Fundo do poço
Por José Nilton Dalcim
30 de maio de 2021 às 18:59

Dominic Thiem sofreu neste domingo a derrota mais chocante de sua carreira. No seu melhor piso, no grande torneio que mais brilhou, com dois sets de vantagem, o austríaco sucumbiu diante de sua falta de confiança, fraquejou na execução dos golpes, se confundiu na tática. Claro que não se pode diminuir o empenho, a experiência e o sangue nos olhos de Pablo Andujar, que jamais se entregou e fez por merecer a virada, mas a comparação de atitude reforça o quanto Thiem continua confuso em quadra.

Mesmo nos dois sets que venceu o número 4 do mundo nunca se mostrou dominante. É bem verdade que o vento não ajudava muito e pode ter comprometido algumas tentativas de ataque que buscou. Pior é que ele teve chance de obter quebra precoce tanto no terceiro como no quarto sets. A cabeça baixa depois de uma escolha errada ou uma oportunidade perdida não era mesmo bom sinal. Andujar provavelmente sentiu isso e manteve-se sempre positivo, não economizou pernas e soube esperar a falha no momento de desespero do adversário.

A situação do austríaco é preocupante. Revezes acontecem, é claro, mas ele vem numa roda viva de incertezas e instabilidades que não tem fim. São três quedas seguidas no saibro, uma pior que a outra, e vai ser muito difícil ele se recuperar na grama ou num sintético mais veloz, pisos que tiram o tempo essencial da preparação de seus golpes.

Talvez haja muita influência da parte física e seus problemas no pé e no joelho. Tive nítida sensação de vê-lo mancando após certos lances exigentes, sem falar na mão constante sobre a rótula. É uma pena, porque Thiem possui um tênis vistoso, competente, parece ser uma pessoa de bem com a vida. Tomara que ainda haja tempo de sair do fundo do poço.

Outro susto com Zverev
O buraco na chave quase virou um rombo quando Alexander Zverev perdeu os dois primeiros sets para o quase desconhecido Oscar Otte, jogador com currículo muito pequeno em ATPs. Sascha sofria com as devoluções e deixadinhas, demorou para deixar a preguiça de lado e a partir da primeira quebra enfim tomou as rédeas da partida como se esperava. Foi sua sétima vitória em jogos de cinco sets no torneio sem derrota. Vai encarar agora outro quali, o russo Roman Safiullin, e depois Laslo Djere ou Miomir Kecmanovic. E muito provavelmente terá pela frente o sobrevivente entre Karen Khachanov, Kei Nishikori e Roberto Bautista. Sou mais o espanhol.

A queda de Thiem abre espaço para Fabio Fognini, que fez uma bela estreia. O adversário não era expressivo, o convidado Gregoire Barrere, mas o italiano jogou solto e bonito. Seu caminho tem Marton Fucsovics e quem sabe Andujar. Não é um setor tão difícil. O nome mais embalado é Casper Ruud.

Por fim, Stefanos Tsitsipas passou aperto no primeiro set diante de Jeremy Chardy, que teve 4-1 no tiebreak, como se imaginava. Pouco a pouco, impôs seu jogo bem distribuído entre ataque e defesa. Aguarda agora Sebastian Korda, campeão no sábado em Parma, promessa de ser também interessante e intenso. E fiquem de olho em Cristian Garin. O chileno tem um horizonte muito promissor e pode duelar com o grego lá nas quartas.

Osaka no fio da navalha
Naomi Osaka não fez uma estreia brilhante, jogou o suficiente para vencer, mas todo o noticiário está em cima de sua inesperada decisão de não dar entrevistas durante Roland Garros, seja na vitória ou na derrota. Mesmo depois de se reunir com os promotores e a ITF, a japonesa bateu o pé e não foi à coletiva obrigatória.

Não apenas levou US$ 15 mil de multa – valor pouco expressivo diante de seu faturamento – como foi ameaçada de eliminação do torneio e, em caso mais grave ainda, de impedimento de disputar futuros Slam. Segundo comunicado da Federação Francesa, a entrevista faz parte das obrigações do tenista, está no Código de Conduta e essa regra tem de valer para todo e qualquer participante.

O Comitê dos Slam da ITF afirma estar aberto a diálogos e negociações com as entidades e os jogadores, mas que não pode tolerar uma atitude unilateral de descumprimento do regulamento, o que me parece sensato. Osaka reclamou da dureza que é dar entrevista após uma derrota – e tenho certeza que é mesmo -, mas então ela poderia apenas evitar essa entrevista derradeira e não causar tanta celeuma.

Vamos lembrar que Naomi chegou a abandonar Cincinnati por se recusar a jogar num dia de protestos dos atletas por todo o mundo, o que depois acabou revertido, e portanto não me surpreenderá se ela simplesmente deixar Paris antes da próxima rodada. Está faltando um pouco de bom senso e principalmente de conversa.

Lá na quadra, Aryna Sabalenka fez 24 winners e 31 erros na vitória contra Ana Konjuh, Petra Kvitova ficou muito perto de voltar cedinho para casa, Angelique Kerber foi amplamente dominada e Vika Azarenka não me convenceu, com muitas falhas e um saque instável demais.

Dia de Federer e Monteiro
A segunda das três partes da primeira rodada verá gente grande em quadra, a começar pela atual campeã Iga Swiatek e seguindo na Chatrier com o retorno de Roger Federer e a inauguração da rodada noturna com Serena Williams. A esperança Thiago Monteiro entra às 6h na quadra 4 e não mais contra Milos Raonic, mas frente o argentino Francisco Cerundolo, o finalista de Buenos Aires deste ano.

– Federer só perdeu dois sets em 7 duelos contra Istomin, nenhum no saibro. Única derrota do suíço para um quali em Slam foi em Wimbledon-2002 para Ancic.
– Medvedev reencontra Bublik depois de cinco anos e tenta primeira vitória em Paris em sua quinta participação. Apenas 11 das 179 vitórias de Medvedev na carreira foram na terra.
– Aos 19 anos e já 76º do ranking, Musetti faz sua estreia em Slam contra Goffin, que não anda em bom momento. Já Sinner encara o sempre perigoso Herbert.
– Swiatek perdeu um set para Juvan no duelo de fevereiro em Melbourne.
– Em 77 Slam disputados, Serena só perdeu uma vez na estreia, justamente em Paris, em 2012. O jogo contra Begu será seu 80º no torneio (66 vitórias e 13 derrotas).
– Federer e Serena são os recordistas de vitórias em Slam, ambos com 362. Norte-americana jogou 414 vezes, sete a menos que o suíço.
– Monteiro chegou a treinar com Opelka para estar bem preparado, mas Raonic fez o certo e desistiu. Cerundolo é especialista em saibro, dá muiro ritmo e não tem grande saque. Ótima chance (*).

(*) Na versão anterior, confundi os irmãos Cerundolo. O ‘baloeiro’ na verdade é o Juan Manuel. Agradeço o alerta do Matheus Figo para meu engano.


Comentários
  1. Rodrigo S. Cruz

    Ah, e claro.

    Enquanto o sérvio protagonizou um vexame pro Istomin, o rei do tênis-arte lhe deu uma aula hoje!

    Com a palavra Vitor Hugo, o terror das noletes!

    kkkkkk

    1. Alessandro Siqueira

      Istomin, perto do Taro Daniel, é gigante. E, todos nós sabemos, que o sérvio andou apanhando de cachorro morte em 2017 e 2018. Só que passou, né? Desde que ele voltou a jogar no seu padrão, Federer não ganhou mais NADA de relevante. Aliás, as últimas conquistas do suíço se deram no ocaso de Nole.

  2. Rodrigo S. Cruz

    Miguel,

    eu fiz uma tréplica para ti lá embaixo, ok?

    Tô avisando, apenas para o caso de você não ter visto. rs

    Abs.

  3. juninho Fonseca

    Dalcim….vc viu oq o Federer falou sobre as devoluções dele de saque lá em Genebra???hahahhahahhahhab……..bem q eu tinha achado muito estranho o Federer lá atrás….até cheguei a comentar Aki com vc.!!afinal de contas….. Federer q eh Federer devolve saque com SABR!!hahahhahaj… abraço!!!!vamos q vamos velinho!!!!???

  4. Majô

    Boa tarde a todos.Causa-me muita tristeza e preocupação com essa geração nova do tenis.Thiem e Osaka com depressão a Andreescu não conseguiu segurar as emoções. Penso que são jovens que já atingiram seus milhões de dólares,não gostam de se sacrificar treinando,perderam o foco e com isso vem as decepções. Dalcim,poderia me dizer se é isso mesmo?Zverev vem de turbulências afetivas e familiar.Seria necessário um psicólogo para acompanha-los.
    Gostei do Federer ter passado a segunda rodada,mas jogou contra ninguém. Mas dará ritmo a ele.

    1. José Nilton Dalcim

      Discordo com a questão do treino. Não tenho qualquer informação que Thiem, Andreescu ou Osaka não gostem ou não treinem o suficiente. Pelo contrário. Quanto à parte emocional, sem dúvida psicólogos são muito importantes.

    1. José Nilton Dalcim

      A Badosa subiu para cabeça 33 porque a Alison Riske desistiu depois de sorteada a chave e houve a ascensão da espanhola. Isso é permitido se ainda não foi disputado nenhum jogo da chave principal.

  5. Luiz Fernando

    Dalcim como vejo vc como alguém q curte esporte como um todo, e nunca se furta a comentar aspectos relevantes de outros esportes, o q vc achou da decisão de trazer a Copa América p o Brasil? Sinceramente achei uma insanidade, pois se os atletas virão certamente vacinados, os jornalistas e o pessoal de apoio das emissoras não virão necessariamente imunizados. Além disso, deslocamentos e mais deslocamentos em um país continental com realidades sanitárias tão distintas, delegações de países igualmente com realidades sanitárias absurdamente diferentes transitando, enfim, achei uma atitude absolutamente sem nexo ou bom senso. Se não houver barreiras sanitárias rígidas nos aeroportos, evitando o famoso jeitinho brasileiro, esse evento pode se tornar o estopim de uma tragédia…

    1. José Nilton Dalcim

      Concordo totalmente com você e ainda acrescento que deve haver uma série de gastos de logística. Ou seja, totalmente fora de propósito, já que nem público haverá pelo menos até a final.

  6. André Barcellos

    Ainda sobre a Osaka:

    Que se encontre e reaja. É uma grande tenista.
    Todavia…ficou claro que não estava levantando a bandeira de nada ou ser porta-voz de “novos ares”. Foi um problema pessoal muito mal explicado que acabou gerando pauta pra imprensa. Realmente a Osaka se expressa muito mal. Já estavam querendo igualá-la a Billie Jean ou Mohamed Ali. Ambos eram extremamente engajados mas articulavam muitíssimo bem ideias e gestos. A japonesa não está pronta para embates dessa magnitude, até porque sua expressão não é tanta.
    Mas para mim tudo isso perde a razão de ser. Pelo visto foi um tremendo mal-entendido.
    E se não foi isso, andou muito mal a Osaka, já que ao querer tratar um problema pessoal, aproveitou pra capitalizar atenção e tratar como se fosse geral.

  7. Carolina

    Roland Garros poderia ter colocado o jogo do Tsonga mais cedo para evitar o toque recolher. Ele merecia uma torcida pelo conjunto da obra.

  8. Luiz Fernando

    Quando vemos na TV esses atletas milionários, cheios de regalias, não imaginamos que todos passam por problemas como qualquer ser humano. Tudo isso acaba de ser escancarado com esse episódio lamentável da Osaka, que relata traumas e depressão desde aquele ocorrido no USO 2018. Uma atleta de alto rendimento como ela, se de fato tem esse tipo de problema, deve procurar tratamento, pois além de muito jovem pode escolher aonde ir e com quem se consultar, independentemente do custo. Como ela tem uma carreira brilhante pela frente, torçamos para q se reencontre e volte a brilhar em quadra, que é o se espera dela…

  9. Marcelo Costa

    Osaka desistiu, em tempo, 30% da população mundial sofre de algum desconforto emocional, sendo depressão o mais preocupante, mas vamos taxar de forma covarde como mimimi, chamar atenção , e outras formas de agressão.
    A solução para Covid é vacina, mas para esse ódio desmedido tem solução? Que billie king a ampare nesse momento difícil.

    1. Alessandro Siqueira

      Ninguém deveria tachar ninguém de nada, afinal a gente nunca sabe o tamanho dos calos do outro. Infelizmente, contudo, as redes sociais viraram um tribunal de inquisição onde a grande maioria manda para a fogueira sem titubear.

  10. André Barcellos

    Fácil o jogo para o suíço hoje.
    Mas realmente o jogo do Istomin não casa com o do Federer, então nem dá pra saber onde está o tênis do maestro.
    No entanto, a falta de agilidade (que se reflete mais nas arrancadas que na velocidade) é nítida. De vez em quando até notei um certo “desajeitamento” no Federer.
    Enfim, rodada bônus para o suíço recuperar alguma coisa de ritmo de jogo.

    Sobre a Osaka, é como falou o colega aqui. Não se pode fazer o que se quer sempre. A imprensa é parte fundamental do esporte-entretenimento e não se pode desconsiderar esse aspecto, como bem ressaltou Nadal.

    Quanto ao Thiem, é uma pena. Gosto de vê-lo jogar, embora me cause certa aflição quando ele não está num dia bom. Acho que seu problema é fundamentalmente físico. E acaba desgastando o mental. Ele mesmo já tinha declarado há algum tempo que não consegue jogar mais de 150 minutos sem o joelho começar a doer, salvo engano. De resto, sempre achei seu jogo muitíssimo físico. Empreende muita força pra bater todos os golpes. Fora a correria. Isso já deve pesar pra um cara que ano que vem estará rondando os trinta.
    Pensei que seria ele a destronar Nadal em RG, mas hoje essa conta ficou mais difícil.

  11. Ronildo

    Seria os cúmulos de coisas bem negativas a Osaka ser banida do torneio por não querer dar entrevistas! Seria um desrespeito inclusive com outras competidoras que teriam um jogo a mais do que a tenista que seria sua próxima rival.

    1. michel

      mas qdo o djoko foi punido e desclassificado do us open por descumprir o regulamento vc foi contra ou a favor?

  12. Luis

    Pessoalmente acho que as entrevistas que os atletas dão durante as derrotas são importantes. Concordo com o Dalcim, deve ser muito difícil dar uma entrevista de pois de jogar e perder, mas acho que nós expectadores e eles jogadores vamos perder uma parte muito legal do esporte. Elogiar o adversário, manter uma atitude mental positiva, tentar tirar o que teve de bom, ter que esfriar a cabeça para analisar o que deu errado logo depois da partida, isso é um exemplo para todos e talvez uma das coisas que difere o tenis de outros esporttes.

  13. Marcilio Aguiar

    O adversário foi apático e por isso não dá para tirar muitas conclusões otimistas, mas como foi bom ver o Maestro utilizar todos os seus recursos para nos brindar com jogadas da categoria de sempre. Dropshots, voleios, silices, paralelas e um saque bem afiado. Obrigado Federer por mais esse prazer de te ver jogar. Não precisa provar mais nadam e “Que seja eterno enquanto dure”.

    1. Sérgio Ribeiro

      Exato , Marcílio. Apesar de estar na sala de jantar do Espanhol , ele passeou a vontade . Fez como se estivesse na Grama com direito a inúmeros Aces, WINNERS , Slices e subidas a rede a dar com o pau. Mesmo ainda com erros de forehand por chegar atrasado , acredito que possa perturbar também Marin Cilic . Mas sem dúvidas o Croata é bem mais perigoso. Vale a torcida. Abs!

  14. Rodrigo S. Cruz

    Jogo muito tranquilo pro Federer.

    Pegar um adversário como esse era o que ele mais precisava no momento.

    Porque o importante agora é readquirir a confiança, principalmente no forehand que estava errático demais.

    E acima de tudo vencer. Seja quem for, e do jeito que for (rs)

    Mas claro que comemoro isso com cautela, porque o Istomin também não testou o suíço em nada…

  15. Arnaldo Pires

    Dalcim, amo tênis não fico 3 dias sem jogar e por essas e outras acho Federer espetacular, seu jogo é fantástico, Nadal é um monstro um exemplo de jogador e de pessoa por suas atitudes dentro e fora de quadra, Nole é fisicamente invejável, tem alguns golpes matadores, assim vejo cada um deles.
    Eu leio os comentários aqui, percebo que tem mais torcedores do que tenistas, o que vejo falando que Federer esta acabado é coisa de louco.
    Federer mesmo com a idade tem uma variação de jogo arrisco dizer, nenhum outro tenista na face da terra tem, e para desespero dos torcedores e felicidade dos tenistas tem muita lenha para queimar e se manter no top 10 por alguns anos ainda.

  16. José Eduardo Pessanha

    Rapaz, a diferença de categoria entre Rogério e os Maratenistas é avassaladora. Dalcim, quantos % você acha que esse jogo bonito (numa era de pisos super lentos) e esse legado do Craque impactam na determinação do título de “Maior Tenista de Todos os Tempos)? Chetnik, Paulo Almeida, Luiz Fernando, Fabriciano e demais colegas que torcem pro Maratênis acham que esse conjunto artístico não conta. Já eu acho que esses componentes equivalem, no mínimo, a 50% do título de Maior Tenista da História.
    Abs

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, acredito que o estilo dele, as jogadas desconcertantes aliadas obviamente ao enorme sucesso que teve nas quadras são peças fundamentais nisso. Vamos dezenas de jogadores, inclusive adversários diretos e mais jovens, fazer essa referência.

      1. Luiz Fernando

        Dalcim estou de acordo que o ítem “habilidade” é relevante, mas vc também deve concordar que é algo subjetivo, ou seja, alguns podem valorizar mais e outros menos. Da mesma forma, outros podem valorizar mais os resultados e outros menos, algo também subjetivo mas ao menos mensurável, palpável. Continuando a resposta ao questionamento do nosso querido Pessanha, salvo engano vc já postou aqui que para definir isso ou aquilo há necessidade de aguardar o final das carreiras dos componentes do Big 3, ou será q entendi errado um comentário prévio seu nesse sentido?

        1. José Nilton Dalcim

          A pergunta não foi sobre critérios para se avaliar Goat, mas sobre o fato de o estilo de Federer ajudar muito na sua enorme popularidade, Luiz. Ao menos foi isso o que eu entendi e, se for, concordo.

      2. Rodrigo S. Cruz

        Pois é.

        Uma tarefa inglória tentar negar isso… eu particularmente sinto pena de quem tenta (rs)

        Claro que quando eu posto algo nesse sentido eu adiciono um boa dose de provocação ácida.

        Mas eu sei que contra fatos não há argumentos – Federer reúne resultados + estética!

        E evidente que isso não é para qualquer um…

        E que a opinião pública, em geral, não aprecia somente aquela “maquina fria” fabricante de resultados.

        A forma com que você pratica o esporte também é fundamental.

    2. Luiz Fabriciano

      Não acho nada.
      Discordo veementemente do termo maratênis e o que acho é que, jogadas bonitas e tais outras, não definem o maior e melhor, tampouco para quem escolho torcer. Aliás, nem escolhi, aconteceu.
      Existem coisas que me fazem apreciar um profissional que vão bem além da técnica. Enfim…

  17. Paulo Almeida

    Rapaz, jurava que o Medvedev não fosse passar do Bublik. O russo quebrou um importante bloqueio.

  18. Vitor Hugo

    Roger está jogando muito bem. Muito bem mesmo! Além das minhas expectativas.
    Claro que o adversário é fraco, mas vem com ritmo de jogo devido ao qualy.

    Os voleios, slices e drops do suíço são DISPARADOS os melhores do circuito! Quem entende do esporte concorda.

    Outro ponto positivo: Não cedeu nenhuma chance de quebra para o rival. Sacando muito bem!

    1. Sérgio Ribeiro

      Nada que preste como sempre rs . “Fenômeno” pra tuas negas. Não assistes jogo algum não é mesmo caríssimo P.F . ? . O garoto venceu seu primeiro ATP na… SEMANA PASSADA. Estava mortinho , mas aindas vai ouvir falar muito dele. Se é que estarás por aqui pós RG rs .Abs!

  19. Efraim Olivei

    O narrador do BandSport deu um show de desinformação. O cara puxou tanto o saco de Roger que se perdeu nas contas e no tempo -e foi corrigido pelo Flávio.

    Primeiro: ele afirmou que Roger é o recordista de semanas na liderança; aí o Flávio foi até elegante pra lembrar que o recorde já pertence a Novak.

    Segundo: ele errou também na contagem de Novak. Se Novak atingiu o recorde em Março, e permanece líder até agora, então ele já fez bem mais que 311 semanas.

    Acho que quem faz cobertura esportiva têm que estar, pelo menos, ciente dos principais feitos do esporte.

    1. Paulo Almeida

      Ainda bem que o Flávio torce pro GOAT Djokovic e está sempre pronto para corrigir essas figuras.

    2. Luiz Fabriciano

      Por isso que quando há a possibilidade de assistir no Sportv, não vacilo. Vou direto para lá.
      Sportv 3.

    3. Sérgio Ribeiro

      Exato . Inclusive o parceiro que disse que Bublik somente entrou pra cumprir tabela. Isso é muito pior que o erro do cara na transmissão. O mané que te acompanhou nesse infeliz comentário também não viu o cara dar saque por baixo. Medvedev surpreendeu com um ótimo Tênis para o Saibro. A meu ver. Abs!

      1. Efraim Olivei

        O Bublik não demonstrou ter jogo pra ter vencido essa partida. Só cumpriu tabela, acho que isso ficou nítido no decorrer do jogo. Mesmo que eu tenha usado as palavras erradas, não tem como comparar ao erro de um profissional que cobre o esporte e que no mínimo deveria saber dos principais feitos do esporte. Ele ficou enaltecendo tanto o Roger que esqueceu que a fila andou. A sorte dele é que o Flávio foi super elegante na correção, chegando até dá uma de desentendido… e ele ainda continuou errando nas contas. MDS!!!

    1. Paulo F.

      Federer será surrado quando enfrentar Thiem, o segundo melhor saibrista depois do Nadal.
      Oh wait…

  20. Rodrigo S. Cruz

    Acabei de ver a conclusão do jogo entre o Ruud e o Paire.

    Pelo momento de cada um, o primeiro era o favorito mesmo.

    Mas o Benoit Paire saiu de quadra chorando…

  21. Groff

    Ontem quase parei para escrever aqui. Comecei no fim do segundo set a ver o jogo do austríaco e estive para comentar que estava gostando do que via até ali: jogando bem alguns pontos importantes e tentando controlar um adversário que estava jogando muito firme. Cheguei a pensar que, mantivesse o andamento, poderia ganhar em confiança para evitar que o campeonato tivesse o mesmo dono de sempre daqui a duas semanas (possibilidade extremamente remota agora, diria quase impossível). Mas daí veio o quesito que mais me incomoda no jogo do Thiem, que é a falta de consistência e de cuidado no primeiro serviço. Até quando ele está bem ele “força” uns serviços logo de cara de um modo que os 3 grandes nunca fazem (eles deixam para arriscar esse nível de agressividade no 30 ou 40-0, isso quando as coisas estão indo bem). Invariavelmente o Thiem se vê sacando com 0-15 ou 0-30, o que é bizarro para quem tem o potencial de estrago que ele tem com o saque e me deixa muito irritado quando estou vendo uma partida sua (talvez mal acostumado pelos big 3 rsrsrsrs). Acho que, agora que ele fez uma boa adaptação para a quadra dura, está na hora de incorporar alguém que ajude o “mindset” para que cuide melhor do serviço. Minha impressão é que a técnica de saque dele (especialmente no quesito “placement”) não é tão boa quanto a potência e me parece haver espaço para muita melhoria ali. Mas é só impressão, pois não vi tantos jogos dele quanto já vi, por exemplo, dos 3 grandes, do Stan e do Murray. Não sei o que acha, Dalcim.

    1. José Nilton Dalcim

      Você tocou num ótimo ponto. Realmente, me incomoda a imprecisão do primeiro saque do austríaco em alguns momentos importantes do jogo. Por vezes ele exagera na potência e deixa o índice de acerto despencar. Claro que seu segundo saque não é nada ruim, porém isso o obriga a entrar em muito mais pontos do que deveria, principalmente naqueles mais delicados.

      1. Groff

        Exato, Dalcim! Parece que ele sempre acha que pode jogar tranquilo com o segundo serviço, sendo que, estamos vendo, não é bem assim. Nem o Sampras, com o melhor segundo serviço de que eu consigo me lembrar na Era Aberta, tinha esse grau de “descuido” com o primeiro saque. Grande abraço!

  22. GUILHERME MARTINS DE SOUZA

    Só o fato de obrigar alguém a falar já é errado. Ainda mais hoje que todos podem se comunicar diretamente com o seu público via Twitter, face e instagram. Dou total razão para ela e são uns frouxos os tenistas que não a apoiam. Comem na mão da imprensa.

  23. Bruno

    Dalcim,
    Qual é o mais difícil
    Federer campeão em RG ?
    Palmeiras ganhar do Flamengo
    Paulo A parar de falar besteiras ?

  24. Miguel BsB

    É claro que o Thiem está com problemas…físicos, provavelmente, não da pra saber “de longe”. Mentais, são facilmente perceptíveis. A queda mental costuma seguir a queda física.
    Em 2016, assisti in loco o primeiro confronto entre o austríaco e o espanhol, Rio Open 2016, numa pequena quadra lateral, 1a rodada, Thiem tava começando a despontar no circuito, bateu sem maiores problemas o Andujar em 2 sets.
    Em condições normais de pressão e temperatura, o Thiem eliminaria o Andujar ontem.

    1. Júlio

      por isso nao faz sentido o Sergio Ribeiro vir tirar sarro de quem disse que o Andujar é de fato magistral. Alias, ele mesmo (o SR) se contradiz porque num comentario de hoje afirma que o Thiem está longe do seu alto nivel, entao claro que foi zebra a vitoria do Andujar.

    2. Sérgio Ribeiro

      Em C N T P , concordo. Mas Dominic faz muito esforço pra jogar o seu melhor . Muito longe de possuir a naturalidade de Federer. Se não estiver bem fisicamente, e’ mais um no Circuito . E o Espanhol muito maduro na turma , conhece também os segredos do Saibro . Longe de ser um dos mosqueteiros da Armada Espanhola , mas joga mais do que dizem certos “ especialistas “ aqui do Blog. Abs!

  25. LION

    O próprio Djokovic passou por uma longa “deprê” pós primeiro Grand Slam. Curioso como isso acontece mesmo. A grande diferença é que Novak ainda era garotão, de modo que deu tempo dele voltar ainda bem jovem. Ganhou o AO em 2008 aos 20 anos, tiltou por quase 3 anos, mas recobrou a razão aos 23 e deu seguimento ao seu destino. Thiem tem 27, indo pra 28 esse ano. É uma situação bem diferente, pois ele não tem o tempo que Nole tinha.

    1. Luiz Henrique

      Tá doido? Depois do AO ganhou IW e Roma. Era o líder de pontos do ano até o meio do ano, e se manteve no top 3 até ganhar seu GS seguinte. Cada uma

  26. Rodrigo Azevedo

    As vezes eu faço o que quero, as vezes faço o que tenho que fazer. Fica a dica para a Osaka.

  27. Daniel C

    Incrível o que a falta de confiança faz. O Thiem tem mais tênis que o atual no1 do mundo, mas mal consegue ganhar jogos. Uma pena, tomara que consiga voltar aos bons tempos. Agora era a hora dele começar a derrotar os grandes em GS e ele com certeza tem tênis para isso.

    Em relação ao que o Gasquet disse sobre o Federer, é lógico para a maioria dos amantes do tênis bem jogado. Mas não é pq ele disse que certas pessoas irão mudar de ideia, isso é óbvio. Como eu já disse, tem gente que só liga para os resultados, mas tem outros que conseguem enxergar além dos números. Felizmente, eu faço parte do segundo grupo e pelo jeito o Gasquet tb.

    Sobre a Osaka, infelizmente está se achando mais do que é. Está querendo chamar muito a atenção, lembra um pouco o Djokovic quando fazia imitações no início da carreira buscando mais popularidade. No final vimos que isso não fez muito efeito, pelo contrário, só atrapalhou. Acho que com o tempo ela vai cair na real, principalmente se começar a botar uma queda na sua popularidade.

    1. Luiz Fabriciano

      O que mais me impressiona é a busca desenfreada para achar meios de desqualificar alguém.
      Continue, mesmo sabendo que não achará. Assim, com o tempo dedicado à esse propósito, quem sabe não falte para realizar o intuito.

      1. Daniel C

        Não entendi seu comentário. Quem eu desmereci? Por acaso disse que alguém não joga nada? Acho que não. Revendo aqui o que eu disse:

        1) Thiem tem mais tênis que o Djokovic. Ora, eu acho isso. Isso não é desmerecer o sérvio, afinal o austríaco é um baita jogador, vencedor de GS. Lamento se todos os títulos e marcas do sérvio não pesam nessa minha percepção do tênis praticado por ambos. Reconheço que o Djokovic é super eficiente e vencedor na sua proposta de jogo, mas em termos de recursos e habilidade,, considero vários do circuito superiores a ele

        2) Djokovic no início da carreira adorava fazer imitações. Por acaso eu menti? E na minha opinião ele adorava chamar a atenção do público com isso. Mais uma vez, minha opinião e não vejo falta de respeito algum.

        Se vc acha que eu disse algum absurdo, pode pular o comentário. Mas não ache que vc “fez uma grande descoberta” me acusando de procurar desmerecer alguém a todo instante. Tenho mais coisas pra fazer na minha vida. Eu apenas manifesto minha opinião e nada mais.

  28. Efraim Olivei

    Eu já havia dito que achava que o Thiem ganharia um slam primeiro na quadra dura do que no saibro. Acho que o Thiem teve o jogo moldado pras duras, e com isso deixou de ser mais dominante no saibro. Lógico que essa derrota dele na estréia foi terrível, mas acho que só foi um adianto do que já estava escrito nas estrelas: Thiem deixou de ser um dos favoritos no saibro e seria eliminado em breve. Para além de Nadal e Novak, acho que esse favoritismo passou pro Tsitsipas.

  29. F.R.

    A Osaka (e a geração mimimi) precisa crescer em algum momento. Sei que ficar em casa por um ano e meio com a pandemia deixou muitas pessoas no limite, muitos ficaram estressados, mas quando ela decide participar do torneio, não é apenas sobre ela. Então tenha um pouco de respeito pelo jogo. Tenha um pouco de respeito pelos seres humanos que fazem a coisa acontecer, pelo ser humano da imprensa que tá lá trabalhando e respeito por você mesma. Osaka, sua mãe não ficaria orgulhosa ao ver você se recusando a dar entrevistas. Cresça. RG e o circuito são maiores do que você.

  30. Luis

    Dalcim que fase do Thiem diria Milton Leite kkk mostra que a Confiança e’ muito importante esporte individual de alto nível e da pra notar o Assombro que o Big3 conseguiu dominar tênis por quase 20 anos rs,Federer talvez vive momento parecido Thiem vantagem Suíço e’ não depende tanto do físico como Austríaco mas Suíço tem fator 40 anos contra,mas se tem homem que pode surpreender pelo talento único e’ Federer tomara consiga vencer uns jogos pra tá bem na Grama talvez adaptação a grama seja mais rápido por Suíço se dar bem lá vamos 9 Wimbledonkkk ,e uma Cutucada no Dalcim pela freguesia pro Mengao ,Sp dar dicas como parar Fla rs

    1. José Nilton Dalcim

      Freguesia numa derrota no pênaltis e um jogo em que o goleiro adversário foi o melhor homem em campo? Hmmm

  31. DANILO AFONSO

    Estou eu comendo pipoca enquanto leio as divertidas brigas costumeiras do blog na pasta anterior, quando quase me engasgo de tanto rir ao ler o nobre PESSANHA afirmando que PARIS é parecido com BUENOS AIRES. Cuma ??

    Eu pensando que o nobre Pessanha só falhava nas percepções e previsões tenísticas…kkkk

    De duas uma: ou ele foi em algum bairro dos hermanos fora do roteiro turístico convencional e só ele teve a sorte de presenciar arquitetura e monumentos deslumbrantes ou em Paris só conheceu bairros mais distantes e alheios a vista consagrada e ímpar da cidade da luz.

    1. Cassio Carvalho

      Não é o Pessanha que diz. E a historia da arquitetura. Leia sobre o assunto. São modelos que as cidades tomam para construir e planejar cidades. Modelos, não “cópias fiéis” e justamente sujeita a variações de estilo e misturas etc. Más voltando aos modelos tomados, se lemos sobre o assunto vemos que cidades como São Paulo, tomou (ou tentou tomar) como exemplo Nova York, sobre tudo no Modernismo do “centro expandido”. E Buenos Aires, toma estilos como o de Madrid e Paris. Os estilos de construção comprovam isso. Está nos projetos a intenção. Agora cada cidade é uma cidade. Não acho incorreta a afirmação do Pessanha.

      1. José Eduardo Pessanha

        O Cássio soube explicar o que eu não consegui. Realmente, as duas cidades se parecem muito. Tanto na arquitetura quanto no urbanismo em geral. Buenos Aires se destacando com seus imensos parques, desde Puerto Madero até Nuñez. Paris se destacando com suas construções monumentais em esquinas, claramente inspirando a arquitetura de Buenos Aires, e seus magníficos parques e “cafés”.
        Abs

  32. Maratenista

    A Osaka, que tem um belo tênis, ostenta uma postura totalmente fake, a começar pelas ensaiadas e irritantes batidinhas na perna antes de receber um saque. Agora quer lucrar com a imagem de líder e de combatente contra a opressão. Mas o tiro vai sair pela culatra.

    Os “opressores” que ela combate são os mesmos que a catapultaram merecidamente para estrelato. Sem os jornalistas, o tênis – e ela tampouco – teria a projeção que tem hoje, inclusive para militar na última moda liberal-woke que possa surgir. Ele atirou pra o lado errado. E a militância mimada e planejada da moça só deixou transparecer o que poderia haver de pior: uma exigente e intransigente busca por privilégio.

  33. maurício

    Boa noite, Dalcim, sobre a situação da Osaka, eu acho que se está na regra e o atleta pratica o esporte, então não pode haver exceção, sob pena de haver quebrar de isonomia no esporte. Agora, por outro lado, sempre achei esta regra absurda, se a pessoa não quer falar que se respeite a vontade dela, se ela perder os patrocinadores e fãs o problema é dela e de mais ninguém. Acho que a Osaka, ao invés de simplesmente se negar à entrevistas, deveria buscar, antes, o apoio de seus colegas, para abolir esta regra idiota, seria mais efetivo, mostraria que não é apenas um capricho de menina mimada e que existem outros tenistas que pensam como ela, eu acredito que existam. O que acha Dalcim? parabéns pela cobertura, sem ela parece que fica faltando alguma coisa nos SLAMS, um abraço e fique em paz.

    1. José Nilton Dalcim

      Exatamente, Maurício. Não vou entrar no mérito da questão, mas a forma foi equivocada. Algo assim se justificaria se houvesse uma perseguição declarada ou algum histórico anterior, o que não é o caso da Osaka. Ela se queixa apenas das perguntas óbvias sobre seu aparente desconforto com o saibro, nada ofensivo, apenas técnico. Obrigado e abração!

  34. Mauricio AW

    Eu acho que a galera pegou o jeito de jogar contra o Cerundolo, vejo o Thiago abrindo pra direita e dando porrada, especialmente no segundo saque do argentino. Se o primeiro já é fraco, imagina o segundo.

  35. Sérgio Ribeiro

    Se por um lado Dominic Thiem decepcionou apesar da má fase , , Stef TSITSIPAS mostrou que não está pra brincadeiras. Teve equilíbrio emocional no Tie-break contra o dono da casa , e parece estar totalmente focado . Ainda e’ muito cedo , mas me atrevo a cravar que o Grego parece pronto pra assumir neste RG , o protagonismo da Nova Geração. Abs!

    1. Sérgio Ribeiro

      Ps. Não poderia deixar passar batido este incrível recorde de dois Multi-Campeões separados apenas por 1 Mês de Idade. Incrivelmente empatados no número de Vitórias em SLAM ( 362 ) em 414 partidas, com Serena jogando apenas 7 a menos . Ou seja , O Suíço resolveu desconsiderar que suas partidas são em 5 Sets . Sendo que o Craque possui mais de 70 Vitórias em TODOS os SLAM incluindo Roland Garros . Nem em sonho Jimmy Connors que jogou até os 44 , se aproximou … Abs!

  36. Renato Toniol

    Fala-se muito do Andujar ter derrotado Federer em Genebra e agora o Thiem em Roland Garros. Embora ele nunca tenha sido sequer top 30 e ter apenas 4 títulos de ATP na carreira, mas vamos lembrar que ele teve match point para despachar Nadal no Rio Open de 2014.
    Sempre gostei do tênis dele, com ótimos golpes da base e bom equilíbrio entre o ataque e defesa, mas falta um saque mais contundente.

  37. juninho Fonseca

    Dalcim…. Federer ganhou do Evans,que ganhou do Djockovic semana depois, e depois vou perder apenas p aquele georgiano que foi campeão do torneio…. inclusive naquele torneio o Federer chegou a ter match point contra ele…..ou seja .foi quem mais deu trabalho o campeão…… depois me perde p Andujar que acabou de ganhar do Thiem……..eai??vc acha q eu estou querendo ver o copo meio cheio??hahahahha……ainda dá p veio????

    1. José Nilton Dalcim

      Eu já frisei várias vezes que não vi Federer jogando mal nenhuma das partidas. Faltou apenas um certo controle para confirmar a vitória, já que esteve com vantagem em todos eles. Acho que obviamente não se pode esperar muito dele nos pisos lentos, mas não o descartaria ainda das quadras mais velozes caso se recupere fisicamente.

  38. Paulo

    Não é de hoje que percebemos o emocional da Naomi Osaka prejudicando o seu tênis, de muita potência em quadra. Nas suas frases é fácil perceber como ela se desestabiliza com um comentário ou um pensamento ruim antes ou durante o jogo, mas neste caso, o problema é dela e não dos torneios e seus patrocinadores. O comentário do Nadal foi muito adequado no sentido de mostrar que a imprensa (boa e ruim) faz parte do trabalho de divulgação de um atleta para ele conseguir ser visto fora dos torneios e aumentar seus patrocínios. Algumas tenistas contratam psicólogos para fortalecer a parte mental (já vimos que “gurus” não funcionam…), como admitiu a Iga Swiatek, por exemplo, e isso poderia ser uma saída para ela.

  39. Arnaldo Pires

    Pois é vi muito pangaré aqui julgando Roger Federer, pela derrota para o Andujar, quem acompanhou o jogo contra Federer é hoje contra o Thien, pode observar que Andujar não dá bobeira, é está jogando um ótimo tênis, vamos ver até onde irá no Slan.

  40. Denis

    Dalcim, vc acha que a falta de bom senso é da Osaka ou de todos os envolvidos? Da minha parte parece que os organizadores estão fazendo o possível pra manter o diálogo, mas sem abrir mão das entrevistas obrigatórias.
    Já a naomi está agindo de uma forma bem intransigente(pra não dizer mimada) em toda a situação.

    1. José Nilton Dalcim

      Mas como abrir mão das entrevistas obrigatórias, Denis? A regra tem de ser igual para todos. Então você libera a Osaka, mas obriga a Serena a dar entrevista?

      1. Denis

        Concordo Dalcim, não acho que nenhum tenista pode ser privilegiado com uma exceção a regra desse tipo. Por isso a punição foi bem aplicada pela organização. Uma eliminação do torneio possivelmente faria a Osaka perceber o quão infantil foi a forma como ela abordou toda a situação

  41. Periferia

    Ali disse não ao sistema…

    Tommie Smith e John Carlos…disseram não.

    Jackie Robinson disse não.

    Billie Jean King disse não

    Navratilova disse não.

    Ashe disse não

    Por que Osaka não pode dizer não???

    O sistema não gosta da palavra “não”.
    Acho uma palavra bacana…

    1. José Nilton Dalcim

      Todos esses citados por você sempre optaram pelo diálogo, nunca pela imposição. Billie Jean foi o exemplo maior no tênis. Se o diálogo não funcionar, aí me parece aceitável ações mais firmes e desafiadoras. O caso da Osaka está bem longe disso. Ela simplesmente está incomodada que se façam perguntas sobre seus resultados fracos no saibro.

      1. Periferia

        Olá Dalcim

        Discordo um pouco.
        Ali não teve diálogo…sua licenca foi retirada.
        Os atletas das Olimpíadas do México também sofreram represálias.
        Robinson talvez seja o maior exemplo de intolerância no esporte…e mesmo assim…sem diálogo …sem nada…ele mudou um esporte….apenas rebatendo e correndo.
        Acho mesmo se pegar todos os tenistas do mundo….colocar em quarto …apagar a luz….todos concordarão com Osaka.
        As entrevistas…principalmente nos grandes torneios é feita por jornalistas com pouco conhecimento do esporte (estão ali cobrindo um grande evento).
        Por isso o atleta hoje é um produto…tratado como margarina (uma margarina cara.. muitos ganham bem).
        Quando alguém discute ou chama para “dançar” o sistema….é criticado.
        Osaka pode até errar na forma…mas o conteúdo é maravilhoso.
        “O sistema que mude…o artista sou eu” (diria um personagem de uma peça famosa).
        Abs

        1. José Nilton Dalcim

          Engano seu, José Cláudio. A maciça maioria dos jornalistas que acompanha esses eventos estão há anos no circuito e têm um conhecimento bem além do mediano. Observe que a queixa da Osaka são as perguntas sobre seu desempenho fraco no saibro, uma questão meramente técnica. Abs!

    2. Cassio Carvalho

      Adorei. O Boicote que o Ali levou…. Por dizer o que os organizadores do mundo não queriam escutar.
      Olha, acho que a associação do Djoko fala um pouco sobre essa premissa de que “tipo de diálogo” se pode dar com os que tem a bola e o campo embaixo do braço. Sempre está longe de ser uma conversa unilateral. Quem tem o poder não é a Naomi. Então, não considero (falta de dialogo, ou unilateral). Ela está manifestando uma necessidade. É tão dificil assim permitir? O que a organização não quer é abrir o precedente. O mesma represalia que fizeram com o Djoko. É um tema social, pra mim é uma questão que supera o Tenis.

  42. Eduardo

    Thiem está estranho mesmo. Um cara do nível dele, quando precisa de confiança e vence um bom primeiro set como ele fez, deveria deslanchar e dominar o jogo. No entanto, pareceu sempre estar desconfortável em quadra.

    Com relação à Osaka, está se achando acima do esporte. O correto seria a imprensa ignorá-la então, seja na vitória ou na derrota, e simplesmente não dar palanque pras frescuras dela, mas isso não vai acontecer. Portanto, espero que ela saia do torneio. Ps: passeia torcer pela Osaka desde aquela palhaçada que a Serena fez contra ela na final do US Open, mas desde aquela patifaria em Cincy, quando ela fez o barulho que fez (apoiada por muita gente da imprensa) e depois voltou atrás, ela vem se tornando uma jogadora insuportável. É aquilo: criaram a “cobra”, agora aguentem. Eu não assisto mais jogos dela.

    Dalcin, acha que o Federer tem boas chances de chegar à segunda semana?

    Abs

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, eu gostei do que ele mostrou em Genebra, nem de longe achei que jogou mal. Acho que ele passa pelas duas primeiras, mas se encarar o Fritz poderá precisar de um tênis ainda melhor. Seria importante ele não se desgastar demais nesses jogos iniciais.

  43. Antônio gabriel

    A Osaka está começando a querer aparecer mais do que deveria, acho até que ela não vai longe em RG, mas rebeldia tem limites, talvez uma multa mais pesada faça ela mudar de ideia. Se não quer falar vá na entrevista e não responda perguntas. Será taxada de chata e xarope, mas é melhor do que bancar a revoltada com essa conversa fiada de abalo psicológico.

  44. Luiz Correia

    Que preguiça dessa Osaka, mimizenta. Depois não sabem pq o tênis masculino da muito mais audiência. É só ver essas números 1 sem sal, estilo Barty e Pliskova, a escandalosa Serena e agora essa mimizenta

    1. Ronildo

      Se você não aprecia a pessoa, o ser humano, aprecie o tênis que elas desenvolvem. A Barty é fantástica com sua variação. A Pliskova tem um super saque. Tenta definir o ponto já na segunda bola. É legal ver um jogo dela contra outras tenistas que devolvem bem. Mesmo porque a Pliskova não tem apenas saque em seu jogo.

  45. Paulo

    Dalcim, queria saber sua opinião sobre alguns tenistas outrora talentosos, que perderam na primeira rodada, como Dimitrov e Giles Simon. O Nishikori também escapou por pouco de perder para um tenista fora do top 100. Poderíamos incluir o Tsonga e o Gasquet na lista. Você acha que o tempo deles já passou para torneios acima do ATP 500? Outra dúvida: o que aconteceu com o argentino Leonardo Mayer, que tinha resultados melhores do que o Delbonis e sumiu dos torneios?

    1. José Nilton Dalcim

      São casos distintos. Dimitrov anda contundido e não é de hoje. Simon nunca jogou bem no saibro e o Nishikori não consegue recuperar a confiança depois que precisou mudar o saque por causa da cirurgia no cotovelo. Mas, sim, acho que alguns deles estão no ocaso da carreira, e muito por conta física. São os casos de Tsonga e Gasquet. O Mayer ficou um bom tempo parado, voltou e tem jogado challengers.

      1. Miguel BsB

        Não acha engraçado o Simon não se dar tão bem no saibro, sendo que seu estilo de jogo (passador de bolas) encaixaria melhor no piso lento?

        1. José Nilton Dalcim

          Mas ele bate muito reto na bola, Miguel, e gosta de jogar grudado na linha. Isso complica no saibro.

  46. Luis

    Osaka esta levando muito a serio o peso de ser porta voz de uma geração mimimi.Acho que ela esta gostando mais de ser ativista do que de jogar tenis
    Pena o Thiem, essa deve ter doído.

  47. Paulo Almeida

    Eu gosto dos textos do Filipe, que possui um domínio muito bom da norma culta, especialmente em relação à pontuação, empregando muito bem os sinais.

    Sim, admirar é uma atitude nobre, ao passo que invejar é deveras medíocre.

    Filipe, “pétit” leva acento agudo no e, apesar do som ser grave em francês (apenas uma pequena chamada de atenção).

    1. Paulo Almeida

      Cometi uma bela de uma gafe, uma vez que “petit” não leva acento, ao contrário de palavras de semelhante pronúncia, como “désolé”, “élégance”, “été” e “périphérie” (dita por ele depois, inclusive).

      Deveria ter ido ao Google me certificar antes (rs), mas agora já foi.

      Bom, como diz o velho ditado: errar é humano, persistir no erro é burrice. ?

      1. Filipe Fernandes

        Caro Paulo Almeida,

        Fique tranquilo, às vezes esses deslizes passam mesmo. Fazem parte. Também aprecio a sua escrita, ela é feita sempre com muita clareza, por mais que em geral você fique pegando no pé do Federer (risos).

        Meu caro, aproveito aqui a oportunidade para te recomendar um filme: “Eu Te Amo, Cara”, de 2009. Há muito tempo não o vejo (preciso rever), mas é uma das comédias mais engraçadas e originais que já vi, o seu humor divertidíssimo ainda me cativa.

        E o motivo principal da dica é que os dois protagonistas são fãs inveterados de uma banda que eu sei que você ama (pelo menos é o que pude perceber em seus comentários musicais já feitos): Rush. Você vai embarcar com eles na garagem, pegar uma das guitarras e soltar o som, rs.

        (https://youtu.be/TJU061IOMMU)

        Um grande abraço, meu caro, e saúde.

        1. Paulo Almeida

          Caro Filipe,

          Quando meu lado clubista vem à tona, é claro que nenhum dos torcedores rivais gostará muito do conteúdo escrito, mas obrigado por pelo menos apreciar a forma (rs).

          Assistirei ao filme que acaba de sugerir e depois emitirei uma opinião. Estou bem longe de ser um amante e expert de cinema como você e o Peri, porém, só do Rush estar presente de alguma forma, já me senti cativado.

          Outro abraço e saúde.

  48. JAN DIAS

    O MENTAL: ?

    ⚾️ THIEM: Não estou nada surpresa c/ a derrota do austríaco. Eu tomo remédio pra depressão e trabalho há anos em 1 setor de Saúde Mental e digo que ele tá claramente deprimido e precisa procurar ajuda urgente.

    ⚾️ OSAKA: Vai ter problemas c/ a carreira se não conseguir se pronunciar p/ a imprensa. É tímida, introvertida e bem nervosa, o que dificulta a comunicação.. Eu acho muito boa a sugestão de a entrevista após uma derrota ser opcional.

  49. EDVAL CARDOSO

    Muito chateado com a derrota do Thien, pra mim o mais bonito e competente do saibro, notem que estou falando das duas qualidades juntas.
    Teve o azar de pegar um tenista que não é tão bom assim, mas no saibro também não é um qualquer, que aliado a má fase do austríaco acabou ganhando.
    Mas o tênis do Thien está alí, só falta voltar a confiança, torço pra que volte o mais rápido possível, porquê é muito gostoso assistir suas partidas.

  50. Marcelo Costa

    A mudança vem através de pessoas fortes ousadas que querem mudar, Osaka vai fazer história, ela será massacrada como todo aqueles que lutaram contra o status quo que não tem espaço.
    Minha torcida a tenista Osaka, meu apreço a pessoa linda Naomi

    1. Ronildo

      Então Marcelo, acho que está faltando empatia por parte dos dirigentes com o caso da Osaka. Já a maioria do público está acusando de estrelismo, porém quem conhece o jeito dela ser sabe que não tem nada haver. Uma pena o Murray não estar lá em RG, acredito que ele falaria em defesa dela.

    2. Rodrigo S. Cruz

      Mas por que será que assim, do nada, ela decidiu que não queria dar entrevistas?

      Porque agora, ela vai ter de rever isso.

      A organização está inconformada e já prometeu novas punições caso a Osaka não recue.

      Ela pode até ser expulsa de Roland Garros!

    3. Evaldo Aparecido Moreira

      Bom dia,
      Respeito a sua opinião, mas vc sabe sobre o código de conduta e regras da ATP?
      È válida para todos, caro Marcelo, a Naomi tem esse comportamento mimimi e não é de hoje, a impressão que tenho dela, é arrogante, cumprimenta as adversárias com sorriso falso e por ai vai, deveria se lembra de quando era menos famoso, ou seja, mais humilde, e a tendência é só piorar, lamentável.

  51. Sandro

    Acho que tem algo psicológico, além do físico, atrapalhando o Thiem…
    Thiem poderia ter ganhado em 3×0? Sim! Mas Thiem esqueceu que o “jogo só acaba quando termina”, não fechou em 3×0, e acabou tomando a virada…

  52. Luiz Henrique

    Apenas a título de curiosidade, não sei se o pessoal vai lembrar
    Em 2014 Wawrinka era candidato real em RG, havia vencido o AO e Monte Carlo
    Aí perdeu na R1 em RG
    No ano seguinte foi campeão
    Thiem vai se recuperar dessa, é um grande jogador

    E talvez seja pra algumas pessoas repensarem oq falaram do Federer
    Eu mesmo em nenhum momento embarquei nessa de que Federer era carta fora do baralho
    Não achei tão grave assim ter perdido do Andujar

    Djokovic que se cuide

  53. Miguel BsB

    Hahahaha
    Já já vou ler o texto e comentar sobre a rodada, que assisti quase toda…
    Mas, antes, vou comentar sobre uns comentários do post anterior.
    Primeiro: não bastasse todo o trabalho que vcs dão pro Dalcim na moderação, ainda apareceu mais um desencavando comentários de 10 anos atrás pra botar mais fogo no parquinho…kkkkkk O Rodrigo Cruz mesmo já pediu pro Dalcim não publicar os comentários pretéritos relacionados a ele.
    Segundo: Gosto é gosto e respeito o de cada um, mas dizer que Paris e Buenos Aires se equivalem é demais! Rs
    E olha que eu gosto muito da capital dos hermanos…

    1. José Eduardo Pessanha

      Já foste em Roma? Dá de 1 milhão em Paris. E Salsburgo dá de 1 milhão em Roma….mas gosto é pessoal, só acho a capital francesa muitíssimo superesTHIEMada.
      Abs

      1. Luiz Fernando

        Meu caro são duas cidades maravilhosas, cada opta por uma delas de acordo o detalhe A ou B, mas não dá p por Buenos Aires nesse contexto. A conferir kkk! Abs.

      2. Miguel BsB

        Rapaz, vc falou de Salzburgo antes, não a conhecia e vou colocar no roteiro…tenho um irmão morando em Viena, to só esperando a bendita vacina e arrefecimento da pandemia para ir visitá-lo. Vou aproveitar e colocar Salzburgo no roteiro, por indicação sua…
        Se eu não gostar, venho aqui te cobrar.. rs

    2. Rodrigo S. Cruz

      Todo mundo aqui já escreveu coisas da qual se arrependeu depois, cara.

      Basta a cada dia o seu mal.

      Fazer Isso desenterra ataques baixos, rancores, ad hominem, ou situações tiradas de contexto a favor de um, em detrimento de outro.

      E eu não gostei de você me citar agora…

      1. Miguel BsB

        Calma Rodrigo, te citei sem querer de maneira alguma ofendê-lo ou desprestigiá-lo…
        Inclusive, concordo contigo. Ficar trazendo comentários de anos atrás, de contextos completamente diferentes, só vão criar mais celeumas…
        Não leve meu comentário a mal…
        Abs

        1. Rodrigo S. Cruz

          Tranquilo, Miguel.

          Sim, claro que você não teve a mínima intenção disso…

          Foi mal se fui incisivo demais na resposta, ok?

          Abs.

    3. Paulo Almeida

      É um descalabro comparar Paris a Buenos Aires mesmo, kkkkk.

      Só no Louvre você precisa ficar o dia inteiro pra conhecer tudo de forma decente.

      1. José Eduardo Pessanha

        Verdade. O Louvre salvou minha viagem. De resto, achei Paris uma Recoleta melhorada. Nada contra, mas a Europa tem centenas de lugares mais fascinantes (dentre eles, Éze, Salzburgo, Monaco, Praga, Viena e Roma).
        Abs

        1. Paulo Almeida

          Pessanha,

          O Louvre é demais e olha que gostei muito do Orsay e do Museu dos Inválidos.

          Não gostou de Notre Dame, Sacre Cœur, Arco do Triunfo, Versalhes, Moulin Rouge, Jardim de Luxemburgo e nem ao menos de subir na Torre? Rs.

          Das citadas, conheci Mônaco (além de Nice e Cannes na Riviera) e Viena e Praga (Bratislava também) no Leste. A Europa tem tantos lugares maravilhosos que é difícil escolher pra onde ir.

          Abs.

  54. Sandro

    Acho que apenas multa de US$ 15 mil, valor pouco expressivo diante da fortuna que tem a Osaka, não está surtindo efeito para combater o excesso de estrelismo da mimadíssima Osaka.
    Esse tipo de atitude é prejudicial ao esporte, ao torneio e um mal exemplo para os mais jovens
    Talvez em vez de ameaçar Osaka de eliminação, esteja na hora de elimina-la de verdade do torneio.
    É impressionante como a fama pode subir à cabeça de uma pessoa e a tornar ‘TOTALMENTE INTRAGÁVEL”.
    A arrogância e a prepotência de Naomi Osaka já está passando dos limites, é o típico caso da ‘SÌNDROME DO ESTRELISMO”.
    Osaka está se achando a última bolacha do pacote, a humildade dela bateu em retirada e o ‘EGO” está mais inflado do que nunca!
    Em vez de querer aparecer pelo seu tênis, ela está querendo criar polêmica para “CAUSAR” fora de quadra. Por quê não pendura logo uma “MELANCIA NO PESCOÇO’??? E olha que ela ainda está no início da carreira, imagine só se ela tivesse 13 TÍTULOS DE ROLAND GARROS como o NADAL, essa menina seria o ‘NOJO” em pessoa!!!
    Menos Osaka, menos, muito menos!!! Você está longe de ser o centro do universo!!! O mundo não gira em torno de você!!!

      1. Sandro

        Mala sem alça é você! O que tem Serena a ver com o assunto? O maior ídolo e fenômeno de Roland Garros é Nadal com seus 13 títulos espetaculares e não a Serena. Fiz um paralelo entre o comportamento do maior ídolo de Roland Garros com a atitude da mimada Osaka que só está no início de sua trajetória em Roland Garros, mas que já está com crise de estrelismo. O que você tem que pôr a Serena no meio do meu comentário?

  55. Paulo F.

    Rodrigo S. Cruz:
    – Tu vives me citando, se tu quiseres que eu não te cites, por quê então tu não páras de me citar?
    Dê o exemplo e comece por ti.

    1. Paulo F.

      Outra coisa, nunca me confundi nos conceitos do tênis como sistema de pontuação.
      Não sou da torcida que acha que se ganha uma partida de tênis pela quantidade de winners ou pela plasticidade dos slices.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Beleza.

        Assunto encerrado.

        Você faltou com a verdade ao me chamar de anti-nadal.

        Isso você sabe que eu nunca fui…

        1. Paulo F.

          Eu te chamei de anti-Nadal no sentido de ser o principal antagonista do teu tenista favorito.
          Mas, tu realmente nunca te vi dirigindo ataques pessoais a ele, como as acusações levianas que outros federetes fazem/fizeram.
          Fica aqui minha correção.
          Abraço.

  56. rafael

    Esse Roland Garros começou movimentado mesmo e a derrota do Thiem foi estranha demais mesmo. Que fase do austríaco e não me surpreenderia se ele rompesse com Massu. Agora a Osaka…respeito a atitude dela, mas cada ação tem uma reação e, neste caso, ela sairá perdedora. E TEM que sair. As regras existem para serem cumpridas e ela, como atleta profissional, sabe muito bem disso. Se não quer dar entrevista, não jogue. Se quer seguir ganhando milhões, jogue, dê entrevista e seja inteligente nas respostas. Simples assim. Ah, que preguiça desse mimimi.
    Que o esporte, formador de pessoas, prevaleça sempre!

  57. Paulo F.

    Como assim, foi eliminado na PRIMEIRA rodada do Slam do SAIBRO, o “estupendo” segundo melhor saibrista da Era Nadal do saibro, segundo o Marquinhos-Johnny-Renato-Vitor Hugo?
    Tu “sabe muito” de tênis, hein?
    Vixi Maria…

Comentários fechados.