O ranking muda de novo: certo ou errado?
Por José Nilton Dalcim
4 de março de 2021 às 21:57

Muita gente não entendeu exatamente o que vai acontecer com o ranking a partir de agora, E com razão. Mais uma série de mudanças, regulamentos e exceções para confundir algo que já nunca foi tão simples assim de se compreender. Vamos ver se consigo resumir o que acontecerá:

– A defesa de pontos continua não existindo até a semana do Masters de Toronto, ou seja, até o ranking do dia 16 de agosto. Só então, quando começa Cincinnati e virá a seguir o US Open, haverá o desconto total e absoluto em relação aos resultados de 2020.

– Isso cobre exatamente o período que o circuito ficou parado em 2020, ou seja, entre março e agosto. Por isso, a nova regra precisou estabelecer algumas exceções.

– A primeira é com relação aos torneios não disputados em 2020, ou seja, que ainda constam do ranking dos tenistas da temporada 2019. Esses pontos irão cair conforme a data de realização, mas o tenista poderá manter 50% do valor que somou em 2019. A menos, claro, que ele dispute esse evento e consiga um resultado superior.

Vamos pegar exemplo do vice de Miami. John Isner ainda tem os 600 pontos de 2019 no seu ranking. Ele prosseguirá pelo menos com 300 desses pontos (50%) até 2022, a menos que jogue agora em 2021 e faça campanha com mais pontos (semi, final ou título).

– A outra exceção é em relação aos torneios disputados em calendário diferente em 2020, casos de Kitzbuhel, Hamburgo, Roma e Roland Garros. Para esses torneios, valerá a mesma regra dos 50%, caso não disputem ou tenham desempenho pior em 2021. Mas a queda dos pontos acontecerá sempre na data que o torneio acontecer nesta temporada, ou seja, irão cair em maio, junho ou julho e não em setembro ou outubro, quando foram realizados no ano passado. Se o tenista estiver usando os pontos de 2019 nesses torneios, o valor será eliminado.

– Isso tudo quer dizer por fim que o ranking como era antes só estará finalmente re-estabelecido em 15 de agosto de 2022.

O que acontece com o Big 3
Roger Federer novamente é o maior beneficiado. A regra fará com que ele mantenha 300 pontos pelo vice de Indian Wells-2019 e 500 do título de Miami-2019, já que o Masters da Califórnia está fora do calendário no momento e o suíço já anunciou ausência em Miami. Ele ainda poderá contar no seu ranking com os 600 pontos do vice de Wimbledon-2019 e os 250 do título de Halle, que não aconteceram no ano passado, caso Federer não jogue ou tenha desempenho inferior.

Rafael Nadal também poderá manter 360 pontos referentes ao 50% da semi de Wimbledon-2019 e 1.000 pontos por Roland Garros-2020. E Novak Djokovic tem assegurado 1.500 dos títulos de Madri e de Wimbledon, 500 de Roma e 600 de Paris. Segundo cálculos, Djokovic está com o número 1 sem riscos até 26 de abril e portanto somará no mínimo 317 semanas na ponta da lista.

Impacto olímpico
A classificação olímpica não muda. A relação dos 56 participantes diretos em Tóquio será baseada no ranking do dia 7 de junho de 2021, ou seja, imediatamente após Roland Garros. Com a pequena chance de mudanças no topo da lista, é muito provável que os top 20 de hoje ganhem sem susto o passaporte para as Olimpíadas. Isso inclui Federer.

E a WTA?
A WTA tem seguido todas as inovações propostas pela ATP no ranking durante a paralisação do circuito e na retomada. No entanto, não se pronunciou sobre este novo formato até agora.

Mais medidas
A ATP ainda anunciou duas medidas para proteger o circuito. Vai tirar dinheiro do bônus de fim de ano, que por regra é distribuído entre os 12 melhores colocados do ranking, e engrossará a premiação dos ATP 250 em 80% e dos 500 em 50%. Com a ausência de público e saída de patrocinadores, os torneios têm diminuído drasticamente as premiação oferecidas. A ATP fez questão de frisar que essa atitude contou com o respaldo do Conselho dos Jogadores, particularmente de Federer e Nadal.

Ao mesmo tempo, a ATP dará ajuda de US$ 10 mil aos promotores para minimizar as despesas extras com hospedagem e protocolos de segurança contra a covid-19.

Certo ou errado?
Acredito que a ATP agiu novamente certo. Claro que um ranking congelado e pouco movimentado se torna pouco atraente tanto para o público como para os próprios jogadores. A ascensão e queda ficaram bem limitadas desde agosto, mas tempos especiais exigem medidas de exceção e a meu ver a ATP teve bom senso ao não obrigar os tenistas a viajarem durante a pandemia, disputarem torneios muito distantes ou em locais que não se sentissem confortáveis.

O descongelamento precisa mesmo ser gradual. Tantas regras novas irão dificultar o entendimento da oscilação do ranking e provavelmente ainda haverá mudanças muito lentas de posições, a menos que algum tenista faça resultado espetacular.

E isso está aberto a todos. Daniil Medvedev, por exemplo, perdeu já duas chances de chegar ao número 2 e isso não teve nada a ver com o sistema ou a pandemia.


Comentários
  1. Geailton

    É assustador ver alguns neste espaço (que imaginava ao menos ser entendidos) defender interferência do STF no executivo. Estas mentes pequenas não sabem o perigo que é isso e o precedente que se abra (pois qualquer arbitrariedade seria justificável).

  2. Chadwick Boseman

    Ronildo,

    Djokovic tem tantos problemas com a família… Até na casa que comprou não sei aonde, teve que reservar um espaço para os pais entrarem e saírem quando quisessem. Isso vivendo com sua mulher e filhos. Fora o irmão depressivo que é praticamente um filho pra ele.

    Por outro lado, o sacrifício que eles (principalmente o pai) fizeram para apostar tudo no filho não pode ser ignorado, pelo contrário, Djoko tem que ser (e é) muito grato aos seus pais.

    O pai de Djokovic é uma pessoa revoltada com o que ele considera não-reconhecimento apropriado ao filho? É, óbvio que é, todo mundo vê. Revotada e inconveniente, e o que ele fala em público não ajuda Djoko em nada.

    Mas vc realmente imagina que Djokovic se voltaria contra seu próprio PAI – e ainda publicamente, mesmo que fosse para dizer que não endossa o que ele fala?

    É isso que eu acho engraçado, de certa forma. As pessoas EXIGEM que Djokovic faça TUDO que elas ACHAM que ele deveria fazer, até ir contra o próprio PAI (ainda que fosse uma simples declaração pública), mas DEFENDEM o maestro acima de tudo e de todos (“Ele não tem obrigação” e por aí vai…)

    Ronildo, roupa suja se lava em casa. Como vc pode saber, usando o mesmo argumento que vc usou sobre o Federer (de que ele pode ter cumprimentado Djoko de forma privada) se Djoko já não cansou de pedir ao pai que maneire um pouco?

    É o que se chama de double standards. Para um, tudo é justificável. Para o outro, críticas por não ir contra o pai EM PÚBLICO…

    Muita injustiça, ao meu ver.

    Abs

    1. Chadwick Boseman

      PS: Djokovic não deve nada a ninguém (muito menos criar caso com sua família em público). Nem Federer. Nem Nadal. Cada um que siga seu caminho.

  3. Ruy Machado

    Boa tarde! Bom jogo do Federer. Consegui assistir metade final do 1°Set e quase todo o 2°Set. Alguns erros toscos do suíço, mas irrelevante para quem ficou mais de um ano fora do circuito. Pelo que assisti, ele foi muito bem. Vamos ver como se desenrola no resto do torneio. Excelente retorno, Roger! Que continue bem e com saúde!

  4. Rodrigo S. Cruz

    Bom, eu assisti a volta do Maestro hoje e vou pontuar algumas coisas.

    Acho que o Federer jogou pro gasto.

    Ou pelo menos, eu espero que assim tenha sido, já que o nível apresentado foi pra lá de modesto…

    Federer ainda está em condições de encarar um TOP 5.

    É sempre importante vencer, porém, melhor ainda é ter a segurança de sentir o físico em dia.

    O que quero dizer é que espero bem mais dele do que eu vi, e que ele consiga recobrar o seu melhor nível logo.

    Ele cometeu alguns erros bobos diante do Evans, inclusive alguns voleios fáceis.

    Além de certas escolhas de jogadas duvidosas…

    Mas o diagnóstico foi positivo, para começar a pegar ritmo.

    Não me espantaria se esse HUMILDE retorno do Maestro hoje, promova mais “hype” aqui no blog do que o novo recorde do “Ibope killer” sérvio…

    (rs)

    1. Rodrigo S. Cruz

      Só uma correção:

      o Federer ainda NÃO está em condições de encarar um Top 5.

      Precisa de muito mais ritmo, e mais confiança no corpo.

  5. José Eduardo Pessanha

    Rapaz, o Federer voltando de 14 meses parado fez mais jogadas geniais em um único jogo do que o Nadal e o Djokovic juntos em 5 temporadas inteiras. Diferença absurda de categoria, que os rivais compensam com o ultra competitivo Maratênis, que engloba correria interminável, jogo defensivo e muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuita milonga.
    Abs

    1. Luiz Fernando

      Meu caro, como eu sempre digo aqui, conta outra, foi ótima kkkk! Aqui é diversão garantida kkkk. Abs, não suma!!!

    2. Luis

      Dalcim e Eduardo Federer acho que ainda e’ maior nome do tênis sua volta faz bem danado rs muito bom,que fixa meio sem graça sem suíço,como disse Dalcim dificilmente deixará ser melhor da história não lembro jogador tênis bonito igual Suíço e ainda divide recorde Slam e poderá ser orgulhar ter sido 1 tenista conseguir 20,Viva semideus Suíço diz lógico kkkk Nadal e Djokovic são muito bons mas Federer tem uma magia

    3. Alessandro Siqueira

      Como dizem os americanos: “just one point”. Ponto bonito ou ponto feio vale exatamente o mesmo. E se Federer é mesmo o suprassumo da técnica, por que está perdendo as marcas mais significativas? Será negligência ou preguiça pura e simples?

      1. Sérgio Ribeiro

        Não tenho ideia da sua idade , mas negligência e preguiça com um cara retornando perto dos 40 , caro A, Siqueira ? . Desde que existe a Era Profissiona! os recordes ano após ano SEMPRE foram quebrados . Até mesmo Pete Sampras confidenciou que imaginava que seus 14 SLAM fossem inatingíveis após 34 anos do Profissionalismo. Sabemos que o Suíço além de quebrar TODOS os seus recordes ainda ampliou-os sem do’. Assim como Serena ainda tenta pulverizar vários. Conseguiu até mesmo atingir as 186 Semanas CONSECUTIVAS de Steffi Graf . Menos ciúmes do Craque de volta a mídia rsrsrs. Os pontos bonitos atraem público sim mane’ . Abs!

        1. Alessandro Siqueira

          Não sou obrigado a partilhar sua opinião, assim como você não é obrigado a partilhar da minha. Tênis, como vôlei, se caracteriza por bola no campo adversário. E para mim é exatamente assim. Torço por Djokovic desde 2007 e nada do que você disser irá mudar isso. Vi no sérvio uma possibilidade à dualidade Federer X Nadal. Djokovic tem limitações técnicas? Sim, tem. Mas para mim isso não depõe contra ele. Pelo contrário. Denota uma inteligência absurda de perceber as limitações e uma capacidade surreal de buscar soluções. O sucesso dele é fruto de muito trabalho e se não tem talento, como muitos dizem, tem um caráter forjado na guerra. Não se entrega e, objetivamente, está escrevendo o nome nas principais marcas do esporte, goste-se ou não desse fato. E quem não gosta já pode fazer feito o Meligeni, jogando para o plano subjetivo o que, até outro dia mesmo, seria traduzível em números.

        2. Alessandro Siqueira

          Curioso nesse blog que provocações pessoais, de alguns membros, são toleradas. Recebo o segundo MANÉ com as “bênçãos” da moderação. É isso mesmo, produção?

          1. Sérgio Ribeiro

            Provocação pessoal ??? . Até meu filho e’ chamado pelos amigos e pelo pai. Uma gíria carioca que o grande craque Mane’ Garricha adorava . Para a lenda todos os marcadores eram João rs . Da’ pra ver pelas suas postagens sua imensa “maturidade “ . Sem ofensa rs Abs!.

          2. Luiz Fabriciano

            Prezado Dalcim, não havia espaço para essa pergunta nesse tópico, por isso a fiz aqui.
            A questão do Mané foi debatida aqui e qual foi o veredicto?
            Todos os Manés que leio vêm carregado de falta de respeito com o interlocutor e continua vindo. Estamos todos bem com isso?
            Minhas sinceras saudações à você.

          3. José Nilton Dalcim

            Esta é a primeira reclamação sobre o uso do termo em uns cinco anos, Luiz. Mas se há muita gente incomodada, favor se manifestar.

          4. Alessandro Siqueira

            A menos que se seja barriga verde, como Guga, o “Manezinho da Ilha”, não vejo contexto para o MANÉ que não tenha intenção de diminuir o interlocutor. Mas se o moderador pensa que está tudo bem, talvez seja o caso de outras pessoas adotarem e ampliarem o campo semântico da expressão.

  6. periferia

    “O Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal deveriam assumir o gerenciamento da pandemia.
    Decretar tutela do Ministério da Saúde…garantir a compra e distribuição de vacinas e equipamentos necessários para o combate da pandemia.
    Se o governo federal não quer participar ou participar porcamente…existem outros poderes da República …que junto da sociedade civil e a sociedade científica…devem assumir a tarefa de salvar o Brasil de um colapso jamais visto”

    Sigamos….mesmo com quase 2 mil mortos por dia.

    1. Marcilio Aguiar

      É isso caro periferia. Quem não tem competência não se estabelece, diz o dito popular, ou pede para sair… como disse o Capitão Nascimento… conselho que deveria ser ouvido pelo “Capitão dos infernos” e sua cambada. Abc.

  7. Marcilio Aguiar

    Meus cumprimentos aos ilustres torcedores do Djoko, que estão ansiosos por um texto do Blog sobre o maior feito do momento, ou seja a quebra de recorde das 310 semanas no topo.

    A questão meus caros é que essa quebra do recorde era tão previsível e com data marcada que tudo já foi falado em prosa e verso sobre o assunto.

    A grande expectativa da semana é a volta do Maestro às quadras hoje. Ao contrario da estabilidade do Djoko no topo, esse simples jogo de segunda rodada de um ATP 250 é uma incógnita, pois o mundo do tênis quer saber qual RF voltara às quadras. Alguém que vai se arrastar até uma eventual despedida em WB ou um competidor de alto nível nos próximos torneios da temporada? Talvez, isso não fique claro hoje e tenhamos que aguardar mais jogos. Como diz o Sergio Ribeiro “a conferir”.
    Saudações.

  8. Nattan Labatto

    Boa tarde, srs!

    DANILO AFONSO, até o momento eu tb tô esperando as felicitações de Nadal, Federer e um novo post do Mestre Dalcim, dedicado a hercúlea conquista do mais novo MAIOR número umnde todos os tempos. Sei que vêm coisa boa aí (…)

    1. DANILO AFONSO

      Nattan, eu vejo com normalidade a ausência de felicitação dos principais rivais. Não é porque o suíço parabenizou o espanhol que o mesmo deve ocorrer com o sérvio. O grau de amizade entre os pares é diferente.

  9. DANILO AFONSO

    Dalcim, eu jurava que você iria postar um texto sobre a marca alcançada pelo sérvio…kkkkk
    Trata-se de um recorde muito peculiar do tênis e que demorará pelos menos mais de uma década para ser superado. É óbvio que sabemos que nos últimos meses Djokovic foi o tenista que mais recebeu sua atenção aqui no blog e portal de notícias, tanto pelas conquistas quanto pelas polêmicas. Porém, eu que sou seu admirador e que li todos os textos desde o surgimento do blog, não imaginava que não teríamos mais um belo texto sobre esse momento marcante do esporte.

    Eu li bons textos no Brasil e estrangeiro sobre o feito do sérvio, mas acredito que nenhum chegaria perto da sua visão acerca da marca. Vislumbrava um texto retratando cada um dos ciclos em que o sérvio fora líder do ranking, destacando sua evolução, obstáculos, dúvidas e vitórias marcantes na construção do recorde diante de 3 gerações de tenistas ao longo dos últimos 10 anos, na qual não podemos deixar de destacar o rei do saibro e grama.

    Para compensar o mestre poderia nos brindar com um texto envolvendo a criação do ranking da ATP, detalhando o movimento que resultou sua criação, os critérios ao longo dos anos, as polêmicas, curiosidade e fatos inusitados, algo semelhante aos cinco brilhantes textos históricos que você publicou ano passado:
    ” Histórico maio de 1968 em Paris”;
    ” A incansável luta do tênis profissional feminino”;
    ” A Divina iniciou o tênis profissional há quase um século”;
    ” O tênis profissional poderia ter começado 10 anos antes”;
    “Guerra e Paz marca o tênis masculino na Era Aberta”.

    Abs !!

    1. José Nilton Dalcim

      Pois é, como você percebeu o assunto foi incansavelmente explorado por mim nos últimos tempos. E a marca espetacular do Djokovic foi abordada em todos meus comentários recentes do sérvio, inclusive o atual sobre as mudanças do ranking, mostrando que essa soberania ainda vai longe. E eu já tinha escrito, lá atrás, assim que a ATP confirmou o recorde, que este se trata para mim do segundo grande feito da carreira de Djokovic. Lembro até que você se surpreendeu com isso… rsrs… Como não gosto de ser repetitivo e com o assunto tão bem explorado pelo TenisBrasil na segunda-feira, decidi esperar mais um pouco para o próximo post. Abs!

      1. DANILO AFONSO

        Dalcim, realmente o tema foi citado por você em vários textos ao longo das últimas semanas. Eu que no fundo achava que você estava guardando um “texto coringa” para dia “D”…kkkk

        Na verdade se pararmos para pensar, tanto a jornada do sérvio na construção do recorde quanto as dezenas de textos escritos por você ao longo deste anos são mais relevantes que a confirmação oficial do recorde e eventual texto que você viesse a disponibilizar. O percurso percorrido é tão ou mais importante que o cruzar da linha de chegada.

        Saudações Tenísticas !!

  10. Rubens Leme

    E os nobres deputados do Rio, em regime de urgência, aprovam a mudança o nome do Maracanã, que não mais se chamará Mário Filho – até jornalistas mortos estão sendo perseguidos ultimamente – e sim Edson Arantes do Nascimento.

    Ainda bem que o Rio de Janeiro é um paraíso na Terra, onde não há problema algum, porque este projeto, votado “em regime de urgência” é de uma importância fundamental para os destinos da cidade, do estado e da nação.

    Como não tinha sido pensado antes é um completo mistério. Agora sim, a bola poderá rolar novamente em paz e digna no país que caminha para 2 mil mortes diárias.

    https://globoesporte.globo.com/rj/futebol/noticia/alerj-aprova-projeto-de-lei-para-rebatizar-maracana-com-nome-em-homenagem-a-pele.ghtml

  11. Luiz Fernando

    Evans diz q tem chance de vencer Federer, claro q tem, o Palmeiras também tinha possibilidade de superar o Bayern, não tinha? Na teoria Evans tem chance sim, mas na quadra…

      1. José Eduardo Pessanha

        Rapaz, o Evans me surpreendeu hoje. Devo ter visto uns 20 jogos dele na vida e, neles, certamente ele não havia jogado nem metade do que jogou hoje.
        Abs

  12. Miguel BsB

    Pessoal, acho que é bem claro que Federer e Djokovic não se dão…aliás, os pais do Sérvio vivem dando declarações críticas em relação ao suíço.
    Os dois gênios se respeitam, protorcolarmente, diferente de rixas bem públicas como tinham Connors e Mcenroe, por exemplo…mas é bem claro que não se gostam.
    Então, não esperem que Federer dê os parabéns ao Novak, provavelmente não vai acontecer, e ele não é obrigado a isso.
    Da minha parte, parabéns aos torcedores de Novak Djokovic, lenda viva do tênis mundial! Realmente, eu jamais poderia imaginar isto quando comecei a prestar atenção no Sérvio la quando ele era 3 do ranking. O cara é uma máquina!

  13. periferia

    O Vencedor

    Depois do jogo…os oponentes gentilmente apertaram as mãos.
    Seguiram lado a lado para o vestiário.
    No vestiário o perdedor não se aguentou e comentou com desdém:
    – Não foram semanas seguidas…
    O vencedor havia atingido 311 semanas na liderança do ranking…ele não disse nada…continuou lentamente a se trocar.
    O perdedor voltou a carga:
    – Vc jamais será amado como eu fui.
    O vencedor nunca foi amado como merecia…colocou sua camisa Lacoste…não disse nada.
    – Vc não tem 20 Slam …
    Aquela era uma verdade “Daniliana”…20 sempre será maior que 18.
    O vencedor pegou sua sacola…foi saindo devagar…quando o derrotado gritou:
    – Aquele guru de meia tigela…
    O vencedor perdeu a paciência .
    – Vc foi longe demais – disse alterado – do Pepe ninguém fala mal.
    Naquele dia…o perdedor perdeu o jogo e os dentes.

    (Parabéns ao Djokovic…um tremendo campeão)

  14. Weslei

    Em caso do BIG 3 dominar todos os principais recordes do tênis o que faltaria para cada um deles, juguem ai para qual seria mais fácil.

    Djokovic
    3 Grand Slam
    2 Finals
    1 Terminar o ano como numero 1
    1 Olimpíada
    28 Títulos

    Nadal
    1 Grand Slam
    7 Finals
    2 Terminar o ano como numero 1
    2 Masters 1000
    102 Semana como numero 1
    24 Títulos

    Federer
    1 GS
    2 Terminar o ano como numero 1
    9 Masters 1000
    1 Olimpíada
    2 Semana como numero 1
    7 Títulos

    1. Paulo F.

      Roger Federer ganhar Roma e Monte Carlo, que são os 2 M1000 que lhe faltam?
      .
      .
      .
      HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA !!!!!!!!!

      1. José Eduardo Pessanha

        Paulo F, será que o Djokovic teria ganho algum desses torneios se as finais com Nadal tivessem sido em melhor de 5 sets, como foram as do Federer?
        Abs

        1. Paulo F.

          Federer enfrentou Nadal em vários outros confrontos de M1000 de saibro quando se tornaram melhor de 3.
          A partir de 2007 se não estou enganado.
          À exceção de Madri 2009, foi escovado, surrado em todos os outros confrontos.
          Todos eles melhor de 3.

        2. Paulo F.

          Ah, desculpa ter desviado da pergunta:
          Djokovic teria perdido a maioria das finais contra Nadal no saibro no tempo das finais em melhor de 5.
          Mas algumas finais ele teria conquistado (mesmo que poucas).
          Sem falar na dificuldade que ele iria impor ao Nadal, imensuravelmente oposta comparado-se às facilidades que o Federer sempre ofereceu ao espanhol.

    2. DANILO AFONSO

      Weslei, muito legal essa estatística “inversa” que você fez. Vou dar meu palpite:

      Djokovic
      3 Grand Slam (é possível);
      2 Finals (é possível, mas acho que no máximo empata, pois desde 2015 não vence com ascensão da NG);
      1 Terminar o ano como numero 1 (é possível já neste ano);
      1 Olimpíada (é possível nesta olimpíadas);
      28 Títulos (é possível, mas teria que jogar mais ATP 250 e 500 após atingir os principais recordes);

      Nadal
      1 Grand Slam (é provável que já conquiste este ano em RG);
      7 Finals (impossível)
      2 Terminar o ano como numero 1 (pouco provável em razão da idade e maior competitividade da NG);
      2 Masters 1000 (é possível, até porque temos menos competitividade no saibro quando comparado ao piso duro preferido do sérvio);
      102 Semana como numero 1 (pouco provável em razão da idade e maior competitividade da NG);
      24 Títulos (é possível, mas teria que manter bom aproveitamento no saibro e disputar mais ATP 250 e 500);

      Federer
      1 GS (é possível já em WB)
      2 Terminar o ano como numero 1 (improvável pois não ganha desde os 28 anos);
      9 Masters 1000 (dificílimo em razão da idade);
      1 Olimpíada (é possível já nesta olimpíadas);
      2 Semana como numero 1 (pouco provável por causa da idade e calendário reduzido);
      7 Títulos (é possível, desde que mantenha saudável nos próximos 2 anos)

    3. Jonas

      Djokovic

      3 Grand Slam – possível
      2 Finals – possível
      1 Terminar o ano como numero 1- possível
      1 Olimpíada – possível
      28 Títulos – possível, mas bem difícil, não deve jogar atp 250 ou 500 pra isso.

      Nadal

      1 Grand Slam – vai vencer até mais, aposto em 2, no mínimo.
      7 Finals – kkkkkk, não.
      2 Terminar o ano como numero 1 – difícil, porém possível.
      2 Masters 1000 – bem possível, no saibro até mais.
      102 Semanas como numero 1 – impossível
      24 Títulos – impossível

      Federer

      1 GS – possível, precisa de uma chave favorável.
      2 Terminar o ano como numero 1 – acho bem difícil.
      9 Masters 1000 – impossível
      1 Olimpíada – possível
      2 Semanas como numero – bem difícil…
      7 Títulos – possível, com torneios menores. Não acredito em 7 Big Titles.

  15. DANILO AFONSO

    Gildokson, ontem foi o dia de comemorar muito este recorde de semanas que desde o final de 2012 (2ª passagem na liderança) comecei a fazer a contagem em algumas plataformas (fóruns, facebook e sites). Não postei nada aqui ontem porque achava que o Dalcim iria disponibilizar outro texto sobre a conquista.

    Saudações Tenísticas !!

  16. Luiz Fernando

    Se o Palmeiras apelar ao STF é bem capaz de algum membro da corte conceder uma liminar com o tão desejado e atualmente inexistente mundial…

  17. Chadwick Boseman

    Bom dia,

    Obrigado ao Dalcim, Aranha, Marcelo Jaca, Luiz Fernando, Miguel e a qualquer outro q eu tenha esquecido pelas palavras de incentivo. Significam muito para mim.

    Bom, só passei para dizer algo sobre o recorde de Djokovic. É impressionante, nunca imaginei, quando comecei a acompanhá-lo, que isso um dia viria a acontecer. Provavelmente perdurará (até pq as semanas vão crescer ainda mais um pouco) por vários anos.

    Igualmente impressionante foi ver a repercussão e as felicitações nas redes (acho que o Rodrigo olhou em lugares diferentes do que os que eu olhei, rs) que Djoko recebeu. ATÉ a ATP publicou um vídeo (protocolar, eu sei, mas publicou) onde gente como Big Mac, Andy Murray, Zverev, Schwartzmann etc dão os parabéns a ele pelo extraordinário feito conseguido. Entre muitas outras pessoas e instituições ligadas ao tênis, etc.

    Para mim foi mais do que suficiente ver quem parabenizou Djokovic. Aqueles que poderiam tê-lo feito (e deles se esperava isso) e não o fizeram estão em seu direito, é óbvio, ninguém é obrigado a nada. Mas esses são irrelevantes; podem ser gigantes do esporte, mas são pequenininhos em elegância. Essas felicitações não fazem falta. Ficam para trás assim como seus recordes.

    Espero poder ver (e vcs sabem do que estou falando) mais alguns feitos de Djoko. Se alguma obra do acaso me impedir, fico feliz pela jornada que vivi acompanhando sua carreira. Após sua vitória no AO postei algo nos stories e novamente ele apareceu lá pra visualizar. Pequenos instantes bacanas de um ídolo para com um fã. Grande Djoko,dentro e fora das quadras. A maior razão pela qual torço por ele, já expus aqui, foi confirmada por ele próprio esses dias: “Não tenho problemas em admitir que cometo falhas”. Identifico-me com esse modo de pensar e com a casca grossa que ele desenvolveu para críticas. Djoko é falho, é humano.

    E justamente ele é alcunhado de robô, ao invés daqueles elegantes e classudos, com movimentos e falas pré-programados, que não suam e que estão sempre alinhados.

    Fica aí uma reflexão sobre o paradoxo que isso representa, para o grande Periferia José Cláudio um dia analisar.

    Deixei pra falar do José Cláudio por último para dizer duas coisas: 1) que texto bonito em minha homenagem! Obrigado! – 2) Adivinha em quem meus pais se inspiraram na escolha do meu nome? Sim, isso mesmo. No personagem do seu texto.

    Grande abraço todos, cuidem-se e sejam felizes.

    1. Chadwick Boseman

      Aliás esqueci de falar no nosso Guga no vídeo; por sinal era o mais animado de todos cumprimentando o “Djokinho”, como ele disse.

      O Guga é a simpatia em pessoa, absurdo. Tenho uma história com ele, um dia conto.

    2. lEvI sIlvA

      Rafael, meu caro, andei meio sumido e soube a pouco da sua luta pessoal com algo sério…
      Bem, de minha parte, desejo a você muita força e que breve esteja melhor e mais forte do que nunca!
      Ainda bem que, ainda está por aqui. Teria sido bom se tivesse sido contemporâneo do bom e velho Sérgio Luiz, grande e ilustre torcedor do Djoko, iam se dar bem, imagino…
      Grande abraço e cuide-se por aí, meu caro!!!

      1. Chadwick Boseman

        Obrigado, Levi, meu camarada!

        Sempre bom ler vc, sinto sua falta quando vc dá uma sumida.

        Grande abraço!

        1. José Eduardo Pessanha

          Rafael, estou meio por fora do que aconteceu contigo, mas desejo melhoras e muitas realizações em sua vida.
          Abs

    3. Robson Couto

      Prezado Rafael,
      Posto pouco no blog, porém sou um leitor assíduo. Justamente nos últimos dias, por motivo de trabalho não pude acessar e hoje quando li suas mensagens fiquei muito sensibilizado, pois acompanho seus comentários e sinto o quanto você é uma pessoa do bem. Se você permite um conselho de um estranho: nunca deixe seu problema ser maior que você, por pior que a situação possa parecer, você deve tirar forças de seu interior e lutar com toda determinação. Imagine se em Wimbledom 2019, com dois match points contra e um estádio eufórico, o Djokovic simplesmente aceitasse a derrota? Mas não, ele se concentrou, respirou fundo e deu seu melhor. É isso que peço para você, por mais que você diga que está para baixo, levante a cabeça e por favor lute, mas lute com vontade! E vai por mim, você ainda vai assistir o BIG3 se aposentar, ok? Boa sorte em sua recuperação, que tenho certeza que será bastante breve. Forte abraço!!!!!!

      1. Chadwick Boseman

        Robson,

        Obrigado pelo tempo que vc dedicou para escrever esse texto para mim. Você tem toda a razão no que escreveu. Federer pode ter feito 13.248 winners naquele jogo, pode ter jogado melhor, pode ter feito tudo melhor.

        Mas Djoko, na PIOR hora, foi um bloco de gelo, precisão, coragem e foco. Recusou-se a perder. Acredite, isso me inspira muito. É algo subjetivo, eu sei, mas pra mim (e pode ser só pra mim), isso define quem é quem.

        No entanto, assim como Federer poderia ter acertado um ace em qualquer uma das suas oportunidades que teve (e contra isso Djoko não poderia ter feito nada), eu também luto contra variantes imponderáveis.

        Mas no que depender de mim e do que eu puder fazer, vou acreditar até o último minuto.

        De novo, obrigado pelo carinho.

    4. Jose Yoh

      Sobre os robôs do tênis:
      – Para os Federistas, Nadal e Djoko são robôs porque jogam incansavelmente bola após bola sem errar (como se não desejassem que Federer fizesse o mesmo);
      – Para os Nolistas, Federer, Sampras, Isner e toda uma geração do saque-voleio são robôs sacadores, que fazem grande parte dos pontos sem trocar bola nenhuma. Quando o sérvio virou um grande sacador também, todos elogiaram e disseram: “O que vão ser dos adversários se o melhor recebedor for o melhor sacador também?”. Esquecendo que virou também um robô sacador.
      – Para os Nadalistas, o mesmo que eu escrevi para o sérvio, com a diferença que este não melhorou muito o saque (mas todos desejam que ele também seja um servebot para economizar seu físico).

      Nas entrevistas, percebe-se que os três medem palavras para evitar qualquer conflito, bem programados como são para isso. Robôs.

      O tênis é um esporte de repetição, de muita repetição mesmo. Não à toa treinadores deixam os atletas horas batendo as mesmas bolinhas do mesmo jeito. Muitas vezes com um robô do outro lado.

      E a sociedade é dura no comportamento de seus ídolos, não permitem sequer um deslize nas entrevistas. Estes então treinam à exaustão o comportamento nelas.

      Ou seja, ser robô é absolutamente normal no tênis. Não sei porque depreciam tanto o Big 3 com esta palavra, sendo que deveria ser uma qualidade. Quem me dera ser um robô jogando!

  18. Ronildo

    O Operante Complexo de Inferioridade

    Quem já não notou a diferença da realidade entre o que se tenta mostrar ao público e a verdade cotidiana. Um exemplo típico são as fotos de famílias felizes nas redes sociais quando a ruptura é eminente e sabida por quem vive a crise.
    Dias atrás falei do observável complexo de inferioridade demonstrado nas palavras dos torcedores de Djokovic que, acredito, é um complexo que o próprio Djokovic tem perante Federer. Este complexo de inferioridade está mais uma vez sendo demonstrado nas cobranças por parte destes torcedores para que Federer faça uma declaração pública parabenizando Djokovic pelo recorde de semanas no topo do ranking. Em alguns casos há uma dissonância cognitiva tão grande que não se contentam com a possibilidade de Federer ter parabenizado Djokovic particularmente. Aliás sequer cogitam esta possibilidade.
    Aí já entramos nos valores de cada um. Federer não tem direito de parabenizar Djokovic no privado? Precisa fazer uma declaração pública? Para agradar a quem? Citam o caso do Pete Sampras. Porém não se dão conta que o pai do Federer jamais falou absolutamente nada difamatório contra a pessoa do Sampras. Deveria Federer publicamente ignorar as declarações do pai de Djokovic contra sua pessoa e fazer uma bajulante declaração em favor do próprio Djokovic? Isto não seria encarado como hipocrisia por praticamente todas as pessoas que acompanham o circuito mundial de tênis? Eu no lugar de Federer, se fizesse uma declaração pública em favor de Djokovic teria que incluir uma menção à seu pai nos termos: “Apesar de seu pai, …parabenizo Djokovic pelo seu feito…”. Como evidentemente não fica bem falar esta verdade em público, fazer uma declaração no privado é muito mais apropriada visto a atuação do pai do Djokovic no circuito. Ou os torcedores de Djokovic exigem que Federer tenha “sangue de barata” para respeita-lo?

    1. Gildokson

      Ronildo, esse é um dos comentários mais perfeitos que ja li aqui. Você traduziu perfeitamente a situação ao menos no meu ponto de vista. Tudo oq você disse eu queria ter dito antes.
      Perfeito!!!

    2. Denis

      Que volta argumentativa para justificar a falta de elegância do Federer em não ter parabenizado o Djokovic pela quebra do recorde. Algo que ele fez prontamente quando o Nadal igualou o recorde de slams.

      O pai do Djokovic não é o adversário do Federer, não é quem ele enfrenta há quinze anos no circuito ou a quem já derrotou e foi derrotado duas dúzia de vezes nesse período.

      Na prática, o reconhecimento público não é realmente necessário. E nem faz falta na verdade. Mas demonstraria um certo espírito esportivo que se espera de um grande campeão como o Federer.

      1. Luiz Fabriciano

        Denis, concordo plenamente com você.
        Mas torço para que não aconteça o tal cumprimento pelo record batido, porque a essa altura, só evidenciaria a total falta de sinceridade do ato.
        Quando fez à Nadal, elogiaram tal atitude, mas agora o papel está invertido, alegando que o sérvio e seus torcedores exigem o mesmo.
        Seria nobre, mesmo que não sincero – do meu ponto de vista – mas completamente desnecessário.
        Saudações.

        1. Ronildo

          Como seria nobre também da parte de Djokovic vir à público e dizer que não concorda com as declarações de seu pai sobre Federer. E olha que Djokovic está devendo esta declaração à quase 10 anos.

      2. Paulo F.

        Exatamente, Denis.
        Nadal nem tinha erguido ainda o décimo-terceiro troféu de RG e Federer já estava lambuzando-o de elogios pelo empate em GS.

      3. Jonas

        Resumindo: ficou sim bastante incomodado e confirmou que realmente não gosta do Djokovic – o que já era esperado.

        Penso que Djokovic se sente superior a Federer já há algumas temporadas, mas óbvio que também não vai sair admitindo isso.

        Esse recorde de semanas, o Federer não esperava perder, ele sabe o quanto é relevante, por isso tem estendido sua carreira.

      4. Ronildo

        E porque Djokovic nunca veia à público dizer que não concorda com as declarações de seu pai sobre Federer? Se há falha da parte de Federer neste episódio, acredito que há uma falha maior ainda da parte de Djokovic nesta situação, e ele teve quase 10 anos para se desculpar e lamentar publicamente sobre isso.

  19. Jonas

    Sampras, ao ter seu recorde de semanas totais quebrado, parabenizou Federer pelo seu feito e ressaltou: “A coisa mais difícil de se fazer no esporte é a capacidade de permanecer na ponta. Roger tem sido capaz de fazer isso com grande tênis e com durabilidade”.

    Até então, Federer não comentou nada a respeito do feito de Novak e não me surpreende se não o fizer. Talvez eu queime a língua e ele comente algo, mas deve ter ficado bem incomodado.

    Realmente os dois não devem se gostar muito. Declarações bem protocolares e tal…

    Enfim, fico com as palavras de Sampras que com certeza sabe o tamanho e a dificuldade de ser o melhor por tanto tempo em um esporte tão difícil como o tênis. Essa consistência do Novak é fenomenal, chegar ao topo já é difícil, mas se manter, com os demais tenistas buscando uma forma de te derrotar é bem mais.

  20. Paulo Almeida

    Realmente hoje é um dos dias mais importantes da história do tênis com esse “achievement” fabuloso de DjokoGOAT.

    Gostaria de saber se o Federer mandou os parabéns para o sérvio, assim como fez quando Nadal atingiu os 20 Slams. Alguém poderia me informar?

  21. Thiago Silva

    É hoje que o recorde de semanas CONSECUTIVAS passa a valer mais que o de semanas absolutas? Kkkk
    Igual os ATP 250 de 2006 que valem mais que Masters 1000.

    1. Paulo Almeida

      Sim, claro, da mesma forma que Baghdatis, Blake, Ljubicic, Gasquet e González naquela temporada engraçada foram adversários excepcionais.

  22. Rodrigo S. Cruz

    O Djokovic chegou às tão badaladas 311 semanas de uma liderança que deve se alongar ainda por muito tempo…

    E curiosamente não vi muitos comentários dos fãs dele sobre isso, quanto eu esperava…

    Também não vim uma boa repercussão disso no mundo tenístico…

    Terá sido por saberem que o sérvio chegou a esse número tendo pego a MAIOR entressafra da história do tênis?

    Seus dois arquirrivais foram um Federer mais e mais longe do auge, e um Nadal que nunca foi uma “Brastemp” em quadras duras ou de grama.

    Os demais, se dividem entre os que nunca tiveram consistência bastante, ou então eram uns moloides mesmo. rs

    Parabéns, Djokovic!

    Outra conquista GRANDE que acabou não sendo grande, pelo simples fato de ter sido tua!

    rs rs

    1. Luiz Fabriciano

      Caraca véi, quanta parcialidade!
      Já falei uma vez e vou repetir: você é bem mais capaz que isso. Elevar Djokovic em compensação ao declínio de Nadal e Federer não faz bem, não é justo.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Uai, Fabriciano. 😂

        E quanto à explícita parcialidade do segmento nolista que sempre desmerece o suíço?

        Como é que você nunca reclama deles?

        Abs.

    2. Paulo F.

      Rafael Nadal tem 02 W, 04 USO, 01 AO.
      Apenas no M1000 do Canadá possui 05 títulos, sempre lembrando que o incriticável Roger Federer nunca ganhou lá em Montreal, apenas em Toronto.
      E temos que lera a tentativa patética de reduzir o espanhol no piso duro, dizendo que o mesmo não é uma Brastemp neste piso.
      Imaginem então se ele fosse bom no piso duro…

      1. Rodrigo S. Cruz

        Patético é mentir, ser desmascarado, e depois advogar a mesma mentira. 🤣

        Dizendo que confronto geral define favoritismo de confronto de piso específico.

        Coisa que se fosse verdade, o Djokovic seria favorito contra o Nadal, até no saibro.

        Ou seja, piada pronta! 😂

        E como se fosse pouco, ainda se enrolar todo e cometer um monte de gafes…

        Abs.

        1. Paulo F.

          Minha opinião sobre o favoritismo de sempre de Nadal ante Federer sob qualquer circusntância, em qualquer época e em todo e qualquer piso é fundamentada principalmente no aspecto psicológico quando ambos se enfrentam.
          Entendeu ou quer que eu desenhe?

          1. Rodrigo S. Cruz

            Quando eu te provo com FATOS que h2h geral não define favoritismo em piso duro, você se apega ao fator psicológico.

            Mas quando a falácia do “psicológico” é demolida pelos fatos, aí então você se apega ao h2h geral.

            Legal. Continue assim que tá divertido!

            (rs)

    3. Maratenista

      Mais um comentário dentre as pérolas desse nobre cidadão. Só é menos pior do que quando ele disse que a boca do Federer era mais bonita que a do Djokovic.

      A próxima vai ser que o GOAT se mede pela beleza das bocas. E que a do Federer é ainda mais linda que a da Angelina Jolie ou do Batman.

      1. Rodrigo S. Cruz

        rs rs

        Para mim as duas bocas são feias, Fake.

        Mas o Djokovic quando vibra com um ponto, a dele faz um formato de ovo!

        Pode reparar.

        O sérvio não possui lábio, ele tem é uma LINHA no meio da cara!

    4. Thiago Silva

      O Nadal não foi uma Brastemp na quadra dura mas fez 5 finais de AO e mais 5 de USO depois de 2009, o que mostra que ele era muito melhor que no período 2004-2008.
      E no período 2008-2016 ainda tivemos o Murray que era umas dez vezes melhor que Hewitt, Roddick e cia. E o Federer até 2018 ainda tava vencendo slams.
      É uma bizarrice gigante chamar esse período de entressafra.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Há de se levar em conta que o Hewitt foi um “maratenista” já bem decadente quando da época da padronização.

        Enquanto o Murray fez a festa jogando nessas quadras que já não eram tão rápidas assim…

        Quando eu digo, porém, que o Nadal não foi uma “brastemp” nas rápidas, eu me refiro a comparação dele com o Novak.

        Se o Federer já é favorito contra o Nadal, nas duras, o Novak então nem se fala…

        Tô com preguiça de pesquisar agora, mas acho que o retrospecto está uns 22 a 10 pro sérvio.

  23. Oswaldo E. Aranha

    Dalcim, se não achares apropriado favor não publicar, mas estou atônito e revoltado com a decisão do Faquin de anular as condenações do Lula; por questões de firula técnica ele achincalhou com a estrutura jurídica do país, que em várias instâncias revelou as falcatruas do Lula, pondo em risco o destino do país entre duas opções ineceitáveis: Lula x Bolsonaro. Como cidadão que ama seu país, sinto-me traído.

    1. Alessandro Siqueira

      Todo esporte tem regra, assim como processo tem regra. Viver em sociedade é saber disso. É entender que nem no VALE TUDO vige o VALE TUDO. Se você ler o artigo 76 do CPP entenderá as regras de fixação de competência. Junto disso, vale lembrar que a XIII VARA FEDERAL DE CURITIBA não é e nunca foi foro universal. Deveriam ser julgados lá os processos afetos à Petrobrás. Se as instâncias foram alargando isso, fizeram em nome de justiçamento, que não se confunde com justiça. Sim, porque não se faz justiça sem que sejam respeitadas as REGRAS DO JOGO. Isso é da essência do Estado Democrático de Direito. Portanto, que a gente ao menos chegue em Maquiavel: AOS INIMIGOS A LEI. Menos do que a lei é a barbárie.

        1. Alessandro Siqueira

          Obrigado, Miguel. Precisamos manter o mínimo de racionalidade e de sanidade ao enfrentar certas questões. Precisamos ter bastante claro que O DEVIDO PROCESSO LEGAL É DEVIDO A TODOS, inclusive às pessoas de que não gostamos.

    2. periferia

      Olá Aranha

      Nesse momento…onde a maioria das instituições querem “vingança” da lava jato.
      Fachin fez o correto…anulando todas as sentenças ele enfraquece Gilmar Mendes que cuida da suspeição de Moro (ele é o juiz designado) ….ele tenta proteger todos.
      Sem o objeto da causa (processos) não se pode condenar o pessoal da lava jato e o próprio Moro (muitos juristas divergem)
      O pessoal quer sangue por erros cometidos no percurso…os políticos adoraram…parte do judiciário também…como dizia Jucá…”a sangria era grande…e algo precisaria ser feito”….e foi.
      O pessoal de Curitiba deu motivo.
      Com isso voltaremos para as duas opções que não deveriam ser opções (como bem disse).
      A sociedade assiste como se fosse uma novela…
      A única diferença …nessa novela não tem “mocinhos”.

      Abs

    3. Barocos

      Oswaldo,

      Está em curso uma série de questionamentos muito maiores do que a condenação do Lula, em julgamento está a ordenação jurídica brasileira e o que se entende por Estado de Direito em terras tupiniquins.

      Para que não pairem dúvidas, sim, acredito que o PT foi partícipe de um gigantesco esquema de corrupção e de práticas nefastas de clientelismo com o intuito de manter o poder e enriquecer os “compadres” neste processo. Não inovaram neste sentido, este é um problema endêmico em nossa sociedade desde a “descoberta” do Brasil, mas ampliaram em muito o seu alcance e a sua magnitude.

      Graças à incompetência dos envolvidos e ao pouco cuidado que dispensaram as práticas processuais, mais preocupados que estavam em seguir suas bússolas morais e em ganhar apoio popular através de operações televisionadas e produção de apresentações de Powerpoint amadoras e, claro, à nossa carta magna, corremos um sério risco de ver grande parte do processo anulado ou prescrever.

      Ainda assim, mantenho o que sempre defendi, que os fins não justificam os meios e que o Estado não pode usar as mesmas táticas de gangsters, a coação física e psicológica, ou corremos um sério risco de vermos reproduzidas aqui as mesmas práticas que condenamos em estados totalitários.

      Não há países onde cartas magnas sejam perfeitas, mas todas as democracias sólidas primam por coibir a prática de arbitrariedades em ações do Estado através do respeito a uma ordenação jurídica estabelecida. Devido às várias dificuldades que o colhimento de provas de atos ilícitos apresentam, muitas vezes, nestas respeitáveis democracias, o infrator consegue emergir impune ou com prejuízos mínimos o quê, ainda que doloroso, preserva o respeito às leis e à ordem social. Se você, como eu, acredita que as leis devem ser mudadas, esforce-se para que cada voto não termine por beneficiar os habitantes do abismo, como os mandatários de outrora e os que agora ocupam os cargos máximos em nossa nação e sobre o qual pesam sérios indícios de peculato e locupletação.

      Saúde e paz (e PT nunca mais, mas o mesmo se aplica ao PP, PL PSDB, DEM, *MDB e por aí vai).

      1. Barocos

        Errata (final do penúltimo parágrafo): “.. sobre o qual.. ” -> ” .. sobre os quais ..”.

        Novamente, obrigado e desculpe pelos erros, que bem sei que não são os únicos.

    4. Luiz Fernando

      Creio q vários petistas, peemedebistas e peessedebistas (dane-se o português se estiver errado), bem como os últimos governadores do Rio e demais asseclas devem estar comemorando e pensando neste momento: há lugares em o crime compensa…

      1. José Nilton Dalcim

        Há muitos e bons analistas hoje mostrando que a decisão do Fachin teve pouco a ver com Lula e muito a ver com Moro. Dê uma lida.

        1. Luiz Fernando

          O q o Moro julgou foi confirmado pelo TRF 4 do RS e pelo STJ. Será q estas instâncias também são parciais? É por isso q em determinados locais, como o nosso país, o crime compensa…

          1. José Nilton Dalcim

            Eu nunca disse que concordo com o que aconteceu, apenas estou lhe dando a visão que me parece mais próxima da verdade, ou seja, que a atitude foi muito mais para tentar preservar o Moro.

  24. Rubens Leme

    Resolvi tirar o DVD de Barfly da prateleira e acabei relendo Hollywood, de Charles Bukowski. O livro nada mais é do que as idas e vindas do escritor com o roteiro do filme, que havia sido encomendado pelo diretor iraniano radicado na França, Barbet Schroeder.

    Fui um leitor tardio de Bukowski – comecei com uns 25 anos -, mas de cara senti ciúme daquilo que considero sua grande contribuição, a liberdade. No meio de todo o caos que foi sua vida – e ela foi um inferno – percebe-se que entre porres, prisões, brigas, falta de emprego, de moradia, de morar na sarjeta e de incontáveis mulheres, em algum momento, ele parece ter sido atingido por uma epifania, que o fez virar escritor, aos 50 anos.

    Tenho seus seis romances e quase todos os livros de contos editados aqui e, junto de Henry Miller e, de alguns momentos de Jack Kerouac e Allen Ginsberg, foram os que mais me ensinaram a ser feliz e se aceitar como é, sem se preocupar com o julgamento alheio.

    Em determinado momento pergutam a Chinaski, o que quer ser “quando crescer”. Ele apenas responde: “eu não quero ser nada, eis a questão”, frase que talvez eu tenha levado de maneira literal demais por mais de meio século.

    Agora, só me falta virar escritor.

    1. periferia

      Olá Leme

      O livro sobre o filme é melhor que o filme…rs
      Estranho…geralmente um filme é baseado e em um livro.
      Agora vc tem um livro baseado no filme…ou melhor na formatação de um roteiro para o filme.
      O livro descreve pessoas estranhas em uma arte estranha (pelo menos para Bukowski ).
      Ele me lembra Plínio Marcos ( ou melhor… Plínio Marcos lembra ele).

      1. Rubens Leme

        O livro dá de 10, adoraria ver um filme dele. As cenas com as galinhas do François são hilárias, assim como a casa que vai ver pra comprar e foge quando descobre que tinha sido usada em um dos rituais de Charles Manson. Hoje de manhã reli o primeiro romance dele, Cartas na Rua, lembranças dos anos de carteiro. Falando nisso o diretor Hal Hartley deve ter se inspirado no livro e na vida de Bukowski para fazer a trilogia As Confissões de Henry Fool (1997), Fay Grim (2006) e Ned Rifle (2014), o único filme que jamais consegui achar pra comprar ou ver.

        Aproveitei e peguei o embalo e estou relendo a trilogia Sexus, Plexus e Nexus, pois acho Henry Miller o pai espiritual não apenas de Bukowski, como de Jack Kerouac.

        1. periferia

          Olá Leme

          Lembrei de Henry e June de Philip Kaufman ….do muito bom A insustentável Leveza do Ser…que saiu do livro espetacular do Kundera (uma lembrança te leva a outra…que te leva a outra…e assim vai…rs).
          O filme foi baseado nos diários Anaïs Nin.
          E apesar de ter uma ótica totalmente feminina mostra um Henry Miller a vontade com sua esposa June nos anos 30…quase um Bukowski.
          O filme é um livro praticamente…

          1. Rubens Leme

            Caramba, vi o filme ontem, pois tenho o livro também.

            Já o “insuportável” leveza do ser li há mais de 20 anos e pouco me lembro, mesmo do filme com o grande Daniel Day-Lewis, que participou da minha trilogia favorita, a de filmes irlandeses todos feitos pelo diretor Jim Sheridan: Meu Pé Esquerdo (1989 e que também tenho o livro e que lhe rendeu merecidamente o se primeiro Oscar), Em Nome do Pai (1993) e O Lutador (1997).

  25. Marcelo-Jacacity

    311. Incrível Novak Djokovic.
    O saldo é altamente positivo desde WB-18, possui números espetaculares e agora é aguardar o que nos espera.
    O mais provável, com 99,9% de chance é que Nadal chegue ao 21. major em RG.
    Wimbledon? Não sei.
    USOpen? Sei menos ainda. Next, next, next-gen? Idem.

  26. Lázaro

    O que você achou de sete brasileiros tentarem o quali em Viña del mar, somente um chegar na última rodada e perder…
    Difícil torcer para o tênis brasileiro!

    1. José Nilton Dalcim

      Quando eu vi a chave, não fiquei muito otimista porque havia vários especialistas de saibro por ali. Vi alguns jogos e achei que o Felipe foi muito bem nos dois primeiros e hoje não se achou. O Bellucci também só fez um jogo decente.

  27. EDVAL CARDOSO

    Uma boa notícia pro Federer e seus torcedores, John millman acaba de ser eliminado em Doha, todos sabem do histórico de jogos difíceis do suíço quando mede forças com o Australiano, era um possível adversário nas quartas.

  28. Gildokson

    Federer venceu na grama sagrada Sampras, Murray, Nadal, Djokovic e muitos outros, o tenista com mais vitórias por la, 12 Finais disputadas e 3 perdidas em detalhes no 5° set para grandes da história. ROGER FEDERER É SIM O REI DE WIMBLEDON!

      1. Gildokson

        Luiz por isso q eu disse q ele perdeu 3 finais em 5° set, 2008 Nadal, 2014 e 19 Djokovic. Principalmente as de 2008 e 2019 ele poderia ter vencido. Ja 2015 foi atropelo.

        1. Vítor Barsotti

          2015 atropelo? 3×1, com dois tiebreaks, sendo um vencido por cada tenista? Acho que não…

          No mais, concordo totalmente com seu comentário original.

  29. periferia

    Love Death & Robots….2019

    Série de animação…composta de 18 episódios de aproximadamente 20 minutos cada.
    Escondido no acervo da Netflix é com certeza uma das melhores produções do gênero ficção científica dos últimos anos.
    Cada episódio foi feito por uma equipe de animação diferente.
    É algo adulta…com temática filosófica.
    Produzida por David Fincher (Seven e O Curioso Caso de Benjamin Button) e Tim Miller (Deadpool).
    Cada episódio vale ouro….muito criativo.
    Vale uma conferida.

  30. Gildokson

    Mais uma vez venho parabenizar os torcedores do bem que torcem para Novak Djokovic, o maior número 1 de todos os tempos!!!!
    Parabéns!!! Um feito e histórico!!!
    Danilooooo!!! chegou o dia kkkk
    Barocos, Nattan, Marcelo J, Jonas e o grande vilão Paulo Almeida!!!
    Comemorem bastante!

      1. Gildokson

        Pois é Paulo kkkkkk
        É que eu te considero um torcedor do bem, acho que você faz uma personagem kkkkkkk
        Muito difícil ou quase impossível que um um cara inteligente como você não saiba que Roger Federer é um GÊNIO.
        Abs!!!

        1. Luiz Fernando

          Parceiro claro q ele sabe q Federer é um jogador fenomenal, um gênio do esporte, provavelmente o mais técnico dos tenistas da história, mas isso não significa que os demais também não tenham méritos, como alguns dos seus companheiros de torcida sempre sugeriram, e com sua anuência, concorda? E creio q tem ainda mais méritos por superarem este gênio, principalmente sendo contemporâneos dele…

        2. Paulo Almeida

          Ufa, então vou comemorar mais sossegado agora!

          Os três são gênios, grande Gildokson, cada um com seus atributos (aproveite que baixei a guarda agora, kkkkkkk).

          As zoeiras fazem parte e eu sei que você leva na boa, diferentemente de outrem. É melhor assim.

          Abraços!

  31. Jonas

    311 semanas na liderança. Djokovic é o número 1 mais longevo do mundo. Um recorde incrível, comumente utilizado por torcedores do Federer para afirmar que o suíço era o maior da história.

    É bom destacar que Djokovic foi prejudicado durante a pandemia, deixando de somar semanas como n1 já que o ranking ficou congelado por um bom tempo.

    Trata-se de um recorde impressionante, e torna-se ainda mais quando analisamos o tempo que o sérvio levou para conseguir este feito. Quando assumiu a ponta, em julho de 2011, tinha como adversários “apenas” a dupla Federer e Nadal, ainda bem jovens, bom dizer.

    Quer concorrência mais pesada do que esta? Ainda assim Djokovic conseguiu essa proeza em praticamente 10 anos, um feito ENORME.

    Já não é mais um exagero nomear Djokovic como maior da história, mas é bom ter cautela, afinal o sérvio ainda está na ativa e teve seguidas lesões em um curto espaço de tempo.

    1. Jonas

      Sei que o sérvio é louco por recordes. Ele quer ser o melhor e já deixou isso bem claro.

      Vai atrás de 400 semanas, o que seria foda. Vai em busca de um ouro olímpico e mais Grand Slams, sem dúvidas.

      Conseguir ou não depende de vários fatores. Condição física, técnica, mental… nível dos seus adversários, saber aproveitar as chances (alô Nadal) etc.

    2. Sérgio Ribeiro

      Na boa , discordo em gênero , número e grau deste seu post . Fanatismo e’ mesmo contagiante . O Sérvio já era N 3 do Mundo em 2007 e já aos 20 anos . Sua imaturidade o levou a ficar como N 3 até 2011 . O Espanhol com apenas um aninho a mais já tinha atingido o posto em 2008 . Em 2011 Federer já era um Trintão que já reduzia seu Calendário para apenas 18 ou 19 Torneios. Nadal demorou muito a copia-lo e chegava mortinho ao FINAL das Temporadas. Novak já pode ser considerado o melhor da história porque mane’ ? . Perdeu 10 FINAIS de SLAM ao longo do tempo , e nada impede que perca outras daqui pra frente. E reduziu a diferença em número em relação a seu contemporâneo de 1 x 4 ( 2008 ) para 18 x 20 ( 2021) . Vários recordes ainda não lhe pertencem… Abs!

      1. Jonas

        Finalmente vc admitiu que Djokovic era imaturo até 2011. Era mesmo, basta assistir à final do USO 2007 para perceber isso.

        Sobre Federer, tinha 29 anos e foi dizimado por Djokovic na SF do AO 2011. Fez um de seus melhores jogos contra o sérvio em Roland Garros 2011, mas a temporada em geral mostrou quem dominou mais.

        “trintão”? Ainda vem falar em fanatismo. O próprio Roger Federer já te refutou várias vezes, estando em excelente forma anos depois de 2011, quando era “trintão”.

        Mas então me pergunto: Djokovic e Nadal são o que? Será que são injustiçados por enfrentarem jogadores mais novos? Quem sabe…

        1. Luiz Fabriciano

          Prezado Jonas, se fatos por si só já não são suficientes, imagine argumentos, baseados nos próprios fatos, de torcedores.
          311 saudações para você.

  32. Rubens Leme

    O Palmeiras foi o primeiro time brasileiro a cumprir 100% dos jogos que poderia fazer em uma mesma temporada, pois disputou todas as 79 partidas possíveis, uma vez que foi à final em todos os mata-matas (mesmo no Mundial jogou as duas partidas que faria, de qualquer maneira) e ainda jogou as 38 rodadas do Brasileiro.

    Assim, Abel deu a entender que vai abrir mão do Paulista – disse que é hora de ver os que os rapazes mais jovens podem render -, para se recuperar deste massacre. Repare que o time tem entre 7 e 14 de abril, três jogos decisivos – as duas partidas da Recopa, contra o Defensa e a final contra o Flamengo. Ou seja, a pressão ainda será enorme neste primeiro semestre.

    Gostei muito da planiha de dividir o grupo de trabalho – jogadores e comissão técnica – em três e dar 10 dias de folga para cada um. O The Real Special One, inclusive, vai ver a família nestes dias.

    Enfim, é legal ver o time se ajustando e programando seu próximos passos. Mais importante do que os futuros canecos – e quero todos que pudermos obter – é criar uma estrutura que faça o time entrar em qualquer campeonato como favorito ao título.

    A integração do Andrey Lopes, vulgo Cebola, ao Palmeiras de forma definitiva, com a promessa de emprego quando Abel deixar o time, é uma prova de que já pensam em uma continuidade de mentalidade e criar definitivamente um estilo palmeirense de jogar.

    Abel disse que será muito difícil repetir o ano de 2020 com três troféus. Ele está correto. Três foram poucos. Espero cinco este ano.

  33. Rubens Leme

    O Palmeiras foi o primeiro time brasileiro a cumprir 100% dos jogos que poderia fazer em uma mesma temporada, pois disputou todas as 79 partidas possíveis, uma vez que foi à final em todos os mata-matas (mesmo no Mundial jogou as duas partidas que faria, de qualquer maneira) e ainda jogou as 38 rodadas do Brasileiro.

    Assim, Abel deu a entender que vai abrir mão do Paulista – disse que é hora de ver os que os rapazes mais jovens podem render -, para se recuperar deste massacre. Repare que o time tem entre 7 e 14 de abril, três jogos decisivos – as duas partidas da Recopa, contra o Defensa e a final contra o Flamengo. Ou seja, a pressão ainda será enorme neste primeiro semestre.

    Gostei muito da planiha de dividir o grupo de trabalho – jogadores e comissão técnica – em três e dar 10 dias de folga para cada um. O The Real Special One, inclusive, vai ver a família nestes dias.

    Enfim, é legal ver o time se ajustando e programando seu próximos passos. Mais importante do que os futuros canecos – e quero todos que pudermos obter – é criar uma estrutura que faça o time entrar em qualquer campeonato como favorito ao título.

    A integração do Andrey Lopes, vulgo Cebola, ao Palmeiras de forma definitiva, com a promessa de emprego quando Abel deixar o time, é uma prova de que já pensam em uma continuidade de mentalidade e criar definitivamente um estilo palmeirense de jogar.

    Abel disse que será muito difícil repetir o ano de 2020 com três troféus. Ele está correto. Três foram poucos. Espero cinco este ano.

  34. Luiz Fernando

    E é claro q não há como deixar de citar o recorde do Djoko de semanas na liderança, conquistado inteiramente com Federer e Nadal em quadra, não com entressafras, ou seja, períodos sem adversários a altura. Parabéns a ele e aos seus torcedores; aos cegos e recalcados de sempre, meus sinceros sentimentos kkk…

    1. Luis

      O que vale mais e’ número 1 seguido que o Deus tênis Fedex como diz Lógico kkkkk dificilmente será superado

    2. Carlos Reis

      “… não com entressafras, ou seja, períodos sem adversários a altura.” Que ridículo, que cara detestável, intragável, sempre foi! Espero que vc tome a maravilhosa va$$ina da FAIZA, tanto fizeram que a múmia paralítica do PR acabou comprando esse LIXO, espero que todos os PANDEMInions e afins tomem essa porcaria.

        1. Carlos Reis

          hahaha A va$$ina não é uma coisa maravilhosa para vocês!? Talvez a única chance de muita gente, ainda mais a da FAIZA, a mais “moderna”. Eu acho que elas são LIXO, vocês não, a princípio. Sim, é bem feio desejar o mal ao próximo, escrevi com RAIVA. Retiro o que disse, não desejo o mal a ninguém, “falei” da boca pra fora, muita gente que eu gosto certamente vai tomar, ou seja, espero estar errado. Mas todo santo dia aparecem denúncias de mortes ou de reações graves logo após a imunização. Vou até contar uma, um médico levou os pais idosos para vacinar, 2 dias depois ambos foram a óbito, e o filho adoeceu, precisando ser internado na UTI, talvez não escape. Tomar va$$ina EXPERIMENTAL não é como tomar água…

    3. Paulo Almeida

      Sim, todas elas conquistadas com enorme legitimidade na era de ouro do tênis! Obrigado pelo reconhecimento!

      Ah, Luiz, depois vou lhe cobrar os direitos pelo “sinceros sentimentos”, que utilizei no post do meu regresso, kkkkkkk.

      Abs.

    4. Sérgio Ribeiro

      Pois é , tem um jogador que de 2005 a 2008 esquentou o N 2 no meio da dal “ entressafra “ . Ao conseguir finalmente atingir o N 1 ao FINAL de 2008 , voltou ao seu posto novamente em 2009 . Saberias lembrar quem foi espertíssimo L.F . ? E no dia que o Sérvio ultrapassa as Semanas não CONSECUTIVAS no Topo , o mesmo Atleta perde finalmente o N 2 para o MAGISTRAL Medvedev. Lembras quem seja ??? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Ps. E não esquece de parabenizar também o mais Velho N 1 de toda a Era Profissional, que próximo aos 40 , volta a mídia pra sua enorme alegria rsrsrs. E também no mesmo dia rsrsrs. Abs!

      2. Gildokson

        Me diz se o Nadal não ta bem de fã Sérgio? kkkkkkkkkkkkk
        O cara desvaloriza o próprio tenista favorito no intuito de tentar diminuir o tenista que ele não gosta.
        Ahh!!! E pior. Tudo isso num comentário onde era para elogiar o feito do Nole.
        Será?! kkkkkk

  35. Luiz Fernando

    Meu São Paulo q não tem bom time e muito menos banco vai jogar todas as partidas como se fossem finais, com o mesmo time, pois tem uma carência de títulos e até o paulistinha vale. Já o Palmeiras q venceu Libertadores e Copa do Brasil recentemente deu descanso a todos, pois nosso calendário é uma piada, além de desgastante. Precisa postar qual time tem a melhor perspectiva no ano?

    1. Sérgio Ribeiro

      Não entendi , caríssimo L. F . Achei esse teu comentário como sempre muito “ confuso “ . Será que poderias esclarecê-lo melhor ? . Como o Time que ficou disparado na frente do Campeonato ( chegou a abrir 7 pontos ) durante várias rodadas , não tem bom time ? . E quem deu descanso a quem ? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk . Abs!

      1. Luiz Fernando

        Grande time, de 7 pontos de vantagem terminou em quarto e por pouco não precisou disputar a pré libertadores. Precisa falar mais? Claro q pra vc entender é preciso desenhar, mas não consigo fazer isso kkk. Abs.

  36. Rodrigo S. Cruz

    Tá vendo, Lola?

    Eu confesso que tem horas que eu sou chato mesmo, por retroalimentar certas discussões…

    Mas eu sou perfeccionista, e não aguento coisas mal explicadas!

    (rs)

    E o nosso amigo Paulo F. vem se tornando o rei das trapalhadas e gafes do blog.

    kkkkkk

    O Sérgio destaca que mesmo Wimbledon-19 tendo ido pra conta do Djoko, foi um jogo em que o sérvio, de certa forma, apanhou do suíço.

    Explico:

    o que o Sérgio NITIDAMENTE expressou foi que o Djoko apanhou dos winners do Federer.

    Ele ter vencido a partida, são outros quinhentos!

    Mas aí vem o Paulo F querendo tirar sarro do Sérgio, mas se estrepando sozinho! rs

    Ao escolher um exemplo que acaba por REFORÇAR o próprio argumento do Sérgio.

    E para tanto, ele cita irrefletidamente o Australian Open-17.

    Ou seja, outro jogo em que o suíço também aplica uma SARAIVADA de winners sobre o Rafael Nadal.

    Aí, quando o Sérgio lembra o Paulo do deslize, ele vem e tenta consertar tudo no desespero!

    Só que acaba soltando mais outro PUM mental.

    Ele retoricamente pergunta:

    ” Ah, mas o que ganha jogos afinal: são sets ou são winners?

    HA HA HA HA

    Muito engraçado esse cara, mano!

    o Paulo F é uma FIGURA!

    1. Paulo F.

      Imagina se a Maria Madalena não iria correndo acudir.
      Tão óbvio.
      Claro, argumento coisas que desagrada aos entressafreiros.
      Aí só sobra reduzir para o ad hominem.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Não quero e nem usei “ad hominem” nenhum, Paulo.

        Eu só destaquei as confusões que você fez.

        E esse tipo de coisa só ocorreu porque você tem uma dificuldade evidente de ser honesto das tuas opiniões.

    2. Paulo F.

      Fico na torcida, Rodrigo Cruz, para que a organização de Wimbledon tenha grifado na bandeja de Federer: “Campeão de winners de 2019”.

      1. Sérgio Ribeiro

        Acredito que o mane’ que se borrou todo durante a partida ainda não entendeu. A melhor devolução da história é de Novak Djokovic. E também é o que se defende melhor superando até mesmo Nadal. Não foi o suficiente pra não tomar 94 Winners e precisar salvar MatchPoints. Ou seja , a partida poderia ir pra qualquer lado. Esse argumento de que Federer é freguês do cara que sofreu para escapar de um 2 x 2 , é coisa de fanáticos onde você está incluso rs . E faltam apenas TRÊS WIMBLEDON para o Sérvio se aproximar do Rei do All England Club e Treze Títulos para ser o maior vencedor nesta superfície. Abs!

  37. Oswaldo E. Aranha

    Chadwick, quero me associar aos que já se manifestaram pela tua recuperação; pois afinal o nosso blog está se tornando uma família; é claro, como é normal, sempre haverá as ovelhas negras, que os politicamente corretos não me pichem.

  38. Rubens Leme

    Dalcim, hoje não teve nem graça. Foi um massacre e os meninos resolveram, de novo. Essa molecada deu uma motivação extra para torcer.

    Enquanto isso, na Vila Sônia, na Belmiro e no Falidão….

    1. José Nilton Dalcim

      Sou favorável a pleitearmos também a segunda vaga na Libertadores… O time B ganha de muita gente por aí.. rsrs

      1. Rubens Leme

        Mais um pouco e Weverton vira o maior goleiro da história do clube. Ele, o Gustavo Gomez e o Viña foram contratações maravilhosas,

        E 13 meninos da base jogaram este ano. Por mim, jogava com eles o Paulista.

        1. José Nilton Dalcim

          Ouvi agora do Noriega no Sportv que o Palmeiras não demitiu um único funcionário durante a pandemia. Louvável, também.

          1. Rubens Leme

            Sim, e foi o único que pagou em dia. Teve um corte de 25% nos salários e negociaram o direito de imagem para agora e já começaram a pagar. Esses títulos ajudaram a zerar o déficit, embora só irão contabilizar na conta de 2021. Mas a grana do titulo da LIbertadores e Copa do Brasil renderam mais de 100 milhões, ou seja, não precisa agora vender nenhum garoto, o que é bom porque eles ainda estão verdes (foi péssima, eu sei), mesmo campeões, precisam amadurecer mais.

            Mas há muita gente pra subir e pedindo passagem. Espero que o tal Borré do River não venha. O Palmeiras ofereceu 2 milhões de dólares, líquido por ano, durante 4 temporadas. Isso vai gerar 80 milhões para gente. Já basta queimar dinheiro com o Lucas Lima. Pro ataque tem o Wesley, o Verón, o Breno Lopes, o Gabriel Silva, Luiz Adriano, Rony e Willian Bigode e ainda vã reaproveitar o Papagaio e o Luan Silva, se um dia se curar desta lesão eterna.

          2. Sérgio Ribeiro

            Noriega somente não disse que o maior patrocínio da América Latina termina justamente ao final de 2021. Onde Leila Pereira vai tentar ser Presidente e Patrocinadora ao mesmo tempo . Isso é bom ou ruim para o Palestra , meu caro Dalcim ? Abs!

      2. Sérgio Ribeiro

        Calma , meu caro Dalcim. Você cravou que o Inter levava quando abriu 4 pontos . Nem vim tirar onda quando afirmei que os Gaúchos ainda levariam um sustinho …rs. Agora teremos a Super Copa do Brasil entre Fla e Palestra . Aceito qualquer aposta , topas ??? rs . Abs!

        1. José Nilton Dalcim

          Eu só aposto naquilo que eu possa controlar, Sérgio. Apostar as fichas nos outros? Jamais… rsrs

        2. Paulo F.

          Ele não cravou que o Inter seria o campeão.
          Perguntado sobre quem teria maiores chances, maiores possibilidades, o Dalcim disse, à época, que era o Internacional.
          Muito diferente do que cravar.

  39. Rubens Leme

    Era um sábado pela manhã e, como sempre, saí cedo de casa na minha Caloi 10, deixei-a na casa de um amigo e desci a pé os últimos 500 metros até a melhor loja de discos de Ribeirão Preto. Havia duas razões para não ir com ela até lá: primeiro, porque, às vezes, esse meu amigo me acompanhava e, segundo, porque meu cadeado era muito ruim e tinha medo de que fosse roubada.

    Minha mesada era curta, então eu economizava a semana toda, para poder comprar um vinil nacional (que custava 75 cruzados) e uma fita Hot Tape da Basf, por outros 25 cruzados. Por isso, eu juntava mais.

    Esse dia foi especial, pois era logo após meu aniversário, onde ganhava sempre dinheiro extra das minhas duas avós e do meu padrinho, já que aniversaria perto do Natal. Juntava com o dinheiro que meu pai me dava para comprar roupa pro Natal – exigência da minha mãe e sempre fazia compras ótimas sem gastar muito – e eu consegui economizar a fortuna de uns 2 mil cruzados.

    Assim, desci para a loja disposto a comprar ao menos, uns 5 ou 6 LPs. Só havia uma lei em casa: estar ao meio-dia para o almoço. A loja abria às 9 horas, então eu tinha depois uns 15 ou 20 minutos para subir a pé para buscar a bicicleta, colocar os vinis numa sacola ou conduzir a magrela com uma das mãos e os vinis embaixo do outro braço.

    A pior parte era quando começava a garoar no meio do caminho, mais grave ainda em uma descida porque os freios da bicicleta nunca funcionavam direito nessa hora. Por isso torcia, para nunca chover, até porque a parte final para a minha casa era uma longa descida.

    Infelizmente, Murphy é um sacana e a uns 400 metros de casa caiu um toró daqueles. Eu tentei brecar e, claro, nada funcionou. Era um cruzamento perigoso com uma avenida, por sorte vazia. Eu desenvolvia uma velocidade alta, uns 50 km/h na descida e vi outro cruzamento em que precisava fazer a curva para chegar em casa.

    O desespero já tomava conta de mim quando vi uma cesta de lixo, destas de calçada. Não pensei duas vezes. Ao me aproximar da calçada, joguei os vinis no gramado da frente da casa – bons tempos em que nem todas tinham muros altos – me agarrei na cesta e vi minha caloi 10 bater no meio-fio antes de parar, enquanto eu rolava uns metros no cimento e na grama.

    Levantei, e mesmo mancando, minha preocupação maior não era os meus joelhos ralados, mas os LPs. Ufa, estavam intactos. Corri até a bicicleta, tirei a camisa, protegi mais os discos e fui a pé, porque não seria louco de pedalar novamente até em casa.

    Ao chegar, escondi os discos nas plantas da garagem – meu pai ficava furioso que eu gastasse todo meu dinheiro com discos e livros – e entrei quando já estavam começando a comer.

    Meu pai viu meu estado lastimável, perguntou o que tinha feito nos joelhos. Disse que tinha tomado um tombo por causa da chuva – e era verdade – me lavei e fui comer. Logo depois, ele subiria para dormir – era um relógio nisto – e pude finalmente ir até ao meu esconderijo, recolhê-los e ouvir no toca-discos.

    Passados mais de 30 anos, ainda me lembro deste dia como se fosse hoje e desejando que tivesse sido.

  40. Arthur

    Um pouco off topic, Dalcim, mas acabei de ler a reportagem do TenisBrasil sobre a mudança no saque do Nishikori e fiquei espantado ao ver que o japonês já está com 31 – trinta e um! – anos.
    Aí fui ver como estão de primaveras outros membros da outrora conhecida ‘Nova geração”. Raonic já vai com 30 e Dimitrov, nosso grande Robinho do tênis mundial, completa três décadas em maio.
    Como nenhum deles chegou a ganhar um Slam, a idade já bateu com força e estão todos caindo pelas tabelas, já podemos cravar essa como a grande “geração perdida” do tênis mundial?

    Um abraço

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que pode sim, Arthur, mas convenhamos que essa geração aí tem jogadores um tanto limitados na parte técnica ou física e poucos deles realmente poderiam ter feito mais, caso do Dimitrov.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Raonic na parte técnica, e Nishikori na parte física…🙂

        O japinha é bom, mas o físico o limita muito.

      2. Miguel BsB

        Dimitrov tinha todas as armas pra ter vencido Wimbledon ao menos uma vez…
        Mas o mental nunca foi aquela Brastemp, e acho que sua vida de namoros com celebridades tb atrapalharam um pouco a carreira dele.

  41. Rubens Leme

    Muito legal a entrevista com o Rei dos Reis, que mostra humildade ao dizer que não se envolve na carreira do filho, porque tem gente mehor para isso. É ridículo pensar que alguém como ele poderia ser melhor conselheiro, mas não quer misturar o lado paterno com o de técnico, o que é admirável.

    O final, quando explica porque parou aos 26 anos, da falta de tesão e de privacidade, vai bem de encontro o que disse Arthur Ashe sobre ele, quando o sueco deu o adeus. “Borg é maior do que o tênis,alguém como Elvis ou Liz Taylor”. (Additionally, another contemporary Arthur Ashe told Sports Illustrated, “I think Bjorn could have won the US Open. I think he could have won the Grand Slam, but by the time he left, the historical challenge didn’t mean anything. He was bigger than the game. He was like Elvis or Liz Taylor or somebody.”)

  42. Rodrigo S. Cruz

    O japonês Kei Nishikori revelou as mudanças que tem tentado fazer no saque, devido ao histórico de lesões:

    “Decidi mudar, principalmente depois da cirurgia que fiz no cotovelo [em outubro de 2019]. Em dezembro passado, eu estava trabalhando com Max Mirnyi, Michael Chang e com um treinador japonês também. Tentei mudar o meu saque porque eu precisava de mais força, mas com menos uso do ombro. Eu estava machucando muito meu ombro também, no ano passado”.

    “Ainda não me sinto 100%, mas acho que estou no caminho certo. Eu estava fazendo bons saques nas minhas partidas aqui em Roterdã, então estou feliz com meu saque de agora”.

    “Por causa do meu histórico de lesões, sinto que ainda preciso mudar alguma coisa se tiver tempo e oportunidade. Estou realmente aberto a qualquer coisa. Claro que não é fácil e que vai demorar um pouco. Mas pelo meu corpo, farei qualquer coisa que o torne melhor”.

    Interessante… eu nem sabia que o Kei estivesse trabalhando com Max Mirnyi na melhora do saque!

    Para os mais novos e que talvez não saibam, o bielo-russo protagonizou com Guga, um dos melhores jogos de simples da carreira deste, na terceira rodada do Us Open, em 2001.

    Mirnyi foi um grande sacador, e um demônio na rede! Depois, largou a simples e foi um dos mais longevos tenistas de duplas…

    Quanto ao Kei, sempre o considerei um ótimo jogador… E merecedor de ao menos 1 Grand Slam. Pena que o físico nunca deixou.

    Ele é capaz de endurecer até contra o Djokovic, mas sem aqueles rallies eternos e aborrecidos.

    O sérvio pode ser melhor, mas nunca terá a minha simpatia, como tem o Nishikori.

    1. Miguel BsB

      Nishikori sempre foi bichado, uma pena. Tb gosto do jogo dele, e ele conseguiu grandes resultados mesmo sendo “baixo” e com pouca ajuda do saque e do físico.
      Agora, já li relatos, se não me engano está inclusive na biografia do Guga, que foi nesse jogo contra o Myrni que o quadril do manezinho piorou de vez…realmente, foi uma batalha.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Pois é, Miguel.

        Sempre irei me lembrar desse jogo.

        Eu assisti com o meu irmão e com o meu primo:

        era winner atrás de winner, dos dois lados: o Mirnyi com aces e voleios desconcertantes, e o Guga com aces e passadas fenomenais.

        Nenhum dos dois errava. Deve ter sido um dos jogos com menos erros diretos que eu já vi.

        Guga perdia de 6/7 5/7 e depois virou para 7/6 7/6 e 6/2.

  43. Rodrigo Azevedo

    Será que o Djokovic entra no top 5 da grama de todos os tempos? Essa que tem que ser a discussão. Brasileiro no geral não tem memória mesmo, as opiniões no blog apenas corroboram isso. Temos Sampras, Borg, Laver, e por ai vai…

    1. Leo Gavio

      Abaixo de Sampras e acima do resto.

      Federer foi doutrinado, mesmo sendo o maior vencedor do torneio em números ABSOLUTOS.

      Nos números relativos o suiço perde pra Sampras, Djokovic e Borg.

      O servio já deveria ter 6 titulos, e se não fossem as contusões, uns 7 titulos.

      1. Sérgio Ribeiro

        Posso te afirmar que nem Borg , nem Sampras acreditam em tamanha asneira . O primeiro foi derrubado duas vezes consecutivas ( USOPEN e Wimbledon 80/ 81 ) pelo Big Mac . E o segundo pelo próprio Suíço. És indiscutivelmente um “ sábio “ como diz alguns fanáticos do Blog kkkkkkkkkkkk . Abs!

    2. Paulo Almeida

      Laver disputava três Grand Slams na grama, então suas conquistas devem ser automaticamente relativizadas.

      Portanto, a pergunta deveria ser: “Quem tem mais Wimbledons a partir do momento em que este se tornou o único Major disputado na relva e de preferência derrotando grandes adversários?”

      Já adianto uma possível resposta: Djokovic, Borg e Sampras formam o top 3.

  44. periferia

    Rafael

    Chamado de príncipe dos pintores….Rafael é tido como um dos grandes pintores renascentista.
    Um dos quadros mais famosos do italiano é a Madona de Sistina.
    No quadro…a Madona carrega o menino Jesus…rodeada de São Sisto e Santa Barbara…com dois querubins olhando desconfiados.
    Encomendada pelo Papa Júlio II…o quadro foi vendido anos depois para Augusto III da Polônia.
    Foi transferido para cidade de Dresden.
    A obra influênciou gente como Goethe…Wagner…Nietzsche e até Dostoiévski.
    Durante a segunda guerra…a cidade de Dresden foi bombardeada pelos aliados.
    A obra foi resgatada pelo exército vermelho…carregada por rios cheios de lama…com bombas explodindo por todos os lados…em uma cidade completamente destruída.
    Transportada por trem até Moscou…ficou por lá 10 anos.
    Com a morte de Stalin a obra foi devolvida para Alemanha.
    A obra sobreviveu…continua conosco…não apenas pela sua beleza…mas pela capacidade de influenciar todos que tiveram contato com ela.
    Esperamos que assim como a Madona de Sistina…”nosso” Rafael possa continuar a influenciar todos com sua inteligência e sagacidade.

    Vida longa…feliz….e sem dor.

    1. Filipe Fernandes

      Caro Peri,

      Como de hábito, belo e inspirador texto. Referências, analogias, extrema sensibilidade e – aqui – atenciosidade sempre agudas.

      Boa semana, meu caro.

  45. Chadwick Boseman

    Obrigado ao José Claudio, Danilo, Rodrigo, Sérgio Ribeiro, Gildokson, Ronildo, Paulo F., José Yoh, André, Paulo Almeida, Maurício, Luiz Fabriciano, André Barbosa e Filipe Fernandes pelos votos de coragem e recuperação.

    Obrigado ao Dalcim por permitir que eu usasse este espaço.

    Meu tratamento não é nem pelo SUS nem particular, é pelo plano de saúde. Modesto, mas com um hospital de primeira linha, pertencente ao plano.

    Quanto ao colega Carlos Eduardo, fique à vontade para escrever para rafadmv@gmail.com. Ficarei feliz em colaborar da forma que puder.

    PS: Fiquei sensibilizado com cada uma das palavras que cada um de vcs escreveu. Paz e saúde a todos.

    Agora é comigo.

    1. José Nilton Dalcim

      Inspire-se na resiliência de Nadal, no poder de superação de Djokovic e na vitalidade de Federer que tudo dará certo, Rafael! Estamos juntos na torcida. Abs!

    2. Miguel BsB

      Meu caro Rafael, estive ausente do blog nos últimos dias, então não sei o que se passa contigo…
      Mas, pelo que me parece, trata-se de um problema de saúde. Então, mando aqui meus votos de saúde e pronta recuperação pra vc! Um abraço

    3. Luiz Fernando

      Rafael me desculpe a distração dos últimos dias, aceite meus votos de um rápida e plena recuperação. E durante seu tratamento não deixe de postar aqui. Forte abraço.

  46. Pieter

    Dalcim, o ESPN Play é um App ou um canal da TV a cabo? Precisa assiná-lo para ter acesso? Desculpe o meu desconhecimento…

    1. José Nilton Dalcim

      É um canal especial da ESPN que no entanto só é acionado pelo aplicativo. Você tem de ser assinante da ESPN através de alguma operadora para ter acesso gratuito a ele.

  47. Maurício Luís *

    Nadal vai perder o número 2 do ranking? Bom, pelo menos pra Roland Garros, não vai fazer diferença nenhuma, já que ele passa o rodo em todo mundo lá. Deviam dar pra ele um trofeu de “campeão emérito” e deixar os outros disputarem sossegados. Perdeu a graça.
    Já pra Wimbledon e demais Slams, aí sim o bicho vai pegar pra ele.
    Enquanto houver saibro, ele vai se manter entre os primeiros. É o ganha-pão dele. Um ET da terra batida.

  48. Sérgio Ribeiro

    Todos sabemos que o jogador quando está vencendo fica fominha. Mas esta decisão de Novak de ir a Miami e ainda participar de um ATP 250 em casa ( o irmão e’ diretor ) colado em MC , nem merece comentários. E não é que a superestimada Next Gen foi quem quebrou um Tabu de QUINZE anos. MEDVEDEV motivo de chacota há ano e meio pelo jogo feio , chato e outras babaquices , foi o cara a realizar a façanha de atingir o N 2 . A grande sequência de Vitórias com direito a MASTERS 1000 de Paris , ATP FINALS e Final do AOPEN 2021 , teria que render frutos. A pífia atuação na Final em nada o desmerece . A atuação do N 1 do Mundo foi irretocável. Abs!

  49. Jonas

    Em quase todos os seus títulos de Grand Slam, Djokovic teve que enfrentar alguém do Big Four para ser campeão:

    AO 2008 – Federer SF
    AO 2011 – Federer SF / Murray F
    WB 2011 – Nadal F
    US 2011 – Federer SF / Nadal F
    AO 2012 – Murray SF / Nadal F
    AO 2013 – Murray F
    WB 2014 – Federer F
    AO 2015 – Murray F
    WB 2015 – Federer F
    US 2015 – Federer F
    AO 2016 – Federer SF / Murray F
    RG 2016 – Murray F
    WB 2018 – Nadal SF
    AO 2019 – Nadal F
    WB 2019 – Federer F
    AO 2020 – Federer SF
    Exceções:

    US 2018 – Del Potro F
    AO 2021 – Medvedev F

    Vale lembrar que o Del Potro já foi campeão de Slam (US 2009) e venceu o Big Four em diversas oportunidades, ganhando títulos importantes em cima deles. E no meio desses títulos, o Djokovic algumas vezes teve que enfrentar o Wawrinka pelo caminho também, em jogos duríssimos como aquele no AO 2013.

    Se alguém tiver paciência para buscar os dados, seria legal comparar isso com os resultados de Federer e Nadal também.

    1. Jonas

      De todos os títulos citados acima, destaco 3 que devem ter tido um gosto especial para o sérvio: AO 2012, WB 2018 e WB 2019.

    2. Jonas

      Puxa, não dei o devido valor ao Medvedev.

      Eu, e boa parte dos que comentam neste blog, achávamos que Djokovic seria derrotado pelo Russo.

      Medvedev vinha de 20 vitórias seguidas e, no último encontro com Novak, venceu em sets diretos, em uma quadra dura.

      Esse título do Djokovic foi dos mais “pesados” rsrs…tratou de meter um sonoro 3 x 0 em um dos melhores tenistas da atualidade.

    3. Paulo Almeida

      Rapaz, mas essa é a questão dos Slams parrudos de que venho falando há dois anos e incluo também o último Australian Open, vencido em cima do melhor jogador da nova safra e que estava invicto havia 20 jogos.

      Creio que o Nadal tenha números bem próximos e o Federer nem chega nem a 10, considerando Del Potro e Wawrinka pelo caminho. Aliás, este esteve no caminho do GOAT nos títulos do Aussie de 2013 e 2015, tornando-os ainda mais parrudos.

      1. Jonas

        Djokovic pode, eventualmente, vencer um Grand Slam em cima de caras mais fracos, Paulo. Mas é impressionante a quantidade de gente boa que esse cara já venceu para levantar seus títulos, isso tudo com Federer e Nadal em ótima forma.

        Daqui a pouco vai se tornar o tenista que mais venceu top 10, aguardemos.

        1. Paulo Almeida

          Eu acho difícil que isso aconteça, mas vai que todos os jogadores top sejam eliminados precocemente num Slam?

          Não custa sonhar, embora bem improvável!

          Ah, temos que lembrar do Thiem no Australian Open 2020, o desafio mais duro para o Djokovic naquela campanha.

  50. Paulo Almeida

    Vou discordar do Jonas, que também voltou tecendo ótimos comentários após o enea do rei do tênis em Melbourne.

    O recorde de Masters 1000 é mais importante do que o de Finals e justifico minha afirmativa comparando o Djokovic com ele mesmo: 36 troféus desse porte, ainda mais se levando em conta um duplo Golden Masters em 9 diferentes superfícies, valem mais do que 5 daquele, disputado sempre no hard indoor. Creio que valeriam até mais do que 7 ou 8. Também posso endossar meu argumento ao lembrar que os Masters distribuem 9000 pontos ao longo da temporada e o Finals 1500 no máximo, o que é mais significativo para a manutenção da posição do tenista no ranking.

    1. Jonas

      O recorde sim Paulo, concordo. Esse recorde do Djokovic é impressionante. Só de ter vencido o masters 1000 de Roma tantas vezes, com um tal de Nadal na ativa é de se orgulhar e muito.

      Federer, por exemplo, jamais venceu o masters 1000 de Roma.

      Quanto ao Finals, apenas acho um torneio de peso maior que um masters 1000. Não só na pontuação, mas em nível técnico, já que são os 8 melhores tenistas do ano (quase sempre).

      O problema do Finals é que pode acontecer dos tenistas chegarem abaixo do seu melhor nível, por ser um torneio de fim de temporada. Aconteceu com Djokovic em 2011 e com Nadal e outros tenistas diversas vezes. Ainda assim acho um grande torneio.

      Fico feliz que tenha voltado a comentar por aqui, Paulo, sempre com uma grande capacidade em redigir textos. Um abraço!

      1. Paulo Almeida

        Pois então, eu me referi ao recorde mesmo.

        É claro que simbolicamente um Finals isolado vale mais do que 1, 2 ou até 3 Masters 1000 forçando um pouquinho a barra, mas no somatório eles acabam ganhando um peso maior, como já expliquei.

        Obrigado, também fico feliz com seu retorno!

        Abraços.

    2. Marcedo

      Ouso discordar.
      Para um Fognini, Masters 1000 é um título magnífico, pra um Murray é só mais um título, e porque digo isso, basicamente porque existem 9 torneios desse no ano, e se você for parar pra ver, um Federer da vida, jogava uns 5 torneios q fosse menor que Masters 1000, no máximo, por temporada, ou seja, Masters 1000 era mais um preparatório de GS pra ele do que um torneio muito especial.
      Claro que tipo, ganhar todos os Masters 1000 não é algo de se jogar fora, mas jamais terá a importância de um Finals, que é um torneio com uma peculiaridade especial, além de ser o único na temporada, porém acho que pecam em não revezar piso.

    3. Marcilio Aguiar

      Paulo, eu entendi a sua argumentação e em parte ela tem razão porque os MS, no conjunto sempre vão pesar mais em termos de pontuação. Para mim todos os torneios têm a sua importância pelo que representam. Não estou aqui para hierarquizar, mas tem uns que consideram WB o mais importante pela tradição e etc, no entanto distribui a mesma pontuação dos outros 3 Slams. Vamos fazer um raciocínio hipotético:
      Um só tenista ganha os 4 SLAMS na temporada e um outro ganha os 9 MS. Nos demais torneios ambos competidores conseguem a mesma pontuação. No final da temporada o que ganhou os MS se consagra como o nº 1. Pergunto: qual o feito vai ser mais destacado? O do numero 1 pela posição alcançada ou do numero 2? Para refletir.

      1. lEvI sIlvA

        Caro Marcílio, tudo bem?
        Achei muito interessante e pertinente a sua colocação. Bom, de fato naquele ano, em específico, quem chegou a N° 1 vai ter maior destaque, nas mídias e creio pela própria ATP. Ou seja, no imediato conta sim, uso maior feito.
        Mas se optamos por olhar mais adiante, na história do tênis, ter ganho os 4 Grand Slams será sempre um feito ainda mais admirável…!!!
        Sempre bom ler seus comentários e argumentações!
        Grande abraço!

      2. Paulo Almeida

        Marcilio, a hipótese que você levantou é indubitavelmente pertinente (como já dito pelo fã número 1 do Marillion Levi Silva) e não hesito em dizer que ficaria com os 4 Slams ao invés dos 9 Masters e do número 1 ao final da temporada.

        Entretanto, ela não deixa de ser uma disputa bem acirrada, o que não seria o caso entre 1 Finals e 9 M1000, concorda?

        1. Marcilio Aguiar

          Paulo, eu concordo que deter o recorde de MS tem um peso extraordinário na carreia de um tenista e o Djoko dificilmente não será esse tenista, como também ele pode chegar ao 6º ou 7º Finals e ser o maior vencedor. Acho que é uma questão com boa parte de subjetividade, mas eu entendo que para esses três que dominam o circuito nos últimos 18 anos é mais trabalhoso alcançar o recorde de Finals que MS. Em 9 torneios por ano o tenista pode não estar bem em 3 ou 4 e mesmo assim ir acumulando títulos, que em uma carreira longa representam uma porção considerável, enquanto que no Finals ele tem que estar bem naquele momento para enfrentar os melhores ranqueados do ano.
          Veja o caso do Nadal, que nunca venceu um Finals. A despeito de não ser o seu piso predileto, os 4 Slams e mais 7 MS nas duras não deixam a menor dúvida sobre suas condições para ganhar esse torneio. Abc

          1. Paulo Almeida

            Essa discussão sempre terá um grande teor de subjetividade, apesar de a objetividade dos números conseguir nortear uma melhor formulação de opinião sempre.

            Então, acredito que se o recorde de Masters fosse menos trabalhoso, o Federer, com mais tempo de circuito do que seus arquirrivais, deveria estar no mínimo na disputa ainda, mas devemos convir que o suíço já é carta fora do trabalho.

            Bom, o Nadal deixou de disputar ou chegou baleado em quase todos os Finals na última década, além de ter dificuldades naturais no hard indoor. Para mim, isso foi o mais determinante para ele não ter sequer um título.

            Enfim, o recorde de Masters exige mais versatilidade e o de Finals bater tenistas mais bem rankeados durante o torneio, embora saibamos que na prática a Round Robin tenha sido tranquila para os principais favoritos na maioria das vezes. Os últimos dois anos foram exceção, pois a concorrência aumentou bastante com o crescimento de Thiem, Medvedev, Tsitsipas e Zverev.

            Acho que cada um ficará com sua linha de pensamento no final, mas foi bom trocar ideia contigo, que considero um bom torcedor do Federer.

            Abs.

  51. Rubens Leme

    Dalcim, vi a notícia que os irmãos Cerundolo podem se tornar os primeiros a vencerem em semanas consecutivas torneios de simples e fui ver se os irmãos Mayer (Sandy e Gene) tinham feito. Negativo, embora Gene tenha vencido em uma semana um torneio de simples e Sandy, na semana seguinte, de duplas.

    Mas, resolvi investigar mais e descobri que durante 7 semanas do ano de 1982 os dois ficaram no top-10 de simples, em uma época em que John McEnroe, Jimmy Connors e Ivan Lendl disputavam a ponta e Borg ainda se sustentava no top 10, ao lado dos argentinos Guillermo Vilas, Jose-Luís Clerc e o também norte-americano Vitas Gerulaitis.

    Top 10 robusto este, hein?

    Bem, essas foram as semanas e as posições de cada um deles.

    1982.02.08 Sandy Mayer (10) e Gene Mayer (8)
    1982.06.21 Sandy Mayer (9) e Gene Mayer (10)
    1982.07.05 Sandy Mayer (10) e Gene Mayer (8)
    1982.07.12 Sandy Mayer (9) e Gene Mayer (8)
    1982.07.19 Sandy Mayer (9) e Gene Mayer (8)
    1982.07.26 Sandy Mayer (10) e Gene Mayer (8)
    1982.08.16 Sandy Mayer (10) e Gene Mayer (6)

  52. Leo Gavio

    Pra você ver como alguns Federistas são parciais.

    O maior vencedor de Wimbledon chama-se Pete Sampras. Federer conquistou o oitavo com 35 anos, perdeu uma final, no auge, pra o maior saibrista da historia e virou freguês do sérvio em 3 finais incríveis.

    Depois dele destaco Novak DJokovic, que já deveria lutar pelo sétimo titulo em 2021, caso não tivéssemos a pandemia de 2020.

    “ainnn, você quer dizer que DJokovic é maior que Federer na grama?” SIM e SIM.

    Pra quem não conhece matemática, existem números relativos e números absolutos, variáveis quantitativa e qualitativas.

    Federer é o maior em números absolutos pq jogou MUITO mais torneios do que Sampras (o maior) e Djokovic (o segundo maior)
    Djokovic ganhou 5 titulos passando por Federer em 3 finais, Nadal em uma final e uma semifinal. Imaginem se Murray ganhasse 5 Wimbledons passando 3 por federer e duas por Nadal nas fases finais, seria considerado um Deus da grama.

    A qualidade dos titulos somada à media relativa de torneios jogados vs titulos conquistados, colocam DJokovic no segundo lugar, em 3 anos deve assumir o topo isolado, coisa que deveria ser finalizado em 2022 (considerando 2020).

    Maioria dos titulos do Federer em Wimbledon foram contra PANGARÉS. Destaco o titulo grandioso de 2012, onde ele derrubou o numero 1 na semi e o de 2007, quando Nadal já tinha alguma intimidade com o torneio.

    Pra quem não entende o que eu digo, basta mudar os papeis: DJokovic conquistando as mamatas da entressafra e depois surgindo o Federer dominando tudo em 2011. È bem simples. Toda a polemica acaba com esse exercício mental:

    “O que eu acharia do Federer se ele fizesse a trajetória absurda do Djokovic e este fizesse a trajetória “mamão com a açúcar” da entressafra”. REFLITAM!!

    1. Rodrigo S. Cruz

      Risível.

      Impressionante como não se aproveita um só parágrafo do que esse cara escreve.

      É uma espécie de espantalho de milharal do blog…

    2. Sérgio Ribeiro

      Qual e’ o h2h de Sampras e Novak em WIMBLEDON ” sábio ” Léo Gavião ? Quem quebrou a invencibilidade de Pete de 33 partidas em 2001 em jogo fantástico de 5 Sets , foi um Suíço de 19 anos . Teve um Servio que perdeu suas únicas Três FINAIS feitas na Grama rápida de Queens e Halle e resolveu cair cedo de 2007 a 2011 no ALL England Club. Daí possuir apenas 6 Títulos na superfície. Mas quem sabe ele não chegue em Sampras e Federer sem precisar apanhar tanto como na última FINAL em 2019 rs. Abs!

      1. Paulo F.

        Por este “baita” raciocínio, podemos então concluir que Roger Federer também “apanhou” na final da Austrália em 2017?
        Kkkk
        Piada.

        1. Sérgio Ribeiro

          Sim caríssimo , especialista. O mesmo tomou 94 WINNERS na Final de 2017 kkkkkkkkkkkkkkkkkk. Abs!

          1. Rodrigo S. Cruz

            Impressionante como o Paulo F. se perde sozinho no próprio TILT mental dele!

            E depois tenta desastrosamente distorcer o que os outros escrevem!

            kkkkk

            Primeiro o Sérgio disse que o Djokoivc apanhou muito, apesar de ter ganhado Wimbledon.

            ( ou seja: o Sérgio claramente abordou que o sérvio apanhou devido aos winners, não aos sets)

            Aí vem o “gênio” do Paulo, e sem perceber REFORÇA o próprio argumento do Sérgio:

            ” Ah, se for pelo seu baita raciocínio, também o Federer apanhou do Nadal no Australian-17″.

            Não! Nada disso, SENHOR SONOLENTO!

            Porque o Nadal também tomou uma surra de winners na Austrália. Percebe?

            Aí, quando ele fica sem saída que (coisa que é recorrente) ele fecha com mais outra TRAPALHADA:

            ” Ah , mas o que ganho jogo é st, não winner”.

            kkkkkk

            Puta que pariu, meu irmão!

            Assim, a EMENDA FICOU PIOR DO QUE O SONETO!

            (rs)

          2. Sérgio Ribeiro

            A partida poderia ter ido pra qualquer lado. O Sérvio e sua defesa e devolução fantástica não deu conta de parar o Velhinho. Levou a partida mas assim como Sampras , sabe quem vai terminar como o maior vencedor nesta superfície. Teremos todo o tempo para conferir. Abs!

        2. Rodrigo S. Cruz

          Apanhado como?

          O Federer fez MUITO MAIS winners do que o Nadal, na ocasião.

          Você não sabe nada…

    3. Gildokson

      O problema de alguns torcedores do Djokovic é que não se contentam com tudo que ele ja conquistou e ainda pode vir a conquistar, querem antes da hora até o que ele não tem. Esse é o teu caso. Não! Djokovic não é maior do que Federer na história de Wimbledon, mesmo vencendo as 3 finais entre eles, 5 não é maior do que 8, 6 Finais não é maior do que 12 finais! Acorda cara! Djokovic é gigante de qualquer maneira, mas antes da hora não tem como reescrever a história sem que tenha acontecido os fatos.
      Se seguirmos a tua teoria o Murray seria maior que o sérvio na grama sagrada, ja que a final disputada entre eles quem venceu foi o escocês. Mas não, nós sabemos que um pentacampeão é maior que um bicampeão, e não precisamos forçar a barra invertendo os fatos.
      Abs!!!

      1. Gildokson

        E mais! Cadê o juiz de comentários que gosta de crucificar os federistas por aqui sempre? Pra falar alguma coisa sobre essa nova onda de torcedores do sérvio contando um título de um torneio que sequer foi realizado kkkkkkkkkkkkkk
        Se fosse um torcedor do Federer metendo essa ele vinha com as sete pedras do deboche nas mãos.

    4. Oswaldo Jr.

      Bom, vamo lá, em tese até concordo com algumas coisas.
      Sampras maior que Federer na grama, isso é fato. Na verdade vendo o número parelho entre o Big 3 me reforça ainda mais a ideia de que Sampras é o melhor da história tamanha a disparidade entre ele e seus rivais, porém nos atendo ao fato grama. Sampras ganhou 7 em 8, e começou a perder força quando já estava pra se aposentar, coisa que pra época era uma idade já avançada, como a de Federer com 35 em 2017.
      Federer fez coisas incríveis na grama, mas após 3 finais perdidas, e uma delas sendo a maior amarelada da história, eu cravo que Federer só conquistou tantos títulos em Wimbledon pq não tinha Djokovic no caminho, e isso eu cravo sem medo, diferente de Nadal, por exemplo, que se tivesse bom na dura na época dos 5 de Federer, talvez este ainda conseguisse ganhar os 5. Mas o caso do suíço com o sérvio é incontestável, e não se pode colocar a culpa na idade com um cara que tem dois match points e saque pra ser campeão.
      Eu ainda não considero Djoko maior que Federer na grama, mas com menos Slam’s ele pode sim ser considerado maior que o suíço, talvez com 7 GS já se possa considerar o sérvio maior que o suíço, porém acho que maior que Sampras na grama só Nadal no saibro.

      1. Sérgio Ribeiro

        Quanta bobagem junta , caro Oswaldo jr. Em 2001 Federer quebrou uma invencibilidade de 33 partidas de Sampras ou 4 anos consecutivos. De 2003 a 2007 o Suíço igualou o recorde de BORG e venceu 5 vezes consecutivas que perdura até hoje . Em 2012 bateu Novak e Murray em sequência na Grama Sagrada e retornou novamente ao N 1 . Vencer aos 35 é mérito pois superou as 7 de Sampras que poderia ter ido a 8 se não fosse o próprio. Pra completar possui 19 Títulos na superfície contra 10 do Norte-Americano , que não fugia também da Grama mais rápida com fazem atualmente Nadal e Novak. Se liga , parceiro rs . Abs!

  53. Marcilio Aguiar

    Dalcim, hoje o Marcelo Melo jogou e perdeu uma partida de simples no qualificatório do Qatar. Não assisti mas fiquei curioso. Consta que a última foi em 2013. Voce sabe qual o melhor ranking dele nas simples e até que ano competiu? Não me lembro de ter assistido a algum jogo dele ou do Bruno de simples.

    1. José Nilton Dalcim

      Marcelo foi 273 de simples. Tentou até 2007,2 2008 e aí viu que optar logo pelas duplas seria o caminho ideal. Bruno foi quase na mesma toada, tentou um pouco mais até 2010 e seu melhor foi 221.

      1. José Eduardo Pessanha

        Dalcim, eu iria perguntar a mesma coisa. Por que colocaram o Bruno pra jogar simples? Certamente, ele não teria ranking pra disputar tal torneio na modalidade simples.
        Abs

        1. José Nilton Dalcim

          Você diz o Melo, suponho. A decisão de jogar é do tenista, ninguém obriga. Como certamente o número de inscritos foi baixo e sobraram vagas, o Melo deve ter achado legal jogar para pegar melhor ritmo. Geralmente é só para isso mesmo.

  54. DANILO AFONSO

    Dalcim, vimos nos dois últimos anos o sucesso da ATP CUP, principalmente a primeira edição com público, torneio este entre países semelhante ao atual formato da tradicional Davis (ITF).

    O sucesso da ATP CUP ocorreu principalmente pela boa premiação e pontos disponibilizados pela entidade. Acredito que tal torneio aumentou mais ainda a rivalidade entre a ATP e ITF.

    Pergunto DALCIM:
    QUAL OBSTÁCULO TERIA A ATP EM CRIAR O SEU PRÓPRIO SLAM ??

    O torneio obviamente nos primeiros anos não teria o mesmo prestígio e apelo comercial, mas por contar com a participação dos melhores tenistas teria uma boa aceitação do público e telespectadores. Com o passar dos anos creio que a diferença de receita entre os Slams seria cada vez menor, e o prestígio cresceria principalmente entre as novas gerações de tenistas e torcedores.

    Sei que adoção de mais um Slam seria meio que injusto com as gerações anteriores ao compararmos a quantidade de Slams disponíveis em cada período. Mas quando olhamos para as mudanças que ocorreram no tênis e em outros esportes, a resistência dos conservadores seria atenuada com o tempo.

    Fico imaginando um SLAM fora do roteiro tradicional do tênis, em algum país da Ásia, África ou America do Sul. Tal torneio alavancaria muito a quantidade de fãs e praticantes do esporte. Um “simples” Master 1000 no Brasil com todas estrelas já arrastaria muitos torcedores e curiosos.

    1. José Nilton Dalcim

      Slam não tem a ver com grandiosidade ou premiação, Danilo. Tem muito mais a ver com tradição. Então não é apenas ir lá e criar um outro torneio e querer que o chamem de Slam, a meu ver.

      1. DANILO AFONSO

        Dalcim, a tradição realmente é um elemento importante no conceito de Slam. Quando digo da ATP “criar seu próprio SLAM”, não necessitariamente a entidade o divulgaria como SLAM, porém criaria no seu calendário um torneio disponibilizando os mesmos 2.000 pontos, jogos melhor de 5 sets e premiação diferenciada. Tal torneio obviamente teria a participação dos melhores tenistas, o que resutlaria em grande prestígio ao campeão.

        A imprensa e torcedores possivelmente nas primeiras décadas iriam rotular o torneio como um Slam bastardo ou algo do tipo, mas com o passar de várias décadas inserido no calendário, acredito que o torneio alcançaria o status de Slam.

        A ATP acertaria em cheio incluído o torneio na CHINA, no início de outubro após o final da gira asiática preparatória. O calendário obviamente necessitaria de alguns ajustes.

          1. Sérgio Ribeiro

            Depois do papai Novak chorar tanto e dizer que seu filho é mais amado na … China rs , que tal um SLAM por lá né ?. Todos os MASTERS 1000 , ATPs 500 e ATPs 250 são da ATP . E se deu ao luxo de fazer o “ Quinto SLAM “ de maneira itinerante e que já foi jogado até em SHANGAI . Este Torneio reúne os OITO melhores de toda a Temporada com premiação milionária e pontos a dar com o pau. 1500 Pontos para o Campeão invicto. Não vejo porque criar outra rivalidade entre a ITF e a ATP. Já basta a ATP CUP ser colocada como o principal Torneio de aquecimento para o primeiro SLAM do ano. Isso praticamente enterrou a tradicionalíssima Copa Davis . Abs!

  55. Sandra

    Dalcim , fiquei sem entender , porque Medevedev passou o Nadal no ranking ?? Ele só não passaria se fosse vice na Holanda ? Mas ele não caiu na primeira rodada ?

  56. Rodrigo S. Cruz

    “Em Wimbledon 2019 ele realmente perdeu a despeito de qualquer “se”.
    E em 2017 na Austrália foi a única vez que ele não foi um fracote contra Nadal”.

    Impressionante como o cara não vê problema nenhum em mentir ou distorcer as coisas…

    Eu me referi ao Nadal, e não ao Djokovic.

    Repito a pergunta: Federer perdeu a semi de Wimbledon-19 pro Nadal ???

    1. Rodrigo S. Cruz

      Aliás, desculpa Paulo.

      Foi mal.

      Agora que atinei que você se referiu ao Nadal mesmo quando disse: ” ele perdeu mesmo a despeito de qualquer se”.

      Eu li com pressa e tinha entendido que você estava falando da derrota do Federer na final pro Djokovic.

  57. Rodrigo S. Cruz

    O Tenisbrasil e outros sites ainda não deram certeza, mas achei este link com a chamada:

    ” Recuperado de lesão no abdômen, Novak Djokovic volta às quadras no Masters 1000 de Miami”.

    Ta aí, eu avisei.

    Já sabemos que ele segue inscrito no torneio.

    Mas se ele jogar, vai evidenciar ainda mais que a suposta lesão foi PARA INGLÊS VER mesmo:

    https://globoesporte.globo.com/tenis/noticia/recuperado-de-lesao-no-abdomen-novak-djokovic-volta-as-quadras-no-masters-1000-de-miami.ghtml

    1. José Nilton Dalcim

      Acho uma enorme precipitação, porque Djoko disse que faria novos exames na próxima semana. Continuo acreditando que ele não irá. E estará corretíssimo.

      1. Luis

        Mestre, eu achei que ele até poderia jogar Miami porque parece que ele sempre tira umas férias com a família depois no Caribe. Mas com essa situação do COVID realmente não vejo motivos pra ele vir pra América.

      2. Rodrigo S. Cruz

        Sim, Dalcim.

        Realmente pode ter sido precipitação esse anúncio.

        Por isso mesmo que eu escrevi – ” caso ele jogue mesmo”.

        1. Lola

          Sempre tem uns 20 ou 30 posts teus aqui, sempre refutando alguém, sempre querendo ser a última palavra. Nunca admitindo ser contrariado.
          É adepto do pensamento único.

          Aliás, o Djokovic já enviou pra ti a ressonância magnética da lesão?
          Uma figura proeminente, deveria receber em primeira mão. Kkk

          1. Rodrigo S. Cruz

            Mas isso nunca foi privilégio meu, Lola…

            Tem um punhado de caras aqui, especialmente fãs do sérvio que nunca vão largar o osso por nada nesse mundo e SEMPRE querem ter a palavra final.

            (coisa que eu frequentemente reclamo aqui).

            Então, me desculpe, mas continuo acreditando que o Djokovic simulou aquela lesão. 👍

    2. Luiz Fernando

      Por falar em “lesão p inglês ver” vc lembra de um outro atleta, q não compareceu na final do Finals 2014? Na semana seguinte ele disputou as finais da Davis jogando simples e duplas. Aí era uma contusão real ou “lesão p suíço ver”????

      1. Sérgio Ribeiro

        Já sei que é difícil pro rapaz entender os comentários , mas essa asneira já foi explicada MIL vezes. Não jogou a FINAL do ATP FINALS devido a lesão nas costas. Na semana seguinte entrou em quadra na Final da Copa Davis e foi simplesmente varrido em Sets diretos por Monfils . Jogou as Duplas e venceu ao lado de STAMIMAL . Tsonga que também se lesionou foi substituído pelo seu maior freguês Gasquet . Até de muletas o Craque o bateria , Mané. Deixa de ser preguiçoso e leia TODOS os comentários. Assim difícilmente vai passar recibo em tudo que postas rsrsrs . Abs!

        1. Sérgio Ribeiro

          Essa média que o P. F. faz com o L.F . e’ simplesmente ridícula. Não é possível que ambos não saibam que a lesão nas costas era verdadeira . Todos sabem a paixão que o Suíço tem pelo FINALS . Não deixaria de jogar uma FINAL nunca até mesmo pelos pontos em disputa. Dois manés de carteirinha rsrsrs. Abs!

  58. Nattan Labatto

    Bom dia, srs!

    O Sérgio Ribeiro postou uma grande verdade logo abaixo dizendo que Nadal é o maior no saibro seguido de longe por Borg, Federer é o maior na grama seguido de longe por Sampras e Djoko o maior nas duras seguido de perto pela lenda suíça. Mas um nobre colega retrucou indagando como pode ser ele o maior se perdeu todas as finais de WB para o seu maior arquirrival dentro e fora das quadras (rsrs). Bem, é um assunto emblemático. Fica a pergunta, Novak atingiu o ápice da técnica e evolução tenísca neste piso, pois derrotou seguidamente o “MAIOR”? Ou será que se o sérvio fosse teletransportado jogando o nível pós 2011 para os anos 2000 à 2008 teria varrido o circuito tal como fez Roger, ou teria feito mais estrago ainda? Ou os adversários desse período de dominância do Federer não obtiveram o nível dos semi-deuses Nole, Nadal e Fedex, tal qual se encontra a maioria dos tenistas atuais?

    A verdade é que nunca saberemos, só conjecturamos.

    Abs

    1. Sérgio Ribeiro

      O rapaz tá começando , caro Nattan. E como muitos se apega no h2h . Pra quem verdadeiramente assistiu a Final de WIMBLEDON 2019, sabe que poderia ter ido pra qualquer lado. O que prevalece são as Conquistas. Em 14 edições em que participou em Londres, o Servio venceu Cinco. Sampras jogou lá somente até os 31 e faturou SETE. E Federer OITO . Difícil para o garoto compreender que ambos AINDA são os maiores vencedores na Grama Sagrada , se até marmanjo repete a ladainha rs. Abs!

      1. Geailton

        Como é difícil a interpretação de texto por parte dos escravos do Federico aqui. Em nenhum momento foi falado que o sérvio é maior que o suiço na grama. O número de titulos em WB dizem isso. Só foi contextualização pelo faro3 do Federer estar longe dos outros onde domina e perto onde não domina. Por esse caminho, o servio estaria no minimo lado a lado com o suiço pelo fato de ter vencido TODAS as finais contra o rival na sua casa

        1. Sérgio Ribeiro

          Errado . Para o Servio estar mais perto ele não poderia ter caído tantas vezes cedo quando já era N 3 do Mundo em 2007 . Sua imaturidade não foi compensada pelo h2h positivo de 3 x 1 com o Suíço em WIMBLEDON. Fica frio que eu sei que é difícil para o Geaiton entender rs. Abs!

    2. Rodrigo S. Cruz

      Ótimo comentário, Nattan!

      Que diferença faz o comentário de alguém com honestidade intelectual e compromisso com a verdade.

      Outro nível…

      Parabéns 👏👏

    3. Paulo Almeida

      Nobre Nattan, Djokovic é o rei do hard (com muita folga), da grama e do tênis em geral. Fregueser tomou três pauladas do sérvio em Wimbledon e só tem mais títulos graças a Philippoussis, Roddick, Cilic e Nadal feto mero saibrista. Nem cabe muita discussão.

  59. Vitor Hugo

    Com a volta de Federer, o tênis vai sair da mediocridade, reapresentado pelo maior número 1 fake da história, Novak simulaVICE.
    Como é bom ter a volta do MELHOR E MAIOR DISPARADO de todos os tempos de volta!

    1. Lola

      Teve coisa bem pior, um governo que distribuía dinheiro para ditaduras amigas, dinheiro nosso, construiu Estádios superfaturados, dinheiro nosso,
      Deixou o país em frangalhos, desviou 242,00 bilhões da saúde e outros tantos absurdos q parece q tudo q o outro faz é coisa pequena.

      1. Miguel BsB

        Não existe coisa pior do que essa coisa que tá na presidência…
        Corrupto, lunático ,mentiroso, e que tá deixando centenas de milhares morrem nessa pandemia, lavando as mãos, jogando a culpa nos outros como sempre fez na vida.

        1. Marcelo F

          Legal. Na época dessa matéria, 1997, eu era assinante da Folha de S. Paulo. Me lembro que às quartas, no caderno de esportes, tinha uma coluna sobre tênis. Quem assinava era o Thales de Menezes. Ele, até onde eu sabia, não era um especialista em tênis (comentava sobre música e cinema também), mas era bom entendedor e o texto muito legal de se ler. Não tinha muita internet ainda, não tinham blogs, etc. Confesso que, antes da existência desse “nosso” querido site, minha única fonte de informação sobre o tênis era por lá. Me lembro que todos os dias a Folha publicava os resultados dos jogos dos principais torneios e, ás quartas, o ranking. Bons e saudosos tempos…Abs.

          1. Rubens Leme

            Eu era do esportes antes da Ilustrada, fiz muito essa página de resultados e até ajudei o Thales com umas pautas para a coluna dele, que não era lá grande coisa.

  60. Oswaldo E. Aranha

    Ontem, dia 5 de março, foi o Dia Nacional da Música Clássica”, aniversário de Villa-Lobos.

  61. Rubens Leme

    Em 1998, trabalhava no Lance! e montava o especial de Copa do Mundo, quando me pediram para entrevistar o maior número possível de jogadores que disputaram Mundiais.

    Um dos que constavam na lista era o goleiro Barbosa, que morava de favor num quartinho no litoral paulista. Consegui o telefone, mas não a entrevista porque ele cobrava e o jornal se recusou a pagar. Depois de sua morte fiquei sabendo que era uma exigência da dona do imóvel, porque era a única fonte de renda que o ex-goleiro tinha. Imaginei o quanto ele não sofreu internamente com essa degradação.

    E, ontem, li algo igualmente degradante, que foram os últimos dias de Maradona, que era trancado num pequeno quarto com um banheiro químico que pode ter sido o responsável pela infecção que o matou, enquanto médico e herdeiros discutiam o que fariam com a fortuna do maior camisa 10 pós-Pelé

    Xingam o Maradona de drogado e outras coisas, mas sempre foi uma figura humana e jamais permitiria ou faria isso com um parente ou qualquer ser humano e, no entanto, era mantido pelo médico – que o chamava de velho tonto – e filhos quase como um escravo.

    O ser humano é capaz de atrocidades por dinheiro. Infelizmente, nós brasileiros já normatizamos esse tipo de coisa, tanto que somos o único país que faz piquete e barricadas contra o lockdown, enquanto as mortes se aproximam das 2 mil diárias.

    Para quem quiser saber mais de um lado pouco conhecido de Diego de la gente, deixo essa história abaixo:

    https://calciopedia.com.br/2020/10/maradona-napoli-varzea-acerra.html

    1. Marcilio Aguiar

      Leme, belo exemplo. O carque argentino, por mais imperfeito e controvertido que fosse, sempre demonstrou uma genuína preocupação com os menos favorecidos e nunca temeu enfrentar os donos do poder no futebol. Teve atitudes que poucos em sua posição tiveram ou têm coragem de assumir.

  62. Chadwick Boseman

    Bom, meus compadres

    Após falar sobre a final do AO deste ano, comentei que dali para a frente iria disputar meu SLAM particular. Depois de aproximadamente 6 meses e passando por médicos tais como vascular, endocrinilogista, ortopedista, neurologista e, finalmente, um neurocirurgião; após fazer dezenas de exames, após perder, nesse tempo que falei, progressivamente, a mobilidade e a força nas pernas, muito do equilíbrio do tronco, sofrer de dores na coluna e ardência nas pernas horríveis, não dormir sem dor, o simples fato de ir ao banheiro tornar-se uma tortura (estou de cadeira de rodas há algum tempo). o laudo da ressonância magnética apontou para uma hérnia de disco extrusa em determinada parte da coluna, classificada pelo neuro como “gigante” e, em outra parte, na dorsal, a existência de um tumor na medula. O laudo do radiologista inclusive sugeriu, para o neuro considerar, duas possibilidades (dois tipos) de tumor, a serem considerados no diagnóstico, e esas possibilidades, CASO CONFIRMADAS após a biópsia, são sempre benignas. Porém, são POSSIBILIDADES, só saberemos realmente do que se trata após a biópsia. Obviamente, vou ter de operar, primeiro esse tumor e depois a hérnia. Tomara que os casos de COVID caiam até dia 19 e que SP saia da fase vermelha, para q ninguém crie problemas para fazer cirurgias eletivas.

    Então, como venho falando há algum tempo, cuidem da saúde, façam seus exames, exijam dos médicos o porqûe das coisas que eles falam, procurem segundas opiniões, gastem menos tempo com bobagens, discussões infantis, mostrar a língua um para o outro… principalmente quem pode fazer melhor do que isso.

    Quando somos jovens, não damos a devida importância ao tempo, porque pensamos que, teoricamente, temos muito dele. À medida em que vamos envelhecendo e o tempo que temos pela frente torna-se menor do que o que ficou pra trás, deveríamos aproveitar para fazer apenas as coisas (fora as nossas obrigações) que realmente importam, conversar só com quem agrega valor, evitar aborrecer-se à toa, relacionar-se, ler, fazer um esporte que nos agrada, ficar com a família (se vc se dá bem com ela) ou com amigos; se vc for sozinho, aprender a apreciar sua própria companhia, procurar manter a mente (e o corpo) limpos de qualquer tipo de lixo. A morte virá de qualquer jeito; assim, aproveite o tempo que vc tem aqui.

    Se nada mudar, dia 18 agora vão marcar a data para eu entrar na máquina de fatiar salame. Até lá, como vcs podem imaginar, estou física e emocionalmente um caco. Como já disse uma vez pro Maurício aqui, já vivi bastante, não tenho medo de morrer. A merda é sofrer. Mas vamos ver no que dá tudo isso.

    Esse é meu Slam particular.

    Abraços a todos.

    PS: O Sr.Boseman, mesmo após diagnosticado com um câncer bem ruim, continuou trabalhando, foi a mesma pessoa com seus pares, brigou pelo que acreditava e por sua cura, tudo ao mesmo tempo. Faleceu, é verdade, mas não dobrou os joelhos nem para a morte. Essa foi minha inspiração para adotar o nome dele nos últimos tempos.

    1. Rodrigo S. Cruz

      Caramba, brother! 😱
      Estou atônito!

      Eu sinto imensamente receber tais notícias sobre a tua saúde, Rafael. 😞

      Acho que temos vivido tempos de escuridão tão grande que as próprias trevas se podem apalpar!

      Tenho duas irmãs e um irmão, e eu era de todos o que mais tinha ligação afetiva com a minha mãe que perdi ano passado.

      Portanto, faço muito ideia do que seja passar por um problema de saúde grave.

      Só posso te dizer pra que nunca abandonar a fé e a esperança.

      E conte também com as minhas orações e corrente para que o teu restabelecimento seja completo.

      Um abraço.

    2. Sérgio Ribeiro

      E que você vença este seu Grand Slan particular , caro Rafael . E de preferência em Sets diretos. Grande Abraço !

    3. Marcilio Aguiar

      Rafael, desejo que a cirurgia e o tratamento posterior sejam bem sucedidos. Que voce recupere plenamente a saúde e continue a dividir conosco este espaço emitindo suas opiniões de grande conteúdo humanitário. Boa sorte!

    4. Ronildo

      Rafael, você é uma pessoa verdadeira (sem hipocrisia), possui sensibilidade para fazer julgamentos (sobre temas), torço por você.

    5. Jose Yoh

      Rafael, você tem o seu slam e nós estamos na sua torcida!

      Muita força e encare sempre as coisas com bom humor, mesmo sendo muito difícil. Escreva aqui sobre qualquer coisa, para manter a mente ocupada.

      É a forma que temos para ajudar nem que seja um pouco…

      Grande abraço

    6. Barocos

      Rafael,

      Poucas coisas são mais irritantes e deprimentes do que ter a dor como companhia, seja ela de origem física ou psicológica. Que a cirurgia marque o fim de suas mazelas.

      Estimo-lhe melhora expedita e completa.

      Saúde e paz.

    7. Carlos Eduardo Crotta

      Senhor Chadwick Bosseman, boa noite.

      Estou respondendo a respeito do seu caso que colocou aqui neste blog. Seu problema de coluna, que acredito que você tenha, é muito parecido com o meu. Sou do Rio de Janeiro e gostaria de entrar em contato com o senhor, seja por e-mail ou pelo WhatsApp. Por gentileza, entre em contato comigo para que possamos discutir sobre as possibilidades de melhoras em ambos os casos. estou tentando buscar respostas ao meu problema no sistema público de saúde e acredito que o seu tratamento esteja sendo feito em algum hospital particular, mas que podemos chegar a um denominador comum apresentado tanto pelo de meus médicos quanto pelo seus. Obrigado.

    8. Luiz Fabriciano

      Meu prezado, não sei o que é Deus para você, mas para mim, é meu criador, inclusive o seu também. E somente Ele é capaz de elucidar nossas questões. Vivemos passando por provas diárias e nem nos damos conta.
      Ao contrário do que muitos acham e afirmam, a vida é longa e o caminho pode ser pedregoso. Qual o sentido de habitarmos um lugar com bilhões de anos e vivermos metade de uma centena? Nossas escolhas definem nossos destinos.
      Lute e… melhoras para você.

    9. André Barbosa

      Rafael,

      Não costumo comentar muito por aqui, mas faço questão de desejar o melhor para você. Espero que tudo seja resolvido da melhor forma e o mais rápido possível.

      E que sirva de exemplo, inspiração ou qualquer outro adjetivo cabível para os que usam esse espaço para falar bobagens ou fazer provocações sem sentido. A vida é curta demais para perder tempo com esse tipo de coisa.

    10. Filipe Fernandes

      Caro Rafael,

      Desejo a você totais melhoras em sua saúde, em todos os sentidos. Puxa, você tem passado por várias aflições e provações, mas tomara que os acontecimentos neste mês de março convirjam para tudo vir a dar certo em sua recuperação.

      Infelizmente, as notícias que vêm chegando de São Paulo e de várias outras cidades do país têm sido preocupantes e lamentáveis quanto à saúde pública, logo é preciso ter esperança (e que, ao máximo, colaboremos) para as condições hospitalares – públicas e privadas – estarem o mais adequadas possível para os que delas necessitam.

      Meu caro, desejo que você fique bem. Neste um ano e pouco em que frequento o Blog do mestre Dalcim, foram muitas as admiráveis demonstrações de consciência, brio e caráter sobre diversas áreas que pude notar da sua parte.

      Um grande abraço, caro Rafael, que você tenha uma boa recuperação.

    11. PIETER

      Mr Boseman,

      Parabéns pela sua coragem e serenidade em expor o seu problema de saúde.
      Eu serei mais um na torcida para que, o mais breve possível, você possa ouvir de quem de direito um game, set e match para vencer, da melhor forma possível, esse difícil GS, como são todos os eles.
      Desejo-lhe uma ótima recuperação e que recupere sua saúde.
      Grande abraço.

  63. Alberto

    A ATP pode adotar o critério que quiaer que não conseguirá desbancar o monstro sérvio do topo da lista de maior tenista da História.

    A máquina de atropelamentos seguirá sua rotina de vitórias e conquistas. A única dificuldade dele será encontrar imóveis que comportem tantos, troféus.

    Se o abdômen não o atrapalhar, o espanhol vai ser amassado no barro francês neste ano.

    Aguardemos …

      1. Alessandro Siqueira

        Nada, absolutamente nada, irá superar a lavada de 2008:

        Nadal 3 x 0 Roger Federer, 6-1, 6-3 e 6-0.

        1. Sérgio Ribeiro

          Errado. Na outra até o treinador de Novak o considerava favorito. Federer jamais. Foi uma das derrotas mais vergonhosas da história de RG pelo clima criado em torno dela. Sem choro , abs!

          1. Alessandro Siqueira

            Lembrando que após a SURRA DE CINTA em Roland Garros, o suposto REI DA RELVA foi destronado em Wimbledon. Djokovic, após a sova em RG, manteve seu reinado na Austrália.

          2. Sérgio Ribeiro

            Destronado de que mane’ ? Perdeu por 9 x 7 no Quinto para Nadal na que foi considerada uma das três maiores partidas da história. E repetiu a atuação em 2019 contra Novak . Na época não teve desculpa de Mononucleose e coisa e tal … Este é o verdadeiro Craque. Abs!

          3. Alessandro Siqueira

            Mané deve ser os seus negos. Superado isso, vale a máxima: perdido por um, perdido por mil. Levou a maior surra em RG e, se não bastasse, perdeu na quadra em que seria o maior. O troféu do slam inglêm de 2008 tem o nome de Nadal e é isso que a história conta.

  64. Rodrigo S. Cruz

    E a nossa FORMIDÁVEL Beatriz Haddad Maia continua nos orgulhando!

    Ainda que seja em torneios de pouca expressão…

    Depois de furar o qualy, e depachar a cabeça 1 do torneio com direito a PNEU, a Bia foi além e ganhou uma rodada dupla ontem!

    Assim, a paulista já está na semi do torneio ITF de Newport Beach.

    E do jeito que vem jogando, atropelando todas que vêm pela frente, acho que será a campeã…

  65. Marcilio Aguiar

    Hoje revi um filme de 1971 que, embora não seja uma obra prima, se tornou um clássico do gênero “road movie”. É a estória de um anti-heroi, solitário, transgressor, sem futuro, mas capaz de atitudes que denotam integridade de caráter. Um DJ cego é o seu parceiro e “anjo da guarda” nessa aventura. Mesmo à distancia e sem nunca terem se conhecido eles estabeleceram uma ligação, que para mim é o melhor do filme. Assisti pela primeira vez há muito tempo, em uma sessão coruja nas madrugadas da Globo (Não vi no cinema e nem sei se foi exibido no Brasil). Na época gostei muito e hoje, ao rever, continuo achando um ótimo divertimento, datado, mas que representa muitos valores da geração Woodstock. Um ótima trilha sonora e atores que não fizeram carreiras de destaque, a exceção de Charlotte Rampling, em um ponta.

    Chama-se “Vanishing Point” (corrida contra o destino).

    1. Rubens Leme

      Me lembro deste filme, é bem divertido. Sobre a Charlotte, uma curiosidade: ela participou de um dos melhores filmes de Paul Newman, O Veredito, onde ele vivia um advogado bêbado e decadente. A certa altura, ele faz uma cena em que dá um tapa na cara dela e muita gente da produção ficou receoso que as mukheres ficassem furiosas. O diretor Sidney Lumet falou que era bobagem e que iria filmar assim mesmo, pois era vital pro filme.

      Pois Paul deu um tremendo tapa nela e a reação do público foi positiva, pois Charlote fazia um papel detestável. O filme rendeu a sexta indicação (e derrota) ao Oscar e ele só ganharia com A Cor do Dinheiro, em um desempenho muito inferior.

      Ela também fez um dos filmes mais tensos que já vi, O Porteiro da Noite, de Liliana Cavani, com um final angustiante.

      1. Marcilio Aguiar

        É isso, Leme. Assisti a ambos os filmes citados e são ótimas dicas para serem revistos nesse momento de reclusão domestica. Se não me engano, O porteiro da noite, ficou muito tempo censurado no Brasil e foi liberado durante o período da “abertura lenta e gradual.

        Outra reprise que vi recentemente foi “O destino bate à sua porta” com Jack Nicholson e uma das minhas musas, Jessica Lange.

        Já tenho engatilhado para assistir novamente “Crimes of the Heart” com Sissy Spacek , Jessica Lange, Diane Keaton e Sam Shepard.

        1. Rubens Leme

          Eu tenho o destino bate à sua porta em DVD e talvez seja o auge da beleza da Lange, ela está pegando fogo. E ainda há a participação da parceira de quase 20 anos do Jak, a Anjelica Huston.

          É um filmaço.

      2. periferia

        Olá

        O filme incomoda….O Porteiro da Noite.
        Apresentar uma mulher judia que esconde todo o horror que passou…usando o desejo como fundamento.
        É quase uma brincadeira de esconde-esconde .
        Se usa as trevas e o medo para justificar o desejo…ao mesmo tempo se usa o desejo para esconder o horror.
        O inglês Dick Bogarde que já tinha feito um papel no mínimo polêmico em Morte em Veneza…abraça outro personagem complexo…com a bela (e vesga) Charlotte Rampling.

        1. Rubens Leme

          Sim, o filme todo é pertubador e ela sempre gostou destes filmes. Do Woody Allen, fez o maior criticado dele, Memórias, que o próprio diretor de fotografia Gordon Willys o considera uma homenagem a 8 1/2 de Fellini, embora Woody negue.

  66. Nattan Labatto

    Uma pena o essa ausência do Stanimal em Miami. Mais um nome de peso infelizmente! O cara que conseguiu arrancar 3 Slam em pleno domínio do big 3. Batendo Nadal, Federer e Djokovic em cada uma dessas conquistas.

    Até imagino ele contando para seus netos: “Numa era dominada por titãs e semi-deuses eu fui lá e fiz meu nome vencendo o maior de todos em duas finais de Slam em pisos distintos.”

    💪🏻👊🏻

    1. Rodrigo S. Cruz

      Também sou fanzaço do Stan quando ele joga em nível alto, nobre Nattan.

      Pena que ultimamente ele caiu numa fase bem ruinzinha… 😁

      1. Nattan Labatto

        Somos dois, Rodrigo. Fiquei resignado com ele depois de RG 2016, porém, o nível de tênis apresentado por ele foi tão alto e único que a raiva saiu na urina rsrs

    2. Jose Yoh

      Não é para qualquer um mesmo. Coisa para herói grego. Fora algumas partidas homéricas contra o sérvio que embora não sendo finais tiveram influência na história dos slams.

    3. Carlos Reis

      kkk Comentando sobre o Wawrinka só para elogiar o GOTI deles pela 1.000ª vez… Vira o disco, tá chato pra boné.

      1. Nattan Labatto

        Kkkkkkkkkkkk

        Deixa a gente ser feliz, Carlos!

        O disco é trocado a cada temporada, acontece que os 3 continuam fazendo história. Imagine Federer ganhando Wimbledon pela nova vez. Será mais épico ainda devido a idade etc… Logo, não me ofenderei se ele for apontado como o maior e melhor de todos pela milésima vez, pois faz jus ao predicado.

  67. Ronildo

    Nunca gostei muito de Serena Willians, assim como não gostava de Sharapova.

    Porém uns 10 anos atrás a Serena Willians praticamente abandonou o circuito por um tempo. Acho que foi no período em que a Dinara Safina e a Caroline Wozniacki chegaram ao topo do ranking da WTA. Supondo que ela mantivesse a concentração total no circuito, tal como Federer, Nadal e Djokovic, quantos slans teria? 30 slans?
    Sei não, acredito que Serena foi a maior tenista que já exístiu. Se não for, apenas Martina Navratilova rivaliza com ela. Martina Navratilova dava muita importância às duplas e venceu muito mais títulos assim. Se por acaso Navratilova se concentrasse apenas no circuito de simples, quantos slans levaria? Uns 30?

    Para mim a maior tenista de todos os tempos está entre as duas: Serena ou Navratilova.

    Contra Steffi Graf pesa o fato de que quando Mônica Selles estava vencendo tudo, recebeu a facada nas costas e à partir daí sua carreira desandou, beneficiando Steffi.

    Pra mim o SE conta sim!

    Porque nem sempre os números expressam qualidade absoluta!

    1. Sérgio Ribeiro

      Então, caro Ronildo. Mas Seles retornou ainda aos 23 vencendo de cara o AOPEN 96 . Até 99 quando resolveu se aposentar precocemente aos 30 alegando lesão, a Senhora Agassi venceu ainda 5 SLAM . Mas perdeu Indian Wells para a sensação Serena e Wimbledon para a futura N 1 Davenport neste ano. Enquanto isso Monica insistiu mais 4 Temporadas e não deu sorte com 1 x 5 e 1 x 9 com as Irmãs Willians . Elas levaram juntas 30 SLAM pra casa . Seles teve problemas sérios nos pés e de peso. Sinceramente acho que Steffi Graf não tem culpa de nada . Mas é óbvio que tudo isso é apenas a minha opinião. Abs!

  68. DANILO AFONSO

    Há 11 anos NADAL gravava um clipe ousado com a cantora Shakira. Rolou até beijo no vídeo:
    https://youtu.be/_3-GiVIE8gc

    O vídeo teve tanta repercussão que os “palhaços” DJKOVIC e Troicki fizeram um vídeo satirizando o clipe na sala karaokê disponível em Roland Garros.

    https://youtu.be/WZIdQlj80FM

    Não consigo imaginar hoje em dia o espanhol fazendo este tipo de aparição, ainda mais ele cada vez mais reservado.

    1. Nattan Labatto

      Kkkkkkkkkkkkkkkk

      Eita, Danilo! Meu Nolista favorito me vem com mais uma pérola kkkkkkkkkk

      Rindo litros aqui rsrsrsrs

      Será que Piqué tem um pé atrás com o Nadal?

    2. Luiz Fabriciano

      Nadal também protagonizou um comercial de cuecas com a belíssima modelo israelense Bar Rafaelli. Cenas quase quentes, kkk. Mas achei ele “travado” .
      Sobre o clip dos sérvios, é hilário.

  69. Rodrigo S. Cruz

    E o gênio, o indomável, o magistral (desculpa LF) “Paulinho da Força” diz que vai insistir na sua tese de doutorado!

    Segundo a qual, o Miúra é favorito contra o Federer em todo tipo de quadra, e todo tipo de circunstância.

    E mais: que isso é o ÓBVIO!

    (rs)

    E o motivo dado para tão “inexorável”afirmação ?

    O confronto geral, claro!

    De modo que se seguirmos seu raciocínio, fatalmente concluiremos o seguinte:

    caso o Federer passe o Nadal no h2h, ele também vira FAVORITO NO SAIBRO!

    Uau, uau!

    Meu Deus!

    Obrigado por presentear o mundo com tão incrível Mestre do Saber!

    Será que ele dá autógrafo?

    1. Paulo F.

      É a minha opinião e sim, Nadal é favorito em todo e qualquer piso contra Federer, até mesmo numa quadra de areia lunar.

      1. Paulo F.

        E a minha opinião é baseada também no aspecto psicológico – à exceção do AO 2017 (e põe exceção nisso) Federer sempre amarela para Nadal.

        1. Sérgio Ribeiro

          Essa é a sua excessão , né alienado comentarista ? . Rafa Natal NÃO vence Roger Federer em NENHUMA superfície fora o SAIBRO desde 2015 . Como pode amarelar sempre MANÉ ???????? . O maior passador de recibos disparado do Blog do Dalcim e do Site tênis Brasil rsrsrs. Abs!

        2. Rodrigo S. Cruz

          Como assim, Austrália é única exceção?

          E os Masters de Indian Wells, Miami e Shangai, todos de 2017 ?

          Cada vez você se enrola mais…

          Primeiro, era o h2h, agora já é o psicológico, em seguida será A COR DAS CUECAS… rs

      2. Gildokson

        Pow Paulo, a semi de WB19 comprovou que ao menos na grama ele nunca vai ser favorito contra o Federer. Ele venceu a batalha de 2008 nos detalhes num jogo que pra mim deveria ser interrompido por falta de luz natural, mas perdeu as outras 3 por la.

    2. Vitor Hugo

      Reajuste bom senso e inteligência faltam para o cidadão. Cada argumento imbecil do raoaz… incrível!

        1. Sérgio Ribeiro

          E realmente você precisa mesmo de elogios. Continue babando ovo do Servio que os parças resolvem essa tua carência rs. Abs!

  70. periferia

    Um avó..um neto…uma rodovia beira mar.

    O senhor de 60 anos diz.
    -Não seria melhor ir devagar para podermos apreciar a paisagem??
    O neto segurando o volante da Ferrari como se tivesse nascido com ele…responde:
    -Vovô….uma Ferrari como essa não foi feita para andar devagar…ela é toda moderna…foi feita com a melhor tecnologia disponível.
    -Estamos perdendo as montanhas e o lindo mar…insiste o saudoso velhinho.
    – Escuta esse motor -diz o jovem – são 720 cavalos.
    – Mas para onde estamos indo com tanta presa ???
    – Não interessa o destino…o que importa é que o senhor está em uma Ferrari…e quem está em uma Ferrari tem que chegar sempre rápido…mesmo quando não sabe o destino.
    Nem bem acaba de falar…o jovem escuta um som estranho.
    A Ferrari foi perdendo potência e para no acostamento…sem sinal de “vida”.
    O jovem olha desolado para o super carro…
    Longe….avista um carro se aproximando.
    Era um Karmann Guia conversível 67…motor 1500 com 52 cavalos…um clássico.
    O carro parou…saiu uma loira que só de pernas tinha 1m30.
    Ela olhou para o vovó e disse:
    – Vamos???
    O vovó não se fez de rogado…baixou a capota…sentou ao lado da loira e singelamente disse para o neto:
    -Desculpe…o carro só tem dois lugares.

    1. Jonas

      Me incomoda o fato do Djokovic ter sido prejudicado nessa pandemia. Esse recorde de semanas totais que era de Federer já deveria ter sido quebrado há muito tempo.

  71. Sérgio Ribeiro

    Tanto trabalho para fazer um Ranking “ isento “ como este e o Grego resolve estragar tudo. MEDVEDEV fez a sua parte e tratou de se despedir de cara nesse fortíssimo ATP 500 de Roterdã, e com isso deixar quieto o N 2 para o Touro. Já Stef TSITSIPAS bateu num sufoco danado Khashanov , e roubou o N 5 do Craque na véspera de seu retorno. A ATP pensou em multa-lo pela ousadia. Já avisou que se tentar se aproximar de Novak até abril será desclassificado em quadra rs . Rublev com direito a Slices e uma penca de Aces , já avisou que vai vingar o Suíço nesta Semi que promete rsrsrs. Abs!

  72. Paulo Almeida

    Considero justo, visto que o calendário continua totalmente desfigurado em relação ao seu normal.

    Djokovic, por exemplo, mais uma vez não poderia somar muitos pontos na dobradinha Indian Wells/Miami e já teria que chegar defendendo 3200 pontos na gira europeia do saibro e depois os 2000 de Wimbledon. Dessa forma, o GOAT entrará mais relaxado para seguir ampliando seus números absurdos de Big Titles e de Weeks Number One.

      1. Flavio

        Mestre Dakcin eu tenho uma dúvida e até hoje eu não consegui achar respostas, então eu quero que vc me esclarecesse quem é o maior campeão de ATP 250? Eu achava que era o maestro (Federer) mas nas estatísticas não consta isso, e só coloca que ATP 500 e finals é o maestro , Slam o maestro e o Nadal, Master 1000 é o Djokovic , então e o ATP 250 é quem? Abraços!

        1. José Nilton Dalcim

          Há uma certa controvérsia quanto a isso, Flávio, porque essa denominação é muito recente e a ATP precisou converter os torneios das décadas de 70 e 80 nessa nova nomenclatura, muitas vezes se corrigindo após algum tempo. Hoje, é considerado o maior vencedor de ATP 250 o Connors (59), seguido pelo Nastase (46). Já nos 500, Lendl e Federer empatam com 24. Abs!

  73. Luiz Fernando

    Creio q na segunda feira Djoko vai se tornar o jogador com mais semanas na liderança do ranking, só não entendo como um simples maratenista sem técnica, considerado como a melhor devolução da história deste esporte, será capaz de um feito desta ordem. Mas o q vale é o numero de semanas seguidas, não o total kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!! Conta outra, foi uma ótima piada kkkkkkkkkkk. Aqui é diversão garantida kkkkkkkkk…

    1. Paulo F.

      Claro, vale mais para o Brasil o bi consecutivo de 58-62 do que o penta total de títulos né ?
      Hahahahahahahahahahaha!!!!

    2. Sérgio Ribeiro

      E segue o baile do TUDO menos Roger Federer… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Continuas firme no seu Post de 2017 “ Eu odeio o Suíço “ kkkkkkkkkkkkkkkkkk. Abs!

      1. Luiz Fernando

        Eu não enrola p postar: eu não gosto do Federer mesmo, e daí como diria nosso magistral presidente? Mas o q eu não gosto mesmo é de tentativas de mascarar e deturpar a realidade. Segunda feira Djoko será o recordista de semanas na liderança do ranking, sem choro de perdedor, o cara apenas deverá ser enaltecido pelo feito q os fanáticos de sempre consideravam como inigualável e agora vão tentar minimizar kkk. Abs.

  74. José Eustáquio Masculino Cruz

    Boa tarde a todos ATP e WTA podem vislumbrar este sistema de pontos mas não podem cravar pq está sendo mais fácil não ir.há e o dinheiro e que dinheiro a não ser para os tenista de challangers e olhe lá,estamos em um beco sem saida queria acreditar que terá Olimpiadas mas dúvido.os comentários não falam nada disto da miséria dessa praga que estamos vivendo que ninguém está a salvo.vamos conclamo a todos pensarem nisto!!!

  75. Marcedo

    Pois é, oq defendo é que após Santiago 2020 tudo tem que ser relativizado, inclusive o ranking.
    Claro, Nadal ganhou Roland Garros, isso não tem duvidas, ele tem 13 GS, mas em relação ao recorde de Masters 1000, não vai ser justa qualquer tipo de contagem, pois Monte Carlo não foi jogado ano passado, o mesmo vale pra GS, por conta da vergonha e ganância de Wimbledon.
    Em relação ao ranking tbm, jogar uma temporada com 3 Masters 1000 e 3 GS é totalmente diferente de jogar uma o ano todo com 9 Masters 1000 e 4 GS, por isso o n1 no fim da temporada de Djokovic tinha que aparecer com uma observação.
    Outra coisa é o número de semanas de Federer no top 10, acho que a ATP deveria fazer ele sair do top 10 de algum jeito, já faz mais de um ano que ele não joga e ainda permanece lá, e provável permanecer por mais um bom tempo, tipo, uma regra de que com 6 meses de inatividade o seu ranking é cortado pela metade, sei lá.
    Enfim, 2020 jogou as estatísticas pelo ralo e agora fica muito mais complexo pra se analisar quem é o GOAT, a única certeza que eu tenho é que esse GOAT não é Federer.

    1. Luiz Fabriciano

      Mas já tem uma observação no #1 de Djokovic ao final da temporada 2020: igualou o record de Pete Sampras.
      São os únicos com 6 temporadas.

  76. Maurício Luís *

    Eu só acho que a ATP tem que tomar cuidado nos cálculos do ranking pra não deixar nenhum ZERO cair no chão.
    Quanto ao Federer ser beneficiado, olha, ele pode voltar e entrar como cabeça-de-chave em qualquer torneio, que é o que vai acontecer. Mas que ninguém me peça pra por a mão no fogo que vai “passar o rodo” em todo mundo igual aconteceu na última parada.
    Só acredito que ele vai voltar às grandes vitórias vendo com meus próprios olhos. Por enquanto, considerando a idade dele, continuo dizendo que não acredito em milagres.
    E o baloeiro pouca telha? Tô aguardando pra ver se a tal infiltração de emergência vai ter alguma consequência. Uma coisa é tirar a dor, outra é resolver o problema. ” Uma coisa é uma coisa, e outra coisa… aí já é OUTRA COISA.”

  77. Rubens Leme

    Estreou hoje na Prime Amazon, Um Príncipe em Nova York 2. Assisti ao trailer e constatei o óbvio: aquele humor sutil, inteligente e preciso foi substituído por esse humor de hoje, grosseiro, tosco, nos mesmos moldes das comédias nacionais. Um festival de frases dispensáveis, personagens lamentáveis e cenas constrangedoras.

    É irritante ver grandes astros do passado revirar o passado para fazer mais algum dinheiro e continuar em evidência, sem se preocupar com o legado. Em respeito a um dos meus filmes cômicos favoritos não verei essa bomba.

  78. Rubens Leme

    São tempos estranhos. Fala-se em Olimpíada, mas não há o menor clima olímpico em canto algum, quase não se fala em seletivas ou competições. Nem o próprio Japão crava 100% que terá.

    Esse congelamento até 2022 vai dar muito pano pra manga. Bom para o Wild que não perderá os pontos de Santiago, mas fica aquela pergunta: e se a pandemia não passar? e se piorar, o congelamento irá continuar?

    Não perca essas e outras respostas na mesma bat-hora no mesmo bat-canal (embora só com o Burt “Robin” Ward, porque o eterno Adam “Batman” West, não está mais entre nós).

    1. José Nilton Dalcim

      O WI
      ild não ir a Santiago tentar o bi é algo estranho… Só posso imaginar que ele pediu convite e não deram.

      1. Rubens Leme

        Ou será que não foi por causa da má forma dele? O menino está jogando nada. Seria estranho recusarem um convite pro atual campeão. Medo dele espalhar covid por lá?

    1. José Nilton Dalcim

      Ah, obrigado! Acho que os 260 (mil) de ontem me deixaram tão abalado que acabei trocando. Abs!

  79. Sandro

    Com certeza os mais beneficiados com o ranking foram os tenistas que não jogaram “praticamente NADA em 2020” como Federer e Kyrgios e continuam pulando torneios em 2021…
    Por mim, jogadores como Djokovic e Nadal nem deveriam disputar Olimpíada, deveriam se concentrar nos Grand Slams, Masters 1000 e ATP 500. Essa gincana olímpica é uma coisa ridícula, não valorizo em nada o tênis olímpico. Nadal é um Campeão Olímpico, mas que diferença esse título faz na carreira dele? Qualquer um dos incríveis 13 títulos em Roland Garros são muito mais relevantes na carreira de Nadal do que essa medalhinha dessa gincana olímpica.

    1. Luiz Henrique

      Acho que esse talvez tenha sido o pior comentário que já vi aqui
      Nada vale mais no mundo esportivo que um ouro olímpico
      Acho que vc tivesse falado que Gasquet é o GOAT eu acharia menos absurdo

      1. Sandro

        Errado meu amigo!
        Ouro Olímpico vale muito para esportes genuinamente olímpicos, já para o tênis 🎾 não vale muita coisa. O Ouro olímpico de Nadal nunca superará nenhum dos seus 13 títulos de Roland Garros.
        O Ouro olímpico de Michael Jordan nunca superará os seus títulos da NBA.
        O Ouro olímpico do Messi nunca superará suas Champions Leagie.
        Agora, para Ulsain Bolt que disputava um esporte genuinamente olímpico, o ouro olímpico em é bem relevante.
        Para o tênis 🎾, o ouro olímpico não tem relevância, até porque o tênis ficou afastado dos Jogos Olímpicos durante muitos anos, até o ano de 1988. A maioria das olimpíadas sequer teve torneio de tênis 🎾. E o tênis nunca precisou de Olimpíadas para ser grande.

        1. Luiz Fernando

          Não tem mesmo, o Djoko chorou ao ser eliminado no Rio pq ele estava com unha encravada e dor muito forte…

        2. Sérgio Ribeiro

          E como sempre se superando. O Tênis teve sua estreia em Olimpíadas logo na primeira em Atenas 1896 . Até 1924 , os títulos ficaram somente nas mãos de Britânicos, Franceses e Norte-americanos. Em Amesterda 1928 , foi retirado. Sua volta se deu já aberta aos Profissionais em 1988 e dos Bigs somente Rafa Nadal e Andy Murray ( Bi-campeão) conseguiram o OURO. Não precisa explicar o motivo de tamanho recalque … Abs!

          1. Sérgio Ribeiro

            Ps. O Tênis participou de 17 Olimpíadas a vera e 2 como exibição. Como parâmetro tivemos no Total 21 Copas do Mundo de futebol. Abs!

      2. Sandro

        Errado meu amigo!
        Ouro Olímpico vale muito para esportes genuinamente olímpicos, já para o tênis 🎾 não vale muita coisa. O Ouro olímpico de Nadal nunca superará nenhum dos seus 13 títulos de Roland Garros.
        O Ouro olímpico de Michael Jordan nunca superará os seus títulos da NBA.
        O Ouro olímpico do Messi nunca superará suas Champions League.
        Agora, para Ulsain Bolt que disputava um esporte genuinamente olímpico, o ouro olímpico é bem relevante.
        Para o tênis 🎾, o ouro olímpico não tem relevância, até porque o tênis ficou afastado dos Jogos Olímpicos durante muitos anos, até o ano de 1988. A maioria das olimpíadas sequer teve torneio de tênis 🎾. E o tênis nunca precisou de Olimpíadas para ser grande.

          1. Sérgio Ribeiro

            Vavá, Zozimo , Gerson, Falcão, Roberto Dinamite , Edinho , Júnior, Mauro Galvão, Dunga , Jorginho , Rivaldo, Ronaldo Fenômeno , Ronaldinho Gaúcho , Roberto Carlos , Bebeto , Romário… E muitos outros. Nenhum deles arrumou nada . Os dois últimos fizeram a dupla em Seul 88 . Mesmo o baixinho falastrão fazendo 7 gols , perderam a final pra Rússia. Messi acabou com o Brasil nos 3 x 0 na Semi 2008 . Argentina Campeã e até hoje os Alemães estão ZERADOS rs . Abs!

    2. Jonas

      Discordo. É importante sim, tanto que Djokovic adoraria ter uma medalha de ouro.

      Ordem de importância: Grand Slam, ATP Finals, ouro olímpico, masters 1000>>>resto.

      Não é necessário citar competição por equipes.

    3. Barocos

      Sandro,

      Pergunte ao Djokovic, Federer, Nadal ou qualquer outro tenista para ver o que eles acham. Houve um tempo em que os grandes do tênis não se importavam muito com o ouro olímpico, mas isto foi há muito, muito tempo atrás.

      E não se esqueça, olimpíadas são de 4 em 4 anos e a maior parte dos tenistas que se mantém entre os melhores só vai ter a chance de participar de 3 delas, apenas os excepcionais, i.e., Federer, Nadal e Djokovic sonham com 4 ou mais participações (no caso do Federer, 5).

      Saúde e paz.

    4. Sérgio Ribeiro

      Cara , na boa . Mas uma vez você só pode estar de brincadeira . Já tinhas nascido na RIO 2016 ??? . O N 1 do Mundo saiu aos prantos após o 6 x 7 , 6 x 7 para Juan Martin Del Potro novamente o tirando da possibilidade do Ouro . Delpho coloca essa partida como a melhor de sua carreira. Federer vai levar toda a família para Tóquio 2021 . As duas irmãs Willians as maiores vencedoras da história Olímpica estarão presentes . Assim como TODO o TOP 10 . Mas uma total demonstração de desconhecimento do Esporte como um todo. Abs!

    5. Gildokson

      Ainda bem q essa opinião é só tua, pq teu tenista preferido mesmo é um que chorou que nem um bebê ao ser eliminado NA PRIMEIRA rodada da última Olimpíada. Pq será neh? kkkkk

  80. Luiz Fernando

    Paire teve um ataque, ou um dia, de fúria, quando li sobre o incidente advinha quem me veio a mente???? Claro, Kyrgios. E o ranking mudou p favorecer Federer, imagino as postagens aqui se o maior favorecido fosse Djoko kkkk…

    1. Sérgio Ribeiro

      Torces mesmo para Nadal ? rs . Ou entrastes para turminha do Sítio do Robson ? kkkkkkkkk . Qualquer alteração no Ranking fica simples de entender caso favoreça o Craque Suíço. A ATP está se lixando para número de semanas . O Mundo todo quer apreciar seu possível tour de despedida . Fizeram questão de já colocá-lo nas Olimpíadas . As jogadas geniais estão de volta ao menos até 2022. Os apreciadores do Esporte devem ter aberto um largo sorriso . Menos o Sérvio que vai ter mais trabalho em WIMBLEDON 2021 rsrsrs. Abs !

        1. Michel P. Z.

          O Rodrigo já vem aqui tomar as dores.
          Repito: o Sérgio entende muito de tênis. Obrigado por todas as informações e análises. Mas interpretação dos textos dos outros e redação dos próprios textos são muito difíceis de entender.

          1. Sérgio Ribeiro

            Desculpe pelo Português que realmente é muito ruim , Michel. Mas muda o disco e leia devagarinho que você entende . Somente não fique repetindo o que diz o mané do L F , tá bom ? Abs!

        2. Sérgio Ribeiro

          Não entendeu não caríssimo baba ovo mor do Sérvio ? Jura ?… Kkkkkkkkkkkkkkk. Sim , quanto ao Ranking é óbvio que estava de sacanagem quanto a ter que favorecer o Craque. Mas pensando bem os Idosos tem preferência inteligentíssimo L. F . rsrsrs. Abs!

          1. Sérgio Ribeiro

            Ps. Como sei das suas dificuldades leia o trecho “Impacto Olímpico “ no Post . Qualquer dificuldade pergunte ao autor rs. Abs!

  81. Marcilio Aguiar

    Na postagem anterior o Periferia traçou um paralelo entre os títulos brasileiros do Flamengo de 1980 e 2020 e isso provocou comentários de participantes, também em uma linha nostálgica sobre o tema futebol e outros temas. Lendo tudo aquilo eu tive uma identificação plena, não sei se pela vivência ou pelo meu modo de ser. Não renego o progresso material e não lamento viver em um mundo em que o desenvolvimento tecnológico nos permite realizar coisas, presenciar eventos e ter acesso a conhecimentos que nem sonhávamos ser possíveis. Por outro lado parece que perdemos algo no que se refere à relação com as pessoas e com um modo de viver mais simples.

    Esse “bate papo” dos amigos me trouxe à memória fatos da minha juventude nos anos 1970, relacionados ao futebol e à cultura, que me trazem a sensação que o Brasil, apesar da modernização, é um pais mais “pobre” hoje. Cito três dessas lembranças que podem parecer banais e conversa de velho para os mais jovens, mas foram muito prazerosas de serem vividas:

    1) Tenho muita nostalgia dos cinemas de Rua. Nos anos setenta eu morava na Praça Marechal Deodoro em São Paulo e ia a pé para todos os cinemas da Av. São João e da Av Ipiranga. Voltava para casa de madrugada sob o viaduto do minhocão e não sabia o que era medo, ainda que houvesse algum perigo;

    2) Assisti a uma partida do Campeonato Paulista entre dois timaços de Ponte Preta X Guarani no Pacaembu. Craques como Zenon, Careca, Carlos e Dica em campo. O Bugre venceu por 2 x 0. Primeiro “Derby” fora de Campinas com Pacaembu lotado.

    3) Algo impensado no Brasil tosco e ignorante de hoje. Também em 1979, em frente à livraria Siciliano no calçadão da 24 de maio, assisti a um debate entre o Físico da USP professor Jose Goldemberg e o Empresário e Escritor Kurt Mirow, brasileiro de origem alemã ou russa. O debate era sobre energia nuclear, tema de lançamento de um livro de Kurt e assunto do momento em virtude da construção das usinas em Angra. Presenciar aquele debate foi algo extraordinário de que me lembro até hoje. Não consigo imaginar algo semelhante em uma rua popular do “emburrecido” e tosco Brasil atual.

    Saudações.

    1. Rubens Leme

      Cinema de bairro, ingressos a 10 reais, andar de bicicleta o tempo todo, ficar o sábado de tarde vendo Grandes Momentos do Esporte na TV Cutura, Esporte Espetacular e depois os programas musicais na mesma Cultura, alguns com meu saudoso amigo Kid Vinil apresentando.

      Marcílio, eu pegava minha Caloi 10, com 12, 13 anos, saía da minha casa perto do Shopping Ribeirão, onde mal tinha asfalto e ia pedalando (tinha uma ladeira infernal) até a Riberânia, na casa de um colega, onde deixava a magrela e ia assistir os jogos do Botafogo, no Santa Cruz. Vi Sócrates, Zé Mário, Chiquinho, Raí, Mário Sérgio, Lola, Paulo Egídio assim. Entrávamos com o jogo começar, pois o porteiro abria depois do jogo começado. Dava até para sentar nas cadeiras cobertas.

      Os cinemas eram aqueles antigos, de vários tamanhos e tipos, com programação variada. Se lembra dos “cinemas de arte”? Cansei de ver os filmes “difíceis” lá. Agora só tem blockbuster a 40 reais onde ganha dois baldes na entrada, um de coca e outro de pipoca. É dali por cardiologista.

      A informação era escassa, não exisitia tv a cabo, só os mesmos canais, mas as pessoas eram mais civilizadas. Adorava sentar com o meu pai e meu avô (quando ia visitá-lo) aos domingos e ler o Estadão e a Folha de cabo a rabo. Lia tudo, até os editoriais, sem entender patavinas. Absorvia qualquer linha de conhecimento que pudesse.

      Os jogadores tinham caras de jogadores, não esse monte de moleque imbecil com esses cortes de cabelos ridículos, tatuados completamente e sempre levantando os dedos para cima quando fazem gol (eu sempre levanto o meu do meio para essa cena).

      Volantes e zagueiros eram os mais feios e assustadores, os famosos beques de fazenda com aquelas caras simpáticas, tipo Chicão.

      Os times do interior eram recheados de craques, até os anos 90. Imagine você que o Guarani começou o Brasileiro de 1995 jogando com Amoroso, Djalminha e Luizão antes do primeiro ser vendido. Hoje, não se conhecem mais ninguém ou os uniformes, todos carimbados e cheios de patrocinadores.

      Envelhecer é mesmo uma merda. Dizem que o cérebro tem a tendência de cobrir os buracos das lembranças com imagens mais adociçadas do que foi. Se for assim, devo morrer diabético em pouco tempo…rs

    2. Rogério R Silva

      Marcílio,boa tarde.
      Olho para o passado e consigo ver pouca coisa melhor nos dias de hoje.
      O que vejo de melhor é a comunicacão mais rápida.
      Antes mandavamos carta para nossa avó e demorava um mês para ela receber.
      Até uma ligação de telefone demorava para dar linha ou a atendente completar a ligação.
      Hoje é instantâneo!
      Mas as pessoas preferem mandar mensagem a ligar e ouvir a voz do interlocutor.
      E muitas vezes ligamos e a pessoa não atende.
      O mundo mudou para pior.
      As pessoas também.

      1. Jose Yoh

        Sobre a comunicação, penso que há uma diferença grande.

        Antes enviávamos poucas mensagens, inteligentes e agradáveis à pessoas que gostávamos e conhecíamos.

        Hoje enviamos muitas mensagens, estúpidas e desagradáveis para pessoas que detestamos e sequer conhecemos.

        Alguns devem continuar enviando aquelas poucas mensagens agradáveis de antigamente. Mas poucos conseguem um saldo positivo entre os dois tipos de mensagem.

        A tecnologia fez emergir um triste mundo de tristes pessoas. Basta ler diariamente os comentários neste blog e comprovar isso. Continuo a ler porque alguns poucos o fazem valer a pena.

        1. Rubens Leme

          “Antes enviávamos poucas mensagens, inteligentes e agradáveis à pessoas que gostávamos e conhecíamos.

          Hoje enviamos muitas mensagens, estúpidas e desagradáveis para pessoas que detestamos e sequer conhecemos.”

          Essa definição é uma preciosidade, em todos os aspectos e resume bem o mundo de hoje.

          1. Jose Yoh

            Obrigado Rubens. Um grande elogio vindo de você, sempre um dos que fazem o blog valer a pena com suas dicas de filmes e músicas. Um abraço.

    3. Luiz Fabriciano

      Também sinto determinadas saudades.
      Nessa época citada por você, éramos, no Brasil, x milhões de habitantes. Hoje somos 3 x milhões de habitantes.
      Todos querem sobreviver.
      Uns lutam para “matar” seu leão diário, com inteligência, respeito e acima de tudo, honestidade.
      Outros tantos, lançam mão de outras armas.
      Daí nosso declínio, ainda que menor que na antiguidade, moral, demonstrando – aparentemente – vivermos num mundo pior que outrora já foi.
      Saudações.

  82. Rodrigo S. Cruz

    “E ainda ousas cobrar desonestidade dos outros…”

    (rs)

    Desonestidade eu nunca vou cobrar mesmo.

    Agora, HONESTIDADE, aí sim.

    Mais um ato falho para a vasta coleção do senhor. rs

  83. Wladner

    Penso que faria mais sentido que o jogador que decidir jogar um torneio deveria ficar com os pontos que conquistar. Essa regra de ir jogar e se perder antes da etapa do ano anterior e ainda manter os pontos do ano anterior não faz o menor sentido. Pra mim só vai manchar o recorde de Djokovic pois mesmo que perca alguns torneios ainda manterá muitos pontos.

    1. Alessandro Siqueira

      Por que mancharia? Djokovic está em primeiro e estaria em primeiro se houvesse o descarte regular dos pontos. Se estivesse em primeiro em razão da regra de manutenção dos pontos, ok, poderíamos questionar. Mas, não, não é a hipótese.

  84. Rodrigo S. Cruz

    “Federer perdia final para Djokovic já no longínquo 2007.
    Ah, esqueci….segunda a lógica Cruciana, se for daquele tempo, não vale hahahaha”.

    Bom, se a lógica paulo-fake-nina, usar de embuste para dar ao Nadal favoritismo que ele não tem, aí não vale mesmo!

    E agora te deixo o meu ” hahaha”.

    Pronto, deixei…

    1. Ronildo

      Djokovic foi o único número 1 da atp que perdeu jogo para tenista de 38 anos. Não conheço outro caso.

      1. Luiz Fabriciano

        É verdade.
        Mas quando esse tenista é Roger Federer, está tudo certo, porque deveria perder mesmo.

    2. Rogério R Silva

      Boa tarde Rodrigo.
      Sei que é um direito seu mas você perde muito tempo com essas discussões.
      Falo direto com você pois acho que você tem recursos para conversas em outro nível.
      Forte abraço.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Difícil, viu.

        Ler mentiras EXPLÍCITAS e deixar passar batido, é algo que me custa muito fazer…

  85. Marcilio Aguiar

    Com a ausência de tantos torneios no ano passado e a alteração/não realização de outros neste ano, não haverá formula perfeita que agrade a todos. Confesso que não tenho opinião formada sobre o que seria melhor, até porque, apesar de gostar dos números, não estou com disposição para me aprofundar na análise desses critérios. Só espero que ao final de 2021 tenhamos uma classificação que seja pouco impactada pelas exceções.

  86. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo F.]

    “Histórico é histórico.
    Patética é a tua tentativa de usar o atual para engavetar o vergonhoso, patetico, ridículo e díspar mano-a-mano de Federer ante Nadal”.

    NÃO, NÃO É.

    Não fui que fiz uso do vocábulo “óbvio” para sustentar uma óbvia mentira! rs rs

    O Nadal perde pro Federer no histórico de jogos nas duras e grama.

    E é isso, cara. Acabou.

    Você vai falar mais o que ? rs rs

    Não adianta citar vitórias JURÁSSICAS do Rafa, nas duras, e nem apelar pro histórico geral.

    Porque isso não faz dele favorito nas duras nunca.

    Coisa que até o meu cachorro consegue ver… rs rs

    1. Luiz Henrique

      Eu não sabia que só as duras importava. Obrigado por me contar.

      Por falar nisso

      Nadal tem 13 vezes mais GS que Federer no saibro
      Federer só tem 2,2 vezes mais GS que Nadal na dura

      Logo Nadal está 5,9 vezes mais perto do Federer na dura do que Federer de Nadal no saibro

      Na grama Federer ganhou 4x mais GS que Nadal

      Logo, Nadal está 3,25 vezes mais perto de Federer na grama do que Federer de Nadal no saibro
      Obrigado

      1. Paulo F.

        No confronto Nadal x Federer, segundo os federistas, não se pode contar o saibro e só vale o retrospecto dos últimos 5 anos (apenas porque é uma das poucas situações que favorece o “lindinho” suíço).
        kkkkkkkkkk
        Piada!

      2. Rodrigo S. Cruz

        E você me viu fazendo essa comparação com o saibro?

        LÓGICO que o favoritismo do Nadal no saibro é sempre maior que o do Federer nas duras!

        Mas você (como sempre) tem uma mania chata de PEGAR O BONDE ANDANDO e palpitar de modo equivocado!

        Volte na pasta anterior e entenda a discussão:

        O Paulo F. sustenta que Nadal é favorito contra Federer nas duras.

        Inclusive disso que isso seria “óbvio”.

        Você concorda com uma afirmação tosca dessas?

        Só falta, né…

        1. Luiz Henrique

          Tudo bem, desculpe Rodrigo
          Realmente, se Federer estiver em alto nível, como estava nos últimos anos antes dessa parada, teoricamente é favorito contra Nadal na dura sim.

          1. Rodrigo S. Cruz

            Parabéns pela honestidade, Luiz.

            E ainda bem que (ainda) existe um pouco de vida inteligente na internet…

      3. Sérgio Ribeiro

        Rafael Nadal é de longe o maior Saibrista de Todos os Tempos . Seguido de longe pelo mítico BJÖRN BORG . Federer é de longe o maior vencedor na Grama Sagrada com 19 conquistas , seguido de longe por nada menos que Pistol Pete Sampras com 10 . O resto é o resto pois o melhor nas duras Novak Djokovic , é seguido de perto pelo Craque Suíço rs . Abs!

        1. Geailton

          E o “melhor da grama” perdeu todas as finais no seu torneio preferido para seu rival. As x venho aqui pra dar umas risadas

        2. Willian Rodrigues

          Perdão Sérgio, mas, esta sua análise foi muito simplista!
          Djokovic não possui maior quantidade de títulos não grama porque não priorizou esses torneios. Em Wimbledon, templo sagrado desse piso, parece-me que ele tem retrospecto muito favorável contra o “rei-dos-reis”. Ou isso não é um fato??!
          É, no mínimo, desonestidade intelectual afirmar que Djokovic não teria mais títulos na grama se entrasse com frequência nos Atos 250 e 500…

          1. Sérgio Ribeiro

            Meu caro , desonestidade intelectual é o que tu cometes diariamente no face Tênis Brasil repetindo a exaustão o papinho de h2h junto a um monte de fanáticos. Novak em suas tentativas na Grama mais rápida conseguiu chegar a três Finais . Uma em Halle e duas em Queens . Perdeu todas cumpadre . E passou a pular os preparatórios coisa que Sampras e Federer nunca fizeram. Possui menos Títulos na Grama tanto em WIMBLEDON como nos outros. Daí ter apenas 6 Títulos na superfície. Procure sempre se informar melhor antes de postar sandices rs. Abs!

      4. Gildokson

        Nossa que exercício forçado pra tentar diminuir o Federer. Meu Deus!!
        Daqui uns dias essa cara vai ser citado aqui como se cita um Dimitrov da vida, é cada matemática pra comprovar a superioridade dos rivais, que a gente fica até zonzo.

        1. Luiz Henrique

          Gildokson, eu nunca fiz exercício para diminuir Federer ou Djokovic

          Sabe qual é a prova disso?

          Desafio alguém a achar um comentário meu falando em entressafra, ou que tal título de um ou outro foi pq um ou outro estava machucado, ou pq teve sorte, ou pq a chave sei lá o que, ou que as conquistas de A ou B valem menos pq o estilo de jogo sei la o que

          Não, jamais, nunca fiz nem farei isso
          Pq pra mim TODAS as conquistas de TODOS os jogadores foram merecidas
          Quem ganhou SEMPRE mereceu
          O que fiz foi apenas dizer que Nadal estava mais próximo de Federer e Djoko nos GS na hard/grama do que os mesmos estão de Nadal nos GS do saibro
          Apenas uma análise matemática comparativa
          Federer e Djokovic merecem todas as suas conquistas e marcas assim como Nadal

    2. Paulo F.

      Claro que é óbvio.
      Federer amarela para Nadal e a minha opinião é que SIM, É ÓBVIO que Federer perderia para Nadal numa hipotética final entre ambos num USO.

      1. Luiz Henrique

        Eu não entendi bem se o debate era quem seria favorito em um confronto na Hard ou no USO
        Se for na hard genericamente, diria Federer
        Agora no USO…
        Pq assim, embora Nadal tenha perdido nos últimos anos, a única em 5 sets na hard foi aquele jogo no AO q Federer ganhou em 5
        E olha que o retrospecto geral lá é 3×1 Nadal, mesmo Nadal sendo zicado no AO e Federer tendo tido mais sucesso lá do que no USO nos últimos 10 ou 11 anos
        Então no USO eu iria de 50 a 50, pra me posicionar mais só vendo como ambos estariam jogando para opinar

        1. Rodrigo S. Cruz

          Na verdade, o debate era sobre qualquer quadra dura, Luiz.

          Só que ele viu que a besteira dele era gigante demais, e tentou minimizar, dizendo que falou do Us Open.

          Mas, de qualquer forma, até no Open o Federer deveria, pela lógica, ser considerado favorito.

          Já que tênis é momento, e em quadras de piso e velocidade similar o suíço tem batido o Nadal…

      2. Rodrigo S. Cruz

        Pois é.

        Assim como ele perderia OBVIAMENTE em Wimbledon 2019 e Australia 2017.

        E você se lascou em ambas…

        1. Paulo F.

          Em Wimbledon 2019 ele realmente perdeu a despeito de qualquer “se”.
          E em 2017 na Austrália foi a única vez que ele não foi um fracote contra Nadal.

          1. Rodrigo S. Cruz

            Você não trabalha coma verdade mesmo. única vez como?

            Depois do Australian-17 o Nadal foi VARRIDO de quadra em mais TRÊS Masters 1000!

      3. Jose Yoh

        “Óbvio”

        Uma palavra muito usada por aqui no blog, normalmente quando não se tem argumentos para embasar esse óbvio.

        Federer não perde para o Nadal em uma hard desde 2015.

Comentários fechados.