Balaio de gato
Por José Nilton Dalcim
18 de janeiro de 2021 às 11:35

A balbúrdia está instalada no Australian Open. Com três voos fretados apresentando casos de infecção a bordo, tenistas de peso como Victoria Azarenka estão confinados em seus quartos de hotel, de onde só poderão sair uma semana antes de o Grand Slam começar. A conta de jogadores afetados com a medida, que era de 47 no sábado, saltou para 72 no domingo.

Mas não é só. O governo está sob fogo cerrado e recebe pesadas críticas por ter permitido a entrada de estrangeiros vindos dos mais variados lugares, ao mesmo tempo que mantém proibição para quase 40 mil residentes no país de voltarem para casa.

Tentemos explicar a confusão. Segundo as normas de saúde determinadas em Victoria, a província onde está Melbourne, todo passageiro de voo internacional, até mesmo os australianos, têm de ficar 14 dias em quarentena num hotel determinado pelo governo (não é sequer permitido o isolamento em sua própria casa).

O Tennis Australia obteve então uma concessão para que os tenistas deixassem seu quarto por cinco horas diárias para fazer treinamentos no complexo e os participantes tiveram de concordar com essa dura restrição. O deslocamento das 1.240 pessoas que entrarão no pais para o torneio tem sido feito por voo fretado, já que várias companhias aéreas cancelaram rotas para a Austrália.

No entanto, os jogadores alegam não haver instrução antecipada para o caso de surgir uma infecção a bordo dos voos fretados. E foi exatamente isso o que aconteceu com três deles, vindos de Los Angeles, Abu Dhabi e Doha. Os 143 viajantes dos dois primeiros voos foram colocados em isolamento absoluto, 47 deles tenistas. Entre eles, campeãs como Azarenka e Angelique Kerber, nomes bem cotados como Sloane Stephens e Maria Sakkari e tops 10 como Bianca Andreescu e Belinda Bencic. Também foram afetados Kei Nishikori e Pablo Cuevas.

Esse grupo não pode sequer abrir a porta do quarto e um deles, que se atreveu a conversar com amigos, pode ser multado em US$ 15 mil e até expulso. Nas mídias sociais, no entanto, pipocam jogadores reclamando: Vasek Pospisil, das acomodações; Fabio Fognini, das refeições; Yulia Putintseva, da falta de informação e até de um rato em seu quarto. Não há serviço de arrumação, obviamente. Os organizadores atenderam apelos e autorizaram a entrada de pedidos adicionais de alimentação fora do hotel, que serão ressarcidos.

Apesar de não estar afetada pela restrição absoluta, Alizé Cornet se manifesta pelas redes sociais em defesa dos que estão proibidos de deixar seu quarto. “Semanas e semanas de preparação serão jogadas fora e qualquer atleta sofrerá risco de contusão ao voltar aos treinos depois de 14 dias inativo”, reclamou. Neste domingo, a organização providenciou equipamentos de ginástica para cada quarto. “O acordo era que os grupos seriam separados de 10 em 10 nos aviões e, se houvesse um caso, apenas aquela seção seria afetada, jamais se falou em isolar todo o voo”, enfatiza.

Emma Cassar, responsável pela quarentena em toda a província, diz que a medida é necessária, lamenta mas não pode abrir exceções. Autoridades sanitárias já haviam previsto que, dos 1.240 integrantes do Australian Open, cerca de 2% apresentariam infecção pelo coronavírus.

No domingo, o ministro da saúde Greg Hunt garantiu que o Australian Open seguirá em frente na data prevista, ou seja dia 8 de fevereiro, e que o estado de Victoria tem tomado as medidas restritivas apropriadas.

Mais polêmica
As medidas excepcionais adotadas para a disputa do Australian Open causam revolta. Segundo estimativas da ABC News, há cerca de 37 mil cidadãos australianos em diversos pontos do planeta aguardando autorização para voltar para casa. Pior ainda, nem mesmo viagens interestaduais estão permitidas no país. Milhares de residentes de Victoria não têm autorização para retornar e permanecem no aguardo, principalmente em Sydney e Brisbane. Há dois dias, a empresa aérea Emirates cancelou toda sua operação na Austrália.

Victoria foi o estado mais atingido pela pandemia, com médias próximas de 800 casos diários em julho, quatro vezes mais do que Nova Gales do Sul, por exemplo. Desde outubro, diante dos lockdowns, baixaram os índices. Segundo o serviço estadual de Saúde, Victoria teve um pico de 10 casos no dia 2 de janeiro, mas está zerado desde o dia 8. Neste último sábado, o governo tentou amenizar as críticas e informou estar providenciando 20 voos internacionais de repatriação, embora todos terão de cumprir a quarentena na chegada.

O quadro se transformou também numa disputa política. O líder do Partido Liberal afirma que o primeiro ministro local Daniel Andrews “prioriza trazer tenistas oriundos de países com alto risco de infecção ao invés de trazer para casa os australianos. É pior que uma dupla falta”, ironizou.

Em sua defesa, Andrews afirma que a Austrália perderia o Grand Slam para outro país, caso Melbourne não conseguisse realizar o torneio. E ele recebeu forte apoio da Câmara do Comércio de Victoria, que aponta os benefícios econômicos da realização do Australian Open para a região.

Enquanto isso…
Novak Djokovic, Rafael Nadal, Dominic Thiem, Simona Halep, Naomi Osaka e Serena Williams estão longe de toda essa confusão. Privilegiados pela organização, foram colocados num pequena ‘bolha’ em Adelaide. Seus hotéis possuem academia própria e assim eles ainda têm a regalia de cinco horas completas de prática em quadra. Isso sem falar em jogos-treinos já programados para o fim do mês.

Claro que isso não pegou bem no circuito, ainda mais diante da atual balbúrdia em Melbourne. Djokovic foi o único dos grandes que chegou a reclamar da situação tão diferenciada, mas ao final não recusou a oferta.

Se por um lado é justificável que os organizadores tentem proteger suas principais estrelas, de outro derruba a tal isonomia com que prometeu tratar todos os participantes do torneio.


Comentários
  1. Sandro

    Saiu a tabela da ATP CUP!!!
    Confrontos incríveis:
    Grupo A: Novak Djokovic/Sérvia x Denis Shapovalov/Canadá x Alexander Zverev/Alemanha
    Grupo B: Stefanos Tsitsipas/Grécia x Rafael Nadal/Espanha x Alex De Minaur/Austrálai
    Grupo C: Dominic Thiem/Áustria x Matteo Berrettini/Itália x Gael Monfils/França
    Grupo D: Diego Schwartzman/Argentina x Kei Nishikori/Japão x Daniil Medvedev/Rússia
    Semifinais: 1.º GRUPO A x 1.º GRUPO D
    1.º GRUPO B x 1.º GRUPO C
    Gostaria de ver as seguintes semifinais:
    Novak Djokovic/Sérvia x Diego Schwartzman/Argentina
    Stefanos Tsitsipas/Grécia x Dominic Thiem/Áustria

  2. Rafael

    1) A Austrália está muito certa nas questões das quarentenas. Primeiro a saúde, depois qualquer outra coisa. Porém, poderia (e logicamente teria condições) de hospedar os tenistas em quartos mais amplos, com melhores condições de higiene e alimentação, além de ter fornecido material para auxiliar no “treino” desde o começo. Ninguém obrigou a Austrália a sediar o torneio durante condições tão ruins impostas pelo Covid;

    2) As posturas de Djokovic, Nadal e Thiem (apesar de Djokovic ter dito que desejava ficar junto com os outros, MAS SOB CERTAS CONDIÇÔES) são decepcionantes. Essa pandemia mudou o curso natural das coisas. O que vai ficar para a história, nesse caso, é que quem vencer ( se for um deles) terá um título conquistado com vantagem indevida sobre todos os outros.

    3) Finalmente, tudo isso poderia ter sido evitado, toda essa repercussão, para o bem ou para o mal, se o torneio não tivesse sido realizado, ou pelo menos não agora. A maciça maioria dos tenistas que estão inscritos para disputar esse torneio não morreria de fome se assim fosse, Craig Tiley não estaria sofrendo pressões por todos os lados, a primeira ministra não teria que demonstrar sua grosseria e falta de tato, enfim, não dá para ter tudo. A Austrália deveria, em minha opinião, ter usado toda essa tremenda logística implementada para trazer os tenistas de várias partes do mundo para viabilizar a volta de seus cidadãos para casa. Mais desenvolvido ou menos desenvolvido, na hora H o cidadão do país é “deixado para depois”. Aqui, subdesenvolvido como é, o cidadão é sumariamente ignorado, como lixo.

    PS1: Federer (ou quem quer que o tenha ajudado a se decidir) foi um gênio em não fazer parte desse circo, estando ou não em forma para jogar.

    PS2: Kyrgios tem problemas psicológicos. Sua fixação por Djokovic, que nem sabe que ele existe, e por atormentar outros vários tenistas durante esse tempo todo só mostra sua necessidade de compensação pela notoriedade que nunca alcançou vencendo torneios. Jogadores com habilidade infinitamente inferior à dele venceram muito mais do que ele jamais vencerá. É a Viúva Porcina do tênis, foi sem nunca ter sido. Logo será esquecido. Só lembram dele porque estamos em uma época de uso intenso de redes sociais.

    1. Carlos Reis

      Parabéns por apoiar os absurdos cometidos pela Austrália. É impressionante como a mídia consegue enganar até pessoas SUPOSTAMENTE inteligentes. Vocês estão ajudando o 4º Reich, estão criando a narrativa contra os novos judeus, que são os cristãos conservadores… Se vocês pudessem, fuz1lariam todos. Quem questionar a “$iên$$ia”, quem se recusar a tomar va$$ina experimental vai ganhar de presente um período nos campos de concentração que estão sendo construídos pelo mundo.

  3. Arthur

    E essa questão do provável cancelamento das Olimpíadas este ano, hein, Dalcim?
    Fora a inevitável alteração da preparação do calendário de todos os jogadores, o que esperar dessa bomba que está por vir?
    Será que teremos novamente um “não-ano” no tênis?
    Se a pressão dos últimos dias se intensificar, eu acho que nem o AO deste ano estará a salvo, por mais que já estejamos na beira do evento.

    Um abraço.

    1. José Nilton Dalcim

      Está tudo muito obscuro, Arthur, e dizem que acontece uma briga interna no Japão. Claro que a falta de apoio popular aos Jogos pode pesar muito.

      1. Luiz Fabriciano

        Particularmente, acho extremante inseguro realizar um evento do porte de um olimpíada em seis meses, dentro do cenário atual.
        Diferente de um GS, como AO, por exemplo, é um evento multiesportivo, que abrange o mundo inteiro, trazendo, igualmente gente do mundo inteiro.
        Ou pretendem realizar o jogos sem torcida presente?
        Reafirmo, de minha parte, só realizaria jogos olímpicos em um cenário onde as infecções estivem em níveis pré-pandemia.

        1. José Nilton Dalcim

          Acredito que a única solução seria fazer sem público ou na melhor das hipóteses apenas com público local. A grande questão é se os atletas estão conseguindo treinar e competir com qualidade e assim se terão condições de desempenho até lá. Duvido disso.

          1. Luiz Fabriciano

            Exatamente.
            Imagine Olimpíadas sem público!
            Como seria uma cerimônia de abertura e uma de encerramento?

  4. Sandra

    Dalcim, você saberia informar se os jogadores que estão em quarentena na Austrália poderiam tomar a vacina lá mesmo sendo de outras nacionalidades ? E os próprios australianos porque não tomam ? Há prioridade lá também ? A pergunta foi em razão de uma reportagem ,não sei se você leu sobre o turismo da vacina

    1. José Nilton Dalcim

      Não li a reportagem, mas acredito que turistas estrangeiros não estejam em condições de entrar na fila dos vacinados, Sandra. Existem um critério de prioridades.

    2. Carlos Reis

      Boa sorte aos corajosos que vão tomar va$$ina experimental, aposto que vão precisar. Esse mundo virou um hospício, vc não pode acreditar no que vê, tem de acreditar no que ELES dizem pra você. OBRIGAR pessoas a tomar va$$ina experimental é um ABSURDO, mas vão fazer assim mesmo.

      1. Maurício Luís *

        Já lhe disse anteriormente que vacina obrigatória é diferente de vacina coercitiva. Pode ficar tranquilo que ninguém vai bater na sua porta e obrigá-lo a tomar. E eu é quem lhe desejo boa sorte, porque vai precisar e muita.

  5. DANILO AFONSO

    Muito animador a publicação do TênisBrasil que informa o crescente interesse de novos praticantes de tênis em vários Estados durante a pandemia.

    https://tenisbrasil.uol.com.br/noticias/82473/Pandemia-gera-novo-boom-para-o-tenis-brasileiro/

    Aqui no clube onde tenho aulas de tênis, os professores informaram que houve um aumento de cerca de 40% de praticantes no clube. As 8 quadras estão sempre lotadas após 17h e não tem horário disponível para aulas individuais, apenas coletivas.

    Espero que a grande procura pelo esporte continue após o término da pandemia.

  6. Rodrigo S. Cruz

    Daniel,

    Dá uma olhada nisto:

    Se eu já era FANZAÇO do Fabio Fognini, agora eu fiquei ainda mais, depois dessa declaração dele:

    “FEDERER É O TÊNIS”.

    kkkk

    Pelo visto ainda existe uma maioria formada daqueles que acham que o suíço é o GOAT.

  7. Luiz Fernando

    Se ele postou isso, será q vc parou um segundo p perguntar pq? Pq os torcedores do Federer nunca criticam o cara, sempre arrumaram desculpas pra derrotas tipo doping, mononucleose, idade e outras balelas mais. Vc não frequentava o blog, mas ha uns 10 anos uma serie de imbecis atribuíam as vitorias de Nadal a doping e ninguém dizia nada contra, tudo passava em branco, como se fosse verdade. Aí um dia eu postei q Federer, 6 anos mais velho e que também voava na quadra se dopava, p provocar, e só faltaram me chamar de santo aqui, os bobos de sempre. Nós ja tivemos entreveros aqui mas vc ganhou meu respeito pq muitas vezes criticou Federer, não entrou naquela balela da mononucleose, mas vc é uma exceção, a regra é as federetes considerarem o cara incriticável mesmo…

    1. Luiz Fernando

      Dalcim este comentário esta no local errado, foi uma resposta a uma postagem abaixo do Rodrigo Cruz hoje as 13:30, respondendo a um comentário meu. Se ficar neste local perderá todo o nexo.

      1. José Nilton Dalcim

        Não tenho como trocar um comentário de local, Luiz. Sugiro republicar no lugar certo, aí eu deleto o anterior.

    2. Rodrigo S. Cruz

      Luiz,

      na verdade, nenhuma figura pública, seja ela quem for, estará imune a críticas.

      Mas a minha reclamação é que o participante que eu citei nunca criticou o suíço analisando o mérito.

      Aliás, o mérito de qualquer assunto envolvendo o suíço, pouco importa para ele.

      O que importa é somente ficar do lado que estará contra o Federer, independentemente de analisar a situação.

      E é isso que eu acho ridículo…

      De forma análoga, seria como se comportar exatamente igual à bancada petista no Congresso, entende?

      Ela não vota um projeto preocupada com o mérito dele, e sim com a relatoria, a origem dele.

      Se tiver se originado de um partido opositor, o PT cria caso.

      Ou seja, mesmo que o projeto seja BOM para a população, a bancada se opõe.

      Mas aí eu viro e pegunto pra você:

      se até mesmo o idiota do Bolsonaro viesse afirmar que cocaína faz mal saúde, ela deixaria de fazer mal só porque foi ELE que falou?

      (rs)

  8. Zan

    Olá Dalcim. Recente relato do Bruno Soares mencionou que não vê nada de mais tratamento privilegiado para tops em Adelaide no que se refere a quarto maior, com varanda, ou por ter fogão e se veio de 1ª classe ou não… Mas o tempo de treino permitido sim seria injusto, se fosse maior. Pareceu-me muito sensato da parte do Bruno, reconhecendo que os tops sempre serão mais agradados porque dão retorno… Mas há de se separar o assunto limitações de treino. Concorda com essa visão? E concorda que jogadores com um “mental forte” em quadra tendem a lidar melhor com o “tédio” da quarentena em seus quartos? A capacidade de conseguir “se entediar bem” seria uma caracteristica de pessoas que passam menos tempo em redes sociais, como Nadal, por ex? Acredito que sim… Tsitsipas parece estar mais focado desde que começou a não aparecer muito em midias sociais…. falta dar aquele salto de consistência, de ganhar mesmo jogando mal, mas parece que se ele, o grego, continuar nesse rumo focado sem bitolar, vai chegar mais ao topo… como Thiem vem fazendo bem… Grande abraço.

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, é bem natural que os jogadores mais importantes tenham certas regalias. Isso acontece em qualquer torneio. Mas acho que no caso específico deste Australian Open, essa regra deveria ser exceção. Quanto ao fator emocional do isolamento, concordo com você. Acho que os mais fortes de cabeça e determinação devem prevalecer e por isso Djokovic e Nadal saem com vantagem natural. E também gostaria muito de ver maior tranquilidade e consistência no Tsitsipas, quem sabe não seja sua hora. Abs!

  9. Rubens Leme

    Enquanto o país sofre com o covid, um certo time de três cores da Vila Sônia, sofre com outra mutação, a coviDINIZ.

  10. Sandro

    Parece mentira… mas não é! Yulia Putintseva, que foi encarcerada num cubículo com um rato assim que chegou a Melbourne, publicou esta terça-feira um novo vídeo, onde incrédula mostra a imagem de um outro rato na seu novo cárcere para o qual foi transferida, no mesmo hotel em Melbourne. Putintseva revoltadíssima denunciou a situação nas redes sociais, revelando ainda que o hotel não lhe possibilitou nova mudança de quarto-prisão… por estar cheio!!!
    “Different room same story??‍♀️ wanted to go to sleep but noooope! Cool now the reception told me the hotel is full and that they cant help,its a joke!” protesta Putintseva presa com ratos no seu novo cárcere privado.
    Mas quando pensávamos que mais nada pior poderia acontecer, eis que surge uma acusação a… Putintseva: As ditadoras e prepotentes “autoridades australianas”, acusam Yulia Putintseva de alimentar tanto o rato do primeiro quarto quanto o rato do segundo quarto e depois gravar vídeos para deixar críticas nas redes sociais. Tem dúvidas? Uma das que criticou os protestos de Putintseva foi a demente da Lisa Neville, ministra responsável por supervisionar o sistema de quarentena no estado de Victoria! Ou seja, pra Lisa Neville, a tenista Yulia Putintseva teria que aguentar conviver com os ratos caladas, sem fazer vídeos protestando! Isso é que é a tal DEMOCRACIA AUSTRALIANA? Ou é a LEI DA MORDAÇA, pois além de presa, a tenista tem que ficar calada?
    Outro fascínoras que quer amordaçar e calar Putintseva é Craig Tiley, diretor da Tennis Australia, responsável máximo pelo Australian Open 2021. Ora, nesta altura, Tiley bradou que as críticas públicas terminem de uma vez por todas. Craig Tiley determinou que as reclamações se dirijam pessoalmente ao próprio, evitando mais alarido em torno da quarentena. A coitada da Putintseva é encarcerada em cubículos com ratos, sem poder sequer abrir uma porta ou janela, e esses cretinos das autoridades australianas só querem criticá-la e amordaçá-la, não bastassem essas autoridades ditatoriais, vem os falastrões do Kyrgios e da ex-duplista australiana Rennae Stubbs vomitar mais prepotência e falta de empatia em cima dos tenistas encarcerados?
    Emma Cassar, responsável pela quarentena no estado australiano de Victoria, foi extremamente grosseira, cruel, insensível com toda a comunidade tenística ao dar uma resposta grossa para Novak Djokovic: “Para mim é um grande ‘não’ para ele. Não vai haver nenhum tipo de alterações nas condições da quarentena. São 14 dias dentro do quarto, ponto final”. Quem pensa que Emma Cassar foi grosseira apenas com Djokovic se engana redondamente, porque a declaração despótica e prepotente dela é muito mais abrangente e atinge muito mais aos tenistas que estão presos em suas solitárias como se fossem criminosos de alta periculosidade.
    Já não bastasse p CALA BOCA histórico que essas AUTORIDADES AUSTRALIANAS deram na população negra nativa da Austrália e ainda dão até hoje transformando um país que era negro, num país em que só os brancos mandam, só as autoridades podem falar, opinar, e os outros tem que acietar tudo goela abaixo?
    Que democracia FAKE é essa em que só as autoridades australianas são as donas da verdade? Só os australianos como o idiota do Kyrgios e seus copmarsas podem vomitar besteiras e os outros tem que ser amordaçados?
    As várias doenças transmitidas pelos ratos são muito piores e podem causar muito mais danos aos tenistas do que o próprio Corona Vírus!!!
    Ratos transmitem, além de parasitas como pulgas, carrapatos ,vermes, bactérias, fungos, vírus, protozoários e ácaros, vários outras doenças até piores que o Corona Vírus como Leptospirose, Peste Bubônica, Toxoplasmose, Tifo Murino, Equinococose, Febre da mordida do rato, Triquinose, Raiva, Salmonelose, Hantavirose, Capilariose, Arenavirose, Bartonelose,Tularemia, Estreptobacilose, Doença de Weil.
    Então, os hipócritas das autoridades querem calar Putintseva e que ela conviva quietinha com os ratos? Além de presa, tem que ser submetida a tortura psicológica a conviver com ratos e sem serviço de limpeza no seu cárcere?
    O que adianta ficar jogando os direitos humanos no lixo tratando tenistas como presidários em suas solitárias com ratos, se a higiene e limpeza desses cubículos não são levadas a sério por esses hipócritas que mandam na Austrália?

    1. Maurício Luís *

      Sandro, claro que ninguém quer ficar trancado com ratos, mas a Yulia Putintseva tem como se defender. Tem dinheiro pra pagar quantos advogados quiser, tem penetração nas mídias sociais…
      A Emma Cassar foi ” extremamente grosseira, cruel, insensível com toda a comunidade tenística” como você define. Mas o “não” nunca é agradável. Não é NÃO. Ou ela se preocupa com o contágio do vírus, ou dá regalias a tenistas milionários que nem os próprios australianos estão tendo.
      Eu prefiro me indignar com pessoas que não estão tendo como sustentar a família por causa da pandemia. Faxineira que foi dispensada e que não tem como manter os filhos isolados num cômodo insalubre de favela, com o esgoto correndo no meio da rua. Ou com os sem-teto expostos ao vírus porque não tem nem condição de comprar máscara e ficar lavando as mãos a cada 15 minutos… e por aí vai. Aqui no Brasil tem milhões de exemplos.

    2. Hendrix

      Sandro, o que te legitima a falar da Australia, ou criticar a sociedade australiana? Voce mora aqui, paga impostos aqui, ja contribuiu em algo para o pais?

      Qual a relacao entre questoes historicas do pais com a gestao da pandemia de COVID-19 em 2020-21? Voce ja verificou os numeros da Australia em casos e mortes e os comparou com os do seu pais? Qual a conclusao?

      Em tempo: de que “populacao negra nativa” da Australia voce se refere? Quais sao as suas “fontes”?

      Aguardo respostas.

      1. Jhonny

        ok digamos que o cara não tenha direito a criticar o governo australiano por não morar lá, tanto a organização do australia opem como suas autoridades permitiram fazer o torneio, foram impostos regras rígidas porem mudaram estas regras durante o campeonato (lembre-se o aviso era que se houvesse casos de covid em um avião seria por sessão não todo avião, aviões que foram de responsabilidade do própria organizadora diga se de passagem, mudanças de regras durante o jogo é correto? e outra se eles queriam manter o controle da pandemia (o que estão de parabéns) porque não abriram mão do torneio? como fez winblendon? e outra porque nao pensaram no plano de contingencia se houvesse o surto? se houve porque conseguiram deixar os quartos com ratos? ou sem aparelhos para o treino básico? e se pode dizer que nao esperavam um numero tao grande de casos (e ai o plano de contingenciamento foi perfeito?) trocar a jogadora de quarto e ainda ter ratos nela é um erro aceitável? e esta insinuação de que o rato esta sendo alimentado?

        1. Hendrix

          Caro Jhonny,
          O torneio deveria ter sido cancelado ha tempos, ja disse isso aqui varias vezes. A manutencao do AO foi fruto de falta de pulso do PM de Victoria, que ja havia cometido erros antes que possibilitaram a segunda onda de COVID-19 no estado e quase lhe custaram o cargo, e da ganancia da organizacao do torneio. Erros individuais ocorrem no mundo inteiro, e continuarao ocorrendo porque pessoas sao imperfeitas.
          No entanto, o ilustre Sandro mistura de forma irresponsavel e leviana problemas isolados do torneio e erros do governo atual de Victoria com criticas descabidas a sociedade e ao governo australiano sem qualquer embasamento, o que eh inadmissivel. Vivo na Australia ha tempo e amo esse pais exatamente por valorizar e respeitar os direitos comuns muito acima dos individuais, proporcionando altos niveis de qualidade de vida para as pessoas. O Brasil tem muito a aprender com a sociedade australiana, temos que ter humildade de reconhecer isso e aprender com eles.

  11. Jairo Silva

    Normal o Djoko querer quebrar os recordes, esses caras são MUITO competitivos. NADAL também quer quebrar recordes e Federer quer segurar os seus, NORMAL. Existe um mimimi de uma parte da torcida do Federer em entender isso. É lógico que o Nole quer quebrar recordes e ser o cara. E pq será que o Federer joga até hoje? Quer ganhar, competir, ser o melhor, provar algo a si mesmo. Duvido que é só pq ama. No fim das contas deve manter o recorde de semanas seguidas, coisa que duvido que teria feito com Nole e Rafa ‘maduros’, mas até aí é só minha opinião, não deixa de ser um recorde!

  12. Sandro

    Com ar de deboche a prepotente ex-duplista australiana Rennae Stubbs, que deve ter vindo da nesma escola do debochado e asqueroso Kyrgios, vomitou besteiras sobre as reclamações de Putinsteva no Twitter diznedo que que mais importava era o cheque de 100 mim dólares da primeira rodada do Autralian Open. A australiana foi intragável por minimizar o sofrimento de Putintseva por está confinada arbitrariamente e ainda debochou como se Putintseva fosse ser eliminada na primeira rodada. Mas 100 mil dólares não pagam essa humilhação de ser tratada como uma criminosa num solitária. A dignidade humana vale muito mais que 100 mil dólares.
    A insolente australiana ainda teve a empáfia de afirmar que: “Eles ainda terão uma semana inteira de preparação pela frente antes do torneio. Acredite em mim, haverá tempo suficiente”, acrescentou a australiana em resposta a um seguidor, que questionou o fato de os 72 tenistas em quarentena serem prejudicados em suas respectivas preparações para o primeiro Grand Slam do ano.
    Putintseva indignada tratou de rebater Stubbs. “Do que você está falando? Uma semana é o suficiente para se preparar para um Grand Slam depois de você passar 14 dias jogando contra a parede? Ok, talvez para duplas isso seja verdade, mas em simples não funciona assim”, reclamou a cazaque.
    A sem-noção australiana ainda teve a audácia de mandar Putintseva ir pra casa depois do cárcere privado de 14 dias: “Quando estiver fora da quarentena e se não se sentir preparada após 7 dias, pode ir para casa”, respondeu Stubbs.
    Putintseva revoltadíssima com o deboche da australiana respondeu: “As minhas condições não são iguais às de quem está treinando agora! Mas tudo que importa para você é o prêmio em dinheiro da 1ª rodada”.
    O que há com esse australianos como Kyrgios, Stubbs, Emma Cassar e muitos outros desde daqueles que abusaram da população negra nativa da Austrália e quiseram aculturá-los, qual o problema desses australianos, quem são eles pra ficar debochando do resto mundo assim? Quem são os australianos para acharem que são melhores que os outros? Que são os donos da verdade? Que ego é esse? Que falta de empatia é essa?

    1. Hendrix

      Australianos tem falta de empatia? Porque sera entao que a Australia teve 909 obitos registrados por COVID-19 ate agora, contra 215,000 no Brasil?

      Sera que e porque os brasileiros tem mais empatia com o virus e querem que ele se sinta a vontade no pais? De fato, aqui na Australia as pessoas tem pouca empatia com ele, sempre que existem restricoes nas cidades as pessoas respeitam, respeitam distanciamento social, usam mascaras, nao se aglomeram em praias, nao cruzam fronteiras estaduais nao permitidas, etc, etc. Ah, esses australianos tao malvados com o pobre COVID-19!!!

  13. Sandro

    Acho que a Austrália simplesmente não deveria sediar nenhum tipo de torneio ou competição esportiva, pois se é pra tratar atletas como criminosos condenados À solitária era melhor que abrisse mão de sediar qualquer tipo de evneto esportivo. Pois isso é um canalhice com as atletas.
    A espanhola Paula Badosa descobriu que ficaria em quarentena de pois que mudaram as regras arbitrariamente sem comunicá-los antes:. “Eles nos enviaram um e-mail dizendo que alguém em nosso voo tinha testado positivo. A princípio, disseram que o controle era por seções, mas de um dia para o outro mudaram a norma e a estenderam a todo o voo”.
    “Eles nos deram poucas soluções além de ter que ficar no quarto o dia todo. É muito difícil chegar a um torneio assim, ainda mais um Grand Slam. Se eu abrir a porta eles podem me multar e só posso fazer isso quando me trazem a comida. É mentalmente opressor saber que ficaremos trancados assim por tantos dias”.
    Badosa reforçou que não apenas o físico irá sofrer depois de 14 dias de confinamento, mas também o mental. “Estar trancada em uma sala de 20 metros quadrados pode criar ansiedade. Meu psicólogo tentará me ajudar à distância e vou tentar trabalhar nisso”, observou Badosa, que também falou sobre o prejuízo que terá no condicionamento.
    “Posso perder mais da metade do meu desempenho atual em relação à força e ao cardiorrespiratório. Isso é um ultraje em um esporte de elite em que tudo se define em poucos detalhes, ainda mais antes de um Grand Slam, que é o torneio mais importante para os tenistas”, protestou Badosa indignada.

    1. Hendrix

      Sandro,

      Se a Australia nao sediar nenhuma competicao esportiva internacional no futuro, quem ira compensar os salarios das pessoas que trabalham na organizacao dos mesmos e os impostos recolhidos durantes esses eventos? Sera voce?

      Se quiser te passo dados bancarios para comecar a efetuar os depositos.

    2. Maurício Luís *

      Sandro, deixa de fazer drama. Os atletas não estão sendo tratados como criminosos condenados à solitária. Sua indignação é SELETIVA. Por que não fica indignado com milhões de brasileiros que vivem abaixo da linha da pobreza e que agora, além de desempregados por causa da pandemia, nem auxílio emergencial tem mais?
      Misericórdia…

  14. Cláudio Messsias

    Fica a pergunta: se um/a tenista se recusa, agora, a competir, como faz para ir embora? Pelo que entendi não há companhia aérea operando e ficaria burocrático conseguir transitar, em solo, para aeroportos.
    Governo australiano pode, sim, ser organizado e competente no combate à pandemia, mas perde a graça, a meu ver, quando cerceia direitos humanos básicos como a liberdade de ir e vir, uma das bases da democracia na forma como a concebemos na contemporaneidade.
    E, por fim, frágil demais esse argumento de promover o AO para não correr o risco de perder o torneio para outra cidade-sede. Como bem ratificou Dalcim em comentário anterior, não é qualquer localidade que torna-se apta, da noite para o dia, para receber um grand slam.
    Dia desses travei diálogo ríspido com Nardini, da ESPN, via Twitter, sobre a viabilidade de realização do AO. Eu, defendendo o cancelamento do torneio, ele, defendendo a realização. Mídia esportiva e seus atores alinhados com a acepção australiana de não perder comercialmente com o cancelamento.
    A cada dia, quando leio o noticiário esportivo do tênis, deparo com casos e mais casos novos de Covid-19 em terras australianas, importados desse circo do AO. Fosse o governo australiano esse modelo de gestão da crise sanitária que leio aqui nos comentários e tudo isso já estava encerrado, com o cancelamento do torneio, e basta. Só que não.

    1. Sandro

      Claudio vc está certíssimo ! Se algum tenista qiser ir embora “AGORA” pois seus direitos humanos foram SEQUESTRADOS pelas tais “autoridades australianas” e são mantidos em cárcere privado em uma solitária sem direito de sequer abrir a porta ou a janela! Mesmo que queira desistir do torneio este tenista será MANTIDO PRESO pelas autoridades , um absurdo!!! as mesmas autoridades prepotentes que sequestravam jovens negros nativos de suas famílias e os mantinham em campos de concentração separados irmão de irmã por gênero em campos de concentração diferentes !!!

  15. Luiz Fernando

    Nadal não aprende, anunciou q vai a Rotterdam, piso duro e salvo engano quadra Indoor, características q nunca o favoreceram. O cara não resiste ao tilintar dos dólares e euros, é a única razão que eu imagino para tal conduta…

    1. Sérgio Ribeiro

      Acredito que o que está pesando aí são os 700 e poucos pontos que está a frente de Dominic Thiem , L. F . Ele não quer correr nenhum risco de chegar a Gira de Saibro atrás do Austríaco no Ranking . Até porque o Sérvio vai jogar uma penca de Torneios rs . Abs!

    2. Sandro

      Pela sua lógica, então, Nadal não seria Campeão de Wimbledon em cima do Federer. Mas Nadal foi lá e ganhou esse título na grama em cima do Federer. Esse negócio de piso favorecer ou não é história pra boi dormir. Nadal está a fim de jogar em Roterdam e qual é o problema nisso?

      1. Jairo Silva

        problema Sandro é que o Rafa é FRACO nesses pisos. Perda de tempo, duvido que seja grana, aí prejudica a temporada dele.

      2. Luiz Fernando

        Claro de 2008 até hj o tempo ficou congelado, Nadal ainda tem 22 anos, sem qualquer histórico de contusão, joelho perfeito, grandes conquistas recentes em quadras indoor, como eu não prestei atenção nisso…

    3. Rafael Azevedo

      Eu to achando que Nadal tá querendo vencer torneios indoor para tirar o estigam que criaram sobre ele nesse piso.
      Já faz uns 2 anos que ele se prepara bem e joga bem o Finals. Acho que ele quer elevar as suas conquistas nesse piso.

  16. Luiz Fernando

    Se eu imaginava Kyrgios no papel de palhaço após encerrar a carreira esportiva, agora vejo uma nova possibilidade: cronista social…

      1. Luiz Fernando

        Ué alguém já postou isso anteriormente? Existe alguém incriticável? Talvez vc pudesse explicar essa realidade a alguns amiguinhos seus de torcida. Vc, pex, é um dos q mais tece críticas aqui. Todos, jogadores, blogueiros etc estão sujeitos a crítica, ainda mais essa criatura polêmica chamada Nick Kyrgios, que eu pessoalmente não tolero…

        1. Rodrigo S. Cruz

          Pior que existe.

          O Paulo F. vive reclamando em tom de deboche que o Federer é incriticável.

          Mas, na verdade, ele apenas usa isso para ter uma desculpa para criticar acidamente o suíço…

  17. André Barcellos

    Olhando por um lado diferente:
    mais uma vez vemos a inteligência de Federer em gerenciar sua carreira (ou de Mirka). Estar longe dessa confusão foi a melhor coisa pra ele. Ainda mais que não estaria 100 preparado.

    1. Sérgio Ribeiro

      Ljubicic e Luthi garantem que o Velhinho está “ tinindo “ , André rs . Mas nesta estória do AOPEN garanto que pesou o dedo de Mirka rs…Abs!

  18. Nattan Lobatto

    Eita atrás de eita!!! No estilo paraense seria: Égua atrás de égua kkkk

    Não posso me ausentar por 2 meses que um dos maiores representantes da torcida Nolista Kombi LTDA, Sir Paulo Almeida, bate o sino e pede pra sair… Uma pena!!! Espero que vc reveja sua decisão e, assim, possamos ver os debates infinitos que tomaram conta do blog. Enfim, tenho certeza que até seus maiores rivais, detratores e arqui-inimigos sentirão a sua falta, se é que já não estão sentindo. Só que o orgulho não os fará admitir, o ego não os deixará transparecer o enorme vazio deixado pela a sua ausência, a soberba os cegará e a altives os confundirá.

    Forte abraço e saudações Nolistas.

    1. Sérgio Ribeiro

      Pra cima de mim , caro Nattan. Depois das derrotas consecutivas de final de ano do “ goat “ , o pneu da Kombi deu uma esvaziada rs . O cara ficou sem graça de repetir a ladainha diária. Basta o Sérvio vencer duas seguidas na tradicionalíssima ATP Cup , que o coroa volta com tudo rsrsrs. Abs!

  19. Jairo Silva

    Nole fez bem em tentar ajudar os tenistas menos rankeados, mas infelizmente está uma bagunça. Não dava pra fazer mto mesmo. A notícia boa é que o mito está prestes a bater mais um recorde incrível, que domínio do sérvio! Briga boa entre ele e Rafa.

      1. Jairo Silva

        Sim, eu chamei o Nole de mito esses dias mesmo. Ele está prestes a quebrar o recorde do Suíço Federer. Já era pra ter quebrado não fosse a pandemia!

  20. Daniel C

    Pra mim é óbvio que o Djokovic está adotando os privilégios que está tendo. Esse cara só está pensando em uma coisa: quebrar os recordes do Federer. Nada mais importa a não ser o sucesso que ele busca para agradar o ego, ferido por notar a grande maioria da torcida contra ele quando enfrentou o suíço, um jogador que na minha opinião, ele inveja.

    Eu não me deixo enganar por alguém que leva uma surra do Sonego e diz que foi pro torneio só para conseguir a pontuação para garantir o no1 até o fim do ano. Além de desmerecer o adversário, deixando implícito que não estava se esforçando, demonstra a grande obsessão que possui para bater os recordes. Uma pena que deve conseguir, por vacilos do próprio Federer e outros fatores. Mas é aquela coisa que eu já disse: nada vai apagar o legado do suíço para o tênis, que é muito maior do que o desse tenista sérvio.

    1. DANILO AFONSO

      Daniel C, na vida temos que ter ambições e metas para nos mantermos focados e com vontade de acordar no dia seguinte.

      Que mal tem o sérvio em visar os recordes do suíço ??
      Por que você não se incomada com o FEDERER que há anos está no circuito principalmente para tentar assegurar os seus principais recordes e conquistar outros palpáveis ??

      As metas do sérvio e do suíço são igualmente legítimas e louváveis.

      Djokovic aparentemente tem tudo na vida: um ótimo casamento, filhos, goza de boa saúde, é milionário, profissionalmente reconhecido e me parece bem resolvido espiritualmente.

      Mesmo sendo agraciado com tudo isso na vida, todos os dias o sérvio tem encarado uma rotina de treinos, alimentação restrita, compromissos comercias, muitas viagens e principalmente ausência de momentos importantes com a família que não se compensam.

      No patamar esportivo que o sérvio se encontra na carreira, obiviamente não serão os milhões de dólares o motivo para encarar tantas privaçoes na vida.

      Quantos esportistas que se perderam na carreira após alcançar a fama e alguns “bons trocados” ?? O que seria do Ronaldinho Gaúcho ou Adriano Imperador se fossem obstinados como o BIG3 ?

      Diferentemente de você que enxerga negativamente o sérvio na busca pelos recordes, muitos torcedores veem o empenho e desejo do Djokovic como um exemplo de vida a ser seguido dentro e fora das quadras.

      Mudando de assunto…
      Aquele seu papo não cola de que cansou de ver o BIG3 vencendo os principais títulos e que deseja novos protagonistas no circuito. Galera sacou que para você não pode continuar vencendo apenas Nadal e Djokovic, mas se for o suíço você terá mais um bucadinho de paciência para esperar a garotada…kkkk

      Saudações Nolistas !!!

  21. Hendrix

    Dalcin,

    Moro em Sydney há vários anos, e posso te dizer que tenho orgulho da forma como as autoridades de New South Wales e dos outros estados australianos tem enfrentado a pandemia. Graças a esse esforço desmedido em acoes sempre duras e rapidas, alem do alto engajamento da população, temos tido resultados tao bons por aqui.

    E curioso ler críticas de brasileiros à rigidez das medidas australianas, vivendo eles em uma sociedade caótica em que o interesse individual vem sempre acima do coletivo, combinado com total omissão governamental, e que por essa combinação de fatores tem colhido resultados desastrosos. Seria cômico, se não fosse trágico.

    Sobre o torneio, já disse antes que deveria ter sido sumariamente cancelado. Manter o torneio foi um grande erro do Daniel Andrews, que pipocou com medo de perder o evento para os próximos anos, e criou assim um grande problema que pode ter consequências ainda piores pra ele. Depois de quase ter perdido o emprego quando a segunda onda estourou em Victoria, ele já deveria ter aprendido a lição.

    Apenas um correção do seu texto. As viagens interestaduais não estão proibidas. Eu mesmo viajei para outro estado há poucas semanas. O que ocorre por aqui é que áreas consideradas como hot spots (caso no momento aqui da grande Sydney), sao obrigados a cumprir quarentena quando viajam para outros estados. Áreas não classificadas como tal podem viajar, sendo essa uma classificação que é atualizada constantemente pelas autoridades de cada estado.

    Abraços

    Hendrix

    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado pelas informações e correções, Hendrix. Essa citação eu tirei da mídia australiana – não recordo agora se foi no Sydney Morning ou ABC News. Abs!

      1. Hendrix

        Dalcin,
        Essa ideia do PM de que “a Australia perderia o torneio para outro pais” me parece bizarra. Wimbledon cancelou sumariamente o torneio ano passado, e nunca se cogitou tirar o Grand Slam de la. Seria absolutamente normal se os outros Grand slams fizessem o mesmo, ate por ja haver a prerrogativa de WB.
        Voce acredita que haveria qualquer real possibilidade de represalia da ATP a Australia pelo cancelamento do torneio, mesmo em circunstancias tao fundamentadas?

        1. José Nilton Dalcim

          Não, não vejo a menor possibilidade de isso acontecer, nem mesmo num caso totalmente esporádico. Me parece mesmo uma desculpa.

        2. Sérgio Ribeiro

          Exatamente Hendrix . E como dissestes a ITF que e’ quem manda nos SLAM , não fez nada com Wimbledon. Bravata pura da figura. Abs!

    2. Sndro

      Engraçado que, de repente, aparece no blog uns supostos moradores da Austrália defensores de um país hipócrita, racista, preconceituoso, prepotente, autoritário e que não respeita os direitos humanos com essas medidas abusivas. Pra quem não sabe, a população nativa da Austrália é NEGRA e sofre genocídio, preconceito, racismo, sequestros e confinamento em campos de concentração desde que os prepotentes ingleses resolveram fazer uma FAXINA ÉTNICA E ACULTURAÇÃO da população NEGRA NATIVA DA AUSTRÁLIA.
      Austrália era originalmente um PAÍS NEGRO que foi “EMBRANQUECIDO” pela política racista e genocida de FAXINA ÉTNICA inglesa.
      Durante as Olimpíadas de Sydney cerca de 50 negros aborígenes ergueram um acampamento vizinho ao Parque Olímpico, esperando um confronto com a força de segurança dos Jogos de Sydney. O líder deles, Trevor Close, 37, afirmava estar preparado para a violência policial: “Antes, eu ficava preocupado com isso. Agora, não mais. Eu e os outros guerreiros vamos partir para a briga caso isso seja necessário.”
      Ele dizia que cada “guerreiro negro nativo” teria uma lança e um “nulla nulla”( porrete das tribos nativas australianas).
      Estão programadas incursões pela área de competição para divulgar o preconceito social e econômico que os povos negros aborígenes sofrem na Austrália, cuja mortalidade infantil e a expectativa de vida atingem níveis de países subdesenvolvidos.
      A ação era vista como arriscada pelos anciãos, que tradicionalmente dão a última palavra na sociedade negra aborígene.
      “Podemos aproveitar a Olimpíada para mostrar os verdadeiros jogos: os jogos do genocídio, disputados há mais de 200 anos, desde a INVASÃO INGLESA, em 1788”.
      Trevor Close, negro nativo australiano, nasceu ao norte de Sydney em uma área de floresta, aos 15 anos se mudou para o subúrbio desta metrópole. Esse mesmo movimento migratório foi feito pela maioria dos negros aborígenes após 1967. Naquele ano, o Parlamento reconheceu os direitos sociais da população negra autóctone, e eles puderam deixar seus territórios.
      Até aquele momento, prevaleciam as idéias da época da colonização, quando os ingleses declararam a Austrália “uma terra despovoada”, ou seja, os negros aborígenes legalmente não existiam, os ingleses desconsideravam os negros nativos como seres humanos e o objetivo era exterminá-los via genocídio, e mataram tantos negros que quase os levaram ao extermínio.
      Atualmente, na Austrália, o principal tema é a indenização para as vítimas da Geração Roubada (Stolen Generation). Até o século XX, o governo sequestrava crianças negras aborígenes de suas famílias e as mantinham em campos de concentração separadas por gênero. Os garotos eram levados para uma instituição pública, as meninas, para outra. Muitos jovens negros sofriam abusos sexuais recorrentes nesses campos de concentração. Só no Estado de Nova Gales do Sul, do qual Sydney é capital, foram registrados 3.400 casos de abusos sexuais, isso porque a grande maioria dos casos de abuso sequer eram registrados e eram acobertados pelas “AUTORIDADES AUSTRALIANAS”. Engraçado que essas mesmas “AUTORIDADES AUSTRALIANAS” prepotentes, ditatoriais, “donas da verdade” e que se acham acima do bem e do mal, é que determinaram em pleno 2021 o confinamento dos tenistas em solitárias com ratos sem direito a sequer a abrirem as janelas para respirar ar fresco. Qualquer semelhança DITATORIAL das “autoridades australianas” de 2021 com as que invadiram a AUSTRÁLIA e começaram a subjugar, confinar e até matar a população negra nativa “NÃO É MERA COINCIDÊNCIA” já que estas atitudes GROTESCAS estão no DNA das autoridades. Mas a desculpa sempre é o tal “BEM ESTAR COLETIVO”: “estamos abusando dos seus direitos humanos, mas é para o seu próprio bem”. Como são hipócritas essas “AUTORIDADES AUSTRALIANAS”, roubavam crianças negras, as confinavam em campos de concentração, abusavam sexualmente delas, não permitiam contato com suas famílias negras, faziam lavagem cerebral de aculturação das tradições negras nativas, mas tudo era para o próprio bem delas e do coletivo, as mesmas desculpas para confinamentos abusivos são usadas por essas sádicas “AUTORIDADES AUSTRALIANAS” em pleno século XXI.
      A atleta Cathy Freeman, tem uma história dessas: sua avó foi sequestrada de casa de sua família, e a atleta nunca mais teve notícia dela: “Ela ainda tem a humanidade de representar o país que fez isso com sua própria família. Desejo tudo de melhor para nossa irmã negra Cathy Freeman”, disse Close.
      A organização dos Jogos pediu para Freeman não se manifestar politicamente, mas o presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional) liberou a atleta para comemorar sua eventual vitória nos 400 m com a bandeira aborígene.
      Enquanto o panteão oficial australiano remete à bandeira britânica, a bandeira dos nativos tem uma listra vermelha (representa o sangue derramado), uma listra negra (a cor de suas peles) e um círculo amarelo (o sol) no centro. Para Close, é o símbolo nacional.
      “Queremos que a ONU comece o processo de descolonização da Austrália. Isso aqui é um país de negros invadido por brancos. Queremos a independência sob as leis aborígenes.”
      Atualmente a Austrália é uma monarquia parlamentar cujo chefe de Estado é a rainha da Inglaterra, Elisabeth 2ª.
      Até a década de 70, negros nativos australianos sequer tinham o direito a voto!!!
      Enfim, as sempre ditatoriais, sádicas, prepotentes e abusadoras de direitos humanos “autoridades australianas” transformaram um PAÍS DE NEGROS em um PAÍS DE BRANCOS, através de muito sofrimento e abusos contra os negros nativos, mas tudo com a desculpa que era para o PRÓPRIO BEM DELES E DO COLETIVO… Que hipócritas!

    1. Rodrigo S. Cruz

      Como disse o Dalcim, se ele quisesse fazer a coisa certa ele teria recusado as regalias ANTES de ir para a Austrália.

      E não depois…

    2. Thiago Silva

      Djokovic é político, ele se importa tanto com os tenistas menos ranqueados quanto o Bolsonaro se importa com a população.
      Tá lá aproveitando o spa em Adelaide e arrotando caviar enquanto lamenta pelos coitados trancados no quarto de hotel. Aqui o Bolsonaro queria acabar com a mamata dos comunistas e tá gastando mais que a Dilma no cartão corporativo.
      Pra você dizer que se importa com os menos favorecidos precisa dar exemplo, se não é só da boca pra fora.

      1. José

        Hahaha o que tem a ver política com tênis, cara? Não misture não! Trazendo na mesa algo sem relação nenhuma pra dar um argumento! Kkkk

        Djokovic tá fazendo o que o pessoal do conselho da ATP devia estar fazendo, na verdade. Mas estes são tenistas que nunca se importaram muito com os outros.

      2. Gildokson

        Perfeito!!! Essa é impressão que tenho também.
        Até parece que quem está na bolha VIP não sabia como ia ser para o resto. Era só não aceitar esse tipo de privilégio que ele ja estaria dando um ÓTIMO exemplo. Mas não podemos falar muito sobre certas atitudes do Djokovic pq se não vai ter torcedor achando que é pegação no pé. Ao menos os outros não deram esse migué de tentar falar em favor dos prejudicados agora.

  22. Arthur

    Na boa, Dalcim: esse AO tá uma completa várzea.
    É simplesmente bizarro o que está acontecendo.
    Não há a mínima condição de uma disputa paritária entre o pessoal que está confinado e o pessoal da “Bolha VIP”.
    Era mais sensato adiar ou cancelar o evento do que realizar o Slam em condições esportivas tão desiguais.
    Mas, como o que manda é o dinheiro, sou capaz de cortar um braço se algo do gênero acontecer…

    Um abraço.

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, o dinheiro fala mais alto tanto do lado dos promotores como do lado dos tenistas, Arthur. Sempre considerei mais sensato adiar o evento para março, ainda mais com o buraco deixado por Indian Wells, mas o Craig Tiley argumentou que realizar o evento fora das férias tradicionais não seria economicamente viável.

  23. Daniel

    Enquanto isso, o Federer se recupera tranquilamente, kkk.
    Bem fez de pular fora, se é que o fez pela situação em si e não pela contusão.

  24. DANILO AFONSO

    Faltam 7 semanas para NOVAK tornar-se recordista de semanas na liderança do ranking masculino e 74 semanas para superar o recorde absoluto de Graf.

    1. Alessandro Siqueira

      Pois é, Danilo, o que parecia algo inatingível há alguns anos, será realidade em breve. E o haters? Seguirão odiando e tentando desfazer da marca.

      1. Sérgio Ribeiro

        Errado : Nunca poderia ser inatingível se o Sérvio há muito esteve próximo de atingir 6 Temporadas no Topo do Ranking. Inatingíveis são as SEIS temporadas CONSECUTIVAS como N 1 de Pete Sampras e as 273 Semanas CONSECUTIVAS no topo do Ranking de Roger Federer , caro Alessandro. Isso infelizmente não dá mais para o tal “ goat “ rs… Abs!

        1. Alessandro Siqueira

          Creio que você tenha se confundido, afinal 237 não se confunde com 273. Mas Freud deve explicar esse pequeno ano falho. No mais, semanas consecutivas nunca foram a marca a ser batida e seu malabarismo argumentativo não irá tirar a importância das semanas totais.

          1. Sérgio Ribeiro

            E quem tirou, mane’ ? São dois recordes contabilizados pela ATP. Veja que o sábio também cometeu um erro de digitação. Sem choro kkkkkkkkkkkkk . Abs!

  25. Lafayete Fantossi Filho

    Caro Dalcim,

    Moro em Melbourne e passei meses trancado em casa com a familia, saindo 1 hora por dia, no maximo, para caminhar ou correr ao ar livre com distanciamento social (academia nem pensar) e comprar o basico para comer, e claro que todo o mundo metendo o pau no Dan Andrews… Agora ja faz pouco mais de um mes que temos liberdade para fazer uma vida muito proxima ao pre Covid, e vendo o panorama mundial, agradecemos o sacrificio que todos fizemos, que nos permite viver numa especie de oasis em meio a um vasto deserto de desgracas.

    Os tenistas deveriam ter sido informados pelos seus agentes, que ninguem em Victoria quer jogar pelo ralo meses de sacrificio por meia duzia de garotos mimados como eles… Sem contar que ha milhares de australianos que nao podem voltar aos seus proprios lares, de maneira que qualquer queixa pega muito mal, mesmo que eles possam ter algo de razao.

    Muitas pessoas esquecem que qualquer constituicao democratica que se preze preve situacoes assim, por tanto nao ha nada de absurdo ou deshumano nessas medidas… Deshumano ‘e ser governado por um lunatico que nega a morte e infeccao de milhoes de seus proprios cidadaos e votantes que o elegeram, e que demore tanto para aprovar uma vacina para trata-los.

    Abs!

    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado pelo depoimento, Lafayete. Concordo com você. Apesar de ser duro para os tenistas envolvidos, a segurança sanitária pensando no coletivo tem de estar acima de tudo.

      1. Lafayete Fantossi Filho

        Valeu, Dalcim! Grande abraco e tomara que a gente possa falar de tenis de primeiro nivel daqui uns dias.

    2. Sandro

      Passar meses trancado em casa, saindo 1 hora por dia, no máximo, está mais para uma DITADURA NORTE COREANA do que para uma DEMOCRACIA. Trancar seres humanas em jaulas, ou como ratos em ratoeiras não vai resolver problema nenhum de CORNA VÍRUS, principalmente se essas pessoas começarem a surtar com essa prisão, desenvolvendo depressão, stress, ansiedade e outros vários problemas psicológicos e psiquiátricos derivados do confinamento. Além disso, de nada adianta ficar trancado em casa se as pessoas não tiverem bons hábitos que preservem sua saúde. O que adianta ficar preso em casa enchendo a cara de cachaça? O que adianta ficar confinado enchendo o nariz de pó (cocaína)? O que adianta ficar preso enchendo os pulmões de cigarro e maconha? O que adianta ficar preso enchendo o organismo de medicamentos tarja preta? O que adianta ficar preso se o pânico sequer deixa dormir direito? O que adianta ficar preso em casa e os casos de abuso sexual e violência doméstica aumentarem? O que adianta ficar confinado reduzindo os níveis de vitamina D por falta de exposição solar?
      Ficar preso, confinado, isolado sem bons hábitos., sem higiene, sem limpeza até facilita a pessoa ser contaminada!
      As pessoas mais saudáveis são as que vivem livres, que tem bons hábitos de higiene individual e coletiva, limpeza, que praticam atividades físicas regularmente, que consomem vitaminas naturais diretas de frutas e verduras, que bebem bastante água, que fazem uma higiene mental socializando com outras pessoas saudáveis. pois os neuróticos são os que adoecem mais fácil e constantemente.
      O governo em vez de ficar confinando pessoas deveria fazer campanhas para redobrar os cuidados com higiene pessoal e coletiva, redobrar a limpeza de ambientes públicos e incentivar hábitos saudáveis de alimentação e exercícios na população.
      As titudes das “AUTORIDADES AUSTRALIANAS” são sim absurdas e desrespeitam os direitos humanos ao prender pessoas em solitárias nas quais não podem sequer abrir as janelas e não tem serviço de limpeza e chegam a encontrar até ratos nesse cubículos.
      As autoridades australianas sempre tiveram um viés sádico e prepotente de ação se achando donos da verdade e acima do bem e do mal, sempre disseram que as medidas ABUSIVAS eram para SEU PRÓPRIO BEM E DA COLETIVIDADE. Essas mesmas “autoridades australianas” adotaram políticas de sequestros e confinamento de jovens negros aborígenes para aculturá-los e IMPOR forma branca inglesa de pensar. Essas mesmas “autoridades australianas” transformaram um PAÍS NEGRO num PAÍS BRANCO subjugando os negros nativos australianos.

    3. Carlos Reis

      kkkkkk Os caras acham bom perder a LIBERDADE!? Acham bom o estado CONTROLAR TUDO!? Fique tranquilo, o regime de controle social apenas começou, VAI PIORAR MUITO ainda. Espero estar errado.

  26. Rubens Leme

    Oi Dalcim, hoje recebi a edição nacional da autobiografia do Woody Allen. Já havia comprado a original, como te falei, meses atrás. Estou relendo-a, embora muitas coisas dos filmes antigos ele tenha falado naquele documentário feito sobre ele – Woody Allen, Um Documentário de Robert B. Weide – que até saiu em DVD, é sempre bom reler as coisas escritas do próprio punho do maior diretor norte-americano dos últimos 50 anos, afinal é um cara que sempre vale a pena ser revisitado, quando não os filmes, através dos seus contos, onde ele mostra a mesma verve hilária e absurda de suas películas.

    Em tempo: ontem um dos maiores compositores e pensadores brasileiro de sua geração aniversariou: Jorge Mautner, que assoprou 80 velinhas. Em homenagem, estou ouvindo seus discos e lendo uma de suas obras, Mitologia do Kaos.

    Título, aliás, bem sugestivo para os dias atuais.

    https://music.youtube.com/browse/MPREb_Fg9xzk68pUg

  27. Maurício Luís *

    Nas escolas e universidades, sempre tem aquele trabalho de equipe em que 1 só “se mata” pra fazer, enquanto que os outros estão se “lixando” pro prazo que está se esgotando. Daí, na última hora, quando o trabalho ficou pronto por 1 único burro de carga, vem os oportunistas irresponsáveis:
    – Põe meu nome aí, vai… Por favor… senão vou tirar ZERO!
    Qualquer semelhança entre um governador turista de Miami e um ministro que não é médico é mera coincidência.
    AUSTRALIAN OPEN – Se os tenistas não privilegiados se juntassem pra boicotar, garanto que os organizadores mudariam o esquema rapidinho. Como é que iriam fazer o torneio só com os 3 primeiros do ranking?

  28. Oswaldo E. Aranha

    Mais um que se pronunciou exaltando a possível saída de um companheiro do blog; pois é o ÓDIO está permanecendo!

    1. Rogério R Silva

      Tempos horríveis.
      Hoje em dia tem até um tal de “ódio do bem”.
      Bando de babacas temos nessa geração.

    2. Luiz Fernando

      Imagine as reações se quem postasse essa imbecilidade fosse o Paulo Almeida ou o Paulo F? Mas como é da “tchurma” tudo passa em branco…

      1. Rodrigo S. Cruz

        Acho que não dá para passar pano para atitude errada de ninguém.

        Seja ele da “tchurma”, ou de fora da ” tchurma”.

  29. Sandro

    O projeto de DITADORA IMPLACÁVEL chamada Emma Cassar, responsável pela quarentena no estado australiano de Victoria, foi extremamente grosseira, cruel, insensível com toda a comunidade tenística ao dar uma resposta grossa para Novak Djokovic: “Para mim é um grande ‘não’ para ele. Não vai haver nenhum tipo de alterações nas condições da quarentena. São 14 dias dentro do quarto, ponto final”. Quem pensa que Emma Cassar foi grosseira apenas com Djokovic se engana redondamente, porque a declaração despótica e prepotente dela é muito mais abrangente e atinge muito mais aos tenistas que estão presos em suas solitárias como se fossem criminosos de alta periculosidade. Onde estão os direitos humanos em uma hora destas? É nessas horas que vemos quem tem tendências ditatoriais, pois essas declarações tipo a de Emma Cassar só aguçam a sua prepotência e total falta de empatia com as situações humilhantes e vexatórias pelas quais estes tenistas estão sendo obrigados a passar. Desde o ano passado, durante a quarentena do Corona Vírus estamos tendo torneios em vários países sem que os tenistas tenham que ser expostos ao ridículo ou sendo mal-tratados como animais de circo presos em suas jaulas e com pessoas como essa Emma Cassar agindo como DOMADORES COM SEU CHICOTE NA MÃO. O pior de tudo isso é que de nada adianta todo esse isolamento se condições de higiene e limpeza não são levadas a sério pelas autoridades australianas. O que adianta manterem os tenistas presos em solitárias se como a própria tenista denunciou, esses cubículos não tem serviço de limpeza e os tenistas são obrigados até a conviver com ratos? A higiene pessoal, a higiene coletiva e a limpeza são muito mais eficazes no controle da disseminação do vírus do que essas medidas similares a CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO, que remetem a regimes ditatoriais ao longo da história. Todas as vezes que tivemos medidas extremas de isolamento, campo de concentração, e pessoas se achando no direito de restringir os direitos humanos das outras, tivemos flerte com pessoas de espírito ditador que podem usar qualquer desculpa inclusive a de vírus pra tomar medidas sádicas e nem um pouco empática contra os seus governados.
    Os pedidos que Djokovic fez visando amenizar as condições vexatórias e humilhantes pelas quais seus colegas de profissão estão passando foram bastantes coerentes, os pedidos de Djokovic levaram em consideração que os tenistas fossem respeitados além de profissionais, mas como seres humanos que necessitam de condições mínimas não só para treinar mas de sobrevivência e bem estar, mas o ímpeto sádico ditatorial e prepotente de Emma Cassar falou mais alto em sua resposta grosseira.

    1. Maurício Luís *

      Discordo. Tudo isso aí que você escreveu, os tenistas sabiam com antecedência. Se foram, é porque concordaram.

  30. rafael

    O Djoko por expressar suas opiniões sempre acaba “tomando porrada” da mídia. Ele sugeriu melhorias para os jogadores, que não estão em Adelaide e o pedido não “caiu bem”. Lembrando que o Djoko não faz mais parte do Conselho da ATP e que Nadal e Federer nunca se manifestam, a não ser quando confrontados. Enfim, uma pena essa confusão toda, pois deverá afetar diretamente o AO.

    1. Maurício Luís *

      Se ele quer tanto melhorias, deveria dar o exemplo cedendo suas acomodações pra um não privilegiado. Palavras não convencem, exemplos sim.

  31. Alex

    Caro Dalcim, amigos do blog,
    Creio que tudo já foi dito sobre essa incrível, absurda, inimaginável situação criada em relação ao AO.
    Torneio sempre festejado, grande, legal, que normalmente abre as temporadas de forma magistral, em grande estilo. Só que, neste 2021, não!!
    Deu ruim. Bagunça e desordem generalizadas.
    Quero somente abordar contigo algo que creio que pode ocorrer: algum tipo de adeus, estou indo, fui.
    Explico.
    Basta pegar os rankings masc/fem para ver algumas dezenas de astros já estabilizados financeiramente, milionários, bem de vida, que diante dos atos quase ditatoriais possam resolver cair fora. Não aceitar se submeter a esses constrangimentos/desmandos. E até mesmo algando rompimento das condições pactuadas.
    Tal atitude, sendo isolada, provavelmente seria punida, poderia ser dura com o atleta.
    Todavia, caso ocorra com vários atletas, caso seja relevante, pode gerar um impacto de severas consequências.
    Pessoalmente, acho que as coisas podem (devem?) ir por aí.
    Que tal, acha possível?
    Parabéns pelo post, e um grande abraço.

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, Alex, se os grandes nomes não aderirem, acho que não afetará tanto a organização do torneio. É preciso que as estrelas interfiram imediatamente. Abs!

  32. sergio bortolotti donaires irene bortolotti donaires

    O mundo não se livrou da Covid ainda . Longe disso . este torneio deveria ser adiado como foram os outros no ano passado .Com voo muito longo era de imaginar que poderia ter problemas como está acontecendo .Eu não gostaria de ficar trancado 14 dias num quarto . Imagina um profissional que treina todo dia ao ar livre E ainda dando privilégios para alguns .Lamentável !

  33. Evaldo Aparecido Moreira

    Bom dia ,
    O Australian Open tão conhecido por sua exemplar organização em todos os sentidos , considerado por muitos e por mim, o melhor dos slams.

    Como bem esclarecido pelo Dalcim, essa gafe gigantescas por eles, acaba que arranhando a imagem do AO , seu eu fosse os tenistas , brigaria pela igualdade de previlegios, se eles tem, porque nós não podemos , há são estrelas né , então , que todos vão embora e acaba com isso , mas não é tão simples assim , pode ser que ocorra.

    Dalcim, o certo é o cancelamento , se adiarem , compremeteria os demais torneios da ATP?. O calendário teria que ser revisto e reorganizado novamente ?. Ficaria estritamente apertado , e com tenistas fazendo escolhas de onde iriam jogar? . Qual a melhor solução para isso Dalcim !?

    1. José Nilton Dalcim

      O adiamento é possível. Exigiria segurar mais os tenistas na Austrália, talvez ampliando o número de torneios preparatórios, que hoje são três no masculino e dois no feminino, mas todos simultâneos. Poderiam ampliar para duas ou até três semanas de preparatórios, por exemplo. Claro que o custo aumenta para os promotores em termos principalmente de hospedagem.

  34. Sandro

    Bom Dia Dalcim e amigos!
    Acho uma alternativa interessante transformar o torneio de DUBAI que já tem uma estrutura incrível e uma organização espetacular nesse Grand Slam que na Austrália está praticamente inviável com esses medidas absurdas de restrição total e cerceamento aos tenistas.
    As chaves masculinas, femininas e de duplas estão programadas para Março em Dubai. Fazendo-se os devidos ajustes, seria mais viável realizar esse Grand Slam em Dubai do que na Austrália.

    1. José Nilton Dalcim

      Infelizmente, Sandro, é muito mais complexo do que você imagina. Grand Slam exige uma estrutura muito grande, meses e meses de preparação. Não dá para simplesmente transferir para outro lugar de menor porte. O AusOpen só caberia num Flushing Mwadows.

  35. Rodrigo S. Cruz

    Essa edição do Australian Open está com um cheiro anunciado de boicote e fiasco!

    Seria péssimo se o Djokoivc ganhasse de novo, em chave esvaziada de caras desqualificados e outros moloides…

    Espero que a organização do torneio chegue a uma solução um pouco mais equânime para todos.

    Do contrário, podem se preparar para mais um título fake e sem brilho do sérvio.

    Pior ainda do que o de Roland Garros 2016.

  36. Sandro

    Saber que Yulia Putintseva encontrou seu quarto sujo, sem serviço de arrumação e com rato ? como companhia foi deprimente!!! Que hipócritas esse governo australiano e essa (DES)organização do Australian Open! Então as pessoas podem ficar confinadas em quartos sujos acompanhadas de ratos ? e baratas e quem sabe morrer de PESTE BUBÔNICA ou de LEPTOSPIROSE, mas não de CORONA VÍRUS ??
    É muita hipocrisia mesmo desses australianos com essas medidas psicóticos das autoridades australianas! Manter pessoas presas como se estivessem condenadas à solitária num PRESÍDIO DE SEGURANÇA MÁXIMA é um abuso aos DIREITOS HUMANOS por parte das autoridades australianas, já que essas oessoas estão sendo tratadas como CRIMINOSAS DE ALTA PERICULOSIDADE e não como seres humanos!
    Apesar de se encontrar ratos ? nesses cubículos onde os tenistas estão confinados, quem estão sendo tratados como ratos ? na ratoeira são os próprios tenistas.
    Decretaram pena de prisão em SOLITÁRIA a tenistas que não cometeram crime nenhum!
    O mais correto seria a Austrália perder o direito de sediar torneios de tênis da ATP e da WTA, e que a sede desse Grand Slam fosse transferida para outro país que não adotassem medidas tão psicóticas!
    Desde o final de 2019, quando se começou a falar de Corona Vírus ? na China ??, vimos que nenhuma medida psicótica dessas como foram as adotadas pelas autoridades australianas foram capazes de conter o Corona Vírus ?, já que o vírus chegou aos locais mais isolados do mundo como a Antártica, a Sibéria e a Patagônia.
    O mais sensato é as pessoas se prevenirem redobrando os cuidados com a higiene pessoal, mantendo hábitos de alimentação saudáveis à base de frutas e verduras, beberem água constantemente para que o vírus ? não se estacione nas vias aéreas e seja levado para o trato intestinal onde será eliminado pelo suco gástrico, manter os níveis ideais de vitamina D tomando banho de Sol ? de pelo menos 15 minutos por dia, fazer atividades físicas moderadas pelo menos 3x por semana, não deixar o medo de ficar doente provocar a própria doença por auto-sugestão e tratar as demais doenças para que estas não facilitem a infecção pelo Corona vírus ? .
    Será que o governo australiano acha que essas medidas loucas são mais eficientes que REFORÇAR HÁBITOS DE HIGIENE individual e coletiva?
    Será que as autoridades australianas acha mais eficiente PRENDER TENISTAS em quartos-solitárias do que manter a LIMPEZA E A HIGIENE desses quartos, inclusive os livrando de ratos ? e baratas?
    A HIGIENE PESSOAL E COLETIVA é a maior aliada na prevenção não só do CORONA VÍRUS ?, mas de qualquer doença infectocontagiosa.
    Medidas psicóticas tipo as das autoridades australianas, mas sem HIGIENE E LIMPEZA não adianta nada!
    Bem fez ROGER FEDERER que negou submeter sua família e a si próprio a essas medidas restritivas absurdas das autoridades australianas.
    Federer está de parabéns por preservar sua dignidade como ser humano perante a esses abusos das autoridades australianas!
    A dignidade humana tem que ser maior do que essas medidas vexatórias pelas quais estes tenistas e a própria população australiana estão passando.
    Parece que Federer estava prevendo toda esse TEATRO DE HORRORES que está se passando na Austrália e não quis participar desse circo! Afinal de contas, seres humanos não são palhaços ? para participarem desse cieco montado pelas autoridades australianas!
    Os tenistas têm mais é que boicotar esse torneio mesmo e exigirem que esse Grand Slam seja realizado em outro país!
    Vários outros torneios de tênis tem sido realizados sem esses exageros AUTORITÁRIOS, HUMILHANTES, VEXATÓRIOS e que, acima de tudo, são desumanos, um verdadeiro abuso aos direitos humanos desses tenistas!

  37. Alexandre

    Dalcim,
    Boa noite!
    Eu sinceramente não acreditaria que principalmente Djokovic e Nadal aceitariam todo esse privilégio que estão tendo. Para mim o verdadeiro campeão e competidor busca antes de mais nada a igualdade no tratamento entre ele e todos seus adversários, aí me pergunto: Será mesmo que eles vão competir mesmo sabendo que estão sendo claramente beneficiados?
    Gostaria de saber que vc acha sobre isso?
    Abraços e parabéns pelo post.

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, Alexandre, infelizmente eu não tenho a menor dúvida de que todos os ‘privilegiados’ irão competir sem nenhuma culpa. Se fosse para terem alguma atitude mais nobre, teria de ser antes de chegar a Adelaide. Ficar lá e pedir justiça pelas mídias sociais é um tanto estranho. Abs!

      1. Luiz Fabriciano

        Dalcim, segundo Tenisbrasil, Djokovic teve seu pedido negado para se juntar aos outros tenistas com sua equipe. Então, isso está na contramão de que ele, como os outros tops, aceitou as mordomias sem pensar nos demais colegas.

    2. Sandro

      Eu acho que Djokovic e Nadal não imaginavam que as restrições e humilhação dos demais tenistas chegassem a níveis insuportáveis de tão absurdos! Agora que tem noção disso, duvido que eles concordem com os abusos pelos quais seus colegas estão passando sendo tratados como presidiários de alta periculosidade em solitárias em presidio de segurança máxima.

  38. João ando

    Bom…depois dessa explicacao toda do dalcim …o ao tem que ser cancelado pois nao vai ser justos para os 128 tenistas da chave principal

    1. Sandro

      Concordo plenamente contigo! Não é justo que esse Grand Slam seja disputado na Austrália nessas condições abusivas e vexatórias. Esse Grand Slam tem que ser transferido para outro país, assim como a ATP CUP e demais torneios.

  39. Luiz Fernando

    Acreditem acabei de ter uma noticia via Whatsap do maior torcedor do Esanhol aqui.eles estão macho com Djojovic e dependendo da Reunião amanhã eles vão embora do AO com bolha cinco horas treinamento Alimentação ele me nostrou enviou o Áudio do Rafael Nadal o Espanhol dizendo que está chateado e não está bem para jogar.

    1. Sandro

      Com certeza Nadal não está nem um pouco confortável com as medidas abusivas que ferem os direitos humanos por parte das autoridades australianas que causam situações humilhantes e vexatórias aos demais tenistas. Esse torneio não merece ser realizado na Austrália!

      1. Rodrigo S. Cruz

        O que eu tenho a dizer, Luiz, é que a existência desse fake aí não exclui a existência dos dele.

        Abs.

    2. Luiz Fabriciano

      Duvido que essa mensagem tenha sido digitada pelo Luiz Fernando, velho conhecido genuíno torcedor de Rafael Nadal.

  40. Daniel C

    Que confusão! É claro que, como fã do Federer, espero que isso afete os rendimentos de Djokovic e Nadal. Não custa nada secar rs.

    Sobre a saída de um determinado Nolista, eu comemoro. O blog só tem a melhorar. É um dos internautas que mais tumultuava e provocava gratuitamente, dizendo coisas sem noção. Mas o meu palpite é que tudo aquilo não passou de um teatro para ouvir pedidos de “fique aqui” e bancar a vítima (que não é). Se não voltar daqui alguns dias, certamente voltará se o Djokovic vencer um título grande.

    1. Sandro

      Essa situação na Austrália supera qualquer tipo de torcida por Federer, Nadal ou Djokovic… Você torcer para que o desempenho de Nadal e Djokovic seja prejudicado é uma coisa totalmente sem noção, quando o que se está em questão são abusos cometidos pelas autoridades australianas humilhando os tenistas.
      Inclusive eu aplaudo de pé a atitude do Federer de não querer participar desse TEATRO DE HORRORES que está acontecendo na Austrália e também não submeter sua família a essa situação vexatória!
      O mais correto seria os tenistas boicotarem esse torneio e que esse Grand Slam fosse transferido para outro país!

    2. Rodrigo S. Cruz

      Quanto ao Djokovic, essa baderna que virou o Australian Open pode favorecê-lo ainda mais.

      Pois pode ocasionar desistências importantes daí para frente, com o esvaziamento qualitativo da chave.

      Restam nomes fortes como o Thiem e o Medvedev que constituem ameaça, mas acho que o sérvio ainda é favorito e com folga.

      Também o pentacampeão do torneio que poderia ser um perigo escolheu ficar com a família.

      E pelo visto fez uma escolha sábia…

      1. Rodrigo S. Cruz

        Sim, sim, claro.

        Contribuição lendária a dele.

        Não é a toa que ainda chamam o Bolsonaro de “mito”, né…

  41. Rubens Leme

    MARCO ANTÔNIO ARAÚJO – LUCAS (1985)

    Sempre que alguém se diz fã de Led Zeppelin o Jimmy Page, pensa-se em uma banda de heavy metal ou um guitarrista de rock. Bom, Dalcim, acho que este mineiro você não conhece. Marco Antônio Araújo morreu há 35 anos, em 6 de janeiro de 1986, vítima de uma hemorragia cerebral, aos 36 anos.

    Mineiro de Belo Horizonte, Marco sempre sonhou em ser músico e após viver alguns anos em Londres (entre 1970 e 1972), onde desenvolveu uma paixão por Led Zeppelin, Pink Floyd, Genesis e Deep Purple, voltou para Belo Horizonte e depois seguiu para o Rio de Janeiro, onde estudou teoria musical, contraponto e composição, na Escola Nacional de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde aprendeu a tocar violoncelo, dividindo seu amor pelo rock com Beethoven e Brahms.

    Volta à Belo Horizonte, em 1977, após passar em um concurso para tocar violoncelo na Orquestra Sinfônica da Fundação Clóvis Salgado, onde ficaria por oito anos. Ainda assim, começa uma carreira paralela de “músico popular”, onde fundiria seu amor pelo rock e a música barroca mineira. Lança o primeiro disco em 1981, Influências, de uma beleza incrível, onde divide a guitarra com o violão ovation.

    Após mais dois belos LPs – Quando a Sorte Te Solta um Cisne na Noite (1982) e Entre um Silêncio e Outro (1983) -, edita aquele que seria seu adeus, Lucas, em 1985. O disco homenageia o filho de três anos no título e Jimmy Page (especialmente na faixa “Para Jimmy Page”, onde copia o estilo acústico do disco III). O disco é carregado de um lirismo e uma beleza que só é possivel de entender ao ouvi-lo.

    O lado A do disco é todo dedicado à longa “Lembranças”, de quase 17 minutos, deixando o lado B para “Lucas”, “Caipira” e “Para Jimmy Page”. A edição em CD ainda traria três faixas extras – “Brincadeira”, “Cavaleiro” e uma releitura de uma composição do francês Erik Satie, “3rd Gymnopédie”.

    Tragicamente, Marco morreu na véspera de uma viagem à Nova York, que seria um pontapé inicial em sua carreira internacional, deixando um buraco jamais preenchido.

    https://www.youtube.com/watch?v=9aKEiO0Uvkc

    1. Marcilio Aguiar

      Prezado Rubens, voce me fez recordar de um irmão querido, que também se foi jovem aos 31 anos. Ele me apresentou a obra de Marco Antonio Araujo. Agora mesmo fui pesquisar nos discos de vinil que tínhamos em conjunto e encontrei “Lucas” e “Anima Racional”. Não encontrei o “Influências”, mas sei que tínhamos porque me recordo ter ouvido a ” Floydiana II”, que cita O Pink Fkloyd. Obrigado pela lembrança. Uma oportunidade para ouvir novamente esse grande musico e recordar de meu querido irmão, que era um apaixonado pela musica e pelas montanhas das Minas Gerais. Abç.

      1. Rubens Leme

        Todos os LPs dele você encontra para vender no Mercado Livre. Infelizmente, o cd de Influências hoje é raro e bem caro, mas os demais, inclusive Lucas, você acha por menos de 20 reais. Tenho tudo dele em CD e LP, mas confesso que este mês comprei tudo novamente em CD, para repôr os meus originais, bem como outra cópia do LP Animal Racional (que nunca saiu em CD).

    2. periferia

      Olá Leme.

      Nunca tinha ouvido falar….aproveitei e também vi um vídeo da Orquestra Mineira de Rock….que toca Floydiana (será que tem a ver com o Pink Floyd?).
      Gostei muito…todas as músicas tem algo regional (ao mesmo tempo com aquela pitada do “para todos”)…daria ótimas trilhas para cinema e teatro.
      Bom ve-lo por aqui.

      Abs

      1. Rubens Leme

        Toda vez que ouço o Marco tenho sentimentos conflitantes. Enquanto aprecio seu talento e sensibilidade extraordinários, me entristeço ao perceber que fez parte da última grande geração que tivemos e quase choro ao comparar com a cultura brasileira do Século XXI.

        Minha tese é simples: Marco nasceu em 1949, portanto já era um adolescente quando o famigerado golpe militar aconteceu e já tinha formado boa parte de sua personalidade. Uma das grandes bandeiras do golpe era acabar – como um certo presidente copia atualmente – com a cultura, especialmente a cultura “esquerdista e subversiva”. Isso fez com que muitos intelectuais fossem censurados, em detrimento algo mais pobre, alienante e “patriótico”, exatamente como Hitler na Alemanha.

        Assim, eu que nasci em 1969, fui ensinado que cultura é coisa de desocupado que o bom mesmo é “ser alguém na vida, um doutor e ter um diploma e ser respeitável”. Isso acabou se refletindo na minha geração inteira, tanto que são poucos os grandes nomes nas áreas culturais com pessoas da minha idade.

        Toda essa situação, acabou determinando um imenso materialismo e vazio emocional – como aquele preconizado por Ray Bradbury, em Fahrenheit 451 – e formamos adultos agressivos, violentos e que perderam a capacidade de dialogar. Esse próprio fórum acabou sendo um exemplo disso. O que se menos fala aqui é de tênis, e temos basicamente agressões vazias defendendo seus ídolos, que não são tão formidáveis assim, ao percebermos o egoísmo de Nadal e Djokovic agora, no Australia Open. Mas as pessoas os colocam em pedestais e os tratam como intocáveis.

        E por que? Porque precisamos de algum modelo atual, não importam o quão imperfeitos sejam, para dizer que gostamos e nos identificamos. Talvez seja por isso que ainda continuo a reverenciar os artistas e esportistas da geração dos meus pais – Caetano, Chico, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti – pessoas acima dos 70 anos, imperfeitas como todos nós, mas dotadas de uma alma humana imensa, sem falar no corpo de suas obras.

        Claro que entrei nesta ciranda tola de agressões vazias e por issso sumi por uns meses pois aflorou um lado em mim que detestei e que não acabei não me reconhecendo. Desta forma, passei estes meses tentando me reconectar. Se vou ficar por aqui mais tempo ou não só o tempo dirá.

        Vida que segue.

    3. Marcão

      Que disco, caríssimo Rubens, que disco! Ai de mim que desconhecia. Emendei os 46:35 de Lucas com os 53:51 de Quando a Sorte te Solta um Cisne na Noite. Ainda tocava a última música quando fechei a triste epopeia dos cartões-postais de Otto Quangel (se não leu Morrer Sozinho em Berlim, não deixe de ler), comi a derradeira paçoquinha Amor e vi de relance o slogan do plano funerário furando o sinal: não tenha pressa, mas quando for vá de primeira. Isso tudo aleatoriamente combinado me confirmou a certeza de que a vida é mesmo pouca para tanta arte. Abraço!

      1. Rubens Leme

        Conheço o livro de nome, mas ainda não o li, mas vou anotar aqui. Os quatro discos deles são sensacionais, ouça também o primero, Influências. O que mais me entristece é que gente como ele passa e passou completamente batido por nós.

        Semana passada tava ouvindo o disco Hermeto Pascoa e Grupo Vice Versa, Viajando com o Som, que ele fez em 1976, com o pessoal que depois formaria o Grupo Um e que só foi lançado em 2017, por um selo inglês e você percebe o tamanho do talento dos nossos músicos, totalmente desprezados pela grande mídia.

        Vou deixar aqui o link para esta obra-prima perdida.

        https://www.youtube.com/watch?v=d24Qq0wpBIY&list=RDd24Qq0wpBIY&start_radio=1&t=0

  42. Maurício Luís *

    Também não entendi por que a Serena está privilegiada, sendo que ela não está entre as 3 primeiras do ranking. Será porque ela é + “braba” do que as outras?
    E que confusão. Uma perfeita Casa da Irene. “Tá de cair todos os fios de cabelo…” como diria o Nadal. O qual, por sinal, tá muy triste. Não pelo isolamento, mas porque a sogra não pode vir junto. Ô dó…

    1. Thiago Silva

      Todo mundo sabe porque a Serena e também a Venus que nem sei se tá no top 100 tão recebendo privilégios, tem um milhão de blogueiras acima do peso e fora do padrão estético com texto pronto de racismo, machismo e gordofobia pra publicar caso elas ficassem de fora da bolha.

      1. Maurício Luís *

        Thiago, não vejo como alguém possa alegar racismo. Se a regra diz os 3 primeiros do ranking… é só contar até 3. Acho mais provável que ela tenha dito que se não tivesse privilégios, não iria. Não sei, é um suposição.

        1. Sérgio Ribeiro

          Não foi isso não. Inventaram um tal Torneio exibição cuja à presença de Serena ( que luta pra se igualar a Court ) se fazia imperativo. Daí ela levou Vênus pra treinar com ela , assim como Nadal levou SINNER , Novak aquele outro Sérvio e por aí vai … Abs!

  43. Fabio Hegg

    Dalcim, não entendi pq os tenistas que estavam nos voos contaminados não podem simplesmente fazer o teste de PCR para ver se estão com o vírus ao invés de fazer quarentena no quarto de hotel por duas semanas?

    1. José Nilton Dalcim

      Porque existe um ciclo para a Covid se manifestar, Fabio, e ele não é imediato. Pode ir de 1 a 14 dias, embora em média seja de 5 a 7.

  44. Fernando Ferreira

    TRAGÉDIA ANUNCIADA.

    Esse trecho explica o motivo de toda essa balbúrdia: ”Em sua defesa, Andrews afirma que a Austrália perderia o Grand Slam para outro país, caso Melbourne não conseguisse realizar o torneio. E ele recebeu forte apoio da Câmara do Comércio de Victoria, que aponta os benefícios econômicos da realização do Australian Open para a região.”

    Claro, sempre tem polêmica com testes positivos, e talz, mas o ÓBVIO ULULANTE seria fazer em um local com menos restrições. Por ser o ”Grand Slam da Ásia e do Pacífico”, poderia ser nos Emirados Árabes, sede do qualificatório, por exemplo.

    Mas insistiram em fazer na Austrália.

    DE CARA já tem a reação negativa (justificada, diga-se de passagem) da população, que tem dezenas de milhares ”ilhados” fora do país sem poder voltar, e outros tantos ”ilhados” dentro da própria Austrália sem poder ir para casa, e vê o governo fazer alto malabarismo para trazer centenas de pessoas de várias partes do mundo para a Austrália.
    DEPOIS, tem o tratamento diferente dos ”Cachorrões do Circuito” e dos ”batalhadores da ATP/WTA’.
    E, para fechar a CAG… er,… BESTEIRA (mas a palavra certa era outra)… eles JOGAM NA LOTERIA TORCENDO PARA NÃO TER NENHUM INFECTADO NOS VOOS FRETAOOS! ERA ÓBVIO QUE EM ALGUM VÔO ALGUÉM IA TESTAR POSITIVO!

    Explico: Se você escolher 100-200 pessoas aleatórias, mesmo sendo todas cuidadosas, tomando precaução… é quase zero a chance de não ter nenhum positivo. Isso porque nenhum método é 100% eficaz para evitar contágio (mas, que fique claro: tem que tomar cuidado, melhor algo que evite uma porcentagem do que não fazer nada), e 80% dos que pegam não sentem nada. E são esses que saem disseminando, porque muitas vezes nem desconfiam que estão infectados e aí não fazem quarentena (ainda que tomem medidas restritivas).
    Por esse motivo, é difícil você testar centenas de pessoas (que era o número total somando todos os voos fretados) e achar que ninguém ia dar positivo. No mínimo um voo ia ter problema, se não fossem vários (o mais provável, que foi o que ocorreu).

    E tudo isso porque ”Em sua defesa, Andrews afirma que a Austrália perderia o Grand Slam para outro país, caso Melbourne não conseguisse realizar o torneio. E ele recebeu forte apoio da Câmara do Comércio de Victoria, que aponta os benefícios econômicos da realização do Australian Open para a região.”. Daria polêmica em outro lugar? Sim, sempre tem treta de tenista que reclama de ter sido expulso injustamente por falso positivo enquanto os da casa ou queridinhos da organização tiveram mais chances de provar que não estavam infectados e jogaram.
    Mas teriam MUITO MENOS problemas.

    PS: Uma observação que seria desnecessária se não estivéssemos em tempos de rede social e brigas sem motivo: Quando digo que 80% não sentem nada, NÃO ESTOU NEGANDO A GRAVIDADE do COVID-19 certo? Sei que é complicado, já tive pessoas próximas que ficaram mal, internadas em UTI (acho que quase todo mundo teve). Só estou citando um fato. A maioria tem quadros leves.

    1. Barocos

      Fernando,

      Embora concorde com grande parte do que você disse, me permita questionar um ponto: segundo as últimas análises científicas que li, 17% são assintomáticos e, aproximadamente, 60% desenvolvem quadros leves, e estas não consideram as novas variantes mais virulentas detectadas recentemente.

      Saúde e paz.

  45. Rodrigo S. Cruz

    [Luiz Fernando]

    “Pensei q vc tivesse a capacidade de entender ironias…”

    kkkkk

    Que mancada essa minha!

    Foi mal, Luiz.

    Achei que você tivesse falado sério, apenas porque o comentário originou de alguém que treinara o suíço.

  46. Luiz Fernando

    Acho possível q não ocorra o AO, algo q era impensável ha alguns dias tornou-se uma possibilidade real, situação agravada pelos claros privilégios oferecidos aos principais jogadores. Como o Dalcim mencionou no texto, não houve tratamento igualitário p todos, o q compromete ainda mais a situação caótica gerada pela pandemia…

    1. Sandro

      A situação caótica não foi gerada pela pandemia, mas sim por abusos das autoridades australianas que submeteram tenistas a situações humilhantes, vexatórias com desrespeito aos direitos humanos ao mantê-los presos em solitárias como se fossem criminosos de alta periculosidade, inclusive com direito a companhia de ratos ? no confinamento!
      Outros países têm conseguido organizar torneios com aumento nos cuidados com a HIGIENE COLETIVA e LIMPEZA, para previnir contaminações.

  47. Evaldo Medeiros

    Boa tarde, Dalcim.
    O que você acha desse tratamento estrelar dado ao Top 3 e por outro lado um tratamento precário ao restante, levando-se inclusive em consideração que os três primeiros poderão treinar normalmente e o resto não (por isso mesmo os 3 primeiros jogarão com clara vantagem física)??? Isso é justo? Onde está o tal de “fair play”????

    1. José Nilton Dalcim

      Os tenistas de Melbourne que não estiveram a bordo dos aviões mencionados podem treinar as cinco horas diárias, Evaldo. Mas foi péssima a atitude de privilegiar as estrelas. Até acreditei que eles recusariam, mas todos aceitaram.

  48. periferia

    Ola Dalcim

    Estão dividindo o tênis por castas. Não adianta argumentar que os “protegidos” fizeram por merecer…não é algo justo. Com isso…a maioria dos jogadores se transformam em meros figurantes (eram coadjuvantes…agora caíram mais). Como alguém pode ficar trancado em um quarto sem janelas e tendo um rato como companheiro???
    Os jogadores não tem representação…quando tem é para discutir sobre premios (dinheiro).
    Djokovic…Nadal…Federer…não podem representantar os jogadores.
    Hoje fazem apontamentos…fazem a distância…em um bom local (para liderar é necessário comer o mesmo sal)
    Por que não existe uma mobilização para não jogarem???
    Cadê as lideranças dos atletas???
    Glória sem justiça não é glória.

    1. Barocos

      Periferia,

      “Glória sem justiça não é glória.”, deveriam publicar esta frase na primeira linha das convocações militares. Me lembro de ter lido em uma entrevista de um general americano que ele não queria uma luta justa, queria superioridade de condições (i.e., melhores armas, treinamento, informações estratégicas, etc.).

      Saúde e paz.

  49. PIETER

    Compreendo e apoio perfeitamente a insatisfação, até mesmo a revolta, dos residentes da província de Victoria que estão impedidos de voltar para suas casas, enquanto tenistas e suas equipes, do mundo inteiro, inclusive de regiões com alto índices de infecção, como os EUA, podem entrar despreocupadamente no país.
    É muito injusto, ainda mais em um país tão rico e com tantos meios à disposição do governo para isolar as viajantes.
    Considero o AusOpen um dos melhores GS mas, se fosse um nativo de Melbourne, seria totalmente contra a realização do torneio neste momento pelo qual passamos.

  50. Gildokson

    A organização do AO deveria se envergonhar de proteger e privilegiar dessa maneira as principais estrelas e largar o resto nessa confusão.
    Quando se fala de competência o mínimo que se espera é que todos comecem em pé de igualdade. No caso os tops mesmo sem precisar ja estão com 2 sets a 0 nessa palhaçada de bolha privilegiada. Tentando proteger os principais rostos eles podem prejudicar a credibilidade do torneio.

    1. Sérgio Ribeiro

      Exato , caro Gildokson. E a maluca organização dando praticamente 2 Sets até pra quem não está no momento no Top 10 , no caso as irmãs Willians , não apenas Serena que no momento e’ Top 11. Até nisso o Craque Suíço da’ sorte . Se mandou rapidinho desta balbúrdia que como bem disse o Dalcim , inacreditável alguns “ aceitarem” as mordomias . Embora tenhamos Pato mane’ aqui no Blog , que chama essa loucura de meritocracia. ABS!

    2. Barocos

      Gildokson,

      O que você disse é bem verdade, o mínimo que se exige em competições é isonomia, ainda que esta não esteja presente no restante do tempo. Para mim, um dos exemplos mais vergonhosos veio da natação, quando alguns atletas puderam utilizar trajes especiais (a dita “pele de tubarão”) nas disputas.

      Saúde e paz.

      1. Gildokson

        Verdade Barocos, e coincidentemente se não me engano o que mais se privilegiou desse roupa foi o australiano Ian Thorpe.
        Os tenistas mais famosos não podem continuar participando disso.

  51. Rubens Leme

    Dalcim, há muito tempo que não entro aqui, mas precisei te parabenizar por esta coluna, com um enredo digna de realismo fantástico ou uma comédia pastelão dos primeiros anos de Woody Allen.

    Parece que lá, como aqui, tem sua cota de Pazuelos e Bozos. Nem me interessa mais saber quem vai ganhar o torneio, tenho apenas uma dúvida: terão peito de barrar um Djokovic ou um Nadal de uma semi ou de uma final caso o teste de covid dê positivo?

    O mundo está completamente enlouquecido. Talvez seja o caso de acrescentar prozac e lítio na fórmula da suposta vacina que um dia, talvez, quem sabe, receberemos, porque os problemas psicológicos causados pela pandemia me parecem igualmente sérios ou até piores.

    Que Abel Ferreira nos proteja. Com taças.

    1. Sandro

      Rubens Leme, vc tocou num ponto interessante, esse torneio já perdeu totalmente o clima. Todos estão desconfortáveis, melhor que nem seja realizado na Austrália.

Comentários fechados.