Brasil olímpico sem sorte
Por José Nilton Dalcim
22 de julho de 2021 às 14:46

O sonho de enfim ganhar uma medalha olímpica, qualquer que seja, ficou um pouco mais distante para o tênis brasileiro depois do duro sorteio de chaves realizado na noite desta quarta-feira em Tóquio. E isso inclui até mesmo as duplas.

Thiago Monteiro tem chance de passar pelo instável alemão Jan-Lennard Struff – que já é um ‘trintão’ e perdeu dois de três duelos diante do canhoto cearense -, mas a possibilidade de cruzar então com o favorito Novak Djokovic é enorme. O número 1 terá o frágil Hugo Dellien na estreia.

João Menezes também vai encarar um nome de respeito sobre a quadra dura, o croata Marin Cilic, e ainda que consiga superar a barreira terá logo em seguida o vencedor de Pablo Carreño e Tennys Sandgren.

Ok, não esperávamos mesmo muita coisa na chave de simples. As duplas no entanto também pegaram estreias nada animadoras. Marcelo Melo, de última hora parceiro de Marcelo Demoliner devido à incrível crise de apendicite de Bruno Soares no voo para Tóquio, enfrentarão logo de cara a ‘dupla do ano’ Nikola Mektic e Mate Pavic, que ainda por cima acabaram de ganhar Wimbledon.

Já Luísa Stefani e Laura Pigossi, que entraram de última hora, terão pela frente as especialistas canadenses Gabriela Dabrowski e Sharon Fichman. Ironia do destino, Dabrowski será justamente a nova parceria de Stefani durante a lesão de Hayley Carter, repetindo a parceria que foi à final de Ostrava no ano passado.

Claro que sempre existe um lado positivo e, no caso das duplas, é o fato de que uma vitória desse porte logo de estreia irá dar a confiança necessária para um avanço significativo na chave. As mistas ainda não foram definidas e quem sabe, numa chave de 16 participantes, a oportunidade brasileira apareça.

Chaves de simples
Se existe algo a preocupar Djokovic neste começo de torneio olímpico é o clima muito úmido e quente em Tóquio. Não por acaso, ele destruiu raquete em pleno treino. O sorteio no entanto ajudou e o primeiro cabeça no caminho é Alejandro Davidovich. Então é bem provável vermos Nole lá nas quartas sem muito desgaste e aí pode ter Andrey Rublev. No entanto o cabeça 4 tem estreia perigosíssima diante da estrela local Kei Nishikori.

Alexander Zverev está no segundo quadrante e é o candidato natural à semi, mas o alemão nunca é previsível. Num piso veloz, pode se enrolar logo de cara com Yen-Hsun Lu, sofrer mais adiante contra Lorenzo Sonego e aí pegar Aslam Karatsev ou Hubert Kurkcacz nas quartas, que são dois nomes fortes na quadra dura.

O jogo inicial contra Alexander Bublik tende a ser a partida mais dura de Daniil Medvedev na primeira parte do torneio. Aí poderá encarar Pablo Carreño, Felix Aliassime ou até mesmo o bicampeão Andy Murray, adversário de estreia do garoto canadense. Acredito que Carreño seja o adversário natural, e nada fácil, se Medvedev chegar nas quartas.

Por fim, Stefanos Tsitsipas tentará colocar a cabeça em ordem, o que claramente não anda bem depois do vice em Roland Garros. E o destino resolveu atrapalhar: colocou o veteraníssimo Philipp Kohlschreiber de início e acena para o reencontro com Frances Tiafoe na sequência, o homem que varreu o grego de Wimbledon logo na estreia. A caminhada ainda poderá incluir Ugo Humbert. O outro setor está muito mais fraco, liderado por Diego Schwartzman e Karen Khachanov.

Equilibrada, a chave feminina tem olhos em Naomi Osaka, em sua primeira aparição após o polêmico abandono em Paris e com grande pressão por jogar em casa. Desde já, aguarda-se o duelo entre Osaka e Iga Swiatek lá nas quartas. O outro quadrante desse lado inferior está bem imprevisível: Elina Svitolina, Karolina Pliskova, Maria Sakkari. Jennifer Brady e a não pré-classiicada Ons Jabeur são todas boas alternativas.

A líder Ashleigh Barty carrega também dúvidas, aí em cima de seu quadril. Se estiver bem, o mais provável são ótimos duelos contra as atrações de Roland Garros, primeiro Anastasia Pavlyuchenkova e logo em seguida Barbora Krejcikova. Num piso que ajuda muito seu estilo forçado, Aryna Sabalenka se candidata à outra vaga na semi tendo como principais concorrentes Petra Kvitova e Garbiñe Muguruza.

Fique acordado
A largada do torneio olímpico será às 23h de sexta-feira, percorrendo a madrugada de sábado, e assim deve ser durante toda a competição, já que não estão previstas rodadas noturnas locais. Os organizadores também ignoraram a divisão das chaves e colocaram logo no primeiro dia tanto Djokovic como Medvedev, além de Osaka e todos os brasileiros, em simples e duplas.


Comentários
  1. Ronildo

    Djokovic continua dando o que falar na Vila Olímpica. Depois de treinar com as bailarinas, ele se empolgou e decidiu participar do maior número possível de treinamentos de diversas modalidades. Ele chega repentinamente dizendo: “Eu sou Djokovic, número 1 do mundo! Posso treinar com você?” E já vai se infiltrando! Só que esta empolgação toda tem tirado a concentração de alguns atletas que colocaram seus treinadores para vigiarem a aproximação de Djokovic. Caso o perigo seja real e imediato, eles simulam que estão fazendo outra coisa, até Djokovic passar. Como Djokovic é altamente competitivo, geralmente desafia o atleta que é pego desprevenido, só que usando sua raquete como instrumento. E por incrível que pareça venceu todos os desafios: venceu o campeão olímpico de esgrima, de lançamento de dardo e deixou o campeão de arco e flecha tão indignado com a derrota que este simplesmente foi pra casa abandonando a vila olímpica. Ficou possesso de raiva e não entendia como Djokovic tinha mais precisão no lançamento da raquete no alvo do que ele com seu arco e flecha! O pai de Djokovic ficou tão eufórico com estes desafios que não cansava de proclamar: “Meu filho é número 1 de tudo! É o rei do esporte! Se houve um Alexandre, o Grande, há também Djokovic, O Maior de Todos!

  2. Lola

    o que é a perfeição da Receba Andrade no salto e solo um primor.
    Ficou em 2° na classificação geral só atrás da Biles.

      1. Lola

        tomara que mantenha a pegada pra final, mas pela entrevista dela é uma menina super centrada e não tava deslumbrada.

  3. Rubens Leme

    “Sara: [tearfully] You’re an animal!

    Manny: No, worse! Human. Human!”

    “No beast so fierce but knows some touch of pity, but I know none, therefore am no beast.”

    Richard III, de William Shakespeare

    Periferia, revi ontem O Expresso do Inferno e peguei essas duas frases, a primeira de Manny, personagem de Jon Voight e a citação de Ricardo III, que fecha a película.

    Como você citou esse filme do Andrey Konchalovskiy, quando falei do Círculo do Poder, deixo as duas para suas considerações. E seria interessante ler o Filipe também, caso passe por aqui.

    Bom domingo a todos e que a vida lhes dê em dobro tudo aquilo que me desejam.

    1. Periferia

      Olá Leme

      Concordo com Manny…rs.

      Nos créditos do filme…o argumento é do Kurosawa (pegaram um roteiro não filmado do japonês e desenvolveram)…a história é ótima.
      O filme fecha com uma imagem aberta do trem e Manny …como se os dois tivessem um corpo apenas…os dois são fortalezas descontroladas….em direção ao inevitável (a imagem final é poética).
      O filme tem uma alta taxa de testerona…o chefe do presídio…o personagem do Eric Roberts… até o encarregado do deslocamento dos trens…e claro…Manny…todos olham o mundo por uma pespectiva do macho alfa.
      O filme tenta compreender a natureza humana.
      Assim como escrevemos sobre os clássicos russos e o cineasta japonês (Kurosawa)….o filme navega (coincidentemente) por esses dois mundos…de uma forma invertida…agora é um russo dirigindo uma argumento do japonês.

  4. Paulo F.

    Depois da eliminação do número 1 masculino na primeira rodada no Rio, hoje tivemos a eliminação da número 1 feminina na primeira rodada em Tóquio.
    Torneio Olímpico de Tênis é bem traiçoeiro hein?

  5. Luiz Fernando

    Aliassime é outro q segue a premissa uma no cravo outra na ferradura. Quando se acredita q ele pode voltar a trajetória correta vem uma derrota como essa. Lamentável…

  6. Manu

    Tava notando aqui: mulheres comentando em surfe, skate e vôlei agora no SporTV e BandSports. Amanhã teremos pela 1ª vez uma narradora e uma comentarista em um jogo da seleção masculina de futebol. Para a mídia esportiva, esses Jogos são j]á são históricos.

  7. Manu

    Certeza que esses comentaristas inventam uns nomes de manobra na hora: “o cara mandou um street flip grinder 380 side back downer”.

  8. Sandra

    Dalcim, não sei se. vc sabe explicar , mas a sigla da Rússia está sendo Roc, sei que é por problemas de doping , mas até quando ? Ela foi banida eternamente ? Só nas olimpíadas ou também nos mundiais? E são todos os esportes ?

    1. José Nilton Dalcim

      Russian Olympic Committee é o significado. A suspensão vai até o fim de 2022 e incluirá qualquer competição oficial, incluindo Jogos de Inverno. Os atletas russos podem competir de forma independente, desde que submetidos a teste antidopagem.

  9. Carolina

    Acabei de ver que Thiem e Wawrinka não jogarão em Cincinnati. Esses dois estão fazendo muita falta na temporada.

    E nos Jogos Olímpicos, hoje/amanhã tem Barty vs. Sorribes Tormo em um horário acessível para mim e péssimo para as jogadoras. Tenho grandes expectativas para esse confronto. E no mesmo horário tem a dupla Karatsev/Medvedev. Escolha difícil.

  10. Rubens Leme

    GENESIS – GENESIS (1983)

    E o disco do dia é um do Genesis fase Phil Collins. Aliás, até Invisible Touch, o Genesis fez ótimos álbuns ainda que tenha descambado para o pop a partir de Duke (1980). Esse de 1983, chamado simplesmente Genesis talvez seja o auge da perfeição pop do trio, três anos do megacampeão de vendas, Invisible Touch.

    Genesis trazia três faixas iniciais que são clássicos dos anos 80 – “Mama”, “That’s Alll” e “Home by the Sea” – e a tour subsequente se tornou um grande hit parade, intercalando alguns clássicos da fase prog, os hits solos de Phil e os hits radiofônicos que se iniciaram com “Follow You Follow Me”, de 1978.

    Phil teve uma das promoções mais inusitadas que uma banda de rock já viu, quando aquele carinha quieto, meio careca, feio, tímido e espetacular baterista assumiu a posição de front man.

    Sem Peter Gabriel e Steve Hackett, o trio remanescente – além de Collins, o baixista e guitarrista Mike Rutherford e o tecladista Tony Banks – herdou uma banda de prestígio, mas de baixas vendagens com dívidas na casa das 500 mil libras esterlinas – um caminhão de dinheiro nos anos 70 – e foram, disco a disco, moldando o som para algo mais palatável e vendável, a ponto de 1982, fazerem shows para salvar Peter Gabriel da falência, em um gesto de amizade e simpatia, com o ex-vocalista, sarando todas as feridas da tumultuada saida durante a tour de The Lamb Lies Down on Broadway.

    Merece todo o respeito. E audição.

    https://www.youtube.com/watch?v=L6rfElORgCU

  11. Abel Jr.

    O caso dos exploradores de cavernas – Lon Luvois Fuhler 1949
    Cinco homens ficam presos por 33 dias em uma caverna após a entrada desabar.
    No vigésimo terceiro, eles tomam uma difícil decisão: Após criarem regras e um sorteio decidem assassinar um deles para consumir seu corpo a fim de não morrer o grupo inteiro de fome. Após a primeira condenação, é invocada a suprema corte a decidir baseada no seguinte texto penal:

    “quem quer que intencionalmente prive a outrem da vida será punido com a morte”. .

    Eles assassinaram com justa causa? deve o magistrado criar interpretações no texto legislado? O tribunal deve julgar conforme o clamor popular? Deve se abster de uma decisão interna conflitante?
    Más porquê será que um tribunal colegiado toma em vezes decisões tão divergentes?
    Provavelmente já concordamos e discordamos de um mesmo juiz, estamos corretos e o magistrado equivocado?
    Bem curto e fácil de encontrar, ótimo para leigos como sou.
    Qual dos cinco magistrados será o que mais te agrada no voto ?

    1. Periferia

      Olá Abel

      Interessante a leitura.
      Simpatizo mais pela sentença do juiz Hardy.
      Sou da opinião que a lei deve ser “viva” ou seja…aplicada conforme o interesse público do momento.
      As leis sempre serão as mesmas (conforme escritas)…porém…a sociedade está em constante mudança.
      Acredito que seja mais fácil adaptar leis diante de uma sociedade em movimento…o contrário é complicado (como o Juiz Keen fez).
      O legislador não deve procurar uma lacuna na legislação para desviar da responsabilidade (juiz Tatting).
      O caso do juiz Foster é o mais intetessante…ele não representa a sociedade e nem a letra fria da lei…representa sua convicção moral (nosso supremo caminha para um “fosterismo”…com os terrivelmente isso ou aquilo).
      De certa forma o colegiado…nesse caso lavou as mãos (2×2) preferiu deixar o ônus da sentença para a primeira instância… confortável.
      Como bom brasileiro….prefiro pensar que os 4 juízes tomaram um café antes de publicar a sentença…rs

      Abs

  12. Carolina

    Não acredito que perdi o jogo entre Cilic e Menezes. 11 match points salvos! Isso deve ser um recorde ou quase um recorde.
    Pena que não deu para o Menezes.

  13. José Eduardo Pessanha

    Dalcim,

    Passagem comprada pra final da Libertadores. Aos desavisados, fiz o mesmo em 2019: comprei a passagem meses antes da final e deu certo. Já estamos esperando o Ríver pra ser nosso freguês do Tri.
    Rapaz, quase que o Cilic perde pro Menezes. Seria uma das maiores aberrações da história do tênis, com todo o respeito ao Joãozinho, que fez um ótimo jogo.
    Abs

  14. Periferia

    O Papel

    3000 a.C….os egípcios inventaram o papiro…que era feito com lâminas finíssimas de uma planta (com o mesmo nome) das margens do rio Nilo.
    100 d.C….Grécia e Roma…com medo do monopólio dos egípcios…resolveu criar (na cidade de Pérgamo) o Pérgaminho…feito com pele de carneiro.
    105 d.C…Anos depois…na corte do imperador chinês ( T’sai Lun)…o papel era inventado…um mistura de fibras úmidas com cascas de árvores.
    1268…os italianos começaram a fabricar papel à base de fibras de algodão, linho e cola…deixavam o papel resistentes às penas metálicas com que escreviam os europeus.
    1857….Benjamin Tilghman conseguiu purificar a fibra. Deixando o papel parecido com o que é fabricado atualmente
    2000…o papel é suplantado pela era digital…
    2021…uma motociata que terminou no porto de Santos faz um protesto para volta do papel (ajudará para auditar votos) …aproveita o local e deseja boa sorte para o navegador Osmar Terra…que tentará confirmar que a terra é plana.
    Alguns simpatizantes aplaudem efusivamente a partida do navegador.

    1. Rubens Leme

      Periferia, falando em papel, vale rever um dos melhores filmes aobre a paixão pelos livros, estrelado por Anthony Hopkins e Anne Bancroft: Nunca te Vi, Sempre te amei.

      1. Periferia

        Olá Leme

        Uma história simples…não existe um desastre natural…um assassinato…suspense…sexo…nada.
        Uma história simples…que pega aqueles que gostam de um bom livro pelo pé.
        Uma escritora…um gerente de livraria… cartas…e tudo sustentado por dois atores fabulosos (Anthony Hopkins e Anne Bancroft)…que nunca aparecem juntos na tela.
        Mel Brooks foi um dos produtores…ele comprou os direitos de filmagens para sua esposa (Anne Bancroft).
        O filme é muito sensível e o título em português foi de uma felicidade pouco normal.
        É um daqueles filmes que poderiam passar com frequência nas grades de tv (raramente é reprisado).

  15. F.R.

    Daí vc assinante da net com sportv contando acessar as transmissões tb pelo celular e o que o sportv faz durante as Olimpíadas? Coloca os 47 canais olímpicos no globoplay. É muito abuso dessa globo.

  16. F.R.

    O certo desprezo dos organizadores das olimpíadas com o tênis tb pode ser reação à não importância que muitos tenistas dão as Olimpíadas…

  17. Gustavo

    Muito legal o Djoko ir à tokyo prestigiar as Olimpíadas.
    Se não fosse, os detratores criticariam-no por não prestigiar o maior evento esportivo do mundo. Se vai, criticam-no por ir em meio à pandemia.

  18. Paolo

    Alguns erros de espaçamento que não comprometem o entendimento e a clareza textual.

    P.S.: Editei no Bloco de Notas. Abs!

  19. Luiz Fernando

    E q zica c o Thiem hein, o cara após vencer o USO e todo mundo acreditar q sua carreira deslancharia c muitos títulos entrou numa fase contrária, agora as contusões. Tênis ê um esporte cruel…

  20. Ronildo

    E Djokovic continua descontroladamente empolgado com sua meta de ouro olímpico! Ele tem entrado nos estádios vazios, se dirige ao centro das quadras e joga coraçãozinho para os quatro lados com um largo sorriso no rosto. Na verdade nem pode entrar nos estádios dessa forma, mas como Djokovic sempre anda com uma raquete na mão, ninguém ousa o contrariar! Os seguranças quando o vêem se dissipam mais rapidamente que fumaça ao vento!
    Tudo normal para Djokovic que diariamente tem repetido centenas de vezes que desta vez ninguém o impedirá de ganhar a medalha de ouro!

  21. Paulo Almeida

    Para quem não sabe, o Japão é um país com um público rockeiro/headbanger enorme, o que sempre atraiu as grandes bandas durante suas turnês. Algumas delas inclusive lançaram vídeos oficiais na famosa Budokan Arena. Destaco Live at Budokan (Ozzy Osbourne -2002), Rising in the East (Judas Priest – 2005) e Live at Budokan (Dream Theater – 2004). Este é um dos melhores shows a que já assisti, tanto pela produção quanto pelo setlist, e mal sinto as quase três horas de duração do evento passarem. Aliás, os americanos expoentes do progressive metal já haviam lançado no início da carreira a VHS Images and Words: Live in Tokyo em 1993, para promover seu segundo álbum (Images and Words), provando que valia a pena o risco de tocar tão longe, ainda que estivessem muito longe de nadarem em dinheiro.

    O apreço pelos fãs orientais era tão grande que muitos CD’s com faixas extras foram lançados unicamente para eles. Isso mesmo: nem mesmo as versões americanas e europeias superavam as japonesas nesse aspecto.

    As bandas mais famosas do heavy metal nipônico são Tokyo Blade e Loudness, mas confesso que as duas nunca me atraíram muito e não tenho muito o que falar a respeito.

    Está aí uma pequena contribuição relacionando música com o país que sedia as Olimpíadas, mas quem não gostar pode pular a “poluição”. ???

      1. Paulo Almeida

        Nossa, realmente imperdoável. Pior que eu tenho a versão com o disco bônus.

        Acabei pensando mais nos vídeos do que nos áudios e menos antigos também. O próprio Judas tem o Unleashed in the East de 1979, rs.

  22. Enoque

    Djoko não joga o Master de Toronto, mas, para a pontuação no ranking, seria mais vantajoso jogar Toronto e não Cincinatti, já que em Cincinatti tem 500 pontos garantidos, ou seja perderia apenas 500 pontos não participando de Cincinatti, mas, poderia acrescentar 1.000 pontos em Toronto. A participação nas olimpíadas, certamente, vai causar prejuízos, sem falar no desgaste e risco de lesão.

    1. Alessandro Siqueira

      Djoko só defende 180 do USOPEN 2019, já que ano passado foi eliminado. Então tem muito a somar na gira norte americana, mesmo não jogando no Canadá. E depois ainda teria Indian Wells deslocado no calendário, onde também poderá somar muito.

    2. Helena

      Independentemente do resultado das olimpíadas, não há condições de jogar os dois masters, então melhor ir pra Cinci que tem condições mais parecidas com o US Open.

  23. Luiz Fernando

    Como eu cantei s bola aqui ha uns dias atrás Djoko não irá a Toronto. Tomara q eu erre a previsão de Rafa em Cincy…

  24. Maurício Luís *

    Boa noite, Dalcim. Pergunta: o Djoko está hospedado na Vila Olímpica… ou superstars do tênis ficam separados dos demais pra não se “misturarem”?

      1. Abel Jr.

        Oi Dalcim.
        Acho que esta regra de todos os atletas ficarem na vila olímpica foi revista.
        A seleção de Ginástica artística dos EUA se mudou para um hotel.
        Não sei se foi excessão por causa de um caso na delegação ou outras delegações e atletas acabarão podendo fazer o mesmo.

        1. José Nilton Dalcim

          Sim, isso varia de cada personalidade, Helena. O assédio é geralmente muito grande sobre as estrelas e acaba desviando um pouco a concentração.

  25. Paulo Almeida

    Era muito óbvio que Djoko não disputaria o Masters do Canadá novamente, dando preferência ao descanso e depois ao tri de Cincinnati. Mesmo assim, vai ficar apertado. Folga mesmo só depois do US Open.

    E o Thiem não sai dessa maré terrível!

    1. Barocos

      Rodrigo,

      Sempre utilizei “bailarina” no melhor sentido, com o intuito de enaltecer a beleza do estilo e a graciosidade dos movimentos do Federer e, ao menos para mim, continua sendo o melhor “adjetivo” para descrever a elegância do suíço em quadra, então, pretendo continuar a empregá-lo.

      Quanto ao Djokovic, acho ótimo que ele se disponha a participar de brincadeiras e confraternizações, foi justamente por este motivo que passei a torcer por ele, além, é claro, das suas excepcionais qualidades como jogador.

      Onde você parece enxergar demérito, eu vejo virtude.

      Saúde e paz.

    2. Luiz Fabriciano

      Os nolistas e também os outros já viram essa foto em matéria de Tenisbrasil.
      E você é inteligente o suficiente para saber que o “bailarina” de Federer tem outra conotação. E isso aí nem é balé.

    3. Bel Grado Fa

      O que o photoshop nao faz!!! Para as bailarinas, claro! (Pelo menos os fãs dos outros teniatas podem apelar que a foto trata-se de uma photoshop).

      Mas sèrio, agora, uma foto como essa deveria reacender a discussao “idade vs preparacao vs longevidade” no esporte.

    4. Paulo F.

      Djokovic é o ginasta do tênis mesmo. Os seus espacatos em quadra ajudam no seu poder defensivo gigante.

  26. Bruno

    Mestre,

    Um eventual triolímpico de Murray acabaria com essa história de Big 3 e nos faria voltar a falar do bom e velho Big 4?

    Abraço!

    1. José Nilton Dalcim

      Se você fala no momento, acho que não. Mas o Murray é um Big 4 pelo conjunto da obra, assim como Federer será um Big 3 mesmo que não consiga mais um resultado de peso. Não consigo ver a coisa apenas pelo imediatismo, Bruno.

      1. José Eduardo Pessanha

        Pois é, senão falaríamos em Big 1, pois Nadal acabou. rs
        Cotonetes, vocês pegam no meu pé, mas eu sempre disse que prefiro 1 milhão de vezes o Vassourito ao espanhol, pois o mesmo é infinitamente mais jogador do que o Nadal. Pode procurar nos arquivos do blog, Danilo, e verás que falei isso trocentas vezes.
        Abs

  27. Rubens Leme

    Para alegria da outra ala, falarei de tênis e do “ídolo” deles, o quebrador de raquetes.

    A madrugada corre em paz em Belgrado, até explodir um berreiro:

    – Papai, papai! Papis!
    – Calma, Nole, calma, filhinho! Que que foi, meu anjinho?
    – Papis, tão falando na internet que o Roger deu uma entrevista e nem citou meu nome, só o do Rafa!
    – Aquele suíço idiota! Sempre te provocando! Pode deixar que o papai vai dar uma coletiva e falar mal dele (de novo!)!
    – Papai?
    – Fala, filhinho.
    – Papai, gostei tanto daquele ursinho do Shapovalov, o Storm, é tão bonitinho…
    – Quer um igualzinho? Papai te arranja um…
    – Gostei daquele, papai!
    – Quer aquele? Eu dou um jeito, pode deixar!
    – Não, papis, não pode! Agora eu e o Shapo somos amiguinhos! Ele disse na rede, quando me cumprimentou, que gosta de mim, somos “shapinhas” (e ri da piada sem graça. O pai, claro ri, junto).
    – Ha! ha! ha!, meu menino é um comediante nato! Melhor do que o Jerry Lewis, um goat!
    – Papis, o Denis gosta de mim, ele é meu amiguinho!
    – Mas todos gostam de você, Nolinho! Quem não iria gostar de você?
    – A imprensa não gosta!
    – A imprensa não vale nada! Não vê o que fazem com aquele coitado do Bolsonaro no Brasil, como o perseguem?
    – O Roger não gosta. Ele gosta do Rafa, mas não gosta de mim!
    – Meu flho, esquece aquele cara!
    – Mas eu queria ser gostado igual a ele, papis!
    – Mas você é, Nolinho, você é, pode apostar, confia no que o papis tá te falando! Nossos seguranças te amam! Não é, rapazes? (Dá um olhar de ódio para os empregados, todos tremem).
    – Sim, nós te amamos muito, Nole!
    – Tá vendo, filhinho?
    – Obrigado, papis. Obrigado, rapazes.
    – Olha, vamos fazer o seguinte: vou organizar uma motociata para você!
    – Uma motociata? O que é isso, papis?
    – Aprendi vendo o mito no Brasil! Todo mundo sai com ele, o abraça, anda de moto, todos o amam! Menos a imprensa, claro!
    – Eu quero, papis, quero uma motociata!
    – Pode deixar, filho. Vou ver se o pessoal de Brasília paga a nossa também.
    – Obrigado, papis!
    – De nada, filhinho.
    – Papis?
    – Sim, Nolinho?
    – O que é Brasília?
    – Vai dormir, vai, filhinho. Boa noite.
    – Boa noite, papis!

    1. Paulo Almeida

      Como você diz, esse é daqueles comentários que a gente joga direto na lata de lixo.

      E o pior é que foi Ctrl C + Ctrl V daquele de duas semanas atrás. Lamentável.

    2. Denis

      Difícil decidir o que é mais chato. As fábulas infantiloides sobre tênis ou os textões enfadonhos sobre músicas e filmes

      E olha que é uma tarefa difícil fazer assuntos tão interessantes parecerem tao chatos

    3. Helena

      Olá, Rubens!

      Se não me engano, você disse uma vez que era fã da Agatha Christie. Assim sendo, vou deixar um trecho de um dos meus livros favoritos da rainha do crime, Morte no Nilo:

      “It is deeper than that. Do not open your heart to evil.”

      Her lips fell apart, a look of bewilderment came into her eyes.

      Poirot went on gravely: “Because if you do – evil will come …. Yes, very surely evil will come . It will enter in and make its home within you and after a while it will no longer be possible to drive it out.”

  28. José Eustáquio Masculino Cruz

    Como me falem,este Djokovic é GOAT,pode ser para a Sérvia e olhe lá o cara é descontrolado ele toma um calmante engraçado aqui no Brasil é proibido lá na Sérvia é liberado na França restringiu a Receita e só com ela compra será que foi por isto que caiu fora tá em abstinência kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    1. Alessandro Siqueira

      Além de não gostar do Djokovic, parece que você não é muito afeito às vírgulas. Na tentativa de compreender o que escreveu, fiquei com a sensação de praticar apneia.

  29. Lola

    os inteligentinhos dos textões copia e cola, entopem esse blog e são contra voto auditavel q já passou na Câmara em 2015.
    quem pode ser contra mais transparência em uma eleição?
    os supremos são, afinal já liberaram o quadrilheiro pra concorrer…

    1. Gildokson

      E quem disse que sem ser em urnas eletrônicas o voto tem mais transparência??
      Ah ja sei quem falou.
      O cara que a que foi eleito deputado diversas vezes sendo votado em urnas eletrônicas, presidente uma vez (infelizmente) sendo votado em urna eletrônica e agora com medo de perder uma ta com essa ladainha.
      Alguém tem que lembrar ele que antigamente no no estado dele ja teve até eleição cancelada antes e foi antes das tais urnas eletrônicas.

      1. Lola

        teu ídolo quadrilheiro tá solto, stf q é aparelhado e acovardado liberou-o para disputar a eleição, ele não é inocente, apenas anularam as condenações numa manobra jamais vista, passaram por cima de 3 instâncias pra botar o bandido na rua.

        ah, falau Bozo, já sabe né kkk!!!

    2. Alessandro Siqueira

      Acho que devemos começar uma luta pelo fim do computador e em prol da máquina de escrever, né? Ato contínuo, acabamos com WhatsApp, telegram e afins e recobramos o telegrama. Por fim, pedimos o fim da DUCHA HIGIÊNICA. Sim, voltemos ao uso exclusivo do papel higiênico para que todas as merdas fiquem no papel. #preguica

      1. Lola

        sabe q é um absurdo essas urninhas serem fraudaveis. hackers entram até no pentagono, mas as urninhas q só são usadas aqui e algumas outras republiquetas bananeiras são super seguras.

        Aliás, é tudo teoria da conspiração do GDO e dos terraplanistas. Assim como era o Foro de São Paulo.
        ah, e não são cédulas de papel, sao votos impressos auditaveis.
        Só os fraudadores não querem, ainda mais com o quadrilheiro Lula e ze dirceu soltos e desesperados pra retomar o poder pra voltar a abastecer os amigos cubanos e venezuelanos e agora os argentinos.

    3. Maurício Luís *

      Se você procurar se infomar, vai ver que os votos em urnas eletrônicas sempre foram auditados. O site boatos.org é um dos que desmistifica isso. Não é como o Capitão Cloroquina está tentando fazer o povo acreditar, que são apurados numa sala secreta.

      1. Alessandro Siqueira

        Maurício, quando a pessoa está disposta a não exergar, dificilmente alguém fará com que ela veja alguma coisa. Às vezes me sinto na obra do Saramago, mas aqui o ensaio não é sobre a cegueira, mas sobre a loucura.

    4. Bel Grado Fa

      Menos Fia, menos….rs. mesmo porque quem votou no atual presidente pretendia que os eleitos fossem incorruptíveis (pelo menos se apresentaram assim antes das eleiçoes). No entanto, o que se viu foi o contràrio (há desde prevaricação, nepotismo, afronte a ordem constitucional e a soberania, fora os crimes comuns cometidos durante o mandato). Nem citei estou citanfo aqui a total incapacidade de governar, e a vergonha que sentimos de ouvir as bobagens diárias que ele fala.

      Outro dia ainda ouvi (provavelemnte de uma sua colega) que a mùsica “Caminhando e Cantando” representou o governo militar, que salvou o país dos comunistas (sic) e nao me recordo de ter ouvido tanta bobagem numa frase só.

      Nao estou defendendo ninguèm que vc atacou, mas antes de “abrir o teclado” e atacar o vizinho, olhe dentro de tua própria casa, que está uma bagunça e um desgoverno!

      Que horror!

        1. Bel Grado Fa

          Relaxa, “Colega”! Mesmo sem citar o nome da música, parece que até uma pessoa com défict cognitivo tem condições de entender e responder. Então, minha comunicaçao foi bem feita (com ou sem o nome da música).

          1. Luiz Fabriciano

            Estou relaxado e não te critiquei, como podes notar.
            Apenas perguntei se alguém mencionou esse nome mesmo como sendo o da música. Pois há pessoas que assim acham.

    5. Luiz Henrique

      A transparência atual das urnas eletrônicas é de 1 trilhão %

      Aqui a gente já costuma ler muita besteira nos comentários, mas esse negócio das urnas fico em choque de ter gente que acredita nessa baboseira de que não é confiável
      Mas é isso, pessoal acredita até que a Terra é plana né
      Então podem acreditar em qualquer coisa
      Até mesmo que o todos os resultados do Big3 foram manipulados até hoje pra ser divertido os 3 empatarem em 20

      Obs: me leva pra conhecer a BORDA da Terra

  30. Evaldo Medeiros

    Dalcim, Nole deu uma declaração à imprensa, em um certo tom de brincadeira dizendo “estar aliviado porque Delpo não vai aos jogos”. Como você vê um tenista do quilate de Delpotro? Um legítimo Big 5? O cara que, juntamente com o Wawrinka, foi o que mais incomodou o Big 3?

    1. José Nilton Dalcim

      Ah, com certeza Delpo em plena forma dava muito trabalho aos tops, e em qualquer piso. Basta ver quantas vitórias memoráveis em cima de grandes adversários. Foi realmente uma pena ele ter descuidado do físico e ter ficado tão frágil nas contusões.

  31. Periferia

    Olá Dalcim

    Deve ter sido emocionante ver uma tenista acendendo a pira olímpica…
    Um esporte que vc milita a tantos anos.
    Pela primeira vez o tênis teve esse privilégio.

    Viva o tênis.

    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida alguma, José Cláudio. Há ainda todo um simbolismo em cima dela neste momento. Fiquei muito feliz e emocionado.

  32. Paulo F.

    No país que é a pátria de duas das modalidades de lutas tradicionais, famosas e agora olimpicas, não foi nenhum judoca ou nenhum carateca que acendeu a pira.
    Tampouco um futebolista, jogador de vôlei ou de baseball/softball que também são populares no Japão.
    Coube a honra a uma tenista: a agora polêmica Naomi Osaka.
    E alguns ainda ousam questionar a popularidade deste maravilhoso desporto que é o tênis.

    1. Sérgio Ribeiro

      Imagina a cara daquela figura conhecida que encheu o saco dizendo que o Tênis não é Esporte Olímpico kkkk. Abs!

      1. Barocos

        Sérgio,

        Pois é, no fim, todos que estavam em boas condições físicas e com chance de conquistar uma medalha, se apresentaram na vila olímpica. Uma pena que o Roger não pôde ir, tomara que o problema no joelho já tenha desaparecido. Quarenta e ainda se pondo a prova, o dia que ele parar vai ser muito triste para todos que gostam deste esporte maravilhoso.

        Espero uma boa disputa entre os grandes no US Open, seria maravilhoso para a história das façanhas humanas e, não tenho a menor dúvida, daria um filme para lá de bacana.

        Saúde e paz.

      1. Maurício SP

        Que ótimo, obrigado. Você fala do horário porque acredita que poucos vão acompanhar os jogos de tênis?

  33. Ronildo

    Os japoneses colocaram Djokovic para treinar numa quadra isolada, cercada com tela por todos os lados, inclusive por cima. O comitê olímpico tomou tal medida porque ele matou um passarinho ao jogar a raquete para um lado mal escolhido num acesso de fúria. Meia hora depois de ter matado o passarinho, teve outro acesso de furiosa cólera, quebrou a raquete e jogou para o alto, derrubando um drone que passava pelo local. Há relatos que pessoas já tiveram que se desviar de raquetes voadoras oriundas de Djokovic, de modo que ninguém está se aproximando dele durante os treinos, somente Goran Ivanisevic, seu domador, digo treinador. Três tenistas juvenis japoneses que foram escalados para treinar com Djokovic foram parar no hospital em estado de choque e pânico.

    Está tudo normal e Djokovic segue firma na sua busca pelo ouro olímpico.

    1. Paulo F.

      Ainda bem que o angelical, ser humano perfeito e exemplar Roger Federer JAMAIS quebrou UMA mísera raquete.

    2. DANILO AFONSO

      RONILDO, se eu comer uma sopa de letrinhas e depois ir ao banheiro, certamente verei frases aleatórias mais proveitosas do que as que li acima.

    3. Maurício Luís *

      Ronildo, dizem as más línguas que o sérvio tá nervoso porque não deixaram a sogríssima querida viajar junto pra torcer pra ele. Parece que ela foi pega pelo Catavelho e tá presa na Delegacia.

  34. Luiz Fernando

    Shapovalov eliminado pelo 249 do mundo, cara q ninguém já ouviu falar, esse é outro q sempre decepciona…

    1. Periferia

      Olá Leme

      Kurosawa era um leitor voraz dos clássicos russos…de Shakespeare…até de um escritor americano…Evan Hunter…roteirista de Os Pássaros de Hitchcock ele adaptou para o cinema (Céu e Inferno).
      Se não me engano ele tem adaptação para o cinema de obra do Gorki (Ralé)…e do Arsenyev (Derzu Uzala).
      A adaptação de Dostoiévski foi um fracasso total…o filme quase acabou com a carreira dele (filme de 1951).
      O estúdio obrigou a cortar o filme (tinha mais de 4 horas).
      Com isso foi feito um filme de 2h40…bastante irregular…mesmo assim o “irregular” do Kurosawa é algo genial.
      O filme capta a alma do livro…tanto Kinji (o personagem do filme) quanto Michkin (de Dostoyévski) carregam a luta contra um mundo agressivo…que não aceita a pureza das intenções.
      O filme é bastante pessimista…assim como o livro…praticamente os dois mostram como é difícil ver o mundo de uma forma otimista (a resistência é grande…).
      Se vc reparar…a literatura russa é de um pessimismo grande em relação ao ser humano.
      São obras existencialista…que pegam pesado…o filme também tem essa pegada.
      E tem um preto e branco lindo.
      Se Kurosawa e Dostoyévski estivem por aqui hoje…diriam que o mundo precisa de uma pitada de epilepsia

      1. Rubens Leme

        Eu o revi hj, Periferia e tive essa mesma impressão. Achei que se perdeu um pouco no meio do filme,mas, adoraria me perder como ele pq é de tiraro fôlego.

        Agora o fato da literatura russa ser pessimista tem muito a ver com a própria história do país e as condições de vida. Em algumas partes são 8, 9 meses de frio extremo todo ano. Não tem como não ser pessimista.

  35. Luiz Fernando

    O tenis na Olimpíada está claramente esvaziado, mas longe de dizer q está fácil pro Djoko levar o ouro. Ele é o maior favorito? Até as garrafas de saquê sabem disso. Mas em melhor de 3 sets vencer caras como Rublev, Zverev e Medvedev não é simples pra ninguém. Outro detalhe: a quebra de raquete ontem num treino despretensioso já demonstra q ele está cobrando muito de si mesmo, vem de uma maratona de partidas etc etc etc…

    1. Sérgio Ribeiro

      Um Torneio Olímpico em que o N 1 e o N 2 do masculino e do feminino estão presentes somente está esvaziado pra quem não acompanha o Circuito. Acompanhados por 6 TOPs 10 e 7 respectivamente. Aqui é mesmo diversão garantida kkkkkkkkkk . Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Ps. Enquanto isso temos uma penca de ATP 250 em que os fujões olímpicos estão caindo a dar com o pau rsrs. Abs!

      2. Luiz Fernando

        Então vc é um dos q não acompanha kkk, o mundo diz isso, inclusive o Dalcim kkk. Apenas a ausência de Nadal e Federer já expõe isso de forma clara e óbvia. Mas textos vindos de vc expondo bobagens nunca são inesperados, pois aqui vc é um dos q contribui p ser diversão garantida kkkkkk…

  36. Rubens Leme

    ROBERT WYATT – ROCK BOTTOM (1974)

    Um dos mais importantes nomes da cena de Canterbury e do rock progressivo, Robert Wyatt nunca parou de produzir, mesmo após ficar paralítico.

    Ex-baterista e co-vocalista do Soft Machine até o LP Fourth (1971), Wyatt sofreu uma estúpida queda, bêbado, de uma janela de um edifício da cantora Lady June, em 1973. Escapou da morte por pouco, mas não se abateu e continuou a trabalhar.

    Assim, no ano seguinte, lançou seu segundo LP, Rock Bottom (1974), considerado o melhor de sua carreira. Curiosamente, disse que o acidente salvou sua vida, pois abandonou sua paixão pela garrafa.

    Apesar de ser o segundo disco – o primeiro foi The End of an Ear (1970) -, Wyatt o considera seu disco de estreia, por o anterior havia sido feito com músicas várias antigas e desconexas. Na época do acidente, havia deixado o Matching Mole, um grupo pós-Soft, que havia lançado o segundo e final LP, Matching Mole’s Little Red Record (1972), título em homemangem a Revolução Cultural Chinesa.

    Produzido pelo baterista do Pink Floyd, Nick Mason, Rock Bottom foi lançado no dia em que Wyatt casou-se com a artista plástica Alfreda Benge (responsável pela capa do álbum) e com quem vive até hoje. Segundo o próprio Wyatt, o disco fala de perda, experiências e “o começo de sua vida madura”.

    “Ficar paraplégico me mostrou que ainda poderia trabalhar, mesmo estando preso a uma cadeira de rodas e o tempo no hospital foi importante para que eu começasse a sonhar e pensar mais profundamente sobre música”.

    As seis faixas variam de um rock progressivo mais convencional até faixas mais abstratas, experimentais, com toques de free jazz, o que faz de Rock Bottom um clássico do gênero e uma das obras fundamentais da cena de Canterbury.

    E os problemas físicos jamais impediram de trabalhar como convidado, tocando vários instrumentos, em discos de queridos amigos: o próprio Nick Mason, David Gilmour, Brian Eno, Phil Manzanera, John Cage, Anja Garbarek, Bjork, sem falar nos discos solos de Syd Barett e Kevin Ayers quando ainda era membro do Soft Machine e antes do acidente.

    Em 1985, lançou outro grande trabalho, Old Rottenhat, dedicado ao ex-agente do MI5 britânico, Michael Bettaney, que acabou sendo preso, em 1984, acusado de espionagem para os soviéticos.

    Marxista e comunista de carteirinha, aposentou-se anos atrás para se dedicar à política, o que não impediu de raras apresentações, como em alguns concertos de David Gilmour no The Meltdown Concert, onde Wyatt é curador.

    Considerado uma lenda, foi homenageado pelo Tears for Fears, no LP Songs from the Big Chair (1985). O duo não apenas lhe dedicou “I Believe”, como ainda fez uma versão de “Sea Song” (canção que abre Rock Bottom), no lado B da mesma, quando ela virou compacto.

    https://music.youtube.com/playlist?list=OLAK5uy_nC3klNJhTgwQgWZvirKRQmttA61i1aaow

  37. Maurício Luís *

    O Nick Kyrgios resolve desistir das Olimpíadas porque não haverá torcida. Mãããasss… é pra ir lá defender o país, ou é pra aparecer? Pelo visto, na cabeça do polêmico australiano, é a segunda hipótese. Medalha de lata de sardinha amassada pra ele. E olha que nem problema de fuso horário e distância tem.
    O Kyrgios tá é confundindo tênis olímpico com concurso de Miss Universo. Ele quer ser eleito “Miss Simpatia”.

  38. F.R.

    Enquanto a confiança do tenista não voltar, ele enfrentará dois adversários a cada jogo. Seu oponente e a si mesmo.

  39. Maurício SP

    Dalcim, você não acha provável que o sérvio tenha conseguido aumentar a sua equipe (o encordoador, por exemplo), incluindo-o no staff de outros tenistas sérvios? Os outros estão lá a passeio, e pelo ranking provavelmente nem viajem com uma equipe completa… Quando o Djoko falou que está 50/50 sobre ir ou não, devia estar pressionando a federação sérvia a lhe conceder algumas regalias desse tipo, que devem se verificar em outros esportes e nacionalidades…

  40. Paulo Almeida

    Esse clima quente e úmido é terrível para o Craque, vide o US Open 2018. A chave é complicada como sempre (Struff, Musetti, Rublev, Zverev, Karatsev e Hurkacz), enquanto a do Medvedev é a mais teta de todas (Tsitsipas ou Aliassime na semifinal apenas). Duvido que se complique contra o palhaço Bublik.

    1. Sérgio Ribeiro

      Não apela caríssimo ,Piloto. Desde 2001 somente existe um Craque e é Suíço. Vai de ” goat ” mesmo que é mais a praia da Kombi rsrs. Abs!

      1. Paulo Almeida

        Não, Ribeiro, o Craque e o GOAT são exatamente a mesma pessoa, ou seja, o NoleKING. Pro outro não restou nada, só o título de GUAT.

        Abs!

  41. VINICIUS BENEDITO CUSTODIO

    Dalcim além do tênis, vc tá animado para ver mais o que nas olimpíadas?o evento em si te anima?tenta ver de tudo se pode?ou fica mais no tênis mesmo?
    Obrigado pelos posts e sempre por responder
    Abs

    1. José Nilton Dalcim

      Sou fanático pelas Olimpíadas, Vinicius, e geralmente quero ver tudo. Tenho minhas modalidades favoritas, que não perco por nada: ginástica, atletismo, natação, saltos ornamentais, tênis de mesa, salto do hipismo… A lista é grande… rsrs Claro que o horário não ajudará, assim como muitos esportes são simultâneos e aí desta vez dependerei muito das reprises e dos streamings.

    2. Manu

      Legal a tua pergunta e gostei da resposta, Dalcim
      Eu tb gosto muito.
      Amanhã, às 8h, tem cerimônia de abertura das Olimpíadas. Eu amo. Choro, me emociono, dou tchauzinho pras delegações na TV, fico procurando atletas no meio da muvuca e comentando em voz alta: OLHA ELE LÁ! Pareço uma véia.

      1. José Nilton Dalcim

        EU já chorei muito com as Olimpíadas, Manu. A chegada da maratona do Vanderley, o ouro do Zanette, o título do Murray… Há coisas que realmente valem a pena.

        1. Rubens Leme

          Chorei muito com o adeus do ursinho Misha, no encerramento dos Jogos de 1980, em Moscou.Tanto a abertura como o encerramento foram os mais bonitos que vi: simples e elegantes, diferente da breguice de Los Angeles, quatro anos depois.

          Tinha 11 anos e eu e minhas irmãs menores soluçávamos quando ele se foi. Até os anti comunistas choraram quando ele derramou lágrimas, como no vídeo abaixo, a partir dos 2 minutos.

          https://www.youtube.com/watch?v=Emfu5RhZ8Xo

  42. Ricardo

    Dalcim, com relação à frustração do Djoko, a primeira coisa que me veio à cabeça foi a questão do encordoamento, já que ele está sem seu encordoador.
    Sei que os profissionais sentem qualquer mínima mudança na raquete.
    Você acha que isso tem potencial para afeta-lo?
    Abs

    1. José Nilton Dalcim

      Qualquer coisa que saia da rotina afeta um atleta de alta performance, Ricardo, e acho que encordoamento é algo que pode definitivamente influir. Ainda mais com o clima úmido, que interfere ainda mais. Vamos torcer para que a qualidade não caia com isso.

  43. DANILO AFONSO

    Dalcim, como está a iniciativa (projeto) de redução dos impostos que recaem sobre os artigos esportivos de tênis ??

    Ouvi na época o seu podcast abordando o assunto com a participante ALINE e estou na esperança que projeto tenha sucesso, pois é desestimulante o preço crescente dos artigos, principalmente das bolas e cordas, ainda mais quem tem filhos e esposa praticando tênis igual aqui em casa.

    No podcast ouvi que seria disponibilizado um link no portal TênisBrasil para que os interessados baixassem um arquivo em word e depois de preenchido encaminhasse por e-mail ao setor responsável. O link realmente foi disponibilizado ?? Na época fiquei aguardando e não vi. Se foi disponibilizado ainda é possível responder a consulta ??

    Para quem é interessado na causa, segue abaixo o podcast 55 – LUTA POR REDUZIR IMPOSTOS
    https://www.youtube.com/watch?v=65ghz_W2GbI

    Saudações Tenísticas !!

    1. José Nilton Dalcim

      O link foi publicado sim, mas tinha de ser feito naquele período porque a consulta iria entrar na pauta. Não tive mais novidades sobre o assunto, vou ver se houve alguma atualização.

    2. Jose Yoh

      Acho que a única forma de reduzir impostos sobre artigos de tênis é ter alguns políticos fabricando ou importando esses equipamentos…

    3. Marcelo Costa

      Seria um alento ao bolso uma redução da carga tributária sobre equipamentos pra jogar, mas sendo atrelados ao dólar, por serem importados fica difícil. Tenho aberto mão de várias coisas pra pagar o clube, imagine ainda quem paga aula?
      Super importante tua pergunta, e preocupação.

  44. George Beco

    Dalcim, oq vc tem a falar do Demo?
    Pq pra mim ele é um bom duplista, com chances (não com favoritismo) de ganhar de qualquer um.

    1. José Nilton Dalcim

      Gosto dele e acho que ele já progrediu bastante. Pena que nunca consiga um parceiro firme e de qualidade. Sem isso, é difícil fazer a carreira decolar.

  45. Sérgio Ribeiro

    Depois daqueles papos furados de desinformados sobre o Ouro Olímpico no Tênis ( vários Tops como Shapovalov, Bautista-Agut e CIA estão caindo em primeira nos ATP 250 ) , temos o N 1 já quebrando raquete pois tanto ele como MEDVEDEV tem vários TOP 10 no caminho , no “ esvaziado “ Torneio , rumo ao Título. O mesmo vale para BARTY e Osaka . Possivelmente teremos novamente duelos sensacionais como aqueles entre Del Potro x Novak e Murray x Del Potro da Rio 2016 . Óbvio que o Sérvio se não sentir demais a pressão em 3 Sets , tem tudo pra se aproximar do mais que sonhado GOLDSLAM . Abs!

  46. Rubens Leme

    Periferia, voltando ao tempo de Tomates Verdes Fritos e falando ainda sobre a amizade. Tem um filme muito bom no Prime, mas com legendas apenas em inglês que não deverá ser problema para você ou para quem gosta de filmes.

    Chama-se Mr. Saturday Night – a arte de fazer rir, e é estrelado, co-escrito e dirigido por Billy Crystal. Boa parte deste material ele usou no stand-up para a HBO chamado “700 domingos” que fala do tempo – mais ou menos 14 anos – de sua vida até a morte do seu pai.

    Quem viu, reconhecerá as piadas com a família, os almoços dominicais, etc. Na película, ele é o comediante idoso, ranzinza e egocêntrico Buddy Young Jr. e tem como empresário seu irmão mais velho, Stan, vivido pelo ótimo e discreto David Paymer.

    Com seu temperamento destrutivo, Buddy implode todas as pontes cuidadosamente construídas pelo irmão, ao longo da carreira de 50 anos e o filme começa quando os dois se separam. Uma das cenas mais marcantes é quando ele vai se apresentar no Ed Sullivan no mesmo dia dos Beatles e tem a inglória missão de fazer seu número após a apresentação dos Quatro Rapazes de Liverpool.

    Esta parece ser um momento especial pra Crystal, pois, em 700 Domingos, confessa que após a morte do seu pai e dos incontáveis problemas financeiros vividos pela família, uma das poucas alegrias foi justamente assistir a banda no Ed Sullivan.

    Crystal é comediante das antigas, filho de um dono de uma gravadora, a Comodore, que gravou Billie Holiday e conheceu todo mundo do jazz na infância e como tal, possui texto e timing impecáveis.

    Trata-se de uma comédia meio amarga, mas positiva sobre família, carreira, amizades, erros, arrependimentos, permeado com humor e ótimas atuações. Embora seja desconhecido do grande público, Mr. Saturday Night vale o programa.

    1. Periferia

      O filme lembra vagamente a carreira do comediante Lenny Bruce (Bob Fosse fez um ótimo filme sobre o personagem).
      É algo bem vago a semelhança.
      Vi recentemente Jogue a Mamãe do Trem (uma comédia estranhíssima dirigida por Danny DeVito.
      A gravadora do pai do Billy Cristal lançou a música Strange Fruit da Billie Holiday…( A vida é estranha…Strange Fruit tem ligação com Billy Cristal…a dor e o riso).

      1. Rubens Leme

        Sim, ela gravou lá mesmo e Crystal conta no 700 Domingos não apenas isso, mas que ela o levou ao cinema ainda criança, para verem Shane juntos. Conta também uma história holária da avó dele perguntando ao Louis Armstrong porque não tosse pra tirar o “pigarro da garganta”

        Revi hj Jogue a mamãe do trem. Acho uma história muito divertida, usando Hitchcock em uma comédia de humor negro, que o velho Alfred aprovaria.

        1. Rubens Leme

          Periferia, o Lenny Bruce é retratado com alguma profundidade na série da Prime, a Maravilhosa Senhora Maisel, que começou bem e já decaiu. A primeira temporada foi muito boa, a segunda um pouco abaixo e a terceira, fraca. A quarta era para já ter acontecido, não fosse a covid.

          Na série, ela e o Lenny trocam confidências de palco e uma certa amizade em “prisões”.

          1. Periferia

            Olá Leme

            Não sabia sobre a série…
            Lenny Bruce é pouco popular…até mesmo nos Estados Unidos…aqui no Brasil quase ninguém o conhece.
            Ele é citado muito no mundo pop…tem música do Bob Dylan que faz referência…tem um quadrinhos do Batman…onde o Coringa antes de virar o vilão é um comediante de stand up com problemas.
            Até no capa do álbum, Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band dos Beatles ele está.
            Personagem interessante…de certa forma Lenny (em menor escala) e Larry Flynt mudaram a relação…liberdade de expressão e a censura nos Estados Unidos.

      2. Abel Jr.

        Peço licença ao Rubens Leme para responder ao Periferia sobre o post anterior onde falávamos sobre apocalypto e a importância do conhecimento para monopólio.
        O filme abre com a seguinte epígrafe: : “Uma grande civilização não pode ser conquistada por fora, antes de ser destruída por dentro”. Do historiador do qual sou fã Will Durant.
        A colocação de Gibson com isso é nos dizer que o que permitiu tanto Cortez quanto Pizarro terem dominado as américas foi a destruição interna dos estados através de diversos fatores (religiosos, de falta de unidade, de corrupção). Esta frase de Durant é relacionada ao império romano más cabe na história mesoamericana.
        Não é a força que destruiu a unidade dos impérios aqui existentes. Foi em grande medida o anacronismo social. A chegada dos espanhóis a partir do horizonte representa o fim de uma era e este fim era inevitável.
        E o domínio espanhol foi oriundo do conhecimento pois sem ele jamais teriam as tecnologias de navegação e bélica. No filme a conquista é determinada pela parte que se passa na cultura que o filme apresenta e não no final dele. (basta voltar à epígrafe).
        O domínio hoje pelo monopólio do conhecimento é ainda mais evidente, quem por exemplo, possui as patentes de vacinas em escala? quem possui maior influência global? se fizer uma pesquisa rápida verá que quem possui mais patentes indústriais e produção de conhecimento, geralmente está melhor colocado em todo o indicador de ordem social.
        E não confundir: O cara do cabo e soldado é um ator e não o detentor da supremacia organizacional.
        Ele é um ator de um quadro social temporal, assim como foram outros antes e que serão depois.
        Agora, os detentores do poder REAL, jamais permitiram ou permitirão por exemplo, que haja uma profunda reforma política no caso do Brasil e se ver quem chega a ser importante na estrutura é um ou dois caras que controlam o conhecimento da máquina política e que monopoliza as relações, não a toa o mesmo líder do governo atual foi do governo passado e do outro governo.
        O domínio pelo conhecimento vale em todas as áreas, vide o esporte. Quem possui mais chances de prosperar no tenis? O atleta que tem o contato com treinadores, técnicas e equipamentos onde o esporte acumula mais conhecimento ou em algum “subúrbio” do esporte?
        Enfim, o domínio pelo conhecimento está mais estabilizado do que nunca já que ele agora é também exercido pelo fator econômico que dita o poder social.
        A economia, o estado e a sociedade que detém o conhecimento prévio (histórico e prévio) sempre estarão a frente das outras. E o único risco que correm é da cisão interna de seus elos. Como no filme.

        1. Rubens Leme

          Periferia, depois que Woody Allen parodiou Um Bonde Chamado Desejo em O Dorminhoco, não consigo mais ver o filme original sem morrer de rir. Aliás, no documentário sobre o diretor, Woody relata a dificuldade de filmar a cena pois não conseguia parar de rir com a Keaton imitando o Marlon Brando.

          https://www.youtube.com/watch?v=4IF8-QQSDbk

        2. Periferia

          Olá Abel

          Difícil discordar de argumentos tão bem construídos Abel…
          Quando escrevo sobre a utopia do domínio do conhecimento é algo mais relacionado ao que vejo (sensorial).
          Quando vc menciona o Durant…temos que levar em conta que ele era um adepto de Rousseau…onde a sociedade sempre vai perverter o homem (quase um Adão e Eva no paraíso sendo corrompido pela serpente social).
          Acho a frase muito influenciada pelo pensamento do iluminista do francês.
          A sociedade sempre será implodida…e o mecanismo sempre será pela força (baionetas ou armas hipersônicas).
          O conhecimento e o domínio das patentes servem para alimentar e manter os arautos do “domínio” pela violência.
          Para exemplificar o raciocínio.
          Pegamos o Japão…tem um grande domínio sobre o conhecimento e as patentes…mas isso foi dado…o Japão não conquistou.
          Foi dado por alguém que para implementar o domínio…jogou duas bombas atômicas no país .
          Sempre o domínio…historicamente…vem pela força…o que conheço ou aprendi sobre as civilizações anteriores…todas foram dominadas pelo poder das armas…não conheço uma única exceção.
          Leopoldo não enviou professores..médicos ou cientistas para o Congo…mandou Henry Morton Stanley.
          Ainda acho que um cabo e dois soldados podem subjulgar uma sociedade inteira (ainda mais uma sociedade leniente como a nossa).
          Os arautos do conhecimento irão aparecer…talvez até tenham patrocinado algumas “baionetas”…mas o “conhecimento” vem sempre depois do barulho dos canhões.
          O mundo é da besta fera…sempre foi.

  47. VINICIUS BENEDITO CUSTODIO

    Dalcim para você o que motiva os russos jogarem as olimpíadas se o torneio não dá pontos, e eles não podem jogar pela bandeira do país deles, experiência?pegar ritmo para Us open? experiência de jogos olímpicos?
    Pq sinceramente não entendo o Medvedev jogando além da experiência das olimpíadas, talvez patriotismo de ver a olimpíada como algo grande mesmo que não possa jogar pelo seu país, o que você acha dalcim?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que é desejo mesmo de participar das Olimpíadas, Vinicius. A vitória não será contabilizada no quadro de medalhas para a Rússia, mas o atleta será campeão olímpico e acho que isso vale muito para os russos em geral.

      1. Rubens Leme

        Essa punição não faz sentido. Ou você pune o país de verdade e proíbe a participação de qualquer atleta russos nos Jogos ou liberede uma vez e permita que a delegação russa entre com sua bandeira, ouça seu hino (o mais lindo de todos) e participe do quadro de medalhas como os demais. Do jeito que está é uma humilhação pros mais de 300 russos. É o famoso bate e assopra.

        1. José Nilton Dalcim

          Mas você está punindo atletas que não tem envolvimento com a fraude promovida por uma parte da direção russa. Acho que é preciso pensar no atleta, não em quadro de medalhas.

          1. Rubens Leme

            Mas foi isso que eu quis dizer, que não se pode punir uma delegação de 335 atletas inocentes, por causa dos culpados já descobertos. Por isso que acho absurdo que não possam entrar com a bandeira e ouvirem o hino de seu país e contabilizarem suas medalhas.

            Ao meu ver, o COI tinha duas saídas: ou punir a Rússia de ir aos jogos ou permitir que participem com os atletas que estejam “limpos” em termos de doping e que representem seu país como qualquer outra nação.

          2. José Nilton Dalcim

            Eu já sou totalmente favorável à punição ao país, que não merece mesmo contabilizar medalhas, e a liberação dos atletas honestos, que podem cumprir seu sonho de disputar os Jogos. Especialmente no Leste Europeu, os Jogos sempre tiveram uma importância muito grande, é uma realização de vida.

          3. Luiz Fabriciano

            Fiquei “voando” aqui.
            Os tenistas russos, Medvedev e Cia não vão competir pela Rússia.
            Mas como funciona isso, já que os jogos são por nações?
            Por exemplo, se o Medvedev faturar o ouro, qual será a nação campeã olímpica de tênis em 2021?

          4. Luiz Fabriciano

            Sobre sua resposta da suposta medalha olímpica do Medvedev: ou seja, o famoso me engana que eu gosto!

  48. Renato Yamanaka

    Boa tarde Dalcim!
    Sabe dizer qual critério (se é que existe) para os jogadores usarem o fornecedor de material esportivo regular ou o fornecedor da confederação de seus paises?
    Por exemplo o Murray em 2016 jogava de UnderArmour e foi campeão vestindo adidas, Djokovic jogou no Rio com uniforme da Uniqlo e esta treinando em Tokyo com uniforme da fornecedora da equipe servia AF. O guga em 2000 era patrocinado pela Diadora e jogou em Sydney de Olympikus. Bom tem varios outros exemplos mas sempre tive essa duvida.
    Grande abraço e sempre bom ler seus comentários sempre sensatos aqui!

    1. José Nilton Dalcim

      Não há um critério específico, Renato. É uma negociação pura e simples entre a Federação de cada país e seus atletas. Há dezenas de coisas que haverá conflito e aí negocia-se caso a caso. Mas os organizadores gerais não têm qualquer ingerência sobre isso.

  49. Edgard Upinho

    Dalcim, Djokovic destruiu a raquete por frustração no treino causada pelas condições climáticas? calor e umidade foram os ingredientes que já o prejudicaram algumas vezes no AO? obrigado, mestre Dalcim.

  50. Paulo F.

    Já que teu blog virou cultural e vão falar de filmes, músicas e livros, ao invés de Tsitispas, Zverev, Musetti, Medvedev, Murray, a nova dupla Demoliner & Melo, Osaka, Barty, Sakkari, comentarei após o resultado das medalhas.
    Um abraço Dalcim, bom trabalho, pois a jornada num torneio com fuso horário invertido do nosso irá lhe exigir bastante.

      1. Paulo F.

        Falou aquele oportunista que vivia elogiando o Djokovic em 2011 quando ele teve a serventia de dar uma segurada no Rafa a favor do Federer.

    1. Sérgio Ribeiro

      Jura caríssimo Co-Piloto ??? rs . Estás mais nervoso que o “ goat “ quebrador de raquetes ? . Estou achando que tem uma turma de moleques ( Russos ) doidos pra comer o fígado de Novak no “ esvaziado “ Torneio. Afinal não é SLAM nem MASTERS 1000 , como dizem os “ especialistas “ . Então fica frio e não suma não, corres o risco de levar um puxão de orelhas do Piloto que também está se borrando kkkkkk. Abs!

      1. Paulo F.

        Não vou sumir, só cansei de estarem exagerando em desvirtuar o melhor blog e fórum de tênis do nosso país.

          1. Paulo F.

            Sim, tá mais do que óbvio que é manobra dos federistas, uma cortina de fumaça para tirar a atenção do cara do tênis no momento, que é o Novak.
            Gostem dele ou não.

      1. Paulo F.

        Nada contra, mas eles estão exagerando.
        Custa tanto assim dosar para não poluir o tênis, que deveria ser o assunto principal?

        1. F.R.

          Eu tb não tenho nada contra, mas, é como vc disse, não tem equilíbrio.
          Enfim, eu pulo os comentários, sobretudo os do Rubens, que abaixo ja disse que continuará escrevendo o tanto que quiser. Vai fazer por birra né. Carência como o Paulo Almeida falou.

          Concordo tb com o colega abaixo que disse que eles poderiam criar um grupo do WhatsApp para conversar. Mas daí não vão querer.

          1. Paolo

            Concordo plenamente. A droga é o escapismo dos fracos que não tem coragem de enfrentar a realidade dura. Eles optam por se
            desligar covardemente do mundo em vez de encarar as adversidades com a mente limpa e consciente. Drogados são
            crianças mimadas que querem benefícios imediatos e não tem paciência para esperar os resultados de longo prazo
            produzidos pelo esforço pessoal. Pela sensação ilusória e passageira de paz e tranquilidade arruínam o restante de
            suas vidas. Os vagabundos imorais são os maiores consumidores de drogas. Eles não aceitam as dificuldades da vida
            adulta, onde temos que trabalhar para conquistar o que desejamos e nos esforçar para superar nosso problemas.
            Entopem-se de alucinógenos na busca da imagem perdida na infância de sua mamãezinha satisfazendo todas as suas
            vontades diante do menor esboço de choro. O vício em drogas significa imaturidade, é a busca da vida fácil e da ilusão
            estúpida de que não tem sofrimento e problemas no mundo. Por isso há tantos comunistas, anarquistas e utopistas em
            geral viciados em drogas: o mundo sonhado por eles são muito parecidos com as “viagens” de um maconheiro. É duro, mas é a realidade. Abs!

          2. Paolo

            Concordo plenamente. A droga é o escapismo dos fracos que não tem coragem de enfrentar a realidade dura. Eles optam por se desligar covardemente do mundo em vez de encarar as adversidades com a mente limpa e consciente. Drogados são crianças mimadas que querem benefícios imediatos e não tem paciência para esperar os resultados de longo prazo produzidos pelo esforço pessoal. Pela sensação ilusória e passageira de paz e tranquilidade arruínam o restante de suas vidas. Os vagabundos imorais são os maiores consumidores de drogas. Eles não aceitam as dificuldades da vida adulta, onde temos que trabalhar para conquistar o que desejamos e nos esforçar para superar nosso problemas.

            Entopem-se de alucinógenos na busca da imagem perdida na infância de sua mamãezinha satisfazendo todas as suas vontades diante do menor esboço de choro. O vício em drogas significa imaturidade, é a busca da vida fácil e da ilusão estúpida de que não tem sofrimento e problemas no mundo.

            Por isso há tantos comunistas, anarquistas e utopistas em geral viciados em drogas: o mundo sonhado por eles são muito parecidos com as “viagens” de um maconheiro. É duro, mas é a realidade. Abs!

      2. Marcelo F

        Concordo também com a “reclamação” quanto à esse excesso de mensagens culturais. Outros já mencionaram isso antes. E olhe que gosto muitíssimo de cinema e música. Mais fácil montarem um grupo de WhatsApp e conversarem entre si. Mas daí não tem graca, né? Daqui a pouco vai virar fórum de discussões religiosas, políticas, etc. Já se discute fórmula 1, NBA (e não basquete) e futebol por aqui também. Nada contra esses esportes, muito pelo contrário. Acho a Olimpiada, por ex, o maior evento do mundo. Então, se for assim, vamos falar dela. Ou melhor, vamos falar de tênis! Nosso queridíssimo esporte preferido. Minha opinião apenas, respeito as outras.

        1. Paulo F.

          Sim, eu dou um exemplo:
          A Gabi e o LF (se não me engano), falavam bastante de NBA.
          Mas nem de longe com esse exagero todo sobre livros, músicas e filmes.
          Coincidentemente, esse exagero começou logo em seguida quando o Djokovic alcançou o Federer nos Slams.

          1. Manu

            Não dá para comparar o 1 ou 2 comentários curtos da Gabi com o Lf com os mais de 10 tijolos que temos vistos por aqui

    2. José Yoh

      Paulo F, você está enganado. Os assuntos mais comentados aqui são aposentadoria, entressafra, amarelo.
      Nenhum deles relativo à tênis.
      Abs

      1. Paulo F.

        Todos esses assuntos são relacionados, ainda que pejorativamente, a Roger Federer.
        Que não é cantor, escritor ou ator.
        TENISTA.

        1. José Yoh

          Caro Paulo F., com todo respeito, são suposições sobre uma pessoa. Poderia ser de uma celebridade qualquer.
          Não é uma discussão sobre como foi o jogo, ou o que está em voga no assunto tênis. No fundo, são ofensas a uma celebridade.
          Mas a minha reclamação não é essa.

          O ponto é sobre inundar o blog com assuntos repetitivos, que pouco agregam e de extremo mau gosto. E isso eu digo não apenas dos Nolistas, sempre houve Federistas ou Nadalistas que tiveram esse comportamento. Diria que alguns Federistas eram bem piores. Mas não culpo ninguém por isso, é da nossa cultura ser provocador e sarrista.

          Porém, se quisermos que esse espaço seja útil para nós mesmos, é preciso comentar sobre algo que agregue, não que faça todos perderem tempo.

      2. Rubens Leme

        Yoh, repare que a narrativa deste pessoal é idêntica do governo com a campanha a favor do voto impresso: ambos querem ganhar na marra.

        E as semelhanças não param aí, porque da mesma maneira que o voto eletrônico já é auditável e essa verificação sempre foi acompanhada pelos militares em todas as apurações (aliás, os militares ajudaram a construir as urnas eletrônicas, algo que eles mesmo se “esquecem” de dizer), aqui reclamam que poluímos (eu, principalmente) o espaço sendo que nenhum deles fala de exatamente de tênis, a não ser que se considere “falar de tênis” seja ficar exaltando o macho favorito e chamar o Federer de amarelão, rei da entressafra e outras barbaridades, em uma nítida demonstração de falta de educação. Oras, desde quando isso é realmente falar de tênis? Meu falecido pai diria que isso tem outro nome: agressão gratuita.

        Eu mesmo falo mais de tênis (o esporte) do que eles, basta ver como busco fatos do passado, porque o presente é feito com brilhantismo pelo Dalcim e minha era favorita sempre foi a de Borg, McEnroe, Connors, etc.

        Então, a retórica é no sentido de desconstruir o que as outras pessoas estão escrevendo e que, em nenhum momento, ofende os demais leitores, porque eu, periferia, Marcílio, Filipe, Marcão, Barocos, Rafael, Abel, Miguel Tyson, Bel Gra Do e você gostamos de falar também de temas diversos, com respeito pelas opiniões alheias e muito enriquecedoras (já aprendi muito aqui)), ao invés de ficar chamando os demais participantes de amarelão, invejosos, ou ridicularizar a “seita helvética” etc.

        Isso se chama democracia e respeito, duas coisas que o outro lado parece ignorar e desprezam porque tiramos o foco dessa bobagem de goat, tema que é o principal poluidor neste espaço e não a cultura.

        Enquanto o Dalcim nos permitir, postaremos.

        PS: É incrível como a cultura e a diversidade sempre é atacada no Brasil, não?

        1. José Yoh

          Rubens, eu procuro evitar classificar as coisas tipo “nós contra eles” porque isso só faz a polarização piorar. Precisamos voltar aos tempos onde as opiniões não eram parte de um time ou ideologia.

          Mas é fato que há muitos comentários inúteis aqui, cujo objetivo é só despejar alguma raiva contida ou provocar a torcida alheia.

          Então minha opinião é que prefiro ler comentários úteis (como suas incríveis resenhas) do que inúteis, mesmo que não sejam sobre tênis. Diria que quando o assunto não é tênis, todos aqui tem uma cultura e conhecimento muito maior. E o principal é que não tem nenhuma paixão radical envolvida.

          1. Rubens Leme

            Yoh, a questão do nós x eles como vc postou para mim é a questão da liberdade de expressão. Eu passo batido estes comentários toscos contra o Federer o que não significa dizer que aprovo. Então que façam os mesmos com os meus. Eu não fico postando pedidos pro Dalcim bloquear essas coisas, então pq pedem os meus?

            Xingar o Federer como fazem não é ser pejorativo, mas grotesco. E adoram fazer o mesmo com tudo, se vc não idolatra o macho deles como desejam.

        2. Bel Grado Fa

          Rubens Leme (e todos):

          Estamos no ano de 2028, e a poucos dias da Olimpíadas de Los Angeles.

          A situação política se degrada bastante, e a polarização destas que precedem as tragédias e mergulhos em guerras e idades médias se acentua bastante.

          Após uma carreira extremamente longeva e após quebrar todos os recordes possíveis e imagináveis do tênis (ele “alcunhou” o diamond slam e ainda o ganhou por duas vezes) , o físico de Djokovic começa a dar mostras de que talvez possa não aguentar seguir no tênis.

          E Fica bastante evidente que a cirurgia no ombro e o longo tempo parado cobram seu preço.

          Mas enquanto isso pelo mundo, torcedores recebem a notícia de que seu ídolo maior não irá as Olimpiadas de Los Angeles, e então os protestos começam e em menos de dois dias, antes torcedores do Sérvio pelo mundo iniciam seus protestos das mais variadas formas.

          Não se sabe exatamente como tudo começou, mas acredita-se que tudo ocorreu depois que um torcedor do Sérvio na Polinésia Francesa fez um vídeo o chamando de mercenário e este viralizou. O vídeo contabilizava todo o dinheiro amealhado pelo “antes ídolo” em toda sua carreira (um recorde), e o chamava de mercenário, por se recusar ir à Los Angeles, alegando falta de condições físicas, já aos 41 anos e se reabilitando de uma cirurgia..

          E após quebrar mais um recorde (o de visualizações), torcedores começaram a se juntar do lado de fora do centro de treinamento do Sérvio, chamando de mercenário.

          Torcedores do Alcaraz, que disputam o topo de ranking com o Musetti juntam-se num coro uníssono o chamando de amarelão (e GOAT Nutella) neste mesmo blog, mas já escrito pelos filhos do Dalcin.

          E a situação na Sérvia se alastra: sérvios incoformados em não poder mais torcer para o antes ídolo, pois agora ele os envergonha (perdeu no AUSOPEN de 2028 com um sonoro 3×0 o Fokina (0/8-1/6-0/6), se juntam na arquibancada e entoãm (ACABADO, MERCENÁRIO!!!) e durante mais de 3 horas gritam, até que o ´Sérvio se revolta e quebra uma raquete, entoando algumas palavras em direção À torcida e a situação então se torna insustentável: os torcedores uniformizados invadem a quadra com os seguranças tentando sem sucesso intervir e após algumas agressoões, por muito pouco a situaçao não sai do controle e Djokovic sai escoltado do treino pela polícia local.

          Seus filhos já não podem ir à escola e ele percebe que o sonho de voltar a morar na Sérvia com a família terá que ser deixado para trás.

          Enquanto isso, pelo mundo inteiro, os protestos se espalham, em choros de torcedores inconformados com a frustração de ver um ídolo indo embora, o medo de ver ele perder outra partida como a que perdeu para o Fokina no AUSOPEN e a vergonha de aturar torcedores do Alcaraz e do Musetti postando a hashtag #TheKingisDEAD mundo afora.

          O antes GOAT agora é chamado de amarelão e covidiota ao final de sua longeva e vitoriosa carreira, e esta multidão que antes torcia e declamava seus resultados em verso e prosa, agora já não conseguem mais olhar para traz e ver seus números únicos e procuram um novo GOAT, sem qualquer modalidade que seja, alguém que possa ser tão aniquilador e devorador quanto seu próprio EGO.

          1. Bel Grado Fa

            Meu caro Miguel:

            – “BEL GRADO FA” é claramente um FAKE (BelGrado FAKE)
            – Não apareci recentemente no site (o frequento desde que o Dalcin tinha aquela foto de perfil com um cabelo de quem curtia a Jamaica)
            – E sendo um fAKE, pode ser um ALTER EGO de qualquer um de voces (inclusive TEU ou mesmo de um editor do site).

            E não tenho preferências tenísiticas entre os três postulantes ao GOAT “da última semana), apesar dos comentários eventuais. Lembrando que ao mencionar “postulantes a GOAT”, sempre me vêm a cabeça: Navratilova, Evert, Serena, Rosewall, Laver, Federer, NAdal e Djoko), e não esta lista tríplice que voces elegeram como o “GOAT da moda”

            Abç com “raquetada tenística” para vocÊ!!!

      3. Gildokson

        Perfeito!!! O cara insiste em condenar algo que é mais útil do que repetir 300 mil vezes que o Federer é amarelão, teve entressafra, três reis magos e nobre Luiz Fernando tem razão kkkkkkkkkk

        1. Miguel BsB

          Concordo também! Se é pra se proibir, que se proíba também essas agressões a ídolos do tênis, que são ídolos de muitos aqui do blog, termos idiotas e pejorativos como entressafra, seita, Bagre Sérvio, Frauderer, Baloeiro etc etc etc…
          Só quer proibir o que te incomoda? E o que incomoda os outros aqui, como é que fica?
          Aliás, repare que os colegas listados pelo Rubens raramente estão envolvidos em agressões a outros participantes ou a tenista A, B, ou C.

          1. Paulo Almeida

            Miguel,

            Desculpe-me, mas nem o Paulo F., que parece ser o mais incomodado, falou em proibir; apenas maneirar. Eu gosto de escrever sobre música também e não pretendo parar, porém meu foco maior sempre será o tênis.

            Bel Gra Do nessa lista aí foi cômico, pois foi mais um junto com o Gustavo que apareceu recentemente só para provocar a torcida nolista.

            Abs.

      4. José Yoh

        Pronto pessoal, agora mudou, rs.

        O assunto mais comentado do blog é sobre o que podemos falar ou não.
        Acho que podíamos começar por “é proibido falar sobre o que podemos falar”.

  51. Rubens Leme

    Dalcim, já há registros de covid em Tóquio e vamos lembrar que a vacinação não foi obrigatória em algumas delegações, como a nossa. Fica a minha expectativa e curiosidade se algum tenista (ou qualquer atleta de outra modalidade) for infectado e der positivo antes de uma semifinal ou disputa por medalha: será proibido da disputa ou o deixarão jogar até para evitar até possíveis problemas diplomáticos?

    Você sabe qual será o esquema de testes nos Jogos?

      1. Sandra

        Pode não ter sido obrigatório para os brasileiros , mas vi que os tenistas tomaram inclusive da pfizer , estou errada Dalcim ?

      2. Rubens Leme

        Quero ver se o exame apontar positivo prum Djokovic ou Medvedev numa fase decisiva se vão tirá-los, assim como os demais favoritos em outros esportes.

        Isso vai dar um rolo imenso.

Comentários fechados.