Djokovic peita ATP às vésperas de Wimbledon
Por José Nilton Dalcim
23 de junho de 2021 às 19:40

Seis dias antes de iniciar a defesa do título de Wimbledon e tentar dar o terceiro passo rumo ao Grand Slam, Novak Djokovic mandou um recado à ATP. Através de comunicado, ele e Vasek Pospisil anunciaram a formação da diretoria da PTPA (Professional Tennis Player Association), a entidade que os dois criaram no ano passado para contrapor a ATP.

A PTPA tem agora um diretor executivo – Adam Larry, que trabalhou vários anos com a Liga de Hóquei -, uma chefe de comunicação e um comitê de gerenciamento. No comunicado, frisa que a meta é unir os jogadores e mobilizá-los para que haja “transparência e justiça” nas decisões sobre o tênis profissional. “Demos um passo à frente. Queremos ajudar todos os tenistas, não apenas o top 100, a ter uma carreira sustentada”, afirmou Nole.

Isso evidentemente cutucou a ATP, que reagiu nesta quarta-feira também com um texto à imprensa, onde frisou seu compromisso com melhorias no circuito, colocando-se como mediadora perante os promotores. Lembrou que os conselhos são compostos por tenistas eleitos diretamente e citou conquistas recentemente obtidas na questão de premiação.

O fato é que a associação paralela idealizada por Djokovic, que parecia um assunto em banho maria, seguiu em frente e não se intimidou com críticas recebidas de que estaria fragilizando os bastidores ao invés de somar forças. A PTPA recebeu ao longo do dia apoio de entidades semelhantes do hóquei e do beisebol norte-americanos. Fica a expectativa de quanto esse assunto poderá repercutir em Wimbledon.

E por falar nisso as chaves do Grand Slam da grama serão sorteadas na manhãzinha de sexta-feira e, assim como aconteceu em Roland Garros, a expectativa é grande. Quem ficará no mesmo lado de Djokovic? Dois nomes se destacam: Roger Federer e Stefanos Tsitsipas.

Ao menos por enquanto, o grego e Dominic Thiem serão os cabeças 3 e 4. Com isso, dois da lista que tem Alexander Zverev, Andrey Rublev, Federer e Matteo Berrettini ficarão no lado superior e um deles poderá cruzar com Nole nas quartas.

Além de cabeças de chave com conhecido potencial na grama, como Grigor Dimitrov e John Isner, ou novidades como Ugo Humbert, há também muitos jogadores ‘soltos’ que podem dar dor de cabeça a qualquer favorito, casos de Andy Murray, Marin Cilic, Richard Gasquet, Nick Kyrgios, Sam Querrey, Jeremy Chardy, Vasek Pospisil, Feliciano López e o novato Sebastian Korda.

Já imaginaram uma primeira rodada com Djoko-Murray ou Federer-Cilic? Quem sabe um Medvedev-Kyrgios, Tsitsipas-López? Pode ficar muito interessante.


Comentários
  1. Carolina

    – Estreias complicadas para Shapovalov, Humbert, Leylah Fernandez e Kvitova. Eu queria ver Humbert x Kyrgios e Fernandez x Ostapenko, mas não na primeira rodada. Estreia horrível para o Pella contra o Berrettini, mas como ele venceu Cilic e Raonic em um passado distante ainda tenho alguma esperança. Monteiro também não teve muita sorte. O Aliassime está em boa fase, tendo feito final em Stuttgart e semifinal em Halle.

    – Não parece fácil, mas se Gilles Simon e Feliciano Lopez vencerem na estreia, eles se enfrentam na segunda rodada!

    – Eu diria que o sorteio foi bom para o Cilic. Não lembro de vê-lo jogar contra o Medvedev no passado, mas quartas de final ou, até mesmo, semifinais parecem uma possibilidade.

    – Vários jogos entre especialistas em saibro na R1: Galan x Coria, Cuevas x Djere, Fognini x Ramos-Vinollas, Garin x Zapata Miralles (não tenho certeza se ele é “saibrista”, mas creio que sim) e Londero x Mager para citar alguns.

  2. Luiz Fernando

    Dalcim, vc viu q foi só o Pessanha passar a torcer pelo Palmeiras q o time começou a perder e começou uma crise entre o técnico e o presidente, precisa falar mais kkkk???

  3. DANIEL DE FIGUEIREDO TOLEDO

    Bom dia, Dalcim. Na sua visão quem teve a década mais dominante, Federer em 2000 ou Djokovic em 2010? Você consegue fazer um apanhado dos principais números de cada um (Slams, semanas como N1, etc) em cada década? Sampra anos 90 entraria nessa briga? Grande abraço!

    1. José Nilton Dalcim

      Prometo mais à frente abordar o assunto, Daniel. Como estamos às vésperas de Wimbledon, vou me concentrar no torneio nas próximas duas semanas. Abs!

  4. Hendrix

    Dalcin, duas perguntas sobre a PTPA.

    Como essa associação pode unir os jogadores se os dois outros Big 3s e boa parte dos jogadores são contrários a ela? Seria união de um grupo ou “panela”?

    Outra coisa seria entender quais seriam as reais motivações do sérvio nesse projeto, ele que nunca se mostrou muito interessado em defender interesses dos jogadores (vide Adrià Tour 2020). Que pulo do gato teria essa PTPA que jogadores extremamente engajados como Nadal, Federer e outros nunca conseguiram em decadas de tour?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que a PTPA terá de convencer os tenistas com uma proposta concreta. Quanto à motivação, prefiro acreditar que é bem intencionada.

  5. Rodrigo S. Cruz

    Vamos ver o que no traz o sorteio das 6:00 da manhã de hoje.

    Torço para que o Djokovic não mantenha a escrita de pegar chaves muito fáceis, como aquela de 2019.

    Naquele ano, tirando a final que foi memorável e dura, ele teve a vida muito facilitada.

    Quanto ao Federer, acho que as expectativas são as mais baixas possíveis, não importando da chave…

  6. Alexandre Monteiro

    Oi Dalcim!
    Acabei de ver o jogo da Bia. Uma pena ela ter perdido. Interessante ver que ela tem evoluído o seu jogo, mas ainda falta aquele “edge” emocional para decidir alguns pontos importantes. Sem falar que a adversaria americana era uma tremenda “pusher” com uma grande nível de movimentação.

    O que que vc achou e como a Bia deveria fazer na sua opinião para evoluir um pouco mais?
    Abcs.
    Alexandre

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, Alexandre, Bia estava jogando melhor em 2019, com certeza. Principalmente sacando melhor e sendo mais agressiva de forehand. Mas é claro que foi sua volta à grama depois de muito tempo e a adversária, como você bem destacou, esteve sólida e taticamente muito firme. Acho que a Bia ainda precisa recuperar o nível de dois anos atrás, mas há tempo e talento de sobra para isso.

  7. Nattan Labatto

    Sinceramente, como torcedor do Djokovic, não gosto de quando ele entra nessa seara política do tênis. Perde o foco em quadra e acaba criando poderosos inimigos. Enfim, é notória a boa fé e a boa vontade do número 01 em defender e olhar pelos jogadores de ranking mais baixo. O cara é extraordinário dentro e fora das quadras! ??

    Nobre nolista Danilo, esses dias tirei um tempo para dar uma olhada na conta do Instagram das lendas ND, RN e RF e constatei o que vc postou outro dia, de que o sérvio ultrapassou o suíço em número de seguidores. Show de bola! Nada mal para quem tem pouco carisma! Rs rs… Ah, eu tb percebi que o Federer deixou de seguir o Nole e ainda continua seguindo Nadal. Pesquisei só por curiosidade mesmo, pois quem nunca deu um unfollow naquele “amigo indigesto”. ?

    Abs

    1. Jonas

      Pois é cara, eu mantenho minha opinião, acho que esses dois (FeDjoko) nunca se bicaram. Acho até que o Novak tem certo respeito pelo que o suíço já fez. Mas o Federer tá com o Djoko engasgado, foram muitos jogos importantes perdidos pro sérvio.

      1. Paulo F.

        Federer nunca suportou o Djokovic, a impressão que dá do Federer é: “onde já se viu esse sérvio se meter no mundo dos gigantes do tênis, atrapalhando a rivalidade com o meu Rafinha?”

        1. Luiz Fabriciano

          O Sr. Elegância, Roger Federer, naquela semi do AO de 2016, onde apanhava de 6×1 e 6×2 do sérvio, ao ver o cameraman lhe apontando a dita cuja, disse: “Tire isso da minha cara.” Será que estava puto?

    2. DANILO AFONSO

      Nattan, incrível que a diferença era de milhões anos atrás, mais que o dobro de seguidores. Entre os mais jovens (abaixo de 30 anos) acredito que seja o mais popular. Quando o sérvio de fato passou a ganhar mais visibilidade da mídia em 2011, Federer e Nadal já tinham, talvez, cerca de 90% da massa de torcedores pelo mundo. Com exceção da sérvia e seus países vizinhos, Djokovic teve que começar quase que do zero na captação de novos torcedores, mesmo com a dupla Fedal continuando vencendo títulos relevantes e dividindo atenção da mídia com o trio, o que torna a crescente popularidade do sérvio ainda mais especial.

      Saudações Nolistas !!!

  8. EDVAL CARDOSO

    Boa noite Dalcin
    Com a sua experiência, acha que tem alguma chance de ter havido um “migué” nessa desistência da final de duplas em Maiorca por parte da dupla do Djoko?
    Vi muitos comentários aventando essa possibilidade.

    1. José Nilton Dalcim

      A suposição é que Djokovic achou melhor não jogar a final? Se for isso, acho absurda essa hipótese.

    2. Maurício SP

      Imagina… Djoko procurou um parceiro que já estava pré-contundido e que não teria condições de jogar depois de quinta-feira… E o Tio Toni antecipou a semifinal pra quinta-feira pra que o jogo pudesse ser realizado antes do estado de saúde do parceiro ficar inviabilizado…

  9. Paulo F.

    Parabéns ao Dominic Thiem por ter sido coerente e íntegro e desistido de Wimbledon antes do chaveamento, já que está com uma lesão que o incapacita para o torneio.
    Assim, ele não estraga o torneio e faz com que Djokovic só enfrente Tsitsipas ou Zverev nas semifinais, teoricamente.
    Punho é brabo, que não seja nada nem de perto do que Delpo já enfrentou.
    Que saia logo e com saúde desse inferno astral em que se meteu após a conquista do USO.
    Boa recuperação, Thiem!
    Por fim, que o clássico subestimado (Federer X Djokovic) não ocorra tão brevemente, tipo nas quartas, se acontecer.

  10. Robson

    Só acho que o número 1 do mundo deveria se preocupar apenas em competir,vencer e buscar mais números,a carreira está acabando,acabou de fazer 34 anos,na minha opinião só mais 2 anos em alto nível e contando.
    Depois que encerrar a carreira, aí sim,pode buscar cuidar dessa coisas extra quadra,essa associação por ex.
    No mais,Wimbledon enfim chega já na semana que vem, simboraaaa Novak,faltam SETEEEEEEEEEE….

  11. Evaldo Aparecido Moreira

    Boa noite
    Mestre Dalcim, vi hoje uns raros jogos da Bia Haddad, os 2 sets a frente , e a americana virou em ambos, e percebi em alguns momentos o saque da Bia não machucava tantoo a Keitie V., e por fim, em termos técnicos e de habilidade, a Bia Haddad tem de sobra.
    Sinto que a evolução dela estagnou um pouco, o que achas Dalcim?.
    Hoje , nos pontos , Bia fez algumas leituras erradas , o que deu pontos de graças e por consequência o serviço quebrado, também teria que melhorar um pouco em cada tipo de jogada ,pois potencial ela tem demais , por ter 25 anos, cabe mais no jogo dela, o que achas disso também Dalcim?

    1. José Nilton Dalcim

      Também achei que o saque dela caiu muito, Evaldo. E isso desde o problema que ela teve no ombro. Na grama, ainda por cima canhota, deveria fazer mais estragos. No entanto, a americana jogou de forma inteligente. Leve na quadra, manteve a bola no centro para cortar ângulos e surpreendeu com contragolpes nas paralelas. Taticamente, foi muito inteligente.

      1. Evaldo Aparecido Moreira

        Obrigado mestre pela resposta.
        Mas em se tratando de ombro, e ela teve lesão, mas daria ela melhorar o saque, Dalcim?
        Ou essa lesão prejudicou tanto assim, ao ponto de ela não ter tanta potência assim ao sacar?.
        O segundo saque então ?
        Mudando de assunto Dalcim, vai ter post , sobre o sorteio de hoje em Winbledon?

        1. José Nilton Dalcim

          É bem normal uma lesão grave tirar confiança. Tomara que seja só psicológico, e não físico. Claro, muito em breve!

  12. Maurício Luís *

    Quando vi que o Bellucci iria enfrentar um adversário saído do quali de um Future, número 966 do ranking, pensei: ” Agora ele embala e vai pra terceira rodada”. Pois não é que ele conseguiu perder?
    Que fim de festa, Bellucci. Quem te viu e quem te vê. Não sei o que lhe está acontecendo, mas com + de 30 nas costas, alguma coisa precisa ser feita. Pra ontem. Ou então tenta jogar duplas.

    1. José Nilton Dalcim

      O perfil dele no Facebook me parece real. Ainda assim, cabe ao Facebook identificá-lo para que você possa processá-lo.

  13. Rubens Leme

    Recebi hoje essa preciosidade. São quase 1200 páginas com todos os contos de Julio Cortázar, o homem que adora jogar amarelinha (
    https://www.amazon.com.br/gp/product/6559210707/ref=ppx_yo_dt_b_asin_title_o03_s00?ie=UTF8&psc=1).

    Vou aproveitar e ler aos poucos, um conto por dia, sem pressa. Não sei como anda o humor de cada um, mas desde que esse imbecil foi eleito minha cabeça e minha paz de espírito ficaram seriamente comprometidas.

    Dias desses tive que me segurar ao ouvir, de um estranho, que meu pai havia morrido de covid por não ter usado cloroquina e porque “pelo que entendi da conversa você e ele são ateus e não se pode ir contra a vontade de Deus”.

    Tive que usar a minha última mitocôndria de bom senso antes de pular em cima do imbecil e não imitar o que Hulk fez com Thor, em Vingadores. É incrível como as pessoas hoje simplesmente invadem nossa vida, sem pudores e os piores são esses pentecostais, que se espalharam e ficam jogando essa doutrina absurda nos outros.

    Francamente, o medo de ser preso e parar na agradável prisão de Pedrinhas falou mais alto. Eu quase nunca saio de casa, apenas quando é absolutamente necessário e sob protesto. E nem assim, escapo.

    Tá muito difícil viver no Brasil onde Queiroz que ser deputado federal e se juntar às Joices, Janainas, Alexandre Frotas, Tiriricas, 01, 02, 03…

    “No One Here Gets Out Alive”, cantava Jim Morrison em “Five to One”. Mais um pouco, isso vira realidade.

      1. Periferia

        Olá Leme

        O filme Blow-up Depois Baquele Beijo de Michelangelo Antonioni foi inspirado livremente no conto As Babas do Diabo.
        Escrito em 1959 ( e incluido no livro As armas Secretas) o conto narra a história de um franco-chileno apaixonado por fotografia…que acidentalmente fotografa um mulher beijando um jovem num parque.
        Carlo Ponti…produtor de cinema…pagou 4mil dólares pelos direitos da obra (o filme rendeu 25 milhões de dolares).
        O escritor conta que teve contato com o filme pela primeira vez em uma manhã chuvosa em Amsterdã…viu o cartaz da estreia do filme…pagou o ingresso e foi ver sozinho o filme baseado em seu conto.
        Cortázar (que nasceu na Bélgica) sempre elogiou o filme…dizia que o filme despertou o interesse por seus contos…e temas como o voyeurismo e a incomunicabilidade (algo que explodiu anos depois) mostram que o filme estava à frente do seu tempo.
        O filme levou a Palma de Ouro de Cannes.

        1. Rubens Leme

          Eu tenho Blow Up, a primeira aparição (ou a que tornou famosa) de Vanessa Redgrave. Do Antonioni também tenho a Trilogia da Incomunicabilidade e Zabriskie Point. Aliás, ele e Blow-Up, são dois filmes muito citados como parte da contracultura, embora sejam esteticamente distintos.

          E, sejamos francos. todos viram o Blow-Up porque possui a rara aparição de Jeff Beck e Jimmy Page, juntos, tocando ao vivo “Stroll On”, nos tempos dos Yardbirds. E a trilha sonora de Zabriskie com músicas inéditas (até então) de Pink Floyd e Grateful Dead, faziam do filme um must pros roqueiros.

      1. Rubens Leme

        Ele era fantástico, assim como todos os argentinos daquela época, mas na pré-venda o preço era bem mais em conta. Paguei uns 180, se me lembro bem.

    1. DANILO AFONSO

      Rubens, não sei se teria a sua paciência e racionalidade. No mínimo mandava o desgraçado do inconveniente e sem noção para a pqp ou tomar naquele lugar.

    2. Bel Grado Fa

      São tempos sombrios e de extrema polarização e fundamentalismo (como aqueles que antecedem as grandes mudanças.

      Vale lembrar que num destes momentos de extrema polarização e fundamentalismo mergulhamos na Idade Média. Em outro destes momentos adentramos à Segunda Guerra. E num terceiro tivemos a Primavera Árabe (que mais se assemelhou a um inverno polar).

      Eu não generalizo que pessoas de instituição nenhuma possam ser a causa do problema, mas não há como negar que algumas têm sido mais influenciadas (e tem apoiado mais) as loucuras do nosso mandatário do que outras.

      Que em 2022 tenhamos candidatos sérios e que a populaçâo tenha um lampejo de bom senso para no voto retirar este cidadão do poder o mais rapidamente possível e parar este processo de retrocesso em democracia, educação e principalmente fundamentalismo que vivenciamos nos últimos três mandatos (dois mais o atual) e evitar o desastre que se desenha à frente para o Brasil, embora o cenário eleitoral que se forma para 2022 sugira apenas o caos.pp

      1. Rubens Leme

        Periferia, meu espanhol não permte ler Cortazar. E o curioso é que muito dos contos foram escritos em francês, pois morou boa parte da sua vida em Paris.

    1. José Nilton Dalcim

      Muito pequena. Depende do ranking das outras 16 perdedoras da rodada final. Porque a preferência é sempre dos rankings superiores. Além disso, ainda existe um sorteio entre as quatro jogadoras de maior ranking que assinarem a lista de lucky-loser.

  14. Paulo Almeida

    Alguns membros da IOF (Igreja Ortodoxa Freguesiana e não Imposto sobre Operações Financeiras) estão desaparecidos até hoje. O título do rei do tênis em RG somado à derrota acachapante do suíço em Hall’s foi um golpe pesadíssimo.

    1. José Nilton Dalcim

      E isso é o correto. A hora é dos torcedores de um comemorarem e os de outros, aguardarem resignados. Sem provocações estúpidas. Agradeço muito a isso.

  15. DANILO AFONSO

    DJOKOVIC – ESTATÍSTICAS DO GOLPES NA FINAL

    Nobres, com um pouco de demora fiz um levantamento estatístico dos golpes (toques) empregados pelo DJOKOVIC na final de RG, onde é possível constatar os golpes mais usados, quais golpes tivemos mais winners e erros (forçados e não forçados), e também verificarmos a importância e representatividade (suposto buraco) do smash no volume de jogo do sérvio.

    Ao todo Djokovic executou 819 toques na bola (desconsiderando o 1º saque quando não entrou em jogo).

    Vejamos a quantidade de TOQUES por golpe:

    Forehand: 390 (47,62%);
    Backhand: 247 (30,16%);
    Saque : 134 (16,36%);
    Drop Shot: 25 (3,05%);
    Voleio : 10 (1,22%);
    Slice : 7 (0,85%);
    Lob : 3 (0,37%);
    Smash : 3 (0,37%)

    Vejamos a distribuição dos 49 WINNERS por Golpe:

    Forehand: 25 (51,02%);
    Drop Shot: 9 (18,37%);
    Saque : 5 (10,20%);
    Voleio : 5 (10,20%);
    Backhand: 4 (8,16%);
    Smash : 1 (2,04%);
    Slice : 0
    Lob : 0

    A distribuição dos 84 ERROS por Golpe:

    Forehand: 50 (59,52%);
    Backhand: 25 (29,76%);
    Saque : 3 (3,57%) – dupla falta;
    Drop Shot: 2 (2,38%);
    Voleio : 2 (2,38%);
    Lob : 1 (1,19%);
    Smash : 1 (1,19%)
    Slice : 0

    Observações:

    – FOREHAND além de ser o golpe mais acionado (47,62%) pelo sérvio, também é disparado o golpe que mais conquistou winners (51,02%) e que mais cometeu erros (59,52%);
    – BACKHAND apesar de ser o segundo golpe mais executado (30,16%), foi apenas 5º golpe em winners (8,16%), contudo foi o segundo golpe que mais cometeu erros (29,76%);
    – SAQUE representou 16,36% dos golpes do sérvio, e tal golpe resultou 10,20% do winners e apenas 3,57% dos erros entre todos os golpes;
    – DROP SHOT apesar de ter sido pouco acionado (3,05%), foi o segundo golpe que mais gerou winners (18,37%) e também resultou poucos erros (2,38%) do total geral de erros (todos golpes);
    – VOLEIO também foi pouco acionado (1,22%), mas retratou 10,20% do winners no jogo, superando a quantidade de winners com o backhand. O voleio constituiu 2,38% do total de erros do sérvio;
    – SLICE foi um golpe pouquíssimo usado na final (0,85%) e resultou em nenhum winner e erro no jogo;
    – SMASH foi executado pelo sérvio apenas 3 vezes na final (0,37% dos golpes), sendo um winner (2,04% dos total de winners), um erro (1,19% do total de erros) e o outro smash o sérvio colocou na quadra e grego devolveu errado na sequencia.

    Saudações Tenísticas !!

    1. DANILO AFONSO

      DALCIM, por favor, corrige acima o título da minha postagem

      DJOKOVIC – ESTATÍSTICAS DOS GOLPES NA FINAL

  16. Platino

    Dalcim,

    Pode-se dizer que iDjokovic já é maior que Nadal e Federer?

    Senão, o que falta? Não creio que um GS vá fazer essa diferença toda nesse comparativo.

    1. José Nilton Dalcim

      Depende do ângulo que se olhar, Nivaldo. Em muitos aspectos, sim. Em outros, não. É uma discussão ainda prematura, a meu ver.

  17. Luis

    Dalcim expectativa de um bom Wimbledon,tomara Federer consiga ter chances quem sabe com bom sorteio sonhar mais uma final na Grama Sagrada Londres rs mas hj Suíço ainda é dúvida com falta ritmo da parada e uma coisa importante no tênis e no esporte que é Confiança,Dalcim acha Suíço pode ir bem Wimbledon? Abraço

  18. André Souza

    Boa tarde Dalcim. Primeiro peço desculpas pelo assunto q colocarei aqui não ter relação com o tema dessa postagem, mas é necessário eu utilizar esse espaço. Acompanho o tenisbrasil há muitos anos. Dificilmente faço algum comentário nas postagens do site ou nos blogs justamente pq alguns (poucos) leitores são extremamente mal educados e fanáticos pra defender determinadas opiniões. Fui ameaçado em uma postagem sobre a derrota da Bia Haddad por um desses leitores e quero saber como faço pra denunciar essa pessoa aqui no site. Aguardo seu retorno e desde já o parabenizo pelo blog.

    1. José Nilton Dalcim

      Que coisa lamentável, André. Comentaristas ofensivas são bloqueados. De qualquer forma, para postar é necessário ter um perfil no Facebook, portanto a identificação da pessoa deve ser feita pelo Facebook caso você queira uma ação judicial contra a pessoa. Se esse for o caso, não bloquearemos o comentário para que você possa usar como prova. Por favor, me avise se prefere que delete a pessoa ou não. Se preferir, faça contato no meu email. Abs!

  19. Periferia

    Acho mesmo que é uma briga por dinheiro…
    Com a pandemia…o dinheiro anda escasso no circuito.
    Vários torneios cancelados…outros com a premiação menor.
    O patrocinador corta a verba pela metade.
    O organizador balança.
    Não existe (mesmo na América) esporte sem a figura do organizador…a maioria deles (claro que existem os larápios) são responsáveis pelo sucesso do esporte.
    Veja a qualidade dos patrocinadores do tênis…poucos esportes tem parceiros com marcas tão fortes.
    Claro que a figura mítica do jogador é importante…mas existe “outras” pessoas que elevaram o tênis ao tamanho que tem hoje…e nem falo em audiência ou público…falo de parceiros…que colaram suas marcas em algo organizado.
    E se é organizado…foi organizado por alguém.
    E nessa briga não cabe “luta de classes”….nem “socialismo beligerante do novo século”…
    Na periferia a briga é por uma moeda…
    Nos bastidores do tênis…a briga é mais que uma simples moeda…

  20. Abel Jr.

    Dalcim:
    Ainda não ficou claro para mim qual é a principal desavença entre os jogadores “dissidentes” e a ATP.
    Se os dois buscam melhorias, poderiam coexistir e cada uma com suas pautas e objetivos caminhando para consensos.
    Tenho algumas dúvidas:
    1 O voto na ATP é igual a todos os filiados ou funciona com “pesos” a depender de questões como ranking e outras? os torneios (ou federações) possuem algo parecido?
    2 Existe na ATP algum tipo de divisão como é em confederações como a ITF? que represente os jogadores por região ou dependem da associação central?
    3 Caso esta ideia ganhe força e venha algum dia a prosperar podemos ter torneios “divididos” entre as associações por forças comerciais?
    5 O que efetivamente pode melhorar para os eventos (que são muito bons frente a outros esportes) com essa associação nova?
    6 Há chances de isso prosperar de verdade a ponto de competir com a ATP?

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, votos são iguais. Existe divisão no Conselho para representantes por faixa de ranking e por continente, assim todos ficam representados. Sim, há o risco de surgir um calendário paralelo, como já houve no tênis algumas vezes. Acho que a briga eterna dos jogadores é para ganharem mais e os torneios, menos. É uma briga antiga. A chance de competir com a ATP é uma debandada em massa.

  21. Dionathan

    Dalcim.. boa tarde
    Visto que Djokovic é o principal favorito em Wimbledon, em sua opinião.. qual seria a maior ameaça pro mesmo no torneio?

    1. José Nilton Dalcim

      Há alguns tenistas que tem bom histórico na grama, como Zverev e Berrettini, mas ainda acho que o Tsitsipas tem um estilo bem adequado.

  22. Artur

    Dalcim, se fosse pra vc apontar um único nome com capacidade para tirar esse título das mão do sérvio, quem você apontaria?

  23. JHONNY

    Dalcin o que esta nova associação pode fazer na pratica na sua opinião?

    Considerando que
    1º É necessário os tenistas aderirem a ela, para assim a mesma ter alguma representatividade.
    2º Quem ira bancar esta associação?
    3º Sendo que as datas dos torneios dos (challengers ATPs 250, 500 Master 1000,) sao da ATP, e os( ITFs e Grands Slans ) são da ITF como esta associação vai ser representada,?
    E o principal, como a associação fara para conseguir que os tenistas abaixo do top 100 consigam ter melhores condições? interferência nos challengers e atps 250? isto a atp ja fez a algum tempo atras, criação de uma equipe multidisciplinar genérica para todos os torneios? uma criaçao de um fundo de aposentadoria ? e de onde bancara os custos disto?

    1. José Nilton Dalcim

      Pois é, não vi um plano efetivo de trabalho, apenas o conceito geral de lutar pelos tenistas de mais baixo ranking, algo que vem acontecendo há algum tempo, com aumento das primeiras rodadas mais expressivos do que os finalistas. E como você bem disse, o calendário e os promotores estão com a ATP, então será preciso um movimento grande de pressão. Passará necessariamente pela adesão de tenistas de peso. Aguardemos.

  24. rafael

    Não sei se o termo correto seria “peitar”, mas ele segue firme na idéia de ajudar os demais tenistas. E pelo visto o projeto está cada dia mais encorpado. Mestre, a dupla do Djokovic está na final do torneio e pelo visto o sérvio vem jogando muito bem. Podemos considerar uma boa preparação para wimbledon?

    1. José Nilton Dalcim

      Apenas jogando dupla, certamente não. Mas muito provavelmente ele está treinando em outros horários.

      1. Barocos

        Mestre,

        Jogar duplas, como você já pontuou há tempos atrás (eu acho, minha memória há muito que não é lá essa coisa toda), é uma boa maneira do sérvio treinar voleios, swing-volleys, smashes e jogo de rede, os quais têm sido os pontos menos desenvolvidos do jogo do Djokovic, ou entendi tudo errado?

        Saúde e paz.

        1. José Nilton Dalcim

          Sim, é um exercício ótimo. Mas não como preparação única para um Slam, André. Nesse caso, é preciso de um treino bem mais específico, porque dupla é diferente de simples.

  25. Vitor Hugo

    Lembro de um torcedor de djoko que me respondeu quando citei a derrota de Nadal para Soderling: ” Nadal estava machucado, tanto é que desistiu de Wimbledon no mesmo ano.

    Rafa acabou de desistir não só de Wimbledon, como também dos jogos olímpicos. E agora!? Kkkkkk
    É evidente que jogou lesionado em Rg(lombar), caso contrário, se estivesse pelo menos 70%(estava 50) teria vencido o pirulito com certa facilidade, talvez até mais fácil que a humilhante derrota do ano anterior.
    Mais uma Vitoria fake do sérvio sobre o espanhol em Paris. Djokovic continua sem nunca ter vencido Nadal no saibro parisiense.

    Sobre o assunto do texto, não dá pra esperar nada idôneo de alguém que organiza um torneio colocando a vida de pessoas em risco. Tudo cheira podre.

    1. Alessandro Siqueira

      Poxa, mas você sempre disse que o sueco foi o único a derrotar Nadal em RG, que 2015 não contaria. Enfim, se o título de agora é fake pela desistência de Nadal em relação a Wimbledon e RG, como fica o título de Federer em 2009? Vai usar a mesma regra ou vai defender o critério conforme a conveniência?

    2. Paulo F.

      O fato continua sendo que Roger Federer, o monocampeão terceirizado de Roland Garros, JAMAIS derrotou Rafael Nadal neste torneio.
      Novak Djokovic? Derrotou-o DUAS vezes.

    3. Luiz Henrique

      São situações complemamente diferentes Vitor.
      Nadal está 12 anos mais velho, e não teria como se sujeitar a uma maratona dessas.
      2009 estava machucado sim. O que não tira os méritos do Federer, obviamente
      Esse ano não, o que se poderia argumentar pra tentar “diminuir” o feito do Djokovic (coisa que eu não faço, é apenas para fins de mera argumentação), é que as condições noturnas o beneficiaram, algo que não ocorreria se jogassem numa final, e que Nadal não foi brilhante esse ano no saibro, uma vez que enfrentou match points contra em todos os torneios que jogou

      1. Jonas

        Sem contar que foi um jogaço. O terceiro set em especial foi um absurdo. Impossível um jogador lesionado jogar daquela forma, tanto é que houve comentários durante o jogo do tipo “isso é perfeito, não dá para jogar melhor que isso no saibro”. Esse comentário foi do Murray.

        Só acho que o Nadal morreu no quarto set, talvez por culpa do Djokovic, que foi insistente ao balançar o espanhol a todo momento. Jogo bem pensado, uma das partidas mais mental entre os dois.

        1. Paulo F.

          Jonas, só aguardando os federistas questionando o conhecimento de tênis de Sir Andrew Barron Murray!
          kkkkkkkk
          O nobre Luiz Fernando tem razão, aqui é diversão garantida.

      2. Paulo Almeida

        Condições noturnas tornam o jogo mais lento, o que é melhor pro Nadal.

        Enfim, não há qualquer desculpa que cole, cabendo apenas a hombridade de reconhecer a vitória maiúscula do sérvio em cima do espanhol jogando em alto nível no torneio, com 3 pneus até então.

        1. Luiz Henrique

          Sim, não há desculpas
          Quem melhor se adapta é quem vence
          Só não acho que as condições noturnas beneficiem Nadal

      3. Paulo F.

        Olha, Luiz Henrique, a final do ano passado foi com teto coberto.
        Condição que em teoria deveria favorecer o Novak Djokovic.
        E foi um atropelo por parte do Rafael Nadal.

  26. Bel Grado Fa

    1) Thiem não está contundido?
    2) Seria interessante ter o FEderer eliminado na primeira rodada.

    Talvez desse a ele uma resposta que ele está esperando e adiantaria uma decisão que parece estampada no rosto dele toda vez que sai de quadra nos últimos torneios.

    “E agora, que o fim está perto. E eu encaro, este momento. Andei, a mil por hora… e por caminhos, que nem me lembro agora!! E mais, bem mais, Eu sei, I did it in My WAY!”

  27. Evaldo Medeiros

    Bom dia, Dalcim. Qual a chance de o Nadal perder o terceiro posto para o Tsitsipas já em Wimbledom? Eu vi que a distância entre os dois está bem pequena: se não me engano apenas 650 pontos.

    1. José Nilton Dalcim

      Isso, são 650 pontos. Nadal tem 360 garantidos (metade dos 720 de 2019) e o grego perdeu na primeira rodada. Portanto, Stef teria de marcar 300 pontos para superar Rafa, o que significa atingir as quartas de final (360 pontos).

        1. José Nilton Dalcim

          Sim, na ATP permanecem para torneios não disputados em 2020 ou para torneios com calendário alterado em 2020 (como foram Roma e Roland Garros).

  28. José Eduardo

    Dalcim, obrigado por sempre nos deixar antenados nas notícias extra quadra. Tomara que não altere nada em quadra.

  29. Carolina

    – Pella, Nishikori e Querrey são jogadores que precisam de uma boa dose de sorte na sexta feira. Os três têm que defender quartas de final e correm risco de sofrer uma queda significativa no ranking se caírem cedo. O Nishikori e o Querrey ainda têm conseguido algumas vitórias, mas o Pella não está em boa fase. Espero que, pelo menos, ele pegue uma primeira rodada “acessível”. Federer e RBA também vão estar sob pressão, mas a situação deles é bem mais confortável.

    – Jogos que atrairiam minha atenção se acontecessem em qualquer momento do torneio: (1) Djokovic x Aliassime, (2) Tsitsipas x Aliassime, (3) Kyrgios x Aliassime, (4) Kyrgios x Humbert, (5) Djokovic x Evans, (6) Djokovic x Norrie, (7) Djokovic x De Minaur, (8) Kyrgios x Karatsev, (9) Tsitsipas x Humbert, (10) Kyrgios x Musetti, (11) Simon x Karatsev, (12) Pella x Bublik, (13) Sinner x Bolt, (14) Shapovalov x Humbert, (15) Herbert x Zeverev/Tsisipas/Berrettini/Sinner/Medvedev/Rublev.

    – Torço para que o Maxime Cressy se classifique para a chave principal (joga a rodada final contra o McDonald). É um jogador interessante para ficar solto na chave.

    – Agora resta aguardar pelo sorteio e torcer pelo caos. Tanto na ATP quanto na WTA.

    – Finalmente, espero que a lesão do Thiem não seja muito grave. 2021 não está sendo um bom ano para ele.

  30. Periferia

    O basquete é outro esporte espetacular.
    Ontem o Suns perdia para o Clippers por um ponto…
    Faltava 0,7 para o fim da partida.
    O técnico pediu tempo…armou uma jogada “ponte aérea” e venceu a partida.

    1. Luiz Henrique

      Basquete é incomparável
      Melhor esporte pra mim, pessoalmente
      Meu time preferido era o Spurs na época do trio Duncam, Parker e Ginobili, sendo Ginobili meu jogador preferido
      Desanimei um pouco qdo aposentou mas depois voltei a acompanhar, basquete é bom demais

    1. WILLIAM ALMEIDA

      Australiano está arrebentando na Twich jogando os jogos de tiro. Não estou julgando mais uma véspera de torneio de Wimbledon deveria estar se preparando treinando, enfim infelizmente ao que tudo indica o Kygrios não levará carreira sério uma pena.

  31. Maurício SP

    Pra mim, a maior chance do Federer derrotar Djokovic é se eles se encontrarem nas quartas de final. O Federer pegando uma chave tranquila até as oitavas, pode chegar sem muito desgaste e dar tudo nessa partida. Se se encontrarem na final, o desgaste das seis partidas anteriores sempre vai pesar mais pro Federer. E pra ele não faz muita diferença ser vice-campeão ou perder nas quartas.

    1. Rodrigo S. Cruz

      E eu já acho que o Federer vencer o Djokovic, na atual fase, está praticamente fora de cogitação…

      O Federer está muito longe do seu melhor tênis.

    2. Rodrigo Carreiro

      Sinceramente, a maior e única chance de o Federer derrotar o Djokovic nesse momento da carreira é se o sérvio levar um tombo e quebrar a perna. Desculpa, gosto do Federer e tenho birra do Djoko, mas tenho bom senso. Sem Nadal e com Federer semi-aposentado, ele tem chances reais de fechar o Golden Slam e virar o GOAT sim.

    3. Bel Grado Fa

      Tomando como base o que vimos nos últimos torneios, pode até ocorrer uma eliminação até as oitavas de final, pois não há moleza entre os 32 cabeças de chave considerando sua atual condição física e técnica, salvo ele tirar um coelho da cartola (o que em se tratando de Federer, Nadal e Djoko, sempre é possível!).

  32. Maurício Luís *

    O ranking já tá complicado… Tem jogador aí que por causa da pandemia está com ranking “emérito”. Federer é um deles. Não tem culpa, claro, mas agora só faltava criarem um outro ranking. Já não basta o badernado ranking de entradas de 2 anos, o ranking da temporada…Vou ter que fazer Faculdade de Matemática e Estatística. E tomar cuidado pra não deixar cair nenhum ZERO no chão na hora dos cálculos.

    1. Paulo F.

      Hahahahahahaha!
      Djokovic tem muito que temer que também caia do seu lado da chave o “calibrado” Shapovalov!

  33. Periferia

    No momento…todos querem o dinheiro sem o atravessador..
    Os clubes europeus querem uma Chapions League para chamar de seu…
    Os clubes brasileiros querendo fazer uma liga…sem a CBF…
    As equipes de F1 querendo uma fatia maior do bolo…
    Onde tem um organizador ávido por dinheiro…terá um artista querendo o que é devido.
    (Ser organizador não é fácil….quando tem prejuízo…o artista não quer saber…)

    1. Bel Grado Fa

      Nós, da periferia, temos o dever de sempre estar à esquerda e defender o trabalhador: “Trabalhador não vota nem defende patrão” tem que ser nosso lema, e os organizadores são porcos capitalistas ávidos apenas pelo dinheiro.

      E torcedores do Djoko, prestem atenção no que digo: caso o sérvio insista no objetivo, vão encontrar uma razão para demonizá-lo,, seja suspendendo, banindo, ou seja lá o que for. A forma mais óbvia (e mais comum) de dar descréditos a um desportista em qualquer modalidade seria encontrar uma suspensão por doping. (Estamos de olho!)

      1. Periferia

        Olá Bel.

        Vamos soltar a voz:

        De pé, ó vítimas da fome!
        De pé, famélicos da terra!
        Da ideia a chama já consome,
        A crosta bruta que a soterra.
        Cortai o mal bem pelo fundo!
        De pé, de pé, não mais senhores!
        Se nada somos neste mundo,
        Sejamos tudo, ó produtores!
        Bem unidos façamos,
        Nesta luta final!
        Uma terra sem amos
        A Internacional!

        Fico imaginando os tenistas cantando o hino da Internacional Socialista…
        (O tenista unido jamais será vencido).

    2. Marcelo Costa

      Nós nunca debatemos quem é o maior dirigente da atp, ou quantos gols marcou o monstro Rogério Cabloco, sequer sei o nome dos mandatários da UEFA. O palco pertence aos jogadores, esses tem nossa admiração, então é justo desafiar as estruturas.

  34. Paulo Almeida

    Seria bom o Thiem desistir de Wimbledon para o Zverev ser o cabeça 4, já que o austríaco não tem condições de jogo e só iria atrapalhar o chaveamento.

    E o GOAT segue firme na brincadeira de duplas, mas talvez agora seja hora de cair fora.

    1. Maurício SP

      O Djoko já queria perder hoje. Fez até dupla falta no match tiebreak. E foi o único que teve o saque quebrado na partida.

  35. Marlon

    Dalcin, boa noite! Existe a possibilidade, mesmo que remota, de a atp boicotar Nole? Quanto os jogos, de fato, será interessantíssimo! Obrigado!

    1. José Nilton Dalcim

      Boicotar de que forma, Marlon? Só se for dando menor destaque dele no site, nas notícias… Não vejo muito o que fazer. Já tiraram Nole do Conselho.

    2. Jose Yoh

      Prevejo alguns problemas com árbitros, horários de jogos, etc…
      Essas coisas não passam em branco.
      Lembro que quando Nadal encrencou com o Bernardes, dias depois estavam no pé dele com o tempo do saque. Advertiam bem nos pontos importantes.

  36. Rubens Leme

    Eu gosto do Abel, mas ele força a mão em alguns jogos e o Palmeiras perde pontos irrecuperáveis.

    Hoje, ele começa num 3-5-2 medonho, com o Marcos Rocha de zagueiro, ao lado mamute bolsonarista Felipe Melo. O time toma 2×0 e no intervalo, ele o saca, coloca o Breno Lopes, a equipe vai para um 4-3-3 básico, diminui com o prório Breno e sufoca.

    Aí o gênio resolve sacar o lateral-esquerdo Victor Luís, que vinha bem, recua o Scarpa para a posição e coloca mais um atacante. O Palmeiras acaba com um 4-2-4 com Rony e Wesley abertos, Luiz Adriano e Breno por dentro, deixando no meio, o lento Veiga e o Gabriel Menino.

    E o que acontece? Toma o terceiro, perde a partida e desperdiça a chance de vira líder, ainda que provisório.

    Abel precisa parar de mexer demais e mal. Em algumas partidas, ele tirou todos os atacantes e colocou oito defensores. Hoje, ele arreganha a defesa.

    Assim, complica, Dalcim.

  37. Rubens Leme

    É sempre louvável peitar os carteis e a ATP é um deles. Mais grana para os jogadores piores ranqueados, mais poder para decidirem, menos interesseiros de plantão enchendo os bolsos. Se der certo, ótimo.

Comentários fechados.