Tsitsipas leva a pior no sorteio
Por José Nilton Dalcim
26 de agosto de 2021 às 20:09

Pouca gente duvida que existem quatro grandes candidatos à final do US Open. Se Novak Djokovic entra com favoritismo mais do que natural para realizar uma das maiores façanhas da história do tênis, Daniil Medvedev e Alexander Zverev tentam repetir as recentes finais em Flushing Meadows. O quarto na lista de favoritos é Stefanos Tsitsipas, mas coube a ele o setor mais complicado na formação da chave.

Djokovic tem uma primeira semana teoricamente muito tranquila. Claro que estreias são sempre tensas e um tenista vindo do quali, ainda que provavelmente fora do top 100, estará embalado, no ritmo e confiante. O mais provável no entanto é que Nole reencontre Jan-Lennard Struff e quem sabe Kei Nishikori, adversários que não assustam. O possível adversário de oitavas é bem indefinido, e vai de Alex de Minaur a Aslam Karatsev ou Taylor Fritz, nenhum deles em momento que tire o sono do número 1.

A trajetória de Djokovic deve começar a ficar interessante nas quartas, onde os candidatos a destroná-lo são Matteo Berrettini e Hubert Hurkacz. O italiano esteve longe de ser brilhante em Cincinnati, mas o piso veloz pode fazê-lo reviver Wimbledon. O polonês somou grandes vitórias em 2021, faz tudo certinho e talvez seja até mais perigoso num dia inspirado.

O sarrafo então subiria mesmo na semi, desde que Zverev mostre a consistência e a frieza de Tóquio e Cincinnati. Em condições normais, não deve perder set nem mesmo para Jannik Sinner nas oitavas. É difícil cravar o possível oponente de quartas, já que o quadrante tem Denis Shapovalov, Pablo Carreño, Reilly Opelka e Karen Khachanov. Apostaria minhas fichas no espanhol, mas vimos um Opelka muito forte em Toronto. O russo também é outro jogador desde Wimbledon, ainda que ainda lhe falte jogo de cintura.

A sequência inicial de Medvedev também não é nada ruim, ainda que Richard Gasquet, Marin Cilic e Grigor Dimitrov sejam nomes calejados. Mas eu ficaria bem surpreso se o russo tivesse grande trabalho na primeira semana, assim como nas quartas, seja John Isner ou Casper Ruud.

Fica claro assim que Tsitsipas é quem corre mais riscos de ficar fora da semi. Não acredito que Andy Murray consiga derrubá-lo mas pode dar sufoco, assim como Pierre Herbert num piso rápido, como aconteceu em Marselha em março. O grego pode então cruzar com dois canhotos, Cameron Norrie e especialmente Ugo Humbert, o francês cheio de recursos que o venceu em Tóquio. E por fim pode vir Andrey Rublev, outro para quem perdeu na temporada.

É fato que ausências do nível de Rafael Nadal, Roger Federer, Dominic Thiem e Stan Wawrinka deixam qualquer torneio menos atraente, mas há promessa de emoções na primeira rodada (Fritz-De Minaur, Korda-Basilashvili, Khachanov-Harris, Bautista-Kyrgios, Norrie-Alcaraz, Ruud-Tsonga, Isner-Nakashima e Cilic-Kohlschreiber) e na segunda (Korda-Carreño, Tiafoe-Krajinovic e López-Aliassime).

E, acreditem, gostei da estreia de Thiago Monteiro. Claro que Daniel Evans possui mais currículo, no entanto vem de três derrotas em estreia e ganhou pouco desde a surpreendente campanha em Monte Carlo. Nas duas vezes em que pegou o ‘baixinho’ britânico de 1,75m, (5cm a menos que o cearense), os jogos foram bem duros. Caso consiga a surpresa, enfrentaria provavelmente Marcos Giron e depois Grigor Dimitrov.

A avaliação da chave feminina, quem sabe com Bia Haddad, e das duplas fica para o próximo artigo.


Comentários
  1. Periferia

    Olá Leme

    Forrester inspirado em Salinger… até mesmo o personagem Holden Caulfield de O Apanhador no Campo de Centeio tem algo ligado ao Jamal ( Holden contesta os mais velhos e não quer ficar como eles…os considera pouco verdadeiros e soberbos)…assim é a relação de Jamal com seus professores.
    O desafio de citações de grandes autores é quase um duelo a moda Leone…um massacre diga-se de passagem).
    O filme trafega em vários assuntos (preconceito…amizade…perdas…capacidade…família…livros… confiança).
    Em determinado momento Jamal cita o próprio livro escrito por Forrester…
    “O descanso daqueles que se foram antes de nós não pode firmar a inquietude daqueles que ficaram. O que as pessoas temem é o que elas não entendem”…
    A frase tira Forrester da tristeza do momento em que vive pelas perdas que a vida impõem…Jamal o recupera Forrester…usando as letras de Forrester.
    Um filme muito bonito…a família está onde menos esperamos encontrar…

    “Perder a família nos força a encontrar a nossa família. Nem sempre a família que é nosso sangue…mas a família que pode a vir se tornar nosso sangue. E…se formos sábios para abrir nossa porta a esta família nova…descobriremos que os desejos e esperanças que outrora tivemos para o pai que uma vez nos guiou…para o irmão que uma vez nos inspirou…esses desejos estarão lá…mais uma vez, para nós.”
    Palavras do jovem escritor Jamal…

      1. Rubens Leme

        O que gosto de Encontrando Forrester e Quase Famosos é que são dois adolescentes entrando no mundo adulto. A história de William Miller é a vida real do diretor Cameron Crowe que ainda menino foi acompanhar uma das bandas mais selvagens na estrada, o Allman Brothers Band.

        William, assim como Jamal, é um menino brilhante, intelectual, um conhecedor profundo de música (como Jamal é de livros) e, de certa maneira, o mais adulto entre aquele bando de barbudos delinquentes. Detalhe: ambos perderam o pai cedo e foram criados por duas mães ferozes, de grande caráter.

        O filme – especialmente a versão extendida – nos leva ao mundo de alegrias, êxtase, decepção, desespero, raiva e acerto de contas. Aí, você percebe como os astros vivem em suas bolhas, são egoístas, tolos, infantis e que coube a um garoto de 15 anos funcionar quase como o pai para todos.

        Os dois filmes dialogam em vários níveis sobre a transição da adolescência para a vida adulta e a grande luta que é envelhecer e se adequar sem abrir mão de seus princípios éticos. Pena que essa versão do filme só existe no segundo disco do DVD.

        1. Periferia

          Tem muito a ver mesmo…o William Miller de Quase Famosos vai em busca da informação para adquirir conhecimento…Jamal faz o mesmo…busca na relação com Forrester a informacao para transformá-lo em conhecimento….
          Gus Van Sant fez Gênio Indomável…onde a questão é novamente colocada.
          Com a internet hoje…a questão fica muito relevante…

          1. Rubens Leme

            Gus van Sant ficou famoso pelos filmes artísticos e “polêmicos”, como quando falou de prostituição masculina em Garotos de Programa, com River Phoenix e Keanu Reeves e depois sobre viciados em Drugstore Cowboy, com Matt Dillon, Kelly Lynch e William Burroughs.

            Depois se dedidcou a curtas e video clips até voltar com Um Sonho sem Limites, um filme que mistura humor negro com doses de violência e tensão, antes de explodir com o próximo, Gênio Indomável e ainda fez o pesadíssimo, igualmente violento e cru Os Elefantes. É dono de poucos longas, mas todos muito marcantes.

  2. Rubens Leme

    Encontrando Forrester (2000)

    Talvez o melhor filme de Gus van Sant. Nunca sei se é sobre livros, basquete, amizade ou a vida. Penúltimo filme de Sean Connery e talvez seu melhor e mais complexo papel e rendeu uma excelente química com Rob Brown perfeito como Jamal. De quebra, dois atores oscarizados em papeis coadjuventes:
    F. Murray Abraham como o tirano professor Crawford e a carismática, bela e insinuante Anna Paquin, com Claire.

    Paquin seria ainda uma das personagens mais interessantes em Quase Famosos, lançado no mesmo ano, a groupie Polexia Aphrodisia, filme que junto a Alta Fidelidade constitui boa parte da minha vida, o jornalista de música que por um tempo virou balconista de loja de discos e que sonhava em ser escritor, ainda que nem perto do talento de Forrester.

    Grande diversão para um final de semana de tantas indagações pessoais. Bom domingo a todos.

  3. José

    Bouchard, aquela que se preocupa mais em tirar fotos no Instagram, do que em jogar tênis e Kyrgios, o jogador mais superestimado da história do tênis, que nunca ganhou um M1000 e que adora um twitter, são os grandes ídolos dos federistas dos últimos anos. huauhua Porque ganhar do sérvio mesmo, tá difícil.

    Djokovic acabou com esse pessoal! Revolucionou tudo! É o maior do esporte mesmo!

  4. Periferia

    Vendo as “primas-donas” do tênis negarem as vacinas (sim…eles negam as vacinas…logo…são negacionistas)…
    Existe uma certa hipocrisia na discussão…
    Maquiavel diria que “Os homens em geral formam suas opiniões guiando-se mais pela vista do que pelo tato…pois a todos é dado ver…mas poucos é dado sentir”…
    É curioso perceber que…mesmo com esses comportamentos díspares…as pessoas ainda acolhe muito bem o hipócrita…
    As “primas-donas” não defendem ou tomam a vacina simplesmente por não ter ganho nenhum…
    A vacina não vai melhorar o desempenho físico ou técnico dentro do jogo…
    Caso a vacina melhorasse a movimentação…o saque ou backhand deles…teríamos filas imensas de tenistas e vídeos nas redes sociais dizendo como as vacinas são necessárias…
    Tenistas são “garotos mimados”…sem nenhum compromisso com a realidade…foram criados e ainda vivem em uma bolha.
    Como pessoas públicas…prejudicam muito…
    Se fosse estudar os produtos que estão dentro do corpo desses atletas de alto redimento…compreenderiamos melhor a hipocrisia que cerca esse assunto.

    1. Rubens Leme

      É exatamente isso, Periferia. Um grande e já falecido jornalista de música disse que o maior erro de sua vida foi conhecer e ficar amigo e, às vezes, íntimo, de boa partes dos músicos que ele admirava dos anos 60 e 70, porque não passavam de pessoas desprezíveis, cercado de um séquito que os paparicavam e de nenhum princípio moral.

      Ficou tão irritado que parou de ouvir os discos e começou a ouvir álbuns de gente já morta – e, portanto, não tinha mais como ficar amigo – e que nunca se aproximava de um artista novo que tinha um lançado disco, no qual havia adorado, para não se decepcionar novamente.

  5. Rafael

    Muitos já devem ter lido, mas reproduzo a menifestação do PRÓPRIO Tennys, para dirimir qualquer dúvida, sobre o melhor de todos.

    Eis a posição do TENNYS:

    “Novak is the best ever. We do one thing and he does another. We try to hit a winner, while he places the ball in difficult areas, where it is impossible to surprise him. He suffocates you slowly. What he does is just incredible”

    Se o TENNYS falou, quem há de discordar? kkkkkk

  6. Luiz Fernando

    Essa organização do USO já pisou na bola de cara, puseram o jogo do picolé de chuchu russo a noite e o do grego vs Murray a tarde. Gente burra, o jg do russo vs o ex-viciado tem tanto apelo quanto um jogo do Juventus vs Portuguesa Santista no estádio da Rua Javari

  7. Luiz Afonso

    Dalcim, não me parece que Matteo Berrettini esteja em condições físicas ideais. Em Cincinnati ele mostrou estar sentindo algum incômodo. Não creio que consiga avançar às quartas. Hubert Hurkacz será a provável e real ameaça ao Djokovic. Nas quartas, claro. Na semi, espero que Zverev mantenha o favoritismo e nos brinde com mais um confronto contra Djokovic. Mas a chave do alemão não está fácil.

  8. Santos

    Hilário ver atletas, que tomam várias drogas permitidas, e talvez até proibidas, o Lance Armstrong tá aí pra não me deixar mentir, fora os diversos atletas que foram cortados das olimpíadas, não é uma acusação a nenhum tenista… fora levar o corpo a níveis de lesões que talvez comprometam a qualidade de vida. Isto posto, é de uma hipocrisia sem limites ver estes caras falando em “sequelas futuras desconhecidas” e aconselhando os outros a não se vacinaram.

    1. Gildokson

      Cara melhor comentário que vi sobre esses caras que estão demonizando a vacina. Ja tomaram vários suplementos durante carreira toda e nunca questionam nada, só pensam nos prós, mas quando é uma vacina para esse novo vírus os caras ficam cheios de medinho.

  9. Sandra

    Dalcim, vc não acha que a Atp deveria obrigar os tenistas a tomarem vacina ? Independente de quem quer que seja , não vi Federer ,Nadal ninguém aparecendo tomando vacina , Djokovic nem se fala !!

    1. Sandra

      Será que isso é fruto do tênis ser tão individual , ser a razão da falta de consideração com o próximo !!

      1. José Nilton Dalcim

        É um tema controverso, Sandra, porque existe a questão do livre arbítrio. Mas veja hoje que o Simon pagou caro por não ter se vacinado. O técnico contraiu o vírus e o Simon foi obrigado a se retirar do US Open, o que não aconteceria se ele estivesse vacinado. Está na regra. Então acho que é isso que as entidades podem fazer, colocar regras em situações excepcionais, como o caso do Musetti que foi impedido de jogar o quali por ter furado a ‘bolha’.

        1. Sandra

          Dalcim, voltando ao assunto, me desculpe,, e difícil aceitar, eles se negam a tomar vacina por eles mesmos ou por recomendação de sua equipe médica , ou por sua equipe em um todo ? O Murray parece mais esclarecido , tomou e não reclamou ! Eu falei dos médicos porque tem médico que manda não tomar

          1. José Nilton Dalcim

            Não tenho como saber se é recomendação do médico, da família ou vontade própria, Sandra. Eu recomendaria qualquer um a tomar vacina. Ela não impede de se pegar o vírus, mas maeniza os efeitos mais radicais e pode na maioria dos casos evitar sintomas graves e a internação.

  10. Vitor Hugo

    O tal d Roberval Santana, que chegou aqui chamado os torcedores de Roger de retardados, e que invade o privado das pessoas mandado msgs no Messenger faz parte da ala podre e decadente da pequena torcida do sérvio, que entre outras coisas até ameaça juízes de linha de morte…

    Um problema sério de falta de caráter.

    1. Daniel C

      Exatamente Vitor Hugo, a pequena torcida do sérvio (se comparada a do Federer e do Nadal) costuma ser a mais agressiva. Basta ver o Instagram da Bouchard, depois dela ter chamado o sérvio de bebê chorão (e não está certa, considerando os pitis dele quando as coisas não acontecem como ele gostaria?) em uma brincadeira no Tennis Channel. Desde então, diariamente ela recebe ataques bem baixos no Instagram. Coisa bem típica dessa torcida. Mas não fico surpreso: quem torce efusivamente para um sujeito antivacina e com o histórico de péssimos comportamentos em quadra e só se importa com os resultados que ele alcança, eu desconfio do caráter. Por isso nem dou bola para essa turma.

      Abs

  11. Robson

    Ficou muito bem dividido as chaves,tb os quadrantes.
    Novak como FAVORITAÇO e Med, Zverev, Tsitsipas favoritos.
    Qualquer outro nome que seja o campeão,será zebra,mesmo se for Berretini que fez final no último Slam 45 dias atrás.
    Acho a atmosfera do US Open a mais bacana entre todos os Slams.O maior e mais completo tenista da história tem 3 conquistas,mas tem 8 finais alcançadas no US Open, então se trata de um torneio onde Novak tem muita história.
    Mas como ninguém ganha de véspera,vamos devagar,jogo a jogo na busca do 4° e do 21°.
    Simboraaaa Novak,faltam SETEEEEEEEEEE…

  12. Periferia

    Olá Paulinho

    Gostei muito do álbum do DreamTheater (Metropolis Pt. 2: Scenes from a Memory).
    Tem a abertura.. .tem interlúdio (instrumental)…as árias (vozes)… é sem dúvida uma ópera do metal progressivo (Teatro Municipal vamos nós).
    Não tem respiro… é uma música atrás da outra…
    Achei genial o desenvolvimento do enredo…deixa muitas dúvidas…(será que não era um sonho dentro do sonho como no filme A Origem do Nolam???).
    Na Scena 1 vc acha que vai ouvir algo convencional (as cordas…quase Nashville) mas não…vem a hipnose pesada… Na Scena 5 temos uma quase balada…na Scena7 em um momento dentro da música…temos os anos 20 (acho que deve ser por causa do assassinato…aconteceu em 1928).
    Depois o álbum pega “pesado” novamente…
    As letras trabalham para o enredo (começo..meio e fim)… é tão bem feito que chega a ser didático…com um final aberto.

    Diálogo entre Paulinho e Periferia…

    -O que vc quer???diz um Periferia assustado…
    Paulinho com o álbum do Dream Theater na mão diz:
    -Abra seus olhos Peri…

    Abs

    1. lEvI sIlvA

      Caro Peri, que experiência escutar o Scenes do Dream Theater, não é mesmo? É um dos que tenho aqui e escutei muitas vezes…!!!
      Esses álbuns conceituais, não raro nós surpreendem. São pouco mais de 70 minutos e com as faixas/músicas todas interligadas.
      No album de 1992, Images and Words, eles agradscem ao Marillion, entre outros e já se declararam admiradores dessa banda.
      Pois bem, dito isso, de alguma forma acho que parte da inspiração do Metrópolis Pt 2 teria vindo de um outro CD/álbum do Marillion de 1994, o Brave. Ele também é conceitual, tem pouco mais de 70 minutos, todas as faixas interligadas e uma estrutura parecida com do Dream Theater de 1999, ou seria o contrário?!?!?
      Enfim, vale conferir e daí, me diga o que achou da viagem.
      De fato, na parte detrás do disco/CD está escrito, “desligue as luzes e escute bem alto…”

      Espero que goste.
      Abraço!

      PS. Depois de escutar,por favor, procure saber o que inspirou o vocalista Steve Hogarth a escrever essa história. Creio que vá se arrepiar…!!!

      1. Paulo Almeida

        Levi,

        Uma das influências para o Scenes foi o Misplaced Childhood e não o Brave, pelo menos de acordo com o wikipedia (em inglês). As outras foram Tommy, The Lamb Lies Down on Broadway, Operation: Mindcrime, The Wall, The Final Cut, Amused to Death, Sgt. Pepper’s e OK Computer.

        Abs.

      2. Periferia

        Olá IEvi

        Vou procurar conhecer…como escrevi para o Paulo…acho interessantíssimo o poder de uma obra de arte…que pode ser encontrada em vários lugares (mas não em todos os momentos…a boa arte não é comun)…fornecendo várias leituras…
        Quando vc para para conhecer uma obra profundamente…percebe o tanto de referências colocadas (em algumas melodias vc encontra Beatles no álbum)…
        Vc tem muito do Jean Baudrillard com seu livro Simulacros e Simulação.
        E muito vezes os autores nem tiveram a intenção de colocar essas referências…mas a obra e tão poderosa que oferece essas leituras e releituras (a cada olhada uma nova descoberta)…

        Abs

      3. Paulo Almeida

        De qualquer forma, o Brave é muito bom (dou o braço a torcer), apesar de não ser exatamente progressivo ou neoprogressivo na minha opinião. Acho que está mais para um rock atmosférico.

    2. Paulo Almeida

      Olá, Peri.

      Sabia que apreciaria talvez a última “masterpiece” do século XX.

      Sim, não há muito tempo para respirar e você deve ouvi-lo como se tivesse entrado em uma sala de cinema, totalmente compenetrado.

      Nicholas é a reencarnação de Victoria, assassinada por Edward, o irmão ciumento e preterido de Julian, que forjou a cena do crime para colocar a culpa neste, como se tivesse sido suicídio passional. Porém, a verdade vem à tona em “Finally Free”.

      Eu não acredito em espiritismo, mas esse álbum é um prato cheio para seus seguidores. Aliás, esqueci de lhe dizer que visitei o túmulo de Alan Kardec no Père-Lachaise, assim como do Jim Morrison, Chopin e outros.

      Minhas faixas preferidas são Overture 1928, Strange Déjà Vu, Fatal Tragedy, Beyond This Life, Home, The Dance of Eternity e Finally Free (quase todas, kkkkkk).

      Sugiro que assista ao DVD “Live Scenes From New York” para completar a sua saga. Há um telão ao fundo do palco mostrando cenas da história. Felizmente consegui presenciar essa banda fenomenal tocando o álbum na íntegra em São Paulo.

      Abs!

      1. Periferia

        Olá Paulinho

        Essa é uma daquelas obras que fogem do domínio do autor…
        Muitas vezes o criador tem uma explicação para a história como em Finally Free ou mesmo no dvd Metropolis 2000…
        As idas e vindas no tempo…as mudanças narrativas…e principalmente a unidade…a coerência.
        Ela acaba (obra) criando vida própria…com várias interpretações de quem se relaciona com ela…
        Eu acho que a vida do Nicholas pode ser um sonho dentro de um sonho…no final ele não está em casa…ele está no consultório ainda hipnotizado numa regressão…
        A realidade não era real (meio Matrix)…
        Nicholas que em outra vida foi Victoria…pode não ser nem Nicholas…
        E quem será Nicholas???
        Como diz um amigo motoboy….”é louco”…

        Abs

        1. Paulo Almeida

          Talvez você tenha razão nessa parte do “sonho dentro do sonho”, como em A Origem (filmaço por sinal com o DiCaprio). É melhor não discutir essas nuances com você (rs), mas na verdade Nicholas está em casa ao fim da trama bebendo um copo de whisky e ouvindo um disco em sua vitrola, quando de repente seu terapeuta aparece do nada lhe dando um susto; pode ter sido um pesadelo dentro do sonho (kkk). Confira no vídeo depois.

          Abs.

  13. Helena

    Já eu achei a chave do Medvedev e do Tsitsipas as mais fáceis.

    A do russo não consigo vislumbrar nenhum jogador sequer capaz de o incomodar. O único desafio até a final seria o grego (caso ele consiga chegar até lá), mas nas quadras duras Medvedev está um ou dois degraus acima.

    A chave do grego achei um pouco mais difícil, embora o Murray seja mais pelo nome e respeito do que por jogo. Se a hierarquia e a torcida a favor do escocês não amedrontarem o temperamental grego, não vejo muitas chances ao escocês. Minha curiosidade vai ser mais se o grego terá coragem de passar 10 minutos no banheiro contra o Murray.

    Fora isso teria Humbet e Rublev, dois jogadores com o H2H muito parelhos, mas que precisam ser derrotados por alguém que pretenda ganhar um Grand Slam.

    A chave do Sascha está cheia de pegadinhas, então ele vai precisar de toda a concentração para não perder sets desnecessários.

    A chave do Djoko está bem tranquila até as oitavas, mas das quartas em diante pegou o pior que o sorteio tinha a oferecer.

  14. Vitor Hugo

    Até o grande Boris Becker, treinou djokobagre, viu a grosseria e falta de habilidade do sérvio, e disse com todas as letras: ” Federer é o melhor da história ”
    Opinião compartilhada por Laver, Sampras, Agassi, Guga, Meligeni, Wawrinka, Kyrgios, Guasquet, Mahut….. Alcaraz, Sinner, Musetti…

    1. José

      Mas esse pessoal deu essa opinião quando? Porque em 2019, de fato, Federer ainda era o melhor. Mas hoje já não é mais.

    2. Luiz Afonso

      Mas como o “melhor da história” não é dominante contra dois tenistas de sua geração? Digo mesma geração porque tiveram a oportunidade de se enfrentar durante um mesmo período em que os três estavam jogando em altíssimo nível. E não falo só em H2H, mas em termos de conquistas também. Eu sou declaradamente fã do Federer! No auge eu não teria a menor dúvida em assistir um jogo do Federer do que do Djokovic ou do Nadal. Federer tem uma técnica incomparável, que faz jogar tênis parecer fácil. Ao contrário do Nadal, que faz remeter que os golpes necessitam de sacrifício. Os golpes do Djokovic também são muito soltos e sobre o sérvio eu só tenho um porém: não compactuo com a demora dele a sacar.
      Federer dá (ou dava) dinâmica ao jogo, sem delongas, partindo de um ponto ao outro sem necessidade de irritar o adversário (e a plateia) demorando para sacar. E mais: suas vitórias e títulos foram conquistados com muito mais winners do que com erros não forçados dos adversários. Ganhava jogando bonito, digamos assim. E muito se fala dos outros dois, mas embora Federer não seja uma máquina ou um homem borracha como o Djokovic, no auge ele tinha um excelente preparo físico.
      Mas a questão aqui é o melhor da história: pode parecer contraditório, mas também sou muito fã do Djokovic. E ele tem uma qualidade em que é melhor do que o Federer e que, a meu ver, faz uma grande diferença: a devolução de saque. E a devolução faz parte do jogo, faz parte do arsenal de um tenista. Logo, não só pelos números Djokovic virá a se tornar o GOAT, mas sim pelo fato de ser um tenista mais completo que o conduziu a tais números.

      1. Luiz Fabriciano

        Concordo plenamente com a morosidade em sacar do Djokovic. Apesar de nesse Wimbledon, ele fechou um game em 46 segundos, com 4 aces.
        E outra, devolução e desfesas são do jogo. Uma arte à parte.

      2. Jonas

        Nossa, que comentário excelente, Luiz. Penso de forma muito parecida.

        Gosto de assistir a Federer e Djokovic jogando tênis. O que menos tenho prazer de ver jogar do Big 3 é o Nadal , embora não ache que o espanhol joga feio. Pra mim quem joga feio mesmo, tem uns golpes bem esquisitos é o Medvedev.

        E concordo plenamente, o Djokovic faz um estrago no Federer com essas devoluções. Uma virtude que o Djoko tem ainda é o Backhand, ele esconde o golpe até o último segundo, você não sabe se ele vai cruzar o bola ou não, é absurdo. Essa mudança de direção exige muita técnica. O sérvio cansou de machucar o suíço com esse golpe.

        O ponto no minuto 6:00 contra o suíço mostra perfeitamente isso: https://www.youtube.com/watch?v=XkgnE999ucc

        No mais, parabéns pelo ótimo comentário, Luiz.

        1. Maurício SP

          Pra mim esse ponto, que praticamente definiu o jogo, foi perdido pelo Federer por já não ter a mesma velocidade aos 38 anos. Anos antes ele chegaria na bola.

          1. Luiz Fabriciano

            Anos não, chegou em várias dessas nos 6 jogos antes da final.
            Aí, no jogo definitivo, os 38 pesaram…

  15. Bruno Gama

    Como disse o goleiro Bruno em 2010 sobre uma briga de casal entre o Adriano Imperador e a namorada: “quem nunca saiu na mão com a esposa?”.
    Brincadeiras a parte, quero ver o impacto dessas declarações no torneio do Zverev, ele já não tem um mental muito forte e com a pressão da imprensa e de possíveis vaias e xingamentos da torcida progressista que já condena antes do julgamento pode fazer a diferença num segundo saque num ponto importante. Antes dessas novas declarações eu colocaria ele acima do Medvedev pra brigar pelo título, mas agora já não vejo ele chegando nem na semi contra o Djokovic.

  16. Paulo Almeida

    Enquanto o GOAT absoluto e incontestável Djokovic tem o lastro de nomes como Sampras, McEnroe e Wilander, seu sparrão eterno fica dependendo da caridade de partículas subatômicas como Gasquet, Fognini e Mahut.

    Diversão garantida sempre! 🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

    1. R.P.

      Mahut admitiu q qualquer critério q não aponte DjokoGOAT como o maior de todos será subjetivo, emocional (pueril, inocente, patético e iludido). O reizinho da entressafra já tem seu quinhão, mas nem de longe amealhou a mesma quantidade e qualidade de conquistas q o DjokoGOAT na era, DISPARADA, mais difícil do tênis.

      1. Paulo Almeida

        Confesso que nem tinha lido a reportagem, mas o Mahut acaba entregando que o GOAT é o Djokovic de fato, embora tenha tentado disfarçar.

  17. Paulo F.

    Daniel C diz que o US Open é mamão com açúcar pro Djokovic.
    Vitor Hugo diz que o US Open é mamão com açúcar pro Djokovic.
    Ambos usaramos mesmos termos.
    Ambos escrevem carregados de fel contra Djokovic.
    Haja vontade em criar Nick diferentes, hein Marquinhos?

      1. Paulo Almeida

        Que feio, Marquinhos/Johnny/Renato.

        Apelou pra homofobia depois de ter sido devidamente intubado.

        Esse tal de Roberval não é meu colega, mas pelo visto parece lhe ter feito ter pesadelos. É da época em que você comemorava a apendicite do Nadal?

        1. Rafael

          Feio mesmo. Fala tanto de caráter e dá uma dessas?

          Foi bem infeliz.

          Ou na sua opinião quem morde fronha tem um problema, Vitor?

  18. Oswaldo E. Aranha

    Pensava em tirar uma licença no blog, mas não pude resistir ao ver alguns comentários odientos, dos que querem revogar “a lei da gravidade” no tênis tentando denegrir aqueles que têm tido sucesso, certamente é porque o tenista preferido deles está em baixa. Chega de agressões!

  19. Vitor Hugo

    Achei muito boa a comparação do Rodrigo entre Novak e S Chupala. Kkkkkk Os dois não tem habilidade, são grossos e brucutus, mas o atacante era um grande goleador assim como o sérvio é um grande atleta(não tenista) que conquistou seus títulos.

    Outra coisa em comum entre os dois é que, enquanto Serginho adorovava/adora beber umas cachaças, Novak adora tomar água suja. Kkkkkkk

    Os dois bebem água que passarinho não bebe, ou alguém já viu passarinho metendo o bico no rio Pinheiros ou Tietê na capital???

  20. Vitor Hugo

    Foi só nosso colega Daniel escrever um texto que as djokoviodetes odeiam que apareceram um tal de Israel, Paulo Sérgio e etc…. Caras que nunca comentaram aqui, mas escreveram como se estivessem aqui há anos….

    Há, esses fakes! Kkkkk Roberval Santana mandando bala!

    1. Maurício Luís *

      Ele é ex-tenista, não é médico. Mesma coisa que um médico entrar numa oficina mecânica e querer ensinar a consertar o carro.

  21. Luiz Fernando

    Esse Pat Cash par ser um burro completo só faltam as… penas…

    E logo num momento em q o Zverev parecia estar numa fase claramente ascendente na carreira e no nível de jogo volta essa ex-namorada com a mesma história de antes. Não conheço detalhes da situação p expor isso ou aquilo, posso estar sendo inclusive preconceituoso e peço desculpas por antecipação, mas essas “modelos” q esses caras se envolvem tem credibilidade baixa, vide os acontecimentos com o Neymar…

    1. Luiz Fabriciano

      Pat Cash me causou espanto.
      Primeiro pegaram Djokovic e crucificaram-no. Em todas as suas declarações, jamais fez apologia para que ninguém se vacinasse.
      Disse que ele não é adepto e que se um torneio o obrigasse, iria decidir se tomaria a vacinasse ou se abdicaria do torneio.
      Isso não é nada perto do grego que falou que jovens atletas deveriam ter o vírus. Putz!
      E agora essa (esse) que disse que toma um remédio – a lá estadista brasileiro – e diz que está imune dessa forma.

  22. Rubens Leme

    Dalcim, muito divertido o livro que comprei sobre Borg e McEnroe e a final de 1980. Contam em detalhes a influência do estoico pai Rune em cima do filho Bjorn, que o influenciou tanto que suas duas paixões – tênis e moda – estavam ligadas ao patriarca, um apaixonado e feroz competidor de tênis de mesa que, para sustentar a famíla, vendia roupas.

    A final entre Iceborg e McBrat (“Brat” é um adjetivo perjorativo para garoto mimado, pirralho), como foi chamada pela imprensa britânica, foi muito bem descrita. De quebra, um prefácio de Tracy Austin, que venceu seu primeiro US Open no mesmo ano que McEnroe, 1979, e lembra que tiveram inícios iguais, sofreram as mesmas pressões por serem considerados os futuros número 1 da América, feito que ambos conseguiram.

    McEnroe era o “o Sex Pistols do tênis”, segundo seu eterno parceiro de duplas, Peter Fleming, o garoto que fumou um baseado com Mick Jagger, antes de um concerto dos Stones, junto com seu melhor amigo do circuito, Vitas Gerulaitis.

    Um tempo em que se misturava o começo da era do super atletas, com resquícios do amadorismo, um período que jamais retornará. Vale a leitura.

  23. Rubens Leme

    Mais um bobo da corte, desta vez o campeão de Wimbledon de 1987. E ainda dá maus conselhos. Tá difícil, viu.

    “Sou contra as vacinas. A minha opinião é de que mais vale esperar. Não sei se necessito vacinar-me. Neste momento não o faço. Sou saudável. Não vou permitir que um político ou um médico da televisão me diga aquilo que tenho ou não que fazer. Tenho a dizer aos jovens tenistas que não se vacinem, pois não sabemos que consequências a vacina poderá ter a médio ou longo prazo”,

    https://bolamarela.com.br/pat-cash-sou-contra-as-vacinas-mais-vale-esperar/

    1. Rogerio R Silva

      Leme
      Muitos não querem tomar a vacina.
      Isso não diminuem eles.
      Talvez faltem a eles o conhecimento.
      Talvez estejam sobrando conhecimento que nos faltam.
      Eu já tomei as duas doses e,se for necessário,tomarei outras.
      Polêmica demais.
      Vc está deixando de valorizar um tenista por este motivo quando a sua cultura e experiência diz o contrário.
      Fico triste ver o amigo com esses sentimentos.
      Na nossa época acreditávamos ou não que o homem foi a Lua.
      Hoje quem não segue determinada cartilha é Negacionista.
      Tudo politicagem.
      Há pouco votavamos no FHC ou Lula.
      Hoje se dizem amigos de longa data.
      Na Europa dizem que Bolsonaro bloqueou diversas pessoas no Twitter.
      No Brasil o STF bloqueou diversas pessoas.
      Jornalistas não divulgam isso.
      Quem está bloqueando mais ?
      Veja bem!
      Negacionar (termo da moda)o cara que não quer se vacinar é correto ?
      Temos este conhecimento?
      Você tem ?
      Deixem as pessoas serem como são.
      Eu vejo em voce mais conteúdo.
      Não perdi um pai com Covid pois o meu se foi há 18 anos mas perdi um sobrinho de 45 anos.
      Lamento muitíssimo por você mas não gostaria que uma pessoa tão bem educada se importasse tanto com outras opiniões.
      Já defendi aqui sua postagens culturais.
      Vou continuar fazendo.
      Vamos falar do tênis dos tenistas
      Forte abraço do seu fã.

      1. Rafael Azevedo

        Boa perspectiva, Rogério.
        Sem falar que não é adequado utilizar o termo “negacionismo” nesses caso.
        O Negacionismo diz que não há vírus, que vacinas não imunizam, que o homem não foi à Lua…
        Ainda que ninguém detém a verdade sobre essas questões, esse não é o caso das declarações desses tenistas.
        Eles não estão negando a Pandemia nem a eficácia das vacinas.
        Eles só estão querendo saber das “consequências”, das sequelas…
        Essa discussão é totalmente válida.
        Isso não afeta o caráter e a moral desses caras. Eles só querem se sentir mais seguros quanto ao que estão fazendo.
        É uma questão de conhecer os prós e contras, pesá-los e tomar a decisão.

        Antes de mais nada, eu e minha esposa já nos vacinamos.

  24. Rubens Leme

    Peri, o fim de semana começará hoje com este clássico, Uma Ponte Longe Demais, dirigido por Richard Attenborough, um dos melhores filmes sobre a Segunda Guerra. Serao quase três horas em companhia de Dick Bogarde, Anthony Hopkins, Michael Caine, Robert Redford e Sean Connery, Laurence Olivier, Liv Ullman, Ryan O’Neal, Elliot Gould, Edward Fox, Maximiliam Schell, James Caan. Uma edição com dois DVDs cheios de extras.

    Depois, deixarei para o sábado outro clássico, agora de Sidney Lumet, Longa Jornada Adentro, que conta a vida do escritor Eugene O’Neal, um dos maiores nomes do teatro norte-americano do século passado e sua tempestuosa relação com sua mãe, vivida por Katherine Hepburn. Mais freudiano, impossível.

    1. Periferia

      Olá Leme

      Richard Attenborough…que lutou a vida toda para conseguir financiamento para o grandioso Gandhi (com ele ganhou Oscar de direção e melhor filme).
      Fez também Chaplin com Robert Downey Jr….
      Ele…acredito…virou diretor para realizar Gandhi.
      Sempre foi um ótimo ator coadjuvante…(esteve com Steven McQueen em Fugindo do Inferno).
      Não sou muito admirador dos filmes dele…ele tem um problema com o tempo…os filmes são longos (ele busca fazer filmes épicos…mas não tem a mesma qualidade de um David Lean).
      Talvez eu não goste da boina que o Sean Connery usa no filme …e fico pegando no pé dele.

      Longa Jornada Noite Adentro é um dos melhores textos feitos para o teatro (no Brasil teve uma montagem no começo dos anos 2000 com
      Cleyde Yáconis e Sergio Britto… memorável).
      É uma obra corajosa do O’neill…ele retrata a própria família.
      Sidney Lumet é um dos grandes…o mais substimado dos diretores americanos.

  25. Maurício SP

    Torcendo para uma primeira rodada entre Djoko e Karlovic, seria interessante. Se não der, quem sabe o Rune ou o Gulbis.

      1. Araujo

        Seguindo o próprio raciocinio do risível hater, Federer é fregues de Gustavo Kuerten (2/1), Novak Djokovic (27 derrotas no lombo kkk) , Rafael Nadal (24 derrotas no lombo), Álex Corretja (3/2), Thomas Enqvist (3/1), Wayne Ferreira (2/1), Dominik Hrbaty (2/1), Yevgeny Kafelnikov (4/2), Patrick Rafter (3/0) y Dominic Thiem (5 a 2), Zverev (4/3) .

  26. Fabio

    Dalcim, estava lendo a notícia sobre a ex- namorada do Zverev. As novas acusações são graves e naturalmente devem ser investigadas. Mas é impressionante a quantidade de passadores de pano para o alemão nos comentários da notícia, que já a desqualificam e o que ela trouxe à tona (fora aqueles que prefeririam que o portal não trouxesse notícias do dia-a-dia dos atletas fora das quadras – na verdade mais passadas de pano travestidas de críticas à página). SÓ A INVESTIGAÇÃO vai confirmar ou não o que ela relatou.

    Sempre assim quando a mulher cria coragem e resolve denunciar algo (em um mundo machista, fácil o homem achar que uma mulher se sente segura pra denunciar algo logo que acontece). Vergonhoso.

  27. Miguel BsB

    Dalcim, acredito que Dimitrov, Gasquet e Cilic, hj em dia, não conseguem nem arranhar o Medvedev…o russo dificilmente perderá um set para eles.
    Evans não é uma estreia tão difícil pro Monteiro realmente, e seria bem “ganhável”. Mas o jogo de variação do britânico pode enrolar o Brasileiro. Vale lembrar que Monteiro perdeu recentemente pro Steve Johnson no saibro em RG, outro tenista que praticamente só corta a bola de esquerda…

  28. Bel Grado Fa

    Estou ficando velho e tenho dificuldade de compreender certas coisas. Então, gostaria que alguém pudesse explicar (exemplificando) onde o Sérvio não está sendo efetivo na temporada.

    Ele tem quase 2.000 ppntos de vantagem (race) para o segundo colocado (a ponto de eventualmente poder ir embora do torneio nas semis e ficar de fora ate o AusOpen e ainda assim sob o “risco” de terminar como melhor do ano).

    Mas creio o problema de entendimento seja meu…

    1. Luiz Fabriciano

      Pois é.
      Ganha, até o momento, todos os GS da temporada, mas não está sendo dominante.
      A nova geração está chegando, mas…

      Em 1, 2, 3 …

    2. Helena

      Eu ia escrever várias coisas, mas resolvi simplificar. A minha dúvida é: se ele não é o dominante, quem é essa figura?

  29. Rafael

    Dalcim, a CBT tem algum programa de educação financeira para os tenistas?

    Digo, na medida em que não promove nada (ou muito pouca coisa), não há intercâmbios nem nenhum planejamento para formação de futuros campeões, esperando que talvez apareça um novo Guga por conta própria, fazendo assim com que os tenistas passem suas carreiras inteiras fazendo do tênis um “trabalho”, eles recebem algum tipo de orientação para investir aquilo que ganham? Ou isso é mais na base dos conselhos pessoas de técnicos (talvez) e da propria família?

    Afinal, qual seria exatamente a finalidade da CBT? Sua razão de existir?

    Perdão pela minha ignorância.

    1. José Nilton Dalcim

      Não existe um programa desse tipo, mas acredito que o tenista teria algum suporte se solicitasse. Geralmente, no entanto, a administração da carreira fica com alguém da família. A CBT tem por primeira finalidade fomentar o tênis interno, com torneios juvenis, amadores e veteranos. Também a missão de capacitar professores e treinadores, auxiliar tenistas com programas de incentivo, estabelecer critérios e rankings e fazer obedecer a organização internacional do esporte. Eu sempre acho que a maior missão das entidades é colocar mais gente em quadra, facilitar o acesso.

      1. Rubens Leme

        Alguns clubes de futebol faziam isso. O Telê introduziu no São Paulo para ajudar os mais gastadores, tipo Muller, Palhinha, Macedo a pouparem, tinham palestras com o gerente do banco que tinha agência dentro do CT. Eles ganharam milhões e milhoes e hoje estão tudo na pindaíba. Já o atacante Kleber, campeão brasileiro pelo Atlético-PR em 2001, disse que o clube pegava uma parte do salário dele e aplicava para que o jogador não gastasse e ele agradeceu muito esta lição. Aprendeu a poupar e ficou milionário e hoje tem um monte de imóveis em São Luís.

  30. Periferia

    Questão de Tempo

    A pergunta não é mais se terá um golpe no Brasil…a pergunta é quando…

    Será inevitável…
    O Brasil tem 380 mil soldados na ativa (Forças Armadas)…

    Policiais Militares/civis/Guardas Metropolitanos….700 mil…

    Vigilantes/seguranças….1 milhão…

    Civis armados legalmente….1100 milhão ( aumentou 65% no governo Bolsonaro).

    O presidente cavila de todos…
    Articula sedição…
    Viola as leis…
    Conspira sem nenhum pudor…
    Num Brasil acovardado…
    Miserável…
    Carcomido em suas entranhas…
    Com fascistas disfarçados de “democratas”…
    Um Brasil vergonhoso…

    1. Rubens Leme

      O que mais me espanta é que todo mundo comenta a possibilidade de golpe como se fosse a coisa mais natural do mundo, ninguém pensa em nada para reverter isso.

      Até parei de ler essas coisas porque vai me dando azia. Mas o que tem de fascistas neste país é assustador e gente mal informada.

      Para vc ter uma ideia: tem um rapaz que arruma os ventiladores de casa. Ele trabalha bem, é barateiro e virou um destes pastores que mal sabem falar e escrever mas gosta de doutrinar. Até aí nem me incomodo, porque não ouço. Só que é a segunda vez este ano que cai de cama gripado e tá muito mal.

      Perguntei se ele foi vacinado (tudo via whatsapp, claro). Respondeu que a congregação dele, atendendo um pedido de algum Malafaia da vida e seguindo o “conselho do nosso grande presidente”, não vai tomar a vacina do diabo e nem o senhor deveria tomar, seu Rubens”.

      Bloqueiei o sujeito. Nunca mais arrumará meus ventiladores. O cara tá preferindo morrer do que ser vacinado. É duro.

    2. Leo Gavio

      Dificil, Periferia, é aguentar PASSIVAMENTE uma quadrilha como o PT governar o país novamente e achar tudo lindo e normal.

      Quando o Temer se tornou presidente a esquerda fez o diabo pra derrubá-lo, foram dois plenários de impeachment. Quando a gente quer barrar o Petismo LADROEIRO a esquerda diz que é um golpe.

      dois pesos e duas medidas.

      O Brasil precisa de uma revolução francesa contra a cultura da corrupção e do clientelismo q esquerdistas tanto gostam. As pessoas só votam em quem vai lhe dar um benefício pessoal.

      1. Bel Grado Fa

        Meu Caro,

        Com todo o respeito, dizer que o Lula (e PT são isso ou aquilo), não justifica o que está ocorrendo.

        Acredito, assim como você, que PT, Lula e cia são no momento uma péssima oção (a corrupção e o estragao de Dilma é uma das principais razões).

        Mas se alguém encontrar uma justificativa para um golpe de outra quadrilha como a do PT (mas de uma diferente facção) que vocÊ por favor nos coloque suas razões. Pois se não forem factíveis, podemos achar que essas pessoas possam fazer parte desta facção.

        No caso de apoiar com argumentos como “sou contra o PT, etc, a única concusão que podemos chegar é que esta pessoa talvez esteja sendo apenas conduzida a pensar desta forma por uma “paixão” a lideres extremamente populistas, por uma fraqueza moral.

        PAra estes últimos, já lhe adianto que golpe de estado não vai resolver seus problemas, nem resolver o problema da corrupção. Ao contrário, vai agravá-los e adicionar vários outros problemas nesta equação.

    3. Bel Grado Fa

      Aos que ainda o apoiam, talvez demore mais a cair a ficha. mas quando esta paixão acabar e a “ficha cair”, pode ser tarde, pois a se confirmar a AINDA REMOTÍSSIMA POSSIBILIDADE de um golpe, o que vai crescer no Brasil são as milícias armadas, com poder suficiente para aterrorizar grandes cidades, ampliando o mesmo tipo de controle que hoje já exercem sobre algumas regiões.

      Não sou a favor do PT (muito menos petista), além de achar que muito desta situação se deveu especificamente ao fato de elegermos uma guerrilheira “reformada” por dois mandatos, que ao invés de governar, passou por dois mandatos claramente focada em aumentar o poder através de “Foro de São Paulo”, fortalecer laços com países que possuíam a mesma orientação ideológica apenas e obcecada por uma vingança pessoal, revolvendo a terra para encontrar aquilo que já estava enterrado e esquecido, levando a um enfraquecimento do governo federal com mandos e desmandos. Lula (nem PT) são soluções para o Brasil, e no momento a situação é muito difícil.

      Não tenho a “bola de cristal” nem entendimento suficiente para dizer qual é a solução necessária para o Brasil, mas aos que ainda apoiam tal governo, que possam ter um lampejo de sensatez para deixar de apoiar tal posição e evitar que o país caia na mão de tais pessoas. Pois seremos todos prejudicados por uma eventual aventura golpista (seja você um empresário, banqueiro, funcionário público, educador, trabalhador ou mesmo um informal), pois terá mais uma taxa para pagar (a taxa da milícia).

      1. Periferia

        Olá Bel

        Concordo com muito….discordo da parte do “remotíssima possibilidade” (chances reais …grandes possibilidades)
        Outro amigo escreveu que o Brasil precisa de uma Revolução Francesa ( onde morreram quase 20 mil pessoas executados.)
        Outros dizem que fazem sempre a comparação com o petismo para justificar a necessidade de calar e restringir os direitos das pessoas…
        A maioria não sabe o que uma ditadura…pois não viveu.
        Até mesmo a ditadura de 64 foi algo estranho…não foi uma ditadura personalista e convencional….onde uma pessoa dominou (como Pinochet ou Mao para ficarmos nos extremos)….a ditadura brasileira foi diluída em vários generais (junta militar)…outro dia estudando a respeito….talvez a Argentina foi o único país com algo semelhante…vc não encontra similaridade em outros países (o Brasil é um país original).
        Os argumentos de quem defende esse governo são muito ruins (como o do Léo Gavio)…chega a parecer teimosia….o país está a Deus dará….na iminência de alguém ruim (sim o presidente é uma pessoa ruim) dominar uma país como o Brasil…ele nem precisa ter maioria (Hitler conquistou o poder na Alemanha com 30% dos votos).
        Está faltando reflexão….está faltando percepção para as pessoas…
        Não consigo compreender um pai dizendo para o filho que esse governo é ótimo e irá transformar o país….
        Lembrando sempre….ditadores “duram”….quem terá que conviver com o regime será nossos filhos….
        Torcer para nossos filhos não terem opinião…
        O futuro deles…enrolado na bandeira do Brasil no “cercadinho” de Brasília….aguardando a chegada do Messias…
        Pelo menos meu filho…..merece mais….

        Abs

          1. Bel Grado Fa

            Eu hoje sai um pouco de casa e nas paradas pelo caminho fui conversando com o “povo médio”.

            O povo “quer sangue” e acha ótimo que o presidente afronte as instituições. Após terminar minha visita a tais lugares, como é comum nesta cidade em que moro no momento, a conversa sempre termina com um Deus te abençoe.

            como já disse anteriormente ao Rubens LEme, meu EU das ruas jamais mostra a própria opinião em público e eu apenas escuto a todos.

            E olhando para o fato de hoje, fica claro que na boca do povo está o fato das instituições estarem desacreditadas (não estou julgando, nem quero generalizar). Tenho pessoas que estão desse lado dentro de minha p´ropria casa (…) e conhecemos bem alguns destes problemas.

            Também fica claro que na boca do povo, estão as mesmas palavras que repetem o discurso do nosso lider populista.

            Quanto ao “remotíssimo”, entenda que eu tento ponderar. Ainda não dá para ter qualquer certeza (mas isto é apenas a minha própria opinião), mas também não dá para descartar a possibilidade.

            Quanto aos entes que vocÊ citou (polícia, civis armados e esta legião de seguranças armados particulares), me parecem bastante empolgados por um protagonismo que nunca tiveram.

            Já dentro das forças armadas, o pessoal que conheço já me parece bem mais ponderado e reticente. Me aprece que adquiriram uma segurança e não gostariam de ter tal protagonismo.

            Mas a mim cabe cuidar dos meus, ocorrendo ou não o fato. Embora francamente eu torça para que não ocorra, pois os mesmos não conseguirão tirar os direitos daqueles que estão, mas entrarão para buscar seu lugar ao sol, e o povo médio trá que sustentar mais uma facção, além daquelas que já sustentamos.

            Que os próximos dias (até o fim do mandato), sejam dias de luz para todos.

  31. Rafael

    Tá difícil torcer pra Bia…

    Sem pernas, sem variação, sem coragem/manha pra ir à rede, lembrou muito o Bellucci, só porrada o tempo todo. Mas quem bate tanto acaba cansando. A adversária, que de trouxa não tem nada (nem muito jogo também) enrolou a Bia em banho-maria, a Bia batia tanto que é claro que uma hora iria errar. E começou a errar bastante.

    Engraçado que treino é treino e jogo é jogo mesmo: vi um vídeo esses dias dela treinando voleios, mas na hora H não arrisca um. Ou drop-shots.

    Assim, sem variação tática, quando a porradaria não dá certo, o mental desaba e o jogo vai pro brejo.

    Gosto da Bia, mas meus sonhos de vê-la consistentemente no top 50 estão se desvanecendo… E o conformismo dela é típico de outros em situações semelhantes: “foi uma boa semana”, “agora é levantar a cabeça e treinar mais”, etc. Você não vê uma declaração de um brazuca puto da vida consigo mesmo e com sangue nos olhos…

    É o que temos… mas eu esperava bem mais da Bia. Mais uma atleta que está entrando para a categoria do tênis como ganha-pão e não esperando chegar a muita coisa… Já tem 25 anos, tem tempo ainda mas não é mais uma menina….

    1. Rafael

      Nessas horas fico imaginando o que torneios no Brasil trazendo estrelas do tênis como Ashleigh Barty, Svitolina, Andreescu e outras poderiam fazer de bem para o tênis feminino brasileiro. A experiência, as “aulas”, quem sabe não abriria a cabeça de nossas tenistas para encorajá-las a treinar no exterior, com gente mais qualificada e desenvolver ao máximo suas aptidões. Claro que é caro e ninguém se interessa, mas me lembro de um podcast onde o Tommy Haas contava pra Daniela Hantuchova como foi levado ainda criança (11 anos acho) para a academia de Nick Bolletieri (acho) e se tornou o tenista que foi. Realmente são universos muitos diferentes, o Big 3, os top ten e os outros….

      Ninguém se interessa….

      1. Rafael

        Iga Swiatek, Ons de Jabeur…. nossa…. mas é claro que também tem (e continuará por muito tempo) a pandemia… um presidente negacionista que põe o Brasil na blacklist para visitas, eventos (embora não tenha impedido a Copa América de futebol)…

      2. Rubens Leme

        O Brasil é longe pacas. Os jogadores europeus podem se mexer pelo continente todo de trem, jogar na Itália, Espanha, Portugal, Alemanha sem gastar muito Para vir até aqui são 10, 12 horas de vôo. Para trazer uma estrela precisa de patrocinadores para pagar cachê alto, em dólar ou euro, arranjar patrocinador, tv. Não dá para comparar as facilidades que eles têm e também os norte-americanos, que possuem uma estrtura de torneios muito maiores do que aqui e grandes jogadoras como espelho para os mais jovens.

        A Bia, o Thomaz precisavam ter saído bem cedo, treinado em vários centros e principalmente em pisos duros, já que aqui a maioria é no saibro, ter outros treinadores, patrocinadores. Mas isso é muito caro e esses caras se viram como podem aqui, a CBT mal os ajuda, patrocínios idem.

        1. Rafael

          Leme,

          Lembro da época do Telê nessa parte d puxar a orelha dos deslumbrados. E tbém d como alguns não lhe davam ouvidos, participavam dos eventos forçados e o consideravam um velho chato por trás. É dose…

          Sobre os torneios no Brasil, era apenas 1 devaneio de como seria bom… mas sei q é inviável trazer uma (ou um) atleta,que dirá organizar 1 torneio de estrelas. Por outro lado, quando outro dia um colega comparou o Davidovich Fokina com o Wild, o Dalcim explicou (de novo) sobre as diferenças culturais e as facilidades logísticas q eles tem e nós não, como vc apontou.

          Aí sobra o seguinte: Furar os qualis de bons torneios e ter a chance de ter 1 adversário de peso pela frente. Aí a Bia (como podia ser outra – ou outro) vai lá e não consegue. O Monteiro – quando consegue – leva uma sacudida na 1a rodada – geralmente – e depois volta à rotina de torneios no saibro – majoritariamente, porque, afinal, precisa levar pão p/ casa.

          Mas vai ver eles estão certos, pensando em si mesmos. Não sei. O Monteiro acho bem limitado, nunca fará nem perto do que o Thomaz fez. Mas a Bia eu achava q iria e ficaria mais longe. Não adianta muita coisa ficar jogando torneios seguidos em Portugal (eu sei, fica no mesmo lugar, reduz os custos, etc) onde, se for campeã ganha os mesmos 20 pontos (acho) q ganhou vencendo 1 partida no quali do US Open. Recuperar o ranking a passo de tartaruga…

          E o Wild? “Temos q ter cuidado p/ não por pressão exagerada”. Ele agradece e vai curtir o Instagram e a namorada. O Orlandinho já virou jogador de carreira…O Meligeni 2.0 parece que já atingiu o sarrafo e daí será difícil passar.

          O que mais me irrita sabe o q é? O discurso conformista.

    2. Luiz Fabriciano

      Rafael, essa sua análise sobre o jogo da Bia – que não vi – reforça minha tese de atletas que não evoluem, falando de brasileiros.
      Há quem diz que ser 80 do mundo, por exemplo, quer dizer que dele para trás, ele é o melhor de todo o resto do mundo, é um batalhador, blá, blá, blá, mas tento ver o outro lado da moeda também.
      Não há treinamento que faça um atleta desse melhorar em nada?
      Você mesmo disse que a adversária não é lá grande coisa.
      Me lembrou o Rocky Balboa falando ao Mister T.: “me bata até você se cansar” aí eu te pego.
      Grande abraço.

      1. Rafael

        Luiz, bem lembrado, rs. Antigamente assistia a série Rocky em looping, affe Maria.

        Agora cá entre nós, na real o Mr. T mataria o Stallone na porrada.

        Interessante q o Rocky virou o filósofo moderno do esporte, já vi acho q o Anderson Silva usando aquela frase do Rocky VI – “Não importa quantas vezes você cai, mas sim se vc consegue se levantar e continuar” ou algo parecido…

  32. Luiz Fernando

    A Bia estava bem na partida, com quebra a frente no set2, mas aí todo mundo observou que faltou físico, fato escancarado no ponto q precedeu o mpoint, quando ela subiu a rede, matou o ponto num ótimo voleio, mas se voltou com face de dor e levando a mão na perna. Uma pena, mas no esporte de alto rendimento, físico é essencial. De fato como bem comentado pelo Dalcim, temos um USO esvaziado, ou menos atraente nas palavras do nobre jornalista, q usou um eufemismo (Sérgio, esse termo não nada a ver com mulher kkkk), mas vejo o sérvio mais favorito do q nunca, pois entra bem menos desgastado do q os adversários, nenhum deles com nível de jogo/físico com N/F maiúsculos p enfrentá-lo de igual p igual em melhor de 5 sets…

  33. Rafael

    Belo texto e são esses 4 os favoritos para o UsOpen mesmo. Mestre, teremos placares comentados dos jogos? Abraço

  34. Bel Grado Fa

    Interessante neste USOpen é novamente a consolidação da NEXTGEN frente aos Dinossauros.

    Não fazem mais parte da minha lista de favoritos para nenhum grande torneio (acho que não fariam parte sequer de uma lista de zebras): Tsonga, Isner, Cilic, Kohlschreiber, Monfils, López, Wawrinka, Nishikori, Raonic, Anderson, Federer, Verdasco, Gasquet, Dimitrov, Murray, Goffin, Fognini, Sam Querrey, Simon (sendo alguns pela ausência). Aliás, eu ficaria surpreso se sequer chegassem as quartas.

    Sobraram mesmo Djoko (meu principal favorito, se estiver recuperado), Carreno-Busta e Batista Agut (que eventualmente possam fazer quartas). E ainda tenho que ler comentários repetitivos dizendo que a NEXTGEN não chega nunca. Não chega onde???

    Não vi uma única notícia sobre a situação do ombro do Servio em qualquer página que seja. Nem nas especializadas de fora do Brazil. Esperamos que esteja 100% para poder avaliar como a NEXTGEN evolui para cima dos “BIGs”.

    Abç!

  35. Leo Gavio

    Como essa ex namorada do Zverev é leviana. E a imprensa ajuda a disseminar a malandragem porque vende revista, dá audiencia.

    A cultura russa é parecida com a brasileira, eles tentam tirar vantagens em tudo, é só procurar no youtube, russos se jogando na frente dos carros pra pegar a indenização do seguro.

    A menina NÃO apresenta uma prova sequer, nitidamente tenta faturar algum dinheiro num processo. È típico de pessoas que ficam revoltadas com fim de relacionamento e tentam se vingar de qualquer jeito.

    E pra piorar a situação, os ativistas e os incautos compram a história porque isso alimenta a narrativa deles de que basta a palavra da mulher. Isso é ridiculo.
    Najila está ai pra confirmar que pessoas com poder aquisitivo e fama são alvos de golpes e chantagens o tempo todo.

    Não existe uma testemunha, um video, um audio, nada, nada que demonstre que ele agrediu ela alguma vez, se ele bateu nela alguma vez, porque ela não tirou uma foto do machucado?

    Ela tá nitidamente fazendo uma chantagem pública porque sabe que nada pode acontecer a ela, os advogados já estão orientando a golpista direitinho.

    1. Rafael

      Por essas e outras considero o Brasil um país extremamente machista. Não vou nem me estender que muitos não acreditavam que Weinstein fez o que fez durante décadas justamente por essas ideias.

      Vou só dizer que outro dia uma MULHER comentou que o ex-goleiro (ou goleiro, sei lá) Bruno fez BEM em dar o cadáver da menina grávida pros cachorros comerem.

      Afinal ela era mais uma aproveitadora, uma p*** e coisa e tals.

      A mulher denuncia quando QUISER e se sentir preparada. As fotos ela apresentou. O tribunal da Internet não pode julgar, mas o de Justiça pode. E já deveria tê-lo feito, através de um equivalente ao ministério publico, associação contra feminicídio e tals, já que a menina não quis prestar queixa.

      O que não se pode é deixar quieto, envolva quem envolver. Na melhor das hipóteses pro Zverev a menina não consegue provar nada e ele segue a vida. Mas tem que haver investigação. Sendo inocente, ele sai até por cima.

      Sendo inocente.

      1. Leo Gavio

        Desculpe, Rafael, mas o titulo que eu daria ao seu texto seria: “Como fazer sofisma e mandar argumentos às favas.”

        1. Rafael

          Não há de que se desculpar, Leo. Cada um tem sua opinião. Mas já que é pra falar de construção de texto…

          ILAÇÕES: “Não existe uma testemunha, um video, um audio, nada, nada que demonstre que ele agrediu ela alguma vez, se ele bateu nela alguma vez, porque ela não tirou uma foto do machucado?”

          FATO 1): Há testemunha, a amiga que incentivou a menina a voltar com ele. FATO 2) Há fotos.

          DEVANEIO: Ela tá nitidamente fazendo uma chantagem pública porque sabe que nada pode acontecer a ela, os advogados já estão orientando a golpista direitinho

          REALIDADE: Na chantagem você exige dinheiro ou alguma vantagem indevida para você ou um terceiro em troca de fazer (ou deixar de fazer) algo. Que chantagem ela está fazendo? Até o momento, pelo contrário, ela abriu mão de ir à Justiça, não pediu dinheiro, não há notícias que esteja vendendo entrevistas, NADA. Pelo contrário, ela pode sofrer vários prejuízos, arcar com as custas do processo que o Alexander diz que mandou abrir, honorários advocatícios, trazer problemas para sua vida profissional – como alega já ter enfrentado, pessoal (sofrer preconceito por ter revelado que tentou o suicídio, expor sua condição mental), etc

          Conclusão: Como mandar argumentos às favas se seu texto não contém nenhum, apenas ilações, equívocos e devaneios?

          Da mesma forma que vc, peço desculpas, analisei seu texto, não sua pessoa. Grande abraço.

  36. Vitor Hugo

    A Mamata do bagre:

    Stan humilhou o sérvio nas únicas duas finais de slam entre eles, incluindo o u.s open
    Murray também venceu o bagre em duas finais de slam, incluindo o u.s open
    Nadal venceu Novak em duas finais no u.s open
    Federer fora de combate e idade avançada
    Delpo fora
    Thiem fora, o atual campeão

    Mamão demais para o sérvio farsante…

    1. Paulo Sérgio

      E o bagre ganhou 3 finais de winbledon e 1 do US OPEN para o “rei da grama”.
      Stan vs Djoko = 3 < 20 rs.
      Quando o fanatismo tira o senso de realidade dos fãs do terceiro melhor da história (RF). Por favor, não me fale de plasticidade e amor de público.
      Que gênio é esse que é freguês do "bagre"?
      Que melhor da história é esse que é dominado por Nadal e Djoko?
      Melhor é quem ganha mais (big titles) ou quem tem mais popularidade rs?

    2. Flavio

      Imagina o Federer lendo isso? O cara iria se sentir péssimo por ter perdido tanto para um “bagre”.rs
      Pelo menos eu iria me sentir horrível em perder lá no clube onde jogo para um suposto bagre…talvez até pensar em fazer outro esporte.kk
      Vc está me encorajando a desafiar o Federer, pois se até um “bagre” como o Djoko ganhou dele porque esse bagre do clube indiano tbm não pode?rss
      Por fim, me permita discordar de vc, Roger não é freguês de bagre! Ele perdeu para o sérvio porque o mesmo é tão grande quanto ele, tanto é que tirando Djoko e Nadal ele dominou o circuito inteiro por anos.
      Sugiro ter mais respeito com a figura do Roger Federer, pois ele foi um jogador incrível.

  37. Vitor Hugo

    Nicolas Mahut disse o óbvio. Disse que o goat não pode ser avaliado apenas por títulos e números, mas pela importância, legado e etc… E disse com todas as letras: “Federer causou muito mais impacto para o esporte do que Novak”.

    Pela importância q tem para o esporte, pelo legado q vai deixar e pelo interesse que desperta na mídia e fãs de esporte, Federer não é apenas maior que Novak, É MUITO MAIOR QUE O SÉRVIO…..

    Melhor também, não há qualquer dúvida! Federer tem muito mais recursos técnicos que o sérvio, venceu antes e depois da padronização dos pisos.
    A diferença em favor de Novak é o físico muito melhor(vai saber o que toma pra correr tanto e não cansar…) e a idade….

  38. Mario Cesar Rodrigues

    Dalcim boa noite a Bia pode se juntar a Teliana não vai decolar nem nos 100 mais falta tudo para ela principalmente variação e saber jogar que vergonha a menina saque fraco sem força só passando bola e ela metendo a mão não acredito o dia que Bia veuo aqui e juntamente com o Paulo que já não está mais com ela elajogava demais está faltando eu sei infelizmente.

  39. Daniel C

    Essa chave do Djokovic tá muito mamão com açúcar. Já está nas semifinais, e impressiona como o circuito está fraco. E ainda não teremos os maiores da história Federer e Nadal. E nem o Wawrinka para dar um calor no sérvio. Tem tudo para ser um dos US Open com menor ibope da história. Que momento ruim vive o circuito masculino.

    Bem, vale a torcida para Zverev e Medvedev, os únicos que podem derrotar o Djokovic, mas ali faltam os recursos que o Tsitsipas tem. Mas depois do papelão em RG, nem sei se quero o grego enfrentando o sérvio na final… Ali tem tênis, falta cabeça.

    Aliás, se pararmos pra pensar sobre os favoritos nesse torneio: Zverev está enrolado com denúncias de agressão a mulher, Tsitsipas é antivacina, Medvedev andou chutando câmera em Cincinatti e Djokovic, bem, esse dispensa comentários…todo tipo de comportamento ruim que dá para imaginar ele já teve. De novo: que momento ruim do circuito. Não se fazem mais campeões como Federer e Nadal. Isso só não vale para a galera do “não me importo com nada desde que meu ídolo alcance marcas e recordes, o resto é choradeira”, é claro.

    1. Israel

      Estou imaginando o sofrimento do Daniel C ao ler o seu comentário. Antevendo a possibilidade de Djokovic vencer o Slan 21, saltando a frente de seu ídolo, sendo que no último US Open o placar era 17<20, como os haters gostavam de postar. E o pior pra ele é a possibilidade do homem fechar o quarto Slan no mesmo ano. Vixe, coisa de louco!!!

      1. Daniel C

        Vixe, caro Israel, o sofrimento já ficou no passado, quando o sujeito voltou em 2018 ganhando GS. Ali eu já notei que ele ia ganhar títulos a rodo, com o Federer envelhecendo, o Wawrinka e o Murray começando a sofrer com lesões e nenhum jogador mais jovem aparecendo. Só não dava pra imaginar que essa falta de concorrentes ia durar tanto tempo. Só o fato de um jogador como o sérvio ter a mesma quantidade de GS de um jogador como o Federer, já é uma aberração inexplicável da natureza rsrs. Mas o que importa é que apesar de tudo, o suíço é ainda muito mais respeitado e admirado mundo agora, prova de que não são apenas os números que importam. Quer dizer, exceto para aqueles que sao fãs daquele que só tem resultados a oferecer, mais nada…

  40. Rafael

    Mestre,

    Eu tenho que concordar com os jornalistas que entendem que estamos em uma entressafra. Há 20 anos olhamos as chaves dos Slams e já podemos cravar os favoritos sem muitas surpresas. A Next Gen não chega nunca. Como pode? Tenistas com média de 35 anos ganhando dos mais novos sempre. O Big 3 é fenomenal, mas a geração mais nova ainda deixa a desejar.

  41. Marcelo Eiras

    Não sei você, mas tô achando esse GS de Djokovic meio “forçado”

    Tipo, ele fez 6 finais no ano só. Graf quando ganhou em 88 terminou com 11 títulos, tipo, ela de fato naquele ano foi a melhor, já Djokovic tá basicamente focando nos GS e não conseguindo dominar a temporada. Federer nos anos em que ganhou 3 GS, ganhava quase sempre mais de 10 títulos, não focava apenas nos GS.
    Sei que isso tem muito a ver com a idade do sérvio também, mas mesmo assim, tira um pouco do brilho, ao meu ver, ele não tá sendo o melhor da temporada, apenas mais efetivo nos Grand Slam’s.

    1. Araujo

      Comentário pífio, ilusório e com argumentos fracos (risíveis), tenta apenas negar a realidade e o tamanho dos feitos do GOAT Djokovic. Vamos aos fatos:

      Steffi Graf tinha 19 anos quando fez o grand slam e federer tinha 23 e 26 anos ganhando ganhou 3 slams, nao dá pra comparar com um cara de 34 anos, nao dá pra exigir que jogue todos os torneios do calendario.

      Djokovic gosta de ganhar big titles, nao é federer que gosta de empilhar atp 500 e 250:

      – Federer é o que menos tem big titles entre o big 3, metade dos titulos de federer sao atps 250 e 500.

      – Já Djokovic 72% dos seus titulos big titles (6 anos mais novo que federer já possui 7 Big Titles a mais que Federer).

      Se você quer falar de temporadas boas ganhando 3 slams, Djokovic tem 3 vezes isso:

      – 2011: 10 títulos, dos quais 3 slams e 5 masters, ganhando 6 finais de nadal (que é o pai do federer)

      – 2015: 11 títulos – 3 Slams (Fez final em todos), 6 masters 1000 (disputou 8 masters e foi pra final em todos). Foi campeao de Wimbledon e US Open em cima de federer, contra toda torcida. Ainda ganhou 2 masters e o ATP finals em cima de federer também, entregou 5 pratos bonitos de vice pra federer kkkkk. Fez o recorde histórico de pontos da ATP: 16.950. Tá bom pra você ou quer mais? hahahahahah

      1. Jonas

        só complementando: Djokovic também é pai do Federer, especialmente nos grandes torneios. Mas o que o Nadal fez foi sem igual, doutrinou o suíço até 2014.

        1. Paulo F.

          O que Nadal fez com o Federer é uma dominação tão acachapante, superiora e vergonhosa que basta isso para não considerar Federer o GOAT – a passividade e fragilidade contra um dos rivais.

        2. Araujo

          Federer tem que ir no ratinho fazer o DNA pra saber quem é o pai dele: Nadal ou Djokovic? Djokovic e Nadal entregaram 10 pratos de vice em SLAM pra Federer, inclusive 4 em Wimbledon, alem de meterem mais de 50 vitórias em cima dele, H2H negativo contra os 2. É o número 3 do big 3.

          Big Titles: Djokovic 61
          Nadal 57
          Federer 54

    2. Jonas

      “ele não tá sendo o melhor da temporada”

      Putz, e quem tá sendo o melhor então, colega?

      Tsitsipas foi um dos tenistas que mais jogou torneios até aqui, mas foi varrido pelo Medvedev no AO e eliminado precocemente em WB. Não tem como esse cara ser ao menos cogitado para ser o melhor, rs.

      Nem preciso dizer que a exigência de vencer um Grand Slam obviamente é muito maior.

      E, sim, é lógico que depois de certa idade o tenista vai focar no que mais interessa. No caso do Djokovic, que já tem 36 masters e é recordista isolado de semanas como n1, não chega a ser nada absurda a decisão de chegar mais preparado nos Grand Slams.

      Se o Djokovic vencer o US Open, será um feito enorme, como exposto pelo Dalcim. Mas ainda considero mais difícil o Nole Slam, que ele conseguiu entre 2015-2016.

      1. George Beco

        Eu entendi o que ele tá querendo dizer, vai ser tipo, tem que ganhar os 4 GS a qualquer custo, mas é um GS sem brilho, uma vez que a temporada toda não foi assim, seria como resumir o tênis a GS, o que Rios provou que não é assim.

        Entendo que a idade atrapalha um pouco ele também, talvez se tivesse nascido lá pra 1978, as chances dele ganhar brilhando na temporada seriam maior, porque tirando pelo fato de que ele despontou com 24 anos, isso seria no momento de padronização, o que facilitou um bucado os títulos de GS e o único cara que ameaçaria ele nos GS até 2005 seria Agassi, porém seria uma ameaça no AO, torneio em que ele ganha até lesionado. Talvez um que poderia atrapalhar os GS dele seria Roddick, numa final de Wimbledon talvez ele ganhasse do sérvio.

        O que favoreceria o sérvio em 2004 seria o fato de que a final de RG foi entre dois caras nível top 10 apenas, e as outras três finais poderia ser contra Federer, ele o sérvio teria 26 anos ainda, ou seja, ganharia pelo menos uns 5 títulos mais os 4 GS, seria uma temporada mais brilhante, de fato, a partir de 2005 o negócio dificultaria um pouco pra ele em RG.

        1. Jonas

          Também entendi seu ponto. Mas veja, há um pessoal aqui que vive chorando pelo fator idade.

          Djokovic tem 34 anos e vem batendo tenistas cerca de 9, 10 anos mais novos em final de Slam (Medvedev, Tsitsipas, por exemplo). Isso é bem difícil. Inclusive acho que tenista nenhum conseguirá um domínio próximo a esse.

          Uma coisa é vencer o Baghdatis, outra é doutrinar o número 2 do mundo, 10 anos mais novo, em uma final de Grand Slam. Gênios fazem isso.

          É claro que seria ainda mais fantástico o Djokovic vencer, além de Grand Slams, diversos masters 1000…só que infelizmente 2011 foi há muito tempo.

          1. George Beco

            Bom, é como eu falo, um cara que tee 2 match points e saque na grama e perdeu a final não pode reclamar que perdeu por conta da idade, sobretudo porque toda vez que ficou a um ponto de confirmar o game o cara conseguiu, exceto nos dois match points.

            Fico imaginando numa final de RG Nadal com 8×7 e dois match points e saque, eu tento fazer todas as simulações possíveis, mas em nenhuma vejo Nadal perdendo pra alguém, se colocar Djokovic na melhor fase da carreira, o que vejo é um ace de Nadal, se colocar Agassi no auge, vejo um ponto no saque do espanhol, se colocar Sampras, vejo depois de umas 7 trocas o americano errando.

    3. Cassio Carvalho

      Se não fosse por Nadal, Federer teria os 4GS num ano. Djoko já teria tb. E talvez até o Nadal, se não fosse o Roger ou o Nole. Bom, acho que isso tem a ver com a genialidade deles, mas tb com a padronização dos pisos. Com isso, acho que ganhar os 4 major não será algo tão complicado pros próximos que dominem o circuito numa era “pos Nadal”, que já começou este ano. Zverev e Tsisipas tem tudo para conseguiros 4 GS, por exemplo. No mesmo ano ainda quero ver.

  42. Paulo Almeida

    O GOAT incontestável mais uma vez se deu muito mal em um sorteio. Terá que batalhar muito para fechar o Calendar Slam, no que poderá ser mais um Major hipermegaextraparrudo, assim como Rolanga.

    Sempre lembrando que 20*** >>> 20.

    1. Gildokson

      Tu não pode estar falando sério kkkkkkkkkkkkkkkkk
      Não tem ninguém na frente dele até a semi, e la na semi talvez um dos nexts virgem em Slam…
      A New Entressafra kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      1. Paulo Almeida

        Sempre falo sério.

        Como não? Struff, Nishikori, Karatsev e Berrettini/Hurkacz (aquele mesmo que humilhou sem piedade o suíço em Wimbledon).

        Entressafra sempre foi e será o período 2003-2007.

  43. Alexandre

    Salve Dalcim,

    Infelizmente nao vamos ter a Bia na chave principal. Acabei de ver o jogo dela e depois do segundo game do segundo do set, na minha humilde opinião, alguns problemas do jogo dela apareceram. A adversaria passou a movimenta-la mais lateralmente e isso complicou bastante para a brasileira. Alem disso, em varios pontos que a Bia construiu muito bem, faltou uma visão mais clara sobre como finalizar, por exemplo com um dropshot. E claro que e fácil identificar o problema depois que voce perdeu o ponto, afinal eu tambem sou guerreiro de fim de semana, mas a Bia pareceu sem muita variação de jogadas. Ela reclamou consigo mesma sobre a falta de coragem de ir para a rede, o que eu acho que teria ajudado bastante a ganhar alguns desses pontos, ou no mínimo criar duvidas na cabeça da adversaria. Uma ultima coisa que me chamou a atencao foi ver a feição dela. A Bia parece tensa na quadra. Posso pedir a sua opinião? Gostaria tambem de deixar aqui o meu agradecimento pela cobertura dos jogos e torneios que vc e a sua equipe fazem sempre com muito talento.
    Grande abraco aqui da Australia.

    1. José Nilton Dalcim

      Sua análise está muito boa, Alexandre. A mim pareceu que a Bia estava sem pernas no terceiro set, chegando um tanto atrasada em alguns pontos ou forçando demais em outros. Daí realmente a opção de ter ido um pouco mais à rede era mais importante. Acho que o saque dela caiu muito nos últimos tempos e ela não tem explorado bem o forehand com mais spin e ângulos, o que geralmente causa dificuldades. Eu realmente achava que ela iria ao menos na terceira rodada, uma pena. Abraço e obrigado!

  44. Rubens Leme

    E os quatro principais cabeças de chave deram opiniões contrárias á vacinação. Assim, torço para que todos estejam foram da final (sei que será impossível) , seria muito feio ter uma final de negacionistas.

  45. Rubens Leme

    Monteiro não ganha mas vai perder em quatro sets com pelo menos um set no tie-break e no quarto, de virada. voce disse no post anterior, que é mais uma questão de comportamento do que tática, porque devem treinar várias táticas.

    Então, volro a perguntar: como desligar o botão do piloto automátiico e fazer algo diferente? Monteiro não é brilhante, mas tem consistência e poderia ficar mais tempo na fica entre 50-70.

    1. José Nilton Dalcim

      Ah, mas todo jogador quando não está tão confiante ou se vê apertado liga o automático e fica naquilo que acredita ser o mais confiável. Nadal é um exemplo clássico disso.

      1. Bel Grado Fa

        No caso específico do Monteiro, ele já não admitiu que quando algo dá errado, o que interessa é unicamente bater mais forte na bolinha até “furar o adversário!? Me parece por vezes que ele realmente carece de inteligência tática.
        Obviamente, não é uma crítica, pois quem seria eu para criticar um jogador TOP 100 consolidado, mas apenas um comentário de alguém que acha que o Monteiro poderia eventualmente dosar um pouco da força de seu belo forehand e trabalhar um pouco mais taticamente.

        Não tem nada a perder se tentar: menos força no forehand e mais variação, menos força no forehand e mais ângulos e cantos. Um pouco menos de força e mais observação na jogada do adversário buscando uma maior antecipação.

        Potencial ele tem para um pouco mais.

Comentários fechados.