou. O joelho “gastou”, compreende?

      Além disso, veteraníssimos como Seppi, Karlovic e até mesmo o Feliciano Lopez possivelmente não passaram sequer 30% do tempo em quadra que passaram Federer, Nadal e Djokovic.

      Então, me parece lógico que caso tenham se cuidado, possam eventualmente estar mais inteiros. Lembrando que Federer nesta idade ainda fazia FINAL de GSs e via de regra chegava as finais de boa parte dos torneios.

      Então, não fique comparando pintcher com rotweiller que eventualmente a comparação pode não ter argumentos suficientes para alguém ser levado a sério.

      abç!

  28. Robson

    O número 1 do mundo jogou melhor ontem,mas ainda continua sem vibração,espero que melhore isso tb,quero ver cerrando os punhos,com sangue nos olhos.
    Enquanto isso,como muito bem dito no post,os números do número 1 do mundo só fazem aumentar e que continue assim.
    Simboraaaa Novak,faltam 5.

    1. Paulo F.

      Eu prefiro o Djokovic assim, Robson.
      Parece concentradíssimo.
      Antes assim do que pilhado e agressivo demais para fazer m… igual ao US Open passado.

    2. Luiz Fabriciano

      Isso meu caro Robson, é adaptação à situação.
      Veja que no último game, contra o Rune, não fazia nenhum sentido vibrar ou pular.
      Isso é foco!

  29. Daniel C

    Quem sabe o Nishikori não repete a vitória de 2014. Em termos de recursos técnicos, não deve nada ao Djocovid. Esse é um que poderia ter sido muito mais jogador, se tivesse menos lesões e fosse mais alto (o que o impede de sacar com mais perigo)

    Fica minha torcida parado japa conseguir aquilo que a maioria das pessoas espera. Mas não faço questão de ver o jogo. Existem programas mais interessantes na TV que um jogo de tênis do sérvio.

      1. Daniel C

        Vejamos. De um lado, um tenista admirado no mundo inteiro, carismático e referência de tênis-arte, com números incríveis (os maiores números até 2021). Ainda é considerado pela maioria o tenista mais genial e habilidoso que já surgiu e que trouxe uma enorme popularidade pro esporte. Nos últimos dois anos, o mundo inteiro espera ansiosamente que ele possa voltar às quadras sem problemas físicos para executar as jogadas que só ele sabe fazer, e que todo mundo só espera dele.

        Do outro lado, um tenista extremamente vitorioso, com um tênis eficiente e sem buracos, que deverá se tornar aquele com as maiores marcas. Ainda assim, ninguém se empolga com o tênis dele, a maioria das arquibancadas torce para o adversário, e nos últimos anos a ansiedade por novos campeões que dominem o esporte tem aumentado, assim como a lista de polêmicas e exemplos de péssimo comportamento dentro de quadra desse tenista.

        Se você acha que os fãs do primeiro tenista sofrem só por causa dos números que serão superados, garanto que está enganado. Pode ter certeza que a torcida do suíço está mais bem resolvida e menos recalcada que a do sérvio, que não deve engolir a falta de popularidade dele, não importa o quanto conquiste.

        Mas siga em frente, pode acreditar que eu estou sofrendo e sem dormir, se isso te deixa feliz rs

        Abs

        1. Paulo Almeida

          ERRATA 1: onde está escrito “mundo inteiro”, “maioria” e “ninguém” leia-se “eu e mais meia dúzia de haters profundos do sérvio”.

          ERRATA 2: onde está escrito “garanto” e “pode ter certeza” leia-se “duvide com todas as suas forças”.

  30. Luiz Fernando

    O japa sempre foi um excelente tenista, mas sem sangue nos olhos e de físico frágil. Além disso vem de uma partida exigente, em 5 sets, enquanto o sérvio treinou. Resumo: embora no esporte tudo seja possível, menos provável do q uma derrota do japa só o papai Noel descer pela chaminé no dia de natal…

    1. Marcelo Costa

      Prezado com todo respeito, sugiro que você reclame na atp, segue o telefone para contato: Tel: 44-(0)-20-7381-7890
      Fax: 44-(0)-20-7381-7895. Lembrando que o sorteio é aberto ao público mesmo que virtualmente. Caso queira ir pessoalmente segue endereço:ATP London
      Palliser House
      Palliser Road
      London W14 9EB
      United Kingdom
      Boa sorte na sua empreitada.

    2. Enoque

      Ontem o Meligeni, falou sobre este assunto, quando alguém perguntou, porque colocaram um jogador fraquinho contra o Djoko.
      A explicação dele foi: ” Quem já acompanha ténis sabe como funciona, mas, para aqueles que estão começando agora e desconhece as regras, esclareço que o chaveamento é estabelecido com 32 cabeças de chave, sendo 16 de cada lado. As demais colocações na chave vem através de sorteio. Se o cara está jogando um GS ele não é fraquinho, além disso, o cara ganhou do Struff na primeira rodada, fazendo 30 aces”

  31. Vitor Hugo

    Assim como Senna, o melhor piloto da história, Roger será reconhecido como o incontestável GOAT mesmo não sendo o maior vencedor.
    Roger é o único atleta do esporte q atingiu o limite da eficiência e capacidade de dar espetáculo. O único a jogar no GOD MODE.

    O maior e melhor da história disparado!

    1. Araujo

      Nao tem nem comparação. Essa analogia aí é puro desespero e completa falta de lógica. Automobilismo é possível ser o melhor sem ter os melhores números, pois o exito depende muito do carro e da equipe, dá margem a subjetividade. Além disso Senna teve sua carreira abreviada no auge. Federer joga até os 40 e nao tem mais os recordes relevantes, reinou contra pangarés, quando Nadal e Djokovic amadureceram Federer ficou em segundo plano, ganhando só torneios menores ou torneios que o Djoko e Nadal tinham sido eliminados. Federer tem mais de 50 derrotas pra essa dupla, foi dominado.

      Nos esportes coletivos também é possível ser o melhor sem ter os melhores números, porque nao se joga sozinho, depende dos companheiros de time. Falo isso porque utilizam a comparação de Bill Russel X Jordan pra tentar dizer que Federer pode ser o melhor. Esse é um argumento irracional. Tanto nos esportes a motor e coletivos, o atleta depende de outros fatores que nao sao apenas seu desempenho, diferentemente do tenis, que é um esporte individual.

      Ou seja, sendo o tenis um esporte individual e que Federer e Djokovic foram contemporaneos, os números são sim o fator principal e só nega isso quem tem fanatismo pelo suiço ou tem deficit cognitivo.

      E o ultimo argumento federista, tao desonesto quanto os outros: O jogo de Federer é mais plástico, logo ele é melhor. Que jogo melhor é esse que é trucidado pelos seus 2 maiores adversários? Se for assim, por plasticidade de jogo Robinho deveria ser melhor que Romário. Um Jogador adepto do Freestyle seria melhor que CR7 e Messi…O que obviamente nao é verdade em nenhum dos casos.

      Vamos ao que interessa, os números, pois eles nao mentem são fatos concretos:

      Confronto direto: 27 a 22 para Djokovic
      Big Titles : 61 a 54 para Djokovic
      Semanas como Número 1 ATP: 336 a 310 Djokovic
      Grand Slams: 20 a 20 (Djokovic levando vantagem por já ter possuido os 4 ao mesmo tempo e contra adversários melhores, além de ter o double career Slam).
      Finais: 13 a 6 (Djokovic)
      Finais de Grand Slam: 4 x 1 para Djokovic (inclusivo 3 Wimbledons sobre o suposto rei da grama).
      Finais de M1000: 5 a 3 Djokovic
      Finais de ATP Finals: 2×0 Djokovic
      Melhor de 5 sets: 11 a 7 Djokovic
      Partidas vencidas após perder o primeiro set: 7 a 1 Djokovic
      Vitórias após salvar Match Point: 3 x 0 Djokovic (todas em Grand Slams)
      Sets decisivos: 14 a 5 Djokovic.
      Tiebreaks decisivos: 4 a 0 Djokovic.
      Quadras dura 20 a 18 Djokovic:
      Outdoor: 14 a 13 Djokovic
      Indoor: 6 a 5 Djokovic
      Grama: 3 x 1 Djokovic
      Saibro: 4 a 4 (Djokovic só nao leva vantagem porque Federer quase nao comparece no saibro nos ultimos 10 anos, o que livrou ele de um H2H ainda pior contra Djoko e Nadal).
      Masters 1000: 36 a 28 Djokovic
      Entre outros…
      Mais de 90% das estatiscas relevantes sao favoraveis a Djokovic, contra fatos não há argumentos!!! Hoje é o GOAT inconteste.

      1. Paulo F.

        Nossa, que humilhada COM ARGUMENTOS SÓLIDOS no cara com múltiplos nomes que só gosta de tênis apenas pelo Federer.

      2. Luiz Fabriciano

        Inconteste é a palavra certa mesmo.
        Esquecem que números são consequências do que o jogador/atleta fez e não o contrário.
        Parece que inventamos números para justificar algo. O algo nasce primeiro.

    2. Alessandro Siqueira

      “E nessa loucura de dizer não considero
      Vou negando as aparências
      Disfarçando as evidências
      Mas pra que viver fingindo?
      Se eu não posso enganar número não…”

    3. WAGNER ROBERTO MORETTI

      Concordo inteiramente, esse djoko, ppde bater todos os recordes, mas, eficiência X categoria, jamais será maior que Nadal ou Federer, esses vão deixar saudades.

    4. Ricardo - DF

      Concordo contigo, Vitor Hugo. Assim como Senna foi o piloto mais genial, Federer é o tenista mais genial que já vi pisar nas quadras. Poderemos ter outros no futuro mas, até hoje, nunca vi nada parecido.
      Djoko vai superar Federer no número de vitórias, e é um tenista extraordinário. Mas não tem a genialidade do suíço.
      O sérvio ganha por que devolve todas as bolas. No fundo, o tênis pode ser resumido a isto: ganha quem devolve a última bola.
      Tomando isso como referência, o GOAT incontestável e irretorquível (minha contribuição para a eterna discussão) é…. o paredão !!
      Sim, o paredão sempre devolve! É, portanto, o maior devolvedor do tênis.
      Ah, mas o paredão não tem técnica, não tem talento…
      Bem, se formos falar de talento, todos concordam sobre quem é o mais talentoso da história… kkk

      Eu torcia muito pelo Djoko, no início. Era super simpático, brincalhão, e surrava o Nadal. Era o único que aguentava o açai espanhol. Mas, aí o titio Nadal chamou um milongueiro da família, escondeu o sobrenome dele e apresentou ele ao Djoko como um guru espanhol que conduzia os tenistas ao nirvana através do TAO do Tênis (atenção, não é o Tal do Tênis). As devoluções deveriam ser amorosas. A bola junto com coraçõezinhos. Djoko entrou em parafuso e não ganhava mais nem o torneio do clube, no fim de semana. Saudoso das vitórias, chamou de volta o velho treinador e voltou a ter sangue nos olhos e empilhar títulos. Mas se tornou aborrecido, chiliquento e amargurado.

      Nós temos hoje 60 slams divididos entre 3 jogadores excepcionais. Se, no futuro, surgir um jogador do nível deles, sem concorrência do mesmo nível, ele poderá facilmente ultrapassar os recordes atuais.

      Se Federer, no início, não tinha Nadal e Djoko, Djoko, hoje, não tem Nadal nem Federer. Os 3, apenas Nadal não teve folga.

      1. Luiz Fabriciano

        Ricardo DF disse tudo: “torcia muito pelo Djoko no início. Era simpático, brincalhão e surrava o Nadal”…

  32. Vitor Hugo

    Tenistas com grande habilidade, talento e capacidade de dar espetáculo: Federer, Kyrgios, Fognini, Monfis, Evans, Dimitrov e Brown.

    Tenistas com média habilidade e talento: Thiem, Tsipas, Nadal, Shapovalov.

    Tenistas com pouca habilidade e talento, inimigos do espetáculo, derrubadores de ibope: Novak, Medvedev, Aslan K, Karlovic.

    1. Saibro

      Acho graça nestes comentários sobre a qualidade do Djokovic. O cara rebate saques acima de 200 km/h no pé do adversário como ninguém na história do tênis e é de má qualidade.

      A regra básica do tênis é que pontua quem não deixa a bola cair depois dela tocar no seu campo e consegue devolvê-la no campo adversário. Neste requisito, Djokovic, seguido por Nadal, são lendas. Por isso os dois tem os números que tem. Igual a seleção de 82/86, muito boa, mas não venceram Copa do Mundo, que é o torneio que consagra as maiores seleções da história.

    2. Luiz Fabriciano

      O somatório em GS de todos os “talentosos” citados é: 20
      O somatório em GS de Novak Djokovic – “sem taleto” é: 20

      Creio que seja mais prudente, procurar compreender a definição de talento, para a prática desse esporte.

    3. Ricardo - DF

      De fato, jogos que procuro não perder são de Federer, Kyrgios, Tsitsipas, Fognini e Monfis. Brown é muito bom tb.
      Mas gosto de ver também Nadal e Djoko.
      São tipos diferentes de entretenimento. É como a diferença entre um GP de F1 e as 500 milhas de Indianápolis.

  33. Vitor Hugo

    Zverev vai se firmando como o grande favorito para vencer o torneio. Ele, Medvedev, Tsipas e Shapovalov, pela ordem, são os q apresentaram o melhor nível de jogo até agora.

    1. Groff

      Usualmente, isso não tem significado muita coisa quando qualquer desses citados enfrenta o Big3 em Slam, notadamente o Nole. A ver.

Comentários fechados.