Federer chega aos 40 sem certeza do futuro
Por José Nilton Dalcim
8 de agosto de 2021 às 17:33

O domingo é de festa para Roger Federer. O mágico suíço completa 40 anos, um marco para qualquer atleta que ainda sonhe em se manter competitivo em qualquer modalidade. Mas só há incertezas sobre o futuro de Federer nas quadras. Com poucos jogos feitos nos últimos meses, quando enfim voltou a competir, ele anunciou desistência dos Masters de Toronto e Cincinnati, completando assim 22 meses sem competir nesse tipo de torneio. Ainda há futuro na sua magnífica carreira?

A estatística não é lá muito favorável. Desde 1981, apenas dois profissionais conseguiram vencer jogos depois de fazer 40 anos: Jimmy Connors ganhou oito partidas, somente uma delas de Slam (curiosamente sobre Jaime Oncins) e ganhou o último jogo em ATP aos 42 e 296 dias. Pouco antes, aos 41 e 241 dias, fez semi em São Francisco. Em Slam, realizou uma campanha memorável no US Open de 1991, aos 39 anos, quando chegou na penúltima rodada.

O outro é Ivo Karlovic, que ainda está em atividade, apesar de estar fora do top 200. Um mês depois de completar 40 anos, foi às oitavas de Indian Wells-2019. Poucas semanas atrás, aos 42 e 139 dias, passou uma rodada em Newport, que foi sua nona vitória em nível ATP como ‘quarentão’, três delas em Slam.

Claro que Federer é um fora de série. Chegou nas semis do Australian Open no ano passado aos 38 anos e cinco meses e ficou muito perto de quebrar a marca de Ken Rosewall em Wimbledon de 2019. O australiano ainda é o mais velho a ganhar um Slam, aos 37 e um mês, no Australian Open de 1972. Rosewall ainda atingiu semi da Austrália em 1977, aos 42 anos, outra marca que se mantém absoluta.

O problema é que Federer não é do tipo que pretende se manter no circuito para superar façanhas de longevidade. Ele quer sucesso mas, com duas cirurgias em cada joelho e um tênis mais físico do que nunca, é difícil imaginar que consiga plenitude muscular para superar sete rodadas em melhor de cinco sets.

De qualquer forma, Federer merece todos os parabéns, não apenas pelo aniversário como por sua resiliência e amor ao esporte, que o fazem ainda tentar voltar aos bons tempos.

Da rebeldia ao sonho realizado
O tênis sempre foi uma grande paixão para o pai Robert, que conta estar jogando um torneio de duplas no clube quando o segundo filho do casal nasceu a 8 de agosto de 1981. Aos 11 meses, o pequeno Roger já segurava uma bola de tênis aos três anos e meio de idade já empunhou uma raquete dentro de uma quadra. Era fanático em golpear a bola contra as paredes da casa, os armários ou o portão da garagem.

Robert lembra que o pequeno Roger não gostava de obedecer ordens, muito menos receber dicas na quadra. Seu primeiro ídolo foi Boris Becker, a quem viu vencer o primeiro Wimbledon aos quatro anos e ficou muito triste quando o alemão perdia jogos para Stefan Edberg, sueco que mais tarde acabaria treinador e grande amigo de Federer.

O temperamento forte do garoto trazia problemas à família. Ele faltava a treinamentos e levava a escola pouco a sério, estudando o mínimo para passar de série. Por fim, aos oito anos, passou a treinar no clube da Basileia, onde Marco Chiudinelli virou amigo inseparável. O primeiro professor foi Adolf Kacosky, que logo percebeu o grande talento do aluno, mas o menino continuava difícil de tratar e por algumas vezes foi mandado para casa. Adorava futebol, mas praticou também basquete e badminton.

Aos 11 anos, disputou seu primeiro torneio infantil e conheceu Severin Luthi, cinco anos mais velho. Mais importante ainda, o treinador australiano Peter Carter passou a trabalhar com o tênis suíço e se tornou o divisor de águas. “Ele aprendia muito rápido, principalmente vendo Becker ou Sampras”, revelou Carter antes do acidente automobilístico que o matou em 2002 e causou profundas cicatrizes em Federer.

A decisão de se dedicar totalmente ao tênis veio enfim aos 13 anos, quando aceitou integrar a equipe do centro nacional em Ecublens, separando-se da família. Federer lembra que foi um dos piores momentos de sua vida, ainda mais porque não sabia falar francês, e quase desistiu de seguir.

O sucesso juvenil viria em 1998, com o título em Wimbledon e do Orange Bowl e a final do US Open. Pouco depois, apareceu no top 100 do ranking profissional. O ano de 2001 seria por fim marcante, com o primeiro título de ATP em Milão, as quartas em Roland Garros e a histórica vitória sobre o ídolo Sampras em Wimbledon.

Havia muita pressão sobre quando viria seu primeiro troféu de Slam e por fim aconteceu também em Wimbledon de 2003, o que tiraria um peso das costas e o levaria a iniciar um longo e espetacular reinado. Ganhou o Finals daquele ano sobre Andre Agassi, faturou o Australian Open e chegou enfim ao número 1, cumprindo a meta que estabeleceu lá nos seus oito anos de idade.


Comentários
  1. Guilherme

    Dalcim, achei particularmente impressionante esse dado:

    “….Desde 1971, apenas dois profissionais conseguiram vencer jogos depois de fazer 40 anos….”.

    Apenas 2 tenistas profissionais num universo de milhares, em meio século de torneios profissionais, é realmente algo assombroso.

    A barreira dos 40 parece ser mesmo intransponível, uma “nota de corte”, digamos assim.

    Daí a minha pergunta: mesmo com a evolução da medicina esportiva, você acha plausível que algum dia tenhamos jogadores ganhando torneios nível ATP 500 ou 1.000 acima dos 40 anos? Ou a idade dos 40 realmente é um ponto de corte impossível de se ultrapassar para ganhar tais tipos de torneios?

    1. José Nilton Dalcim

      Nunca se pode dizer impossível, ainda mais com esses fenômenos aí, mas eu diria que realmente é muito difícil. Não é só a idade, mas o longo tempo de carreira, o desgaste de viagens e treinos. Normalmente, já se tem família, filhos. Então é uma barreira realmente difícil.

        1. José Nilton Dalcim

          Sim, o Rosewall ainda ganhou partida aos 45 anos, o que é o atual recorde do tênis profissional.

  2. joão baptista maria suzano giantaglia

    Você é e sempre foi o MAIOR e MELHOR de todos. Parabéns campeão. Será que veremos outro como você?
    Você é uma pessoa que passa correção, honestidade, familia a toda prova. Dos poucos uma pessoa de boa
    índole, um jogador de tenis sensacional. A quem veremos depois de você? Te amo cara.

  3. waldenyr caldas

    Seu comentário sobre o maior tenista que já vi jogar (Roger Federer) é absolutamente perfeito !!! Irretocável !!!

    Um texto muito inteligente e na mesma proporção, de uma simplicidade elucidativa maravilhosa !!!

  4. Gildokson

    Fedal ta moído, para mim esse pé do Nadal vem ruim desde RG, no meio do jogo ele sentiu bem e até tirou a botinha. Um chegou as 39, acho que o outro não vai chegar. Por enquanto só o Djoko parece estar “inteiro” rs

  5. Jonas

    Federer é teimoso, sempre foi. Deveria ter parado em 2019, tendo conquistado o maior título de sua carreira sobre Nadal e Djokovic. Mas parou no sérvio, da forma que foi.

    A derrota para Djokovic ainda o machuca demais, é certamente a mais dura de sua carreira.

    Essa é uma grande diferença entre o Big 3. Djokovic é soberano na Austrália, Nadal dispensa qualquer comentário em Roland Garros, enquanto Federer, apesar dos 8 títulos em Londres, é vice para Nadal e Trivice para Djokovic.

    Federer não está jogando só por amor ao esporte, como dizem alguns. Ele quer parar em bom nível, mostrar para o mundo que aos 40 anos ainda pode vencer um grande título. Mas isso só ocorre por causa daquele resultado há pouco mais de 2 anos. Deve ficar martelando na cabeça dele até hoje.

    Bom, eu não acredito que o suíço voltará a vencer Grand Slam. Pode até fazer uma graça, vencer algum masters 1000 ou 500, quem sabe.

      1. Sérgio Ribeiro

        Além de não ter conversado , como a maioria da Turma da Kombi , também é desmemoriado. Doeu tanto a derrota que Federer em seguida eliminou o Sérvio da briga pelo N 1 eliminando-o no FINALS 2019. Como Nadal caiu cedo para a Nova geração , Novak perdeu grande chance de se igualar a Pete Sampras . Teve que correr atrás de novo. Para eles isso não doeu , caro Gildokson kkkkkkkkk. Abs!

        1. Jonas

          Comparação absurda e sem sentido, pra variar.

          Federer eliminou o sérvio na fase de grupos do Finals e depois perdeu para Tsitsipas.

          A vitória do Djokovic foi em uma FINAL, em WIMBLEDON, salvando match point, fazendo de Federer seu TRIVICE.

          Mas vindo de você uma dessas não surpreende…

          1. Sérgio Ribeiro

            Postou bobagem como sempre , Jonas . Somente um fanático ao extremo pra não saber que Novak caso vencesse passaria para a Semi. E sem Nadal que já tinha caído. Tudo em cima para levar o Torneio. Deu ruim pois caiu feio para Federer. Rafa Nadal abriu um grande sorriso rs . Se o rapaz não sabe o ATP FINALS somente perde em pontuação para um SLAM . E uma simples vitória vale US $ 220.000, 00 e DUZENTOS pontos no Ranking , na fase de grupos. Novak não vence desde 2015 e está atrás do Recordista Suíço que possui SEIS conquistas. Rafa Nadal continua Zerado … Abs!

  6. Luiz Fernando

    Rafa desistiu, q me-da, essa contusão no pé não deve ser nada simples. A Cincy duvido q irá, tomara q a ao USO, mas tenho dúvidas. Djoko cada vez mais favorito em NYC…

  7. Rafael Azevedo

    Alguém aqui questionou a razão de existir torneio de duplas no circuito profissional de tênis, como se fosse apenas um refúgio para os derrotados (aqueles que não conseguem se firmar no circuito de simples).
    Hoje, Melo e Kubot venceram, NO TORNEIO DE DUPLAS, Humbert e Sinner. Tanto Melo, quanto Kubot, perderiam fácil uma partida de simples para os dois adversários. A vitória de hoje prova que a competição de duplas é um “outro” esporte, com técnicas e táticas vencedoras diferentes das da competição de simples.
    Logo, é totalmente relevante ter essa modalidade no circuito mundial de tênis.
    Lógico que há semelhanças ente as modalidades. E um tenista top no circuito de simples tende a se adaptar bem às duplas. Mas, ainda assim, o melhor tenista de duplas tende a ser um melhor duplicata do que o melhor tenista de simples.

    1. Sérgio Ribeiro

      Onde , assino Rafael ? . O rapaz não tem a menor noção do que significa duplas no Esporte Tênis, Basta perguntar a Federer e STANIMAL no Ouro Olímpico … Imaginar Copa Davis sem duplas ??? . Abs!

  8. Sérgio Ribeiro

    Pelas declarações de Ivasinevic , o Sérvio não tem lesão alguma. A confiança deve ter ido pro espaço nas derrotas pelo Ouro , e nada como uma retirada estratégica como sempre faz em WIMBLEDON. Lá ele pula as rápidas , não perde e treina em semelhante ao ALL England Club. Agora ele teve horas numa dura rápida em Tóquio e está treinando numa semelhante para o USOPEN 2021. Até o fator umidade ele encarou nas Olimpíadas. Nadal e Federer não estarão em Cincy , e quem o preocupa de verdade, sem dúvidas. Mas uma vez Novak e seu Staff estão corretos em focar no SLAM 21 e o recorde de Rod Laver. Pelo menos, a meu ver . Abs!

  9. Vitor Hugo

    Como foi dito o rei vai parar, o príncipe logo logo e o bobo da corte ficar… Aliás bobo da corte é perfeito para aquele que adora causar dentro de quadra…
    Kkkkkk

  10. Pedro

    Dalcim,

    Uma pena ver o Kyrgios perder e perder. Tem talento mas está faltando o resto. Já passou a época de decidir só no saque, coisa que aliás, já não é mais o mesmo.
    O pior é que ele tem um jogo (quando joga bem) agradável de assistir por causa das jogadas e do talento, mas, parece que ele está ficando ultrapassado e talvez realmente de uma hora para outra acabe parando de jogar.

  11. Gustavo

    Gildokson, o Daniel C e o Sérgio Ribeiro estão falando que 08.08 equivale a 25.12. Não vi até agora a tua indignação ou tirada de sarro.

    O próprio Sérgio Ribeiro que se revolta ou tira sarro de afirmações assim dizendo isso??

  12. Bel Grado Fa

    Está clato que há uma contusão no ombro e ela está afetanfo a ponto de pular o Toronto e Cincinatti deste ano.

    Mas lesão no ombro não se cura em 30 dias. E até onde conheço, se insistir em jogar, vai agravar ainda mais e pode até comprometrr o AUSOpen de 2022

    Eu não sei dizer se a diversão é ou não é garantida. Mas sei que se os deuses não quiserem, talvez GoldenSlam e nem 21 Grand Slams talvez não possam ser possíveis em 2021 nem no começo de 2022.

    Aguqrdar para ver.

  13. José Yoh

    40 anos e ainda jogando em alto nível, quem imaginaria. Provavelmente muitos dos que vieram depois, inclusive alguns de seus rivais, torceram e se inspiraram nele. Não ficaria surpreso se Nole ou Nadal fosse um deles.

    Que venham mais alguns momentos mágicos, mesmo que sem vitórias.

    1. Ricardo

      Verdade, xará! A torcida dele acha que ele é o maior jogador que existiu e que existirá de todas as galáxias. Parece que nunca houve grandes tenistas.
      E acrescento: ele já passou da hora de parar. Pode ver por esse ano, fazendo bons jogos mas sendo eliminado por tenistas abaixo do Top-10. Isso é clara demonstração de que já era. Mas o entendo – quando viu que tinham 2 bestas-feras mais jovens pulverizando suas marcas quis continuar no circuito por pura vaidade de não ser superado. Em vão. Será, por algum dos 2 Grandes ou por ambos.

      1. Sérgio Ribeiro

        Ricardo e Ricardo ??? . Sei … Jamais vi tu por aqui e já chegou falando besteira. Temos uma penca de grandes Tenistas que o torcedor modinha não conhece e que jogaram até/ pós 40 anos . E porque o mais habilidoso não poderia ?. Se tivesse parado como : Borg , McEnroe, Lendl , Becker , Edberg , Sampras e CIA próximo aos 31 , não teria sido o mais Velho N 1 da Era profissional . E teve dois Match Points pra também se tornar o mais Velho vencedor de SLAM . Isso tudo com o Big 3 em plena atividade . Sabem nada … Somente se interessam por torcidinhas e h2h rsrsrs.

  14. Vitor Hugo

    Federer foi o único tenista da história a chegar ao limite da eficiência e espetáculo ao mesmo tempo, por isso foi o único a chegar no ‘god mode’.
    Tanto Nadal quanto Djokovic chegaram ao limite da eficiência, mas nunca, nem perto, ao limite do espetáculo.

    É por essas e outras que Federer é considerado o DEUS DO TÊNIS.

    1. Paulo Almeida

      O canal Tennis TV da ATP discorda: já fez vídeos de vários jogadores no GOD MODE.

      Isso obviamente é uma metáfora, mas você, Ronildo e outros devem acreditar mesmo que o cara é uma espécie de divindade.

      1. Ronildo

        Tu não me esquece né? Tá chateado porque minha sefunda maior previsão está para se cumprir: Djokovic está à beira de perder o número 1. De qualquer maneira não passa do AO 2022.

        1. Paulo Almeida

          O sérvio já disse que não está mais preocupado com o número 1 depois que bateu o recorde de semanas, tanto que já pulou 3 Masters 1000 no ano. Se essa sua previsão se concretizar apenas em 2022, ninguém ficará muito chateado. Aliás, a diferença já é bem consistente pro segundo colocado e ainda vai aumentar mais.

  15. Vitor Hugo

    Só para lembrar as melhores versões de tenistas dos últimos anos:

    1 – Federer 2006
    2 – Federer 2017(não fisicamente, mas tecnicamente sim. Só não venceu o u.s open pois estava machucado)
    3 – Nadal 2010
    4 – Nadal 2013(tecnicamente)
    5 – Novak 2011

    1. Luiz Fernando

      Faltou vc comentar a cerimonia de premiação mais tocante e motiva de todos os tempos, a do AO de 2009, levou alguns as lágrimas kkk…

      1. Paulo F.

        Nem fale daquela coisa deprimente e ridícula.
        Rafa nem pôde fazer sua tradicional comemoração de morder a taça para ter que ficar consolando o chorão.

        1. Sérgio Ribeiro

          Deixa de puxar saco do “ Nobre “ , P.F. O fato de ter chorado naquele dia e tantas vezes em Vitórias e Derrotas importantes somente incomodou a manés . Quem ama o que faz como o Touro tirou de boa . Vocês realmente não assistem nem os Vídeos da ATP. Aliás o tal L.F. somente lê o que é dirigido a ele e mesmo assim não entende nada . Tudo é muito confuso para o rapaz kkk. Abs!

  16. Vitor Hugo

    Federer é tão maior e melhor que os outros da atual geração, que não há qualquer ameaça ao seu trono.
    Talvez daqui 20 ou 30 anos apareça alguém capaz de supera-lo.

  17. Paulo Almeida

    Foi acertadíssima a decisão do GOAT indiscutível de não disputar Cincinnati, apesar de dessa forma colocar o número 1 em sério risco com a perda de 1000 pontos.

    Como já foi dito, ele vinha numa maratona insana desde Roma sem o mínimo tempo necessário para se recuperar física e mentalmente, além do incômodo no ombro que sentiu depois da partida contra o Carreño. Esse mês de “férias” fará toda a diferença na tentativa de fechar o Calendar Slam.

    Parabéns, maior gênio que esse esporte já viu!

  18. Vitor Hugo

    Como o rapaz escreveu abaixo, foram mais de 1.000 comentários no post do título de Roger em 2017. Record!

    Mas eu estranhei pouco mais de 500 comentários no post sobre o título de Novak em Wimbledon/2021, até porque, não há torcida com mais fakes do que a do sérvio, então…. número de comentários bem risíveis.

      1. Paulo Almeida

        São muitos e nem assim conseguem tirar o Federer da terceira posição em número de seguidores no instagram, atrás do Nadal e do Craque.

        Maior torcida, sei, rs.

        1. Sérgio Ribeiro

          O que significa seguidores no Instagram ??? Seria um bando de manés que não conhecem nada de Tênis ??? . O menino Ney tem mais que Messi e daí ??? . No mundo TODO quem tem mais torcedores ??? . . Pra turminha da Kombi deve ser o menino Ney kkkkkkkk. Abs!

    1. Paulo F.

      Obviamente foi um recorde de postagens.
      Única vez na vida em que Federer virou para cima de seu doutrinador espanhol.
      Única vez em que se recusou a ser o pato de Rafa.
      Todos ficaram muito surpresos, foi muito mais surpreendente do que a goleada do Internacional fora de casa para cima do Flamengo rodada passada.

      1. Sérgio Ribeiro

        Deixa de postar bobagens , caro Piloto . Federer venceu o primeiro Set e foi a ÚNICA vez que virou o que ??? . Toda vez que checo algo que postas não condiz com a realidade . Já em 2005 na FINAL do MASTERS 1000 de MADRI o Suíço saiu de 0 x 2 . Aplicou Pneu no Saibro de Hamburgo na FINAL de 2007 . Outro Pneu na FINAL de Wimbledon 2006 . Somente te queimas postando tantas groselhas diariamente… rs . Abs!

    2. Jeferson

      O cara mais fake do blog,falando sobre fake????Vitor hugo,marquinhos ou renato a cada derrota do federer na final de wimbledon um nome diferente kkkkk.Parabéns Federer um ícone do tenis e do esporte,e sem dúvida top 3 da história do tenis juntos com os outros icones,Djokovic o primeiro,nadal o segundo e federer em terceiro,viva o big 3.

  19. Daniel C

    O colega Sérgio acertou na mosca ao dizer que 08/08 é como se fosse o Natal do Tênis. Qualquer elogio é pouco quando se trata do melhor tenista da história e um dos maiores atletas de todos os tempos, o gênio Roger Federer. O que esse cara jogou, especialmente no período de auge, acho que dificilmente será visto novamente. Estou convencido de que o suíço quando atuava no “God Mode” era invencível e jogava um tênis praticamente perfeito. Mas Deus não dá asas à cobra e ele sempre pecou um pouco nos quesitos mental e regularidade, especialmente em pontos importantes, o que definiu muitas partidas a favor de seus rivais. Senão eram pelo menos uns 25, 26 GS na conta dele.

    Enfim, aquele período 2003-2007 nunca será esquecido por muita gente. Foi um domínio avassalador, mas que as pessoas torciam para que fosse cada vez maior, pois o cara atropelava todo mundo na técnica e na agressividade, com o jogo mais vistoso possível. Não era aquele domínio chato e desestimulante.

    Só resta ao mundo agradecer por cada lance genial produzido ao longo de tantos anos. Muitos tenistas vencedores surgiram nos últimos tempos e ainda surgirão no futuro, mas alguém que junte tênis arte com resultados expressivos, será bem mais difícil. Assim como tivemos Senna (mais admirado que Schumacher que tem mais títulos) e Jordan (mais admirado que outros jogadores que conquistaram mais títulos), o legado do suíço não serão apenas os títulos. Vida longa ao GOAT do tênis!

    Obs: A declaração do Djokovic me pareceu tão verdadeira quanto uma nota de 3 reais. Continua sendo o filho que faz silêncio quando o Papai destila toda sua inveja e rancor com relação ao Federer. Deve ser mais uma tentativa dele de conseguir mais admiradores, sobretudo depois do show de horrores que protagonizou em Tokyo. Mas não vai adiantar. Será somente lembrando como apenas um grande vencedor com jogo eficiente para conquistar resultados. O tênis merecia um “maior vencedor” melhor. Uma pena.

    1. R.P.

      E se não fosse da entressafra, teria, se muito, uns 12 slams. Na era mais difícil do tênis, foi indiscutivelmente o número 3; e está ótimo.

      1. Sérgio Ribeiro

        Só postas groselhas desmemoriado , R.P. Se não esquecestes teu próprio nome , Novak já era N 3 desde 2007 . Lembras ? kkkk. Abs!

    2. Gustavo

      comparar o aniversário do federer com natal (nascimento de Jesus)??? Depois se ofendem qdo sao chamados de membros da seita Suíça

      1. Daniel C

        A expressão “o Natal DO TÊNIS” é bem diferente de algo como “08/08 É COMO O NATAL”. São sentidos muito diferentes e até coloquei em letras garrafais para você notar a diferença. Um pouco de interpretação de texto não faz mal a ninguém.

        Abs

      2. Sérgio Ribeiro

        O que tem a ver Jesus com a história , fofoqueirissimo Gustavo ? . Tu me surpreendes sempre com a incapacidade de interpretar algo tão simples . 08 / 08 não tem nada com 25/ 12 . És fraquinho mesmo rs . Abs!

  20. Periferia

    Bolsoriquistão

    Amanha…dia 10/8 está programado um desfile de blindados na Esplanada dos Ministérios.
    Passará na porta do Congresso Nacional que estará votando a PEC do voto impresso.
    Alguns bolsonarista mais afoitos esperam que os blindados acabem com “essa raça de políticos corruptos”.
    Depois sigam até o STF para acabar com aqueles “comes e bebes”.
    Para não perder o embalo….
    Fogo na “esquerda” (sabe-se lá o que é isso)…
    Fogo nos homossexuais (promessa de campanha).
    Fogo nas mulheres (menos Michelle).
    Fogo nos bêbados (não adianta dizer que é um degustador de vinhos finos).
    Fogo no cientistas (como diria o Tite…falam muito).
    Fogo nos desempregados (promessa de campanha…acabar com o desemprego).
    Fogo nos idosos (promessas campanha…diminuir o custo da previdência…apenas Heleno permanecerá).
    Fogo naqueles que gostam de cinema…literatura…música…ou qualquer coisa ligada a arte (não esconda o livro…por favor…coragem).

    Mais um dia no Bolsoriquistão…

    O último que sair…por favor…apague a luz

    1. Marcílio Aguiar

      Peri, o Caetano cantou ” O Haiti é aqui”, mas estamos caminhando para uma Venezuela Chavista. Não precisamos mais ser mandados para Lá ou para Cuba.

      1. Periferia

        Olá Marcílio

        O Brasil parece aquela moça…criada com todo carinho pelos pais.
        Esperando que ela case com alguém de princípios e boas qualidades.
        Em um descuido…um traste rouba o coração da jovem.
        Ela perdidamente apaixonada não percebe que se trata de um lixo humano.
        Alguém violento…ignorante… insensível e autoritário.
        A doce jovem…acaba casando com o meliante para desgosto de muitos.
        Num primeiro momento acredita que a violência dele é necessária para a vida matrimonial…
        Espancada todos os dias…descobre da pior maneira possível o erro cometido…seu rosto cheio de hematomas denuncia a brutalidade.
        Ela tenta fugir…separar…mas as ameaças são constantes….o medo toma conta da jovem.
        Presa numa relação esquizofrênica…ela paulatinamente….vai perdendo as forças.
        Aquela jovem cheia de sonhos…bonita…se transforma em uma mulher amarga…sem esperança…alguém sem alma.
        No fundo ela sabe…poderia ter tido um futuro melhor…mas tinha um traste no caminho.

        Abs Marcílio

    2. Bel Grado Fa

      Sugestão de atualização para o Aurélio:

      Bolsonarista: substantitivo masculino. Vertente política. Aquele que apoia ou admira o Exmo. Presidente da República. Plural: bolsonaristas. Abreviação: bosta.

    3. Miguel BsB

      Corruptos são só os que não são da patota deles…
      Roberto Jefferson, Ciro Nogueira, filhinho 02, esse bando de militar pendurados nas telas do Estado, etc etc, foram todos perdoados pelo bolsonazismo…

  21. Miguel BsB

    Parabéns ao maestro suíço! Gênio, craque!!!!
    E jogou em altíssimo nível até quase 40 anos…feito raríssimo no tênis profissional, como listou o Dalcim…
    Vai fazer muita, mas muita falta mesmo quando pendurar as raquetes…

  22. Enoque

    Essa participação nas olimpíadas prejudicou bastante o Djoko, nos seus objetivos na ATP, tanto no desgaste físico e psicológico, como na participação de master 1.000 e na pontuação do ranking. Nadal acertou na decisão de não ir.

  23. Luis

    Dalcim frase diz o que se transformou Federer é o tênis na sua Essência,não sei existiu um tenista com talento talvez raro no Mundo,o Dalcim conhece pouquinho de Tênis kkk pode dizer,lembra algum tenista com esse talento? Lembraram no blog da Navratilova tb jogou até 40 Parabéns Federer

    1. Marcílio Aguiar

      Ah Dexter Gordon! Se eu conseguisse tocar um milionésimo do que esse carata tocava, morreria feliz.

      Belíssima versão de “Laura”, que conhecia em interpretações não menos extraordinárias de Charlie Parker e Ella Fitzgerald.

      1. Rubens Leme

        O Porteiro tem o final mais deprimente que já assisti, Marcílio. Sobre Fassbinder, ele era um motor sem freios, viveu, trabalhou e amou como se cada dia fosse seu último.

        Um gênio atormentado e prolífico. Fez de tudo.

  24. Rodrigo S. Cruz

    (rs)

    Alguém aí acredita sinceramente nos parabéns do Djokovic?

    Mais falso do que nota de 3 reais…

    🤣🤣😅😅🤣🤣

  25. Toninho Santana

    São muitas as incertezas. Um retorno triunfal como foi o de 2017, vencendo Nadal na final do AO e enfileirando outros títulos no mesmo ano jogando em ótimo nível, certamente ele tem a consciência de que não conseguirá repetir. Imagino que ele tentará se recuperar completamente desse saldo devedor nos joelhos durante esse segundo semestre e, quem sabe, jogar na Austrália no início de 2022. A conferir.

  26. Sérgio Ribeiro

    E depois do famoso 03 de Julho de 2001 , data da batalha em WIMBLEDON Pete Sampras 2 x 3 Roger Federer , professor Domingos Venâncio mandou : “ O maior talento surgido nos últimos 20 anos , provavelmente um N 1 que irá dominar por muito tempo “ . Duas décadas se passaram e estamos em seu aniversário de 40 anos , falando do garoto que jogou o mais alto nível já visto depois de uma incrível longevidade. O dia 08/08 e’ Natal no mundo do Tênis. Vimos a incrível admiração dos amantes desse maravilhoso esporte , até mesmo de seus mais ferrenhos oponentes. O Dalcim tem razão, o teimoso Leonino ainda guardou uma grande surpresa para breve . A conferir. Abs!

    1. Marcílio Aguiar

      Prezado Sergio, tenho a mesma admiração pelo jogo do suiço, mas não tenho o mesmo otimismo quanto ao seu retorno. Espero estar enganado.

  27. Marcílio Aguiar

    Com a permissão do Dalcim e contrariando a vontade dos que não apreciam o assunto, algo fora do esporte.

    Desde os primórdios bíblicos temos notícias que os povos vivem em conflitos e isso nunca cessou.

    No século XX tivemos grandes e sangrentos conflitos que deixaram marcas profundas em sociedades europeias e na norte americana. Isso pode explicar a vastidão das produções literárias e cinematográficas sobre temas da II Guerra Mundial e do Vietnam. Um sem numero de escritores e cineastas as abordaram sob vários ângulos (heroísmo, loucura, drama pessoal, romance, política, sátira, etc). Sem uma pesquisa aprofundada, arrisco afirmar que as guerras e seus personagens estão entre os temas mais recorrentes no cinema (existe até um estrelado por Stallone e Edson Arantes).

    Segundo a máxima atribuída a George Orwell, a história é escrita pelos vencedores. Partindo do principio que a historia não esteja contada com o grau de fidelidade absoluto (o que na prática é impossível), ainda prefiro as versões eventualmente deturpadas dos vencedores da II Guerra a imaginar qual seria a narrativa caso o vencedor tivesse sido o Terceiro Reich, cujas ideias, alguns viventes saídos das profundezas em que se encontravam, tentam ressuscitar.

    Sobre a I Guerra, não conheço muitos registros, mas me lembro de 3 (dois filmes e 1 livro. Não vou fazer sinopses, pois estão à disposição na web). Não sei se as histórias guardam relação com fatos verídicos, mas são muito impactantes porque os personagens centrais são jovens que foram para massacres defender causas que, certamente, não lhes diziam respeito. Provavelmente, ainda nem sabiam o que fazer ou esperar de suas vidas.

    1) 1917 – filme em tom heroico e tem uma técnica de filmagem que tornam os cortes imperceptíveis. Foi o ultimo filme que assisti no cinema, antes de iniciar a quarentena em 2020.

    2) Johnny Vai a Guerra (Johnny Got His Gun) – filme de Dalton Trumbo sobre um soldado ferido no ultimo dia da I Guerra (Baseado no Livro do próprio diretor – não li o livro). É um relato que dói na alma e expõe os horrores que a humanidade é capaz de produzir.

    3) Nada de novo no Front – livro de Erich M. Remarque (também tem um filme de 1930, baseado no livro). Não assisti ao filme, mas o livro é um relato humano e emocionante do ponto de vista de jovens soldados alemães (o lado dos vencidos).

    1. Rubens Leme

      Um dos maiores diretores alaemães, Fassbinder logo após o final da Segunda Guerra Mundial e muito dos seus filmes relatam com incrível crueza a Alemanha do pós-Guerra, especialmente as mulheres que procuravam americanos pra casarem e as levarem para a América.

      Recomedo o Casamento de Maria Braun, que ele filmava de manhã, enquanto escrevia a monumental série Berlin Alexanderplatz, de noite, série essa que aborda a Alemanha nos primórdios do nazismo.

      O filme de 1979 e é o primeiro da chamada Trilogia da Alemanha Ocidental, que ainda tem, Lola (1981) e O Desespero de Veronika Voss (1982). Três filmes que abordam o lado feminino em uma Alemanha devastada e depois sendo “salva pelo milagre econômico”. E se puder assiste a série Berlin Alexanderplatz.

      1. Rubens Leme

        Acrescentando apenas: Rainer Werner Fassbinder nasceu em 31 de maio de 1945, 3 meses antes do final da Segunda Guerra.

        1. Periferia

          Olá Leme

          Fassbinder fez 44 filmes em 16 anos…sem contar dezenas de peças de teatro (era um homem de teatro)…roteiros….até composições musicais…programas para tv.
          Chama atenção que morreu com apenas 37 anos.
          Criava freneticamente…usava muita droga (morreu de uma mistura de cocaína e sonífero).
          Os amigos ficavam assustados porque Fassbinder dormia muito pouco…
          Ele dizia:
          ” Posso dormir quando estiver morto”.
          Apesar de ser um cineasta autoral…Fassbinder foi muito influenciado pelo cinema americano…principalmente Douglas Sirk…um diretor alemão que fez carreira em Hollywood nós anos 40 e 50…com a influência de Sirk…os filmes de Fassbinder ficaram mais populares…se libertando do “cinema de arte”.
          Berlinalexanderplatz foi seu testamento…algo fabuloso…

      2. Marcílio Aguiar

        Leme, dos três citados só não assisti “Lola” (vou incluir em minha lista).

        Os Americanos e Britânicos (o lado vencedor) geralmente retratam a II Guerra com épicos, feitos heroicos (exemplo dos recentes “Dunkirk” e “O destino de uma nação”). O Spielberg até conseguiu encontrar um herói no meio de nazistas. Já os europeus (principalmente alemães) tratam das chagas, das paranoias, da destruição da esperança.

        Além dos citados de Fassbinder, vão na linha das feridas abertas “Adeus Meninos” – Louis Malle e “O Porteiro da Noite” – Liliana Cavani. Da Itália também temos os comoventes “A vida é bela” e “Roma cidade aberta” que valem a pena.

        Ao lembrar de um filem de Rosselini, automaticamente vem à memória um dos casais mais icônicos do cinema: Ilsa Laslo e Rick Bliane, que vivem sua paixão tendo a II Guerra como mero pano de fundo. Vou parar por aqui, porque a lista é quase infinita.

    2. Periferia

      Olá Marcílio

      Boas lembranças….acrescentaria Glória Feita de Sangue do Kubrick….e Lawrence da Arábia da David Lean..que mostra o conflito da primeira guerra no Oriente Médio.

      Abs

      1. Marcílio Aguiar

        Caro Peri, obrigado pelas dicas. Sei que “Lawrence” é um clássico. Certa feita tentei assistir na TV, já estava iniciado e parei ates de chegar ao fim. Por ser bem longo e um andamento lento, preciso estar com muito tempo ou dividir em etapas.

    3. Gustavo

      Ninguém aqui é contra que se fale sobre outros assuntos.
      O problema é qdo se fala muito sobre outros assuntos.
      O que não é o teu caso

    4. José Yoh

      Guerras.
      A natureza sempre encontra alguma forma de balancear as coisas. Parece que com o ser humano ela tenta resolver a equação inserindo uma dose cavalar de estupidez nesse predadorzinho.

  28. Marcílio Aguiar

    Depois da ressaca das Olimpíadas é bom ja ter um M1000 para esquentar o calendário do tenis. Perspectivas de bons jogos entre Medvedev x Sinner, Nadal x Kyrgios e uma final Medvedev x Nadal.

  29. Rubens Leme

    “Unfortunately, now my wife and I wanted to come to Wimbledon, but they didn’t let us. There horrible people did not allow us to go and watch him, because we had to go in quarantine for a week, even though the stadium was full with 15,000 16,000 people.”

    E o papis voltou com sua metralhadora! Estava com “saudades” das declarações do seu Srdjan. E, milagre, poupou o Roger desta vez!

    Papis, Papis!

    https://www.tennisworldusa.org/tennis/news/Novak_Djokovic/100826/srdjan-djokovic-hits-out-at-wimbledon-for-not-allowing-him-to-watch-his-son/

    1. Rubens Leme

      “Novak is the leader of this so-called Third World. He is a God in China, India, South America, Africa.”

      Djokovic pai deveria fazer sua live semanal como um certo capitão do voto imprenso. Os dois têm certeza que quando abrem a boca escorrem mel de suas palavras (embora não seja bem mel….). Ao menos, as do sr Srdjan a gente não iria entender nada por causa do idioma. Se bem que do outro a gente entende, mas não compreende.

      PS1: alguém precisa avisar ao Papis que a China é considerada hoje “segundo mundo” e não terceiro.
      PS2: Ainda assim, segundo ele, Novak deve ser um deus chino-comunista-esquerdista! Ah, os nolinhos brasileiros eleitores do bozo vão desmaiar.

  30. Jonas

    Achei que haveria mais comentários nesse post, já que aqui no blog tem vários fãs do suíço.

    É só conferir a quantidade de comentários postados no blog depois que o suíço venceu o Australian Open 2017. Salvo engano, passou dos 1000.

    Bem, não tenho nada contra o Federer, já falei que o acho um gênio. Ele tem uma capacidade de improvisação talvez jamais vista no esporte. Penso que Federer está bem próximo de se aposentar. Vai fazer de tudo para jogar Wimbledon ano que vem e, independente do resultado, vai se despedir ali. Nada mais justo, tem 8 títulos em 12 finais.

    A meu ver, o “azar” do suíço foi ter sido contemporâneo de dois caras obcecados em vencer. Azar o dele, privilégio pra quem acompanha o esporte. Embora o Nadal seja mais contido em suas declarações, é óbvio que também quer superar o suíço no número de Slams.

    Apesar da enorme dificuldade que o suíço teve em se impor contra esses caras, é claro que continua sendo um gigante. Mas em um esporte individual, penso que isso faz grande diferença na análise de quem foi o maior/melhor.

    Ao contrário de muitos caras que realmente odeiam o Djokovic, muito por conta das derrotas que ele impôs ao suíço, eu desejo tudo de melhor para o Federer. Para mim é um privilégio ter tido a chance de ver o Big 3 em ação. Duvido muito que algo assim volte a acontecer no tênis…

    1. José Yoh

      Jonas, não vejo azar nenhum em ter outros dois gênios logo na sequência. O que eu vejo é uma consequência lógica: eles são gênios porque Federer e seus números os levaram aos seus limites e à longevidade que ninguém esperava que tivessem. Aliás, focar nos slams desprezando outros torneios para poder jogar mesmo mais velho foi uma acertada estratégia do suíço que eles utilizam hoje. Não fariam isso se não existisse Roger Federer, mesmo porque não teriam motivação para isso. Repare que tanto Nadal quanto Nole já pensaram em parar.

      A ordem natural das coisas é quem vem depois bater os recordes, não é mesmo? Se Federer viesse depois não tenho dúvida que seria ele que estaria se matando para atingir o topo.

  31. Rubens Leme

    É curioso que a rebeldia do Federer é parecida com a do Borg, quando menino. No final, viraram símbolos do cavalheirismo que o tênis simboliza, embora nunca mais veremos alguém tão gelado em quadra como IceBorg.

    E, apesar de não estar na minha lista de tenistas prediletos, sempre apreciei isso no Federer e também no Nadal, dois tenistas que engradeceram o esporte, sob todos os aspectos.

    Longa vida ao Rei dos Reis e aos dois Príncipes.

  32. Paulo Almeida

    O rei supremo e absoluto detentor dos recordes mais importantes do tênis nem precisava, mas mostrou novamente seu grande caráter e parabenizou seu cliente e terceiro melhor dessa época. Grande NoleKING!

    1. Ronildo

      Ele treinou inúmeras vezes para parecer natural e usou várias caixas de lenço para enxugar a saliva de inveja e raiva que caía da sua boca.

    2. Sérgio Ribeiro

      Parece pelos Posts das principais mídias especializadas do Planeta , que as afirmações bizarras do senhor Paulo A. são desconhecidas pela maioria . A decepção maior vai ficar nos critérios que estabelecem o tal ” goat ” . O Embaixador do Esporte de longe ficará com o Posto independente da repetição a exaustão dos mesmos que compõe parte da Turminha da Kombi . Na boa , caro Piloto . Fale de música que é mais a sua Praia rsrs. Abs!

      1. Paulo Almeida

        Não, a maioria esmagadora de especialistas e ex-jogadores apontará Djokovic como o maior e melhor de todos os tempos. É só você ver os números que acabei de postar e segurar o choro. Abs!

    3. Gildokson

      kkkkkķkkkkkkk Que para esse rapaz inexpressivo, receber os parabéns de Novak Djokovic em seu aniversário de 40 kkkkkkkkk
      Verdade hein Paulo, Federer deve ter nem dormido de tanta felicidade.

    4. Paulo Almeida

      Lembrando sempre aos pitiáticos da seita ultrafanática que:

      61 >>> 54
      36 >>> 28
      333 >>> 310
      6 > 5
      27 > 23
      Double Career Slam >>> Single Career Slam
      Nole Slam >>> ??? Slam
      Double Golden Masters >>> None Golden Masters
      Temporadas 2011 e 2015 >>>> Temporada 2006
      16950 pontos >>>> x pontos muito abaixo

      Não adianta espernear contra fatos!

      1. André Barcellos

        Livre interpretação dos números.
        Mas é falacioso falar de pontuação quando em 2006 os pontos eram basicamente metade do que é dado hoje.
        Ainda que fique abaixo, está ali bem próximo.

        1. Ricardo

          Vc pode gostar do estilo de um ou outro tenista. Ok. Mas, em um esporte individual, os títulos falam muito. Falam demais. O número de anos que vc dominou o circuito, também. São fatos, não adianta espernear, “ah, mas o jogo dele é mais ‘elegante’, “vistoso”… Fato é que RF, quando viu que havia 2 monstros mais jovens ameaçando pulverizar (e pulverizando de fato!) as suas marcas resolveu ir contra a natureza e espichar a carreira. Agora, fica sendo eliminado por gente abaixo do Tp-10 por pura vaidade e ego de se achar superior.

        2. Paulo Almeida

          Não é livre interpretação: é um entendimento aritmético único, simples e direto. Você fez o mesmo abaixo com os números que lhe interessavam, mas eu tenho muito mais, rs.

          Pode fazer a conversão do máximo de pontos que o Federer já conquistou para o sistema atual que não chegará próximo dos 16950 que o Djoko ostentou quando teve os 4 GS, o Finals, 6 M1000 (Indian Wells, Miami, Madri, Xangai e Paris), outras três finais (Roma, Montreal e Cincinnati) e um ATP 500 (Pequim) em junho de 2016.

          Ah, a pálpebra caída do sérvio provavelmente é um pequeno problema no nervo que controla aquele músculo. O Willian já deu uma explicação técnica sobre isso.

  33. Bel Grado Fa

    Bela comparação entre Federer e Santiago feita nos comentários. Embora Federer, na essência, nao seja decisivamente o retrato de uma vida comum, com seus altos e baixos como a de Santiago. Mas pouco importa, pois o fim é sempre o mesmo para todos e assino embaixo na comparação.

    Mas tirando vantagem das “sábias” palavras de Romário: “Com o príncipe já reduzindo o ritmo e o Rei parando de jogar, só vai restar o bobo da corte nas quadras”.

    E a vida segue!

    1. DANILO AFONSO

      Eita que esse coração já deve ter sofrido muito com o sérvio na última década.

      Obs.: Não seja “rebelde” e obedeça a regra do blog postando seu comentário sobre “Santiago” no espaço devido. Tem tão poucos comentários ainda que não precisa destacar seu comentários fora do espaço correto.

      Saudações Tenísticas!!!

      1. Bel Grado Fa

        E pra ser bastante sincero, ganhar e perder faz parte da vida! E vendo teu comentário, me recorda dos 3 anos que passei em Buenos Aires no começo dos anos 2000. Principalmente do meu primeiro ano, quando ao perceberem meu sotaque, vinha a inevitável pergunta:
        – Quem foi melhor, Maradona ou Pelé? Onde eu sempre respondia: “- Dentro de la cancha, Maradona, por supuesto!” E o colocava num pedestal. Os Argentinos “piravam”. Afinal de contas, um brasileiro falando bem de Maradona e o exaltando não era exatamente algo muito comum. E então eu pacientemente aguardava pela reação deles. Após este momento, eu completava e via o ego deles murchar e a alegria desaparecer, bem como respostas para as perguntas sumirem: “- No entanto, fora das quatro linhass, MAradona não é exemplo para ninguém, nem para as crianças. Crianças vão se espelhar no comportamento do atleta fora do campo, e acredito que por mais que gostemos do futebol que ele pratica, nenhum de nós queremos nossos filhos envolvidos nos problemas “extra-cancha” aque ele tem. E assim foi também McEnroe: Inspirou meia geração de tenistas imbecis gritando em quadras amadoras e profissionais. E a outra metade assistindo a tudo aquilo, incrédulo. NAdal outro dia lembrou o Sérvio de suas obrigações, e do exemplo que ele representa fora das quadras para as crianças.

        Veja agora o caso do Djokvic: dentro da quadra, o melhor tenista da ATP de todos os tempos. Mas foi (por exemplo) para as Olimpiadas e conseguiu violar todos os valores olímpicos:
        – A excelência: quando deixou de dar o seu melhor contra o CArreno Busta
        – O respeito pelo adversário: quando deu bolada no brasileiro
        – A amizade, o espírito de equipe e a solidariedade: ao abandonar a partida de disputa das duplas mistas pelo bronze.

        E olha que eu torci pelo ouro dele, mas não deu (e até mesmo pelo Golden Slam).

        Agora, “de boa”, ele pode bater quantos recordes quiser ou conseguir. Mas pra mim, e outros que assistem incrédulos aos rompantes e atitudes dele, não vai adiantar bater recorde nenhum. Não vamos gostar e pronto. Te garanto que não sou o único pelas mesmíssimas razões.

        Ele que se redima, e reconheça os erros (de preferência não cometendo novamente daqui a dois meses), e então começamos a conversar novamente sobre gostar ou não dele.

  34. João ando

    Parabéns ao maior tenista de todos os tempos o rei Roger Federer.espero vê-lo até os 45 anos jogando .já que não tem nada a provar a ninguem

    1. Barocos

      Também gostaria muito de vê-lo esticar a carreira só para se divertir e nos encantar. Com o que ele já conquistou e com as belas jogadas que ainda consegue tirar da cartola, não dou a mínima se no final ele não sai de quadra com o placar a seu favor.

      Saúde e paz.

  35. Pedro

    Dalcim,

    Qual o motivo de ter torneios de duplas? Sinceramente em um esporte individual, é difícil de entender. Tá bom, uma brincadeira de domingo no clube com pessoas idosas ou desprovidas de preparo físico, mas tornar isso profissional? O pior é que o Brasil é especialista em oferecer matéria prima para esta categoria, e as pessoas ainda aplaudem.
    O país deveria se envergonhar. Com mais de 200 milhões de habitantes e só teve um número 1 real (simples) que foi o Guga, que por sinal ainda tem sobrenome estrangeiro. Uma verdadeira piada.
    Deveriam excluir duplas dos torneios oficiais.
    Sabemos que o esporte não é muito popular no Brasil, e os equipamentos são caros, mas, já tá mais do que na hora de alguém tentar implantar um plano para descoberta de talentos. Se for esperar que saia de um nicho de pessoas privilegiadas economicamente, então isso diminui muito a chance de aparecer outro grande jogador.Aliás, vindo de pessoas de classes mais altas, dificilmente o cara avança, porque fica na dúvida entre jogar ou fazer faculdade, ter uma profissão mais conservadora, que é o que a família de classe média alta vai tentar influenciar.
    Enquanto isso, vemos pessoas que eram pobres e ficaram milionárias, arriscando tudo, exatamente porque não tinham nada, mas tinham pelo menos uma estrutura no país em que viviam, é só olhar as Williams (vai ser lançado o filme do pai delas), a Osaka, a russa Sharapova. Cadê essa vontade aqui?
    Vale dizer que todos estes exemplos, as meninas começaram cedo, até porque não dá para começar a jogar tênis com mais de 10 anos e se tornar algo.

    1. José Nilton Dalcim

      Concordo quanto à falta de oportunidades no tênis (e no esporte) brasileiro, mas discordo totalmente em relação às duplas. É um jogo excelente de se praticar e de se ver, existe no tênis moderno desde o século 19, tendo sido implantado em Wimbledon em 1881, pouco depois de o torneio estabelecer o tênis como esporte!

    2. Marcelo Costa

      Maria Esther Bueno
      Fernando Meligeni
      Thomas cock
      Luís Mattar
      Patrícia medrado
      Tomaz Bellucci
      Cássio Mota
      Vanessa Menga
      O Google está aí pra isso.

    3. Maurício Luís *

      Os irmãos Bryan discordam de você. A Luísa Stefani também… Quer dizer que talento pra duplas, ter reflexos rapidíssimos, não vale nada? O John Mckenroe foi número 1 em simples e em duplas.
      Tem gosto pra tudo, respeite o gosto dos outros.

    4. Miguel BsB

      Meu Deus do céu!!!! O país realmente deve se envergonhar de várias coisas, mas vc deveria se envergonhar tb de um comentário desses. E num blog de tênis…
      Duplas praticadas por idoso e pessoas desprovidas de preparo físico. Pqp!!! Vai lá jogar duplas contra Marcelo Melo, Bruno Soares, Jamie Murray etc…todos idosos e desprovidos de preparo físico…kkkkkkk
      Jogo de duplas são excelentes, divertidos, e contribuem demais pra desenvolver aspectos do tênis( jogo de rede um dos principais).
      Vai lá se testar contra os melhores “idosos” num jogo de duplas na maioria dos clubes do Brasil. Você não vai nem ver a bola e admirar a habilidade e visão de jogo de grande parte deles…

    5. José Yoh

      Pedro, acho que você precisa rever seus conceitos. Duplas é muito divertido, e exige habilidades e estratégias diferentes. Nem sempre um grande jogador de simples joga bem duplas.
      Mas independente de você gostar ou não – o que eu respeito – poderia respeitar quem gosta ou quem é duplista profissionalmente.

      Quanto ao sobrenome do Guga, não faz sentido pois não há dúvida nenhuma que ele é brasileiro. Se não fosse também não veria problema.

      E o Brasil não precisa se envergonhar de ter só um número um masculino por causa da grande população, veja quantos teve a China, Índia (ou a Ásia e África inteira), sem falar em tradicionais países com muitos praticantes como França ou Japão. É um clube muito seleto mesmo, somente 26 conseguiram isso na era moderna. Por esse motivo, é muito duro ler alguns comentários desmerecendo Hewitt ou Roddick aqui no blog.

      1. Luiz Fabriciano

        Pois é.
        Se Guga tem sobrenome estrangeiro, qual a novidade? Exceto para quem é índio legítimo, todos os outros brasileiros são estrangeiros.

        1. José Yoh

          Fabriciano, meu sobrenome e minha aparência é estrangeira, e eu creio que sou brasileiro na raiz. Ser brasileiro na verdade é um sentimento, não é uma nacionalidade, já que quase não há nativos aqui.
          Vejo estrangeiros muito felizes aqui justamente por esse motivo. É um país muito receptivo e orgulhoso de sua diversidade étnica.

          Infelizmente percebo que começa a surgir um sentimento nacionalista exacerbado e temo que isso seja perdido. Já vimos essa história antes, uns 80 anos atrás.
          Um grande abraço

  36. Arthur

    Puro chute, Dalcim, mas eu tenho pra mim que o Federer e a equipe dele já decidiram pela aposentadoria.
    O anúncio só não veio ainda porque “cálculos” precisam ser feitos.
    É claro que ele quer sair com um “canto do cisne”, um “one last show”, pra manter a aura de supercampeão para a eternidade (como aconteceu com Pelé e Michael Jordan, pra ficar nos exemplos mais claros).
    Mas tudo vai depender desse segundo semestre. Ele vai querer ver se o Djoko vai dar uma caída e dar oportunidade e, ao mesmo tempo, ver se algum novato aparece pra ser o novo papa-tudo do circuito.
    Se – e ressalto aqui o SE – tudo der certo, ele volta no ano que vem, jogando os Slams e alguns torneios de maior expressão, como Indian Wells, pra se aposentar depois de WB ou, na melhor das hipóteses, depois do USO.
    Agora, se DJokovic se mantiver dominante e, ainda por cima, ganhar um ou dois jovens como competidores mais consistentes, não creio que ele volte mais pra competir. Anuncia a aposentadoria no final do ano e bye-bye.
    Roger Federer: quem viu, viu; quem não viu, vai ficar dependendo do YouTube pra saber o quão gigante ele foi.

    Um abraço.

    1. José Nilton Dalcim

      Eu acho que ele ainda vai tentar. Federer é um leonino, teimoso… rsrs… Imagino que sua despedida tem de ser em Wimbledon.

    2. Paulo Almeida

      Você só esqueceu de dizer que é para verem vídeos no YouTube até 2007; de 2008 pra frente é pouco recomendável, com raras exceções.

      1. Arthur

        Pois é, Paulo tem só o quinto USO seguido (2008), o primeiro e único RG (2009), três WB de um total de oito (2009, 2012 e 2017) e mais dois AO de um total de seis (2017 e 2018).
        Só sete slams, coisa de pangaré mesmo, tipo o McEnroe (também 7 Slams), mas pelo menos melhor que os ridículos Edberg e Becker (seis Slams).
        Vai escrever OVO de trás pra frente que você usará melhor o seu tempo, meu caro.

        #FicaaDica

        1. Paulo Almeida

          E a coisa fica pior ainda se você pegar vídeos depois de janeiro de 2010. Achará mais sobre 19 Majors do Craque e 14 do Nadal.

          Gastei apenas poucos segundos do meu precioso tempo, não se preocupe.

          Abs!

  37. Marcelo Eiras

    Eu fui rever um negócio naquele fatídico Wimbledon 2019, algo interessante, TODAS as vezes que Federer em seu saque esteve a um ponto de confirma-lo ele conseguiu EXCETO naquele 40-15, onde ele não teve só uma, mas duas chances de confirma-lo.

    Acho que não existe prova maior do que essa pra mostrar que aquela quebra não foi mérito de Djokovic, mas sim porque Federer amarelou. Aquele Grand Slam foi perdido única e exclusivamente porque Federer amarelou, se ele não tivesse amarelado jamais teria perdido aquele jogo, repito, jamais.
    O mérito de Djokovic se encontra no fato de ter se transformado num bicho papão de Federer, o que fez o suíço começar a tremer pra o sérvio, coisa que ele jamais conseguiu fazer com Nadal, que nunca tremeu diante de Djokovic, porém em Wimbledon 2019 a vitória aconteceu por demérito do suíço.

    1. Jonas

      A pressão em um championship point é enorme, e contra o Djoko, melhor devolvedor da história, ela dobra.

      Quando assisti a essa final fiquei com a seguinte impressão: Federer estava afiado, indo para as linhas e acertando quase tudo, visivelmente mordido, pois já era Bivice em “casa”, enquanto do outro lado estava um Djoko contido, mais nervoso que o normal e segurando o braço.

      Federer se sente mais à vontade na grama que o Djoko, mas a verdade é que o sérvio é duríssimo em qualquer Grand Slam. Ainda que o suíço tenha jogado muito, o sérvio venceu os três tie-breaks e teve 4-2 saque no quinto set.

      Federer teve duas bolas do jogo. Na primeira chance, errou o primeiro serviço e tomou uma pedrada do sérvio no segundo. Na segunda chance, subiu à rede e levou a passada.

      Djokovic teve três bolas do jogo (6-3). Federer mais uma vez precisou do segundo serviço, o que resultou em devolução funda do sérvio e madeirada do suíço. Djoko costuma aproveitar as chances que tem. É fenomenal jogando sobre pressão.

      1. Sérgio Ribeiro

        Vimos agora como o fenomenal aproveitou suas chances contra o jovem Alemão na luta pelo Ouro. Não resistiu a pressão e perdeu também nas Duplas . Sem essa meu caro Jonas . Cada jogo tem sua estória e ele já tremeu muito pra Stan e Murray em SLAM. Abs!

          1. George Beco

            Cara, derrotas fazem parte da carreira do jogador, mas faz o seguinte, vê na “casa” dele quantos vices ele tem nas 9 finais que disputou

    2. Toninho Santana

      Federer já havia vacilado de forma muito semelhante na semifinal do US Open de 2011 contra o sérvio, quando teve match points a favor e simplesmente sucumbiu. Entretanto, essa final de WB em 2019 deve ter deixado marcas profundas em sua cabeça. O nível físico e técnico que ele demonstrou nesse jogo foram incríveis, mas por decisões completamente equivocadas na hora da glória, pipocou. Seria a dobradinha perfeita, uma vez que já havia eliminado o touro miúra na semifinal.

    3. Sérgio Ribeiro

      Reviu , mesmo ? Jura ? . Sabe quantos games o Craque Suíço confirmou se utilizando do primeiro Serviço ( está no manual ) e não de Aces. Quando se joga contra o maior devolvedor da história isso é uma regra básica. O fake do face TênisBrasil espera o aniversário de Roger fingindo não reconhecer os méritos do Sérvio, pra despejar essas asneiras ? . A partida , se não sabias , prosseguiu até o 12 x 12 com várias chances de quebra para ambos os lados . Jura que não sabias ? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Abs!

      1. Marcelo Eiras

        Cara, o jogo foi até 12×12 mas só uma vez em que ele precisava de apenas um ponto pra confirmar o game ele não confirmou, justamente no match point. Puts, quantos games o cara confirmou o jogo todo, e no mais importante ele não consegue, simples, não conseguiu pq tremeu.

        O mérito de Djokovic não foi nessa partida, mas nas finais de Finals e GS em que ele ganhou de Federer, fazendo o Federer começar a tremer pra ele, oq acarretou naquele 40×15.

    4. Maurício Luís *

      ” Se ele não tivesse amarelado…” Essa palavra SE tão pequena… mas muda muita coisa. Se amarelou, esverdeou, o fato é que os fãs avermelharam de raiva.

    5. Rodrigo S. Cruz

      Sim.

      Não resta a menor dúvida quanto a isso mais.

      Amarelou legal…

      O Djokovic até que devolveu bem. Mas o Federer se desesperou demais naquela subida bobinha à rede, e daí tomou a passada.

      E não teve a calma necessária para fazer um saque eficiente, no 40/30.

      E não precisava ser um ACE.

      Mas ao menos um saque que deixasse a bola seguinte curta para o suíço matar.

      Naquele dia o Federer conseguiu perder pra si mesmo…

  38. Rafael Prado

    Na verdade eu acho um pouco estranho a história desses joelhos dele. Teve muito mais de um ano pra se recuperar dessas lesões e não se recuperou. Acho que não tem haver com a idade e nem sei se tem haver com esses joelhos mesmo. Talvez ele esteja procurando uma bela forma de se aposentar, mas se não se arriscar a perder vários jogos não vai ter ritmo nunca e vai parar do nada. Infelizmente para todos nós.

  39. André Barcellos

    Viajei o mundo algumas vezes pra ver o suíço jogar e valeu cada centavo. De quebra ainda dei sorte, já que ele venceu todos os jogos que vi.
    Um deles contra Novak em 2015.
    Difícil aparecer um jogador igual, que una tantos aspectos positivos a seus tênis principesco.

  40. Periferia

    O Velho e o Mar

    “O menino sabe que Santiago é o melhor pescador da região e Santiago…embora muito modesto…é conhecedor de sua própria força e valentia.
    No 85° dia…querendo arriscar a sorte…ou provar-se…ou apenas…realmente…exercer seu ofício de pescador com um mínimo de êxito…Santiago resolve navegar longe da costa…em mares mais profundos…e seu anzol pesca um grande peixe espada…na verdade…o maior que ele já tinha visto.
    Santiago deve vencer o peixe se quiser voltar para casa com sua auto-estima intacta…ao mesmo tempo que precisa lutar contra o peixe por dois dias em alto-mar.
    Essa luta é a de um homem que prefere chamar o mar de la mar…no feminino…porque entende que tanto ele…quantos os peixes que pescam…são todos elementos da natureza e cumprem…cada qual…seu destino.”

    Parabéns para o Santiago do tênis…Roger Federer.

    1. Rubens Leme

      No cinema, Santiago foi vivido por Spencer Tracy, primeiro ator a ganhar o Oscar por dois anos consecutivos, feito repetido por Tom Hanks, somente. Santigado lhe rendeu a sexta indicação ao Oscar (já tinha os dois na mala), e depois ainda teria mais três, totalizando nove. Uma boa adaptação, mas, claro, longe do livro.

      Falando em adaptações, revi ontem Doutor Jivago e Lawrence da Arábia, dois épicos dirigidos por David Lean.

      O livro (Doutor Jivago) também é superior, mas duvido que Pasternak tenha imaginado uma Lara tão deslumbrante como a Julie Christie. Pena que o “tema de Lara” tenha virado uma das músicas mais insuportáveis da história.

      1. Periferia

        Olá Leme

        Lawrence da Arábia é um dos grandes espetáculos do cinema…filmado com aquelas Panavision70 (aquelas câmeras são o desejo de todo grande cineasta… Tarantino é fã delas).
        Um espetáculo “imperialista” diga-se de passagem.
        Doutor Jivago é um novelão…as cenas de Julie Christie e Rod Steiger são construções de um artesão…como Lean sempre foi…um cineasta de poucos filmes….mas que filmes…

  41. Maurício SP

    Paraabéns ao Federer, por tudo que representa para o tênis. E que continue jogando enquanto quiser, mesmo aos sessenta anos. Pode não ganhar mais nada, mas continuará sendo estrela, com muita gente querendo curtir um pouco mais. Navratilova jogou simples em Wimbledon com 47 anos, por que Federer não pode, enquanto isso o divertir? Sem obrigação de vencer, de provar nada pra ninguém, apenas pelo espetáculo! Que se lixem as estatísticas, muita gente quer ver Federer em quadra independentemente do resultado.
    E que legal o Djokovic parabenizá-lo. É uma atitude que não rebaixa ninguém, só enaltece a ambos e engrandece o tênis.

    1. Luiz Fabriciano

      Essa atitude é mais ou menos como, nos torneios amadores pelo interior, você entrar numa chave que também há mulheres.
      No enfrentamento, se ganhar, é porque era uma mulher. Se perder, perdeu de uma mulher.
      Difícil, pois, há quem disse que o sérvio foi extremamente falso em suas palavras. Até parece que ele precisa ser.

      1. Maurício SP

        Concordo que a maioria dos homens não gosta de competir com mulher justamente porque só tem a perder, já que ganhar é obrigação. Mas se o Federer não sente essa pressão, não se incomoda com isso e sente falta de jogar, grande parte dos fãs ficarão muito satisfeitos em assistirem suas partidas, mesmo em torneios menores. E sua presença por si só é uma atração, os organizadores dos torneios, o público, os patrocinadores e a mídia adoram, independentemente do resultado.

        1. Luiz Fabriciano

          Acho que não entendeste sobre meu comentário, meu caro Maurício.
          Falei sobre a atitude do Djokovic em enviar um vídeo parabenizando Roger Federer por seus 40 anos. Coisa que você achou legal.
          Meu comentário foi sobre os que acham que ele foi falso, então, fiz uma analogia com campeonatos mistos, Se o sérvio não diz nada é mau -caráter, invejoso, mas se diz, é falso e ainda quer roubar fãs dos suíço com tal atitude.
          Grande abraço.

  42. Rubens Leme

    Federer chegou naquela fase em que a cabeça está ainda perfeita e sonhando com os movimentos de sempre, mas que o corpo lhe nega. Quem já passou por isso, sabe, você ainda acha que pode jogar futebol o final de semana todo sem dores, correr sem se cansar, brincar com crianças e no dia seguinte, cai duro na cama todo travado.

    Uma pena que os grandes talentos precisem dar adeus, mas o seu legado ninguém pode diminuí-lo. Quer dizer, tentarão, os bobos de sempre, mas quem gosta e conhece verdadeiramente o tênis e o esporte sempre o colocarão naquela panteão lá no alto, junto a Bjorn Borg, Fred Perry, Rod Laver e uns poucos outros.

    Agora ele vai trocar um pouco de Robert. Deixará o pai em casa e tentará o cinema, afinal comercial com o de Niro ele já fez.

    Todos param. Os bons, os maus e aqueles que nunca deveriam. Assim é a vida.

    1. André Barcellos

      Lendo seu texto lembrei do meu próprio corpo, que anda me negando simples atividades no mesmo dia.
      Antes jogava seis, até sets de tênis (mal jogados) por dia.
      Hoje só um e meio.
      Se saio pra comer fora já chego cansado em casa e sem vontade de fazer nada o resto do dia. Kkkkkk
      Ainda me mantenho ativo correndo 5 km dia sim dia não, mas parece que o corpo me nega fazer qualquer outra coisa mais exigente nos mesmos dias.

      É uma pena que não seja Federer a escolher o próprio final de sua carreira, e como é teimoso, também vai lutar contra o tempo.
      Ele sempre disse que queria parar em seus próprios termos, mas ao que tudo indica, isso lhe será negado.

    2. Marcão

      Sim, prezado Leme, o tempo é malvado. Passa tanto para Rogers quanto para Cardinales. Em câmera lenta, mas passa.

      1. Rubens Leme

        Outros passam com o botão Fast Forward no máximo, Marcão, tanto que nem dá tempo pro Caetano registrar.

  43. Pedro

    Dalcim,

    Mesmo as estatísticas sendo contrárias ao sucesso de tenistas depois de 40 anos, acredito que caso ele se recupere fisicamente, conseguirá não só ganhar partidas, mas torneios no ano que vem.
    Agora, o Nole puxar o saco do Federer no aniversário foi ridículo. Mais falso, é quase impossível. Todos sabem que o sérvio tem problemas com o suiço.

    1. André Barcellos

      Chega o olho esquerdo dele ficou caindo no vídeo, tal o esforço que fazia pra parecer sincero. Rsrsrs

  44. Sandro

    Parabéns pelos seus 40 anos Roger Federer !
    Dizem que a vida começa aos 40, e eu acredito nisso!
    A vida de diversão com o tênis, sem a obrigação de resultados.
    Se eu acho que Federer deve continuar no circuito? Claro que sim!
    Porém sem a obrigação, sem o compromisso de ganhar títulos, mas jogar tênis para se divertir. Se jogar tênis lhe proporciona prazer, se é o que ele ama. Que continue enquanto estiver disposto, porém, sem cobranças, sem pressão. Jogue pra se divertir!

  45. Maurício Luís *

    Primeiramente, parabéns aos fãs do Federer. Como ele nem sabe que eu existo, então as congratulações vão pros fãs dele.
    ” Segundamente” (como diria o Odorico Paraguaçu), não querendo ser curto e grosso – porém já o sendo – se 14 meses não foram suficientes pra se recuperar, PÓ PARÁ. ” O sonho acabou” (John Lennon)

  46. Luiz Fernando

    Sinceramente imaginava um jg mais tranquilo p Sinner na final de hoje, pois o McD, a exemplo do visto ontem com o outro americano, tem uma bola bem menos pesada do q a do italiano e me pareceu com menos recursos do q o compatriota. Vai vencendo por 54 mas o americano terá o serviço p empatar. No momento, tudo indefinido…

  47. Vitor Hugo

    MAIOR E MELHOR da história, maior número de fãs pelo mundo(Não fakes em sites por aí, mas sim enchendo estádios), tenista que mais arrecada, o maior vencedor do esporte(ainda é. Wimbledon é o desempate), O MAIOR LEGADO DO ESPORTE, e o mais admirado entre todos os tenistas e a next gen.

    Parabéns Roger GOATERER!

    1. André Barcellos

      Ele ainda é o recordista de Slams e de finals. E de semanas consecutivas na liderança, e de quartas em slam e de semis, e de títulos no US open e Wimbledon, etc…

  48. rafael

    Parabéns ao grande Federer! Sigo na torcida para que ele tenha um 2022 saudável e com belos jogos, mas sei que será difícil como bem resumiu nosso querido Dalcim. De qualquer maneira a história foi feita e com louvor!

  49. Majô

    Parabéns a esse excepcional tenista Roger Federer!!
    Sua magia em quadra será sempre lembrada,que possa voltar e nos dar o privilégio de vê-lo jogar.Se vai ficar com 20 Slans ou mais, pouco importa,há coisas que se medem por qualidade e não quantidade.
    Está na galeria dos maiores esportistas do mundo.Por coincidência, hoje outro gênio foi descartado pelo Barcelona Lionel Messi,que faz com os pés o que Federer faz com as mãos.
    Parabéns Rei Federer!!

  50. Marcílio Aguiar

    Parabéns ao Maestro Federer! Vida longa.

    Infelizmente as exigências físicas do tênis atual são demais para quem tem 40 anos e com os dois joelhos ja combalidos. Como bem disse o Dalcim ele não é tenista que vai entrar em quadra so para cumprir tabela. Não sendo competitivo ele, provavelmente, encerrará sua gloriosa carreira antes de completar os 41.

Comentários fechados.