Um ano sem Federer
Por José Nilton Dalcim
28 de dezembro de 2020 às 20:19

Roger Federer nem esperou as duas semanas prometidas e, após somente cinco dias de treinamento em Dubai, já anunciou que não irá competir no Australian Open, adiando seu retorno para o final de fevereiro. Ainda que não seja inesperado, é doloroso ver o suíço pular seu terceiro Grand Slam seguido, interromper uma sequência de 21 viagens a Melbourne, iniciadas em 1999, um torneio que lhe deu 15 semifinais, seis troféus e seu mais recente Slam, em 2018.

Pior ainda, Federer completará pelo menos 13 meses sem competir, já que seu último torneio oficial foi justamente o único de 2020, a semifinal do Australian Open. Não fosse o congelamento do ranking determinado pela ATP diante da pandemia, ele desapareceria da lista ao final de janeiro de 2021.

A última vez que Federer se submeteu a uma cirurgia foi para o joelho esquerdo. Ele então perdeu metade da temporada 2016, deixou o top 10 pela primeira vez em 17 anos,  o que sugeria um final de carreira. Que nada. Então com 35 anos, surpreendeu pelo nível físico e incrementos técnicos, faturando o Australian Open e Wimbledon em outro momento mágico de sua incomparável carreira.

A situação em 2020 no entanto é bem diferente. Durante a campanha de Melbourne, já dava clara mostras de limitação atlética, e fez um esforço para realizar a exibição-recorde contra Rafa Nadal na África do Sul. Logo em seguida se submeteu a artroscopia no joelho direito e marcou a volta para a fase de grama, em julho, que acabaria cancelada pelo coronavírus. Nesse período, chegou a se mostrar treinando na neve.

Antes mesmo do prazo, Federer veio a público em junho para informar que teria de realizar uma pequena cirurgia corretiva no mesmo joelho e que então seu retorno ficaria para 2021. Em outubro, mostrou otimismo com a recuperação, mas avisou que a volta só aconteceria quando estivesse 100%. Marcou o Australian Open como meta, divulgou fotos de treino de quadra na Basileia e depois voou para Dubai, onde habitualmente passa o Natal, com a ideia de fazer um teste mais rígido em condições semelhantes às de Melbourne. Avisou que daria uma resposta após ‘duas semanas decisivas’, mas apenas cinco dias depois veio a notícia da desistência e do adiamento.

A pergunta que fica é se o retorno ainda lhe dará chance de novos títulos e de grandes façanhas ou se marcará uma despedida. Aquele retorno espetacular de 2017 parece muito improvável. O suíço está agora quatro anos mais velho e sem competir por um período muito longo. Hoje o top 10 comporta não apenas espetaculares Djokovic e Nadal, mas jovens bem mais experientes como Dominic Thiem, Daniil Medvedev e Alexander Zverev assim como talentosos de grande vigor físico do porte de Stefanos Tsitsipas e Andrey Rublev. Chegar nas rodadas finais dos torneios parece um desafio maior do que nunca.

Para amenizar o quadro, há quem aposte que o recuo de Federer em atrasar seu retorno não tenha nada a ver com sua capacidade física ou técnica de momento, mas sim a Covid-19 e as duras medidas impostas pelos organizadores do Australian Open. Sem poder levar a família e forçado a longa estada em Melbourne – há exigência de 14 dias de quarentena antes de qualquer competição ou sequer um passeio pela cidade -, faltou motivação e sobrou receio com o vírus. Sequer poderia escolher a acomodação desejada. Uma indicação disso seria a própria entrevista de Tony Godsick, em que o empresário e amigo enfatiza que a decisão foi tomada em conjunto.

Ainda assim, o retorno no final de fevereiro está carregado de dúvidas, já que sequer existe um calendário da ATP para depois do Australian Open. Seria bem lógico que Federer permanecesse em Dubai para o tradicional torneio da cidade ou que retornasse à Europa para os eventos de quadra coberta e rápida. Não se sabe ainda o que acontecerá com os Masters de Indian Wells e Miami, muito ameaçados de novo cancelamento, e eu particularmente duvido muito que Roger se arrisque no saibro europeu, um piso que evitou por três anos por recomendação do fisio Pierre Pagnani, já que o deslizamento obrigatório gera risco à estabilidade de seus joelhos.

Então Federer poderia jogar dois ou três torneios antes de nova longa parada em abril e mirar a curta fase de grama. É evidente que Wimbledon sempre será sua meta maior. Também parece certa sua presença nas Olimpíadas de Tóquio, ainda mais diante do enorme contrato com a Uniqlo, assim como na Laver Cup, que deverá acontecer em setembro em Boston, e no seu ATP caseiro da Basileia.

A contagem regressiva pode ter começado definitivamente para o melhor de todos. Tomara que ainda tenhamos tempo para apreciar mais um pouco de sua genialidade.


Comentários
  1. periferia

    1966….Belo Horizonte….Estadio do Mineirão…público 80 mil pessoas.
    Primeiro jogo da decisão da Taça Brasil.
    A equipe do Cruzeiro…naquela noite enfrentaria o melhor time do mundo…jogaria contra o Santos de Pelé.
    O Cruzeiro era formado por uma garotada…o camisa 10 era um jovem tímido de 20 anos…Dirceu Lopes.
    O companheiro de meio campo…o camisa 8 era ainda mais jovem…Tostão (19 anos)…igualmente calado.
    Os dois jovens estavam apreensivos…o Santos não era apenas Pelé…o time paulista tinha: Pepe…Durval…Toninho Guerreiro…os capitães Mauro Ramos e Carlos Alberto Torres…o goleiro Gilmar…mestre Zito…
    O melhor time do mundo.
    O primeiro tempo terminou 5 x 0 para o Cruzeiro (com 2 gols de Dirceu e 1 de Tostão)….um massacre.
    No intervalo…provocado…Pelé mostrava com a mão espalmada os cinco dedos (alusão aos 5 títulos do Santos na Taça Brasil ).
    O resultado final foi 6×2 …Pelé ainda acabou expulso…entrou violentamente em Piazza (perdeu a linha).
    Antes do final do jogo a torcida gritou “olé…olé “.
    A equipe mineira fez o melhor jogo de sua história…chocando o eixo Rio-São Paulo.

    (O Cruzeiro venceu o segundo jogo no Pacaembu…)

    Hoje o Cruzeiro faz 100 anos.

    1. Filipe Fernandes

      Caro Periferia,

      Puxa, eu, como torcedor do time estrelado, fico muito feliz por ler a sua singela homenagem, feita, como de costume, a partir da sua imensa e admirável memória (e cultura) esportiva.

      Cem anos é uma data especial para todo clube de futebol. Que muitos ainda possam completá-la.

      Um grande abraço, meu caro Peri, e muito obrigado pelas palavras ao meu time.

  2. Leomar

    Boa tarde!!

    A realidade, na minha opinião o Nadal pegou o melhor e mais dominante Federer, período de 2004-2009, com vitória gigantesca em 2008 na minha opinião o melhor jogo que já vi, e final de 2007 salvo engana, lógico não podemos esquecer a final de 2019 entre Djoko e Federer, um jogão, mas a impressão que tive, que o melhor tenista naquela final não levou a taça e um outro que estava obstinado a ganha e o fez, faz parte do esporte.
    Enfim, na minha opinião hoje o Federer em primeiro, pelo que faz dentro e fora de quadra, seguidamente Nadal excelente dentro e fora, e Djoko um pouco distante, essa distância um pouco maior, em virtude de suas atitudes dentro e fora.

  3. Filipe Fernandes

    Caros Dalcim e pessoal do Blog, bom dia!

    Ficar um ano ou mais sem presenciar os sublimes “Momentos Federer” (https://www.nytimes.com/2006/08/20/sports/playmagazine/20federer.html) é uma tristeza para quem ama tênis ou mesmo quem aprecia outros esportes mas reconhece a grandeza de um atleta. Logo, esperemos — e torçamos para — que ele possa voltar em breve, seja em Londres, em Tóquio ou onde for, para promover a sua inefável e imprevisível magia em quadra mais uma (ou pela última) vez.

    Mestre Dalcim, queria agradecer a você por me permitir ler seus preciosos artigos e — não menos importante — pela oportunidade a mim concedida de dialogar com muitos dos nobres partícipes deste inestimável espaço.

    Foi obra do acaso ter conhecido o Blog em fevereiro do último e aflitivo ano e, a partir de então, ter lido belos textos e trocado bem-vindas palavras sobre vários assuntos além do tênis com pessoas tão bacanas e diversas que também o prestigiam.

    Além disso, a minha percepção acerca do tênis, para a minha alegria, se ampliou bastante, tanto pela maior acuidade sobre os detalhes do jogo como pelo conhecimento mais específico das singularidades dos personagens deste magnífico esporte. Vida longa ao Big 3, vida longa ao tênis.

    Vida longa ao Blog, mestre.

    Por fim, deixo umas poucas palavras que o grande escritor Philip Roth proferiu em sua última entrevista (NYT, 16 jan 2018) em vida, poucos meses antes de completar 85 anos e vir a falecer. Ainda que “simples”, eu as considero muito significativas. Desejo a todos um novo ano excelente, com saúde plena, esperança de dias melhores e a possibilidade de uma convivência mais contígua e franca com as pessoas amadas e queridas.

    “Agora mesmo, é espantoso encontrar-me aqui no fim de cada dia. Indo para a cama à noite, sorrio e penso: “vivi mais um dia”. E então novamente me espanto ao acordar oito horas depois, perceber que é a manhã do novo dia e ainda continuar aqui. “Vivi outra noite”, um pensamento que me faz sorrir outra vez. Eu vou para a cama sorrindo e acordo sorrindo. Sou muito grato por ainda estar vivo.”

    1. Barocos

      Filipe,

      Como você, também aprendi a melhor apreciar o mundo do tênis graças às muitas informações apresentadas pelos participantes do blog e pelo mestre Dalcim.

      Ainda, também compartilho antecipado pesar pelo que parece ser a derradeira temporada deste magnífico atleta, Roger Federer. Como torcedor do Djokovic, mas principalmente, como admirador do tênis, parabenizo o suiço pelas grandes conquistas e magnífico estilo, fatos que contribuíram em muito para tornar este esporte ainda mais grandioso e, de quebra, impulsionar os feitos tanto do sérvio quanto do Rafael Nadal para patamares ainda mais extraordinários.

      Bem mais importante que isto, foi ter o prazer de confabular com pessoas inteligentes como você, Marcílio, Periferia, Rafael, Marcão, Gabi (que está sumida), Danilo, Sérgio, Dalcim, Miguel, Luiz e tantos outros frequentadores deste democrático espaço.

      Que este ano seja bem melhor para todos nós.

      Saúde e paz.

      1. Filipe Fernandes

        Caro Barocos,

        Fico lisonjeado pela menção a mim em conjunto com outras pessoas tão estimadas aqui do Blog. Trocar palavras com você neste verdadeiro relicário do tênis é sempre uma alegria, sempre uma grande oportunidade para bons pensamentos e boas reflexões. E admiro muito a sua forma de ver o tênis, o esporte em si (como demonstra neste belo comentário).

        Meu caro, desejo igualmente um ótimo ano a você e seus queridos próximos. Espero que tudo esteja bem. Um grande abraço.

  4. Márcia Ferrari

    Só uma pequena errata ao texto inicial: o grande jogo entre Federer e Nadal na África do Sul foi em Cape Town, e não em Joburg. O jogo foi excelente, tive o privilégio de assistir. Sobre Federer ser ou não o melhor de todos, não há dúvidas que é! Não só como atleta, mas como um ser gigante, uma personalidade que inspira.

      1. Vitor Hugo

        Poderá ser superado, mas continuará sendo o melhor, pelo menos na opinião da maioria que entende do esporte.
        Melhor aceitar, fake.

  5. Paulo Almeida

    Fiquei uma semana sem dar as caras por aqui e parece que aqueles de sempre sentiram muito a minha falta, tentando me localizar até onde eu não estava, rs.

    Imaginem só se eu realmente desaparecesse daqui? A síndrome de abstinência seria pesadíssima!

    Perdi uma boa oportunidade de detonar o GUAT nessa publicação, mas de fato não estava muito interessado. Sorte deles.

    Bom, um feliz 2021 para os bons membros do Blog!

    1. Paulo Almeida

      ERRATA: entendam reticências no lugar do ponto de interrogação e naturalmente a próxima oração com o devido espaçamento.

    1. Paulo Almeida

      Estava quieto na minha, freguês, mas você entrou pra turminha que gosta de me caluniar e tive que me pronunciar.

      Já me arrependi de ter baixado a guarda contigo na semana passada…

  6. periferia

    Cidra

    Pode-se fazer a revisão do ano 2020 em três palavras : “Tudo foi péssimo”.
    E a previsão para o novo ano em outras três palavras: “Não esperamos melhoras”.
    Somando tudo…o que podemos dizer é que o ambiente é de insatisfação e resmungos.
    Os de baixo gritam porque são pisados…os de cima reclamam que os gritos do pessoal de baixo atrapalham a tranquilidade conquistada.
    Pedem mordaças.
    E no cômputo das perspectivas não podemos esquecer de Jair que…na marcha em que anda…vai minando a auto estima do brasileiro…que sempre acreditou ser o exemplo da raça.
    Cada vez mais descobrimos quem somos.
    Dura realidade.
    Nesse último dia do ano ando pelas ruas de uma famosa península…percebo as pessoas cheias de esperança.
    Para um pessimista é um choque…a capacidade humana de acreditar em dias melhores é algo admirável.
    Disfarçadamente me junto a eles…levo uma Cidra Cereser…ninguém percebe que entre eles está um pessimista.
    Apesar da Cidra.

    Sigamos rumo 2021

    1. Filipe Fernandes

      Caro Periferia,

      Talvez seja um comentário sem muita importância da minha parte, mas fiquei muito feliz pelo reconhecimento que o biólogo Atila Iamarino, seu conterrâneo, recebeu da Câmara dos Vereadores da cidade de São Paulo (https://youtu.be/Jk9x20SwM_g).

      Esse nobre rapaz, com o seu trabalho de divulgação científica e de esclarecimentos sobre a pandemia ao longo de 2020, certamente ajudou a salvar muitas vidas no Brasil, contrapondo-se ao lamentável, vil e criminoso obscurantismo que nos cerca ao apontar medidas de prevenção e cuidados para a população e atualizando os avanços no desenvolvimento de vacinas ao longo dos meses. Penso que muitas pessoas que tiveram acesso ao trabalho dele alertaram, por suas vezes, familiares, amigos e conhecidos próximos sobre os riscos existentes e os cuidados necessários a se tomar, o que livrou muitos de contrair a doença e vir a óbito.

      Eu agradeço profundamente ao Atila por seus esforços em prol da saúde no país.

      Esse exemplo, assim como vários outros — como o das pessoas que trabalha(ra)m na linha de frente nos hospitais, o dos cidadãos que, cotidianamente, exercem(eram) trabalhos essenciais para manter o básico na sociedade –, permite nutrir um certo otimismo (mesmo uma mínima fagulha), ainda que um estado geral de coisas atue fortemente — e na mais manifesta baixeza — pelo contrário.

      Um grande abraço, caro Peri, se cuide onde estiver. Que você e sua família estejam e possam ficar bem.

      1. periferia

        Olá Filipe…

        Seus comentários são sempre importantes…

        Espero que alguém como o Atila não tenha o final daquele personagem de Platão em o Mito da Caverna.
        Como vc citou um dos nossos preferidos (Roth)…o momento pede.
        “Era estranho pensar…ali no meio de todos os colegas de Coleman…que pessoas tão instruídas..tão imbuídas de uma civilidade profissional…houvessem embarcado com tanto entusiasmo no venerável sonho humano de uma situação em que um único homem se torna a própria encarnação do mal. No entanto, essa necessidade existe…é eterna e profunda.“
        (A Marca Humana).

        Desejo o melhor nesse novo ano.
        Fique bem amigo Filipe.

    2. Barocos

      Periferia,

      Devo confessar que sou um pessimista contumaz e espero que você não chegue a tanto. No meu caso, muita da minha desconfiança em relação às sociedades como um todo deriva das muitas lições não aprendidas ao longo da história e suas consequências, dos muitos exemplos de intensos períodos caóticos que se sucedem e se estendem até os dias de hoje: são perseguições, golpes, formas de escravização e expropriação, guerras e todo tipo de sortilégios. Me espanta que mesmo após a disseminação e popularização de materiais impressos, ainda assim personagens nefastos possam ascender nas sociedades. As técnicas que os mesmos utilizam são bem conhecidas: disseminação de mentiras, apelo ao obscurantismo e atribuição dos problemas enfrentados a grupos antagônicos ou exógenos. Em suma, dividir para conquistar.

      Do meu ponto de vista, a utilização de versões amenizadas dos fatos históricos ou mesmo a supressão da divulgação dos mesmos, normalmente justificadas com o argumento de que a realidade é por demais chocante para o cidadão mediano e poderia produzir instabilidade social, é o principal motivo para que ainda hoje, apesar de todo o avanço científico, sejamos obrigados a servir de testemunhas para o festival de bestialidades que assola o planeta. É ainda mais incrível que tais iniciativas possam também ser patrocinadas por grupos bem intencionados. Como exemplo, posso citar os grupos em prol dos direitos humanos que insistem em subdividir os movimentos sociais, os vários casos de revisionismo histórico tentando promover o “sinta-se bem” para as gerações atuais (nem eu e nem você temos culpa dos atos cometidos por nossos avós, ainda que a doutrina cristã insista no tal “pecado original”, temos, entretanto, a obrigação de promover mecanismos que possam diminuir ou mitiguar as desilgualdades e injustiças que se instauraram como consequência) e, ainda, a vã eliminação da uso de determinadas palavras ou termos, como se isto fôsse dar cabo das ideias que elas transmitem. A história é para ser mostrada e a empatia, ensinada.

      Apesar dos pesares, sigo apreciando imensamente a vida, primeiro porquê o simples fato de existir e questionar é já em si algo extraordinário, melhor ainda, existem muitos de nós que produzem grandes e pequenos passos na direção de um mundo melhor.

      Obrigado por publicar suas várias narrativas e ponderações.

      Receba meus votos de um ano repleto de momentos gratificantes para você e para todos os seus entes queridos.

      Saúde e paz.

  7. Paulo Almeida

    De fato, tem que ser muito burro pra continuar vendo fake onde não existe até hoje.

    Jairo, Sandro e DeCoco, sejam bem-vindos para atormentar as pobres federetes, kkkkkkk.

      1. Paulo Almeida

        Não, para bons membros que já chegaram quebrando tudo sem cerimônia, caro “integral tripla de indi”, kkkkkk.

        Claro que não vai entender bulhufas do que eu quis dizer, mas me coloco à disposição para tentar lhe explicar se quiser.

    1. Sandro

      Muito Obrigado 😊 pelas boas vindas Paulo Almeida… Esses fanáticos Federalistas abusam da falta de noção e acaba sendo patético o desespero deles pra quererem tapar o Sol 🌞 com a peneira!!!

      1. Paulo Almeida

        De nada, Sandro.

        A nação nolista anda meio desfalcada com os sumiços de Heitor, João, Jonas e Gávio. Precisamos de reforços.

        Abraços!

  8. Daniel

    O Dalcin abriu uma janela de esperança com a possibilidade dele ter desistido do Australian Open em virtude das restrições.
    Supondo (tomara) que seja essa a razão, o que aconteceria?
    Bom, imagino que ele devesse se inscrever em torneios imediatamente posteriores ao AO e jogar.
    Porém, prestes a comemorar 40 anos, infelizmente, pouco podemos esperar do gênio Roger Federer.
    Acho que em 2017 muita gente escreveu algo parecido a respeito do retorno dele e pagou a língua (no bom sentido).
    Quem sabe? Torço muito, porém acredito pouco.

  9. Rafael

    Nem sei se este comentário vai entrar a tempo, mas gostaria de desejar ao Dalcim e a todos os participantes do blog um 2021 melhor do que foi 2020, principalmente na questão da saúde. Sem saúde a gente não é nada. Porém, como só desejar não adianta, espero que todos se comprometam consigo mesmos a se alimentar melhor, a se mexer um pouco (fisicamente), a tentar lidar melhor com as pressões da vida, a serem mais compreensivos e gratos. Tudo bem que talvez ainda haja metas pessoais a perseguir, mas reconhecer a importância do que já se conquistou até aqui, por menores que pareçam suas vitórias, também é importante.

    Enfim, que todos possam ter paz de espírito. E que a vacina contra o covid seja eficiente.

    2021 ainda será um ano difícil, mas que possa ser mais leve do que 2020.

    1. Rafael Azevedo

      Sempre com ótimos comentários.
      Feliz ano novo pra você também, Rafael, e a todos os participantes do blog.

  10. Jairo Silva

    Se Federer voltar em Wimbledon, será em forma de despedida… é um torneio que ele ama. Mas se pegar o Djokovik vai ser atropelado, eu n arriscaria.

      1. Jairo Silva

        Pra que tanta hostilidade meu caro? Djoko é número 1 do mundo e em condições plenas vence o Federer em Grand Slam sim. No piso que o suíço adora, perdeu as três finais contra o Djokovic. Um abraço.

  11. Jairo Silva

    Ainda que o Federer seja ótimo na grama, ele não consegue vencer Djoko por lá desde 2012… perdeu as três finais! Na final mais recente entre eles o sérvio nem entrou em quadra, mas venceu! Não acho q Federer treme, mas o Djoko é superior.

    1. Jairo Silva

      Eu acho q Federer será superado peloss seus maiores rivais, tendo enfrentado eles diversas vezes, uma pena, mas culpa dele que não venceu

    2. Marcelo Sobrinho

      O último set, que levaria a partida para mais de 5h de jogo, terminou em 12/12 em games. Como assim o Djoko nem entrou em quadra? Agora vocês, com claro viés, consideram apenas números de winners de uma partida? Aquela partida foi disputadíssima! Quem viu de forma isenta sabe disso. O único set que o Djoko realmente não entrou em quadra foi aquele que perdeu por 6/1. No restante, uma jornada equilibrada e recheada de reviravoltas.

      1. Jairo Silva

        Marcelo, o Djokovic fez um jogo abaixo e venceu, acontece! Ele é um tenista tão superior que venceu na casa do Federer.

    3. Vitor Hugo

      Vc deve ter começado a acompanhar ontem o esporte. Querer comparar Federer com Novak na grama???
      Sabe quantos títulos um e outro tem no piso? Um tem 20, o outro tem 6… kkkkkk Que palhaçada!

      E depois de Federer, tem Sampras, Borg, Laver, e alguns outros à frente do sérvio no piso verde.

      Não compare uma pulga(Novak) com um Leão(Federer) pelo memos no piso mais tradicional do esporte.

      Nas hards, apesar de considerar Federer o top 1, dá jogo, mas considero Sampras acima de Novak, por ter vencido antes da padronização dos pisos.

      1. Jairo Silva

        Vitor Hugo, infelizmente o Federer é um baita freguês do Djokovic na grama…eu admito isso, qual o problema?

        Federer tem muitos títulos sim contra tenistas medianos…e até final pro Nadal ele perdeu. Vai correr o risco de ser atropelado pelo Djoko em 2021?? Não duvido….

        1. Vitor Hugo

          Só venceu Roger com o suíço com mais de 32 anos longe do auge. Mais próximo do final que do começo da carreira. Caso contrário nos sabemos que Federer teria vantagem, pois é muito melhor que o sérvio na grama.
          Pena os dois não terem a mesma idade.

    4. Rodrigo S. Cruz

      “O sérvio nem entrou em quadra”…

      Tá vendo aí, Vitor?

      Eu não te falei que não tem coisa mais simples do que identificar um fake?

      Quando lemos frases desse tipo, pode saber que é farsesco tanto o nick quanto a afirmação…

      E aí entra aquela estória da GULA do elemento, né?

      Traduzida na desinteligência até em tentar enganar…

      Eu acho que é porque o cara fica tão “guloso” para transformar mentira em verdade que esquece de dosar as coisas.

      Se falasse, por exemplo, que o sérvio não entrou em quadra no ATP Finals daquele ano (o que seria mentira também) passaria batido.

      Pois fora atropelado pelo Federer mesmo. E seria até crível a afirmação de que não jogou bem.

      Ou se dissesse que o Djoko não entrou em quadra na final em que foi massacrado pelo Nadal, ou pelo Sonego, e por aí vai…

      Claro que o fake seria contrariado, mas poderia manter o seu disfarce por mais algum tempo rs rs

      Agora, um 13 x 12 no quinto set de um Grand Slam, em jogo de mais de 5 horas, vencido por quem ” não entra em quadra” ??

      É uma coisa assim tão bizarra, tão absurda que escancara tudo…

      Um jogo de rallies super longos e disputa acirrada do primeiro ao último ponto vencido por quem “não entrou em quadra”.

      Então tá bom!

      1. Paulo Almeida

        Putz, esse deve ter sido um dos seus piores comentários por aqui, pelo menos nos últimos tempos.

        Ainda bem que ninguém mais leva a sério.

      2. Jairo Silva

        Caro Rodrigo S. Cruz, precisa se acalmar meu caro. Acho que Djokovic não jogou nada em 2019 e venceu. No final isso que importa. Ficou incomodado com minha opinião? Ótimo, só não precisa ser hostil me xingando, abs.

        1. Rodrigo S. Cruz

          Teve xingamento nenhum aí não, indi.

          Só a constatação de que o teu talento para criar fakes é ordinário pacas… rs

  12. Vitor Hugo

    Acho curioso o anúncio de que a premiação do Austrália Open será reduzida em 33% logo após Federer anunciar que não vai jogar.
    Creio que é o efeito da não presença do Rei da Austrália e maior tenista de todos.
    É bem razoável acreditar em uma falta de interesse dos patrocinadores e medo de queda de audiência sem a presença do GOAT.

  13. Vitor Hugo

    Tinha um rapaz que comentava aqui, e que infelizmente sumiu depois das cacetadas que Novak levou em Paris e Londres, que dizia que o sérvio seria predestinado a ser GOAT, o que convenhamos, é uma comédia, pois não tem qualquer chance.

    Mas uma coisa é certa e creio que o Dalcim concordará comigo: O SANTOS FC É PREDESTINADO A SER TETRA NA LIBERTADORES. PRIMEIRO TIME BRASILEIRO A CONSEGUIR TAL FEITO.
    Concorda, Dacim? 🐳🐳🐳

  14. José

    Acho que este será o último ano que poderemos falar com certeza que Federer é o melhor de todos. Ao longo dos anos, Djokovic e Nadal foram encurtando essa distância. Hoje estão muito próximos de superar o suíço. Para o Nadal, falta apenas confirmar o favoritismo em RG, por exemplo.

    1. Jairo Silva

      Pois é caro colega, o baloeiro ainda ganha uns 2 Roland garros… enquanto o Federer se voltar pra passar vergonha é melhor nem voltar!

  15. Maurício Luís *

    Tem colega internauta aí dizendo que o Federer vai disputar torneios menores pra alcançar o recorde de títulos do Jimmy Connors. Não acredito de modo algum que um jogador do nível dele vá se sujeitar a um rebaixamento desse tipo.
    Pra falar a verdade, pelo andar da carruagem, queiram me desculpar os federistas, mas serei curto e grosso: acredito que o suíço não volta mais a jogar, tão logo perceba que não terá condição de voltar ao mesmo nível de antes. Infelizmente, é provável que a vitoriosa carreira esteja já encerrada.
    Também não estou pondo mais a mão no fogo pelo Djoko. Esse 2020 pra ele foi tipo Sandoval Quaresma, da Escolinha do professor Raimundo. ” Tava indo tããão beem…”
    O Nadal vai continuar a ganhar o seu Roland Garros todo ano até 2050. Já deveriam até mudar o nome do torneio pra Rafa Nadal… ou pelo menos renomear a quadra principal com o nome dele.

    1. Sandro

      Boa Maurício!
      Pelo jeito o Federer vai jogar até os 200 anos aquele torneio de Halle, que sequer é um Master 1000, jogando no capim de Halle pra ver se iguala o recorde de Connors. Só que Federer só ganha esse torneio de capim em Halle porque Nadal e Djokovic kgam pra esse HaLLE, caso contráriio Federer só iriia jogar em Halle.

      1. Sérgio Ribeiro

        Além de desinformado não postas nada que preste , engraçadíssimo Sandro. Se a ATP insiste na pontuação máxima de ATP 500 tanto para Halle quanto pro tradicionalíssimo Queen’s, não é problema de Federer , Sampras e CIA . Novak conseguiu ao contrário do que dizes , chegar a uma FINAL em Halle quando perdeu para o vetereno Tommy Haas , e a duas em Queen’s quando foi derrotado por Nadal e Cilic . Daí desapareceu e permanece com apenas 6 conquistas na Grama( graças ao ATP 250 de Eastbourne 2017 rs ) contra 19 do Suíço e 10 de Sampras . Uma prova clara de quem é o Pato mane’ aqui do Blog … rsrsrs. Abs!

        1. Sérgio Ribeiro

          Ps . Rafa Nadal também foge dos dois mas levou o ATP 250 de Stuttgart 2015 e passou a possuir 4 títulos na superfície rs. Abs!

  16. Vitor Hugo

    Não sei se vcs repararam, caros colegas, mas algumas ‘caras novas’ pontaram no blog coincidentemente em um post do Dalcim falando sobre Roger Federer, com o blogueiro apontando o suíço como o melhor da história.
    Mas é curioso que, muitos dos ‘caras novas ‘, alguns com nome de fruta, estão comentando com uma naturalidade como se estivessem aqui escrevendo há anos ou meses….
    Serão caras novas mesmo!? Kkkkkkk Creio que não! Estão apenas substituindo nominalmente os verdadeiros personagens que aqui escrevem? Compreendem!?
    🤣

    1. Rodrigo S. Cruz

      kkkkkkkkk

      Eu nem ia comentar nada, mas eu também reparei, Vitor.

      Quem faz isso é tão burro que pensa que distinguir uma pessoa nova de um Fake seja difícil.

      Quando é a coisa mais simples e automática do mundo!

  17. Vitor Hugo

    Um bom exemplo de que grande parte da pequena(inflada por fakes aumenta) torcida de Novak não é do ramo, modinha e resultadista, é que até 2011 tinha apenas um torcedor de Novak que comentava aqui, Sérgio Luiz..
    E em 2013, mesmo após o ano fantástico que o cotonete teve em 2011, tinham apenas 3 ou 4 torcedores do sérvio comentando no blog.

  18. Jose Luis Franco Bueno

    Dalcim, nao entendi pq o Japao esta inscrito na ATP Cup ao inves da Suica. O Wawrinka melhor rankeado da Suica eh numero 18 e o Nishikori, acho q o melhor do Japao, eh mais de 30 na ATP. Pq? Entendo q a Suica deveria estar no lugar do Japao.

  19. Miguel BsB

    Enquanto o Rio Open foi cancelado sumariamente, a ATP mantêm Buenos Aires no calendário…sabem porque? Por que esse país não é governado por um idiota negacionista e incompetente e já iniciou a vacinação da população, já tinha um plano para quando surgisse uma vacina, ao invés de lutar contra ela…

    1. Rodrigo S. Cruz

      O elemento Jair pratica crime sobre crime contra a vida, e a sociedade civil não se mobiliza e nem age.

      Primeiro atrasou, e agora desestimula a vacinação em todas as lives patéticas que ele faz…

      E hoje fiquei sabendo que não conseguimos adquirir nem 10% das seringas necessárias.

      Mas de 40 países já iniciaram a vacinação, enquanto por aqui não existe programa.

      Perguntado sobre isso, o criminoso só respondeu: “não dou bola”.

      Mas o Pazuello que não sabia nem o que era o SUS, não se dizia o “gênio da raça” em logística?

      Não passa de um incompetente irresponsável, isso sim.

      Aqui é o país da piada pronta…

      Um presidente refém do “centrão” fisiológico, para quem entregou até as cuecas, e que come nas mãos da ala negra do STF.

      Do primeiro, por medo do impechment; do segundo para agradar os ministros que podem livrar o filho encrencado com a justiça.

      E que como ele AMAM o “stablishment”, e encontraram em Bolsonaro o presidente dos seus sonhos!

      A indicação de Cássio Marques, com a benção de Mendes e Toffoli, em convescote regado á vinho e participação de Bolsonaro, é só mais um tapa na cara de todos os brasileiros.

      Veste a toga um medíocre, sem resquício nenhum de saber jurídico (que dirá notório saber) e que ajudará na manutenção da impunidade por mais 27 anos!

      Impunidade que a operação Lava-jato combateu com trabalho hercúleo, mas que agora sofre um total desmonte nesse governo.

      1. Vitor Hugo

        Pois é. E o novo ‘ministro’ do supremo não faz qualquer questão de esconder que atua de acordo com interesses do governo ou políticos corruptos. Fez até questão de ‘afrouxar ‘ a lei da ficha limpa, para DELÍRIO dos corruptos.

        Sobre Bolsonaro, que declarou veementemente várias vezes que combateria a corrupção como nem um outro, vc viu quem ele está apoiando para a presidência da câmara, né? Um dos políticos com maior currículo no crime nos últimos anos. Réu em VÁRIOS processos.
        Artur Lira e o PP, junto com o PT, MBD e etc, foram os maiores responsáveis por saquear a PETROBRÁS.

        1. Rodrigo S. Cruz

          Vitor,

          o Bolsonaro faz de tudo para destruir a Lava-jato!

          Colocou na PGR o Augusto Aras, retirou o COAF do Ministério da Justiça, colocou no STF Cássio Marques, articulou com sua base para barrar a instauração da PCI da Lava-toga no Congresso.

          Fora inúmeras outras medidas que ele sancionou com a intenção CLARA de solapar os mecanismos de combate à corrupção:

          adoção da figura do juiz de garantias, limitações ao instituto da delação premiada e da prisão preventiva, e por aí vai.

          A lista de traições é interminável…

      2. Gildokson

        Na verdade não conseguiram nem 3% das seringas, aqui no Brasil vamos abrir os recipientes e beber a vacina kkkkkk

        Eu to rindo mas é de desespero, e constrangimento.
        Brasil!!!!

    2. Maurício Luís *

      Fracassou a tentativa de compra de seringas pelo Ministério da Saúde. Porque o Pazuello ignorou que quem chega por último paga + caro. Pazuello rima com Barrichello. Menos de 3% foram compradas até agora. Tamos lascaduuuuuss…

  20. Daniel C

    Uma pena. Essa decisão me deixa receoso sobre o progresso da recuperação da lesão. Ou talvez ele não foi por conta das restrições impostas pela organização.

    Bem, o que resta é aguardar. Apesar dele ser um gênio e ter mais tênis do que todos que estão aí, eu estou com a impressão de que a menor intensidade física decorrente da idade mais avançada vai infelizmente afastá-lo dos grandes títulos, assim como a nova geração que já está bem madura (e por isso irá complicar muito a vida de Nadal e Djokovic)

    Que pelo menos ele faça boas campanhas nos grandes torneios e consiga, quem sabe, o recorde do Connors conquistando torneios menores. Os haters vão depreciar, é claro, mesmo que alguns desses ATPs tenham chaves mais fortes do que alguns M1000 que o DjoCovid19 conquistou (ex: Roma 2020)

    Só sei de uma coisa: a maioria do público e os amantes do tênis bem jogado aguardam a volta, mesmo que seja por pouco tempo, do maior gênio que já surgiu no tênis. Quem começou a ver tênis em 2008 ou 2011 nunca irá entender mesmo a dimensão que o Federer atingiu e o quanto ele representa para o esporte. Eu só sinto pena. O Federer não merece essa torcida. Quem merece é aquele outro lá que grita com boleiros, acerta juízes de linha e promove torneios de exibição com aglomeração em plena pandemia.

  21. Arthur

    Assino embaixo, Dalcim.

    Provavelmente será a última temporada “a sério” do suíço. Acho difícil que ele ganhe grandes coisas, ainda mais com toda essa indefinição sobre os joelhos dele.

    Em 2022 ele deve fazer algo estilo Guga, despedindo-se dos principais torneios, mas sem nenhuma pretensão de ganhar grandes títulos.

    Enfim, uma era do tênis vai chegando ao fim e tenho sérias dúvidas de que as novas gerações – e mesmo Nadal e Djokovic – consigam manter o mesmo nível de interesse que o público teve durante essas duas décadas em que Federer desfilou pelas quadras.

    Um abraço e, desde já, desejo um excelente 2021 pra você e pra todos os amigos aqui do Blog (a gente merece depois desse 2020 desgracento, né?).

  22. Vitor Hugo

    Eu entendo a frustração de alguns frustrados. Mesmo tendo vencido Roger em finais em Wimbledon(evidentemente e até meu papagaio sabe, apenas com o suíço longe do auge e com mais de 32 anos) Covidiota continua sendo um ser insignificante perante o suíço, na opinião dos especialistas, ex tenistas e etc.. 99% deles.
    Melhor pararem de chorar, aceitarem ou voltarem para o FRESCOBOL. ROGER É O MAIOR E MELHOR DA HISTÓRIA!

    1. Sandro

      Escrever que Federer é melhor é fácil… Escrever qualquer um escreve, mas difícil mesmo é o Federer conseguir ganhar uma FINAL DE ROLAND GARROS de NADAL e um FINAL DE WIMBLEDON de DJOKOVIC. Então, Federer, o grande PATO 🦆 de Nadal e Djokovic, nunca será o GOAT 🐐…
      Pode se espernear à vontade, que nada melhor que os fatos e a freguesia do Federer para Nadal e Djokovic pra derrubar seus argumentos…

      1. Vitor Hugo

        Eu tenho muitos argumentos que com certeza são muito melhores que os seus, que são vazios e repetitivos. É só procurar nos arquivos, fake. Não vou perder meu tempo escrevendo pela milésima vez.

        Mas independentemente do que eu ou vc pensamos, Laver, Becker, Big Mac, Thiem, WAWRINKA, Nadal, Meligenni, Zverev, Agassi e muitos outros tenistas, além do mestre Dalcim, já declararam que Federer é o melhor de todos, o que torna a minha opinião e principalmente a sua irrelevantes.

        Boas festas!

      2. Rodrigo S. Cruz

        O Nadal também é incapaz de ganhar do Federer na grama e nas hards.

        E o Djokovic precisou de um grande vacilo do suíço para obter vitória pouco convincente em Wimbledon 2019.

        Amargou uma “derrota moral”, por ter tomado com 44 winners a mais, e outras desvantagens estatísticas…

        Acho que ficar gritando palavras de ordem repetidas, em caixa alta, também não mudam esses fatos.

        Abs.

    2. Rodrigo S. Cruz

      Entendo a sua provocação, Vitor.

      Contido, sabemos que o “Covidiota” não é um ser insignificante para 99% dos especialistas, nessa comparação.

      A verdade é que as opiniões estão divididas, e que o Federer talvez ainda tenha vantagem por uma pequena margem.

      Mas pra mim, ele é e sempre será maior e melhor do que o sérvio, independente de números.

      Porque é dono de um tênis inimitável…

      Outros “Djokovic’s” multi-campeões, pode ser que pintem no futuro:

      com o atleticismo animal, a frieza, e o jogo robótico e de poucos buracos a serem explorados pelos rivais.

      Mas um outro Federer, eu acredito que nunca mais haverá.

      A plasticidade dos golpes, os lances de improviso, o tênis adaptável e à prova do tempo, como se provou.

      E que carrega com essa beleza toda, o bônus de ter tido o sucesso que teve.

      Abs.

      1. Vitor Hugo

        Concordo em partes contigo, Rodrigo.
        Realmente igual a Federer dificilmente existirá!
        Mas igual a Novak, vários. Quem sabe até algumas versões um pouco melhores que consigam executar um simples smash, slice e drop com um mimimo de decência.
        Abs!

      2. Daniel C

        Perfeito Rodrigo. Grandes vencedores sempre existirão. Mas alguém que alia tênis arte com grandes resultados, é muito mais improvável. E não podemos esquecer que além disso assim, muitos fatores ajudaram DjoCovid19 e Nadal a se aproximarem dos feitos do suíço: padronização e maior lentidão de todas as quadras, Federer envelhecido, lesões de Murray/Del Potro e ausência de rivais mais jovens.

        Mudando de assunto, ainda não me pronunciou sobre sua perda. Sinto muito, e te desejo forças. E saiba que sua mãe estará lá em cima observando cada passo seu e tomando conta de vc como sempre tomou.

        Abs

        1. Rodrigo S. Cruz

          Obrigado, Daniel.

          Por ironia ou não, o Djokovic é quem merece mais ser acusado de pegar uma ” entressafra”, do que o Federer…

          Abs.

  23. Jairo Silva

    Sou fã do Federer mas admito que o melhor tenista da história é o Djokovic. O Federer e freguês do Djoko em Grand Slam, e nunca conseguiu machucar o Nadal no saibro. Vai acabar menor que os dois.

    1. Rodrigo S. Cruz

      Bom,

      O que eu vejo é um grande equilíbrio entre os três.

      Federer em Nadal tem 20 Grand Slams cada. O Djokovic tem 17 que ainda é uma boa distância…

      O sérvio provou por A=B que não consegue nem ASSOPRAR CANUDINHO contra o Nadal em Roland Garros (rs)

      O Nadal, por sua vez, não consegue machucar o Federer nem na grama e nem nas hards, atualmente.

      Tendo o perdido 7 dos 8 confrontos que teve com o suíço nas hards (incluindo uma exibição)

      E tirando Wimbledon 2008, que foi como um RAIO que nunca mais cairá no mesmo lugar, o Nadal não é rival para o Federer na grama.

      Considerando que o espanhol também é um freguês de caderneta do Djokovic nas hards, eu não sei aonde o Federer seja menor do que eles dois…

      Se o confronto direto for assim tão importante pra você, é preciso lembrar que o sérvio ganha do suíço e do espanhol por pouco.

      E que o espanhol, mesmo tendo uma vantagem boa sobre o Federer, essa vantagem vira PÓ, caso o Nadal cruze mais algumas vezes com o suíço, fora do saibro.

      Se o Wimbledon, por exemplo, tivesse mais uns 5 FEDAL, ficaria 5 x 0 pro suíço.

      O problema é que a “sorte” do Nadal acabou sendo o “azar” do Federer.

      Porque o espanhol raramente enfrentou o suíço em Wimbledon.

      Enquanto o Federer COMETIA SUICÍDIO fazendo várias finais com o Touro, em Roland Garros…

        1. Rodrigo S. Cruz

          O saibro dominado pelo Nadal não foi retirado da equação.

          Só destaquei que nas duas outras superfícies o dominado é o Nadal.

          Volte lá e leia de novo…

      1. Sandro

        Fala sério, Nadal já ganhou FINAL DE WIMBLEDOM do freguesaço Federer e o Federer só foi sparring de Nadal em Roland Garros. No confronto direto H2H Federer passa vergonha contra Nadal.

  24. Renato Toniol

    Li alguns comentários aqui do pessoal dizendo que Roger só teve um grande retorno em 2017 devido a fase ruim de Djokovic.
    Vamos lá…
    Primeiramente, em 2019 o nível do craque suíço esteve bem abaixo de 2017, e ele jogou pau a pau com o sérvio em Wimbledon, perdendo nos minímos detalhes uma final em longos 5 sets, e ainda o venceu no Finals. Portanto, alguém duvida que Federer derrotaria Djokovic caso o enfrentasse em 2017?
    Para mim, caso enfrentasse Djokovic em 2017 (mesmo que o sérvio estivesse no auge) seria jogo duríssimo, com grandes chances de vitória para Roger, vide as quatro entubadas que ele deu no Nadal naquele ano, com o espanhol estando fisicamente perfeito.
    Outra coisa, estão falando que Djokovic irá bater o recorde de Grand Slam. Particularmente, não duvido disso, vejo ele sim com chances, mas não tão disparadas quanto muitos acham, e o final de 2020 nos ilustra isso, pelas derrotas acachapantes para Sonego, Medvedev, Nadal, além da semifinal do Finals diante do Thiem, quando ele mostrou claramente ter perdido aquele poder de fechar a porta na cara do oponente após desperdiçar vantagem de 4×0 no tie break final.
    Mais precisamente diante do Medvedev, o sérvio se mostrou sem estratégia para frear o jogo sólido da base mostrado pelo adversário, algo que também ocorreu na final de Roland Garros, quando ele apoiou seu jogo nos drop shots para tirar Nadal da zona de conforto, mas essa tática deu certo somente com tenistas de menor calibre, mas seria muito pouco para destronar o melhor tenista que já pisou em uma quadra de saibro.
    Quanto a Roger se aposentar, não temos como fugir disso em um curto período de tempo, considerando a idade avançada e os recentes problemas físicos, ficarão portanto as lembranças de tudo o que ele já nos proporcionou, independentemente de derrotas e da amarelada em WB 2019, mas falando por mim, sou fã dele não somente pela plástica de seu jogo e por suas conquistas, mas também pelo exemplo de ser humano que demonstra ser, não à toa, sendo considerado o favorito do público e da imprensa por tantos anos consecutivos.

    1. Sandro

      Muito esforço pra tentar contornar a realidade, mas o fato é que Federer é pato 🦆 de Nadal e Djokovic nos Grand Slams, e um pato 🦆 nunca será o GOAT 🐐 do tênis…

    2. Ronildo

      Parabens Renato Toniol

      Uma coisa é chegar na final com 38 anos e ser dominado por Djokovic durante o jogo. Outra coisa completamente diferente é chegar na final de Wimbledom e aos 38 anos ter jogo suficiente para chegar ao match point, obrigando o adversário a contar com a sorte para ter chances de vencer a partida.

      Duvido que Nadal ou Djokovic um dia terão uma qualidade de tênis neste nível com 38 anos!

  25. Vitor Hugo

    Tem um sujeito que dizia que Roger era aposentado e cansadão…..
    Tomou caju! Roger voltou com tudo e venceu mais três major!
    Jamais duvide!

    1. Luiz Fernando

      Errei e assumi, aqui tem gente q para evitar assumir erros e comentários insanos muda de nick e finge q não é com ele. Lembra do cara q empenhou a palavra q sairia do blog se Nadal vencesse um grande título fora do saibro em 2013? O mesmo q atribuía vitória dos adversários a doping, lembra?

  26. Luiz Fernando

    Dalcim, quando vc julga q seria mais viável o encaixe de uma nova data para I Wells, antes ou após o USO? Creio q seria muito estranho o torneio acontecer após o grande evento.

    1. José Nilton Dalcim

      Antes eu não vejo muita chance, porque existem os Jogos Olímpicos para complicar o calendário. Depois seria mais lógico, mas e os torneios asiáticos? Acredito mais no cancelamento.

  27. Rogério R Silva

    Boa tarde Dalcim.
    Desejo a você e a todos do blog um excepcional 2021.
    Em relação ao post vou ser muito sincero,adoro o tênis do Federer,não tenho dúvidas em dizer que tem o mais vistoso arsenal de golpes e fluidez em quadra,realmente conheço muitas pessoas que passaram a dar atenção ao esporte por vê-lo jogar.
    A situação que se apresenta agora me fez lembrar o Connors em seus últimos atos.
    Um forte abraço.

  28. Dominic DeCoco

    Pra mim hoje Federer nem faz mais muita diferença pra o circuito, perdeu todo o encanto depois daquela amarelada em Wimbledon o que no fim das contas comprovou que ele só ganhou 3 GS entre 2017 e 2018 por que Djokovic tava lesionado.
    Outra coisa que me fez perder a vontade de acompanhar tênis no geral foi o que Wimbledon fez, pensando no dinheiro do seguro em vez de tentar uma alternativa de fazer o torneio acontecer, nem que fosse transferindo pra outro lugar, vacilaram muito.

    1. Ronildo

      Eu ja olho por outro lado. Achei que Federer subiu mais um degrau ao chegar numa final de slam aos 38 anos.

      Se um dia Djokovic ou Nadal fizerem isso, aí vou concordar que Federer não é o maior de todos os tempos.

        1. Ronildo

          Você acredita mesmo que Nadal e Djokovic podem mostrar um tênis competitivo aos 38 anos assim como aconteceu com Federer? Mas competitivo ao ponto de fazer uma final de slam e não ser dominado na partida.

          1. Luiz Henrique

            Vamos ver Ronildo.
            Se vc olhar o histórico do blog, tem um milhão de previsões furadas desse tipo que deram errado.
            Algumas eu estou guardando para mostrar futuramente.
            É uma pena que os arquivos de 2006 a meados de 2012 ou 2013 (esqueci agora) não estejam mais disponíveis. Uma pena.

          2. Luiz Henrique

            Ronildo, da uma olhada nisso aqui:

            Ronildo11 de junho de 2018 às 19:19
            Eu não acredito que Rafael Nadal vai ganhar outro slam. Não é que eu queira ser polêmico! Talvez nem o Federer ganhe mais um, afinal ele possui 37 anos. Essa partida do Federer contre o Zverev mais velho é muita complicada, Micha Zverev jogou bem até no saibro, imagina então na grama!
            Porém, quanto ao Nadal, as coisas mudam muito rapidamente de um ano para outro no tênis e os tenistas mais jovens também evoluem rapidamente. A tendência para RG 2019 é que Thiem esteja mais afiado e Nadal naturalmente mais desgastado, sem falar na evolução de outros tenistas como foi dito antes.
            Para mim Nadal pára definitivamente nos 17 slans.

      1. Sandro

        Se algum dia o Federer conseguir ganhar uma FINAL DE ROLAND GARROS de Nadal e uma FINAL DE WIMBLEDON de Djokovic ele pode até concorrer com os o BIG2, por enquanto Nadal e Djokovic estão acima do Federer.

        1. Marcelinho

          E eu não acho que Nadal e DJoko estão acima de Federer, acho que estão na mesma prateleira, e Sampras tá acima deles.

      2. Marcelinho

        Ai quando Djokovic e Nadal ganharem um GS com 38 anos vão dizer “ahh mas olha os caras que eles tão pegando”

    2. Sandro

      Concordo contigo Dominic! Como pode ser considerado “melhor” se perdeu TODAS as FINAIS DE WIMBLEDON contra Djokovic e TODAS as finais de ROLAND GARROS contra Nadal???
      E Wimbledon vacilou feio em não realizar o torneio em 2020, poderia ter tentado alternativas como dizeram os torneios de ROMA e ROLAND GARROS, por exemplo…

      1. André Barcellos

        E como Djokovid pode ser considerado o maior se perdeu todas as finais de Roland Garros para Nadal e todas as finais de qualquer Slam para Wawrinka?

        1. Marvin Gaye

          Eu particularmente não considero Djokovic o melhor, acho que ele tá ou no mesmo nível de Federer e Nadal ou abaixo.

    3. Vitor Hugo

      Olha, amarelada maior que a dá última final de Roland Garros eu nunca vi…. Se levarmos em consideração que o staff do tenista derrotado veio a público dizer(com certeza com a anuência do tenista) que Nadal não seria páreo pra Djokovic! Kkkkkkkk A derrota mais humilhante em final de slam dos últimos 30 anos deixou o cotonete com a underwear borrada…

      1. Marvin Gaye

        Que amarelada oq, Nadal jogou melhor que Nole e ganhou, lembre-se que um ano antes o sérvio passou o carro no espanhol na final de um GS, já Federer contra Djokovic, me diz a última vez que ganhou dele em um jogo importante???
        Federer vs Djokovic é aquele jogo em que vc tem certeza que na fase de grupos do Finals vai dar Federer atropelando, e na final vai dar Djokovic com Federer dando metade dos pontos ao sérvio com erros não forçados

        1. Rodrigo S. Cruz

          A derrota de 2020 foi muito pior que a de 2008!

          O placar foi praticamente idêntico.

          Mas o staff do suíço não foi idiota e arrogante como o do sérvio, para dizer que ele venceria o Nadal…

          1. Gildokson

            Rodrigo, não se esqueça que não foi só o staff do Djokovic que estava com tamanha confiança a ponto de meter essa marra, por aqui também tinha uma boa parte de nolistas fazendo retrospectiva de jogos entre os 2 no saibro, pregando com toda firmeza que o sérvio era o único capaz de realizar o feito de derrotar Nadal numa final de RG, criando uma expectativa imensa para o tão esperado confronto… e o que nós vimos foi oq? kkkkkkkkkkkkkk
            Um atropelo histórico pra cima do maior vice de RG kkkkkkkkkk

  29. DANILO AFONSO

    Estatística BIG 3

    Média do ranking dos adversários nas finais de Slam que disputou:

    Djokovic – 4,3 (desde 2007)
    Nadal – 5,9 (desde 2005)
    Fedrrer – 10,3 (desde 2003)

    1. Luiz Fernando

      Se de fato hj for o niver do Sergio, também gostaria de enviar meus parabéns e votos de muitos anos de saude, prosperidade e, claro, tenis…

  30. DANILO AFONSO

    Faltam 10 semanas para NOVAK tornar-se recordista de semanas na liderança do ranking masculino e 77 semanas para superar o recorde de Graf.

  31. Luiz Evandro

    Só discordo que Federer é o maior de todos, será ultrapassado em todos os recordes (Grand Slam, Masters 1000, Golden Slam, semanas como número 1, H2H, Copa Davis). Será sempre o que jogou com mais elegância, mas na minha opinião, é o que vai sobrar.
    O Big 3 praticamente jogaram na mesma época, daí a comparação ser mais fácil e por ser um esporte individual, diferente do futebol.

  32. Gildokson

    Eu fico com impressão de que essas medidas de prevenção ao covid impostas pelo torneio foi oq mais pesou na decisão, duvido que nessa altura da carreira o Federer queira ficar isolado tanto tempo da família pra disputar um torneio onde ele sabe que ainda não ia estar 100% competitivo e longe de ser um dos favoritos. Logo logo veremos alguns jogos do gênio, só aguardar mais um pouco.

  33. Luis Alves

    Oi Dalcim, boas fstas e feliz 2021 para você e todos aqui do blog.

    Para Roger Federer participar dos jogos olímpicos ele teria que ter um ranking determinado? Caso não jogue muitos torneios e despenque no ranking, poderia ficar de fora das olimpíadas, mesmo que tenha condições físicas?
    Obrigado

  34. Thomaz Cardoso Leite

    Poxa mestre,confesso que da uma certa tristeza pensar que a carreira do Federer está chegando ao fim…alguns anos já escutamos que pode estar acabando etc,mas dessa vez parece que está mais perto realmente.
    Não creio em outro retorno como o de 2017 (que aliás acho a melhor “versão” do Federer),acredito sim que ele volte esse ano,jogue alguns torneios e em 2022 faça sua temporada de despedida….

  35. Evaldo Aparecido Moreira

    Bom dia,
    Ótimo texto, parabéns mestre Dalcim,
    “A contagem regressiva pode ter começado definitivamente para o melhor de todos. Tomara que ainda tenhamos tempo para apreciar mais um pouco de sua genialidade”
    Olha que legal, ver isso ser escrito pelo mestre, o que corrobora para quem entende de tênis de fato, vão chiar uma barbaridade, rsrsrsrs, brincadeiras a parte, mesmo que, pela covid 19 e/ou, pelos termos rígidos da organização do AO 2021, acho que a questão física mesmo, não tem por onde, a cirurgia, foi em junho, a segunda claro, dai são 03 meses de recuperação, com fisioterapia intensa, e ai vem a parte física, então não tem outra explicação, fato.

    Vê-lo, jogar , é simplesmente emocionante, pela técnica, capacidade de improviso, o seu saque de dificil leitura, e as movimentações quando tinha, era impecável, a fluidez na quadra, espetacular, costumo ver grandes jogos, inclusive os de Nadal e outro ai, Cocovic, me desculpem, que diferença na qualidade, eles qualidades, sim,nãoooooooooo tanto para um, mas há qualidade, isso é óbvio, mas não chegam a nem fazer cócegas, kkkkkkkkkkkkkkk.

    Dalcim, será que os meninos, vão deixar de ser meninos, e de fato ser homens , rsrsrs, e mostrarem a que veio em 2021, claro há exçessões, Thiem, o russo Daniil, alem desses, algum outro podem fazer frente a Nadal e Djokovic?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que tecnicamente podem, sim, mas entra a questão emocional e a experiência nos Slam. De qualquer forma, eu acredito que Djokovic e Nadal encontrarão cada vez mais resistência. Abração!

  36. Miguel BsB

    Primeiramente, desejo ao Dalcim e aos colegas de blog um Feliz Ano Novo, que consigamos superar essa fase e este ano tão difícil e sofrido!
    Não há dúvidas que estamos vendo o final da carreira de um dos gênios da história do esporte…impossível fazer previsões…eu acho, no “achômetro” mesmo, ou espero, talvez seja a melhor palavra, que ele ainda jogue por mais uns 2 anos, inclusive para ir se despedindo do mundo das quadras.
    Mas, tratando-se de Federer, quem sabe um Grand Slam ou ainda um ouro olímpico em simples no ocaso de sua gigantesca carreira…

    1. Luiz Fernando

      Exato Miguel, ninguém pode dizer nada de forma precisa hoje pois nem sabemos do real estado do joelho do cara. Eu não me esqueço dos comentários furados dos bobos de sempre em 2013, quando chamaram Nadal de “aleijado” após o torneio de Vina Del Mar e diziam q abandonariam o blog se ele vencesse algo relevante a partir de então hj o cara está aí na bica pra se tornar o maior vencedor de GS de todos os tempos. Tem gente q postou isso e está aqui até hoje. Agora as perspectivas de fato não são boas p o suíço, a lógica aponta pra isso. Feliz ano novo, com muita saúde e vacinas…

      1. Bruno

        Eu também lembro de uns comentários de uns bobos em 2013 que chamavam de aposentado e cansadao.
        E eles também estão aqui até hj.

      2. Miguel BsB

        Olha Luiz, tripudiar de uma lesão de qualquer esportista, da dor de um competidor que sente seu corpo não respondendo mais a sua plena capacidade, realmente é algo muito baixo…nós domingueiros que já sentimos dores ou tivemos lesões que nos impossibilitaram de praticar algum esporte que nos dá prazer, sabemos o quanto é ruim e agoniante.
        Não vou entrar na “fulanização” de quem vibra ou faz troça com uma situação dessas. Espero que o tempo e a reflexão tenham colocado sensatez em tais pessoas.
        Por mim, o corpo e a idade não seriam empecilho para que o BIG4 e Stanimal nos brindassem com mais 15 anos de tênis em alto nível.

  37. Paulo F.

    Que tu possas ter uma boa recuperação e, realmente, não ter de parar justamente por lesão Roger Federer!
    Ao contrário dos teus torcedores, torço contra a doença e não a favor dela.

    1. Rodrigo S. Cruz

      “Ao contrário dos seus torcedores” vírgula.

      Algum mau exemplo nunca pode ser usado para rotular todo um grupo.

      E além disso ser um recurso retórico desleal, ele é manjado, porque revela um ataque embutido…

  38. joao sandin

    Dalcim por cancelar o AO vejo o suíço jogando pelo menos mais um ano por imaginar que ele não sairia das quadras sem uma turnê de despedida nos principais torneios, também acha isso? Ou poderíamos ver uma aposentadoria esse ano ainda?

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, se ele estiver fisicamente bem, deverá tentar ser competitivo em 2021 e aí se despedir em 2022. Mas precisamos esperar para ver sua real condição física, João.

  39. Sérgio Ribeiro

    Bem realmente já tem muitos cravando que o problema do Craque não ir a Melbourne, fica por conta do COVID e da tal quarentena . Nenhum de seus Treinadores quiseram se pronunciar sobre o assunto. Ficamos portanto no aguardo . Mas isso em nada vai mexer com a importância do SLAM. Rafa e Novak vão entrar babando , e pelas previsões de Dominic Thiem teremos surpresas nos SLAM 2021. E por falar no Austríaco, dois jogos seus entraram na lista dos 5 melhores da Temporada , segundo a ATP . Exatamente suas vitórias contra Novak e Rafa Nadal no FINALS 2020. E como já jogou bem em 5 Sets contra ambos …rs . Abs!

  40. Rafael Azevedo

    Triste!
    Federer não é o meu tenista preferido em termos de torcida, mas eu realmente gostaria de vê-lo ganhar mais um GS ou as olimpíadas. Ele merece se despedir em grande estilo.

  41. Willian Rodrigues

    Esse meu comentário sim, atrairá a ira dos federistas: Roger só teve o “mágico” desempenho de que vocês tanto se gabam em 2017, porque tanto Murray (esteve imbatível em 2016) quanto Djokovic estavam contundidos!! Isso sem contar com Wawrinka, Delpo, Berdych e alguns outros que já haviam ou derrotado, ou criado dificuldades ao suíço anteriormente, e que estavam fora de combate. São fatos! Nadal não seria mesmo capaz de barra-lo em quadras duras! Federer esteve sim jogando muito bem em 2017, mas não seria suficiente para levar os slams se os outros dois gigantes estivessem na ativa.

    É justamente por isso que valorizo mais a temporada 2011 do Djokovic do que aquela de 2015… Naquele período (2011), estavam todos na ponta dos cascos, inclusive Roger Federer, que derrotou Nole numa esplendorosa semifinal em RG.

      1. Sandro

        Baseado nessa lógica sem pé 🦶 nem cabeça, Dominic Thiem teria que ter vencido a FINAL DO AUSTRALIAN OPEN do Djokovic por causa da idade… Que desculpa pra lá de esfarrapada!

    1. Gildokson

      Até pq Murray, Wawrinka e Delpo cansaram de ganhar finais de Slam de Roger Federer neh? Os 3 juntos ganharam 1 kkkkkkkkkk
      E Djokovic tava mal sim, mas era da cabeça envolvido com aquele guru e com aquela conversa de louco, problema que é só dele. Tu acha que o Federer sempre esteve 100% fisicamente nos confrontos contra os rivais? Viu a semi da AO ano passado? Cada uma viu.

    2. Sérgio Ribeiro

      Meu caro , na boa. Esperou o final de ano para demostrar de uma vez por todas seu enorme recalque diário do face TênisBrasil ?. Fato ! coisa nenhuma . O mundo do Tênis observou um grande Campeão trocar de equipamento ( coisa que Sampras se arrependeu de não ter feito ) , e fazer ajustes em seu Backhand , para apresentar um Tênis do mais alto nível. A ponto de bater Nadal em TODAS nas duras daí pra frente. E apresentar um Tênis espetacular que o levou de volta ao Topo do Ranking com 36 anos e dez meses. A FINAL de WIMBLEDON 2019 contra Novak entrou pra história. Tentar desmerecer os fatos é demonstração de total desconhecimento do Esporte. Abs!

    3. Vitor Hugo

      A diferença é que, em 2011 e 2015, Novak era jovem, estava no auge físico e técnico, e Roger, já era quase um trintao(2011) , e em 2015 o suíço tinha a mesma idade que o sérvio tem hj.
      Já em 2017, 35 anos, veterano e encarando Nadal voando…. Novak também estava em todas as chaves dos torneios que Federer venceu? Estava contundido?! Será!? Então por que jogou????? Se jogou é porque se sentiu capacitado. Não tem desculpas.
      Levando em conta o contexto das situações, valorizo bem mais o ano de 2017 para Roger.

  42. juninho Fonseca

    Dalcim…vc escutou algo em algum lugar..uma menção talvez……sobre se o joelho dele ainda dói??
    Ps:aquelas exibições RIDÍCULAS. na América do Sul no ano passado não me saem da cabeça!!!😢

  43. André Barcellos

    Triste e preocupante notícia. Menos mal, e tomara, que seja pelo vírus ou estes outros inconvenientes em decorrência da COVID-19.
    Imagino a tristeza dos organizadores. Conheci várias pessoas que assinaram a ESPN apenas pra ver o AO e por causa de Federer (em 2017).
    Federer sempre disse que gostaria de parar nos seus próprios termos, e não em decorrência de. Uma lesão.
    Então se o problema no joelho tiver sido agravado seria uma pesarosa imposição pra ele.

  44. Reinaldo

    Minha expectativa é ver o Federer jogando bem alguns grandes jogos contra os top 10. O resultado fica em segundo plano. Seria ótimo ver o Federer ganhando grandes torneios mas acho que seria pedir demais, afinal, já o vimos fazer isso por duas décadas. Que a volta do gênio seja da melhor maneira possível.

  45. Carlos Alberto Alves

    É Dalcim, é doloroso mas me parece iminente a retirada de RF do circuito num futuro não tão distante. Apesar de ser fã de carteirinha deste gênio das quadras, já começo a sentir o gosto amargo da sua aposentadoria. Infelizmente não consigo mais acreditar que, mesmo sendo o gênio que é ele consiga fazer um papel de protagonista nos Slams, especialmente com Nadal e Djoko ainda sedentos por esses maiores títulos. A pergunta que fica é, será que Thiem, Zverev, Medvedev, Tsitsipas e cia serão enfim capazes de fazer frente a esses dois nestes torneios? Como já escrevi algumas vezes em M1000, eles já se demonstraram capazes, porém nos Slams, na minha modesta opinião ainda precisarão trabalhar muito a parte mental, para destronar esses dois, adoraria estar errado, mas ainda não consigo acreditar nestes meninos em 2021, a conferir…

    1. José Nilton Dalcim

      Tem razão, Carlos, mas acho que Thiem e Medvedev já estiveram perto nos Slam e quem sabe estejam chegando à maturidade necessária.

  46. Rodrigo S. Cruz

    “A contagem regressiva pode ter começado definitivamente para o MELHOR de todos. Tomara que ainda tenhamos tempo para apreciar mais um pouco de sua genialidade”.

    Leram o que ficou destacado em caixa alta?

    Não adianta tentarem colocar o suíço abaixo de quem quer que seja, por simples despeito.

    Quem entende de tênis sabe que ele é o melhor…

    1. Sandro

      Não foi ninguém que pôs Federer abaixo de Nadal e Djokovic, a não ser o próprio Federer com sua eterna freguesia para Nadal e Djokovic em finais de Roland Garros e Wimbledon…

    1. Alberto Sousa

      Federer detém quase todos os recordes, e em vários pisos…não só na grama como mencionado.
      Djoko e Rafa terão que jogar muitos anos pra bater esses recordes…vejo muitos dizerem apenas recorde de slams e semanas como número 1…mas ele detém outros recordes impressionantes.

      1. Sandro

        E quantos anos mais Federer terá que jogar pra conseguir ganhar uma FINAL DE ROLAND GARROS DO NADAL e uma FINAL DE WIMBLEDON DO DJOKOVIC??? Uns 200 anos???

    2. Rodrigo S. Cruz

      Não é consenso que o sérvio seja o melhor tenista nas duras, com o suíço tão longe do auge físico.

      Atualmente o Djokovic pode ser o que ganha mais, porém ele não é o melhor.

      E tem sofrido derrotas memoráveis para o Dominic Thiem…

      1. Sandro

        Se quem GANHA MAIS não é o melhor, então o melhor é aquele que PERDE MAIS??? Principalmente FINAIS DE ROLAND GARROS PRA NADAL e FINAIS DE WIMBLEDON contra o DJOKOVIC ???

        1. Paulo F.

          É a opinião dele e ele apresenta bons argumentos para isso.
          Já a minha é que estão empatados na quantidade de Grand Slams e como Rafael Nadal possui uma humilhante superioridade nos confrontos contra Roger Federer, com direito a fazer o suíço chorar igual a um bebê, eu considero sim o espanhol o maior e melhor tenista de todos os tempos.

    3. Sandro

      Nem na grama o Federer consegue ser o tal melhor, pois no GRAND SLAM da GRAMA que é WIMBLEDON, o Federer ainda não sabe o que é vencer uma FINAL dó Djokovic, e em HALLE , que sequer é Grand Slam ou Master 1000, se Nadal e Djokovic não kgassem pra esse torneio, Federer não teria vida fácil lá também…

  47. Vitor Hugo

    Não esqueçamos que Roger venceu o Austrália Open em 2017 e repetiu a dose em 2018, enquanto o pirulito tomava uma surra do Chung. Kkkkkkkkk

  48. Vitor Hugo

    Na idade que tem e depois de tudo que conquistou, Federer não tem necessidade de entrar apenas pra exibição e encarar as duras e necessárias regras do Austrália Open. Melhor quando estiver 100% mesmo.

    Sei que o último parágrafo provocará a ira dos anti-Federer, mas não tem como discordar. É realmente o melhor de todos, além do maior.

  49. Vitor Hugo

    Uma pena o GOAT, melhor e maior DISPARADO da história, o REI da Austrália, Roger Federer não possa jogar o torneio. Joelho é f… Já fiz duas de LCA e sei bem o que é… A dificuldade pra ter o mesmo desempenho esportivo de antes…
    Aguardamos seu retorno o mais breve possível pra quem sabe brigar pelo título em Wimbledon, onde é DISPARADO o Rei no piso mais importante do esporte.

    1. Luiz Fabriciano

      Se em Londres é REI porque tem mais, na Austrália é REI também porque tem menos?
      Não entendi essa nova equação matemática não.

      1. Vitor Hugo

        Federer é rei na Austrália pelo conjunto da obra. É o favorito disparado dos Australianos(morei lá 2 anos e sei o que digo), fez 15 semis, 6 títulos e o que mais vezes jogou final, então é rei.
        Já escrevi isso aqui há alguns meses atrás, mas tua memória não é boa ou vc não leu.

        Enfim apenas minha opinião.

      2. Sérgio Ribeiro

        É Rei na Grama pois possui 19 conquistas na superfície. O terceiro colocado possui apenas 6 . Sampras no momento ainda é o segundo com 10. Na Austrália obviamente Novak é o N 1 com suas 8 conquistas . Abs!

    2. Paulo F.

      Djokovic é o Rei da Inglaterra?
      Tem menos Wimbledon mas ganhou todas as finais contra o sparring favorito de Rafael Nadal.

  50. Luiz Henrique

    Apesar de ser torcedor do Nadal, e achar Djoko favorito a GOAT, tenho 2 comentários sobre o post acerca da lenda Federer.
    1 – 15 semis no AO é um feito insano. Até o monstro do Djoko q ganhou 8 vezes, tem “apenas” 8 semis.
    2 – Acho cedo pra ficar pintando um cenário tão pessimista pra Federer. Na verdade esse descanso todo pode fazer a carreira dele se prolongar mais ainda. O negócio é ser inteligente e não voltar antes da hora.
    Se voltar sem dor, da pra chegar tranquilo aos 42 anos jogando. E ele jogando sem dores acho q continuará fazendo frente a todo mundo, exceto talvez Djoko nos GS e Nadal em RG, mas nunca se sabe, tem que respeitar

      1. Vitor Hugo

        Pois é, 100%. Mas não muda o fato que ele teve derrotas vexatórias por lá, incluindo para Stomin, Chung e etc, no auge do sérvio…
        Também perdeu para Roger quando o suíço estava no seu auge.

      2. Luiz Henrique

        Sim, é algo monstruoso que Djokovic e Nadal tenham 100% de aproveitando em semis/finais em seu melhor slam (AO e RG respectivamente).
        Mas o objetivo do meu comentário anterior foi elogiar Federer, não desmerecer qualquer coisa do Djokovic.

    1. Sandro

      Meu Deus do Céu, onde nós chegamos???
      Até agora não acredito que li isso:
      “1 – 15 semis no AO é um feito insano. Até o monstro do Djoko q ganhou 8 vezes, tem “apenas” 8 semis.”
      Oh céus!!! Pára o mundo 🌍 que eu quero descer!!!
      Então agora querem que 15 semifinais do Pato 🦆 freguês de carteirinha do Federer valham mais que os 8 troféus 🏆 do Djokovic no Australian Open???
      Só falta dizer que essas 15 semifinais do Federer valem mais que os 13 TROFÉUS 🏆 de Nadal em Roland Garros….
      Comemorar semifinais, pra mim, é a mesma coisa que comemorar “NADAR, NADAR 🏊‍♂️ e ACABAR MORRENDO ☠️ NA PRAIA 🌊 AFOGADO POR UM TAUNAMI”…
      Federer comemorar SEMIFINAIS é assumir de vez a condição de PATO 🦆 FREGUÊS de NADAL E DJOKOVIC!!!
      Semifinais estão bem longe de ser TÍTULOS, TROFÉUS 🏆!!! Comemorar semifinais é se contentar com freguesia para Nadal e Djokovic !!!
      Comemorar semifinais é, acima de tudo, se conformar em “MORRER ☠️ na PRAIA 🌊” !!!

      1. Luiz Henrique

        Sandro, onde foi que eu disse que 15 semis valiam mais do que os títulos do Djokovic?
        Caramba, só quis fazer um elogio ao Federer, nada mais…
        Eu jamais diria uma coisa dessas, tá doido
        É um número impressionante, só isso
        Outro dia elogiarei o Djoko tb, como já fiz outras vezes

  51. Luiz Fernando

    Voltas vitoriosas de contusões não são incomuns, vide Rafa em 2013 e ele e Federer em 2017. No entanto, a situação do suíço tem algumas peculiaridades preocupantes: 1) a idade, o cara é quase quarentão, isso atrapalha qualquer um; 2) o primeiro procedimento cirúrgico não foi bem sucedido, e dependendo do q houve e do q pôde ser feito no segundo, talvez o problema não tenha sido completamente sanado; 3) o tempo de inatividade desta vez foi muito mais longo; 4) como exposto pelo Dalcim, o grau de competitividade na atualidade é bem maior do q era nas duas ocasiões q mencionei, denotando uma provável necessidade de maior grau de esforço e tempo em quadra na atualidade. O tempo dará a resposta precisa p as dúvidas q existem…

    1. Sérgio Ribeiro

      Já que para variar não entendeu o meu post “ confuso “ , que tal agora prestar atenção no do Dalcim , meu caro L. F. E’ óbvio que a GRAMA exige de todos . Principalmente pra aqueles que não sabem os atalhos . Agora , para os Joelhos definitivamente a necessidade de “ deslizar “ ou “ surfar “ como dizia GUGA no Saibro, é uma judiação muito maior pros mesmos. Daí Federer pular Roland Garros três vezes consecutivas ( 2016 a 2018 ) e jamais ter pulado a Grama Sagrada do All England Club . E provavelmente pule de novo RG , caso realmente volte em fevereiro…Abs!

      1. Luiz Fernando

        Aí não é questão de confusão, mas sim de constatação meu caro. Quem postou que a grama exige mais do joelho do q o saibro? Vc discorreu sobre algo q não foi postado. E qual é a constatação? Que na grama o quique da bola é mais baixo e q isso exige mais dos joelhos, algo q sempre foi exposto aqui, e alguém q esteja com uma condição pior dos joelhos, algo mais do q provável no caso de Federer, tende a ter mais dificuldade do q antes, apenas isso, captou??? Feliz 2021. Abs.

Comentários fechados.