A fronteira final
Por José Nilton Dalcim
9 de outubro de 2020 às 19:38

Roland Garros percorreu 13 dias quase tão frios como seu inusitado clima de outuno, mas a emoção maior ficou reservada para a final masculina de domingo. Como era previsível desde o sorteio da chave, Novak Djokovic e Rafael Nadal irão mesmo decidir um histórico título.

Enquanto o espanhol busca um inimaginável 13º título em 16 participações e o empate com Roger Federer na contabilidade dos Grand Slam, o sérvio pode se tornar o primeiro profissional com ao menos dois troféus em cada Slam e o único a bater Rafa numa final de Paris. Não dá para ser mais eletrizante.

Os números desse duelo são todos gigantes, de estremecer o chão: os atuais líderes do ranking irão se cruzar pela 56ª vez desde que duelaram nas quartas de Roland Garros de 2006, com 29 vitórias do sérvio. Ele também lidera em finais gerais, com 16 a 11. Há empate por 4 em finais de Slam.

Quando se trata de saibro, no entanto, Nadal dá a volta por cima: 17 a 7 no total, incluindo as três mais recentes. Ganhou 6 de 7 em Roland Garros – única derrota foi nas quartas de 2015 – e faturou as duas decisões entre eles, em 2012 e 2014. Com esse domínio, é superior nos confrontos de Slam, com 9 a 6. Não por acaso, Djokovic é quem mais derrotou Rafa em torneios de Slam, mas o inverso também acontece.

É pretensão querer imaginar o que se passa na cabeça tão experiente de jogadores de tais nível e currículo, mas minha impressão é que existe pressão muito maior sobre Nadal. O motivo parece simples: será que haverá uma nova chance tão expressiva de igualar os 20 títulos de Federer?

Essa ansiedade talvez seja menor para Djokovic. Além de estar diante do mega-campeão, para quem uma derrota por qualquer placar seria mais do que aceitável, ele tem ainda um bom tempo pela frente para colecionar troféus de Slam, dentro e fora do saibro.

Então, é razoável dizer que Nadal tem 60% do favoritismo natural, mas que Nole carrega um peso 60% mais leve.

Esforços distintos
As semifinais desta sexta-feira caminhavam para desfechos muito semelhantes, o que reforçaria a imprevisibilidade da final, mas quando o dia acabou vimos Nadal fazer esforço muito menor para derrotar Diego Schwartzman e se manter sem set perdido nas duas semanas, enquanto Djokovic se desgastou fisica e emocionalmente para conter um abusado Stefanos Tsitsipas.

Ao contrário do que eu esperava, Nadal começou defensivo, cauteloso e trocou quebras com o argentino. Mas Peque não repetia a atuação firme de Roma, com um backhand de ataque muito falho. Foi sendo engolido pelo adversário e, cada vez mais solto, Nadal enfim disparou forehands para abrir larga vantagem, além de sacar cada vez melhor. Atrapalhou-se repentinamente com 3/1 no terceiro set, mais trocas de quebra e Schwartzman reagiu. Forçou um tiebreak, em que então sua produtividade foi pífia.

Djokovic sofreu no game inicial e foi só. Muito mais sólido que o grego, precisou salvar um ou outro break-point para chegar a fácil vantagem. Sacou para acabar com a festa no 5/4 e aí tudo mudou. Até então equivocado na ideia de competir com o sérvio nas trocas da base, o grego enfim adotou postura ofensiva, arriscou tudo e de repente virou um leão em quadra.

Enquanto o sérvio se defendia como era possível, Tsitsipas ia para cima. Salvou um caminhão de break-points no quarto set, fez coisas incríveis com o backhand e conseguiu um empate improvável e merecido. Mas o esforço custou o resto de energia que havia e o grego, 11 anos mais jovem, foi quem não tinha pernas no set decisivo. De qualquer forma, exigiu muito de Nole num piso lento e certamente levou uma lição de como se administra uma partida de cinco sets, sobretudo no aspecto mental.

E mais
– Nadal e Djokovic também se aproximam de Federer em quantidade de finais de Slam. Agora Rafa tem 28, uma a mais que Djoko e apenas três atrás do suíço.
– Com 13 decisões em Paris, Nadal tem mais do que Borg (6) e Djokovic (5) juntos. O sérvio igualou Federer, Lendl e Wilander, entre os profissionais.
– O título também valerá a 100ª vitória no torneio para Nadal. Apenas Federer (em dois Slam) e três mulheres (Evert, Navratilova e Serena) já atingiram três dígitos em Slam.
– Este será o 49º duelo entre os dois principais cabeças em finais de Slam na fase profissional e a 10ª em Paris. O número 1 ganhou 25 vezes.
– Sofia Kenin busca às 10h deste sábado seu segundo troféu de Slam aos 21 anos, tentando repetir a campanha notável de Melbourne. Reencontra a polonesa Iga Swiatek, surpresa absoluta do torneio, que a venceu na chave juvenil de Paris há quatro anos.
– O título levará a norte-americana ao inédito terceiro lugar do ranking, superando Naomi Osaka. A polonesa já garantiu o 24º e tentar ir ao 17ª.
– E o tênis brasileiro concorre a mais dois títulos de Roland Garros: Bruno Soares entra em quadra ao lado do croata Mate Pavic depois da final feminina e os garotos Natan Rodrigues e Bruno Oliveira tentam repetir Guga Kuerten e Matheus Pucinelli, que também foram campeões juvenis de duplas em Paris.


Comentários
  1. Maurício Luís *

    Acho pouco provável que o Lógico se manifeste. Deve estar com uma baita dor-de-cabeça…
    O Rei do saibro ficou ainda mais soberano. Não adiantou trocar a data do campeonato, bola diferente, clima úmido e frio, nada. #Segúúúra o HÓMI !

    Responder
    1. Maurício Luís *

      … E PAREM de chamar a menina de Sou Feia Kenin. Quem diz isso é porque não viu o Nadal na hora que acorda, cara amassada, barbudo e descabelado. Na hora de escovar os dentes, já rachou 4 espelhos. A Xisca Perelló vai mandar por um espelho BLINDADO na toillete da próxima vez.

      Responder
  2. Luiz Fernando

    E finalmente Rafa acabou com a dissimulação e admitiu o q o mundo já sabia: ele quer ser o recordista de GS. Está com 20 e… contando. Será q o maior jogador da atualidade vai impedir o 21 em RG 2021, vejo Thiem como franco favorito para este título kkkkkkkkkkkkk…

    Responder
  3. Luiz Fernando

    Aviso aos moradores da Camboriu, não procurem a clínica q atende pelo mesmo nome, não há mais vagas kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Aqui é diversão garantida…

    Responder
  4. JAN DIAS

    Não vi o jogo (preferi dormir), mas acho que deve ter sido uma das audiências + baixas da história do tênis, mesmo com pandemia….kk
    NOLISTAS, peguem o pneu que o DJOKO levou, coloquem na kombi🚐 e escorreguem ladeira abaixo pro 3° lugar, que é o lugar de vocês..
    CHUPEM ESSA SANGRIA!!!!! 🇪🇸🇪🇸🇪🇸
    🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣
    .

    Responder
  5. Paulo Almeida

    O GOAT tomou uma cacetada mesmo do rei do saibro. Não preciso fugir, embora tenha sido foda.

    O que não consigo entender é a comemoração efusiva do pessoal do Estado Federislâmico (termo meu), uma vez que o pobre suíço perdeu em um só fim de semana seus dois maiores recordes: o de Slams e o de semanas como número 1.

    Vai entender a cabeça deles…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Perdeu ? És um brincalhão, caro Almeida. O também candidato a GOAT além de botar DjoKOVID 17 em seu devido lugar , apenas empatou em SLAM . Mas ainda faltam os FINALS . Já o número de Semanas CONSECUTIVAS como N 1 e SEIS Temporadas CONSECUTIVAS como N 1 ( Federer e Sampras) são inatingíveis. Acredito que o mais Velho N 1 do Mundo aí sim o Touro Miura pode alcançar embora ele não esteja nem aí. Disse hoje que talvez não jogue mais esse ano . A conferir. Abs!

      Responder
  6. Bruno Gama

    A Kenin não é feia, parece aquelas meninas gêmeas de Full House que realmente ficaram feias depois que cresceram, mas ela tem um olho bonito e quando ficar mais velha e não tiver mais espinhas até que vai ficar ajeitadinha, tem tenistas muito mais feias que ela, a polonesa que a venceu inclusive.

    Responder
  7. Sérgio Ribeiro

    E o Titio assistindo a FINAL dos Sobrinhos ” Eu abri SEIS de Sampras que tinha aberto Dois de Roy Emerson . Mas um cara que vence 13 SLAM em seu Habitat e mais SETE nos outros pisos ( o número que BIG MAC conseguiu na Carreira ) , merece estar ao meu lado ” . E não foi por falta de aviso pra aqueles manés que tiraram o Touro da briga pelo tal Goat , que estavam no mínimo sendo fanfarrões e fanáticos . Agora o Sérvio que corra atrás do Rei do Saibro e do Rei da Grama ( 19 conquistas ) kkkkkkkkkkkkkkkk Abs!

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Ps. Avisamos que o Touro Miura ao pular o USOPEN viria babando pra RG. Não perdeu Sets com direito a Pneu no aturdido Sérvio que vinha de 5 Sets contra um Next Gen. Dificilmente o Craque não irá parabenizá-lo. A conferir . Abs!

      Responder
  8. Lucas

    Aos torcedores do djokovice, alguns já atribuindo ao sérvio o título de goat: calma, tem 2 caras na frente, o terceiro lugar tá de bom tamanho pro sérvio kkkkkkkkkkkk

    Responder
  9. Rodrigo S. Cruz

    Que cara-de-pau esse Luiz Fernando vir falar de atitude mesquinha.

    Fiquei chocado agora. Juro!

    Que parcialidade desse sujeito.

    Justo ele que passou a VIDA rindo do resultado de 2008.

    Agora quando a gente vai rir do resultado atual, ele diz que isso é ser mesquinho.

    Ah, na boa.

    Vá catar coquinho no asfalto, amigão!

    Responder
  10. Pepe Imazz

    E outra questão: falar que é o segundo maior saibrista da história, nem meu xará acredita. Só faltou falar que “tinha chances de vitória”, como ele disse em 2006. kkk Abs

    Responder
  11. Luiz Fernando

    Engraçado, alguns dos mesmos q em 2011-12 torciam pelo sérvio desesperadamente agora vem aqui menosprezar o cara. Que atitude baixa, medíocre, mesquinha. Tão sofrendo, esses caras não são torcedores, são membros de seita, e vão sofrer mais. 20 e contando kkkkk. Como os caras tão sofrendo kkkkk…

    Responder
    1. Ronildo

      Seu discurso é mega-preconceituoso Luiz Fernando. Ao contrário de você que sempre odiou Roger Federer e odeia até hoje, muitos torcedores do Federer realmente odiavam Nadal. Mas estes, e estou incluído nestes, com o tempo foram respeitando o espanhol cada vez mais. Ou seja, não continuamos insensivelmente torcendo contra Rafael Nadal como você tem feito estes anos todos despejando seu ódio tanto contra Federer como contra seus torcedores. Se Djokovic mudar algumas atitudes, com certeza até ele terá a torcida de alguns da ala federista algum dia.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Onde assino , Ronildo ? . Mas perca as esperanças com o Mane’ . Se finge de admirador de Novak mas tá na cara que seu problema é outro como bem disse o parceiro. Abs!

        Responder
      2. Luiz Fernando

        Ronildo vc é sempre cortes e educado e sempre merece resposta. Vc não estava aqui em 2008, quando Nadal tirou o número 1 de Federer, eu estava, e para ler q tudo decorria de doping, afirmação leviana q aliás perdurou até bem pouco tempo atrás; vc não estava aqui em Fevereiro de 2013, na época do torneio de Vina del Mar, quando Nadal voltou de 6 meses de contusão e tinha grande dificuldade de se mover lateralmente, eu estava e para ler q ele era “aleijado”; vc não estava aqui na época da cirurgia de apendicite do Nadal, quando um cara comemorou. Estas pessoas provavelmente “amam” o Nadal e agora “amam” o Djoko também, não acha? Enfim, não me chame de preconceituoso pq eu não sou, infelizmente com algumas pessoas q frequentam o blog tenho q ser realista, pois não tenho sangue de barata. E depois alguns blogueiros tranquilos q torcem pelo Federer ainda me perguntam pq sempre estou alinhado com a galera do Djoko…

        Responder
    2. Mário Cesar Rodrigues

      Fernando também não acho certo.como não acho certi você torcedor do Rafa de meia tigela. RAFA quem torce por ele mesmo são e um monte de pessoas vc é mesquinho chato .ai Dalcim a bola do Rafa tá curta só esta frase saiu d vc varias vezes vc quer aparecer para os outros anti Rafa.vc é um babaca.

      Responder
  12. Pepe Imazz

    Dalcim, acredito que o Nole precisará dos serviços do meu xará mais do que nunca. Que lavada e que frustração para o número 1! Sugiro aos integrantes da kombi colocar o pneu no porta-malas, pois o caminho para o retiro no sítio esse ano será loongo kkkk Abs

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      E bota retiro nisso . O dono do Sítio Léo Gavião , digo Robson , com certeza mudarão a cor da ” Turbinada ‘”. O ” Goat Paraguaio ” ( sacanagem rs ) veio com muita sede ao pote ( coitado dos Boleirinhos e juízes ) , e passou ZERADO 2020. Essa a trupe não guenta kkkkkkkkkkkk Abs!

      Responder
  13. Rodrigo S. Cruz

    O cara toma pneu do Bellucci no saibro, e agora do Nadal em final de Slam!

    Já dá até pra abrir uma borracharia e contratar o Paulo “Cloneida” como borracheiro auxiliar…

    kkkkkkkk

    Responder
  14. Daniel C

    Vou deixar minha crônica sobre esse atropelamento no próximo post do Dalcim. Aqui só vou deixar a risada para os torcedores fanáticos do sérvio: kkkkkkkkkkkkkkk

    Parabéns Nadal! Bem vindo ao clube dos vencedores de 20 GS! E vc, “Djoker paz e amor”, ser o 3o melhor tá de bom tamanho para seu tênis… rsrs

    Responder
  15. Rodrigo S. Cruz

    E agora, Paulo F. ???

    Como é que você vai sair dessa, hein?

    Vivia se gabando daquela derrota do Federer.

    Nunca te passava pela cabeça que pudesse acontecer PIOR AINDA com o sérvio!

    kkkkkkk

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      O mane’ repetiu isso a exaustão durante anos ( torcedor modinha ) , e o Touro Miura nem precisa estar no auge pra dar Pneu em Final em seu outro freguês de Carteirinha no Saibro de Paris . 7 x 1 te lembra algo Rodrigo ? No total 18 x 7 Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Abs!

      Responder
  16. Luiz Henrique

    Eu ainda acho Djokovic GOAT. Mas Leo Gavio é sua turma tem que aprender que no saibro, Nadal é o melhor, não interessa condições nem nada disso, aceita que dói menos. 13 RG é um feito até maior q 20 slams.
    Mas apesar disso tudo, ainda acho que Djokovic termina na frente…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Um Goat ainda em terceiro, caro Luiz . Semanas CONSECUTIVAS como N 1 e SEIS Temporadas CONSECUTIVAS como N 1 ( Federer e Sampras ) , são inatingíveis. Quanto mais 13 SLAM no mesmo piso. Vai ter que correr atrás dos outros dois no número de SLAM … Abs!

      Responder
  17. Gildokson

    Djokovic é o GOAT sim kkkkkkkkkkkkkkk
    O cara que tomou mais surras do Nadal em RG kkkkkkkkkkkk
    E tinha Nolista achando que ele ia triturar o Nadal, e ainda falam do Federer, nem a semi que o Federer perdeu ano passado foi tão feia. Pelo tamanho do jogo de hoje, o Djokovic frustrou o mundo esportivo sem HUMILHADO em quadra kkkkkkkkkkk

    Responder
  18. Mário Cesar Rodrigues

    Bem vamos comemorar só irei ausentar o Dalcim ele entende mas sobre Rafa ele o Dalcim queria que jogasse plantado na linha espero espero que este atropelo que Rafa aplicou no Nole só quem tem pneu do Rafa numa final em RG e Djokovic e e Federer e vem falar que o Rafa não e agressivo o que foi hoje então?Djokovic assustado parecia juvenil.uma salva de palmas para Rafa todos mostrem que são desportistas e os detradores de RAFA continuem inveja mata.Ivanisevic kkkkqueria ver a cara dele EValdo Medeiros não esqueça o Rivotril.Valeu Rafa.

    Responder
  19. Mike

    ”Nadal não tem chance nessas condições, neste país e com Novak que já entrou na sua cabeça “, afirmou Ivanisevic”

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    A soberba precede a ruína. Entendo que ele tenha que defender o ”produto” dele e tudo mais, mas dizer que nadal não teria a menor chance contra djokovic em um torneio que ele já havia ganhado 12 vezes até então, batido o próprio djokovic 6 vezes lá, aí já é muita preseunção. Ele poderia ter dito que novak teria chances na final, o que de fato era verdade. Agora, dizer que o nadal não tinha a menor chance no quintal da casa dele, foi muita arrogância ou cegueira.

    Responder
  20. Vitor Hugo

    Não é possível, o bagre sérvio entrou em quadra bêbado!? Como pode o ‘invencível ‘ sérvio ser atropelado por Rafa Nadal em final de slam!? Humilhante! Kkkkkk.
    Ladeira abaixo para o maior bagre da história!!!

    Responder
        1. Gildokson

          O cara aí é tão baba ovo do sérvio que ta incomodado com o sarro que os federistas estão tirando kkkkkk
          É capaz de nem comemorar o título do “ídolo” dele. Que coisa hein… kkkkkkkk

          Responder
        1. Gildokson

          Se equivalem NÃO! Não dá nem pra comparar a importância histórica do jogo de hoje com aquele de 2008. O que o Djokovic sofreu hoje foi uma das maiores humilhações da história dos Slans, decepcionando o mundo do tênis que esperava que ele mostrasse que era o GOAT. E no resumo da conversa ficou claro que dos 3 monstros ele é o terceiro kkķkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
          20
          20

          17
          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          Responder
  21. Lucas

    O Djokovice tomou uma surra de criar bicho kkkkkkk. Federer está muito bem acompanhado de Nadal na liderança de títulos de slam. O sérvio ainda olha pra cima quando o assunto é Federer e Nadal.

    Responder
  22. Rodrigo S. Cruz

    Bamoooooos!!!

    kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    6/0, 6/2 e 7/5

    Chupa Paulo F., Paulo Almeida e seus fakes, Jonas e o resto da caterva xiita!

    Cadê o GRANDE Djokoivc muito melhor que o Federer no saibro?

    Toma até pneu em final…

    Responder
  23. ALEXANDRE ADORNO DA CUNHA

    Dalcim, que atropelo!! quem esperava né? depois disso a disputa pelo GOAT pra mim continua aberta e sempre será discutido porque a diferença entre os 3 ,é mínima né?

    Responder
  24. Ronildo

    Parabéns Rafael Nadal 👏👏👏👏👏👏👏👏

    Título merecido. Vinte Grand Slans, igualando Roger Federer.

    Calou a torcida mais fanática que eu já vi na face da terra. Com essa vitoria maiúscula, Rafael Nadal aumentou o recorde mais impressionante dentro do mundo do tênis, depois de ter alcançado 2 dígitos em RG. Foi azarado no sorteio, porém felizmente Thiem caiu antes. Porquê felizmente? Porque uma dura batalha na semi poderia jogar o título na mão de Djokovic.
    De quebra, com 20 grand slans, Nadal e Federer estão num patamar praticamente inalcançável, deixando Djokovic com 16.

    Grande Rafael Nadal, e abaixo todo fanatismo!

    Responder
    1. Ronildo

      Djokovic tem 17 grand slans, mas não vejo como possa ganhar mais. Nadal pode ser mais uma vez campeão em RG, indo para 14 lá e 21 em todos. Federer tem chance em Wimbledom.

      Responder
  25. Rubens Leme

    É muito bom ver o covid do tênis ser espancado deste jeito. Que console suas mágoas com um belo drinque de hidroxicloroquina com água do esgoto batizada pelo guru, com quem dividiu lives constrangedoras. E o tal goran, aquele que disse que o espanhol não teria chances hoje, gorou o milongueiro marqueteiro.

    Desfrutarei de um belo almoço agora: paella.

    E parabéns ao Nadal, o legítimo herdeiro de Borg no saibro por empatar com Federer e deixa o “di menor”, lá atrás com 17.

    Responder
    1. Rubens Leme

      Dalcim, parece que a polícia chamou o Nadal para dar explicações. Motivo: espancar um di menor. Ao que parece, o guri ao invés de chamar a mamãe dizia “guru, guru”…

      Mais tade, voltaremos com novas atualizações.

      Responder
  26. Barocos

    Luiz Fernando,

    Transmita os parabéns pelo 20º título de Grand Slam para o seu jogador favorito, com 13º título em Roland Garros, são marcas impressionantes e mais do que merecidas.

    Nada mal para alguém que muitos torcedores fanáticos de grandes adversários aplicavam a pecha de “baloeiro marombado”, “vitaminado com o suco do tio”, maratenista e por aí vai. Parabéns, Rafael Nadal, o sensacional touro miúra.

    Para alguns, a busca pelo mítico GOAT continua, para mim, esta designação já deixou de fazer sentido há muito tempo.

    Saúde e paz.

    Responder
  27. Gildokson

    Eu concordo com todos os nolistas do blog, realmente o Djokovic é o maior adversário do Nadal em RG kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Varrido da quadra assim como eles tanto tiravam sarro do Federer em 2008 kkkkkkkkkkkkkkkk
    7×1 em RG e um “estupro” em plena final. Decepção total para quem esperava uma grande final.
    Uma coisa eu afirmo agora com CERTEZA!!! Se alguém for o GOAT, esse alguém não é o Djokovic.

    Ps: Como eu disse la embaixo nessa mesma pasta, mesmo à 586mil metros da linha Nadal chegaria nas curtinhas e faria bem mais com elas. Não deu outra!!!

    Responder
    1. Bruno

      Espero que vcs não fiquem muito triste e nem vão tomar um porre de água de esgoto .
      Obrigado Nadal ,segundo melhor jogador de todos os tempos .

      Responder
  28. Vitor Hugo

    Cheiro de pneu queimado, carburador furado….. e BAGREVICE esfacelado!!!! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      kkkkkkkkkkk

      Uma surra de CINTA!

      Cadê o “Tropeço” da Família Adams do blog, o tal de Paulo F. agora?

      Explica esse infame PNEU agora, explica!

      Responder
  29. Barocos

    Parece que o Djokovic vai ter que se habituar com mais um recorde, a maior surra em final de slam entre os principais jogadores do circuito.

    C’est la vie.

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      RENSGAA!! NUUUSSA!!
      CATAPIMBAS!! %&%$#@
      QUASE NÃO VIMOS A COR DA BOLA!! Eu, em função do vinho, e Djokovic porque o “desgraçado” do Touro Miúra joga demais no saibro!! Rrsrsrs…
      Como queimei minha língua ao criticar e fazer chacota de Federer pela sofrível derrota na final de 2008!!! KKKKKKKK
      Ele próprio deve estar rindo-de-rolar com o vareio tomado por Novak Djokovic na data de hoje! QUE ATROPELAMENTO!!!
      O alento é que, ao menos, vencemos mais games que o suíço naquela oportunidade:
      GOAT-DO-SAIBRO x Federer (2008): fáceis parciais de 6-1, 6-3 e 6-0
      GOAT-DO-SAIBRO x Djokovic (2020): fáceis parciais de 6-0, 6-2 e 7-5

      Responder
  30. André Barcellos

    4 a 0 pra Nadal até agora, mas o que vejo é um jogo duro, com os dois jogadores angulando bem as bolas e “contrangulando”. Uma aula de geometria.
    Nadal está jogando acima do que vinha jogando no torneio.

    Responder
  31. Efraim Oliveira

    Acho que essa vitória poderá o divisor de águas pra Novak buscar o recorde de slams, haja visto que nos outros pisos há mais concorrência, e acrescentando o fato de que ele está ficando mais velho e os mais novos amadurecendo. O Thiem esteve perto de ganhar o AO, por exemplo. No Us Open ainda tem a concorrência de Nadal.

    Pra Nadal também deve ser o divisor de águas. Ele tem no Us Open seu segundo lugar seguro, mas cada vez mais os mais novos tem chegado. O Thiem já deu um trabalho enorme por lá. Sem contar que Novak é um grande canditato também.

    Responder
  32. Marcelo

    Bom dia, caros torcedores do Big 3:

    Caso o Nadal ganhe a final de hoje, gostaria de pedir encarecidamente aaos torcedores do Djoko que retirem o Federer das discussoes sobre quem é o GOAT.

    Me acompanhem:
    – Ele virtualmente ja perdeu o recorde de semanas na liderança. (Pertencerá ao Djoko em breve)
    – O recorde de GS ja nao sera apenas dele. Sera compartilhado com Nadal… e contando)
    – Nao tem o recorde de mais finais de temporada como numero 1 (Virtualmente ja pertence ao Djoko);
    – Nao possui o recorde de torneios ganhos (Connors);
    – Nao possui o recorde de masters (Nadal e Djoko disputam palmo a palmo);
    – Nao detém o recorde de boladas em juízes de linha (pertence ao Djoko e … contando!);
    – a grande maioria dos recordes estatísticos pertencem a outros jogadores (e desafio aqui alguém a postar recordes gerais/absolutos onde Federer domine). Por favor, maior vencedor de Halle nao conta!!!!!

    Portando aos mais queridos torcedores do Federer, lamento informar meus caros, mas a disputa para ele terminou. Terá que brigar pela terceiro lugar entre os GOATS. Ali com o Sampras, ou ser lembrado como o melhor jogador da entresafra 2004/2008, ou aind como um bom jogador de grama, o que convenhamos, é muito abaixo do que os “Federistas” esperavam.

    Caso voces discordem, os desafio a citar algum recorde relevante que ele vai mantér para 2021. Caso contrário, é “game over” para ele na disputa.

    Dalcim, esqueci de algo?

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Bom dia prezado Marcelo! Permita-me:
      – Esse recorde de 109 títulos do Connors será, com certeza, superado por Federer
      – O recorde de títulos em ATP 250 será mantido (Djoko e Nadal não terão saco pra isso…)
      – “Patadas” nos pais do adversário (Federer é, virtualmente, o campeão)
      – Aplausos por uma grande jogada do oponente – NUNCA SERÁ! Rrrsss…
      Abs

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Finalmente mostrou a cara caríssimo , William. O recorde de ATP 250 será eternamente de Connors e a empáfia de DjokoVICE e seus torcedores jamais será esquecida . O que fez o Sérvio novamente com os Boleirinhos é inadmissível . A maior SURRA que um membro do Big 3 tomou em Final de SLAM em todos os sentidos kkkkkkkkkkkkkkkkk Abs!

        Responder
        1. Willian Rodrigues

          Eu estou por aqui sempre!! E valorizando o talento dos demais tenistas como Murray, Federer e Nadal!
          Fui o primeiro a reconhecer que recebemos uma “chapuletada” inesquecível! Veja o horário do meu post abaixo…
          Não sou parte dessa arrogância a que se refere não…
          Declarar que o suíço é um “santo”, um autêntico gentleman desde sempre, também é um equívoco…
          Parabenizo a torcida do espanhol. Foi um show mesmo!!
          Abs

          Responder
  33. Daniel C

    Como torcedor do Federer, obviamente não desejava está final. Mas entre os dois, vou torcer para o Nadal. Com o passar dos anos, o espanhol se reinventou, ficando mais agressivo, no saque, na esquerda e nas transições para a rede. Fora que tem um golpe fora de série, aquele forehand, que impressiona pelo peso.

    Já o outro…é o mesmo arroz com feijão de sempre. Troca de direção, bolas fundas e uma curtinha aqui e ali como variação. Sem graça. E além do mais como pessoa parece ter caráter duvidoso. É contra vacina, promove torneio em meio a pandemia sem as medidas de precaução, destrata boleiros e juízes de linha, encara a torcida contra….O tênis deu azar de ter alguém com esses tipos de desvios de caráter ser o maior vencedor da última década. Felizmente acredito que o domínio dele acabará em breve.

    Responder
    1. Carlos Henrique

      Quanta amargura. Inumeras lendas do esporte ja elogiaram o sérvio e o tênis deu azar de te-lo como o maior vencedor da década passada…

      Responder
    2. Willian Rodrigues

      Prezado Daniel C., eu também critiquei duramente esse posicionamento contra vacinas e algumas declarações ou atitudes do Djokovic ao longo da pandemia. Por exemplo, a realização do Adria Tour. Sou torcedor do sérvio, mas, não sou insensato…
      Porém, essas questões relacionadas à forma de tratamento dos boleiros e demais colaboradores do torneio são exageros de seus detratores.
      O sérvio tem um temperamento forte e é um exímio competidor!
      No calor do jogo, algumas vezes se impacienta com a demora de alguns pegadores de bola, mas, não sai xingando ou maltratando nenhum deles; falar de forma mais enérgica requerendo pressa está relacionado à regra dos 25 segundos…
      Puxa, jogar tantas finais com a torcida o hostilizando o tempo todo como aconteceu no US Open 2015 é fo@#$%. Haja paciência mesmo!!
      Com relação à TÉCNICA do sérvio, PERDOE-ME, mas é uma sandice afirmar que ele é deficiente!!
      Como alguém venceria 58 big titles apenas “na raça”??!!!
      Se quiser afirmar que não gosta do estilo de jogo, ou que prefere o do outro, tudo bem…

      Responder
  34. Miguel BsB

    Boa Dalcim! Valeu por ter colocado a biografia do Djoko no bolão, essa eu não tenho….
    Agora vem a parte fácil, que é acertar o placar do jogo…hehe

    Responder
  35. Rubens Leme

    Spiritualized – Ladies and Gentlemen We Are Floating in Space (1997)

    Em algum momento deste planeta, nasceu Jason Pierce, uma das figuras mais excêntricas do rock inglês dos últimos 40 anos e que pilotou dois grupos criativos, embora de pouca fama mundial: o Spacemen 3 e o Spiritualized.

    O Spacemen 3 era um trio – como o próprio nome diz – que mesclava garage rock, com psicodelismo, noise rock e em seu primeiro disco regravaram clássicos sessentistas, como “Rollercoaster”, do 13th Floor Elevators e “Little Doll”, dos Stooges.

    A banda durou nove – 1982 a 1991 – quatro discos de estúdios, três ao vivo, onde Pierce misturou barulhos, microfonias, baladas acústicas, até se cansar.

    No mesmo ano, resolve montar o Spiritualized. Convida sua namorada Kate Radley para entrar no grupo e lançam o belo Lazer Guided Melodies, muitos passos à frente do Spacemen 3, com Kate pilotando teclados e o Spiritualized faz um disco realmente psicodélico, com pitadas de space rock, com influências do kraut rock. A banda acaba sendo convidada para abrir os shows do escoceses do The Jesus and Mary Chain.

    Em 1995, já inserida no movimento britpop, lança outro belo álbum – Pure Phaze – até chegarem em 1997, à grande obra-prima da banda: Ladies and Gentlemen We Are Floating in Space.

    O titulo é roubado de um trecho do livro “O Mundo de Sofia”, de Jostein Gaarder e o disco é quase uma longa suíte de 70 minutos, que “deve ser usada apenas com prescrição médica, ser guardado em lugar seco e longe do alcance das crianças”.

    Se, internamente as coisas iam mal, o disco mostra o grupo no auge da sua criatividade e traz um hit, “Come Together” (nada a ver com o clássico dos Beatles) e reforça o Spiritualized como a maior banda do ano na Inglaterra e o disco supera OK Computer (Radiohead) e Urban Hymns (The Verve), na eleição dos melhores do ano, uma pequena alegria para Jason, que viu Kate casar-se secretamente com Richard Ashcroft, do Verve, deixando uma longa ferida a ser cicatrizada.

    https://www.youtube.com/playlist?reload=9&list=PL8a8cutYP7fpmt3Pc6Bp7OxYwQknxIfT_

    Responder
  36. Luiz Fernando

    Se a final dos sonhos de alguns, o grego vs o hermano, se realizasse seria como uma final do campeonato paulista entre Juventus e Matonense, ou Bragantino vs Novorizontino, como ocorreu uma vez. Quando o Big 3 deixar o esporte o tênis não será mais o mesmo…

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Mais um comentário bisonho , divertidíssimo L F . Não conseguir novamente ver talento no jovem Grego nesses 5 Sets contra o N 1 é uma prova total que a tua Praia e outra. O comportamento respeitoso do N 1 durante TODA a partida, demonstra que ali dentro ele sabia que estava sendo exigido ao extremo . O ” diversão garantida ” vai passando recibos ano após ano. Até mesmo Dieguito merecia mais respeito do torcedor de Futebol. Abs!

      Responder
        1. Sérgio Ribeiro

          Outro comentário dentro do seu nível . Rafa já foi um Next Gen e sabe respeitar os atuais. O Guri não é confuso. Não enxerga mesmo um palmo desse maravilhoso esporte. Somente entende de recibos kkkkkkkkk Abs!

          Responder
  37. periferia

    Belchior Batendo Bola

    -Quero lhe contar como eu vivi….e tudo que aconteceu comigo (Federer depressivo…depois de perder o recorde de slam)

    -Mas também sei
    Que qualquer jogo
    É menor do que a vida
    De qualquer pessoa (Djokovic depois Adria Tour)

    -Minha dor é perceber
    Que apesar de termos
    Feito tudo o que fizemos
    Ainda somos os mesmos (Nadal tentando disfarçar a calvice)

    -Você diz que depois deles
    Não apareceu mais ninguém (Tsitsipas revoltado)

    Mas é você
    Que ama o passado
    E que não vê ( Thiem pedindo a palavra)

    E a juventude (torcedores do blog)
    Tá em casa
    Guardado por Deus
    Contando o vil metal ( espero )

    Responder
    1. Marcilio Aguiar

      Prezado periferia. Grande Sacada!
      Permita-me acrescentar um verso:

      – Por isso cuidado meu bem!
      Há perigo na esquina..
      Eles venceram
      E o sinal esta fechado para nos
      Que somos jovens… (todas as gerações sucessivas de “next gen” que ficaram pelo caminho, se referindo ao BIG 3)

      Responder
  38. Lucas Duarte Parra

    Dalcim,estamos vendo a next gen chegar perto do big three em slams…Medvedev exigiu 5 sets contra Nadal na final do Us Open…Thiem exigiu 5 sets contra Djokovic na final da australia…E agora Tsitsipas exigindo 5 sets contra Djokovic em Roland Garros…
    O que voce acha que falta para eles darem esse passo a mais?Alguma melhora no aspecto tecnico ou apenas a questao do mental mesmo?
    E uma segunda pergunta,hehe…2021 deve ser o ano da troca de bastao ou deve vir mais para a frente?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que falta dosar melhor o físico e acreditar mais. Acho que 2021 definitivamente teremos novos nomes indo longe nos grandes torneios.

      Responder
  39. Maurício Luís *

    Parabenizo o Willian Rodrigues pelas informações interessantes sobre a garota polonesa. Oxalá todos acrescentassem informações como estas… ao invés de ficarem se gabando “o meu é maior que o seu” e outras perdas de tempo.
    Ah, e tem também um SEM NOÇÃO aí que fica falando “groselha”: da sogra com bobs na cabeça, cueca samba-canção do Nadal… desse aí também nada se aproveita. Deve ter fugido de algum hospício.
    Por falar em “groselha”, o título deste post me lembrou as palavras introdutórias da série televisiva Jornada nas Estrelas, da qual eu sou fã de carteirinha. E tomo a liberdade de acrescentar alguma coisinha no final…
    ” O Espaço. A fronteira final. Estas são as viagens da nave estelar Enterprise na sua missão de 5 anos para explorar novos mundos, novas vidas, novas civilizações. AUDACIOSAMENTE INDO onde nenhum homem jamais esteve! ” – O banheiro das mulheres.

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Saudações Maurício Luís! Obrigado por prestigiar alguma coisa que escrevo. Gostaria de colaborar mais como outros fazem por aqui.
      Mas, ainda estou engatinhando a respeito do tênis…
      Aprendendo bastante com o Dalcim e os demais participantes, por sinal.
      Aproveitemos o espaço do Blog.
      Abraços

      Responder
    2. Marcelo

      Caros,

      Aqui todos fugiram sim do tal local (ou mesmo ainda estão lá. Ninca se sabe…). Mas vou lhe contar um segredo. Aqui “eles” sw dividem em dois grupos:

      – No primeiro estão os que já se deram conta da sua “patologia”
      – Enquanto no segundo estão aqueles que se negam a admitir….

      Abç meu Quiridu!

      Responder
  40. JAN DIAS

    Tem como o NADAL e o DJOKO terem uma crise de câimbras e abandonarem a partida ao mesmo tempo, sendo esta declarada sem vencedor, por W.O duplo? 🤣🤣🤣🤣🤣
    (Contém sarcasmo)

    Responder
    1. Miguel BsB

      Jan, torce aí pra, quem sabe, ambos se descontrolem e acertem boladas nos juízes de linha ao mesmo tempo…
      Dupla desclassificação kkkkkkk
      (Também contem sarcasmo)

      Responder
  41. JAN DIAS

    Maiúscula Vitória da jovem polonesa 🇵🇱, título merecidíssimo! 👏🏻👏🏻
    Se ela mantiver esse nível, vai ganhar muitos torneios..

    Responder
    1. Alessandro Siqueira

      Fernando, Nadal ganhou RG ano passado, então não tem como somar pontos, pois já fez a campanha máxima a ser considerada. Na verdade, Djokovic é que pode somar. Ano passado fez 720 pontos com a semi e já tem 1200 da final. Sendo vice, soma 480. Se for campeão, somará 1.280.

      Responder
  42. Nattan Labatto

    Que os jogos comecem para a ala Federista.

    – Se Nadal ganhar empata com a lenda em números de Slam.

    – Se o Djoko ganhar ele se aproxima dois dois em números de Slam e terá algo expressivo que os outros dois integrantes do big 3 não tem, ou seja, 2 Slam em cada santuário (Wb, Rg, AO, Usopen). Somado a isso estará os pontos adquiridos com o título, o que fatalmente o fará empatar com Peter Sampras em números de número 01 ao final de temporada (06) e de ultrapassar a Lenda em números de semana.

    Obs: De qualquer forma, como um bom nolista, torço para que chore a ala FeDal.

    😈Que os jogos comecem!!!😈

    Pra quem os federistas irão torcer?

    Responder
    1. Marcilio Aguiar

      Prezado Natan, vou torcer para o Djoko, porque entre os dois aprecio mais o jogo do sérvio. Ele tem mais repertório que o espanhol, embora este tenha feitos extraordinários com menos recursos que muitos outros, graças a sua grande capacidade de competidor.

      Responder
    2. Miguel BsB

      Não sou Federista, torço pro Hurcacz, sou da ala Hurcaczista do blog! (Acho que por enquanto essa ala é composta apenas por um homem só, mas ainda é tempo de outros se juntarem à nós/eu…).
      Tanto faz quem vai ganhar amanhã, pois o futuro GOAT Hurcacz irá superar todos os recordes deles. Somados.
      Me acompanhem que ainda é tempo!

      Responder
  43. DANILO AFONSO

    RECORDE DE APROVEITAMENTO DE VITÓRIAS

    Dalcim, após consultar os números de Nadal e Djokovic e fazer alguns cálculos, descobri que domingo estará em jogo a liderança do RECORDE DE MELHOR % DE VITÓRIAS. Não vi nenhum site mencionar tal recorde.

    Atualmente os tenistas ocupam a primeira e segunda posição do recorde de aproveitamento de vitórias na história :

    NADAL – 83,24% (998 vitórias / 1199 jogos);
    DJOKOVIC – 83,18% (930 vitórias / 1118 jogos);

    Caso Djokovic vença Nadal domingo, teremos os seguintes números:

    DJOKOVIC – 83,19% ( 931 vitóiras / 1119 jogos);
    NADAL – 83,16% ( 998 vitórias / 1200 jogos)

    Vale relembrar, que em abril de 2016, Djokovic chegou a ultrapassar o NADAL pela primeira vez após conquistar o Master 1000 de Madrid daquele ano, alcançando o sérvio o aproveitamento de 82,92%, mas veio a perder novamente o recorde após a má fase vivida entre 2017 e 1º semestre de 2018 e do ótimo ano do espanhol em 2017.

    Posso estar enganado, mas não acredito que outro duelo na história do tênis tenha colocado frente a frente, em uma final, os dois melhores tenistas em aproveitamento de vitórias e com a possibilidade de mudança do detentor do recorde.

    Os números foram extraídos do site da ATP e acrescido os 6 jogos que cada um fez em RG. Nos outros sites estatístico de tênis, a diferença atual entre Nadal e Djokovic é ainda menor.

    Dalcim, se houver algum erro, peço que você faça as retificações devidas.

    Saudações Tenísticas !!!

    Responder
      1. Enoque

        Em Grand Slams , Borg tem 89,81% (141-16). Isto porque se tornou profissional aos 15 anos, e perdeu algumas partidas nos primeiros anos, afinal era um menino. No final de carreira, também, pois esta desmotivado. Se tirarmos estes 2 períodos, deve dar um percentual de 95%, ou seja, 1 derrota em cada 20 jogos. Absurdo.

        Responder
        1. Alessandro Siqueira

          Borg parou com 26 anos. Como descartar os anos finais dele? Isso não seria espancar os números para que eles confessem apenas o que se quer?

          Responder
  44. Rodrigo S. Cruz

    Bom,

    após as tiradas sadias que como sempre enlouquecem o farisaísmo do segmento “fake-xiita” do blog, vou falar sério.

    O sérvio chega sim, com força e muita confiança para essa final.

    Torço pelo Miúra, mas temo que desta vez as chances ficarão bem próximas para cada lado.

    O Nadal até aqui não teve uma apresentação muito convincente, no saibro.

    Achei que o Schwartzman sentiu muito aquele quinto set contra o Thiem.

    Portanto, o favoritismo do Touro está relativizado.

    Em parte, acredito eu, por conta do quique da bola e do tempo frio, ou seja, o saibro não está tão a sua feição…

    Como acho muito chato quando eles dois se enfrentam:

    que vença o menos pior! (rs)

    Responder
      1. Maurício Luís *

        Só que o número 1 ganha. Se bem que se você tivesse visto o que o Mckenroe e o Jimmy Connors aprontaram, o Djoko ficou parecendo a Madre Teresa de Calcutá.

        Responder
  45. Helena

    Gosto muito do Nadal e do Djoko e como a próxima geração não me encanta, é sempre uma felicidade ver os dois em uma final tão importante (aguardando o Federer no ano que vem pra participar desses momentos também). Ao final, meu sentimento é de que:

    – Se tem algum jogador que merece quebrar uma sequência invicta do Djoko, esse é o Nadal;

    – Se tem algum jogador que merece ganhar de Rafa numa final em RG, esse é o Nole.

    Desejo muito boa sorte aos dois e que possam nos brindar com mais um grande espectáculo. E, se possível, que Djoko saia com o título no final.

    Responder
  46. Miguel BsB

    Não quis me meter na briga lá de baixo, mas vou falar um pouco das bandas citadas:
    Concordo com o Willian. O melhor disco de estúdio do Iron Maiden é o Powerslave. Clássico! Por ter essa discordância, não posso concordar com a melhor música sendo The Trooper (que é um P…clássico tb). Pra manter a coerência, minha música preferida é Aces High, do próprio Powerslave…mas é claro que várias outras entram aí, como o as que o Rubens mencionou também: 2 minutes to Midnight, Flight of the Icarus, The Claivoyant, The Evil that Man Do e tantas outras…
    Concordo com o William nessa tb, a obra prima do Metallica é o Master of Puppets (Tem gente que acha o And Justice for All) e a do Megadeth é Rust in Peace, este sem sombra de dúvidas…
    Pessoal, vamos aprender a respeitar o gosto pessoal de cada um…nós estamos falando aqui de música, heavy metal em particular, o que é legal pra quem gosta, legal conversar sobre isso com pessoas que apreciam o gênero e tem largo conhecimento, mas tem gente que gosta de outros estilos, até sertanejo universitário e Funk…arrrghhh rs. Se tem algo que varia demais, de pessoa pra pessoa, é o gosto musical. Me considero bastante eclético musicalmente.
    Mas, contudo, entretanto, no entanto, o Led Zeppelin, mais conhecida como somente Led para os íntimos, é a MAIOR BANDA DE ROCK DE TODOS OS TEMPOS! Nunca chamei nenhum jogador de tênis de GOAT, mas o Led, eu chamo de GOAT, sem dúvidas rsrs

    Responder
      1. Rubens Leme

        Miguel, como eu disse antes, gastar vela boa com defunto ruim é bobagem. Eu achei essas duas usadas, quase no fim, aqui em casa e resolvi acabar de usá-las com o PA e seu fake Heitor (ou será vice-versa, nunca sei é tudo igual).

        Sobre música, tirando esse sertanejo de hoje, o antigo, tipo Tonico e Tinoco, por exemplo, adoro, porque fui criado no interior e fui muito em festa de peão. Funks das antigas eu também gosto muito. Rótulo pouco me atrai. Ontem passei o dia ouvindo uns discos desprezados do Black Sabbath dos anos 80 – The Eternal Idol e Seventh Starr – e à noite, fui dormir com Beto Guedes e Lô Borges no fone de ouvido. E senti uma baita vontade em ter 10% do talento de qualquer um destes músicos envolvidos nestes discos.

        Volto mais tarde com novas atualziações.

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Que pena você estar acusando o golpe até agora.

          Pior que nem era minha intenção deixar seu ego inflado desse jeito, mas paciência.

          Bom, recomendo que utilize suas velas para o Nadal amanhã. Nem eu e nem o Heitor (creio eu) estamos precisando.

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            E eu recomendo que você abra uma FUNERÁRIA para VELAR a farsa sérvia hoje!

            HAHAHAHAHAHA

            6/ 0 6/2 e 7/5!

            Caixão fechado!

      2. Willian Rodrigues

        HaHaHaHaHa… Espetacular Miguel BSB!
        O pessoal fica discutindo quem é GOAT aqui no blog o tempo todo, e realmente, é preciso considerar que todos têm razão, de algum modo.
        AGORA, com relação ao Rock meus amigos, não tem como haver nada maior que o LED! Indiscutivelmente!
        Eu também me sinto bastante eclético em termos musicais. Por exemplo, em linhas gerais, eu não gosto do gênero sertanejo. Contudo, eu adoro Rolando Boldrin e Almir Sater… Sou fã de Blues e Jazz, especialmente os mais antigos. Ouço bastante música clássica…
        Ao final das contas, o negócio é a arte pela arte. Admiro qualquer música boa, bem-feita, com inspiração. NUNCA curti muito muito as músicas feitas com finalidade única comercial.
        Tenho a mesma visão sobre cinema… Ao longo da minha vida, assisti a muito mais filmes FORA do circuito hollywoodiano do que o contrário.
        Aliás, não sou exatamente um cinéfilo como alguns aqui do Blog, mas terei a ousadia de sugerir uma trilogia à qual já assisti mais de uma vez. Krzysztof Kieślowski: “A Liberdade é Azul”, “A Igualdade é Branca” e “A Fraternidade é Vermelha”. O primeiro deles é estrelado por uma atriz que admiro demais,
        Juliette Binoche. Pra falar a verdade, eu sonho com ela frequentemente… KKKKKK Que ninguém me ouça aqui em casa… Ou melhor, leia…

        Responder
    1. Paulo Almeida

      Acabei não falando do Maiden mais abaixo e, como aqui está menos poluído, aproveito para dizer que meu álbum favorito é o Somewhere in Time, com destaque para as faixas Caught Somewhere in Time, Stranger in a Strange Land e Alexander The Great. Os caras até flertaram com o progressivo na época, com belos arranjos, quebradas e mudanças de ritmo e solos maravilhosos do Adrian Smith.

      O Powerslave é sim um puta álbum, faz parte da era de ouro da banda, mas vou discordar de você: a própria Powerslave e Rime of the Ancient Mariner são DISPARADAS as melhores faixas da obra-prima.

      Bom, quanto ao Led, eu realmente não entendo essa idolatria de vocês com tantas bandas concorrentes tão boas quanto ou melhores. Que tal a maior rival Deep Purple? Rs.

      Abs!

      Responder
      1. Miguel BsB

        Sim, gosto muito das 2 tb. The Rime of The Ancient Mariner e Powerslave são f…!
        Cara, Led é Led, pelo menos pra mim…mas, sou fã de Deep Purple tb e Black Sabbath. Aliás, como estamos falando de Heavy Metal, essas 3 bandas provavelmente são as 3 grandes inspirações dos músicos e bandas que vieram em seguida e criaram o gênero metal pesado.

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Com certeza e já receberam a alcunha de Santíssima Trindade ou Tríade Maldita por isso, rs.

          O Judas Priest veio um pouco depois, em 1974, mas pode ser considerada como uma grande influenciadora do metal oitentista também.

          O Kerry King do Slayer cita os ingleses de Birmingham como sua principal inspiração.

          Responder
      2. Willian Rodrigues

        DEEP PURPLE já se aproxima bem mais do Led Zepellin! Eu diria até que o legado é quase tão grande quanto, pela quantidade de excelentes álbuns.
        Ontem ainda eu estava ouvindo um álbum deles de 1984, salvo engano: PERFECT STRANGERS. Há muito teclado, mas ainda assim eu curto demais.
        Uma das obras-primas deles é Smoke on the Water. MACHINE HEAD (1972) está entre os melhores discos do hard rock. Possuo um disco de vinil do Made in Japan tão “zerado” que sou mais ciumento dele que da minha esposa.
        Uma boa pergunta seria: Ian Gillan ou Ronnie James Dio?
        Aí peguei pesado, porque ambos são colossais e passaram pelo Black Sabbath. Rrrsrs…

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Willian, terei que tomar novamente uma posição contrária à sua, rs.

          O legado do Deep Purple é muitas vezes maior do que o do Led, principalmente porque os caras estão na ativa desde 1968, ou seja, há 52 ANOS! Assim como o Perfect Strangers e o Machine Head citados por você, eles ainda produziram os excepcionais In Rock, Fireball, Burn, Stormbringer, The Battle Rages On, Purpendicular e Abandon (estes dois últimos com o Steve Morse na guitarra).

          Eu considero Deep Purple mais heavy metal do que hard rock, mas esse rótulo fica a gosto do freguês.

          Com todo respeito ao Gillan, as três maiores lendas dos vocais são Ronnie James Dio, Rob Halford e Bruce Dickinson, o BIG 3 do heavy metal.

          Responder
  47. Marco

    Dalcim, não acha que as condições atuais favorecem mais ao Nadal que o Djoko?]

    Explico: a bola não está quicando tão alto, ok, mas em compensação a bola está bem mais lenta, o que favorece o estilo de jogo do Nadal, diferentemente do Djoko que preferiria uma quadra mais rápida, imagino.
    Ok acha?]

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Na teoria, você está certo, Marco. Porém o Nadal já disse várias vezes que prefere um saibro mais veloz, em que seu topspin fique mais agressivo e não freie tanto após o quique no piso.

      Responder
      1. Bruno Gama

        Teve aquela final entre os dois em 2012 que o Nadal tava atropelando com o tempo seco, foi só a quadra ficar úmida que o Djokovic começou a mandar no jogo até a paralisação, no outro dia com sol e a quadra seca o Nadal voltou a jogar bem e fechou o jogo. Acho que entre os dois essa diferença de agora pode pender pro lado do Djokovic.

        Responder
  48. Lobovic

    My body is burning, it starts to shout
    Desire is coming, it breaks out loud
    Lust is in cages ‘til storm breaks loose
    Just have to make it with someone I choose
    The night is calling, I have to go
    The wolf is hungry, he runs the show
    He’s licking his lips, he’s ready to win
    On the hunt tonight for love at first sting

    Vamos Novak! Só falta uma.

    Responder
  49. Alison Cordeiro

    Tive o privilégio de ver as duas semi-finais, algo que ainda não havia conseguido ainda em Roland Garros. Minhas impressões:

    El Peque não tem armas para encarar o espanhol, todos sabíamos.
    Mas poderia ter apertado mais o mega campeão. Acho que sentiu o peso do jogo. Mas merece parabéns pela ótima campanha, mandou muito bem. Nadal, por outro lado, nem precisou elevar o nível.

    Tsitsipas é um ótimo jogador, estava muito abaixo e quando esteve contra as cordas bateu um “espírito de Stanimal” nele e começou a arriscar tudo e acertar tudo. Foi admirável como reagiu e empatou o jogo. Djoko soube segurar as emoções, desta vez não estava tão irritado, e mesmo quando perdeu os depois sets foi por mérito do adversário, que começou a salvar sucessivos break points com uma coragem incrível. Deve ter pensado que já estava perdido mesmo, foi pro tudo ou nada. Mas a consistência de Djoko é de outro mundo, e sobrou no quinto set.

    Lamento por aqueles que preferem que a rivalidade com Nadal e Djoko seja maior que seu gosto pelo tênis. São 36 títulos de Slam em quadra. O confronto mais repetido da história. Dois fabulosos tenistas. Quem fala que ambos não tem técnica e habilidade apenas o faz por pura provocação. Não há como não reconhecer o talento inato desses dois gênios. E não poderia ser diferente para viverem na mesma era de outro gênio, Roger Federer.

    Precisa ser mesmo um ET para igualar e superar os recordes do suíço com ele em atividade. Vai ser um jogaço!

    Responder
      1. Alison Cordeiro

        Hahahah valeu Sérgio! Bora curtir esse clássico. O sentimento é parecido com o Federer x Nadal no AO de 2017 ou a final de WB do ano passado. Você pode torcer para um, para outro, ou até contra os dois, mas não pode deixar de admirar os maiores de sua era.

        Responder
        1. Gildokson

          Mesmo sentimento que tenho, apesar de ter torcido muito para esse jogo não acontecer, ele me causa a mesma empolgação daquelas partidas, mesmo com Federer saindo “prejudicado” é lindo ver uma final tão histórica mais uma vez.

          Responder
    1. Sandro

      Diego Schwartzman tinha sim como encarar Nadal, tanto que o fez há poucos dias e saiu vitorioso da partida. O fato é que o duelo épico cotra Dominic Thiem que se arrastou por mais de 5 horas, minou as forças de Schwartzman para um confronto contra Nadal que sequer havia perdido um set nesse Roland Garros. Thiem exigiu até a última gota de suor de Schwartzman que saiu exaurido de quadra. Nadal é um monstro no saibro, mas não é imbatível ,tanto que perdeu para o mesmo Schwartzman dias atrás. Porém, é muito difícil ganhar do Nadal 2 vezes seguidas no saibro, ainda mais depois de uma batalha de mais de 5 horas contra o Thiem.

      Responder
      1. Alison Cordeiro

        Curti muito a campanha do El Peque, mas jogos de 5 sets são outra tipo de competição. Mesmo 100% e tendo batido antes Nadal, a chance de fazer isso de novo era mínima. Precisava estar num dia muito inspirado, e contar que Nadal não achasse soluções para neutralizar o argentino. Mas esse é o diferencial desses jogos: o Big 3 já viveu de tudo nesses jogos, conhecem todas as fórmulas. Ser menos que espetacular contra eles é pouco. Nadal fez 3×0 longe do seu melhor. Se precisasse subir o nível, não tenho dúvidas que o faria. A vitória em Roma foi excelente para Schwartzman, mas com Nadal com ritmo e no lugar onde é o menor, não acho que teria chances.

        O que Nadal já fez em Roland Garros nos deixa uma certeza: para vencer ele, tem que aproveitar TODAS as chances. Se deixar ele respirar, já era. Talvez Djoko possa ser o cara, acho que é o único com essa capacidade de superar o fantástico espanhol no saibro.

        Assim como um dia vi esse mesmo Nadal vencer Federer em Wimbledon, ver Djoko ganhar seria incrível. Mas se Nadal ganhar é justo também. Teve um tempo que eu torcia contra Nadal e Federer, até perceber que era besteira minha. Quando eles pararem o tênis não será o mesmo.

        Responder
  50. Ronildo

    Realmente, depois que Iga varreu da quadra Simone Halep eu comecei a perder as esperanças quanto a sucesso de Kvitova dentro do torneio. Nunca vi ninguém vencer Halep daquela maneira!

    Iga me pareceu uma mistura Murray-Kuerten. Porque Murray? Porque Murray era o único jogador que vi Paulo Cleto dizer que jogava pensando! Porque Gustavo Kuerten? Por causa de sua incrível criatividade dentro de quadra!

    RG 2020 ficou em boas mãos, com IGA!

    Não me peçam para escrever seu sobrenome!

    Responder
  51. Ronildo

    Infelizmente, é com bastante tristeza que reconheço estar chegando ao fim a carreira da mulher mais charmosa, mais elegante, da postura mais autenticamente de realeza dentro do mundo do tênis! Postura, que comparada ao universo masculino, vejo similaridade apenas com Roger Federer!

    Foi uma pena para a história do tênis ela ter batido na trave tantas vezes quando estava quase alcançando o número 1 do Ranking!

    PETRA KVITOVA

    ETERNAMENTE!

    Responder
  52. Miguel BsB

    Na boa, qual é a graça de assistir uma final de Slam dessas que termina 6/4 6/1 em pouco mais de 1h?
    Não dá nem tempo de tomar uma cerveja…
    Acho que tá na hora da mulherada começar a jogar melhor de 05 sets nos Slams, pelo menos, pelo menos, na Final…
    Eu ia ficar indignado de pagar um ingresso caro e assistir um jogo desses resolvido em pouco mais de uma hora…

    Responder
    1. Sandro

      O problema não foi a quantidade de sets, mas a enorme superioridade do fenômeno polonês que não tomou conhecimento da Sou-Feia Kenen Chupa-Cabras…
      Acho que a Azarenka seria a adversária ideal pra enfrentar Iga Swiatek nesse Roland Garros 2020.
      Espero que em 2021 Kim Clijsters volte com tudo após curtir a maternidade, o circuito feminino está carente de uma jogadora como a Clijsters…

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        ” Sou-feia” kenin.

        Opa! mais uma vez uma expressão da minha autoria faz sucesso no pedaço.

        E a moçoila é feinha mesmo. Não vi o jogo, mas já estava na torcida pela polonesa…

        kkkkk

        Responder
  53. Luiz Fernando

    O tênis feminino é sempre mais imprevisível e equilibrado e num cenário como esse vencer RG sem perder sets é algo extraordinário. Grande menina, grande performance, grande mental. Título merecidíssimo p Swiatek…

    Responder
    1. Sandro

      Fenômeno mesmo!!! Vencer Roland Garros com apenas 19 anos, sem perder sets e, acima de tudo, ATROPELANDO SIMONA HALEP com um 6/0… Essa jovem é um EXTRA-TERRESTRE!!!

      Responder
    2. Willian Rodrigues

      Permita-me Luiz Fernando. Que coisa linda o tênis jogado por essa polonesa! E que história interessante. PRESTEM ATENÇÃO AÍ BRASILEIROS!! Iga Swiatek fez um comentário muito importante a respeito da relativa demora em deslanchar no circuito, em comparação a Cori Gauff, por exemplo, que aos 16 anos já estava fazendo estragos por aí. Trata-se do fato da Polônia ser um dos países pouco desenvolvidos do leste europeu, com poucos torneios de expressão, inviabilizando as trocas de “wild cards” com outras federações. Em virtude disso, ela teve frustrações e foi obrigada a disputar inúmeros torneios Future e Challenger até obter pontuação suficiente para entrar nos qualificatórios de grandes torneios. ISSO VOS LEMBRA ALGUMA COISA…??
      E numa das primeiras oportunidades em que rompeu a barreira do qualy, vejam no que deu!! Aplausos para uma das novas estrelas do circuito!! Dará muito trabalho a essas que já são uma realidade… Circuito feminino vai nos brindar com grandes duelos nos próximos anos: Gauff, Swiatek, Barty, Podoroska, Osaka, Kostyuk, Kenin, etc., não necessariamente nessa ordem.
      Abraços

      Responder
  54. Jonas

    Vi poucos comentando a respeito, já que a maioria está se preocupando em chorar antes da hora.

    Esse recorde de semanas, pelo que li, já foi pro saco. A tendência é o Djokovic ampliar essa distância de semanas, já era pra ter quebrado esse recorde aliás.

    Com a vitória de ontem sobre o grego Stefanos Tsitsipas pela semifinal de Roland Garros, Novak Djokovic somou mais 480 pontos no ranking e com isso, vai terminar o ano como nº 1 pela 6ª vez (recorde empatado com sampras).

    A ATP decidiu que por causa da pandemia, os jogadores não perderão os pontos de classificação até o dia 8 de Março de 2021 e como o Thiem fez final do AO e o Rafa as quartas, mesmo que somassem pontos, eles não tirarão o número um do Nole.
    Em outras palavras, Nole tem a garantia de quebrar o recorde de Federer porque, a essa altura, Novak conquistaria sua 311ª semana como nº 1. do mundo.

    De qualquer forma, não é oficial, mas creio que deve acontecer mesmo.

    Quanto à final senhores, mais do mesmo. Boa parte dos que odiavam Rafael Nadal, pela quantidade enorme de surras, com Federer no auge, hoje odeia Djokovic e se apoia em qualquer tenista com potencial, como Thiem e Tsitsipas.

    Achei bizarro um sujeito comentar que o grego tinha mais recursos que o sérvio. Ontem ele foi humilhado com aquelas deixadinhas do n1, abs.

    Responder
  55. Robson Couto

    Dalcim, bom dia. As melhores versões de Nadal e Djokovic foram respectivamente 2013 e 2015, certo? Então atualmente eles estão jogando a que porcentagem dessas épocas? ( caso você considere outro ano de melhor fase, por favor se baseie nele)

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que os dois evoluíram na parte técnica, e isso explica como se mantêm em algo nível até agora. Fisicamente, Nadal caiu um pouco mas Djokovic talvez esteja no mesmo padrão, apesar dos problemas mais constantes. Então eu acho que Nadal estaria 80% e Djokovic mude perto, senão melhor do que em 2015.

      Responder
      1. Jonas

        Me parece que o serviço do Djokovic melhorou bastante de 2015 pra cá. Só não vejo o sérvio tão sólido do fundo de quadra como já foi.

        Aquelas paralelas de backhand do Djokovic sumiram, deve ter perdido a confiança na jogada.

        Responder
      2. Carlos Henrique

        Além da parte física, vejo que o Nadal involui tecnicamente no saque e na base, com muitas bolas que mal chegam ao T. O Nadal do US Open de 2013 foi a sua melhot versão no conjunto da obra. Mas, vejo que evoluiu no jogo de rede.
        Quanto ao Novak, houve uma notoria melhora nos serviços, graças ao Goran. Novak de 2015 não venceria o Nadal e Federet nos WB 18 e EB 19. Mas piorou na base. Também acho que houve um decréscimo na parte mental.

        Responder
        1. Victor

          Rapaz… Deve ser um tormento pro dalcin ler essas besteiras que vocês escrevem rs… Como um jogador se mantem no posto de número 1 mesmo ficando mais velho?.. Só tem uma forma.. Ficando melhor ainda na parte técnica.. Qualquer jumento sabe disso. Até porque ninguém está dormindo.. Os outros jogadores melhoram a cada dia tanto tecnicamente, quanto na parte física. Deixa de besteira. Vocês para tentar tirar o mérito do jogador ficam criando essas teorias malucas..Se você faz um trabalho com comprometimento e esforço.. É óbvio que com o tempo a habilidade vai aumentar.. O autoconhecimento.. Quanto de força usar.. Quanto correr.. Hoje o cara sabe tudo isso muito melhor do que antes.. Além da melhora em todos os fundamentos.. É óbvio que a força e agilidade pode ser inferior mas.. A qualidade técnica é superior hoje em dia… E lembre-se.. Ele se mantem mesmo sendo o tenista mais estudado de todos.. O tempo faz isso.. Você se torna o alvo e mesmo assim o cara continua dominando? Para de show.

          Responder
  56. Evaldo Medeiros

    Bom dia Dalcim e a todos. Estamos vivendo um momento ímpar na história do tênis. Lembrei da música do Raul Seixas: “O dia em que a terra parou”. Esse é um título que se encaixou bem para o auge da pandemia, em meio à quarentena planetária. E neste momento
    atual do tênis, fazendo um paralelo, eu diria que o mundo do tênis vai parar amanhã por algumas horas. Creio eu que a esmagadora maioria das pessoas que vivem do tênis, jogam tênis ou simplesmente apreciam a modalidade, vai parar amanhã para ver a final de RG. Imperdível!!! Vamos, Nole!!! Que venha o rei do saibro!! Hehe.

    Responder
  57. Babidi

    Eu achei que esses dois sets que o Tsitsipas ganhou contra o Djokovic foram muito parecidos com os que ele ganhou contra o Federer na Austrália em 2019. Passava sufoco em praticamente todos os games de saque, mas em todos os break points ele conseguia subir o nível pra se salvar. Só não foi assim no quinto set porque o grego caiu muito de produção, e o Djokovic devolveu com maestria.

    Sobre essa final de amanhã, creio que será um dos jogos mais importantes da história do tênis pelos feitos que estão em jogo. Os dois estão a um passo da glória, cada um com um motivo para se tornar ainda mais poderoso dentro desse esporte.

    E ao meu ver, isso só mostra o quão importante foi o brilhante ano de 2017 para o Federer. Aquela final inesquecível contra o Nadal foi uma sobrevida para o seu mais importante recorde, e tirou um peso muito gigantesco das suas costas, tanto que ganhou 2 dos 3 Slams seguintes que disputou. Só que agora está impossível adiar o inevitável

    Responder
    1. Jonas

      Bem observado. Além dos méritos do grego, achei estranha a postura do Djokovic nos break points. Ele estava recuando demais, tentando forçar o erro do grego. Perdeu várias chances assim.

      Não imagino o sérvio com essa postura contra Nadal.

      Responder
      1. Alison Cordeiro

        O grego vinha errando bastante, imagino que Djoko confiou nessa irregularidade dele. Mas Tsitsipas achou bolas espetaculares, atuou de forma corajosa e incrível, provavelmente Nole ficou tão surpreso quanto a gente que assistia. Mas a vantagem era grande e ele seguia pressionando o saque do grego, que vertia sangue para confirmar o serviço. Foi o melhor momento do jogo. Pena que Tsitsipas tenha sentido algo e caído tanto, o último set poderia ser daqueles decidimos na última bola.

        Responder
  58. Danilo BR

    A pressão está toda com Nadal, pois é a única chance real de Slam que ele tem todos os anos, ao passo que Djokovic está muito mais sossegado pois será amplo favorito nos dois próximos Slams (Austrália e Wimbledon). Sejamos francos que a versatilidade de Djoko é muito maior que a de Nadal e Roland Garros é o maior ganha pão do espanhol. A carreira de Nadal ficaria seriamente comprometida se ele deixasse de vencer Rolanga pois 2 ou 3 anos seguidos. Inclusive esses prováveis 20 Slams de Nadal com 13 Rolangas não tem o mesmo valor que os 20 de Federer e os 17 de Djoko pela questão da versatilidade maior do suíço e do sérvio.

    Responder
    1. Miguel BsB

      Como assim? O espanhol venceu o USOpen do ano passado e o de 2017…
      Pode ainda vencer Slams em quadra dura sim. Ainda mais se der “sorte” e seus principais rivais ficarem pelo caminho.
      Acho que a pressão vai ser grande para os 2 amanhã, tem muito em jogo pro Djokovic tb, e talvez essa seja a sua maior oportunidade de vencer o Nadal em uma final de RG.

      Responder
      1. Evaldo Medeiros

        Vou te explicar: 2017 e 2019 Nadal pegou chave baba no Us Open. Não pegou nenhum top 30 até à final. Esses 2 slams tiveram cara de atp 250.

        Responder
        1. Miguel BsB

          Falou uma grande m…bobagem.
          Federer e Djokovic estavam lá. Se não conseguiram chegar à final, azar o deles…o Touro chegou e levou.
          Ficou explicado pra vc ou quer que desenhe?

          Responder
    2. Sandro

      Roland Garros é o torneio mais difícil, mais desgastante do tênis mundial. Roland Garros é a cereja do bolo na carreira de qualquer jogador de tênis. Roland Garros é tão difícil que até fenômenos como Federer e Djokovic só tem um título. Djokovic vai tentar seu segundo título mesmo sendo o número um há bastante tempo. Então, tem que respeitar muito quem vence Roland Garros.

      Responder
    3. Vinicius Chaves

      E os 4 US Open que ele ganhou? Nem o super sérvio da quadra dura conseguiu. Tem 2 títulos em Wimbledon. Pode tirar 2 anos do Nadal em RG, nos últimos anos ele reinou no US Open. Você tem Alzheimer? Nunca viu tênis na vida hahahaha.

      Responder
  59. Rubens Leme

    Dalcim, um contraponto. Enquanto a França volta a temer o covid e Paris restringe horários para bares, restaurantes e em estádios de futebol, os jogadores voltaram a se cumprimentar à rede. Esse relaxamento é temerário, embora os atletas não tenham sintomas etc mas seria bom que eles dessem exemplo e tocassem apenas com as raquetes. Pode parecer um ato frio, após partidas tão emocionantes e tensas, mas seria o mais recomendado neste tempos.

    A pandemia está longe de terminar, embora o congestionamento monstro de 268 km nas rodovias de SP ontem, pareça desmentir o fato.

    https://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2020-10/alerta-maximo-contra-covid-19-ameaca-fechar-restaurantes-de-paris

    Responder
  60. Luiz Fernando

    Agora esta final de RG é uma injustiça, como é q o melhor jogador de tenis da atualidade não estará em quadra kkkkkkkkkkk? Aqui é diversão garantida kkkkkkk…

    Responder
    1. Paulo F.

      Nobre Luiz Fernando, esqueceu que ele também é o segundo melhor saibrista dos últimos três anos!
      Sendo que o campeão de Madri do ano passado e de Roma deste ano é outro!
      Hahahahahaha

      Responder
  61. Ronildo

    Vou torcer para que o Nadal ganhe, mas sei que o sérvio vai vencer. De qualquer maneira, não vou assistir o jogo kkkkkk, não aprecio este tipo de tênis. Tênis que gosto de assistir da parte de homens é o tênis jogado por Federer, Wravrinka, Tsitsipas, Sinner, Dimitrov, Casquet.

    Responder
  62. Marcelo Calmon

    Dalcim,

    Apesar dos placares apontarem o oposto, achei o Nadal muito mais errático que o Djokovic. O Schwartzman apesar de ter melhorado muito, não é um jogador tão agressivo como o Tsitsipas. O Thiem se fosse um pouco mais agressivo já poderia ter eliminado o argentino sem tanto esforço, esteve na frente em sets que acabou perdendo, era pra ter fechado em 3 x 1, mas o “se” não vale nada.
    A dupla do Natan/Bruno se ganhar , seria a primeira dupla 100% brasileira a ganhar um slam ?
    abs

    Responder
  63. Daniel C

    Bem, eu provavelmente irei fazer outra coisa durante o jogo. Não me chama a atenção. Pra mim, são jogos chatos, com pouca variação e trocas de bola em excesso, entre dois maratenistas. Quem goste que desfrute.

    Agora é decepcionante que as gerações mais novas, mesmo em um ano de pandemia, no qual poderia ter todo o tempo do mundo para se preparar e evoluir bem, ainda não conseguem encontrar uma fórmula para o jogo pragmático de Nadal ou Djokovic e tirarem vantagem da juventude. É ridículo que um jogador como o grego, 10 anos mais jovem, canse antes do sérvio no 5 set, assim como é ridículo até tenha jogado tão mal nos dois primeiros sets numa semi de GS. Sem falar na final do US Open que teve um nível técnico risível, especialmente no final. Só o Thiem evoluiu um pouco, mas logo decepcionou ao precisar de 5 sets pra derrotar o Gaston.

    Enfim, Nadal e Djokovic, que não têm nada com isso, estão aproveitando essa fraca concorrência mais jovem nos últimos 10 anos pelo menos e engordando o CV

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Analise por um outro prisma… Que tal admitir que Djokovic possui sim, inúmeros recursos técnicos e, por esse motivo (variações de jogadas, mudanças constantes de direção, drop-shots muito bem-feitos), exauriu todas as energias do grego???!!

      A explicação para o fato de Tsitsipas estar “batido” no 5° set me parece óbvia!!

      Responder
      1. Carlos Henrique

        Exato. É obvio ululante, diria.
        O grego fez um esforço mental hercúleo. Salvou inumeros BP por mais de 1 hora em um piso que não é o seu melhor. Quando o mental fraquejou, o físico foi embora.

        Responder
  64. Efraim Oliveira

    Vi que o pessoal discutiu muito sobre Tsitsipas ter cansado; eu penso o seguinte quanto a isso: o big 3 possui talento e físico privilegiado, o restante dos tenistas não. Exceto o Thiem que já mostrou que pode competir a um nível alto por cinco sets. Ele já provou isso indo ao quinto set contra Nadal e contra Novak fazendo quintos sets dignos. Os demais tenistas se exaurem pra tentar tirar essa diferença de talento no jogo, daí quando chegam ao quinto set os caras já estão mortos.

    O big 3 + Thiem estão em outro patamar.

    Responder
    1. Robson Couto

      A primeira pergunta que fica é se o tsitsipas não cansou justamente devido a tática imposta por Djokovic: ele chamou o grego diversas vezes para a rede e todos sabem de seu talento em mudar a direção da bola, o que faz com que o adversário se desloque bastante. A segunda pergunta é se eles têm um físico privilegiado em relação aos outros o que fazem de diferente? Provavelmente a resposta está em uma maior dedicação e comprometimento, então mais um ponto que confirma que estão onde merecem estar.

      Responder
  65. DANILO AFONSO

    DALCIM, soube agora de madrugada que a ATP decidiu que os pontos de janeiro a março de 2020 irão durar até 2022, isto é, até o encerramento dos torneios daquele intervalo de meses.

    Assim, DJOKOVIC permanecerá até 2022 com os pontos conquistados no ATP CUP (660 pontos), AO (2000 pontos) e ATP Dubai (500 pontos). Tal decisão que foi tomada a pedido de muitos tenistas, quase que garante que DJOKOVIC alcance as 311 semanas na liderança e passe a ser detentor do recorde mais difícil do tênis.

    É isso mesmo ou eu interpretei erroaneamente ??

    Responder
  66. Chetnik

    Vai ser o maior jogo da história do tênis. O mais importante. Se o Djoko perder, pelo menos mais um recorde que o Frauderer perde – isolado, pelo menos – kkkk.

    Responder
  67. Luiz Fernando

    Graças s Deus q o federista mais pé frio, o Pessanha, já se tornou nolista de carteirinha, apreoango 30 pro servio, é uma handicap imensurável p Rafa vencer kkk…

    Responder
  68. Marlon

    Será que se Djoko ganhar teremos um texto do Chiquinho, Dalcim? Kkkkk. Nesse tempo q o Federer está fora do court, Chiquinho num ta tendo chance de escrever sobre ele! Kkk. Dalcim vlw por ser um profissional imparcial e seus comentários e textos são excelentes! Um abraço!

    Responder
    1. Marcelo-Jacacity

      Marlon,
      Cansei de ver o Chiquinho no Ace BandSports elogiar efusivamente o Djokovic! Ele admira demais o sérvio, já deixou bem claro isso, inclusive no blog dele aqui no tenisbrasil.
      Saretta é outro cara fenomenal (mesmo palmeirense…rs), que reconhece a magnitude do sérvio para o tênis.
      A Dadá Vieira, idem, mesmo sendo fã n. 0 do Nadal.

      Responder
  69. Enoque

    Só adiantando o ranking. Mesmo se não ganhar, o Djoko já acrescentou 480 pontos, chegando a 11.740. O Nadal, mesmo ganhando, não acrescenta e fica com os 9.850, ou seja 1.890 atrás. O Thiem mantem os 9.125, com 2.615 atrás.
    Em Paris o Nadal pode acrescentar 640 e no Finals 1.100, ou seja 1.740.
    Já o Thiem pode acrescentar 910 em Paris e 700 no Finals, ou seja 1.610.
    Só falta conferir se este ano vai ter o ATP Cup.
    De qualquer maneira a liderança está praticamente garantida.
    Eu acharia melhor pro Djoko, não jogar em Paris, onde já tem 1.000 pontos garantidos e partir pra Viena onde seria recebido como um Rei e acrescentaria 500 pontos com facilidade.

    Responder
    1. Kleber Araujo

      Vi no bolamarela hoje, que os pontos de jan a mar/20 irão durar 2 anos tbm. Procede, Dalcim??

      Se sim, me parece líquido e certo que o Record de semanas vai ser ultrapassado em março, já que djoko não precisa defender atp cup, AO e Dubai (pouco mais de 3k pts)…

      Responder
  70. periferia

    Dois filmes…o fato muda…depende de quem olha.

    Rashomon (1950) Akira Kurosawa.
    Com Toshiro Mifune
    Uma mulher….um lenhador ….um bandido e um espírito…cada qual com uma versão do mesmo fato.

    12 Homens e Uma Sentença (1957) Sidney Lumet
    Com Henry Fonda
    O poder da opinião…do
    convencimento…a derrubada do “senso comum”.
    (tem uma refilmagem com Jack Lemmon…tão boa quanto)

    Responder
    1. Rubens Leme

      A versão clássica, do Lumet, é uma aula maravilhosa de como o ser humano prefere agir antes de pensar, deixando-se levar pelo tal senso comum e seus preconceitos enraizados.

      O segundo, bem inferior, é dirigido por William Friedkin, diretor de Operação França e O Exorcista e que tinha um ego descomunal, maior do que o do Coppola na época. Ele ainda era sádico, pois Ellen Burstyn conta que se feriu gravemente na coluna na cena do Exorcista em que ela é jogada na parede, porque fui puxada com extrema força por uns fios. Ela já tinha reclamado da violência do puxão no ensaio, pedido ao diretor para que fosse mais suave. Ele concordara, mas na hora da filmagem, mandou o pessoal puxar sem dó. Segundo ela, o berro da cena foi real, tamanha a dor.

      Responder
      1. periferia

        Olá Leme.

        O filme do Lumet é algo para se pensar.
        Um roteiro perfeito.
        Atores de qualidade
        Um diretor “esperto” (tirou a profundidade das cenas )
        E o principal….um único cenário….uma sala.
        Qualquer um…com talento…poderia fazer um filme assim…

        Abs

        Responder
        1. Rubens Leme

          Pois é… junte um estupendo diretor, com um ótimo elenco e grande roteiro e você transforma uma quase peça de teatro – já que 90% do filme é dentro de uma sala – em uma obra-pima do cinema.

          Responder
          1. Rubens Leme

            Tem um filme meio chato do Woody Allen, Melinda & Melinda, que se inspira mais ou menos em Rashomon, com uma diferença: dois roteristas partem de uma mesma história e um constrói uma comédia e outro, um drama.

            Rashomon é um dos maiores filmes já feitos. Akira era um gênio atormentado, um artista magnífico. Seus storyboards eram obras-primas. Uma pena que diretores como ele já não existem mais.

  71. Mário Cesar Rodrigues

    Tem uns comentários bizarros o Rafa sab e jogar agressivamente mas ao mesmo tempo penso que ele jogando um pouco mais atrás é vício aprendeu assim.Rafa vai ter de melhorar o saque e jogar bola no centro onde está o Djokovic as paralelas vão ter que se cirúrgicas e o back cruzado matar o ponto.E aprofundar bem a bola não tem outro jeito tem que correr riscos a devolução do Nole para mim é a melhor Vamos Rafa!

    Responder
  72. Barocos

    Pelo jeito, a ala fanática da torcida do suíço está assim dividida:
    – uma parte torce para que o Nadal perca;
    – uma outra parte torce para que o Djokovic perca;
    – a maioria torce para que os dois percam.

    Saudações nolistas !!!

    Ajde, Djokovic !!

    Responder
    1. Gildokson

      Barocos, eu to vendo a coisa pelo lado bom, um deles vai perder com certeza.
      Agora quem deve ta meio perdido mesmo é a recente ala “ex nadalista/agora nolista” kkkkkkkkkkk Esses nem sabem pra quem torcer no domingo.

      Responder
    2. Chetnik

      Acho que domingo, qualquer o resultado, não vai haver ninguém fazendo churrasco com picanha para comemorar, kkkk. O que vai ter é muita gente com “cara de cachorro que caiu na mudança”, kkkk. Inclusive o Esquerda de T-Rex.

      Responder
    3. Rodrigo S. Cruz

      Isso mesmo, Barocos!

      Concordo DUPLAMENTE com você:

      1° essa final é uma desgraça para corações federistas como o meu. kkkkkk

      2° “Ajde Djokovic – sim porque ele vai precisa de toda “AJUDA” desse mundo pra não tomar outra sova do Touro numa final de RG. (contém ironia)

      Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Pffff

            Eu nem vi isso.

            Até aprece que vou ficar lendo palavra por palavra de cada um, pra saber se isso vai repetir ou não.

    4. Marcelo

      Totalmente equivocado. Pensamos assim, “coleguinhos”:

      – Poucas vezes vimos alguém tao em pé de igualdade com o Nadal em uma final de RG;
      – Que tenhamos uma bela partida de tênis na final;
      – Que vença o melhor;
      – Que belo post do Dalcim (mais um). É um misto de inspiraçao e conhecimento sobre o esporte;
      – Desejamos que os torcedores do Djokovic (naçao Nolista) deixem logo a fase de “ninfa”, onde sua metamorfose ainda está incompleta, e possam alcançar a fase adulta o mais rapidamente possível, para poder curtir os ultimos anos do BIG 3 disputando o circuito juntos, pois praticam um tênis de “outro planeta”.

      Garanto aos recèm saidos da fase de larva que não haverá nada parecido num futuro tão próximo!

      Responder
      1. Willian Rodrigues

        Muito bom comentário!
        Realmente, cada vez mais, aprecio um bom jogo de tênis em detrimento AO jogo do atleta para quem eu torço!
        Se houver mesmo um bom trabalho de recuperação pela equipe do sérvio, essa será a final de RG mais equilibrada que esses dois já protagonizaram!

        Responder
    5. Ivan

      Barocos,
      em público vai predominar o discurso “blasé” de dizer que vão torcer para o Nadal. Em casa, vão torcer loucamente pelo “dark horse”. Super normal!
      Abs!

      Responder
    6. Sandro

      HeHehe!!! Gostei do seu comentário!!! Acho que a torcida FEDERalista está mesmo torcendo para os dois, Nadal e Djokovic, perderem… Na verdade, a final ideal para os torcedores do Federer seria Schwartzman x Tsitsipas, torceram muito para isso, mas não deu… Djokovic e Nadal são realmente os melhores do mundo, Federer ficou pra trás…

      Responder
  73. Roger Fedeiros - O Dilema!

    Dilema fedoriano:

    “Para quem vou torcer? Se um ou se outro tamo si… ser ou não ser? Eles serão?… ou o ex quase futuro provavelmente nunca mais goat nunca foi?… kkkkkkk… ô vida cruel!

    Responder
  74. EDVAL CARDOSO

    Acho que deveriam mudar as avaliações dos comentários aqui nesse blog, e barrar os comentários idiotas, porquê chamar de bagre um jogador como Djokovic, é a mais pura idiotice. Nessa final,o favorito, somente pelo histórico é o espanhol,mas pelo que demonstraram até aqui,da Djoko.

    Responder
  75. DANILO AFONSO

    Hoje o SECADOR dos torcedores mais fanáticos do FEDERER deve ter queimado de tanto que torceram contra Nadal e Djokovic.

    Essa é final dos sonhos que eles tanto pediram…kkkk

    Eu torci também para o espanhol desde início do torneio, pois caso Djokovic ficasse pelo caminho ou perdesse a final para o espanhol, iria me contentar com ele empatando no número de Slams. Ele também merece muito.

    Saudações Nolistas !!!

    Responder
    1. Sandro

      A final dos sonhos dos FEDERalistas era Schwartzman x Tsitsipas, mas o que era sonho virou um tremendo de um pesadelo e temos Djokovic x Nadal…

      Responder
  76. Marcelo-Jacacity

    Passei muito nervoso hoje! Tá louco.

    No domingo vou torcer para o azarão Djokovic. Estranho dizer isso, mas é a verdade. Nadal em Roland Garros é favoritaço.
    Nessa posição de menos protagonismo, Novak mais leve e não tendo nada a perder se tornará muito perigoso para o espanhol.
    A pressão está com o Nadal.

    Responder
  77. Rodrigo S. Cruz

    Palavras do próprio Djokovic:

    “Crédito para ele por lutar e conseguir empatar o jogo. Ele simplesmente jogou um tênis fantástico, principalmente no quarto set, quando enfrentava os break points. Ele é um lutador e um dos melhores jogadores do mundo. Havia muita coisa em jogo para ele. Mas no final, acho que ele ficou sem gasolina. Foi aí que eu aproveitei as minhas oportunidades quando eles foram aparecendo e fechei a partida em grande estilo”.

    Exatamente, caro Novak!

    O senhor disse tudo.

    SÓ o que você sabe fazer, né mesmo?

    “Gastar” a gasolina do teu adversário, até que as pernas dele pifem, e você ” herda” a vitória.

    Parece ate a tática que o Jonny Kreese usou, quando mandou o Bobby acertar a perna do Daniel Larusso.

    Aí o Jonny Lawrence do Cobra Kai quase ganha por W. O.

    kkkkkk

    Só que a vida quase nunca imita a arte.

    E se no filme, o Daniel pode voltar e ganhar com o “vôo do Grou”, aqui a conversa é outra.

    Na vida real quem “rouba” sempre GANHA, e o Djoko quebrou o grego!

    kkkkkkkk

    E vem cá, Novak… Que conversa foi essa de “fechei em grande estilo” ?

    Toma vergonha, né? (rs)

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Primeiro que o Djoko só ACHA que a gasolina do grego acabou (não distorça suas palavras) e segundo que a estâmina invejável que ele tem é pouco para explicar por que é esse monstro todo. Venceu o jogo de jogo principalmente pelas suas jogadas de cracaço incontestável.

      Fechou em grande estilo mesmo, surrando por 6-1 no quinto set e metendo devoluções monstruosas no último game.

      Pare de buá buá e snif snif que já está feio.

      Responder
    2. Chetnik

      6×1 e 3 winners de devolução no game final. “Estilo” para vocês é perder final de WB com 40-15 no saque.

      PS: Djoko, como é usual, teve mais winners do que o adversário.

      Responder
        1. Chetnik

          Obrigado. São sempre lembranças doces. Volta e meia eu revejo. Gostaria de retribuir o favor, mas não lembro de nada equivalente que lhe trouxesse conforto. Desculpa.

          Responder
    3. Daniel C

      Rodrigo, nenhuma surpresa. É um jogador que ganha se alimentando dos erros e do cansaço físico ou mental dos adversários. Pra ganhar 20 GS derrotando os adversários na bola, indo pra cima, demonstrando superioridade técnica e executando belas jogadas que encantam os espectadores, só nascendo de novo.

      Abs

      Responder
  78. rafael

    Realmente é incrível como o blog consegue nos transmitir a realidade dos jogos. Eu sempre espero esse pós jogo.
    Mestre, o Djoko plenamente recuperado terá a maior das chances em RG, não? Além disso, não vejo o Nadal com a mobilidade surreal de sempre.
    55% 45% djoko?

    Responder
  79. Paulo Almeida

    Nação GOATista, o fato é que o craque absoluto do tênis novamente jogou o fino do fino com seu talento imensurável.

    O sérvio vacilou na hora de fechar? Vacilou, mas vejo muito mais como mérito do Tsitsipas ter evitado o match point e depois engrossado o jogo do que demérito dele.

    Foi um JOGAÇO, ambos jogaram muito e adivinhem quem terminou com mais winners? Sim, o “passador de bolinhas”, rs.

    Além do Pessanha, quero saber quem mais da ala federista fará parte da nossa torcida no domingo. Afinal, sim, existem caras (poucos) que ainda sofrem mais com as derrotas pro Nadal entre 2005 e 2014 do que com as de 2014 a 2020 pro Djokovic.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Ora, vejam!

      “nação goatista”.

      Finalmente este rapaz conseguiu postar algum termo que não tenha sido “Control C +Control V” dos outros!

      kkkkk

      Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Verdade, e eu confesso!

      Desta vez, o fake do nosso “dileto” Almeida matou a charada.

      Chega até a doer na minha ALMA uma final assim.

      Isto era tudo que eu não queria! kkkkkk

      Mas já que essa tragédia tenística ocorreu e não tem remédio, vou torcer pro Touro Miúra!

      Responder
  80. Rodrigo S. Cruz

    Fiquem bastante tranquilos, senhores nolistas.

    No domingo, a contusão “mandrake” do sérvio embusteiro ressurgirá das cinzas como a Fênix.

    Tudo que o Nadal tem a fazer é abrir 2 sets a 0.

    kkkkk

    Responder
  81. JAN DIAS

    Eu sei que o DJOKO tem o melhor físico do tênis, não discordo, mas um cara de 22 anos terminar o jogo exausto e ofegante enquanto o de 33 sai de boa, sem aparentar nenhum cansaço é algo que não consigo entender…
    E não falo só do grego: ZVEREV, RUBLEV e MEDVEDEV já terminaram jogos contra o BIG3 visivelmente mais desgastados que os trintões… Genética boa faz diferença, mas tanta assim? 🤔
    E, além da parte física, o que me espanta também, é que o BIG 3 tem muito mais sede de vencer que essa molecada nova, vc vê nos “coroas” a motivação, a vontade… já nos novos…💀
    Não à toa o BIG 3 vem dominando o circuito há 20 anos, e, como eu disse uma vez aqui, DE SARRO, é capaz da Next Gen aposentar e os “velhinhos” continuarem aí ganhando Slams…

    Responder
    1. Daniel C

      Exatamente, Jan, bem observado. Eu não acredito nesse lance de genética. Alguma coisa esses jovens estão fazendo errado. O Federer enfrentou uma concorrência mais nova cheia de gana e físico melhor (os próprio Nadal, Djokovic, além de Murray e Del Potro). Estava curioso para ver como esses lidariam por sua vez com jovens cheio de vontade e físico tão bom quanto (ou melhor). Mas infelizmente não “apareceram” jovens assim até agora.

      Responder
    2. Sandro

      Não se trata de genética, mas sim de preparo físico e mental, o desgaste do grego foi tanto físico quanto mental, Djokovic conseguiu fadigar o grego no seu psicológico e isso afeta o seu físico, não acredito em diferença genética, até porque o grego é muito atlético.

      Responder
  82. FELIPE EDUARDO DE SOUZA ROSA

    Mestre, boa noite! Acho q tá equivocada sua colocação de que o sérvio lidera por 11 a 6 nos Slams. Tenho quase certeza de que Rafa tá na frente nesse h2h, por 3 ou 4 vitórias.
    E como comentei num post anterior, acho que Nole leva e se tornará o maior de todos nesse Domingo.
    Embora minha torcida, desde que “nasci”, seja por Rafa! Ele tb é Mestre de achar um jeito de ganhar RG nessas horas (vide 2014, que tb achava Djoko favorito), não? Um grande abraço e vamos assistir à mais um capítulo de uma das mais belas histórias desse maravilhoso esporte.

    Responder
  83. Paulo Sérgio

    Dalcim, você escreveu que Djokovic “tem ainda um bom tempo pela frente para colecionar troféus de Slam, dentro e fora do saibro”. Mas a diferença de idade entre ele e Nadal é de menos de um ano, ou seja, nas condições normais, eles devem parar de jogar muito próximos um do outro. Por que você escreveu isso?
    Você acha que Nadal só tem chance de slam no saibro?

    Responder
  84. Carolina

    Na final de domingo, gostaria de ver um entre dois possíveis cenários:

    1) Muito vento na quadra e vitória do Djokovic em 5 sets, após 5-6 h de jogo. O ponto decisivo pode vir de uma dupla falta do Nadal.
    2) Um jogo com o teto fechado e vitória do Nadal em 5 sets, também após 5-6 h de jogo. O ponto decisivo pode vir de um winner de devolução.

    Responder
    1. Sandro

      Meu sonho de consumo seria que a vitória fosse num “tie break”, mas como em Roland Garros não tem “tie break” no quinto set, a vitória teria que ser no terceiro ou no quarto set… De preferência um 3×1 com 7/6 no quarto set. E o ponto decisivo poderia ser um drop shot desconcertante para atrair o adversário à rede seguido de um lob indefensável… Um final cruel, dramático, com requintes de novela mexicana, depois de um tie break disputadíssimo com muitas trocas de bola, mini-breaks sucessivos, trocas de liderança no placar, enfim: um 3×1 com 6/7, 7/6, 7/6, 7/6.

      Responder
      1. Gume

        Caro Sandro,

        Cruel mesmo, além do que você expôs e após as declarações do Nadal à respeito, seria uma vitória do sérvio, quando o Nadal estivesse aguardando o saque na arquibancada, sacando por baixo.

        Abraços…

        Responder
  85. Barocos

    Foi um belo jogo, não tanto no começo, quando o jovem grego tentou competir com as mesmas armas que o Djokovic, mas a partir do 9º game do 3º set quando o Djoko falhou em finalizar a partida e o Tsitsipas finalmente resolveu alterar sua estratégia e passou a utilizar um estilo com muitos golpes agressivos. O jogo foi outro por 13+ games e pudemos observar todo o potencial deste talentoso, nervoso e orgulhoso jogador. Com um elevado risco, num dia bom, também surgem recompensas excepcionais, e estes games foram generosos em expor ambos, os riscos e as recompensas. Do meu ponto de vista, e contrariamente aos argumentos de alguns frequentadores deste blog, não foram, principalmente, as pernas do grego que falharam, foi a insistência em correr riscos pelo grego que finalmente premiou Djokovic no início do 5º set, vieram então o choque mental e com este, o desânimo. O resto é história agora.

    Para quem não se lembra da dolorosa derrota imposta ao Djokovic pelo Wawrinka em 2015 neste mesmo palco, tudo parecia se dirigir para uma vitória relativamente tranquila do Novak ao final do 1º set, no 2º, Wawrinka ligou o “seja o que os deuses quiserem!” e passou a disparar seu belo backhand em bolas que seguiam rápidas e caprichosas rentes as linhas. O sérvio corria para todos os lados, com se a vida dele dependesse disso, mas Stan conseguiu manter o padrão por grande parte dos 3 sets seguintes. Como no caso do grego, também eram bolas arriscadas, ao contrário do ateniense, mesmo quando falhou algumas vezes, Stan não se deixou abater.

    Ambos foram belos e emocionantes jogos. Que seja também belo o confronto entre os maiores rivais da história do tênis mundial!

    Ajde, Djokovic!

    Quy serra serra

    Responder
  86. Fernando C S

    Dalcim, o que acha que houve – em sua opinião – com Djoko no 3º e 4º sets? Claro que tudo ok ele perder os sets para Tsitsipas. E seria ok até perder o jogo. O placar não foi necessariamente o problema, mas a atitude. Parece que ele ficou apático, meio encurralado taticamente. Q acha?

    Responder
  87. FILIPE

    Tenho sentimentos ambivalentes. Torço para o Nadal por um lado, porque Roland Garros é o reduto do touro miúra e igualar Federer seria magistral; por outro lado, torço também por DJoko, pois seria o único a vencer ao menos 2 slams, sem contar que o sérvio ainda não perdeu e estamos no mês de outubro. Bom, não importa. Quem vai ganhar sou eu, assistindo a maior rivalidade da história do tênis.

    Responder
    1. Willian Rodrigues

      Excelente comentário! Sou torcedor do Djokovic, mas, também torci demais por esse embate na final porque desejo assistir a mais uma partida épica antes desses dois se aposentarem. Será sensacional, com certeza! No mínimo, espero um jogo longo e equilibrado. O quartil de carneiro já está marinando desde hoje… Vinho branco (umas 3 garrafas) já separado… Domingão será o dia de curtir mais um espetáculo. HeHeHeHe

      Responder
  88. Fernando C S

    Dalcim.

    Apesar de estar seguindo de perto Nadal e Federer em número de Slams acho mais provável bater o recorde de semanas no topo. Acho que Federer e Nadal têm sim lenha para queimar … Q acha? Pq em sua opinião Nadal tem um pouco mais de favoritismo?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Me parece tudo muito aberto nessa briga pelos recordes. Mas Djoko está muito perto de garantir o de semanas na liderança, que talvez já fosse seu se o circuito não tivesse parado. O favoritismo do Nadal é por conta de seu histórico, de suas atuações nesta edição sem perder set e pelo respeito obrigatório que qualquer adversário tem de ter quando o encara na Chatrier.

      Responder
  89. Marvin Gaye

    Cada vez mais a conta vem batendo na porta de Federer, os Slam’s jogados fora tão fazendo a diferença.
    Dalcim, se Federer soubesse que isso iria acontecer, será que ele teria uma postura diferente naquele 5×4 e 30-0 do segundo set da final do US Open de 2009???
    Tenho certeza que se fosse Nadal ou Djokovic com 15 GS naquela final não estariam nem aí e teriam engolido o argentino.

    Responder
    1. Daniel C

      Marvin, pois é, o suíço jogou fora algumas oportunidades e que podem fazer a diferença. Mas fazer o quê? O culpado é ele mesmo rs. Principalmente em relação à teimosia de trocar de raquete e insistir numa raquete de tamanho 90’ pra lidar com as bolas cheias de efeito do espanhol no backhand de 1 mão. E vale notar que algumas oportunidades desperdiçadas contra os rivais valeriam como “2”. 1 GS a mais na conta dele e 1 a menos na conta dos rivais.

      Abs

      Responder
    1. Willian Rodrigues

      Admirável Rubens Leme! O grande referencial da música nesse blog! Muito bom perceber o quão eclético é seu gosto musical…
      “The Trooper” ainda é pra mim a melhor música da história dessa banda.

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Willian, me desculpe a intromissão, mas o negócio do Rubens Leme são as década de 60 e 70.

        Dos anos 80 até os dias atuais, principalmente no que se refere a metal, acho que há conhecedores mais profundos por aqui, inclusive você.

        E esse disco do Iron Maiden é um lixo, rs.

        Responder
        1. Willian Rodrigues

          Que isso, Paulo Almeida! São as subjetividades da vida… Eu mesmo já discordei do Rubens Leme aqui quando ele mencionou Prince (aaarrgh!), mas, sem problemas… O cara é uma enciclopédia da música mundial! Rrrsss…
          Na verdade, aprecio mais o Hard Rock do que o Heavy Metal em si (ciente das divergências em relação a essa classificação). Embora eu tenha o privilégio de manter na memória, shows de Metallica e Anthrax em suas épocas mais áureas, ainda no início da década de 1990. Conheço muito bem toda a discografia do Iron Maiden. A melhor música é The Trooper, mas, o seu melhor trabalho, pelo conjunto da obra, ainda é o álbum Powerslave. Master of Puppets do Metallica e Rust in Peace do Megadeth estão entre os melhores do metal. Post Scriptum: Dave Mustaine é melhor quitarrista que Hetfield e Hammett juntos! HaHaHa…

          Agora Paulo, na boa, afirmar que o trio canadense Rush (gosto muito) supera o Led Zepellin??!!!
          Em nenhum universo paralelo isso é plausível !! Ôloko
          Até mesmo para “ateus” e “agnósticos” musicais, isso é uma blasfêmia!! KKKKKKKKKK
          Abraços a todos

          Responder
          1. Paulo Almeida

            Blasfêmia onde, cara?

            Eu acho Rush muito mais banda mesmo e tenho certeza que milhões espalhados pelo mundo também pensam da mesma forma, tanto pelo talento individual dos membros e pelas composições quanto pela longevidade. Os caras tocaram em alto nível por 40 anos e o Led ficou preso ali nos anos 70.

          2. Willian Rodrigues

            Prezado Paulo, mas se até mesmo os caras do Rush já declararam que nunca atingiram a sonoridade e a técnica do Led Zepellin!!
            Eles abriram shows do Led durante uma turnê e reconhecem a grandiosidade dos caras.
            Somente a música “Kashmir” já leva o prêmio! Daí eu brincar com o termo “blasfêmia”… KKKKKK
            MBORA torcer para o Djokovic doutrinar o Nadal em Rollanga amanhã!
            Abraços

          3. Paulo Almeida

            Declararam onde? E se for verdade, foi apenas uma falsa modéstia, rs.

            Sinto muito, mas o Led não tem nada perto de 2112, Xanadu, Cygnus X-1 1 e 2, La Villa Strangiato e Natural Science.

            Sim, idemo amanhã!

      2. Rubens Leme

        Quando ouvi pela primeira vez – com 13, 14 anos – The Number of the Beast, fiquei assustado, sem deixar de ser cativado pela música. Ela, 2 minutes do midnight e Flight of Icarus ainda são minhas favoritas.

        E meu disco da donzela favorito é o Somewhere in TIme, que quase ninguém curte.

        Responder
        1. Rubens Leme

          Paulo Almeida acabou de repetir um dos defeitos mais criticado neste espaço, de boa parte dos seguidores Djokovic: arrogância. Como é antipatizado devido à sua falta de educação e imposibilidade de manter uma discussão civilizada sem ofender, precisa apontar sua bazuca para alguém com o intuito de desdenhar quem é apreciado por um assunto no qual ele gosta, mas pouco escreve ou quando escreve são poucas linhas e de maneira arrogante.

          No passado chegou a ser criticado pelo Dalcim, quando falou que o Rush massacrava o Led Zeppelin, em termos musicais e na comparação dos instrumentistas, basta descer a barra de comentários (https://tenisbrasil.uol.com.br/blogs/blogdotenis/index.php/2019/10/07/xangai-em-tres-atos/).

          Dalcim encerrou a discussão dizendo “Ótimo você dizer isso, atesta sua absolutamente falta de conhecimento. Assunto encerrado.”

          Mas, se te faz feliz, que entenda mais do que eu de metal dos anos 80, pois isso não é uma competição para mim. Divido meus textos entre rock dos 60 aos dias atuais, Jazz, MPB, Samba, Soul, reggae, além de cinema, livros, futebol, e tenho meu site próprio de música e me divirto com isso, enquanto você parece detestar o mundo e precisa deixar bem claro em cada postagem.

          Responder
          1. Heitor

            Vc falar de arrogância é muita incoerência. Há tempos bato nessa tecla aqui: vc tem muito conhecimento sobre muitos assuntos mas é muito arrogante.

          2. Rubens Leme

            Senhoras e senhores conheçam meu stalker oficial do Blog do Dalcim: Heitor.

            Heitor resolveu me “homenagear” a cada postagem minha, lembrando que conheço muito sobre vários temas mas sou muito arrogante. Na gíria do cinema, seria aquele “fã que ama te odiar”.

            Imagino a tristeza e a orfandade que deve ter sentido quando me ausentei por uns tempos. Seja bem vindo, Heitor e não se esqueça de cobrar a mensalidade do meu fã-clube. Fiquei sabendo que temos vários inadimplentes. Como espera que eu compre mais discos e livros deste jeito?

          3. Paulo Almeida

            Caramba, se doeu todo porque sua área de conhecimento (pelo menos no rock) é aquela que citei? Sério mesmo que tem coragem de chamar alguém de arrogante? Rsrsrs.

            Eu acho Rush muito mais banda do que Led Zeppelin mesmo e penso que o Dalcim respondeu ali de forma mais apaixonada, pois prefere os ingleses.

            Não minta, eu já escrevi vários bons e longos textos sobre rock, mas você foca mais em bastidores e fofocas das bandas, o que não me interessa tanto. Prefiro falar de álbuns e do talento dos músicos. Não me vejo como seu concorrente aqui também, mesmo porque o que temos em comum é basicamente o gosto pelo hard e progressivo setentista.

            Bom, no geral não vou muito com a sua cara também. Não admite que o PT é uma organização criminosa e ataca covardemente o Djokovic.

            Até.

          4. Heitor

            Stalker nada. Só leio o que vc escreve. Ou não é para isso que vc tb escreve, ser lido?

            Vc bem que gostaria que eu tivesse ficado triste com a tua ausência. Ou, como vc mesmo não cansa de dizer, “vcs é que perdem qdo fico sem escrever”. É ou não é arrogância?

            Sobre te pagar, não tenho filhos deste tamanho.

            Por fim, aprenda a ser humilde como o Dalcim, que dá um show de conhecimento e humildade.

          5. Rodrigo S. Cruz

            é isso mesmo, Rubens.

            O cidadão que você citou deve odiar o mundo mesmo, coitado…

            Ah, e reparou que um dos fakes dele (Heitor) se uniu imediatamente contra você ?

            Deus do céu, que comportamento deprimente…

  90. DANILO AFONSO

    DJOKOVIC X NADAL NO SAIBRO

    A rivalidade Djokovic x Nadal no saibro totaliza 24 jogos no intervalo de 14 temporadas (2006 a 2019), com retrospecto amplamente favorável a favor do espanhol – 17 x 7.

    Entretanto, podemos separar o duelo em dois períodos bem definidos:

    2006 a 2009 – NADAL 9 X 0 DJOKOVIC

    Roland Garros – Nadal 3 x 0 (jogos)
    Roma – Nadal 2 x 0
    Hamburgo – Nadal 1 x 0
    Monte Carlos – Nadal 1 x 0
    Madrid – Nadal 1 x 0
    Copa Davis – Nadal 1 x 0

    Melhor de 5 sets – Nadal 3 – 0
    Melhor de 3 sets – Nadal 6 – 0

    2011 a 2019 – NADAL 8 X 7 DJOKOVIC

    Roland Garros – Nadal 3 x 1
    Roma – empate 3 x 3
    Monte Carlos – Djokovic 2 x 1
    Madrid – empate 1 x 1

    Melhor de 5 sets – Nadal 3 x 1
    Melhor de 3 sets – Djokovic 6 x 5

    Se no primeiro período Djokovic foi presa fácil, não vencendo nenhum jogo, porém no outro período (última década) quando Djokovic elevou seu nível de tênis, o confronto tornou-se equilibrado, principalmente nos jogos melhor de 3 sets.

    Responder
    1. Barocos

      Grande Danilo !

      Como sempre, suas intervenções são extremamente reveladoras. Não há como negar que o sérvio aumentou em muito a sua competitividade a partir de 2010.

      Saúde e paz.

      Responder
    2. Marcão

      Importante recorte, prezado Danilo. A partir de 2011, a conversa passou a ser outra, mesmo no saibro. O plano A de Nadal, soltar balões no revés esperando que a bola encurte ou vá pra fora, não se mostra tão eficiente contra Djokovic. Essa final tem tudo pra ser um grande momento do esporte. Grande abraço!

      Responder
  91. Daniel

    Se o jogo começar a complicar pro Djokovic, ele vai fazer careta, mancar, se jogar no chão, chamar atendimento, gritar…
    Mas assim que a coisa melhorar um pouquinho ele voltará a ser o devorador de fígados.
    E que vença o melhor, será um belo jogo.

    Responder
  92. Lucas Leite

    Dalcim, na coletiva de imprensa Tsitsipas afirmou que sentiu uma lesão que já tinha aparecido em Roma e por isso foi tão abaixo no 5º set. Mas de qualquer forma, acho que perdeu um pouco do gás por ainda estar aprendendo a dosar energia e força física em 5 sets em sua jovem carreira. Não acha? Achei o feito do grego impressionante, ter força mental para salvar match point e levar o número 1 para um 5º set, ainda salvando tantos break points no 4º set (jogando muito bem), é para muito poucos não acha? Até porque o grego vinha de algumas derrotas difíceis nos últimos tempos e podia perfeitamente não ter força mental para essa batalha. Me impressionou o espírito de campeão, a direita na paralela que ele fez para fechar o 3º set foi digna de um futuro líder do ranking. Não sei quais outros da geração do grego são tão fortes assim, principalmente em momentos de pressão como esses. O que acha?

    Responder
        1. José Nilton Dalcim

          O Thiem não é tão ‘novato’, Eduardo. Mas se incluirmos o Thiem, acho que o austríaco tem maiores a curto prazo, principalmente porque evoluiu nas quadras mais velozes.

          Responder
  93. Maurício Luís *

    Consegui errar de longe os dois placares das duas semis. Fosse eu vidente e montasse uma tenda, morreria de fome.
    Só faltava agora o Dalcim falar que eu ganhei aquela foto do Nadal de cueca. Aí eu me enforco num pé de couve.
    Não vou nem me atrever a torcer pelo Djoko. Vou desligar tudo. Todo mundo que eu torço, perde. Portanto, vou por aquele ditado: ” Muito ajuda quem não atrapalha”.

    Responder
    1. Maurício Luís *

      Ah, boa sorte ao Bruno e ao Pavic. E à dupla juvenil. Vamos ver se alguma coisa se salva nesse campeonato onde ao menos pra mim, nada deu certo.
      Por falar em dupla, que melancólica a despedida dos irmãos Bryan. Não fiquei sabendo de nenhum evento especial, nada… Logo eles, a melhor dupla de todos os tempos.

      Responder
    2. JAN DIAS

      Socorro!! 🤣🤣🤣 kkkkk ..”me enforco num pé de couve” foi demais..🤣🤣..
      Sou torcedora do FEDERER, mas se você quiser, Maurício, pode mandar a foto pra mim…também sei apreciar as belas pernas do espanhol.. Kkk
      Abs,

      Responder
    3. Marcilio Aguiar

      Mauricio, não se esqueça que a foto da querida sogra do Touro, de bobs, também faz parte do pacote de prêmios que você laçou outro dia rsrsrs.

      Responder
  94. Gustavo Fradique

    Dalcim,

    O número dos 3 são absurdos. Surreal.

    Meu espanto é terem numeros tão parecidos e o Nadal ficar tão atrás no critério semana na liderança.

    Responder
    1. Efraim Oliveira

      Eu penso o seguinte sobre isso: Nadal foi o que teve conquistas de forma mais espaçadas, ao passo que pegou Roger e Novak com conquistas mais compactas. Por exemplo, Nadal foi único dos três que ganhou ao menos um slam por dez anos consecutivos

      De 2005 a 2008 Roger dominava, aí começou a entrar o período de Nadal mais dominante, só que em 2011 já surgiu o Novak sendo dominante. Nadal manteve a regularidade de suas conquistas nesses dois períodos, com os outros dois tendo pico maiores na sua era de dominância. Isso tudo aí se refletiu no ranking.

      Outra coisa que acho que pesa é a quantidade de torneios de quadra duras frente aos de saibro. Nadal embora seja um excelente tenista nas duras, acabou pegando os dois maiores de quadras duras da história. O inverso ocorre no saibro, onde os outros dois são muitos bons, mas pegou um Nadal dominante. Porém não há tantos torneios no saibro como em quadra duras, e soma-se a ela a grama.

      Responder
  95. Luiz Fernando

    Pelo teor de alguns comentários deste e do outro tópico, parece q algumas federetes estão meio tensas. Mas fiquem tranquilos, tem um recorde do suíço q nem Rafa nem Djoko não chegarão perto: o numero de finais de GS perdidas kkkk… E como no domingo ou tem 20 ou tem 18, o antigo refugio destes queridos blogueiros, a Clinica de Camboriú, estará de portas abertas kkkk…

    Responder
      1. Rodrigo Azevedo

        Se o sérvio perder fica com 10 vices em Slam, se o espanhol perder fica com 9 vices. Federer tem 11 vices, não chegam nem perto? Melhor revisar a fonte de consulta, essa está furada.

        Responder
  96. José

    Dalcim, que jogo importantíssimo teremos no domingo! Dá pra dizer que é um dos jogos mais importantes da história do tênis, certo?

    Acredito que Djokovic vence desta vez e assegura o recorde isolado do Federer.

    Responder
  97. Eduardo Moura Lima

    Fala Dalcim,

    Infelizmente, pelo pouco que assisti dessa temporada de saibro, vejo pouquíssimas chances do Nadal vencer o Djoko nessa final.
    Isso porque ultimamente para o Nadal bater o sérvio nos últimos tempos ele precisa basicamente de 3 fatores:
    – Estar fisicamente muito bem;
    – Estar com a esquerda funda, chapada e funda, como tem estado a partir de 2017;
    – Estar com o forehand na paralela afiadíssimo.

    Bom, ao que me parece nesse RG, Nadal parece estar bem mais lento que o habitual; o backhand está nível pré 2017 (alto, fraco e curto); tem explorado pouco a paralela com forehand assim como o mesmo golpe tem sido curto e alto.

    Soma-se isso ao fato da bola prejudicar bastante seu jogo no saibro e o clima também e mais ao fato do Djoko não ter perdido esse ano e ter muito menos pressão nesse jogo (o que concordo 100% com você). Acho que são muitos fatores contra o Nadal nesse momento.

    A favor estão seu retrospecto em RG e contra o Djoko em RG, e a motivação. Mas acho pouco na balança.

    Uma pena.

    Abraço

    Responder
    1. Luiz Henrique

      Estou torcendo pelo Nadal, mas concordo com vc, de 2017 a 2019 esteve melhor (exceto nos primeiros torneios do saibro de 2019..)…mas vamos ver né…quem sabe eleva o nível na final e vence o Goat..

      Responder
  98. Gildokson

    Eu discordo um pouco de você Dalcim, com relação à pressão, Djokovic vai ter muita pressão também, pois o feito dele é muito grande. Ser o primeiro e único a derrubar Nadal em final de RG, e fazer a dobradinha do carrear? Na hora do jogo isso vai pesar um pouco na cabeça dele também.
    E temos que levar em consideração outra coisa, Nole vem deixando bem claro a sua obsessão por ser o maior detentor de Slans, então ele sabe que essa final pesa como a de WB 2019, que ele além de somar vai estar freando um principal concorrente.

    Ahh! E mesmo jogando à 586 mil metros da linha o Nadal chega nas curtinhas e faz bem mais do que o grego ao chegar nelas. Discordo de quem acha que ele não está jogando tão bem.

    Responder
  99. Miguel BsB

    Dalcim, por favor. Se for rolar bolão pra final por favor sorteie outro livro/brinde…
    Eu já tenho esse livro do fininho…alias, os 02. Rs

    Responder
  100. André Barcellos

    Não li todos os comentários, mas pelo que vi dos dois até agora, e pelas condições em que estão a quadra, o clima é a bola, creio que Djokovic é favoritíssimo contra o espanhol.
    Nadal não é aquele invencível de antes. Não enfrentou alguém com pernas, consistência e poder de fogo o torneio inteiro. Sinner tinha bola, mas não teve cabeça e consistência. Diego estava errático e não tem golpe nenhum que seja pesado. Djokovic tem o pacote completo pra ganhar desta vez.
    Tudo dependerá de como estará a cabeça de cada um. Nesse quesito, Nadal também entra em quadra em leve desvantagem. Além de defender a invencibilidade em finais de RG, tem o recorde de Federer logo ali e o fantasma das últimas derrotas em GS para o sérvio.
    Domingo a história será feita, de uma forma ou de outra.

    Responder
  101. Marcus Crusius

    Prezado Dalcim, boa noite.

    Apenas um reparo, Nadal leva vantagem no confronto com Djoko em Slam, são 6 vitórias do Nadal em Roland Garros, 2 no Usopen, 1 em Wimbledon, e o Djoko venceu 2 no Ausopen, 2 em Wimbledon, 1 Usopen e 1 em Roland Garros, portanto neste quesito Rafa 9 x 6 Nole.

    Parabéns pelo excelente blog.

    Abraço,

    Responder
  102. Vitor Hugo

    Mas cheira muito mal um jogador 11 anos mais novo cansar bem mais que um veterano, Bolsovice ganhou no físico, pois na técnica é inferior ao grego.

    Responder
    1. Alessandro Siqueira

      Mais de um anos mais velho e inferior tecnicamente. Ainda assim, ganhou do grego. Equação difícil essa, hein? Se apenas físico ganhasse jogo, qualquer triatleta estaria colecionando slams.

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Pra você ver, Vitor!

      E olha que nem vou acusar o sérvio usar algo ilícito.

      Mas os fanáticos sempre vão teimar dizendo que o físico do Federer não constitui desvantagem. (rs)

      Gente, é de uma obviedade ULULANTE que o sérvio já começa dois passos á frente em vantagem física!

      Sem todo esse “gás monstro” capaz de fatigar até mancebos como o Tsitsipas, não teria nem como tirar set do Federer! (rs)

      A vitória do Djoko sobre o grego hoje foi FÍSICA!

      Prova INDELÉVEL de que o suíço é muito mais tenista que o sérvio (rs)

      Gavião, Almeida, e cia limitada podem choramingar a vontade…

      Responder
      1. Paulo Almeida

        Mas você é quem está desesperado e choramingando com mais uma vitória épica do GOAT, freguesão.

        Djokovic é muito mais tenista do que o Federer e os números falam por si: 11×6 em Slams, 13×6 em finais, 13×11 em semifinais, 4×1 em finais de Slam, 4×0 em semifinais do AO, 3×0 em finais de Wimbledon, 21×10 no h2h etc etc.

        Os números inflados pela entressafra estão pra cair e você terá que se conformar com isso.

        Responder
    3. Paulo Almeida

      Já expliquei na pasta anterior que o fator idade funciona assim: quanto mais novo, mais desgastado o cara fica.

      Federer sempre mais velho do que o Djokovic conseguiu perder todas mesmo com isso a seu favor.

      Responder
    4. Luiz Fabriciano

      Mas se ele só ganha no físico, não seria o grego que deveria executar deixadas precisas e o sérvio chegar em todas?
      Uma coisa não fecha nessa sua equação de primeiro grau, só para variar um pouco.

      Responder
  103. Marcilio Aguiar

    Para mim não tem favoritismo, mesmo o Nadal sendo rei de RG. O Djokovic é mais jogador, tem mais recursos, por isso vou torcer para nessa final, apesar de não ser o meu tenista preferido.

    Responder
  104. Vitor Hugo

    Domingo será realizado o terceiro maior clássico da história do esporte, perdendo disparado de Federer x Nadal e depois Borg x Big Mac.

    Creio que Nadal vai ganhar sem tantas dificuldades, já que nunca perdeu para ninguém em RG quando jogou no mínimo 60% do que poderia. Acho que Soderling foi o que mais se aproximou.
    Se Rafa jogar 70%, que é o que vem jogando, ganha por 3 x 1.
    Creio que nem o dopping tecnológico vai salvar o limitado bagre sérvio.

    Responder
    1. Paulo Almeida

      Já acendeu quantas velas pro “rival” Nadal?

      Lembrando que isso é pouco para derrotar o rei da grama, do hard e do tênis em geral.

      Responder
    2. Alessandro Siqueira

      Pois o bagre sérvio doutrinou o maioral suíço lá em janeiro de 2008, quando o helvético tinha VINTE E SEIS ANOS no Aberto da Austrália. Desde essa época, o “limitado” dos Balcãs só fez empilhar contagens. Acaba de empatar matematicamente com Sampras em número de anos terminados na liderança e as 310 semanas são favas contadas. Enfim, só sendo muito “ruim” para ter números tão bons.

      Responder
    3. Geailton

      Kkkkk a naior figura do blog.. Volta aqui domingo com um marcapasso e alguns baldes pra segurar seu choro pela vitória do servio. Repito: te entendo, vc tem trauma do suíço ter apanhado tanto do servio

      Responder
    4. DANILO AFONSO

      Eita VITOR HUGO !!

      Como você deve está sofrendo em meu nobre ?? Esse é o pior duelo que os torcedores do FEDERER querem ver, pois qualquer resultado é “prejudicial” para vocês. “Se correr o bicho pega se ficar o bicho come”.

      Vou torcer muito para o sérvio, mas se perder vou ficar contente porque o espanhol irá igualar o recorde do Federer. O outro recorde de semanas está cada vez mais próximo do sérvio.

      Fico imaginando quanto você deve ter ficado contente quando vislumbrou a virada do grego hoje. Deve ter torcido contra como nunca.

      Venha ser feliz conosco nobre !!

      Responder
  105. Paulo Ricardo

    Dalcim,

    Acho que deveríamos ser muito gratos de presenciar uma final com esses grandes jogadores.

    Ter o privilégio de ver jogadores como Nadal, Federer e Djocko ao mesmo tempo é algo que não veremos tão cedo novamente.

    Parabéns pelo excelente trabalho.

    Responder
  106. VINICIUS BENEDITO CUSTODIO

    A chave do jogo para o Djokovic é ser agressivo domingo dalcim?depois de 55 jogos entre eles, cada um já sabe o que fazer para fazer o outro, e o que vai definir vai ser a execução perfeita para isso, mas o nadal está defensivo demais para min, e sinto que se o Djokovic conseguir ser agressivo desde o início, vai ser o ponto chave, principalmente nas devoluções de saque, aonde ele é superior ao espanhol. Eu aposto em 3×1 para o servio, tem palpite dalcim? Se for para o quinto, eu acho difícil o servio ganhar, Nadal cresce demais, e no saibro ainda. Por isso aposto 3×1.

    Responder
  107. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    Na minha opinião a direita esta boa, mas a esquerda do Nadal está muito distante de anos anteriores em que ele jogou RG, mesmo assim chegou na final sem perder sets. Mas com essa esquerda vc acredita ser suficiente para superar o Djoko?
    Lembrando que não vejo o Djoko jogando tudo que pode e sabe, mas aquela devolução matadora está lá. O que pensa mestre?

    Responder
  108. Rodrigo S. Cruz

    Pois é, amigo Carreno.

    Até que você não falou tanta merda assim, né?

    Lesionado deve ter ficado o Tsitsipas, de tanto tomar drop-shot do sérvio embromador…

    (rs)

    Responder
  109. Rodrigo S. Cruz

    E passando para apimentar a polêmica.

    Vai uma perguntinha para a ala xiita:

    Onde terá ido parar aquela suposta LESÃO do sérvio embusteiro de desculpa pronta?

    Sumiu.

    Ninguém sabe, ninguém viu!

    kkkkkkkkk

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Até tu rapaz?
      Tens inteligência acima da média, debate muito bem sobre qualquer assunto. Não desperdice seu talento.
      Estou sendo realmente sincero.

      Responder
    2. Willian Rodrigues

      Prezado Rodrigo S. Cruz, as dores cervicodorsais do sérvio PODEM ter sido dirimidas por meio do excelente trabalho realizado por uma equipe médica (fármacos) e pelo fisioterapeuta de sua equipe, o qual deve ser um dos melhores do mundo!! Vide o trabalho realizado durante o torneio de Cincinnati (Nova Iorque) recentemente… As dores relacionadas a algumas lesões musculares menos graves podem ser controladas de forma relativamente rápida.
      Falo por experiência própria. Sou cirurgião-dentista e lido bastante com quadros de dor orofacial, seja de origem articular (ATM), seja dor muscular.
      Essa possibilidade é válida para quadros AGUDOS, e não para dores crônicas. Nesse último caso, o buraco é mais embaixo…
      Abraços

      Responder
  110. Alison Cordeiro

    Vai ser épico.

    Enfrentar Nadal em RG é como desafiar Michael Jordan para um mano a mano no basquete, apostar uma corrida contra Usain Bolt ou cair na piscina contra Michael Phelps. Só um super jogador para aspirar esperanças contra o Touro Miúra.

    Mas se existe alguém que possa fazer isso, esse alguém é Djokiller, o comedor de fígados. Único homem em atividade a superar o espanhol no saibro de Paris, pode repetir a dose e adicionar A vitória sobre o rival.

    Um jogo para se lembrar pela eternidade. Para quem gosta de tênis, domingo será o dia de parar tudo e dizer: eu assisti esse jogo.

    Vai ser épico.

    Responder
    1. Luiz Henrique

      Muito boa a comparação, e ela só prova que a excelência de Nadal em RG é algo que transcende o tênis e passa a ser um feito algo impressionante do ponto de vista do esporte mundial.

      Responder
  111. Alexandre

    Dalcim,
    Boa noite!
    Na sua opinião vc acha possível o Nadal jogar mais próximo a linha de base? Será que ele conseguiria fazer essa mudança em seu jogo para ser mais agressivo?
    Abraços!!!

    Responder
      1. Wilson Roxha

        Dalcim, há uma imensa diferença entre jogar com Schwartzman e com Djokovic. El peque sem saque, sem devolução, sem um golpe realmente forte, em vários momentos, equilibrou o jogo e teve várias oportunidades.

        Responder
  112. Sandra

    Pelo visto Dalcim, do jeito que vai essa longetividade do Federer , Nadal e Djoko , ainda somos capaz de ver Federer ganhar o Australian open

    Responder
  113. Santos

    A maior rivalidade do tenis estará em quadra neste domingo. Final imperdível. Imprevisível o resultado, mesmo que um leve favoritismo do espanhol ( acho que 55% a 45% para o espanhol ) Mas sem dúvida o Djoko é o único , o único mesmo que consegue enfrentar mentalmente e fisicamente a resiliência do Nadal. Qualquer outro que não fosse o Nole, não iria aguentar a pressão de enfrentar o multi-campeão do saibro. Façam suas apostas. Jogaço a vista. Os dois maiores da atualidade e entre os três maiores de todos os tempos estarão em ação, novamente fazendo história.

    Responder
  114. Edgard Upinho

    Djokovic realmente vacilou naquele 5-4 do terceiro set, mas o grego é muito mais jogador que o argentino derrotado hoje pelo touro. Com a cabeça no lugar e sendo mais ofensivo, sobretudo explorando paralelas de backhand, evitando cruzadas nas quais o sérvio sempre chega ao buscar contrapés, conseguiu belos golpes no terceiro e quarto set. É notável ver como as estatísticas de erros não forçados, forçados, e winners foram se igualando com o decorrer da partida. Se a energia do grego não tivesse acabado poderia ter vencido a partida no quinto set . Scwartzman foi hoje bastante inconsistente. Imagino que sentiu a pressão de desafiar o espanhol em roland garros. Nadal segue ganhável com aquele jogo defensivo , com um forehand instável, backhand frágil, saque idem, sem se impor e muito dependente do que faz o seu oponente. Só foi melhorar em virtude das bobeadas do argentino. Nadal, para mim, parece inseguro e sem muita confiança pra enfrentar um embalado sérvio. Creio que o sérvio irá vencer no domingo e fará história . Chuto 3 -1 , parciais: 6-4, 6-4, 2-6, 7-5, em 3hrs e 36 min. Abraço, Dalcim.

    Responder
    1. Leo Gavio

      É bem isso mesmo. Nadal adiou a derrota de 2011 com a ajuda do Fregues, mas dessa vez não tem escapatoria, só uma raquetada involuntaria num juiz de linha tira o titulo do Djoko.

      Responder
  115. Luís Frade

    Pelo que deu para ver do jogo de Nadal, mostrou um jogo de chantagem!! O tempo todo!! Pois sempre que precisava. Jogava à bola muito alta para se posicionar e esperar o erro do adversário!!
    Espero que o Djo se recupere fisicamente!! Pois merece este Siam por jogar de maneira mais limpa que o seu adversário!!

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Mas o Nadal sempre faz isso, cara.

      Sempre!

      Toda vez que ele sente vai precisar de mais tempo para bater a próxima bola, ele a joga pro outro lado, o mais alta que dá.

      Nesse sentido, ele é “baloneiro” mesmo.

      (rs)

      Responder
    2. Willian Rodrigues

      Com certeza, Nadal dispõe de muitos recursos técnicos amigo. Usa e abusa do top spin, uma de suas armas mais poderosas. Mas, ele se utiliza mesmo com muita frequência dessa bola alta para ganhar tempo. Se isso dificulta um pouco a vida do adversário, ou o ajuda do ponto de vista tático, não dá pra criticar severamente. Mas, que acho feio, eu acho…

      Responder
  116. Gilvan

    Roland Garros este ano está intragável. Fatalmente, teremos um novo passeio de Rafael Nadal na final, pegando um Djokovic mais cansado e sem a devida adaptação ao saibro.
    Como é possível alguém ser campeão de um Slam enfrentando apenas 2 jogadores realmente competitivos ao longo de todo o torneio? Coisas que o saibro de Paris propicia.
    Parabéns ao Nadal, o rei do barro (com minúsculo mesmo).

    Responder
    1. JAN DIAS

      Disse tudo! O NADAL e o DJOKO só pegaram um adversário decente nessa semifinal, os anteriores foram uma piada… Qualquer 1 dos 2 que vença recebeu o título no colo…

      Responder
  117. Eric

    Mestre,

    Caso Djoko vença, além de possuir pelo menos 2 títulos nos grand slams, ele terá vencido, em finais, Nadal em RG e Federer em Wimbledon. Um feito e tanto, não acha?
    Você também não acha curioso o caminho dos dois até a final? Djoko tinha em tese uma chave mais fácil, mas foi Nadal que só pegou o 12o cabeça na semi.

    Responder
  118. Rodrigo S. Cruz

    VITÓRIA DE PIRRO o empate que o grego cavou, para chegar ao quinto set.

    E posso repetir isso “trocentas” vezes aqui que os xiitas do seita vão negar sempre.

    Mas a verdade é que o Djokovic é a própria encarnação do homem que MATA o talento usando o físico. (rs)

    O Tsitsipas só conseguiu aquele empate improvável, pelos melhores recursos que tem.

    O Djokovic desde cedo descobriu a infalível “MINA DE OURO” naquelas curtinhas.

    E tudo que bastou foi o sérvio explorar…

    Sintomático como o grego se LASCOU quase 100% das vezes, no jogo do “quadradinho”.

    Lembrou até o Guga, pela forma com que o catarinense se deslocava para frente…

    O sérvio tanto insistiu na tática, tanto repetiu a fórmula que no quinto set o grego MORREU.

    E aí virou presa fácil do “homem que não cansa nunca”.
    VITÓRIA DE PIRRO o empate que o grego cavou, para chegar ao quinto set.

    E posso repetir isso “trocentas” vezes aqui que os xiitas do seita vão negar sempre.

    Mas a verdade é que o Djokovic é a própria encarnação do homem que MATA o talento usando o físico. (rs)

    Praticamente morto, ele foi presa fácil para o “homem que não cansa nunca”.

    That’s all, folks… nos vemos no domingo dia que o Nadal levantará o seu vigésimo troféu major.

    Bamos!

    Responder
    1. Marcilio Aguiar

      Desculpa Rodrigo, talvez eu tenha mal-entendido suas palavras, mas porque o Djoko MATA o talento usando o físico? Ele também não tem “seus talentos”?. Será que se fosse somente pelo físico ele teria construído a carreira que fez? Entendo qualquer pessoa não ser fã do estilo de jogo do sérvio. Também não é o meu preferido (torci pelo grego), mas negar-lhe capacidades que vão muito além do aspecto físico, não me parece sensato.

      Responder
      1. Luiz Henrique

        Não se preocupe Marcílio…desde 2006 alguns torcedores do federer criaram essa “escola”, em que é proibido ter um bom preparo físico no tênis, kkkk….

        Responder
      2. Rodrigo S. Cruz

        Sim, o Djokovic tem talento.

        Muda as direções, velocidades e alturas das bolas com maestria e facilidade, e também devolve o saque como ninguém.

        Mas é um repertório que seria totalmente INÓCUO, sem o físico monstruoso e incansável.

        Basta ver que o Tsitsipas tem 22 anos, contra 32 do Djoko.

        Como pode ele (e quase todos os outros tenistas) cansarem primeiro?

        O grego só equilibra o jogo porque tem mais talento! (rs)

        Responder
    2. DANILO AFONSO

      “Mas a verdade é que o Djokovic é a própria encarnação do homem que MATA o talento usando o físico. (rs)”

      Caramba Rodrigo !!! Djokovic jogou muito nos 4 primeiros sets, mesclando talento, tática, frieza e claro físico. O físico é apenas um dos atributos do sérvio que fazem dele o mais completo da história, mesmo que perca domingo.

      Quem realmente é fã do sérvio, sabe o sacrifício enorme que ele faz para ter o físico que possuí. Nada vem de graça. Muitos tenistas não querem pagar o preço para atingirem um condicionamento físico diferenciado.

      Agora fiquei curioso para sabe para quem você irá torcer domingo ??? kkkkk

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Torço pro Touro, LÓGICO!

        A ala xiita de vocês (você não faz parte, claro) é a pior e mais prepotente do planeta.

        Não dá pra torcer pro Djokovic ganhar nem PAR OU ÍMPAR (rs)

        Responder
      2. Luiz Fabriciano

        Tantos “toques” sutis e precisos em um jogo nervoso e nem assim caracteriza talento. Incrível né?
        Teve um contra-pé numa deixada que o grego quase torceu a coluna.

        Responder
    3. Paulo Almeida

      Não esperava nada diferente de você, mas é muita desfaçatez falar em matar o talento com o físico depois da exibição técnica excepcional do Djokovic hoje.

      Vou repetir um trecho da minha postagem da pasta anterior, só pra ver te desmentir com facilidade: “Apesar de ter aberto a porteira pro grego na hora de fechar, foi um show de curtas, devoluções (3 MONSTRUOSAS no último game), voleios, lobs, SMASHES (aquele do fundo foi ESPETACULAR), saques (3 ACES pra fechar o segundo set), winners de forehand e de backhand e alguns slices.”

      Isso só pra ficar na parte técnica, mas sempre lembrando que TALENTO envolve movimentação, tempo de reação, arranque, estratégia e força mental. Tudo que o Djokovic tem mais do que os outros.

      Tsitsipas não tem mais recursos do que o GOAT, não mesmo, mas é um baita tenista sim e valorizou demais a vitória do monstro.

      Você como um membro da seita xiita federista (ou gado bolsofederista, como mais gosta, kkkkkkk) vai morrer negando que Djokovic é o MAIS TALENTOSO da história, mas tudo bem. Nós nos divertimos sempre!

      E confirmou que vai torcer desesperadamente pelo Nadal, como previsto, kkkkkkkk.

      IDEMO!

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Blz!

        E você vai morrer derretido de inveja e imitando os teus “fãs”, já que não tem criatividade para criar as próprias frases.

        Impressionante… (rs)

        Exemplos:

        * “desfaçatez”: uma palavra comum, mas que eu usei nas duas últimas pastas – você copiou.

        * “gado bolsofederista” (expressão minha, só que eu dizia bolsonolista) – você adaptou e copiou.

        * ” seita xiita federista” ( eu digo seita xiita nolista) – você também copiou.

        Enfim… seria trágico se não fosse cômico, né?

        Você tem uma inveja tão latente do Federer, e também de MIM que chega a ser comovente.

        Continue assim. (rs)

        Eu também diria como você “está divertido”, mas só que não sou um papagaio feito você.

        kkkkkk

        Responder
        1. Paulo Almeida

          Não tenho inveja do Federer, pois torço para o Djokovic (mais jogador) e muito menos de você. Faça-me o favor! Nem uma ou outra palavra rebuscada que utiliza de vez em quando me impressionam.

          No entanto, dar-lhe-ei breves explicações. Primeiro que poderia ter utilizado cara de pau ao invés de desfaçatez e segundo que falei xiita e bolsofederista apenas para te fisgar. Se quiser, posso criar um novo termo agora: Estado FederIslâmico. Que tal? Rs.

          Fora que eu falava fedtard antes, mas o termo foi proibido.

          Força aí com tanto sofrimento com o Djokovic.

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Pois é.

            Essa é a diferença.

            Quando escrevo escrevo pra mim, e não pra impressionar ninguém.

            E para quê essa babaquice de “fisgar” os outros?

            Você não percebe que é um comportamento antissocial que só faz as pessoas te detestarem?

        2. Paulo Almeida

          Hum, eu duvido. Creio que gosta de chamar a atenção com vocábulos rebuscados.

          Veja bem, quis fisgar apenas você, assim como gosta de fazer o mesmo com os nolistas com quem vive tretando. Até admitiu num comentário mais acima. Logo, não pode falar nada a respeito.

          Quanto a detestar, acho um termo muito forte, mas fale somente por você. Pouco me importa se você me odeia com todas as suas forças, já que é alguém totalmente irrelevante na minha vida. Tenho certeza de que a maioria absoluta do Blog não nutre esse sentimento por mim e estou bem tranquilo quanto a isso.

          Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Tá , tá, beleza.

            Eu não disse que odeio você, disse que muitos odeiam.

            Tenho mais o que fazer do que bater boca “ad aeternum” com um antissocial.

            Curta aí o 6/0 e 6/2 que o BODE sérvio levou hoje em final de Slam.

            kkkkk

          2. Paulo Almeida

            E poderia me dizer quem me odeia? Não consegui identificar.

            Será que sou mais antissocial do que o mais carente de atenção do Blog?

  119. maurício

    Boa noite, Dalcim, meu Deus, que final vai ser essa, na minha humilde opinião ou Nadal é agressivo com o Djokovic ou vai ser varrido por ele, o Nadal tem o mental favorável com qualquer outro adversário, em ROLAND GARROS, mas com o Djokovic isso fica igual, se tem um cara que ele sabe que pode vence-lo em ROLAND GARROS, esse cara é Djokovic, o que acha Dalcim? tb acha que se o touro não for agressivo ele perde esta parada?, um abraço e fica em paz.

    Responder
    1. Flávio

      Tu está de sacanagem hein Maurício kkk,olha a campanha do rei do saibro cara não perdeu nenhum set,e hone controlou o feaco schwartzman e se poupou para a final e o Djokovic quase perdeu hoje para o valente grego e tu ainda conversando asneira,é o Djokovic que tem que jogar muito se não ele perderá para o Nadal porque no saibro o canhoto é um capeta na final, mas admiro mais o maestro(Federer) que é mais técnico e é a lenda viva do tenis,do que Nadal e Djoko, mas eu acho que o Nadal tem 60% contra 40% de Djokovic que está desgastado, e se confirmar isso vai empatar com o maestro em slam esse percentual de favoritismo está de acordo mestre Dalcin?

      Responder
  120. Herald Santos

    Cara, que final será essa!!! Concordo com você Dalcim, acho Nadal favorito mas também com mais pressão.

    Você acha que esse desgate da semi pode ser decisivo para o Djoko negativamente?

    Responder
  121. Djair

    Djoko pode até ganhar… Mas não acredito que Nadal perderá… Na última final de slam que jogaram, Djokovic destrui o Nadal, pois estava na casa dele. Agora, acredito que Nadal vai dar o troco…Ele está na casa dele… E olhe que torço para o cotonete….

    Responder
  122. V Mauricio

    Boa noite mestre
    Acho que dessa vez não vai ter jeito. Nadal sofrerá sua primeira derrota numa final de Roland Garros. Está jogando muito abaixo, com bolas curtas, saque inofensivo e muitos erros. A movimentação também já não é a mesma. Não tem como ganhar do Djokovic assim. Nunca pensei que diria isso, mas não vejo Nadal como favorito na final do Slam do saibro. Daria 70-30 para Novak no Domingo. O que acha Dalcim? Também está vendo um Nadal tão vulnerável como aquele de 2015?

    Responder
  123. Luiz Henrique

    Get ready for the BIGGEST MATCH IN HISTORY, HERE’S what’s on the line:

    Djokovic is looking for his 18th slam (gets within 2 of Fed and 1 of Rafa)

    Djokovic is looking to be the first player in OE to win 2+ majors at each slam (Fed only has 1 RG and Rafa 1 AO)

    Djokovic is looking to be the first player to beat Nadal in a RG final

    Djokovic is looking to be the first player to beat Nadal multiple times at RG

    Djokovic is looking to be first player to beat Nadal 30 times in H2H

    Djokovic is looking to be the first player to beat Nadal in the finals of all 4 slams

    Djokovic pretty much clinches the weeks at number one record and 6th YEN1 tying PETE

    Djokovic will win multiple majors in the same season for the 6th time in his career

    Nadal is trying to tie Federer’s slam record

    Nadal is looking to maintain an absurd 13-0 record at RG finals

    Nadal is looking for his 100th match win at RG

    Nadal is looking to win at least 1 major in a season for the 14th time in his career

    Nadal is looking to win his 4th straight RG for the 3rd different time in his career (!!!!!!!)

    Nadal is looking to be the first player to beat Novak 10 times at majors

    Nadal is looking to be the first player to beat Novak 5 times in major finals

    Nadal is looking to be the first player to win his 4th career major without dropping a set the entire event

    VAMOS!!

    Obs: Leo Gavio, eu admito que Djoko é o Goat, mas acho que vc tem muito mimimi em relação as derrotas do sérvio para Nadal no saibro, desde 2012…vc normalmente comenta as coisas certas e merece crédito por prever no começo de 2011 aonde Djoko poderia chegar…mas tem uma certa dificuldade de aceitar q Rafa é o melhor no saibro e perde a cabeça nos comentários…abraço e boa sorte. Se djoko vencer acelera o recorde dele, mas acho q ele terminará na frente de qualquer jeito

    Responder
    1. Flávio

      Sim cara, mas se o Djokovic perder domingo vai ter que esperar 2 anos para igualar o maestro (Federer)em slam, e aí vai levar um longo tempo, e 2 anos não é fácil cara porque pode haver contusões e qualquer um esta sujeito a isso, ok Luiz Henrique.

      Responder
  124. RicardoCWB

    O Tsitsipas de hoje lembrou aquele Medvedev de Cincinatti do ano passado.
    Partiu pro tudo ou nada e deu certo.
    A única diferença é que hoje eram 5 sets.
    O buraco era mais embaixo.
    Dalcim, não entendi o posicionamento do Djoko nos segundos serviços do grego. Lá atrás.
    Por várias vezes devolvia a bola curta e já começava o ponto dominado.
    Certamente estava seguindo à risca sua estratégia, mas não deixou de ser estranho.
    Vê alguma explicação?

    Abs

    Responder
  125. Jmsa

    Por tudo que eu vi,difícil não imaginar Rafael Nadal perca esse título .
    Dalcim,no feminino todo mundo fala da polonesa,mas pra mim a kenin ganha.
    Dalcim,da nova geração,a kenin e andreescu parecem ter o mental mais forte ou temais alguma com essa característica ?
    Excelente texto como sempre .

    Responder
  126. Sandra

    Eu sou Uma que estava totalmente descrente do Djokovic depois dQuela contusão , na minha cabeça continuo não achando que foi armação , até porque ele estava ganhando , pode até ter sido um desconforto que o irritou profundamente , eu não sei a sua opinião , ele vai entrar mais tranquilo , pois o Franco favorito e o Nadal , mas você não acha que de todos os jogadores do circuito o que tem mais chance de ganhar do Nadal em Paris não é ele ?

    Responder
    1. Julio Cesar

      Nem tudo é contusão, ou lesão. Às vezes a pessoa sente algum tipo de inflamação muscular e trata com antiinflamatórios, o que resolve o problema com relativa rapidez. Infelizmente o que ocorre é que, como o jogador em questão resolveu não falar sobre o assunto, ficam no ar algumas especulações, muitas vezes maliciosas, sobre a conduta ou a ética do esportista.

      Responder
  127. Ricatdo

    Sem duvida 2 monstros sagrados deste esporte, e devem ficar como lendas por muitos e muitos anos, juntando-se a Laver, Sampras e Federer. The Big Five!

    Responder
  128. Leo Gavio

    Djokovic deve ser o campeão.

    Dessa vez não teremos vento ou chuva, Djokovic sempre foi prejudicado por esses fatores extra quadra.

    Tudo conspira a favor do Djoko, vai ser um jogo igual a Roma 2011, devoluções acachapantes no dedão do casco do touro. E dessa vez teremos as deixadinhas, Djoko vai mostrar ao Rei da entressafra como se doma o bichão na arena.

    Responder
    1. Luiz Henrique

      Leo, acho que Djoko já mais do que comprovou que enfrenta Nadal no saibro muito melhor do q federer. N precisa vencer domingo pra isso.
      Vou torcer pelo Nadal, mas no meu íntimo acho que djoko terminará como o maior

      Responder
  129. Rafael

    Dalcim, a que vc credita a longevidade de Nadal e Nole?

    Digo pelo estilo de jogo, já li muito aqui que eles não teriam mais condição de jogar assim aos 30 anos.

    Obrigado.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *