Nova geração decide seu finalista
Por José Nilton Dalcim
6 de junho de 2021 às 18:07

Quatro jogadores, entre os 22 e 25 anos, irão decidir quem irá pela primeira vez à final de Roland Garros na parte inferior da chave masculina. Daniil Medvedev, Stefanos Tsitsipas e Alexander Zverev são top 10 e o mais jovem, Alejandro Davidovich Fokina, acaba de chegar ao top 50 e é a boa surpresa. O russo e o grego farão duelo direto que pode ser o primeiro grande momento deste Aberto francês, enquanto o alemão sai com necessário favoritismo diante do sempre elétrico espanhol.

O histórico é amplamente favorável a Medvedev, o que cria um clima ainda mais interessante para o confronto. O russo venceu cinco vezes seguidas entre 2018 e 2019, uma delas no saibro de Monte Carlo em três sets, até que finalmente o grego quebrou o tabu nas rodadas classificatórias do Finals de 2019, que aliás o embalou para a grande conquista. Neste ano, eles voltaram a se cruzar e Medvedev dominou por 6/3, 6/2 e 7/5 na semi do Australian Open.

No entanto, o favoritismo tende a mudar de lado se pensarmos em Roland Garros. Enquanto o russo enfim faz uma campanha digna após sofrer quatro derrotas consecutivas em estreia, Tsitsipas brilhou no ano passado e atingiu a penúltima rodada, barrado somente por Novak Djokovic e lá no quinto set.

Os dois foram muito bem neste domingo, ganhando com sobras e com placares parecidos até mesmo na dificuldade maior do terceiro set. E Medvedev surpreendeu novamente, ao dominar Cristian Garin com uma variação tática inteligente, em que mesclou paralelas fulminantes com deixadinhas inesperadas, muito solto em quadra. Tsitsipas disparou golpes notáveis da base dos dois lados e sufocou Pablo Carreño nos dois primeiro sets. O espanhol reagiu e abriu vantagem depois, mas o grego soube cortar seu ânimo na hora certa.

É lógico acreditar que Zverev fique à espera dessa batalha para conhecer seu adversário da semi e muito provavelmente ele irá torcer pelo russo, contra quem tem 5 a 4 no geral, mas nunca fora do piso duro. Diante do grego, Sascha sofreu cinco derrotas seguidas, incluindo Madri, até enfim ganhar na decisão de Acapulco meses atrás.

Depois do susto da estreia, em que pareceu sonolento por dois sets, Zverev cresceu dia a dia neste Roland Garros. Após pequeno vacilo ao permitir que Kei Nishikori recuperasse quebra nos games iniciais, passou por cima tendo o saque como grande aliado e sábia postura de jogar o máximo possível pertinho da linha.

Alejandro Davidovich merece respeito, obviamente, porém ainda me parece emocionalmente imaturo para os grandes momentos. Tem feito um belo torneio, com golpes de base muito pesados e excelente preparo físico. Até ameaçou Zverev na quadra dura coberta de Colônia no ano passado depois de levar uma surra no US Open pouco antes, onde ganhou meros cinco games. Tenista de 1,83m, Alejandro treina desde os 11 anos com o mesmo técnico e diz que se inspirou em Roger Federer, mas que tenta imitar Novak Djokovic. De forma inesperada, diz que seu piso favorito é a grama, talvez porque tenha vencido o juvenil de Wimbledon em 2017.

O adeus de Federer
Conforme havia aventado na véspera, ainda na entrevista de quadra, Roger Federer considerou que o esforço de 3h38 para vencer o canhoto alemão Dominik Koepfer foi além da sua atual capacidade física e preferiu abandonar Roland Garros nas oitavas de final. Assim, o italiano Matteo Berrettini terá mais dois dias de folga e fica à espera de Novak Djokovic confirmar o favoritismo e o enfrentar na quarta-feira.

No comunicado divulgado, o suíço diz que duas cirurgias no joelho e um ano de reabilitação o forçam a ter precaução, principalmente no saibro, um piso em que o ato de escorregar sempre causou instabilidade na sua rótula e o fez saltar o torneio por três edições seguidas. Antes de chegar a Paris, ele admitiu a dúvida de ir a Roland Garros, mas acabou optando por jogar na busca de ritmo de competição e teste para suas condições técnicas e musculares.

Dessa forma, é muito provável que o jogo deste sábado, encerrado na madrugada e sem público no estádio, tenha sido o último de Federer em Roland Garros, já que cada vez mais o saibro parece um obstáculo insuperável para seu corpo e seu estilo. Ele deve seguir diretamente para a grama alemã, onde será a atração de Halle dentro de oito dias, na busca pela preparação adequada para Wimbledon, o maior objetivo da temporada em suas próprias palavras.

Esta foi a quinta vez em sua longa carreira que Federer desiste no meio de um torneio e a primeira num Slam.

Nova finalista em Paris
As quedas de Serena Williams e Victoria Azarenka já garantem que haverá uma nova finalista de Grand Slam e mantém a sina recente da chave feminina de Roland Garros de apresentar novidades. A única cabeça que restou na parte inferior da chave é a jovem Elena Rybakina, de 21 anos, que se aproveitou de uma caminhada pouco exigente até fazer uma grande exibição sobre Serena Williams neste domingo, em que competiu em força e ousadia com a veteraníssima tricampeã.

Rybakina nunca havia chegado sequer na quarta rodada de um Grand Slam, enquanto a poderosa adversária jogava a de número 64. Faz algum tempo que Serena não intimida mais as adversárias como antigamente, seja porque há muitas meninas batendo pesado na bola hoje em dia ou porque Serena sente dificuldade clara em se deslocar e se defender. Por isso, a cazaque usou de forma inteligente as paralelas e teve um saque bem efetivo para simplificar vários pontos.

Com grande chance de voltar ao top 20, ela enfrentará agora a renascida Anastasia Pavlyuchenkova. Perto dos 30 anos, a russa volta às quartas de Paris exatos dez anos depois do primeiro e único sucesso no saibro parisiense. E com nova atuação empolgante. Após tirar Aryna Sabalenka com ‘pneu’ no terceiro set, virou em cima de Vika Azarenka esbanjando confiança e inteligência tática. Como é interessante ver uma tenista aplicar deixadinhas e ousar na rede mesmo sobre o saibro.

A outra partida de quartas terá a especialista espanhola Paula Badosa contra a eslovena Tamara Zidansek, esta sim uma grande surpresa. As duas têm 23 anos e fazem maior campanha em Slam, mas nunca se cruzaram. Badosa acabou de ganhar Belgrado e foi semi de Madri. Tirou neste domingo a vice de 2019 Marketa Vondrousova com muito mais disposição de arriscar, anotando 30 winners e 30 erros. A eslovena nunca figurou sequer no top 50, tem apenas dois vices de pequenos WTAs no saibro e lutou 3h21 na estreia deste ano em Paris para tirar Bianca Andreescu.

Os últimos quadrifinalistas
– Nadal e Djokovic tentam chegar pela 15ª vez às quartas de Paris, Sinner e Musetti jamais venceram um top 5.
– Djoko busca 49ª presença em quartas de Slam e Nadal, a 44º. Federer é o recordista, com 57.
– Musetti ganhou todos os oito tiebreaks que jogou em torneios de primeira linha, seis deles em 2021. Na rodada anterior, fez seu primeiro jogo de 5 sets. Djoko é recordista de vitórias em 5 sets, com 30, ao lado de Federer.
– Nadal ganhou os cinco sets no saibro contra Sinner, mas quatro deles foram placares apertados.
– Espanhol soma 32 sets seguidos no torneio e mira de novo o recorde de Borg, que foi de 41 entre 1979-81. Nadal chegou a somar 38.
– Sinner disputa 33ª partida de saibro em nível ATP contra 505 de Nadal, que só perdeu 42 até hoje.
– Struff ganhou 11 jogos no saibro este ano, um a mais que Schwartzman, que tenta chegar pela quarta vez nas quartas de Paris e só ficar atrás de Vilas (com 9) entre os argentinos.
– Alemão conseguiu primeira vitória sobre top 10 num Slam na estreia deste ano contra Rublev
– Em duelo muito jovem, Swiatek tem na teoria um jogo fácil para ir às quartas contra Kostyuk, 81ª do ranking que tirou Muguruza na estreia. Nenhuma delas perdeu set ainda..
– Kenin e Sakkari pode ser o grande jogo feminino do dia. Americana ganhou duas vezes, em 2018, e perdeu jogo estranho em janeiro, tudo sempre em 3 sets. O vice do ano passado dá ligeiro favoritismo a Kenin.
– Krejcikova já está nas quartas de duplas e de mistas e agora tenta outra façanha contra Stephens, depois de tirar Alexandrova e Svitolina em notáveis atuações. Jogo é inédito.
– Duelo de estilos entre Gauff e Jabeur, que estão separadas por um posto no ranking (25 a 26). Tunisiana venceu americana de 17 anos pela primeira vez neste ano em Charleston após duas derrotas e tenta repetir quartas da Austrália-2020.


Comentários
  1. Sérgio Ribeiro

    E realmente os garotos tiveram que aguardar a próxima. Mas são grandes talentos apenas questão de tempo. Novak precisou mudar de estratégia, digo Cuecas rs , e pegou o jovem sem gasolina nenhuma no tanque . Nadal a nível de estratégia é genial. Também precisou mudar a defensiva e partiu pra cima de SINNER. Fez um terceiro Set de fazer até estátua tremer como bem disse Saretta rs . A única chance de um deles perder o Título é se matando na Semi. Na outra chave existe garotos mais experientes e já com o físico mais definido. E continua o caminho da fenômeno Iga Swiatek. Nem precisou jogar tudo pra meter outros Sets diretos . Abs!

  2. WILLIAM DE ALMEIDA

    O Djokovic hoje foi muito passivo atuou no modo passador achou que somente no físico iria levar e perdeu os dois primeiros sets. Se ele não elevar seu nível de jogo em uma eventual semi final contra o Nadal, como comentei no post vai ser destruído igual no ano passado.

  3. Chadwick Boseman

    Chetnik, meu caro

    ACHO que você exagerou um pouco nas suas críticas a Federer. Ele NÃO é santo, tem dúzias de defeitos, mas também não me parece ser da forma que você colocou. Sabemos que o esporte favorito de muitos aqui é criticar Djoko, mas deixa pra lá, relaxa.

    De uns tempos pra cá, prefiro focar no esporte (incluindo o feminimo) e naquele para quem que eu torço.

    Saudações Nolistas, muita paz e muita saúde!

  4. Luiz Fernando

    Dalcim, por ordem decrescente de equilíbrio nas quartas masculinas, vc concordaria com: 1) grego vs russo; 2) Nadal vs Dieguito; 3) Djoko vs Berrettini; 4) Zverev vs Fokina?

  5. Luiz Fernando

    Que jogadora esplêndida essa menina Kostyuk, encarar a Iga de qual para igual no saibro não é tarefa fácil p ninguém, esses primeiros 5 games da partida estão ótimos. 18 vs 20 anos de idade, creio q veremos muitas conquistas de ambas nos anos vindouros…

  6. Luiz Fernando

    Acho q o Moratoglou esta frequentando blog de forma incógnita e esta sendo influenciado pelo Ronildo kkk. Que afirmação obvia, claro um jogador de 35 aninhos não pode estar com sua vantagem sobre os demais aumentando, só pode estar se reduzindo, é a lei natural da vida…

  7. Ruy Machado

    Dalcim, boa tarde! Consegui ver quase que todo o jogo do Nadal. Sem querer parecer exigente (até por que meteu um pneu no 3° Set), mas o espanhol tem errado acima do normal… Poderia ter simplificado o trabalho para, talvez, 6/3 6/1 e 6/0. Aproveitamento abaixo de 60% no primeiro serviço e 30 ENFs em jogo de 3 Sets. Tá certo que quando o Espanhol era quebrado, ele corria para tirar a diferença e acertava os pontos importantes. Mas fica perigoso quando se enfrenta alguém com um mental e tênis mais forte. Estaria ele testando a calibragem dos golpes em momentos que se sentia confortável para tal tarefa, tendo em vista a vantagem no jogo? O que acha? Abc

  8. Júlio

    E Djoko bateu mais um recorde: se tornou o tenista com mais vitórias em partidas de cinco sets em Grand Slam, chegando ao 31º triunfo e deixando para trás o suíço Roger Federer com 30.

    1. Luis

      Djoko deve ter batido vários outros recordes também: foi o jogador que mais mancou durante durante os jogos, o que mais foi ao banheiro quando estava perdendo, o que mais quebrou raquetes, o que mais bateu a bola no chão antes de sacar, o que mais se recuperou depois de parecer que estava sem forças para continuar, etc.. Uma lista longa de achievements do Sérvio

  9. Luiz Fernando

    Rafa venceu 3 sets, com pneu no terceiro. Pelo q acompanhei era pra ser pneu também no segundo, mas ele bobeou. Hoje de fato oscilou, e parece q muito, mas se safou bem (rimou kkk); num hipotético jg contra o sérvio acho q não terá essa sorte. Vamos pras quartas!!!

  10. Willian Rodrigues

    Ainda em tempo, Jannik Sinner me desapontou um pouco hoje ao ser quebrado de zero quando sacava para fechar o 1º set.
    Tive a sensação de que, a partir daquele momento, ele desmoronou mentalmente. Não teve mais qualquer chance diante do experiente Nadal.
    Além de aumentar o repertório (creio que tenha talento suficiente para ser lapidado), o tempo o ajudará a se equilibrar melhor nesse momentos decisivos.
    Ainda acredito que estreará no top ten até o início de 2022.

  11. Efraim Oliveira

    Será que Nadal tem meter um triciclo no adversário pra redação do tênis Brasil dizer que ele brilhou? Ou ele tem que colocar o sol na cabeça?

    1. Sérgio Ribeiro

      Na boa, caro Efraim . Vocês lá do face TênisBrasil conseguem incrivelmente serem mais fanáticos que a Turminha da Kombi e seu Piloto de outra galáxia rs . O próprio Nadal na conferência disse que precisou mudar de estratégia. E somente brilhou no terceiro Set . Começou muito defensivo e deu chances a SINNER. Vocês conseguiram se irritar até com a matéria que lembra que o Espanhol ainda está atrás de BORG em Sets consecutivos vencidos em RG ( 6 ) . Portanto vai precisar bater Novak em Sets diretos. Menos , parceiro. Abs!

  12. Paulo F.

    Não pude acompanhar bem os jogos hoje, me relatem:
    – Houve “naufrágio psicológico” do Sinner depois dele ter desperdiçado a vitória no primeiro set?

  13. Willian Rodrigues

    Refletindo sobre a afirmação de Moratoglou, até concordo que, de 2019 pra cá, Nadal esteja “menos imbatível” na temporada de saibro. Perdeu alguns torneios e tals… Mas, quando chega Roland Garros, com partidas para melhor resultado em 5 sets, parece-me que o espanhol se transforma. Creio que Djokovic tenha errado demais na estratégia de jogo na final de 2020. Durante o 3º set, ao abandonar a tática de realizar 157 drop-shots a cada game, e alongar mais as trocas de bolas a partir da linha de base, equilibrou as ações e teve suas chances de vencer ao menos aquele set.
    Vejamos como o sérvio se comportará nesse ano… Parece-me mais confiante e melhor preparado fisicamente. Quem sabe?

  14. F.R.

    Bem que o Dalcim escreveu que o Musetti vai bem nos tiebreaks: ganhou todos os oito tiebreaks que jogou em torneios de primeira linha, seis deles em 2021 e dois hoje contra o djoko

    1. Luis

      Para mim o mais impressionante no jogo do Musetti foi ter ganhado 2 tie breaks seguidos do Nole, isso deve ser algum tipo de recorde

  15. WILLIAM DE ALMEIDA

    Eu retiro que disse, caso Djokovic jogar assim contra o espanhol nas quartas de final será destruído.

  16. Paulo F.

    Xinguei o Sinner anteriormente, vou reconsiderar:
    – Aguentar o ritmo de Nadal e Djokovic são para pouquíssimos.

  17. Miguel BsB

    Essa vai pro Maurício Luís:
    Maurício, sigo o seu querido Rafael Nadal no Facebook, e vi que hoje, sei lá, 2 anos dps do casamento, ele atualizou o status dele lá para casado…
    O que teria acontecido?
    A) A patroa mandou o camarada atualizar a porcaria do Facebook?
    B) A sogra dele mandou atualizar a porcaria do Facebook, pois ele é um homem casado e deve respeitar a filha dela, moça de família?
    C) As 2 opções
    D) Ele esqueceu de atualizar pois só pensa nos recordes de Slam?
    E) Nenhuma das opções

  18. Dário

    Dalcim,

    O Nadal está sacando muito lento no torneio. Pode ser um complicador para os jogos mais pesados com bons rebatedores como Schwartzmann, Djoko ou uma final contra, Zverev ou Tsitsipas, que são bons rebatedores?

  19. Luis

    Musatti jogou muito, belíssimo tenis, não me lembro de ninguém ganhando 2 tiebreaks do djoko, em de virada e o oitro abrindo 5×1. Parabéns para o menino que foi parado pela experiência do servio

  20. Willian Rodrigues

    Eu havia assistido a três partidas do Lorenzo Musetti em suas primeiras participações em torneios nível ATP.
    Eu já achei extraordinário e alguns julgaram que se tratava de precipitação da minha parte, que talvez eu estivesse caindo no “canto da sereia”.
    Pois vou dizer o seguinte: pensando em habilidade e recursos técnicos ele é até melhor que o compatriota Sinner.
    Considero uma infelicidade a contusão que ele parece ter sofrido no decorrer da partida. Talvez Djokovic não conseguisse essa virada se o físico do garoto tivesse suportado bem…

    E agora prezados?? Pensando em todo esse desgaste físico e emocional que o sérvio sofreu hoje, o fato de Berretini estar completamente descansado terá ou não alguma influencia no resultado das quartas??

    1. Barocos

      Willian,

      Depois de assistir o Djokovic ganhar AUS Open tendo sofrido uma lesão no abdômen e ainda assim disputar alguns jogos com a cintura enfaixada, eu diria que não, não vai fazer diferença.

      Saúde e paz.

    2. Luiz Fabriciano

      Acho que ele está mais forte agora.
      Impressionante o quanto ele entrou travado, especialmente no primeiro set. O jogo estava lento.
      Nem parecia o cara experiente do jogo. Estava nervoso.

    3. Enoque

      Segundo eu vi aqui, o Berretine não acrescenta nem 1%, na estimativa de ganhar do Djoko, ou seja, não são pessoas e sim máquinas. É só reprogramar que volta como novo.

    4. DANILO AFONSO

      Depois do desgaste que teve em Roma (5h) e depois afirmar que não sentiu cansaço contra o Nadal na final, não será hoje (3h30 de jogo) e com 2 dias de descanso que irá prejudicá-lo. No campo emocional alguns tenistas sentiriam desgaste emocional na mesma situação, já o sérvio enxerga tal dificuldade como aprendizado e algo positivo para sair mais fortalecido e confiante para o próximo embate.

      Outro detalhe: não sei se é o caso do Berretini, mas as vezes ficar uma rodada sem jogar pode não ser interessante para quem estava embalado.

      1. Willian Rodrigues

        Tomara que vocês estejam certos!
        Na torcida por um grande jogo contra Nadal.
        Espero que ambos cheguem inteiros à semifinal.

    1. Barocos

      Jonas,

      Pois é, muitos ENFs no 1° set (20) e muitos também no 2° (15). Depois dos gritos no vestiário, voltou a ser o tenista que estamos acostumados a ver. Como você pontuou, se isto se repetir contra o Nadal, o sérvio vai poder passear com a família mais cedo.

      O Musetti é muito habilidoso, mas não gostei do 1° set de nenhum dos 2 jogadores, o 2° teve um nível técnico um pouco melhor. De qualquer maneira pudemos presenciar algumas boas jogadas.

      Saúde e paz.

  21. Barocos

    Não sei quantos decibéis os gritos do sérvio no vestiário alcançaram, mas funcionou! (Espero que ele não tenha que pagar indenização para ninguém por lesão auditiva)

    Ajde, Nole!

    Saúde e paz.

    1. Rodrigo S. Cruz

      Pior que “Ajde-aram” mesmo o sérvio.

      O cara deve ter pacto com o Coisa ruim.

      Só pode, Barocos.

      kkkkk

  22. Paulo Almeida

    Hoje não, sofredores!!!!

    GOAT é GOAT e mostra quem é que manda!!!

    O franguinho vai ter pesadelos com o monstro sérvio, hahaha!!!!

    1. Sandro

      Musetti estava com cara de medo, de choro, apavorado, não sabia mais o que fazer…
      Muito prazer Musetti, esse é o Novak Djokovic!!!

  23. Sérgio Ribeiro

    Com os mesmos 19 aninhos de Federer contra Sampras em Wimbledon 2001 , Musetti no entanto não conseguiu concretizar contra o preparado pra ser o Campeão, Novak Djokovic. Este Italiano sem medo de errar , possui o melhor Backhand de uma mão desde Roger Federer. Já terá a partir de hoje a minha preferência acima de qualquer outro da Nova geração. Estamos diante de um futuro N 1 do Mundo. A conferir. Abs!

    1. Marcilio Aguiar

      Sergio, penso igual e torço para que o italiano evolua para o que promete ser. Com e ele e o grego eu terei tenistas com estilo de jogo que não me cansarão de assistir por mais de 4 horas.

    2. Luiz Fernando

      Se hoje alguém puser uma manchete de q Nadal oscilou assinarei embaixo. Abrir 40 e permitir quebras seguidas alongando o set é de doer. Nesse RG Rafa não está no seu melhor. Pelo menos está 20 e aí em RG é dificil qualquer surpresa. Se confirmar a vitoria vai ter q encarar esse baixinho que sempre apronta contra ele…

    3. Chetnik

      Se o padrão de comparação do BH é o do desaposentado, então já começa mal kkkkk.

      Mais um fogo de palha.

  24. Rodrigo S. Cruz

    Que coisa mais esquisita e bizarra esse jogo.

    Tô sem áudio no meu computador, por isso não entendi.

    Foi algum problema físico?

    Porque depois de ganhar dois tie-breaks, o italiano foi abduzido e botaram um clone para jogar no lugar dele.

    E ele passou de tenista á BOLEIRO, pois não conseguiu ganhar mais um ponto sequer.

    A coisa ficou tão constrangedora que ele conseguiu perder um ponto até depois de uma escorregada do Djoko…

    1. DANILO AFONSO

      Caramba pensei a mesma coisa no fim do 3º set. Parece que colocaram um irmão gêmeo que não joga tênis depois que os dois tenistas voltaram do vestiário. Não foi apenas a questão física, o menino simplesmente travou, ficou com tanto medo de levar a virada que houve um bloqueio mental. Já vi ao longo deste anos vários jogadores aparentemente mais lesionados que o italiano que conseguiam criam mais dificuldade ao adversário.
      Acho que nunca vi nada igual ao que ocorreu hoje.

      Esse lance do Djokovic fazendo ponto inclusive após cair foi bizarro…kkkk

    2. Sandro

      Esqueceu que quem estava do outro lado era o Djokovic???
      Precisa alguma outra explicação para o Musetti ter entrado em PÂNICO? Viu a cara de choro do Musetti?

  25. André Barcellos

    Estou acompanhando o jogo do Djokovic agora, que vai perdendo de 2 a 0 do garoto com nome de sanfona.
    Não duvido que o sérvio vire. Mas é impressionante como se ele pega alguém que jogue um pouquinho fora da caixinha já se enrola todo.
    Prevejo muitos gritos e ranger de dentes.
    A não ser que o físico do menino pife, o que é bem provável com 19 anos. Nessa idade os tenistas em geral não tem tanta resistência.

    1. Luis

      Uma dúvida: o Federer joga dentro ou fora da caixinha, então? Cuidado com a resposta.

      Pelo amor de Deus, melhorem seus argumentos. Falem logo que o Djoko é feio e bobo que fica melhor.

  26. Rubens Leme

    Passei apenas para dizer que hoje se celebram 40 anos do último Slam de Bjorn Borg, justamente em Roland Garros, quando conquistou seu sexto título em Paris, sobre a então jovem promessa, o tcheco Ivan Lendl, por 3×2: 6–1, 4–6, 6–2, 3–6, 6–1.

    Borg, que havia completado 25 anos um dia antes – 6 de junho -, se tornaria então o mais jovem a conquistar 11 Grand Slams, marca até hoje insuperável, mostrando que ele sempre foi e sempre será o Rei dos Reis, o maior de todos, o pai de toda a revolução que o tênis desfruta atualmente.

    Muitos tentaram se aproximar, mas nunca, ninguém, em tempo algum, chegará perto de Bjorn Rune Borg. Alguns de seus números podem ser modestos atualmente, mas a majestade continua suprema.

    Longa vida ao Rei dos Reis!

    1. Sérgio Ribeiro

      Quase chorei agora . Realmente como Pop Star ninguém vai supera-lo . Nos fundamentos o Big 3 já o superou . Óbvio que a meu ver mesmo o Sueco tendo sido um grande ídolo de uma geração. Abs!

    2. Marcilio Aguiar

      Leme, valeu a lembrança. Mesmo sem deter nenhum record ainda é considerado um dos maiores de todos os tempos. Tem uma façanha que dificilmente será igualada. Em 8 temporadas ganhou um penta consecutivo em WB e 6 RG, com a diferença brutal que era mudar da terra para a grama naquela época.

      O Leo Borg esta na segunda rodada deste RG. “A conferir”.
      Abc.

      1. Rubens Leme

        Depois que envelheci, revi alguns conceitos. Por exemplo: hoje adoro ver o Ivan Lendl nos youtubes da vida, ao passo que detestava quando ele era rival de Borg, McEnroe, Connors etc.

        Ele passou por mudanças admiráveis em poucos anos: Em 1981, na final em que perdeu para Borg em Roland Garros (https://www.youtube.com/watch?v=HGBR04bqago): era apenas um promissor tenista tcheco, de 21 anos, cabelo comprido, mas já mostrava todo o potencial que fez o sueco prever que seria seu herdeiro e futuro número 1, em poucos anos .

        Corte para três anos, na mesma Paris (1984), onde conquistou o primeiro Slam de sua carreira, ao sair de 0x2 para 3×2, contra o número 1 do mundo, John McEnroe (https://www.youtube.com/watch?v=xNtEPsnqrqk): com cabelo curto, um físico muito mais apurado e aquele ar robótico semelhante ao de Arnold Schwarzenegger, em O Exterminador do Futuro.

        Seu jogo de pernas havia evoluído incrivelmente, seus saques e suas devoluções idem, com direitos a vários winners em cima do venenoso saque de Big Mac. Sem falar na consistência do fundo de quadra e no deslocamento lateral. Era um outro tenista (https://www.youtube.com/watch?v=xNtEPsnqrqk).

        E também começava o show de estampas e desenhos exclusivos em suas camisas Adidas, inusitados para um tenista que era considerado (até por mim, confesso) “sem carisma” (https://www.etsy.com/sg-en/listing/755299764/vintage-80s90s-adidas-ivan-lendl-tennis). Eram um show à parte.

        O tenista que eu “adorava ver perder” hoje me faz torcer por ele em vários e finais que revejo de madrugada (contra Boris Becker, Stefan Edberg, Pete Sampras, John McEnroe etc), quando a nostalgia bate pesado. E como ela bate neste Brasil miserável e desesperançado de 2021…

        1. Marcilio Aguiar

          Leme eu também não era muito fã do Ivan ‘o terrível”, mas reconheço que era um tremendo tenista. Tinha aquele ar impassível, parecendo um robot e as suas camisetas adidas coloridas eram bem contrastantes com essa imagem. Acho que foi com ele que o Murray teve seus melhores resultados em WB e USO.

          Já a Martina era carismática, a minha tenista predileta.

          Quanto à nostalgia, é um sentimento que me acompanha em relação à música, ao cinema e a alguns esportes que já apreciei mais (futebol, basquete e F1). Somente não sinto isso em relação ao tênis, porque o de hoje me agrada tanto quanto o de antes.

          É bom te-lo de volta, ainda que esporadicamente. Abc

    3. Marcelo Costa

      Sou um adepto do saque voleio, esses caras eram mágicos, e sueco atravessa o canal da mancha e voltava pra casa com dois troféus na terra e na grama.
      Meu primeiro contato com uma raquete, foi em uma de madeira, e falo por experiência que jogar com aquele equipamento é pra gênios.
      Mais fácil achar um político honesto por aqui, que um tenista que saca e voleia.

    1. Paulo F.

      Federer e Nadal também foram ao fim dos segundos sets de seus respectivos últimos jogos.
      Vai lá tu e vê se tua bexiga aguenta, ainda mais depois de dois tie-breaks.

      1. Luiz Fabriciano

        Chega à ser impressionante o quanto querem que as regras sejam individuais.
        Cada jogador tem que ter uma diferente do outro.

      2. Sérgio Ribeiro

        Errado : O migué da vez foi pra trocar de … Cuecas . O macho alfa disse que nem usou os balneários kkkkkkkkk. Abs!

  27. Rafael Azevedo

    Algumas pessoas comentaram aqui que o Federer fez certo em abandonar, pois não valeria a pena se desgastar para perder do Djokovic.
    Olha, se essa foi a razão do abandono, creio eu que foi uma atitude muito errada.
    Imagina se todos os tenistas resolvem abandonar o torneio diante de uma partida com poucas chances de vitória, só para se preservar para o próximo torneio…Nadal e Djokovic venceriam todas as partidas de w.o. até se enfrentarem (ou enfrentarem algum top 10).
    Mas, em se tratando do Federer eu dou um desconto. Ele fez muito pelo esporte e só está tentando ter uma aposentadoria digna. Wimbledon é o foco para isso. Nesse momento da carreira, ele temo direito de fazer isso. É um “adeus” de um dos maiores (se não, o maior) do desporto. Deixa ele planejar esse momento às sua maneira.
    De toda forma, eu realmente acredito (ou quero acreditar, rs) que o motivo da desistência foi uma lesão ou o risco de…

  28. Miguel BsB

    Como joga tênis esse Mussetti! Talentosíssimo! E ta encarando o Djokovic sem sentir até o momento.
    Esse tem futuro!
    A Squadra italiana vai longe nos próximos anos!

    1. Rodrigo S. Cruz

      Parece ser um jogador que tem futuro no saibro.

      Mas a menos que o problema dele tenha sido físico, parece que tem um mental de GELEIA!

      Simplesmente sumiu do jogo, depois do segundo set…

      1. Miguel BsB

        Nem todo mundo é Guga, Rodrigo, pra vencer ex campeões e ser campeão, praticamente no seu primeiro Slam…
        Ainda não tenho informações, mas imagino que ele deva ter sentido algo físico, porque jogou demais os 2 primeiros sets, depois, definhou…
        Mas, se fez isso jogando seu primeiro Slam, mesmo que o mental tenha pifado desta maneira, vai servir de aprendizado pro futuro próximo.
        19 anos, primeiro grand slam.
        Tênis ele tem.

      2. Sérgio Ribeiro

        Tá de brincadeira , Rodrigo. Obviamente que foi físico. E sem essa de jogador de Saibro. Vou printar esse comentário pois o garoto possui um arsenal completo rsrsrs. Abs!

    2. Sandro

      “Sem sentir até o momento…”, mas o cara mostrou que é FRAQUÍSSIMO MENTALMENTE porque Musetti entrou em PÂNICO a partir do terceiro set!

  29. Rafael Azevedo

    Muita gente discutindo o efeito da desistência do Federer no jogo Djokovic x Berretini…
    Mas, calma lá. Primeiro, o sérvio precisa vencer o Musetti…
    Até agora, está dificÍlima a partida.

  30. Gildokson

    Sem querer ser maldoso com a ala nolista, mas já sendo… kkkkkk
    Esse abandono do Federer em vez de ser tão criticado por alguns, deveria estar sendo elogiado graças as boas lembranças proporcionadas pela situação. Afinal em 2016 Nadal fez a mesma coisa, e convenhamos se não fosse esse abandono Djokovic era virgem de RG até hoje kkkkkkkkkk
    É ou não é Paulo Almeida?!
    Abs!!! kkkkkkkkkkkkkk

    1. Chetnik

      Ajudou mesmo. O Djoko dominava o Nadal na época, mas o Nadal em RG a gente tem sempre que respeitar…já o desaposentado, a gente nem considera.

      Comparação sem nenhum nexo.

      1. Gildokson

        Calma garotinho kkkkk foi só uma piada mal feita, nada demais kkkkk
        Ou será que o pouco de verdade que tem na piada te incomodou? Pq é um FATO. Djokovic até hoje só ganhou RG quando Nadal saiu (sem ser derrotado, muito diferente de 2009 antes que tu venha com essa ladainha) e abriu o caminho para o virgem de RG na época.

      2. Sérgio Ribeiro

        Outra besteira. O desaposentado possui as mesmas 5 FINAIS em RG e somente perdeu para Rei . O “ goat “ conseguiu perder para WAWRINKA rs numa das suas . Empatam em 1 x 1 em Paris e 4 x 4 no geral na superfície. És um recalcado de primeiríssima categoria rs … Abs!

    2. Paulo Almeida

      Eu critiquei justamente porque queria DjokoGOAT metendo 12×6 em Slam no sparrão, Gildokson.

      Não, aquele Nadal de 2016 era ganhável. Agradeça ao Soderling por ter eliminado um Nadal avariado em 2009, isso sim, kkkkkkk.

      Monte Carlo e Roma: NUNCA SERÃO!!

    3. Enoque

      Vc coloca aí que o Djoko foi beneficiado por uma situação semelhante em RG 2016, ou seja, estes detalhes fazem diferença, sim. É justamente este o ponto que a maioria concorda. Nesta altura do campeonato uma partida a mais pode desgastar e até levar a problemas físicos, como bolha na mão, ou dores muscular.

  31. Barocos

    Jogo é jogado e lambari é pescado, Djokovic vai ter que elevar o nível se quiser ter chance. Tem cometido muitos erros até aqui.

    Ajde, Djokovic!

  32. Rafael Azevedo

    Assistindo, agora, a partida entre Djokovic e Musetti.
    Estou abismado…como joga esse italiano!

  33. Efraim Oliveira

    Opa! Finalmente temos um jogo descente! Ainda aposto na vitória de Novak, é claro. Esse Musetti joga com inteligência, que é o que falta pra muitos que enfrentam o big 3. Além do mais ele apresenta variação no jogo. Os slices estão apavorando Novak.

  34. Paulo F.

    Se alguém me passar as matérias (ou os links) de que o Federer reclamava que o Djokovic desistia durante os torneios, eu agradeço.

    1. André Barcellos

      Isso NÃO aconteceu.
      O que acontecia era Roddick reclamar das desculpas que Djokovic dava pra abandonar ou quando perdia.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Se fosse só o Roddick tava ótimo.

        Um monte de gente já reclamou disso.

        O sérvio é useiro e vezeiro dessa prática…

      1. Sérgio Ribeiro

        Bota agora as de Andy Roddick. E tome um remédio pois de macho alfa Novak não tem nada . Largou várias se enrolando todo pra justificar. Essa de Federer é muito mais amenas que as do Norte-americano. Abs!

    2. Paulo F.

      Quando o Djokovic desistia no meio dos torneios ele podia ser criticado.
      Quando o Federer desiste no meio dos torneios, o Federer não pode ser criticado.
      “Adoro” esse dois pesos, duas medidas…

  35. Efraim Oliveira

    Acho que a Gauff vai ser uma das grandes estrelas do tênis, ainda mais nas quadras rápidas. No saibro acho que a Iga dominará. A Osaka é a grande estrela no momento mas acho que falta mais conquistas pra ela consolidar isso, e agora tá sofrendo com a parte mental. Cheguei a achar que a Sloane fosse ser um grande nome mas ela teve uma queda vertiginosa, é incrível como ela desperdiça as vantagens que tem no placar, parece que trava o lado mental.

  36. Cris

    Mestre me tira uma dúvida sobre a questão Medvedev e saibro. Eu realmente não entendia porque ele não tinha resultados bons no piso. Por mais que dois aspectos do jogo dele não são favorecidos pelo saibro (ganhar muitos pontos com o primeiro saque, seja ace, bola que não volta ou ganhar na segunda bola) e o fato de bater mais chapado, vejo várias qualidades no jogo dele que se encaixam perfeitamente para o jogo na terra:
    1) sabe se defender muito bem, com uma impressionante velocidade para quem tem quase dois metros
    2) é muito inteligente taticamente, sabe ler muito bem o jogo
    3) embora não use muito o slice sabe variar muito as batidas que dá, ora sem peso, ora acelerando, o que permite construir os pontos a longo prazo com essas variações
    4) além de ser muito consistente, pode trocar trocentas bolas sem errar

    Tudo bem que isso não faz dele o rei do saibro, mas não tinha motivo lógico pra ele ir tão mau em Roland Garros

    Parece que a relação entre o russo e o saibro era mais um azedume e questão mental do Russo do que uma questão de problema no jogo dele, concorda mestre? Pelo menos é o que esse ano está parecendo ser.

    Grande abraço e parabéns pelo trabalho!

    1. José Nilton Dalcim

      Concordo plenamente com você, Cris. Eu mesmo havia escrito outro dia não entender o motivo de Medvedev não se dar bem no saibro, ainda é claro que ele nunca seria um grande favorito no piso.

      1. Cris

        Se o Dalcim concorda com minha análise então já posso me candidatar a ser comentarista de tênis em algum canal…hahaha!

        Vale mestre pela resposta! Abs

  37. Luiz Fernando

    Segunda semana esvaziada em RG, afinal 3 notórios especialistas (Andujar, Delbonis e Garin) foram eliminados na primeira…

    Ontem observei algo q não entendi: outro dia tive um comentário editado, no qual eu postei “os bobos de sempre” e foi alterado p os “caras de sempre”, o q aceitei numa boa, afinal não tinha me dirigido especificamente a este ou aquele. Aí ontem o educadíssimo Bruno chama o Chetnik de “babaca” e é liberado sem nenhuma edição, sinceramente fico sem entender os critérios de moderação em alguns momentos…

    1. José Nilton Dalcim

      Quem decide os critérios sou eu, Luiz, simples assim. Cansado de ouvir discussões sobre isso. Eu decido e ponto final, ok? Estamos entendidos? Se vocês não ficassem eternamente se provocando de forma desnecessária e discutissem mais o tênis, tudo ficaria muito mais fácil.

        1. José Nilton Dalcim

          Não posso ficar toda hora justificando o que libero, Luiz. A postagem em questão foi ofensiva ao tenista e portanto considerei que uma resposta mais dura era cabível. Não houve uma provocação inicial, mas uma reação a uma abordagem agressiva, como já aconteceu outras vezes.

        1. Luiz Fernando

          Olha quem fala, vc deve usar chupeta até hoje pra postar com esses vários nicks. Veja se aproveita sua própria resposta e cresce um pouco…

    2. Miguel BsB

      Na boa Luiz, tá na hora de vcs darem um sossego pro Dalcim…
      Imagina o quanto ele não ta trabalhando na cobertura deste Slam, lê, responde e interage com todos nós, e ainda tem que ficar editando provocações, xingamentos etc de um monte de marmanjo.
      Nada pessoal, aproveitei o gancho aqui, mas serve pra muitos colegas do blog.

      1. Luiz Fernando

        Estou de pleno acordo, mas as liberações e vetos devem ser uniformes, mas como expus acima o Dalcim dá a palavra final.

  38. Thiagoo

    O medo existe até mesmo nos melhores jogadores!!! ao ver Djoko e Nadal no mesmo lado da chave e a chance de ser humilhado por estes, causou esse abandono de RF…Duvido que se a chave abrisse sem os 2 concorrentes, ele abandonaria….E querem o pintar de melhor da história…nunca será (mas, vcs ainda não estão preparados para essa conversa)… enfim…seguimos, o torneio só perderia o brilho se o Nadal desistisse, afinal, ali ele é o patrão.

    1. Sérgio Ribeiro

      Leia o Tweet de Andy Murray para Federer e as declarações de Mats Wilander, atletas de gerações diferentes, ambos reverenciando o Craque Suíço. Daí você vai observar o tamanho das bobagens que postam aqueles jamais pisaram numa quadra de Tênis. Abs!

    1. Sérgio Ribeiro

      Na boa , Jose’ . Tu achas mesmo que depois de 1242 partidas ele precisa mesmo ? rsrsrs . Abs!

  39. Rodrigo S. Cruz

    Bruno,

    vai vendo aí a outra mancada incrível que eu acabei de pegar do fakezinho desocupado:

    ele diz que não é fake, né?

    Mas parece que NEM o nome dele ele sabe assinar.

    Hahahahaha

    Em vários postagens aparece Julio (sem acento) e por último escreveu: Júlio (com acento)

    O Luiz Fernando tem razão.

    Não ganhamos um centavo para postar aqui, mas é mesmo diversão garantida…

      1. Rodrigo S. Cruz

        Pergunta que não quer calar, Brunão:

        depois de ser desmascarado de forma tão constrangedora, com que próximo nome ele vai aparecer de novo?

        Darei a minha sugestão pessoal:

        que tal MURILO BENÍCIO, em homenagem á novela ” O clone” ?

        kkkkkk

  40. Fabio Junior Gonçalves de Araújo

    Boa noite Dalcim.
    Que domingo triste o meu ?. F1, Hamilton deu uma bobeada feia e lá se foi a corrida. Em seguida vi que o Federer desistiu de continuar no torneio ?. Tomara que ele fez a coisa certa. Dalcim acaso o Federer for bem em Halle, até seja campeão lá. Suas chances a Wimbledon aumentam né? Claro se pegar uma chave boa. Ah e a noite o que deu um ânimo foi o parmeira ganhar no Brasileirão. Abraço.

    1. José Nilton Dalcim

      Claro que ganhar um torneio como Halle ajudaria muito na confiança, Fábio. Mas acho que antes até da vitória ele deve estar preocupado em se adaptar bem ao piso, soltar seus golpes e não sentir problemas físicos ou dor no joelho. Wimbledon é um torneio bem desgastante.

  41. Rodrigo S. Cruz

    Esse abandono do Federer já estava mais do que anunciado.

    Desde que ele veio com aquele papo de: ” eu sei que não vou ganhar o torneio, etc”.

    Nesse instante eu já sabia que ele já estava de malas prontas para a Inglaterra…

    Para ser sincero eu não gostei, não era o que eu queria.

    Mas eu entendo que ele voltou de 1 ano e meio parado, e que o nível atual dele está bem baixo.

    Para quê então se sacrificar, sabendo que o favoritismo do sérvio era patente?

    O provável era que o sérvio ganhasse, com relativa tranquilidade, e ainda o suíço se desgastasse…

    Portanto, foi um atitude madura e racional.

    Eu lamento porque o meu sonho era ver o Federer brilhando no saibro também.

    Aliás, a saída dele de qualquer torneio empobrece a competição…

  42. Antônio gabriel

    Certamente a lógica impôs a RF a ideia de não seguir em frente em Rg, até pq difícilmente ganharia de Djoko e Nadal seguidamente no saibro, e para evitar desgaste desnecessário seria melhor desistir, até pq agora será lembrado certamente, por ser provavelmente sua última aparição em RG, por uma vitória na despedida, ainda que WO seja derrota. Eu seria capaz de apostar que um título de GS, principalmente em Wimbledon, levaria ao anúncio da apaosentadoria de RF.

  43. Aurélio de Macedo Coimbra

    Olá boa noite e parabéns pelos comentários tão ricos de detalhes e explicações
    Gosto muito de estatísticas e sempre fico esperando por suas informações muito interessantes sobre a história
    Só queria fazer um comentário sobre a possibilidade de um tricampeonato inédito na era moderna em duplas masculinas pelo alemão Kevin Krawietz em Roland Garros (só Roy Emerson conseguiu um hexa, mas ainda era na fase amadora)
    Claro que ainda faltam jogos difíceis pela frente, mas é uma possibilidade bem impressionante vindo de um jogador pouco conhecido
    Um forte abraço

  44. Luiz Henrique

    Falando em previsões, querem ver uma previsão muito boa de muito tempo atrás?

    Borg vê Nadal vencendo mais sete Roland Garros
    Terça, 12 de junho 2012 às 10:08:35 AMT
    Link Curto:

    O sétimo título em Roland Garros de Rafael Nadal o tornou o maior vencedor do torneio em todos os tempos, a frente do lendário Bjorn Borg, que venceu seis títulos entre 1974 e 1981. Nadal já venceu os quatro torneio do Grand Slam, coisa que o sueco não alcançou, pois não conquistou o US Open.

    Entretanto Borg tem o mesmo número de títulos de Grand Slam que Nadal 11 no total. O sueco é dono de cinco títulos consecutivos em Wimblebon, entre 1976 e 1980, Nadal por sua vez tem dois títulos na grama do All England Club.

    Em entrevista recente ao jornalista Albert Delmás do diário AS da Espanha, Borg afirmou: ” Os recordes que Nadal consegue serão praticamente impossíveis de ser alcançados, o vejo vencendo outros sete títulos em Roland Garros, é jovem para isto, se mantiver-se saudável e conservada suas motivações e metalidade”. “Jogou fantasticamente as duas semanas”, completou.

    Os dois maiores vencedores da terra parisiense fazem aniversário durante o torneio, Nadal que é de 3/6/1986 e Borg de 6/6/1956, talvez daí venha a maior sincronia com o torneio, dizem os supersticiosos . Borg disputou sua última final de Grand Slam no US Open de 1981, onde perdeu paraJohn McEnroe, que também o venceu na final de Wimbledon do mesmo ano. Ali, aos 25 anos, se dspediu do tênis o IceBorg: “Minha cabeça não estava mais no tênis”, se recorda.

  45. Carolina

    Tem duas reportagens no site da ATP comentando sobre a colaboração entre o Davidovich Fokina e o ex-campeão mundial de maratona Martin Fiz. Parece que o Fiz faz parte da equipe do Davidovich Fokina desde o final do ano passado e tem ajudado o jogador a se preparar mentalmente (e também fisicamente) para administrar essas partidas longas. Quem sabe essa abordagem é um dos fatores responsáveis pelo sucesso recente do Davidovich Fokina.

    Desconsiderando os aspectos mentais do jogo, eu tenho a impressão que, no momento, o Zverev é um jogador melhor e também mais experiente. Mas o Davidovich Fokina parece estar em um bom caminho.

  46. Ronildo

    Também acho que o perdedor de uma partida deveria herdar a vaga de alguém que desiste. Muitas vezes se perde uma partida por um mínimo detalhe e se houvesse esta regra a 20, 30, 40 anos, haveria muitos campeões de torneio que herdaram a vaga devido a desistência de outro em determinada fase. Podemos citar o caso do Wavrinka que tinha condições de ser campeão do Finals na ocasião em que perdeu a semi no detalhe para Federer que logo após desistiu da final contra Djokovic. É uma coisa que a ATP, que foi criada para defender os interesses dos jogadores, deveria implantar em seus torneios e após exigir que os slans adotassem. Num esporte tão competitivo é uma imensa vantagem para 1 jogador ganhar gratuitamente a vaga para a próxima fase sem nenhum esforço. Acho incrível ninguém nunca ter cogitado mudar isso diante de tantas coisas que se propõe para o tênis. Seria uma medida que traria mais equidade e premiaria o esforço dentro da quadra no tênis profissional.

    1. Denis

      Boa noite Dalcim,
      Não acho que o Federer devesse ser punido ou fez uma sacanagem em desistir do torneio como muita gente disse nos comentários abaixo. Mas lendo o comunicado dele fiquei com a impressão que faltou um pouco de “simpatia” com os fãs e organizadores. Não houve nenhum lamento, nenhum pedido de desculpas, ainda que protocolar. Nada.
      Simplesmente um “ é importante escutar meu corpo e garantir que não vou me forçar demais muito rápido no caminho para a recuperação. Estou feliz por ter conseguido disputar três partidas”?!
      Parece que ele estava jogando um torneio de fim de semana no clube e não um dos quatro maiores torneios do mundo.

      1. SANDRO

        Olha Dênis, vou ser sincero contigo, não achei Feder antipático em suas declarações, ao contrário, achei Federer simples e objetivo, sem rodeios, e sincero em relação aos motivos do abandono. Não acho que isso deveria virar um dramalhão mexicano. Creio que Federer se expressou corretamente e de forma coerente.

    2. Willian Rodrigues

      Que ótimo perceber que meu comentário estimulou outras pessoas debaterem o assunto!
      Pergunta do Periferia na pasta anterior: “Willian, Vc está dizendo que devemos premiar uma derrota em nome dos interesses comerciais?”

      Resposta: Não seria premiar a “derrota”, mas, a CAMPANHA PREGRESSA até aquela fase do torneio!!!
      Se o Koepfer atingiu um terceira rodada em Roland Garros, torneio que tem se mostrado há décadas um dos mais difíceis do circuito (muito devido à existência de Nadal), ele poderia sim, merecer o avanço à fase de oitavas. Não é nenhum absurdo absurdo assim.

      1. Luiz Henrique

        Rapaz, fiquei pensando, imagina algum Big3 ganhando um slam assim KKKK
        Ia ser um alvoroço aqui, iam colocar 200 asteriscos
        Se já tem a ladainha da chave sei la oq, imagina perder, o cara desistir, aí um dos Big3 volta e termina campeão
        Ia ser engraçado

      2. Periferia

        Olá caro Willian .

        A pergunta foi por causa da frase:

        “Ademais, considero uma verdadeira hipocrisia desconsiderar completamente as questões comerciais, financeiras!”

        Vindo do presidente da BNP Paribas…ou da Rolex….tudo bem.
        Mas para um amante do esporte…onde a competição é o que realmente importa…onde temos vencedores e perdedores em todos os torneios (ganhar e perder faz parte)…não é de bom tom.
        Não se pode buscar atalhos para agradar os patrocinadores…nem mesmo o público…em nome de uma satisfação comercial.
        Apesar do Super Bowl ter um show no intervalo…as pessoas assistem pelo jogo…pelo prazer de ver uma vitória ou a tristeza de uma derrota (ou mesmo fazer parte da história sendo escrita naquele momento).
        O esporte atual sofre muito com a necessidade de satisfazer o pessoal do “dinheiro”.
        Por isso querem uma Champions League apenas com os “bem nascidos” ou quando times grandes não caiam no campeonato brasileiro…afinal…eles satisfaziam o “mercado”.
        Mas o bom senso ainda permeia o espírito do esporte…
        Quem vence…decide se quer continuar…quem perde…corre para disputar o próximo torneio (quem sabe…jogando…ele não vence).

        (No fim de semana …assisti um vídeo…de um senhor de 91 anos…emocionadissimo pela conquista do título argentino pelo Cólon (113 anos o clube tem)…a equipe argentina nunca tinha ganho…aquele senhor é o espirito do esporte…o resto é armazém de secos e molhados….diria Millôr)

        Abs

        1. Willian Rodrigues

          Prezado Periferia, sou tão amante desse esporte quanto você, acredite.
          Não há qualquer “mau tom” no fato de eu referenciar a NECESSIDADE de aporte financeiro para que TODOS nós possamos curtir torneios bem organizados e com premiações que estimulam os jogadores a oferecerem verdadeiros espetáculos.
          SE eu fosse um dos beneficiários, um dos investidores nos torneios, aí sim, existiria um viés, um conflito de interesses, quando eu emitisse uma opinião assim.
          Em hipótese alguma eu colocaria isso acima do entretenimento, do prazer de assistir a grandes jogos.
          A proposição que fiz, e reforço agora, é que algumas regras poderiam ser criadas ou melhoradas para garantir maior sustentabilidade financeira ao esporte.
          Onde está o pecado em sugerir que um jogador receba essa benesse após ter atingido uma 3ª rodada, ou avançado à segunda semana de um slam??
          Seria um prêmio pela campanha até aquele momento e ainda haveria os benefícios que mencionei antes.
          Saudações

    3. SANDRO

      Olha Ronildo, se o Wawrinka quisesse disputar a final do FINALS 2014, ele teria que ter competência pra ter vencido o Federer na semifinal, como não conseguiu vencer o Federer, então Wawrinka não foi competente para estar na final.
      E tem outras coisas, vencer um jogo num torneio desses rende pontos no ranking e premiação. Então, mesmo não tendo condições de disputar a final, Federer conquistou com méritos os pontos e a premiação por ter vencido a semifinal.
      Então se o Wawrinka quisesse mesmo disputar a final, que jogasse melhor e tivesse a capacidade de vencer o Federer.
      O mesmo serve pra o alemão Koepfer, se quisesse disputar as quartas-de-final contra o Berrettini, que tivesse competência para vencer o Federer, como não venceu, está eliminado e pronto! Que jogue melhor e consiga passar de fase em uma próxima vez!
      Federer conquistou a premiação por ter vencido o Koepfer com méritos. Federer não tem culpa se Koepfer não teve a capacidade de vencê-lo.

      1. Ronildo

        Sandro, você olha a derrota como algo que comprova uma incompetência. Porém no tênis há derrotas em que os dois tenistas jogam em igualdade o tempo todo. Só há vitória de um lado porque o tênis exige isto. Se a formulação das partidas fosse diferente haveriam muitos empates.

    4. Sérgio Ribeiro

      E complementando , caro Ronildo . No ATP FINALS na fase de grupos existe um substituto que entra e caso vença ganha os mesmos pontos. Nunca vi ninguém reclamar e sem dúvidas essa e’ a coisa mais justa . O Alemão tinha muitos méritos pra seguir em frente com a desistência de seu oponente. Abs!

    5. Luiz Fabriciano

      Ronildo, essa questão não precisa de muitos argumentos para ser refutada.
      Em um sorteio, o vencedor decide se vai sacar ou não, então, da mesma forma, o vencedor do jogo, decide o que fará de sua vida após o ponto final.
      Veja que o vencedor coleciona + um vitória, + um dindin, + uma participação, + uns pontos, – uma desistência etc.
      O adversário que ficou para trás, não teve méritos para avançar, então, não teria justiça nisso.
      Diferente do luck-loser, que perde no quali, mas vai à chave principal porque obrigatoriamente terá que ser preenchida para a primeira rodada.

  47. Sérgio Ribeiro

    Pelo que estão jogando Rafa e Novak ( principalmente este ) , Musetti e SINNER vão ter que esperar. E tava na cara que MEDVEDEV não seria zebra perante Garin. Depois do que jogou Sasha hoje , esse lado da chave continua verdadeira incógnita rs . Abs!

  48. Alexandre

    Boa noite Dalcim,
    Gosto muito do Federer, mas acho que ele já entrou no torneio sabendo que não iria até o final. Poderia ter desistido nos momentos finais do jogo, pois assim dava a oportunidade para o seu adversário continuar e o torneio não ficaria sem um jogo de oitavas.
    Na minha opinião, um torneio de Slam jamais poderia ser usado apenas como treino e preparação fīsica. Deveria sim ter algum rigor neste contexto para que tivesse punição para que situações como essa não se repita.

    1. SANDRO

      Como assim desistir no final do jogo?
      Um jogador altamente competitivo não admite entregar um jogo, lutará até o fim, como o Federer lutou, mesmo que as consequências físicas dessa luta o impeçam de jogar a próxima partida, mas pelo menos ele saiu vitorioso de sua última batalha em Roland Garros 2021.

  49. Cassio Carvalho

    Que enigma este Daniil x Stefanos, não Dalcim!? O que você arriscaria, com tudo o jogado na mesa até agora? Eu acho dificil de prever, e talvez, porque vejo o Stefanos dando um “salto” no nivel dele. E não sabemos muito bem que tamanho tem esse “salto” ainda. O que voê acha, Dalça!? Maravilha toda a cobertura do TenisBrasil.

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que é o tipo jogo de depende do dia de cada um. Quem estiver mais inspirado, menos nervoso terá mais chance. Também depende um pouco do horário e do clima, porque o piso bem mais lento deve favorecer o grego. Mas assim que é bom, jogo sem qualquer prognóstico.

      1. Chetnik

        Acho que o h2h mostra que não depende do dia de cada um não…mas sendo saibro, talvez dê para o Tsitsipas.

        1. SANDRO

          Concordo que pelo o que eles vêm apresentando até agora em 2021, Roland Garros é mais favorável a um vitória do Tsitsipas do que do Medvedev…

  50. Alberto

    Prezado, Dalcim, embora toda a minha vida tenha sido marcada por esportes dos mais variados, nas tentativas que fiz no tênis eu sempre fui um desastre (coordenação motora próxima a zero, sobretudo nas jogadas que me exigiam o backhand, no meu caso pelo lado esquetdo).

    Mesmo assim, sempre gostei de acompanhar jogos e de querer entender como tudo funciona.

    E é neste diapasão que lhe faço.as seguintes perguntas:

    1) como funciona o fechamento das chaves de um Grand Slam e de outros torneios ATP? Apenas são definidos os cabeças de chave números 1 e 2, que ficam nas extremidades superior e inferior e os cabeças 3 e 4 entram no sorteio posterior ou também estes são separados (o 3 fica noesmo lado do 1 e o 4 no mesmo lado do 2?

    2) a definição das chaves dos torneios GS dependem do fim dos qualy ou já ocorre mesmo antes, definindo-se que o “campeão” dos qualy entrará no lado X da chave e o “vice” no lado Y?

    3) quando um jogador abandonao torneio, como fez o Federer (não se contundiu, ou seja, abandonou para porpar-se fisicamente), ele sofre alguma perda na premiação que tem direito?

    Caso seja possível responder tantas dúvidas, eu agradeço…se não houver tempo para isso, tuso bem…não se preocupe.

    Obrigado!
    portista mpre tenha m desastre tentando estou engatinhando no aprendizado

    1. José Nilton Dalcim

      1. São sorteados 3 e 4 para qualquer lado, assim como os de 5 a 8, os de 9 a 16 e, no caso dos Slam, os de 17 a 32. 2. os cabeças de chave têm por base o ranking da segunda-feira imediatamente anterior. 3. Não, não perde. Perdem apenas os que são desclassificados por conduta antiesportiva ou disciplinar. Abs!

  51. Carlos

    Acredito que o tênis sentirá muita falta com as despedidas do Federer (primeiro), depois do Nadal e depois do Djokovic. Todo esporte, para atrair atenção, tem que ter seus jogadores/esportistas dominantes. Veja o boxe, depois que Mike Tyson pendurou as luvas, nunca mais foi tão lucrativo como na época em que ele lutava. Tyson era o próprio marketing do boxe, mais por sua vida desregrada, é verdade, mas também por sua agressividade no ringue. Enfim, trouxe visibilidade ao boxe, assim como fizeram Ali e Joe Louis em outras épocas. Todo mundo se lembra do Tyson, mas ninguém se lembra, por ex, dos irmãos Klitschko. O mesmo pode ser colocado para o tênis. É interessante para o esporte ter um jogador dominante- no caso do tênis temos 3. Veja o tênis feminino, depois que perdeu a Serena (está jogando, mas longe da forma física e principalmente técnica de outrora), ninguém mais consegue atrair a atenção do mundo – é um festival de jogadoras campeãs de slam, algumas até fracas, a exemplo de Ostapenko. Qual a graça desse tanto de campeãs? Nenhuma. A graça é derrotar a lenda, por ex, derrotar uma Serena Williams no auge. É isso que atrai público e atenção. No tênis masculino, depois das aposentadorias do BIG 3, veremos o mesmo, com jogadores se revezando nos títulos – temos Zverev, Tsitsipas, Medvedev, Thiem, Sinner, entre outros que surgirão.

  52. Sérgio Ribeiro

    O adeus do Craque nada mais é do que um até breve. O retorno a “ oficina “ após Doha , a decisão de pular TODOS os MASTERS 1000 na gira de Saibro , e aportando novamente nesta superfície em Genebra, ficou fácil de ler o “ jogo “ . Ao menos 6 partidas antes da Gira de Grama . Provavelmente a última chance de conquista. Conseguiu 4 e mostrou seu desejo na “ maratona “ de ontem de adiar seu Tour de exibição para o próximo exercício . Que com certeza será diante do público que o adora, pra desespero de Connors rs . Não será novamente se desgastando no Saibro de RG ( o único SLAM em Vinte temporadas que abandonou ) . Não acredito que quem já esteve lá dentro não tenha compreendido. ABS !

  53. Leo Gavio

    Atitude do Federer foi simplesmente desastrosa.

    Achei pessimo o abandono, prejudicou os jogadores que estavam na chave dele, acabou com o sonho dos caras só pra pegar ritmo pra Wimbledon.

    1. Chetnik

      Você estava certo. Nada de segunda semana para o desaposentado, kkkkk.

      Mas ele te livrou de uma boa. Deveria agradecê-lo rs.

    2. SANDRO

      Federer não prejudicou ninguém, não acabou com o sonho de ninguém, se esses jogadores que perderam para o Federer queriam passar de fase, que vencessem o Federer, simples assim.
      Mas quem não teve a competência para vencê-lo, não pode reclamar de nada.

  54. Lucas Leite

    Parabéns por mais uma excelente análise, Dalcim!

    Deixa eu te perguntar, agora que sabemos que não ocorrerá o esperado Serena x Azarenka, muito provavelmente o jogo da sessão noturna será o Tsitsipas x Medvedev. Na sua opinião, uma sessão noturna favoreceria mais qual dos dois? Eu entendo que a quadra fique mais lenta e assim se encaixe mais ao jogo do grego. Acho que vale considerar que o único set perdido pelo Medvedev foi na sessão noturna contra o Tommy Paul.

    E mais uma coisa, que acredito que te passou despercebida, na verdade a Rybakina não é a única cabeça restante na parte inferior da chave, a russa Pavlyuchenkova também tem esse estatuto e até a espanhola Badosa acabou entrando como cabeça 33 após a desistência de Alison Riske. Abraço!

    1. José Nilton Dalcim

      Concordo com você. O jogo à noite pode ajudar mais o grego porque o Medvedev se sente menos confortável numa situação mais lenta.

  55. Rodrigo S. Cruz

    Chetnik,

    a exceção que eu pedi pro Dalcim foi para fazer um agradecimento a um cara da tua torcida.

    E as minhas discussões ácidas com ele, não me impedem de dar méritos ao que ele faz de correto.

    Já quem se preocupa somente em compor TRIBOS, tem problemas com isso…

    Mas, sei lá né. Vai ver você tem razão…

    Eu sou uma porcaria. rs

    Bom mesmo é o fakezinho para quem você dirigiu o teu reply…

    1. Chetnik

      Você adora se corresponder – e elogiar, aliás – o maior produtor de fakes do blog. O “homem” de múltiplas personalidades. Só que ele é da tua tribo né…

      1. Rodrigo S. Cruz

        É bem diferente, meu querido!

        Ele postava de tempos em tempos com nicks trocados:

        uma hora era Vitor, outra hora, Marquinhos, etc.

        Mas ele não se passa por duas pessoas diferentes AO MESMO TEMPO para desmoralizar participante nenhum.

        Como faz esse tal de ” Julio” aí.

        1. Chetnik

          É diferente mesmo. Um é fake múltiplo reconhecido por todos. Até pelo próprio Dalcim. O outro aí é só uma acusação sua.

  56. Maurício Luís *

    Se o problema do Federer é o joelho, até onde eu sei, a grama é um piso onde a bola quica de forma a obrigar o tenista a ficar dobrando o dito cujo. Então não tô vendo muita vantagem pro Federer, mesmo sendo o piso preferido dele.

    1. Thiago Silva

      Ele falou que o problema é na rótula que mexe quando ele tem que deslizar no saibro, na grama ela fica mais firme.

  57. Enoque

    A desistência do Federer faz parte do jogo, isso já aconteceu várias vezes. Mas, o fato de repousar nas oitavas e não se desgastar numa partida dura, bem no meio do torneio, traz alguma vantagem para o Berretini. O próprio Djoko já se beneficiou de w.o em outros torneios. Não admitir isto é querer tapar o sol com a peneira, ou dizer que a chuva não molha.

    1. Thiago Silva

      Sim, o Berretini vai chegar bem mais inteiro, mas uma vitória sobre o Federer ia trazer mais ritmo de jogo e confiança pra ele, vamos ver o que vai pesar mais, mas com aquele backhand horrível que vai ser explorado a exaustão ele não deve nem tirar set do Djokovic.

  58. Henrique Cipriano

    É, estamos vendo os últimos momentos de Roger Federer a cada torneio que passa. Para todos aqueles que de fato amam esse esporte, será uma grande perda. Por isso, digo com toda a certeza que quem é detrator desse gênio, que faz um esporte tão difícil parecer fácil, não é um verdadeiro apreciador da modalidade. E o que falo de Federer se aplica também a Nadal e Djokovic. São três craques de bola que nunca mais serão igualados. Não é preciso você desmerecer um para gostar do outro, cada um deles possui qualidades únicas que os tornam os melhores jogadores de todos os tempos.

    1. Davi Poiani

      Assino embaixo! Falou exatamente como eu também penso. Vamos aproveitar enquanto temos estas lendas em quadra.

    2. Jose Yoh

      O sol está se pondo, vamos apreciar…
      Agora sempre tem o dia seguinte. Em alguns anos teremos outro fenômeno, disso não tenho dúvidas. É só lembrar dos imbatíveis 14 slams do Sampras pulverizados já na geração seguinte.

  59. Álvaro Luiz

    Caro Dalcin , vc sabe que horas começa as semifinais de sexta feira? Nos anos anteriores foi as 8 h , mas agora tem a luz artificial ………..

    1. José Nilton Dalcim

      É verdade, Álvaro. Mas não acredito que eles coloquem um dos jogos tão tarde assim. No ano passado, a primeira foi perto de 9h30 e a outra por volta de 12h (de Brasília).

      1. Luiz Fabriciano

        Acho que Roland Garros à noite não combina, kkk.
        Quando vejo os jogos desse horário, parece qualquer torneio, menos aquele que Guga fez história.

  60. Marcelo Costa

    Não havia me dado conta que poderá ter sido o último jogo nas quadras de RG. Esse implacável tempo, fazendo das suas

  61. Periferia

    Data venia…nao acho que nenhum dos garotos terão qualquer chance contra um finalista como Nadal ou Djokovic.
    Os dois tem um encontro com a história (um para ser o maior campeão de slam de todos os tempos no masculino… outro para sedimentar à condição de o maior jogador que o tênis profissional conheceu).
    Nenhum dos dois deixará escapar a oportunidade.
    Para a “molecada”….ficará para próxima.

    1. Luiz Fabriciano

      Esse é o ponto nobre Periferia.
      Esses caras, estão no topo da montanha. Uma realização qualquer a mais, os transporta à outra montanha, mais alta, enquanto os iniciantes, têm que galgar tudo ainda. Então, irão fazer de tudo para que o registro histórico dure alguns séculos.

  62. Chetnik

    Agora veremos o hercúleo esforço coletivo do status quo tenístico para varrer isso para debaixo do tapete. “Nunca aconteceu”. Afinal, a maior farsa da história do esporte, a imagem de divindade do Imame, construída pelo maior esforço de RP que a humanidade já viu, não pode nunca ser contestada. Jamais!

    Daqui a pouco voltam a bater em coisas que o Nadal e o Djoko fizeram para tirar o foco e todo mundo esquecer.

    1. SANDRO

      Concordo contigo que tem um pessoal que adora desdenhar das lesões de Djokovic e Nadal, mas quando o caso é com Federer, as coisas mudam de figura…

    2. Rodrigo S. Cruz

      Bom,

      acabou não precisando de “esforço hercúleo” nenhum, meu jovem!

      O que eu viu foi o Matts Wilander se manifestar DE NOVO, e num espaço de apenas 1 semana, e dizer:

      “Sinto-me feliz por ver que o Roger estava numa boa forma suficiente para jogar daquela forma. Temos várias pessoas a dizer que se devia retirar quando se é mais velho por não conseguir vencer um Grand Slam. Eu penso exatamente o contrário”, afirmou Wilander.

      “Tenho um absoluto amor e respeito pelo que o Federer fez ontem à noite. Ele podia facilmente ter atirado a tolha e dizia ‘tive um bom treino para Wimbledon’. Mas não, ele quer vencer encontros, estou impressionado com ele”.

      Lembrando que foi o sueco que já falou em várias ocasiões que elegeu o Djoko como o GOAT.

      Isso pro caso de você dizer que se trata de um suposto ” fracassado” como o Gasquet também.

      Link abaixo:

      https://bolamarela.com.br/wilander-tenho-um-absoluto-amor-e-respeito-pelo-que-o-federer-fez/

  63. Ronildo

    Como minhas previsões são furadas se eu previ que o Djokovic iria perder o número 1 este ano, no mais tardar no AO 2022 e agora tem várias pessoas afirmando o mesmo? Na verdade era para Djokovic perder o número 1 em 2020, mas a pandemia salvou ele. Esse recorde que ele bateu de semanas como número 1 foi igual um barco a motor vencer uma competição de remo! A pandemia quebrou a ascensão do Thiem e do Medvedev!

    Outra previsão minha foi que Nadal não ganharia este RG. Está para ser consumada em 1 semana.

    1. Jonas

      Explico: você já fez umas 50 previsões e errou todas. Alguma hora você vai acertar, eu acho rsrs…

      Se bem que não é tão difícil, o próprio Djokovic já admitiu que está c… para o número 1 depois que quebrou o recorde. Ele vai é fazer igual Federer e Nadal, dar uma enxugada no calendário e focar no que realmente importa no momento: Grand Slams.

    2. Luiz Fabriciano

      Pela primeira vez tu explicaste como a pandemia, em tese, beneficiou que Djokovic quebrasse o record de tempo como #1, e eu, tese, concordo.
      Talvez se não houvesse a paralisação do tênis, alguém o destronasse, mas acho que não.

  64. Luiz Henrique

    Bem arriscado essa previsão de que foi o último jogo de Federer em RG, apesar dele ter 40 anos.
    Agora voltando depois de quase 1 ano é uma coisa, ano que vem se ele já estiver atuando normalmente é outra
    Mas prometo não zoar o Dalcim se Federer voltar a RG novamente
    Com ctza é o que ele e os que gostam de tênis adorariam
    Os parâmetros de idade vão mudando toda hora, com Federer encabeçando isso
    Daqui a 5 anos talvez estejamos aqui comentando como é incrível Federer jogar com 45 e se Nadal e Djoko, que estarão com 39/40, vão ser ou não capazes de repetir isso

  65. Paulo Almeida

    O mais importante é o GOAT Djokovic pensar jogo a jogo e esquecer do freguês. Faltam duas etapas ainda para ele pensar em alguma forma de bater o Nadal em uma de suas casas.

    Seria bem fácil eu dar o troco em cima dos que tripudiaram das lesões do Djoko no USO 2019 e agora no Australian Open, mas vou deixar pra lá.

    Pois é, Gildokson, não vai ser dessa vez que colocaremos 28×23 no h2h. Sorte de vocês!

    1. SANDRO

      Concordo contigo Paulo Almeida! Assim nós respeitamos a desistência do Federer para preservar seu joelho, gostaria que os torcedores fanáticos do Federer também refletissem sobre os deboches que fizeram sobre a lesão nas costas do Nadal que o impediram de competir na ATP CUP 2021, ou do deboche da lesão no abdômen do Djokovic no Australian Open 2021. Os torcedores do Federer já debocharam muito das lesões de Nadal e de Djokovic, deveriam agora refletir sobre isso.

  66. Miguel BsB

    É…
    Pra quem estava achando que o Medvedev ia abrir o seu lado da chave, e me incluo nessa, o russo mostrou que veio pra vencer e não ficar chorando que “odeia o saibro”.
    Agora vai pegar o Tsisipas, jogaço, na grande rivalidade da “next gen”…apesar do h2h, acho que vai dar Grécia. Stefanos tem muito mais cacoete pra jogar no saibro e resultados muito melhores na superfície, além de estar voando na temporada.
    Aliás, algo que fará muita diferença nesse confronto será o horário da partida. Mais cedo e no sol, favorece o Medvedev. À noite, favorece Tsisipas…

    1. José Nilton Dalcim

      Multa? Por estar sem condições físicas? Acho que não tem muito sentido, Ando. Até Nadal já abandonou Roland Garros, aliás por problema no joelho também.

      1. Sérgio Ribeiro

        Eu estava achando estranho você ainda não ter colocado esse fato , caro Dalcim . O próprio dono da casa caiu fora com problemas no mesmo lugar . Abs!

  67. Barocos

    Bem, agora começa realmente o torneio. Como quando Wawrinka e Del Potro estavam bem, sempre tivemos um grupo menor de jogadores com chances maiores de brigar pelos troféus: o big 4, os citados e mais um ou dois como canditatos ao título. Outros, fora deste seleto grupo, eram azarões.

    Esta nova geração já nos presenteou com jogadores de qualidade: Medvedev, Zverev e Tsitsipas já são excepcionais. A eles devem se juntar, em muito pouco tempo, os jovens italianos Sinner e Musetti, membros da novíssima geração.

    Embora nos jogos, até agora, estes novos tenistas tenham feito apresentações impressionantes, convém lembrar que a qualidade da devolução e a capacidade de reverter a vantagem no domínio do ponto após o saque sempre diferenciaram muito os membros do big3 dos outros jogadores do circuito.

    A questão crucial a ser respondida então é: serão eles suficientemente bons para por fim ao reinado dos últimos representantes do big4 (que já não são o que eram, devemos admitir) antes que o próprio tempo o faça? Só nestes próximos jogos teremos uma noção real do quão “prontos” os garotos estão para esta tarefa.

    Saúde e paz.

    1. SANDRO

      Ainda bem que você pôs o KKKKK no final da frase… Senão eu iria pensar que vc estaria falando sério me relação ao Medvedev ganhar Roland Garros…

    2. José Eduardo Pessanha

      Meu palpite era o Tsitsipas, mas se o Zverev repetir a atuação de hoje, leva esse torneio. Abs

  68. Evaldo Moreira

    Boa noite,
    Já que o mestre mencionou o adeus de Federer neste novo post, excelentes colocações por sina, e como sempre, parabéns mestre Dalcim.
    Vou colocar aqui então minha opinião, dos comentários no post anterior e que falam, da desistência do Federer:
    “Primeiro, Dalcim, você deve ter uma paciência de todos os tipos, para ler, editar e/ou liberar as moderações destes comentários deploráveis, sem nexo, em que alguns falaram sobre o suiço, todas um absurdo, dizer que desistiu porque ia perder pro Bezerrotinni, pelo amor de Deus, vi o jogo do italiano contra o coreano, deu sono, até o técnico dele já estava impaciente, e olha que o primeiro set, foi no tiebreak…., e dizer que desistiu para prejudicar o Dkokovic, absurdo total, e dizer que, só porque estava 30% e iria levar um vareio, e depois tirar por aqui ?. ”
    Na boa, muitos aqui tem capacidade de se fazer comentários coerentes e decentes, mas os mesmo, escorregam nos comentários dizendo baboseiras, vamos pessoal, esse roland Garros 2021, promete, teremos surpresas com certeza, aguardem.

  69. Jonas

    Previsível a desistência do Federer, porém é uma despedida melancólica. Nunca mais deve jogar Roland Garros.

    Djoko tá jogando muito, se perder amanhã ou nas quartas será zebra. Nadal, em tese, tem caminho mais duro que o sérvio. Sinner já deu bastante trabalho pro espanhol ano passado, mas Nadal deve entrar ligado, creio que perde no máximo um set.

    Interessante mesmo está a chave dos “garotos”. Olha…vou torcer pelo Medvedev na terça-feira, se ele jogar solto pode bater o grego, que aliás é um freguês…confronto interessante.

    1. SANDRO

      Não considero que a despedida do Federer de Roland Garros 2021 tenha sido melancólica, afinal de contas foi depois de uma vitória na raça contra o jovem Dominik Koepfer.
      Acho que a despedida seria melancólica se fosse depois de uma derrota, talvez…
      Federer também não disse que não jogaria mais Roland Garros, somente disse que estava saindo desta edição 2021…
      Talvez Federer possa jogar Roland Garros em 2020, quem sabe? Ele não disse que era a sua última vez em Roland Garros, não é mesmo?

  70. Luiz Fernando

    Dalcim uma dúvida, li algumas respostas suas no post passado acerca do saibro e do joelho do Federer, mas a grama também não seria problemática nesse sentido? Vc sempre comentou q o quique da bola na grama, q não pula muito, atrapalhava o joelho do Nadal, q também é problemático. Pq RG seria pior do q a grama?

    1. José Nilton Dalcim

      O problema do Federer é diferente do Nadal, por exemplo, Luiz. A grama realmente machuca porque exige que o tenista jogue mais abaixado do que o normal, mas o caso do Federer é o deslizamento e não o fato de se abaixar. Segundo o fisio dele, o ato de deslizar no saibro causa um impacto problemático no joelho do suíço.

  71. WILLIAM ALMEIDA

    Fiquei Impressionando com o nível do zverev nos dois últimos sets, na minha concepção em volume de jogo o grego e o alemão chegaram ao nível do Djokovic e Nadal. Acredito que a grande vantagem da dupla em GS é a experiência, no volume de jogo já tem jogadores capaz de desafiar ambos nos GS.

  72. Chetnik

    O desaposentado é o maior ARREGÃO da história do tênis. E pensar que essa fraude um dia teve a cara de pau de chamar o GOAT de “quitter”. O cérebro de geleia foge mais do Djoko do que o diabo foge da cruz.

    Claro que o fujão é incriticável e os passapanistas irão buscar justificativas como sempre: “compreensível. Fez o melhor para ele”. Exato, o cara é um ególatra enfatuado por si mesmo. “Dane-se o torneio, o circuito. O que importa sou eu”. O cara já deixou milhares de pessoas a ver navio na quadra antes da final do 5a torneio mais importante do calendário porque estava cansadinho. Então não chega a surpreender.

    Como se utilizar um GRAND SLAM de aquecimento, de prática, fosse algo minimamente aceitável. Aliás, é, para quem acha que o Federer está acima e é mais importante do que o tênis. Se não tem condições de terminar o torneio, ENTÃO NEM ENTRA. Óbvio para qualquer ser pensante e imparcial.

    A justiça poética pode tardar, mas falhar, nunca. Vai ter o que merece em WB. Isso se o Divino não interceder antes.

    Adeus, desaposentado. Volta para a sua irrelevância da aposentadoria. São anos demais fazendo mal ao tênis. Desapega.

    1. Bruno

      Se um dia,tiver oportunidade de ir a algum torneio de tênis ,queria que falasse tudo isso.
      Vc é o maior babaca do blog,desculpe,Dalcim ,mas essa não poderia passar em branco.

      1. Chetnik

        Além de homofóbico você é verdadefóbico?

        Descontrolado e hipócrita eu sei que você é.

        PS: Se “babaca” tá valendo, né.

    2. Rodrigo Azevedo

      Dalcim, lendo esse monte de baboseira que essa figura escreveu, fico imaginando o que você tem que passar e barrar aí no blog.

    3. Daniel C

      Nossa, nunca vi tanta raiva num comentário kkkkkk. Cadê aquele cidadão que disse que eu “odeio” o Djokovic? Qual a opinião dele acerca deste comentário? Ou vai fingir que não viu? Rs

      Enfim, consigo entender esse recalque. O Djokovic tá ali lutando para ser o maior vencedor, e o mundo parou para assistir ao suíço nesse RG. Deve ser duro kkkkk.

      Acho que vou torcer pro sérvio quebrar o recorde de GS para esse cidadão não fazer nenhuma loucura kkkkkk

      1. Jonas

        Acho que você está se referindo a mim.

        Sim, você parece odiar o Djoko e estou certo de que o Chetnik odeia o Federer. Acho meio exagerado esse fanatismo todo mas ok, cada um pensa de uma forma.

        O problema foi você afirmar que o Cuevas tinha mais recursos que o Djokovic, e pior que falou sério. Então, desculpe, mas se pensa mesmo desta forma, não entende nada de tênis.

        Se fosse um comentário “zoeira” igual a vários aqui eu nem falaria nada, afinal eu teria que responder a quase todos os comentários. Abs.

        1. Daniel C

          Estranho, me lembro de um tal de Luiz Fabriciano fazer aquele comentário, não vc Jonas. Ou vc publicou com outro nome? Rs

          Sim, continuo achando o Cuevas com mais recursos. Podem falar que eu não entendo nada, não me importo. Para mim, eu entendi bem, é isso que importa 🙂

          E eu não gosto do Djokovic. Mas odiar, não. Ódio de alguém é isso que vimos aí acima rs. E aí, só tratamento resolve rs. Abs

          1. Luiz Fabriciano

            O tal de Luiz Fabriciano sou eu.
            Quanto a diferença ou semelhança entre Novak Djokovic e Cuevas, se tu ententes de tênis ou não, não há a menor necessidade de comentários, haja vista, o histórico e curriculum deles.
            Ahh, e no primeiro confronto…

    4. David Lopes

      Quanto ódio em apenas uma pessoa. Vai se tratar cara, o teu caso só pode ser resolvido com muita terapia. Se o Dalcim não fosse um digno defensor da liberdade de expressão, esse teu comentário nem seria aceito.

    5. Sérgio Ribeiro

      Nada que preste como sempre . Ele ia deixar de tentar o Hepta do FINALS justamente contra seu maior perseguidor em Londres , se não tivesse se lesionado nas Costas , mane’ ??? . Na semana seguinte no compromisso maior ( FINAL da COPA DAVIS ) , foi literalmente varrido da quadra por um jogo fraco no Saibro como Monfils … Em que órbitas vive pra somente postares m**das ??? . Quantos abandonos tem seu macho Alfa em SLAM ??? . E Nadal ??? . E Murray ??? E STAN ??? . Abs!

      1. Bruno

        Boa ,Sérgio
        Ele me chamou de hipocrita ,mas não comentou que o macho alfa dele vivia abandonando partidas .
        Vão dizer que o problema era o glúten,e pouca idade também.

    6. SANDRO

      Boa noite Chetnik, uns só querem aquecer, outros só querem treinar, outros querem ganhar ritmo depois de algum tempo parados, outros se contentam só em participar, outros querem ganhar o torneio. O que eu quero dizer é que os tenistas tem objetivos diferentes dentro de um torneio. Em Roland Garros, o objetivo do Nadal é o décimo quarto título, o objetivo do Djokovic é ter pelo menos 2 títulos em cada Grand Slam, o objetivo da Next Gen é derrubar o Nadal ou o Djokovic. E o objetivo do Federer foi ganhar ritmo de jogo em um torneio de 5 sets, pois antes de Wimbledon não teria outro torneio de 5 sets que não fosse Roland Garros para ele treinar isso. Federer tinha ciência que fisicamente não teria condições de vencer Roland Garros. E Federer também tinha ciência do risco de enfrentar Berrettini depois de uma partida extremamente desgastante Dominik Koepfer, cujo o jogo ultrapassou extenuantes 3 horas de duração. Então, não era justo que Federer arriscasse se contundir ou a piorar a situação do seu joelho, e depois comprometesse a sua participação nos torneios de Halle e Wimbledon que são na grama.
      Respeito a decisão do Federer, assim como acho que os torcedores do Federer devam respeitar as decisões de Nadal e Djokovic, pois cada um sabe do seu físico, sabe onde o calo aperta e não devem por em risco a sua continuidade na carreira ou seus objetivos futuros tomando decisões equivocadas.
      Achei bem sensata e prudente a decisão do Federer e de sua equipe focando em seus objetivos futuros que são Halle e Wimbledon.
      Os torcedores de Nadal e Djokovic tem que se preocupar com seus próximos adversários que são os NEXT GEN italianos Sinner e Musetti, e não se Federer resolveu se poupar ou não.
      Pra falar a verdade, duvido que Nadal e Djokovic estejam preocupados com teorias da conspiração relacionadas à desistência do Federer, pois isso é coisa que só passa na cabeça de torcedores fanáticos.

  73. Daniel C

    Uma pena a desistência do Federer e principalmente o extremo cuidado que ele deve ter com o corpo a partir de agora. Se não tivesse esse tipo de preocupações, teria totais condições de fazer quartas contra aquele que grita com boleiros e juízes e talvez até vencer, marcando um novo confronto contra o Rafa. E poderia fazer um belo jogo como em 2019 (onde deu mais trabalho que o vice de RG do ano passado rs)

    Enfim, vida que segue e tomara que o suíço faça boas campanhas na grama. O titulo em WB eu não acredito e nem cobro, mas irei torcer. Mas eu discordo da estratégia de entrar em RG, se o objetivo era conseguir ritmo. Poderia ter entrado em torneios menores para isso e acho que teria se desgastado menos.

    Agora o mais engraçado na pasta anterior foram alguns fãs do Djokovic furiosos com a desistência do suíço, pq agora o Berettini irá mais descansado para as quartas kkkkk. Quanta confiança no jogo do tal “Goat” hein? Rs. Mas teve um colega que matou a charada: queriam um Berettini descansado ou um suíço baleado para um passaporte tranquilo para a semi kkkkkk. A obsessão pelo recorde de GS é tanta que torcem por isso rs. Já não bastasse a entressafra dos últimos 5 anos, ainda querem mais tranquilidade rs. E eu não sei pra quê: o Nadal deve manter a freguesia na semi kkkkk.

  74. Periferia

    Crime e Castigo de Ser o Goat

    Uma tristeza especial se apoderara
    dele nos últimos tempos.
    Não tinha nada de especialmente agudo ou azedo…mas emanava
    dele algo de constante…de eterno…fazia pressentir anos sem refúgio…dessa dor fria…mortal.
    Fazia pressentir toda uma eternidade num espaço de uma piscina. Essa sensação costumava
    afligi-lo com mais força ao cair da tarde.
    Eu não matei nenhuma pessoa humana…apenas matei um princípio. Um princípio…chamado Federer.
    Mas aqui começa já uma nova história…a história da gradual renovação de um
    homem…a história do seu trânsito progressivo dum mundo para outro…do seu contato com
    outra realidade nova…completamente ignorada até ali.
    Tomarei o posto…serei o Goat.
    Com uma nova narrativa…pois a nossa presente narrativa…termina aqui

  75. Sandra

    Dalcim , não achei nada de errado Federer ter desistido , o que acho estranho , e a fixação dele e da Serena com Wimbledon , tudo bem e mais chique , mas não acha que é apostar todas as fichas em um só lugar ? Nunca vi isso dar certo ! Deu sim , para o Nadal , mas não é o usual ! Quem vc acha que vai levar Roland Garros ? Aliás acho o pior torneio , sempre aparece umas chaves estranhas , não foi normal colocar o big 3 na mesma chave , tomara que Nadal ou Djoko ganhe

    1. José Nilton Dalcim

      No caso dos dois, é o Slam que mais combina com o tipo de jogo e a resistência física deles perto dos 40 anos. Acho que ficará entre Nadal e Djokovic.

    2. SANDRO

      Não tem nada a ver com ser “chique” ou não o torneio de Wimbledon. Tem a ver com a capacidade física de cada um. Torneios de saibro são muito desgastantes fisicamente e para quem não está no melhor da forma física ou então esteja voltando de cirurgia, torneios no saibro se tornam mais difíceis ainda. Logo, para o Federer e para a Serena as chances em Wimbledon são maiores que em Roland Garros.
      Achar Roland Garros o pior torneio? Então você não gosta realmente de tênis, não é mesmo?

    1. Sérgio Ribeiro

      Eu e você, né cara JAN rs . ? . Garin pode até ser especialista mas MEDVEDEV já mostrava recursos até então inimagináveis na terra batida … Abs!

      1. JAN DIAS

        Então tamo junto nessa caro Sérgio! ???

        Como eu disse + abaixo, o russo evoluiu bem ultimamente.. Se ele estiver focado é um adversário de respeito..

        Abs!

    2. SANDRO

      Continuo achando que a vitória de Daniil Medvedev sobre Cristian Garín foi, sim, uma ZEBRA…
      Explico o porquê:
      1. Desde que se tornou profissional em 2014, Daniil Medvedev não venceu sequer um torneio nível ATP (seja ATP 250, 500 ou 1000) no saibro, ao passo que Cristian Garín tem 5 títulos de ATP no saibro.
      2. Em Roland Garros 2021, até enfrentar Cristian Garín, Daniil Medvedev não havia enfrentado nenhum especialista no saibro como o Garín.
      3. Desde que se tornou profissional, Medvedv não havia vencido sequer uma partida em Roland Garros até 2021.
      Por todos esses motivos expostos, considero que a vitória de Medevedev sobre Garín foi sim uma ZEBRA.
      Não falei que Medvedev não poderia ganhar, porém, se ganhasse, seria uma zebra. só isso.

      1. Thiago Silva

        Mas olha os torneios que os dois jogam, o Medvedev só joga os Masters e Barcelona, não vem pra esses torneios esvaziados da América do Sul quando todos os tops tão disputando preparatórios nas quadras duras.

      2. JAN DIAS

        Sim, o MEDVEDEV não teve um desempenho vencedor no saibro até hoje, mas ele evoluiu bem atualmente e está tendo uma performance de muito alto nível nesse RG.. ?
        Abs,

  76. Oswaldo E. Aranha

    Dalcim, obrigado pela informação, só que esqueceram de avisar o Titispas que ele estava jogando contra o melhor tenista logo abaixo do Nadal.

Comentários fechados.