Djokovic e Osaka: rumo ao Olimpo
Por José Nilton Dalcim
21 de fevereiro de 2021 às 16:19

O Australian Open sobreviveu aos piores temores, chegou ao fim sem sustos e deu de presente ao tênis a perspectiva de que Novak Djokovic e Naomi Osaka estão no rumo certo para concretizarem seus sonhos particulares. O sérvio há muito tempo já figura na elite do tênis, está no mínimo entre os três mais bem sucedidos de todos os tempos e caminha para uma sucessão de recordes que tende a acabar com a discussão sobre quem é o maior. Osaka rouba de vez os holofotes do circuito feminino, com qualidade em quadra e postura fora dela. Fixa uma imagem de liderança, algo difícil de se fazer aos 23 anos.

Novak é uma mistura de solidez e agressividade, representante mais que perfeito do tênis moderno. Às devoluções desconcertantes e ao trabalho de pernas primoroso, que lhe permitem jogar sempre perto da linha do começo ao fim de qualquer ponto, agregou ao longo dos anos um voleio muito respeitável, slices para mudar o ritmo e deixadinhas que confundem o oponente. Agora, aprimorou o primeiro saque. Com isso fica ainda mais ofensivo e economiza energia. Esse arsenal já seria demais, porém Djokovic ainda exibe capacidade emocional muito acima da média. Destrói raquetes, briga com o box, não disfarça a frustração. Seu raro dom é transformar tudo isso em combustível.

A quatro meses dos 34 anos, joga o melhor tênis do circuito em quase todos os aspectos, faz um calendário habilmente enxuto e dá sinal de que prolongará a carreira por várias temporadas. É bem verdade que contusões têm sido um fantasma permanente. E talvez sejam a mais alta barreira que o separa de se tornar o maior colecionador de troféus de Grand Slam. Nunca esteve tão perto dos recordistas e, à exceção do saibro de Roland Garros, tem de estar no topo da lista de favoritos para Wimbledon e US Open. Ainda mais agora que possui saque quase tão devastador como sua devolução.

Essa versatilidade é o que falta ainda a Osaka. Seus quatro títulos de Slam vieram na quadra dura, seu habitat natural. O desafio então é evoluir nos outros dois pisos. Não há um motivo aparente para que não brilhe na mesma proporção em Wimbledon, onde saque e força valem muito, mas o saibro exigirá adaptações. A habilidade em obter ângulos, o que não é tão comum entre as mulheres, deve facilitar isso. Me parece uma questão de determinação.

O circuito e os bastidores do tênis feminino já enxergam Naomi como a sucessora de Serena Williams no domínio dos grandes títulos e na representatividade das mulheres no esporte. A timidez dos primeiros tempos tem sido superada sem pressa. Seu engajamento nos movimentos sociais norte-americanos ou na repreensão ao dirigente olímpico japonês mostram isso. A diferença talvez entre Osaka, Serena e Djokovic seja a amplitude da ambição. Ela diz se contentar com ‘sete ou oito Slam’, o que seria um lugar mediano na história, e sonha com uma vida mais normal, pouco compatível com o tamanho de sua popularidade e faturamento crescentes.

Medvedev decepciona
Difícil entender o que aconteceu com Medvedev. Temos de considerar o russo um tenista experiente e com grande espírito de entrega. Mas ele simplesmente desabou após perder o saque e o primeiro set. Nem mesmo com a ajuda que Nole lhe deu, ao jogar sem intensidade no game inicial do set seguinte e permitir quebra, serviu para alguma coisa. O russo, que tanto aposta na sua firmeza da base, só fez bobagens e teve outros poucos momentos de um tênis ao menos aceitável daí em diante. Irritado e frustrado, entregou-se na parte mental, sem capacidade de achar uma solução tática que não fosse bater na bola de qualquer jeito. Surpreendente.

Djokovic por seu lado foi muito inteligente. Ao perceber que o russo estava cada vez mais perdido, tratou de alimentar seus erros. Ficou firme nas trocas de bola, colocou o adversário de um lado por outro e só foi para as bolas decisivas quando já tinha Medvedev nas cordas. Ganhou sem fazer grande esforço. Parecia certo de que Nole tinha ainda muito mais a dar, caso fosse necessário. Não foi. Alexander Zverev, quem diria, apertou muito mais do que Medvedev.

Dentro do seu estilo tão peculiar, Medvedev ainda só pode sonhar com Slam na quadra dura. Ele até se vira no saibro, mas tem um bloqueio em Roland Garros e está muito atrás dos concorrentes. A grama é um universo estranho, com bolas que quicam mais baixo, exigem um slice ao menos razoável e um jogo de rede decente, coisas que ele ainda precisa trabalhar muito. Ainda assim, não ficarei espantado se ele roubar a vice-liderança de Nadal nas próximas semanas. Se o ranking da ATP voltar ao sistema normal de defesa de pontos, sua chance fica ainda maior.


Comentários
    1. José Nilton Dalcim

      Não, não há nada de concreto. Pura especulação. Mas para ser sincero com você, é exatamente o que eu faria. Para que ir até Miami para jogar um torneio e depois voltar para o saibro europeu? Eu ficaria em casa, curtindo a família, cuidando da lesão e me preparando para Monte Carlo. Abs!

      1. Sandra

        E que Miami ele tem uma mansão !! rsss, mas se fosse ele deixaria pra lá também !! Lá ele pode domar pontos ! Se tiver errada me corrija!!

  1. Vitor Hugo

    Maiores da história. Critérios: Importância para o esporte, popularidade, títulos, valor da marca:

    Federer
    Nadal
    Borg
    Sampras
    Laver

    Sem dúvidas os 5 maiores. Federer muito à frente

  2. periferia

    Para mostrar que a periferia tem portas (Não vivemos apenas de Kyan e Kayblack…rs)

    Os Miseráveis.

    ‎Vítor nasceu… no Jardim das Margaridas.
    Erva daninha, nunca teve primavera.
    Cresceu sem pai, sem mãe, sem norte, sem seta.
    Pés no chão, nunca teve bicicleta.
    Já Hugo, não nasceu, estreou.
    Pele branquinha, nunca teve inverno.
    Tinha pai, tinha mãe, caderno e fada madrinha.
    Vítor virou ladrão, Hugo salafrário.
    Um roubava pro pão, o outro, pra reforçar o salário.
    Um usava capuz, o outro, gravata.
    Um roubava na luz, o outro, em noite de serenata.
    Um vivia de cativeiro, o outro, de negócio.
    Um não tinha amigo: parceiro.
    O outro, tinha sócio.
    Retrato falado, Vítor tinha a cara na notícia,
    enquanto Hugo fazia pose pra revista.
    O da pólvora apodrece penitente, o da caneta
    enriquece impunemente.
    A um, só resta virar crente, o outro, é candidato a presidente.

    Sérgio Vaz

  3. Leo Gavio

    Com esse titulo do Novak, ficou definido O MELHOR de cada uma das artes:

    Formula 1: Michael Schumacher
    Futebol: Romário de Souza Farias
    Xadrez: Garry Kasparov/Bobby Fischer
    Atletismo: Usain Bolt
    Natação: Michael Phelps
    MotoGP: Valentino Rossi
    Basquete: Michael Jordan
    Musica pop: Michael Jackson
    Musica clássica: Ludwig van Beethoven
    Rock: U2
    Poesia: Fernando Pessoa e Cecilia Meirelles
    Romance: Fiodor Dostoievski
    Filosofia: Socrates e Descartes.
    Escultor: Michelangelo
    Pintor: Claude Monet
    Ator: Al Pacino
    Atriz: Sophia Loren
    Diretor: Martin Scorsese e Quentin Tarantino
    Biologia: Charles Darwin
    Física: Albert Eisenstein
    Sinuca: Ronnie O’Sullivan
    Golfe: Tiger Woods
    Tenis: Novak Djokovic

    1. Sérgio Ribeiro

      Rapaz , você realmente se supera . Ia parar de ler logo nas duas primeiras linhas . Nem os Italianos acham que Schumi superou Senna . E ainda por cima todos os seu recordes foram superados por Hamilton. Sem contar TRÊS anos de surra consecutivos na Mercedes para o segundo piloto do Inglês, Nico Rosberg. Romário com ZERO LiBERTADORES , ZERO CHAMPIONS, ZERO MUNDIAL INTERCLUBES , realmente ganhou a COPA “ sozinho “ com 5 gols e Bebeto 3 . Foi a pior figura em campo na FINAL contra a Itália . Muito longe de Pelé, Messi e CR 7 . Mais abaixo reconheço que fica bem mais interessante. Mas dá pra entender porque o “ sábio “ já coloca Novak na frente de Roger Federer kkkkkkkkkkk. Abs!

    2. Jose Yoh

      Listas de GOATs… sempre uma visão da preferência pessoal, nunca uma unanimidade. Mesmo com números tão distantes Schumacher nunca foi 100% considerado um deles por exemplo. No seu retorno à F1, as dúvidas ficaram ainda mais explícitas, embora a idade fosse um fator de peso.

      Essas listas vão ser sempre uma boa conversa de boteco. O pior é que nem os especialistas conseguem fazer algo de consenso, quanto mais nós mortais.

    3. Gildokson

      Tu é polêmico mesmo hein kkkkkk
      Eu ja parei de ler em Schumacher “atirador de carro nos adversários” e Romário. Sério, por mais que o baixinho fosse foda, tem no mínimo mais uns 5 mais foda que ele por mais que ele não acredite kkkkkkkkk

      Brincadeira li a lista toda e o Melhor ator é Leonardo DiCaprio, o cara melhor escolhe papéis na indústria. e no tênis o melhor ainda é o GÊNIO suíço.
      Abs!!

    4. Flavio

      Concordo Mestre Dalcin, pois o Medbedev foi uma perda muito fácil para o Djokovic e esperava mais dele pra quem vinha de 20 vitórias na quadra dura. Mas e a superestimada Barty, hein perdeu de novo no atp 500 de Adelaide isso mostra que ela é mediana demais,e até hoje eu não entendo o ranking feminino onde uma tenista mediana como a Barty ainda é líder do ranking com apenas um mísero Grand Slam, por isso que a maioria das vezes mostra que o tênis feminino é sem graça e nunca,nunca vai superar a competitividade do tênis masculino,então concorda Mestre? Abraços!

  4. Vitor Hugo

    O número reduzido de torcedores na final faz jus ao tênis sonolento praticado pelo sérvio. Representa o tamanho dele para o esporte. Mas durante o torneio todo, a grande representividade de torcedores do sérvio foram nada mais nada menos que as moscas.

    1. Adriano Souza

      Kkkk Para de ser chorão e seja imparcial como o Dalcim
      Ele descreveu corretamente o jogo do Djokovic
      Aliás, na minha opinião ninguém descreve melhor o estilo de cada jogador doq o Dalcim

    2. Roger Porciúncula

      Não fique com dor de cotovelo por mais uma conquista do sérvio. Ele estará ultrapassando o suíço em semanas como número um, recorde até então pertencente a Federer. Djokovic tem cinco títulos a mais que Federer. Senão vejamos: o suíço possui 20 GS, 28 master 1.000 e 6 ATP Finals, totalizando 54 títulos. Djokovic tem 18 GS, 36 master 1.000 e 5 ATP Finals, totalizando 59. E ainda no H2H o sérvio leva vantagem, 27×23. Então, quem é o melhor tenista? Os números falam por si só. Um abraço.

    3. Luiz Fabriciano

      Tente mais nobre Vitor Hugo.
      Sobre as moscas, vi que uma em particular, pousou dentro do troféu pedindo ao grande Novak Djokovic que a levasse com ele, para o resto do mundo!

      Motivado por essas incessantes tentativas de desmerecer alguém gigantesco, me atrevi a fazer uma pequena pesquisa aqui, pedindo a permissão ao conceituado colega Danilo Afonso, craque nas estatísticas, para adentrar-me um pouco em sua área e concluí o seguinte:
      Nesse post, até o momento, temos 341 comentários postados, sendo:
      . 88 participantes;
      . 48,86% torcedores de Novak Djokovic;
      . 19,32% torcedores de Roger Federer;
      . 9,09% torcedores de Rafael Nadal;
      . 22,73% outros torcedores (não consegui extrair sua predileção, lendo seus comentários)

      Dentre os 88 participantes, muitos são pioneiros do Blog e há muitos novos também.
      Senti falta do comentário do Marcão, mesmo sabendo de sua predileção pelo Andy Murray, me faz muito bem sua escrita.

      1. Rafael Azevedo

        Ô, Luiz. Esse foi um post exclusivo para o Djokovic, por isso essa maioria de torcedores comentando…
        Espera para ver o post da aposentaria do Federer (ou quem sabe de algum próximo título importante dele)

  5. Ronildo

    Parabéns ao Djokovic pelo seu décimo oitavo slam, que seria décimo sétimo se Federer não fosse tão cheio de regras pessoais num jogo de tênis e tivesse sacado por baixo na final de Wimbledom 2019. Djokovic, seu pai e a maioria da torcida de Djokovic merecia um saque por baixo na final de Wimbledom 2019, porém a dignidade do Grande Mestre não o permite usar desta artimanha!

    Bom, antes de mais nada TÊNIS É FEDERER! Como esse cara conseguiu chegar na semi do AO 2019 com problemas no joelho!?
    E como conseguiu chegar na semifinal de RG em 2018 com 37 anos depois de ficar 3 anos sem jogar lá?

    Quero ver se algum dia Nadal e Djokovic alcancarão alguma semi-final aos 37 anos. Federer foi campeão de slan aos 37 anos.

    Esta é a grande marca do Mestre: seu tênis é tão superior que num esporte altamente físico ele conseguiu aos 37 e 38 anos jogar de igual para igual com a elite do tênis mundial. Aos 37 anos venceu Djokovic, número 1 do ranking no ATP Finals em 2018, desclassificando-o.

    Quanto à Medvedev, infelizmente entrou em pane. Devia ter perdido a semi para termos uma final equilibrada com um Tsitsipas jogando melhor do que Zverev.

    Aguardemos os próximos desdobramentos.

    1. Luiz Fabriciano

      Isso sim, é uma análise bem “abalizada”.
      Para ficar só num ponto: Medvedev deveria ter perdido a semi para termos uma final mais disputada. Como, se não fez nem cócegas no russo???????
      Então saque por baixo é anti-ético? Hello Nick Kyrgios!
      Talvez somente assim, usando recursos desse tipo o suíço teria levado Wimbledon, mas felizmente, isso já é um passado muito distante.

    2. Luiz Henrique

      “Quero ver se algum dia Nadal e Djokovic alcancarão alguma semi-final aos 37 anos. Federer foi campeão de slan aos 37 anos.”

      Meu Deus, como vcs são repetitivos.

      Vcs falavam isso em 2008, que Djoko e Nadal não teriam grandes resultados aos 27

      V-I-N-T-E E S-E-T-E

      E depois 28, 29, 30, 31, 32, 33, 34.

      Claro que um dia acerta né??

    3. Jonas

      Você poderia fazer uma comparação relacionada a quantos títulos cada integrante do big3 venceu após os 30 anos. Duvido que faça.

      Não sei se você assistiu ao jogo, mas Djokovic demonstrou um nível absurdo de tênis. Você sabe que o sérvio vai fazer 34 anos em Maio não?

      Ele venceu logo o Medvedev, que você tanto exalta desde 2019. De fato é um tenista excelente e estava invicto há 20 jogos. Na final foi doutrinado pelo “trintão” Djoko.

    4. Paulo Almeida

      Muito simples, Ronildo: pegando chave de ATP 250 em Wimby 2017, AO 2018 e AO 2020. Nos dois primeiros, foi agraciado com a lesão no cotovelo do GOAT Djokovic e no último ainda contou com as pipocadas monstruosas dos craques Millman e Sandgren. Teve sorte em não enfrentar o sérvio no AO 2017 também, mas como bateu o outro pai dele em Melbourne na final (tinha 3×0 no confronto até então), o título é parrudo.

      Bom, com 35/36 (e não 37, como você erroneamente disse), talvez ele já seja o recordista de Majors e nem precise mais estar em quadra. Vamos aguardar.

  6. Rubens Leme

    Dalcim, revendo a final de 1980 entre Borg e McEnroe, percebi algo curioso. Após vencer o segundo set por 7/5, Borg sacou imediatamente e só se sentaram após o primeiro game do terceiro set. Deve ser porque como o set terminou em game par (12), e eram obrigados a esperar o próximo.

    E a grama estava surrada em todos os setores, não apenas no fundo. Em alguns momentos ver a bolinha é impossível e gerava várias jogadaas duvidosas. Os dois tinham realmente estilos totalmente distintos: o saque-voleio do “Super Brat” (como era chamado pela chata imprensa inglesa) e o golpes pesados cheios de top spin, de Iceborg.

      1. Rubns Leme

        Eram outros tempos. Um único box para o “staff” dos dois tenistas. Mariana e Lennart ficavam nas cadeiras de baixo e o pai de John nas de cima e Mariana contou naquela entrevista que deixei o link que enlouqueceu o McEnroe Senior com seus cigarros. Realmente, ela fumou uma barbaridade durante a partida, mesmo sendo ainda tenista.

        Ontem, revendo aquela “mesa redonda” entre Wilander, Lendl, McEnroe e Becker no US Open de 2019, os dois últimos contaram – ao serem questionados por Mats – que foram formados em quadras de saibro, mesmo tendo resultados inexpressivos no piso (Becker perdeu as seis finais no barro, mas teve três semi em Roland Garros).

        A razão deste insucesso, segundo o alemão é que era obrigado a treinar seis meses por ano em quadras de carpete por causa do frio intenso e seu jogo se adaptou melhor. Além disso – e apontou para Lendl e Wilander – teve o azar de pegar uma era de grandes especialistas, como os dois e depois Muster, os espanhóis, etc e tal.

        Bem interessante isso. Foi muito divertido ver os quatro rivais juntos e relembrando momentos entre eles, às vezes, com uma certa raiva disfarçada e alguma lavagem de roupa suja. Valeu o fim de noite.

        1. Rubns Leme

          Foi muito instrutivo ver como Ivan Lendl e Boris Becker possuem mentalidades distintas como técnicos. Enquanto o “Boom Boom” alemão critica abertamente a atual geração por ser mimada e sem saber estruturar uma partida – segundo ele, só sabem bater pesado, mas sem um plano tático e quando os golpes falham, desabam – Lendl vê com mais cuidado.

          Segundo ele, o Big 4 mudou os parâmetros e hoje os “33 anos são os 27 da nossa época”, ou seja, você atinge o ápice depois dos 30. Desta forma, a atual nova geração só pode ser cobrada depois dos 25 ou 26 de maneira mais rigorosa.

          Eu acho que os dois estão certos em seus ponto de vistas e percebo porque Lendl foi chamado pela USTA para treinar jovens, por causa do seu cuidado com o futuro.

          Apenas para fechar, foi muito curioso ver que dos quatro debatedores, o único gordo e fora de forma era justamente Ivan, pois junto com a compatriota Martina Navratilova, revolucionaram a preparação física no tênis. Lendl deve ter se vingado dos anos de dietas, porque ostenta uma senhora barriga, enquanto McEnroe e Wilander parecem bem mais magros do que quando tenistas e Becker segue igual.

      2. Miguel BsB

        Com certeza tem a ver com o business do esporte tb né Dalcim? Permitir intervalos comerciais maiores de 1 set para o outro…

        1. José Nilton Dalcim

          Sim, com certeza houve esse break comercial importante. Mas ficou bem melhor para dividir o jogo, não acha? Mais claro para o público e até para os jogadores, que ganharam 2 minutos para rever a tática ou o ânimo para o set seguinte.

  7. DANILO AFONSO

    Incrível que ao término da temporada 2010 tinhamos essa configuração no quantitativo de Slam do BIG 3:

    FEDERER – 16
    NADAL – 9
    DJOKOVIC- 1

    Um aburdo o sérvio diminuir a diferença e conquistar mais 17 Slams em um intervalo de 10 anos tendo como adversários o espanhol e o suíço.

    1. Sérgio Ribeiro

      Realmente incrível . Assim como vencer o primeiro em 2008 e somente levar de novo em 2011 . Porque será que tendo os mesmos oponentes ZEROU em 11 SLAM consecutivos ? rs . Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Incrível como o “ Rei das estatísticas “ resolveu sumir com 2008 e 2009. Principalmente o primeiro em que o Sérvio venceu seu primeiro SLAM mas continuou esquentando o N 3 . E 2009 em que o Craque Suíço recuperou o N 1 que era de Rafa . Não precisa nem dizer quem continuou como N 3 . Ou seja , o Sérvio demorou de 2008 a 2021 pra reduzir a diferença que era de TRÊS SLAM para Nadal , 1 x 4 rs . Abs!

    2. Alessandro Siqueira

      Surreal, Danilo, esse é o termo. A verdade é que o sérvio está colocando seu nome nas principais marcas do esporte e os detratores não dão conta de aceitar, mesmo sabendo que assim será mais doloroso. A marca de semanas é fenomenal, mas não fica nisso. Djokovic tem 59 grandes títulos, abrindo uma dianteira de 5 em relação a Federer, a despeito de ser quase seis anos mais novo. Tem menos slams, é verdade, mas já possui mais do que Federer tinha aos 33. Junto disso, já tem mais anos como #1, igualando Sampras, sem contar o H2H positivo em relação a todos os jogadores com quem batalhou ao menos 10 vezes, o que denota uma capacidade de aprendizado e adaptação completamente fora da curva.

  8. Luis

    Dalcim sumido do blog Pandemia deu anticlimax Esporte,Dalcim ainda acha Federer melhor história? Conseguiu manter recordes um bom tempo mas Nadal já alcançou,sobre jovens como disse Murray tem bons jogadores mas ainda estão abaixo big3 principalmente nos Slam

    1. José Nilton Dalcim

      Melhor, sim. Mas seus recordes estão sendo alcançados e superados, e isso é a beleza do esporte, Luís. Como diriam os antigos, recordes foram feitos para serem quebrados.

  9. Luiz Fernando

    O que vai acontecer daqui a um ano e meio ninguém sabe, mas q a previsão do pai do Djoko é realista não há como negar…

    1. Sérgio Ribeiro

      Não foi previsão. O imbecil afirmou no ato . Se fosse mais inteligente veria que estamos em 2021 , ou seja , 10 anos depois e o filho ainda está ralando … rs . Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Desculpe . Essa previsão é a atual e acredito que finalmente ele acerte. Mesmo assim o bobão repetiu a ladainha que o filho não é amado como devia. Basta ele olhar as redes sociais segundo Roraima kkkkkkkk . Abs!

        1. Luiz Fernando

          Meu caro qualquer afirmação sobre o q ocorrerá daqui a 18 meses é uma previsão, q será ou não confirmada. Se a mesma previsão já foi feita ou não isso não importa…

  10. DANILO AFONSO

    Com o término do AO, Djokovic alcançou marcas interessantes:

    – 1° tenista masculino a ganhar Slam em 3 décadas distintas;

    – o maior vencedor de Slam na quadra dura, piso que há décadas é o mais competitivo do circuito;

    – maior vencedor (empatado com o suíço) de jogos de Slams que chegaram ao 5° set. Porém, o sérvio tem melhor aproveitamento: 30 vitórias em 40 jogos, contra 30 vitórias do suíço em 47 jogos.

    Pouco a pouco o sérvio está reescrevendo a história do tênis

  11. Oswaldo E. Aranha

    Gostei muito do jogo na final do Australian Open, um jogo com muitas trocas de bola, jogado jogado, com lances sensacionais e nada, felizmente, de saque e voleio. Assim é que se pode apreciar tênis e os descontentes vão ter de engolir muito mais. Como já disse em postagem anterior: CRUZ CREDO.

    1. Paulo Almeida

      Aranha, houve saque e smash voador do Djoko, mas saque e voleio propriamente dito não mesmo, embora essa jogada executada esporadicamente de surpresa valha a pena. No entanto, o cracaço executou cada voleio mais bonito do que o outro para finalizar vários pontos depois de excelentes trocas. Nota 9,9.

      1. José Nilton Dalcim

        Claro que teve. Um saque forçado no forehand do Medvedev, que o Djoko matou em voleio cruzado de backhand. No terceiro set.

  12. Sandra

    Dalcim , qual a razão de quererem descongelar os pontos se a pandemia ainda continua ? Independente de ser correto ou não !

    1. José Nilton Dalcim

      A razão é que o calendário está 70% normalizado, pouquíssimos torneios cancelaram ou mudaram de data até agora.

  13. Jairo Silva

    “Djokovic será o melhor de todos em um ano e meio” afirma pai de Nole.

    Como sempre esse sujeito falando besteiras. Novak já é o melhor de todos, seguido de perto por Rafa.

    1. Sérgio Ribeiro

      Ele está repetindo 2011. Mas não sabia que o filho perderia 10 FINAIS de SLAM pelo caminho. Mas desta vez parece que vai acertar . Aguardemos . Abs!

    2. Jose Yoh

      Mal ele percebe que cada vez que ele cutuca as torcidas rivais (que são gigantescas aliás) mais desafetos ganha seu querido filho. E menos gente vai aceitá-lo como “o melhor de todos”, um titulo subjetivo que só depende da paixão pelo sujeito.

  14. Vitor Hugo

    Sobre quem é o melhor da história, não há qualquer discussão, Federer é o melhor com ampla vantagem.
    Opinião da maioria dos tenistas, especialista incluindo o mestre Dalcim.

    1. Luiz Henrique

      Grande Victor!
      Se recuperou bem da covid?
      Não fica chateado com o título do Djoko não irmão
      Isso não muda o quão grande Federer é
      E o importante é ter saúde e viver nossas vidas
      O esporte nos inspira pra isso, ou deveria
      Abração

    2. Luiz Fernando

      Hoje sim, mas o próprio Dalcim cita que há necessidade de aguardar o final das carreiras para uma opinião definitiva…

      1. Vitor Hugo

        Não. O próprio Dalcim já declarou que Federer é o melhor da história e não creio que vai mudar. Ele Não deu a entender em nenhum momento que vai.

        1. Luiz Fernando

          Vc é tão fanático q lê ou ouve apenas o q lhe interessa. ELE DISSE POSTOU SIM. Depois critica os outros pelo fanatismo q em vc chegou ao limite do suportável…

        2. Luiz Fabriciano

          Meses atrás, a torcida era ferrenha só por Roger Federer.
          Agora, tem torcida extra para que Dalcim mantenha sua opinião em relação ao suíço.
          Procurando apoio para firmar suas frágeis convicções? kkk.

    3. Carlos Reis

      Federer pipocou em W/19, perdeu a chance. Ele é O CRAQUE desse esporte, mas não é o GOAT. Por enquanto é o Nadal, mas o Djokovic tem boas chances de virar o jogo.

  15. Rubens Leme

    Dalcim, se nao tivesse medo de avião e me sentisse sufocado e com crises de pânico ao vestir uma máscara (tanto que só saÍ de casa três vezes desde o início da pandemia), juro que iria até Porto Alegre para tentar uma entrevista com Bjorn Borg.

    Quando Pelé venceu aquela famosa eleição de Atleta do Século, feito pelo jornal francês L’Equipe e que o Estadão publicou a lista em 11 de julho de 1980 (https://acervo.estadao.com.br/noticias/acervo,a-escolha-de-pele-como-atleta-do-seculo,70003361277,0.htm), Borg foi eleito o quinto maior esportista do Século XX, como pode ver a lista abaixo, empatado com outra lenda de nossa época, o nadador norte-americano Mark Spitz.

    1) Pelé (Brasil), futebol, 178 pontos
    2) Jesse Owens (EUA), atletismo, 169
    3) Eddy Merckx (Bélgica), ciclismo, 99
    4) Paavo Nurmi (Finlândia), atletismo, 92
    5) Mark Spitz (EUA), natação, 75
    Bjorn Borg (Suécia), tênis, 75
    7) Emil Zapotek (Checoslováquia), atletismo, 65
    8) Fausto Coppi (Itália), ciclismo, 60
    9) Moahmmad Ali (EUA), boxe, 53
    10) Ray Sugar Robinson (EUA), boxe, 51

    Borg foi para o tênis o mesmo que os Beatles para a música pop: o ponta-de-lança que transformou um esporte aristocrático e elitizado em um esporte popular. A diferença é que os Beatles pegaram um gênero praticamente morto e esquecido e acrescentaram “Yeah-yeahs”, melodia e terninhos. Borg fez isso em completo silêncio.

    No meio dos anos 1970, aquele sueco alto, magro, de cabelos loiros, olhos claros, e que parecia “irmão gêmeo” de Maurice Gibb, dos Bee Gees e o autêntico Jesus Christ Superstar, arrastava multidões por onde ia. Dezenas de garotas invadiam as quadras do secular e arrogante All England Lawn Tennis and Croquet Club, em Wimbledon, para cercá-lo, beijá-lo e pedir autógrafos.

    Quando conquistou seu último Grand Slam, o de número 11, em Roland Garros, um dia após completar 25 anos, Borg já não era mais um simples campeão: era um mito indecifrável, um homem que pouca gente compreendia ou sabia o que sentia por dentro.

    Por isso, chocou a todos, quando anunciou seu adeus aos 26 anos e resolveu sumir, como havia feito sua conterrânea (os dois aliás, nasceram em Estocolmo), Greta Garbo, dos holofotes.

    Ao longo dos anos Garbo e Borg lutaram com problemas pessoais, como depressão, sendo que os problemas do ex-número 1 ficaram mais famosos, com festas, drogas, mulheres e esteve perto da falência.

    Hoje, às vésperas de completar 65 anos, é um dos poucos que merecem a tão desgastada alcunha de lenda viva e o único que rouba os holofotes de Federer, Nadal e Djokovic quando aparece ao lado deles.

    Borg não possui mais quase nenhum recorde do tênis, algo normal para quem parou tão cedo, mas jamais irá perder a majestade. Se o tênis hoje é essa potência esportiva, midiática e financeira, foi porque há mais de 40 anos um garoto sueco genioso, problemático e esquentado resolveu trancar todos os seus demônios no peito, pegar uma raquete e mostrar do que são feitos os gênios e as lendas.

    LONGA VIDA AO REI DOS REIS, O ÚNICO ENTRE OS MORTAIS, BJORN RUNE BORG!

    1. José Nilton Dalcim

      Grande texto, Leme. Sempre quando me pedem para avaliar a importância de um atleta ou tenista, eu canso de dizer que não se pode olhar apenas números e troféus, mas sua importância histórica. Borg é um exemplo perfeito. Uma carreira tão curta, porém de peso tão grande. Abs!

      1. Rubens Leme

        Agradeço, Dalcim.Tenho poucos ídolos, mas Borg é um deles e o fato de ter sido tão impefeito enquanto ser humano me fez gostar ainda mais dele, afinal ele também é humano . Ou não?

        abraços

          1. Rubens Leme

            Assim como Connors, que disse que seus truques mentais jamais funcionaram contra Borg.

            Uma das minhas partes favoritas daquele filme Borg x McEnroe é quando todos os tenistas – exceto Borg – estão na coletiva e nenhuma pergunta é feita porque o sueco ainda não havia chegado. McEnroe, irritado, fala “podem falar conosco, também somos tenistas”.

            Quando Borg chega, aí sim, começa a coletiva.

          2. Rubens Leme

            Olha que bacana, quando fizeram a premiere do filme do Borg, em Estocolmo, convidaram a primeira esposa dele, a ex-tenista romena Mariana Simionescu, que deu uma longa entrevista falando dos oito anos em que namoraram e se casaram e, no final, ela tirou uma foto com Bjorn e a atual esposa, Patricia. Ela contou alguns detalhes interessantes sobre o casamento e a vida de “pop star” que ele tinha e relata que as fãs chegavam a dormir do lado de fora do quarto.

            https://www.mirror.co.uk/sport/tennis/bjorn-borg-mariana-simionescu-wife-11216165

      2. Luiz Fernando

        Concordo c vc que apenas conquistas como baliza seria algo temerário, mas vc não acha q as grandes conquistas são o principal fator da equação?

        1. José Nilton Dalcim

          Sim, porque é o mais simples. Mas eu por exemplo acho Navratilova maior do que as outras mesmo tendo bem menos Grand Slam de simples.

    2. Marcilio Aguiar

      Não tenho o que tirar nem por nesses comentários. Borg será meu eterno ídolo no tênis (a moedinha numero 1), independentemente do sucesso e dos números dos grandes campeões que lhe sucederam. Vida longa!

      1. Rubns Leme

        Periferia, imagino que falar em lugares frios seja cansativo demais, ai são mais calados embora o ABBA esteja aí para me desmentir.rs

  16. Paulo Almeida

    O melhor de todos os tempos agora tem 60 Big Titles com a ATP Cup de 2020, enquanto o segundo melhor, Nadal, ostenta 56 e o rei da era fraca ficou estacionado com seus 54. Sem a pandemia, a distância estaria ainda maior.

    Djokovic não está sentindo peso nenhum de idade e teria aguentado uma final mais longa sem problemas. Na semifinal de Rolanga, quem colocou a língua pra fora foi o Tsitsipas e não o sérvio depois de pouco mais de quatro horas.

    Em relação à lesão, é óbvio que ela existiu na partida contra o Fritz e ainda o incomodou contra o Raonic. Penso que o GOAT disse “tear” na entrevista por pura ignorância mesmo. Já não é novidade ele dar algumas bolas fora em assuntos que desconhece, mas está perdoado depois do ENEA.

    E, para finalizar, gostaria de dar meus parabéns para o medíocre Kyrgios por ter esgotado totalmente as energias do Thiem para a partida seguinte contra o Dimitrov. Até que esse átomo do tênis, que não tem 1% do talento do Serbinator, nos fez um grande favor!

    Mais saudações goatistas e agora “eneásticas”!

    1. Paulo Almeida

      Nossa, só agora, com muito atraso, vi que a lesão não só existiu, como se agravou! Desculpe-me, DjokoGOAT, você teve SIM uma ruptura muscular (comprovada por exame de imagem) e ganhou o torneio MESMO MACHUCADO!!!

      Bom, foi mais um tapa na cara de quem achou que era apenas encenação.

      O triste para o mundo do tênis é que ele não deve entrar em quadra tão cedo e por mim só volta quando estiver 100%, pois o foco principal obviamente é o hepta de Wimbledon (hexa foi no ano passado).

  17. Rodrigo S. Cruz

    Mais um ex-tenista volta a ironizar Novak Djokovic sobre a suposta lesão, causando revolta de parte dos fãs do sérvio.

    Desta vez, a ironia partiu do ex- top 5 Greg Rusedski (aquele que já chegou a eliminar Guga do Australian Open):

    “Would be interesting to know what painkillers did he take or what he was allowed to take to play thru the muscle tear as in the finals you could not see any discomfort?

    “Seria interessante saber que analgésicos tomou o Djokovic, ou o que lhe fora permitido tomar para que conseguisse jogar com um estiramento abdominal, sem que fosse notado qualquer desconforto?”.

    https://bolamarela.com.br/rusedski-gostava-de-saber-o-que-andou-a-tomar-o-djokovic/

    1. Luiz Fabriciano

      Eliminar Guga no Australia Open era tarefa das mais fáceis. Nunca ultrapassou uma segunda rodada.
      E falo isso com todo o respeito e admiração ao Manezinho.
      Quanto à opinião do britânico/canadense, fico com o resultado da ressonância magnética.
      Saudações.

    1. Sandro

      E ainda duvidam da POPULARIDADE do FENÔMENO DJOKOVIC, se até funkeiro faz letra de funk com Djokovic… Quer sinal maior de popularidade que isso???

    2. periferia

      Ola Danilo

      “Que eu tô com patrocínio
      E as gata não resiste
      Foguete BMW
      O céu não é o limite
      Pros melhores do ano
      Tão me mandando convite
      Que eu to todo de Lacoste
      Versão Chave Djokovic”

      A periferia já viu dias melhores musicalmente….rs

      1. Barocos

        Periferia,

        Rapaz, sinto saudade da época em que, quando se ia ao subúrbio, se ouvia samba, chorinho, pagode e mais alguns gêneros musicais. Quantos grandes compositores e composições! Quando me acusam de preconceituoso eu, em geral, respondo com: “Preconceituoso? Não! Mal-acostumado!”.

        A música brasileira já foi gigante e extremamente variada. Sempre me pergunto: o quê deu errado no caminho?

        Saúde e paz.

    3. Miguel BsB

      Não sei se vc percebeu, mas ele fala tb de Roland Garros e até do Andy Roddick…rs
      Mas a música e a mensagem é um lixo.

    1. José Nilton Dalcim

      Thiem talvez leve vantagem por ser um autêntico jogador de saibro, mas Djokovic tem muito mais experiência, já que estamos falando em cruzar numa semi ou numa final. Então ainda acho o sérvio um pouco mais perigoso. Mas tudo depende do momento. A temporada de saibro ainda está longe.

  18. Fernando Souza

    Dalcim,

    o jogador tem obrigatoriedade de participação numa quantidade mínima de torneios por ano? Nadal, Federer, Djokovic provavelmente escolheriam apenas os Slams e uns dois, três torneios menores para aclimatar.

  19. Ulisses Gutierrez

    Dalcim
    Sobre a entrevista do Becker concordo na parte que ele fala que ficou nítido que no quinto set faltaram pernas para o Nadal. No entanto, discordo completamente que a confiança do Nadal está abalada para o saibro. Acho que ele exagerou. Que o físico do Nadal para jogos longos ficou uma incógnita isso é fato, mas ao ponto de abalar confiança para saibro já discordo completamente. O que pensa mestre?

    1. José Nilton Dalcim

      Bom, a falta de pernas do Nadal era muito visível. Mas abalado? Para o saibro? Nem na temporada de 2019, que começou mal, perdendo para Fognini, Tsitsipas e Thiem, ele chegou menos forte a Roma e depois Paris. Então é um tanto exagerado, sim. Ao menos neste momento.

      1. Alessandro Miná da Silva

        Olá Dalcim, sempre passo por aqui para ler os ótimos posts! Parabéns!
        Vi também a entrevista do Becker, mas sinceramente o pessoal está exagerando na repercussão…

        “Pela primeira vez lembro de ver Rafael Nadal parecer muito cansado naquele quinto set, foi derrotado fisicamente e os outros devem ter visto isso. O estilo do espanhol é tão físico que vai custar caro. Estou realmente surpreso que ele tenha jogado a um nível tão alto por tanto tempo”.
        Apesar de questionar a condição de Nadal quando chegar a disputa de Roland Garros, o alemão ainda acredita que o espanhol seja o principal favorito ao título. “Embora seja tolice apostar contra ele em Paris, quando Rafa der aquele pequeno passo mais devagar, não será o mesmo jogador”.

        Resumo: ele disse que Nadal é o principal favorito a RG, mas menos que em anos anteriores por causa do físico/idade. Não vi nenhum erro no comentário, o que acha Dalcim?

        1. José Nilton Dalcim

          Compreendo a preocupação do Becker, mas já vimos isso antes. Em 2019, ele nunca jogou tão mal os preparatórios para o saibro, mas de repente engatou em Roma e atropelou em Paris. Então precisamos ver o que acontece até lá. Ele talvez seja 10% menos favorito do que antes? Possível e provável. Mas ainda me parece que apenas Djokovic e Thiem podem derrotá-lo lá em condições normais. Torço para que surjam outros nomes de peso no saibro, mas no momento isso parece longe de acontecer. Abs!

  20. Rodrigo V. Silva

    Dalcim, saudações!

    Eu assisti a final masculina ao vivo, mas algo que reparei somente agora, vendo os melhores momentos, foi que os três set points tiveram algo em comum: a monstruosa devolução de Djokovic. Os pontos que encerraram os dois últimos sets tiveram devoluções absurdas, muito agressivas e no pé do russo – tanto que a do segundo set não teve nem retorno. Na do terceiro set, se não me engano, foi em um primeiro saque a mais de 200 km/h! A do primeiro set, apesar de defensiva (visto que o saque foi ótimo), foi igualmente profunda; um lance que, caso fosse fosse outro o devolvedor, o mais provável seria que o saque nem mesmo retornasse.
    E estamos falando de um dos melhores sacadores do circuito atualmente!
    Dalcim, aproveitando o ensejo, uma pergunta: a devolução agressiva e profunda tem maior eficácia na hard ou na grama? Posso estar errado, mas tenho a impressão de que esse aspecto em particular tem sido ainda mais determinante para o sucesso do sérvio em Wimbledon do que nos outros slam.
    Um grande abraço e parabéns pelos melhores site e blog de tênis do país!

    1. José Nilton Dalcim

      Eu acho que funciona bem em todos os pisos, Rodrigo, até mesmo no saibro. Porque o movimento de saque de um tenista de hoje é muito complexo, ele geralmente cai um passo e meio dentro da quadra e precisa recuar rapidamente para recuperar posição. Imagina uma devolução a 170 km/h vindo em sua direção e você mal conseguiu se posicionar. Sem falar que a devolução ao centro tira totalmente os ângulos, ou seja, muito provavelmente o sacador irá rebater uma bola defensiva ou menos profunda. Mas vale observar: não é só o Djokovic que tem essa habilidade – embora ele seja superior. É uma tática que hoje está sendo bem usada até no tênis feminino. De qualquer forma, foi excelente sua observação. Abs!

  21. EDVAL CARDOSO

    Boa noite Dalcin
    Qual final você acha que foi mais decepcionante em termos de competividade e o que se esperava do adversário, pra impor alguma dificuldade ao Djokovic, 2019 com Nadal ou 2021 com Medvedev?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que a de 2019 foi mais decepcionante pela qualidade dos finalistas, Edval. Mas acontece. Há dias que as coisas não funcionam, todo tenista, até os de fim de semana, sabe disso.

  22. periferia

    Novamente os “meninos” do amigo Sérgio Ribeiro não chegaram.
    Claro que concordo que em algum momento será passado o bastão (da forma que está…será uma passagem de muletas)…até porque as conquistas do Big 3 são imortais…ficarão para sempre…agora o “corpinho”…esse não é imortal…alguém terá que assumir.
    Considero o finals um grande torneio…dificílimo…mas não é um Slam…o que conta no tênis é Slam…ninguém lembra Davydenko ganhou um Finals…todos lembramos que Del Potro ganhou um Slam (USOpen).
    Daqui a pouco…Federer e Djokovic estarão enfrentando seus netos no circuito.
    (Nadal está devagar na procriação).

    1. Sérgio Ribeiro

      Permita-me discordar, caro Periferia. Os meninos chegaram de vez . Basta ver o TOP 20 e todos os Trintões deram lugar a eles . Não sei desde quando o amigo acompanha o Esporte , mas jamais existiu um Big 3 como esse . Só que pra vocês atingir a FINAL de um SLAM não significa nada . Onde estão Tsonga , Berdych , Nishikori , Wawrinka , Kevin Anderson, Cilic , Goffin , Dimitrov , Isner e CIA ??? Agora , se chega e da’ de cara com os melhores físicos da história e melhorando como vinho , isso em nada desmerece ninguém. E de Borg a Sampras , passando por Federer até Novak , exceto Nadal , TODOS venceram o ATP FINALS muito jovens . Federer em 2003 , Novak em 2008. Esse teu papo de Davydenko não cola . Lendl , Sampras , Federer , Novak são os grandes recordistas do segundo Torneio em importância depois dos SLAM . Na boa , estou surpreso do amigo ir ao encontro do que dizem figuras desinformadas . Vida que segue . Abs!

    1. Luiz Henrique

      Eu tb kkkkkk
      Ele foi o líder da teoria maluca de que Djoko perder em torneios de fim de ano quer dizer que vai perder no AO

  23. Nattan Labatto

    Uma coisa que todo mundo tá cansado de saber mas mesmo assim esquecem: NUNCA DUVIDEM DE ROGER FEDERER, RAFAEL NADAL E NOVAK DJOKOVIC… NUNCA!!!

  24. Vitor Hugo

    Fato é que, Novak fez do URSO um ursinho de pelúcia bem fofinho e bonitinho. Faz mal pra ninguém.

    A next gen é ótima, porem nenhum dos jogadores será um jogador entre os melhores da história, tipo Federer, Borg, Laver, Nadal, Sampras, Lendl, Novak, Big Mac e etc….. No máximo vão ganhar alguns slam quando Djokovic e Nadal não tiverem mais um bom nível físico ou competitivo.

    Sobre o sérvio, o que poderá pesar contra ele na sequência é sua arrogância e falta de humildade . Com certeza na cabeça dele vai ganhar td.
    Aguardemos.

    1. Sérgio Ribeiro

      Desculpe mas aí você está concordando com o surrado papinho da entressafra. Nós sabemos que Federer e Nadal impediram todos aqueles N 1 de passarem de dois SLAM. O N3 e o N 4 em 2007 já eram Novak e Murray. Daí que STANIMAL somente foi ganhar SLAM perto dos 29 . Del Potro foi uma exceção num vacilo de Federer mas levou somente um , assim como Cilic . Podes crer que o melhor desses garotos ( talvez Sinner) , vai levar no mínimo uns 5 SLAM. Igual ao Big 3 nem daqui a QUARENTENA anos , caro Vitor rs . Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        Ps . O próprio Agassi com a parada precoce de Sampras ( 2002 ) imaginou que iria levar no mínimo mais uns quatro. Venceu seu último em 2003 e deu de cara com Federer na Final do FINALS do mesmo ano . Não venceu mais SLAM nenhum com direito a surra na FINAL do USOPEN 2005 . Em RG nem pensar rs . Abs!

  25. Luiz Fernando

    A declaração de Becker no site é das mais sem nexo q me lembro de ter lido. Esse cidadão pra ser um burro completo só faltam as penas…

  26. Nattan Labatto

    Djokovic, o cara que derrotou o rei da Relva por 3 vezes em uma final;

    O cara que derrotou o rei do Saibro em seu habitat natural (quartas de Roland Garros);

    O cara que venceu 12 Grand Slam (e contando) na superfície mais disputada e difícil (hard), uma vez que 90% dos tenistas preferem e treinam para esse piso.

    O cara que quebrou a hegemonia FeDal e construiu/impôs a sua sem cerimônia, sem pedir licença, PÉ NA PORTA… No mais puro e genuíno talento e vontade de vencer… Um Lobo Faminto por títulos e recordes…

    Alguns tentarão citar algumas polêmicas como o Ádria Tour, a bolada na juíza de linha no Usopen20 e fama de milongueiro… Enfim, tentarão de tudo e de todas as formas desmerece-lo, assim como fizeram, só q em menor grau, com a dupla FeDal. Só que os argumentos não atingirão o predestinado a GOAT, pois estará intangível e só será visto pelos seus concorrentes de binóculo.

    Que venha RG, WB, Usopen, Olimpíadas e as 400 semanas na ponta para o rei das hards… Abs

    1. Rodrigo S. Cruz

      Nattan,

      você JURA que vai fazer menção da vitória desprezível do Djokovic nas quartas de RG ?

      Até um pedreiro empunhando uma COLHER, em vez de raquete, teria ganhado do Nadal naquele dia…

      (rs)

      1. Nattan Lobatto

        kkkkkkkkkkkk

        O sr já foi mais humilde, Rodrigo.

        Muitos exaltam a vitória do Kyrgios sobre o Novak em uma segunda rodada, com o Nole voltando lesão, sem ritmo e confiança.

  27. DANILO AFONSO

    O nobre VITOR HUGO, o Nostradamus do blog, escreveu em 12/02:

    “Como eu disse aqui depois do finals, Novak NÃO VAI GANHAR SLAM, apenas masters 1000 e só!
    Uma porque a idade está chegando, outra porque a next gen está cada vez melhor e consistente, e outra que ele não tem muitas alternativas técnicas pra compensar a decadência física.”

    Djokovic é muito sacana, contrariou tudo que o nobre “profetizou”. Mostrou muito recurso técnico e condição física…kkkk

    1. Barocos

      Grande Danilo!

      Comemorei muito e, como lembrado por você, daqui a duas semanas tem mais festa, mas com distanciamento social!

      Depois deste resultado, me pergunto se nosso simpático multi-homem nos presenteará com uma nova identidade.

      Saúde e paz.

  28. EDVAL CARDOSO

    Os federetes estão se apegando a tudo quanto é coisa pra manter seu preferido como goat, antes era semanas com número 1, número de slans, agora que Nadal já alcançou nos slans e Djokovic no número de semanas, a onda agora é dizer que o goat é o que jogar mais bonito.
    Kkkkkkk

  29. Marcelo-Jacacity

    Isso é incrível.
    A dupla Fedal até 2007 tinha vencido 11 Slams seguidos.
    E o No1e interrompeu essa sequência no AO-08.
    E continuou apanhando muito da dupla até, enfim, ter se tornado essa máquina de jogar tênis, a partir do AO-11.
    Quantos Majors teria Nadal e Federer, se o Djoko tivesse continuado o mesmo jogador que era entre 2008-2010?
    Acho que uns 30 Slams pra cada um, fácil.

  30. DANILO AFONSO

    Faltam duas semanas para NOVAK tornar-se recordista de semanas na liderança do ranking.
    ______________________________

    GOATCAR já coloca o carro de lado após explorar o vácuo do rei a ser deposto.

    1. DANILO AFONSO

      O recorde de semanas na liderança do ranking realmente terá um ASTERISCO colossal, não porque o Djokovic não faz jus ao recorde, e sim as 22 semanas que deixou de adicionar no cômputo da marca em razão da suspensão da contagem…kkkk

      O título do AO foi um fatality para os opositores desprovidos de inteligência que ignoravam que o sérvio vinha embalado antes da pandemia e que depois do retorno do circuito fez mais pontos que seus perseguidores em 2020.

      Conquistar o AO duas semanas antes do recorde engrandeceu e legitimou mais ainda o feito.

      Saudações Nolistas !!!

    2. Sérgio Ribeiro

      ” Rei a ser deposto ” ? Não acredito que a turma de Rondônia chegaria a postar algo parecido . Até porque além de não corresponder aos fatos demonstra um recalque do mais alto nível. O Sérvio continua em terceiro em vários quesitos . O maior é o que ele representa para o Esporte comparado aos outros dois. Já sei , é a torcida que mais cresce nas redes sociais …. kkkkkkkkkkkk. Abs!

      1. Sérgio Ribeiro

        O nosso amigo de Rondônia de saber que Serena atingiu as 186 Semanas CONSECUTIVAS de Steffi Graff no Topo do Ranking . O que na época parecia impossível se tornou realidade. Para o Sérvio parece difícil pois foi destronado até por Andy Murray em 2016 kkkkkkkkkkkk . Abs!

  31. sander

    Parabéns, Dalcim! Texto irretocável. E, ao contrário do que alguns falam, vc é extremamente imparcial e profissional. Já vi você falar com a mesma paixão do Nadal, Federer, Murray, Thiem, etc, etc… Obrigado por nos fazer entender e gostar cada vez mais desse esporte maravilhoso!!! abração!!

  32. Rodrigo S. Cruz

    [Paulo F.]

    “O bailarino freguesão filhote de espanhol cada vez mais o terceiro do big-3″.

    É mesmo, você jura?

    Notícia hiper atual, de 20 de fevereiro:

    Ainda bem que o Rod Laver tem uma visão um ” tiquinho” distinta de um hater como você:

    O debate de quem é o melhor tenista de todos os tempos já é uma tradição mas quando Rod Laver decide falar do assunto… a coisa fica mais séria.
    Pois bem, o australiano não teve dúvidas… em escolher Roger Federer.

    “Para mim, o Federer é o campeão da sua era. Penso isto de verdade. Se olharmos para os números e recordes, há muito para assegurar que é o MELHOR de toda a história”, afirmou Laver em entrevista à Fox Sports.

    fonte:

    https://bolamarela.com.br/rod-laver-se-olharmos-para-os-numeros-o-federer-e-o-melhor-da-historia/

    1. DANILO AFONSO

      Nobre Rodrigo, é óbvio que o australiano permanecerá dizendo que o suíço é o maior da história qualquer que seja os feitos que o sérvio e o espanhol conquistarem nos próximos anos.

      Seria demasiadamente deselegante e estúpido falar algo diferente disso quando se é homenageado anualmemte em um torneio organizado pelo suíço , a LAVER CUP, evento que certamente o australiano também recebe benefícios pecuniários.

      Saudações Nolistas !!!

  33. Alfred

    Dalcim,

    Porque o Djoko é tão dominante na Austrália e tem um histórico inferior ao Nadal no Us open? O torneio tb é disputado em quadra dura, piso de especialidade do sérvio. Confesso que fiquei surpreso ao relembrar deste fato, Nadal venceu 4 x em NY e o Djoko apenas 3 x.

    Abs.

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que é uma questão de ambiente e talvez de calendário, Alfred. Mas uma resposta difícil de se dar. Além dos três títulos, no entanto, é bom lembrar que Djokovic tem outras cinco finais em Nova York. Vice é uma coisa importante também. Abs!

  34. TENNIS FAN

    Ainda que perca os recordes, o jogo do Maestro é diferente, talvez o jogador mais talentoso da história do tenis. E o tempo em que Federer foi dominante no circuito, foi dominante mesmo, aos vinte e poucos anos já tinha 16 slams e finals na conta. A chamada era Federer.

    1. Rodrigo S. Cruz

      Pois é, ” Tennis Fan”.

      E é ótimo constatar que as opiniões continuarão dividias, independentemente do que Novak conquiste…

      Abs.

        1. Rodrigo S. Cruz

          Não.

          Eu sei que você é fake porque eu nunca te vi aqui, e você já entra falando mal de mim como se me conhecesse há anos.

          Eu já te falei que essa tática idiota não funciona comigo…

  35. Thiago Silva

    A diferença técnica entre os dois finalistas ficou muito evidente no jogo, enquanto o Medvedev só sabe jogar de um jeito, o Djokovic tem uns dez coelhos na cartola pra usar quando precisa. Palpitei que o russo ia vencer primeiro pelo momento, segundo pelos últimos confrontos entre eles e terceiro porque o sérvio supervalorizou uma contusão que no fim era bem menos grave do que a equipe dele fez parecer, até com aquela ameaça ridícula de nem entrar em quadra contra o Raonic panceta.

  36. Robson

    Excelente passagem de Novak Djokovic pela Austrália,venceu os 2 jogos que fez pela ATP Cup,venceu os 7 jogos do AO,com direito a ATROPELOS na semi e na final.
    Agora é descansar como ele próprio já disse e voltar talvez em Miami pra buscar mais 1 M1000.
    Mas o foco na minha opinião,tem que ser Wimbledon,conquistar o 6° troféu na grama sagrada e o 19° no geral.

    1. Jonas

      Prefiro que o Djoko levante o caneco do US Open.

      É impressionante a zika que o número 1 do mundo tem neste torneio. Pela grandeza do sérvio, já deveria ter ao menos 5 títulos ali.

      Quem sabe não vence os dois em sequência como em 2015? Não custa sonhar.

      Sendo ainda mais chato…é pouco para o Djokovic ter apenas 1 título em Roland Garros.

  37. Paulo Almeida

    Tanto o smash voador quanto o de gancho no match point mostram que o cracaço sérvio também sabe fazer acrobacias, embora o mais importante seja sempre ganhar o ponto.

    Falando nisso, aquele do Nadal no início do tie-break contra o Tripas conseguiu superar os piores djokosmashes, kkkkkk. Foi incrível um especialista no fundamento ter visprado a bolinha daquele jeito.

  38. periferia

    Olá Dalcim

    Borg está no Brasil (prestigiando o filho de 11 anos que está disputando um torneio).
    Vc não pensa em fazer um entrevista com o sueco?
    Ou é muito difícil se aproximar de alguém como ele ?

    Abs

    1. José Nilton Dalcim

      Infelizmente, não tenho condições de ir a Porto Alegre. Seria uma honra falar com ele. Borg foi quem me trouxe a paixão pelo tênis.

          1. Marcilio Aguiar

            Mais um que ama o tenis graças ao sueco. Tive a sorte de assisti-lo uma vez, ainda que em jogo de exibição contra Kyrmair.

      1. Mágno Lucas Sampaio

        Olá Dalcim! Então realmente seria maravilhoso uma entrevista com a fera, que pena vc não poder. Agora queria novamente externar a minha gratidão a vc e a sua equipe pelo trabalho incansável em nos proporcionar as informações destes dias na Austrália, muito mais muito obrigado!!! Dalcim vc pode me responder se estou certo na minha análise? Pois o Nole e mesmo o Russo vinham sacando muito bem, inclusive com muitos aces, segundo um colega aqui a final é um outro jogo, é isso mesmo? Como a tensão é maior fica mais difícil acertar tantos aces? Já agradeço de antemão, abs.

        1. José Nilton Dalcim

          Você tem razão, o número de aces foi baixo. Acho que os dois jogadores ficaram mais preocupados com um primeiro saque profundo e evitar jogar muito com o segundo saque, o que sempre dá margem para o devolvedor sair mandando no ponto, Magno.

      2. Miguel BsB

        Dalcim, alguém tem que aproveitar e entrevistar a lenda sueca…
        Não consegue “por procuração”? Ou mandando um email, sei lá…rs

      3. Paulo F.

        Quem me dera que pudesse ser um torcedor do Inter igual ao latifundiário que pagou a multa de R$ 1 milhão pelo Rodinei, Dalcim.
        Seria mais útil ser teu mecenas e te custear para que conseguisses uma bela exclusiva com essa lenda do tênis e do esporte.
        Além de te dar o prazer de conhecer um ídolo teu pessoalmente.

        1. José Nilton Dalcim

          Ah, mas eu já o entrevistei numa passagem aqui por São Paulo logo depois da aposentadoria, Paulo. Mas seria muito legal falar com ele. Leio algumas de suas entrevistas e a visão sobre o tênis é muito interessante.

          1. Paulo F.

            Ah, que legal que tu já o conheces pessoalmente.
            Mas igual, não mudo minha ideia anterior- para um repeteco e para que tu desfrutasse um pouco da minha cidade-natal.

  39. Oloco

    Novak Djokovic, ao contrário de jgadores brasileiros com mais de 30 anos e que já foram TOP (sem citar nomes), que dizem: Eu “acho” que não precisa mudar nada no meu jogo. Joguei a vida toda assim e agora não vou mudar nada!”, esse espírito de se reinventar ajuda a evidenciar porque uns sobem ou se mantém, e outros pararam no tempo, colocando a culpa no circuito challenger, onde todos querem “ganhar” dele.

  40. Felipe

    Pra mim o maior feito do Federer, era o recorde de semanas na liderança do Ranking. Pois reflete o tempo de reinado da fera. Agora esse feito pertence ao Djokovic. Pra mim o maior recorde de todos. Mais importante que total de Slams. Curiosamente o Nada, apesar dos 20 Slams está bem atrás nas semanas de liderança. Isso mostra como ele é não conseguiu se manter na liderança apesar de seus Slams. Parabéns ao monstro Djokovic.

  41. Chadwick Boseman

    “O que o sérvio fez nesse torneio é a fiel demonstração de sua grandeza, dessa personalidade vencedora à prova de bombas, que somente uns poucos privilegiados na história do esporte possuem.

    ….

    Ele é tão bom que assusta; é tão bom que provoca inveja, ressentimentos, paixão, ódio….”

    Fonte: puntodebreak

    ______

    De fato, esse texto mostra, nesse trecho, tanto o LEGADO de No1e quanto as reações que provoca nos torcedores adversários.

    Obrigado aos torcedores que parabenizaram os Nolistas por essa vitória. Aos outros, obcecados em procurar manchas na campanha (e na vida) do sérvio (às vezes com razão), repetidas ad nauseam (em uma espiral de obsessão), fiquem tranquilos. A vitória de No1e não tem NENHUMA interferência na importância que seus principais concorrentes tinham antes ou depois do torneio. Eles continuam sendo grandes.

    TODOS eles.

  42. Mauricio Bram

    Bom dia.
    Infelizmente (ou não, não sei) os piores pesadelos tanto da já combalida, “ninguém-dá-muita-bola, só tem finais pífias de Slam, WTA e da ATP vão mesmo se transformar em realidade.
    O interesse global – aqui no BR então, nem se fala, olhe que o número (ou falta deles!) de comentários em matérias sobre tênis no UOL, um dos maiores portais do país) está cada vez menor.
    Pela WTA, claro, o baixo nível do jogo em si e a ascensão de jogadoras como essa OSAKA, que tem o carisma de uma bolacha água e sal. Na ATP, o óbvio, a quase aposentadoria de RF e NADAL.
    A, digamos, “mais recente era de ouro” está chegando ao fim e tenho sérias dúvidas se voltará em algum futuro breve. Dureza.

    1. Rodrigo S. Cruz

      Chadwick,

      de fato, provavelmente ele não irá, mas também ele sabe que não precisa…

      Pois tem outros elementos que tornam os jogos dele IMPERDÍVEIS, indo ele longe nesses torneios, ou não.

      É aquela coisa da ambição, né.

      O Djokoivc chegou onde chegou, porque mesmo não tendo tanta habilidade é o mais ambicioso tenista que já apareceu.

      Trabalhou pra ter um físico fora da curva, sobrenatural.

      E acho que pelo menos uns 70% do jogo dele depende desse super-físico!

      O Kyrgios é o extremo oposto.

      Bem mais habilidoso, porém quase que totalmente descompromissado com a evolução física.

      E aí, você tem razão.

      Pois também acho que ele nunca vai ganhar grandes coisas mesmo.

      Não vai, porque não tem ambição e disciplina necessárias para isso.

      No entanto, eu não troco TRINTA Djokovics por UM só Kyrgios ou UM só Federer…

      (rs)

      Abs.

      1. Daniel

        Desculpe, tem que ser muito fanático para não ver beleza no jogo do Djokovic, na sua capacidade atlética, na sua visão tática, na sua força mental, na sua técnica apurada sem firulas, na precisão e força do forehand, na precisão do backhand, na velocidade de raciocínio das devoluções… enfim, a beleza do jogo não se resume à plástica, que tb não lhe falta; ela reside tb em tornar fácil algo que é praticamente impossível para os demais.

        E, a propósito, preferir Kyrgios a Djokovic é menosprezar o tênis. É prestigiar um moleque que usa uma conduta de menoscabo ao esporte para esconder a frustração de saber que nunca será um campeão, que é a coisa que ele mais deseja em segredo.

        Na moral, quer malabarismo? Eu aponto uns dez moleques que fazem o impossível com a raquete para vc assistir no YouTube. Ou vc pode apreciar ginástica artística ou patinação no gelo. Assim sobra menos tempo para reduzir nosso esporte a um mero jogo de cena exibicionista.

      2. Paulo F.

        Sem contar que eu não deixaria de assistir os dois clubes que mais detesto na NBA numa final Celtics (Djokovic) x Lakers (Nadal) para assistir os Globetrotters (Kyrgios)

  43. Rafael Azevedo

    Parabéns ao Sérvio. De fato, ele é espetacular. É o tenista mais imponente que eu vi jogar. Provavelmente, será o maior da história.
    Quanto ao Nadal, demonstra uma queda física e emocional (apesar de ter evoluído tecnicamente). As derrotas para o Thiem no AO 2020 e Finais 2020, e essa derrota para o Grego, são evidências clara disso. Infelizmente…

  44. Mário Cesar Rodrigues

    Quem ver tênis como ele é .o gane no p set do Russo caso confirmasse poderia ganhar o 1 set e au seu jogo cresceria.agora falar que o Russo passara Rafa pode ser mas o saubri estara ai.e ai o vicho pega na realidade Djokovic vau ser duficil gangar outri GS neste ano.Federee quer WB para encerrar e RG e quase inoossuvek alguém derrubar Rafa mas nestes tempos incertos não arrisco nada vivi no dia a dia Boa semana a todis .Dalcim que ATP forte na Holanda.Rafa tem que estar muito bem mesmo assim vai ser muiti dificil qyadra coberta .valeu

  45. Marcilio Aguiar

    Sobre a Osaka espero que continue sua carreia de muitas vitórias com a simplicidade e despojamento que parece ter diante do sucesso.

    Por tudo que a Serena fez em sua carreira, torço para que ela venha a ganhar WB, antes de pendurar as raquetes. Acho que ela merece.

    1. Barocos

      Marcílio,

      Penso da mesma forma, quiça possamos estar certos.

      Vou torcer muito para o Djokovic faturar o ouro olímpico em Tóquio. Na minha opinião, esta seria a coroação máxima de uma carreira brilhante, um homem com todos os títulos mais importantes em sua modalidade esportiva e, note-se, em competições individuais, onde seus companheiros não podem ajudar em momentos ruins, como se vê em práticas desportivas coletivas.

      Igualmente, gostaria de ver o velho leão da montanha faturar mais um Slam (ainda que ache isto improvável, diante de todos os problemas enfrentados pelo suíço) neste que pode ser seu derradeiro ano. Primeiro, porque seria merecido haja vista todos os feitos extraordinários nos quais ele foi protagonista ou partícipe e, depois, porque iria movimentar bastante o mundo do tênis e, em qualquer esporte, combates épicos é o que fomenta o amor e uma certa dose de insanidade saudável em muitos fãs.

      Ainda que não me proponha a participar das infindáveis elucubrações sobre o “se” e seja avesso às narrativas menoscabadoras direcionadas aos adversários dos ídolos, deve confessar que me divirto muito com as brincadeiras de parte a parte, quando estas não descambam para o desrespeito à algum dos interlocutores ou rasa tentativa de atribuir vilania ao oponente dos seus eleitos.

      Saúde e paz.

  46. Arthur

    É, Dalcim…
    Minha esperança no Mdvedev acabou ficando pelo caminho.
    Ninguém discute que Federer, Nadal e Djokovic são três dos maiores jogadores de todos os tempos, mas a incapacidade crônica das novas gerações de sequer conseguir dar trabalho a esses caras nos grandes torneios é simplesmente patético.
    Como já disse em outras oportunidades, em algum momento nós vamos ter que encarar essa discussão: será que o Big 3 era realmente assim, tão superior aos demais, ou será que os tenistas que vieram depois deles é que não passavam todos de grandes pangarés?

    Um abraço.

  47. Bruno Marcedo

    Gostaria que o Federer fosse o maior campeão de Grand Slam, no entanto tô achando que Nadal e Djokovic irão superar o suiço. Sendo assim, espero que Djokovic seja o maior. Não sei por qual motivo, mas não vou com a cara do Nadal.

    E o tênis continua sendo definido pelo mental. O Medvedev piorou na batatinha, que loucura! O cara nem apresentou qualquer tipo de resistência.

  48. Marcilio Aguiar

    Parabéns ao Djoko e aos seus torcedores, dos comedidos aos xiixtas, todos merecidamente empolgados com o seu predileto. Ele é o homem a ser batido nos próximos 2 anos, pelo menos.

    Mais um desafiante das novas e seminovas gerações que sucumbe em final diante de um Big 3. Pelo que me lembro o último mais jovem, fora do trio, a ganhar um GS foi a torre de Tandil em 2009, antes de completar 21 anos (O Muray, Wawrinka e Cilic quando ganharam pela primeira vez ja tinham pelo menos 23 anos). Por isso valorizo reverencio o argentino, que tinha tudo para estar entre os primeiros nos últimos dez anos, não fossem as lesões seguidas.

    Agora é ver como o Federer vai voltar e torcer para que seja competitivo, pelo menos nos torneio em melhor de 3 sets e possa nos brindar com o seu belo tênis por mais uma temporada, antes de se retirar.

  49. Gildokson

    Não vou nem dizer que estou decepcionado com a derrota do russo pq à uns 2 ou 3 posts atrás quando o sérvio eliminou Zverev eu ja tinha dito que para mim ele só tem o Nadal como adversário em Slam nesse momento.
    Agora que eu esperava uma competitividade por parte dele… isso eu esperava.
    Djokovic não é desse mundo mesmo, o verdadeiro jogador de final, fosse no futebol ele seria daquele tipo que sempre faz o gol do título.
    Eu ja mudei de opinião sobre as chances dele ser o líder em Grand Slans diversas vezes, depois das últimas finais em que ganhou a força no 5°set eu ja estava crente que essa façanha seria do espanhol, agora com o título fácil nesse AO (de parrudo não tem nada kkkk ganhando na semi de um desconhecido e na final do novo robô virgem de Slam) eu começo a achar de novo que o cidadão pode sim chegar à 21 ou 22.
    Bom… vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos e parabéns a todos nolistas do bem como Danilo, Jonas, Barocos e cia e ao grande e bem humorado vilão Paulo Almeida kkkk Chega hein!!! Bora parar por aí

    1. Paulo Almeida

      Devil era o cara a ser batido com suas irritantes 20 vitórias seguidas, Gildoksão. O fato do Djoko ter feito o jogo ficar fácil, assim como contra o Nadal em 2019, não tira o peso do título. De qualquer forma, já tinha batido o Zverev numa partidaça também.

  50. Jairo Silva

    Federer é ótimo jogador, mas vai ser complicado pra ele segurar esse recorde de 20 SLAMS, que aliás ele compartilha com NADAL.

    Pra mim ele até deu um pouco de “sorte”…ano passado não teve Wimbledon e pela temporada atípica Novak demorou até demais pra bater as semanas totais como melhor do mundo.

    Melhor cenário pro Roger é Rafa e Novak baixarem o nível…talvez ele pegue uma chave fraca em Wimbledon como foi em 2017…mas tá difícil.

    O NOVAK ainda ajuda fazendo merda como por exemplo perder um US OPEN ganho.

  51. Paulo F.

    Rafael Nadal – 13 títulos em RG.
    Novak Djokovic- 9 títulos no AO.
    Roger Federer- 8 títulos em W.

    Piso Duro: 12 GS Novak Djokovic X 11 GS Roger Federer

    O bailarino freguesão filhote de espanhol cada vez mais o terceiro do big-3.

    1. Gildokson

      Até pq 8 WB no mundo particular dos tenistas é menos relevante que essas outras conquistas neh?
      Vcs tem todas as ferramentas nas mãos pra tirar uma onda, mas acabam escolhendo as erradas. kkkkkkkkkk

      1. Paulo F.

        Gildokson, tu tens razão.
        Particularmente eu nem tava a fim de provocações.
        Mas ao ver as figurinhas carimbadas de sempre continuando a desmerecer o Djokovic, tive que voltar à carga e continuar com as provocações.
        Segue a guerrinha entre as torcidas.

    2. José Eduardo Pessanha

      É, rapaz, mas têm uma coisa chamada Arte e outra chamada Legado. E isso faz parte do pacote “Melhor Tenista de Todos os Tempos”. E nesse ponto, meu chapa, Djokovic e Nadal perdem de goleada. Ou seja, Djokovic nunca será o maior tenista de todos os tempos. A Arte fala por si só, basta comparar o tênis de Federer e Djokovic, é auto-explicativo, é basicamente compararmos a (falta de) beleza do futebol de um Serginho Chulapa (Djokovic) com a categoria de um Careca ou Romário (Craque Federer). E o legado do Craque é magnífico. Thiem, Aliassime, Dimitrov, Shapovalov, Zverev, Kyrgios, Fognini, Sinner, e muitos outros são discípulos do Craque. Como dizia Vinicius de Moraes: “que me perdoem as feias, mas beleza é fundamental”. Transcrevendo: “que me perdoe Djokovic, mas jogo bonito é fundamental”.
      Abs

      1. Rodrigo S. Cruz

        kkkkkk

        Pessanha,

        eu mesmo fui o primeiro comparar o Novak Djokovic ao Serginho Chulapa!

        Pode pegar os meus posts de uns 7 meses atras, que você vai achar!

        Portanto, você á segunda pessoa a postar isso.

        Novak Djokovic, o Sérginho Chulapa do tênis!

        kkkkkkk

        1. José Eduardo Pessanha

          Rodrigão, juro que não vi essa sua postagem de meses atrás….mas o Djokovic é grossão mesmo. Lembra muito o possante Serginho Chulapa, tanto na falta de habilidade quanto na milonga. kkk
          Abs

      2. Chadwick Boseman

        Enquanto isso, Djokovic continua a vencer e superar limites, né, Pessanha?

        Mas tudo bem, não espero que vc entenda o q isso significa para um Nolista como eu.

        Quem sabe Federer, quando se aposentar, resolva pintar a versão moderna da Mona Lisa, já q vc fala tanto em arte.

        Nesse meio tempo, continuarei apreciando outro tipo de arte, a arte do tênis cada vez mais perfeito, jogado pelo tenista mais completo que já existiu.

        Abraços de um Nolista feliz!

        1. Luiz Fabriciano

          Pois é.
          Soldado bom é o que vai à guerra e volta vivo. Não o que atira por entre as pernas e acaba na trincheira…

        2. Robson

          Um cidadão que cita a palavra “arte” em um comentário,no mesmo comentário cita uma lista imensa de tenista de 1 jogo só,tudo robô 1.0, sinceramente né…

      3. Adriano Souza

        Vou procurar saber quem é Serginho Chulapa

        Obs: Pra mim o Djokovic é parecido com o CR7
        Muito focado e procura aprimorar cada vez mais as jogadas . Isso se deve a muito treino

  52. Miguel BsB

    É, aprendi uma lição…jamais aposte contra Novak na Austrália, assim que não dá pra apostar contra Nadal em RG…
    Fui de russo no bolão e errei feio.

    1. Miguel BsB

      É meus caros torcedores de outros tenistas ou os anti Djokovic…
      Para que o sérvio não alcance o recorde de Slams, vcs vão ter que torcer muito para que ele volte a pirar, abraçar árvore, desistir de competir e voltar a ser “paz e amor”.
      Ou seja, façam aí uma grande corrente mundial “Volta Pepe Imaz!” rs…

      1. Rodrigo S. Cruz

        Miguel,

        o grandíssimo Rod Laver, mesmo com a iminente conquista do Novak, mais uma vez colocou ele e Nadal abaixo do Federer:

        https://bolamarela.com.br/rod-laver-se-olharmos-para-os-numeros-o-federer-e-o-melhor-da-historia/

        O Djokovic irá quebrar esses recordes todos mesmo.

        E daí? Deixa ele quebrar! (rs)

        São favas contadas, e não tem torcida contrária no mundo que impeça isso.

        Só que os amantes do tênis-raiz, do tênis-arte estão muito bem com isso.

        E esses recordes quebrados pelo sérvio que vão mudar uma só opinião de quem já tem consolidada a sua preferência…

        Abs.

  53. Maurício de Souza Fonseca

    Quem terminará com mais Slams será Nadal. Imbatível por não sei mais quantos anos em RG, uma fera no US Open.(que Federer não vence desde 2008).

  54. Renan Vinicius

    A galera tem memória curta. Não lembram do 6×0 do Nadal em RG cima do servio?
    Aproveitem o momento cotonetes, pois Paris é logo ali… e o 21° do espanhol é questão de tempo.

  55. Willian Rodrigues

    Espero que essa derrota contundente na final do AO silencie de vez os “amantes” do suíço que vivem sob a alegação do fator idade para justificar as derrotas acachapantes que Mister Federer sofreu para Djokovic, sobretudo em Wimbledon!!
    Medvedev vinha apresentando um tênis brilhante e sua consistência muito elogiada, inclusive por alguns “federistas” aqui do Blog (como secaram o sérvio!! KKKK). Esse russo é OITO ANOS MAIS JOVEM que o sérvio!!!! E recebeu uma verdadeira clínica sobre construção dos pontos!!
    E que ninguém venha dizer que faltou experiência por parte do Urso, que houve milongas da outra parte…
    Para tristeza e desespero de muitos, apesar de algumas derrapadas (não concordo com muitas atitudes), Djokovic vai mesmo destruir a maioria dos recordes vigentes.
    Saudações nolistas, hoje num dia muito feliz do sérvio!

    1. Gildokson

      Cara eu como amante do tênis do gênio e fã doente vou me achar no direito de responder.
      Sobre esse lance de idade no qual vcs insistem em dizer é desculpas e fazer essa comparação tosca eu só tenho a dizer uma coisa. Aliás te fazer uma pergunta.
      Você acha mesmo que Djokovic de 2011 pra cá encontrou no caminho dele 2 tenistas no mínimo 5 anos mais novos com qualidades e talento para serem os maiores tenistas da história?
      Vou perguntar mais explicadinho pra ver se vcs entendem.
      Quem são os Nadal e Djokovic que apareceram de 2011 pra cá e fizeram frente?
      Você acha mesmo que Zverev, Thiem, Medevedv e Tsitsipas são da mesma classe de Federer, Nadal e Djokovic?
      Pra mim eles não são nem da classe do Murray e correm o risco de nunca ser.

      1. Luiz Fabriciano

        Permita-me intrometer.
        Realmente nenhum dos citados são da mesma classe. Exatamente através de sua afirmação, nota-se que Djokovic é superior a todos, inclusive sobre Federer e Nadal. A dominância dele dos últimos 10 (DEZ) anos para cá, é algo a ser estudado.
        Quando ele atingiu o posto de #1 em 2011, o suíço já tinha feito isso em 2003 – 8 anos antes. Resta notar que apesar dessa diferença de tempo, fatalmente ele ultrapassará a quantidade de semanas nessa posição de Federer, logo alí.
        Saudações!

      2. Willian Rodrigues

        Prezado, eu entendo seu ponto de vista… Porém, existe uma parcialidade tremenda na análise dos fatos. Quando lhes convém, o fator idade é elencado (Federer chegando á final de WB aos 37-38 é um critério de genialidade), mas, quando o suíço é derrotado, vocês alegam que o fator idade (físico) foi determinante. Quando ele esteve “voando baixo” nas rodadas antecedentes como em WB 2013, 2014 e 2019, derrotando alguns desses ótimos tenistas das gerações mais recentes, todos vocês vieram à carga dizendo que ele estava jogando demais, que estava imbatível!! Gostaria de entender isso… Derrotar os garotos é critério para julgá-lo um monstro! Mas, se Djokovic é dominante em cima dos mesmos jogadores, não faz sentido pra vocês!!
        NÃO, não acho que nenhum tenista que se profissionalizou de 2008 em diante tenha potencial para ser GOAT. Vejo Jannik Sinner com um futuro brilhante pela frente, mas, não sei se tem o mesmo talento dos maiorais… Contudo, Zverev, Tsitsipas, Medvedev, Thiem, todos já venceram os membros do Big 3, e são sim grandes jogadores. Também não costumo usar o argumento de “entressafra” para avaliar o período de dominância do Federer (2004-2006).

        1. Gildokson

          Willian, você disse que entende meu ponto de vista, mas não, você não entendeu. Pois acabou repetindo no seu comentário as mesmas comparações que na MINHA opinião considero erradas.
          É lógico que é genial tanto Federer como agora Nadal e Djokovic terem sucesso ainda nos Slans mesmo sendo mais velhos que a maioria do circuito e por isso nós elogiávamos quando o Federer chegava numa final mesmo depois dos 34, só que pra ganhar de um Djokovic tem que ter um gás a mais, daí vem minha justificativa que tentei te passar no comentário acima.
          O Federer tem dois caras do mesmo nível de grandeza dele pra enfrentar numa hora dessa, só que esses dois tem uma vantagem cronológica, que faz diferença SIM, principalmente quando o estilo do jogo começou ser moldado pra isso, quando diminuíram velocidades e padronizaram quadras para que houvessem mais trocas da base e tenistas como os dois fossem bem sucedidos, coisa que no começo dos confrontos podia não fazer tanta diferença, mas com o passar dos anos sim, vitórias para um lado e derrotas para o outro vão minando confiança, vão mexendo na cabeça do perdedor. E pra mim é por isso que não se pode comparar o que tem para Djokovic e Nadal hoje com o que Federer teve que encarar, Djokovic pode eliminar o n° 114 do mundo tranquilamente que na final ele não vai encarar um monstro mais jovem que ele, é só um next gen promessa com pouca experiência em Slam, ou eliminar um Bautista Agut numa semi de WB e ficar tranquilo e confiante pq la do outro lado vem um cara 6 anos mais velho que dificilmente não vai sucumbir ou física ou psicologicamente (coisa que até me surpreendeu naquela final ele aguentar correr tanto durante 5 sets) mas veja que pouco depois ja fez torneios com problemas físicos até parar.

          1. Willian Rodrigues

            Prezado, eu ENTENDI sim seu comentário. Mas, Por favor, não fique desconfortável pelo fato de eu não concordar integralmente. Eu o julgo um dos torcedores mais coerentes aqui do Blog.
            Você afirma que a vida de Federer no circuito foi mais difícil que aquela de Djokovic ou Nadal após certa idade devido ao nível surreal de ambos. OK, OK!
            PORÉM…
            Entre 2003 e 2007, Federer ganhou 12 slams. Observe o ranking dos oponentes finalistas à época dessas conquistas: Mark Philippoussis (48º), Marat Safin (86º) e Marcos Baghdatis (54º). Quando foi que Djokovic teve uma mamata dessas??!! For God Sakes! COMPARE: dentre os 14 grand slams conquistados por Djokovic, 11 foram contra Federer, Nadal ou Murray! O sérvio acabou de espancar “o cara do momento” (unanimidade aqui no Blog) na final do AO. Medvedev vinha de 20 vitórias consecutivas e títulos importantes.
            MEU PONTO DE VISTA É O SEGUINTE: essas finais mais tranquilas que Federer pegou antes da chegada de Djoko e Rafa possibilitaram alguns títulos de grand slam, e semanas a mais na liderança do ranking, sem os quais nem sequer existiria mais essa discussão sobre o GOAT! Um aspecto compensa o outro, entendeu?

            E faço questão de “printar” alguns textos agora para que daqui a 4 ou 5 anos, quando algum desses garotos da nova ou novíssima geração estiver arrebentando no circuito, verificar se os colegas aqui não o colocarão num pedestal alegando possibilidades de comparação com o Big 3. Um nome que insisto em dizer que conjuga muito bem técnica (não completamente apurada) e força mental é Jannik Sinner. A conferir…
            Abraços e ótima semana pra “nóis”!

  56. Alison Cordeiro

    Djoko “passou o trator” e “comeu mais um fígado”. O russo é ótimo jogador e nas últimas vezes que encarou o sérvio provou que é um nome a ser respeitado, mas hoje não viu a cor da bolinha. Como Nadal em seu “habitat natural”, não deu chances ao rival.

    Um título que confirme sua “fome” de recordes e capacidade técnica. Grandes chances de ser chegar aos números da dupla Fedal em GS, mas os outros que alcançou já são suficientes para deixá-lo como um gigante na história.

    Parabéns por mais uma cobertura sensacional, Dalcim. Agrademos seus textos incríveis.

  57. José

    Osaka pode ter a mesma história que Djokovic, que era antes um jogador muito bom de hards, mas não tanto nos outros pisos e foi evoluindo ao longo da carreira.

    O fato é que agora DJokovic é o maior campeão de Slams em quadras duras. Superando o Federer: 12×11. Ratificando o posto de maior tenista da história em quadras duras.

  58. EDVAL CARDOSO

    Pra mim, só falta uma barreira pro Djokovic ser considerado o maior de todos, ganhar do Nadal numa final de RG, ganhou uma vez mas foi na semifinal e o espanhol tava meio baleado.

        1. Marcelo-Jacacity

          Falo em Roland Garros.
          Já em 2015 o espanhol estava abaixo do nível habitual, o que não tira nenhum pouco os méritos do sérvio que estava voando, mas sentiu a pressão contra o Stanislas na final.

          1. Luiz Fabriciano

            Mesmo abaixo do nível habitual, um sonoro 3 x 0 é desproporcional. Acho mais que foi um nível muito alto do sérvio, haja vista que foi a melhor temporada de um tenista na recente história. Uma pena que encontrou um outro suíço “em seu dia” na final.
            Saudações.

  59. Helena

    AU Open 2018 – Federer
    Wimbledon 2018 – Djokovic
    RG 2018 – Nadal
    US Open 2018 – Djokovic

    AU OPEN 2019 – Djokovic
    RG 2019 – Nadal
    WIMBLEDON 2019 – Djokovic
    US OPEN 2019 – Nadal

    AU OPEN 2020 – Djokovic
    Wimbledon 2020 – X
    Us Open – Thiem
    RG 2020 – Nadal

    AU Open 2021 – Djokovic

    Dos últimos 12 Slam disputados, temos um título do Federer, um do Thiem, seis do Djoko e quatro do Nadal. Em outras palavras, 11 do Big 3 e um do resto (torneio sem Federer e Nadal, com Djoko eliminado).

    Nessas finais eles venceram, respectivamente: Nadal, Kevin Anderson, Thiem, Del Potro, Nadal, Thiem, Federer, Medvedev, Thiem, Zverev, Djokovic e Medvedev.

    Ou seja,o único torneio dos últimos tempos que não teve um integrante do Big 3 foi aquele em dois não participaram e um foi eliminado. Além de já terem um carreira fantástica e com o nome marcado na história, os 3 ainda são jogadores superiores e querem mais a vitória do que os novatos . Até que isso mude (e um dia vai ter que acontecer), não vejo motivo pra falar em troca de guarda.

    Aproveito pra levantar que o Federer ao 39 anos e sem praticamente jogar em 2020 ainda está em quinto lugar. Ou seja, mesmo com a opção de escolher os melhores resultados entre 2019 e 2020, ainda assim só Medvedev e Thiem conseguiram ultrapassar o “velhinho”.

    Três jogadores espetaculares, aproveita quem quiser.

  60. MARCELO NEVES MURER

    Dalcim!

    Parabéns mais uma vez pelo seu trabalho, melhor site de notícias do Brasil.

    Dalcim tenho uma sugestão e uma pergunta

    Sugestão é manter um quadro de estatísticas h2h? E de títulos nos torneios?

    A pergunta é Djokovic é o jogador mais inteligente que já pisou no circuito com relação a tática? Ele parece ter plano para tudo não?

    Abraço,

    Respeitosamente,

    Marcelo Murer

    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado pelas sugestões e palavras, Marcelo. Acho bem difícil fazer comparação nesse campo, porque o tênis mudou demais. Além disso, tivemos excelentes estrategistas e geralmente eram tenistas com muitos recursos, porque isso é essencial num plano B ou C.

  61. Adriano Souza

    Aquele Smach saltando no ar ( estilo Michael Jordan no basquete ) que o Djokovic deu , foi da hora !

    E vi ele um pouco mais agressivo no jogo
    Não deixou o Medevedev a vontade

    Antes do jogo eu disse que ele teria que ser um pouco mais agressivo pra vencer o russo .
    Felizmente ele foi um pouco mais agressivo

  62. Rodrigo S. Cruz

    Bom,

    passada a minha resseca pessoal de mais uma lastimável conquista do Robozinho dos Bálcãs ( oh Céus, que tempos negros vivemos kkk ) vou tecer algumas palavras.

    Entendo ser normal a euforia momentânea das “robovetes”, afinal não é todo dia que se ganha um Slam.

    Mas vamos colocar os devidos pingos nos i’s.

    Eu estava lendo alguns comentários, e teve o de um novato que me chamou atenção.

    Segundo ele, o sérvio irá “amassar” (foi esse o termo) o Rafael Nadal em Roland Garros. Mas já volto a isso.

    Bem, esse título de hoje serviu pra confirmar algumas verdades.

    A primeira é a de que o Djokovic é realmente o pitbull da Austrália. O mais temível tenista que já pisou ali…

    O único oponente que exigiu do sérvio nesse torneio foi o Alexander Zverev.

    E num jogo que considerei até muito bom, mesmo eu que não adiro ao “maratenismo”.

    A velocidade do piso ajudou o sérvio a encaixar bons winners e aces.

    E já me declaro suspeito (antes que o façam por mim), mas talvez o Federer constituísse ameaça ainda maior, pelo mesmo motivo.

    A segunda verdade, e aí me perdoem alguns djokovistas é que esse sérvio possui uma clara, indelével falha de caráter.

    Para mim ficou evidente que ele fabricou e vendeu ao público esse ABACAXI da lesão!

    E aqui eu reforço ao Fabriciano que respeite o meu direito de expressar isso.

    Você pode discordar da minha afirmação a vontade, mas me chamar de mentiroso não…

    O sérvio sabia que ia ganhar o torneio, e esperou confirmar isso para depois noticiar que se tratava de um estiramento.

    Enfim, tudo conversa fiada, né?

    Foi uma estratégia tecida meticulosamente para confundir e desestabilizar os adversários dele…

    Por fim quanto a um possível encontro com o Nadal em Roland Garros, muita calma nessa hora.

    Não tem nem 5 meses que “amassado” por ele foi o sérvio.

    E numa derrota fragorosa, muito mais expressiva, e com direito até a pneu.

    O Djokovic é o rei da Austrália, agora supor que pode tirar a hegemonia do Nadal em RG é outra estória…

    1. Sandro

      Tudo isso é inveja de um frustrado torcedor do fracassado do Kyrgios…. Kkkkkkk como é doente!!! E outra, há quanto tempo Federer não ganha um Grand Slam??? Desde que Federer ganhou seu último Grand Slam somente Nadal, Djokovic e Thiem conquistaram Grand Slam e vc acha mesmo que Federer teria alguma chance de ganhar um Grand Slam agora em 2021??? Tá de brincadeira… E o Kyrgios? Já ganhou quantos Grand Slam na carreira?
      Deve ser muito frustrante o Kyrgios ver o Djokovic ganhar 9 Grand Slams dentro da Austrália, não é mesmo?
      O Djokovic vai até a casa do Kyrgios e ganha 9 Grand Slams no quintal dele, ao passo que o melhor resultado do frustrado do Kyrgios jogando em casa foi somente as quartas de final SOMENTE lá em 2015… O Kyrgios é tão pateta que sequer consegue avançar num torneio dentro de casa… Aí é obrigado e se morder de inveja vendo Djokovic ser várias vezes Campeão pela TV ?…

    2. Luiz Fabriciano

      Prezado Rodrigo.
      Para começar, não é euforia momentânea. Talvez seja para crianças que nasceram de poucos anos para cá, mas a dominância desse tenista, já ultrapassa os 10. Tudo bem se definires uma década como momento.
      Não te chamei de mentiroso em nenhum momento e se viste minha resposta à você no outro post, notará isso. Você é quem insiste em dizer que o sérvio criou isso – uma mentira – no torneio. Com esse argumento que ele já até sabia que venceria o AO, como?
      Como um jogador, #1 do mundo, 2 sets acima sobre um jogador limitado, em início de torneio faria algo desse tipo?
      Seus médicos e até os médicos australianos trabalharam em seu tratamento. Será que tudo combinado? Uma coisa é alguém falar que dói, outra é exame acusar problemas.
      Mas não tive a intensão de te convencer de nada. Estou muito satisfeito com mais esse caneco.
      Aliás, tu deverias ver, ou rever, as palavras dirigidas ao sérvio pelo Medveved, na entrevista final. Tem detalhada também aqui em Tenisbrasil (esse site é ótimo).
      Para não dizer que sou contra tudo que li, concordo com você que amassar Nadal em Roland Garros é quase um delírio.
      Saudações.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Bom, Fabriciano.

        Então eu posso ter me equivocado com a tua resposta pra mim, na outra pasta.

        Logo eu vi que alguém como você dificilmente faria isso.

        E fico até aliviado.

        Abs.

      2. Luiz Fabriciano

        Outra coisa:
        “A lesão piorou desde que comecei até agora. Os médicos me disseram que não é algo exageradamente sério, mas vou ter que tirar um tempo para me recuperar bem. Fiz uma ressonância magnética há algumas horas e dá para ver que o rasgo fibrilar é de 2,5 centímetros. No dia contra o Fritz fiz outra ressonância magnética e foi constatado que o rasgo era de 1,7 cm”, disse o sérvio.
        (Novak Djokovic)
        Deve ter combinado também com os aparelhos de ressonância, que diferentemente dos do interior do Brasil, são todos de primeira linha.

        1. Rodrigo S. Cruz

          Sei, sei…

          E você tem como garantir que ele mostrou essa ressonância mesmo?

          Ou não teria sido mera declaração soltada na mídia, para salvaguarda da imagem?

          Porque ele também se queixou das várias críticas, ao meu ver merecidas que ele recebeu, logo após o anúncio da suposta lesão…

          Já que o físico dele estava em 110% contra o Zverev e o Medvedev…

          1. Luiz Fabriciano

            Não tenho!
            Mas você deveria convir que falar em imagem, hospital, médico, tratamento, medicamento etc, sem ser verdadeiro tem que ter uma rede de relacionamento muito coesa para sustentar uma farsa. Ao contrário dos que estão do outro lado do mundo, dizendo que não é verdade.
            O tal do Rusedski quer saber que remédio ele tomou. Piada.
            Como disse um colega lá do outro setor: deve ter sido paracetamol, kkk.
            Saudações.

            * Já ia me esquecendo: o ibope já tem quase quinze que não fala de outro assunto, senão Djokovic. Vá derrubar ibope assim lá na Austrália.

    3. Emerson Torres

      Rapaz, quanta besteira em um único comentário. Inveja não faz bem hein?! O interessante é que eu e o “talentoso” e “irreverente” Kyrgios temos o mesmo tanto de finais de Grand Slans e Masters 1000 na carreira.

  63. Paulo

    Dalcim, eu diria que essa “dificuldade de achar uma solução tática que não seja bater a bola de qualquer jeito” tem a ver com a transição ataque-defesa dele, que é abaixo dos outros jogadores com o currículo dele.
    Ele joga muito atrás da linha e é absurdamente regular e eficiente na trocação e na defesa, mas diferente do Wawrinka demora muito para avançar quando recebe uma bola mais curta (visivelmente hesita, e várias vezes pega a bola lá em baixo para atacar), e quando avança um pouco recua logo após bater. Não vou nem mencionar o jogo de rede dele.
    Isso faz com que ele tenha mais dificuldades em angular e distribuir bolas, deslocando e tirando o tempo do adversário, e tenha que arriscar muito para conseguir um winner quando o oponente também não erra. Como ele não avança quando acua o adversário, também acaba dando tempo para este se recuperar.
    Outro detalhe: No 5-5 do primeiro set eu percebi que ele estava mais desgastado que o Djoko, pela correria. O Djoko recebia a maioria das bolas na mão, e ele tinha que correr para buscar as bolas.
    Claro que só um Djoko voando conseguiria tirar proveito desse “defeito” do russo, kkkk.

    Abraços!

  64. Paulo Almeida

    Não esperava duas publicações em um espaço tão curto de tempo, mas já disse ao Jonas que esse título é muito pesado, pois DjokoGOAT simplesmente passou o trator no cara que ostentava 20 jogos de invencibilidade e que também havia “tratorado” o Tsitsipas na semifinal.

    Aliás, aquela partida me lembrou bastante vários confrontos do rei contra seu freguesão, em que este tentava ganhar os pontos com suas tradicionais jogadas de circo, mas tomava direto na cabeça com a consistência daquele. Enfim, o jogo sério prevalecia sobre o malabarismo.

    Agora é seguir comemorando até o próximo torneio.

    1. Chetnik

      “Jogadas de circo” kkkk. Muito boa. O grande expoente do “tênis-circense” kkkk. Sou mais o “tênis-exterminador”.

    2. Sandro

      Ah ah ah!!! Excelente comentário Paulo!!! Estou rindo até 31 de Fevereiro de 2027 com “jogadas de circo ? do Pato ? pateta…
      Ele deveria mandar currículo para o circo ? de Soleil pra fazer as palhaçadas dele lá…
      É isso aí, vem com jogada de circo, toma logo uma logo na cabeça pra aprender a ficar esperto….

      1. Gildokson

        O foda é que com esse “tênis de circo” aí o cara conseguiu ganhar mais de 100 títulos, ficar 310 semanas na liderança do ranking, vários M1000, ser o maior ganhador de Finals, ter 20 Grand Slans, Copa Davis, medalhas olímpicas, quase emendar DEZENOVE finais de Grand Slam consecutivas (não fosse aquela eliminação na semi do AO 2008) e mais uma série de recordes a serem superados ainda.
        Realmente Federer é um pato pateta mesmo. E você conhece muitooooooo kkkkkkk

    3. Adriano Souza

      Sou fã do djokovic , acho ele forte mentalmente e tecnicamente . Porém , gosto de umas jogadas diferentes, tipo Dustin Brow por exemplo .
      Acho importante pra imagem do esporte

  65. Marcelo-Jacacity

    Dalcim,
    Creio que depois péssima escolha tática na final de RG-20 (com deixadinhas em profusão) e da derrota duríssima do Djokovic contra o Nadal, creio que o sérvio tem uma chance, ainda que pequenina, de aprontar contra o espanhol no próximo Major do saibro. Primeiramente é claro que precisa chegar até a final, que não é uma tarefa nada fácil, tendo em vista que o Thiem sempre é adversário fortíssimo em RG, e o jogo do Djokovic não é tão adequado ao saibro.
    Mas de repente, o sérvio pode aprontar contra o Nadal que ainda possui 99,9% de chance do 14 título de RG. rs

    Gostei do texto técnico, sim. É sempre bom destacar a capacidade de evolução, trabalho mental e físico árduo dessas lendas do esporte.
    Obs: Tenho comentado pouco, mas continuo lendo o blog sempre.

    1. José Nilton Dalcim

      Claro que é só um exercício de imaginação, mas não é impossível que Nadal chegue em Roland Garros como número 3. E aí…

      1. Marcelo-Jacacity

        Grande Dalcim,
        O Djoko até RG creio que continuará como n. 1, caso o Nadal caia para n.3 e o Thiem para o n. 5 todo o trio estará do mesmo lado da chave, isso? Enquanto isso poderíamos ter Medvedev, Tsitsipas e e Zverev do outro lado…esse ranking será bastante importante para a definição da chave de RG para vermos quem ficará com a bandeja de vice, já que o troféu nem precisa falar com quem vai ficar.
        Vishiiii!

  66. Barocos

    Mestre Dalcim,

    Como sempre, preciso e sem excessos, a marca de todo bom profissional, paixões e exageros são para os fãs.

    Gostaria de acrescentar algo sobre as suas ponderações, algo que todo admirador deste belo esporte sabe, mas que alguns, devido ao fanatismo, insistem em não reconhecer: Federer, e em menor escala, Murray e Wawrinak em forma, fazem uma tremenda falta no circuito.

    Penso que fiquei mal-acostumado com as batalhas épicas que estes senhores nos brindaram, com as tensas disputas ponto a ponto e que podiam ir para qualquer lado, nestes muitos anos em que se enfrentaram pelas principais arenas de tênis do mundo.

    Nem mesmo nossos heróis são eternos e, talvez, neste ano sejamos obrigados a nos despedir do Federer e, se ele tiver juízo, do Murray. Será o fim de uma era maravilhosa neste esporte. Espero estar errado.

    Torço muito para que o habilidoso Tsitsipas e o jovem Sinner elevem logo seus níveis, Zverev também pode fazê-lo. Em todas as modalidades esportivas, sempre foi a presença de adversários temíveis (e só estes podem propiciar a imprevisibilidade, a tensão elevada, uma vontade maior de não perder do que de ganhar e a imprescindibilidade da entrega total do oponente), o que elevou simples humanos a estatura de titãs.

    Mesmo tendo Djokovic minha predileção, gostaria de ver o Federer erguendo um troféu importante (contanto que não seja o ouro olímpico!), seria uma premiação mais do que justa para um tenista extraordinário. No infortúnio da hipótese terrível se concretizar, deixo registrado que nós e nossa “bailarina” merecemos um monumental canto de cisne.

    Gostaria, ainda, de ver a Serena fazer um esforço extra e se apresentar em boas condições atléticas para suas últimas batalhas. Não vou torcer por ela quando a Vika estiver do outro lado, mas, assim como no caso do Federer, ela também merece uma despedida apoteótica, de preferência com direito a superar a Court em títulos de Grand Slams.

    Saúde e paz.

    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado e compactuo das suas observações. Mas o esporte é assim, não tem jeito. Temos de nos acostumar ao que o tempo fez a um Jordan, a um Ali, a um Bolt, a um Prost, a um Pelé. E há carreiras esportivas bem mais ingratas que o tênis, que permitem quatro, talvez seis anos de ápice e glória. O lance é curtir o máximo enquanto se pode. Abs!

  67. Alan Guimarães

    Grande Dalcim,

    Percebi que o Sérvio utilizou o forehand sem tanto top spin hoje, seria uma estratégia para tirar o tempo de reação do Russo?

    Com relação ao título feminino, essa menina vai dominar o circuito por anos, a conferir!

    Parabéns pela cobertura do AusOpen

    Grande abraço!

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, acho que a ideia de tirar o tempo do russo foi bem conduzida. O forehand do Medvedev precisa de um tempo maior de preparação, porque ele faz um ‘looping’ exagerado.

  68. Marcelo-Jacacity

    Muito feliz com o título do No1e. Não acredito que ele chegou a 18 Majors, incrível!
    Estava bem apreensivo e pra mim o jogo seria mais difícil. O Djoko nunca esteve tão perto na disputa de Majors como agora.
    Novak, pelo amor de Deus, concentre-se no seu tênis espetacular dentro da qudra que serás muito bem recompensado. Esqueça o lado externo, política e coisas afins.

  69. Sérgio Ribeiro

    O Post está irretocável em relação ao patamar em que se encontra o Eneacampeão Novak Djokovic. Dito isto , ele mostrou que parte como favorito pra se tornar o maior vencedor de SLAM da Era Profissional. Se deu ao luxo de em suas bem sucedidas idas à rede nos brindar com um voleio espetacular que deve ter feito Sampras e Federer abrirem um largo sorriso. Me atrevo a dizer que qualquer que fosse o Oponente da FINAL , em nada mudaria a sua esmagadora vitória em Sets diretos . Assim como aconteceu em RG 2020 com o Touro Miura. Na medida que temos 3 SLAM fora do Saibro, esse garoto próximo aos 34 , dificilmente não assumirá a ponta no máximo até o próximo ano. A conferir . Abs!

  70. Paulo F.

    Antes das contumazes cornetagens:

    A piazada realmente chega cada vez mais nos Slams de piso duro.
    Mas não vejo esse mesmo desempenho no saibro e na grama.
    Assim, vejo Djokovic com fortes possibilidades de levar mais dois Wimbledons.
    Só Federer vejo como alguém para impedir mais estas conquistas do Nole na grama sagrada londrina.

    1. Sandro

      Desde quando o Pato ? Pateta freguezaço do Federer é capaz de impedir Djokovic em Wimbledon???
      Ou senhor não sabe que Federer perdeu TODAS as finais de Wimbledon contra Djokovic?

    2. Rodrigo S. Cruz

      Hãaannn ?

      Só o Federer o que?

      Mas que novidade, hein.

      Não sabia que um mero pateta alpino, filho do Nadal, podia tanto em Wimbledon, ou qualquer outro reduto…

  71. Chetnik

    “agregou ao longo dos anos um voleio muito respeitável, slices para mudar o ritmo e deixadinhas que confundem o oponente. Agora, aprimorou o primeiro saque. Com isso fica ainda mais ofensivo”

    Como assim, Dalcim? Eu aprendi aqui nesse blog que o Djoko é um maratenista sem técnica e habilidade que não sabe voleiar, tem o pior slice do circuito e deixadinhas horríveis? Kkkkk.

    Como diz o grande L. Fernando, esse blog é diversão garantida kkkkk.

  72. Carlos

    Dalcim,
    Com esse domínio de Djoko e Nadal pelo menos nos próximos 3 anos, será difícil para alguns destes segunda linha atuais – como Thiem, Medvedev, Tsitsipas- alcançarem, por exemplo, 5 slams, já que a tendência é que estes que hoje são a segunda linha envelheçam (cheguem na casa dos trinta) e não joguem no mesmo nível, o que acha? Abriria brecha para os mais novos ainda, uma geração depois, que aproveitará a aposentadoria dos big 3.
    Segunda linha que eu digo não com intenção de desmerecer, mas é que Djokovic, Nadal e Federer estão num patamar superior, sendo a primeira linha.

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, Carlos, não há garantia que o domínio deles prossiga. Veja quantos problemas físicos surgem. Mas ainda assim vejo poucos nomes da nova ou novíssima geração com condição de vencê-los em Slam.

  73. Chetnik

    Djokovic é sádico demais. Os sofredores de sempre estavam todos ouriçados, contando com a vitória do Medvedev kkkk. Que aula de tênis. Domínio completo. Jogar contra um jogador que tem devolução – a melhor da história, diga-se – e que não derrama erro e bola curta na esquerda é outra coisa…aquele jogo do Tsitsitetas não significou nada. Só para os “entendidos” kkkk.

    Mas o jogo foi bem mais fácil do que imaginava. Djoko muito inteligente e forte mentalmente.

    PS: Pra quem fala as M. de sempre sobre a pessoa “Novak Djokovic”, deveria ouvir o que o Medvedev falou sobre ele na cerimônia e na coletiva. GOAT como jogador e como ser humano.

      1. Chetnik

        Você falando em ser ridículo? Tá cada dia pior. só textão para ofender o Djoko. Dá para ver que o sucesso dele entrou na sua cabeça e você tá colapsando. Aliás, ele fez novo exame e não só a lesão foi confirmada como ela aumentou. Se tem algum mentiroso na história, não é ele.

        1. Rodrigo S. Cruz

          Sim, não vou negar.

          E boa parte das coisas que eu escrevo do sérvio são exagero e arroubo retórico.

          Mas esse caso específico da lesão é outra estória. Eu acho que se tratou mesmo de uma farsa.

          Impossível alguém jogar em nível tão alto assim, tendo uma lesão…

  74. Robson Couto

    Saudações Dalcim,
    Primeiramente gostaria de parabenizar e agradecer a você e toda equipe pelo excelente trabalho e a grande dedicação nessa Australian Open. Além disso, tenho três considerações:
    1. Quando Medvedev fez os agradecimentos destacou a atitude e humildade do Djokovic, campeão de Wimbledon e número 1, em treinar com ele, fazendo perguntas e conversando como um amigo. Nessa hora lembrei de uma frase de Epicuro que diz: “Caráter é aquilo que você é quando ninguém está te olhando.” Para mim, mais uma prova que Djokovic, apesar de muitas atitudes explosivas que também desaprovo, é uma pessoa admirável, pois sempre me pareceu um ser humano generoso e muito envolvido em tentar realmente ajudar os jogadores de menor ranking.
    2. No meu ponto de vista o rendimento baixo de Medvedev foi provocado pela atuação do adversário. Ele ficou tão perdido em quadra que não tinha estratégia para mudar o jogo, parece algo como o que Nadal fez com o próprio Djoko na final de Roland Garros do ano passado.
    3. Finalmente, o que você deixou passar em sua análise é que quando Djokovic joga de verde e branco vira um matador (veja também o Australian Open de 2020 , rs…)

        1. Luiz Fabriciano

          Meu caro Robson, por não conhecer a história do Palmeiras, não me recordo dessas cores em seu uniforme.
          Valeu pela informação.

  75. Fernando Souza

    Dalcim.

    Essa coisa de GOAT é mesmo uma cilada. Eu torço para Djokovic e acho sim possível (embora nada fácil) ele terminar a carreira como o mais vitorioso em Grand Slams. Por outro lado, como olhar para alguém que já venceu 13 vezes um mesmo Slam e não achar esse sujeito o melhor? rsrs… Sei que a questão também passa pela habilidade em diversos pisos, mas é quase judiação o cidadão vencer 13 x e não ser o GOAT rs…

  76. Fernando Souza

    Dalcim.

    Vc acha que se os pisos estivessem menos uniformizados esses 58 Grand Slams hoje pertencentes ao Big3 poderia estar um pouco mais distribuído?

  77. Fernando Souza

    Dalcim.

    Eu ainda acredito firmemente no favoritismo de Federer em Wimbledon (compartilhado com Djokovic, é verdade), apesar da necessária retomada de ritmo pós-afastamento. Acha que estou sendo excessivamente otimista?

  78. Fernando Souza

    Dalcim,

    vc vê salvação para o Kirios? Não me refiro às polêmicas, mas ao talento dele enfim render a conquista de grandes torneios como o AO.

    1. Sandro

      Kyrgios tem que ir para o circo ? porque lá é que lugar de palhaçada… Em toda sua carreira, o melhor resultado em Grand Slam do fracassado do Kyrgios foi as quartas de final só em 2015 na Austrália, fora isso Kyrgios nunca chegará sequer perto de ganhar um Grand Slam…

  79. Chetnik

    E não é que o maior poeta do blog tava certo? Djokovic não consegue mais vencer a garotada. Principalmente nos grandes jogos kkkk. Como deve ser o sentimento de errar TODAS as previsões por 4 anos seguidos? Eu nunca vi alguém para falar tanta besteira kkkk.

    1. Luiz Henrique

      Pois é, esses comentários ridículos de que Djoko n ganha da garotada baseado no ATP Finals, torneiozinho festivo de fim de ano que não serve como parâmetro para nada

      1. Sérgio Ribeiro

        O milionário Torneio em que uma simples vitória vale quase a mesma pontuação de um ATP 250 e ‘ evento festivo de fim de ano ? . E disputado pelos 8 melhores de TODA a Temporada ??? O Espanhol ZERADO até hoje no ATP FINALS somente terminou 2019 como N1 devido a eliminação do Sérvio pelo Suíço. Nenhum título neste importante Torneio de 1500 Pontos dotados ao Campeão invicto , perdendo somente pros SLAM , é uma enorme lacuna na carreira de Rafael Nadal caríssimo expert kkkkkkkkkk . Abs!

        1. Sandro

          Até parece que um FENÔMENO DO TÊNIS MUNDIAL com TREZE TÍTULOS ESPETACULARES TÍTULOS de Roland Garros está preocupado com Finals!!! Que ridículo!!! Só um pateta mesmo pra achar que um cara com TREZE TÍTULOS DE ROLAND GARROS está se importando com Finals… Ainda mais quando Federer é o Pato ? pateta freguezaço de Nadal, já que perdeu todas as finais contra Nadal em Roland Garros…

          1. Miguel BsB

            Rapaz, você chegou há pouco no blog (se não é um fake como tem gente desconfiando) e já está se tornando um “campeão” em falar asneira e agredir os outros…Parabéns pela conquista!
            Para a informação do pateta, nem Federer, nem o seu idolatrado Djokovic, e nem NINGUÉM ganhou final em Roland Garros de Rafael Nadal!
            Ridículo é querer desmerecer o 5 maior torneio em importância do calendário, atrás somente dos Slams…

        2. Luiz Henrique

          Na verdade não foi só o ATP Finals
          Alguns gênios aqui acharam que Djoko ia se ferrar no AO por causa do SONEGO em VIENA
          Olha o brilhantismo dos comentaristas kkkkk

          1. Rodrigo S. Cruz

            Verdade!

            Brilhantismo pra você deve ter sido o do Djokovic fazendo CORPO MOLE pro Sonego em Viena, e agora inventando essa mentira de lesão “mandrake” no Australian Open!

            (rs)

        3. Luiz Henrique

          Independentemente da discussão do Finals ser ou não um torneio festivo, fato é que os brilhantes comentaristas pegaram os resultados de DJoko de fim de ano pra tomar como referência pro AO. Sensacional. Djoko perder nos torneios de fim de ano virou rotina faz tempo, e segue enfileirando AO´s. Estou só rindo dos iludidos.
          Tem um grande iludido que é gente boa até, mas não apareceu ainda desde o título do Djokovic, kkkk

  80. Mateus Cruz Tamiasso

    Não acho nada elogiável a postura de Osaka, tanto em relação à BLM do ano passado, como esta situação do dirigente olímpico.
    Ela pode ter a opinião dela, legal, mas longe de ser uma verdade indiscutível, muito pelo contrário. Defende pontos de vista “politicamente corretos”, fala o que a grande mídia quer ouvir, tudo isso com uma afastamento grande da realidade das coisas como elas de fato são. E a grande maioria, inclusive este site, aplaudindo. Aliás, nisso parece muito mesmo com Serena Williams. É lamentável…

    1. LION

      O povão de verdade, o povão mesmo, o frentista do posto, a costureira do bairro não dá a mínima pro que esses personagens fakes dizem. Quem liga é playboy metido a “humanitário”. Osaka, a “rebelde” da Vogue e da Loui Vuitton. Que piada!!

    2. Sandro

      Concordo plenamente contigo Mateus, parece uma atitude forçada dela para ganhar likes na internet, sem ter conhecimento de causa necessários para emitir seus comentários…

      1. Miguel BsB

        Não…quem tem conhecimento de causa é você!
        A Osaka é NEGRA, nacional de um país em que quase não existem negros…se você acha que ela nunca teve que enfrentar racismo durante sua vida inteira você é um pateta alienado!
        Vai mugir em outras pastagens…

    3. Thiago Silva

      Eu também discordo das posições dela, mas entre ganhar milhões de dólares em patrocínio só repetindo discurso progressista ou falar a verdade e ver as marcas fugindo, acho que é uma escolha bem fácil até. É tipo trocar uma mina de ouro por um chevete.

  81. Nattan Labatto

    Wimbledon tem um Rei (por enquanto Roger Federer)
    Rolanga tem um Rei (Absoluto)
    E a Austrália tem um Rei, o maestro dos pisos duros, somando 12 grand Slam no total nesta superfície. Como sabemos que ele não vai parar por aí nos resta mensurar até onde essa lenda vai chegar. De quebra, garantiu 2000 pts que o devem deixar na ponta por muito tempo…

    Vida longa ao pulverizador de recordes!!!

    Saudações nolistas ????

    1. Sandro

      Que Rei FAKENEWS é esse Federer que perdeu TODAS as finais de Wimbledon contra Djokovic??? Rei que é Rei seria fregiezaço de Djokovic em Wimbledon???

  82. Luiz Henrique

    Números finais, minha previsão
    Djoko: 13 AO, 9 WB. 5 USO, 1 RG, total 28

    Nadal: 17 RG, 5 USO, 3 WB, 1 AO, total 26

    Federer: 20

    1. Carlos

      É uma previsão bem otimista. Observe que em três anos são 12 slams; Djokovic tem 33 para 34 anos; hoje ele tem 18, precisaria ganhar 10 slams de 12 em três anos, ou estender a carreira para 38, 39 anos e, mesmo estendendo, teria que conseguir uma média de 2 slams por ano. Lembrando que o jogo do Djokovic é muito baseado em seu físico, que tem que estar 100 por cento sempre, para que consiga ganhar com tranquilidade.

  83. Chadwick Boseman

    Pedi que pudesse ver a final, pedi que fosse contra Medvedev.

    Graças a Deus tive meus desejos atendidos. Djoko supera todas as expectativas, teimar em desmerecê-lo (criticar é uma coisa, desmerecer é outra) começa a levantar dúvidas sobre a credibilidade de quem o faz.

    Agora é voltar à realidade e disputar meu Grand Slam particular.

    Grande abraço e saúde a todos.

  84. Antônio gabriel

    Mestre Dacim, no final os números vão servir pra dizer muita coisa sobre o melhor jogador de todos os tempos, por enquanto Djoko só fica atrás de Nadal e Federer em relação a Slans, que no final pesam mais pro tênis que os doutros torneios, mas se ele conseguir ultrapassar o número de Slans já tendo outros números a frente dos dois o tornará muito maior que os outros dois ? Grande abraço mestre!

  85. Denis

    Dalcim, seria Wimbledon o torneio com menor chance de renovação no seu ponto de vista? Acho que Medvedev, Thiem, Tsitsipas e Zverev podem dar muito trabalho ao big 3 nas quadras duras. Enquanto Thiem seria o candidato natural a substituir Nadal no saibro de RG.
    Ja em Wimbledon não sei se temos um candidato mais forte dessa turma com potencial para desbancar Djokovic e Federer tão cedo. Tsitsipas talvez?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que Tsitsipas tem o estilo mais adequado, mas não diria que o suficiente no momento para desbancar Djoko ou Federer em situação normal.

      1. Helena

        Por que ele tem ido tão mal na grama? Eu achava que era a pior superfície dele, ao menos em termos de resultado.

        E os canadenses? Me parece uma superfície boa para todos eles (E aqui falo de todos mesmo: Raonic, Pospsil, Air Shapo, Felix..)

        1. José Nilton Dalcim

          A grama não é um piso fácil, Helena. Exige rodagem, ainda mais com tão poucos torneios. E você tem razão, Shapovalov tem tudo para fazer estragos por lá. Canhoto, saque forte e um excelente jogo de rede. Falta só colocar a cabeça no lugar. Se eu fosse ele, contraria o McEnroe para ajudar.

          1. Helena

            Você fala como o Raonic já fez? Espero que alguém sopre isso no ouvido do Denis, o próprio McEnroe já disse que vê semelhança no jogo dos dois.

    2. Luiz Henrique Falcão Carrilho

      Vc tocou num ponto interessante, WB é um slam em que essa nova geração não tem a menor chance, mais fácil eles ganharem RG
      Disputa vai ficar restrita ao big3 e jogadores gigantes tipo Isner e Anderson
      Djoko pode passar os 8 títulos de Federer

      1. Denis

        Os gigantes podem conseguir alguma grande vitoria, como o Anderson em cima do Federer em 2018. Mas ganhar o torneio eu acho bem improvavel.

      2. Sandro

        Não acredito que li essa insanidade que é mais fácil ganhar Roland Garros que Wimbledon… Deus do céu!!! Roland Garros está dificílimo de ganhar até para Djokovic e Federer, quem dirá para os novatos!!!

        1. Luiz Henrique

          Sandro, RG é mais difícil pelo fator Nadal
          Mas é mais fácil essa next gen sentir o cheiro da taça em RG do q em WB
          Em WB não chegam a semi nem em sonho
          Só Big3 e jogadores de 3 metros de altura
          Ou um outro jogador mais velho

    3. Luiz Fabriciano

      Discordo do Thiem desbancar Nadal em RG. Fez duas finais lá, mas não o ameaçou verdadeiramente a ponto de levar o título. Ano passado ficou pelo caminho e jamais venceu o M1000 no saibro, coisa que gera confiança para RG.
      O problema é que também, ao menos por enquanto, não tem outro.

      1. Denis

        Desbancar eu não digo, mas o circuito continuando desta maneira se o Nadal parar daqui uns dois anos, acho que o Thiem naturalmente seria o maior favorito em RG. Ou pelo menos dividiria o favoritisimo com o Djokovic, que na epoca também ja estara bem no final da carreira.

        Obviamente seria um reinado passageiro, pois o Thiem tambem não é mais um garoto.

  86. rafael

    Enorme vitória do Sérvio. Impressionante a aula que ele deu ao russo, que ainda tem muito o que melhorar (e melhorará). Mestre, na entrevista pós jogo o russo teceu elogios ao Djoko, o considerando um amigo. Você não acha que a mídia é muito injusta com o sérvio? Será que o Kyrgios se manifestará agora? Rs

    1. José Nilton Dalcim

      Não gosta dessa questão de justiça, Rafael. A mídia não tem que julgar, tem que noticiar. E há fatos que pesam. Kyrgios deveria parabenizá-lo.

        1. José Nilton Dalcim

          Eu acho muito importante o papel da mídia em fazer análises, Edinho. Mas muitas vezes vejo falta de critério nisso. Análises – e vou falar apenas no campo esportivo – têm de estar baseadas em fatos. Claro que existem diferentes visões e interpretações, e é isso o que enriquece o debate. O que me entristece é a pretensão de opinar ou avaliar baseado em suposições. Abs!

  87. Ricardo

    Dalcim, como você explicaria este domínio brutal que o big3 tem nos seus torneios favoritos (Djoko no AO, Nadal em RG e Fed em WB)?
    É uma questão meramente mental, isto é, um nível de confiança altíssimo, ou eles realmente conhecem alguns cantos na quadra que os outros tenistas desconhecem?
    Abs

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que tem um pouco de tudo, Ricardo, mas inquestionavelmente há o talento superior do Big 3. Como salientamos aqui com frequência, nenhum deles se acomodou com passar dos anos. Ao contrário, continuam trabalhando muito duro e procurando evolução técnica. Isso a meu ver faz toda a diferença. Abs!

    2. Sandro

      Vc está equivocado em relação a Federer dominar Wimbledon, já que Federer perdeu TODAS as finais contra Djokovic em Wimbledon.

      1. Gildokson

        12 finais e 8 Títulos. Não o Federer o mais dominante la não, é o Raonic kkkkkkkkkkkkkk
        Tu força demais a barra fera, eu sei q é um “SE”, mas se o Federer fecha aquele 40/15 os dois ficavam empatados em confrontos em WB.

  88. Samuel

    Boa tarde Dalcim,

    Há alguns anos, sua lista de maiores/melhores tenistas de todos os tempos era, se não me engano: 1) Federer; 2) Nadal; 3) Djokovic …
    Hoje continua igual ou mudou alguma coisa. Se mudou, qual seria a ordem.
    Psrabéns pelo trabalho.

    Samuel

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, Samuel, fiz uma lista nos 20 anos do TenisBrasil e provavelmente farei outra aos 25. Acho mais adequado, porque ficar alterando gera um certo imediatismo. Todos estão ainda com a carreira em andamento. Abs!

    2. Roberto Garcia

      Honestamente,Federer, aos 34 anos, tinha 17 GS, uns 20 m1000 e umas 300 semanas como número 1. Djoko, ao completar a mesma idade jah terah atropelado tudo isso, inclusive, os números de Nadal TB…. Então, analisando objetiva e matematicamente,não há dúvidas que Nole eh o maior da historia. Acho ateh Federer mais talentoso, mas eh soh um quesito. Djoko eh muito mais completo e muuuito superior. E, pra consolidar o que informo aqui, as projeções são todas favoráveis à nole… Salvo uma contusão/acidente, todos os recordes serão varridos… Então, eh fato, nome eh o maior/melhor da história. Nadal o segundo e Federer o terceiro. Os números são exatos e não mentem..qualquer outra argumentação, cai no subjetivismo…

  89. Leo Gavio

    O unico cara que aguentou o rojão do Djoko no Aopen foi o Wawrinka.

    Acho que o feito do Djoko no Aopen maior que o do Nadal. São 9 titulos numa superficie onde 90% do circuito trabalha o ano inteiro, inclusive o Nadal, enquanto que no saibro a concorrencia sempre bem menor. Porem, acho RG mais importante que o Aopen.

    O que torna os titulos do Aopen importantes é a somatoria com Wimbledon, que este sim é o maior torneio do circuito, a joia da coroa. E lá o Djoko tem 5 (e deveria ter 6, pelo de 2020 suspenso).

    Djokovic cometeu erros importantes na jornada de Grand slams, que hoje custam o recorde:

    1 – Perdeu para Murray em 2012 no Usopen
    2 – Perdeu a final de RG 2015 para Wawrinka (sentiu a pressão no ano mais forte da carreira)
    3 – Perdeu a cabeça no Uso 2020 (titulo bem ganhavel, é so ver a tremedeira dos dois debutantes na final)

    Certamente teria 21 titulos se dependesse só dele, e com certeza 22 se não fosse a suspensão do WB 2020

    A ordem dos GOATS ficou assim:

    1- GOAT ABSOLUTO 18 SLAMS H2H SEMANAS E ANOS COMO 1º DO MUNDO
    2- Vice GOAT 20 SLAMS (13 titulos no Saibro e H2H positivo desempatam)
    3- GOATzinho 20 SLAMSzinhos (90% conquistado na entressafra) O fregues dos dois primeiros, porem o mais craque e mais arrogante.

    1. Luiz Henrique

      Leo Gavio, não vou entrar no mérito do comentário, só quero dar os parabéns.
      Vc tb é um ser visionário, pq quando Djoko ganhou 10 anos atrás (AO 2011), todo mundo achava piada as previsões que vc fazia do sérvio, inclusive eu achava muito, mas ficou provado que vc é um gênio kkkk
      Viva Djoko e Nadal, os 2 maiores da história

      1. Sérgio Ribeiro

        Só porque você quer , né L . H . Conheces um Suíço OCTACAMPEÃO de WIMBLEDON, EXACAMPEAO do AOPEN e PENTACAMPEÃO do USOPEN também em sequência. Realmente o parceiro e o “ sábio “ Léo Gavião são dois Jenios kkkkkkkkkkk. Abs!

        1. Willian Rodrigues

          O recorde mais legal do suíço foi perder três finais para Djokovic em Wimbledon!! KKKkk Privilégio para poucos

          1. Sérgio Ribeiro

            Voltou ao normal, não é mesmo caríssimo do face TênisBrasil ? . Roger Federer e Björn Borg possuem o Recorde de 5 Títulos consecutivos na Grama Sagrada . Nem Pistol Pete Sampras o segundo mais bem sucedido nesta Superfície, o possue. Abs!

          2. Sérgio Ribeiro

            * Possui . Pra te lembrar , 19 x 10 a diferença do Suíço para o Norte-americano em títulos na superfície…Abs!

        2. Sandro

          E vc conhece o Federer Pato ? pateta freguezaço do Nadal e do Djokovic ? Você conhece o Federer que PERDEU TODAS as finais de Wimbledon contra Djokovic e o Federer que perdeu TODAS AS FINAIS de Roland Garros contra Nadal?

          1. Sérgio Ribeiro

            Quem te chamou no papo caríssimo fake ? Já não basta as m**das que postas no face TênisBrasil diariamente. Respeite Roger Federer e aprenda a debater em alto nível mane’ . Abs!

    2. Willian Rodrigues

      A arrogância do suíço, e de alguns de seus seguidores, sempre me fez torcer contra o mesmo, apesar de admirar demais a qualidade do seu jogo (já pude assisti-lo ao vivo em 3 oportunidades). Outro aspecto que me deixa irritado é a falta de reconhecimento em relação ao talento e esforço de um de seus principais algozes no circuito, o sérvio Novak Djokovic.
      Espero que Federer “queime minha língua” e venha a público parabenizar seu desafeto assim que um novo recorde de semanas na liderança for atingido. Vejamos se é mesmo um gentleman…
      Rrrrrsss…

      1. João ando

        Sr Willian o suíço não e arrogante sempre foi humilde nas entrevistas e os fans do Roger São na maioria das vezes coerente.

      2. Sérgio Ribeiro

        Esse papinho lá do face TênisBrasil não cola caro Willian. Federer é considerado um gentleman pelo Mundo , pouco interessa o que pensam meia dúzia de fanáticos. Não vejo porque ele tem obrigação de parabenizar o Sérvio de coisa alguma . E se tivéssemos um medidor a nível de arrogância o Sérvio é considerado um dos expoentes rs. Abs!

        1. Willian Rodrigues

          Não existe esse tal “papinho lá do face TênisBrasil”, ou tampouco posso admitir essa categorização como “fanático”, prezado Sérgio. Se acompanhasse mesmo minhas eventuais postagens lá no site, saberia que SEMPRE fui muito elogioso em relação à técnica, força mental e arrojo de outros tantos tenistas, incluindo Federer e Nadal. Nunca deixei de valorizar os feitos de Sampras, Borg, Big Mac ou Connors. Em relação aos mais contemporâneos, sempre gostei de usar o termo Big 4 (Murray é fantástico) e valorizo muito o talento de Wawrinka e Delpo.
          Todas as vezes que o sérvio dá uma mancada, por assim dizer, sou um dos primeiros a criticar! Vide o temas vacinação, Adria Tour, agressões verbais aos boleiros e equipe técnica. Não sou alienado a ponto de me cegar perante essas falhas pessoais… TORCIDA é mesmo algo subjetivo Sérgio. Prefiro o “pacote sérvio” que inclui, além de algumas bobagens em termos de comportamento, dedicação extrema ao esporte, obstinação em relação às vitórias, capacidade de superação absurda e sim, muita franqueza. Gosto mais de quem diz realmente o que pensa…

          Federer pode até ser considerado por muitos como um “gentleman”. Porém, EU não sou obrigado a enxergá-lo por esse prisma… Pouco ME interessa o que pensam meia dúzia de fanáticos federistas!! Rrrss… O suíço mostra arrogância todas as vezes que tenta oferecer créditos às vitórias dos adversários e, a meio caminho, acaba se entregando e dizendo que não estava em seu melhor…, quando grita para que os pais do adversário façam silêncio…, quando JAMAIS aplaude uma jogada extraordinária do adversário…
          Concordo quando afirma que ele não tem obrigação de parabenizar o Sérvio. Porém, será uma enorme “pisada na bola” se ele não o fizer… Uma das maiores demonstrações de grandeza, é o reconhecimento pleno da derrota e das qualidades do seu oponente, ainda que ele não seja seu “melhor amigo”. Federer nunca valorizou as conquistas do Djoko, mas, sempre vangloria Nadal por quem possui maior afinidade. Isso NÃO é nobreza amigo… Novamente, espero que ele faça jus a todas as pompas que recebe no mundo tenístico e parabenize o sérvio no dia 8 de março. Abs

          1. Sérgio Ribeiro

            Na boa , Willian . Ninguém é eleito pelos próprios companheiros por 17 anos consecutivos ao prêmio Stefan Edberg , se fosse parecido com alguma das coisas que você postou. O papai Novak já fez o próprio passar a vergonha de pedir desculpas tanto ao Suíço quanto ao Espanhol pelas asneiras costumeiras que dizia. “ Rei morto , Rei posto “ foi uma das pérolas do casal . E na marcação em pleno jogo em que Federer passou o pé no Saibro, coisa mais que comum , gritaram e Roger mandou se calarem. Não são meia dúzia que acham Roger Federer um verdadeiro esportista. No seu caso seus argumentos não convencem a ninguém. Ao menos a meu ver. Abs!

          2. Willian Rodrigues

            Prezado Sérgio, sem qualquer desonestidade intelectual, pontuo agora alguns aspectos apenas para reflexão. Jamais seria leviano a ponto de afirmar algo sem que tenha comprovações. Porém, quando se envolve interesses financeiros e/ou políticos, mantenho sempre um pé atrás. E sou mesmo uma personalidade questionadora, sempre. UNANIMIDADES ABSOLUTAS me incomodam um pouco.
            Temos que analisar o quão intensa é a força política de Federer junto à ITF e ATP…
            Salvo engano, a empresa de Federer gerencia a carreira de vários outros atletas do Top 100…
            Trata-se de um atleta com ENORME influência no mundo dos negócios…
            Não haveria mesmo a mais remota chance de alguma tendenciosidade nessas votações….???

    3. Maurício de Souza Fonseca

      Você quer ignorar que eke podia ter “x” a menos também, ppr exemplo dois 15×40 match ppint com saque do Federer?

      Esse negócio do “se” é bizarro… mas pra te dar uma chance, some um possível pra Nole aí: Roland Garros 2013 contra Nadal, quinto set, 4×3, saque Nole 40×40, ponto pra ter game poibt, quadra escancarada, e tica o corpo na rede.

  90. FILIPE

    Quando assisti a final de Roland Garros do ano passado, a minha percepção para que Nole vencesse o Nadal era de que o sérvio tinha que começar vencendo o primeiro set para pressionar o espanhol dentro de sua casa. Hoje, a minha avaliação era parecida. Se o sérvio vencesse o primeiro set contra o russo, ( que venceu os últimos 20 jogos, ganhando em sua grande maioria em sets diretos, tal o seu poder de saque e sua capacidade de defesa), o russo se ressentiria, porque ninguém vinha fazendo frente a ele. O russo jogou de igual para igual até no primeiro set, mas a perda desse set fustigou o seu estado anímico de tal forma que o fez duvidar e como dito na transmissão, o russo não tinha plano B. Por outro lado, estamos falando do sérvio. Nunca duvide dele. Se até o Federer em Wimbledon, tendo dois match point no 40-15 no saque e no quinto set não conseguiu fechar o jogo por conta da pressão que o Djoko pōe em sua devolução, não seria Medvedev que imporia receio ao balcânico.

  91. Evandro

    Boa tarde Dalcim. Queria agradecer ao Tênis Brasil e a você por postarem o link da partida ao vivo, justo hoje choveu na minha cidade na hora do jogo e minha TV por assinatura perdeu o sinal, não fosse o link no Tênis Brasil eu não teria visto nada do duelo. Muito obrigado mesmo e que Deus continue abençoando seu trabalho. Abs

  92. periferia

    “A grama é um universo estranho, com bolas que quicam mais baixo, exigem um slice ao menos razoável e um jogo de rede decente, coisas que ele ainda precisa trabalhar muito.”

    “…tem um bloqueio em Roland Garros e está muito atrás dos concorrentes.”

    José Nilton Dalcim

    O rapaz tem 26 anos…não é o perfil de alguém que vai quebrar essa hegemonia….a procura continua.

  93. Abner brito

    Eu comecei a amar tenis em 2011, quando vi Djokovic jogar, não entendia quase nada, sinto-me honrado por ter acompanhando e torcido por Nole nesses anos. Não sou muito de comentar, mais sempre li esse blog, pra mim o melhor do Brasil. Dalcim só uma ressalva, acho que Djokovic é o jogador que tem mais tem grand slams na quadra dura, ele estava empatado com Federer certo?

    1. Luiz Henrique

      Abner, tem mais GS que Federer na Hard era barbada,
      Agora é buscar ultrapassar federer em títulos de wimbledon
      Lembrando q Federer, pasmem, pode ter que ver Nadal igualar seus Us Opens, sendo que o mesmo nem é “especialista” no piso, aliás, segundo alguns, ele é medíocre, kkkk

  94. Marlon

    Dalcim, estava esperando mais do seu texto. Vc tem uma habilidade de se expressar muito bem com as palavras. Achei q nesse tão esperado texto q vc faz logo após os jogos, e sei q vc sr debruça para nos brindar com o melhor, fosse estar com mais adjetivos para Djoko. Esse texto devia ser diferente do que vc escreveu logo após o jogo: “Djokovic chega ao 9 troféu na Australia e 18 slans”. Vc foi um pouco técnico! Em se tratando dessa proeza e de tudo q envolvia essa final, eu acho q vc deveria enobrecer mais o Nole e essa façanha, e ,até ser mais poético! Vc e o Chiquinho tem uma queda por Federer, o Chiquinho deixa transparecer mais; quase sobe nas paredes qnd Federer ganha. Creio q esse seja o problema do Nole, as pessoas e a midia sempre minimizam ou não dão a importância devida ao sérvio! Mas, criticas à parte, acho q vc, na maioria das vezes, acerta muito bem! Um abç!

    1. José Nilton Dalcim

      Entendo que você estivesse esperando algo mais emocionante, Marlon, mas eu quis muito focar a questão técnica porque vejo ainda muita gente subvalorizando seu tênis. E abordei isso pensando na questão dele ser reconhecido no momento certo como o maior de todos. Por fim, era necessário fazer uma referência à Osaka e a mudança dos parâmetros que ambos estão impondo ao circuito. Abs!

    2. Geailton

      Discordo do colega. Acho que a análise do Dalcim foi perfeita. Todos nós sabemos da preferência do dono do blog e isso não é problema, pois suas análises são feitas com a razão e não pela paixão. Até no tempo do texto no “caminha para acabar com a discussão” provou isso. Parabéns Dalcim. Este espaço ainda é referência nas análises do ténis no Brasil

      1. Marlon

        Ué, pelo q eu me lembre, os únicos nomes que citei no meu comentário foi o de Chiquinho e Dalcim! Eu nâo me lembro de reportar uma crítica respeitável ao caro colega como fiz ao Dalcim. E, pelo q me consta, Dalcim em momento nemhum levou pro coração, pelo contrário, maduro como é, me respondeu srm ofensas. A não ser q vc seja advogado do Dalcim, vc não foi convidado a opinar em favor de terceiro uma vez q vc não foi citado. PUXA SACO!

    3. Julio Cesar

      com o devido respeito à sua opinião, Marlon, acho que a final de hoje não empolgou, pelo menos a mim. Foi meio como a final de Roland Garros de 2020, que se esperava fosse épica e acabou sendo decepcionante porque o Nadal atropelou. Até comentei que esta do AUSOpen foi um tanto anticlimática, porque se esperava mais competição e não aconteceu, dessa vez um atropelo do Djokovic. Até abri um sorriso quando o Medvedev enfim ganhou um voleio, quase no fim do jogo.

  95. Sandra

    Dalcim, em 2018 o Nadal restava voando e foi para final com o Djokovic e perdei na final ele amarelou , e isso se repetiu em 2019 em Roland Garros , mas dessa vez quem amarelou foi o Djokovic , a minha dúvida e se em 2918 o Nadal jogou 5 sets na semifinal , vc se lembra disso ? E ambos perderam por causa do piso , pois Paris e o habitat do Nadal e a Austrália do Djokovic

    1. José Nilton Dalcim

      Não sei se entendi sua pergunta e a qual torneio você está se referindo. Em 2019, Nadal não tinha perdido nenhum set antes da final para o Djoko. Quanto ao piso, acho que é isso mesmo. Cada um é soberano um piso e isso prevaleceu nesses Slam.

      1. Sandra

        Foi exatamente isso , achei que Nadal poderia estar cansado , e em Roland Garros Djokovic estava voando e perdeu na final para o Nadal !

  96. Jmsa

    Boa tarde dalcim,me parece que o que falta a nova geração é o famoso plano b,parece que todos sem excessão quando o jogo não se encaixa não conseguem mudar o plano tático.
    Parabéns pela cobertura do s u blog do Austrália Open,como sempre muito preciso em suas análises .

      1. Luiz Fabriciano

        Ficou claro hoje que o plano único do russo foi quebrado hoje no primeiro set. Sem o B, não tinha como prolongar o final do jogo.

Comentários fechados.