Todos os olhos em Roma
Por José Nilton Dalcim
9 de maio de 2021 às 18:56

Alexander Zverev e Aryna Sabalenka completaram a excepcional semana sobre o saibro veloz de Madri, misturando os ingredientes nesta reta final do saibro europeu. Mas, a bem da verdade, o que vai acontecer a partir desta segunda-feira em Roma parece muito mais indicativo das forças a concorrer pelas rodadas decisivas de Roland Garros. O sorteio das chaves, aliás, já é um avant-première dos melhores do que poderemos ver dentro de três semanas em Paris.

Zverev foi quase perfeito nas condições velozes de Madri, onde já tinha vencido três anos atrás. Chegou à final gabaritado por vitórias em sets diretos diante de Rafael Nadal e Dominic Thiem, mas quase foi pego no contrapé pelo italiano Matteo Berretini, que soube se aproveitar melhor do teto fechado, que acelerou tudo ainda mais, e ameaçou seriamente o alemão, a ponto de ter chance de quebra no terceiro set primeiro que o adversário. Mas se fez o dobro de winners (32 a 16), Berrettini cometeu 50 erros frente a 28. Foi um jogo mais para mediano. Zverev, que se queixava do cotovelo desde Miami, o que limitava o saque, mostrou-se totalmente recuperado.

Sabalenka por sua vez levantou no sábado seu primeiro título sobre o saibro,e se vingou com sobras das recentes derrotas sofridas para a número 1 Ashleigh Barty, em Miami e no saibro coberto de Stuttgart, com direito a ‘pneu’ no primeiro set. A bielorussa nunca achou que a terra combinasse com seu estilo de jogo muito forçado, baseado no risco do primeiro saque e dos golpes de fundo de quadra, mas ao ir para duas semanas onde as condições aceleraram a bola ela mostrou que pode se adaptar muito bem à superfície. A destacar ainda mais a força emocional. Seu game final em Madri foi um espetáculo de frieza e precisão.

Desafios na Itália
Roma será um teste real para Zverev e Sabalenka. O Foro Itálico tem propriedades bem mais próximas a Roland Garros, com aquele antagonismo de um piso bem lento se o clima estiver frio e úmido, como costuma acontecer na rodada noturna, ou bem mais veloz se jogado sob sol e de dia. Isso exige adaptações técnicas e táticas assim como cabeça forte para contornar as dificuldades do dia a dia.

Isso explica o motivo de Nadal e Novak Djokovic terem vencido 14 das 16 últimas edições de Roma desde a ascensão do espanhol em 2005. Os únicos que conseguiram quebrar essa hegemonia foram Andy Murray, ao bater o sérvio na final depois que Nole tirou Nadal nas quartas, e o próprio Zverev, outro a superar Djokovic na final. O alemão, não nos esqueçamos, decidiu Roma em 2018 vindo justamente da conquista de Madri, tendo aplicado um incrível 6/1 sobre Rafa no jogo pelo título.

A chave masculina de Roma, como eu dizia, pode muito bem espelhar o que virá em Paris até mesmo na disposição dos cabeças de chave. Djokovic pode estrear contra o mesmo Daniel Evans que o surpreendeu em Monte Carlo e está no quadrante de Stefanos Tsitsipas, que tem Berrettini no caminho. Esse lado superior ainda traz Dominic Thiem e Andrey Rublev, e o russo enxerga Cristian Garin e Roberto Bautista como espinhos no caminho antes do austríaco. É um quadro extremamente competitivo.

Nadal viu um sorteio um pouquinho melhor, mas não é nada divertido uma possível jogo inicial diante de Jannik Sinner e muito menos um reencontro com Zverev lá nas quartas. Embora não esteja no mesmo patamar de 2020, Diego Schwartzman merece muito respeito caso chegue à semi. Todo mundo se recorda que o argentino bateu Rafa em apenas dois sets em Roma sete meses atrás numa noite de condições muito lentas.

Obviamente, o último grande torneio antes de Roland Garros tem pesada importância para os três grandes favoritos. Djokovic jogou muito pouco até agora e não foi bem, Nadal vive altos e baixos sem ter achado sequer 70% do seu jogo sobre o saibro e Thiem precisa de maior rodagem e de preferência com vitórias convincentes. É quase certo que Rafa será cabeça 3 em Paris, o que aumenta a tensão.

Osaka e Serena em Roma
O mesmo raciocínio serve para a chave feminina, que só não terá Bianca Andreescu e vê a primeira experiência de Serena Williams sobre o saibro. A rigor, situações que não parecem fazer tanta diferença, ainda que sejam tenistas espetaculares. Ao vencer Madri, Sabalenka saltou para o quarto lugar do ranking e aumentou muito a chance de ser cabeça 4 em Roland Garros, algo nada desprezível quando Naomi Osaka e Simona Halep ainda precisam mostrar serviço. Sabalenka pode reencontrar Barty agora nas quartas e é bem provável que a vencedora espere Elina Svitolina, Garbiñe Muguruza ou Iga Swiatek. Qualquer uma dessas três seria um excelente desafio.

A parte inferior dá ótima oportunidade para Halep se recuperar, ainda que Angelique Kerber seja sua provável estreia e pinte Jelena Ostapenko em seguida. Petra Kvitova é candidata às quartas. A outra semifinalista está num grupo bastante aberto, com Osaka, Serena, Belinda Bencic e até mesmo Nadia Podoroska, potencial barreira para Serena logo de cara.

O histórico recente da chave feminina de Roma aponta dois títulos de Svitolina (2017 e 2018), um de Serena (que chegou ao tetra em 2016), um título (2019) e uma final para Karolina Pliskova e um troféu (2020) e dois vices para Halep. Fica bem claro que qualquer estilo pode dar certo, o que dá um molho muito saboroso.


Comentários
  1. José Eduardo Pessanha

    O Pecador se inspirou no seu contemporâneo Ali Acima e garoteou. Perdeu uma ótima chance de ganhar.
    Abs

  2. José Eustáquio Masculino Cruz

    Boa tarde á todos,mestre guru o que achou da atuação do Italiano e o Espanhol digo em todos os sentidos pois você varias vezes salientou que rafa só sabe jogar no alambrado,contra sacadores e hoje parece que melhorou um pouco o que acha?

  3. Jeferson

    Dalcim por ando Borna Coric??Sempre acompanho as noticias no site mas não lembro de visto noticia sobre ele,tenho visto que não tem jogado recentemente.

  4. Paulo F.

    É, depois de ter sido escovado por Djokovic em MC, Sinner deu um treininho de luxo para Rafa hoje.
    Tá evoluindo muito…

  5. Miguel BsB

    Vou entrar na conversa do pessoal ali mais embaixo.
    Sim, o tênis é um esporte de elite no BRASIL.
    Aliás, até se alimentar minimamente está virando algo de elite neste país nos últimos tempos…
    O José Yoh comentou que não é no Japão, país que ele conhece. Posso falar de um país que conheço bem e que tb não considero que seja um esporte de elite. Nos EUA, há abundância de quadras públicas, os equipamentos são a preços acessíveis para a maioria da população. Há grande incentivo e investimento nas escolas públicas para praticamente qualquer esporte, aí incluído o tênis, e a federação é rica e investe nas bases.
    A Argentina, tb citada e que produz vários tenistas de qualidade geração após geração, tem dificuldades financeiras assim como o Brasil, mas posso afirmar. O povo lá gosta e acompanha o esporte, e vi diversas quadras públicas em Buenos Aires e até em Mendoza. E vi tb bares transmitindo torneios de tênis, algo que jamais vi aqui no Brasil.
    Portanto, não é de se estranhar que os Hermanos tenham muito mais jogadores de ponta do que nós.

    1. Rodrigo S. Cruz

      Comparar o Federer e o Medvedev no saibro?

      Federer tem título em Roland Garros e um monte de finais. Quando que o russo teve isso tudo?

      Até para mentir você é muito fraco…

  6. Jonas

    É por isso que aquela história de Medvedev número 1 no ano passado não passa de choro, eu dei muita risada disso, inclusive.

    O Russo não tem a consistência necessária para ser o melhor do mundo ainda, já que não vai bem no saibro e na grama. Para ser número 1 atualmente, precisa ser completo, coisa que Djokovic é. Mas pelas declarações recentes não está nem aí pra isso mais.

    Quanto ao Karatsev, trata-se de um ótimo tenista. Aquela vitória sofrida sobre Djoko em Belgrado não foi à toa. Esse cara joga muito tênis e, este sim, deve estar no auge, tá jogando o melhor tênis de sua carreira com certeza.

  7. Luis Nogueira

    Rafa Nadal perdeu pro Soderling em Roland Garros 09 por estar lesionado.

    “O tenista número um do mundo, Rafael Nadal, atual campeão de Wimbledon, anunciou nesta sexta-feira que não participará do Grand Slam britânico por não ter se recuperado de uma lesão no joelho.”

    “Lamentavelmente este ano não poderei jogar em Wimbledon”, disse Nadal em coletiva de imprensa.

    “O espanhol, que sofre de tendinite no joelho desde a eliminação do torneio de Roland Garros no mês passado, testou sua forma em dois jogos de exibição esta semana e perdeu ambos.”

    Federer, que não tem nada com isso, foi lá e ganhou do mediano Soderling na final.

    1. Rafael Azevedo

      Interessante que Nadal foi finalista de WB de 2006 a 2008, não jogou 2009, e foi finalista novamente em 2010 e 2011.
      Considerando apenas os torneios que disputou, o espanhol foi finalista em WB por 5 anos seguidos.
      De lá prá cá, só conseguiu ter boas participações, novamente, nas 2 últimas realizações do torneio (2018 e 2019), sendo eliminado nas semifinais por Djokovic e Federer, respectivamente.

    2. Sérgio Ribeiro

      O ” mediano ‘” Tenista , confirmou a vitória no ATP FINALS do mesmo ano 2009 sobre o Touro , mantendo o N 4 do Mundo . E repitiu a façanha voltando a FINAL de RG 2010 , e tirando nas Quartas exatamente o seu Tenista predileto , Roger Federer kkkkkkkkk. Eu acho que o novo Luis se da’ melhor no grupinho de Whats do Chatonik e CIA kkkkkkkkkkkkk. Abs!

    1. José Nilton Dalcim

      Achei um pouco mais ágil, sim, Sandra, mas aquele uniforme não me permitiu tirar conclusão. Aliás, não gostei dele.

      1. Jeferson

        Parabéns Dalcim,o melhor comentarista de tênis do Brasil!
        Sou leitor assíduo do seu blog,não sou muito de comentar aqui,mas estamos aqui na torcida por mais um titulo do Djokovic, aproveitando o assunto Kvitova,seria ela a melhor ou umas das melhores e mais vencedoras tenistas a não chegar a ser número 1 do ranking?Quem das melhores na sua opinião também não chegou a ser numero um do ranking?

        1. José Nilton Dalcim

          Olha, acho que eu colocaria nessa lista, além da Kvitova, Kuznetsova, Pierce e Novotna. Desse grupo, Pierce e Kvitova ganharam dois Slam e foram à final de mais um. Então acho que ficaria com elas.

  8. Ronildo

    Petra Kvitova perdeu para Zvonareva, 36 anos. Acho que elas já decidiram final de Wimbledom. Essas duas tem história que daria um belo filme.

  9. Paulo F.

    O espanhol de nome feio pode endurecer para o Nolezinho amanhã.
    Que ele não fique de chilique, que isso não resolve nada.
    De vez em quando, para extravasar, até vai.

  10. Paulo F.

    E o segundo melhor saibrista da era Era Nadal tendo dificuldades na estreia em Roma contra Fucsovics.

  11. Luis

    Dalcim o Blog e’ sobre Tênis kkk mas vc comento sobre Hamilton e’ um grande piloto (sempre diz se inspira o Inglês no Senna) Voce acha Maior da F1 o Hamilton? Shumacher acho ainda tem recordes, quebrando recordes igual o Big3 rs, mudando NBA que acho legal maior do basquete muitos acham que e’ Jordan,meu preferido era Kobe que foi grande perda do Esporte,mas Lebron coloco Lakers de volta onde merece com título NBA rs Abraço e Saúde nesses momento mais difíceis que mundo já passou e Presidente de moto kkk,ia esquecendo de elogiar Nadal tava vendo acho foi Austrália da beijo na menina boleira muito legal,sou fã do Federer mas Nadal parece grande cara,exemplo em quadra

    1. José Nilton Dalcim

      Existem os números e existem as lendas, Luís. Então eu ainda acho que Senna pesa mais do que os outros, ainda que com números inferiores. Quanto à NBA, acho que Jordan ainda é insuperável. Abs!

  12. JAN DIAS

    FALANDO EM BOLAS FORA:

    ? NADAL:
    – Monte Carlo 2021 (Após perder pro RUBLEV, o espanhol nem olha pra cara do russo na hora do cumprimento final, praticamente virou as costas pra ele);

    – Madrid 2021 (Após um ponto polêmico contra ZVEREV, Nadal pede o desafio muito tempo depois do ponto terminado, o que seria ilegal naquele momento. ZVEREV reclama c/o juiz, mas este não tem coragem de negar o desafio ao espanhol, o qual leva a vantagem indevida).

    ? DJOKOVIC:
    – Roma 2021 (O sérvio tem um chilique e grita c/o árbitro de maneira histérica sem razão).

    ? FEDERER:
    – Toda a carreira (quebrou raquetes quando jovem, discutiu c/ árbitros sobre marcações supostamente erradas, mas nunca aceitou levar vantagem indevida nem berrou c/árbitros). Ele não é perfeito, mas tem um nível muito alto de respeito pelos outros e pelo esporte, por isso é o preferido do público).

    1. Paulo Almeida

      Isolou a bolinha no público quando estava sendo surrado em Rolanga 2019 também.

      Não, só é o “preferido” porque largou na frente na corrida pelos grandes títulos, dando a falsa impressão de ser GOAT até ser dominado por jogadores superiores. Fatores como ser mais educado ou jogar plasticamente são conversa fiada; o que interessa para a maioria é ser vencedor.

  13. Vitor Hugo

    Bagrevice mais uma vez dando chilique, mostrando ser um menino mimado, egocêntrico, quando as coisas não acontecem do jeito que ele quer. Quem paga são os juízes, boleiros, juízes de linha e etc…. E nós continuamos pagando pelo jogo horroroso que ele proporciona!

    E será que seus torcedores vão ameaçar São Pedro de morte?!?!

    1. Rodrigo S. Cruz

      Olha…

      São Pedro eu não sei.

      Mas ameaçaram até de morte aquela idosa que o Novak CARIMBOU no US Open passado!

    2. DANILO AFONSO

      Para que isso DON JUAN do blog ??

      Não sei o que é pior: você quase todo dia perdendo tempo atacando o sérvio ou se gabando aqui da sua recente vida de garanhão em plena PANDEMIA…kkk

      Só uma dúvida:

      Você se apresenta para as meninas com outros codinomes fakes ou utiliza aleatoriamente um dos já famosos nomes (Renato, Marquinhos, Vitor Hugo e Johnny) ???

      Abs !!

      1. Paulo F.

        kkkkkk
        Para quem precisa usar vários nomes por aqui e precisando exibir-se que pegou gente…
        Sei não, acho que é feiqui níus.

  14. Ronildo

    Esse Djokovic é sortudo heim!

    Murray ia ficar uns 3 anos como número 1 e infelizmente adquiriu uma contusão seríssima jogando o número 1 no colo dele! Claro que Djokovic jamais desejaria que a coisas acontecessem desta maneira! Mas aconteceu e possibilitou que ele batesse um recorde que parecia impossível, e o fez justamente por não haver rivais à altura nestes últimos anos, especialmente no fator consistência.

    Hoje mais uma vez foi salvo por estas forças que o tem protegido durante toda a sua carreira! Fritz estava entrando no jogo de maneira gradual. Equiparou tudo no 5 a 5 no segundo set, quebrando Djokovic quando ia sacar para fechar a partida. Então veio a chuva salvadora para livrar o “número 1” que já estava mentalmente abalado!

    Tudo bem. Eu não esperava mesmo que fosse Fritz que fritaria Djokovic desta vez! Mas foi por pouco!

    Mas recomendo muita oração, súplica por proteção divina e tudo o mais neste neste âmbito para quem for jogar contra Djokovic, porque o campo é “espiriritualmente minado”.

    Trevas, densas trevas!

    1. Luis Nogueira

      Murray (excepcional jogador), mas é freguês do Novak. Inventa uma melhor vai, você consegue.

    2. Luiz Fabriciano

      Ronildo, tudo isso que escreves é sério, é o que achas mesmo ou apenas para tirar sarro dos adversários, simplesmente?
      Saudações.

    3. Jonas

      Tá confundindo, de forma seletiva rs, Murray com Djokovic.

      Djokovic dominava o tênis até Roland Garros 2016 (4 GS seguidos). A partir dali ele fez péssimas campanhas. Não jogou NADA em 2017 e no primeiro semestre de 2018, culpa dele mesmo, que fez escolhas absurdas como Agassi de técnico, além de começas a abraçar árvores.

      Felizmente o sérvio recuperou o bom nível no segundo semestre de 2018. Foram três Slams seguidos: WB 18, USO 18 e AO 19.

      Acho Murray excelente, mas historicamente o Djokovic é muito superior.

    4. Adriano Souza

      A chuva nunca beneficiou o Federer e o Nadal?
      Me lembro quem em RG se eu não me engano em 2012 ou 2013, o Djokovic estava dominando o Nadal
      Fez 8 pontos consecutivos no quinto set , mas derrepente a chuva apareceu . Depois da pausa, o Nasal voltou com tudo , e o Djokovic começou a não jogar oq vinha jogando , e o Nasal cresceu e ganhou o duelo.

      Pesquise , antes de escrever besteiras Federete

    5. DANILO AFONSO

      É sério esse bilhete ??

      Seguindo a sua lógica, Federer também teria que agradecer muito que em 2017 e 1º semestre de 2018 o Murray estava lesionado e Djokovic caiu drasticamente o seu nível de competitividade e/ou apresentou problemas físicos no período citado, facilitando demasiadamente o caminho para que o suíço conquistasse Austrália Open 2017/2018 e Wimbledon 2017, bem como beliscasse algumas semanas como n. 1…kkkk

      É fácil demais querer enxergar apenas o que é conveniente e ficar cego para outras obviedades que ocorreram no circuito nas últimas temporadas.

      Saudações Tenísticas !!!

  15. Luis Nogueira

    Big 3 – quantitativo de Slams ao término das carreiras:

    NoleKing: 10 Australian Open, 2 Roland Garros, 6 Wimbledon, 4 US Open – 22 títulos
    Nadal: 1 Australian Open, 14 Roland Garros, 3 Wimbledon, 4 US Open – 22 títulos
    Federer: 6 Australian Open, 1 Roland Garros, 8 Wimbledon, 5 US Open – 20 títulos mesmo.

    O 6° Wimbledon de Novak será sobre Federer, neste ano ou no próximo.

  16. Periferia

    Pelé x Borg

    Um dia…um restaurante…um encontro.

    -Ola Pelé…sou seu fã…como vc é habilidoso companheiro…

    -Que nada caro Borg…conseguir as passadas que vc faz com as mãos naquela raquete é algo extraordinário.

    -Poxa Pelé…não conheço outro esporte onde os pés tenham que dominar uma bola…bater uma trivela…driblar…um calcanhar socrático…
    E aquela batida de peito do pé???O que é aquilo Pelé ???

    -De certa forma vc tem razão Iceborg…com as mãos temos o basquete…o volei…o handebol…o boxe…o golfe…muitos…com os pés…dominando algo….realmente não lembro (tentando lembrar).

    -Deve ser por isso Rei…no futebol aquele jogador sem “intimidade” com a bola vai para o gol usar…as mãos.

    -O pior que é verdade…todo goleiro é um centroavante frustrado.

    -Nao existe esporte mais difícil que o futebol…nem o tênis…bom reve-lo Rei dos Reis.

    -O prazer foi meu.

    (Os dois tinham prazer de jogar na terra…e na grama)

  17. Rodrigo S. Cruz

    Que coisa horrorosa!

    Que sérvio destemperado e arrogante!

    Berrar igual uma mulher em trabalho de parto, por tão pouco.

    Por isso que quase ninguém gosta desse babaca…

  18. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo F.]

    “Djokovic derrotou Nadal em Roland Garros.
    Federer NUNCA”.

    Dá na mesma!

    Foi o pior ano do Nadal empunhando uma raquete.

    Uma vitória fake, insignificante…

  19. Paulo Almeida

    O Príncipe de Roma PENTA foi novamente MUITO prejudicado pela chuva e teve que jogar num verdadeiro lamaçal, mas, para o desespero da ala xiita freguesiana secadora, se classificou em sets diretos. Agora terá um dia de descanso.

    1. JAN DIAS

      Ele teve foi sorte ? de não ser suspenso ou desclassificado do torneio…

      Eu entendo perfeitamente a frustração e a raiva e o quanto é difícil segura-las num momento de tensão, mas essa explosão dele foi totalmente sem motivo e desproporcional…

      1. Miguel BsB

        Também entendo Jan. Quem joga sabe o quanto é difícil segurar os nervos e a frustração em momentos como esse…pra não estourar.
        Mas, que é errado é e que ele deveria se controlar, deveria…

      2. Paulo Almeida

        Não, pois isso não é motivo para desclassificação.

        Quem teve sorte foram vocês pelo fato do Djoko não ter levado o USO do ano passado por causa de uma regra pífia.

  20. Paulo F.

    Djokovic que atrasa bobamente uma partida que era para acabar logo, fácil e rapidamente.
    Não consegue, começa a chover e quer dar xilique?
    Menos, né Nolezinho?

  21. Luis

    Dalcim sobre renovação tênis depois domínio do Big 3,Acho Sinner talvez mais legal estilo meio Federer se arrisca no ataque rs,Zverev e Tsisipas são bons talvez falte pouco parte mental,Dalcim um tenista legal e’ Berretini parece ótima pessoa

    1. Rodrigo S. Cruz

      E o pior é que ele já estava ganhando, né? Mas a reação foi irracional e pedante.

      Cada dia que passa o meu desprezo aumenta mais por esse indivíduo.

      Só falta o Fabriciano passar pano agora…

      1. Luiz Fabriciano

        Preciso passar pano em nada não Rodrigo.
        Não vi o jogo, mas se tudo que falas é apenas esse videozinho postado por você em outro comentário, putz!
        Nadal já até vetou juiz de atuar em seus jogos…
        Seu favorito – São Roger Federer – já fez isso também, mas não vi nenhum dos dois, publicamente pedir desculpas.
        Big Mac já teceu elogios à mãe de um juiz certa vez. Hoje é admirado, lembrando e respeitado por todos os que vejo comentar sobre tênis.
        Porém, acredito que se fosse você, pelo jeito que faz alguns comentários aqui, jogando naquelas condições, seria bem mais comedido ao reivindicar a paralisação do jogo.
        Grande abraço.

  22. Rafael Azevedo

    Todas as discussões mais abaixo sobre Thiem x Djoko no saibro, Nadal x Murray na grama e até Wawrinka x Federer no saibro só servem para provar que o ser humano consegue arranjar argumentos para defender o que quiser…

    Destacamos umas informações e ocultamos outras.

    O mundo todo está assim, nos dias de hoje, sobre todos os temas.

    Ninguém mais analisa os fatos para chegar a uma conclusão. Pelo contrário, chega-se a uma conclusão por paixão e, depois, utiliza-se de fatos (ou meio-fatos) para argumentar e justificar sobre a conclusão apaixonada.

    1. Barocos

      Rafael,

      Meio-fato = meia-verdade = uma mentira inteira.

      Concordo contigo que este radicalismo todo leva nada a lugar nenhum ou então causa destruição e dor, entretanto, quero deixar registrada uma ressalva: este tipo de extremismo nada tem de novo, de novo é a opinião de ignorantes inexpressivos serem tão divulgadas quando a de especialistas reconhecidamente competentes ou a de lunáticos poderosos. E viva a Internet com leis frouxas contra mentiras, libelos e difamações (leia as ponderações do Umberto Eco a respeito da Internet, são elucidativas).

      Saúde e paz.

      1. Jose Yoh

        Pois é. Aquele sonho do conhecimento humano disponível a todos, de graça e em qualquer lugar…
        Esquecemos de por na conta que a opinião humana também ficaria disponível a todos. O Google tornou todo mundo especialista em tudo.

  23. Sandra

    Dalcim , porque é tão difícil Djokovis dar aces ? Eu vejo a facilidade desse Taylor , dó Zverev, do italiano que foi vice em Madri , fora o grego e o Federer , entre outros , Nadal da pouco , e Rublev tambem

    1. José Nilton Dalcim

      Mas o Djokovic faz muitos aces também, Sandra. Não tanto quanto os grandalhões, mas sua média é muito boa.

      1. Sandra

        Dalcim , mas o Federer não é gigante e desanda a dar aces ? Muito melhor que ficar correndo por todos os lados da quadra , rssss

  24. Marcão

    O italiano Lorenzo Musetti tem inegável talento, mas precisa urgentemente melhorar o saque e acrescentar agressividade ao seu jogo. A derrota de hoje para o gigante Opelka, onde um atacou e o outro defendeu, deve servir de ensinamento. Sim, ele é jovem, porém a fila anda rápido na ATP.

  25. Luis

    Dalcim 2 perguntas depois 20 Slam disseram Federer já não precisava prova mais nada rs qual acha motivação Suíço ?depois parada longa que talvez nem Suíço e sua equipe conseguem prever poderá voltar ser um favoritos nos grandes torneios principalmente Wimbledon,fica torcida pro Suíço genial não pare em 2021 rs pro bem do tênis ainda e’ preferido das pessoas e até tenistas e acha que Medvedev pode ir bem grama? Russo tem bons golpes,bom saque alto rs

    1. José Nilton Dalcim

      AH, motivação não falta. Nadal empatou em Slam, Djokovic ameaça outros recordes, existe Olimpíadas, Wimbledon… Acho que o fiel da balança será mesmo a questão física, Luís.

    1. Rodrigo S. Cruz

      Tá uma vergonha mesmo. Uma vergonha!

      Fase ridícula do Fognini…

      Se eu fosse ele tiraria logo um ano sabático!

      kkkkk

  26. F.R.G

    Fiquei na dúvida se na final eu torcia para o zverev pois pelo menos menos foi o campeão quem venceu do “meu” Nadal ou se torcia contra por ter sido o algoz

  27. Paulo F.

    Luís Henrique usando os argumentos do judoca Vitor Hugo, chegou à conclusão de que até o Stan The Man é melhor no saibro do que o vassalo de Nadal!
    Boa, Luís Henrique!

  28. Luis Nogueira

    Djokomito jogando mal, Nadal capengando…

    Realidade: Nadal vencendo Roland Garros e Novak papando tudo no segundo semestre.

    Federer deve continuar vencendo jogadores mais fracos. Pode pegar uma chave fraquinha em Wimbledon e novamente apanhar do GOAT sérvio na final. Já pode pedir música no fantástico o suíço…

    1. Rodrigo S. Cruz

      Corrigindo o Fake:

      Djoko-MICO no nível que jogaria sempre, caso não tivesse um super-físico.

      Realidade: Nadal favorito em RG, e Novak virando PAPINHA de neném, no segundo semestre!

      Federer: vai pedir música no Fantástico somente se ele conquistar o 21° título de Slam, em Wimbledon.

      Oremos!

      (rs)

    2. Sérgio Ribeiro

      “ Djokomito “ e és torcedor fanático do Suíço ? kkkkkkkkkkk . Na boa , ali no face TênisBrasil tem como cometeres essas análises sem noção sem pagares tanto mico. Se liga , muleque kkkkkkkkkkkkkk. Abs!

    3. Carlos Reis

      Sim, na final de 2019 o GOTI da 25 de março surrou de relho o craque suiço, quem não viu!?

      Ganhou na bacia das almas, só Deus sabe como…

      SF do AO/16, ali sim foi uma surra, mas Noletes não tem noção.

    4. José Eduardo Pessanha

      Olha, Nadal ainda tem chance de ganhar esse RG, mas Djoko definitivamente acabou. Esse não ganha mais nem par ou ímpar. No fim do ano já estará fora do top 10 kkk

      1. Barocos

        Pessanha,

        Muito obrigado !! Agora que você fez suas previsões, eu posso ficar tranquilo que o sérvio vai “passar o rodo” nos mais importantes torneios deste ano !

        😀

        Saúde e paz.

  29. EDVAL CARDOSO

    Uma pergunta pra todos do blog,
    Vcs acham que o fato do tênis ser um esporte de elite, digo no sentido de ser caro pra se comprar uma raquete, bolinhas e principalmente quadras pra se jogar, acabam minando as chances de aparecerem jogadores bons aqui no Brasil em maior quantidade?
    Digo isso comparando com futebol, que inversamente não se precisa de muito pra se jogar uma pelada e acaba rebelando muitos talentos que se destacam a nível mundial.

    1. Ronildo

      Na verdade os pais pagam escolinha para os filhos. Os craques da rua tem pouca chance de se profissionalizar no futebol também. Infelizmente no tênis é bem mais difícil ainda, o que certamente dificulta o aparecimento de craques. A maioria dos praticantes jovens vem de famílias com renda alta.

      1. Jose Yoh

        Sim, uma coisa é popularizar o esporte e outra é conseguir atletas de alto nível.
        Claro que uma coisa leva a outra, mas o custo de manter alguém treinando desde cedo, arriscando seu estudo e carreira, é muito alto. Ir à torneios no exterior então nem se fala. Nesse caso sim seria para a elite.
        A esperança para os menos favorecidos seria um patrocínio, coisa que só é possível se o público tiver muito interesse no esporte.

    2. Barocos

      Edval,

      Não só as quadras e as raquetes apresentam uma barreira bem grande, como também a necessidade de técnicos dificulta bastante as coisas. Não dá para você aprender tênis sem um tutor para te ensinar as empunhaduras, os movimentos de braços e o posicionamento dos pés.

      Definitivamente, não é como correr atrás de uma bola em um campo que até pode ser esburacado e aprender a chutar.

      Saúde e paz.

    3. Cassio Carvalho

      Sem dúvida. É de elite. Em qq lugar do mundo. A propria practica requer de um terreno entero para 1 ou duas pessoas. A hora de uma quadra sai carisimo em comparação a um futebol na praia ou no muro da rua. O Tenis precisa da quadra…

    4. Sandro

      Nada a ver… Basta comparar a quantidade de tenistas TOP 100 que a Argentina e a Sérvia têm que essa sua teoria cai por terra… A não ser que você considere que a Argentina e a Sérvia sejam paises muito mais ricos que o Brasil…

    5. Sérgio Ribeiro

      Sem dúvidas caro , Edval . Nem precisas ir muito longe . Basta olhares pros nossos Hermanos aqui do lado que a resposta já está dada . Mesmo num momento de baixa eles estão nesta segunda-feira com CINCO jogadores no TOP 100 . Abs!

    6. Viana

      Boa questão!!
      SIm, definitivamente sim.!
      Por que o futebol é o esporte do povo no Brasil, pq é barato.
      Eu já joguei com bola de meia e traves de chinelos, quem nunca?
      Já o tênis, tem a raquete q é cara, as bolinhas tb, e além disso é um esporte q ue precisa de muito espaço para no máximo 4 pessoas jogarem por vez. Num mesmo espaço jogariam 16 de futebol…
      Agora, existem projetos que podem popularizar o esporte. Tem um no Rio, ou tinha, que ensina tenis nas favelas… Sensacional!
      O Brasil seria uma fábrica de tenistas se tivesse incentivo e investimento. Com esse tanto de criança que temos… mas é um esporte muito técnico, se vc não pagar professores para ensinar as crianças, dificilmente irão jogar.

    7. Marcelo Costa

      Moro em uma cidade média em São Paulo, que possui três quadras públicas, e mais duas em processo de construção, ou seja,há espaço para que todos joguem. Sobre material esportivo a alta do dólar, deixa tudo bem salgado, como bolas, tênis e raquetes , mas dá pra achar raquetes boas usadas por um preço razoável.
      Em grandes centros é possível jogar sem custos de um clube falta levar o esporte as cidades menores , dai sim poderemos tirar o estigma de ser elitizado.

    8. Jose Yoh

      Posso falar sobre o tênis em um país de primeiro mundo como o Japão. Lá, não é um esporte de elite.

      Há quadras públicas para todos, cobrando preços como dois dólares a hora (sim, é pública mas exige um valor). Todos fazem a manutenção da quadra após o uso.

      Há muitos praticantes, que giram o negócio do esporte, com raquetes caríssimas e também baratas. E o preço de tudo que envolve o esporte também tem para todos os gostos por causa disso.
      Como esses muitos praticantes trocam de equipamento regularmente, o mercado de usados é muito barato, já vi raquetes a dois dólares.

      Como por aqui temos poucos praticantes, não existe economia de escala e isso acaba elitizando o esporte. E por acharmos que é um esporte de elite, não fazemos mais quadras.

      É um pensamento contrário à evolução, como quase tudo no Brasil.

      1. Luiz Fabriciano

        Elucidativo ponto de vista.
        Em todos os lugares (pagos) que jogam tênis que conheço, há sempre um “arquivo morto” de raquetes velhas. Para os tops, elas não servem para nada, mas para iniciantes, especialmente os órfãos de pais ricos, seriam um prêmio. E não conheço nenhum que faça um trabalho de inclusão de crianças carentes.

  30. Rodrigo S. Cruz

    O Zverev apresenta grande forma e tem os meus aplausos pelo título de Madri.

    Ainda mais por ter deixado o Nadal chupando dedo…

    Mas eu acho que ele precisa arrumar um jeito de vencer também o número 1 de araque.

    Nisto claramente o alemão tem falhado.

    A boa fase do Tsitsipas também me agrada…

    Conquistou Monte Carlo e foi finalista em Barcelona, perdendo ali apenas no detalhe para o Touro.

    Agora, o Medvedev… esse está devendo, hein? rs

    Foi cruelmente surrado pelo Encosto farsante, na Austrália, e é um verdadeiro INIMPUTÁVEL no saibro!

    kkkkkkkkk

    1. Alessandro Siqueira

      Se o jogador com mais semanas na liderança da história é #1 de araque, quem seria um #1 legítimo? Vale lembrar que a liderança atual seguiria sendo liderança, mesmo que se adotasse as regras tradicionais de descarte de pontos. Logo, pode se dizer que a pandemia não deu nada ao sérvio. Pelo contrário. Retirou 22 semanas da contagem.

  31. Barocos

    Dalcim,

    Muito bacana o vídeo do Murray treinando com o Djokovic. A habilidade está lá, mas um jogo à vera contra os atuais tops é o mais indicado para avaliar as reais possibilidades do Murray disputar os grandes torneios, para isto ele dependerá de convites. Ele já manifestou seu interesse em participar também das olimpíadas.

    Dalcim, que chance você acha que o Murray tem de fazer parte do time inglês?

    Saúde e paz.

    1. José Nilton Dalcim

      Teria toda chance do mundo, André, mas quem poderia dar convite para ele jogar é a Federação Internacional, responsável pelo evento. e não a própria LTA. Mas como a sede da ITF é em Londres… Bem, acho que seria mais do que justo o atual (e único) bicampeão olímpico ganhar convite. Abs!

  32. José Eustáquio Masculino Cruz

    Boa noite muito bem abalizado mas tem uma coisa que todo ano a Imprenssa quebra a cara com o Espanhol,ele será campeão em Roma e RG alguém dúvida ai?oras mesmo sabendo que rafa não está no seu melhor digo fator idade ,saque entre mobilidade,mas na hora que pisar na quadra De RG ai depois falamos!

  33. Oswaldo E. Aranha

    Dalcim, como posso saber os jogos em Roma, horários e participantes; antes o UOL tinha os jogos do dia com tabela e outras informações.

  34. Vitor Hugo

    Na semana anterior a Roland Garros, o GOAT Federer estará em Genebra enquanto o bagre estará em Belgrado.
    O mundo estará c… e andando pra Belgrado! Kkkkk
    Todos os olhos na Suíça!

    1. Paulo Almeida

      Freguês, primeiro que o 50tinha de Gengibre será na semana que vem e o de Belgrado daqui a duas semanas e segundo que quase ninguém verá o sparrão do GOAT ser eliminado por um who qualquer. Só eu mesmo que vou zoar!

      1. Barocos

        Paulo,

        Uma coisa não se pode negar: você tem uma criatividade fenomenal. Você, por um acaso não é publicitário ou designer, é?

        Saúde e paz!

        1. Paulo Almeida

          Gostou do “Gengibre”, Barocos? Kkkkkkk

          Já dei alguns indícios da minha área quando falei de distribuição normal, integral, elipsoide, carreira do Djokovic como função de várias variáveis etc etc.

          Abs!

          1. Barocos

            Paulo,

            Até aí poderia ser qualquer uma das áreas exatas: física, matemática, engenharias e por aí vai. Mas se você começar a falar em:
            – P x NP;
            – Hipótese de Riemann;
            – Prova de existência e suavidade das equações de Navier-Stokes;
            – Hipótese do Continuum;
            e por aí vai, aí vou ter certeza que és matemático.

            Saúde e paz.

          2. Paulo Almeida

            Sim, são temas de disciplinas do ciclo básico de algum curso de Exatas…

            Vamos deixar o ciclo profissional para outra oportunidade!

            Abs.

    2. Rodrigo S. Cruz

      E será que Belgrado terá a mesma chave FECAL do ATP da Sérvia?

      Ou será que o Karatsev vai poupar o Novak de outra peia e seguir direto para Roland Garros?

      rs rs

  35. Manu

    Hoje vi o mussetti pela primeira vez, apesar de seguir o que todos falam aqui sobre ele.
    Além de jogar muito bem, ele é muito gato!!

  36. Hudson Santos

    Esse RG de 2021 vai ser quente. Várias coisas em jogo. Nadal tentando quebrar recorde, Nole correndo atrás e next gen chegou de vez. E assim será Wimbledon também com o maestro de volta. Concorda mestre Dalcim ?

    1. José Nilton Dalcim

      Ah, concordo! Minha expectativa para este Roland Garros é muito grande. Emoções à vista, quem sabe toda rodada.

  37. Cleo Lima

    Nadal: *vence um 500*
    Dalcim: O rei está de volta e mostra quem manda no saibro
    Qualquer tenista: *vence Monte Carlo/Madrid*
    Dalcim: O rei não está jogando tudo que sabe, mas na próxima semana Rafa deve vencer tudo com o pé nas costas

  38. Gustavo Moreira

    Dalcim,

    O Zverev não é um pouco desvalorizado? Ele esta no top 10 há uns 3 anos, já ganhou o finals e acredito que tirando o big 4 é quem tem mais títulos de masters.
    Ele não seria um dos candidatos a ser o numero 1 nos próximos anos? Vejo ele a frente dos outros membros da nextgen.

    1. José Nilton Dalcim

      Curiosamente, foi a pergunta que fiz hoje ao Marcelo Melo no Podcast, Gustavo. Depois dê uma ouvida. Concordo com você. O fato de Zverev ter demorado para ter bons resultados em Slam fizeram com que houvesse muitas críticas sobre ele. Também tem a questão da postura, por vezes pouco profissional. Mas é um tremendo jogador, com vitórias de grande qualidade em todos os pisos, e acho que ele concorre sim a ser número 1 (aliás, também perguntei isso ao Melo rsrs). Para ouvir o Podcast: https://tenisbrasil.uol.com.br/noticias/85757/Podcast-Melo-analisa-Zverev-e-sonha-com-Toquio/

      1. Thiago Silva

        O Zé parece um bom rapaz, mas não tem absolutamente nenhum carisma, difícil torcer por ele, espero que o Thiem seja número 1 antes, mas acho que ele já nem tem mais essa ambição.

  39. Bartolomeu

    Um dado interessante e que mostra que a renovação, apesar de lenta, avança ano a ano:

    2021 é o primeiro ano, desde 2003, em que os integrantes do BIG 3 passam em branco nos três primeiros masters da temporada.

  40. Luiz Fernando

    Sinner vai enfrentar Rafa, q num momento de normalidade venceria sem grandes emoções mas na atualidade tudo aponta p grandes emoções. Grandes emoções também acompanharão Medvedev q encara Karatsev, aí vejo uma boa chance de eliminação. Djoko encara Fritz, não creio em surpresas…

    1. Rodrigo S. Cruz

      (rs)

      Bem lembrado, Vitor!

      O Djokovic será GOAT só no dia que a Casa da Moeda fabricar notas de 3 reais…

      Ser humilhado por esse Evans que nem especialista no saibro é.

  41. Roberto Rocha

    Claramente Nadal precisará jogar tênis e não algo com um tacape que nunca permite controlar a direção da bolinha, que nunca passa do quadradinho do saque…
    Uma coisa é certa: se o espanhol deseja mais um triunfo em Roland Garros, precisa de saque eficiente e profundidade nos golpes. Se recordarmos a final do ano passado, vamos lembrar que Djokovic só conseguiu quebra no terceiro set e que o espanhol dominou na troca de direções e aplicando golpes com boa profundidade. Ahhhh! E tentando ser agressivo sempre que possível!

  42. Luis Nogueira

    Sou torcedor fanático de Roger, mas admito que Novak e Nadal são muito superiores ao suíço. Novak adora bater no suíço nos torneios mais importantes do tênis.

    1. Ronildo

      Djokovic tem se mostrado superior nos últimos jogos, menos no penúltimo. A diferença no confronto direto entre eles é pouca.

      Contra Nadal, Federer se mostrou superior nos últimos jogos, menos no saibro.

      Talvez tenha acontecido alguma coisa com você amigo.

    2. Sérgio Ribeiro

      Muito superiores ?. Jura que és torcedor fanático L . N . ? . Até o mais fanático dos outros dois não diria uma babaquice desta . Na boa , aparecestes em lugar errado rsrsrs. Abs!

  43. JAN DIAS

    RUBLEV ?? segue treinando forte e agora em Roma vai continuar jogando duplas c/ KACHANOV (além das simples).
    Mas espero que em RG ele foque só nas simples pois o desgaste seria grande demais…

  44. Paulo F.

    Até o Zverev foi campeão em Roma em 2017 e em Madri em 2018.
    Mas nãããooo, o segundo melhor saibrista do período é Dominic Thiem.
    kkkkkkkk

  45. Carlos Augusto

    Eu acredito que finalmente a troca de guarda começou. Isso não significa que daqui pra frente os favoritos dos torneios serão Tsitsipas, Zverev, Medvedev, etc. Não, ainda é o começo. Especialmente Djokovic e Nadal ainda são os principais favoritos a qualquer torneio importante, mas acho que daqui pra frente eles passarão a dividir muito mais os títulos dos grandes torneios com nomes da nova geração. O amplo domínio parece que acabou. Os “meninos” finalmente entenderam que dá pra ganhar dos gigantes. O que não vai dar pra nenhum deles é repetir os feitos do big 3. Isso ainda fica para algum nome que ainda não conhecemos.

  46. EDVAL CARDOSO

    Bah!! Que azar do Medvedev, vai pegar o compatriota embalado logo de cara, chances de nem passar da estréia.

  47. Sandro

    O MASTETS de ROMA é o torneio em que eu me amarro em assistir. É muito lindo o local, principalmente o Estádio de Mármore. O Masters de Roma e Roland Garros são os meus torneios prediletos no circuito.

  48. Gustavo M.

    Dalcim,

    O domínio de Rafa e Nole é ainda maior: venceram 14 das últimas 16 edições.

    Abraço!

  49. Sérgio Ribeiro

    E Nelson Piquet continua aprontando das suas . Primeiro crava que Versttapen é superior a Lewis por ser muito mais arrojado. Exatamente o que o recalcado mais criticava em Senna . Chegou a chamar Ayrton de motorista de táxi . O Coroa esquece que bateu Mansel que era mais arrojado do que ele … Ex -Piloto , Ex-Tenista , a maioria somente fala m**da . Hamilton reúne as qualidades de todos eles até mesmo na chuva . Na penúltima venceu dando ré pra voltar a pista … Depois sobe no palanque do Capitão Cloroquina ,ambos sem máscara, e falando da surrada Globolixo ( invenção petista ), para êxtase do psicopata . Um desrespeito ao trabalho de mais de 40 anos de Galvão, Reginaldo Leme com o reforço posterior de Burtti e a excelente Mariana Becker . O maluco nem sabe que o “ tema da vitória “ foi feito para ele . Ninguém tem culpa se Ayton Senna o fez tocar muito mais kkkkkkk . Abs!

    1. Sérgio Ribeiro

      Correção: Na volta de Imola ao calendário, fizeram uma homenagem espetacular pra Senna envolvendo Lewis. Por incrível coincidência o Inglês bateu no muro e em vez de bater no cinto engatou uma ré . Voltou em oitavo e chegou em SEGUNDO… Abs!

    2. JAN DIAS

      Piquet foi um bom piloto, mas infelizmente é recalcado mesmo.. provavelmente porque gostaria de ter ganho + títulos…

    3. José Eduardo Pessanha

      Olha, de uma coisa eu tenho certeza: Senna e Piquet eram muito melhores do que o Hamilton. Se colocasse o Hamilton na Fórmula 1 dos Anos 80, a criança desmaiaria de pavor diante dos monstros que ali existiam (Senna, Piquet, Mansell, Prost). Hamilton é superesTHIEMado demais, é praticamente um jogador de Playstation. Abraços e saudações rubro-negras.

      1. José Nilton Dalcim

        Vamos discordar desta vez imensamente, Pessanha. Hamilton é espetacular. Pode-se discutir se mais ou menos que Senna, Piquet ou Schumacher. Mas não mais do que isso.

        1. Sérgio Ribeiro

          Obrigado pela resposta , Dalcim . Assim me evita discutir com o conterrâneo em quem eu confio muito nas previsões…rs . Ele somente esquece o que Alonso estava aprontando pra cima de Schumi , quando o jovem Inglês surgiu pra acabar com a festa dos dois. Mas deixa quieto pois o cara vai colocar TRÊS dígitos também em número vitórias . O de Poles já possui rs . Abs!

      2. Marcelo Costa

        Piquet o maior piloto do país, um dos piores seres humanos , Hamilton o maior de todos disparado, seguido por Schumacher e fangio.
        Nosso ufanismo não pode deixar de reconhecer o talento do britânico, que é diferente de Piquet um baita ser humano.

      3. Jose Yoh

        Assim como no tênis, épocas diferentes exigem habilidades diferentes.
        Atualmente pode parecer um playstation, mas a quantidade de botões no volante já dá uma ideia das habilidades que um piloto precisa.

        Penso que a genialidade aparece quando alguém consegue se adaptar às condições existentes e vencer em situações muito diferentes. Por isso admiro muito Piquet (embora seja “um poeta calado”) e Niki Lauda, que ganharam campeonatos em eras diferentes. E também Federer que chegou até a trocar de raquete.

        Mas acho que “Nunca saberemos” sempre é a resposta mais sábia.

  50. João ando

    Não tenho acompanhado o circuito. Mas acho o Nadal favorito para rg. E Roma está aberto .jogos de três sets e diferente de jogo de cinco sets.no feminino sinceramente não sei o que pode dar em Roma e rg.

  51. Gildokson

    Dalcim, eu sei que hoje temos a internet, redes sociais, mais câmeras e programas e tal… mas te pergunto. Quem você acha que contribuiu mais para aumentar a popularidade do esporte tênis? Federer/Nadal ou Borg? Ou só o suíço?
    Sei que é difícil medir isso sem poder descontar o impacto da internet.

    1. Marcilio Aguiar

      Prezado Gildokson, a pergunta não foi para mim e não tenho o gabarito do Dalcim para entrar nesse assunto. Peço licença para dar a minha visão como um amante do tênis. Nos meados do anos 1970, muito mais que hoje, era um esporte da elite. Até então eu não tinha a menor ideia da sua existência, um pouco por não ter acesso a clubes e outro tanto por falta de divulgação na mídia, que só falava em futebol, basquete, boxe, um ou outro esporte por ocasião dos Jogos olímpicos e, pasmem, Xadrez por conta do memorável “match” Fischer vs. Spassky ( a guerra fria em um tabuleiro).

      Ente 1974 e 1976 houve etapas do torneio WCT em São Paulo, no ibirapuera. Na ocasião a imprensa deu certa divulgação aos eventos através dos jornais (eu era leitor assíduo do Jornal da Tarde) e flashes na TV. Não me lembro se tinha algum jogo transmitido, mas graça a essa pequena divulgação eu tomei conhecimento do esporte devido a narrativa da trajetória de um certo jovem sueco de 19 anos, no meio de nomes consagrados como Laver, Emerson, Ashe etc. (que eu também não conhecia). Aquilo me atraiu tanto que passei a consumir todas as noticias e acompanhar os jogos dos grandes torneios que passavam na TV. Não faltavam nomes de destaque no circuito como Connors, Villas, Natase, Ashe, os Autstralianos, etc, mas tenho certeza que foram os feitos do sueco que me “fizeram a cabeça”. Ou seja, a exposição não se compara a nada que se tem hoje, mas acho que o impacto que Borg causava na época não deixa nada a desejar para o que o Big 3 faz hoje. A favor do trio pesa também a duração do domínio que é o triplo da “era Borg. Abc.

      1. Gildokson

        Muito obrigado Marcilio, era exatamente esse tipo de relato que estava procurando. Realmente ja li outros comentaristas aqui relatando algo parecido sobre como Borg despertou o interesses deles no tênis. Muito legal mesmo.
        Abs!!!

    2. DANILO AFONSO

      Gildokson, já li aqui no blog o Dalcim e fora daqui outros especialistas afirmando que Federer e Nadal popularizaram o esporte para outro patamar, e isso não tem como negar. Mas creio que se tivéssemos a mesma disponibilidade tecnológica atual nos anos 70, 80 e 90, a popularização do esporte ocorreria da mesma forma. A disponibilidade e massificação da internet e tv fechada foram fatores primordiais para alavancagem do esporte. A internet foi importante para o tênis não apenas pelas redes sociais como também pela cobertura jornalística convencional, portais de tênis, fóruns, blogs etc.

      Eu nos últimos meses estou vendo documentários e lendo sobre os ídolos do passado, e fico imaginando como teria sido a cobertura dos tenistas e rivalidades do passado com todo aparato tecnológico que vivenciamos atualmente. Eram tenistas de personalidade muito diferente. Borg, Mcenroe e Connors seriam mais populares do que foram.

      Os ídolos do passado também teriam alcançado outro status. Já pensou como seria a repercussão das rivalidades Sampras x Agassi, Navratilova x Evert, Borg x Mcenroe, Graf x Navratilova, Connors x Mcenroe, Becker x Edberg, Lendl x Mcenroe, Lendl x Edberg e outras rivalidades no masculino e feminino com tudo que a tecnologia nos disponibiliza hoje?

      A audiência e repercussão das lendárias finais entre Mcenroe x Borg no US Open (1980) e Wimbledon (1980) teriam um alcance e engajamento absurdo.

      Enfim, acredito que a popularidade do esporte nos últimos 20 anos se deu mais pela “proximidade” da modalidade pela tecnologia disponível do que propriamente em virtude de determinado tenista ou rivalidade.

      1. Gildokson

        É eu pensei muito sobre isso também Danilo, e a minha pergunta ao Dalcim se deu pelo fato de que muitos aqui no espaço vem se mostrando preocupados com o interesse pelo tênis após o fim do Big 3, e muito difícil saber se com esse mesmo nível de exposição das mídias, outros jogadores conseguirão ser tão populares quanto e manter o mesmo interesse do público pelos torneios como as 3 lendas conseguem.

    3. Jose Yoh

      Acho que os ídolos ajudam, mas o que realmente faz um esporte ficar popular ou não é sua cobertura nas mídias.
      Se “You cannot be serious” já era um meme na década de 80, imagine hoje em dia…

  52. rafael

    Concordo mestre. Roma será interessante e uma melhor referência. Eu comentei dias atrás que a ferrota do Nole em Belgrado faria bem a ele e digo o mesmo do Nadal agora em Madri. Eu ainda vejo os 2 como favoritos para RG. Concorda Mestre? Abraço e seu blog é imperdível.

  53. Paulo Almeida

    Zverev e Medvedev continuam mais jogadores do que o Tsitsipas, o que é confirmado por seus títulos e campanhas.

    O GOAT Djokovic chega às 320 semanas lutando pelo hexa em Roma, enquanto Fregueser, varrido com facilidade em 2015, será eterno donzelo do certame.

    1. Ronildo

      Uéééé Paulo Dois Pesos e Duas Medidas, não são baseados nestes critérios que você adotou para comparar Zverev e Tsitsipas que afirmamos que Federer é maior que Djokovic? Coisa que você contesta a anos?

      1. Paulo Almeida

        Maior em quê? É inferior em Big Titles, semanas como número 1, year-end, leva pau no h2h dos arquirrivais e tem míseros 4 Slams e 10 Masters 1000 na era forte do tênis.

        Próximo!

        1. Ronildo

          Tu é louco cara! Os Big Títulos são os slans. E Djokovic perde para Federer e Nadal. E Federer tem 103 títulos ATP. Nem sei se Djokovic chegou aos 70. Faz duas semanas você viu como é difícil conquistar um ATP 250 né?

          1. Paulo Almeida

            Bicho, você que não sabe quais são os Big Titles e que o Djokovic tem 82 títulos de simples + ATP Cup e eu que sou louco? Rsrsrs.

            Vamos lá, aprenda comigo:

            Djokovic 60 > Nadal 56 > Federer 54 em Big Titles.

            Abs.

    2. Rodrigo

      Para elogiar o sérvio é preciso desmerecer o suíco. Já sei, você tem grande admiração pelo Federer, mas se culpa por sentir isso. Tudo bem!

        1. Carlos Reis

          kkkkkk Jamais, ELES vão mudar a fórmula das vacinas?

          Vacinas podem ter: Mercúrio, Alumínio, Formol, Polissorbato 80, MRC-5(DNA de fetos humanos), SV40 virus, Conservantes, Antibióticos, etc, etc.

          Estudos falam sobre a crescente preocupação que liga as imunizações ao enorme aumento nas últimas décadas de doenças autoimunes como artrite reumatóide, esclerose múltipla, lúpus eritematoso, linfoma, leucemia, neurite óptica desmielinizante auto-imune, diabetes mellitus, entre outras; e deixa claro que a criação de anticorpos não é a única reação causada pela introdução de vírus inoculados e outras substâncias no organismo humano.

          Quem tem idade avançada hoje não tomou ou tomou pouquíssimas vacinas, as novas gerações, multi vacinadas terão sua expectativa de vida muito diminuída por causa das maravilhosas que vocês tanto defendem, não sou Eu quem está dizendo, são especialistas em saúde que não são vendidos a BigPharma.

          APENAS LEIAM AS BULAS ORIGINAIS DAS VACINAS… já basta para ficar BEM assustado.

          1. Maurício Luís *

            ” …não sou Eu quem está dizendo, são especialistas em saúde que não são vendidos a BigPharma.” – Além de não dar nome aos bois, citando genericamente, bate na tecla de que vacinas são veneno. Ainda bem que negacionistas como você estão perdendo a batalha. Depois de iniciada a vacinação, a internação de idosos em UTIs caiu drasticamente. Há filas de espera para vacinar, tanto é que estão tendo que escalonar por idade.
            Mas no seu conceito, parece que o certo é os idosos, médicos e enfermeiros ficarem de braços cruzados esperando serem contaminados. Ou então tomando cloroquina e injeção de ozônio no… bom… deixa pra lá.

          2. Maurício Luís *

            Em tempo: ” … as novas gerações, multi vacinadas terão sua expectativa de vida muito diminuída por causa das maravilhosas que vocês tanto defendem…”
            Puxa, Sr. Carlos, não sabia que o senhor era vidente. Quanto custa a consulta?

          3. Carlos Reis

            Eu estava falando das va$$inas “normais”, essas p/ Covid são ainda piores.

            Fontes? Já citei um LIVRO com 400 artigos científicos resumidos. Anota aí: “Critical Vaccine Studies: 400 Important Scientific Papers Summarized for Parents and Researchers”

          4. Maurício Luís *

            Varíola erradicada do mundo. Poliomielite erradicada das Américas. Se as autoridades fossem por este livro que o senhor citou, na data de hoje estaríamos com um exército de paraplégicos por causa da polio e outro exército de deformados por causa da varíola.
            Portanto, repito que felizmente o movimento anti-vacina está perdendo credibilidade. A tendência é ficarem falando sozinhos. Desejo boa sorte a quem seguir esse seu querido livro e seus conselhos pra lá de polêmicos. Vão precisar de MUITA SORTE mesmo.
            E falo isso de forma sincera, não desejo o mal a ninguém. Eu os vejo como pessoas até que bem intencionadas, porém miseravelmente equivocadas. Só de acreditar que a Terra é plana é digno de pena.

    3. Paulo F.

      Assim como em Monte Carlo.
      “Grande” GOAT que sequer sabe o que é taça em MC e Roma.
      E que teve que contar com o Söderling para fazer o serviço “sujo” em 2009.

        1. Carlos Reis

          Eu assisti a partida em 2009, Nadal correu muito, se “machuacado” ele corria daquele jeito, imagina 100%. Sobre Roma e MC é realmente lamentável que O CRAQUE do Tênis não tenha esses títulos, em 2006 escapou pelos dedos, tinha 5-3 no desempate do 5.set, perdeu 4 pontos seguidos e a partida. Em MC perdeu algumas finais, inclusive uma para o Wawrinka.

          1. Paulo Almeida

            Duas semanas antes em Roma tinha metido 6-1 6-0 no bagre sueco. Jogou no sacrifício, claramente abaixo e só por isso perdeu.

            Não adianta chorar: todos os Masters e pelo menos duas vezes cada somente o CRAQUE ABSOLUTO Djokovic tem.

  54. Luiz Henrique

    Na verdade o correto são 14 das últimas 16 edições vencidas por Rafa e Nole. Se já tiver corrigido pode desconsiderar, abraço

  55. Robson Couto

    Acredito que a derrota de Nadal em Madri se atribui mais ao feito da velocidade da quadra, a qual favorece grandes sacadores, do que a uma final de supremacia no saibro. Já Djokovic me pareceu muito mais fragilizado nesse piso com as derrotas para Evans e Karatsev. Aliás, se observarmos ele nos últimos anos está tendo menos êxito em pisos mais lentos. Nos últimos Indian Wells e Miami que participou pontuou pouco mesmo sendo em Hard e em Monte Carlo também não consegue imprimir um bom jogo. Dalcim, será que a idade começou a cobrar o preço ou você não enxerga essa perda de eficiência em pisos lentos?

    1. José Nilton Dalcim

      Bom, ele fez final de Roland Garros no ano passado, o que não é sinal de fragilidade, apesar do resultado contra o Nadal E acho que continua se movimentando muito bem, com enorme capacidade defensiva. O que na verdade me incomodou mais nele nessas atuações foi justamente o excesso de padrão defensivo, Robson.

  56. Paulo F.

    O Dalcim postou no texto que, das 15 últimas edições de Roma, 13 foram conquistas por Rafa ou por Nole.
    Como assim, se o Vitor Hugo nos garante de que é o Dominic Thiem o segundo melhor saibrista dos últimos tempos depois do Nadal?

  57. DANILO AFONSO

    Este Master 1000 de Roma será muito competitivo. Creio que nunca tivemos tantos postulantes ao título como neste ano.

    Seria muito interessante se o FEDERER e o STAN também tivessem inscritos e embalados. Melhor ainda se o Murray e o Del Potro estivessem também participando. É querer demais…kkk

  58. Paulo F.

    Vamos para Roma, será que finalmente o segundo melhor saibrista da era Nadal, segundo o Vitor Hugo, finalmente conquista UM misero título importante no saibro?

    1. Luiz Henrique

      Falando nisso, do Vitor Hugo, usando o mesmo argumento que usou pro Thiem, deveria reconhecer que Nadal nos últimos tempos é o 3 melhor “grameiro”. Os pontos das 2 semis de Wimbledon são 720 cada uma, é bem mais que os pontos dos atpzinho 250. Então nadal n apenas é o terceiro melhor grafistas dos ultimos 17 anos (melhor que Murray inclusive, 5 finais e 3×0 no h2h), tb é o 3 melhor gramista de 2018 pra cá

      1. Paulo F.

        Exatamente, vamos ser coerente, né?
        Somando os pontos de Nadal em quartas, semis e finais de Wimbledon, o bicampeão Nadal dá um banho no bicampeão Murray.
        Assim sendo, segundo o argumento do judoca do blog do Dalcin, Rafael Nadal é o terceiro melhor grameiro dos últimos tempos.

      2. Vitor Hugo

        A diferença é que, Nadal não ganhou nem de Federer nem de Novak – melhores gramistas – nos últimos anos.
        Já Dominic ganhou tanto de Nadal quanto de Novak no saibro.
        Nadal pode até ter sido o terceiro melhor na grama, mas não tem qualquer chance no piso tanto contra Federer quando Novak.

        E coloco Murray acima do espanhol na grama. É mais jogador, tem dois títulos e três finais e ainda ganhou a final olímpica, na grama, em melhor de 5 sets, de Federer.

        1. Luiz Henrique

          Thiem ganhou dos 2 pq teve mais torneios né amigo? Se tivesse 3 masters 1000 na grama haveriam mais oportunidades de vencer Federer e Djoko na grama. E outra, se depois do jogaço entre Djoko e Nadal em 2018 vc acha que Nadal n tem capacidade para derrotar Djoko na grama, então Federer tb n tem. Mas é óbvio que na verdade dizer isso de ambos trata-se de piada. 10/8 no 5 set e 13/12 no 5 set. Um pouco diferente de RG onde Rafa não perdeu sets para os 2 grandes em 2019/2020. Esse jogo de 2018, até os haters de Nadal aqui no blog ficaram impressionados com Nadal, todos elogiaram ele ao invés de tirar sarro. Pode ler nos arquivos

        2. Luiz Henrique

          E outra, em 2019 quando Federer sacou pro jogo na semi Nadal teve break point, faltou a ele o oportunismo de Djokovic para quebrar ali. Se ficasse 5 a 5 a brincadeira ia longe ainda. Não teve um Dimitrov para matar ele na rodada anterior

        3. Luiz Henrique

          E sobre Murray estar acima de Nadal na grama com menos finais e 0x3 no H2h, então tb vou colocar Wawrinka acima de Federer no saibro. Ambos tem 1 RG, Federer tem mais finais, mas isso n conta (baseado no seu raciocínio). Federer ganhou RG contra Soderling, Stan contra Djokovic (e vencendo o próprio Federer antes, olha só!!). Murray ganhou olimpíada na grama, Nadal não. Mas Stan ganhou MC, Federer não (e em cima do próprio Federer!!). Olha q incrível, ambos tem 1 GS no piso (igual Nadal Murray na grama) Stan ganhou MC e Fed não (igual Murray na grama olímpica), mas Stan ainda ganhou as 2 coisas em cima do Federer, e Murray ao contrário não ganhou em cima do Nadal, na verdade foi vencido por Nadal todas as vezes. Em resumo: tá mais fácil defender Stan melhor q Federer no saibro do q Murray sobre Nadal na grama. Obs: não acho nenhuma das 2 coisas

        4. Luiz Henrique

          Complementando mais um pouco o que falei sobre Nadal/Murray na grama e Stan/Fed no saibro, por óbvio desconsiderei o h2h geral entre Fed e Stan no saibro pq ele tb desconsiderou o h2h entre Murray e Nadal na grama. É pra complementar mais ainda: Nadal com 32/33 anos disputou semis de WB, com chances reais de final em 2018, sendo q tb foi capaz de fazer isso com 20 anos. Já Murray fez a 1 semi em 2009 e última em 2016, só 7 anos de diferença. “Ah mas teve problemas físicos”. Sim teve. Nadal tb. Nadal sem problemas físicos n ia ter 5 finais lá não, teria 8 ou 9

        5. Rafael Azevedo

          Mas, em 2012, quando o Murray venceu a olimpíadas na grama, o Federer já tinha quase 31 anos e, portanto, estava longe do auge…kkkkk

          Ps.: Nadal venceu o Federer também em 5 sets em 2008, no auge (ou no finalzinho do auge) do suiço…

          Sempre destacamos uns fatos e ocultamos outros…kkk

  59. Sandra

    Dalcim , vc não acha que a pandemia dificultou muito o big 3 ? Quero dizer , eles estão nos últimos anos , e não estão tendo um calendário normal há quase dois anos, a garotada ainda tem tempo de ver a pandemia acabar e ainda vão muito tempo pela frente!

  60. Sérgio Ribeiro

    Falta apenas Roma pra chegarmos na previsão da Nova Geração chegar em TODAS as FINAIS de MASTERS 1000 até RG . Somente não previmos que não perderiam nenhuma rs . E também com MEDVEDEV fizeram FINAL no único SLAM disputado. Mas na medida que o peso da idade chega para o Big 3 , os MASTERS com jogos diários passaram a ser um parto. Mesmo antes das cirurgias Federer já sentia bastante. Mesmo com o espaçamento nos SLAM , cada vez complica mais embora o favoritismo permaneça com os Titios. E a maturidade parece finalmente ter chegado para Alexander Zverev . Já consegue vencer Sets mesmo jogando mal . Isso é coisa de grande jogadores e que ajuda muito nos SLAM. A conferir. Abs!

  61. Wilson Rocha

    Mestre Dalcim,
    Confesso que não entendi “Nadal vive altos e baixo sem ter achado sequer 70^ do seu jogo sobre o saibro”. A verdade é que a idade chegou; a nova geração está cada vez mais forte, Nadal já não tem a superioridade de antes, foram três torneios no saibro, ganhou um atp 500 no sufoco,. Fora do saibro, a chance de título, é mínima.

      1. Wilson Rocha

        “70%:do jogo no saibro”. A tendência é diminuir a cada ano e os novos começar a se desracar. Nadal é muito dependente do físico. Ganhou em Barcelona com imensa dificuldade. Em Monte Carlo no primeiro teste, perdeu para Rublev, em Madrid também no primeiro teste, perdeu para Zverev. Resta Roma e por último, RG, passada a temporada de saibro, a chance de título é muito pequena.

        1. Marcelo Costa

          Todo esportista hoje que entra em uma quadra de tênis, depende muito do físico, são longos pontos trocando bola de fundo, mudando posição, então está equivocada a ideia que só Nadal dependa do físico ele tem a luta por todo ponto como característica, ele não entrega o jogo, e isso o fez vencedor.
          Nos determinamos verdades como absolutas, e deixamos de ver a garra, a vontade de jogar cada bola, somos assim levianos,imediatistas e porque não soberbos.
          Usopen final de 2019 é a prova da alma versus físico, claro um dia o físico irá sucumbir, a alma nunca

          1. Luiz Henrique

            Marcelo, a cara de pau de falar que Nadal depende só do físico já ultrapassou todos os limites da insanidade há muito tempo.
            Já faz mais de 10 anos que Nadal ganha RG dominando a quadra com o forehand.
            Em 80% das semis ou finais de RG termina com mais winners.
            Sempre que perder alguém vai falar essa baboseira de que é pq o físico sei la oq
            Falaram em 2009
            Falaram em 2015
            5 anos depois de 2015 ganhou sem perder set
            2015 tava mal e perdeu, pronto. É do jogo. Não tinha nada a ver com físico.
            Próxima vez que perder vão falar essa baboseira pela milésima vez, aí depois o cara pode voltar e ganhar mais uns 3 anos seguidos.
            Aí um belo dia vai ter 42 anos, vai perder uns torneios, aí os gênios vão vir falar “olha dalcim, agora eu acho que o físico não dá mais, dependia muito do físico!!!!”, KKKKKKK

      2. juninho Fonseca

        Hahahahhahah……nem eu entendi oq ele então não entendeu se ele concordou com oq vc disse!!!!hahabaabba

    1. Luiz Henrique

      Q idade tb tinha chegado em 2014, vai lá ler nos arquivos, tava pior q agora. E 5 anos depois tava ganhando 2 GS no mesmo ano. Abraço

  62. José Alves Aragão

    Dalcim,o que vc acha da ATP promover premiações aos jornalistas que cobrem o circuito? Penso que o esporte se tornará pouco interessante quando o Big 3 se aposentar .Por isso, jornalistas como vc serão fundamentais para transformar em épicos jogos medianos como o de hoje. Vejo que sua escrita muito engrandece o esporte e sem ela o tênis fica pouco atraente com jogadores como Nick Kirgyos,Paire…

    1. José Nilton Dalcim

      O tênis irá sobreviver, José Alves, como já aconteceu com tantas outras grandes gerações que tiveram sua hora de se aposentar. E olha que muitos se aposentaram ou caíram de rendimento bem mais cedo. Claro que o carisma desse Big 4 é fora do comum, porém em termos de qualidade técnica eu enxergo muitos nomes na nova e novíssima geração. Abs!

      1. José Alves Aragão

        O tênis vai continuar,mas ficarei sem acompanhar quando eles pararem. De qualquer forma, me sinto mais apegado ao seu blog e ao Big 4 do que à renovação do tênis em si. Não vejo sentido em continuar acompanhando esse esporte quando o Blog do Tênis e Nadal/Federer/DJoko pararem seus trabalhos. Por isso falei antes que torço para que vc não se aposente tão cedo rsrs! Abs

        1. Rafael Azevedo

          Pois é…Até dá pra sobreviver à aposentadoria do Big 3, mas a aposentadoria do Blog do Tênis vai ser uma tragédia! hehehehe.

        2. Sérgio Ribeiro

          Na sei a sua idade , caríssimo Aragão. O que tu farias se BORG , Connors e Big Mac . Lendl , Edberg Becker. E Sampras , Agassi e GUGA se aposentassem. Largarias ??? . O Tênis está muito acima de quaisquer Tenistas . Podes crer rs . Abs!

    2. Paulo F.

      Tênis é um esporte secular e obviamente irá continuar.
      Evidentemente nunca houve uma era com tenistas tão espetaculares como essa e é óbvio que a aposentadoria do big-3 será muito mais sentida do que a aposentadoria de Laver, Borg, Connors, McEnroe, Sampras, Agssi e etc.

Comentários fechados.