O russo de aço
Por José Nilton Dalcim
24 de abril de 2021 às 20:59

Para provar que não é mesmo fogo de palha, o russo Aslan Karatsev aprontou mais uma neste sábado. E essa foi das grandes. Derrotar Novak Djokovic dentro de casa, num saibro bem lento, em duelo de 3h25 forrado de trocas de bola de tirar o fôlego, não é para qualquer um.

Ao observar a entrevista oficial de Nole, preciso discordar. Não acho que ele tenha jogado mal. Ao contrário, fez o adversário sofrer muito em dezenas de ralis em que o sérvio usou sua extraordinária capacidade de trocar direções de bola e de se defender com exímia qualidade. Diante desse paredão, Karatsev conseguiu duas coisas muito difíceis: paciência na pancadaria e agressividade na oportunidade certa. Arrancou algumas bolas de enorme dificuldade sob pressão e mostrou um preparo físico de fazer inveja até mesmo a Nole.

Para mim, a falha maior do número 1 do mundo foi jogar tão recuado da linha de base, algo aliás muito difícil de se ver. Devolveu saque ao melhor estilo Nadal, até cinco passos atrás da linha, e isso o colocou em posição exageradamente defensiva. Ou ele respeitou demais a força do russo, o que é compreensível, ou não estava se sentindo à vontade na leitura dos golpes, optando por ganhar tempo de reação. Qualquer que seja o motivo, Karatsev soube explorar isso e usou até mesmo swing-volleys de grande qualidade.

O resultado responde minhas dúvidas sobre como Karatsev reagiria no saibro, já que até então só pudemos ver o russo no seu melhor piso. Ele continua a tirar o melhor do estilo ofensivo e ousado, que faz a bola andar demais quando pega na subida, mas também provou que pode ser regular, aguardar oportunidades e aguentar firme na parte física e mental. Evitar 23 break-points quando Djokovic está do outro lado da quadra é uma façanha.

Quanto ao sérvio, é a segunda decepção em semanas consecutivas. Será que ele manterá a ideia de saltar Madri, que começa dentro de sete dias? Já começo a duvidar. Ainda que o saibro veloz da Caja Magica difira do circuito tradicional de terra batida, é um lugar que combina bem com suas várias aptidões e não seria nada mal arrancar uma boa campanha para amenizar os nervos.

Enquanto isso, Rafa Nadal fez sua melhor exibição da semana em Barcelona e estendeu a ‘freguesia’ que mantém sobre Pablo Carreño. Ainda teve direito a um susto, ao permitir perigosa reação do adversário no final do primeiro set, mas foi no geral uma postura muito superior às outras rodadas, principalmente pela forma com que entrou agressivo em quadra.

A final deste domingo contra Stefanos Tsitsipas promete, principalmente se o grego mantiver a confiança, a precisão e acima de tudo a tranquilidade com que venceu nove jogos seguidos sem perder set nesta largada da fase europeia do saibro. Contra Jannik Sinner, superou pressões na primeira metade do set inicial, mas o tempo todo exibiu um tênis muito vistoso e eficiente, tirando o máximo do saque e do forehand. Vale lembrar que Stef já derrotou Nadal duas vezes em oito confrontos, uma delas no saibro de Madri.


Comentários
  1. Carlos

    Djokovic sendo Djokovic! Se perde, é porque jogou mal. Se ganha é porque jogou bem! Nenhum mérito para os adversários. Triste esse sujeito!

  2. Luiz Fernando

    Primeiro vou falar do grego: jogou demais, esteve a ponto, ou melhor, a um ponto p ser mais exato, de ser campeão na Quadra Rafael Nadal, local q tem esse nome por alguma razão q nem é preciso citar. Além de ótimo BH de uma só mão, e com ele complicou Rafa em muitos momentos, está no auge (esse acho q está mesmo) físico, com ótima movimentação, e antes da postagem do Dalcim afirmo q ele me parece um forte candidato nos demais torneios da temporada de saibro, incluindo RG.

    Quanto a Rafa, reitero o postado abaixo, está bem aquém de sua melhor forma, mas está melhorando a cada partida, bem a tempo de estar cada vez melhor na segunda metade da temporada de saibro. Digo sem qualquer duvida q hj ele não queria ganhar, ele PRECISAVA ganhar, basta ver a comemoração jogando a raquete na bancada, algo q nunca fez, como q exorcizando seus demônios do momento. Esse título vale mais pela recuperação da confiança no físico e na possibilidade de vencer do q pela taça, q ele já tinha 11. Agora o serviço precisa de uma mudança de 180 graus, medíocre como pouca vezes observei nos anos q o acompanho.
    PS: procurei mas não achei os número total de winners de cada um, estou c receio q amanhã, se o grego teve mais, a ATP mude o resultado e proclame o grego vencedor do torneio…

    1. Sérgio Ribeiro

      E na hora de tirar um dez .,, como foi bom mesmo vou esquecer a frase final absolutamente sem propósito. Houve um empate técnico tanto nos Winners quanto nos ENFS. E realmente Rafa Nadal teve mesmo a tal lesão nas costas . Me lembro que Federer demorou bom tempo depois daquele fatídico 2013 . Seu serviço o deixava na mão até na Grama. Abs!

        1. Sérgio Ribeiro

          Leia direito , rapaz . O assunto é o mal momento do Espanhol no Serviço. Ele pulou Miami alegando problemas nas costas . E tudo leva a crer que teve mesmo assim como o Suíço é uma penca de Tenistas . Abs!

      1. Luiz Fernando

        Vou concordar c vc, foi sem propósito mesmo, mas foi também uma simples brincadeira séria, brincadeira pq é obvio q essa possibilidade inexiste, mas séria pq essa historia dos winners vs sets p definir o campeão de qualquer torneio merece gozações e mais gozações. Abs.

  3. Rodrigo

    Deve ser muito difícil jogar contra Nadal e Djokovic. Vejam: o sérvio perdeu mas ganhou. Seu jogo de devolver infinitamente acabou com as energias do russo que foi presa fácil para o italiano sem backhand. E Nadal? Esse sabe que alongar as partidas é sempre a melhor pedida. Por isso digo que ele não deve estar preocupado com Roland Garros. Na França são 5 sets e se a coisa apertar, devolve a 5 metros da linha de base e fica lá 5 horas.

    1. José Eduardo Pessanha

      Presa fácil caindo no tie break do terceiro set? Meu Deussssssssssssssssssssssssssssssssssssssss. kkk
      Abs

  4. Lucas Silva

    Dalcim,

    Sei que quem fala algo sério tem que provar, mas não estamos num tribunal. Desde que eu assisti ao documentário “Ícaro” na Netflix, não tenho confiança na lisura de dopagem dos atletas, sobretudo os russos eu diria. Me intriga o “surgimento” repentino do Karatsev somente com 27 anos…

  5. André Barcellos

    Djokovic não está mais no auge, óbvio.
    Entrou em seu melhor momento em 2011, que perdurou até 2015/16.
    A primeira coisa que vemos num tenista em decadência é a falta de consistência durante semanas consecutivas.
    Depois o tenista passa a oscilar dentro do mesmo torneio. Finalmente chegam ao ponto de oscilar muito dentro do mesmo jogo.
    O sérvio não joga bem todos os torneios há um tempo. Há uns bons 5 anos. Acredito que já chegou na fase de oscilar dentro do mesmo torneio.
    Entretanto, pelo físico incrível e pela falta de adversários à altura e igualmente consistentes nesse momento, ainda leva seus GS.
    Os únicos que engrossam pra ele são um velho suíço em Wimbledon, com idade pra lá da aposentadoria, e o alien do saibro em RG. No US e qualquer bom tenista em quadras duras pode surpreendê-lo.
    Nesse ponto, todo o big 3 teve seu auge entre 2006-2015.
    Sendo que o Federer está 6 anos atrás em ambos os pontos.
    Já está na fase em que oscila no mesmo jogo desde 2015, sendo que os torneios que ganhou foi “dando um jeito”, exceto Wimbledon 2017.
    Nadal não consegue jogar bem semanas consecutivas, e Djoko também já está assim.

    1. Jonas

      Djokovic ainda faz algumas partidas absurdas, memoráveis. A forma que ele venceu o Australian Open 21, como dominou o jovem Medvedev foi exemplar, jogou demais. Houve um jogo marcante contra o Zverev tb em que o sérvio foi muito bem, mas a oscilação que você citou de fato existe há algum tempo, e nem acho que seja física (ainda).

      Acredito que vai focar nos Grand Slams, onde ainda impõe respeito. Ele busca o recorde de Slams e, enquanto estiver bem fisicamente, vai atrás. Engraçado que mais um torcedor do Federer concorda que “Djokovic não está mais no auge, óbvio.” Rs.

      Por incrível que pareça, acho que o Big 3 é muito mais vulnerável em torneios melhor de três. Pareça que a garotada já não respeita tanto. Em melhor de 5 tem o fator mental, que ainda é um diferencial, acredito. É por isso que ainda vejo Federer com chances de vencer Wimbledon mais uma vez. Nadal ainda pode vencer Roland Garros, talvez uma ou duas vezes, e também é forte no US Open. Djokovic tem boas chances no AO, Wimbledon e Us Open. No saibro o sérvio não deve ser descartado, mas ainda não mostrou a que veio este ano e há um bom tempo.

  6. Rodrigo S. Cruz

    Como disse o Galvão Bueno na chegada do GP de Suzuka 91:

    “(…) Eu sabia. Eu sabia (…)”

    rs rs

    Impressionante como eu não erro uma!

    Desde Monte Carlo eu avisava – o Djokovic, ele não muda:

    “De minha parte, joguei em nível inferior hoje”, avaliou Djokovic. “Tive alguns flashes de um tênis de qualidade, lutei muito, o que é positivo. Busquei de todas as formas, o apoio do público era sensacional, a torcida me carregou e me levantou o tempo inteiro. Talvez por isso eu tenha vencido ainda o segundo set. Mas no terceiro, ele foi o melhor nos momentos decisivos”.

    “Somos rivais em quadra, mas não odeio ninguém. Não posso ficar contrariado se ele me vence, mas posso ficar chateado comigo pela forma que perdi”.

    Oiiiii ???

    E você imagina que alguém te odeia quando você ganha, Novak?

    Aliás, curioso você dizer isso, né.

    Se você não odeia o Karatsev por haver te vencido, então por que frisar uma coisa que já seria evidente?

    Eu hein!

    Mas é um homenzinho pobre de espírito esse, não?

    Acho que na cabeça dele, ninguém desse mundo tem o direito de ser melhor do que ele.

    Em Monte Carlo veio dizer que perdeu do Evans porque sentiu um “incômodo”.

    E agora perdeu porque jogou em nível baixo.

    É muito difícil admitir que o outro foi melhor, não é mesmo, Novak?

  7. Luiz Fernando

    Passado o momento da emoção, vem a razão. Rafa ainda esta abaixo do q pode render nesse piso, o q simplesmente significa q se for crescendo, o q é o esperado, chegará a RG com totais condições do titulo 21 e do tão sonhado recorde de GS. Sinceramente acho difícil o grego jogar melhor do o fez hj, mas Nadal com certeza pode. E claro, os gigantes e as lendas do esporte aparecem na adversidade, como hj, salvando MP. Vamos pra Madri…

  8. Jonas

    Falando sério agora, Nadal é uma aberração da natureza no saibro. Jogando abaixo do que pode, ainda venceu um dos melhores tenistas do ano, que vinha com uma boa sequência de vitórias.

    Detalhe: Nadal, 34 anos, carreira repleta de lesões, provavelmente está na fase final de sua carreira. Tsitsipas, 22 anos, garoto novo, um dos melhores tenistas de sua geração, cheio de confiança e ainda perdeu no tie-break do último set.

    O grego, inclusive, vai brigar pelo número 1 este ano. Está muito regular e ainda joga tudo que pode.

    Pelo que o Djoko falou ontem, vai mesmo focar mais nos Grand Slam. Tá mais do que certo, já quebrou o recorde de semanas do Federer, então não tem mais motivo pra continuar focando nisso. Mas bem que eu queria ver o sérvio chegar a 400 semanas, rs, quem sabe.

    1. Ronildo

      Tsitsipas vai brigar pelo número 1? Então imagina se os campeões dos torneios do ano passado tivessem que defender 100% os pontos!!!!!

      1. Jonas

        Não entendi seu comentário. Lógico que ele vai brigar pelo número 1, tá mais que certo, tem 22 anos. Ele tá jogando muito mesmo.

        “imagina se os campeões dos torneios do ano passado tivessem que defender 100% os pontos!!!!!”

        Puxa, cara, o Dalcim praticamente desenhou isso. Há um post no blog que detalha isso, vai lá conferir depois, se quiser. Abs.

        1. Ronildo

          Meu comentário é simples Jonas: os campeões dos torneios do ano passado precisam defender apenas 50% dos pontos.

          Antes da pandemia tinha que defender 100% os pontos, lembra?
          À partir de 2022 certamente o circuito voltará ao normal

          Então o que eu quis dizer é que este ano os líderes do ranking ganharam 50% dos pontos conquistados ano passado sem precisar jogar. Por exemplo, se esta regra tivesse em vigor quando Murray destronou Djokovic no ranking, Murray nunca seria número 1.

          Finalizando finalmente: nunca esteve tão difícil conquistar o número 1 da ATP e nunca esteve tão fácil manter o posto de número 1!

          Entendeu?

  9. Ruy Machado

    Que sofrimento!!! Depois de um Sábado tranquilo com mais uma taça do Mengão, o Nadal quase acaba com meu Domingo! O início do 1° Set deu impressão que o Grego iria atropelar, fazendo o espanhol provar de seu próprio veneno com bolas altas no fundo. Nadal conseguiu se impor e levou o Set improvável. No segundo, tudo para fechar de forma convincente, com dois MP e o saque voltou a deixar na mão.Errou bolas bobas e foi para o TB onde ele deve ter, nos dias atuais, o pior índice de conversão. Não é possível que o seu mental (só pode ser isso) esteja bloqueado nesse tipo de decisão. Eu me desanimei e acreditei que Tsitsipas fosse levar o troféu. Jogo duro, muitos erros dos dois lados e Nadal quase foi para o saco com erros de saque (sempre a p*@#a do saque!) Se livrou do MP, voltou para o jogo e passou sufoco para fechar! Pelo amor de Deus, haja coração depois de quase 4hs de tensão! Rsrsrs… 87° título, 18° ano consecutivo de títulos ganhos (acredito que ninguém tenha feito isso) e ganhou moral e confiança para os próximos torneios. Nadal está mais falível e errático como nunca vi, mais ainda é o Rei do saibro! Tsitsipas valorizou a vitória do Nadal, cara cresceu muito nos últimos tempos e merece ser credenciado como um dos favoritos em qualquer torneio que participe. Nadal precisa URGENTE melhorar esse saque… Bom Domingo a todos e Saudações rubro-negras!

  10. Periferia

    Hoje tirei o dia para ver a final de Barcelona.
    Joguinho mequetrefe.
    O terceiro set foi abaixo da crítica.
    Bola para alto que o jogo era de campeonato.
    Erros não forçados na hora H no dia D.
    Cada saque demorava quase um dia para jogar a bolinha para o alto.
    Parabéns para o Nadal…mas precisa melhorar a qualidade dos jogos (ultimamente….ganhando ou perdendo…os jogos sao ruins para quem assiste).

    1. José Eduardo Pessanha

      Também achei meia boca. O Djokovic e o Karabtchevsky jogaram num nível mais elevado ontem. Aliás, quem pegar esse marreteiro russo em RG vai penar.
      Abs

  11. Luiz Fernando

    Exatamente como em RG 2020, a melhor partida ficou reservada p a final, e Rafa mostra q ê um campeão com todas as letras maiúsculas. E olha q a prioridade é RG hein, sofram zumbis, torçam mais contra, acho q da sorte kkk. Antes q eu me esqueça: o grego, os russos e o Thiem são os grandes favoritos p RG kkkkk…

  12. Rodrigo S. Cruz

    O Touro mostrou de novo porque é o verdadeiro GOAT do saibro.

    Apesar de que o Tsitsipas tenha jogado, de igual para igual hoje, e o resultado pudesse ir pra qualquer lado.

    Mas o grego perdeu chances inacreditáveis, e jogou mal alguns pontos muito importantes.

    O Nadal também deu alguns bons vacilos que poderiam ter custado caro.

    Na verdade, esse jogo foi muito nervoso, e o lado mental acabou sendo decisivo.

  13. Paulo F.

    A covardia que estamos habituados a ver há 20 anos.
    Não adianta, o único rival decente que Rafa teve no saibro em sua.carreira foi o Nole.

  14. Chetnik

    No nível em que jogou, o Karatsev teria vencido todos aqueles GS “disputados” entre 2004/2007 kkkk. Era dos gênios super talentosos que apanhavam do Djoko-kid kkkk.

    1. José Eduardo Pessanha

      Pelo contrário, teria tomado vários pneus do Rogério só na base do slice. Esse blog é diversão garantida. kkk
      Abs

    2. Sérgio Ribeiro

      Tem certeza sabichão ? Teu macho alfa deve estar p**to ao assistir Berretini encher o Russo de Slices até o cara entregar. Embora o garoto dos ” bombardeios dos balcãs ” nessa altura já devia estar de volta a Mônaco onde segundo o próprio reside desde os 20 rs. Abs!

    1. Luiz Fernando

      Federer em Madri renderá mais, certo? Putz, esqueci, optou pelo magistral torneio de Genebra, tradicionalíssimo na temporada de saibro. Porque será? Pela clara possibilidade de ser eliminado na primeira rodada, só não vê isso quem for cego ou fanático, o q não é o seu caso Pessanha, mas por favor não poste besteira, o grego vem fazendo uma temporada de saibro espetacular, inclusive vencendo MC, algo q seu ídolo nunca conseguiu. Abs…

      1. José Eduardo Pessanha

        Olha, se você viu o tiroteio russo/sérvio nos Balcãs, ontem, deve ter ficado preocupado…. Os caras jogaram muito mais do que Nadal e Tsitsipas. Abs

      2. Sérgio Ribeiro

        Parece que não raciocinas quando postas estas babaquices. Vai jogar em casa em busca de ritmo e confiança. Como até Nadal falou hoje sobre Barcelona. E desde quando Madri é mais importante que Roland Garros ? Escolheu exatamente o melhor do Saibro. És mesmo o diversão garantida kkkkkkkkkkkkkkkk. Abs!

    2. Sérgio Ribeiro

      Jura ? Tás ficando velho e não vês mais nada rs. Larga esses apelidos de lado e veja o jogo de boa . Foi a melhor atuação de alguém com Back Simples contra o Rei em seu habitat ,em muitos anos. Abs!

      1. José Eduardo Pessanha

        Sérgio, sou um cara que gosta da zoeira, sempre vou colocar os apelidos nos tenistas. Alguns pegaram bem, como Cotonete e Maratenista, outros não tiveram o efeito desejado. kkk
        Abs

  15. Daniel C

    Bem, até o momento, o sérvio não me parece um dos favoritos para RG. Se conseguiu até perder num ATP 250 em casa, com chave de nível Challenger…. Mas isso não me espanta, o russo é bom jogador e tem mais potência que aquele que grita com boleiros.

    Estou com a sensação de que a maré de era virando e Nadal e Djokovic terão mais dificuldades esse ano. Só falta isso realmente acontecer nos Slams, e já passou da hora (pelo menos uns 5 anos). É claro que o Federer tb terá muitos problemas com a concorrência mais forte também, mas o Gênio suíço não tem mais nada a provar para a legião de fãs dele. Mas pelo fato do suíço ter um arsenal de golpes muito maior do que o maratenista sérvio, talvez ele consiga surpreender a garotada…. Vamos ver.

  16. Paulo F.

    Chegou o jogo do auge do tênis no auge do ano. Tsitsipas no auge, enfrenta na final (o jogo auge) o Nadal ainda no auge, no auge do sol de Barcelona, no auge da primavera da Europa. Provavelmente será a final auge do torneio na cidade auge da Catalunha.

    1. Jonas

      Nadal tá no auge mesmo. Nunca jogou neste nível antes, jamais, assim como Djokovic está jogando o melhor tênis de sua carreira, com sobras.

      Já Federer é exceção. O AUGE do suíço já passou há 20 anos. Todas as finais que ele chegou depois disso foram fruto do acaso, sorte, certamente.

      Federer, em Wimbledon 2019, perdeu para Djokovic, que também estava longe do AUGE, já que aprendemos com um especialista do blog que o sérvio vive seu auge só agora, em 2021. Abs.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Eu disse que o Djokovic permanece no auge, e não que o auge dele tenha começado agora em 2021.

        Não adianta você querer reescrever o que eu escrevi.

        Eu estou SEMPRE de olho…

      2. Luiz Fernando

        Dizer q qualquer um do Big3, dois dos quais próximos de 35 anos e o outro próximo de 40, está no auge só pode ser encarado como piada, infelizmente o RC está insistindo nissol, mas cada um posta o q quer…

    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, vai ser um desafio para ele, Sandra. Mas acredito que sim, porque o Berrettini gosta de um jogo mais acelerado.

  17. Pedro

    Se o Nadal jogar como esta jogando, sem variedade, errando backhand, trabalhando com segundo saque qs sempre, vai levar uma surra do tsitsipas. Vai ter que elevar muito o nivel pra ter alguma chance.

    1. Maurício de Souza Fonseca

      Nadal pode perder no saibro… já perdeu outraa vezes. Mas?”levar una surra” no saibro????

  18. Rodrigo

    Nadal não deve estar preocupado com Roland Garros. Lá se disputa maratona e poucos jogadores no circuito tem condições de ficar troncando bolinha com Nadal e com Djokovic.

    1. Luiz Fernando

      Chora fake, chora mais, o espetacular torneio de Genebra está chegando, p rivalizar c esse só o de Istambul kkkk. Aqui é diversão garantida kkkk…

  19. WILLIAM DE ALMEIDA

    Karatsev tem um perfil que pode vencer o Nadal no saibro, solta tijolada dos dois lados é rápido e na parte mental parece ser forte.

    1. Luiz Fernando

      Primeiro creio q ele deveria pensar em vencer o italiano, pensar em vencer o espanhol talvez seja um pouco, mas muito pouco mesmo, mais complicado. Aqui é diversão garantida kkkk…

  20. Paulo Almeida

    Esse 250tinha foi promovido a 250tão pelo alto nível de tênis apresentado pelo semifinalista do Australian Open e campeão de Dubai, surpreendendo o rei do tênis DjokoGOAT. Este, todavia, jogou fora muitos break points que normalmente não perde.

    O início da gira de saibro não está das melhores, mas ainda há tempo para ajustes até Rolanga.

    1. Gildokson

      Boa desculpa Paulo, e como sempre supervalorizando a “gloriosa” carreira do adversário do sérvio kkkkkkkkkkkkkkkkk
      Realmente o russo é um tenista de respeito, e esse 250 foi um baita torneiaço kkkkkkkkkkkkkkkk
      Mas tranquilo, ali em cima teve um companheiro seu que disse coisa pior kkkkkkkkkkkk

  21. Marcos Ribeiro

    Esse russo está jogando muito, e tem um controle emocional invejável.

    Muito interessante sua resposta no final do jogo à pergunta sobre o que ele estava pensando durante o jogo parelho contra o n1 do mundo:
    “NÃO ESTAVA PENSANDO EM NADA! Só estava tentando jogar o meu melhor.”

    É isso aí, Kara, ótimo método de controle dos nervos!

  22. Marcilio Aguiar

    Esse Russo é a “revelação do ano” ao 27 anos. Desejo que se mantenha assim na temporada pra termos mais um disputando os títulos para valer. Não assisti ao jogo todo, mas do que vi achei de ótimo nível e a vitória foi mérito do Karatsev.

    O Tsitsipas está muito bem e o teste de fogo será amanhã. Acho Nadal favorito, mas vou torcer para o grego. Dalcim, se ele vencer ja terá pedigree para ser considerado um dos favoritos a um Slam neste ano?

      1. Marcilio Aguiar

        Dalcim, obrigado pela resposta. Eu quis dizer que ele não é o maior favorito, que ainda será um dos 3 grandes em boas condições físicas, mas o grego estaria na pior das hipóteses igual ou mais que Medvedev, Thiem e Zverev caso vença o Nadal hoje e mantenha o nível ora alcançado.

  23. Luiz Henrique

    Acho que tá meio cedo pra zoar o Djoko
    Querendo ou não, é o campeão do AO desse ano
    Em 2010 Federer era o campeão do AO, nº 1 do mundo, e perdeu do Montanes em Estoril
    Na época disseram que não tinha importância
    Eu n to torcendo pro Djoko, ao contrário, mas tá muito cedo pra essa festa…kkk

    1. Luiz Henrique

      Mas admito que a zoeira é válida em razão da comparação que fizeram desse ATP com os GS que o Federer ganhou de 2004 a 2007…puts…kkkk

    2. Lott

      O Djokovik ,não jogou mau,o problema foi o russo Karasev, evitou 23 break point e jogou muito melhor principalmente nos momentos mais difíceis da partida, venceu o melhor,tecnicamente,fisicamente e mentalmente,tem tudo para até final do ano chegar ao top 10 aguardem?

    3. Jonas

      A zoeira sempre existe, assim como sempre vamos zoar o Federer por ele ser TRI-VICE pra o Djoko em Wimbledon e pato eterno do Nadal.

      Agora, concordo que seja meio cedo para aposentar o Big 3. Tem ótimos jogadores aí com certeza, mas precisam mostrar serviço em Grand Slam também.

      1. Paulo Almeida

        Tiram sarro até quando o Djoko perde jogo beneficente. Mal posso esperar pela iminente derrota no 250tinha de Genebra.

      2. Sérgio Ribeiro

        Até tu com essa estorinha de pato ?. Passou a copiar até fakes ? . Eu já percebi que sua memória não é grandes coisas , mas quem não perde do outro rival desde 2015 e tem supremacia em TODAS as superfícies exceto o Saibro , não pode ser pato. Terrível é a Kombi inteira com a falácia que Novak e’ o segundo nesta superfície e o cara perde de 1 x 7 em RG pra Nadal. E esse UM com o cara lesionado rsrsrs. Abs!

        1. Jonas

          Ele é freguês no geral, Sérgio, pelo conjunto da obra. Mas realmente já foi BEM pior. Até 2014 Federer era ridículo nas partidas contra Nadal, mas felizmente para ele houve uma amenizada. Venceu na rápida Basel em 2015 e encaixou umas 4 vitórias, salvo engano, em 2017. Abs.

  24. Rodrigo S. Cruz

    NOTA DE RETRATAÇÃO PÚBLICA

    A todas as noletes que frequentam esse blog:

    eis que venho com toda honestidade intelectual me retratar pelo imenso equívoco que cometi na pasta anterior.

    Vocês tinham razão, e eu estava errado!

    Realmente o Djokovic NÃO está no seu auge.

    O auge só será atingido quando ele chegar no mesmo nível do Bello.

    O que falta bem pouco, mas falta.

    Grato aí pela atenção!!!

    1. Jonas

      Brincadeiras à parte, é algo que você deveria fazer mesmo, pois foi uma afirmação bizarra, facilmente refutada. Abs.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Não, não foi.

        O meu post irrefutável e estou seguro disso.

        Se você quiser um autógrafo meu, procure um de meus assessores.

        Abs.

        1. Jonas

          Foi é? Então Novak está mesmo no auge e Nadal também, só Federer mesmo que é um aposentado há uns 10 anos, rs. Alguns fãs do suíço são bem engraçados…

  25. Rodrigo S. Cruz

    [Jonas]

    “Relaxa que essa breve resposta vai aqui mesmo, não vou abrir um colchete enorme e editar tua resposta, ok?”

    Sim, prezado. Então poste como você quiser, e me deixe postar como eu quero.

    E a propósito: não fique de mau humor por hoje.

    Ano que vem tem mais Future de Belgrado pro sérvio passar vexame…

    rs rs

    1. Paulo F.

      Belgrado é ATP 250.
      E aqui aprendemos com outro membro da seita alpina que ATP 250 vale mais do que M1000.
      Assim, Djokovic foi eliminado na semifinal de um torneio com mais valor do que um M1000.
      Então, nada demais.

      1. Rodrigo S. Cruz

        [Paulo F.]

        “Belgrado é ATP 250.
        Assim, Djokovic foi eliminado na semifinal de um torneio com mais valor do que um M1000.
        Então, nada demais”.

        Sim.

        Afinal ele sim é INCRITICÁVEL, né Paulinho?

        kkkkkkkk

    2. Jonas

      Rapaz, acho que você não leu as postagens anteriores, mas afirmei umas duas vezes ou mais q acho esse torneio irrelevante. Na verdade, não acho que os tops valorizam assim torneios menores. Este de Belgrado pode ser até uma exceção, pois Djokovic jogava em casa e certamente tinha ali um valor pessoal pra ele.

      Agora, você foi um dos que comparou a chave de Belgrado (ATP 250) com a de um Grand Slam, o que acho bizarro, mas, enfim, até que o Russo é ótimo jogador e era evidente que daria muito trabalho neste piso lento.

      Como não sou Federete e não curto muito esse negócio de usar desculpas eternas de “vencedor moral”, idade etc, diria que o Djoko não jogou tão mal, enquanto o Russo que foi muito bem. É um talento que surgiu agora, tem 27 anos. Este rapaz sim deve estar no auge. Abs.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Impressionante a naturalidade com que você distorce tudo… rs

        Você viu que o primeiro a comparar a chave de Belgrado com a de um Grand Slam foi o Chetnik.

        E o que eu fiz foi lembrr a ele que o Federer teve pela frente tenistas excelentes como Safin e Nalbandian.

        E tudo isso com uma dose de bom humor.

        E de fato você não é uma federete, é só uma nolete.

        Abs.

  26. Periferia

    Auge

    Vincent Van Gogh em seu último ano de vida realizou sua maior obra prima.
    Internado voluntariamente em um hospício numa pequena cidade (Sant-Remy).
    Havia decepado a própria orelha durante um surto psicótico.
    A noite…em seu quarto…vendo a paisagem pela janela…o artista pintou Noite Estrelada…seu quadro mais famoso (possivelmente o último de sua vida).
    O grande pintor atingiu o auge de sua arte no fim de sua vida (mesmo debilitado física e psicologicamente).
    Criou uma das maiores obras primas da humanidade.

    Gênios não tem auge.

    1. JAN DIAS

      Parabéns pelo texto inspirado! 👏🏻👏🏻
      “Noite estrelada” é uma das pinturas + lindas da história da Arte 🖼🎨 mas não foi a última realizada por Van Gogh.. O derradeiro suspiro desse artista magistral foi “Raízes de Árvore”… executada horas antes de ele morrer em 1890.
      Abraço,

    2. José Eduardo Pessanha

      Concordo, Perifa, mas de gênio o Djokovic não tem absolutamente nada. É um excelente jogador com um mental excepcional e um físico muito acima da média. Quem sabe o Genial (esse sim, e com G maiúsculo) Craque Suíço faça sua última e melhor obra em Wimbledon 2021?
      Abs

      1. Paulo Cesar Lage de Oliveira

        Você deve estar falando do Lleyton Hewitt ou quem sabe do David Ferrer, que foram excelentes jogadores, com físico e mental muito fortes. Não pode estar falando do sujeito que já detem quase todos os records do circuito, jogando na era FEDAL.

  27. Rodrigo S. Cruz

    kkkkkkkkk

    Mas não rola titulozinho nem de FUTURE mais, Novak?

    Pode dar as mãos pro Bello já, e cantarem juntos “We are the champions”

  28. Fernando Peixoto

    Rafa terá de jogar tudo que sabe para derrotar o grego, que tá jogando demais. Já o russo estava num dia inspirado diante de Djokovic. Se mantiver esse nível, Karatsev chegará rapidamente ao top 10. Amanhã deve ser campeão contra Berretini. Em Barcelona, tudo pode acontecer.

  29. Lucas

    Foda hein, o que é pior, pegar um grandslam chave nível challenger e vencer, ou pegar uma chave de 250tinha sem vergonha e…. perder kkkkkkkkkkkkkkkkk

  30. José Alves Aragão

    Concordo contigo ,é necessário discordar do Djoko. Por que não admitir que seu adversário tomou opções mais acertadas que as suas e vc perdeu para ele apesar de ter jogado bem? Ganhar 18 Slams deveria fazer o esportista crescer na humildade também.

  31. Rafael Azevedo

    Se o Djokovic está no auge ou não, eu não sei, mas, com certeza o Karatsev está.
    Se o Djokovic está no auge, então o auge do Karatsev é melhor do que o auge do sérvio??
    Só resenha… rsrs.

    E o grego, finalmente, está começando a fazer jus a toda a espectativa que foi criada em cima dele (acho que está no auge, tb…hehehe). Vamos ver se ele vai manter a consistência nesse alto nível. Acredito que sim…

    1. Jonas

      kkkkkkkk

      Alguns deveriam pensar um pouco antes de escrever certas coisas. Agora, realmente este Russo é uma pedreira. Tem 27 anos, costuma ser a idade certa para um tenista atingir o ápice.

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que é muito cedo para isso, Lucas, ainda mais com dois Masters pela frente. Ele pode perder tudo, mas de repente vence Nadal na final de Roma e aí…

  32. Fabio Riella Fernandes

    Fiquei impressionado com a frieza do russo contra o Nole. Atuação e vitória rara contra um monstro do tênis que é o Djoko. Que jogaço foi esse hein Dalcim?

  33. Antônio gabriel

    Dalcim, qual o problema do Busta com o Nadal, seria o famoso jogo que encaixa sempre pro Nadal ou simplesmente ele tem Medo ou respeita demais o compatriota? Já o Djoko me parece naqueles momentos de grande dúvida nos jogos, defensivo ao extremo em alguns momentos.

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que não encaixa mesmo, Antônio, ainda que a meu ver não haja um motivo técnico real para isso. Carreño tem backhand de duas mãos bom, joga perto da linha e corta o tempo com bolas na subida. Não saca mal.

  34. JAN DIAS

    Apesar do jogo ter sido longo e difícil, me surpreendi c/ o cansaço mental e físico do DJOKO no 3° set…
    Já o KARATSEV me surpreendeu pela frieza mental… autêntico homem de gelo..☃️

  35. Edson Mantovani

    Dalcim, caso o sérvio quebrasse o saque do russo naquele 5-4 e o jogo fosse para o tie break, muito provavelmente iria beirar as 4 horas de jogo, você acha que isso daria um favoritismo para o italiano em uma eventual final contra o sérvio?

  36. Vitor Hugo

    Deve ser duro assistir um jogo entre dois tenistas sem variação, jogo sonolento, sem habilidade.
    Dois bagres que correm correm e correm.

    Dois dos tenistas com jogo mais horroroso da história do esporte!

    Menos mal que o mais agressivo deles venceu.
    E o sérvio chorão e reclamao, não vence mais nem atpzinho nível challenger no barro.

    1. José Nilton Dalcim

      Desculpe, Vítor, mas você estava assistindo outro jogo. O nível técnico deste jogo foi muito bom. Mesmo se você olhar só para o russo, ainda verá que ele fez lances de qualidade excepcional.

  37. JAN DIAS

    NADAL foi presenteado c/ uma chave muito + fácil e só agora na final é que realmente terá um adversário de verdade…
    Além de querer o título, ele deve tá doido pra devolver pro TSIPAS a derrota que sofreu no AO desse ano…
    Tem tudo pra ser um jogaço!..🔥

  38. André Barcellos

    Um ATPzinho 250, em casa, feito sob medida pra o dono do torneio ganhar…
    Faltou combinar com o russo, evocando Garrincha.

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ITF não serve bem como parâmetro, José Cláudio. O estilo dele é claramente adaptado aos piso sintéticos, e de preferência não tão lentos. Mas ele já treinou em todos os cantos do planeta, de Halle a Minsk e Barcelona, sem falar em Israel. Como boa parte de sua formação foi com o Tursunov, me parece muito mais provável que ele tenha mesmo moldado o jogo para o sintético.

Comentários fechados.