Analisando a final de Roma
Por José Nilton Dalcim
16 de maio de 2021 às 12:05

Nadal completa exatos cinco anos sem perder para Djokovic sobre o saibro ao levantar seu 10º troféu no Masters 1000 de Roma, justamente o último lugar onde havia sido batido pelo sérvio, na final de 2016. Sai mais favorito do que nunca para reconquistar Roland Garros e chegar ao 21º Grand Slam. Título também valeu empate por 36 em títulos de Masters 1000 com o próprio Djokovic.
Terceiro set
3-5 –
Final tenso, mas Nadal soube sacar os dois pontos finais no backhand de Djokovic, que curiosamente recuou bem mais do que o normal para tentar manter a bola em quadra.
3-5 –
Djokovic se esforça e consegue evitar um match-point, mas o jogo está nas mãos do espanhol, que só precisa sacar com qualidade.
2-5 –
Nadal foi paciente, não se precipitou e deixou a tarefa de tentar o risco para o adversário. Deu certo. Muito perto do 10º troféu.
2-4 –
Um grande game de Nadal. Começou logo com nova paralela de forehand e manteve a bola funda o tempo todo. Djokovic tentou surpreender e foi à rede no 15-40, mas levou passada cruzada justa.
2-3 –
Djokovic perde uma grande chance de quebra, com um forehand no meio da rede. Nadal tentou de tudo: bola alta, curtinha, lob. O que deu certo no entanto foram dois winners na paralela.
2-2 –
Igualdade segue, assim como as alternativas táticas. Os dois buscaram curtinhas para tirar o adversário da base e Nadal optou por usar o spin mais alto, talvez para ganhar tempo, mas isso não resolve muito diante de um adversário que joga em cima da linha.
1-1 –
Troca franca de golpes da bate também neste segundo game e os dois jogadores jogando em alto nível a cada bola. Nadal desperdiçou uma bola curta para apertar e aí Djokovic empatou.
0-1 –
Nadal começa com o saque e daqui para a frente é preciso ser ainda mais cuidadoso. Game marcado por longas trocas e forehand do espanhol voltando a ser eficiente.
Segundo set

Com a queda vertiginosa do primeiro saque – 61% de acerto e só 50% de pontos vencidos – os winners de Nadal também desabaram (5 contra 9). Os erros foram poucos (9 a 8) porém Djokovic foi muito mais eficiente na hora de decidir os games.
6-1 –
Empate confirmado, Djokovic entra em sua terceira maratona no fim de semana. Vai para o set final com 7 horas de esforço entre sábado e domingo.
5-1 –
Espanhol baixou de nível de vez. Embora ainda tenha brigado e se mexido bem, foi claramente dominado e errou muito lá de trás. Com 1h54 de batalha, terceiro set parece inevitável.
4-1 –
Nadal forçou e chegou a 15-30, mas Djokovic fechou a porta com saque profundo que permitiu definir em seguida e assim confirma a quebra, algo essencial para sua confiança.
3-1 –
Quebra começou com uma deixada impecável, Nadal ajudou com dois erros e aí o backhand do sérvio voltou a fazer diferença, achando aquele ângulo que dificulta tanto ao Nadal.
2-1 –
Desta vez a perda de intensidade do número 1 ficou mais evidente, porém ele achou um jeito de sair da pressão. Salvou break-point e cravou dois saques magníficos (e ambos os lances seguia para definir na rede).
1-1 –
Depois de começar firme com o saque, Djokovic abriu de novo 0-30 mas não foi além, com uma bola boba desperdiçada na rede. De qualquer forma, Nadal continua usando muito bem o primeiro saque. Acertou 84% no primeiro set, um índice excepcional.
Primeiro set

Espanhol saiu atrás, soube reagir rapidamente e achou um jeito de evitar os backhands cruzados do sérvio ao investir mais na paralela. De seus 21 winners neste set, 15 foram com o forehand. Destaque para seu primeiro saque nos pontos importantes.
5-7 –
Nadal começou tenso e permitiu 0-30 com dois erros bobos, mas daí em diante sacou muito bem e chegou ao set-point. Djoko foi frio e ousado para tentar a deixada, mas não evitou a queda.
5-6 –
Dupla falta complica a vida do sérvio, que parecia incomodado com o sol. Muito atento, Nadal mudou mesmo o padrão e atacou a paralela com seu forehand com grande qualidade. Chega à segunda quebra e vai sacar para um importante primeiro set.
5-5 –
Apertado por 15-30, Nadal encaixa ace a 201 km/h e chega à vantagem com outro saque muito bom, que permitiu fugir e disparar o forehand sempre no lado direito do adversário.
5-4 –
Pela primeira vez Djokovic pareceu mais lento de pernas, tendo até desistido de ir atrás de uma curta. O backhand cruzado no entanto continua a render dividendos. Seria momento para Nadal tentar mais a paralela de forehand.
4-4 –
Nadal encarou 15-30 perigosos, com raros dois erros da base, e novamente sacou muito bem, o que facilitou definir na segunda bola.
4-3 –
Backhand ajudou demais Djokovic no game mais disputado e intenso da partida até aqui. Pegou bolas na subida, criou ângulos magníficos e atacou a paralela, evitando um break-point. Ainda assim, sofreu por causa de uma dupla falta e de um Nadal muito empenhado, com direito a uma passada incrível. Voltou a tropeçar na linha alta – um problema e um perigo em Roma neste ano – e ficou muito irritado.
3-3 –
Dois games de serviço sem sustos. Atenção sempre maior para o serviço do espanhol, que anda flutuando mais. Até aqui, parece confiante. Ele claramente mira o backhand do sérvio.
2-2 –
Game duro, mas Nadal sacou muito bem a partir do 30-30.
2-1 –
Grande reação de Nadal e na hora certa. Aprofundou muito bem a bola e usou duas vezes a paralela de forehand para desequilibrar Djokovic.
2-0 –
Nadal começou sacando firme – chegou perto dos 200 km/h -, mas Djoko rapidamente achou a devolução. No primeiro break-point, Nadal achou uma curtinha inesperada. No outro, depois de levar lob magnífico, sacou firme no meio. Como se esperava, Djoko joga de forma mais agressiva diante das bolas curtas do espanhol e isso lhe deu a quebra.
1-0
– Djokovic optou por começar com o saque, o que achei bem interessante, e foi muito bem diante de um Nadal lá no juiz de linha. Sérvio já usou a primeira paralela de backhand.

Novak Djokovic e Rafael Nadal entram em quadra para se enfrentar pela 57ª vez, a mais extensa rivalidade do tênis profissional masculino. Se o sérvio leva vantagem de ter vencido 29 vezes, Nadal não perde dele no saibro desde as quartas de Roma de 2016, tendo dominado os quatro últimos confrontos na superfície, incluindo a devastadora decisão de Roland Garros de sete meses atrás.

Os dois mostraram um grande nível ao longo da semana no Foro Itálico e superaram grandes dificuldades diante da nova geração. Obviamente, cada um conhece demais o adversário e poucas surpresas táticas podem acontecer. Quem sabe, Nadal tente novamente jogar mais perto da linha de base, como fez na véspera.

O ponto crucial é saber se Djokovic se recuperou completamente das 4h56 que passou em quadra no sábado em dois jogos muito duros no físico e no mental, enquanto Nadal jogou apenas 1h32.


Comentários
  1. PAULO ROBERTO BELINATI PAULI JUNIOR

    Tudo bem Dalcim?

    Olha que interessante! Com essa final
    O Big 4 chega à final de n° 100 entre eles

    33 em GS
    45 M 1000
    11 ATP 500
    6 FINALS
    5 ATP 250

    Djokovic – 65 F = 40 Títulos e 25 Vices
    Nadal – 53 F = 25 T e 28 V
    Federer 52 F = 22 T e 30 V
    Murray 30 F = 13 T e 17 V

    Total 200 F = 100T e 100 V

  2. Luiz Fernando

    E agora Rafa tem vitórias da ordem de 2 digitos em RG, em 2 M1000 (MC e R) e um ATP500 (B). Mais próximo disso está Djoko creio que com 9 AO e Federer com 9 Halle, a maioria dos quais 250tinha…

  3. Marcilio Aguiar

    Esse M100o de Roma, para mim, veio confirmar que, pelo menos, nos próximos dois anos os Slams serão dominados pelo Djoko no geral e Nadal em RG. Alguns das novas gerações tem técnica e físico para jogar de igual para igual com eles e até vencer partidas que não sejam muito longas, nos jogos melhor de 3 sets. Entretanto, nos jogos de slam, na hora “da onça beber água”, o poder mental dos dois ainda faz a diferença na medida em que as partidas se prolongam por mais de 3 horas. Eles só vão ser frequentemente batidos em um jogo de semi ou final, melhor de 5 sets, quando não tiverem mais gás para aguentar um adversário duro na queda ou estiverem em um dia muito ruim e isso parece estar longe de acontecer.
    Com a idade o único fator que declina é o físico, enquanto a técnica adquirida e o controle/força mental permanecem intactos. Ambos não parecem dar sinais de declínio físico abrupto. Isso somente aconteceria se ocorresse uma lesão crônica, ou uma contusão que os afastasse do circuito por muito tempo (temo ser o caso de RF), ou outro fator qualquer que gerasse desmotivação. Como eles não precisam mais jogar 20 torneios por ano, podem poupar as energias e se preparar com todo cuidado para os 4 GS.

  4. Regimar Marcondes

    Ontem escreveram que o Djokovic teria mais chances, também que ele havia ganhado 2 jogos no mesmo dia. Agora, esqueceram que até o Tsitsipas ele não havia pegado ninguém! Nadal teve uma chave muito mais difícil. Como podem afirmar que o Djokovic é melhor que Rafa no saibro? Não fez nada em Monte Carlo, em Belgrado, pelo amor. E de 4 torneios de saibro Nadal ganhou dois.

  5. Rafael Azevedo

    Sou torcedor do Nadal, mas respeito imensamente o Novak. O que ele fez nesse fim de semana foi histórico. Se eu estivesse no estádio, hoje, o teria aplaudido de pé.
    Um grande tenista, um grande homem, uma grande campeão. Obrigado, Novak Djokovic.

    P.s.: as brincadeiras com a next gen foram muito legais.

  6. RODOLFO SILVA MARQUES

    Prezado Dalcim,

    Mais uma vez parabéns pelos seus textos e obrigado pelo seus comentários game a game, dando suporte técnico para nós que estávamos acompanhando pela Internet o belo jogo.
    Vi o jogo mais equilibrado, mas o Nadal ainda me parece um competidor maior e melhor que o Djokovic. O sérvio tem um arsenal diversificado, mas o espanhol domina as quadras de saibro e tem um quê a mais nestes jogos decisivos, em minha opinião. Sou torcedor do Nadal e, embora reconheça a capacidade e o talento de Nole, entendo que o espanhol e o Federer elevaram o tênis a um outro patamar e os dois, juntos, estão um degrauzinho acima a todos os demais, em todos os tempos.
    Nadal, Djokovic, Tsitsipas, Zverev e Thiem: seriam esses os favoritos para Paris, pela ordem, Dalcim?

        1. José Nilton Dalcim

          Acho que ele tem um histórico muito relevannte em Roland Garros, Luiz. E ele melhorou a cada partida que vi desde Madri.

  7. Danilo BR

    A meu ver as chances de Djoko serão maiores em Rolang Garros com essa derrota, seria muito mais difícil vencer Nadal duas vezes seguidas. Acho que ninguém conseguiu vencer Nadal duas vezes seguidas no saibro. Entendo que essa derrota servirá como incentivo pro sérvio superar Nadal no próximo embate que muito provavelmente será em Paris.

    1. Alessandro Siqueira

      Djokovic ganhou 7 seguidas de Nadal entre 2011 e 2012: Indian Wells, Miami, Madri, Roma, Wimbledon, USOPEN e Austrália.

  8. Jonas

    E Nadal vai chegar novamente como principal favorito em Roland Garros. Quando perdeu para Rublev em MC, uma galera veio zoar, o que é compreensível e bem normal aqui no blog, mas lógico que uma hora o espanhol subiria o nível. Creio que vai subir ainda mais em relação ao que apresentou na final de Roma.

    Agora, esse Djokovic é surpreendente. É um cara que tem muito gás para jogar em alto nível por mais uns 2 ou 3 anos, e vencendo Big Titles.

    O que o sérvio fez essa semana me impressionou. Demonstrou muita força mental contra o grego no melhor jogo do ano, ganhou outra batalha contra o Sonego no mesmo dia, com torcida contra, e fez um bom jogo contra o monstro Nadal na final de hoje, poucas horas depois da SF.

    Um colega comentou no post anterior, acho que foi o Rafael, que o sérvio é movido a objetivos e quando os alcança tende a baixar o nível como ocorreu em 2016. Creio que o objetivo atual do Novak é sim vencer mais alguns Slams, ele vai entrar com muito foco e bem preparado em cada um deles daqui pra frente.

    Acho que duvidar de Novak e Nadal é dar um tiro no pé…os caras se superam muito , são diferenciados demais. Eles já fizeram jogos muito acima do nível de hoje, mas ainda assim pudemos ver pontos incríveis por parte dos dois.

  9. Fabio Riella Fernandes

    Estas certíssimo mesmo Dalcim. Para o Nadal perder o favoritismo no saibro tem que acontecer muita coisa negativa.

  10. Emerson Nogueira

    Eu avisei ontem tofos na sua grande maioria pendavam para o Sérvio. Está venfo não houve o Paulo Cleto.Rafa agora é o grande candidato a RG ontem tinha duvidas vcs com todo respeito são torcedores de um jogo só na continuidade não sabe quem é Rafael Nadal.

    1. José Eduardo Pessanha

      O ruim de chegar perto de RG é que aparecem umas quinhentas versões de Mário César. kkk
      Abs

  11. Luis

    Espetacular semana, todos os jogos foram no limite, na minha opinião elevou o nível de todos os jogadores e deixou claro como a nova geração evoluiu. Falta muito pouco para eles chegarem lá. Ao mesmo tempo vejo que o Nadal e o Djoko ainda tem algo a mais, uma resiliência e experiência que fazem a diferença nessas horas de aperto, tipo um “saber sofrer” que os mais jovens estão aprendendo agora. Na minha opinião essa semana foi crucial para os dois voltarem aos níveis antigos, especialmente para o Espanhol que não largou o osso até reencontrar o seu melhor tenis.
    No feminino eu só paro para ver os jogos da Iga Swiatek e hoje, mais uma vez ela mostrou o porque. Deu um show, a adversária nao conseguia acompanhar ela em nenhum dos fundamentos, troca de bola, angulação e intensidade. Não lembro de ninguem dando uma bicicleta no adversário em uma final. Foi um jogo que vai para a história.
    Voltando para o Nadal, com razão reclamou da fita em Roma, para quem nunca caiu em uma quadra de saibro, não recomendo, machuca pra caramba. Vacilada forte da organização especialmente porque já tinha acontecido durante a semana. Só não entendi porque ele ficou bravo com o juiz.

    1. Luiz Fabriciano

      Porque cabe ao juiz tomar a providência de pedir alguém para consertar. E antes de alguém cair…

      1. José Nilton Dalcim

        E porque o tenista só pode se dirigir ao árbitro de cadeira durante a partida, a ninguém mais.

  12. André Barcellos

    El Shapo deu mais trabalho para o Nadal.
    Pra quem vinha secando o espanhol dizendo que já tinha passado a coroa, eis que ele ressurge de novo e mais favorito que nunca a quebrar o recorde de 20 slams.
    Nadal bateu todo mundo que podia dar trabalho nessa gira de saibro, provando que só perde em RG pra ele mesmo, eventualmente se tiver que fazer vários jogos duros seguidos.
    Eu já sabia que ele estava com mais bola no decorrer do torneio que o sérvio, que continua falhando em momentos de extrema importância.

    1. Paulo Almeida

      Barcellos,

      É muito gratificante saber que torceu enlouquecidamente pelo Nadal, ratificando que Djokovic foi o cara que mais tirou suas noites de sono. Como disse mais abaixo, essa bandeja vale mais do que um Slam em cima de Philippoussis, Baghdatis ou González.

      Abs!

      1. André Barcellos

        Agora que vi seu comentário. Não tenho me dado ao trabalho de ler os comentários depois do que posto, mas, ao contrário, estava torcendo para um bom jogo. Em tempo, Djoko não deu mais trabalho para o Federer, pelo contrário, o Nadal fez o que quis com o Federer nos seus melhores anos, claro que favorecido pela vantagem psicológica que os confrontos no saibro lhe trouxe.
        Djoko virou o confronto em 2016. com Federer entrando de vez na decadência física e qualquer outra conversa é bobagem.
        A única derrota relamente dolorida foi a de wb/19. Federer tem o mental menos forte dentre os três, e por isso perdeu o MP em Wmbledon, já de bengala, contra um sérvio apavorado por não acreditar que aquilo poderia acontecer.

    2. José Eduardo Pessanha

      Rapaz, com o esforço físico do Cotonete ontem, era pro Nadal ter ganho de 6/2, 6/1. Djokovic sai gigante desse torneio.
      Abs

      1. André Barcellos

        Djoko mesmo declarou que não fez diferença e que jogari por mais horas.
        Em tremos de desgaste, pouyco se pode atribuir a isso.

      1. André Barcellos

        Perdeu, mas era seu primeiro torneio no saibro depois de não competir um tempão, e todo mundo sabe que ele é quem mais precisa de ritmo de jogo.
        Duvido muito que Rublev conseguisse repetir a façanha contra o espanhol em forma e em melhor de 5 sets.

    1. Sandro

      Nadaa a ver uma coisa com a outra… Djokovic poderia ter vencido a semifinal por W.O. que, mesmo assim, a final contra o Nadal seria duríssima!!!

  13. Fernando Brack

    Mais um título no saibro pro ogro. Nossa, que mesmice.
    Por favor, ao término de RG, me avisem quem foi o vice.

  14. Paulo Almeida

    O GOAT Djokovic está de parabéns pelo que fez em Roma. Continuou escrevendo história hoje depois das cinco horas de batalha de ontem ao meter um 6-1 no arquirrival e estar a um forehand na rede de quebrá-lo no terceiro set. Essa bandeja vale mais do que muito troféu (inclusive de Slam), pelo menos pra mim.

    IDEMO!!!!

    1. Sérgio Ribeiro

      Está realmente de parabéns . Não vence o verdadeiro “ Rei do Saibro “ há CINCO anos na superfície. Atingiu agora DEZENOVE derrotas em 26 partidas . Louco pra atingir as 20 derrotas de Agassi para Sampras em toda carreira. A chance da diferença voltar a TRÊS SLAM ( a mesma de 2008 ) agora em RG 2021 e’ enorme . O tal “ goat “ vai ter que se virar kkkkkkkkk. Abs!

      1. Paulo Almeida

        7×19 continua melhor do que 2×14, mas ainda temos 20×7 no hard e vocês 11×9 com 1×3 em Slams.

        Abs!

  15. Ivan

    Parabéns Dalcim Muito bom 👏👏 haja paciência pra aguentar a criançada no chat que não sabe apreciar um sem desmerecer o outro !!!

  16. João ando

    E a final de Roma no feminino dalcim….no masculino ja teve alguma bicicleta. …acho que nos anos 80 borg aplicou um bicicleta em um torneio na grama e no torneio seguinte tomou uma bicicleta. ..acho que foi no Jimmy connors.se puder responder. ..grato João ando

    1. José Nilton Dalcim

      Borg jamais perdeu por bicicleta e vitória só teve uma, mas nem era final, nem Connors.

  17. Luiz Henrique

    Dalcim, uma correção no post: em 2016 não foi na final e sim nas quartas de final a vitória de Djoko sobre Nadal

  18. Leo Gavio

    Partida excelente do Djoko, depois de jogar 5 horas, ainda deu uma surra no Nadal no segundo set, fez um primeiro set apertado, teve cance de abrir 3 a 2 e saque no terceiro set. venceu quem tava com mais bateria.

    normal. Djokovic bem favorito pra RG, lá sim, interessa e não vamos ter chuva pra atrapalhar, teremos um dia de descanso. Parabens ao Djokovic, Nadal vai penar pra chegar na final, virou marmita da nextgen, até shapovalov ta dominando ele.

    decimo nono titulo esta bem perto. esse ano vai ser disputado no verao.

    1. Sérgio Ribeiro

      “ Djokovic bem favorito “ ? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. A Turma da Kombi é que vive em outra orbita . Não vence o Rei do Saibro há CINCO anos na superfície, tomou uma coça ano passado , e e’ bem favorito ? . Tá na hora do caríssimo Leo Gavião esfriar a cabeça de volta no Sítio do Robson kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

    2. Luiz Henrique

      De novo Leo Gavio???? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. Favorito pra RG?? Chuva?
      Meu querido, agradece a Deus por terem fechado o teto em um certo jogo em 2018, isso sim! kkkk

    3. Sandro

      Como assim “marmita da NEXT GEN”?
      O mesmo Nadal que acba de ganhar o ” DÉCIMO” troféu em Roma?
      E como assim só Roland Garros interessa? O Masters de Roma é o segundo torneio mais importante do saibro após Roland Garros!

    4. Hemerson

      Lembrar que em 2019 Nadal bateu Djokovic em Roma por 2 a 1 , e mesmo com 6 a Zero no primeiro set Djoko venceu o segundo e novo show de Nadal no terceiro.

    5. Rodrigo S. Cruz

      Se o Nadal virou marmita da nextgen faturando outro título, somente porque o Shapovalov lhe deu trabalho, o que dizer então do Patovit que penou diante do Tsitsipas e depois amargou outro vice pro Nadal?

      Esse Tião Gavião é o rei das bravatas! 🤣

  19. Ruy Machado

    Boa tarde, Dalcim! Excelente esse placar comentado… Obrigado! Gostaria de parabenizar esse monstro chamado Novak Djokovic, lutou ontem por 5hs e hoje por quase 3hs. Não tem somente a maior rivalidade do tênis masculino contra Nadal como é, de fato, seu maior adversário! Por favor, que não venham com papo de cansaço físico, o cara correu demais, é uma máquina! Posso concordar com a cansaço mental! Ficar ontem e hoje na pressão é para poucos. Quanto ao Rei Rafael Nadal, fiquei preocupado com o 2° Set. Além de uma queda no primeiro serviço, parou de acertar os Winners. Complicado também jogar quase na arquibancada contra um cara como o Sérvio. Conseguiu se acertar no Set derradeiro, algumas falhas perdoáveis e se impôs para seu 10° Master de Roma. Chegará em RG mais confiante para o possível recorde de GS. Mas a diferença encurtou com Djokovic, Tsitsipas, Zverev e, porque não, Thiem… Mesmo estando abaixo de seu ideal. Parabéns, Rafa! Vida longa ao Rei👏👏👏👏

  20. rafael

    Nadal jogou demais no 3 set, onde o sérvio mostrou um pouco de impaciência (deve ter sentido o cansaço). Contudo, foi um jogaço e creio que RG ficará entre os 2.

    1. Sérgio Ribeiro

      Essa vou printar kkkkkkkkkkkk . Verás a distância que a turma da Kombi vai ficar agora depois de tanta babação de ovo durante mais de ano. O “ goat “ Paraguaio apanhou com essa DEZENOVE vezes em 26 no “ Saibro “ , e tu dando o Espanhol como certo fora da briga . Sempre cravei que o Sérvio, assim como Federer , é mais um freguês de carteirinha na superfície. Realmente aqui e’ diversão garantida kkkkkkkkkkkkkkk . Abs!

      1. Luiz Fernando

        Eu dando ele como fora da briga em RG? Claro q realismo passa longe de certo segmento ao qual vc pertence mas jamais postaria isso pq não penso assim. Postei q não estava bem, e não estava mesmo, mas isso nunca significou q não poderia dar a voltar por cima e vencer o GS21… Abs.

    2. Barocos

      Luiz,

      Transmita os meus mais sinceros parabéns ao seu ídolo, grande tenista, excelente competidor, ambos são. Todos estes títulos do Nadal estão, passo a passo, enterrando de vez as aspirações da torcida da cruz vermelha invertida de declarar o seu favorito como o único e inquestionável GOAT.

      Já estou cruzando os dedos para os próximos embates entre os maiores rivais da história do tênis.

      Saúde e paz.

  21. Periferia

    Djokovic perdeu uma grande oportunidade …

    2×2….terceiro set….30×40….chance de quebra.
    Bola curta no forehand do sérvio….é bater e ir para o abraço.
    Erra…a bola vai no meu da rede.
    O espanhol não perdoa….vence o set e logo em seguida quebra o saque de Djokovic.
    Será a bola do jogo?

  22. Adriano Souza

    O Djokovic tá cometendo .horas duplas faltas
    Em Monte Carlo foi assim , em Belgrado e agora em Roma. Se não melhorar esse saque , não vai longe em RG

    1. Sandro

      Não vai longe em Roland Garros?
      E por acaso disputar uma final do MASTERS DE ROMA contra o Nadal pra vc é pouca coisa?

  23. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo F.]

    “Para quem é considerado o melhor tenista de todos os tempos, Roger Federer tem sim no saibro, todos os adjetivos que eu mencionei”.

    Não não tem.

    Isso é uma falácia de qualidade baixa inclusive.

    Dos tenistas em atividade, o currículo dele está entre os 5 melhores no saibro.

    E isso é um fato. Atestado por resultados.

    Não se esqueça:

    você tem direito a sua própria opinião, mas você não tem direito aos seus próprios fatos… rs

  24. Periferia

    Nadal está dominando o jogo com seu forehand.
    Djokovic precisaria mudar a dinâmica do jogo.
    A diferença é grande nos pontos vencedores com o forehand.
    Vamos para o segundo set….a pergunta é…
    Djokovic terá pernas?

  25. Adriano Souza

    Infelizmente o Djokovic vai perde
    Jogou 5 sets no sábado , tá cansado
    Na minha opinião , uma vitória sem honra do Nadal
    Pegar o adversário cansado não tem nenhum mérito.
    Se a ATP tivesse bom senso…

    1. Leonardo Fagundes

      O fanatismo causa uma paralisia no bom senso. O seu comentario é vitimista, ou seja, se Nadal ganha ele não tem honra, se perde é um bosta porque perdeu para alguem cansado. E por associação de Djokovic ganha é um genio e se perde é uma vitima da ATP.
      Voce pelo menos está vendo o jogo? Ambos estão jogando de forma incrivel. Não vejo nem Djokovic nem Nadal dar sinais que o cansaço está afetando o rendimento. Seja qual for o resultado, é um grande jogo. Aproveite e pare de choramingar

    2. Sérgio Ribeiro

      Snif, Snif , Snif rsrsrs. Bem que mamãe falou que o cara do Post do meu quarto demorou muito pra vencer os garotos … Tá vendo , muito injusto rs . Mesmo não vencendo o “ Rei do Saibro “ na areia batida faz CINCO anos agora era vez dele , que Touro malvado …bua’ , bua’ , bua’ Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Abs!

    3. Sandro

      Nossa, que ridículo!!!
      Que história sem noção é essa de vitória sem honra?
      Admiro tanto Nadal quanto Djokovic e a vitória de Nadal foi com muita honra sim!
      E o Djokovic também foi vice com muita sim, porque lutou como pode até o final!
      No final das contas, nessa FINAL ESPETACULAR não faltou honra nem pra Djokovic, nem para o Nadal!
      Tem que ser muito de mal com a vida pra afirmar o que vc escreveu.

  26. Isac Ribeiro Martins

    Claramente, Djokovic mostra que seu físico não está recuperado plenamente. O que está igualando o jogo até agora é a sua inteligência e sua caixa de ferramentas. Nadal podia abusar mais das curtas, variar mais o jogo pra provocar dúvidas na mente do sérvio.

    1. Leonardo Fagundes

      Isac, sinceramente não achei que o Djokovic está cansado. Está jogando com uma intensidade incrivel. O game que perdeu foi porque cometeu 2 duplas faltas em momentos importantes sacando em 5-5. Não pareceu tanto um reflexo de cansaço, mas de furstração. Essa é minha opinião.

      1. Isac Ribeiro Martins

        Quando digo que o Djokovic está cansado, é porque sua movimentação está muito lenta. E digo que ele equilibrou as ações, lá no 4-3 do primeiro set por sua inteligência, pois, por conhecer o adversário ele se antecipou em muitas jogadas que Nadal fazia.Em outras jogadas, tentou decidir rapidamente. Isso ainda ficou mais claro no segundo set e Nadal contribuiu com sua queda de intensidade.

        No final, foi Djokovic que usou as curtas com inteligência e não seguidamente e errado como Nadal. Ficaram tão seguidas que teve uma hora que djokovic se antecipou até a uma curta.

        Vejo Djokovic economizando energia pra o fim. Se Nadal o fizesse correr de um lado pra o outro da quadra, colocasse ângulos e depois os dropshots acho até que este jogo já tinha acabado.

        E olha que eu torço pra o Djoko. Kkkkkk.

        Nadal até tentou usar de mais potência nos golpes no meio do segundo set, mas se cansou também, não como o Djoko. Vamos ver como cada um vai usar seus recursos neste último set.

          1. Sérgio Ribeiro

            Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Ele está cansado de perder há CINCO anos consecutivos na superfície kkkkkkkkkkkkkkk. Abs!

        1. Flavio

          Mestre pu uma grande final,e o Nadal teve que suar sangue pra vencer o Djokovic por 2×1, igual foi a final do Atp de Barcelona que o Nadal derrubou o tstsipas por 2×1, e a final feminino e?hein que ridícula isso mostra que o tênis feminino é horroroso, onde a medíocre Pliskova tomou uma bicicleta, o tênis feminino não vale ingresso pois as mulheres não lutam; e desculpe a sinceridade Mestre, eu sei que vc gosta do tênis feminino, mas o feminino é fraco e tem pouca emoção concorda com isso?Abraços.

Comentários fechados.