Ficha corrida de Nadal assusta
Por José Nilton Dalcim
21 de agosto de 2021 às 00:16

O terceiro grande nome do tênis masculino anunciou nesta sexta-feira o que já se esperava: tal qual Roger Federer e Dominic Thiem, Rafael Nadal antecipou o fim da temporada. O motivo foi a persistente contusão no pé esquerdo, que o afetou pela primeira vez em 2004, antes mesmo que conquistasse seu primeiro troféu de ATP em Sopot. Em suas palavras, Rafa tentará um “tratamento diferente”, o que pode indicar um procedimento cirúrgico. Ele jamais admitiu ter feito uma operação, ainda que haja poucas dúvidas de que precisou disso na longa parada de 2012 para 2013.

Com a ajuda da mídia espanhola e de alguns bons currículos, tracei abaixo uma ‘ficha corrida’ de seus extensos problemas físicos ao longo da carreira. Vejamos um resumo:

2003: Não pôde jogar em Roland Garros devido a fissura no cotovelo direito após cair num treino. Voltou em Wimbledon.
2004: Ficou afastado de toda a temporada de saibro ao sofrer fratura por estresse no pé esquerdo, apontada em Estoril. Ficou fora também de Wimbledon.
2005: Tendinite em Madri e inflamação outra vez no pé esquerdo o tirou de Paris e do Finals. No total, foram quatro meses afastado, perdendo o Australian Open.
2006: Único problema foi dor no ombro durante a fase de grama, mas sem comprometer participação em Wimbledon.
2007: Abandonou Cincinnati com dor no braço esquerdo, porém competiu no US Open.
2008: Em Paris, tendinite no joelho direito o fez desistir de novo do Finals.
2009: Após a primeira derrota em Roland Garros, não foi a Queen´s e a Wimbledon novamente com tendinite nos joelhos, ficando afastado dois meses.
2010: O joelho direito também interrompeu sua campanha no Australian Open, desistindo nas quartas.
2011: Inflamação nos tendões fibulares foi um problema, mas não chegou a comprometer seu calendário.
2012: Sofre então a lesão mais grave durante Wimbledon: ruptura do tendão patelar no joelho esquerdo. Por isso, perde as Olimpíadas de Londres e todos os demais torneios da temporada, incluindo o Australian Open de 2013. Foram sete meses fora.
2014: Nadal se afasta logo depois da derrota em Wimbledon com problema no punho direito e fica três meses em tratamento. Retorna na Ásia, mas não consegue jogar Bercy e o Finals devido a apendicite.
2016: Nadal surpreendente e desiste de jogar a terceira rodada de Roland Garros devido novamente a lesão no punho. Consegue volta a tempo de disputar Jogos do Rio, mas a contusão volta em outubro.
2017: Faz sua melhor temporada em dois anos, mas sente o joelho direito e abandona Paris e o Finals no meio.
2018: Desiste nas quartas do Australian Open devido ao ilíaco e se afasta por dois meses. Na semi do US Open, a tendinite do joelho direito reaparece. Também ficou de fora de Bercy e do Finals, mas agora devido a ruptura no abdômen.
2019: Desistiu no meio de Indian Wells com dor no joelho direito. Depois do título no US Open, voltou a sentir o punho esquerdo, mas conseguiu  se recuperar para ganhar a Davis e terminar como número 1. Antes disso, sentiu o abdômen em Paris.
2021: Saiu de Melbourne com problema nas costas, o que o fez saltar o calendário até o saibro. Após queda em Roland Garros, afastou-se com o velho problema no pé esquerdo. Voltou em Washington, porém só fez dois jogos.

Rafa deixará de defender 2.760 pontos e seu total deverá cair para 5.055, o que é mais do suficiente para mantê-lo na faixa dos 10 primeiros do ranking até janeiro.

Favoritos firmes em Cincinnati
Todos os quatro principais cabeças de chave estão nas semifinais masculinas de Cincinnati, algo que não acontecia no mais importante preparatório do US Open desde 2009. A melhor atuação da sexta-feira foi de longe de Daniil Medvedev, que atropelou Pablo Carreño e reencontrará o amigo e ‘freguês’ Andrey Rublev, sobre quem tem 5 a 0 em jogos oficiais e nenhum set perdido. Rublev teve trabalho com Benoit Paire, num jogo divertido.

Alexander Zverev também teve placar fácil contra Casper Ruud, mas chegou a estar em desvantagem de 1/3 no segundo set, embalando depois cinco games seguidos. O alemão está muito confiante e isso facilita segurar a cabeça na hora do aperto. Fará o nono duelo contra Stefanos Tsitsipas e o grego tem histórico de 6 a 2, embora Sascha tenha interrompido série de cinco derrotas em Acapulco antes de voltar a perder em Roland Garros em cinco bons sets.

Tsitsipas fez o jogo mais interessante do dia. Dominou o primeiro set contra Felix Aliassime com enorme autoridade, mas o canadense sacou melhor depois, o que aliás o salvou de dois match-points no 10º game. Aí inesperadamente.o cabeça 2 sentiu, fez dois games instáveis e foi precisou do terceiro set. Recuperou a soberania mesmo com apenas 55% de primeiro saque em quadra.

Luísa e Gabi jogam muito
O momento de Luísa Stefani é espetacular. Com entrosamento cada vez melhor ao lado de Gabriela Dabrowski, aliado a jogo de rede apuradíssimo e saque eficiente, atinge a terceira final seguida nos preparatórios para o US Open, sobe mais dois degraus no ranking e tenta faturar o segundo WTA 1000 em 14 dias. A nova vitória foi gigante, em cima de Krejcikova/Siniakova, campeãs de Roland Garros e dos Jogos de Tóquio. Vale lembrar que na véspera bateram as números 2 da temporada, Aoyama/Shibahara.

As adversárias são Samantha Stosur e Shuai Zhang, que atuam pouco juntas, mas o currículo da australiana é notável: ex-número 1 da especialidade, ganhou três dos quatro Slam e no outro fez três finais, somando 26 títulos de duplas. Muito respeitável.

Já em simples, os quatro jogos foram um tanto sem graça. Totalmente recuperada na parte física, Ashleigh Barty sobrou em quadra e atropelou Krejcikova. Volta a enfrentar Angelique Kerber, repetindo a semi de Wimbledon, depois que a alemã viu Petra Kvitova abandonar. Outra surpresa notável aprontou a também canhota Jil Teichman. Responsável pela saída de Naomi Osaka, fez o que quis em cima da compatriota e campeã olímpica Belinda Bencic.

Jil tem um estilo interessante, em que consegue enrolar bem o topspin ou então disparar bolas definitivas. Sempre divertido ver jogadoras com armas diferentes. Ela encara Karolina Pliskova, que também não completou sua partida, já que Paula Badosa sentiu desconforto na mão.


Comentários
  1. Oswaldo E. Aranha

    Rubens Leme, obrigado por lembrar meu nome, entretanto como não tenho qualquer ligação com o rock, sentir-me-ia um estranho no ninho. Abraços.

  2. Rodrigo S. Cruz

    O Zverev tá jogando muito!

    Vou torcer por ele no Us Open.

    Principalmente para eliminar o sérvio “entressafreiro”, chiliquento e tratante que deixa sua parceira de duplas sem medalha…

  3. Bel Grado Fa (Pulga Atômica)

    Fio infeliz a fala do nosso Ministro da educaçao neste final de semana no interior de São Paulo, para dizer o mínimo.

    Eu compreendo totalmente o contexto que ele usou para justicar e exprimir (ou expelir) a frase dizendo que “nao adianta ter diploma de ensino superior porque nao tem emprego”.

    No entanto, criar e coordenar pilíticas de educaçao em todos os ciclos é função do Estado (ou seja, deles mesmos).

    A funçao de fiscalizar e fazer cumprir para que as políticas de educação sejam cumpridas também cabem ao estado.

    Ao contrário, enfraquecer o ensino público e pregar a educaçao em casa, vai apenas fortalecer o poder das igrejas evangélicas sobre a educaçao infantil.

    Só para constar: o discurso do Ministro da Educaçao foi finalizado com um Culto evangélico, acompanahdo de alguns pastores e do público evangélico da regiao.

    Lamentável.

    Rubens Leme: gostei do Nick Formiga Atômica, mas como me acho “menor que uma formiga”, talvez pudesse adotar o pulga atômica. Sei que os haters já vao tentar denigrir com “chato atômico” ou algo do tipo.

    Mas não vai dar para agradar a todos.

    Enquanto isso, vamos nos divertindo assim com esta situaçao do país, qur começo a classificar como temerosa!

    1. Periferia

      Olá Bel

      O ministro acredita que a única função da educação é para haver inserção no mercado de trabalho produtivo.
      Ele não acredita no crescimento intelectual do indivíduo para satisfação própria.
      Tem medo que a capacidade do conhecimento seja a base do pensamento crítico.
      Uma capacidade que pode evitar que pessoas como ele decidam sobre o futuro de nossos filhos.
      (Ele acredita que somos as “sombras” da Caverna de Platão)

  4. Sandra

    Dalcim , vendo a vitória da Bardy agora , me veio uma pergunta , quem vc acha melhor ? A Serena em seus melhores momentos ou a Bardy de agora ?

  5. Oswaldo E. Aranha

    A minha participação quanto aos filmes:
    – Duelo de Titãs: Djokovicc x Nadal
    – Crepúsculo dos Deuses: Federer e Nadal
    – Gata em Teto de Zinco Quente: a japonesa
    – E o Vento Levou: as esperanças de Medvedev de alcançar o nº 1

      1. Sérgio Ribeiro

        Principalmente em TODAS as superfícies exceto o Saibro. Só pagas
        mico ,Co-Piloto . E teu assunto é sempre o mesmo já reparastes ?. Sua análise sobre os jogos do MASTERS 1000 pra variar brilhante kkkk . O Título do teu filme é digno de um pulgueiro kkkk. Abs!

  6. Rubens Leme

    Marcílio, acabou o espaço para responder no local respectivo, então postarei aqui. A história da trilha sonora dos assassinos é divertida demais. Apenas acho que Mark Chapman, pode ter pensado em Help! ou Instant Karma! (Instant karma’s gonna get you / Gonna knock you right on the head / You better get yourself together / Pretty soon you’re gonna be dead).

    Sobre a do Brejnev recomendo esse interesante artigo sobre as músicas de protesto escritas na URSS – https://br.rbth.com/arte/2013/09/22/um_hino_contra_a_repressao_-_parte_i_21533

    Continue escrevendo!

    1. Marcilio Aguiar

      Valeu Leme pela força. Quanto a Mark Chapman eu não pensei em Help, mas cogitei que ele ficou entre Imagine, Give peace a chance e Mind Games, mas no final optou por Instant Karma!

      Os textos precisam de uma boa revisão, pois notei que Brejnev saiu como BEJNEV.

      Abc.

  7. Rubens Leme

    Qual é o melhor disco de estúdio dos Doors, The Dooors (1967), Strange Days, o segundo, também de 1967, ou o último, L.A. Woman, de 1971? Sempre gostei das longas suítes, marca do grupo.

    O primero LP tem as duas mais clássicas – “Light My Fire” e “The End” -, mas Strange tem a maravilhosa “When the Music Is Over” com o belo verso “For the music is your special friend / Dance on fire as it intends / Music is your only friend
    Until the end”.

    Já o último trazia outros dois petardos, a cinematográfica faixa-título e a sanguinária “Riders on the Storm”. Sempre fiquei entre o segundo e o último discos, mas nunca me decidi exatamente. O grupo ainda tem mais três discos de estúdio, mas inferiores, embora Waiting for the Sun (1968), chegue perto de ser uma obra-prima, ao contrário de Soft Parade (1969) e Morrison Hotel (1970).

    Abaixo, o link dos três para quem tiver interesse:

    The Doors – https://www.youtube.com/watch?v=e-N2d5ED2KE
    Strange Days – https://www.youtube.com/watch?v=mf7BsyCAT80
    L.A. Woman – https://www.youtube.com/watch?v=xnSjQR2QC3s

  8. Periferia

    Dois Homens

    Tudo está horroroso ao seu redor…
    Uma infinitude de lama…um céu cinza…uns ipês descuidados…sem folhas…e nos seus galhos furcados…um corvo de penas eriçadas.
    Sons de veículos de guerra…passos coordenados de homens fardados…o céu ocupado não por pássaros.
    O vento hora geme…ora se enfurece…ora se põe a uivar…a bramir.
    Nesses sons infernais que laceram a alma e arrematam todo o horror do momento (mortes…medos… ameaças).
    Nesse cenário…dois homens torturam a si mesmo sobre escolhas do passado…se olham desconfiados…se tratam com raiva.
    Dois homens de grande capacidade intelectual…
    Dois homens teimosos…
    Dois homens bons…

    Por quê???

    Não precisamos de cercas…precisamos de pontes…”está na hora dessa gente bronzeada mostrar seu valor…”

        1. Rubens Leme

          Você falou em Chico Mineiro lá embaixo. Aí me lembrei de um texto que mandei pro whatsapp das minhas irmãs e mãe quando o Sergio Reis foi indiciado, estes dias. Peço licença para compartilhar contigo…

          Embora seja merecido esse inquérito de Sérgio Reis, confesso certa tristeza. A primeira vez que ouvi “Menino da Porteira” ou “Chico Mineiro” (sucesso de Tonico e Tinoco) na voz bonita de Sérgio Reis, foi através do meu pai. Mesmo não sendo um grande apreciador de música, ele nunca perdia o programa “Viola, Minha Viola” da TV Cultura, quando era apresentado pela dupla Moraes Sarmento e Inezita Barroso.

          Me lembro de vê-lo quase derramar uma lágrima ao ouvir os mesmos Tonico e Tinoco cantando “Chico Mineiro”. O único LP de música caipira que tínhamos em casa eram deles e também me recordo de irmos juntos, a um show do duo, em um circo, quando eu tinha uns 8 ou 9 anos.

          Quando viajamos para Coxim – foram duas viagens – ele se transformava e aquele homem sério, fechado, “do bigodão”, relaxava e colocava Mozart e Sérgio Reis para ouvirmos durante as quase 50 horas de viagem de carro, ida e volta. Foi assim que me apaixonei pela “Marcha Turca”, de Amadeus.

          Aquelas músicas trágicas – tanto Chico Mineiro quanto o Menino da Porteira morrem – era entoadas por ele, baixinho, com reminiscências da sua infância sofrida, que tanto o marcou.

          Então, por causa dessas lembranças é que me entristeço ao ver o octagenário – teria a idade do meu pai, se ele estivesse vivo – podendo ser preso. Sérgio podia ter ficado em casa, como um velhinho comportado, meio maroto, contando mil causos e rindo com os netos, bisnetos, ao invés de proferir palavras asquerosas.

          Eu tento, mas não consigo odiar. Sinto pena: por ele e por ter estragado uma memória feliz da minha infância. Acho que nunca mais conseguirei ouvir as duas músicas novamente.

          1. Periferia

            Olá Leme

            Meu pai “entrava” no personagem…
            Se deixasse teríamos que busca-lo no interior de Goiás…rs
            Uma curiosidade…a música foi feita por Tinoco…a letra por Francisco Ribeiro…que era um porteiro de uma rádio…isso em 1946.
            Ela é uma trova…tem muita identificação com pessoal que trabalhou na roça (como meus pais)…principalmente por terem dificuldades para ler…então “os causos” eram tocados com ajuda das violas e passado oralmente…
            Ajudou a registrar as raízes dessas pessoas…que são de uma riqueza enorme.

            Quanto ao Sérgio Reis não tenho pena ou qualquer sentimento…sempre foi um reacionária…pulou da jovem guarda para o sertanejo (com competência e oportunismo)..atravessou uma ditadura sangrenta fingindo que não existia.
            Pulou na política defendendo coisas totalitários…
            Sempre foi assim…o momento deu oportunidade para ele acreditar que pudesse sair do armário (com sua farda e berrante) apostando que todos iriam aplaudi-lo…
            Sabia o que estava fazendo…

          2. Rubens Leme

            Então, como eu disse foi mais por ter matado uma memória feliz da minha vida na qual as músicas deles faziam parte do que por ele mesmo.

          3. Roberto Cerqueira

            É um homem digno. Ao invés de ficar “em casa como um velhinho comportado”, teve a coragem de cumprir sua obrigação de cidadão e se insurgir contra a ditadura da toga.

  9. Maurício Luís *

    Não sou o dono da verdade, mas penso da seguinte forma: ficar exigindo rapidez de um tenista na ida ao vestiário é tratá-lo como um robo. Só fica faltando o cúmulo da falta de educação de perguntar o que ele foi fazer lá.
    Lembra-me uma cena do filme “Ben Hur”, superprodução de 1959 estrelada por Charlton Heston. Na cena, os escravos acorrentados na embarcação eram exigidos: ” REEEEMEM !! “

    1. José Yoh

      Maurício, a rigidez das regras normalmente é necessária quando há falta de bom senso no uso do benefício.

      Se a pessoa está precisando ir ao banheiro, ok.

      Mas se toda vez que a situação fica difícil ela vai, nesse caso é necessário rigidez porque falta bom senso. Não pode ser utilizada para quebrar o momento de um jogo.
      É assim que eu vejo.
      Abraços

  10. Alessandro Siqueira

    Com a derrota em Cincinatti, Medvedev deixou de defender 640 pontos. Djokovic perde 1000, é verdade, mas já garante a ponta pós USOPEN, independente do que faça ou do que o russo venha fazer.

    O Aberto dos EUA começará assim:

    Djokovic = 11.113 e com 180 pontos a defender. No melhor cenário, pode somar 1.820 e chegar a 12.933. Perdendo na estreia, ficaria com 10.933.

    Medvedev = 9.980 e com 1.200 a defender. No melhor cenário, soma 800 e chega a 10.780. No pior, cai para 8.780.

    1. Gabriel Maganha

      Não se esqueça que Tsitsipas pode sim passar Nole no USOpen. Precisa vencer o torneio e Djokovic ser eliminado nas primeiras rodadas.
      Já Medvedev realmente não tem chances matemáticas de ultrapassar o sérvio.

      1. José Nilton Dalcim

        Impossível, Gabriel. Se ganhar o torneio, Stef somará 1.820 (precisa tirar um dos 180 de piores resultados) e isso não é suficiente para alcançar Nole.

  11. Helena

    As semis de Cincinnati trouxeram os quatro primeiros classificados, e final será entre os números 3 e 4… hehehehehe.

    Gostei muitos de ambas as vitórias.

    Muito simpática a entrevista do Rublev após o jogo. Aliás, as entrevistas dele são sempre boas de se assistir. Ele tem um jogo com claras lacunas, mas é um rapaz muito esforçado e pé no chão.

    Já o jogo entre Zverev e Stephone Textsipas mostrou que se não teremos jogos no nível técnico dos confrontos entre o Big 3, ao menos teremos partidas disputadas e com reviravoltas malucas.

    Gosto demais do Rublev, mas aposto numa vitória do alemão.

  12. Helena

    Já que o tema filme tem sido muito debatido aqui no  blog, proponho uma brincadeira. Que filme corresponderia aos jogadores da ATP?

    Vou deixar as minhas sugestões:

    Djokovic – Melhor é impossível
    Federer – Dr. Fantástico
    Nadal – Touro Indomável
    Murray – Coração valente
    Monfils – O Artista
    Medvedev – Xeque-mate
    Zverev – Carruagem de fogo
    Tsitsipas – Trapaça
    Rublev – Um grande garoto
    Berrettini – Thor
    Sonego – Karatê Kid
    Felix – Tempo de despertar
    Del Potro – Uma tão longa ausência
    Shapovalov – O franco atirador
    Paire – Curtindo a vida adoidado
    Opelka – Jaws
    Karlovic – O homem bicentenário
    Alcaraz – Nasce uma estrela

    Aos que toparem a brincadeira, por favor, vamos manter a educação.

    1. Carolina

      Adorei as escolhas para Karlovic e Aliassime. Aliás, adoro Tempo de Despertar.

      Shapovalov e Ostapenko – The Thin Red Line (acho que o título em português é Além da Linha Vermelha)
      Djokovic – O Iluminado
      Medvedev – Muito Barulho por Nada
      Rublev – Andrey Rublyov (o filme sobre o pintor russo do século XV)

    2. Maurício Luís *

      Murray: ” A volta dos que não foram”
      Nadal: ” A casa dos horrores”
      Federer: pra ele, filme de suspense: “O culpado era o mordomo”🤔🤔

    3. Marcílio Aguiar

      Crepúsculo dos deuses – Federer, Nadal e Serena
      Bravura indômita – Murray
      Ser ou não ser (to be or not to be) – Medvedev, Zverev e Tsitsipas
      O declínio do Império americano – Isner
      A dois passos do Paraíso – Djokovic

    4. Luiz Fabriciano

      Por enquanto, só o Opelka: OO7 contra o foguete da morte.
      Coincidentemente, o personagem Jaws era o dentes-de aço.

  13. Helena

    Já que o tema filme tem sido muito debatido aqui no  blog, proponho uma brincadeira. Que filme corresponderia aos jogadores da ATP?

    Vou deixar as minhas sugestões:

    Djokovic – Melhor é impossível
    Federer – Dr. Fantástico
    Nadal – Touro Indomável
    Murray – Coração valente
    Monfils – O Artista
    Medvedev – Xeque-mate
    Zverev – Carruagem de fogo
    Tsitsipas – Trapaça
    Rublev – Um grande garoto
    Berrettini – Thor
    Sonego – Karatê Kid
    Felix – Tempo de despertar
    Del Potro – Uma tão longa ausência
    Shapovalov – O franco atirador
    Paire – Curtindo a vida adoidado
    Opelka – Jaws
    Karlovic – O homem bicentenário
    Alcaraz – Nasce uma estrela

    Aos que toparem a brincadeira, por favor, vamos manter a educação.

      1. Rubens Leme

        Como pediu para manter a educação (a tentação de ironia é muito forte), vou manter.

        Federer, Nadal e … – Três homens em conflito.
        Sinner – Nasce uma estrela
        Tsitsipas – O aloprado ou Errado pra Cachorro
        Luísa Stefani – Menina de Ouro
        Del Potro – O Lutador
        Monfils e Svitolina – Harry e Sally, Feitos um para o Outro
        Murray – Rocky, um Lutador
        Karlovic – Drácula

    1. Bel Grado Fa

      Djokovic: Um morto muito louco (no papel do morto, com os oculos escuros)
      Federer: 007 Contra o Satanico Dr. NO
      Nadal: Sansao e Dalila
      Benoit Paire: 11 de Setembro
      IVO Karlovic: Frankstein
      Shapovalov: A Supremacia Branca
      Gasquet: Curtindo a Vida adoidado
      Bob and Mike Bryan: Debi & Loide
      Aliassime: Eu, Robo
      Hewitt: Surfer, Dude
      Safin: Senhores do Crime
      Connor: o Virgem de 40 anos
      Tsitsipas: Jasao e os Argonautas
      Berretini: qualquer filme tipo pipoca da sessao da tarde
      Nishikori: A hora do Rush (no papel de Jackie Chan)
      Fabio Fognini: Os Irmaos cara de pau
      Luisa Stefani: Menina de Ouro
      Milos Raonic: Match Point (a nova versao gorda dele)
      Reylli Opelka: O naufrago
      Andy Roddick: American Pie (no papel óbvio)

  14. Rubens Leme

    Olha aí, Periferia, pode te ajudar um pouco no entendimento do disco. (https://musicaemprosa.wordpress.com/2017/03/26/acabou-chorare-a-cancao-titulo/)

    “A canção título do álbum é absolutamente joãogilbertiana. Apenas com o violão de Moraes, a música começa com as firulas vocais, e parece uma canção de ninar, com o bu-bu-li-lindo uma música feita “de manhã cedinho”, as onomatopéias da abelhinha fazendo “zum zum e mel” e o “suave mé” do carneirinho

    O título da música se deve a uma expressão utilizada, na época, por Bebel Gilberto, filha de João Gilberto e Miúcha. Ela, bem pequena, costumava misturar português e espanhol, por causa de uma temporada em que ela vivia no México.

    Bebel teria tomado um tombo, e quando João e Miúcha foram acudi-la, e quando viu os mais velhos em volta, aflitos para saber se ela tinha se machucado, ela teria dito: “Acabou chorare, papai”.”

    1. Periferia

      Luiz Galvão:

      “Telefonei para João Gilberto contando que estava fazendo uma letra sobre essa relação com a abelhinha. João disse: “Puxa Luizinho! ( É assim que ele me chama) Eu estava falando com o poeta Capinan e ele lembrava que a abelha beija a flor e faz o mel, e eu gostei e completei: ‘E ainda faz zun-zun”. Perguntei a João: “Posso usar isso?” E ele aprovou dizendo: “Deve”. Não parou por aí, João contou-me que sua filha Bebel Gilberto, nascera no Brasil e pequena ainda morara nos Estados Unidos, e logo se mudara para o México. Ali naquele país a menina levara uma pancada, e ele, João, preocupado, com a aflição de pai nessas horas, foi acudi-la, mas Bebel reagira corajosamente e, na sua inocência de criança, falando uma língua em formação, o acalmou assim: “Não! Não! Acabou Chorare”. E deu uma risadinha escondendo a dor. Escrevi a letra pronta mostrei a Moraes que colocou a música na hora”

      Uma simplicidade desconcertante…

  15. Paulo Almeida

    Rapaz, que grande jogo e que recuperação do alemão. E assim o grego não consegue se aproximar de seus dois maiores rivais e continuará o terceirão mesmo dessa geração.

    1. Thiago Silva

      Tripas vai ser o Federer dessa geração, mas sem a sorte de empilhar slams antes dos rivais amadurecem.

      1. Gildokson

        Não sou fã do grego, mas do jeito que você fala parece que os outros 2 ganharam algum Slam. Muito pelo contrário, Zverev fez papelão ridículo na ótima oportunidade que teve.

      2. Sérgio Ribeiro

        Exato . E tu repetes as mesmas groselhas do face TênisBrasil . Sempre com a mesma cara há anos rs . Veja a relação de conquistas do então N2 em 2005 , fora do SAIBRO, e volte pra dizer se o tal ” feto ” já tinha nascido rsrsrs. Abs!

        1. Thiago Silva

          Já vi sim, por isso eu falo, primeira semi de slam na Austrália e nos EUA em 2008 e primeira final em 2009. E tu repetes as mesmas groselhas sem cara nenhuma no tenisbrasil.

          1. Sérgio Ribeiro

            Deixa de bobagens, rapaz . Já bateu Federer no MASTERS 1000 de Miami 2004 . Logo a seguir ( 2005 ) venceu o MASTERS 1000 do Canadá pra cima de Agassi e o de Madri pra cima de Ljubicic . Jura que não estava maduro pra vencer os SLAM ??? . Se caia cedo pra turma da “ entressafra “ segundo os manés do face TênisBrasil , Federer nada tem a ver . STANIMAL bateu Novak e Nadal em SLAM sem ter nenhum MASTERS nas duras . Hewitt aos 20 já era N 1 do Mundo batendo Sampras no USOPEN. Sem essa , guri. Abs!

          2. Thiago Silva

            Eu tô falando de slams, não de masters, até o Dimitrov e o Sock já venceram masters e nunca nem chegaram perto de vencer um slam. O Zverev ganhou Masters no saibro e na dura em 2018 e até hoje não chegou em final de Roland Garros e só fez uma final de slam e duas semis.

  16. EDVAL CARDOSO

    Boa noite Dalcin
    Uma dúvida, em um esporte tão cheio de regras como o tênis profissional, não existe uma que defina o tempo que um tenista tenha até voltar a quadra depois que for ao vestiário entre os sets?
    E outra pergunta, no jogo específico de hj entre Tsitsipas e Zverev, se o alemão resolvesse ir ao vestiário depois que o grego voltasse, ele poderia?
    Porquê na boa, se fosse o Zverev, quando o Tsitsipas estivesse voltando, eu iria ao vestiário e ficaria o mesmo tempo.
    Na transmissão da ESPN, ficou meio que cogitado o grego ter recebido instrução pelo celular, existe alguma forma de fazer isso sem ser percebido pelos fiscais?

    1. José Nilton Dalcim

      Existe a permissão para uma ida ao banheiro em cada jogo e geralmente os tenistas fazem isso entre o segundo e terceiro sets para trocar a roupa eventualmente molhada, Não, não há uma regra e acho que a explicação principal é que cada torneio tem uma distância diferente entre a quadra e o vestiário. Quem joga na quadra 15 do Australian Open vai demorar muito mais para ir até lá de quem joga na Central, por exemplo. Quem acompanha o Rio Open sabe que o vestiário é bem longe. Mas acredito que a ATP e WTA precisem regulamentar isso, e a meu ver o sensato é cronometrar o tempo a partir do momento que o tenista entre no vestiário (3, 4 ou 5 minutos). Quanto à acusação de ‘coaching’, a suposição é que Tsitsipas poderia levar um celular ou messenger na bolsa que carrega toda vez que vai ao banheiro e, ao se fechar no boxe, poderia ler ou trocar mensagens. Mas é obviamente apenas uma especulação.

      1. Rubens Leme

        Teve o caso entre o Nadal e o Nishikori na disputa do bronze, no Rio, em que o japonês demorou uns 12 minutos para voltar e quando o fez tinha até tomado banho e o espanhol ficou louco da vida, reclamando que quando o jogou o Rio Open não permitiram que trocasse o calção.

        1. José Nilton Dalcim

          Foi exatamente o caso de um vestiário muito distante da quadra, Leme. E o Nadal tinha acabado de voltar do ‘toilette break’ e quis voltar para trocar o lado do calção. Bernardes cumpriu a regra e não permitiu.

    2. Maurício Luís *

      Acho que isso é exigir demais. E se o tenista estjver com desarranjo intestinal? Isso é tratar ser humano como se fosse um robô.

  17. Enoque

    Se o Medvedev ganhar USO chega a 10.780 pontos. Se o Tsitsipas ganhar chega a 10.350. Se o Djoko não jogar ficará com 10.933, ou seja, não perde a liderança até o final do USO. E ainda tem grande chance de terminar o ano em primeiro.

  18. Periferia

    Acabou a pouco…

    Que belo jogo entre o Zverev e o Tsitsipas…
    Mesmo esgotado…Zverev ganhou no “saque” (arriscou tudo no saque).
    Falta algo no grego para dar o salto definitivo.

    1. Luiz Fabriciano

      No saque e com a cabeça.
      Quando o físico ameaçou ir embora, começou a dar bolas mais altas ao grego, indo à definição somente nas “perfeitas”.
      O grego passou a errar mais e ter menos paciência.

    1. Sérgio Ribeiro

      Então, caro Marcílio, E pra muitos os jogos olímpicos não são prioridade para os Tenistas , lembra ? . Na entrevista pós jogo Sasha falou até em “ nova mentalidade “ a partir da grande virada Olímpica. E o tal h2h novamente não serviu pra nada. Venceram os dois que eram “ fregueses “ . Rublev “ achou “ uma tática de não dar ângulos a MEDVEDEV começando por sacar sobre o corpo e subindo mais à rede . E Sasha passando mal , optou em arriscar tudo no Serviço e encurtar os pontos a lá Federer nos bons Tempos . Jogos duríssimos e pra lá de interessantes mostrando que realmente teremos vida pós Big 3 . Na segunda já teremos um novo Ranking com Novak , Med , Tisitsipas e Zverev pela ordem. Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Ps . Lembrando que este Danoninho da geração nutella , digo Zé Verev , é o mesmo que atingiu o TOP 3 aos 20 em 2017 , com todo o Big 3 jogando e vencendo SLAM a dar com o pau rsrs. Abs!

  19. Luiz Fernando

    Quando todos achavam q estava derrotado Zverev ainda conseguiu forcas p vencer. Algumas coisas me pareceram claras: o negacionista tem melhor preparo fisico e o alemão golpes mais contundentes; o mental do alemão, que antes era questionado por muitos parece estar numa curva ascendente, o que pode leva-lo a voos mais altos. O problema p ele a curto prazo é q estamos em pleno verão americano, amanha ja terá q voltar a quadra e o clima em NYC é pra la de inóspito…

    1. Helena

      Acho o grego com ótimo físico, talvez o melhor do circuito hoje em dia. O melhor da nextgen, com certeza. O que parece que cansa é a cabeça mesmo. Considerando o potencial máximo de todos, Sascha me parece ter os melhores golpes. Já Medvedev tem o melhor mental. Por tudo que foi visto, acho que o russo vai levar mais torneios importantes, mas se Sascha der um clique pode mudar muita coisa. Esse backhand dele é um espetáculo!

    2. Sérgio Ribeiro

      Vê poucos jogos mesmo , L.F . Zverev nunca esteve tão bem fisicamente como nesta temporada . Nem precisa falar da virada sobre Novak no Ouro Olímpico. Hoje mesmo tendo vômitos , tirou forças para uma virada épica. Não fica nada a dever ao Grego a nível de físico. Basta acompanhar mais de perto o USOPEN pra dirimir quaisquer dúvidas. Abs!

      1. Luiz Fernando

        De fato ontem o Meligeni disse a mesma coisa, mas me esqueci q vc foi profissional e ele é um simples participante de blog kkkkkkk…

        1. Sérgio Ribeiro

          Um ex – profissional que muitas vezes fala bobagens como os demais. Veja a entrevista de Sasha e se pergunte como vocês dois não perceberam o estado do cara . Repetiu o que postei ontem. Abs!

  20. Rubens Leme

    Esse prontuário do Nadal me fez lembrar do ótimo volante inglês, canadense de nascimento, o Owen Hargreaves. Ele nasceu em Calgary, jogou pelo time local e de lá foi pro Bayern de Munique, onde virou titular, venceu a Champions League, de 2001, jogou a Copa de 2006, pela Inglaterra e no ano seguinte, deixou a Alemanha após sete anos para se juntar ao Manchester United.

    No começo, com a camisa 4 encantou a todos, levou outra Champions, a de 2008 até que teve uma tendinite no patelar, em 2009, como o Nadal. Só que depois vieram outras e outras e outras contusões, uma sequência longa de cirurgias e só jogou mais duas partidas até 2011, quando o United o liberou.

    Humilhado, Owen postou um vídeo no youtube provando que ele estava bom, até se contratado pelo rival de Manchester, o City, que queria um substituto para Patrick Vieira. Assinou por um ano, entrou em campo também só uma vez e se aposentou aos 31 anos.

  21. Carolina

    Então hoje foi o dia que o Rublev finalmente o usou o plano B?
    Brincadeiras à parte, fiquei super feliz com a performance dele no jogo de hoje. Admito que, após a primeira quebra, eu estava esperando um vitória tranquila do Medvedev. Gostaria de saber quantas vezes ele subiu à rede nos sets 2 e 3 e qual o porcentual de pontos ganhos nessas tentativas.

    Não assisti à Teichmann x Pliskova, mas o resultado é um pouco surpreendente.

    O que não surpreende é a Barty em mais uma final.

  22. Luiz Fernando

    Zverev parecia estar com as ações sob controle ao final do primeiro set. Parece q a atitude lamentável e repetitiva do grego de ficar muito tempo no banheiro desestabilizou o cara e a parcial foi do negacionista. Vamos ver como ambos se comportam no set3…

    1. José Nilton Dalcim

      Ah, mas Zverev ainda quebrou antes no segundo set, então a demora do banheiro não serve como desculpa, Luiz.

  23. Rubens Leme

    Fela Kuti – The Best of the Black President (2009)

    Poucos músicos foram tão corajosos em enfrentar um governo tão violento e repressor como o nigeriano Fela Kuti, o maior nome do afrobeat e o músico africano mais influente da história.

    Essa coletânea dupla traz algumas de suas canções mais importantes. Após lançar o ácido disco Zombie, sua casa foi invadida por milicianos (hum, lembrou alguém?) que, entre outras barbaridades, arremessaram a mãe de Fela Kuti por uma janela, matando-a. O crime o levou a escrever duas canções- “Coffin for Head of State” and “Unknown Soldier”, – sendo que a primeira aparece neste álbum.

    https://music.youtube.com/playlist?list=OLAK5uy_kEBOXLFJaHZFu1cTcZP7FB7dffsvE5t4k

  24. IMarcílio Aguiar

    O grego arrumou mais um meio de ser antipático. Essas idas demoradas ao vestiário todos jogos estão ficando abusivas. Muitos já fizeram e não é ilegal, mas para ele tornou-se rotina em todos os jogos, o que não era normal no circuito.

    Dalcim eu só assisti o primeiro set do jogo dos russos, por isso eu pergunto até que ponto o incidente com a câmera pode ter contribuído para a derrota do Danil?

    1. José Nilton Dalcim

      Ah, em nada, Marcílio. O terceiro set foi normal e Rublev foi mais consistente nos pontos importantes.

  25. Sandra

    Dalcim , vc saberia informar se aquele povo todo sem máscara , como estava vendo agora entre o grego e o alemão, as pessoas tem que levar comprovante de vacinação ou teste negativo ou pagou entrou? Nem parece que tem pandemia !!

    1. José Nilton Dalcim

      Uai, você tem assistido ao futebol, à fórmula 1 ou à NBA? Está assim em muitos lugares, inclusive no Brasil.

    2. Maurício Luís *

      Povão já tava esculhambando com o isolamento antes da vacinação. Agora, então… Bastou cair um pouco o número de óbitos, que tão pensando que tá tudo resolvido.

  26. MARCO DIOGO MONTENEGRO CORDON

    Dalsin, a lista ainda não está completa. Faltam, por exemplo, o Autralian Open 2014 onde ele se arrastou na final contra Wawrinka com lesão nas costas e saque comprometido com uma enorme bolha mão esquerda. Ficou longo tempo parado após janeiro retornando somente no saibro no meio do ano.

  27. Paulo Almeida

    E ninguém quer tirar o número 1 do GOAT mesmo.

    A tal da “Santa Cruzada” está passando por sérios percalços!

  28. Daniel C

    Incrível como o Nadal superou tantas lesões ao longo da carreira. Haja vontade de competir!

    Parece que realmente estamos assistindo ao fim da era dos dois maiores tenistas da história, Federer e Nadal. Vão deixar saudades.

    E vale ressaltar que o espanhol já não estava tão bem fisicamente em RG, sentiu muito o físico já no final do 3o set contra o Djokovic, e desabou no 4 set.

    Realmente, o sérvio tá dando muita sorte com a “concorrência” esse ano rs. Infelizmente o Federer nunca teve um ano mamão com açúcar desses para aproveitar e enfileirar os 4 GS, coisa que o sérvio provavelmente irá conseguir.

    1. Paulo Almeida

      Teve pelo menos 2004 e 2005, mas saibro nunca foi a praia do Federer mesmo. Do contrário, não teria perdido para um Guga já avariado e deixado um Nadal de 19 anos começar a dominar o piso. Um GOAT precisa ser versátil, bom em todos os pisos.

      Esse USO será dificílimo, assim como todos os três Slams já conquistados pelo Craque. Zverev parece ser a maior ameaça.

      1. Luiz Fabriciano

        Interessante hein Paulo, até pouco tempo atrás, Federer tinha em Nadal, seu principal inimigo, bem como seus respectivos fãs.
        Hoje, se tornaram amiguinhos.

        1. Rodrigo S. Cruz

          Não é exatamente o que alguns torcedores patéticos do Djokovic fazem?

          Ficam babando ovo do Nadal, apenas porque o espanhol é um postulante menos incômodo do que o suíço ao título de GOAT.

        2. Sérgio Ribeiro

          Pra variar na contra mão da história. Repetidamente os afagos com a Turminha da Kombi , são torcedores do Sérvio desde 2013 kkkkk. Abs!

      2. Sérgio Ribeiro

        Um Goat tem de ser versátil .,, rs . Como postas bobagem, caro Piloto . Novak também é freguês do Espanhol em FINAIS e no geral em RG para o Espanhol ( 2 x 7 ) . Quantas vezes tu vais entender que quem faz CINCO FINAIS em Paris sendo o terceiro em número de Vitórias e’ versátil . No Saibro 4 x 4 com o Sérvio . Consegues ser repetitivo nas groselhas todo santo dia rs . Abs!

        1. Paulo Almeida

          Poste vitórias/títulos do Federer sobre o Nadal em Monte Carlo, Roma e Roland Garros, por favor. Se não encontrá-los, ele não será suficientemente versátil para ser GOAT.

          Abs!

          1. Sérgio Ribeiro

            Até Pneu ele aplicou na FINAL de Hamburgo. Sem contar sair de 0 x 2 no mesmo lugar em 2005 e em Final de 5 Sets rs. Abs!

        2. Enoque

          Ele disse que um GOAT precisa ser versátil. Vc não concordou, argumentando que o Djoko não é tão versátil. Conclusão lógica: Vc está insinuando que o Djoko já é o GOAT, mesmo não sendo versátil. Eu prefiro esperar a temporada de 2022, pra confirmar, de vez, esta conclusão.

          1. Sérgio Ribeiro

            Compre um Óculos e leia de novo a bobagem enorme que postastes , Enoque . Eu argumentei exatamente o oposto. Federer também é versátil . Simples assim . Na boa , fique olhando ranking que é apelo visto a sua área rs . Abs!

        3. Paulo Almeida

          Fora as eliminações vexatórias na primeira rodada em sets diretos para o marroquino Arizi em 2002 (já era cabeça 8) e para o peruano Horna em 2003 (cabeça 5). Djoko nunca passou nem perto disso.

          Fraco no saibro desde os primórdios: fato!

      3. Gildokson

        Tbm achei WB dificílimo Paulo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
        A coerência ta la em Dubai hein kkkkkkkkkkkkk
        Tsitsipas, Medvedev e Berretini nas finais neh? kkkkkkkkkkkkkk

        1. Paulo Almeida

          Só vi grandes nomes nessa lista. Não se esqueça do Zverev nas quartas do Australian Open e do Nadal na semifinal de Roland Garros também!

      4. Jonas

        2009 também. Perdeu para o Nadal no Australian Open e pro Delpo no US Open.

        Realmente em 2004 ele foi atropelado pelo Guga.

        1. Sérgio Ribeiro

          Atropelado coisa alguma . Jogo duríssimo em que o Manezinho teve a hombridade de dizer que Sacou como nunca . GUGA tomou Pneu de Federer no MASTERS 1000 de Hamburgo no ano anterior. Abs!

          1. Monteiro Marcelo

            Verdade. Lembro como se fosse hoje. Foi a primeira partida inteira que vi do Federer. Quando o Guga abriu o olho, já tinha tomado um pneu no primeiro set. Federer não trocou backhands com Guga. Sabia que teria que enfrentar uma arma temida e botava todas de slice bem baixinho

      1. Gildokson

        Se fosse o Federer no lugar do Djokovic eu consigo jurar que do alto da sua “nobre” justiça de julgamento dirias que estamos vivendo o auge de uma entressafra em 2021 com esses grandes ganhadores de Slans e n°s 1 do mundo, Med, Tsi, e o cracaço Berretini. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
        Ai ai… chega até ser engraçado kkkkk

        1. Sérgio Ribeiro

          E o N 2 do Mundo em 2005 era exatamente Rafa Nadal com seus Quatro MASTERS 1000 . Esse L. F . e’ de longe o diversão gatantida do Blog kkkkkkkkk. Bota o Espanhol no meio da ridícula entressafra kkkkkkkk. Abs!

  29. Luiz Fernando

    Medvedev iniciou como eu imaginava, dominante. No entanto, Rublev subiu muito o nível, venceu bem o segundo set e no momento estamos vendo um set3 absolutamente aberto e imprevisível…

  30. Rafael Azevedo

    Pode ser um paradoxo, mas é por essas e outras que considero o Nadal o maior esportista da história, apesar de não ser o maior tenista da história…

  31. Luiz Afonso

    Eu confesso que fiquei bastante impressionado ao ver Nadal conseguir prolongar sua vitoriosa carreira. Eu podia apostar com quem quisesse, e eu perderia dinheiro, que Nadal não conseguiria seguir no tênis profissional após seus 26 anos de idade. Ainda bem que eu estava errado. Contrariando todas as evidências o cara conseguiu seguir adiante e seguir vencendo.

  32. Periferia

    Medo e Delírio…1998…Terry Gilliam

    Um advogado e um jornalista partem em uma viagem de carro para Las Vegas…onde as drogas são o principal combustível da viagem.
    Inspirado nos escritos do jornalista Hunter S. Thompson…o filme é uma viagem lisérgica.
    Pouco linear…o filme é uma custura de imagens…estranho…ao mesmo tempo instigante.
    Benicio Del Toro como Dr.Gonzo (Acosta) e Johnny Depp como Duck ( Hunter S) interpretam a dupla “aventureira”.
    Tem a direção caótica do Terry Gilliam (Monty Python).
    Hunter S e Dr Gonzo são personalidades interessantes de conhecer.
    Curiosidade:
    Existe o documentário “The Rise and Fall of the Brown Buffalo”…sobre a vida louca do advogado Oscar Zeta Acosta (Dr Gonzo).
    Dirigido por Phillip Rodriguez…o filme foi produzido pelo ator Benicio Del Toro.

    1. Rubens Leme

      Eu tenho os 3 livros do Hunter – Hell’s Angels, Medo e Delírio em Las Vegas e Rum: Diário de um Jornalista Bêbado – e passam longe de ser dos meus favoritos. O melhor é Medo e delirio.

      O filme é bacana, talvez mais suportável do que o romance.

  33. Evaldo Aparecido Moreira

    Boa tarde
    Magnífico levantamento do prontuário de Rafael Nadal , impressiona que desde 2004, esse rapaz convive com as lesões .
    Se ele não fez cirurgias , então o que ele fez para se recuperar , por exemplo em 2012, com aquela ruptura , só pode ter feito despacho , não tem outra explicação , ou o diagnóstico foi errado ou o tal despacho kkkk, brincadeiras a parte, esse rapaz é um lutador , o maior competidor de todos o que vi jogar.
    Boa sorte , Deus abençoe e que tenha uma excelente recuperação , o mesmo para Federer, que ambos voltem e saudáveis 🙌👍

  34. Carolina

    Comentei no post anterior que estava surpresa com a Teichmann nas semifinais de Cincinnati, mas acabei de ver que ela também jogou semis em Dubai e Adelaide este ano.

  35. Guilherme Castro

    Com todas essas contusões ter atingido o nível que atingiu e conquistado o que conquistou, imagina se tivesse uma carreira saudável.
    Em 2012 ele fez o tratamento com PRP.

  36. WALDIR DOS SANTOS

    isso é consequencia do que a jurista francesa falou sobre ele…todo turbinado….e foi processada…adivinha quem ganhou, ganha uma bala de menta….hoje paga…………..assim é o turbinado que levou anos se aplicando….quando para é dor no pé, ombro, quadril, pescoço, costa, até bilimbau…a mulher dele tá com problema. salve.

  37. Hemerson

    Beleza, força física, eficiência, inteligência, velocidade, constancia, durabilidade são vários critérios que associamos às atividades humanas, podendo abrir um leque ainda mais completo. Fico lendo as torcidas de nossos colegas por um ou outro tenista e acho até legal mas tem momentos que beira a falta de educação. Um corredor de 100 mts rasos pode ser o que for, o único critério avaliado é ” em que lugar ele terminou a corrida” Se corre bonito , se bateu o record ou se chegou 10 metros na frente não são critérios que o colocam no pódio. No tenis temos ” Ns” critérios de interesse, sendo o mais importante o vencedor, da partida, do campeonato, do ranking anual, sequencial, quantidade de pontos. E por outro lado não deixa de ter valor a plasticidade, efeitos utilizados em momentos capitais do jogo, controle emocional, simpatia ou antipatia e assim por diante. O que quero dizer é que o jogo é um esporte para ser apreciado, é como uma refeição, cada um gosta de critérios diferentes, não dá para ficar brigando se churrasco com cerveja é melhor ou não do que queijos e vinho. E vamos torcer e muito para que a geração entrante consiga formar pedras raras como as que temos visto há alguns anos.

  38. Rubens Leme

    Dalcim, deixe eu te fazer um convite: estou reativando meu site de música – vou expandir para cinema e livros, embora as duas pessoas convidadas tenham desistido, então preciso encontrar outras para as respectivas sessões – e vou criar uma sessão de podcast.

    Um desses podcasts (já montei mais de 10) será uma brincadeira: músicas e profissões. Assim, estou escolhendo gente de várias áreas e com bom gosto musical, para me dizer que tipo de música curtem ouvir enquanto trabalham ou para relaxar durante o dia.

    Como você é jornalista e tenista-amador, pensei em te convidar. Assim, se topar, me diga que artistas gosta de ouvir enquanto escreve ou durante o aquecimento antes de uma partida. Ajudaria se escolhesse músicas específicas (pode ser uma, duas, três, quatro, cinco etc), ao invés de citar apenas Led Zeppelin, por exemplo. Quanto mais músicas, melhor, aliás.

    Aceita o desafio?

    1. Rubens Leme

      Mandei esse pedido para umas 40 pessoas, profissionais de várias áreas, como músicos, terapeutas, pintores de parede, pedreiros, advogados, professores do ensino infantil e superior, médicos, advogados, jornalistas, escritores etc. Tá muito divertido ler as respostas: tem desde Chiclete com Banana e Bezerra até Paul Mauriat, Ray Conniff, Ennio Morricone, Elis, Beatles, Gil, Caetano, Chico, U2, Celine Dion, Enya, Rolling Stones e até Nelson Ned!

      Dependendo do resultado, talvez eu faça programas por profissões ou separe por categorias, porque preciso ver como juntar toda essa gente desconexa (embora Celine Dion eu vá descartar…rs).

      Assim, convido também Periferia, Marcílio, Vitor Hugo, Miguel Tyson, Marcão, Yoh, Rafael, Rodrigo, Filipe, Sérgio, Bel Grado, Marcelo Costa, Gildokson, Oswaldo E. Aranha e Ronildo, caso queiram participar.

      Basta me dizer apenas suas profissões, ainda que estejam aposentados. Neste caso, podem até falar o que costumavam ouvir antes e hoje, caso tenham mudado de gosto.

      Vale qualquer estilo: rock 50, 60, 70, 80, 90, 2000, jazz, mpb, tropicalismo, chorinho, tango, forró, afrobeat, reggae, bossa nova, samba, rumba, soul, funk, punk, heavy metal, blues, clássica, folk, celta, caipira, new age…

      E, fique tranquilo, Bel Grado: não precisa me revelar se é Bruce Wayne, Clark Kent, Elvis Presley ou o Coelhinho da Páscoa. Sua identidade secreta continuará sendo apenas sua, embora desconfie que seja a Formiga Atômica.

        1. IMarcílio Aguiar

          Leme, a propósito há alguns anos eu escrevi duas “crônicas ” e uma poesia em que a música está presente. Uma das crônicas é sobre um tema musical associado a personagens da historia e a outra é sobre a música ser minha parceira fundamental num tempo em que viajava com frequência para o Vale do Ribeira.

      1. Periferia

        E complicado…ouço coisas tão diferentes…
        Apenas pare exemplificar…
        Essa semana estou ouvindo Acabou Chorare dos Novos Baianos (estou estudando as letras do disco…apesar de ter descoberto as cordas do Pepeu Gomes).
        Algumas semanas atrás foi Sobrevivendo no Inferno do Racionais (também por causa da letra).
        O interesse está nas letras…
        Melodicamente ouço sempre a mesma coisa.
        Simon & Garfunkel (o show do Central Park…discordo de vc…acho o show ao vivo mais perfeito que já assisti (ouvi)…muito melhor que qualquer álbum de estúdio deles…uma banda espetacular acompanha os caras…quase ninguém lembra da banda…rs…deve ser por isso que ficam no fundo…rs)….
        Gosto do Eagels (apenas da fase inicial com o Bernie Leadon na guitarra…tem uma pegada country que gosto muito e foi perdido com a saída dele…a banda acabou virando uma máquina de fazer dinheiro…mas sem alma).
        Pink Floyd e Dark Side…(ouvi dezenas de vezes).
        Engraçado que gosto muito de samba (fundo de quintal)…mas não ouço…eu canto (só no refrão para não assustar os amigos)….toco Timba…fui olhar meu “acervo” (não leve a sério o “acervo”…rs) e quase não tem nada de samba ( percebo que o registro é oral no caso do samba…canto com meu filho coisas que sempre cantei…).
        Eclético…para não dizer confuso musicalmente ..rs

        1. Rubens Leme

          Acabou Chorare é meu disco favorito dos brasileiros, simplesmente perfeito.

          Ótimo que seja eclético. Escolha as músicas que mais lhe emocionam.

          1. Periferia

            Segue a trilha sonora da Periferia…

            Gabriel’s Oboe (Morricone)…penso melhor ouvindo ela…uma das coisas mais perfeitas que conheci…como arte.

            Dammi tu forza…de La Traviata (Verdi) faz lembrar alguém muito importante (Dona Geralda).

            Periferia é Periferia (Racionais)…autoexplicativa.

            Take It Easy (Eagles) quando estou em movimento…ouço sempre.

            As Rosas não Falam (Cartola) tem o verso mais bonito que já ouvi…
            “Queixo-me às rosas
            Mas que bobagem
            As rosas não falam
            Simplesmente as rosas exalam
            O perfume que roubam de ti ”

            The Boxer (Simon & Garfunkel)…das músicas deles é aquela que mais tenho identificação (pertencimento a um lugar).

            Madalena do Jacu (Martinho da Vila) indispensável em uma roda de samba.

            Strange Fruit (Billie Holiday)… resistência…luta constante…serve para lembrar quem somos.

            Chico Mineiro (Tonico e Tinoco)…meu pai cantava…quando bebia…desafinadamente.

        2. Marcilio Aguiar

          Caro Peri, esse show do Simon & Garfunkel é um dos meus preferidos. Tenho em vinil, CD e DVD. Acho ao vivo também melhor que os de estúdio e como você falou da banda é extraordinária. A faixa “Late in the evening” é nitroglicerina pura.

      2. Marcilio Aguiar

        Leme, eu gosto dos mais variados estilos de musica, do pop ao clássico, jazz, bossa nova, MBP e até o brega, por isso fico tentado a poluir o espaço.

        Sou romântico incorrigível e a maioria que me vem à cabeça agora são nesse diapasão. Daqui a uma hora, talvez sejam outras:

        Canções que a qualquer momento me emocionam e eu considero definitivas:

        1)Canção do sal – Elis (Milton Nascimento);
        2) Someone to watch over me – Ella Fitzgerald (Gershwin);
        3) How deep is the ocean – Chet Baker (não sei quem é o compositor);
        4) I Love You More Than You’ll Ever Know – Amy Winehouse (Donny Hathaway);
        5) Beatriz – Milton Nascimento (Edu e Chico);
        6) Blue street – Blood Sweat and Tears;
        7) Memories – Barbra Streisand (Andrew Lloyd Weber?);
        8) Copo Vaio – Zizi Possi ( Gilberto Gil);
        9 ) Sweet memories – Ray Charles- A participação de Mary Ann Fischer nessa canção é uma de uma beleza impar;
        10) Scarborough fair – Simon and Garfunkel;
        11) I’ve got you under my skin – Sinatra (Cole Porter);
        12) I love Paris – Ella Fitzgerald (Cole Porter).

        Mais algumas aleatórias de estilos variados:
        1) A day in the life – Beatles;
        2) Hurricane – Bob Dylan;
        3) Vou deitar e rolar – Elis (para mim, um dos melhores sambas já feitos);
        4) Espelho – João Nogueira (outro samba extraordinário);
        5) Tema de abertura de “Taxi Driver” – Tom Scotty;
        6) O Cantador – com Vitor Assis Brasil;
        7) American Pie – Don Mclean;
        8) Siri recheado e o cacete – João Bosco e Aldir Blanc – monstros da MPB;
        9) Choro Bandido – Edu e Chico (sem comentários).
        10) Retrato em branco e preto – a santíssima trindade – Elis, Tom e Chico.
        11) If – Bread;
        12) A great gig in the sky pink floyd e The Gunner’s Dream – Pinky Floyd.

        Se for para escolher somente uma, fico com “Retrato em branco e preto” pelo que o trio Elis, Tom e Chico representa para a grandeza da MPB.

        Para encerrar, o Terceiro movimento da 9ª Sinfonia de Beethoven é o mais sublime que ouvi em termo de musica até hoje (se não me engano está na trilha de Ironweed).

      3. Marcilio Aguiar

        Leme, eu gosto dos mais variados estilos de musica, do pop ao clássico, jazz, bossa nova, MBP e até o brega, por isso fico tentado a poluir o espaço.
        A minha formação é Tecnólogo em Construção Civil, mas trabalhei em Banco a vida inteira.

        Sou romântico incorrigível e a maioria que me vem à cabeça agora são nesse diapasão. Daqui a uma hora, talvez sejam outras:

        Canções que a qualquer momento me emocionam e eu considero definitivas:

        1)Canção do sal – Elis (Milton Nascimento);
        2) Someone to watch over me – Ella Fitzgerald (Gershwin);
        3) How deep is the ocean – Chet Baker (não sei quem é o compositor);
        4) I Love You More Than You’ll Ever Know – Amy Winehouse (Donny Hathaway);
        5) Beatriz – Milton Nascimento (Edu e Chico);
        6) Blue street – Blood Sweat and Tears;
        7) Memories – Barbra Streisand (Andrew Lloyd Weber?);
        8) Copo Vaio – Zizi Possi ( Gilberto Gil);
        9 ) Sweet memories – Ray Charles- A participação de Mary Ann Fischer nessa canção é uma de uma beleza impar;
        10) Scarborough fair – Simon and Garfunkel;
        11) I’ve got you under my skin – Sinatra (Cole Porter);
        12) I love Paris – Ella Fitzgerald (Cole Porter).

        Mais algumas aleatórias de estilos variados:
        1) A day in the life – Beatles;
        2) Hurricane – Bob Dylan;
        3) Vou deitar e rolar – Elis (para mim, um dos melhores sambas já feitos);
        4) Espelho – João Nogueira (outro samba extraordinário);
        5) Tema de abertura de “Taxi Driver” – Tom Scotty;
        6) O Cantador – com Vitor Assis Brasil;
        7) American Pie – Don Mclean;
        8) Siri recheado e o cacete – João Bosco e Aldir Blanc – monstros da MPB;
        9) Choro Bandido – Edu e Chico (sem comentários).
        10) Retrato em branco e preto – a santíssima trindade – Elis, Tom e Chico.
        11) If – Bread;
        12) A great gig in the sky pink floyd e The Gunner’s Dream – Pinky Floyd.

        Se for para escolher somente uma, fico com “Retrato em branco e preto” pelo que o trio Elis, Tom e Chico representa para a grandeza da MPB.

        Para encerrar, o Terceiro movimento da 9ª Sinfonia de Beethoven é o mais sublime que ouvi em termo de musica até hoje (se não me engano está na trilha de Ironweed).

        1. Rubens Leme

          Marcílio, adoro Someone to watch over me com a Ella. Essa música rendeu uma ótima cena em Mr. Holland, Adorável Professor, quando a garota principal começa a cantar sorrindo e professor para e diz que ela não pode estar sorrindo e pergunta se ela não leu a letra. Ela disse que nunca prestou atenção nela e ele explica que ela esta sofrendo, sozinha e por issso precisa de uma expressão facial igual.

          Adoro este filme porque tem umas 4 cenas maravilhosas. Outra é quando ele fica sabendo que vai ser pai e se mostra meio decepcionado, a esposa corre por quarto chorar e ele vai atrás e compara a notícia com a primeira vez que ouviu Coltrane que, por sinal, será o nome do filho dele.

          E agradeço a lista imensa, será muito útil.

      4. Rafael

        Obrigado pelo convite, Leme. Sou formado em Letras, com especialização em Tradução e Interpretação e trabalho na área de versões técnicas – português para o inglês e espanhol para o inglês – com ênfase na área jurídica, especialmente contencioso.

        Em música, sou muito eclético, mas não consigo ouvir música quando estou trabalhando (não me concentro).

        De qualquer forma: Somewhere I Belong (Linking Park), When Tomorrow Comes (Eurythmics), Sympathy for the Devil (Rolling Stones), I still haven’t found what I’m looking for (U2), Living on a Prayer (Bon Jovi), My Way (Frank Sinatra), Glory Days (Bruce Springsteen), Stop Crying your Heart Out (Oasis), My Adidas (Run DMC), Até quando esperar (Plebe Rude), Fogo (Capital Inicial), Será (Legião), Dreams (Van Halen), Loud (I wanna hear it) – Kiss, etc ad infinitum…

        Meu problema é com horários. Nunca sei quando vou estar ocupado, mas estamos aí.

      5. Marcelo Costa

        Música faz parte da minha vida, desde pequeno ouvindo Roberto Carlos domingo de manhã na rádio América AM. Então será um prazer e uma honra, sou representante comercial, e isso faz com que eu dirija muito e óbvio que o rádio faz parte do trajeto.
        Mas sendo prático 4 músicas que mexem comigo:
        Edith piaf – Non, je ne regrette rien, vi o espetáculo de Anne Carrere, e no teatro fui as lágrimas.
        Maysa matarazzo – Ne me quitte pas, quero um mundo onde o amor seja rei, o amor seja a lei, e você a rainha.
        Chico Buarque e miucha – sem fantasia, ode ao amor supremo
        Claudia – deixa, Ivan lins pleno na letra, e uma voz que rivalizou com Elis.
        Espero poder ter contribuído, obrigado mais uma vez pela oportunidade.

      6. José Yoh

        Oi Leme, comigo é assim:
        Se eu preciso de concentração para trabalhar escuto Mozart.

        Se é algo que consigo fazer no automático, escuto qualquer pop ou rock. Quando digo qualquer é qualquer mesmo, meu gosto musical não é muito apurado, rs. De Abba a Zappa.
        Abraços

      1. Rubens Leme

        Se o pessoal citado quiser colocar aqui suas canções, agradeço. Como estou pensando em separar por profissões ou áreas, apenas me digam as suas. Quando eu fizer o podcast mandarei o link. Vai ser divertido.

        1. Bel Grado Fa

          “O Bel Grado Fa” é um fake profissional, hater, que tem o sonho de se tornar no futuro um “digital influhater'” (uma espécie de digital influencer que critica algo). Profissão muito comum hoje em dia. E ele não curte muita música não.

          Mas o ‘corpo que ele habita” é aposentando e Segurança noturno de Condomínio, por isso ele consegue comentar algo, entre uma ronda e outra na madrugada.

          E MUITO CUIDADO, Rubens Leme, pois ele pode ser o guarda noturno de qualquer um dos condomínios que os senhores habitam! Já pensaram num “Psico” destes a solta dentro de teu condomínio???

          Gosto musical dos Psicos: MPB, sambas anos 70, rock 70/80, Pop anos 80. Música favorita: “Music of the Night”, na voz de nosso querido Ramin Karimloo

          1. Rubens Leme

            Meu caro influehater, eu não moro em um condo, mas em uma casa junto com meus cães e muro bem alto. Porém, se o Psico pular aqui, será fatiado e servido como almoço para as crianças pela semana toda. E com o preço da ração nas alturas…

          2. Gustavo

            Rubens, vc mora em uma casa com teus cães… E a tua esposa?? Vc já disse mais de uma vez que é muito bem casado.
            Kkkkkkk

        2. Bel Grado Fa

          Aqui em casa temos 8. Sao todos resgatados de maus tratos. Mas como já eatão velhinhos, se pulasse o muro, o máximo que vai conseguir é ganhar umas lambidas e um convite deles para um jogo de dominós ou bocha!

          E devido a idade, nenhum de nós pula muros.

          1. Rubens Leme

            Os meus são todos de rua também. Eram 9, mas uma morreu velhinha, outra veio muito doente. Resgatei uma grávida de enchente, no dia seguinte a levei pra fazer ultrassom e assim que chegamos do exame, ela começou parir. Deu 3 filhotes, todos continuam conosco. Hj ela luta com um câncer desde 2018, a médica disse que já deveria estar morta, mas segue forte. Os filhotes são fortes como o Nadal aos 19 anos

            São 7, no total. Coisa melhor não há.

  39. Ruy Machado

    Não há como negar que os maiores adversários de Rafa, ao longo de sua gloriosa carreira, foram as lesões… O defeito congênito no pé esquerdo, com certeza, refletiu nas demais lesões que ele teve. Até porque, instintivamente, nós defendemos a região do corpo que nos incomoda ou que sentimos fragilizada. Não tenho dúvida de que ele seria o maior vencedor de GS da história do tênis, caso seu corpo não tivesse sofrido tanto. Ao menos, uns 10 GS ele pulou, fora aqueles que se machucou no decorrer deles. Só espero que ele se recupere e consiga fazer uma temporada digna em 2022. Desnecessário jogar todos os torneios da gira de saibro. Está na hora de colocar isso na cabeça. Se cuidar para os 4 GS, alguns Masters 1000 e, talvez, o Finals.
    Bom fds a todos.

    1. Bel Grado Fa

      Aqui a mais velhinha é cardíaca e demanda cuiddos e remédio de uso continuo. Deve ter a idade Matusalém. Outro possuem marcas remanescentes de amarras no focinho, e um terceiro foi reagatado com um scalp corrwndo pela rua e um olhp fora da orbita (acreditamos q alguem q resgatou nao pagou a conta e um veterimario soltou. Os demais.. sao animais nao adotaveis (seja pela confusao que causam, ou por serem animais ferais (reagatados ja num periodo onde a baixa interaçap com humanos na fase i fantil os impede de ter uma interaçao maior com humanos). Sao todos castrados (e financiamos aqui em casa a castracao de aprox. 10 animais de rua por mês). Sofremos recentemente com o envenenamento de um cao problematico por vizinhos, e pela doença deles (quase a totalidade dos animais reagatados sao contaminafos pela doença do carrapato, e ela insiste em reaparecer toda vez q cai a imunidade deles).

      Já perdemos alguns também. E foi um trauma, mas o conhecimento adquirido nos ajudou a cuidar melhor dos que restaram.

      Já tivemos uma ONG que tratava do tema, mas ela foi encerrada, pois o ego e a vontade de crescer politicamwnte de alguns sobrepõe ao senso de ajuda.

      E hj somos felizes fazendo o trabalho sozinhos (divulgacao para adocao, uso da rede para resolver problemas de outros protetores).

      E peço desculpas, mas quanto mais conhecemos o que sofrem os cães e o que ê feito com eles por tutores e pessoas q se dizem amigps dos proprios, mais queremos ficar anônimos e tomamos mais distancias de pessoas neste mundo.

      1. Rubens Leme

        Bel Grado, te entendo perfeitamente. Minha esposa e eu ajudamos mensalmente animais que precisam de cirurgias ou remédios. A minha com câncer toma um caríssimo – comprei ontem mesmo, 1300 reais – fora outros que custam mais 600. E é apenas uma delas. Nós fizemos até parte de um projeto, mas tambem saimos pelos mesmos motivos da sua ong.

        Até um gatinho recém nascido jogaram na minha garagem para meus cães o pegarem. O salvei, cudei depois arranjei um lar, porque aqui não teria como. Essa minha cadela com câncer até voltou a produzir leite parra amamentá-lo. Sofro demais vendo animais maltratados e sempre coloco água, ração na porta de casa e quando posso dou remédio para vermes. Aqui todos são vacinados contra raiva e infecções a cada 12 meses. O certo seria 6, menos a de raiva. mas como ficam dentro de casa o risco de doenças é menor.

        Eu sempre avalio uma pessoa por animais. Quando dizem que não gostam, fico longe.

    2. José Yoh

      Caro Ruy, sobre a teoria de que Nadal poderia ser o maior vencedor de slams se não se lesionasse:
      Penso que ele só é o maior vencedor de slams – ele já é um deles – porque levou o físico ao limite durante a temporada de saibro e reduziu participação nos outros slams e torneios. Senão acho que não conseguiria competir com essa idade e estilo de jogo. As lesões são uma constante em sua carreira então ele tratou de administrar isso, assim como fazem hoje Federer e Djoko.

  40. Rubens Leme

    Comecei o dia vendo o filme “mais chique” já feito sobre vampiros, The Hunger – Fome de Viver, de Tony Scott e estrelado por David Bowie, Catherine Deneuve e Susan Sarandon, totalmente anos 80, com a abertura trazendo uma apresentação ao vivo do Bauhaus, uma das mais célebres bandas góticas e influenciada por Bowie, a começar pelo cantor Peter Murphy, fisicamente parecido com o camaleão.

    As cenas de vampirismo, de sexo, de violência… tudo extremamente estilizado, elegante. O falecido Tony Scott, irmão mais novo de Ridley Scott, foi diretor de poucos e icônicos filmes da época: Top Gun, Dias de Trovão (estes dois com Tom Cruise), o excelente Amor à Queima Roupa (com uma cena antológica entre Christopher Walken e Dennis Hopper) e o tenso Estranha Obsessão (quem gostaria de ter um stalker como Robert de Niro?).

    Estes dois últimos e Fome de Viver são encontrados neste box – https://www.amazon.com.br/dp/B099656MDW?psc=1&smid=A2G09YDNDZZYNJ&ref_=chk_typ_imgToDp.

    Programão.

    1. Rafael

      Leme,

      Já baixei Amor a Queima Roupa e verei hj antes de dormir. Adoro Christopher Walken e praticamente tudo que ele faz. Um dos melhores atores que já vi.

      Obrigado pela dica.

        1. Rubens Leme

          A cena da tortura entre os dois é o ponto alto. Walken conta no programa Inside the Actor’s Studios que o diálogo foi absolutamente inventado na hora. um olhou para o outro e soltaram as frases. Você via claramente que estavam se divertindo. O filme é pesado, violento e pega o auge da beleza da Patricia Arquette.

    2. Periferia

      Fone de viver é surpreendente…surpreendente por ter sido realizado por um diretor de comerciais de televisão (o filme é muito bom…e fica melhor com o tempo).
      Muitos o conhece o diretor por Chamas da Vingança…Déjà Vu…Incontrolável…Sequestro do Metrô…todos com Denzel Washington (era o diretor exigido pelo astro para seus filmes).
      O título da música do Bauhaus é muito boa…tudo a ver com o clima.

      “Bela Lugosi Is Dead”

      1. Rubens Leme

        Esse do metrô é a refilmgem do filme de mesmo nome de 1974 (https://www.imdb.com/title/tt0072251/?ref_=nm_knf_i2), com o Martim Balsam, Robert Shaw e o grande Walter Matthau. Tem no prime e toda semana eu o revejo, porque acho sensacional.

        Tony Scott realmente surpreendeu com Fome de Viver. Sobre Bela Lugosi deixe eu contar uma história. Quando morava em SP, tinha uma galeria na Av Paulista, a mesma onde fica a Rádio Jovem Pan, em que eu ia quase todos os dias porque na vitrine de uma loja de discos o cara tinha um compacto de 12 polegadas, de Bela Lugosi, do Bauhaus. Era uma tortura conseguir aquilo (final dos anos 1980) e a loja só vendia pagode, sertanejo, mpb, o disco estava totalmente deslocado lá.

        Passei umas 10x e pedi pra comprar, o cara sempre negou porque era da coleção dele e tinha colocado ali só por conta do visual. Não queria nem papo comigo, até que um dia, ele precisava de uma grana na mão, urgente e aceitou me vender. Até hoje conservo a relíquia.

        1. Periferia

          Olá Leme

          Dei uma olhada na capa do disco do Bauhaus.
          Entendi porque o cara colocou na vitrine.
          Tem a imagem de um morcego expressionista.
          Tem uma assinatura nele…
          Será que era do Bela Lugosi ou era apenas o título do disco?

          1. Rubens Leme

            Eis sua resposta, Periferia: The sleeve cover art was taken from the 1926 film The Sorrows of Satan, directed by D. W. Griffith.

  41. Gildokson

    Realmente é incrível como Nadal nunca conseguiu jogar 2 temporadas inteiras consecutivas, o cara lutou a vida tda contra contusões e mesmo assim ganhou muito, imaginem se fosse saudável. Misericórdia!

  42. Marcilio Aguiar

    O interessante é que, declaradamente, os pés só aparecem como motivo de interrupção nos dois primeiros anos de carreira e agora em 2021. O estilo de jogo do Nadal sempre foi “pesado” com uso brutal do físico e não é de se estranhar que, a parte do problemas nos pés, tenha se machucado também nas costa e em todos as articulações possíveis (joelho, cotovelo, quadril, ombro e punho). É impressionante como ele conseguiu ter uma carreira tão longa e vitoriosa. Só posso atribuir a uma vontade monstruosa de competir que o fez ter a disciplina e dedicação para suportar tantas dores e tratamentos.

    O Thiem também é outro que joga de maneira muito “pesada”, parece que faz muita força para bater na bola. Aos 27 anos esta com a carreira em cheque. O problema atual parece ser psicológico, mas ele tem sofrido com problemas físicos nos últimos anos.

    Muitas carreiras de tenistas foram encerradas ou prejudicadas por problemas crônicos em determinada parte do corpo (ex: Delpo, Guga, Murray ), mas não me lembro de mais ninguém com histórico semelhante ao do espanhol.

    1. Periferia

      Olá Marcílio

      Bem apontado…interessante a questão de estilo no tênis… é um esporte que apesar da beleza e até mesmo da poesia…”detona” o físico do atleta…principalmente hoje em dia.
      Muitos falam sobre a longevidade…o desenvolvimento para o jogador ter uma espectativa de vida maior no esporte…
      E pouco se fala a desintegração física (não vamos nem tocar no problema mental…que também prejudica muito)…
      Associamos eles a animais (touro… leão…o próprio Djoko já disse depois de uma vitória…que se sentiu um animal).
      Um preço altíssimo será pago por essa geração…
      Lembraremos do leão…do comedor de fígado…do touro miúra…
      Mas será que os caras vão conseguir agachar para brincar com seus netos????

      1. Rubens Leme

        Brincar com os netos? Batistuta urinava na cama, porque sequer conseguia ir ao banheiro, aos 40 anos… leia essa matéria.

        “Deixei o futebol da noite para o dia e não conseguia mais andar. Todos os dias. Eu urinei na cama apesar do banheiro estar a três metros porque não podia me levantar”, disse Batistuta, em entrevista ao TyC Sports, em 2014.

        https://www.espn.com.br/futebol/artigo/_/id/6024349/idolo-argentino-batistuta-segue-com-seu-drama-o-que-mais-espero-e-nao-ter-dor-quando-estou-sentado

  43. Maurício Luís *

    Esses esportistas de alto nível acredito que a maioria vive sob efeito de analgésicos. Acontece que analgésico, por ser medicamento alopático, tem efeitos colaterais e só mascara o problema. Então, não sei se compensa.
    ” As pessoas perdem a saúde tentando ganhar dinheiro, e depois gastam o dinheiro tentando recuperar a saúde”.

  44. Paulo César

    Maior rivalidade da história do tênis: Rafa x Djoko. O equilíbrio, a quantidade e, principalmente, a intensidade da disputa não deixam dúvidas.

  45. Rubem Corveto

    Rafael Nadal e Roger Federer são os grandes tenistas que tem maiores seguidores e fãs, embora atualmente Djokovic esteja melhor e deva ultrapassar os dois em números e estatísticas, mas nunca na beleza e emoções .
    Tive muito prazer em assistir ao Rafael Nadal com suas mãos manias e toques aflitos nos jogos do Rio Open que veio ao Rio de Janeiro, incluindo a derrota para o fantástico Fognini num jogo memorável – só superado em emoções naquela batalha da Olimpíada do Rio em que o Del Potro derrotou o Djokovic no melhor jogo que já assisti ao vivo!
    Mas Nadal já fez história pelo menos como o melhor do Saibro de todos os tempos!

    1. Luiz Fabriciano

      Interessante, no primeiro parágrafo, Djokovic não se compara à Federer e Nadal em beleza e emoções.
      No penúltimo, um jogo cheio de emoções e o melhor jogo já visto (ao vivo). Tinha o sérvio em quadra.

  46. Rafael

    O Nadal realmente é vítima do próprio corpo, mas é fruto do seu estilo de jogo de força e raça! Espero que se recupere para, ao menos, ter uma ótima temporada no saibro. As semis de cincy estão fantásticas. Os 4 que melhor representam a next gen. Acredito numa final medvedev x zverev, concorda mestre?
    E a Luísa, hein? Fantástica!!

  47. Miguel BsB

    Que isso, Luiza tá voando e já acho correto colocar a sua dupla como uma das favoritas ao USOPEN.
    Alías, não vejo ela desfazendo essa parceria com a canadense tão cedo, dado o grande sucesso e entrosamento que estão adquirindo.
    Vai sobrar pra americana..

  48. Miguel BsB

    Parabéns pelo levantamento Dalcim! Rafa já lesionou praticamente todo o corpo, dos pés a cabeça (a voz continua a mesma, mas os meus cabelos…) rs
    Espero que consiga fugir do cotovelo de golfista quando deixar o tênis e entrar de vez nas competições de golfe…

  49. Rubens Leme

    Rapaz, faz quase 20 minutos que estou rolando a bolinha do mouse no canal Stingray e não acaba a quantidade de shows espetaculares para assistir. Acho que tem mais concertos lá do que filmes em todo o prime. Que loucura, bicho!

  50. Marcelo Barros Pereira

    Excelente esse “prontuário” do Nadal. Parabéns. Digno registro das superações permanentes que os 4 grandes vivem dando de exemplo. Haja “resurfacings”! Só senti falta do registro daquela contusão nas costas que quase obrigou o espanhol a desistir da partida, no meio da Final do AO 14′, contra Wawrinka. Se não me engano, ele só voltou a jogar no Rio Open, onde se saiu campeão, mas sabe-se lá a que custo.

  51. Sérgio Ribeiro

    E essa incrível lista de lesões de Rafa Nadal nos faz pensar como o Touro Miura conseguiu jogar em altíssimo nível durante tanto tempo. Um exemplo de amor ao Esporte como pouco se viu . Alguém duvida que ainda tentará o SLAM 21 em RG na provável última temporada ? . Eu tenho certeza e fico na torcida . A rápida Cincy não deu chances a Zebras , a lá Opelka, e sem dúvidas a bolinha vai andar muito com a Nova geração dos TOPs . Favoritismo absoluto de MEDVEDEV contra seu jovem compatriota , e ligeiro favoritismo do Campeão Olímpico contra Grego . . E o h2h ? Este fica por conta de alguns membros da Turma da Kombi rs . Acredito que N 1 se estivesse presente teria sua revanche contra Alexander Zverev . Foi apenas adiada para o USOPEN 2021 . A conferir. Abs!

    1. Sérgio Ribeiro

      Ps . Na WTA fico na torcida pelo arsenal completo da N 1 . BARTY mesmo quando não tão inspirada enche os olhos. Abs!

      1. Miguel BsB

        Realmente Sérgio, o tênis da n 1 enche os olhos como o de pouquíssimas outras…
        Inclusive, to assistindo agora Barty X Kerber.
        A alemã me enche os olhos por outras qualidades…rs
        Que par de olhos e de pernas!

      2. Sérgio Ribeiro

        Jogadores ainda em formação fazem todos queimarem língua . Jamais Rublev tinha vencido MEDVEDEV . E o fez com menos WINNERS e mais ENFs . O que é que vou dizer lá em casa … rs. Abs!

  52. Rubens Leme

    E o governo grego deu uma cala a boca bonito no Tsitsipas sobre as vacinas. É isso mesmo, se não vai ajudar, não atrapalhe falando asneiras. Aliás, está na hora dos torneios obrigarem os tenistas a mostrarem um comprovante de vacinação para disputar os jogos. Indian Wells fará isso.

    Negacionistas que fiquem em casa, de preferência lendo e se informando sobre a pandemia, ao invés de viajarem livremente dando declarações esdrúxulas.

    1. Geailton

      Sim. Lendo nas midias que negavam tratamento precoce, onde já existem estudos da sua eficácia. Os “convictos” na ciência são os verdadeiros gados, pois negam um dos princípios da própria ciência (ela não é imutável). A “ciência” recente dizia que 2 doses eram suficientes, que não haveria risco de morte. Os resultados estão aí, com aplicação de doses extras em muitos casos. Os mesmos que cegamente criticavam os que eram contra, não moral pra falar, e pelo jeito, nem vergonha. Pior é essa gente se achar culta.

      1. Gustavo

        Geailton, vc deixar a porta de casa trancada tb não impede que roubem. Deixa a porta aberta então. Teu time jogar com goleiro não impede que tome gol. Pede pra jogarem sem goleiro. Vc usar muita roupa não garante que não vai sentir frio. Então anda de sunga no meio da neve.

        Gente que quer se recusar a tomar a vacina deveria ser condenada criminalmente, não sei pq ainda não tipificaram essa conduta

        Por mim a pena devia ser jogar a pessoa no meio do oceano

  53. Sandra

    Dalcim , com certeza acho que os problemas físicos de Nadal realmente existam e claro que são graves , até porque ele joga muito em função do físico , dito isso faço minha pergunta , ele sempre que perde alega problema físico, será que é a forma dele não aceitar a derrota? Será que sem problemas físicos ele seria imbatível ?

    1. Sérgio Ribeiro

      Todos têm problemas, cara Sandra . Hoje seu Treinador afirma que no Saibro e’ bastante suportável, apontando para uma presença quase certa em RG 2022 . Ninguém seria imbatível com a presença de Roger e Novak por mais de década no Circuito. Principalmente na Grama e nas duras indoor . O Touro Miura parece fadado a terminar a carreira Zerado no ATP FINALS . Abs!

    2. Luiz Henrique

      Cara Sandra, esse problema do pé do Nadal é congênito, não tem a ver com estilo de jogo
      Inclusive ele poderia ter parado de jogar aos 19 anos
      Acho que tanto ele como família, equipe, e os fãs tb devem, é ser muito gratos que de alguma forma ele tenha conseguido esse “bônus” de 16 anos a mais de carreira
      O mais importante agora é que ele consiga ter uma vida saudável quando parar, pq a vida é muito mais que a carreira apenas

  54. Rubens Leme

    Pois é, parece claro que já fez cirurgias e essa do pé não vai passar com massagem, shiatzu, remédios e repouso somente. Alás, é incrível que tenha uma carreira de quase 20 anos com tantos problemas físicos e praticando um jogo tão exaustivo do ponto de vista físico. Cada bola que ele bate parece desprender uma carga imensa de esforço, maior do que os rivais.

    Por que será que tem medo de admitir cirurgias? Se até o Federer fará a quinta nos joelhos, por que ele náo pode admitir o mesmo?

    1. Gustavo

      Não sei, mas o que eu queria saber mesmo é porque vc e alguns, incluindo o próprio dono do blog, tem medo de admitir que não sabem nada de medicina e ficam fazendo insinuações malucas.

  55. Bel Grado Fa

    E o “little 4” estará completo nas semis de Cincinatti.

    Interessante esta frase, onde o “terceiro grande nome”, que no caso se refere ao Nadal, se junta a Federer e Thiem (que imediatamente se supõem sejam os outros dois grandes nomes), não vão disputar o USOpen.

    Pois eu também concordo que “grandes nomes” sejam apenas estes mesmo. Devemos deixar de fora da lista dos grandes nomes os negacionistas e os que pregam que não devemos tomar vacina. Também devemos deixar de fora da lista de “grandes nomes” os que atiram raquetes para todos os lados (mesmo que seus excelentes resultados digam o contrário).

    Aliás, li em outro site especializado que Djoko busca por mais um recorde no tênis: trata-se do “UnsportsmanlikeSlam”. Para alcançá-lo, o Sérvio deverá realizar uma atitude antidesportiva de alta visibilidade em cada um dos GrandSlams.

    A importante publicação também dizia que ele busca pelo raríssimo “GOLDEN UNSPORTSMANLIKE-SLAM” (que é quando um tenista consegue ter uma atitude antidesportiva em cada um dos GrandSlams + uma atitude antidesportiva nas Olimpíadas).

    Seria um feito e tanto para os anais deste fantástico jogador Sérvio!

    1. Nei costa

      Nada que se compare a vencer RG passando por Nadal e ganhar Wimbledon depois do adversário sacar em 40-15 pra fechar o jogo. Aliás a cara do adversário sentado na cadeira esperando pra receber o bandeijinha de vice é de dar pena.

  56. Majô

    Dalcin,muito bem feita essa ficha do Nadal.Mas o que me assusta é que com todos esses problemas fisicos e abandonos, ele tem 20 Slans e um monte de títulos. E com isso ,demonstra o que é ser Rafael Nadal.Saudades dos duelos com o Federer.Voltando os dois e bem ,poderiam vencer mais um Slan.Federer Wimbledon e Nadal Roland Garros.Depois um belíssimo jogo de despedida entre ambos seria um privilégio.

  57. Vitor Hugo

    Quando a gente fala em Federer não tem como não falar de Rafa. Os dois são os tenistas mais populares, que mais enchem estádios e atrem mídia, além de serem dois dos maiores vendedores da história, e somado aos estilo antagônicos que tornam o jogo entre eles divertido e especial, forma a MAIOR RIVALIDADE DA HISTÓRIA DISPARADO! Depois vem Borg x Mac e confesso q não sei dizer qual a terceira…

    Bom, falando exclusivamente de Rafa, na minha opinião, fim da linha! Não vence mais slam!
    Ano q vem vai se despedir junto com seu maior rival, Roger GOATerer…

    1. Jorge Luiz

      Amigo, daqui a alguns anos ninguém vai lembrar que Federer era carismático ou que Nadal um guerreiro assim como ninguém lembra se Rod Laver era isso ou que o Borg era aquilo, o que fica para a posteridade são os números, as conquistas, então todos vão saber que o melhor de todos os tempos se chama Novak Djokovic, aceita e reverência o verdadeiro Goat

      1. Sérgio Ribeiro

        Na boa , amigo. Discurso de torcedor modinha . TODOS que amam esse maravilhoso Esporte ,sabem que Rod Laver e Bjorn Borg foram de longe os maiores em suas épocas . Esse discurso típico do face TênisBrasil já deu há muito rsrs. Abs!

      2. José Yoh

        Djoko será lembrado até surgir o próximo, que será num prazo relativamente curto pelo andar da carruagem de vários esportes.

        E ficará junto com Laver, Borg, Federer, Nadal e outros lá na prateleira da memória do pessoal de meia idade pra frente.
        Abs

Comentários fechados.