Análise: como foi a final entre Djokovic e Berrettini
Por José Nilton Dalcim
11 de julho de 2021 às 10:08

Tenista excepcional quando joga sobre pressão, Novak Djokovic chega ao sexto Wimbledon e ao 20º Grand Slam com sua marca registrada: a força mental, o poder de reação e a precisão quando apertado pelo placar. Sérvio consegue um dos maiores e inéditos feitos da história do tênis profissional, ao ganhar os três primeiros Grand Slam de uma temporada em pisos diferentes, o que abre caminho para fechar o Slam no US Open e quem sabe ainda repetir o ‘Golden Slam’ de Steffi Graf.

Quarto set
6-3 – E nem foi necessário o último serviço. Berrettini não acertou um primeiro saque sequer na reta final do game e ainda teve sorte de salvar dois match-points antes de enfim Djokovic concluir a merecidíssima vitória, em que foi bem superior.
5-3 –
Game duro, Berrettini até devolveu bem e tentou aprofundar as bolas, mas mentalmente o sérvio está firme.
4-3 –
Com contragolpe espetacular de forehand cruzado, Djokovic mexeu de vez com a cabeça do adversário, que cometeu dupla falta no break-point e agora deixa o sérvio a dois games de serviço do título histórico.
3-3 –
Berrettini perdeu uma chance incrível de colocar pressão no saque do adversário. Jogou duas bolas sem a má intenção necessária quando tinha Djokovic todo na defensiva. Aí o sérvio mostrou toda sua imensa categoria ao chegar em bola curta e se safou.
2-2 –
Dois games sólidos para os sacadores, ainda que estejam na casa dos 60% de acerto do primeiro saque neste quarto set.
1-1 –
Daqui em diante Berrettini não pode mais cometer erros em seus games de serviço se ainda quiser ter chance de título. Djokovic se irritou com o barulho no meio do game, mas foi só.

Terceiro set
Djokovic continua com baixíssimo número de erros – três neste set – e ficou até muito atrás nos winners (5 a 15), mas sua aplicação na devolução lá no começo do set e a firmeza no saque lhe garantiram a virada. Na soma do jogo, Djokovic foi mais vezes à rede e com maior eficiência (26 pontos em 37).
6-4 –
Game final foi tenso. Djokovic fez magnífico voleio para ir a 40-15, mas Berrettini ainda teve chance de endurecer, falhando no forehand. Sérvio vibra muito.
5-3 –
De novo Djokovic saiu com 0-15, mas o saque lhe garantiu um game até tranquilo para ficar bem perto da virada. A tática de alternar direções nas trocas de bola tem dado muito certo. Se não vence todos os pontos, vai cansando o adversário.
4-2 –
Berrettini jogou bem até o 15-40 e teve duas passadas para tentar o empate, mas falhou na primeira que veio no forehand e era a mais fácil. Aí sérvio voltou a sacar bem e manteve a vantagem tão importante.
3-1 –
Djokovic precisou trabalhar para confirmar a quebra. Fez ótima transição à rede no backhand italiano com voleio de categoria e fechou no saque.
2-1 –
Um contragolpe espetacular de backhand cruzado e baixo – aliás, mais um que obtém na partida – abriu caminho para quebra precoce em favor de Djokovic. Pode custar caro ao italiano, que mais uma vez vai correr atrás do placar.
1-1 –
Dois games tranquilos de serviço. Ainda estou aguardando Djokovic usar mais o backhand na paralela para aproveitar a proteção do italiano ao backhand, assim como Berrettini trabalhar mais com slices.

Segundo set
Berrettini abriu espaço ao perder logo o primeiro game de serviço após 40-15. Isso deu confiança ao sérvio, que sacou bem melhor e manteve a vantagem. Perdeu a primeira chance, mas confirmou depois. Início do terceiro set é muito importante para o italiano.
6-4 –
Desta vez, número 1 foi perfeito com o saque e não deu qualquer chance. Percentual de primeiro saque subiu de 60¨para 71% entre um set e outro.
5-4 –
Mais três set-points evitados na partida por Berrettini, após permitir 0-40. Aí sacou muito e a rigor Djokovic só teve um ponto que poderia ter trabalhado melhor.
5-3 –
Sérvio tentou ser agressivo e não sacou mal, mas Berrettini jogou solto e consegue recuperar uma das quebras. Italiano jogando bem sob pressão.
5-2 –
Djokovic perdeu apenas três pontos com o saque neste segundo set e tem tudo para empatar a final. Cometeu dois erros não forçados nestes sete games. Berrettini fecha com lob de grand-willy para divertimento do público.
4-1 –
Berrettini passou apertado de novo, mas ao menos conseguiu evitar o risco de ‘pneu’. Sérvio ainda não perdeu ponto com o primeiro saque neste set.
3-0 –
Djokovic deu pequeno ajuste para receber primeiro saque e recuou um passo. Parece ter funcionado, porque conseguiu devolver muito mais e induzir Berrettini aos erros. Com duas quebras à frente, sérvio reage com sobras.
1-0 –
Berrettini começou bem o game e chegou a ter 40-15, mas depois se atrapalhou com as devoluções e Djokovic obteve nova quebra com grande lance.

Primeiro set
Vencer este set é um enorme bônus para Berrettini pelo que vinha jogando até o oitavo game, quando permitiu set-point. Depois de um início tenso, foi a única real falha do sérvio, mas que a grama não perdoa. Em seus cinco títulos, Nole só perdeu o primeiro set uma vez, em 2014.
6-7 –
Berrettini tem sido muito firme nos tiebreaks ao longo da temporada, agora com 14 em 19, e foi sempre ofensivo. Perdeu a vantagem no sexto ponto, mas recuperou em seguida com um improvável backhand na paralela e fechou com quinto ace.
6-6 –
Game duro já que Djokovic devolveu com grande qualidade, italiano precisou disparar dois forehands na paralela notáveis para levar ao tiebreak.
6-5 –
Para provar que o tênis é maluco até para o número 1 do mundo, Djokovic fez agora o que deveria ter feito no outro serviço: firme, sem chance ao adversário.
5-5 –
Ao contrário do serviço anterior em que ofereceu até set-point, italiano usa bem o primeiro saque e se livra de pressões.
5-4 –
E olha que inesperado: nas cordas, Berrettini jogou seu melhor game do set, mostrando coragem para bater o backhand. É fato que Djokovic quase não jogou com o primeiro saque na hora que mais precisava.
5-3 –
Com mais uma série de erros de toda a sorte, incluindo dois voleios bobos, Berrettini se salva com saques muito forçados, a rigor seu único golpe até agora. Italiano, com 14 erros não forçados da base contra 4, no geral está bem abaixo do esperado.
5-2 –
Sérvio começa a ler cada vez melhor o saque do italiano. No seu serviço, opta pelos saques abertos e faz saque-voleio, mostra que ganhou confiança.
4-1 –
Djoko começa a se soltar, saca muito bem e italiano comete outro erro bisonho na partida, ao errar toque de forehand muito fácil.
3-1 –
Berrettini não conseguiu usar seu primeiro saque e Djokovic foi muito oportuno nas duas chances que teve de ser ofensivo após entrar no ponto.
2-1 –
Nole continua preso, fez mais uma dupla falta e por muito pouco não ofereceu 0-40. No 15-30, lance curioso: Berrettini acertou três backhands batidos e mandou forehand muito longe. Dois ótimos saques mantêm sérvio à frente.
1-1 –
Certamente, um alívio o game de saque vencido pelo italiano, que chegou a errar um primeiro saque por mais de um metro.
1-0
– Primeiro game pavoroso dos dois jogadores, mostrando enorme tensão. Djokovic fez duas duplas faltas, errou forehand fácil e Berrettini não fez nada com o backhand. Mas ainda é tudo natural para um jogo tão importante.

O tênis poderá viver mais um domingo histórico. Novak Djokovic entra na Central para seu sexto título em Wimbledon como favorito natural e, se o fizer, igualará Roger Federer e Rafael Nadal na quantidade de troféus de Grand Slam. Não menos importante, terá vencido os três primeiros Slam da temporada sobre pisos distintos, algo inédito na história do esporte.

Para tanto, terá de contar com seu saque, um golpe que evolui a cada temporada, mas também com suas excepcionais devoluções, já que estará diante de um Matteo Berrettini que tem tirado tudo do seu serviço sobre as quadras de grama. É certo que o italiano tem um backhand muito mais defensivo, onde opta quase sempre por slices, e será o alvo principal do número 1. Acredito em muitas transições à rede de Nole por esse lado.


Comentários
  1. Groff

    Parabéns aos torcedores do Nole. Grande momento em vários aspectos de seu jogo somados a uma completa ausência de competidores à altura (o que não é problema dele, diga-se) faz com que os números não tenham hora para parar de crescer. Vai ser o maior vencedor da história, não tenho muita dúvida.

  2. Paulo Almeida

    O maior e melhor de todos os tempos vacilou no primeiro set, mas depois mostrou quem é que manda. Berrettini e principalmente Shapovalov valorizaram o título do cracaço absoluto e dono do tênis, mas foi menos parrudo do que os outros 19, eu admito.

  3. Thierry

    Pessoal que diminui o Berrettini n é fã de tênis, e sim fã de um estilo de jogo!

    Como fã de tênis, achei uma excelente final… E pra quem não entende o jogo do Djokovic, enfrentar um jogador completo como ele exige que você esteja em um dia que consiga tirar o melhor do seus melhores golpes, e isso é muito difícil… Com as devoluções dele faz o adversário forçar o saque e cometer dupla falta em momentos decisivos, forçar um Winner em uma bola difícil em ponto longo, você vai a rede e toma passada, fica no fundo e toma largadinha, enfia a mão na cruzada e toma uma paralela… “Ah mas esse italiano n faz isso e aquilo”, “ah esse grego n faz isso e aquilo”, “ah esse Russo n faz isso e aquilo”, “ah Nadal e Federer tão velhos” (Djokovic tá novinho né!)

    Dalcin, tenho um questionamento, se o Big 3 jogar o US Open, já dá pra cravar que será o maior Slam do século dada a situação 20/20/20 e a busca pelos 4 títulos no mesmo ano do Djokovic?

    1. José Nilton Dalcim

      É uma boa teoria, Thierry, mas teremos de ver em quais condições os três chegarão lá, principalmente é claro Nadal e Federer. Mas será espetacular se todos estiverem na melhor forma possível!

  4. Francisco Das Chagas Cardoso de Araújo

    O que parecia tão distante, aconteceu. No início do ano ele só tinha 17 títulos. Veio o AO aonde ele entra favorito ganhou, veio o RG onde o Rafa é favorito ele também ganhou e agora pra fechar os vinte não deu outro ele foi Campeão. Esse é Novak Djovick

  5. EDVAL CARDOSO

    Como eu falei, ia ser mais fácil esse jogo do que a semi, italiano pífio na esquerda, só não foi mais vexatória a derrota porquê o Djoko titubeou quando sacou pra fechar o primeiro set.

  6. R.P.

    Para o consolo de Pessanha, Rodrigo, Victor Hugo/Marquinhos/Renato: esse slam não foi parrudo.

    Que ano terrível para os haters!

  7. WILLIAM ALMEIDA

    Servio só fez 5 Winners e venceu o 3 set fazendo o arroz com feijão jogo sólido. isso na grama é algo impensável a uns 15 anos atrás.

  8. WILLIAM ALMEIDA

    O Roddick, Philipoussis, Gonzalez e etc, perto desse berretine é um Borg! De qualquer forma o Djokovic não tem nada a ver com a concorrência limitada e vem ganhando GS, parabéns para o Sérvio será o maior de todos os tempos nas estáticas .

    1. Paulo Almeida

      Rapaz, o medonho Roddick levou 6-2 6-1 de DjokoGOAT nessa mesma quadra. Berrettini deu muito mais calor, abs.

    2. Carlos Henrique

      Philipoussis,? O que não conseguiu um mísero BP em três sets? O que exigiu tanto o suiço que o mesmo fez incríveis 2 erros não forçados no primeiro set?

      Devo concordar com você…

    1. José Yoh

      Parabéns ao sérvio pela incrível conquista e a todos os nolistas: curtam o seu dia, que finalmente chegou.

      Podemos dizer que para grande parte do mundo, Novak Djokovic é o melhor de todos os tempos. Sobrarão os torcedores de outros ídolos que não concordarão com isso, como o Barocos já alertou anteriormente.

      Hoje e no torneio inteiro ele sobrou em quadra. Diria que isso já é realidade há alguns anos.

  9. JHONNY

    Esta aberta a temporada de palpites quem vai ser vice do Nole no:

    Jogos Olimpicos:
    USOPEN
    ATP FINAIS:
    Meus palpites:

    Jogos Olimpicos: Sverev
    USOPEN: Federer
    ATP FINALS: Nadal.

    1. Carlos Henrique

      Olimpíadas: Nishikori
      US Open: Medvedev

      Finals: Novak não vai chegar na final. Ele é um monstro no mental, mas é, felizmente, um humano.

  10. Oswaldo E. Aranha

    Pêsames aos detratores do Djoković, que devem estar sofrendo muito ao o verem alcançar os louros da glória.

  11. Carlos Henrique

    Como havia previsto em tópico anterior, Berretini se mostrou um desafio na grama muito maior que Anderson, Cilic ou Raonic.

    Por outro lado, o saque do sérvio que começou excelente em WB foi piorando vertiginosamente. Se for algo físico, preocupa, pois as Olímpiadas já se avizinham.

  12. Bel Grado Fa

    Djokovic em busca dos seguintes números:

    – 377 semanas na liderança (Graf)
    – 24 GS de Margaret Court
    – Golden Slam de Graf.

    O Big 4 faz falta msm, pois o nível absurdo que apresentaram durante todos esses anos faz o Berrettini parecer um jogador de uma outra categoria, mas ainda assim um excelente jogador!

    Pelo menos assim parte da galerinha que nasceu sem saber perder fique feliz e que a outra metade consiga superar a perda inestimável do seu ídolo mais que querido!

    1. SANDRO

      Quem disse que a NEXT GEN está perdendo pro ROGER FREGUSER???
      Ele levou foi um belo de um PNEUZÃO vexaminoso em Wimbledon!!!

  13. Gpl

    20 x 20 x 20…podem chorar e dizer que o jogo foi horroroso. Quem tem mais chances de fazer 21 x 20 x 20?
    Daqui há 5 anos ninguém lembrará se o jogo ruim, apenas a quantidade de slans.

  14. Carlos Henrique

    Contemplem o GOAT do tênis!
    Faltam “só” 2 títulos para a maior temporada da história!

    Vida longa a número 1 do mundo.

      1. Carlos Henrique

        fechar os 4 Slams em um ano não é um feito inédito no masculino, inclusivo, alcançado na era aberta pelo Laver.
        Agora os 4 Slams mais o ouro olímpico será a maior façanha da brilhante carreira de Nole. Mais do que vencer Federer em 3 finais de WB ou vencer Nadal 2 vezes em RG.

  15. Jonas

    Djokovic absurdo…o que esse cara vem fazendo esse ano, aos 34 anos, fantástico… é um ET esse sérvio.

    É um privilégio assistir ao vivo um jogo do MAIOR e MELHOR jogador de tênis de todos os tempos.

  16. Evaldo Aparecido Moreira

    Olha,
    Já vi finais estupendas, magníficas , mas essa final de hoje , não tirando os méritos do chiliquento, esse finalista chamado Berretini foi o pior que vi até hoje, slice ridículo, backhand ridículo , sem alternativas táticas , só tem saque e mais nada ???

      1. WILLIAM ALMEIDA

        Pega a final de 2003 foi melhor melhor que isso ai, o Phillipousssi fez um jogo agressivo de saque e voleio equilibrando o 1 set e o 3 set.

        1. Carlos Henrique

          Muito equilibrado esses dois sets.
          O australiano teve incríveis 0 BP.
          No primeiro set o jogo foi tão parelho que o suíço fez INCRÍVEIS 2 erros não forçados (8 no jogo). Foi muito exigido!!!
          De fato, um jogo MUITO EQUILIBRADO.
          kkkkkkk

    1. SANDRO

      Que isso cara!
      Berrettini foi ótimo, o cara é muito bom, gostri muito do jogo dele!
      Qualquer outro adversário dessa edição de Wimbledon que estovesse do ouro lado da quadra o Berrettini destruiria, acho que só mesmo o Djokocic foi capaz de vencê-lo em Wimbledon2021!
      Não sei o porquê da sua raiva contra o Berrettini.

  17. José

    Pessoal falando que o Berretini é fraco, mas me pergunto quantas quebras Nadal ou Federer conseguiriam dele neste jogo.

      1. SANDRO

        Que fraco que nada!
        Você assistiu aos jogos de Berrettini no Queen’s e em Wimbledon?
        Não vejo nenhum jogador capaz de vencer o Berrettini nesta final que não fosse o Djokocic, e mesmo assim não foi nada fácil para o Djpkovic!

    1. José Eduardo Pessanha

      Horroroso. Esses jogadores Nutellas são de um nível mental abaixo da crítica. Se juntar Berrettini, Tsitsipas, Shapovalov, Ali Acima, Zé Verev, Hurkacz e superesTHIEMado, não dá 1 tenista, todos comedores de Danoninho, Chandelle Leite Ninho… mas parabéns pro Pirulito, que não tem nada a ver com isso.
      Abs

      1. Carlos Henrique

        Mental forte quem tinha era o Philippoussis!
        Uma rocha!
        Era tão diferenciado na parte mental que conseguiu impressionantes 0 chances de quebra na final de 2003!

      2. SANDRO

        Ridículo chamar Berrettini de Nutella!!! O cara vinha destruindo todos os adversários desde o Queen’s, fez um partidaço contra Djokovic em Roland Garros e não perderia pra nenhum outro jogador hoje!

        1. Carlos Henrique

          11 vitórias na grama. Melhor tenista da curta gira desse piso no ano até a final.
          Piada, né?1
          Bom era um australiano servebot.
          kkkk

  18. Periferia

    Como o tênis atual….o jogo é fraco tecnicamente…assim como os últimos Slam (o “épico” Roland Garros teve apenas o 3° set do jogo Djokovic e Nadal de grande nível).
    Para quem gosta do esporte…independente de quem ganhe…temos que reconhecer…fraco .

    1. José Yoh

      Não conheço o jogo do italiano, mas acho que ele estava com problemas de movimentação. Havia uma bandagem na coxa dele. Ele não chegava bem nas bolas.

      Não achei o jogo exatamente ruim, mas era evidente que falta muito para o italiano ganhar dele ainda. Erra demais bolas fáceis e fez algumas escolhas erradas em games importantes.

  19. Rubens Leme

    Dalcim, o italiano lembra o Del Potro no físico, na potência dos saques e forehands, mas é bsonho na rede.

  20. Rubens Leme

    Horas depois, em Belgrado, ouve-se um berreiro:

    – Papai, papai! Papis!
    – Calma, Nole, calma, filhinho! Que que foi, meu anjinho?
    – Papis, tão falando na internet que o Roger deu uma entrevista e nem citou meu nome, só o do Rafa!
    – Aquele suíço idiota! Sempre te provocando! Pode deixar que o papai vai dar uma coletiva e falar mal dele (de novo!)!
    – Papai?
    – Fala, filhinho.
    – Papai, gostei tanto daquele ursinho do Shapovalov, o Storm, é tão bonitinho…
    – Quer um igualzinho? Papai te arranja um…
    – Gostei daquele, papai!
    – Quer aquele? Eu dou um jeito, pode deixar!
    – Não, papis, não pode! Agora eu e o Shapo somos amiguinhos! Ele disse na rede, quando me cumprimentou, que gosta de mim, somos “shapinhas” (e ri da piada sem graça. O pai, claro ri, junto).
    – Ha! ha! ha!, meu menino é um comediante nato! Melhor do que o Jerry Lewis, um goat!
    – Papis, o Denis gosta de mim, ele é meu amiguinho!
    – Mas todos gostam de você, Nolinho! Quem não iria gostar de você?
    – A imprensa não gosta!
    – A imprensa não vale nada! Não vê o que fazem com aquele coitado do Bolsonaro no Brasil, como o perseguem?
    – O Roger não gosta. Ele gosta do Rafa, mas não gosta de mim!
    – Meu flho, esquece aquele cara!
    – Mas eu queria ser gostado igual a ele, papis!
    – Mas você é, Nolinho, você é, pode apostar, confia no que o papis tá te falando! Nossos seguranças te amam! Não é, rapazes? (Dá um olhar de ódio para os empregados, todos tremem).
    – Sim, nós te amamos muito, Nole!
    – Tá vendo, filhinho?
    – Obrigado, papis. Obrigado, rapazes.
    – Olha, vamos fazer o seguinte: vou organizar uma motociata para você!
    – Uma motociata? O que é isso, papis?
    – Aprendi vendo o mito no Brasil! Todo mundo sai com ele, o abraça, anda de moto, todos o amam! Menos a imprensa, claro!
    – Eu quero, papis, quero uma motociata!
    – Pode deixar, filho. Vou ver se o pessoal de Brasília paga a nossa também.
    – Obrigado, papis!
    – De nada, filhinho.
    – Papis?
    – Sim, Nolinho?
    – O que é Brasília?
    – Vai dormir, filhinho, boa noite.
    – Boa noite, papis!

    1. Paulo F.

      Tá difícil, né Leme?
      Só sobrou para ti poluir o blog com filmes, músicas e livros.
      E agora essa tola tentativa de ridicularizar o Novak com essa patacoada prolixa.

    2. Luiz Fabriciano

      Juro que me esforcei para, ao menos, tentar rir.
      Desculpe, mas não deu.
      As sátiras que o Maurício faz da sogra do Nadal, ao menos nos instiga a imagina-la, pois, jamais a vimos.
      Mas tentar passar essa imagem do sérvio, foi deprimente.

  21. Luiz Fernando

    Quando se imaginava q a vitória poderia turbinar o jg e especialmente a confiança do italiano o cara já tem 2 serviços quebrados no set 2. O mental neste esporte ê uma incógnita…

  22. Rodrigo S. Cruz

    UAU!!

    Não posso acreditar no que os meus estão vendo!

    Achei que o Encosto fosse passar um TRATOR sobre o Berretini.

    Mas o italiano está jogando muito!

    Devolveu a quebra sofrida no primeiro set, e foi IMPECÁVEL no tie-break.

    Ainda tem muito jogo pela frente, mas eu achei que seria 3 x 0 fácil pro sérvio… UAU!

  23. Thierry

    Até set point o Djokovic teve, sacou pro set… Isso vai pegar forte no metal dele! Isso vai dar mta moral pro italiano que não começou bem. Pra quem achava aqui que era jogo jogado né

  24. Luiz Fernando

    Inacreditável. O cara q só errava passou a acertar tudo, inclusive no BH, e venceu o set. Esporte é algo incrível. Djoko deu sopa pro azar…

  25. Luz de Júpiter

    Eu nem tenho coragem de assistir esse jogo. Deve estar chato demais.
    Ver os comentários aqui de meia em meia hora basta.

    1. José Eduardo Pessanha

      Não está perdendo nada, cara. Jogo está pior do que seria uma final entre Opelka e Taylor Fritz.
      Abs

  26. Luiz Fernando

    Que jogo louco!!! O italiano assustado não acertava um BH, fechou um game de 10 min salvando set point, aí para de errar e quebra de volta. Djoko bobeou frio, deixou o italiano sonhar. Vai sacar 45!!!

  27. Julio Cesar

    Por incrível que pareça, é o Djokovic quem tá usando os slices pra fazer o Berrettini se virar pra atacar. Era esperado o contrário

  28. Luiz Fernando

    Djoko pareceu tenso no primeiro game com 2 duplas faltas mas agora a coisa voltou ao esperado: 41. O italiano bem tenso no momento, e com o BH frágil…

  29. José Eduardo Pessanha

    Rapaz, que jogo horroroso. E ainda falam de entressafra do Federer. Esse Berrettini seria comido vivo pelo Philiphoussis em 2003. Esses Slams de hoje de parrudo não têm nada.
    Abs

    1. Rubens Leme

      Exattamente. Esa edição foi tão excitante quanto uma live ou uma motociata do Bozo. Já vi challengers mais emocionantes.

    2. Carlos Henrique

      Bela anedota.

      Youtube ta aí pra quem quiser ver a finalíssima “dificílima” que Federer venceu em 2003.
      O australiano era apenas um servebot que voleava razoavelmente.
      A direita e a esquerda do italiano são muito superior.

    3. Paulo Almeida

      Só o Roland Garros desse ano é mais parrudo do que todos os títulos somados do Fregueser de 2003 a 2007.

      Abs.

Comentários fechados.