Assombroso, Djokovic desafia Nadal
Por José Nilton Dalcim
15 de maio de 2021 às 18:40

Se Rafael Nadal mereceu todos os elogios por sua resiliência nos jogos duros que teve nesta semana em Roma, Novak Djokovic mostrou um nível técnico, mental e físico de deixar qualquer super-homem de queixo caído. Foram quase cinco horas de uma intensidade raramente vista, encarando dois adversários que não economizaram energia e coração para tentar derrubá-lo. Não fosse o desgaste tão superior que sofreu neste sábado, Nole sairia como favorito para levar o título no 57º capítulo do confronto com Rafa.

A virada sobre Stefanos Tsitsipas foi considerada por Nole como seu principal jogo da temporada. Acho mais: foi a partida de melhor qualidade de 2021. Um tanto diferente da véspera, Djokovic entrou em quadra firme, consistente, agressivo, com devoluções impecáveis e muitas opções táticas. O grego no entanto parecia ter resposta para tudo. Sustentou trocas de bola de tirar o fôlego, arriscou backhands incríveis, usou tudo de seu forehand tão ofensivo.

Que bom que Stef entregou um serviço e pudemos ver um terceiro set ainda mais acirrado, cada um tentando empurrar o outro para trás, surpreender com deixada ou um voleio. Tsitsipas não cedia terreno. Fez 2/1, esteve perto de ampliar, cedeu o empate mas imediatamente quebrou de novo e sacou para a vitória. Nem chegou ao match-point porque Djoko tirou da cartola suas devoluções milimétricas. Por fim, usou novamente deixadinhas para sacar com 6/5 e avançar. É um jogo que merece ser revisto para quem aprecia um tênis realmente bem jogado.

Poucas horas depois, o número 1 voltou à quadra e parecia estar fazendo o quarto set do jogo anterior. Continuava firme, sólido, desta vez usando mais o backhand na paralela. Sonego tinha dificuldade para ganhar pontos no saque do sérvio, mas por fim passou a jogar melhor e fez um segundo set de primeira linha. Variou o máximo que pôde, arrancava força da torcida, corria por todos os cantos. E foi premiado pelo único vacilo real de Djokovic no dia, quando sacou para fechar a partida e perdeu dois match-points num momento de tensão evidente. O italiano ainda virou o tiebreak e por muito pouco não abriu o terceiro set com quebra. Só dois games depois enfim se rendeu. Vale lembrar que ele fizera três sets inteiros na manhã contra Andrey Rublev, sua terceira grande vitória do torneio.

Enquanto isso, Nadal jogou 20 games bem mais rápidos, ainda que mereça nota 10 pela forma com que encarou o super-sacador Reilly Opelka. O norte-americano disparou ousados forehands da base no começo da partida e ameaçou tirar o saque do espanhol logo no quarto game, o que seria um problema. Não conseguiu e o espanhol esperou suas chances de quebra, uma em cada set, para uma vitória em que havia pouca margem para erros.

Assim, garantiu sua 12ª final em Roma, uma a mais que Djokovic, e vai atrás do deca enquanto o sérvio quer o hexa. Ou seja, mais uma vez o torneio ficará entre os dois, como acontece desde 2005 com duas exceções. Se Djoko leva 29-27 de vantagem no geral, 16-12 em Masters, 15-12 em finais e 7-6 em finais de Masters, Nadal lidera por 18-7 no saibro, 8-4 em finais no saibro, 5-3 em Roma e 3-2 em finais em Roma. Aliás, não perdeu para o sérvio nos últimos quatro jogos sobre o saibro. A última foi justamente em Roma, há cinco anos.

No feminino, uma luta pelo título também muito interessante. A polonesa Iga Swiatek faz sua maior final desde o surpreendente troféu do ano passado e também ganhou duas vezes no sábado, primeiro uma vitória categórica sobre a bicampeã Elina Svitolina e depois o duelo de jovens contra Coco Gauff. O título no domingo valerá também a chegada ao top 10.

Mas ela terá pela frente alguém que conhece os atalhos do Foro Itálico. Karolina Pliskova  faz a terceira final seguida, tendo vencido em 2019. A tcheca se sente muito à vontade, desde o saque até investidas à rede e foi assim que tirou com justiça Petra Martic. Para melhorar a imprevisibilidade, as duas nunca se cruzaram.


Comentários
  1. Artur Santos

    Um equívoco apenas na análise….apontar Djoko como favorito se tivesse descansado, respeito a opinião, mas não dá !! Saibro é terra do Nadal…. isso é indiscutível!

    1. Regimar Marcondes

      Exato! Um absurdo uma afirmação desta! Como podem dizer que o Djokovic era favorito? Meu Deus! Só mesmo aqueles que não gostam, invejam o Nadal, principalmente por ele ser o grande calo do Roger Federer.

  2. Luiz Fernando

    Em homenagem ao rapaz dos mil nicks, agora Nadal e o Basilaalgumacoisa estão empatados com 2 títulos cada na temporada kkkk. Aqui é ou não diversão garantida kkkkk????

  3. Vitor Hugo

    Novak é apenas mais um freguês de Nadal no barro. Só isso! Pelo menos evitou vexame parecido com o que tomou em Rg.

  4. Ronildo

    Gente, gente, consultem no dicionário o significado da palavra domínio. Houve um tempo em que Federer dominou o circuito. Era tão fácil para ele que por mais de 3 anos viajou sem técnico pelo circuito. Criou até barriga! Depois com a evolução de Nadal, Djokovic e Murray, o BIG 4 dominou o circuito. Geralmente faziam semifinal entre eles. À partir daí Federer dominou apenas jogadores fora do BIG 4. Quando jogava com membros do BIG 4, ganhava umas e perdia outras. Até 2019 a maioria de suas partidas duravam 1 hora contra membros fora do BIG 4.
    ISSO QUE SIGNIFICA DOMINIO PARA MIM: CONTROLE!

    O que Djokovic e Nadal tem apresentado este ano sobre a maioria dos tenistas à partir do segundo jogo deles dentro do torneio se parece muito mais com aquelas batalhas em que os dois lados saem perdendo, tal a dificuldade de vitória do vencedor.

    SWIATEK DOMINOU PLISKOVA na final de Roma!

      1. Ronildo

        Nunca vi este domínio. O que vi foram tremendas batalhas entre eles, fora a final de RG 2008 e outra final do Finals vencida por Federer contra Nadal.

        Mas compreendo que você continua não entendendo o que significa a palavra domínio. Talvez entenda através de estudo e meditação.

  5. Sérgio Ribeiro

    O que fez Iga Swiatek na quadra central de Roma ? Mama mia !!! . Depois de hora extra e rodada dupla no sábado, a jovem de apenas 19 aninhos chegou a pé e saiu de Bicleta rs. Atropelou a Ex-N 1 Pliskova em todos os sentidos atingindo feito um raio o TOP 10. Assim como a N1 ( ASHLEIGH BARTY )também da Nova Geração aos 25 , possui TODOS os golpes. Venceu o concurso da jogada predileta de 2020 com um DROP SHOT realizado detrás da linha de fundo . A WTA pode se considerar uma felizarda pois terá tênis de altíssima qualidade com substitutas porque não , pra atingir um nível próximo a Justine Henin . Um colírio essa Campeã de RG 2020 e MASTERS 1000 de Roma 2021. E os mesmos de sempre perguntando sobre o porquê da Nova Geração ter ficado de fora da FINAL do primeiro MASTERS 1000 em 2021 . Fala aí Novak : “ Sem sombra de dúvidas essa partida contra TSITSIPAS foi a minha maior vitória em 2021 “. Eu e Rafa rimos muito no vestiário com suas declarações que estamos Velhos “ . O cara precisou sair do buraco TRÊS vezes retardando a consagração que vira’ em breve dos garotos assim como aconteceu na WTA . A conferir . Abs!

  6. Wilson Rocha

    Dalcim,
    os duelos entre Nadal e Djoko têm dois momentos – antes e depois de 2011.
    Antes de 2011 – no saibro 9 a 0 Nadal, grama 2 a 0 Nadal e na quadra dura 7 a 5 djoko.
    a partir de 2011 – no saibro o placar é 9 a 7 Nadal, grama 2 a 0 Djoko e na quadra dura 13 a 2 Djoko.
    Conclusão: Djoko equilibrou no saibro, mostrou superioridade na grama, apesar de poucos confrontos e, na quadra dura, tem sido um passeio, Nadal ganhando apenas dois confrontos ainda em 2013, depois disso não sabe o que é ganhar um set.

    Concordas, Dalcim?

    1. Luiz Henrique

      É sempre uma esperteza esses recortes
      Vamos pegar de 2017 a 2021 então
      5×0 no saibro pra Nadal, 1 a 0 na grama pra Djoko em 5 sets, e 2×0 na hard

      1. Wilson Rocha

        Amigo, na grama, desde de 2011, só aconteceram dois duelos na grama, ambos com vitórias de Djoko, Nadal não perdeu mais pq não chegou nas fases finais. Na quadra dura, Nadal não sabe o que ganhar um único set desde de 2013. No saibro a partir de 2011, o placar é 10 a 7 Nadal. Conclusão: fora do saibro, as chances de Nadal são mínimas. Após RG, a tendência é cair no ranking.

        1. Luiz Henrique

          Continua sendo uma incrível esperteza esses recortes
          Por que não a partir de 2017? Por que não é conveniente pra vc né?
          Falando em “não chegar muito”, vc fala desde 2013, mas de lá pra cá não teve jogos na hard no Us Open Series, e mais, jogaram na hard em 5 temporadas de lá pra cá, o mesmo número de temporadas que jogaram no saibro de 2017 pra cá
          Ou seja, o jejum de 5 temporadas é igual pra ambos
          O detalhe é que em 2015/16 nadal estava OFF, mais ou menos como Djoko em 2017

          1. Wilson Rocha

            O que eu falei para Dalcim foi que temos dois cenários nos confrontos entre Nadal e Djoko – antes e depois de 2011, . Antes de 2011, Nadal tinha 9 vitórias e nenhuma derrota no saibro, 2 vitórias e nenhuma derrota na grama, na quadra dura 5 vitórias e 7 derrotas. Após 2011, 10 vitórias e 7 derrotas no saibro, na grama 02 derrotas e nenhuma vitória, na dura 13 derrotas e 02 vitórias, sendo que há quase 8 anos não sabe o sabor de ganhar um único set. Agora analise os números e tire suas conclusões

        2. Luiz Henrique

          Analisando um pouco os 2 jejuns, o de Nadal contra Djoko na hard e o de Djoko contra Nadal no saibro
          Alguns adoram falar, e o dado incorreto não está, que Nadal não vence Djoko na hard desde 2013. Pois bem.

          Nesse período eles jogaram na Hard nas seguintes temporadas: 2014, 2015, 2016, 2019 e 2020
          Ou seja 5 temporadas.
          O mesmo número de temporadas que eles jogaram no saibro no jejum de Djoko: 2017, 2018, 2019, 2020 e 2021

          Então ambos os jejuns são de 5 temporadas COM JOGOS

          Aprofundando mais a análise.
          De todos os torneios no saibro, o que ele tem disparado melhor retrospecto é Roma. No jejum do Djokovic,, 60% dos jogos foram no saibro que ele historicamente tem melhor retrospecto. 20% no saibro que Nadal tem melhor retrospecto (RG), e 20% num saibro que não é o que nenhum dos 2 tem seu melhor retrospecto (Madri 2017).

          No jejum na hard, nós tivemos 2 anos com jogos nas hards que Djoko tem melhor retrospecto (AO 2019 e ATP Cup 2020, torneios de começo de ano, o que da 2 das 5 temporadas (40%). Nas hards que Nadal tem melhor retrospecto (US OPEN SERIES), onde já ganhou 2 finais de GS contra Djoko, é Penta no Canadá e ganhou até Canadá, Cinci e US juntos (seria o equivalente a Roma pro Djokovic) foram 0 jogos. Isso mesmo. 0 jogos nas hards que Nadal tem melhor retrospecto. Bem diferente de Djoko que teve 3 chances em Roma, saibro em que ele tem melhor retrospecto. Ademais, temos outra questão a levantar: 2015 e 2016, 2 dessas 5 temporadas que entram no jejum de Nadal contra Djoko na hard, foram 2 temporadas ridículas do Nadal. Para ser justo, 2017 também foi uma temporada muito fraca do Djokovic, ano que entra lá no jejum do saibro de 5 anos. Mas vejam, dos 5 anos de jejum de Djoko no saibro, só teve 1 ano fraco dele, 2017. De 2018 a 2020 ganhou GS em todos os anos e fechou como número 1 2 vezes. E segue campeão de GS e número 1 em 2021.
          Já Nadal, dos 5 anos que jogou e perdeu de Djoko na hard, 2 deles foram temporadas fraquíssimas, e outras 2 temporadas só jogou na época preferida de Djokovic, no começo do ano. Nenhum jogo no Us Open Series.
          Outra coisa: Djokovic teve a felicidade de jogar com Nadal no saibro em 2015. Mas Nadal, infelizmente, não teve a sorte de jogar com Djoko na Hard em 2017, especialmente no US Open

          Obs: não estou dizendo que Nadal seria favorito contra Djoko no US Open Series nem que alguma época do ano tenha mais ou menos importância. NÃO. Apenas constatando que no jejum do saibro Djoko jogou 60% das vezes no saibro que melhor se sai, já Nadal no jejum da hard não jogou na hard em que melhor se sai.

  7. José Eduardo Pessanha

    Rapaz, o circuito feminino é fogo. Como é que uma jogadora toma duplo 6/0 na final? Me surpreende a Swiatek não ser top 10 ainda.
    Abs

  8. José Eduardo Pessanha

    Nadal é muito rabudo. Seria tratorado hoje pelo Cotonete, em condições iguais. Estando muito mais descansado, pode ser considerado favorito.
    Abs

  9. Robson Couto

    Nossa! Tomara que a final masculina não seja como a feminina, que massacre… vc já tinha visto um jogador fazer apenas 4 pontos em um set inteiro em uma final Dalcim?

  10. PAULO EDUARDO LEMOS TONHASOLO

    Bom dia Dalcim, fico todos os dias esperando pelos seus textos, parabéns!!!
    Qual o placar entre estes dois monstros em G.S. no geral e nas finais?
    Um grande abraço

  11. André Barcellos

    Engraçado, não acho que Djokovic esteja assombroso. Não sei se é porque eu vi apenas O final do segundo set contra o italiano. O que vejo é que Nadal teve um caminho muito mais árduo e mostrou um tênis muito superior, neste momento do ano, ao do Sérvio.

    1. Regimar Marcondes

      André você entende bem de tênis! As pessoas tem memória curta! E o Djokovic do ATP 250 de Belgrado? Perdeu para alguém mal rankeado. E o de Monte Carlo? E em Roma teve uma chave muito mais fácil. Falar que é assombroso é um pouco demais.

  12. Miguel BsB

    Mestre Dalcim. Tirei o fim de semana para descansar isolado na natureza esplendorosa da Chapada dos Veadeiros…
    E parece que estou perdendo jogos incríveis, Novak e Rafa pra variar, devorando adversários no saibro à milanesa (ou seria à romana rs).
    Novak derrotou Tsisipas e Sonego no mesmo dia ambos em 3 sets, é isso? (MONSTRO!)
    Final clássica do tênis. Que vença o melhor!
    Bom, vou seguir o seu conselho e quando voltar assistir Djoko X Tsisipas no YouTube…
    Abs!

  13. Luiz Fernando

    “Vitor Hugo
    15 de maio de 2021 às 21:11
    Zéverev não deve tomar as mesmas agulhadas que o baloeiro. Kkkkkk”

    E aí Rodrigo Cruz, vc que sempre defende seu inocente amiguinho, que fala q as insinuações dele são coisa do passado, que fica tenso quando as pessoas mencionam as situações dos múltiplos nicks, vai criticar a postura ou por se tratar dele vai passar em branco?

  14. Chetnik

    Cadê os que falam que o Djoko não consegue vencer a nextgen? Kkkk. Esse pessoal não cansa de passar vergonha. Meu Deus do céu. Não tem amor próprio nenhum.

    1. Paulo Almeida

      DjokoGOAT é o papai da NextGen, nobre guerrilheiro sérvio. As figuras seguem passando vergonha.

    2. Regimar Marcondes

      Precisamos considerar que o Djokovic perdendo do grego sexta forçou a parar o jogo, como ele sempre gosta de fazer.

  15. Sandro

    Nadal x Djokovic: “A FINAL DOS SONHOS”!!!. Choque de monstros!!! Os 2 maiores ‘FENÔMENOS” do tênis mundial, extra-terrestres, intergalácticos, BIG 2 do tênis “DOUTRINANDO”.
    Dois “IMPERADORES” se degladiando na lendária e icônica capital do Império Romano!!!
    Sem dúvidas que Nadal e Djokovic são os ‘iMPERADORES DE ROMA”. É preciso voltar 17 anos ao longíquo ano de 2004 para encontrar a última final de Roma na qual não tenha estado Nadal ou Djokovic!!! Desde então, seja Nadal, seja Djokovic, o BIG 2 está sempre presente na final de Roma!!!
    E depois de 17 anos (!!!), não foi desta vez que a NEXT GEN conseguiu tirar o BIG 2 de uma final na Capital do Império Romano!!!
    O Masters de Roma é, de longe, o melhor torneio disputado até aogra em 2021, com partidas incríveis desde a primeira rodada!!! Muitos jogaços com: Fokina x Dimitrov, Berretini x Basilashvili, Nadal x Sinner, Sonego x Mager, Djokovic x Taylor Fritz, Sonego x Thiem, Zverev x Nishikori, Nadal x Shapovalov, Nadal x Zverev, Sonego x Rublev, Djokovic x Tsitsipas, Djokovic x Sonego, enfim, muitos jogos bons de se ver!!!

  16. JAN DIAS

    Um jogo só não muda o que foi 2021: o ano de menor domínio do BIG 3.
    Mas isso mostrou que o nível dos demais tenistas subiu bastante, o que nos deu jogos + disputados e + emoção.. Amém!

    1. Luiz Fabriciano

      2021 chegou agora em 5/12 e já está sendo considerado como “foi”?
      Interessante, por que será?

  17. Reinaldo

    Uma coisa muito boa no tênis é a rivalidade Federer x Nadal X Djokovic pois um leva o outro ao crescimento sempre. Eu gosto mais do Federer mas não torço contra nenhum dos outros dois e todas as vezes que eu posso, eu assisto o jogo deles.

    Dalcim, é cedo para dizer que Tsitsipas, Thiem e Zverev é uma rivalidade que vai vir logo após a baixada de guarda dos 3 monstros atuais? Da nova geração eu gosto muito do Shapovalov mas tenho dúvidas se ele terá consistência suficiente para ser número 1. Vamos ver. Viva o tênis.

    1. José Nilton Dalcim

      É bem possível, Reinaldo, mas realmente é cedo. E Thiem é cerca de cinco anos mais velho que o grego.

      1. Mike

        Assim como federer é 5 anos mais velho que o nadal e 6 anos mais velho que o djokovic e nem por isso a rivalidade deixou de acontecer

  18. Davi Poiani

    Dalcim, esta sexta-feira e especialmente sábado foram especiais, uma das melhores rodadas de tênis que eu já assisti na vida. Poxa, pra quem pôde ver, foi um deleite. Que privilégio assistir a um nível tão absurdo de tênis. Os garotos Shapovalov, Tsitsipas e Sonego também contribuíram muito para o espetáculo. E Djokovic foi gigantesco, de tirar o chapéu….

    1. Rodrigo S. Cruz

      O que é fichinha perto de dizer que um campeão de Roland Garros (seja quem for) tenha no saibro:

      ” um currículo pífio, ridículo, vergonhoso e desprezível”.

      Ninguém pode ficar mais orgulhoso do que o autor desta frase.

      Ela contém selo de qualidade Tabajara PLUS.

      (rs)

      1. Paulo F.

        Para quem é considerado o melhor tenista de todos os tempos, Roger Federer tem sim no saibro, todos os adjetivos que eu mencionei.

  19. Roberto Rocha

    Djokovic ameaçando jogar no nível absurdo de 2011… o que esse homem fez nos 2 jogos de hoje está além da compreensão…
    Sua devolução inacreditável segurou o jogo contra o grego no momento em que Tsitsipas exibia maior volume de jogo
    Sua movimentação, sua energia, seus golpes extremamente calibrados machucaram demais. Obrigou o grego a bater na corrida na maioria dos golpes! Mudanças de direções inacreditáveis mesmo na corrida e em desequilíbrio… lembrou o Monstro de 2011…
    Ele está mostrando que aprendeu a lição da derrota de RG do ano passado: está preparado para longas trocas de bola, continua com as curtinhas bem aplicadas e principalmente suas devoluções estão variadíssimas! Vale lembrar que ano passado, na final de RG, só conseguiu quebrar o espanhol no terceiro set! E é essa devolução contra o saque pífio do espanhol, que enfrentou inúmeros breaks contra todo mundo, que será determinante para a Vitória do sérvio amanhã. Nadal não vai conseguir resistir às devoluções que seu saque medíocre proporcionarão ao sérvio Massacre a vista…

  20. Dinamerico Menezes

    Dalcim boa noite. Eu vejo q ainda faltam algumas vezes qdo se criam chances de quebra contra Nadal e Djokovic em games importantes os outros mts vezes deixam escapar e ao contrário esses E.T. Nadal e Djoko tem um mental tão forte q finalizam c uma precisão cirúrgica cada break q tem oportunidades . Talvez qdo a nova geração perceber isso possam definir jogos c esses monstros. Grato pelo seus comentários e sorte termos visto Federer, Nadal e Djokovic jogarem. Até mais

  21. Sandra

    Dalcim , eu li no próprio site do trnisbrasil , que mesmo Djoko com vice perderia 400 pontos , fiquei se entender , o que havia lido seria metade dos pontos

    1. José Nilton Dalcim

      Como ele foi campeão, estavam garantidos 500 (metade de 1.000). Mas como ele está na final, ele já garantiu 600, portanto ao invés de 500 perderá por enquanto 400. E, se for campeão, ele não perde nada. Com o Nadal acontece a mesma coisa. Ele tem 500 garantidos do título de 2019.

    1. F.R.

      Cadê o Sérgio para dizer que vc não entende nada de tênis, nao diz nada que preste ao falar ze verev?

      1. Paulo F.

        É que o cidadão com Transtorno Dissociativo de Identidade torce pro Federer.
        Aí o Sérgio não reclama.
        A famosa indignação seletiva.

  22. Adriano Souza

    Se a ATP tivesse bom senso , mudaria esse jogo pra segunda feira por questão de justiça. Mas como o injustiçado é o Sérvio, eles não irão mudar o dia do jogo .

    1. Enoque

      Muitos acham que o Djoko não se deixa abalar pelas dificuldades, mas eu acho que quando ele se sente prejudicado pela organização do torneio, árbitro de cadeira e juiz de linha, fica abalando e sua concentração é prejudicada. Hj, parece que só conseguiu focar na partida no terceiro set, quando a gente viu a diferença de nível entre ele e o Sonego. Se ele não respira fundo e bota a cabeça no lugar, acaba perdendo jogos contra adversários, teoricamente, mais fraco. Amanhã ele vai ter que exercitar esta paciência contra o Nadal, quando notar que o árbitro de cadeira, der 10 segundos a mais, pra cantar o placar, quando o Nadal estiver sacando e nada pra ele. O cara não é bobo e percebe esta desvantagem. Tem que aprender a conviver com esta desvantagem e fazer de conta que não percebe, se não fica mais difícil digerir.

  23. Luiz Henrique

    E os que secam a dupla Djodal seguem fantasiando. Com esse papo que agora eles sofrem pra ganhar e antes não sofriam. MENTIRA. Apenas uma ladainha pra se auto convencer que eles não vão continuar aí por muito tempo ainda. Nadal eu comprovei em outro tópico que sofre no saibro há 17 anos, nunca teve vida fácil não. Todo ano teve jogos sofridos

    1. Jose Yoh

      Sobre antes ganhar sofrido, concordo plenamente.
      Sobre continuar ganhando por muitos anos: acho que eles só conseguem essas atuações porque pulam vários torneios. Com o tempo as lesões ficarão mais graves e frequentes, terão de jogar quase que exclusivamente os Slams e não conseguirão fazer frente à outros jovens que já estão no mesmo nível. Assim como foi com Federer.

  24. Jorge Diehl

    Mestre Dalcin! Analisando todos os jogadores da atualidade…na minha opinião depois de Nadal no saibro só djokovic! Outros estão chegando…mas resultados dele no saibro que não é seu piso favorito… é muito superior a outros rivais de Nadal no saibro!
    Concorda?

    1. José Nilton Dalcim

      Em jogos de três sets, acho que Thiem, Zverev e agora Tsitsipas podem sim rivalizar com o Nadal em boas condições, Jorge. Em cinco sets, aí concordo que fica mais difícil.

  25. Lucas

    Sou fã incondicional do Federer, pra mim independente de números e recordes sempre será o maior que vi jogar, mas essa dupla Nadal/ Djokovic é muito f#$!! Roger deve lamentar várias oportunidades durante a sua estupenda carreira de ter saído vencedor nos duelos com os 2, mas deve ter consciência de que enfrentou 2 monstros, muitas vezes de igual pra igual, com seu tênis clássico, baseado no talento, contra a força e o mental da dupla que fará a final de Roma amanhã. Viva esse esporte maravilhoso!

    1. Luiz Henrique

      Parabéns pelo comentário, pessoas como você que não perdem tempo esculhambando esportistas que fizeram sucesso e estão milionários, com certeza consegue focar na sua própria vida e fazer seu próprio sucesso. Os demais, que perdem tempo e gastam internet pra falar um monte de babaquice sobre 3 caras milionários, provavelmente estão nadando na mediocridade em suas próprias vidas

    2. Paulo Almeida

      Ninguém consegue o que Djoko e Nadal conseguiram sem MUITO talento, “somente” com força e mental. Você, como muitos da sua torcida, restringe talento a jogadas acrobáticas.

  26. DANILO AFONSO

    Não entendi o porquê do sérvio abdicar do backhand na paralela no 2° set, golpe este que resultou vários winners e colocou um ponto de interrogação na cabeça do SONEGO no 1° set.

    Simplesmente o sérvio decidiu quase o 2° set todo cruzar o backhand ou optar pelas deixadinhas, deixando as opções mais previsíveis para o adversário. Antes mesmo do Meligeni citar a falta do golpe, eu gritava para o sérvio na tv: “cadê a paralela ?”…kkk

    Espero que os 55 minutos a mais em quadra entre o 1° e último match point não faça diferença amanhã.

    1. Jose Yoh

      Danilo, se tem uma coisa que admiro no sérvio é sua qualidade de escolher bem os golpes, mais até do que sua devolução fantástica. Então acho que se ele não utilizou este golpe é porque a bola não vinha de uma forma legal para executá-lo ou não era uma boa estratégia. Abs.

  27. Júlio César

    Dalcim,sem o primeiro saque,Nadal tem suas chances bastante reduzida mesmo diante de um Djokovic bem mais cansado.

    1. José Nilton Dalcim

      Também acho que o segundo saque do Nadal pode ser o calcanhar de Aquiles neste domingo, Júlio César.

      1. Julio Cesar

        Saque do Nadal, pior do que o normal, contra o Djokovic, que tá devolvendo no seu nível habitual, pode ser muito problemático.

  28. Ronildo

    Como eu tenho dito, a supremacia do Big3 acabou. Na verdade não temos nem Big2, nem Big1. Tivemos uns 10 anos de Big4. Depois da contusão de Murray, Big3. Depois da cirurgia de Federer, Big2.

    Agora não há mais domínio. Cada jogo é um sofrimento terrível para Nadal e Djokovic. Desde a primeira rodada eles enfrentam batalhas desgastantes.

    Vamos ver como o Maior de Todos os Tempos voltará.

    Não acredito que melhor de 5 sets continuará sendo vantagem para Djokovic e Nadal nesta atual fase de sofrimento deles.

    Nadal não será campeão de RG este ano e Djokovic não terminará a temporada como número 1.

      1. Jose Yoh

        O espaço tempo que compreende o período de 2006/2010 também foi esquecido pelos fãs radicais do sérvio.
        Lembrando que não faço parte dessa sua generalização infantil. Nole está em um grande momento faz muito tempo.

    1. Sandro

      Nossa Ronildo, só pode ser zoeira esse seu comentário… Você não assiste tênis, não pode ser…
      Você disse: “Agora não há mais domínio. Cada jogo é um sofrimento terrível para Nadal e Djokovic. Desde a primeira rodada eles enfrentam batalhas desgastantes.”
      Há domínio sim!!! Desde 2004 que não existe uma final em Roma na qual não tenha estado Nadal ou Djokovic. Isto quer dizer que são “DEZESSETE” anos de domínio do BIG 2 em finais em Roma, como você vem dizer que não há mais domínio???
      Outro absurdo é você dizer que não existe mais o BIG 2!!! Como assim??? Nadal e Djokovic enfrentaram sim batalhas desgastantes neste Masters de Roma, mas o mais importante de tudo é que “VENCERAM”, e quem está na final??? O BIG 2 está novamente na final de Roma!!!

  29. DANILO AFONSO

    Dias atrás falei sobre a beleza e emoção dos jogos no saibro, e hoje teve um pouco de tudo que tinha mencionado:

    – ralis emocionantes;
    – defesas espetaculares;
    – show de drop shots (deixadinhas) de backhand;
    – inúmeras deixadinhas de slice de direitas do SONEGO;
    – contra deixadas incríveis;

    Poh Serjão !! Como não amar jogos neste piso ??

    1. Marcelo Costa

      Saibro é a síntese do tênis, onde até imponderável que são as imperfeições no piso fazem o jogo ser nobre, intenso e tirando Nadal da estatística, imprevisível
      Viva o saibro, o piso onde é preciso mais do que um bom jogo de fundo pra se vencer.

      1. Sandro

        Concordo plenamente!!! O saibro é o saibro, emocionante, insubstituível, o saibro traz o melhor que o tênis pode oferecer!!!
        Tanto que os meus torneios prediletos no circuito são os lendários Masters de Roma e Roland Garros!!!

    2. Sérgio Ribeiro

      Dó a mão ✋ a palmatória , caro Danilo rs. Não tenho como negar que temos visto de tudo na Superfície. E o mapa da mina era realmente o back na paralela que Novak sabe aplicar com extrema precisão. Parabéns !!!! . Abs!

    3. Jose Yoh

      Hoje foi um bom exemplo de que o saibro possibilita boas variações de jogo. Só lamento que quando o nível técnico não é tão bom, os jogadores se limitam a trocar pancadas ou bolas altas de fundo, e torna o jogo entediante.
      Mas com o Big 3 na quadra contra um bom adversário que tenha recursos, é certeza de jogadas sensacionais como essas de hoje.

  30. Paulo Almeida

    Disse e repito: o que o Djokovic fez hoje com 34 anos, mesmo não culminando em título, estará para sempre na história.

    O mundo do tênis agradece e reverencia o craque absoluto!

    1. Barocos

      Paulo,

      Devo entender, pelo seu comentário, que este título será “parrudo”, seja quem for que conquistá-lo?

      Saúde e paz.

      1. Paulo Almeida

        Barocos,

        A maior rivalidade da história se enfrentando na final já credencia o título como parrudo. Com o que ocorreu ao longo da semana para ambos os lados, creio que será hipermegaparrudo.

        Abs!

      2. Jose Yoh

        Embora não concorde com o termo por depreciar muito injustamente todos que jogaram na época, esse título será “Parrudo” com P maiúsculo!

  31. Gildokson

    Jogão mesmo, aliás, dois super jogos do sérvio, o italiano bateu muito na bola e foi muitas vezes para winners até quando não devia, o sérvio como sempre defendendo como ninguém, aquelas pernas abertas, joelho quase no chão e bolas que não deveriam nem voltar recomeçam o ponto. Amanhã batalha entre os 2 monstros, queria eu que os 2 perdessem, mas infelizmente um vai ganhar kkkkkkk e esse que ganhar vai ser merecidíssimooooo.
    Quando será que alguém vai dar fim nisso pai? kkkkkkkkk

    1. Luiz Fabriciano

      Belíssimo comentário.
      Espirituoso e honesto, feito por quem não é fã de nenhum dos dois envolvidos.
      Também espero que no mínimo até 2030 vejamos ainda essas finais, kkk.

  32. ALEXANDRE ADORNO DA CUNHA

    Dalcim, ainda fico pasmo lendo os comentários quando Nadal ou Dkojo perdem, eles são os maiores guerreiros do tênis de todos os tempos!
    Lembro em 2011 com a ascensão do Djoko ( até 2010 era mais Nadal e Federer né), e eles fizeram todas ou quase todas as finais possíveis no ano, lembra? e Nole ganhando tudo! Depois de 10 anos, ainda estão ainda ai, se enfrentando na final, é muito exemplo de vida, poucos conseguem se dedicar tanto a este esporte pra continuar tendo este nível ano após ano! Acho que amanhã 50 x 50 mesmo, tudo pode acontecer? Sou Nadal mas admiro muito o big 3, tem como não?

  33. Marcelo

    Dalcim, você acha que a organização quer Nadal campeão?
    Até agora estou sem entender a mudança de horário dele na sexta.

    1. José Nilton Dalcim

      Não, acho que foi um rodízio normal de horários, porque como salientei lá no começo da semana existe uma diferença entre se jogar no sol (piso mais seco) ou no fim de tarde/noite (mais úmido e lento).

  34. Lucas Leite

    Dalcim, parabéns por mais um excelente texto! Apesar das derrotas acho que os recentes jogos do Tsitsipas contra o Rafa em Barcelona e agora contra o Djoko em Roma serão excelentes para sua evolução como jogador, grandes batalhas da onde ele pode tirar bons aprendizados. Acho que é um grande resultado pré-Roland Garros, já que nas condições que ele gosta, de um saibro mais lento, ele foi praticamente impecável, vencendo Monte Carlo e perdendo em Barcelona e Roma para os dois maiores favoritos ao Slam francês em jogos bastante parelhos, em que em muitos momentos foi inclusive superior. Uma consistência que me impressiona considerando sua ainda pouca experiência. Concorda comigo, mestre?

    1. José Nilton Dalcim

      Concordo plenamente. Tsitsipas ficou muito perto de ganhar dos dois no saibro, jogou de forma sólida e com cabeça firme.

  35. Vitor Hugo

    Não há qualquer dúvida que Federer x Nadal é o maior confronto DISPARADO da história do esporte, não só por de tratar dos dois tenistas mais populares do esporte(Muito à frente dos outros), mas por que atraem mais mídia, estilos antagônicos, por terem feito o maior e melhor jogo da história(wb/08) além de outros pontos endossados pelo mestre Dalcim.
    Depois vem Borg x Big Mac e em terceiro um confronto sem sal, mas que por ser numeroso, Novak x Nadal.

      1. Paulo Almeida

        Exatamente, xará.

        O Federer “idoso” ainda conseguiu amenizar um pouco o h2h vexatório de 23×10 para 24×16, mas continua paternidade.

    1. Sandro

      O maior confronto do tênis mundial é o que vai aonctecer amanhã da final de Roma: Nadal x Djokovic, monstros intergalácticos do tênis, aliás, Federer é apenas um freguês do BIG 2.
      Desde 2004 não existe uma final em Roma sem a presença de Nadal e Djokovic, são 17 anos com a presença de alguém do BIG 2 na final de Roma.
      Em Roma são NOVE títulos para NADAL, CINCO títulos para Djokovic, e “ZERO” títulos para o Federer que não passa de grande freguês do BIG 2, Nadal e Djokovic!!!

  36. Schuster

    Oi Dalcim e todos boa noite ! O que vemos mais uma vez, Nadal e Djoko são muito mais consistentes novamente e mais um ano irão terminar no topo, inclusive acredito q o Djoko fique como número 1 todo o ano ! Acredito q muitos esperam quando será passado o bastão pra nova geração e não acontece ! E agora já estamos vendo jogadores de 19 anos chegando ! Acredito q a geração do Federer, Nadal e Djoko deram azar de ter três fora de série ! Talvez Steffanos, Jannik e outros jovens terão mais sorte !

  37. Paulo F.

    “O Big-3 acabou”.
    Ronildo & Pessanha.
    Enquanto os profetas às avessas tergiversam, amanhã tem mais um capítulo da maior e melhor rivalidade da história do tênis.

  38. Periferia

    Roma….Foro Italico.
    (Ao fundo toca C’era una volta il west)

    Tem torcida (ao som de Addio Cheyenne)

    Participantes do duelo :

    Rafael Nadal ( ao som de L’ uomo Dell’armonica)

    Novak Djokovic (ao som do tema de Frank )

    Sacaram… (ao som de Duello Finale)

    Um deles ficará deitado…(ao som de Un letto troppo grande)

    The End ( toca novamente C’era una volta il west enquanto os créditos sobem)

    (Nadal ganha amanhã de 2×0….com Morricone ajudando)

  39. Alessandro Siqueira

    Essa é a palavra, Dalcim, assombroso. Os haters seguirão chamando de bagre, mas os dados da realidade apontam noutra direção.

  40. Oliveira

    Há tempo não via dois jogos de tanta qualidade como hoje. É um privilégio ver os melhores de todos os tempos atuando em tão alto nível. Pena que há sempre os haters que so veem o passado. Gente medíocre que será varrida nas urnas ano que vem.

  41. Luiz Henrique

    Dalcim, uma pequena correção: Djoko agora tem 11 finais em Roma. Ele além dos 5 títulos foi vice em 2009, 2012, 2016, 2017 e 2019.
    Caso já tenha corrigido pode desconsiderar

  42. Francisco

    Sonego é um Bellucci que deu certo, Dalcim? Fisicamente, ele lembra muito o Thomaz rsrsrs
    Abraço!

        1. José Nilton Dalcim

          Bellucci teve um ranking muito superior, ganhou o dobro de ATPs, tem uma semi de Masters, ganhou o dobro de adversários top 10…

          1. Rogério R Silva

            Concordo muito contigo.
            Bello jogou muito.
            Bastante talento.
            Problemas de concentração e perda física com aquela história de suar muito.
            Teve diversos problemas mas realmente acho que poderia ter ido mais longe e joga bem mais que o Sonego sim.

Comentários fechados.