Djokovic fica com grupo mais duro do Finals
Por José Nilton Dalcim
12 de novembro de 2020 às 20:03

Embora um torneio com oito dos nove melhores do mundo seja por definição muito equilibrado, não resta dúvida que desta vez Novak Djokovic levou a pior na formação dos grupos da fase classificatória do ATP Finals de Londres.

O líder do ranking, afinal das contas, terá de enfrentar Daniil Medvedev e Alexander Zverev, dois jogadores que estão embalados nesta reta final de temporada, se adaptam muito bem à quadra dura e já o venceram duas vezes cada um. Zverev, aliás, foi campeão em 2018 em cima do próprio sérvio.

De bônus mesmo, só a presença do estreante Diego Schwartzman, que não pode ser menosprezado mas certamente é o elo mais fraco da corrente. Por isso, a estreia de Nole na rodada diurna de segunda-feira contra o argentino precisa de uma boa vitória. Sempre é bom lembrar que no Finals os vencedores do primeiro dia sempre se cruzam na segunda rodada do grupo.

Rafael Nadal, por sua vez, ficou na chave dos dois finalistas do ano passado, porém tanto Stefanos Tsitsipas como Dominic Thiem vivem momento ruim. O grego anda às voltas com uma contusão e o austríaco parece desinteressado depois de faturar o US Open. O canhoto espanhol ainda por cima tem vantagens históricas de 9-5 sobre Thiem e de 5-1 diante de Tsitsipas.

A rodada de abertura do grupo no domingo no entanto é bem importante. Terá justamente a reedição da final de 2019 logo de cara em seguida Rafa enfrentará Andrey Rublev, a quem venceu no único duelo. Mas não pode vacilar diante do russo, que é uma das sensações da temporada e tem um poder de fogo expressivo. Tenhamos em conta que Nadal não foi bem em Paris e a falta de títulos no ATP Finals incomoda, por mais que se diga o contrário.

Como saem dois nomes de cada grupo para as semifinais, é também relevante verificar o histórico entre os demais participantes. Medvedev e Zverev acabaram de fazer a final de Paris e o russo reduziu o placar negativo para 2-5. Medvedev tem ainda 5-0 sobre Schwartzman, mas o argentino empata por 2-2 contra Zverev.

Atual campeão do Finals, Tsitsipas perdeu 2 de 5 duelos contra Thiem e empata por 2 contra Rublev, portanto não há favoritismo claro. E o austríaco também não tem vantagem contra Rublev, com duas para cada lado.

Como se vê, a prudência manda não se descartar qualquer possibilidade e vencer logo a primeira partida do Finals terá um peso significativo para todo mundo.

Claro que vão me perguntar qual minha impressão inicial e ela seria que Djokovic, Medvedev, Nadal e Thiem sejam os semifinalistas. No entanto é preciso observar qual a efetiva velocidade do piso que foi colocado na arena O2.

Em tempo: o Finals não sorteou ainda os grupos de duplas porque existe pendência com os resultados de Sófia, tanto sobre quem fica com a vaga restante como também a chance de Melzer/Vasselin subirem ao sexto lugar com eventual título. Se eles forem à final nesta sexta-feira, já tiram o lugar de Murray/Skupski. Mas aí a ATP terá de esperar até o sábado para definir os grupos.


Comentários
  1. Sérgio Ribeiro

    Um equilíbrio absurdo na abertura do FINALS. Tisitisipas totalmente recuperado, mostrou que esse grupo também vai ser muito equilibrado. Dominic venceu apenas 6 pontos a mais com jogadas de altíssimo nível de ambos os lados. Vamos ver o que Rublev apronta pra cima do favorito Espanhol. Olho !. Abs!

    Responder
  2. André Aguiar

    Qual torneio é mais difícil ganhar: o ATP Finals ou um Grand Slam? Taí uma questão interessante. Vamos aos critérios:
    1) Melhor de 5 sets contra melhor de 3 sets: ponto para o GS.
    2) No Finals há 5 jogos contra os 8 melhores, tendo que ganhar ao menos 4. No GS, os 8 melhores normalmente só se enfrentam a partir das 4as. Ou nem isso, já que às vezes surge um azarão. Ponto para o Finals.
    3) O Finals é o último torneio da temporada, quando o desgaste físico já se faz presente. Ponto para o Finals.
    Portanto, a menos que alguém sugira algum outro critério comparativo, o Finals é mais difícil de ganhar do que um Grand Slam.

    Responder
    1. Alessandro Siqueira

      Em tese se pode ganhar o Finals com 3 vitórias. Uma na fase de grupos, como no caso do primeiro ganhar todos os jogos e os demais terem uma vitória e duas derrotas. Nesse caso o segundo do grupo passaria no desempate. Não me recordo dessa situação no masculino, mas Radawanska ganhou o WTA Finals assim, perdendo duas na fase de grupo e depois ganhando a semi e a final.

      Responder
    2. Rafael Azevedo

      Hahaha…os 2 pontos que você deu para o Finais poderiam ter ido para os GS.
      Afinal de contas se o atleta tem que ganhar 4 dos 5 jogos (as vezes até 3), significa que ele pode perder uma partida e mesmo assim ser vencedor (nos Slams não pode perder uma sequer). Ainda, se o Finais é jogado em fim de temporada com muitos atletas desgastados, então o tenista terá adversários “baleados”…

      Responder
      1. Rafael Azevedo

        Não tem comparação, cara.
        Os Slams são o objetivo de todos os atletas. Significa que você encontra a melhor versão do seu oponente em quadra (fisicamente, tecnicamente, emocionalmente, foco total). Ele está disposto a chegar no limite é até a comprometer o físico para vencer a partida. Em todos os outros torneios pode haver um déficit de atenção, preparo físico, interesse. O Federer até abandonou uma final do FINALS para se dedicar à copa Davis. Ele nunca faria isso em um GS.

        Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Pergunte ao Nadal se ele concorda com sua tese . E outra mal contada. Federer se lesionou nas Costas e a FINAL da Copa Davis era na Semana seguinte. Perdeu em Sets diretos para Monfils no Saibro. A sorte é que STANIMAL bateu Tsonga . Este também se lesionou . A Dupla Campeã Olímpica botou os Suíços na frente. Quando escalaram seu grande freguês Gasquet no lugar de Tsonga , até de muletas Roger venceria. E alguns Manés dizem que o Suíço fugiu do Sérvio no FINALS , caro Rafael. Pergunte ao Sr Almeida … rsrsrs Abs!

          Responder
    3. Luiz Henrique

      O que é mais difícil, ganhar um evento em que participam os 128 melhores do mundo em sua atividade participando, ou outro em que participam só os 8 melhores?
      O raciocínio lógico parece que não existe aqui, impressionante.
      Então vamos fazer um campeonato só entre o 1 e o 2 do ranking, vai ser mais difícil que o Finals (usando o mesmo critério de quem diz que o Finals é mais difícil)

      Responder
  3. Sandra

    Dalcim , não me leve a mal pela pergunta , mas vendo Djokovic receber o troféu de mais um ano como número 1 , vendo ele beijar o troféu , aliás a maioria faz isso , me bateu uma curiosidade , essas taças são desinfetadas ? rsss

    Responder
  4. periferia

    Uma dica.

    O Gambito da Rainha.

    Série em 7 capítulos da Netflix.
    História de uma mulher no mundo do xadrez.
    Baseado nos escritos de Walter Tevis (dono de outro clássico O Homem que Caiu na Terra).
    Tem um roteiro “redondinho”…com personagens complexos (grandes atuações)…e uma reconstituição de época muito bem feita.
    A série é toda bem feita (destaque para fotografia em tons frios).
    Uma pérola.

    Responder
  5. Evaldo Moreira

    Belucci,
    Esse Thomaz , não acredito no que vi, o cara estava de 5 a 1 , e com saque para fechar, do nada, o cara fica numa lerdeza , que sinceramente, não sei o que passa na cabeça desse rapaz, de top 30, e olhe que ficou um bom tempo ali, fez jogos grandiosos.

    Todo o jogo é a mesma coisa, todo o torneio idem, o seu ao meu ver estagnou, não evoluiu como o esperado, ele tem bons golpes e tal, nem a troca de equipe, deu resultado, gostaria de saber , até onde vai essa motivação desse rapaz, já deu o que tinha que dar, e pelo andar da carruagem, vai passar vergonha até o fim do ano. Torço demais pelo nosso tenis brasileiro, mas se olharmos friamente para todos eles, ainda falta muito a agregar, até o Wild precisa baixar a bola dele, volta e meia, o cara entra na neura, arrogante de vez em quando, mas tenis, ele tem de sobra, só precisa lapidar algumas coisas no seu jogo, e o principal também, trabalhar a cabeça, fazendo isso, vai longe.

    Dalcim, já faz algum tempo já, aliás, alguns anos em que o nosso saudoso Guga, nos dava alegria com o seu belissímo tenis, competitivo, e muito técnico, vi alguns dos principais jogos dele, que saudade, jogava de mais o nosso Guga, na sua opinião, apesar de bons jogadores que temos, vai demorar para despontar um, e que chegue pelo menos perto de onde Guga chegou, o que achas mestre!?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É temeroso fazer qualquer previsão, porque nunca sabemos quando um grande talento terá a oportunidade. Mas obviamente é muito difícil imaginar que teremos alguém que ganhe um Slam aos 20 anos, com o carisma e qualidade do Guga, e ainda por cima chegue três anos depois a ser número 1 do mundo. Guga foi excepcional até para os padrões internacionais, Rafael.

      Responder
    2. Luiz Fabriciano

      É por isso Evaldo, que a parte técnica do tenista é praticamente comum à todos dentro do top100, para não alongarmos mais.
      Os outros dois aspectos é que realmente diferenciam os meninos dos homens.

      Responder
  6. Willian Rodrigues

    Que partida magnífica de ambos os tenistas nessa final de Sofia! Vasek Pospsil valorizou demais o título de Jannik Sinner! Em minha modesta opinião, essa final foi melhor que algumas de ATP 500 no decorrer do ano de 2020. Com certeza, esse foi o primeiro título de inúmeros! Esse italiano já tem minha torcida. Demonstra muita sobriedade e autoconfiança. Será um grande campeão…
    O próximo Australian Open promete. Além do retorno de Roger Federer, teremos Nadal e Djokovic em forma e vários da nova, e da novíssima geração, mais seguros de si. Expectativa de grandes jogos. Vejamos…

    Responder
  7. Maurício Luís *

    Dalcim, vendo as punições e desclassificações recentes, me veio à cabeça o US Open 91, quando o Connors virou em cima do AAron Krikstein… e parece que você até estava lá presente.
    Em dado momento do jogo, por causa que o juiz de cadeira considera fora uma bola, o Connors para tudo e “expulsa” o juiz em altos brados, com direito a apontar dedo e tudo. Acho até que foi tipo um teatro dele pra ganhar tempo e descansar… Se fosse hoje em dia, será que o Jimbo não seria “convidado” a se retirar do jogo? Ou as regras ainda são as mesmas?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O Código de Conduta existe desde 1988, portanto Connors deveria ter sido severamente advertido pelo destempero. Esse mesmo Código suspendeu McEnroe.

      Responder
  8. Rodrigo S. Cruz

    Eu estava torcendo pelo Pospisil.

    Acho que um título iria coroar com muita justiça a volta por cima que ele deu.

    Porém o Sinner que ganhou nos detalhes é um tenista que me agrada também.

    Além de parecer possuir um controle emocional diferenciado.

    Pra mim, ele vai longe na carreira…

    Responder
  9. Vitor Hugo

    Menino Sinner, fã declarado de Federer, não tem o melhor backhand( Stan é o melhor) mas parece que seu revés é o mais rápido do circuito.
    Tem tênis e espero que tenha cabeça para não se acomodar com o 1 título e siga evoluindo, pois, se continuar assim, rumo ao topo do ranking!

    Responder
  10. Daniel C

    Dalcim, o que deve passar na cabeça do Aliassime vendo o Sinner vencendo a primeira final que disputou? Rs

    Bem, espero que isso não o afete ainda mais… mas ele sem dúvida está com um problema psicológico mais difícil pra resolver do que o Sinner

    Responder
  11. José Eduardo Pessanha

    Sinner nasceu no extremo norte da Itália. O interessante é que o povo dessa localidade é mais ligado geneticamente aos povos alemães. Talvez seja por isso que o italiano é tão frio, em oposto às características de seus compatriotas mais ao sul.
    Abs

    Responder
    1. Paulo F.

      Tirol do Sul, hoje pertencente à Itália, era porção do Tirol, que é uma das principais províncias austríacas – principalmente na importância cultural para a Áustria.
      Mesmo pertencente à Itália atualmente, sua população é majoritariamente germânica até hoje.
      O próprio sobrenome Sinner é germânico e é o alemão a língua materna do promissor tenista.
      Digite no YouTube “Sinner speaking german” e verás o mesmo falando em alemão.

      Responder
  12. lEvI sIlvA

    Dalcim, quanto leva cada um dos 2 suplentes no Finals, só pra estar lá sem jogar, esse ano. Outra coisa que estou curioso. Digamos que, 1 dos 8 na chaves de RR, perca os 3 confrontos. Ele está fora, claro. Mas deve ganhar mais que os 2 outros que, sequer entram em quadra, certo?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ganharam US$ 73 mil para ficar à disposição. Um tenista classificado que não vença nada, fica só com a premiação de participação, que é US$ 153 mil. Esse também é o valor pago a cada vitória. Então se um alternate entrar e ganhar um jogo, levará mais do que um que eventualmente perca tudo.

      Responder
  13. Gildokson

    Dalcim, nada haver com o post, te pergunto? Você por acaso tem notícias se ao menos um dos 4 filhos do GÊNIO ja prática o tênis?
    Seria ótimo se ao menos 2 se tornarem destruidores de recordes kkkkkkkk

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, as duas meninas costumam jogar, mas ainda são muito pequenas. Federer até contou recentemente que elas não aceitam muito seus conselhos, preferem os do professor… rsrs…

      Responder
    1. Barocos

      Luiz,

      Suspeito que a Gabi é segura de si o suficiente para não ligar (muito), quando qualquer um aqui comenta sobre outras mulheres. Esta é, aliás, uma característica muito apreciada por mim em mulheres especiais e que, como bônus, faz com que eu não precise ficar me policiando em demasia sobre frugalidades ditas ou não ditas.

      Faço coro ao seu apelo: Gabi, apareça para dar um “alô”.

      Saúde e paz.

      Responder
  14. Paulo F.

    É sempre a mesma ladaia:
    Quando Djokovic começou a ganhar de Federer, era por quê Federer já estava velho.
    Mas para ganhar de seu mestre, na Austrália em 2017 e em Wimbledon em 2019, aí Federer não estava velho.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Não é ladainha.

      Pois Wimbledon 2019 foi uma exceção.

      Naquele jogo, até correr em todas como o Djokovic, o suíço correu.

      Já em outras finais vimos nitidamente o físico do Federer caindo, a medida que o jogo avançava…

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Veja o jogo de pernas do Suíço neste presente da ATP de fim de temporada. Roger Federer BEST ATP FINALS SHOTS IN LONDON . Vai se surpreender muito mais que imaginas , parceiro. Abs!

      Responder
  15. DANILO AFONSO

    Nobres, todas as vezes que vocês lerem o VITOR HUGO depreciando o DJOKOVIC, a exemplo de bagre, pereba, tenista de quinta categoria e n. 1 fake, lembrem que um dia ele já escreveu aqui no blog o que realmente ele pensa sobre o sérvio. Vejamos abaixo a brilhante conclusão do VITÃO no auge da pandemia quando ele estava curado do fanatismo:

    17/06/20 – 02h11

    “Federer, Novak e Nadal são três GIGANTES, três LENDAS, três MONSTROS, estão em outro patamar e podem se sentar na mesma mesa.
    Roger é tecnicamente o melhor dos três, mas inferior aos dois na tática, físico e mental.
    O fato do suíço ser superior aos dois na técnica, faz ele compensar a inferioridade tática, física e mental.
    O fato de Novak e Nadal serem superiores no mental, físico e tático, faz com que eles compensem a inferioridade técnica em relação ao suíço.
    Novak é o jogador que mais equilibra os quesitos citados por mim.
    Como eu valorizo a técnica mais que as outras qualidades, considero Roger o melhor dos três. Mas acho justo, respeito e acho que existem argumentos para considerar qualquer um dos três o melhor.
    Tecnicamente, Federer é o mais completo, pois é o tenista que tem a maioria dos golpes mais próximo da excelência.
    Somando todos os fatores, físico, mental, técnico e tático, DJOKOVIC É O MAIS COMPLETO.”

    Vitão, sempre que você postar adjetivos pejorativos contra o sérvio, vou relembrar essa sua ‘the best’ postagem desde que você surgiu no blog, dentre todos nicks que já utilizou.

    Saudações Nolistas Vitão !!

    Responder
      1. Vitor Hugo

        Diferente de vc, café com leite, eu tenho capacidade de fazer um comentário elogiando e exaltando Novak…. Já vc vive debochando e diminuindo o maior vencedor da história, o GOAT Roger FEDERER.
        Não que sua opinião seja tão importante, novato, mas é a diferença os torcedores mais fanáticos do suíço e vc.

        Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      E aproveitando Danilo , já que o Sérvio está presente , de uma olhadinha em Roger Federer : BEST ATP FINALS SHOTS IN LONDON . Vai concordar que o nosso amigo Vitor exagerou nas comparações. Olhe e diga rs Abs!

      Responder
    2. Vitor Hugo

      Mesmo assim ficou claro no meu post ponderado que considero Federer o melhor da história. Não só eu mas também a maioria, o próprios blogueiro e os citados por mim abaixo.

      Abs

      Responder
    3. Rodrigo S. Cruz

      Vitor,

      A questão é a seguinte.

      Reclamem como for, mas eu te acho um dos MELHORES participantes do blog.

      E pode ter certeza que há outros que acham isto também.

      Motivos:

      1. Você é uma pessoa do bem.

      2. Não mente.

      3. Não utiliza ad hominem.

      4. Não cria fakes para se elogiar. Coisa bizarra, mas que já vimos por aqui…

      Agora, se os nolistas não se conformam com as tuas sátiras ao Djoko, paciência.

      E com todo respeito ao Danilo que é um cara legal:

      mas ele sempre se CALA diante de qualquer conteúdo de algum fã do sérvio.

      Escreva o que você quiser!

      Abs.

      Responder
      1. Vitor Hugo

        Obrigado, caro Rodrigo! Sou do bem sim e nunca fiz qualquer fake para me auto-elogiar.
        A verdade é que, com a quantidade de fakes do sérvio que pintaram no pedaço, é preciso alguém(mais outros, claro) para coloca-los no devido lugar, e eu, vc, o Sérgio e outros fazemos com grande competência o que acaba gerando irritação nos ‘rivais ‘ e faz com que eles unam forças(inexpressivas) para tentar nos desestabilizar e fazer com que a gente se retire do blog e eles tomem conta, mas…… Não vai acontecer! 👍💪

        Responder
      2. DANILO AFONSO

        Rodrigo, fique claro que eu não afirmei que o Vitor deve se calar, apenas disse que iria relembrar no blog o que ele realmente pensa do sérvio quando começar a criticá-lo. Só isso !!!

        Responder
  16. Rodrigo S. Cruz

    Meu Deus das causas impossíveis! (rs)

    Por favor, troque esse MALDITO mental de gelatina que torna o Bellucci em Beloser !!

    Não há quem suporte ver isso mais!

    O cara primeiro tem saque pra fechar a partida em 6/4, e toma um 7/5, no segundo set.

    Depois, com 5 x 1 e saque no tie-break no terceiro, eu contei uns 6 erros não-forçados seguidos!

    Olha o que eu tô dizendo: não foi o cara que passou a jogar bem e forçar winner, não.

    Foi o Bellucci jogando bolas FÁCEIS, RIDÍCULAS do adversário, na rede ou para fora

    É inacreditável…

    Nunca vi um jogador com mental assim.

    Responder
  17. José Eduardo Pessanha

    Dalcim,

    Boa tarde. Três perguntinhas:
    1 – Onde está o Dolgopolov?
    2 – Quem você acha que tem os golpes mais estranhos: Gulbis ou Medvedev?
    3 – Você acha que Delpo e Murray vão encerrar a carreira no ano que vem, em virtude dos intermináveis problemas físicos?
    Abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Dolgopolov continua tentando se recuperar, mas depois de dois anos e emio sem jogar, acho bem difícil ele voltar. Medvedev, com certeza, já que só o forehand do Gulbis é fora do padrão. Acho que os dois tendem a abandonar em 2021, embora eu torça muito contra isso.

      Responder
  18. Rodrigo S. Cruz

    Dalcim,

    o que você está achando dessa boa fase do Vasek Pospisil?

    Chegou na final de Sófia hoje, metendo um “pneu” em Richard Gasquet.

    E que tênis bonito de assistir que ele tem, não?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele sempre foi um tenista respeitável, Rodrigo, e já fez grandes resultados em duplas, como você sabe. Foi muito atrapalhado por contusões. Quando em forma e num piso veloz, dá mesmo muito trabalho.

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Na boa , Rodrigo. O Canadense vai tentar seu primeiro ATP aos 30 . E o oponente , também vai tentar o seu primeiro só que aos 19 . Sou muito mais o jovem Italiano . Ele mesmo, Jannik Sinner. Tá valendo o que ? rs Abs!

      Responder
      1. Barocos

        Grande Sérgião!

        Eu posso ter meu lugar na Kombi e você querer distância dela, ainda assim, compartilhamos a admiração por alguns dos jovens talentos do tênis.

        Se os garotos vão alcançar o nível que Federer, Nadal e Djokovic atingiram eu não sei (acho difícil e não impossível), mas que teremos tênis de altíssimo nível, já é certo.

        Os próximos anos prometem.

        Saúde e paz.

        Responder
  19. Miguel BsB

    Eu vou torcer pelo El Peque nesse Finals, mas acho que não vai ter jeito…rs
    Vou torcer pelo Nadal tb. Ele merece um Finals na sua imensa coleção de títulos…mas tb acho difícil de acontecer.
    Então, creio que uma torcida mais realista seria ver um confronto entre Medvedev x Tsisipas numa possível semifinal ou final. Os dois são desafetos e acredito que vão se enfrentar em grandes jogos por muitos anos ainda.

    Responder
  20. Chetnik

    Que piada. Djoko, número 1, estreia na segunda. Vai ter a desvantagem de jogar 3 dias seguidos, se chegar à final. Esses organizadores palhaços sempre fazendo M.

    Responder
  21. Maurício Luís *

    Estreia “triunfal” do ‘El Peque’ contra o Djoko. Como diria a Gorete dos Milagres… ” Ó coitado!”
    Se eu fosse o argentino, iria ter uns conselhos com o Lorenzo Sonego…

    Responder
    1. Maurício Luís *

      ********* …. E pra não perder o costume…*******
      Nadal otimista.
      – Vou ganhar esse torneio aí. Quero que caia um raio na cabeça da minha sogra se desta vez eu não ganhar o Finals!

      Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Os promotores prometem divulgar na segunda-feira, Fabio, mas não será num clube que tradicionalmente faz torneios. Vamos ver se irão liberar público.

      Responder
  22. Daniel C

    Rublev, Tsitsipas, Thiem, Medvedev e Zverev. Temos 5 tenistas mais jovens que vem jogando um belo tênis em 2020 e sem dúvida amadureceram.

    Eles têm mais uma oportunidade de mostrar que vão começar a fazer barulho. Minha torcida é para que algum deles leve o torneio e que todos entrem em 2021 na ponta dos cascos.

    Já passou da hora da mamata do Djokovic e do Nadal acabar. E além disso, todos os citados possuem um estilo mais legal e menos enfadonho que o do atual N1…

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Sendo que os três EV’s são baseliners que tentam imitar o belíssimo jogo do craque sérvio, mas passam longe, rs.

      E já disse na outra pasta que enfadonho é o jogo pavoroso de troca interminável de slices.

      Responder
  23. Nino-sp

    Olá Dalcim e parabéns pelo blog e pelo site Tênis Brasil.
    Fiquei muito curioso de conhecer as cotações das bolsas de aposta quanto ao campeão do torneio. Imagino que alguma aposta do tipo R$10 no argentino poderia me fazer um milionário se acontecesse o improvável. Gosto muito do jogo dele mas a verdade é que os outros 7 estão em condições muito favoráveis no Indoor e, além disso, chegar ao Finals já foi um feito impressionante para Diego, considerando o biotipo dos atletas tenistas das últimas décadas.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado, Nino. Muito provavelmente ele seja o menos cotado, mas como existe limite de aposta não acredito que você ficará rico… rsrs

      Responder
    2. Marcão

      Dieguito, el azarón, pagando modestos 26 para 1. Ou seja, mesmo ocorrendo o improvável, e bota improvável nisso, seus 10 pilas se transformariam num cartão PlayStation. Mas o mais certo é que vc perca os 10 pilas, o que o aproximaria, guardadas as devidas proporções, do ex-top ten Ernests Gulbis, que torrou em uma noite de blackjack todo o prêmio da semifinal de RG 2014 (algo em torno de 400 mil euros).

      Responder
  24. Sandra

    Dalcim , realmente eu não entendo tanto de tênis , entendo mais da minha torcida , que fique bem claro minha intenção de nao desmerecer ninguém , mas achei a chave do Nadal mão forte , o grego e uma carne de pescoço , só com o saque já ganha jogo e o Rublev , não está dificil ganhar dele , e as próprias bolhas do Thiem já não deu tempo de melhorar ?

    Responder
  25. Evaldo Moreira

    Dalcim,
    Mudando um pouco de assunto, estive observando o 2 saque de Djokovic e Zverev, pela tv, vendo eles sacarem, parece uma sofrência só, ou seja, não há potencia suficiente, claro 2 saque, mas porque os adversários não aproveitam e matam o ponto, e/ou , devolviam com agressividade, e finalizavam na segunda bola, e por ai, ou é méritos de ambos?
    O do Federer e Isner, são os dois melhores de segundo saque que já vi, e muitos não conseguem fazer uma devolução adequada para finalizar, ou seja, o do suiço dificil de fazer leitura, o do Isner então, o que achas mestre?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que o segundo saque dos citados não é nada ruim, Evaldo. Zverev faz duplas faltas, mas em termos de potência não é tão simples ser atacado assim.

      Responder
      1. Evaldo Moreira

        Obrigado mestre ,
        Mas você disse que não é tão simples assim: seria uma bola mais angulada e com efeito , ou aquela segunda bola com menos peso, é mais ou menos nessa linha , ou tem algo a mais Dalcim.!?

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Um bom segundo saque geralmente é aquele que sobe o bastante para tirar a bola da linha da cintura do adversário e com isso impedir o ataque. Outra opção é o saque sobre o corpo, com efeito geralmente vindo de fora para dentro, o que também tira a chance de ataque.

          Responder
    2. Luiz Fabriciano

      Evaldo, o Djokovic tem feito vários aces de segundo saque. E se observares direito, ele, às vezes, força mais o segundo que o primeiro.
      Acho que a “leitura” dos adversários está meio confusa nesses pontos.

      Responder
      1. Evaldo Moreira

        Obrigado Luiz Fabriciano
        Mas as vezes o Djokovic faz tanto esforço , pelo segundo saque , e os adversários não aproveitam , como disse o Dalcim na resposta para mim : não é tão simples , concordo com ele👍

        Responder
  26. Paulo Almeida

    Acho que o Finals mais fake da história foi o de 2011, já que Murray lesionado abandonou, Djoko também machucado só foi fazer figuração e Nadal estava destruído como sempre em fim de temporada, além de ser naturalmente mediano no hard indoor.

    Se bobear até aquele de 2006 em cima do bagraço Blake foi menos medíocre, kkkkkkkkkk.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Finalmente concordamos , caríssimo Piloto . Roger Federer depois de bater Rafa Nadal ( um juvenil ) por 6 x 0 , 6 x 3 , faria a Semi contra Novak. O então N 1 afirmou na véspera do Torneio : “ Não me sinto obrigado a vencer a competição a fim de tornar minha temporada perfeita . Darei o meu melhor para terminar o ano em grande estilo “ . Não compareceu a Semi pois caiu perante seu compatriota Tipsarevic . Mesmo assim bastava Ferrer bater Berdych , que iria como segundo do grupo. Com sua irretocável credibilidade, este Sr Almeida ( sim o cara e’ um coroa rs ) , bota a culpa no Campeão invicto Roger Federer , que precisou bater um inspirado Tsonga na Final por 6 x 3 , 6 x 7 ( 8 x 6 ) , 6 x 3 . Realmente TODOS eram “ bagres “ , e o Torneio “ fake “ . Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Abs!

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Ps : Outra que o grande especialista P . Cleto não atentou. Se Novak Djokovic vencer de maneira invicta esse MASTERS 1000 de “ luxo “ como diz o outro “ especialista “ Sr Almeida, cravando os 1500 pontos, ultrapassará as 310 Semanas de Roger Federer . Isso mesmo , graças a última decisão da ATP ( que o Sérvio largou o cargo ) , ele com Título invicto , vai como N 1 e completa 311 semanas no dia 8 /03/ 2021 . Abs!

        Responder
      2. Paulo Almeida

        Ribeiro, caia na real.

        O GOAT estava sem condições de jogo desde Paris com o ombro bichado e só por isso perdeu bisonhamente para Ferrer e Tipsarevic. Você acha que, na melhor ou segunda melhor temporada do rei do tênis, ele perderia para esses bagres jogando o seu melhor? Acorde!

        Bom, se sou coroa, você deve ser uma múmia, kkkkkkkkkk.

        Brincadeira, amigo.

        Responder
  27. Sérgio Ribeiro

    E não é que devido a Pandemia temos um dos FINALS mais imprevisíveis dos últimos tempos ? . Mesmo com o favoritismo do N 1 ( adora jogar o Torneio) , todos já venceram todos , com exceção de Dieguito. Em 2019 , o mais Velho finalista do Torneio ( aos 34 ) , tratou de tirar Novak e entregar o N 1 no colo de Nadal . Medvedev vencia Rafa por 5 x 1 no terceiro Set , e afirmou hoje que jamais tremeu tanto na vida . Espirituoso diz que isso não mais se repetirá rs . E Rafa Nadal se chegar a Final , quebra o recorde de mais velho do Suíço e o jejum . Com possíveis 1500 pontos . Já o Sérvio iguala as incríveis SEIS conquistas . E Cleto diz que ambos não estão nem aí …Devido ao momento assino embaixo o Post que coloca o grupo do N 1 como o mais equilibrado . E como se poupou em Paris , e acredito que sem Murray a quadra estará novamente mais rápida ( o que prejudica Rafa ) , acho que o Sérvio leva . Abs!

    Responder
  28. karita sakashia

    será que o nadal vai conseguir calibrar os golpes pro ATPfinals pra chegar a semi? tava bem descalibrado em Paris.. torço pra que consiga fazer um bom torneio. Acha que num intervalo de 1semana ele consegiu calibrar os golpes dele? ..

    Responder
  29. Paulo Almeida

    É, aparentemente DjokoGOAT terá mais trabalho para se classificar do que o Nadal, mas com a bolinha que jogou em Viena qualquer grupo seria da morte.

    Por outro lado, vitórias sobre Medvedev e Zverev dariam muita moral para as finais do torneio.

    Responder
        1. Gildokson

          Ultimamente você anda muuto medroso Paulo, ja se ajeitando todo e arrumando desculpas para uma possível desclassificação ou perda de título do sérvio nesse Finals.
          Seja confiante, Djokovic pode empatar com o MAIOR campeão do MELHOR torneio da ATP.
          Abs!!

          Responder
          1. Paulo Almeida

            Nada disso, Gildokson. Eu sempre fui PRUDENTE (diferente de medroso) e nunca cantei vitória antes de nenhuma partida, como uns e outros já fizeram por aqui, até contabilizando título antes do torneio começar, rs.

            É CLARO que o Djoko vencerá os 5 jogos jogando com 80-90% da sua capacidade, pois é mais jogador nesse piso do que qualquer outro presente. Resta saber se ele atingirá esse nível ou não.

          2. Willian Rodrigues

            Apenas lembrando: Djokovic é SEIS anos mais jovem que Federer, seu ídolo. E pode ter ainda três ou quatro chances bem concretas para ultrapassar o recorde, uma vez que torneios indoor são bem “a praia” do sérvio.
            Parafraseando Dalcim, “nunca duvide de Roger Federer…” O mesmo deve ser lembrado em relação a Djoko e Nadal.
            Rrrsss…

  30. Luiz Henrique

    Interessante ver se Djoko iguala mais uma marca do Federer.
    Acho que esse é mais o assunto do que essa história de Nadal ganhar ou não.
    As vezes vejo alguns torcedores do Nadal que torcem pra ele ganhar só pq alguns comentaristas ficam dizendo que ele não é o Goat pq não ganhou o Finals. Mas a meu ver, esses torcedores do Nadal que se preocupam com isso são iludidos. Eles acham mesmo que os comentários vão mudar se ele ganhar o Finals? Acho que não vai mudar nada. Se ganhar 1, vão dizer que é muito menos do que Federer e Djoko ganharam, logo continuaria sem poder ser Goat. E se Nadal ganhar 5 Finals seguidos, aí não vai ser Goat pq a partir do ano que ele começou a ganhar as quadras ficaram muito lentas. Até parece que a gente já não conhece o repertório dos haters.

    Vai ser mais divertido o blog se Djoko ganhar…é divertido ver a torcida de federer e djoko se matando.
    Eu torço pro Nadal, mas acho que os comentários pós-Finals vão ser mais divertidos se Djoko ganhar…embora se Djoko for vice pra um da next gen pode ser divertido tb

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Torce pro Nadal e quer que Novak vença ??? . Jamais li tanta repetição de groselhas Kkkkkkkkk . O comentarista acha mesmo que esses medíocres torcedores de futebol que comentam nas horas vagas sobre Tênis , são quem decidirão qual será o tal goat ?… Se liga , parceiro. Para o MUNDO e para os jogadores , essa turma não existe rsrsrs. Abs!

      Responder
    2. Gildokson

      Ou seja, traduzindo… Você sabe que tradicionalmente o Nadal não arruma nem pro café nessa quadra fechada e tá com essa historinha de que vai ser divertido o Djokovic ganhar kkkkkkkkkkk
      Legal, o Rafael deve ser muito feliz de ter torcedores como você que acha melhor que ele perca um torneio pq vai ser “divertido” ver os “haters” comentando.
      Parabéns kkkkkķk

      Responder
      1. Luiz Henrique

        Claro que vou achar bom se ele ganhar, mas duvido que isso mude alguma coisa nesses “debates de Goat”, pelos motivos já falados, pelo menos num debate aqui rodeado de haters. Como sempre disse o Spencer, a torcida predominante aqui é a torcida “Anti The Scanners”
        Se ganhar 5 GS na hard, derrotando Federer ou Djoko em 3 dos 5, e ganhando ao todo 5 da dupla em majors na hard, e disputando 10 finais de GS na hard, e ganhando Canadá+cinci+USO no mesmo, não foi o bastante pra convencer algumas pessoas que ele é excelente nesse piso, não vai ser um título do Finals que mudará isso. Aliás, se ele ganhar vários Finals vão dizer que a quadra ficou muito lenta e etc.

        Responder
  31. Marvin Gaye

    Acho que esse é o Finals com mais potenciais campeões que eu já vi.
    Dos 8, 7 ao meu ver tem totais chances. Djokovic e Nadal tão na vantagem de não terem feito uma temporada longa, não chegam tão desgastados, que seria a vantagem de Federer se tbm tivesse participando.
    Medvedev, Zverev, Theim e Tsitsipas, são jogadores com tênis pra ganhar, ainda que os dois últimos não tenham mostrado coisa boa nos últimos torneios, porém numa temporada curta creio que tudo pode acontecer.
    Rublev, esse aí com ctz é forte candidato tbm, por mais que não tenha passado dos 500, mas lembremos que a temporada teve poucos torneios, muito provavelmente ganharia um Masters 1000 se tivessem os 9, e mesmo numa temporada curta o cara ganhou 5 títulos, tá on Fire.
    O argentino é aquele cara que vão contar quantos games perderam pra ele e qual pessoa isso terá, creio que quem perder pra o argentino nas duas primeiras rodadas vai ter a classificação seriamente em perigo.
    Só lamento Shapovalov não ter terminado no top 10, Berrettini não fez nada essa temporada, ao menos com o canadense terminado daria um panorama do que foi a curta temporada.
    Claro que Federer tbm não merecia ficar entre os 10, porém fez semi de GS, já o italiano fez nada.

    Responder
  32. Edgard Upinho

    Em caso do piso estar mais veloz, quem teoricamente levaria vantagem? eu acho que , em condições mais velozes, zverev e medvedev estariam em vantagem no grupo 1, assim como Tsitsipas no grupo 2. Obrigado.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que um piso mais veloz daria vantagem a Djoko e Medvedev, apesar de Zverev estar sacando bem e indo mais à rede. Concordo com o Tsitsipas.

      Responder
  33. Vitor Hugo

    Bom, qualquer pessoa com o mínimo de bom senso e que acompanha o circuito sabe que, Novak só começou a ganhar de Federer com o suíço já com mais de 28 anos.
    Final de slam, então, Federer com 32, idade que a maioria esmagadora dos tenistas ou se aposentou ou já está longe do auge. Imagia o suíço com 39 anos então..
    Fácil demais colocar os caras no bolso, como estou acostumado a fazer por aqui.
    Dois mil e onze o suíço tinha 29, né? Ok, mas o sérvio tinha 23 e jogou o melhor tênis de sua carreira.

    Bom, vamos falar de outra coisa. É bem claro que Federer é o melhor, segundo a maioria esmagadora dos especialistas, Becker, Sampras, Meligeni, Saretta, Wawrinka, Kyrgios, Thiem, Big Mac, Tsipas, Zverev e etc, assim como o próprio blogueiro.

    Aliás, Sr Fabriciano, nunca vi vc questionar o Dalcim por que ele considerar Roger o melhor da história. Tem medo?

    Fique vc com sua opinião e vou continuar escrevendo o que eu quiser e tiver vontade, de acordo com o que penso e acredito.

    Responder
    1. Paulo

      Djokovic ganhou do Federer a final do masters 1000 do Canadá em 2007. Depois ganhou em 2008 a semifinal do Australian Open e Federer tinha 26 anos. Vai alegar idade? Amigo, foram três finais ganhas em Wimbledon, onde Federer é rei. Federer não ganha dele em Slams desde 2012. Djokovic tem 33 anos e domina. Não tem choro.

      Responder
      1. Paulo F.

        Todo tópico novo do Dalcim e é um tiro de 12 na cara.
        Mas, não adianta, por mais que se apresentem argumentos, o cidadão portador do Transtorno Dissociativo de Identidade vai tentar mentir com relação à idade de Roger Federer.

        Responder
    2. Alessandro Siqueira

      Djokovic ganhou de Federer na semi do Aberto da Austrália de forma contundente quando o suíço tinha VINTE E SEIS ANOS. Nessa altura dos fatos, 2008, o sérvio tinha 20 anos. Ou seja, na idade do Aliassime já derrotava o suíço e sua já bela coleção de slams.

      Responder
      1. Vitor Hugo

        Federer já perdeu até pra Berdych, Tsonga e Puerta quando estava no auge, por que não perderia pra Novak!? Ipon!
        A maioria dos jogos entre eles aconteceu quando Novak estava no auge, e não o contrário.

        Responder
      2. Rodrigo S. Cruz

        Ok.

        Mas em boa parte em face dos incríveis VACILOS que o Roger costuma dar.

        A verdade é que ele desperdiçou chances monumentais, em vários confrontos travados com o “Zé Chilique”.

        Mas nem por isso deixou de mostrar que tem muito mais tênis do que o sérvio.

        Só quem nem sempre o melhor tenista sai de quadra vitorioso.

        Muitas vezes perde pro mais resiliente no lado mental…

        Responder
    3. Luiz Fabriciano

      Vitor Hugo, para começar, sua primeira afirmação é falsa.
      E quanto mais o tempo passa, tu coloca menos caras no bolso, muito em função de suas análises fundamentadas apenas em sua paixão por determinado tenista.
      Ter 32 anos, com a categoria de Federer, é mesmo que nada. O próprio não se cansa de afirmar isso, senão, já estaria há muito desfrutando de seus muitos milhares de dólares nos alpes suíços.
      Quanto a não questionar o mestre Dalcim, não é medo, aliás, desde que não se desrespeite ninguém, questionamentos são absolutamente saudáveis e o Dalcim preferir o Federer, é uma questão de gosto pessoal e não de discutir fatos, como seu caso.
      O maestro, astro etc que é tido por todos os especialistas citados por você, como o melhor de todos, não deveria perder tanto para um mero top 10 da história desse esporte.
      E ninguém o está proibindo de escrever nada uai, continue, faz bem.

      Responder
    4. Chetnik

      “Com 28 anos”. Coitado do Fraud. Já tava decrépito kkkk. Nem parece que, em 2017, já com uns 35, ganhou 3 GS. Essa turma é divertida demais kkkk.

      Responder
    5. Roger Porciúncula

      Vou discordar de você. O melhor ano do sérvio não foi 2011. Foi em 2015. Ele obteve mais títulos, se bem que ele em 2011 jogou um tênis espetacular. Um abraço.

      Responder
      1. Miguel BsB

        Nem Rublev Dalcim…o russo tá voando nos últimos meses. Como vc disse, tem um grande poder de fogo.
        Não tem jogo fácil num Finals quando os jogadores estão bem física e mentalmente. Nem El Peque pode ser considerado um adversário fácil, na verdade, é um osso bem duro de roer.

        Responder
  34. Vitor Hugo

    Em condições normais, Thiem e Tsipas seriam os favoritos do grupo. Mas como não se sabe a condição física deles, aposto em Nadal e Rublev.

    No outro grupo, vejo muito equilíbrio, e creio que as chaves do sérvio de ser eliminado são muito grandes.
    Aposto em Zverev e Medvedev.

    Se Nadal passar, vai cruzar ou com o alemão, ou com o russo, ou com o sérvio, daí creio que tem pouquíssimas chances. Uma zebra mesmo.

    Palpite para os finalistas: Repetição de Paris.

    Torcemos para que o REI de Londres, Austrália e New York, Roger Federer, possa estar presente na próxima edição do torneio prq fazer um 4 estrelas ser um 6 estrelas.

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Se isso fosse um jogo de loteria esportiva, tu apostarias para ganhar dinheiro ou em sua preferência pessoal?
      Outra coisa, se Roger Federer estará na próxima edição não faz parte das apostas da loteria.

      Responder
      1. Vitor Hugo

        Eu vou pela lógica. Zverev já venceu Novak em final de finals e está em bom momento.
        Medvedev acabou de ser campeão em uma quadra parecida com a do finals derrotando Zverev.
        Novak acabou de levar uma surra de um italiano mediano em uma quadra coberta.

        Posso me manifestar e dar minha opinião ou não posso!?

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *