O novo velho Federer
Por José Nilton Dalcim
1 de julho de 2021 às 19:03

Depois de tantos jogos irregulares e estranhos, enfim surgiu um novo Roger Federer. Ou melhor, o velho Federer. Abusado, agressivo, determinado, chegando firme em bolas difíceis, backhand mais calibrado e o dom nato para jogar na grama. Será que agora vai?

O primeiro set contra Richard Gasquet não foi grande coisa, é verdade. Muita ‘madeirada’, golpes presos e cuidado excessivo em tentar se manter nos pontos. Mas depois de ganhar o tiebreak, o suíço se soltou e aí passou a jogar bem mais próximo daquele tenista tão temido sobre o piso natural do tênis. Fez dois belos sets, o backhand ficou muito mais sólido, as devoluções ganharam peso e, talvez o mais importante de tudo, ele saiu sorrindo e claramente feliz por ter evoluído.

É cedo ainda para otimismos exagerados, porque vem agora um desafio real: o canhoto Cameron Norrie. O britânico não é um favorito ao título, porém ganhou ritmo e confiança em Queen’s. Aliás, vem mostrando um tênis confiável desde o saibro, com boas campanhas em Estoril, Roma, Lyon e Roland Garros. E ainda terá obviamente a torcida, que não vai tentar empurrar Federer como de costume.

Se voltar a jogar bem, Federer ganha então favoritismo contra Lorenzo Sonego ou James Duckworth para um possível e já aguardado duelo diante de Daniil Medvedev nas quartas. O russo no entanto também tem desafios. Fez outra bela apresentação contra o garoto Carlos Alcaraz com um cardápio bem completo de golpes, e cruzará agora com Marin Cilic, aí sim um autêntico jogador de grama. O vice de 2017 não vive seus melhores dias, mas é adepto de um tênis rápido, saque forçado e pontos curtos, e num dia inspirado é osso duro nessa superfície. E não se pode descartar o estilo kamikaze do cazaque Alexander Bublik, adversário de Hubert Hurkacz.

O ‘fator Kyrgios’
O aparecimento de Nick Kyrgios em Wimbledon criou um ‘fator surpresa’ no outro quadrante da chave inferior. Mostrou-se fisicamente bem após a maratona da véspera e venceu Gianluca Mager com 90% de seriedade. Tentou é claro seus malabarismos e me diverti muito no ponto final do tiebreak do primeiro set, quando fingiu que ia dar um saque por baixo, o que levou o italiano a dar um passo à frente, e aí disparou um foguete. Para concluir, pediu ‘conselho’ a uma torcedora. O público britânico o adora e até mesmo voluntários da organização o aplaudiam com euforia após pontos bonitos.

Muito interessante o duelo que fará no sábado contra o embalado Felix Aliassime, que o venceu na grama de Queen’s dois anos atrás. O canadense anda sacando muito e é bem firme da base, o que exigirá muito mais de Kyrgios, incluindo seu humor. Melhor ainda, quem vencer pode muito bem ser o adversário de Alexander Zverev, que para mim tem favoritismo contra Taylor Fritz. O alemão só tem uma oitavas em Wimbledon e economizou muita energia nos dois primeiros jogos.

Outro candidato sério a essa vaga na semi é Matteo Berrettini. Depois de pegar o canhoto e paciente Guido Pella na estreia, passou pelo saque pesado e jogo agressivo de Van de Zandschulp e achou soluções para tudo. Precisa de cuidado com Aljaz Bedene, que já jogou como britânico e gosta da grama. Adiante, estão Jordan Thompson e Illya Ivashka.

Mais surpresas no feminino
A chave das meninas era sabidamente um campo fértil para novidades e surpresas e o complemento da segunda rodada justificou isso, com a queda de mais dois nomes importantes. Elina Svitolina parou em Magda Linette num dia pouco inspirado e Victoria Azarenka caiu diante do tênis muito competente de Sorana Cirstea. Vamos analisar os diferentes quadrantes, que estão bem curiosos.

Ashleigh Barty e Barbora Krejcikova caminham para o confronto direto já nas oitavas e quem vencer pode dar um grande salto rumo à decisão, já que o quadrante anexo é onde está agora Cirstea e aparece o jogo pesado de Jelena Ostapenko. Grande ‘zebra’ desse setor é Emma Raducanu, britânica de apenas 18 anos e atual 338ª do ranking, que fica lá atrás buscando linhas.

Não há um nome realmente favorito no outro quadrante. A campeã de 2018 Angelique Kerber vem é verdade embalada, mas quase se enrolou com a saibrista Sara Sorribes. De qualquer forma, gostaria de ver um embate com Coco Gauff nas oitavas. A jovem americana tem um estilo bem propício para Wimbledon e talvez por isso surja inesperadamente como a terceira mais bem cotada nas bolsas de apostas londrinas. Esse lado também tem Anastasia Pavlyuchenkova, a vice de Paris, que precisa ficar esperta no sábado contra Karolina Muchova.

E mais
– Djokovic reencontra Kudla, a quem venceu duas vezes em 2019, uma delas em Wimbledon, cedendo meros 7 games. Kudla já esteve nas oitavas do torneio em 2015.
– Murray e Evans pegam adversários inéditos: Shapovalov e Korda, ambos na Central. Se vencer, Murray enfim volta ao top 100 e já entre os 90.
– Rublev faz oitavo duelo contra Fognini, o primeiro na grama, e o italiano lidera por 5-2. Na ATP Cup de fevereiro, russo arrasou.
– Serrano, adversária de Sabalenka, é uma das tenistas que mais evoluíram em 2021. Furou o quali tanto de Roland Garros como de Wimbledon. Colombiana tem 19 anos.
– Com a contusão de estreia, Serena deixará o top 15 após Wimbledon.
– O canhoto gaúcho Rafael Matos faz sua estreia em Slam nesta sexta-feira em dupla com Monteiro. Os dois entraram no lugar do machucado Mannarino.
– Kyrgios e Venus são grande atração da chave mista, atuam nesta sexta-feira e podem entrar até na Central.
– E saiu a lista olímpica de simples e duplas; Clique aqui para ver todos os confirmados até agora.


Comentários
  1. Alberto

    Prezado Dalcim, esclareça-me uma dúvida, por favor: os pisos “duros” dos torneios Abertos da Austrália e dos Estados Unidos são iguais ou há diferenças entre eles?

    Há alguns anos, um amigo meu, tenista, disse-me que o piso do AOpen é duro, porém contém um emborrachamento, enquanto que no caso do USOpen o chão é apenas cimentado e pintado.

    Eu não duvidei porque à época eu não acompanhava quase nada de tênis e também porque me pareceu coerente a idéia, uma vez que por serem 4 torneios considerados Slams, entendi que cada um tenha uma superfície diferente.

    É isto mesmo ou não?

    1. José Nilton Dalcim

      Uma quadra ‘dura’ é feita de várias camadas e na última se coloca uma resina sintética. É essa resina que vai determinar a velocidade, conforme principalmente sua aspereza. Assim, os torneios de quadra dura podem mudar de velocidade ano após ano, e isso aliás aconteceu no último US Open, em que as quadras estavam mais rápidas do que o normal. O piso emborrachado realmente existiu na Austrália, mas foi abolido devido ao risco de causar lesões, já que se degradava com o alto calor.

  2. Luiz Fernando

    Shapovalov atropelou o Murray no set 3, se nao fizesse aquele desafio estapafúrdio provavelmente faria 60. Méritos totais, domínio completo, e embora o britânico esteja longe do jogador do Big4 ele ainda impõe respeito, o próprio Dalcim citou q o Murray poderia vencer. Vamos acompanhar a evolução do canadense no torneio, hj jogou demais e acima de tudo de forma muito regular…

  3. Luiz Fernando

    Cheguei em casa com Murray perdendo de 02 em sets e sendo quebrado no primeiro game do set 3, ou seja, a vaca do britânica está célere a caminho do brejo. Mas como torcer não custa nada…

  4. EDVAL CARDOSO

    Djokovic não estava nem perto de seu melhor hoje, cometendo alguns erros negligentes e lutando para fazer os primeiros saques, colocando mais pressão sobre si mesmo. Kudla estava jogando muito bem, acertando as marcas no primeiro e no segundo saque, fazendo um voleio forte e acertando bem o forehand. Djokovic conseguiu obter retornos profundos o suficiente e encontrou seu saque quando mais precisava. Mais uma vez, o primeiro saque realmente preciso, mostrou um toque fantástico e embora cometeu mais erros do que seria de esperar de Djokovic, sólido desde a linha de fundo em momentos-chave e fez um ótimo trabalho transformando a defesa em ataque mais uma vez. Provavelmente estava um pouco passivo demais hoje, mas ainda tinha muito para seu oponente.
    Mais uma vez, mesmo não estando no seu melhor dia, acabou encontrando maneiras de vencer em 3 sets.

  5. Paulo Almeida

    O GOAT Double Career Slammer errou demais e foi mal no serviço. Ainda assim passou em sets diretos como o grande campeão que é. Kudla teve seus méritos, mas não era pra ter sofrido tanto.

    E vamos para as oitavas, um jogo de cada vez.

  6. Rubens Leme

    Dalcim, ninguém mais voleia em Wimbledon? A grama depois do T no jogo do Murray estava impecável, como se fosse hoje o primeiro dia!

    Virou saibro verde, foi?

      1. Rubens Leme

        Ridículo isso, tiraram toda a velocidade do piso. Essa padronização precisa acabar, Dalcim. Bons tempos quando também tínhamos carpete.

  7. Ronildo

    Agora eu entendi porque os torcedores do Djokovic ficam tão chateados quando a gente lembra que Djokovic tem tido a sorte de seguidamente pegar uma chave fraca em Wimbledom. É por causa que eles são adeptos da teoria dos slans parrudos. Para eles alguns slans valem mais que outros e a comprovação que Djokovic pega chaves fáceis como ele fosse protegido do capeta, ou de Deus, (vou dar uma chance à duvida), é um balde de água fria nesta crença deles.

    1. Chetnik

      Ainda estou esperando você me responder sobre quando o Desaposentado enfrentou o “Casquet” em uma semi de WB no tal do seu “auge”…será que você esqueceu?

    2. Paulo Almeida

      Djokovic é o rei das chaves difíceis e Federer das fáceis.

      Vou te falar que o Capeta é um cara legal. Você está precisando ouvir mais metal, especialmente um black norueguês, kkkkk.

    3. Luiz Fernando

      Ronildo chave por enquanto de fato medíocre a do Djoko, mas a do seu ídolo também ninguém pode reclamar. Por fim, essa história de “parrudo” que o Paulo Almeida cita é p provocar vcs e pra variar vcs caem nas provocações, haja inocência…

  8. WILLIAM ALMEIDA

    Comparando o Djokovic com o Federer o Sérvio cometeu mais erros que o Suíço.

    28 ( erros não forçados do Djokovic).

    26 ( erros não forçados do Federer ontem).

  9. WILLIAM ALMEIDA

    O Djokovic foi bem irregular, hoje cometeu 28 erros não forçados se fosse um adversário com mais poder de fogo poderia complicar o jogo. O Sérvio pega o Garin em tese um adversário que não deve exigir tanto. Nas fases agudas do torneio o Djokovic nos últimos anos eleva o nível do seu tênis, vamos conferir os próximos capítulos de Wimbledon.

  10. Barocos

    Não foi uma das melhores apresentações do Djokovic, mas como já foi falado por aqui diversas vezes, grandes campeões tem que achar um jeito de ganhar mesmo em um dia ruim e, ao menos para mim, foi o que aconteceu hoje.

    Saúde e paz.

  11. ThiagOO

    Fora que estão colocando Norrie como teste de fogo…kkkkkkkk….vcs estão de brincadeiras, se acha que isso é um teste de fogo, 3ª rodada….bla blá blá….prevejo que o Norrie se tornará um excelentissimo jogador top 5, brincando por top 3, caso vença…mas, somente na cabeça dos Federetes para justificar a derrota…”Norrie é completo.”…kkkkkkkkkkkkkk…

    1. Luiz Fernando

      Completo mesmo, embora aos 25 falte completar a conquista de um torneiozinho nas simples. Aguardando comentários abalizados q chamem o cara de “especialista” kkk…

  12. ThiagOO

    Federer ganhou de uma tenista bem abaixo do nível…Vcs elevam o patamar dele por bater no freguês Gasquet, que é ate um bom jogador, mas, contra o big 3 nao faz nem cócegas….menos Federetes….Gasquet não é paramentro para nada no circuito…

  13. André Barcellos

    Não estou nada otimista com a fase do Federer, que é final de carreira, sem dúvida.
    Sem demérito nenhum.
    Só que, pra esse jogo contra o britânico, apesar de canhoto, apesar de jogar em casa e apesar de estar com ritmo… acredito que o suíço vai ganhar.

  14. Rubens Leme

    Vamos lá, Marcílio,

    Helen Folasade Adu é uma cantora de origem nigeriana, mas criada na Inglaterra e uma das vozes mais doces e sensuais dos anos 80. Ela apareceu em 1984, com o LP DIamond Life, que vendeu 10 milhões de cópias, graças ao hit “Smooth Operator”, que junto a “Slave to Love”, eram pedidas certas nas paradas românticas de programas noturnos e em moteis.

    No ano seguinte, lançaria o igualmente chique Promise, com “The Sweetest Taboo” send o hit. Sade era tão chique, discreta e elegante como Audrey Hepburn, um ícone oitentista.

    Tanto Promise (1985), como Stronger Than Pride (1988) e Love Deluxe (1992) venderam muito bem, sempre acima de 3 milhões de cópias, em parte pelo som sensual, cheio de soul, r&b e pop que casavam na medida certa com a bela voz e presença de Sade.

    Ela ainda segue na ativa, fazendo shows, gravando, mas não com o sucesso de antes.

    PS: Em 1986, pequena ponta em um flme fracassado, mas que tentaram vender como cult, Absolute Beginners (1986), dirigido por Julien Temple. A melhor coisa do filme é a canção-título escrita e cantada por David pelo Bowie, de longe, a melhor coisa dele nos anos 80.

    O filme foi uma tentativa fracassada de lançar a atriz Patsy Kensit, que até foi o par romântico de Mel Gibson, em Máquina Mortífera 2. Patsy teve uma bandinha de nada – Eight Wonder – e maridos famosos, entre eles Jim Kerr, cantor do Simple Minds, e o mala sem alça Liam Gallagher, do Oasis.

    Já “Absolute Beginners” virou um hit de Bowie. Em 2000, ele lançou um disco chamado Bowie at Beeb, com as faixas que gravou nos programa das BBC, no nício de carreira. As primeiras edições da caixa – e tenho uma destas – trazia um cd bôns, um show gravado em 2000, na minha opinião, o melhor live dele.

    Vou deixar aqui, três singles:

    Bowie com Absolute Beginners – https://www.youtube.com/watch?v=M80gO01pcXM

    Sade com Smooth Operator – https://www.youtube.com/watch?v=4TYv2PhG89A

    Sade com Sweetest Taboo – https://www.youtube.com/watch?v=kcPc18SG6uA

    1. Marcilio Aguiar

      Leme, muito obrigado. Eu desconfiava que você tinha algo a dizer rsrs.

      Ouvindo agora me relembrei de também conhecer “Sweetest taboo”. A Sade está linda no clip e a voz deliciosa.

      Voce citou “Slave to Love” e eu fiquei na duvida se era para fazer a dobradinha romântica com “smooth…” ou ela também gravou essa, porque eu conheço apenas com Bryan Ferry.

      Abc.

      1. Rubens Leme

        So o Bryan mesmo. O que eu quis dizer que as duas canções eram campeãs em programas noturnos e moteis…rs

  15. Barocos

    É notório que uma parte da torcida inglesa é hostil ao Djokovic. Ótimo, irritado, mesmo que não jogue muito bem, ele fica muito mais focado.

    2 sets a zero.

    Ajde, Nole! Ideemooo!!

    Saúde e paz.

  16. Marcilio Aguiar

    Até o momento Jogos protocolares do Djoko neste WB, tanto pela sua excelência, como também pela clara inferioridade dos oponentes. Provavelmente será assim até a semifinal.

    Ja os jogos de Federer e Murray causam alguma expectativa e grande incerteza pelo histórico recente de ambos.

  17. R. Santiago

    Dalcim, seria bom essa forma de comentar que não precisa logar no Facebook. Aqui na sua coluna, dá certo, mas lá nas notícias precisa ter Facebook. Tem como deixar aberto para todos não, muitos não usam mais o Facebook.

    1. José Nilton Dalcim

      Infelizmente, não, Santiago. Porque existe um abuso de algumas pessoas nos comentários. Ao exigir identificação pelo Facebook, ficam sujeitos a responder por seus atos, mesmo que usem perfis falsos (que o Facebook, claro, é obrigado a identificar em caso de acionado na Justiça). Abs!

      1. R. Santiago

        Uma pena isso Dalcim. Parece mesmo que não há um lugar mais da internet longe dessa turma do ódio e da falta de educação. Vou continuar comentando por aqui então, já que não tenho mais o FB. Valeu!

  18. R. Santiago

    Muitos comentários legais., da Carolina, do Bruno Marcedo e até o dos cinéfilos, hehe. Mas essa turminha que tem prazer em escrever uma ofensa… se entrega mais como é do que fala alguma coisa sobre qualquer tenista. É fulano que já acabou, sicrano que é o GOAT, fulano que só ganha numa superfície, é a era de um ou de outro. Se empolgue com o jogo ou com um tenista, mas daí a ofender o outro rival. O big 3 tá aí há uns 15 anos ou mais e os vocês ainda estão nessa? Isso é que é parar no tempo. Vocês gostam de tênis ou gostam de agitar pompom para tenista X ou Y? Fala que sicrano é cachorro morto, e se pergunta porque o Mannarino não bate forte e pressiona nos golpes como outro qualquer ou como perde um 0 x 40 e isso ou aquilo. Que fulano tem que aposentar. O que você, um amador viciado em highlights de jogos no youtube, tem a dizer sobre o que o tenista tinha que ter feito na carreira, ou na hora daquele 0-40? Acorda juventude!

    O jogo Humbert x Kyrgyos foi o melhor do torneio até agora, para quem gosta de tênis. Federer X Gasquet mostrou uma mudança de atitude do Federer, que se fizesse como contra o Mannarino, iria sofrer em quadra. Quem gosta de tênis sabe que a cabeça pra sair do que fez contra Mannarino para postura contra o Gasquet não é automática, exige uma ação e vai apreciar a partida por enxergar essa mudança. Dalcim só comentou de forma jornalística isso.

    A turma só vem aqui se identificar que odeia Federer, Djoko ou Nadal e não sabe que para o tenista cada semana tem ingredientes novos. A gente só vê os jogos e trechos de entrevista, e o semana a semana de trabalho, cada vez com questões diferentes?. Não é o Dannete na geladeira que papai compra e todo dia tá la esperando não. Os caras vivem alegrias e frustrações por semana, uma semana média e 3 ou 4 ruins, outra boa, sentimentos que vocês aí do contra não aguentam numa vida inteira, seus viciados em danoninho.

  19. Lucas

    José, bom dia! Nada a ver com o post, apenas uma sugestão. O link para notificar erros nas notícias do site não está funcionando. Testei em 2 matérias diferentes, uma com erro e a outra sem e o resultado foi o mesmo: sempre dizendo pra digitar corretamente o código de verificação. No caso, é na matéria sobre a vitória da Sabalenka na 3ª rodada:

    http://tenisbrasil.uol.com.br/noticias/87406/Sabalenka-bate-colombiana-e-faz-ineditas-oitavas/

    Na matéria diz o seguinte:

    ”O segundo set foi um festival de quebras. Ambas perderam os primeiros games de serviço, aí Sabalenka agrediu bem nas devoluções e foi a 3/1 e em seguida a 5/1, mas Osorio ainda resistiu e tirou um serviço antes de enfim cair logo no primeiro match-point.”

    O que não faz sentido, pois na mesma reportagem diz que o placar do jogo foi 6×3 e 6×0, sendo na verdade 6×0 e 6×3. Um abraço!

    1. José Nilton Dalcim

      Certamente a ordem dos placares foi invertida, Lucas. Obrigado pela observação, vou pedir ao pessoal do suporte corrigir.

  20. JHONNY

    Aos nolistas do blog uma enquete:
    Para vcs o que seriam mais fantástico para coroar o ano (Hipoteticamente falando)
    1 Vencer Federer na Final de Wimbledon pela 4º vez e igualar o numero de Grand Slans justamente na casa do Suiço?
    2 Vencer Federer na Final do USOPEN se tornando o maior vencedor de forma isolada de Grand Slans , Fechar o Grand Slans e igualar o feito de Rod Laver no profissional e de DonBugde e Rod Laver no amador, ser o unico tenista na era profissional a ter duas vezes os 4 Grands Slans, igualar o feito de Rod Laver de ter os 4 Grand Slans seguidos 2 vezes juntando era amadora e profissonal, ser o primeiro tenista masculino a ter o Gold Slan e igualar a Steffi Grafe como unicos a terem Gold Slans
    Para mim sem duvida seria vencer o Federer no USOPEN por tudo que escrevi acima.

    1. Jonas

      Em Wimbledon Federer já é TRIVICE.

      Fico com a do Us Open, mas é improvável que Federer chegue à final.

    2. André Barcellos

      Curiosidade: Tem que ser em cima do Federer? Porque?
      Não acha melhor um adversário mais duro e em melhor fase?

      1. JHONNY

        Nada seria tão significativo que empatar ou ainda melhor se transformar em maior vencedor de Grand Slans em cima do Federer, ainda mais com todos os hipotéticos prêmios que disse.
        Obviamente estou considerando um Federer normal jogando o que sempre jogou, que a velha forma dele esteja plena seja agora em winblendon (o que não podemos descartar ou no USOPEN)
        Ou vc tem duvida se eles se enfrentarem em uma final e porque Federer ja estara jogando bem novamente?

        1. André Barcellos

          Acho que o momento dos dois não tem comparação. Djoko está ainda em ótimo nível, embora não no auge. Federer já está em declínio absoluto. Com lampejos de gênio, claro.
          Mas hoje em dia um jogo entre os dois é tipo bater em bebado. Há dois anos era diferente, tanto que Federer teve os MP pra ganhar. E ganhou no Finals. Mas depois das lesões, cirurgia e pandemia , o que tinha de vir com a idade veio de uma vez. Não dá mais.

    3. Barocos

      Jhonny,

      Dois obviamente, mas claro que eu estou torcendo por mais uma batalha entre Novak e Federer, são dois fantásticos jogadores. Em geral, minha torcida para a conquista de títulos fica na seguinte ordem:
      1 – Djokovic;
      2 – Nadal;
      3 – Murray;
      4 – Wawrinka;
      5 – Federer;
      6 – Tsitsipas;
      7 – Medvedev;
      8 – Sinner;
      9 – Zverev;
      10 – Thiem.

      Repare que não é a ordem dos favoritos nos torneios, obviamente, mas da minha preferência.

      Qual é a sua?

      Saúde e paz.

      1. Barocos

        Dalcim,

        Está aí uma boa enquete para o tenisbrasil. Lista de jogadores preferidos do circuito, só para te dar ainda mais trabalho!

        Saúde e paz

      2. JHONNY

        bem hoje atualmente minha torcida e para
        1 Novak Djokovick

        3 Outros tenistas mereciam melhor sorte
        Murray, Stan e Del Potro (Poucos Grand Slans pelos talentos que eles tem)

        E na minha opinião Tsipas dominara o circuito quando os 3 sairem de cena

        Ele tem os golpes necessários para isto, se adapta em qualquer piso (apesar de ainda nao ter ido bem na grama).

    4. Bel Grado Fa

      Pelo que anda jogando Fedrer, o “Rei da Grama”, dificilmente estes sonhos se realização. Voces terão que apostar em outros jogadores na final contra o Djokovic.

      1. JHONNY

        Nao esqueça do que o Federer fez contra o Francês desde o tie brek ate o fim do 2º set, alias ele jogou muito bem em roland garros, estranho foi ele ter jogado mal em halle e na 1º rodada de Wimblendon.

  21. Luiz Fernando

    Iga atropelou mais uma, essa menina a cada dia desponta como ótima jogadora de múltiplos pisos. Claro q como já exposto antes pelo Dalcim e por outros requer aprimorar seu jogo nos pisos mais rápidos, mas creio q isso é não é uma questão de “se” mas sim de quando acontecerá. Acho q a curto prazo…

  22. Luiz Fernando

    Dalcim com a eliminação do grego, talvez Rublev seja o maior obstáculo entre Djoko e a final, ao menos na teoria. Claro q de ninguém é imbatível, mas o jg sem grande variação do russo me parece a caráter pro sérvio. Vc veria alguma chance real dele vencer se eles se enfrentarem?u

    1. José Nilton Dalcim

      Sinceramente, não, pelo menos em condições normais. Muito provável que joguem com teto fechado no domingo e isso deixaria o jogo mais veloz. Talvez mude alguma coisa em relação aos golpes de base, já que o russo arrisca muito e pode estar num dia iluminado.

  23. Rubens Leme

    “When it’s nobody’s business
    The way that you want to live
    I just have to remember
    There’ll be days like this”

    Apesar de Van Morrison ter mostrado seu lado extremista durante a pandemia e ter lançado um CD duplo ruim, ele tem muito crédito comigo, pois seus discos me salvaram a vida várias vezes e não é da boca para fora.

    Em momentos de amargura, ouvir Van e assistir Woody Allen me ajudavam a colocar a vida sob perspectiva. Poderia falar do quanto amo sua música, mas isso não iria interessar a ninguém.

    Entre elas há uma de 1995, em que relata sobre os problemas diários e dos dias ruins que todos temos, de uma maneira positiva. Ela foi utilizada no filme Melhor é Impossível, quando Jack Nicholson leva Helen Hunt e o personagem de Greg Kinnear para a viagem de carro.

    Talvez a parte da letra acima explique Murray: faz o que gosta sem ter que se explicar, mesmo sabendo que os dias ruins existirão. Assim como os bons.

    https://www.youtube.com/watch?v=3UUWkr4FUlo

        1. Marcilio Aguiar

          Isso não serve para mim, porque não entro aqui com intuito de fazer criticas sistemáticas ou depreciação de qualquer jogador.

          E tem mais… pelo que os três ja conquistaram devido a seus méritos, não há a mínima necessidade dessa preocupação infantil dos torcedores ficarem depreciando aquele que não é seu preferido. A maioria dos comentários são mais para diminuir as conquistas dos outros do que para enaltecer o esporte e os feitos de seus praticantes.

    1. Renato

      Kyrgios deu uma entrevista sensacional. É o cara mais sincero do circuito, pro bem e pro mal. Tem um pessoal que se descabela com o que ele fala, mas é muito legal ter esse cara competindo. Torço pra ele ganhar algo grande. Tênis ele tem. Cabeça, só quando quer.

  24. Edgard Upinho

    “Depois de tantos jogos irregulares e estranhos, enfim surgiu um novo Roger Federer. Ou melhor, o velho Federer. Abusado, agressivo, determinado, chegando firme em bolas difíceis, backhand mais calibrado e o dom nato para jogar na grama. Será que agora vai?”

    É isso, mestre Dalcim, fiz-me a mesma pergunta. E respondo: espero que sim, hein? Espero bem mais, na verdade- quero ter o prazer de assistir uma batalha épica no estilo da final de 2019. Grande mestre, qual o seu prognóstico para o próximo jogo de Kyrgios? Será que ele seria capaz de por um ponto final da sequência brilhante de Djokovic? Muito obrigado e grande abraço.

    1. José Nilton Dalcim

      Se Felix jogar bem, acho bem difícil para o Kyrgios porque o canadense é muito consistente e deve tentar fazer Kyrgios jogar mais em cada ponto. Não vejo chance do Nick derrotar Djoko em condições normais, mas seria um jogo para chamar muita atenção. Abs!

  25. Bel Grado Fa

    Que belo coelho da cartola tirou o “interminável” Federer! Vamos falta adicionar consistência à bela apresentaçao e ver quando tiver partidas contra tenistas menos burocráticos e com mais potência nos golpes que o Gasquet para avaliar chances reais.

    Ainda com bastante desconfiança, seguimos torcendo. E se embalar, quem sabe até uma final seria possível (mas não mais que isso para não provocar a “Turminha do Adje Nole” deste blog, que estão na fase “haters adolescentes”, com posters na parede e coleção de bugigangas do seu ídolo preferido no quarto).

    E para quem NÃO acha que ele poderia ser lembrado como um Jordan do tênis, tudo bem. Mas poderia ser lembrando como um Magic Johnson que estaria valendo também!

  26. Paulo F.

    Os federistas dão como certeza absoluta que Kyrgios derrota Djokovic em Wimbledon.
    E são os mesmos que dizem que o mito Rafa não teria quaisquer chances na grama antiga de Wimbledon.
    Então como o Nadal espancou o próprio palhaço greco-malaio-australiano algumas edições atrás de Wimbledon?
    O nobre Luiz Fernando tem razão, aqui é diversão garantida!

  27. Adriano Souza

    Já era de se esperar que o Gasquet ( Que tem cara de boleiro aposentado ) perderia pro Federer

  28. Carolina

    Vi partes do jogo entre Kerber e Sorribes Tormo e admito que achei divertido. As duas jogadoras se movimentando bem e com paciência para trabalhar os pontos. A Sara Sorribes Tormo parece ser o tipo de adversária que nenhuma jogadora quer ver pela frente. Lembro que a Andreescu mostrou-se surpresa após o jogo que as duas fizeram em Miami.

    Fiquei feliz com a vitória da Ostapenko hoje, mas toda vez que eu espiava o jogo dela era um festival de erros não forçados. Vamos ver até onde ela consegue chegar. Talvez os golpes fiquem mais calibrados caso ela continue avançando no torneio.

    De forma geral, a maioria dos jogos programados para a terceira rodada despertam uma certa curiosidade. Minha expectativa é grande para Federer x Norrie, Kyrgios x Aliassime e Cilic x Medvedev. Não tenho muita certeza sobre Shapovalov x Murray. Acho que vai depender da recuperação do Murray após o jogo de quarta. Além disso, o Shapovalov é imprevisível. Também não faço ideia do que pode acontecer no duelo entre Evans e Korda. Considerando que o jogo será realizado na quadra central, torço para que o Evans consiga pelo menos fazer uma boa apresentação.

    Provavelmente irei queimar a minha língua, mas acho que o jogo de amanhã entre Schwartzman e Fucsovics tem potencial para ser a versão masculina de Kerber x Sorribes Tormo.

  29. Rafael Azevedo

    Gasquet foi massacrado pelos Nadal em RG
    Agora, apesar de um primeiro set disputado, foi atropelado pelo Federer nos outros 2, em WB
    Só falta pegar Djokovic no USOpen e pedir música no fantástico.

  30. Matheus Tomassi Lago

    Bons jogos pela frente, espero que Murray supere o Shapovalov e retorne para o top 100. Essa edição de Wimbledon tem tudo para ser ainda mais especial que as anteriores, algo grande e talvez inesperado pode acontecer até a final do torneio em simples masculino… aguardemos.

    1. Bel Grado Fa

      Pelo andar da carruagem, o algo grande que vai acontecer é o Djokovic comemorar o vigésimo GS e se aproximar de talvez conquistar o GRAND SLAN on mesmo o GOLDEN SLAM,

      Mas pra ser sincero, e principalmente pelo que ele anda jogando, não vejo como tão inesperado assim ele ganhar mais esse torneio.

  31. Barocos

    Dalcim,

    E eis que o que você ponderou há dois torneios atrás, embora você tenha ficado muito preocupado com os jogos ruins em Halle e na primeira disputa, está se concretizando: Federer precisava de ritmo para jogar bem. Ele mesmo, ao final da partida, se mostrando contente com o próprio jogo, disparou que estava torcendo para não perder nas rodadas iniciais e que, a partir daí, já com mais tempo em quadra, suas chances de realizar um bom torneio cresceriam muito.

    Contra o Norrie deve ser um pouco mais difícil, mas acredito que o Federer passe e, a partir daí, a “bailarina” do tênis, já em um patamar mais próximo ao que ele pode render, vai poder ensinar como se dança o “Pas de Deux” à geração mais nova.

    Sigo na fé que poderemos ter mais um capítulo da mais tensa rivalidade que o mundo já viu, Federer x Djokovic, ainda que acredite que a maior rivalidade seja mesmo entre Nadal e Djokovic.

    Herz in Hand, Federer!

    Ajde, Djokovic! Ideeemooooo!

    Saúde e paz.

    1. Jose Yoh

      Caro Barocos, saúde e paz!
      Concordo com quase tudo. Só acho que a mais tensa e maior rivalidade do tênis de verdade é a de torcedores do Federer vs outros torcedores do blog do Dalcim! Rs
      Abs

  32. Bruno Marcedo

    Cara, o Kyrgios joga demais. O cara é meio pedante em suas declarações, mas é muito carismático e simpático (quando quer). Fora que muitas vezes falta ao tênis jogadores com temperamentos mais sanguíneos, emotivos etc. Gosto do Tsisipas e do Federer, mas as caras blasé dos dois é um ponto meio chato para o jogo. Gosto de Murrays, Nadais e Kyrgios, cada um passional a sua maneira.

    Fora o espírito encrenqueiro do australiano q me agrada muito, eu torço para que o Kyrgios acorde para vida por uma razão super egoísta: Eu preciso de um outro gênio para torcer quanto o Federer parar.

    1. Rodrigo S. Cruz

      Pois é.

      Dureza foi ter lido um dia aqui, alguém querendo comparar o Kyrgios ao Monfils.

      Ora, desculpa, mas sem chance… ?

      O francês não chega nem à planta dos pés do Kyrgios em habilidade e Show.

      Sem falar que, ultimamente, virou um perdedor nato, né…

    2. Rodrigo S. Cruz

      Tem um carisma nato e um talento absurdo!

      Coisa que até o Nadal já falou.

      Só não reconhece isso quem sente ódio dele, por ser da “tribo” djokovista…

      1. Sandra

        Carisma não tem haver com falta de educação ! Ele está mais para Bolsonaro que outra coisa ! Tem que pensar para falar ! Quando ele tiver lá pelos seus 40 anos ele vai perceber o quanto ele perdeu com essas atitudes! Só talento não basta !

  33. Luis

    Dalcáim Federer foi bem parece tem caminho tranquilo até talvez encontrar Medvedev acho animou torcida do Suíço rs o que achou? E frio em Sp

  34. Rodrigo S. Cruz

    Eu devia estar alcoolizado quando escrevi que a chave do Kyrgios se abriria após vencer o Humbert.

    O cara só tem pedreira pela frente, meu!

    Se passar pelo Aliassime que venceu o Federer em Halle, pode ter o Zverev pela frente.

    Espero que esse BRILHANTE australiano encontre energias de algum lugar…

    No mais, é claro que fiquei muito contente com a atuação do GOAT hoje. Simplesmente outro nível.

    Ainda distante do Federer de Wimbledon-19, mas pode evoluir se mantiver a confiança de hoje.

    Mas vou conter a euforia, pois sei que Gasquet é um freguês tão fiel que seria capaz de perder do suíço até se este jogasse algemado e sobre a NEVE ?

    O teste de fogo será o Norrie, mas nunca duvidem do bom e velho Leão ? da Montanha!

  35. Marcel Azevedo

    Dalcim, foi impressão minha ou o Federer tinha esquecido qual é a real capacidade dele na grama??

    No primeiro set estava um pouco sem o ” Time ” chegando um pouco atrasado nas bolas, a partir do tie break ele voou e massacrou o Gasquet.

    Abc

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, acho que ele tentou ser muito conservador e isso já aconteceu em Halle. Talvez seja insegurança pelo tempo demasiado que ficou parado.

  36. rafael

    Vi parte do jogo do Federer e realmente ele jogou melhor que a 1 partida. Contudo, segue com lampejos do Federer do passado com erros demasiados. E convenhamos que o Gasquet já não é mais àquele!! Contra o Norrie o suíço terá que jigar qinda melhor.

  37. Rubens

    Puts…não da pra ter esperança em Federer campeão com Djokovic ainda vivo no torneio, só posso acreditar num título do suíço com o sérvio eliminado, caso contrário, vou torcer pra Zverev chegar na final, esse tem experiência em bater Djokovic em jogos importantes.

    1. Rodrigo S. Cruz

      Mas o Zverev perdeu um jogo disputadíssimo contra o Djokovic, no Australian Open.

      Let’s face It.

      Acho que não existe ninguém, no momento, capaz de parar o sérvio.

      Exceto, talvez, o Federer de Wimbledon-19…

  38. Paulo Almeida

    De sábado a terça vai ser quase impossível algum jogo fora da Central e da Quadra 1 por conta do mau tempo e consequentemente terão que espremer tudo até o outro domingo ou adiarem a data de encerramento, mesmo se partidas forem realizadas no “Middle Sunday”.

    Que lástima!

    1. José Nilton Dalcim

      Com duas quebras cobertas e a chance de fazer 4 jogos por dia em cada uma delas, o torneio de simples está garantido a partir das oitavas de final.

      1. Paulo Almeida

        Dalcim, fiz uma projeção a partir dessa possibilidade dos 4 jogos por quadra, CASO se confirme a chuva impeditiva já no sábado:

        – Sábado: 8 partidas da terceira rodada de simples (4 masculino e 4 feminino);
        – Domingo: 8 partidas da terceira rodada de simples (4 masculino e 4 feminino);
        – Segunda: 8 partidas das oitavas (4 masculino e 4 feminino);
        – Terça: 8 partidas das oitavas (4 masculino e 4 feminino);
        – Quarta: 4 partidas das quartas (2 masculino e 2 feminino);
        – Quinta: 4 partidas das quartas (2 masculino e 2 feminino);
        – Sexta: semifinais femininas;
        – Sábado: semifinais masculinas;
        – Domingo: final feminina;
        – Segunda: final masculina.

        Não seria por aí tendo em vista o tempo de descanso, principalmente no caso dos homens?

        1. José Nilton Dalcim

          Sim, se não chegarmos nas oitavas normalmente, teria de ser algo assim. Mas lembro que quatro jogos por dia na Central e na 1 forçará um desgaste muito acima do normal.

  39. RODRIGO LAGE BELLAZZI

    Mestre o velho federer ainda joga muito tenis por mais que queiram menospreza-lo, as pessoas precisam aprender a respeitar um grande campeao.

  40. Rafael

    Dalcim, gostaria de saber sua opinião sobre a forma do Murray jogar atualmente. Depois da cirurgia, enxergo que ele precisa mudar aspectos importantes do jogo pois vejo muito do lado físico presente e de aceitar muito as trocas de bolas.

    1. José Nilton Dalcim

      Deveria mesmo tentar um jogo mais ofensivo e de lances mais curtos, mas está no DNA dele e acho difícil que ele consiga isso a curto prazo.

    2. Jose Yoh

      Não tem mais como ganhar sendo somente ofensivo, Rafael. A capacidade defensiva dos jogadores, as raquetes e os pisos não permitem mais. Por isso tem tantas bolas indefensáveis que voltam. Ontem vi uma cruzada do Federer que o Gasquet defendeu lá da placa de propaganda, passando por fora da rede, e olha que o francês não é nenhum exemplo de atleta e Wimbledon ainda é uma quadra de grama. Essa bola não voltaria em outros tempos.
      Creio que o Murray sabe disso.

      1. Paulo Almeida

        Voltaria com Agassi, Djokovic e mesmo o Murray em qualquer época.

        O peixe que vocês tentavam vender com a padronização para os desavisados foi por terra com o Sarettão.

  41. Paulo F.

    Nem parecia o Federer contra Aliassime e o fraquissimo Mannarino hein?
    Bom para o torneio, que ganha com a continuidade e um maior ritmo de seu maior campeão para a fase seguinte.
    E para seus torcedores, que já estão no desespero e fazendo o absurdo de torcer para um m…. que é o oposto do Federer.
    Vocês têm memória curta?
    Djokovic “apenas” derrotou recentemente Rafa na semi de RG e vocês dão como favas contadas o palhaço australiano chegar na final de W e ganhar de quem fez um feito imenso poucas semanas atrás?
    Caiam na real!

    1. Rodrigo S. Cruz

      Rapaz…

      Ou você se faz de tonto, ou só gosta de poluir as pastas com confusões mesmo.

      Pois onde foi que você viu alguém sequer sugerir que o Kyrgios possa chegar tão longe, ou tampouco ser favorito contra o sérvio?

      Para de ficar inventando mentiras para provocar os outros, isso é muito chato!

      EVOLUA!

      Escreva, apenas para variar, algo que some. Tenho certeza que você é capaz.

      Seja uma análise da chave, das chances de cada um, sei lá…

      Pare de ficar usando este espaço só para mirar esse veneno nos outros, com esse comportamento tribal.

      Isso já deu o que tinha que dar ???

  42. Paulo F.

    Torcerei muito para Felix agora.
    Que despache o palhaço para o picadeiro e deixe Wimbledon para os profissionais.

  43. Periferia

    Viver….1952….Akira Kurosawa.

    Obra prima de Akira Kurosawa…seu melhor filme.
    O Sr. Watanabe é um burocrata…viúvo…chefe de uma repartição pública…sua vida foi dedica ao trabalho.
    Quase aposentado percebe que praticamente viveu em um escritório…tem um filho que praticamente não vê mais.
    Em uma consulta médica descobre um câncer no estômago…tem pouco tempo de vida.
    Num primeiro momento ele é dominado pelo medo da morte.
    Percebe que nada fez em vida…a doença faz ele mudar…buscar motivações para sua existência.
    Uma visão crítica sobre o mundo…sobre o sentido da vida…contada com sensibilidade e poesia pelo mestre japonês Kurosawa.

    (Watanabe renasceu…mesmo perto da morte…alguém pode renascer em Wimbledon…quem sabe…)

    1. Filipe Fernandes

      Meu caro Peri,

      Assim como Kurosawa, após um dos gestos mais belos da História do Cinema por parte de cineastas americanos, pôde sair de uma fossa profunda e colocar seus “Sonhos” (1990) em cena, que um certo e raro tenista, no epílogo da sua sublime caminhada, possa, quem sabe, dar vida aos seus próprios sonhos em quadra.

      Ainda não vi esse filme do Mestre Kurosawa, mas, pela sua descrição, a história dele parece ser relativamente similar à daquela tremenda novela de Tolstói, “A Morte de Ivan Ilitch”, da qual terminamos a leitura com um profundo sentimento de amarga lucidez face ao périplo do protagonista ao longo da vida (e da sua derradeira agonia).

      “Watanabe”: perdoe-me pelo comentário fora de contexto, mas, quando leio esse sobrenome, costuma vir à minha mente a figura do grande ator Ken Watanabe, tão expressivo e vivaz em filmes como “O Último Samurai” (2003) e “Cartas de Iwo Jima” (2006, um dos meus mais amados da obra de Eastwood), incorporando uma dignidade japonesa – oriental – que sempre fascina pela postura honrosa e corajosa.

      No post passado, você destacou a importância crucial de vários esportistas para o esporte, bem como as suas impressões digitais deixadas no mundo, e, nesta semana, assistindo ao pequeno documentário “Faz de Conta que Nova York é Uma Cidade”, de Scorsese (um dos admiradores e “anjos da guarda” de Kurosawa), de repente aparece o cineasta Spike Lee fazendo uma afirmação interessante: para ele, o que Michael Jordan realizou em sua carreira é comparável a obras de gênios como Michelangelo, Frank Sinatra, Picasso, Duke Ellington, tamanho o nível a que ele alçou o basquete, e assim pergunta à escritora Fran Lebowitz se um atleta como ele poderia estar no mesmo patamar de brilhantismo humano que o de um artista. Foi um momento muito reflexivo do documentário.

      Um grande abraço, meu caro, e saúde.

      1. Rubens Leme

        Pois quando li Watanabe me lembrei do saxofonista japonês Sadao Watanabe, que fez alguns discos de jazz musak pavorosos….rs.

        Sonhos foi financiado por Steven Spielberg e George Lucas e um ponta de Scorsese como Van Gogh. Spielberg e Kurosawa haviam perdido o Oscar de melhor diretor de 1986 para Sydney Pollack, que venceu com o pavoroso Entre Dois Amores, enquanto Spielberg concorreu com o maduro A Cor Púrpura e Akira com o deslumbrante épico Ran.

        Kurosawa era um artista completo, seus storyboards eram obras de arte. Ele tentou o suicídio uma vez em 1971, o tema aliás sempre o pertubou, desde que seu irmão mais velho se matara as 27 anos, em 1933, naquilo que descreveu como a última vez que sentiu a perda de uma outra pessoa.

        1. Periferia

          Olá Leme

          Kurosawa realmente era completo…literalmente um “pintor” de imagens….seus filmes não era apenas uma obra de arte….eram várias em um único filme.
          Imagens de artistas impressionistas….roteiros baseados em clássicos da literatura…música (como a de Sonhos que valoriza um filme essencialmente de imagens “vangoghguianas”).
          Quem sabe….pelas perdas que teve…a morte do irmão…a falta de financiamento para a razão da vida dele…os filmes.
          A obra de Kurosawa é um pouco melancólica…como ele coloca uma pitada de poesia…passa batido.

      2. Periferia

        Olá Filipe

        Sim….Watanabe tem muito do Ivan de Tolstoi…acho que a diferença maior é que Ivan é salvo pelo acaso…já Watanabe busca a redenção.

        Gosto muito de Cartas Para Iwo Jima.. considero Eastwood o maior cineasta americano vivo (apesar de ser um direitista…rs).
        Ken Watanabe está em um dos filmes mais instigantes dos últimos 20 anos….A Origem do Nolam…coincidentemente….trata de…. sonhos (sonhos diferentes de Kurosawa).

        Concordo com Spike Lee….alguns esportistas transcendem o esporte.. se transformam em artistas…com “obras” belíssimas…quando escrevo sobre contexto histórico…muitas vezes as pessoas não compreendem.
        Acham que o esporte é feito apenas de números (alguns citam os pais da estatísticas para firmar uma opinião).
        Federer é o maior tenista que o tênis viu…alguém pode perguntar qual a contribuição dele para o esporte que pratica…
        Djokovic e Nadal são contribuições dele.
        Não existiria esse nível que o tênis atingiu (era de ouro) e a construção de dois campeões como o sérvio e o espanhol caso não existisse um tenista como Federer (até por uma questão biológica…o suíço é mais velho)…o sarrafo foi colocado por alguém…isso é algo que será reconhecido quando essa era de ouro terminar.

        Fique bem Filipe

        Abs

  44. Jonatã Lopes

    Dalcim

    Não acha que Wimbledon deveria usar bolas mais leves para acelerar os torneios?. Hoje, o duelo entre Kerber e Sara Sorribes na quadra 2, pareceu um jogo no saibro, inúmeras quebras e ralis intermináveis.

    Outra. Não acha que a organização do torneio deveria adotar gramado híbrido para as quadras, a fim de evitar o excessivo desgaste do piso?

    1. José Nilton Dalcim

      Isso porque você não viu o jogo do Aliassime com o Ymer… rsrs… Eles disseram que conseguiram uma grama mais duradoura, e até parece que está mais resistente mesmo.

  45. Chetnik

    “Casquet” – kkkk – perdeu 56 sets seguidos para o Nadal e para o Desaposentado. 3 TB nesses jogos todos…ele não é só um jogador medíocre. É um homem medíocre. Beta na sua essência mais pura.

  46. VINICIUS BENEDITO CUSTODIO

    Dalcim falando dos jogos de amanhã, você vê o garin favorito amanhã contra o espanhol?
    E o tiafoe contra o russo?
    Gosto das chances do alemão koepfer contra o bautista agut , chance de zebra ou você vê o espanhol ganhando amanhã por ser um tenista melhor?
    E schwatzman está oscilando, acho que o húngaro pode surpreender tbm, o que voce acha?
    Como vc vê os favoritismo em % desses 4 jogos?

    1. José Nilton Dalcim

      Na verdade, acho que não existe favoritismo nesses jogos. Quase ninguém aí tem currículo na grama e quase todos são mais jogadores de saibro, exceção ao Bautista. Então acho que vai ser questão de dia mesmo.

  47. Rubens Leme

    Em 1986, um duo suíço que misturava pop, soft rock e jazz fez um enorme sucesso com uma canção: Double. Felix Haug e Kurt Maloo eram os nomes das feras e a sofisticada “The Captain of Her Heart” chegou ao top 10 de compactos em vários países e se tornou um destes hits icônicos da época.

    O grupo só lançou dois LPs, Blue (1985) e Dou3le (1987). Os dois álbuns foram lançados aqui na época e depois disso, o grupo acabou, restando na memória uma das mais belas músicas de uma geração, o tipo de música que ninguém sabe mais fazer, ao que parece.

    Aposto que o menino Roger ouviu muito isso.

    https://www.youtube.com/watch?v=YX-Ru1XkNZc

    1. Marcilio Aguiar

      Leme, acho que também da década de 80, surgiu uma cantora chamada Sade Adu. Não tenho muito conhecimento da obra dela mas me lembro de 2 hits: Smooth operator e Jezebel, os quais eu curti muito. Você tem algo a dizer sobre ela?

      1. Barocos

        Marcílio,

        Sei que não ajuda, mas como recordar é viver múltiplas vezes, não posso deixar de comentar, era a cantora favorita de minha amada prima. Grandes lembranças.

        Saúde e paz.

  48. Luz de Júpiter

    Eu assisti um pouco do jogo do Kyrgios, estava me divertindo bastante.
    Quando terminou fui assistir Aliassine… Chato demais. Baseliners em uma quadra de grama é tão esquisito. Troca de bolas em um piso que deveria premiar ousadia, improviso e agressividade. Espero que Kyrgios avance.

    Aliás, neste Wimbledon em que Federer provavelmente não chegará na final, espero que a final seja Kyrgios x Djokovic.

    Imagine aí, Kyrgios tirar o Golden Slam e o 20° de Novak. Treta…

    1. Araujo

      Esse palhaço tem fugido de Djokovic, ganhou 2 joguinhos quando ele tava em má fase e nunca mais apareceu pra enfrentar o sérvio em alto nível. Esse cara fala demas e ganha pouco, não tem nem sequer masters 1000…é um fanfarrão.

  49. José Eduardo Pessanha

    Mestre, o Eusébio entregou o Narck hoje, hein…. disse que tinha um colega de transmissão que era apaixonado pelo jogo do Nadal. Foi bem irônico rs rs
    Abs

    1. Paulo Almeida

      Você deve ter se mordido todo quando o Narck disse que Djoko e Nadal eram dois cracaços absurdos (algo assim). Acho que ele torce pros dois igualmente.

      1. Gildokson

        Tal mal de percepção hein Paulo. Até eu que não sou dessas teorias conspiratórias percebi que o Narck passou RG inteiro secando o Djokovic, e quase chora ao fim do 4° set da semi quando percebeu que o Nadal perdeu o gás.

        1. Paulo Almeida

          Nesses anos todos no SporTV, ele cansou de babar o ovo do Djoko e não secou o sérvio agora em RG como você disse. Pode preferir o Nadal, mas você é que está mal de percepção, rs.

  50. Luiz Fernando

    Creio q “desafio real” está muito posto, pois não apenas Federer como também os demais principais favoritos só pegaram galinhas mortas até o momento. E o termo desafio real, ou talvez um adversário um pouco mais exigente, só se justifica pelo momento incerto do suíço e muito menos pelo britânico, que aos 25 anos não tem nenhum título de simples na carreira. Se fosse p apostar cravaria Federer sem grandes receios…

  51. Lucas Duarte Parra

    Dalcim,em relação a grama,ela fica mais lenta,mais rápida,ou sem grandes alterações no final do torneio,onde ela esta bem mais desgastada?
    Aliás,quais alterações basicamente acontece no jogo,com a grama bastante desgastada?

    1. José Nilton Dalcim

      Na teoria, fica mais lenta, Lucas, porque perde a camada superior da grama e fica uma mistura com areia.

Comentários fechados.