Saibro de Paris vai tremer
Por José Nilton Dalcim
9 de junho de 2021 às 19:29

Já se foram 57 duelos, desde que se cruzaram pela primeira vez no saibro de Paris, há 15 anos. Ao longo da mais extensa rivalidade do tênis profissional masculino, houve dezenas de decisões de títulos e um punhado de troféus de Grand Slam em disputa, mas parece que a cada vez o confronto fica ainda mais importante e imprevisível. O desta sexta-feira tem um valor incrivelmente pesado, ainda que o vencedor tenha de completar a tarefa dois dias depois se quiser subir mais um degrau rumo ao Olimpo.

O desafio maior está nas mãos de Novak Djokovic, porque terá de derrotar um Rafael Nadal novamente imbatível no saibro de Roland Garros nos últimos cinco anos. O sérvio conseguiu a façanha uma única vez, nas quartas de um 2015 em que o espanhol estava longe do seu melhor. Desde a vitória nas quartas de Roma da temporada seguinte, Nole nunca mais conseguiu superar Rafa na terra, série que atingiu cinco derrotas consecutivas na recente decisão do Foro Itálico e que incluiu um duro placar quando os dois lutaram pelo título de Roland Garros no ano passado. Foi o único 6/0 que Djoko sofreu em qualquer decisão de Slam.

O favoritismo de Nadal é inquestionável, mas o espanhol também sofre certa pressão sobre os ombros. Além da invencibilidade incrível de 13 semifinais em Paris, sabe que está diante de uma chance de ouro para atingir o 21º troféu de Slam e se tornar o maior ganhador de todos os tempos. Aos 35 anos, as oportunidades tendem a ficar cada vez mais escassas diante da limitação natural do próprio corpo e de uma nova leva de adversários cada vez mais sedentos por glória.

Não há surpresas táticas a se imaginar. Temos visto ao longo desta temporada de saibro que o saque de Nadal preocupa mais do que antes, porque muitas vezes o segundo serviço se mostra frágil, e talvez seja o campo a ser explorado pelas devoluções sempre agressivas do número 1. Isso no entanto deveria ter acontecido no confronto de Roma dias atrás e o que vimos foi Nadal usar bem melhor o primeiro serviço e Djokovic retraído no ataque. Durante este Roland Garros, os dois se mostraram até aqui fisicamente impecáveis, muito velozes para cobrir todos os cantos da quadra, confiantes nos pontos importantes e com excelente variedade de golpes, com destaque para voleios e deixadas. É partidão para cinco sets, e aí ficaria interessante para ver se Djokovic conseguiria quebrar esse outro tabu monstruoso que Rafa carrega em Paris.

E para deixar tudo ainda mais quente, os dois perderam sets e tiveram de jogar com máxima seriedade nas quartas de final. Diego Schwartzman arriscou o máximo que pôde, encarou trocas de bolas duríssimas e tirou o prêmio maior que foi acabar com a série de sets vencidos do espanhol, até que por fim não tinha mais forças na reta final da partida – e esse filme não é novo – e suas bolas cada vez mais curtas foram um convite para o 22º ‘pneu’ aplicado por Nadal no torneio, mais um recorde.

Djokovic por seu lado seguiu o ‘script’ imaginado e explorou pacientemente o backhand de Matteo Berrettini até aparecerem os buracos. Porém sofreu bem mais, pois o 9º do ranking se salvava com saque pesado e forehand forçado e a partir do terceiro conseguiu ser realmente competitivo. Berrettini faturou um tiebreak improvável – o terceiro seguido que Nole perde no torneio, depois de abrir 5-4 e ter dois saques para fechar logo -, e ainda lutou muito no quarto set até enfim ceder e ouvir Nole soltar gritos ruidosos e eufóricos por estar em sua 11ª semi em Paris.

Nova campeã em Paris
E o circuito feminino verá mais uma campeã inédita de Grand Slam e a sexta consecutiva em Paris. Tudo porque Iga Swiatek não viveu seus melhores dias, sofreu um desconforto na coxa direita mas acima de tudo encarou uma Maria Sakkari deliciosamente decidida a brilhar. Foi uma exibição de arrojo e versatilidade da número 18 do ranking, que voltou a mostrar aquele tênis completo e a energia eletrizante de Miami. Bem curiosa sua opção tática de atacar 80% do tempo o lado direito da polonesa, onde também mirou quase sempre o primeiro serviço, e o fato de ter vencido metade dos pontos em que devolveu o segundo saque adversário.

Sua adversária já nesta quinta-feira será a tcheca Barbora Krejcikova, que não para de surpreender. Depois de tirar Elina Svitolina e Sloane Stephens, saiu do buraco no primeiro set diante de Coco Gauff, em que a jovem adversária abriu 3/0 e sacou com 5/4 e 40-30, tendo ainda dois set-points antes do tiebreak e outros dois no desempate, um deles com o serviço. Ou seja, sobraram chances e Krejcikova nunca perdeu a cabeça, exatamente o que aconteceu com a jovem adversária. Gauff pirou totalmente, despedaçou raquete e só voltou quando já perdia por 5/0 e a reação era quase impossível.

Sakkari perdeu três meses atrás para Krejickova na quadra dura de Dubai em sets diretos, mas provavelmente isso terá menor influência do que o controle dos nervos. A tcheca tem uma vantagem mais relevante: já ganhou Roland Garros e Wimbledon e foi vice na Austrália de duplas.

Com Anastasia Pavlyuchenkova x Tamara Zidansek na outra semi, esta é a primeira vez que as quatro na penúltima rodada de um Slam são inéditas em mais de quatro décadas, o que não acontecia desde Melbourne de 1978. Roland Garros verá a oitava campeã diferente seguida, série que começou com Maria Sharapova e Serena Williams e depois seguiu com Garbiñe Muguruza, Jelena Ostapenko, Simona Halep, Ashleigh Barty e Swiatek, sendo que para as cinco últimas também era o primeiro Slam.


Comentários
  1. Sérgio Ribeiro

    E realmente como intuiu Dalcim, Saibro tremeu em Paris . Uma partida épica com todas as variações possíveis. Ainda no calor da partida vejo comentaristas há colocando no maior patamar de todas . A meu ver bem longe disso. O “ Rei do Saibro” caiu cometendo 54 ENFS e servindo muito abaixo do oponente. Óbvio que isso em nada desmerece o Sérvio que fez uma partida primorosa , conseguindo dobrar o Touro em menos de 5 Sets . Os garotos cumpriram a palavra e quem venceu o primeiro Set levou o jogo rsrsrs. Partida também de alto nível técnico em que o vencedor entra em quadra sabendo que pode vencer . Colocamos que TSITSIPAS não estava pra brincadeiras desde a segunda rodada . E que Rafa e Novak somente não levariam o Título caso se matassem na Semi … Olho ! . ABS !

    1. Sérgio Ribeiro

      Ps. Novak entrou com h2h de 1 x 7 em Paris . Pelo jeito isso nada serviu pro Rei se utilizar na luta pro seu SLAM 21 . Abs!

  2. Marcilio Aguiar

    Se o grego estiver vendo esse jogo, ja deve estar conformado com o vice-campeonato. Esses dois não entregam os pontos.

  3. Maurício Luís *

    Do jeito que eu sou pé-frio, se eu torcer pro Nadal, ele se estrumbica de 3 a 0. O problema é que eu não consigo…?
    Até dei o meu palpite pras semis. Com certeza vou errar tudo e ainda ficar em último. Devia ser igual à Telesena, dar prêmio pra quem faz menos pontos também. Uma cueca samba-canção, lavada, autografada pelo Nadal.??
    E quem diria que o torneio feminino seria decidido por 2 sub-celebridades do tênis, ambas fora do Top 30? Que doidice esse tênis feminino…?

  4. Rubens Leme

    Sobre a pressão de ser entrevistado e da força da mídia, posso citar três filmes diferentes, mas que abordam os temas. Um deles é o clássico A Montanha dos Sete Abutres (1951), do grande diretor Billy Wilder e atuação estupenda de Kirk Douglas. Outro é um filme americano do politizado diretor grego Costa-Gavras, O Quarto Poder (1997), em um embate um desesperado segurança demitido (John Travolta) e o repórter sem escrúpulos Dustin Hoffman, que o pressiona sem dó. E, por fim, a boba mas simpática comédia romântica Um Lugar Chamado Notting Hil, com Julia Roberts vivendo uma estrela exausta de aparecer em todos os tablóides escandalosos e que se apaixona pelo fracassado livreiro vivido pelo canastrão Hugh Grant.

    Os três, em níveis diferentes, são excelentes para se discutir o que é notícia e o que é apenas curiosidade mórbida e incessante: o que é uma reportagem de verdade ou apenas matérias sensacionalistas e grotescas.

  5. Rubens Leme

    É fora de tópico, mas como fiquei meses fora, pude acompanhar algumas discussões. Obviamente, a da Naomi Osaka foi a mais interessante, porque se percebe o quão doente o Brasil vai. A quantidade de homens que a atacaram, em váriosm sites e portais, pela recusa de ser entrevistada foi incrível e, na maioria das vezes, se deve não apenas por ser a esportista mais bem paga do mundo (55 milhões de dólares em 2020, um montante que nenhum de nós conseguiria em 100 anos), mas basicamente por ser uma oriental de traços negros e me perguntei se a reação seria a mesma caso a Maria Sharapova, Steffi Graf ou uma Martina Navratilova fizesse a mesma reclamação.

    Em primeiro lugar, porque os tenistas (ou qualquer esportista ou pessoa púbica) são OBRIGADOS a darem entrevistas quando não desejam? Imagine o Federer falando com a imprensa após a derrota de 2019: aposto que desejava sair correndo do local, se esconder dentro de um buraco para poder berrar, chorar e se revoltar pelas chances perdidas naquele que deve ter sido sua derradeira tentativa de um Slam.

    Isso é o que qualquer pessoal normal faria e faz, ou todo mundo aceita numa boa uma derrota pro seu rival dominical numa quadra ou quando seu time perde uma final ou um clássico?

    O fato dela não querer falar tanto como um Kyrgios, que se expressa mesmo quando não é convidado (e quase nunca é), apenas mostra que ela só quer conversar com a imprensa quando ela tem algo pra dizer e isso pode acontecer mesmo após uma derrota, basta dar um tempo para a pessoa digerir o resultado, abaixar a adrenalina. Kyrgios não precisa abaixar a adrenalina porque quase nunca joga, é quase um tenista virtual e porque tem aquela mania de posar de “sabe tudo” e capaz de opinar sobre qualquer assunto. Mas títulos que é bom…

    Ela usou a depressão como desculpa? Não sei porque não sou o médico dela. E se usou, a fez para chamar a atenção a um problema sério. Certa vez, um antigo médico de um clube de futebol de São Paulo, me contou que um tenista brasileiro lhe telefonava regularmente, no meio da noite, do exterior, aos prantos, porque estava sozinho, deprimido e pensando em morrer. Ele não quis revelar o nome do atleta, mas disse que a depressão é normalíssima, quase uma regra, em atletas, mesmo que eles não percebam, devido às cobranças brutais que sofrem.

    Certa vez, entrevistei um esportista bem sucedido e mesmo sem ter feito nenhuma pergunta difícil ou constrangedora pediu para que eu a encerrasse porque odiava ser entrevistado. E já tive os meus “Kyrgios” da vida que não paravam de falar e queriam até me evangelizar.

    Essas “obediências a regras sagradas” me leva a evitar as pessoas cada vez mais. Ao mesmo tempo em que muitos aplaudem um presidente negacionista que se recusa a comprar vacina e agora quer proibir a obrigatoriedade de vacinados a usarem máscara, massacram uma jovem rica, bem sucedida, apenas porque ela se recusa a ser entrevistada.

    Tem muita coisa e gente errada neste planeta, mas garanto que a Osaka não faz parte desta lista. Já o 17 e seu gado…

  6. Sérgio Ribeiro

    Segundo os “ especialistas” a desistência de Federer prejudicaria muito Roland Garros 2021 . Nadal bateu Dieguito por 3 x 1 ( não havia perdido Sets até então) e Novak bateu Berrettini também por 3 x 1 . Mesmo o Sérvio jogando 5 Sets contra Musetti, ficou apenas 45 min a mais em quadra que o Espanhol em todo o Torneio. Daí o couro vai comer amanhã sem direito a desculpas . Justiça seja feita nenhum dos dois citou o Suíço em nenhum momento. O papo furado ficou por conta de seus fanáticos torcedores rs . Abs!

  7. Gildokson

    Esse lance de um embate semi aumentar as chances do sérvio por ainda não ser a final acho que não confere muito não hein.
    Aquela partida de 2013 foi até mais tensa do que as finais disputadas em 12 e 14, muito diferente de 2015 onde nenhum dos 2 estava tão próximo do título ainda.

  8. Luiz Fernando

    Rafa tem dois grandes adversários amanhã: Djoko e a torcida do segmento zumbi. Essa gente tem tanto ranço e sofrimento acumulado q isso não pode trazer bons fluídos…

    1. Sérgio Ribeiro

      Cresce um pouquinho, L. F . Esse papinho de zumbi copiado do Chatonik , já deu . E quem és tu pra falar se além de secar ainda dizia que odiava o Suíço ? . Já estás bem grandinho pra não conseguir subir um pouco o nível . Abs!

      1. Marcelo Costa

        Olha eu lhe acho ranheta e soberbo, mas admiro seu conhecimento, a lembrança do saudoso Rui Viotti mostra que é uma enciclopédia da história do tênis.

        1. Sérgio Ribeiro

          E poucos sabem que a primeira transmissão ao vivo de Tênis no Brasil , foi com Rui Viotti e Orlando Duarte na Semi da COPA Davis de 1971 pela TV Cultura de São Paulo. O embate espetacular entre Thomaz Koch e Édison Mandarino x Ilie Nastase e Íon Tiriac . Decidido a favor dos Romenos por 3 x 2 aqui em São Paulo , graças ao Bad Boy Nastase ( primeiro N 1 da Era Profissional em 73 ) , que cravou seus Três pontos no confronto. O grande Thomas Koch e seu excepcional Saque – Voleio , além de bater BORG em Estocolmo , levou Rod Laver ao Quinto Set no USOPEN 68 nas Quartas . No masculino , somente GUGA o superou em popularidade a nível mundial. Guillermo Vilas também Canhoto , imitava até seu jeito de caminhar rs . Abs!

      2. Luiz Fernando

        Vc é um exemplo do ranço, pois vive implicando com algumas pessoas enquanto fecha os olhos pros amiguinhos de torcida. Cresça meu caro, pense ao invés de viver se olhando no espelho…

        1. Sérgio Ribeiro

          Que amiguinhos ? Cai na real , tu és fraquinho mesmo nos comentários desde sempre . E repetindo as coisas de zumbis e outras muito piores. Copiando sem dó o face TênisBrasil onde se escondeu até ser pego legal … kkkkkkkkkkkk. Abs!

    2. Paulo F.

      Naquelas, né nobre Luiz Fernando:
      Tipo 2011, onde novamente os torcedores alpinos voltam a dar uma torcidinha pelo Djoko só por ser contra o professor do suíço.

      1. Sérgio Ribeiro

        Que eu saiba foi o Suíço em sua melhor apresentação em Paris , quebrando uma invencibilidade de mais de 40 jogos do Sérvio em 4 Sets , indo ELE fazer a FINAL de RG 2011 , caríssimo P. F. Infelizmente o NOBRE L. F . não pode salvá-lo em mais esta groselha rs . Abs!

  9. Maratenista

    Queria muito acreditar na vitória do Djokovic. Mas a realidade se impõe: o histórico, a mística e o tênis apresentado em Roland Garros este ano indicam um amplo favoritismo para Rafael Nadal. 80-20, na minha opinião.

  10. Cassio Carvalho

    O grego comentou, uns meses atrás que o sonho dele era ganhar do Rafa em RG. Claro, porque ser campeão de Slam, certamente, em algum momento ele será. Mas essa chace em cima do Nadal seria única, e está muito próxima de ser uma possibilidade… Única, porque nunca houve um campeão que tivesse ganho do Nadal no mesmo torneio RG. E ele está a 1 jogo de ter essa chance(numa possivel final com o Touro). Por isso acho que ele “torce” na semi, pro Nadal. Olhem só. Se passa o Nole, ok! Ganhar do Djoko na Final, o Stan tb fez. É incrível, claro. Um feito para um jogador. O Delpo tb fez com o Federer no USOPEN2009. Mas do Nadal, ninguém fez, nem o Nole, nem ninguem. Seria um Recorde em si. Claro, um recorde devido a grandeza do Nadal, impressionante.

    1. Sérgio Ribeiro

      Nem pense em acertar justamente essa , caro conterrâneo rs. E’ óbvio que Novak está com pinta de que finalmente vai aprontar. Mas em Sets diretos, já e’ demais . Acredito que ele só dome o Touro no Quinto Set . Ninguém é melhor que o Miura em estratégia , dobra-ló em seu habitat tão cedo ??? . Não acredito. A conferir. Abs!

  11. Marcilio Aguiar

    A despeito do comportamento e sandices que uma parcela de torcedores do sérvio manifesta nesses espaço (diga-se a bem da verdade, não é exclusividade deles) eu vou torcer para o Djoko. Reconheço toda a grandeza que o Nadal tem em RG e no saibro em geral, mas entre os dois, aprecio mais do jogo do sérvio e acho mais justo que seja ele a superar a marca de 20 Slams, já que o Federer tem chances mínimas para isso.

    Vejo as pessoas criticarem o comportamento dos jogadores (principalmente Federer e Djoko) para tirarem seus méritos esportivos. Até onde eu sei nenhum dos dois cometeu “pecados” dignos de serem queimados em fogueiras ou levados ao tribunal de Haia, portanto os comportamentos dentro da quadra ou na vida privada pouco afetam a apreciação que tenho deles como esportistas. Profissionais excelentes no que fazem, entretanto sujeitos a todas as fraquezas do ser humano comum.

    Há os que se indignam como os destemperos do sérvio (o que é de fato desagradável). Para mim não representa falta de caráter, mas sim algo que se torna incontrolável e que serve como automotivação.

    A título de ilustração, durante mais de 20 anos convivi quase diariamente com um colega de trabalho que é uma uma pessoa extraordinária sob todos os aspectos (ótimo profissional, pai de família exemplar, amigo generoso, ponderado, justo, etc). Conto dois episódios de destempero dessa pessoa, no calor de disputas esportivas sem importância nenhuma em termos de comparação com o que passa um atleta profissional:

    1) Em um jogo de basquete amador em sua cidade (Campinas) ele rasgou a sumula do jogo, por discordar de alguma marcação da arbitragem, ou algo parecido;

    2) Em uma pelada de futebol do departamento, após uma churrascada, quase saiu no tapa com um adversário (também colega de trabalho) não fosse a intervenção da “turma do deixa disso”.

    Esses dois exemplos (além de situações que eu mesmo vivi), que parecem piegas e banais, não são para endossar mau comportamento, entretanto servem de baliza para eu não ficar julgando e atirando pedras em alguém vejo esporadicamente pela televisão, sem ter o mínimo conhecimento da sua vida, dos problemas que enfrenta, da cultura sob a qual foi criado ou de outra razão que leva a isso.
    Saudações.

    1. Barocos

      Marcílio,

      Sempre é um prazer encontrar um texto seu neste espaço. Estamos vivando tempos terríveis e as pessoas se acham no direito de dizer o que bem entendem sem refletir sobre as suas palavras, se vão magoar alguém ou se irão cometer alguma injustiça. Disse uma vez isto aqui e vou repetir: não é que eu não goste das pessoas que falam o que pensam, é só que eu prefiro bem mais as que pensam antes de falar.

      Também sei que já foi abordado neste espaço, diversas vezes, que há de se separar o profissional do indivíduo, este último é só mais um de nós, cheio de qualidades e defeitos. Os melhores, os imprescindíveis, tentarão tornar o mundo um lugar um pouquinho melhor para eles e para aqueles que o cercam, aprimorando a si mesmos nesta busca.

      Saúde e paz em dobro para você, grande pessoa.

      1. Marcilio Aguiar

        Paulo, se você ler o texto com cuidado vai ver entre parêntesis “diga-se a bem da verdade, não é exclusividade deles”. Acho que está bem claro não?

      2. Sérgio Ribeiro

        Depois eu que e’ que não sei interpretar os Textos , não é mesmo P. F. ? Está bem claro no excelente texto do Marcílio em relação as sandices : “ a bem da verdade não é exclusividade deles “ . Você e seu mestre L . F. , se superam a cada post rs . Abs!

    2. DANILO AFONSO

      Marcílio você foi preciso no que penso sobre o comportamento do sérvio que muitas vezes se descontrola igualmente vimos ontem. Não podemos julgá-lo apenas pelo que presenciamos enquanto competidor feroz por conquistas e recordes. É mais forte do que ele, faz parte do seu pacote como atleta de alto desempenho. Trata-se de um jogador totalmente emotivo em quadra, capaz em um mesmo set quebrar sua raquete, gritar consigo mesmo e/ou para o box, mas também aplaudir as belas jogadas do adversário, rir dos seus próprios erros e comemorar exageradamente nos grandes pontos, uma espécie de jogador com comportamento semelhante ao de alguns torcedores nos esportes coletivos.

      Gostem ou não, este é DJOKOVIC, atleta que já marcou seu nome na história e luta bravamente para consolidar seu nome no ponto mais cume deste esporte.

      Saudações Tenísticas !!!

      1. Marcilio Aguiar

        Danilo, o seu quase xará Medvedev estava sendo estigmatizado devido a algumas confusões que ele aprontou em 2019. É logico que certas atitudes não devem ser aplaudidas, mas muitos ja estavam “odiando” o rapaz sem levar em consideração o bom jogador que é. Nesse RG, para mim, os jogos desse cara foram os mais divertidos de se assistir, independentemente de ter o estilo que mais aprecio. Abc.

      2. Jose Yoh

        Embora eu não goste de seu comportamento muitas vezes agressivo e algumas vezes até meio perigoso, eu acho muito bom que Nole tenha seu próprio estilo e não fique apenas no “politicamente correto”. Acho meio chato que hoje em dia tudo seja tão padronizado e controlado.

        Creio que seja a forma que ele encontrou para exorcizar seus demônios no momento que a mente o trai. E pelo visto funciona muito bem.

        E ao Marcílio e Barocos, vocês estão corretos: quem somos nós para julgar quem sequer conhecemos. Eles são humanos como qualquer outro embora na quadra pareçam de outro planeta.

        1. Luiz Fabriciano

          Concordo perfeitamente Yoh.
          Como disseste, seu comportamento às vezes perigoso, é sim a extrapolação de sua frustração (vide US Open 2020) o que nem de longe demonstra mau caratismo ou más intenções.
          À margem de torcedor convicto do sérvio, é o único que cumprimenta um adversário nas derrotas da mesma forma que o faz nas vitórias – Wawrinka RG 2015 não me deixa mentir, fora outras qualidades.
          Tem duas fotos que gosto muito como exemplo: US Open 2010 e 2011. As duas são as fotos finais dos finalistas com seus respectivos troféus.
          2010 foi Nadal o vencedor, mas se perguntares à um leigo, pela expressão de ambos que foi campeão, gerará dúvida na resposta.
          Em 2011, se fizer a mesma pergunta ao mesmo leigo, certamente ele dirá que foi o sérvio.
          Nem de longe quero dizer que ele fica mais ou tão feliz com as derrotas, mas que tem uma chavinha que vira imediamente após o match-point.
          O que realmente demonstra o que somos de cá do lado de fora da telinha, é dizerem sempre: “aquele que acerta boladas em juízes, xinga boleiros etc”…
          Isso sim é algo que deveria ser revisto.

  12. Sérgio Ribeiro

    E quem perdeu esse jogaço da Semi feminina, deu ruim rs . Teve de tudo na sensacional batalha inclusive mão grande do juiz . Pena que não veremos mais o avião Grego sobrevoando Paris rsrsrs. Abs!

  13. Paulo Almeida

    O único jogador que inquestionavelmente tem mais recursos do que o Djokovic é o Nadal NO SAIBRO e, por isso mesmo, é favorito (65-35 pra mim). No entanto, as possibilidades podem variar a favor do sérvio com o andamento da partida.

    Não acredito em outra surra e sim em um mais um jogaço da maior rivalidade da história com folga. A paternidade Fedal deve pegar top 5 com boa vontade.

    1. Paulo Almeida

      O balão que o Nadal joga no back do adversário já provou ser mais efetivo do que um slice do Federer chamando pra rede (pelo menos no saibro), por exemplo. Enfim, um recurso feio pode fazer diferença diante de um bonito na hora de decidir um ponto ou uma partida, coisa que a seita não aceita de jeito nenhum. ???

  14. Luis

    Dalcim, acho que a tatica do pessoal para ganhar do Nadal tem sido bater o back cruzado com bastante ângulo para depois bater uma paralela de back e esperar a bola curta do espanhol, algo que o arggentino não conseguiu mais fazer depois que o nadal ficou mais perto da linha e começou a bater o forehand na paralela da bola cruzada.
    Acho que esse é o caminho dele, para ganhar e para se desgastar menos, mas que insiste em voltar para tras sempre que pode.
    Esta certo isso ou estou viajando?

    1. José Nilton Dalcim

      Os golpes do Schwartzman não tem tanta potência, então isso realmente permitiu ao Nadal jogar mais próximo da linha e proteger a melhor alternativa que o argentino tinha.

  15. Alexandre

    Dalcim,
    Parece que um dos treinadores do Djoko disse que preferia enfrentar Nadal na semi para ter mais chances, vc acha que isso possa mesmo interferir tanto assim no resultado da partida? E para Tisitsipas e Zverev, vc acha que enfrentar uma dessas duas lendas numa final de GS seria muito diferente do que enfrentá-los na semi?
    Abraços e parabéns sempre por suas publicações!

    1. José Nilton Dalcim

      Acho semi tem um peso realmente menor, Alexandre, mas no caso do Djokovic não acredito que seja tão importante assim. Acho que o sérvio adoraria derrotá-lo justamente na final. Imagine o quão frutrante seria derrotar O Nadal no saibro e perder o título (como aliás aconteceu em 2015).

      1. Cassio Carvalho

        Desse ponto se desprende algo incrível. Ninguem nunca foi campeão ganhando do Nadal em RG. Nem o Sorderling, nem o Nole. Por isso que pra Zverev e Stefanos é uma oportunidade de OURO porque este eventual primeiro titulo de GrandSlam já os colocaria como feito histórico inédito)!

        1. Luiz Fabriciano

          Porém, para isso o Nadal teria que passar da semi, o que se configuraria uma oportunidade para os outros dois.
          O contrário aumentaria as chances de quebra desse tabu, com a enorme possibilidade do sérvio levantar o troféu no domingo.

  16. Santos

    Nadal é o favorito sem dúvidas nenhuma pelo retrospecto e pelo que vem jogando. O Djoko terá que jogar o seu melhor tenis para equiparar. Então , irá prevalecer o poder mental de cada um para manter o controle do jogo. Agora, uma verdade foi dita pelo Dalcim: O sérvio não tem mais a agressividade que tinha em 2014, e o Nadal não estava tão bem na época voltando de lesão. Espero que o Djoko jogue bem para ter graça a partida. Porque da parte do Nadal, já sabemos o nível que será. De qualquer forma, o sérvio é um adversário que o espanhol respeita mesmo no saibro e isto já é prenúncio de um grande jogo.

  17. Sandra

    Dalcim , mudando de assunto , o Kyrgios está um tempão sem jogar ! Quem banca ele ?? Tudo bem que é o patrocinador , mas é eterno , mesmo não jogando ? Garanto que se vc deixar um dia de trabalhar …. rssss

  18. DANILO AFONSO

    Eu até tinha uma esperança do NOVAK vencer amanhã, mas com o PESSANHA torcendo pelo sérvio ficou mais difícil…kkkk

  19. Felipe

    As semis vão ser de arrepiar. Acredito que os dois jogos vão ser muito parelhos. Entre Tsitsipas e Zverev, acho que o grego é favorito. No clássico número 58, acho que Nadal tem 60% e Djoko 40%. Vai ser um jogo nervoso, quem conseguir controlar mais os nervos e aproveitar as chances leva. Acho que a final vai ser Nadal vs. Tsitispas domingo e muito difícil o espanhol deixar passar a oportunidade do 21º Slam

  20. Roberto Garcia

    Dalcim boa tarde! parabéns pelo blog, além da profundidade das questões técnicas, não deixa de ter seu entretenimento, pelos comentários de alguns fãs mais exaltados aqui. mas, em relação ao jogo da semifinal, duas perguntas:
    1 – assim como o saque de Nadal, não estou achando que Djoko está sacando muito bem este torneio, tendo pouco aproveitamento de primeiro serviço… vc concorda?
    2 – há muita diferença desse saibro para o de Roma? pergunto porque o confronto dos dois foi muito equilibrado no masters 1000, Djoko teve boas chances de ganhar o terceiro set e, consequentemente o jogo.

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, acho que Djoko está sacando satisfatoriamente. No saibro, se ganha muito menos pontos com o serviço. Achei Paris mais veloz que Roma, mas isso agrada aos dois. E acho sim que Djoko jogou bem aquela final. Abs!

  21. Denis

    Dalcim não sei se você viu, mas toda a semifinal junior masculina será francesa. A safra francesa é boa assim mesmo ou é mais o “efeito casa” que pesou no jogo dos garotos?

  22. Ronildo

    Se eu pudesse conversar com Iga Swiatek, diria para ela esquecer este negócio de metas, de prioridade. Que ela deveria apenas cuidar de sua parte física e técnica, mental também; escolher bem os torneios e se concentrar sempre no próximo jogo.

    Este negócio de eleger prioridade só acarreta ansiedade ao atleta. Todos sabemos o qie aconteceu com o Djokovic no Rio2016.

    1. Sérgio Ribeiro

      Exato , caro Ronildo. Como vai treinar com Andy Murray para Wimbledon, nada melhor que o Britânico pra dar uns conselhos pra gatinha com seus tenros 20 . . Se não seguir vai desperdiçar um enorme talento… Abs!

  23. Rafael

    Mestre,

    Acho que o Djokovic tem se fixado muito na tática nos últimos confrontos no saibro com o espanhol e deixado de jogar. O argentino ontem ganhou muitos pontos insistindo na paralela de backhand. Outra coisa que percebi é que aquela bola angulada de direita não tem surtido efeitos contra o Nadal. O excesso de deixadinhas tem prejudicado também. Talvez idas mais constantes à rede funcionariam melhor. Ontem o argentino mostrou isso. Nadal chegando atrasado várias vezes no backhand e o argentino com a cara na rede sem dar tempo para a recuperação. Concorda?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que há um mix de atitudes táticas e avançar à rede sem dúvida é uma delas. Djokovic tem voleado muito bem e o voleio curto cruzado funciona muito no saibro.

    2. Bel Grado Fa

      Eu particularmente acho que neste caso, a tática correta seria ele pode pedir para São Judas Tadeu ou para Santa Rita de Cássia, que são os santos das causas impossíveis e aguardar por algum “milagre” (seja uma contusão, ou um dia muito ruim do espanhol no saibro de Roland Garros). Afinal de contas, um dia esse dia ruim deve acontecer.

      Em condições normais,

      Pode sugerir a ele que peça para que isso aconteça amanhã.

  24. Vitor Hugo

    7 x 20 no barro, cinco anos sem vencer Nadal no saibro, nunca venceu o espanhol(em forma) em Roland Garros e sofreu a derrota mais humilhante da história do torneio no ano passado….
    E ainda tem djokovete achando que agora vai!? Kkkkkkkkkkkk

    1. Paulo Almeida

      A derrota mais humilhante foi a de 2008, tanto fora quanto dentro de quadra, como já provado pelo Luiz Henrique. Não adianta deitar no chão e espernear.

      Está 19×7, mas pelo menos a gente não foge de levar outra paulada em Slam como o sparrão do GOAT Djokovic.

  25. Luiz Fernando

    A despeito do BH mais fraco, creio nas temporadas de grama e pisos duros o Berrettini será um adversário bem indigesto. Se ontem no saibro e frente ao melhor devolvedor da história o cara trouxe sérios problemas, tem potencial pra incomodar muito nos próximos torneios. A conferir…

  26. Bela

    Muito triste ver o Novak sendo valorizado com todo aquele destempero, com declarações dele e do pai absurdas dos concorrentes, atitudes desportivas. Gritos dentro da quadra, chutes, quebrar e jogar raquetes é algo certo ? Será mesmo? É um modelo de como o mundo está agressivo e de como muitos não podem ser contrariados.

    1. Luiz Fabriciano

      E contratar um jatinho particular para levar uma enferma da Sérvia aos EUA para tratamento, seria um bom exemplo?

    2. Cassio Carvalho

      Ainda bem que o Nadal, colocou essa coisa da “reação agressiva” em cheque como atleta. Para mim, colocou essa questão em outro patamar e mostrou que dá pra jogar, ser campeão, ser competitivo sem ser “destrutivo” em quadra. As novas gerações e até mesmo o Roger o tomou como referencia. Respect!

  27. Danilo BR

    Acho bem difícil Nadal se tornar um dia o maior vencedor de Slams, tendo em vista que a cada ano fica mais claro que ele só tem uma chance por ano (RG), enquanto Nole tem 03, pois o sérvio entra como favorito em Wimbledon, US Open e é o Rei da Austrália. Portanto, não vejo tanta importância a título de disputa de Slams Nadal confirmar esse título domingo. Sem contar que Nole foi o maior prejudicado no cancelamento do Wimbledon 2020… deveriam ter cancelado RG também no ano passado. Achei muito injusto.

    1. Bruno Gouvêa

      Você só está se esquecendo de uma coisa, falar em slans por ano que Nadal ou Djoko são favoritos eles com 35 e 34 anos respectivamente e com uma geração forte no calcanhar deles não faz muito sentido. Não sao mais meninos para se pensar que entrarão favoritos nos próximos anos. Se Nadal vencer esse RG a diferença de slans aumentará para 3. É possível o Djoko tirar a diferença? Sim certamente é. Será tarefa fácil? Não, não será… Djoko provavelmente ainda entrará como favorito em Winbledom, US Open e Austrália 2022, depois disso é provável que ambos não sejam mais favoritos, é a ordem natural das coisas, a cada ano que passa os mais novos ficam mais fortes e Djoko e Nadal descem um nível, a diferença ta afunilando, o tempo de reinado deles está bem próximo do fim. Agora se Djoko levar esse RG aí a coisa muda de figura diminuirá a diferença para apenas 1 slan e aí é difícil imaginar que não passará.

    2. Vitor Hugo

      Novak entra como favorito no u.s open, tem certeza? Quantos títulos ele tem lá e quantas derrotas em finais?

    3. Luiz Henrique

      “a cada ano fica mais claro que ele só tem uma chance por ano (RG)”

      De 2012 pra cá, a cada 2 RG que ele ganha, belisca 1 fora. Coincidentemente foi sempre o USO, mas houveram chances reais nos outros 2
      Olha só nas contagens de GS. 11- RG. 12-RG. 13-USO. 14-RG, 15-RG, 16-USO, 17-RG, 18-RG, 19-USO, 20-RG

      Então esse papo de 1 chance por ano é furado

      Cancelamento de wimbledon prejudicou Djoko? Não sei. Em 2016 ele vinha de 2 títulos seguidos e caiu na 3ª rodada. Nadal é quem vinha se reencontrando lá, com 2 semis seguidas, talvez fosse a vez de DJoko cair antes e Nadal aproveitar a chance

    4. Bel Grado Fa

      O que “atrapalhou” o Djokovic foi ele mesmo, ao acertar uma bolada na juíza de linha, pois ele era favoritíssimo para ganhar o USOpen/2020. Era favorito de direito e de fato, pois vinha fazendo um ótimo torneio.

  28. Alice

    É bem triste ver nos comentários pessoas adultas denegrindo a imagem de atletas, ofedendo outros colegas, diminundo e colocando o outro como pouco dotado de inteligência, sem necessidade alguma. O que será que se ganha com isso? Mesquinharia. Eu já nem mais respondo, perda de tempo. A maioria desses possuem essa carência de receber atenção, então dizem coisas só pra causar e tem dado certo na grande parte das vezes. Sendo assim, eu nem dou mais bola, comentários insignificantes como esses, merecem passar batidos…quem sabe com o tempo não refletem melhor. AH, como diz um ditado por aí, ao comentar dessa forma infeliz…só disserá mais sobre si mesmo do que seu alvo de ataque. ?

    1. José Nilton Dalcim

      Boa, Alice. Acho também que essas provocações baratas devem ser ignoradas. E você não imagina o quanto ainda eu filtro por aqui.

      1. Alice

        Pois é, Dalcim. Eu já acho algumas coisas sem nexo nenhum, sem valia. Mas eu entendo, já que vivemos em uma democracia e temos o direito da liberdade da informação. Deve ser bem ruim mesmo ter que filtrar, fingir que nem leu e ter um casca…

      1. Alice

        hahaha, emoções humanas. Quando nos deixamos levar pela emoção, obviamente perdemos a razão… ?
        Não é que todo mundo precise ser um Borg da vida, mas certas coisas/atitudes nem precisam de ‘evolução’ ou mesmo reflexão. Tá na cara, o golpe tá aí..caí quem quer! ?

    2. Daniel

      Eu joguei tenis deste dos 11 anos sempre por esporte, participava dos torneios enfim futebol nunca foi minha praia, ja estive em RG na vitoria do Guga sobre o Federer, estive umas 5 ou 6x em Wimbledon, deixei de assistir o Pete Sampras para assistir o Guga ja que na época era o N1 e como brasileiro mas enfim o ponto da conversa é que antes o tenis nao era um esporte da popular para nós brasileiros e nao existiram estas comparacoes atuais que parecem mais as de futebol, enfim vc nunca ira aplaudir um golaço do time adversário mas no tenis NAO existe isso, é uma chatice pura este pesssoal comentando sobre tenis com zero conhecimento do esporte em si.

    3. Jose Yoh

      Cara Alice, percebe-se que os mais radicais já estão só comentando entre si (falando consigo mesmo, no caso dos fakes kkkkk).
      Cansou, né. Total perda de tempo já que isso tem mais de dez anos.
      Eu mesmo passei a pensar da mesma forma que vc. Um ou outro absurdo eu respondo.
      O duro é ficar pulando as centenas de comentários ruins…

      1. Alice

        HaHaHa, Jose Yoh. Simmmm, isso mesmo! Eu amo ler os comentários, antes não passava nenhum. Hoje, sem chance. Só leio quem tem crédito na praça, muito menos responder.

  29. Nattan Lobatto

    Bom dia, srs!

    Uma das poucas qualidades que me fez/faz torcer pelo sérvio, Novak Djokovic, é a sua personalidade imponente, a sua entrega, a sua verdade e sinceridade nas entrevistas e atitudes em quadra. Enfim, posto isso, o Domador de Leões não corre de uma boa briga e não abaixa a cabeça para os adversários, sendo eles Rei da grama ou do Saibro, o Lobo vai lá e dar a cara a tapa, mesmo com o favoritismo contra e retrospecto desfavorável.

    Eu entendo a desistência do Federer por diversos fatores: idade, piso, voltando de lesão, Wimbledon na porta, e remota possibilidade de vencer e, pior, aumentar a freguesia para seus principais adversários. Sim, eu entendo a lenda suíça, contudo o Lobo oriundo dos Balcãs, o Comedor de Fígados não perderia um jogo desses, salvo por lesão. Se for para vencer ou perder, que seja para os melhores!

    Que o espírito matador de 2011 e 2015 estejam presente na sexta, e que tenhamos mais um espetáculo digno da maior, mais equilibrada e melhor rivalidade de todos os tempo!

    Viva o regicída!

  30. Daniel

    Não há como não admirar os feitos de Djokovic no tênis.
    Porém, nessa sou Nadal desde criança.
    Cara arrogante.

  31. Flavio

    Mestre Dalcin a semifinal de sexta (11/06/21) pode ser uma final antecipada e o Nadal tem muita chance de ganhar esse Rolland Garros e chegar no tão sonhado 21 slams e colocar pressão no Federer em Wimbledom?e olha que um mês anterior achava que o Nadal estava enfraquecido e acabei me enganando kkkk, embora ele tenha tido uma queda nesse ano no pó de tijolo , mas o restante de torneio vai ser interessante, agora no caso do feminino mostra que o tênis feminino é muito fraco Mestre pois das 4 semifinalistas nenhuma é top 10, e durante os últimos anos o tênis feminino mostra que é imprevisível, então concorda nestre Dalcin? ABRAÇOS.

    1. José Nilton Dalcim

      Podemos ver de outro lado também, Flávio. As quatro semifinalistas fora do top 10 mostram o quanto mais competitivo e imprevisível é o circuito feminino, com distância bem menor entre as líderes e as que vêm logo atrás. Acho que as quatro exibiram muita qualidade até aqui no torneio. Abs!

  32. Gustavo Luis

    O favoritismo de Nadal e Tsitsipas estar tão evidente (mais por parte do espanhol por motivos óbvios), que estou achando que a final vai ser Djokovic x Zverev rsrs.

    Só uma intuição mesmo.

  33. EDVAL CARDOSO

    JÁ QUE ALGUEM AÍ FALOU EM MOTIVACÃO DO NADAL PRA ESSA SEMI FINAL, VAMOS AS DOS FEDERISTAS:
    1 TORCER PRA QUE OS DOIS SE ACABEM NESSA SEMI FINAL
    2 QUE DJOKOVIC GANHE E SAIA MORTO DE QUADRA
    3 QUE QUALQUER UM QUE GANHE DO OUTRO LADO DA CHAVE, SEJA DE 3 A 0 FÁCEIS
    4 QUE NEM NADAL, NEM DJOKOVIC GANHEM NA FINAL

      1. Sérgio Ribeiro

        Jura que o Magistral comentarista nunca secou e sofreu com o Craque Suíço ? E o seu baba ovo ? kkkkkkkkkkkkkkkkkk. Abs!

    1. Gildokson

      Perfeito! Esse é o plano mesmo kkkkk
      O nosso “sofrimento contínuo” kkkkkkkkkkk
      Uma coisa tão errada, como agimos mal nós federistas…
      Oh céus!!! kkkk

      1. Sérgio Ribeiro

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk . Paro ou prossigo até os 103 Títulos, caro Gildokson ? . ABS !

      2. Luiz Fernando

        Finalmente alguém reconheceu isso kkkk. Como é divertido aqui, e meu caro, grandes conquistas agora acho q só no YouTube…

        1. David Lopes

          Quando você fala isso, é bom colocar as barbas de molho. Lembra do ” aposentado, cansadão, etc “, que você cansou de besteirar e depois foi obrigado a engolir as próprias abobrinhas por você repetidas à exaustão?

  34. José Felipe Pereira da Silva

    Dalcim bom dia parabéns pelo seu trabalho mais uma vez.
    Ansioso pelos jogos de amanhã
    Eu gostaria de saber sua opinião
    Vendo os jogos do Nadal no saibro, vejo ele jogando muitas bolas altas no backhand dos adversários, mais altas mesmos tipo balão se é que é o certo.
    E os adversários não conseguem fazer muita coisa.
    Acredito que na sexta feira contra o Djokovic ele vai fazer muito isso.
    Qual a melhor estratégia?
    E em relação ao Djokovic
    Ele é completo a maioria concorda, mais não acha que ele pode
    Melhorar o slice e ser mais agressivo especialmente no forehand? igual nadal ou Federer ou del potro enfim.

    1. José Nilton Dalcim

      Slices não costumam funcionar contra o Nadal, José Felipe, muito menos no saibro. Djokovic sabe bem o que fazer e precisará necessariamente apostar nas paralelas, caminho para desequilibrar o espanhol, obter uma bola mais curta ou até mesmo para definir os pontos. O sérvio tem um backhand cruzado na altura do T que funciona magnificamente contra o Nadal, já que o espanhol joga muito atrás da linha. O sérvio terá de ser paciente acima de tudo para achar o momento certo de agredir.

  35. Periferia

    Rival Vencerá

    Todo torcedor sonha em ver seu ídolo campeão.
    A emoção que um título transmite é uma mistura de adrenalina e endorfina.
    Mas naquele dia…a euforia ficará entalada e o grito preso na garganta.
    Um sorriso sem graça…uma certa melancolia e por fim lágrimas.
    O rival vencerá…
    A dor moral da derrota…a desilusão e o medo é muito maior que a fé na vitória.
    O rival vencerá…
    Muito mais que uma vitória…as derrotas nos moldam…claro que a ganhar é muito bom…mas somos forjados na derrota.
    O rival vencerá…
    Quando se vence…devemos comemorar aquilo que deve ser comemorado…nunca comemorar a derrota dos outros.
    O rival vencerá…
    Apenas os vencedores conseguem isso.

    Na sexta…na Philippe Chatrier…

    O rival vencerá…se preparem.

  36. Sandra

    Dalcim , já ouvi várias vezes do Nadal que ele não conseguiria jogar até aos 39 como o Federer, vc não acha que talvez esse possa ser o último ano do Nadal , ainda mais se acontecer o óbvio e ele ganhar Roland Garros ?

    1. José Nilton Dalcim

      Nadal já foi muito além do que a maioria imaginava, Sandra, então não devemos duvidar de mais alguns anos. Para o desespero dos concorrentes no saibro… rsrs…

      1. Sandra

        E impressionante Dalcim , que mesmo estando um pouco mais enfraquecido esse ano , opinião minha , não vejo como ele perder Roland garros , só se for para o grego , e mesmo assim , o grego deve ter uma porção de olho grego guardado, acho que vou colocar pendurado na Tv uns olhos gregos que eu tenho aqui , ferradura , para ver se o Nole ganha rssss

        1. José Nilton Dalcim

          Puxa, sério que você não acredita que Djoko possa ganhar dele? O favoritismo é do espanhol, mas não é tão grande assim.

          1. Sandra

            Mas você mesmo falou , e um lugar místico para o Nadal ! E o grego deve estar torcendo desesperadamente para o Djoko, rsss ! Já pensou feminino e masculino os gregos ganhando !

  37. Luis

    Dalcim mudando Assunto kkk falando do Federer adaptação rápido a Grama depois do Saibro,a Grama Olhando de fora parece Piso que a Bola vai mais rápido até mais que a Sintética,tenistas passado iam mais a Rede até Vi pouco YouTube acho era Borg X Mcnroe e lembro de um acho era Edberg que treinou o Federer e parece são Amigos,Por aí Dalcim ou tô Viajando? Kkk empolgado Tricolor não lembrava de jogo com placar 9×1 rs lembraram Sportv em outro jogo Sp tb na Copa Brasil foi 10×0 contra Botafogo PB kk

  38. Sam

    Creio que, infelizmente, o Djokovic vá ganhar com certo domínio os três sets necessários para chegar à final. Se ceder um ou dois sets ao Nadal, fará isso apenas para se aquecer durante eles ou para distencionar. Suponho que será uma partida semelhante à final do Aberto da Austrália de 2017 entre Federer e Nadal. Digo isso baseado na performance do sérvio neste Roland Garros, em Roma e em Belgrado. Djokovic tem demonstrado muito preparo físico, capacidade de superação durante os jogos e empolgação. Nadal vai parar nos 20 GS. Infelizmente.

  39. Daniel C

    Hoje não vi o jogo do sérvio (e nem perderia meu tempo, se tivesse a oportunidade), e pelo visto, ele deu os chiliques de sempre, pelos relatos aqui na pasta, que não foram poucos. Fica cada vez mais confirmado que por mais vencedor que seja, é um no1 com péssimo comportamento e está longe de ser um bom representante para o tênis. Mas é o que temos que aceitar por enquanto, na espera de um novo representante do quilate de um Federer ou Nadal, que vão deixar como legado muitos outros exemplos ou lições além das conquistas ou títulos. É só termos um pouco mais de paciência.

  40. Luiz Fernando

    Até um tempo atrás eu julgava o Fedal o maior clássico na história do tenis, mas depois dessas duas ultimas temporadas e com os resultados de Rafa e Djoko me parece q houve uma mudança, ditada pelo próprio equilíbrio do resultado, algo inexistente entre Nadal e Federer. Vejo ambos no momento tensos e muito motivados para sexta. Rafa está com o BH excelente e o FH agressivo, precisa apenas servir melhor. A preocupação com o físico desapareceu, não houve grande desgaste em nenhuma das 5 partidas disputadas. Assim, vejo sexta com total equilíbrio na teoria, mas o retrospecto na P Chatrier joga a favor do espanhol e em um momento tão equilibrado qualquer handicap pode fazer a diferença. Meu chute é Nadal 3×1…

    1. Paulo F.

      Exatamente! Um confronto tão, mas tão desparelho quanto o Fedal jamais pode ser considerado rivalidade.

    2. Sérgio Ribeiro

      Errado como sempre. Inexistente o equilíbrio no Saibro entre o Touro e os outros dois oponentes . Fora do Saibro o equilíbrio entre o Fedal é muito maior ,14 x 10, para o Craque Suíço. Já entre o Servio e o Espanhol é uma SURRA vergonha aplicada por Novak encima do Touro . És disparado o diversão garantida kkkkkkkkkkkkk. Abs!

    3. Sérgio Ribeiro

      Errado como sempre . Você chama de equilíbrio o fato do Espanhol não vencer o Sérvio desde 2013 em TODAS as superfícies que não seja o Saibro ??? rs . E o fato do Sérvio não vencer o Espanhol há 5 anos na Terra batida aumentando a freguesia pra 7 x 19 rs . Pelo menos na Fedal o Espanhol SOMENTE perde de 10 x 14 devido aos poucos jogos na Grama ( 4 ) . Tu és mesmo o diversão garantida kkkkkkkkkkkkk. Abs !

  41. Marco

    Dalcin, eu acho que o Nadal vai vencer, não vejo tanto equilíbrio como em outros anos, sobretudo pq a bola do sérvio parece perder potencial ou não andar tanto quanto fazia no período em que ele equilibrou e até dominou o Nadal no saibro.

    Dito isso: não acha que uma possível mudança de estratégia seria minar mais o backhand do Nadal já na devolução? Se for analisar o jogo do ano passado e a final de Roma verá que ele ainda tenta mandar a chamada devolução no pé, mas como o Nadal é rápido ele dá um passo pro lado e já começa jogando de forehand, depois disso já começa a mandar no ponto.

    Outro ponto é parar de devolver saque perto da posição que o Nadal fica. O prime Djoko sempre foi aquele que devolvia o primeiro saque em cima da linha de base ou um passo atrás no máximo, se for ver nos últimos dois anos no saibro tem ficado uns 3, aí já começa mt pouco agressivo. O que acha?

    1. José Nilton Dalcim

      É bem difícil devolver sempre no backhand do adversário, Marco, porque depende muito de onde e como vem o saque. No lado da vantagem, onde a bola aberta é um problema maior, fica ainda mais difícil conseguir profundidade e velocidade na paralela. Por isso, por vezes vale sim dar uma pequena recuada para se ganhar mais tempo para a devolução. O que eu vejo é que Djoko foi pouco agressivo na devolução do segundo saque em Roma, esse talvez seja o ponto em que ele possa explorar mais.

  42. Denis

    Por mais que o Nadal seja novamente favorito, quando ele enfrenta o Djokovic sempre fica aquela expectativa que possa finalmente no ser derrotado em Paris. Mas não acho que será dessa vez.

    Vai ter desafio nesse jogo Dalcim?

  43. Sérgio Ribeiro

    Acho mesmo que o Dalcim está certo. O chão de Paris vai tremer . Só que durante longos 5 Sets , pois não vejo nenhuma chance de moleza neste clássico do Esporte Tênis. Como vou seca-los como nunca na vida , mandei twitter para os garotos rs . E combinamos que quem levar o primeiro Set , leva o jogo. Dito isto , o Campeão de Roland Garros 2021 é o vencedor de Sasha x TSITSIPAS e tenho dito rsrsrs. Abs!

  44. Dionathan

    Dalcim, lembro que em 2016 ninguém esperava a vitória do Nole sobre o Nadal em RG… se tem um cara que é capaz de ganhar é o Djoko!!
    Uma pergunta: Em sua opinião, você acha que devido ao Djokovic ter jogado 5 sets contra Musetti, e agora mais três horas e meia contra Berrettini, poderia influenciar fisicamente contra Nadal???

    1. Luiz Fabriciano

      Os três últimos sets contra o Musetti duraram pouco mais que a metade de apenas um dos dois primeiros. Então, esses 5 não fazem diferença.

    1. Sérgio Ribeiro

      Não faz assim , Marcos. Senão a turma da Kombi vai começar a dizer que a família Ribeiro entende tudo de Tênis e convidar pra passear kkkkkkkkkkkkk. Abs!

    2. Fabio

      Eu sempre fui contra a ideia de que alguns jogadores top usassem algum tipo de doping mas com a evolução fisica do Nadal e depois de ver alguns vídeos de um canal chamado More Plates More Dates, e ainda saber dos casos de Agassi e das Williams, acho que ele pode sim ter alguma vantagem sobre os demais por doping, eu acho que fisicamente Djokovic e Federer deram uma baixada no nível e dito isso, não vejo como o Nadal perder para um dos dois no saibro, acho que só Zverev e Tsitsipas podem vencer o espanhol por causa da intensidade que ele joga.

      1. Marcelo Costa

        Nadal toma cloroquina nos dias pares, ivermectina nos dias ímpares. Está tudo no canal terra plana pula da borda.
        Mil perdões mas é cada uma viu.

  45. Rhenan Zimermann

    Do título a última linha, um belo texto Dalcim!

    Impressionante como à partir do 3×4 do 3º set, a postura e a expressão do Nadal mudaram completamente. Estava presente ali, o Rei do Saibro! Velocidade, convicção na escolha de golpes, potência e profundidade. Bem diferente do início de jogo.

    Respondendo ao Luis, comentário que faz abaixo do meu no post anterior, tens razão quanto a suas colocações. Nessa reta final da carreira devemos nos acostumar a sofrer mais e acreditar no mental e na enorme capacidade de Rafa em sair dos buracos em que ele se coloca. Aliás, dentre tantas outras, essa é uma das qualidades que, aliada a vontade incansável de lutar por cada ponto me fizeram torcer por ele! Mas rapaz, o frio na barriga é cada vez maior viu kkkkk

    Para finalizar, o que vi do 3º set em diante me animou bastante, inclusive acho Rafa favorito na sexta com 60/40, porém, sigo realista e com as “barbas de molho”, pois contra um jogador como Nole, essas oscilações podem colocá-lo num buraco sem saída.

    De qualquer forma, VAMOS RAFA??

  46. Vitor Hugo

    Nada demais. Só uma um pato no caminho do espanhol. No barro, claro..

    Mais um jogo da terceira maior rivalidade da história do esporte. Bem abaixo de Borg e Big Mac e muuuuuuuito abaixo do Fedal.

  47. maurício

    Poxa, Dalcim, suas análises só fazem crescer as expectativas para o jogo, é impressionante como vc aumenta a nossa ansiedade, rsrsr, parabéns. Agora, queria, se vc puder, que me respondesse uma pergunta: não vejo Nadal nem tão pouco Djokovic no melhor de suas respectivas formas, pelo contrário, para mim ambos tem declínio técnico e físico, acho que pelo fator idade, mas como são gênios compensam isso. Neste caso, quem leva desvantagem numa partida entre eles? a quem o declínio físico e mental prejudica mais? considerando a hipótese que a perda de vigor físico e mental nos dois se apresentem de forma igual, rsrs, sei que isso é quase improvável de acontecer, mesmo assim queria sua análise, um abraço e fique em paz.

    1. José Nilton Dalcim

      Acredito que, ao longo dos próximos anos, o físico fará mais falta a Nadal devido a seu estilo de jogo. Hoje em dia não acho que haja uma grande diferença entre eles na parte física, embora Djoko ainda economize um pouco mais que o espanhol.

      1. Luiz Fernando

        Nesse contexto vc diria q Rafa ainda terá 2022 e 2023 com ótimo físico ou mais 2 anos seria exagerado?

        1. José Nilton Dalcim

          Sempre é difícil apostar no físico do espanhol, porque há problemas físicos que se acumulam ou aparecem de repente, como foi o caso caso da lombar. Mas não acho impossível que ele consiga esticar mais, desde que faça calendários mais econômicos.

  48. Mateusss

    Fala sério! Este Novak Djokovic não merece ganhar mais nenhum GS, merece ATP 250 mesmo kkkkkk. Ele quer bater os recordes de Federer e principalmente do Rafa, que ele morre de inveja. Coitado, é doente! Parecia um louco hoje, chutou a placa, gritou com a esposa e com o técnico, credo, ele dá nojo. Acredito que um bom esportista precisa ser ético, educado e equilibrado. E detalhe, não gosto do estilo de jogo dele, rebatedor. O jogado para ser o melhor precisa ser analisado no contexto.

    1. Geailton

      Ou vc não entende de tenis ou nao entende o que vc mesmo escreve. Cita os gritos do cara para desvalorizar mas depois diz que tem ser analisado o contexto. Decida-se

  49. Toninho

    A verdade é que o Nadal sempre será o adversário a ser batido em RG, independente da idade. É o tenista que melhor domina um determinado piso do circuito. Impressionante a facilidade que tem em amassar os adversários na terra batida.

  50. Jonas

    Quando o Ronildo falou algo sobre Federer Deus ou algo assim discordei dele.

    Mas o Nadal é quase isso no saibro…um absurdo o espanhol nesse piso. 2 derrotas em Roland Garros é sacanagem…parece piada.

    Bem, se por um acaso o Djoko vencer este jogo, o que acho tarefa bem difícil, creio que o adversário menos pior para o sérvio em uma decisão seria o Zverev. Acho que o alemão tende a sentir uma pressão maior do que o grego. Também acho que o estilo de jogo do alemão “casa” mais com o do Djoko.

    Se o espanhol chegar à final (bem possível) , tb diria que o Zverev seria o adversário mais adequado.

  51. Ronildo

    Estou curioso para ver qual dos dois sobreviverá para domingo fazer parte do espetáculo da vitória de Zverev ou Tsitsipas.

    1. Luiz Henrique

      Puxa Ronildo!! Pena que o Shapovalov não jogou, assim poderíamos ver o resultado da calibração de recursos!!!!

  52. PI

    Nadal MUITO favorito. O que ele jogou nos últimos 8 games contra o dieguito não tem base, é monstruoso. Djoko vem bem, mas é outro nível. Vou torcer pro Nole roubar pelo menos 1 set, pra sair do torneio mais bonito do que os 3 x 0 do ano passado. Infelizmente acho que Nadal vai terminar a carreira com mais GS do que os outros, pq Roland Garros n tem pra ninguém, inacreditável o que ele joga no saibro. Na quadra dura a concorrência tá ficando mto feroz com medvedev, tsisipas e zverev elevando seus niveis rapidamente. Acho que Djoko leva mais 2, fechando em 20, e rafa mais 2 também (esse rolanga e o próximo).

  53. Paulo

    Dalcim, queria sua opinião sobre o seguinte: o Djoko e o próprio Federer conseguiram vencer algumas partidas contra o Nadal, atacando a bola alta da esquerda na subida, sem ficar esperando lá atrás. Uma mudança que aconteceu no jogo dos dois é que ambos relutam (Djoko mais) a manter uma troca prolongada de bolas (aquelas disputas de mais de 30 bolas fazem parte do passado), tentando encurtar os pontos sempre que possível, o que pode aumentar a quantidade de ENF. Portanto, mais do que o número de winners, o que vai fazer a diferença é a quantidade de ENF de cada lado. Embora sejam profissionais de altíssimo nível, quem conseguir manter a bola mais tempo em quadra, sem encurtar e dar oportunidade de ataque ao adversário, levará a passagem para a final.

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que é mais ou menos por aí, Paulo. Mas existe algo importante, que se fala pouco:os erros forçados, aquela bola que você unduz o adversário ao erro, como uma paralela bem aplicada que balança o adversário ou o faz bater fora da posição ideal. Acho que isso é bem importante nesse duelo entre os dois. Djokovic joga bem mais perto da linha, assim ele acelera o jogo porém tem menor poder de reação caso seja pego fora de posição ideal. Abs!

  54. Maurício Luís *

    Pro Nadal parece que já não basta vencer. Tem que dar ‘pneu’ de presente pro adversário. Vixe… Segúúúra o hómi!
    Porém quem mais saiu ganhando foi o Medvedev, que somou pontos importantes pra se manter como número 2 e assim deixar o espanhol num terceiro lugar que, se não faz diferença em Roland Garros, vai fazer sim muita diferença em Wimbledon. Pegar um Djoko na semi em Londres não vai ser moleza pro pouca telha não.
    ***** O espelho mágico******
    E eis que a sogra resolve dar um presente pro Nadal.
    – Um espelho?
    – Sim, mas não é um espelho comum. Trata-se de um espelho mágico. Todos os dias de manhã, voce olha pra ele e pergunta: ” Espelho espelho meu, existe alguém no circuito + baloeiro do que eu?”
    E não é que ele gostou? Mesmo porque em breve não vai precisar de espelho pra pentear cabelo. Questão de tempo…

  55. Felipe Velasquez

    Boa noite, Dalcim!

    Acredito que a maior motivação do Nadal, nesse novo duelo, é a possibilidade de empatar o H2H com o Djokovic!

    O que você acha, Dalcim?rs

    Abraços

      1. Eduardo Moura Lima

        Qual seria a sua ordem Dalcim?

        1. Chegar ao 21o slam
        2. Evitar que o Djoko se aproxime em números de slams
        3. Evitar que o Djoko seja o único a ter pelo menos 2 slams de cada
        4. Empatar o H2H

        ?

        Abraço

        1. José Nilton Dalcim

          Acho que ele pensa antes de tudo em chegar numa nova final, depois em ganhar essa nova final para então ter o 14º e por fim chegar ao 21º. O h2h não deve fazer cócegas nele nessa altura do campeonato, Eduardo, e se ele puder disputar e ganhar o 21º pouco importa se o Djoko ou o Federer têm 19 ou 20.. rsrs… Claro que estou apenas conjecturando.

          1. Eduardo Moura Lima

            Sim, claro! Mas essas conjecturas que ficamos imaginando são sempre muito legais e fazem parte do “ser fã” ou “ser apreciador do esporte”.

            Eu sinceramente acho que o maior combustível dos Big 3, hoje, seja ter mais que os outros dois. Porque afinal eles já ganharam tudo. Várias vezes. Se não existissem ou outros 2, qual a diferença para o Nadal (ou para o Federer) ter 20 ou 21 slams?

            Acredito que eles hoje não querem “apenas” serem campeões. Mas entrar para a história. Mesmo que não admitam.

            “Ah mas eles já entraram!” Sim, mas agora a disputa é entre os 3. Não mais na “história do tênis”. Inclusive acho que esse é o motivo para até hoje não terem tirado o pé do acelerador, e até mesmo para seguirem progredindo após os 30 anos.

            Ou seja, os 3 se retroalimentam ao meu ver. Impedir que o outro ganhe vale tanto quanto ganhar.

            Mas vai saber né ….

            Abraço

  56. Carlos Augusto

    Dalcim, que semifinais do feminino são essas??? É praticamente impossível acontecer uma semifinal de slam no masculino com esses rankings.
    Não consigo entender a enorme oscilação que há no feminino. Óbvio que normalmente vemos as jogadoras top avançarem até essa fase nos principais torneios, mas o número de surpresas é muito maior do que masculino.
    Mesmo se considerarmos que o big 3 é algo fora da curva, e tirarmos eles das análises, ainda assim os jogadores do top 10 no masculino são bem mais consistentes do que no feminino.
    O feminino também teve jogadoras absurdamente vitoriosas e regulares, como Navratilova, Graf e Serena, mas tirando nesse nível, parece que as oscilações são muito maiores que no masculino.
    Mesmo no período entre o fim do auge de Sampras e o início do auge de Federer, os jogadores top do masculino eram mais regulares. E essa irregularidade no feminino parece que se acentuou muito nos últimos anos.
    Não consigo entender. O tênis feminino também é extremamente profissional e tradicional. Não é como no futebol, que o feminino ganhou maior importância muito recentemente, e ainda tem uma diferença gigantesca de ligas e na formação.
    O que pode explicar isso? Será que é só fator emocional? Mas em outros esportes individuais, como natação e atletismo, parece que não acontecem oscilações tão grandes no feminino como no tênis.
    Mestre, tem alguma explicação para isso?

    1. José Nilton Dalcim

      O tênis feminino sempre foi mais instável e não acho uma coisa ruim. Acaba dando oportunidade para boas jogadoras que não aparecem tanto e de repente crescem com uma oportunidade. Claro que é uma grande surpresa termos esse quadro, mas o torneio foi cheio de problemas físicos e o problema da Osaka, que embaralharam ainda mais a chave.

  57. Julio Cesar

    Achei notáveis alguns pequenos detalhes: Djokovic perdeu o terceiro set, literalmente, por erros não forçados. No jogo inteiro foram 44 winners e apenas 19 erros (alguns deles cruciais no tiebreaker).

  58. Jorge Diehl

    Dalcin, vendo os jogos após jogos…chego aquela conclusão! O atleta que possuí uma jogada ou qualidade específica que se destaca ex.: Saque, devolução ou forhand… Ganha partidas…mas campeonatos são para os consistentes! E Nadal e Djoko são de longe os mais consistentes…Feder devido a idade está em declínio! Espero que esses da nova geração…aprendam isso, pois se não, ganharam um que outro título expressivo e deu! Acho que o grego é o que mais está no caminho! Abraço! Excelentes textos mestre Dalcin!

  59. Sandro

    No dicionário do Ronil…, a definição de “COMBALIDOS” é: jogadores do BIG 2, mais conhecidos como Nadal e Djokovic, que resolveram dar PNEUS em Roland Garros 2021…
    Isso é que é ser combalido???

  60. Edgard Upinho

    Dalcim, achei que o desempenho do italiano no saque foi acima da média, e mais ainda considerando a superfície (saibro) que aquela hora é notoriamente mais lenta. Fiquei tb impressionado com a solidez e consistência do número 1. Acho que a semifinal pode pender pra qualquer dos lados, pois vejo djoko muito afim e motivado a encerrar a sequência de derrotas pro espanhol, conquistandomais um troféu em RG e fazendo história: único a ter (pelo menos) dois troféus de todos os slams, derrotando na semi o Deus do saibro (fato inédito) que ostenta incríveis 104 vitórias em 106 confrontos. A comemoração do sérvio quando venceu o 250 no próprio país mostra isso, bem como a recente final no saibro de Roma. O vejo como a Rafa após perder a final do australian open 2012. Por outro lado, tampouco acredito que a outra semifinal será econômica em emoções. Para final, aposto em Nadal vs Tsitisipas. Qual é o seu palpite para final, mestre Dalcim? obrigado.

  61. Reynaldo

    Boa noite a todos. Djokovic mais uma vez surtou durante o jogo e logo após o último ponto. Basta se encontrar com um jogador que possa fazer frente a ele . Como sempre, pega chaves fáceis em GS. Será novamente presa fácil para o touro miura. Novak fissurado para bater todos os recordes de RF e RN. Só precisa estar atento com sua postura e caráter, dentro e fora das quadras, dele e do pai dele. Péssimo representante do número 1 do tênis.

    1. Rodrigo

      Reynaldo vejo que você entende muito de tênis! Parabéns! O sérvio nem deveria ser considerado um esportista. Pessoa desequilibrada e arrogante. Além de um tênis feio que parece um paredão. Sempre joga sujo quando está perdendo. Ele sonha em passar os números de Rafa e Roger, mas só se nascer de novo kkkkkkk.

      1. Rafael Azevedo

        “nem deveria ser considerado um esportista…”

        Minha nossa! É cada coisa que a gente lê por aqui…credo!

        1. Barocos

          Rafael,

          Como o outro Rafael pontuou sobre as críticas da ala extremista da torcida pelo helvético: “é melhor ler isto que ser cego”.

          Eu entendo que algumas pessoas nutram grande admiração por expoentes do esporte e das artes, a ponto de santificarem os indivíduos que admiram, transmutando-os em algum tipo de ideal de ser humano, mas acho ridícula e infantil a maneira como desqualificam os seus oponentes, haja vista que, assim fazendo, também rebaixam as supostas qualidades de seus adorados ídolos. Qualquer coisa que seja imensa, só pode sê-lo se for comparada a algo que é grande. Lógica não é mesmo o porto forte da humanidade.

          Esta crítica vale para todos os fanáticos.

          Saúde e paz.

        2. Paulo Almeida

          Não sou de acusar sem provas, mas “esses dois” nunca foram vistos por aqui e um já responde o outro, concordando com o descalabro.

          Aí sim está com cara de fake da mesma pessoa conversando com ela mesma, mas que se dane também.

  62. Philip

    Fala, Dalcin!

    Que jogo! Acredito que será emoção do início ao fim e com os nervos a flor da pele!

    Aproveitando, hoje o italiano reclamou de uma bola que desviou na linha e me surgiu a dúvida: nesses grandes torneios, as linhas são pintadas ou pregadas?

    Um abraço e parabéns pelo blog!

        1. José Nilton Dalcim

          Na verdade, cria-se uma pequena base sólida para se pintar em cima dela, isso é bem comum nos clubes brasileiros, José. Mas no tênis profissional é arriscado, porque pode criar um pequeno degrau e o jogador tropeçar nele ao deslizar.

          1. Jose Yoh

            Caramba, já joguei em diversos lugares, mas nunca tinha visto! Ou talvez nem tenha reparado.
            Vivendo e aprendendo.
            Mas o saibro tem de ser muito bem cuidado mesmo para não ficar um degrau.

  63. Danilo BR

    Eu gostaria muito que fosse diferente, mas na realidade Nadal deve ganhar todos os Rolang Garros enquanto ele tiver saúde e disposição. Acredito que ele ganhe mais uns cinco, no mínimo. Estarei sempre torcendo contra, pois sou anti-Nadal, mas temos que ser realistas: ninguém tira um Rolang Garros desse mostro quando ele chega nas fases finais com tanta motivação. E que bom que só existe 01 torneio de Slam no saibro… O domínio dele é monstruoso e irritante. Acredito que Novak ganhe os próximos 03 Slams que virão em sequência, que graças a Deus são fora do saibro, e assim iguale a disputa dos Slams em 21 títulos. Mas esse Rolang… esqueça

  64. Sandro

    Matteo Berrettini e Novak Djokovic estão de parabéns pela melhor partide do torneio!
    Nadal está de parabéns por mais um pneu!!!
    Aliás, Nadal e Djokovic podem até abrir uma BORRACHARIA em sociedade pela quantidade de pneus que estão distribuindo, Nadal acabou de dar um pnru no Diego e Djokocic vunha de 2 pneus no Musetti!
    Parabéns ao BIG2!!!

  65. rafael

    Belo texto. O saibro vai tremer, literalmente. Não tem favoritos, mas veja que no jogo de hoje o Djoko não foi quebrado sequer uma vez e ainda quebrou o canhão italiano 4 vezes. Assim, pergunto:
    Mestre, o saque afiado do Djoko pode ajudá-lo bem contra o Nadal, mesmo no saibro?

    1. José Nilton Dalcim

      Claro que saque é importante até para economizar energia ou fugir de um aperto, um break-point. Acho que Djoko tem sacado melhor que o Nadal, mas no saibro isso não é tão significativo.

  66. Leonardo

    Puxa, Dalcim sou seu fã e em geral acho seus comentários muito precisos. Mas você não achou as deixadinhas do Nadal pessimas hoje? Está certo que el Peque é um jogador rápido, mas achei que hoje o Nadal deixou muito a desejar nesse quesito. Quanto ao saque, também tenho achado frágil, mas as vezes tenho a impressão que ele tem tentado forçar mais o segundo serviço, talvez já pensando no confronto de sexta.

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, hoje ele cometeu alguns erros, mas no geral ele tem feito muito bem as deixadas, Leonardo.

  67. Geailton

    Torço para o sérvio, mas EM RG o espanhol é favorito até de muleta. Parece que ele “incorpora” quando joga em Paris kkkkk. De qualquer maneira vamos analisar os números. Dos 57 duelos, 25 deles foram no saibro, ou seja, quase metade. Destes, o servio venceu quase 30%. Digo isto porque o espanhol teve mais oportunidades de vencer o sérvio em sua superficie favorita, deveria ter vantagem no confronto direto. Assim, são surpreendentes os números do sérvio nesta superfície com estes adendos, compartilhando a mesma época do maior do saibro de todos os tempos.

    1. Sérgio Ribeiro

      Ele compartilhou 27 partidas e perdeu 20 nesta superfície. Ou seja , é mais um freguês de carteirinha do Rei do Saibro , caro Geailton .Abs!.

    2. Ruy Machado

      Geailton, meu caro! Vou corrigir os dados dos confrontos que vc postou entre Nadal e Djoko. O Espanhol não tem vantagem como vc pensa! No total de 57 partidas, 26 foram no saibro (19×7 Nadal), 27 na dura (20×7 Nole) e 4 na grama (2×2). Ou seja, há mais confrontos no piso predileto do Sérvio. Agora, posso concordar com você que das 7 derrotas que o Touro teve para o Djoko no saibro, 3 foram entre 2015 e 2016, onde ele vivia sua pior forma física e técnica. Aí, realmente, o Nadal poderia ter um uma vantagem no H2H. Abc!

      1. Sérgio Ribeiro

        Tens razão Rui . O TênisBrasil foi lá e corrigiu rapidinho para 19 x 7 no Saibro para o Touro. Abs!

      2. Geailton

        Caro Ruy, apenas discordando sobre duras. Pois há diferenças entre estes tipos de pisos. Assim, se formos isolar, a maioria aconteceu sobre o piso do espanhol

  68. Efraim Oliveira

    O que é pior, Novak smashando ou Berrettini dando slice?

    Torci pela Gauff mas ela viajou legal. É impressionante como a perda de foco tira o tenista da partida. Os golpes estão ali, mas se a mentalidade não estiver confiante nada funciona.

    Um dia sem o tênis masculino… que sofrível vai ser. Difícil de acompanhar um dia só com tênis feminino.

    1. Sérgio Ribeiro

      Sem essa , caro Efraim. Pra você ter uma ideia os duelos de Martina x Chris Evert passavam ao vivo na GLOBO na década de 70 . Esses jogos das meninas e’ um colírio pra qualquer visual rs . Abs!

      1. Efraim Oliveira

        Sim, tem a beleza feminina – as pernas da Sakkari são obras de arte. Mas eu quis me referir ao estilo de jogo e também ao fato de não ter nenhuma top na disputa, acho que isso acaba desmotivando o público em geral.

        O tênis feminino viveu uma longa época de ouro, que foi da Court até a Serena, sempre surgindo grandes tenistas nesse período -Billie Jean King, Chris Evert, Navratilova, Graff, Seles… No entanto, de uns anos pra cá, com a queda da dominância de Serena o tênis feminino passou a ser menos atrativo para o público. O afastamento da Sharapova também contribuiu pra essa queda de atratividade. A Vênus também já não ganha nada de relevante há anos, o que sobrou foi essa salada mista que estamos vendo aí. Lamentável!

        Ando alimentado uma esperança na Gauff…

      2. DANILO AFONSO

        Poxa que interessante !! Não imaginava que a Globo um dia já tinha transmitido jogos de tênis.
        Com que frequência passada ?? Somente final ? Nos anos 80 também transmitia ?? E jogos do masculino??

        1. Sérgio Ribeiro

          A partir de 76 com o surgimento de BORG , a TV TUPI com Rui Viotti ( a voz do Tênis) , passou as duas primeiras conquistas do Sueco. A Band pegou até 78 sempre em Wimbledon com Álvaro José . A partir daí aos Sábados e Domingos na GLOBO os duelos Martina e Chris Evert e Borg x Connors e a seguir contra BIG MAC , todos ao vivo em TV Aberta . Idem para RG . Assim que o Pop Star BJÖRN BORG largou acabou a festa na GLOBO. Que somente retornou com o GUGA na Manchete em 97 , de novo com o grande Rui Viotti , quebrando recordes de audiência. Daí pra frente o SporTV tomou conta dos grandes eventos inclusive o ATP FINALS de 2000 . Não souberam aproveitar o fenômeno Gustavo Kuerten, meu caro Danilo. ABS !

          1. Sérgio Ribeiro

            Obs: Sempre as FINAIS. Exceto quando BORG x CONNORS caiu numa semi , empurraram o grande Léo Batista e transmitiram numa Sexta rsrsrs. Abs!

          2. DANILO AFONSO

            Valeu pela informação !! Não imagina que a Globo com uma grade de programação tão rígida, transmitiria jogos de tênis que tem tempo de duração imprevisível.

          3. Jose Yoh

            Não só a TV mas o próprio esporte no Brasil não soube aproveitar o Guga. Se fôssemos minimamente competentes, teríamos o básico de infra estrutura (quadras, torneios maiores, equipamentos mais baratos) para popularizar o esporte como foi com o vôlei e a F1 – o que provavelmente traria uma nova geração de tenistas top. Uma pena.

        2. Luiz Fabriciano

          Cheguei a ver Borg na Globo.
          E Guga também, em uma tentativa da emissora em alavancar sua popularidade com tênis, quando o catarinense faturou RG em 2000. Fez uns flashes em Wimbledon, mas para variar, o manezinho não esquentou lugar lá.

  69. Jmsa

    Dalcim,acho que o jogo do Rafael Nadal e do Djokovic vai se decidir no primeiro set,quem ganhar leva,na sua opinião quem ganha ?
    Excelente texto como sempre .

    1. Luiz Henrique

      Ambos já ganharam de virada do outro no saibro, curiosamente em jogos consecutivos
      Roma 2014 – Nadal vence 1ª set e Djoko ganha a final de virada
      RG 2014 – Djoko vence 1ª set e Nadal ganha a final de virada

  70. DANILO AFONSO

    Revendo alguns jogos do duelo no início da década passada, quando Djokovic oferecia mais resistência e ganhava alguns jogos melhor de 3° sets, percebi que o grande diferencial dos últimos confrontos foi a evolução e agressividade do NADAL com seu backhand na cruzada. Tal golpe está mais veloz e principalmente mais ANGULADO, muitas vezes quicando na “zona de saque” do adversário. Essa jogada tem machucado muito o sérvio. Nos últimos 3 jogos no saibro é nítido como tal golpe fez a diferença.

    Se anos atrás o sérvio buscava evitar o forehand do espanhol e insistia e atacava constantemente a “mina” de pontos, o backhand do Nadal, nos últimos anos não há esse buraco.

    O novo buraco do espanhol, como bem frisou o Dalcim em várias oportunidades, é a instabilidade e menor agressividade do serviço do Nadal

    1. Barocos

      Grande Danilo!

      Encontrar uma maneira de anular o backhand cruzado do Nadal é o grande desafio para todos os tenistas no circuito atualmente. Também descarto utilizar drop-shots contra ele, já que ele provou, mais de uma vez, que chega, e bem, em praticamente todos. O Nadal também está batendo na bola na corrida que é uma tristeza para os adversários. Ele tem utilizado muito bem a bola de forehand com topspin para forçar uma devolução mais defensiva por parte do adversário, quando recebe uma bola angulada no backhand ele fuzila na cruzada, se é no forehand ele tem feito a mesma coisa ou disparado paralelas milimétricas. Talvez a solução seja mesmo uma bola profunda no meio e atacar só quando a devolução dele voltar mastigada. O Djoko vai ter que ter muita paciência.

      Saúde e paz.

      1. DANILO AFONSO

        Nobre Barocos

        Acredito que o NADAL tecnicamente evoluiu muito com o Moyá, o que propiciou um jogo com menos buracos. É nítido que o físico não é o mesmo de 2008 a 2013, mas compensou com o aprimoramento técnico e outros benefícios que a experiência proporciona, a exemplo do poder de decisão das melhores jogadas e frieza nos momentos de tensão.

        Essa bola profunda no meio que você sugeriu não incomodou o espanhol no último jogo, ele geralmente respondeu distribuindo forehands pesados na direita do argentino que resultaram winners ou bolas voltando curtas sem peso.

        Vamos acreditar que o sérvio vencerá sexta.

        Saúde e Paz.

        1. Barocos

          O argentino ficava muito atrás, dava muito tempo para o espanhol, acredito que o Djoko vai tentar pegar o mais próximo possível da linha para diminuir o tempo do espanhol. Mesmo que eu esteja errado, e a chance é grande já que sou um péssimo jogador, sei que desta vez o Djoko vai entrar muito mais preocupado com a parte tática do que da outra vez, quando talvez tenha subestimado o espanhol.

          Saúde e paz.

  71. Paulo F.

    Nadal continua amplo, e põe amplo favorito nisso, para a semifinal, mas tenho das certezas:
    1 – Não terás aquela moleza da final passada.
    2 – Sempre acreditarei em Djokovic.

  72. Gume

    Boa noite mestre,

    Como o desempenho dos cabeças de chave masculinos são bem melhores que as do feminino. Enquanto 7 dos 8 quadrifinalistas masculinos eram top 10, apenas 1 no feminino, que já caiu hoje.

    Meu palpite no masculino: Nadal x Sverev. Nadal é meio que obrigatório apostar nele, embora Djokovic tenha suas chances. No caso do Sverev, vou mais por conta do saque. Contra o Fokina, média de 207 km/h no primeiro serviço.

    E o seu palpite mestre?

    Abraços.

    1. José Nilton Dalcim

      Eu acho que Tsitsipas está mais firme, oscilando menos, mas é um jogo duro, sem dúvida.

  73. Paulo F.

    Dalcim, se tu me permitires a indiscrição, em tuas palavras direcionadas à grega no texto, há uma espécie de elogio à beleza dela nas entrelinhas?

    1. José Nilton Dalcim

      Não, a admiração ali é pela forma com que ela joga. Mas ela é uma bela menina, sem dúvida.

  74. Uzaya

    Roland-Garros mostrando que a consistência é a chave. Depois de agradáveis surpresas e jogadores que mostraram crescimento (outros inconsistência, mesmo já esperada, caso do Thiem, mas não do Rublev). chegaram ao final da trilha os 4 mais consistentes. Feliz em ver que os títulos conquistados pelos 4 na temporada (vejam bem, pelo menos 1 Big Title por semifinalista) evidenciam a crescente da Next Gen e a “soberania” dos mais consolidados (Djoko e Nadal).
    O que vier, veio. A história está sendo escrita e é um prazer conseguirmos acompanhar.

    Por último, algo me chamou a atenção: em RG, os finalistas tem o mesmo tempo de descanso (1 dia), na Austrália (não me atentei a esse detalhe nos outros dois Slams), salvo engano, um tem dois dias e o outro um, correto? Dalcim e/ou amigos do blog, sabem qual a motivação pra isso? Pelo saibro ser uma superfície menos desgastante (não faria sentido, visto que na hard alguém sairia prejudicado)? Puramente uma questão “tradicional” (como o domingo da “folga” para a grama sagrada, que será extinto no ano que vem)? É sempre legal ler as brincadeiras – em certos momentos exageradas, é verdade – e as interações aqui no blog, vou começar a aparecer mais.

    1. José Nilton Dalcim

      O único Slam que não dava descanso entre a semi e a final era o US Open, mas isso acabou há alguns anos. Agora, todos dão espaço de pelo menos um dia.

  75. Sandra

    Dalcim, claro que o favorito e o Nadal, mas você não acha que ele tem perdido muito saque ? É-se ele pegar o grego na final, que saca muito e tem dado uma sorte danada, não vi seu saque ser quebrado,ele não corre um sério perigo de perder a final ?

    1. José Nilton Dalcim

      O saque dele tem sido o maior problema, sem dúvida, e o Tsitsipas está firme. Mas final é um outro universo, Sandra.

  76. Paulo F.

    Acredito que a semifinal entre Nadal x Djokovic será uma “porcaria”, pois ambos estão “COMBALIDOS”…
    O nobre Luiz Fernando tem razão. Aqui é diversão garantida.

        1. Rodrigo S. Cruz

          Peraí?

          Você falou sério, ou com ironia agora?

          Porque “combalido” é um vocábulo relativamente bem usual…

  77. RODOLFO SILVA MARQUES

    Dalcim, ainda faltam pouco menos de 24 horas, mas você consegue visualizar um favorito para o duelo semifinal entre Nadal e Djokovic?

    Vejo os dois muito próximos em termos físicos e técnicos, mas ainda vejo o Nadal um pouquinho à frente nos planos tático e mental – até mesmo pela sua mística absurda em Roland Garros.

    Parabéns, uma vez mais, pelo blog e pelas análises.

    1. Sérgio Ribeiro

      Consistência aos 19 , se conta nos dedos , caro Júlio. Ainda mais no feminino. No Big 4 + WAWRINKA somente o Touro Miura que atingiu o TOP 2 . Mas a menina são saiu acusando dores na coxa como fazem alguns marmanjos … Abs!

      1. Júlio

        Ain, Rodrigo e Bruno, um escreveu Júlio com acento e o outro sem… ain ain ain, devem ser fakes. Quero ver as palminhas da panelinha kkkkk

  78. Flávio

    Acho que vencer o Nadal em RG é o maior desafio de todos os esportes, porém o único que vejo em condições de fazer isso é o sérvio (fez uma vez).
    Nem o jogador mais habilidoso de tênis que eu já vi (Roger) chegou sequer perto de tal feito.
    Se as devoluções de saque do Djoko entrarem talvez crie uma dúvida na cabeça do Nadal, porque mentalmente ele já entra sabendo que irá vencer, jogando bem ou mal ele tem certeza que irá ganhar no final.
    Pra mim se o sérvio quiser ter alguma chance primeiro precisa entrar na mente do Rafa, caso contrário será um atropelo.

    1. Sérgio Ribeiro

      Em RG o Touro já entrou na mente do Sérvio faz muito , caro Flavio. Então seria o caso dele sair rsrsrs. Abs!

  79. Ricardo Urbano

    Boa noite Dalcim…vc não acha que o Djokovic entra meio sonolento no início dos jogos e que dependendo do adversário isso pode lhe custar caro levando até a uma derrota?

  80. Eduardo

    Dalcim,
    Você de fato nos deixou mal acostumados com seus textos e análises. Não sei se fico mais ansioso pra ver os jogos ou pra ler seus comentários, sejam “ao vivo” comentando as partidas (espero que haja pra esse jogo !) ou após os jogos. Me chamou a atenção a freguesia recente que você pontuou do Djokovic contra o Nadal no saibro. Taticamente falando houve alguma mudança por parte dos jogadores que tenha contribuído para esse histórico recente favorável ao Nadal ? Estou longe de ser um grande entendedor do esporte como alguns participantes aqui do blog, mas reparei foi no Nadal utilizando uma bola mais angulada na cruzada no backhand do Djokovic , pra depois arriscar mais o forehand na paralela, bem como uma bola mais alta (belo balão…) tb no backhand do sérvio, que parece deixar um espaço para ele tentar forçar mais com um 2º golpe, seja um backhand mais forte e cruzado ou mesmo um forehand tb na paralela. Da parte do Djokovic, parece que ele tem tentado mais deixadinhas, que não tem rendido tanto (se eu fosse ele até abandonaria essa tática; Nadal tem velocidade no saibro e muita habilidade ali no jogo de quadradinho). Seria por aí mesmo ?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que é isso mesmo, Eduardo. O backhand do Nadal evoluiu muito desde a chegada do Moyá e no saibro, com mais tempo de preparação, ele ficou cada vez mais sólido tanto na cruzada como na paralela, sem falar que ele sempre dominou bem o slice.

  81. ANTONIO GABRIEL

    Se há um jogador capaz de vencer Nadal em RG, esse jogador é o DJOKO. Claro que sexta Nadal será muito favorito, pelo histórico no torneio e pelos últimos jogos no Saibro, mas também pq acho que o Djoko tem oscilado muito mais que o Nadal nos jogos mais difíceis e também por que o Nadal vai vir com muita vontade de vencer. Mas como cada jogo é um jogo, vamos ver o que vai acontecer….

  82. Willian Rodrigues

    Que desabafo do Djokovic ao final da partida, hein?!!
    Sérvio esteve irado com as manifestações da torcida adversária desde o final do 1º set…
    De algum modo (e que venham as críticas), eu gostei da atitude dele com esses gritos ao final.
    Para se ter uma mínima chance contra o “combalido” (PQP! Rrrsrs…) Nadal em Rolland Garros, Novak terá que jogar a melhor partida do ano e apresentar muita raça! Sangue-nos-olhos será um ingrediente essencial mesmo!
    Ansioso para que Djokovic ao menos garanta o espetáculo e nos presenteie com algo semelhante aos embates de 5 sets que já travaram.
    Saudações

    1. Sérgio Ribeiro

      Jura que você acha esses chiliques sangue nos olhos , Willian ? . Jogou toda a torcida no colo de Nadal. E na hora do jogo contra o Touro vai ficar emburrado com o público e em silêncio toda a partida . Já vi esse filme várias vezes … Abs!

      1. Willian Rodrigues

        Espero que você esteja errado prezado Sérgio! E que o sérvio derrote o Touro novamente.
        Nesse ano Djokovic está chegando com uma aura diferente para o confronto…
        Vexame de vencer apenas 5-6 games não ocorrerá de forma alguma.
        Abs

      2. Willian Rodrigues

        Sérgio, já fiquei na arquibancada próximo a torcedores italianos em uma partida do Fognini.
        Ao menos esse grupo que estava lá na época gritava e xingava demais o adversário!!
        Não sei se eu próprio conseguiria me manter calmo, inerte.

  83. Barocos

    Roland Garros, Nadal, combinação infernal (para uns, genial para outros).

    Acredito que o Nadal vença mais esta, mas se, por alguma intervenção divina (conhecerás a derrota e a derrota lhe motivará – para os próximos torneios), o Djoko triunfar, vou torcer para que o grego seja o outro finalista. O saque do alemão está um tiro e num bom dia é muito, muito difícil superá-lo. Acredito que o Djoko teria mais chances contra o Tsitsipas, ainda que o ache mais habilidoso e completo que o Zverev.

    Saúde e paz.

    1. Sérgio Ribeiro

      Aí e’ que são elas , caro Barocos . Jogadores com Back Simples como Federer e STANIMAL, já bateram o Sérvio em RG . Com o Touro perderam com facilidade. Acho que TSITSIPAS tem poucas chances com Nadal em Paris . Em compensação Zverev está com golpes mais contundentes e sacando uma barbaridade. Desta vez confesso que não sei qual o menos pior rs . Abs!

  84. José Eustáquio Masculino Cruz

    Vou te dizer uma coisa este Nole é um cara ruim, chamou a mulher dele e todo staff e mandou para pqp.coitado é doente.Rafael Nadal vai colocar ele no seu devido lugar pq ele não dá estes pit quando joga com Rafa.Ele sabe que largatixa sabe onde bate a cabeça.Os microfones pegaram tudo mas para não pegar mais mal como Nole pega deixaram para lá.

  85. Paulo Almeida

    Hoje TAMBÉM não, secadores desesperados!!!

    O mundo do tênis vai rever a MAIOR RIVALIDADE do tênis de novo!!!

    Aqui não tem arregão não!!

    DJOKO PAPAI da NEXT GEN!!!

    1. Sérgio Ribeiro

      Entendi . Vai cair pra 20 x 8 ou 21 x 7 pro Touro pra cima do “ goat “ macho alfa kkkkkkkkkkkk. Abs!

  86. Gabriel

    Bela análise, Dalcim! Em %, daria quanto? 60-40 Nadal? Creio que se jogar bem e de forma agressiva, o espanhol não perde o jogo, aposto num 3×1 e numa final com Tsitsipas.

  87. Leo Gavio

    cheirinho de DJokokvic campeão esse ano.

    O saque tá funcionando muito, a quadra esta mais rapida, Nadal está vulneravel, sofreu durante 3 sets contra um anão.

    Ano passado tinha uma mistura de coisas ruins contra DJokovic: a desclassificação no USO, problemas relacinados a pademia, a quadra lenta demais, Nadal jogou um torneio muito melhor do que esse de 2021.

    Djokovic tem uma grande chance de bater o bezerro. Eu diria que pelo histórico Nadal é favorito, mas pelo que está acontecendo no momento, Djokovic 55% Nadal 45%.

    Sentimento é esse, o historico é todo favorável ao Nadal, mas o momento é todo do DJoko. Aquilo que ocorreu no ano passado é totalmente fora da curva.

    1. Jonas

      Torço pro Djoko, mas morro de rir com essas previsões, kkkkkkkkk…

      Bom, espero que dessa vez pelo menos o Djoko entre em quadra, porque pelo que esses dois estão jogando é partida pra 4 ou 5 sets.

      1. Sérgio Ribeiro

        Tem que rir mesmo com o “ sábio “ Leo Gavião chamando o Touro Miura de bezerro . A Kombi unida jamais será vencida , caro Jonas kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Abs!

    2. Willian Rodrigues

      Prezado, eu concordo que um pneu, mesmo sendo no saibro e diante de Nadal, foi algo fora da curva para uma final de grand slam. Até mesmo pelo que Nole apresentara no decorrer do torneio.
      Espero que esse ano seja um jogo mais disputado.
      Pretendo terminar a garrafa de vinho que abrirei sem que ela se torne vinagre!
      HeHeHeHe

    3. Efraim Oliveira

      Como a narrativa mudou em tão pouco tempo, a ponto de vocês colocarem culpa na pandemia….

    4. Regimar Carla Machado

      Leo vejo que você entende muito de tênis e principalmente de saibro. kkkkkk O Djokovic não fez nada no saibro este ano, foi jogar o ATP de Belgrado e custou a ganhar de só perna de pau, total desequilibrado e nervosinho para variar, quebrando várias raquetes. Vergonhoso!!!!!!! Em RG teve uma chave super fácil e quase perdeu para o Musetti, aff. Hoje no jogo com o Berretini chutou a placa e parecia um louco no final do jogo. Desculpa aí, mas ele vai levar “Pirelli” do Rafa. Nem se compara um com o outro!!! Rafa está voando em RG pra variar!!! E muitas vezes temos memória fraca, que ele sempre nos GS tem chave mais fácil, faz paradas insinuando lesão para esfriar o outro quando está perdendo, quebra raquetes, grita com o técnico. Aliás, é um péssimo esportista e exemplo aos jovens. Está longe de ser um esportista como Nadal ou Federer! E longe ser um exemplo e um ídolo para inspirar novas gerações de tenistas!!!

      1. Sandro

        Não fez nada no saibro? A final do Masters 1000 de Roma é nada no saibro???
        Quase perdeu pro Musetti??? Quem ganha sets de 6/1, 6/0 e 4/0 , é quase perder???

    5. Vieira

      É sério isso? Depois de perder 2 sets pra um pirralho de 19 anos e entregar o 3º set pro Berrettini com 5-4 e 2 saques no tie? Nadal é Deus nessa quadra, e da metade do 3º set em diante hoje jogou como tal. O sérvio esteve irregular em toda a temporada de saibro e vive dando chilique

    6. Rodrigo S. Cruz

      Aham.

      Cheirinho de outra previsão FURADA, para se juntar às outras 1000 que você já postou aqui.

      (rs)

Comentários fechados.