Lógica restabelecida
Por José Nilton Dalcim
16 de maio de 2021 às 22:13

Um internauta me perguntou lá depois de Monte Carlo se o favoritismo de Rafael Nadal para Roland Garros estaria abalado pelo mau desempenho. E eu disse que, ainda que o espanhol não se saísse bem nas semanas seguintes, bastaria um título em Roma contra Novak Djokovic para recolocar ordem na casa. Rafa nem foi tão mal assim, já que ganhou logo depois Barcelona, mas o quadro pintado foi fielmente reproduzido neste domingo. E a lógica fica restabelecida.

Com evolução gradual a cada jogo em Roma, Nadal chegará a Paris como o grande candidato ao título, ameaçado acima de todos por Djokovic. Bem atrás, Dominic Thiem ainda me parece o homem mais perigoso para os dois e o nome a ser evitado no sorteio da chave. A única mudança, a meu ver, está no fato de que Stefanos Tsitsipas e Alexander Zverev pintam como adversários de respeito, tanto pelo potencial de jogo como pela experiência que somam no circuito. Diria até que Tsitsipas provou que pode incomodar tanto no aspecto físico como técnico, depois de ficar tão perto de derrotar o Big 2 nas últimas semanas em partidas longas e emocionalmente exigentes.

Como bem disse hoje na entrevista oficial, Rafa recuperou o aspecto mais importante do seu jogo, o forehand agressivo, e isso está diretamente relacionado com sua confiança. Ele não falou, mas deveria também ter ressaltado que o saque progrediu muito na final diante de Djokovic, o tirou do aperto em algumas oportunidades e não ofereceu tantas brechas à poderosa devolução sérvia como se temia. As duplas faltas sumiram – curiosamente, afetaram mais Nole – e ele se deu ao luxo de trazer pequeno elemento de surpresa ao forçar o serviço no backhand adversário.

O jogo teve todos os ingredientes, com muito empenho físico e variações inteligentes. Claro que Nadal ficou mais na defensiva, mas procurou não recuar tanto nas trocas de bola. Djokovic tentou permanecer sempre perto da linha e abusar do backhand angulado. O vento atrapalhou um pouco a iniciativa dos dois, tanto na hora do saque como no risco de se buscar as linhas. E as oportunidades se dividiram, embora no começo do terceiro set eu tenha ficado com a impressão que o sérvio estava mais perto da vitória. Talvez fosse mesmo, porém um forehand frouxo no meio da rede lhe tirou a chance de quebra no quinto game. Castigo pior, sacou contra o vento e foi quebrado de zero, com o forehand de Nadal abrindo buracos. O espanhol se agigantou, aguentou firme e fechou a partida, sabendo que não poderia vacilar um segundo sequer. Grande espetáculo.

Djokovic perdeu pela quinta vez seguida no saibro para Rafa e levará o jejum de cinco anos para Roland Garros. Mas não há qualquer motivo para pessimismo. Fez três jogos de excelente nível técnico no fim de semana, garantiu que não estava cansado da maratona do sábado e que  “jogaria mais algumas horas” se fosse possível. E deu um recado sonoro para Nadal e aos outros pretendentes ao trono: “Encontrei meu jogo no saibro”. Já estou ansioso por Paris.

Swiatek sem adversária
A final feminina foi decepcionante em termos de competitividade, já que Karolina Pliskova não jogou nada. No entanto, não tirou o brilho do tênis agressivo da polonesa Iga Swiatek. Como essa menina de 19 anos mistura bem os efeitos. Joga com topspin pesado, troca muito bem as direções e sempre tenta tomar conta dos pontos. Foi assim que assombrou o circuito com o título de Roland Garros sete meses atrás.

‘Bicicleta’ é coisa rara numa final feminina, ainda mais quando a humilhada é uma ex-número 1 do mundo em sua terceira final de Roma. Foi obviamente um dia atípico de Pliskova, que tomou atitude muito decente e prestou os elogios merecidos à campeã. Segundo a WTA, desde 2000 o duplo 6/0 só aconteceu quatro vezes em nível WTA e, em eventos de primeira grandeza do calendário, foi o mais recente desde a surra de Steffi Graf em Natasha Zvereva em Roland Garros de 1988.


Comentários
  1. Paulo Almeida

    É sério que a pamonha elevada à quinta potência já foi humilhada e surrada no patético 50tinha de Gengibre?????

    HAHAHAHAHAHAHAHAHA!!!

    Foge mesmo de Rolanga, farsa eterna do tênis, que vive dos números engana-trouxa da entressafra.

    Nada como um dia após o outro ou dois no caso!

    HEHEHEHE

  2. Luis

    Oi Dalcim, o Djoko falou que a nova geração são eles (Federer, Nadal e ele) depois falou que achou seu melhor jogo no saibro, você acha que ele esta dizendo a verdade ou esta se sentindo um pouco pressionado? já que claramente a nova geração evoluiu muito e ele e o nadal passaram bons apertos para ganhar.
    E o Federer, como você acha que vai reagir depois de tanto tempo sem ritmo?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele está sendo sincero, Luís, o que não quer dizer que esteja certo. Falarei do Federer no texto de mais tarde.

      1. JOSE SARTO DE ALMEIDA SILVA

        O Nadal ganhou do Djokovic porque o último estava cansado. Quê venha Roland Garros. Muito obrigado e abraços.

  3. Roger Fedeiros - O Desatualizado!

    Galera, que dia vai ser o jogo do Federer? Tô aqui ansiosão pra ver a performance do ex quase futuro provavelmente nunca mais GOAT…

    … Hã?… Já acabou?… well, então, o próximo nesse 250tinha, Porque ele certamente ganhou né?…

    …Hã? Não terá próximo?… kkkkkkkkkkk…. buááááááá´…. buáááááá!…

    1. Rafael Azevedo

      Meu amigo(a), se vc estiver tentando ser um tipo de “O Lógico” às avessas, tem que comer muito Cuscuz pra chegar lá, viu…

    2. Carlos Reis

      Coloquei a BULA da va$$ina de Oxford e não foi aceito, já esse comentário 5a série é aceito pelo dono do boteco, é lamentável.

        1. Robs

          Gosto do blog e ponto. Esses comentaristas frequentes com sua torcidinhas infantis e uma grosseria característica do BozoBrasil são lamentáveis.

  4. Luiz Fernando

    Hummm, Federer perdeu do magistral Andujar, primeira rodada do não menos magistral ATPzinho 250 de Genebra. Estou ansiosamente aguardando o comentário sensato daquele rapaz q há uns dias tripudiou q Rafa tinha um titulo no ano enquanto o também magistral Basilalgumacoisa tinha 2, agora o georgiano tem dois títulos e Federer tem uma vitória no ano, será q ele vai dar risada? Segue a mediocridade em alta…

    1. Gildokson

      Sério que você consegue tripudiar da derrota de um cara que jogou o 3° jogo em um ano e meio parado?? Kkkkkkkkkķkkkkk
      Resultado perfeitamente normal o de hoje, até mesmo se ele passar esse resto de carreira sendo saco de pancadas vai ser algo normal para as condições dele.

      1. Luiz Fernando

        Oh dó, pq vc não fica indignado quando seus amiguinhos tripudiam em cima dos outros tenistas? Indignação seletiva, algo típico de vcs…

  5. Paulo F.

    Pois então….
    Os zumbis de sempre zoaram o Djokovic quando o mesmo foi eliminado em Belgrado.
    Eis que a entidade da seita alpina acaba de ser eliminada e também em sua pátria.
    O mundo dá voltas.

  6. Luis Nogueira

    Claro que é zoeira. Falando sério, Nadal favorito pra Roland Garros, seguido de NoleKing, Thiem, Tsitsipas, Zverev…mas o título deve ficar com Rafa.

    Em WB as coisas mudam, NoleKing é o principal favorito, seguido de Tsitsipas, Nadal, Zverev e Federer…

  7. Luis Nogueira

    FEDERER foi surrado logo na estreia.

    Esse Andujar é do mesmo nível do Baghdatis e do Blake. Infelizmente essas coisas acontecem não é mesmo?

  8. Luiz Fernando

    Federer perdeu o primeiro set do magistral Andujar, que eu nem me lembro da ultima vez q ouvi o nome desse rapaz. A coisa está realmente complicada p ele…

  9. Luis Nogueira

    Federer tá sendo surrado pelo Andujar. Voltando agora ao circuito, era esperado…

    Vai precisar ralar muito pra chegar próximo de NoleKing e Rafa. Aposto em mais umas surras na grama e nas hards…

  10. Maisa

    Bom dia!
    Dalcin! Para mim o torneio mais difícil para os tenistas é Roland Garros! E para vc? Eu assim penso pq… afinal Rafa venceu 13 vezes. Difícil para os demais.

  11. Rodrigo S. Cruz

    Foi um direto no fígado o termo cunhado pelo Vitor Hugo.

    E já vi nolista por aí que acusou o GOLPE!

    kkkkkk

    Mas o bom é que acabou me servindo de inspiração para outras variações, como:

    Djokovic, “a quentinha” de espanhol. rs rs

    Ou ainda: Djokovic – o “purê de milho”.

    HAHAHAHAHAHA

  12. Sérgio Ribeiro

    E realmente o parceiro Marcelo Gomes Monteiro em seu comentário das 10 : 18 está com a razão . Federer venceu por 6 x 0 , 7 x 6 , 6 x 0 o então N 3 do Mundo , Lleyton Hewit, na FINAL do USOPEN 2004 assumindo de vez o N1 . O mesmo Australiano que bateu Sampras em Sets diretos no mesmo USOPEN 2001 por 7 x 6 , 6 x 1 , 6 x 1 , onde o próprio assumiu o N 1 do Mundo conservando o posto até 03 /11 /2003, quando foi superado por Roddick. Na cola Federer que bateu Agassi na FINAL do FINALS 2003 por 6 x 3 , 6 x 0 , 6 x 4 . Realmente o Suíço não tinha oponentes kkkkkkkkkk. Abs!

  13. EDVAL CARDOSO

    Boa noite Dalcin
    O que está acontecendo com o tênis Francês?
    Sei que já há muito tempo não tem um tenista top 5, mas ultimamente até os medianos pra bons estão jogando nada.
    Monfis, Tsonga, Simon e outros mais não estão nem conseguindo passar da primeira rodada de seus atps 250.
    E a França já foi uma potência na Davis.

    1. José Nilton Dalcim

      Esses que você citou estão em fase final de carreira e sofrendo demais com lesões. Você pode incluir o Gasquet também. Há uma geração nova indo aí e alguns prometem. Gosto muito do canhoto Humbert, por exemplo.

  14. Rodrigo S. Cruz

    Olha,

    nada me dá mais prazer do que ajudar o Vitor a esculachar o PURÊ DE MILHO dos Balcãs.

    kkkkkk

    Contudo, vou discordar dele em relação a devolução Agasse versus Pamonha.

    Apesar de saber que a diferença das quadras, materiais e bolas apimenta muito essa discussão…

    Mas nesse ponto, é forçoso admitir que a devolução da “QUENTINHA” DE ESPANHOL é realmente insana! rs

    O Alexander Zverev até deixou escapar uma “chiada”, um desabafo sobre isso, após sua eliminação no AO:

    ” é muito frustrante ver o Novak devolvendo, no pé, saques meus de 215 a 220 km/h”.

    Talvez nem o Agassi tivesse uma técnica tão foda como a do sérvio.

    Além do Pamonhão ter mais envergadura com seu 1,88 m de altura, contra apenas 1, 80 do Agassi…

    Mas também podemos usar o Sampras como parâmetro:

    O segundo saque do Pete foi o melhor que eu já vi, pois era muito parecido com o primeiro.

    No entanto, o Agassi “ostenta” uma certa freguesia para o Pete – 20 x 14.

    O que é outro ponto a ser considerado…

  15. Rodrigo S. Cruz

    [Luiz Henrique]

    Luiz Fernando, quando Federer tiver 96 anos, Nadal 91 e Djokovic 90, ainda vão dizer que os 2 estão jogando bem pq são muito jovens ainda

    Luiz Henrique,

    não custa você usar um pouco de honestidade intelectual, né prezado.

    Qual o motivo do sérvio e o espanhol até agora duelarem pela liderança do ranking, e o Federer não?

    Não é justamente porque os dois tem idade para disputar mais torneios e brigar pela posição?

    O calendário do Federer é atualmente muito mais enxuto que o deles.

    E nos parece ÓBVIO que o fator preponderante para isso seria sim a idade…

    Abs.

    1. Luiz Fernando

      É óbvio que a idade influencia esse fato, da mesma forma q influenciou quando Federer superou Sampras e posteriormente Agassi, concorda? Só q neste atual momento o fator idade se voltou contra o suíço, certo? Agora pq vcs não vem aqui e postam claramente que tudo aponta para q Federer, se de fato for capaz de voltar ao circuito de uma forma mais contundente, deverá estar no mínimo um degrau abaixo do Big2? Pq não é fácil dar a mão a palmatória e expor que tudo q se defendeu aqui por anos a fio em brigas e rusgas, educadas ou não, agora tende a não valer mais…

      1. jose Yoh

        Caro LF, ninguém em sã consciência diria que Federer está no mesmo patamar que os dois hoje (a prova foi a partida agora há pouco). O que eu defendo e o que nenhum nolista ou nadalista concordou aqui durante anos (você é o primeiro a escrever com todas as letras) é que a diferença de idade conta sim, e que influenciou durante a fase pós 30 anos do suíço.
        A vida útil dos atletas tops (ao que parece só deles e isso acho que é por causa da grana) subiu muito nesta última década, coisa que nunca aconteceu em outras gerações. E isso não é porque eles são super atletas, como já tanto argumentei por aqui.

    2. Luiz Henrique

      Sim, sem dúvida Rodrigo. Mas esse discurso tem mais de 10 anos, e quando Federer tinha 34/35, qualquer boa campanha se ressaltava “olha só que incrível, boas campanhas com essa idade etc” e agora os outros 2 fazem, podiam ressaltar isso tb

      1. Sérgio Ribeiro

        O parceiro L. H. e seu companheiro L. F . , definitivamente não leem TODOS os comentários. A longevidade de Nadal e Novak também já foi mais que elogiada por aqui . Agora precisamos aguardar 5 , 6 anos pra ver se vão se aproximar do mais Velho N 1 da Era Profissional aos 36 e 1/2 . Falta pouco rs. Abs!

        1. Luiz Fernando

          Você eu reconheço q sim mas a maioria absoluta dos amiguinhos não. Vc q frequenta o blog há muitos anos também, lembra do termo usado no retorno de Nadal em Vina Del Mar 2013? Eu me lembro bem: aleijado. Só q o aleijado aos 35 anos provavelmente vai se tornar o recordista absoluto de GS! E ainda é bem competitivo…

  16. Vitor Hugo

    Outro detalhe sobre Rafael Patal: Nunca venceu o finals, que é o torneio MAIS DIFÍCIL de todos e forma com os slam os big titlle!

    Lembrando a derrota mais humilhante da história do finals: Federer 6/0 e 6/3 contra Patal, na PARTIDA MAIS RÁPIDA DA HISTÓRIA entre os dois!

    1. Luiz Fernando

      Finals tem todo ano, ou seja, pela maior periodicidade é mais fácil de se vencer, além de ser jogado num tipo de quadra propicia para o estilo de Federer e Djoko, os grandes vencedores deste evento nas quadra Indoor, mais rápidas. No entanto outro evento, os jogos olímpicos, que surgem a cada 4 anos, com pisos distintos, consagraram Nadal, com ouro em simples e em duplas, algo igualmente fenomenal e não alcançado nem por Federer nem por Djoko. Nenhum dos 3 conquistou tudo q almejava ou se julgava capaz…

    2. Luiz Fernando

      Lembranças do magistral Andujar ao Marquinhos, Renato e Johnny kkkkk. Aqui é diversão garantida kkkk!!!

  17. Periferia

    O próximo Roland Garros pode lembrar o Roland Garros de 2004.
    Onde o cabeça de chave 28…enfrentou o número 1 do mundo na terceira rodada.
    Pouco cotado…ninguém acreditava muito.
    Com um triplo 6×4…o “decadente” Guga (um tri campeão) eliminou Roger Federer…num show.
    Agora pode acontecer com o próprio Federer (5 finais em Paris)….pouco cotado…pode surpreender…pode pegar um dos favoritos nas quartas.

    Lembrei do filme O Franco Atirador.

  18. Paulo Almeida

    Rapaz, se o Djokovic é pamonha, imagine o cara que treme pra ele em praticamente toda decisão? ????????

    Aliás, o jogo do Fregueser é 30% madeirada, 40% jogadas de circo e 30% treme-treme pros rivais! ????????????

  19. Roger Fedeiros - O Original!

    Tem um saudosista de euzinha – A lenda! postando com meu nick. Cuidado aí com possíveis heresias, caso seja um fedorento… kkkk…

    Pensando bem até que não precisa tanto cuidado não. O estilo de euzinha é como o do Nadal… inconfundível, único, soberbo, inigualável… kkkkkkkk… talvez seja só um fã… kkkkkkk

  20. Maurício Luís *

    Muito me espanta ver aí internauta preocupado se o Nadal vai ser cabeça 2 ou 3 em Roland Garros. Até os ‘haters’ (como eu) do jogo abaloado do pouca telha ttão carecas de saber que nem que ele entre sem cabeça, de braço engessado, mancando das 2 pernas, com disenteria e tampão em um dos olhos… deixa de ser favorito.
    Virou campeonato pra saber quem é o vice. Só.
    ****** A L I Á S S S…*****, já mandei sugestão aos organizadores. Façam a taça com alças de chiclete sabor tutti-frutti. Como ele sempre morde, aproveita pra mascar e enganar um pouco a fome…que deve ser muita, depois de tanto desgaste.
    …E aproveita que eu tô calmo…??

    1. Luiz Fernando

      Que vc acha de pormos a sogra dele no camarote na estreia? Duvido q a partida se desenrole tranquila sob o olhar atento da sogrinha querida…

      1. Maurício Luís *

        ? Luis Fernando, eu bem que tento não falar da sogra, mas você é fã dela…
        Mas ela já bolou uma estrateégia pra desconcentrá-lo.
        Vai ficar no camarote de cabelo pink metálico na metade da cabeça, e a outra metade raspada. Maquiagem que + parece quadrilha de festa junina, sapato e blusa de oncinha. Na hora que ele der de cara com cena, ou cai na risada ou morre de vergonha.

        1. Maurício Luís *

          Aah, e já tô de alta do hospital psiquiátrico! O Lógico parece que ainda vai ficar + um pouco.

  21. Luiz Fernando

    Um dos caras de sempre chamou a atenção p o fato de no passado eu chamar o Federer de “aposentado”, como se fosse uma grande ofensa kkk. Claro q esse cidadão sempre se calou quando se dirigiram a Nadal como baloeiro, bombadão, dopado, epo boy etc, constituindo a famosa indignação seletiva, típica das “aposentadoretes” kkk. Para ele digo o seguinte: chamei, não me arrependo e se quiser chamo de novo!!!

    1. Rodrigo S. Cruz

      Hummm

      Não tenho certeza, mas desconfio que esse daí seja fake também…

      De toda forma, vamos aguardar a manifestação ABALIZADA do nosso amigo Luiz Fernando!

      kkkkkk

  22. Julio Cesar

    Iga atropelou “inapelavelmente” como dizem. Você acha que ela aumentou muito o nível e a Pliskova jogou muito mal ou nas condições normais o placar final não seria tão diferente assim, Dalcim? Saudações.

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que a Iga jogou num nível excelente e a Pliskova não conseguiu entrar em jogo e foi ficando cada vez mais tensa e perdida.

      1. Luiz Fabriciano

        Dalcim, qual a pronúncia correta do nome da polonesa? Vi o caras da ESPN falando “soiateque”, procede?

  23. Ronildo

    Pliskova não merecia um placar tão elástico contra. Jamais direi que é vexatório. O esporte tem disso, principalmente o tênis. Quando alguém se mostra muito superior, fica realmente difícil fazer um game, afinal tem que somar 4 pontos (se for direto, sem igualdade) para fechar o game contra uma oponente com tantos golpes de excelente qualidade. O petardo sempre voltava mais envenenado! Pareceu as primeiras lutas do Mike Tyson! Sem chance! Achei muito honrada a postura da Pliskova depois da partida.

    Falar em piti, ceninha, showzinho, etc, Djokovic adotou uma nova postura quando está em desvantagem, percebi contra o Sonego e contra o Nadal: ele tem ficado em silêncio, sem reclamar, totalmente concentrado no jogo. Achei o resultado disso formidável para ele. Dominou totalmente o terceiro set contra o Sonego e só não foi campeão em Roma porque Nadal também conseguiu uma concentração e entrega extraordinária.

    1. Julio Cesar

      Eu vi o jogo feminino, achei surreal… era um clima estranho. Acho que até pra Iga foi meio difícil comemorar.

    2. Luiz Fernando

      Boa Ronildo, vc quando não tenta encarnar a Mãe Diná faz bons comentários. Como vejo vc como um cara de ótima índole, vou te dar uma sugestão: opine mais com a realidade dos fatos e menos com a torcida contra Djoko e Rafa e certamente fará menos previsões furadas. Se vc assistiu aquela entrevista do Djoko falando dos “velhinhos” e a partida de ontem, verá q esses caras ainda tem muita gana de vencer e lenha p queimar; por sinal vejo Federer com a mesma vontade de vencer, um cara como ele, e na idade dele, fazer esse sacrifício p voltar é pq ainda tem sangue nos olhos. Mas veja, expor q daqui a 2-3 anos o grupo do grego, do alemão e do russo deverá dominar os principais eventos equivale a dizer q deveremos ter nova eleição presidencial do Brasil em 2022, é o óbvio…

      1. Ronildo

        Estes caras são de outro planeta! Borg tinha 6 RG e parecia um recorde imbatível. É Nadal já tem 13! Kkkkk
        Houve um suspense para Federer bater o recorde de Sampras de slam e semanas como número 1. Bateu o recorde e tem 21, agora na companhia de Nadal que está muito mais perto de fazer 22! Sem falar em Djokovic com suas semanas como número 1 e 18 Grand Slans. Se for analisar o número de master mil é igualmente impressionante, até mesmo os números de Federer.

  24. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo F]

    ” também não considero melhor de todos os tempos o marmita de espanhol”.

    O Federer está mais para boia fria… rs

    Porque MARMITA DE ESPANHOL quentinha é o Djokovic mesmo – o pamonha do tênis!

    Que foi humilhado e surrado em RG com um 6/0, e ontem de novo em Roma…

    Pamonha quente servida com queijo derretido!

    kkkkk

  25. Vitor Hugo

    Melhor forehand da história é do Federer, seguido por Delpo, Fernando G e Nadal.
    Melhor back é do Stanimal!
    Melhor devolução é do Agassi, sem dúvidas! Devolvia muito nas quadras rápidas de antigamente!

      1. Daniel C

        Dalcim, nessa eu discordo até do próprio Federer rs. O forehand do suíço pode não ter a mesma potência / peso de outros, mas no conjunto da obra colocação – potência – variedade de golpes (swing volley, chapado, bate pronto, inside out, etc), é o melhor da história rs. Mas é minha opinião e acho que o suíço “se rebaixou” nessa avaliação rs.

        Abs

      2. Rodrigo S. Cruz

        No saibro até pode ser.

        Porque em quadras rápidas e nítido o tanto que o Nadal apanha do forehand dele.

        Inclusive o Federer atropela com bolas vencedoras…

  26. Luiz Fernando

    Quero parabenizar os amigos torcedores do Djoko que não vieram aqui com a ladainha das desculpas esfarrapadas de sempre, que perdeu por isso ou por isso, o q certamente seria o tom se o perdedor fosse do segmento zumbi. Aliás, quem veio c essa papagaiada previamente ensaiada foi o nosso caríssimo Pessanha, que ontem deve ter torcido contra os dois kkk. Por sinal, antes q eu me esqueça, Pessanha diga q Rafa perderá na primeira semana, em sets diretos kkk…

    1. Gildokson

      Não ta lendo todos os comentários neh? Tinha companheiro de torcida teu (a torcida anti-federer) que ja estava dando essa desculpa até no post anterior.
      Justo como sempre hein kkkkkkkkk

  27. Paulo Almeida

    Eu achei o cracaço sérvio com mais pernas ontem do que nas finais de Roma 16/19 e Paris 18 (quando chegou muito desgastado depois de longas batalhas, mas não no mesmo dia como agora), o que deixa os desculpistas esfarrapados de idade ainda mais preocupados. Poderia ter chegado em mais bolas impossíveis com mais tempo de descanso, mas mostrou que pode jogar em alto nível por uns bons anos ainda.

    O retrospecto contra o Nadal no saibro ainda continua superior ao do pato pateta Frauderer, pois 7 continua bem maior do que 2, com direito a títulos em cima dele em todos os Masters 1000 (2 em Roma), vitória em Roland Garros e derrota tirando dois sets em 2013, com o triunfo escapando por pouco. Se o sérvio não consegue uma vitória há 5 anos, o rei da era fraca não consegue há 12 e só não levou mais no lombo porque fugiu em 16, 17, 18 e parece que vai fugir agora de novo, hahaha.

    A derrota mais humilhante continua sendo a de 2008, como o Danilo desenhou no final do ano passado. Além de ter feito mais games, ficado mais tempo em quadra e engrossado no terceiro set, o GOAT vendeu caro vários games mesmo no pneu.

    E com mais essa final de Roma, o rei do hard, da grama e do tênis em geral aumenta mais um pouco sua condição de segundo melhor saibrista do século 21.

    1. Luis Nogueira

      Finalmente alguém com bons argumentos. Esses fãs do Federer só sabem gritar.

      Pessoal…Rafa Nadal é uma espécie de DEUS no saibro. Qualquer tenista que tentasse a sorte contra ele no saibro seria freguês, Borg, Guga, Connors tanto faz, o cara é f…pra c…

      Djokomito fez até muito, foi o que mais chegou perto. Fez MUITO mais q o pato suíço, mas o sérvio também é freguês, segue o jogo!

        1. Luis Nogueira

          Vejo que tem uma galera boa aqui no blog, que sabe argumentar numa boa, escrever bem…mas é sério que você só sabe digitar “kkkkkkk” e chamar os outros de fake? Vamos tentar melhorar né amigo, tá precisando de umas aulinhas, hehe…

      1. Sérgio Ribeiro

        Cara de novo . Você não se apresentou aqui semana passada se dizendo fã do Federer ???? Como podes então assinar estás babaquices ??? . Muda logo de Luis pra Paulo que ninguém vai notar kkkk. Abs!

    2. Jonas

      Fazendo uma análise fria, é evidente que o Djoko saiu muito forte deste torneio. Começou mal a gira do saibro, mas terminou como forte candidato a Roland Garros. O resto é mimimi de hater.

      Sobre o retrospecto, Paulo, eu tenho até preguiça de discutir algo tão óbvio, mas aqui temos que desenhar.

      É claro, cristalino, que Nadal é o GOAT do saibro com muita, muita folga. Isso é fato há anos, nunca haverá alguém como ele neste piso e nenhum torcedor do sérvio insinuou que ele está à altura do espanhol. Nadal é o GOAT com disparidade até sobre o Borg.

      Agora, sim, é lógico que o sérvio foi o tenista que mais impôs dificuldades ao espanhol ao longo dos anos. Perguntem a qualquer torcedor do Nadal, o próprio LF admite isso. E nem precisaria, é só dar uma olhada nos fatos.

      Federer é ridículo no saibro? Não acho que seja, tem alguns títulos, mas não fez nem cócegas no Nadal se comparado ao sérvio.

      1. Sérgio Ribeiro

        Perguntar a quem ? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Toma jeito Jonas . O Craque venceu 6 MASTERS 1000 no Saibro com DOIS pra cima do Touro com direito a Pneu em Hamburgo . É o terceiro maior vencedor de partidas em RG tendo pulado uma penca . Com 5 FINAIS e 4 x 4 com o Sérvio . Demonstre um pouquinho mais de conhecimento. O cara tem apenas 4 Títulos a menos que Novak na Superfície. Será que não e’ um grande Saibrista ????? . Abs!

        1. Jonas

          Rapaz, é impressionante como você não sabe interpretar as coisas, que dificuldade, kkk.

          Federer tem duas vitórias apenas sobre Nadal no saibro. Fim.

          Djoko tem vitórias em Monte Carlo (2x), Roma (3x), Madrid, Roland Garros…

          São FATOS meu filho. Sabe o que é isso? Não temos que desenhar isso pra você também não é mesmo?

          Agora, é claro que Nadal se sobressai sobre os dois, simplesmente por ser quem é no saibro, é isso. Abs.

    3. Gildokson

      Mesmo sendo federista eu concordo contigo em quase tudo, menos em dizer que a final de 2008 foi a mais humilhante, esquece o placar por um instante e foque no peixe que vocês andavam vendendo kkkk e na expectativa gerada que se tornou numa grande decepção após o estupro sofrido pelo sérvio na final de RG 2020 kkkkķkkkkkkk
      Freguezaço, e se cometer o mesmo erro que Federer comete vai aumentar essa diferença ainda mais? Ja pensou perder a 8° só em RG? De quebra quem sabe bater o recorde de finais perdidas no mesmo Slam para o mesmo jogador também kkkkkk Nem pesquisei antes de escrever, mas tenho quase certeza que está caminhando pra isso meu amigo Paulo.

      1. Paulo Almeida

        Creio que a maioria dos nolistas não estava vendendo peixe nenhum, sabendo que Nadal era o favorito do jogo. Só o Goran que foi muito infeliz mesmo.

        Em termos de disputa dentro de quadra, 2008 foi um estupro muito maior, como os números mostram.

        Abs.

  28. Jmsa

    Prezado dalcim
    Sabe o que seria legal mesmo ,você comentando as partidas na tv ,seria demais,parabéns pela cobertura de Roma aqui no blog

  29. Eduardo Moura Lima

    Dalcim,

    Uma pergunta corriqueira porém com um toque de originalidade:

    Quem termina com mais GS quando se aposentar?
    Nadal, Djokovic ou Serena?

    Hahaha

    Abraço

      1. Barocos

        Dalcim,

        Vivem querendo te por numa fria, mas como você não é nada bobo, tira sempre um coelho da cartola.

        Meus sinceros parabéns pelos ótimos textos repletos de excelentes explicações e que me fazem compreender um pouco melhor as nuances deste maravilhoso esporte a cada nova publicação.

        Não sei quem vai terminar com mais Slams ou, ainda, mais títulos e recordes, mas de uma coisa eu tenho certeza: sempre existirão justificativas para apontar o tenista favorito como o tal GOAT.

        Vejo muitos aqui chamando o Nadal de baloeiro, o que é claro neste caso é que eles parecem ignorar, talvez porque queiram, o problemão que esta bola alta apresenta para qualquer forma de backhand e o grau de dificuldade que existe na geração deste golpe, algo que só o Nadal desenvolveu com tamanha eficiência. Mais uma vez vimos o resultado de sua utilização: quase toda vez que o Djoko não conseguiu se adiantar o suficiente para rebater em um ponto “ótimo” na subida, teve que passar uma bola “fácil” que o Nadal, invariavelmente, fuzilava com o forehand.

        Há algumas semanas intuí que estava faltando atingir a forma física ideal para o Nadal, que ele parecia mais pesado que o habitual, que por isto ele estava perdendo alguns jogos e que bastariam algumas semanas de jogos difíceis para que ele recuperasse, apesar das perdas associadas à idade, sua habitual primazia no saibro. Talvez eu não estivesse tão longe assim dos fatos.

        Acredito também que se a Serena realmente quiser, se esforçar o suficiente e perder alguns quilos de excesso, tem todas as chances de conquistar mais alguns torneios de peso. Espero, sinceramente que ela queira isto com todas as forças, seria uma pena deixar o recorde de Slams nas mãos da Margaret Court e uma enorme injustiça para com os registros históricos sobre os maiores campeões do esporte.

        Por fim, às vezes me parece que alguns dos participantes do blog estão mais preocupados com as galhofas do que com o drama e beleza do jogo, com o alto nível técnico e grande apuro físico que os jogadores deste belo esporte demonstram e, recorrentemente, incorrem no aviltamento dos oponentes de seus favoritos, mesmo cientes de que assim fazendo diminuem também os feitos de seus prediletos. Definitivamente, a lógica não é o ponto forte dos homens.

        Saúde e paz.

  30. Luiz Fernando

    Rafa será cabeça 3 em RG o q não muda grande coisa, basta lembar q em 2013 ele foi o cabeça 6 ou 8, não me lembro exatamente, e venceu da mesma forma. Possivelmente em algum momento terá q encarar Djoko p vencer o torneio, claro q se chegar até a semi, mas depois de sua performance ontem é difícil acreditar q não chegará longe em RG…

  31. André Barcellos

    Em tempo e passsando recibo desnecessário (já que hoje me sobrou algum tempo) ao Paulo Almeida, venho somente atualizar a resposta ao comentário que fiz há dois posts atrás.
    Não tem sentido comparar os revezes que Federer sofreu para o Nadal com os que sofreu para o Djokovic.
    A torcida do Federer penou muito mais com Nadal.
    Ontem só acompanhei o jogo. Não consigo torcer para o Nadal. Pra falar a verdade, durante os pontos, me pegava torcendo pelo sérvio…pela agressividade maior.
    Quanto a ser o maior carrasco:
    Djokovic só veio a virar o confronto em 2016, quando o Federer já entrava definitivamente da última parte de sua decadência física. O resto é falácia.
    Claro que abriu vantagem no começo, com o Djoko jovem, mas de qualquer forma os confrontos, mesmo os últimos, eram equilibrados.
    A única derrota relamente dolorida foi para o Djoko em Wimbledon 2019, que maculou o que seria uma campanha perfeita e assombrosa para alguém com 38 anos.
    E ali ele perdeu no mental, que reconheço, é o menos forte em relação a Nadal e Djoko.
    Mesmo assim, teve dois MP como tudo mundo sabe, o que deve ter deixado a torcida nolista (ou niiilista) tremendamente preocupada pela antevisão da vergonha de perder para um sênior.
    Nadal enfrentou Federer nos melhores anos, nos maiores palcos, e venceu. Favorecido, é claro, por inúmeros jogos que ganhava no saibro…o que lhe deu tremenda vantagem psicologica para desafiar o suíço nos maiores pisos.
    Mas Nadal é definitivamente o maior carrasco do suíço…o que também deve ser relativizado em razão do saibro.

    1. Paulo Almeida

      Bom, vamos lá pulverizar todas essas falácias típicas da legião ultrafanática bolsofederete.

      Claro que faz sentido. Djokovic machucou mais o Federer e sua torcida justamente por tê-lo batido nos seus pisos preferidos (hard e grama) muito mais do que o Nadal (4 AO, 3 USO e 3 WB contra 3 AO e 1 WB, só pra ficar nos Grand Slams). Contra o espanhol era só usar a desculpa de que a maioria das derrotas era no “barro” (aliás, você acabou de usar), porém com o sérvio o buraco é mais embaixo, pois perdeu ONDE era supostamente dono do pedaço.

      Djokovic virou o confronto naquela surra no AO 2016 (ficou 23×22), mas já domina o suíço desde 2011 (quando este tinha apenas 29 anos) ou em Slams desde o USO 2010, contabilizando 10×2 até o momento, uma surra homérica e acachapante. Vai negar que, além de Wimbledon 2019, também não chorou muito em Wimby 2014/2015, USO 2015 e AO 2016? Aham, acredito muito!

      Você é daqueles que considera o Federer velho desde 2008 ou 2009 (o que me rende muitas gargalhadas) e agora teve a desfaçatez de dizer que ele estava na última parte de sua decadência física em 2016 (quá quá quá). Então, como ele ganhou 3 Slams em 2017/2018 e conseguiu reduzir o h2h vergonhoso contra o Nadal principalmente em 2017 com 4 vitórias tão “coitadinho”?

      Rapaz, que fatality!

      1. André Barcellos

        Tentando se explicar depois de tomar meus remedinhos de sonso…
        Porque esses caras não decaem de uma vez. Federer voltou bem em 2017 porque vinha de descanso absoluto , mas não podia ficar estendendo partidas.
        A exceção foi justamente o primeiro torneio depois do retorno.
        Porque Federer não perdeu mais para o Nadal em duras? Porque aprendeu a bater o espanhol? Sei lá!. Talvez tenha treinado exaustivamente como usar o backhand em bolas mais altas…e, principalmente, partiu para o tudo ou nada.
        Nadal deu lambem deu uma caída em pisos rápidos.
        Os três WB que Federer perdeu para Nole não se comparam ao de 2008, onde ele bateria o recorde de títulos seguidos do Borg. E foi a tampa do caixão naQuele ano estranho.
        Sem dúvida que Federer entrou em decadência em 2009. (Principalmente velocidade e consistência)
        Basta ver que ele começou a perder de quem ganhava com frequência. Até mesmo Gonzales, Blake, Neminem e Roddick tiveram sua chance depois disso e tiraram lasca do suíço.
        Isso é decadência.
        E 2018/19/20 Federer não está decadência, está em decomposição física (comparado ao que foi).
        O que veio daí foi só lucro

        E vc acha que o cara que dá 6×1 num segundo set, mas perde, é brilhante? Não era vc o que despreza vices ?
        Enfim, a cada momento o argumento que melhor convém.

        1. Gildokson

          Paulinho tem mesmo essa mania de supervalorizar tudo que é do Djoko kkkkkkkkkkkkkkkk
          Ele comemorou intensamente a última vitória do sérvio sibre o suíço no AO do ano passado onde o cara estava nitidamente bichado e até o Djokovic agradeceu ele por ter entrado em quadra. Agora quer amplificar esse vice de Roma como coisa que fosse um feito inédito perder um título no saibro só para o Nadal. Isso o Federer fez de monte tbm, mas no caso dele é piada neh kkkkkk

          1. Paulo Almeida

            Se entrou em quadra, é porque tinha condições de vencer, mas perdeu como sempre do seu papai rei absoluto do hard! 11×6 em Slam!

            Quanto à Roma, eu comemoro MUITO o que ele fez contra Tsitsipas, Sonego e Nadal, mesmo perdendo por um forehand na rede para este.

            Abs!

        2. Paulo Almeida

          E seguiu tergiversando agora com papos até de decomposição física. Ah, não dá não.

          Acho melhor te deixar no seu mundo paralelo de Federer velho com 27 anos que é melhor.

          Abs.

    2. Rafael Azevedo

      Por que deve ser relativizado em razão do saibro?
      O H2h superior do Djokovic em relação ao Nadal deve ser relativizado razão das hards??
      É cada uma…
      Saibro é Tênis!

      1. André Barcellos

        Posso explicar. Saibro é tênis. Mas a maioria dos confrontos no começo da rivalidade (principalmente em finais) se deu no saibro. Nadal é extraordinário nesse piso. Ao se encontrarem muito em finais de saibro (que é o pior piso de Federer-mas ainda é grande nesse piso também) Nadal entrou desde cedo na cabeça de Federer a ponto de começar a desafia-lo outros pisos tb. É um jogo mental e de intimidação. Federer tomou um choque de realidade é só veio a colocar as coisas em ordem nos últimos confrontos.
        Quando não tinha mais nada a perder.
        É minha análise (e do Federer também)

        1. Luiz Fabriciano

          Então ficou claro agora: Nadal superior à Federer, já que o saibro é do tour e ninguém escolhe adversário e piso.

        2. Rafael Azevedo

          Beleza…
          Mas, se fosse o inverso, vc iria relativizar uma fictícia freguesia do Nadal ao Federer, por terem disputado as fictícias primeiras partidas na hard e não no saibro?

  32. Luiz Henrique

    Analisando um pouco os 2 jejuns, o de Nadal contra Djoko na hard e o de Djoko contra Nadal no saibro
    Alguns adoram falar, e o dado incorreto não está, que Nadal não vence Djoko na hard desde 2013. Pois bem.

    Nesse período eles jogaram na Hard nas seguintes temporadas: 2014, 2015, 2016, 2019 e 2020
    Ou seja 5 temporadas.
    O mesmo número de temporadas que eles jogaram no saibro no jejum de Djoko: 2017, 2018, 2019, 2020 e 2021

    Então ambos os jejuns são de 5 temporadas COM JOGOS

    Aprofundando mais a análise.
    De todos os torneios no saibro, o que ele tem disparado melhor retrospecto é Roma. No jejum do Djokovic,, 60% dos jogos foram no saibro que ele historicamente tem melhor retrospecto. 20% no saibro que Nadal tem melhor retrospecto (RG), e 20% num saibro que não é o que nenhum dos 2 tem seu melhor retrospecto (Madri 2017).

    No jejum na hard, nós tivemos 2 anos com jogos nas hards que Djoko tem melhor retrospecto (AO 2019 e ATP Cup 2020, torneios de começo de ano, o que da 2 das 5 temporadas (40%). Nas hards que Nadal tem melhor retrospecto (US OPEN SERIES), onde já ganhou 2 finais de GS contra Djoko, é Penta no Canadá e ganhou até Canadá, Cinci e US juntos (seria o equivalente a Roma pro Djokovic) foram 0 jogos. Isso mesmo. 0 jogos nas hards que Nadal tem melhor retrospecto. Bem diferente de Djoko que teve 3 chances em Roma, saibro em que ele tem melhor retrospecto. Ademais, temos outra questão a levantar: 2015 e 2016, 2 dessas 5 temporadas que entram no jejum de Nadal contra Djoko na hard, foram 2 temporadas ridículas do Nadal. Para ser justo, 2017 também foi uma temporada muito fraca do Djokovic, ano que entra lá no jejum do saibro de 5 anos. Mas vejam, dos 5 anos de jejum de Djoko no saibro, só teve 1 ano fraco dele, 2017. De 2018 a 2020 ganhou GS em todos os anos e fechou como número 1. E segue campeão de GS e número 1 em 2021.
    Já Nadal, dos 5 anos que jogou e perdeu de Djoko na hard, 2 deles foram temporadas fraquíssimas, e outras 2 temporadas só jogou na época preferida de Djokovic, no começo do ano. Nenhum jogo no Us Open Series.
    Outra coisa: Djokovic teve a felicidade de jogar com Nadal no saibro em 2015. Mas Nadal, infelizmente, não teve a sorte de jogar com Djoko na Hard em 2017, especialmente no US Open

    1. Paulo Almeida

      Torneios de início de ano agora são problema pro espanhol? Pensei que fossem só os de fim de ano no hard indoor, onde chega supostamente cansado. Nadal voou naquele AO 2019 e chegou à final só perdendo um set na primeira rodada. Que desculpa fraca!

      No Canadá o confronto está 1×1, em Cincy 2×1 pro Djoko e no USO 2×1 pro Nadal. Djoko esteve em todos os Cincy desde 2018 e no Canadá somente em 2018, enquanto o espanhol não joga em Ohio há muuuito tempo. Aí fica difícil se enfrentarem, né? Bom, o canhoto de Mallorca também é tricampeão de Indian Wells (onde o confronto está 3×1 pro sérvio) e já fez várias finais de Miami (3×0 pra gente). É fraco lá também?

      Quanto a temporadas fracas, Djoko também não estava bem no primeiro semestre de 2018, conseguindo melhorar só a partir de Wimbledon. Então, pela sua lógica, a derrota em Roma 2018 não conta. As temporadas de 2015 e 2016 do Nadal não foram totalmente ridículas, como quer fazer parecer. Terminou o Finals 2015 como líder da chave perdendo pro sérvio na semifinal e em 2016 deu trabalho em IW e muito em Roma, perdendo por 7-5 e 7-6; também foi campeão em MC e fez semifinal nas Olimpíadas.

      1. Luiz Henrique

        Paulo Almeida, vc precisa ler com calma o que eu escrevi. Eu não falei hora nenhuma que “jogo no começo de ano é problema”. Apenas disse que é, na hard, a parte do ano que Djoko domina mais, assim como no saibro o torneio de RG é o saibro onde Nadal tem melhor retrospecto. Eu tb n disse que Nadal domina ou é favorito contra Djoko no US Open Series, apenas que, nas hards, essa época é a que Nadal tem melhor histórico no piso, assim como Djoko no saibro seria em Roma o que ele tem melhor histórico. Fui mais claro agora?

        1. Paulo Almeida

          Bom, me pareceu que você tentou diminuir o início da temporada, mas tudo bem: ficarei com sua versão de agora.

          Quanto ao US Open series, quando falou que Nadal não teve a sorte de enfrentar Djoko nos últimos anos, também pareceu que o dava como favorito. Eu acredito que no Canadá e no USO, hards mais lentos, ele até tenha boas chances (maiores do que as do Djoko no saibro), ao contrário de Cincy, muito rápida.

          E por que não falou de Indian Wells e Miami, além de Xangai, Paris e Finals?

          1. Luiz Henrique

            Exato, não quis dizer que era favorito no us series. Eu diria que seria algo como Djoko em Roma, lá ele tem mais confiança que os outros saibros, mas não quer dizer que seja favorito contra Nadal lá. O mesmo vale pro Nadal no us open séries. Sobre as hards que não são começo de ano e us open séries (fim de ano e Masters de IW e Miami) Djoko é favorito tb, mas no começo de ano é o momento mais dominante dele. Foi isso que eu quis pontuar.

  33. Luiz Henrique

    Djokovic tem 7,7% dos GS que Nadal tem no saibro e Nadal tem 41% dos GS que Nadal tem na hard.
    Mas vou tentar ajudar Djokovic aqui nas estatísticas pra tentar ajudar ele. Vou simular que Roma, que dos grandes eventos no saibro Djoko tem um espetacular retrospecto, tenha o mesmo tamanho de RG, ou seja, formaria com RG o “Big2” de torneios no saibro, um 2º grand slam no saibro. Obs: reparem que o fato de eu colocar Roma aqui e não MC tb ajuda Djoko. Vamos ver como fica

    Djoko em Roma+RG: 6 títulos contra 23 de Nadal. 26%

    Enquanto isso, Nadal no AO+USO: 5 títulos, contra 12 de Djoko. 41%

    Enquanto em um dos torneio “Big2” perde por 13×1 e no outro por 10×5, Nadal na hard perde em um por 9×1 e no outro, pasmem, GANHA por 4×3. E olha que esse que ele ganha tem no mínimo o mesmo tamanho do que perde por 9×1. Já Roma coloquei junto de RG pra tentar ajudar Djoko, mas mesmo assim nos torneios “Big2” na hard, os 41% de Nadal tá melhor ainda.
    Sei que a seguir alguns vão vir falar do bom e velho Finals, mas tudo bem, Por mais que gritem, n tem o mesmo tamanho do AO ou do USO

  34. Miguel Ângelo Pereira Delfes

    Esta soma de títulos feita pela ATP é uma piada
    Comparar GS c 1.000 é o mesmo q comparar 1.000 com 500 ou 500 c 250 e por aí vai
    Ou..GS peso 2, 1.000 peso 1, 500 peso 0,5, 250 peso 0,25 aí sim, estaria sendo uma comparação justa
    Título q conta p comparar é GS e Finals
    São os mais difíceis de serem conquistados
    Infelizmente p os fãs de Nadal..comparar ele c Djokovic ou c Federer não dá
    Ele jamais os alcançará
    Nunca ganhou um só Finals sequer
    Sou fã do Federer mas creio q Djoko deva ultrapassá-lo ( salvo alguma zebra ) e vai ser declarado como o melhor de todos os tempos

  35. Vitor Hugo

    Federer tem mais títulos que Nadal no u.s open, aus open e Wimbledon. Roger tem mais títulos que Rafa tanto na grama quanto nas hards. O suíço tem vantagem contra Nadal no h2h no piso verde e nas quadras duras, ou seja, é muito melhor que o espanhol em dois dos três pisos que o esporte é disputado.
    Soma-se ao contexto o fato de Roger ter muito mais semanas na liderança, ser muito mais completo tecnicamente e seis anos mais velho…
    Conclusão: Rafa, apesar de ser um gigante, está muuuito atrás de Federer.

    1. Regimar Marcondes

      Engraçado Vitor, Nadal ganhou final de Wimbledon do Federer. Agora me diga, Federer ganhou alguma final de RG do Nadal? Ah e Federer tem a medalha de ouro olímpica? Ah e quem já ganhou mais de quem? Acho que precisa estudar mais sobre o tênis kkkk

  36. Vitor Hugo

    Sim, a derrota em RG no ano passado foi sim a mais humilhante da história!
    Nadal estava sem ritmo de jogo, jogou apenas algumas partidas em Roma e foi eliminado precocemente por Diego S. Chegou em Paris com a pior preparação possível e sem ritmo de partidas.
    Já Novak estava com muito ritmo. Jogou u.s open, Roma, e muitos outros torneios.

    Além de tudo isso, o técnico do servio abriu a boca pra dizer que Novak era o favorito pra vencer Roland Garros, o que acabou somando para que a derrota fosse mais humilhante do q realmente foi.

    Já em 2008, Federer teve mononucleose, o que atrapalhou toda sua preparação para o mesmo ano.
    Perderia a final mesmo assim, mas não pelo placar que levou.
    E jamais perderia a final em Wimbledon. A Vitória de Rafa em 2008 tem tanto valor quanto a de Djkobagre sobre Nadal em Roland Garros! A diferença é que a Vitória valeu o título!

    Bom Federer segue bem à frente como GOAT e Nadal e pamonha vão brigando pra entrar no top 5.

    1. Luiz Henrique

      Vitor Hugo, sobre sua comparação entre a derrota de Federer em WB 08 e Nadal em RG 15

      Em 2015 nos torneios anteriores a RG, Nadal foi vencido em sets diretos nos 3 M1000 jogados, com facilidade, por Djoko, Murray e Stan. Se Djoko desse WO naquele jogo, Nadal na sequência perdeu tranquilo de Murray e Stan. É disso que se trata em 2015

      Agora 2008: Sabe quantos SETS Federer perdeu jogando Halle e chegando até a final de WB? Nenhum.
      Depois posso fazer um levantamento mais preciso, mas salvo engano, Federer não perdeu NENHUM game de saque em WB até chegar na final, ou perdeu 1 só, algo desse nível
      E vou além: Federer jogou muito melhor na final de 2008 do que em 2007. 2007 Federer foi dominado do fundo da quadra, 2008 até equilibrou mais nisso. Ficou dependente do saque, sofreu mais quebras. No final acabou ganhando, mas jogando abaixo do que jogou em 2008. E a própria campanha também, 2007 perdeu set do Ferrero nas quartas. 2008 praticamente não foi quebrado

  37. Luiz Fabriciano

    Mestre, na postagem de hoje de Tenisbrasil, sobre o quadro de títulos de M1000 está assim:
    Djokovic:
    IW MI MC RO H/MA M/T Ci EESMX Pa Total
    5 6 2 5 3 5 1 4 5 36

    Não está errado? Cincinnati de 2020 não está na conta?

    Desenrola esse nó, please, kkk.

    1. Luiz Fabriciano

      Os números não ficaram exatamente embaixo das siglas dos Masters, mas acho que é possível entender.

  38. Daniel

    O histórico de domínio do Nadal no saibro é tão grande, que a impressão que dá é que se ele receber convite pra jogar RG, 30 anos depois da aposentadoria, aos 70 anos, ainda seria favorito. Dito isso, provavelmente essa deve ser a temporada que ele chega a Paris com o menor número de títulos nos masters de saibro, e onde a nova e a “nem tão nova assim” gerações impõem maiores dificuldades ao rei do saibro e 2 maior tenista da história. Confere Dalcim?

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, sem dúvida a nova geração foi bem competitiva em Monte Carlo, Barcelona, Madri e Roma, Daniel.

    2. Luiz Henrique

      Na verdade ele já chegou algumas vezes antes a RG com um título de Masters no saibro.
      2011, 2014, 2016 e 2019
      Em 2015 e 2020 chegou com nenhum título, embora com a ressalva que em 2020 só teve Roma

      Dos anos que ele ganhou RG antes, diria tranquilo que em 2014 e 2019 fez um pré-RG pior que este
      E até da pra discutir 2011 tb
      Em termos de resultado 2011 seria melhor pq ganhou 1 M1000+BC, e fez outras 2 finais, e esse ano ganhou 1M1000+BC e fez 2 Quartas de final
      O problema é que 2011 os 2 que ele perdeu foi pro Djoko, que ganhou 2 Masters
      Esse ano os campeões dos outros 2 torneios foram Tsitsipas e Zverev, e Nadal chega com vitória sobre ambos nos títulos que ganhou, e sobre o próprio Djoko agora.
      Então talvez ele chegue numa situação melhor que 2011 tb
      E 2014/2019 nem se discute

  39. Gabriel

    Dalcim, Nadal entrará como cabeça n2 em Paris? O chaveamento esse ano ganha muita relevância com o crescimento evidente de Zverev e Tsitsipas, além do sempre perigoso Thiem.

  40. Rafael

    Mestre,

    Como o Federer faz falta. O jogo do Nadal é feio demais. Não tinha vergonha de jogar balão nas estrelas no backhand do sérvio.

    Parabéns pela cobertura. Faço dos colegas as minhas palavras. Fico sempre esperando os seus textos após os jogos. Brilhantes.

        1. José Nilton Dalcim

          Sim, à parte que cabe a mim. O restante do comentário é a opinião dele, que devemos respeitar.

    1. Roberto Rocha

      Mas ninguém fala dos balões que o sérvio usou no jogo… no saibro já vi até Federer arriscar uns balões…rsrs

  41. Camila da Costa

    Nadal não vence Roland Garros caso perca, primeiro, para ele mesmo, em seguida, para Djokovic ou Tsitsipas!
    Dominic Thiem tem demonstrado um preparo físico insuficiente para fazer frente aos principais adversários em Grand Slam e como se não bastasse, agora passa por um período de desgaste mental como ele mesmo já retratou.

  42. Ronildo

    A temporada de saibro apenas acentuou como diversos tenistas chegaram ao nível de Nadal e Djokovic. À medida que o circuito prosseguir neste ano a idade cobrará o preço oara eles. Tem pelo menos uns 10 tenistas com alta perspectiva para RG além de Nadal e Djokovic: Thiem, Tsitsipas, Zverev, Sinner, Rublev, Berrentini, Sonego, Shapovalov, Karatsev, Aliassime; entre outras revelações que não baixarão a cabeça até o último ponto. Fora outros tenistas carne de pescoço que podem estar num dia inspirado.

    Esse RG será um dos melhores em décadas. E haverá grandes surpresas.

    1. Marcelo Costa

      Nos últimos 14 anos haviam 127 tenistas que tinham uma única missão: derrotar Nadal em rg, conseguiram uma única vez, será tão difícil assim reconhecer isso?

    2. André Barcellos

      Acho que Aliassime ainda precisa de muito mais rodagem.
      Não tem a consistência necessária pra ganhar sucessivos jogos de 5 sets

  43. Renan Vinicius

    Estamos próximos de ver a quebra do principal recorde do tênis: Nadal vencerá RG, conquistando seu 21º GS e ultrapassará Federer.
    O magrelo tá falando demais e jogando de menos. Não ganhou nenhum título nessa temporada de saibro, aliás perdeu no fraquissimo atp 250 de Belgrado. Nem sequer da pra cogitar título em RG. Seria melhor ele perder pra um Thiem ou Tsitispas do que tomar mais 1 pneu do Nadal na final.

  44. Daniel C

    Uma pena que o Tsitsipas não fechou contra o Djokovic, daria muito mais trabalho pro Nadal que o sérvio. Depois da final de RG do ano passado, ficou claro que o sérvio não tem mais armas para incomodar o espanhol no saibro. Precisaria de uma maior intensidade física e agressividade, algo que ele deixou lá em 2011. Esse estilo de jogo arroz com feijão que ele adotou a partir de 2015, que ele percebeu que traz muitos resultados (às custas de tédio para quem assiste) não funciona contra o Nadal no saibro.

    1. Chetnik

      O cara meteu 6×1 no Rei do Saibro e desperdiçou BP bobos no 3 set num momento crucial. Mas quem daria trabalho mesmo seria o Tsitsipas kkkk. Outro zumbi descontrolado kkkk.

      1. Daniel C

        Entendo a sua birra, mas o fato é que o Tsitsipas fez uma temporada de saibro melhor do que aquele que grita com juízes e boleiros, e chegou mais perto de derrotar o Nadal na final de Barcelona. Simples assim, questão de lógica.

        Obs: O 6 a 1 foi uma parcial atípica, fruto da desconcentração do espanhol.

      2. Rodrigo S. Cruz

        Defina para gente o que seria descontrole, Chetnik.

        rs rs

        O cara postou a opinião dele sem adjetivar ninguém, e foi adjetivado de zumbi por isso.

        E o grego esteve realmente próximo de eliminar o Djokovic, mas deixou escapar.

        Ou você já esqueceu?

      3. Carlos Reis

        Realmente, Djoko jogou muito. Não duvido que ele vença RG.
        Chances de título: Nadal 45% Djoko 40% Os Demais 15%

        Nadal agora tem o recorde(empatado) de GS e M1000.
        MAIOR DOMÍNIO DO TÊNIS: Vitórias e Título no Saibro, principalmente RG.
        Mais de 800 semanas seguidas no Top10 e contando, a maior parte no Top3, 16 anos seguidos.

        Federer: recorde de ATP Finals(Djoko perto) e outros recordes secundários, como 10 finais seguidas de GS, 8 títulos em W, 7 títulos em Cincinnati, por exemplo.

  45. Sandra

    Dalcim , ninguém pode desmerecer a vitória do Nadal , mas ele mesmo achou que levou um pouco de sorte ! Foi ano passado que foi a chuvarada toda em Roland Garros ? E além disso ele havia pego uma chave bem menos complicada ? Ou ano passado não teve o torneio por causa da Covid ? E Federer jogou ? Aliás por último vc não achou que Djoko teve chance de ganhar ontem ?

    1. José Nilton Dalcim

      Roma aconteceu sim no ano passado, Sandra. Nadal perdeu do Dieguito e Djoko foi campeão. Sim, aquela quebra no 2/2 poderia fazer importante diferença.

          1. Sandra

            Eu sei, infelizmente estou nesse planeta , o que perguntei foi em ano foi , não sei se foi ano passado, ou retrasado que teve uma chuvarada danada , e o Nadal enfrentou o Federer na semifinal, aliás todos foram prejudicados com a chuva ,Federer, Djoko , Thiem , menos o Nadal , foi isso que peguntei

          2. José Nilton Dalcim

            Nós???? Meu planeta é redondo achatado nos polos e o homem chegou à Lua em 1969… rsrs

  46. Jonas

    Ainda que não tenham muitas mudanças na ordem dos favoritos para RG até o momento, creio que Djoko e Tsitsipas se destacaram.

    Não esperava muito do grego, mas venceu MC com autoridade e não seria absurdo se vencesse Nadal em Barcelona, chegou bem perto. Contra Novak estava impressionante…sinceramente não sei como Djokovic venceu aquele jogo, o grego estava com uma confiança absurda, acertando bolas incríveis. Não sei oq o grego vai aprontar em RG, está entre os favoritos claro, mas este ano ele vai em busca do n1, e acredito que Novak não vai fazer tanta força pra evitar isso, até pq vai selecionar bem os torneios. Já não jogou Miami, Madrid…

    Sobre Novak, parece ter achado seu jogo, esteve em altíssimo nível nesse torneio de Roma, onde é PENTA em uma era onde existe Rafael Nadal. Sem dúvidas vai chegar como segundo favorito.

  47. Sander

    Parabéns pela excepcional cobertura, com seus comentários, que fazem toda diferença para entender melhor o jogo, Dalcim! Show de bola ! “Vida longa ao rei” (do saibro, Nadal) e ao tenis Brasil.

  48. RODRIGO HORA

    Excelente artigo. A impressão que tenho é que a consequência dos anos se passarem para Djokovic é que o desempenho dele no saibro tem sido um pouco mais difícil nos últimos 5 anos. De 2011 a 2016 esteve num momento físico excepcional (2015 venceu um Nadal em RG que não estava em seus melhores dias técnica-fisicamente e 2016 teve caminho tranquilo até o título de RG). Depois que o Espanhol voltou com tudo em 2017, RG voltou a ser dele. Outro detalhe: em que pese o Djoko ter chegado na final no estranho ano de 2020, tem perdido partidas no saibro com desempenhos MUITO abaixo do que ele tem na grama e da quadra dura. Me lembro de derrotas recentes para Cechinatto, Evans, Karatsev. Quando atuou um pouco melhor, ainda assim não venceu Thiem na terra nos últimos 02 encontros em RG (2017, 2019). Penso que ele tem tênis para ser campeão de RG outra vez, mas o desafio dele não é exatamente o espanhol: hoje ele precisa vencer caras como Zverev, Tsitsipas, Rublev e Thiem. Venceu o grego nessa última partida que, se não fosse picotada, teria perdido. Também venceu o grego na semi de RG 2020 mais por erros do grego do que por jogar bem. O grego está ficando cada vez melhor. Então não sei exatamente se ele mais “falou” acerca desse tal recado dado pra RG 2021 ou se foi tática emocional. Jogo jogado, acredito que Nadal tenha que ter mais cuidados contra os demais, não exatamente contra Nole (me perdoe os xiitas). Dependendo da chave que o Sérvio pegar, não passa das quartas com o nível de tênis que está jogando na Terra. Outra coisa: sou fã do futebol assim como do Tênis, e acho muito estranho essa coisa de ser fã de um tenista em detrimento do outro. Gosto de todos e desfruto todos. O dia que não tivermos mais o BIG 3, teremos de aturar uma nova geração mimada e cheia de desculpas para fracassos, pelo tempo que se passa, não vejo maturidade emocional em quase nenhum deles (Thiem não vale) e vejo chiliques de jogador afirmando não gostar de jogar na Terra e ficarem dando saltinhos de raiva quando algo acontece. O BIG 3 vai fazer falta e gosto de todos eles. Mas é só opinião.

  49. Thomaz Leite

    Mestre,sabe de algum canal vai transmitir o ATP 250 de Genebra?
    Parece que RF joga na terça feira…

  50. Gildokson

    Que o Djokovic é o maior adversário que Nadal ja teve no saibro todos concordamos neh? Agora vamo combinar que ele é um baita de um freguês também. 19 x 7 não da mais nem pra dizer que o espanhol entra preocupado kkkkkkkkkkkkk

    1. Jonas

      Nadal é uma aberração no saibro. Jamais veremos algum domínio parecido no tênis. E a tarefa dele é, em tese, das mais difíceis.

      Desde 2005 ele manda no saibro com muita folga. Nessa época aí o Federer estava no auge e nunca o levou sequer a um quinto set. O espanhol é um ET.

      Mesmo em 2011, quando o Djokovic estava papando tudo e teve a audácia de o derrotar nas finais de Madrid e Roma, o espanhol ainda assim venceu Roland Garros.

      São 13 Roland Garros, 10 masters de Roma…o homem é foda mesmo.

  51. Rafael Azevedo

    O Forhand do Nadal é imoral! Um dos melhores da história.
    O mesmo sobre o backhand de Djokovic.

  52. Alex

    Mestre, bom dia.
    Acho que sou bem ruim nas previsões. Se fosse viver disso, acho que morreria de fome…. rsrs
    Semanas atrás, me arrisquei a dizer que o domínio das lendas nos Slams havia chegado ao fim. Que iria ficar no 20 20 18.
    Depois de Roma, agora eu apostaria contra mim mesmo. Kkkk
    Não sei se é percepção minha, mas o Djoko, em diversas oportunidades, me passa a sensação de certa soberba.
    Algo como “eu sou mais eu, faço o que você não faz…”, ou ainda “posso perder esse ponto que não me faz falta”.
    Só que não. Do outro lado tem outra lenda, a postura de operário exaustivo que não desiste nunca nessas horas ajuda, e ao final do jogo, provavelmente ficou com uma sensação de “perdi um jogo ganho.”
    Seria por aí, Dalcim?
    Gde abraço, e vida longa e próspera pro blog.

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que todos os grandes tenistas são assim, Alex. Lembro que falavam muito da frieza do Borg e certa vez ele disse que era para mostrar ao adversário que ele teria de fazer uma grande jogada muitas outras vezes para vencer. E é mais ou menos o que todo mundo pensa, que sempre tem sua chance e que um determinado lance ou até game não o tira da batalha. Obrigado! Abs

  53. Luis

    Depois desse torneio fantástico, onde todos s grandes nomes subiram de nível, fico na dúvida se o Federer vai conseguir jogar nesse nível tendo parado por tanto tempo. Claro ele é fora da curva e esta treinando feito louco, mas tenho a impressão que isso não vai ser o suficiente contra esses jogadores que estão tão embalados. Espero estar errado

  54. Daniel Lara

    Dalcim postaram um vídeo com os lances das partidas que Nadal e Djoko já fizeram em Roma, fica nítida a evolução dos dois com o passar dos anos não acha ? não dá pra não admirar os caras se reinventando a cada ano, parabéns pelos comentários é sempre muito legal acompanhar aqui.

    1. José Nilton Dalcim

      Muito bem observado, Daniel. Isso certamente é o que os faz ainda tão competitivos e soberanos. Nunca se sentiram confortáveis e estão sempre em busca de algo melhor, mais moderno e eficiente. Sem falar é claro na forma física. Aliás, incluo o Federer também nesse aspecto. Obrigado e abraços!

  55. Diego Henrique

    Bom dia Dalcim.

    Qual será o adversário preferido do Nadal em as quartas de RG: Zverev, Tsitsipas, Rublev ou Federer? Jogo duro pro Touro.

  56. Paulo F.

    Resultado esperado em Roma.
    Parabéns por mias uma conquista, Rafa.
    Espero apenas que, em outros torneios, especialmente em RG que está por vir, que nenhum tenista tenha que sofrer o que sofreu Djokovic neste torneio ou Thiem no próprio RG passado.
    E, tratando-se da sorte de Rafa, é capaz de ir pro lado do Djokovic em RG, Thiem, Tsitsipas, Zverev e ele ficar ao lado de Medvedev e Federer….

  57. Rodrigo S. Cruz

    [VITOR HUGO]

    Pamonha-vit foi ótima!

    Rachei aqui kkkkk

    Apesar de alguns darem a disfarçada básica, ontem foi um dia indigesto para os “pamonho-minions”.

    Vendiam sistematicamente a FALÁCIA do sérvio ser páreo para o Nadal no saibro.

    Impossível, né…

    Valeu aí, Nadal, pelos 5 anos de chibata de NEGO DO BOREL no lombo!

    kkkkkkkk

    Acabou que a freguesia do Fedal que eles tanto exploram foi igualada.

    O saldo hoje é matematicamente o mesmo:

    14 – 2 = 12. (Fedal)
    19 – 7 = 12. (Pamonhal)

    Bem-feito, seus falastrões invejosos!!!!

    1. Rafael Azevedo

      De fato o Djokovic é freguês do Nadal no saibro, mas essa lógica matemática aí foi forçada…
      O aproveitamento do Djokovic contra o Nadal no saibro é infinitamente melhor que o de Federer.
      Federer é, sim, muito mais freguês.

      1. Rodrigo S. Cruz

        “Infinitamente melhor” e ainda assim o sérvio é freguês?

        Explica essa lógica deturpada aí pra gente… rs

        1. Rafael Azevedo

          Bom, o Djokovic venceu cerca de 37% das partidas que disputou contra o Nadal no saibro.
          Federer venceu apenas 12,5%.
          O aproveitamento do Djokovic é muito superior.
          Sem falar nas análises subjetivas que podemos fazer como a maior dificuldade do Nadal em vencer as partidas com o sérvio em relação as partidas com o suíço.

          Ah! O termo “infinitamente” foi uma hipérbole (eu precisaria explicar isso, tb?) e foi em relação às freguesias do Djokovic e do Federer, logo não há problema em uma freguesia ser “ínfinitamente” (hipérbole) inferior ou superior às outra, mesmo sendo uma freguesia.

    2. Alessandro Siqueira

      12 ÷ 2 = 7. Ou seja, para cada 7 vitórias do espanhol, apenas uma só suíço.

      19 ÷ 7 = 2,7142857143. Na prática, a cada 2 ou 3 vitórias de Nadal, uma do sérvio. Com o plus que Djokovic compensa o h2h nos demais pisos, né non?

      1. Rodrigo S. Cruz

        Xiiiii

        Vai apelar pra criatividade numérica agora, Alessandro?

        Tá ficando feio pra vocês, hein…

        (rs)

        1. Rafael Azevedo

          Criatividade numérica foi a que vc fez. A lógica dele está mais correta.
          Se vc fosse o meu analista financeiro no mercado de ações, eu estaria pobre, hoje…RS.

        2. Alessandro Siqueira

          Dizem que a estatística é a arte de espancar os números até que esses confessem o que interessa. Se é verdade, você acabou de ganhar o troféu torturador do ano e sabe bem disso.

    3. Paulo F.

      Ao menos Djokovic ganhou taça em Monte Carlo e Roma em cima do Nadal.
      Em Roma, duas vezes.
      Ah, e também não é ZERADO em vitórias para cima de Nadal em RG.

    1. Sérgio Ribeiro

      Isso quer dizer o que ? . Connors tem mais Títulos, mais SLAM e 2 x 2 em FINAIS . Ontem o Sérvio aplicou um 6 x 1 num Set . E serviu pra que ? rs . Federer já aplicou mais PNEU em Nadal do que recebeu. Isso significa o que? rs. Abs!

      1. Alessandro Siqueira

        Não sei se você se deu conta, afinal a gente só vê o que quer, mas há falas nesse mesmo post no sentido de que a derrota de Djokovic para Nadal em RG ano passado teria sido a mais vexatória no Big Three. Diante disso, e para não causar discussões infinitas, resolvi fazer um comentário autônomo, ainda que motivado numa fala desconectada da realidade. Fala essa que, aliás, é repetida à exaustão nessas paragens.

  58. Chetnik

    Foi um pouco frustrante porque o Djoko jogou fora o 3a set, mas ele fez MUITO mais do que eu imaginava, então não posso reclamar.

    Longe dos melhores embates que os 2 já tiveram, mas ainda sim foi um belo jogo e bastante emocionante.

    RG não escapa do Nadal.

    1. Sérgio Ribeiro

      Um dia teríamos que concordar , caríssimo Chatonik . O SLAM 21 em 2021 , vai fazer a diferença voltar pra TRES . A mesma de 2008 quando se iniciou a era forte do “ goat “ paraguaio rs . Abs!

  59. Marcilio Aguiar

    Esse M100o de Roma, para mim, veio confirmar que, pelo menos, nos próximos dois anos os Slams serão dominados pelo Djoko no geral e Nadal em RG. Alguns das novas gerações tem técnica e físico para jogar de igual para igual com eles e até vencer partidas que não sejam muito longas, nos jogos melhor de 3 sets. Entretanto, nos jogos de slam, na hora “da onça beber água”, o poder mental dos dois ainda faz a diferença na medida em que as partidas se prolongam por mais de 3 horas. Eles só vão ser frequentemente batidos em um jogo de semi ou final, melhor de 5 sets, quando não tiverem mais gás para aguentar um adversário duro na queda ou estiverem em um dia muito ruim e isso parece estar longe de acontecer.
    Com a idade o único fator que declina é o físico, enquanto a técnica adquirida e o controle/força mental permanecem intactos. Ambos não parecem dar sinais de declínio físico abrupto. Isso somente aconteceria se ocorresse uma lesão crônica, ou uma contusão que os afastasse do circuito por muito tempo (temo ser o caso de RF), ou outro fator qualquer que gerasse desmotivação. Como eles não precisam mais jogar 20 torneios por ano, podem poupar as energias e se preparar com todo cuidado para os 4 GS.

      1. Marcilio Aguiar

        Jonas, se voce está se referindo às bolas curtas e problemas no saque do Nadal, parecem que tem relação mais com aspectos físicos porque quando ele esta inteiro, principalmente no saibro, consegue fazer suas jogadas de bolas fundas com spin e disparos mortais no FH.

    1. Miguel BsB

      Meu caro Marcílio. Força mental está diretamente ligada à capacidade física. Se esta última começa a declinar, o mental acompanha…
      Abs

      1. Marcilio Aguiar

        Miguel, não sou expert nesses assuntos, mas força e controle mental não podem ser requeridos em outras atividades que não dependam de desempenho físico? Entendo que esses grandes tenistas sempre vão ter essa capacidade à disposição. Por outro lado tem tenistas em plena forma física e técnica perdem jogos que deveriam ganhar porque não “tem cabeça”. É claro que deficiências no aspecto físico vão prejudicar a confiança e a execução técnica, entretanto o Nadal e Djoko não parecem estar em decadência vertiginosa que os impeçam de entrar nos grandes torneios na ponta dos cascos, desde que racionalizem bem o calendário.

  60. Fabio Riella Fernandes

    Dalcim, na minha simples visão, Nole parece possuir mais versatilidade de desempenho nos pisos diferentes em relação aos demais do big 3. Isso dá a ele uma leve superioridade ao espanhol e ao suíço? Não quero criar polêmica e nem discussão entre os fãs de tênis. Apenas aprecio esse esporte e faço esses questionamentos por curiosidade. E nem sou fã de Djoko, embora aprecie demais o seu tênis.

    1. Leonardo Fagundes

      Fabio, como tudo na vida existem pros e contras. A flexibilidade do Djokovic dá sim a ele uma vantagem competitiva geral contra Nadal e Federer, mas também joga contra ele. O que quero dizer é que Djokovic jogam bem em todas as quadras mas não tem dominio “absoluto” sobre nenhuma. Por exemplo, Nadal tem dominio quase absoluto sobre o saibro. Djokovic ganhou em quadras sinteticas 12GS (9AO + 3USO), o que é fantastico, mas é menos que Nadal em RG, sendo que a nas sinteticas tem o dobro de torneios. Em Wimbledon tem 5, o que também é fantastico, mas Federer tem 8, e Djokovic perdeu finais para Federer, Murray. Por fim, o jogo do Djokovic para mim é o mais eficiente dos 3, mas também é o mais convencional, o que faz com que ele tenha uma maior variedade de titulos, mas em torneios individuais, com excessão do AO, não tenha um dominio tão forte.

  61. Regimar Marcondes

    Gostaria de lembrar que Djokovic nesta temporada ainda não tinha feito nada no saibro. Foi inclusive vergonhoso em Belgrado. Não fez nada em Monte Carlo. E que manda recado ter encontrado o seu jogo no saibro? Ele deveria é falar menos!! Fala demais! Pegou uma chave bem mais tranquila em Roma e no sábado ou ele jogava ou estaria fora. E foi quem pediu pra parar o jogo sexta que estava perdendo. Pra mim, em RG ele não chegará às quartas!!

    1. Alessandro Siqueira

      Chave tranquila passando pelo grego, que ganhou Master 1000 e é o jogador que somou mais pontos no ano. Tá sabendo legal, hein?

    2. Sandro

      Chabe tranquila em Roma? Tá de brincadeira né?
      E Djokovic não vai chegat às quartas de Roland Garros, como assim? Quem o eliminaria antes das quartas???

    3. Jonas

      Ele não falou nenhuma mentira. Afirmou que encontrou seu jogo no saibro, apenas. É sério que você achou isso um absurdo?

  62. Fabio Riella Fernandes

    Dalcim, na minha simples visão, Nole parece possuir mais versatilidade de desempenho nos pisos diferentes em relação aos demais do big 3. Isso dá a ele uma leve superioridade ao sérvio e ao suíço? Não quero criar polêmica e nem discussão entre os fãs de tênis. Apenas aprecio esse esporte e faço esses questionamentos por curiosidade. E nem sou fã de Djoko, embora aprecie demais o seu tênis.

  63. Luiz Fernando

    Rafa e Djoko fizeram uma partida excelente, uma avant première da provável final de RG, embora no set 2 Nadal tenha dado uma viajada legal, após apertar o primeiro game de serviço do sérvio naquela parcial; se quebrasse creio q venceria em 2 sets. Nas três ultimas partidas Rafa voltou ao nível q se esperava dele nessa temporada de saibro, e como todo grande campeão jogou melhor no final, com melhora do serviço e do BH na paralela, q sempre foi sua principal arma contra o Djoko, em qualquer piso, basta lembrar da final do USO 2013; os FH cruzados com spin bem alto na cruzada também estiveram soberbos, o ponto do título saiu assim. Além disso, fisica e mentalmente encontra-se muito forte novamente, creio q ainda mais do q em 2019. Terá agora duas semanas de treino p aprimorar ainda mais o físico e a chance do GS 21, que ninguém me tira q sempre o foi o sonho e o maior objetivo de sua carreira, e dos seus torcedores, nunca esteve tão perto. Djoko sempre foi seu principal adversário no saibro, o cara q mais o incomodou e equilibrou partidas c ele, basta lembrar da semi de 2013 em Paris, uma das maiores partidas da história do torneio p confirmar isso, enquanto caras como Thiem ou Federer jamais conseguiram chegar próximos de derrota-lo como naquele jogo? Nunca. Após a dupla vejo o trio Thiem, q está mal, grego (perigosíssimo) e Zeverev (jogador inconstante) como os principais nomes do segundo degrau de favoritos, mas essa turma, exceto o austríaco, tem repetidamente falhado nos GS. O sorteio desta vez será muito importante pois apareceram novos caras q podem vencer ou no mínimo incomodar muito e degastar o Big2. Claro q não poderia esquecer daquela galerinha rançosa, invejosa e rancorosa, q dizia q ambos não jogariam nada após os 30 anos, e q hj deve ter torcido contra os dois. Para estes usarei a imortal frase do Lógico: chupa q é de uva kkkkkkkkk. Aqui é diversão garantida kkkkk…

    1. Luiz Henrique

      Luiz Fernando, quando Federer tiver 96 anos, Nadal 91 e Djokovic 90, ainda vão dizer que os 2 estão jogando bem pq são muito jovens ainda
      kkkkkkkkkkkkk

      1. Sérgio Ribeiro

        Errado : Nenhum dos três estará em atividade. Mas o Craque que é CINCO mais velho que o Espanhol e SEIS do Sérvio, já terá se aposentado há muito. rs. Abs!

    2. jose Yoh

      Caro LF, o declínio físico dos dois seria a aposta mais evidente pelo estilo de jogo e pelo que acontecia com todos atletas até então – não só no tênis. O que poucos contavam é que haveria uma mudança tão radical na medicina esportiva e nos fatores tecnológicos/biomecânicos que permitiriam a essas lendas alongarem suas carreiras (para nossa felicidade). Não tem nada a ver com rancor.

    3. Sérgio Ribeiro

      Pelo estilo de jogo , parecia mesmo que seguiriam o destino de Lleyton Hewitt . Principalmente Rafa Nadal que já em 2005 teve que pular o FINALS por chegar arrebentado . Ambos abandonaram muito mais Torneios que o mais Velho 5 , 6 anos . Passaram a copiar o Craque depois de 2011 , e montaram um Calendário inteligente. Mesmo assim várias lesões pegaram os dois mais jovens pelo caminho. Essa sua babaquice de atribuir tudo a inveja não cola . Rafa disse que sentiu as costas e pulou MIAMI. Estava servindo a uma velocidade de WTA e de repente se “ recuperou “ . A confiança e’ tudo num Esporte de altíssima precisão. Coisa que o L. F . parece não ter aprendido com o Tempo. Rafa precisou salvar MatchPoints pra seguir vivo em Roma . Ele ainda não levou R.G. E’ melhor o parceiro baixar sua bolinha bipolar rsrsrs.

  64. Edgard Upinho

    Que jogo, hein? realmente, Nadal precisa do forehand na paralela se quiser ser competitivo contra Djokovic. Tb tive a mesma impressão sua, mestre Dalcim. Uma quebra de Djoko naquele quinto game teria sido fatal. Até lembrei da semifinal de RG em 2013, em que o sérvio teve um smash fácil pra cravar 15-40 no saque do espanhol e não concretizou. Daí acabou perdendo a semifinal no tie break por 9-7. Esse RG realmente promete e apesar da evidente evolução do Tsitsipas e do Zverev, especialmente o último já que não o vejo assim tão ameaçador nas condições mais lentas do saibro de RG em comparação com o saibro de Madrid. Obrigado, Dalcim, pelos comentários durante a final e pela rápida cobertura ao postar as notícias no site. As partidas mal terminam e você já traz o texto completo com a notícia. Como consegue fazer isso? vai escrevendo no decorrer do jogo? kkkkk. Abraço.

    1. Gabriel

      Na verdade esse smash em 2013 o Djokovic já tinha uns quebra de vantagem, salvo engano tava 4-3 no quinto e 40 iguais, aí o Nadal na sequência devolveu a quebra

  65. Maurício Luís *

    Embora o título da matéria mencione “… veja a incrível vitória de Swiatek “, mesmo reconhecendo que sou leigo, mas me pareceu que a Ka Pliskova estava com algum problema físico que limitava sua movimentação. Mas pra não desmerecer a vitória da adversária, deve ter omitido isto. É um palpite…
    Faz anos que a temporada de saibro tem sido uma asa negra pros ‘haters’ do Nadal. Mais um trofeu, mais uma taça mordida, mais uma vez favorito pra Roland Garros. Já deviam ter mudado o nome pra Temporada Baloeiro.
    Uma hora dessas o pouca telha deve estar comemorando com a Xisca… não sem antes ter dado um abração na sogríssima. Ele bem que queria dar um abraço de tamanduá, mas não ia ficar bem. Daí abraçou normal mesmo.
    O jeito é esperar a temporada da grama, porque Roland Garros acho que é caso perdido. Já dá a taça pra ele e vamos mudar de assunto. Vai gostar de terra assim lá do lado oculto da Lua.
    FEDERER e SERENA – se eu tivesse que apostar qual dos dois tem + chance de ainda beliscar um Slam, eu diria que é a Serena. Não acredito em volta triunfal do suíço. Claro que ele tem talento de sobra, mas a longa inatividade e a idade acho que vão lhe pesar. A Serena pelo menos não se contundiu.

      1. Miguel BsB

        Também tive essa impressão do Maurício, vendo os highlights…a Swiatek abriu ela diversas vezes no kick na vantagem, e ela nem se dava ao trabalho de ir na bola seguinte.
        Claro que a Pliskova nunca foi um exemplo de movimentação e velocidade. Creio que, se não foi lesão, foi “preguiça” mesmo. Algo que tb já vi a moça fazer em outros jogos que não iam bem…
        Mas, duplo 6/0 numa final dessas é uma tremenda humilhação.

        1. Sérgio Ribeiro

          Na boa , Miguel . Não foi não. Pliskova ficava envergonhada pelo fato de tudo que tentava a resposta era melhor . Há muito que a Ex-N1 perdeu a confiança. E definitivamente nem de longe tem as variações da atual N 1 do Mundo. BARTY pode mudar sua tática a qualquer momento durante uma partida . Pelo menos , a meu ver .

          1. Miguel BsB

            Barty é muito mais jogadora que a Pliskova, Sérgio.
            E a tcheca chegou à uma final de wta 1000 derrotando diversas adversárias gabaritadas pelo caminho, sendo sua 3 final lá com um título no bolso.
            Não creio que estivesse com a confiança baixa antes do jogo. Durante, sim, de ver que nao teria chances.
            Mas como disse, me pareceu, mas ela nunca teve boa movimentação.

      2. Sandra

        Aliás Dalcim o que vc acha da tcheca como jogadora ? Não sei se foi ela que derrotou a Serena no Us open , aonde a Serena foi desclassificada ou alguma coisa parecida , achei que ela ia estourar , mas não , qdo chega perto nada acontece !

        1. José Nilton Dalcim

          Acho uma jogadora forte nos pisos mais velozes, mas um tanto limitada pela falta de movimentação e variação, Sandra.

      1. Sérgio Ribeiro

        Errado : Ambos ainda tem chances na Grama Sagrada . O Suíço ainda pode surpreender na movimentação suficiente para se utilizar dos atalhos na superfície. Até Annacone também Ex de Sampras, confia . Ou melhor , exagerou acreditando em boa performance em RG . A conferir. Abs!

      2. Rodrigo S. Cruz

        Ele tem boas chances, sim senhor.

        Goste você disso ou não.

        Aguarde Wimbledon para você ver…

  66. Vitor Hugo

    Mas fato é que, o baloeiro também é pato de djokovic e Federer tanto na grama quanto hards, não só no h2h quanto no número de títulos nas superfícies também, somado ao fato de ter poucas semanas na liderança se comparado aos dois, Nadal não tem condições de sequer ser cogitado como GOAT, posto que já tem Federer como dono e que deverá permanecer por vários e vários ANOS!

      1. Sérgio Ribeiro

        Retornou a soberba de 2013 , caríssimo L . F. ?. É impressionante como mudas ao sabor do vento. Essa babaquice com Federer já deu há muito. Podes cair do cavalo em menos tempo que imaginas. E não adiantas repetir o ” odeio Roger Federer ” que não cola . Podem se encontrar mais cedo que imaginas em WIMBLEDON 2021… Abs!

        1. Luiz Fernando

          Sérgio quanto encontro c vc sempre encontro a soberba. Naquele ano Federer venceu um atpzinho 250 de Halle e surra atrás de surra mas daí a um tempo deu a volta por cima e despontou outra excepcional parte de sua gloriosa carreira. De fato não gosto dele, mas reconheço seus méritos. O presente representa uma encruzilhada p o cara, ninguém sabe como sua performance estará de Genebra para a frente, mas o detalhe é q ele aos 40 anos e com pouco ritmo de quadra terá de enfrentar um grupo bem maior de adversários potencialmente perigosos do quem 2017…

    1. Sandro

      Não viaja cara!!! O BIG 2 Nadal e Djokovic são MUITO MELHORES que o freguês do Federer…
      Aproveitando o MASTERS DE ROMA, NADAL tem 10 troféus, DJOKOVIC tem 5… E o Federer??? Federer, o freguês eterno do BIG 2 , tem “ZERO” títulos em ROMA!!!

      1. Sérgio Ribeiro

        Cara muda o disco senão volto a te homenagear com o irresistível , mane’ rs . És o comentarista mais repetitivo disparado do face TênisBrasil que não sei porque veio encher o saco por aqui. Na boa , já te deram uma vaguinha na Kombi , ou também estás de penetra ??? kkkkkkkkkkkkkkk. Abs!

    2. Luiz Henrique

      Sobre Nadal ser pato dos outros 2 em títulos na hard e na grama vale a seguinte análise

      Federer tem 8 WB. Nadal 2. Nadal tem 25%, portanto
      Djoko tem 5 WB, Nadal 2. Nadal tem 40%, portanto

      Federer tem 11 GS na hard, Nadal 5. Nadal tem 45%, portanto
      Djoko tem 12 GS na hard, Nadal 5. Nadal tem 41% portanto

      Agora vamos aos GS no saibro
      Cada um dos outros 2 tem 7,7% dos GS que Nadal tem nesse piso.

      Ou seja, os 25% de Nadal em relação a Federer na grama, da mais que o triplo dos 7,7% do Federer em relação a Nadal no saibro
      Os 41% de Nadal em relação a Djoko na hard, da quase 6 vezes os 7,7% de Djoko em relação a Nadal no saibro

  67. José Eduardo Pessanha

    Craque Dalcim, essa final deveria ser disputada amanhã. Não tenho dúvidas de que o Djokovic teria ganho com certa facilidade se o jogo fosse disputado em condições iguais. Jogar por quase 8 horas em um período de 32 horas é realmente desumano. Foi um clássico Maratenístico, com Nadal berrando “vamos” em um erro do sérvio. Agora imaginem o quanto que o Meligeni reclamaria se fosse Nadal quem jogasse por 5 horas em um mesmo dia???? Como torce a criança, constrangedor.
    Cotonete parecia mal tecnicamente, mas saiu gigante do torneio. Claro que o Fiuk Grego, a exemplo de seu colega superesTHIEMado em outras oportunidades, perdeu a chance de levar esse torneio. Deu muito mole contra o Djokovic.
    Abs

    1. Luiz Fernando

      Vamos mencionar outros torneios então, AO de 2017, puseram Feder jogar sua semi na quinta e Rafa jogar a dele n sexta, dando um dia amais de handicap p o suíço, além da palhaçada q perdurou anos em W, que não fazia rodízio dos principais jogadores na quadra com teto retrátil, mas como isso é a favor do jogador queridinho nem se menciona, tudo é válido…

      1. Rodrigo S. Cruz

        Só sei que o Nadal estava inteiraço naquela final.

        Correu igual a um condenado, tinha todo histórico a favor, e o Federer ainda vinha de meses parado.

        O Nadal só perdeu porque o suíçojogou mais mesmo…

        1. Luiz Fernando

          Reconheço q correu e jogou de igual p igual, mas se fosse ele o vencedor fazendo sua semi 24 hs da do suíço vcs viriam aqui e diriam q Federer perdeu por ter 24 horas menos de descanso e por isso foi derrotado. Esse é o modus operandi de vcs, alias sempre foi, vide a balela da mononucleose q vc mesmo contestou.

      2. Sérgio Ribeiro

        Sem essa de queridinho . O Octa Campeão é o que atrai mais público. Nunca vi Andy Murray reclamar de nada. Não vai ser tu né ? rs Abs!

    2. Sérgio Ribeiro

      O Sérvio teria ganho com certa tranquilidade ?. Há uma semana o conterrâneo dizia que Novak não venceria mais nada rs . Estás irreconhecível , caro Pessanha . Ou será que isso significa adesão total a Kombi com medo do 21 do Touro em RG 21 ???? kkkkkkkkkkk. Abs!

      1. José Eduardo Pessanha

        Tênis é momento, caro conterrâneo. Ou vai me dizer que o Djokovic não te surpreendeu nos últimos 5 dias? Melhorou horrores o seu jogo….mas continuo achando que não vai ganhar RG.
        Abs

    3. Sandro

      Essa sua teria é absurda! Djokovic não precisa desse chororô todo. Mesmo que Djokovic vencesse a SEMIFINAL por W.O., a FINAL contra o NADAL continuaria sendo duríssima!!!

  68. Luiz Fernando

    Iga merece comentários a parte, essa menina é um fenômeno, uma gigante, que me parece fadada ao número um do mundo a médio prazo. Entrará formalmente favorita p o Bi de RG, coisa q não é muitos e muitas. Com a personalidade demonstrada ano passado em Paris as adversárias devem estar torcendo pra fugir dessa moça daqui a duas semanas…

    1. Miguel BsB

      E Luiz, vc sabe quem é o maior ídolo e inspiração da garota né?
      Ele mesmo, o Touro Miúra…
      Ela tem um jogo pesado de topspin parecido com o do Nadal mesmo.

  69. Gabriel

    Nadal sem dúvida evoluiu muito, mas sua principal arma no saibro, o forehand na paralela, pouco apareceu hoje, inclusive perdendo alguns pontos importantes quando a paralela estava aberta e o espanhol insistia na cruzada. Aquele game do 2/2 no 3º set foi muito estranho, o backhand do Touro simplesmente sumiu, tava mandando a bola nas nuvens, mas felizmente Djokovic errou o break point e ele voltou pro jogo. Se Rafa quiser ganhar RG de novo, o forehand na paralela precisa estar calibrado, e vai ter toda a 1ª semana do torneio pra isso.
    Dalcim, até onde vc acha que o Federer vai em Paris?

  70. Leo Gavio

    Djokovic favorito pra RG, se depois de 5 horas de jogo com menos tempo de recuperação o sujeito mete 6 a 1 no Nadal e quase abriu 3 2 e saque no terceiro set, não tem o que discutir: Djokovic é o favorito.

    Enquanto Nadal pena contra a Nextgen, Djokovic vem dominando desde o ano passado.

    Se Nadal chegar na final a historia vai ser bem diferente do que ocorreu no ano passado. Porem acho que Nadal vai cair antes da final, seja pra Tsitsipas, seja pra Zverev ou Rublev. Principalmente os dois primeiros que sacam bem e aguentam a trocação do fundo de quadra.

    DJokovic tem grande chance esse ano de fazer o BI. Foi de longe o melhor tenista do torneio, perdeu pra chuva, pq Nadal tava bem vulneral na final. Imagine se Djokovic estivesse com a bateria em 100%, muitos erros ali, muitas bolas erradas foram de falta de combustivel fisico e mental.

    Tirem print disso aqui e me cobrem na final.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Mas a expertise dele é esta, Luiz.

        Afirma as BRAVATAS mais risíveis, e para tanto insere alguma frase ou termo “lacrador” como:

        “indiscutivelmente, “com toda certeza”, “não tem o que discutir”…

        Uma figura!

        kkkkkkk

        1. Miguel BsB

          Inserir indiscutivelmente, não há discussão etc, já mostra que a pessoa se acha a dona da verdade. Até o maior especialista do blog, o próprio editor, se dá ao trabalho de discutir, na boa acepção da palavra, com todos os participantes…
          E, realmente, foi uma dos piores comentários recentes…melhor não discutir mesmo rsrs

    1. Sérgio Ribeiro

      Não sei pra quem emprestastes o Nick desta vez , sábio Leo Gavião , mas pra quem quer que seja viu outro Torneio . Venceu o melhor sem choro . O semblante do Sérvio não nega o quanto ele teme o Touro Miúra em seu habitat . Abs!

    2. Sandro

      Que absudos!!!
      Nadal acaba de ser DECACAMPEÃO DO MASTERS DE ROMA, um feito intergaláctico, e vc diz NADAL vai se dar mal em Roland Garros???
      Djokovic não precisa desse mimimi todo. Mesmo que Djokovic vencesse a SEMIFINAL por W.O., a FINAL contra o NADAL continuaria sendo duríssima!!!

  71. Vitor Hugo

    Como é que alguém que tem 7 x 19 contra Nadal no barro, não vence o espanhol a 5 anos no piso, sofreu a derrota mais humilhante da história em RG(pelo contexto) e nunca venceu Nadal(100%) em rg Garros pode ser considerado um adversário à altura do espanhol na terra batida por alguns manes?!?! Kkkk
    ?????????

    E o cansaço seria uma falácia, pois PamonhaVICE pouco jogou nas últimas semanas, pois levou uma surra em Monte Carlo e outra no future de Belgrado, e depois pulou Madri(pra não apanhar), enquanto o baloeiro jogou todos os torneios possíveis no barro…

    Fato é que, o único adversário que fez frente ao baloeiro na terra batida foram Tsipas, Rublev, Zverev e Shapo.

    E como um tenista q não vence Rafa há 5 anos no barro pode ser considerado o melhor saibrista entre 2017 e 2019, e ainda por cima não fez final em RG no período????
    ???????

    Fatos:

    – Thiem foi o segundo melhor saibrista entre 2017 e 2019
    – Nadal, Tsipas, Zverev…. são os melhores na terra batida no ano.

    Os únicos adversários à altura de Rafa, no barro, nos últimos 5 anos foram Fognini, Zverev, Tsipas, Thiem, Rublev e só!

      1. Rodrigo S. Cruz

        Discordo!

        A derrota mais humilhante foi a do ano passado mesmo.

        Uma vergonha, um cara que é numero 1 e perseguidor de recordes do suíço tomar um placar daquele… com 6/0 e tudo!

    1. Alessandro Siqueira

      Parece que você se esqueceu do ano de 2008, não é? Ali a surra de cinta se deu em dois atos. O espanhol espancou em Paris e em Londres ganhou do “maioral” naquele que seria O piso. Tudo isso com o helvético tendo VINTE E SEIS ANOS. Isso mesmo, ele só faria 27 em agosto.

      1. Sérgio Ribeiro

        Se conhecesses um pouquinho do Esporte saberias que o mesmo que tomou aquela surra em RG , foi capaz de realizar na sequência aquela que pra muitos está entre as TRES melhores partidas da história. E estava muito pressionado com a possibilidade de quebrar o recorde de BORG de Cinco consecutivas na Grama Sagrada que perdura até hoje. Somente os dois , nem Sampras ,. nem Novak. Abs!

    2. Chetnik

      O Frauderer tá velho e cansado desde os 28 anos de idade. Mas o Djoko com 5 horas de tênis nas pernas e sem descanso é “desculpa” kkkk. Esse aí tá há 10 anos , sob múltiplas personalidades, passando vergonha no blog. Isso que é gostar de passar vergonha kkkk.

      1. Paulo Almeida

        Passa vergonha no tênis há muitos anos e agora recentemente com suas modelos invisíveis de Indaiatuba, hahaha.

    1. José Nilton Dalcim

      Não me recordo de qualquer final masculina com duplo 6/0. Talvez o caso mais chocante tenha sido a do Federer sobre o Gaudio no ATP Finals, mas era fase classificatória.

      1. Renato Veneziano Toniol

        Dalcim, na verdade, essa bicicleta do Federer contra o Gaudio foi na semifinal da Masters Cup (atual ATP Finals) de 2005.
        Não era final, mas semifinal de um evento dessa magnitude, é raríssimo de se ver um placar tão dilatado,

      1. Paulo Almeida

        E daí que o passador de bolas australiano sem nenhum golpe contundente recebeu o apelido de Hewitt bicicleta.

      2. Renato Toniol

        Marcelo Gomes, muito bem lembrado. Foi em 2004, Federer jogou demais naquele dia, agressividade pura.

  72. Paulo Almeida

    Djoko sai de cabeça muito erguida depois de mais um capítulo épico da maior rivalidade da história. As humilhações que sofreu em 2019 e 2020 não foram normais e ficaram pra trás, ou seja, pode continuar encarando o rei do saibro de igual pra igual como já fez tantas outras vezes!

    Agora é descansar uma semana e treinar em Belgrado 2 antes de Roland Garros.

    1. Miguel BsB

      Aí Paulo, mudando de assunto. Já viu que a Iga é das nossas? Rs
      Li um entrevista dela, e a menina de 19 anos é fã de AC/DC, Black Sabbath, Guns n Roses, Led Zep e por aí vai…hehe

  73. Caio Cesar

    Boa noite, Dalcim.
    Muito legal a sua análise da final ao vivo aqui no blog, deu pra matar a saudade do placar comentado.
    Quanto aos favoritos em RG, parece que demos muitas voltas e no final retornamos para o mesmo lugar: Djoko e Nadal disparados os principais favoritos.
    Acredito que o sorteio de RG seja o mais aguardado em muitos anos. imagina do mesmo lado da chave Djoko, Nadal, Tsitsipas e Zverev … Cruel!!! Kkkk
    Qdo vai ser o sorteio, Dalcim?
    Grande abraço.

      1. Luiz Fernando

        E Dalcim vc vai voltar a comentar as finais dos grandes eventos, é quase tão bom quanto assistir ao evento? Tomara q vc se anime e mantenha esta atividade…

Comentários fechados.